AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO"

Transcrição

1 AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

2 Papel da escola na promoção de uma cultura de HSST no trabalho PANORAMA GERAL: acidentes de trabalho/ano 22% afecta os jovens com idade inferior aos 22 anos. Programa Nacional de Educação para a Segurança e Saúde no Trabalho Implementado em 2000 em todo o território nacional.

3 Papel da escola na promoção de uma cultura de HSST no trabalho Programa Nacional de Educação para a Segurança e Saúde no Trabalho Visa: Assegurar a inclusão e o desenvolvimento curricular de matérias de Segurança e Saúde no Trabalho; Apoiar as escolas na concepção e desenvolvimento de projectos educativos sobre esses temas e não esquecer as necessárias acções de formação para professores; Construção de instrumentos indispensáveis para aproximar, de modo eficaz, a escola do mundo do trabalho; Desenvolvimento de competências e comportamentos necessários à prevenção dos riscos profissionais; Contributo à diminuição da sinistralidade laboral e das doenças profissionais, em especial dos jovens.

4 ACTIVIDADE 3: Brainstorming Apresenta uma explicação para ter sido inserida no programas escolares a disciplina de HSST.

5 RISCOS PROFISSIONAIS Qualquer situação de perigo que seja associada a uma actividade profissional, podendo atingir a saúde do trabalhador. O desconhecimento dos perigos da sinalização e de regras básicas de segurança são os principais riscos.

6 RISCOS PROFISSIONAIS Afirmações Verd. Falsa É necessário, apenas, conhecer os riscos da minha actividade profissional para evitar acidentes e/ou doenças profissionais. A primeira etapa na prevenção de riscos profissionais é a identificação dos perigos. Tenho de identificar riscos associados ao local, às máquinas e aos equipamentos, à electricidade, aos incêndios e explosões, ao ruído e iluminação, à temperatura e manuseamento de substâncias químicas perigosas. É necessário manter o meu posto de trabalho limpo, embora possa estar desarrumado, uma vez que a arrumação é um conceito subjectivo. Aquando a minha admissão profissional, devo obter informação geral sobre os principais riscos associados à actividade profissional.

7 RISCOS PROFISSIONAIS Afirmações Verd. Falsa Posso fazer sempre uns arranjos eléctricos, mesmo não sendo especializado nesta área As más condições de iluminação não representam um factor de risco Quem quer trabalhar não tem frio Posso trabalhar na construção civil a ouvir música por phones Não preciso de conhecer sinais nem símbolos A forma como me sento no meu local de trabalho interfere com a atenção e concentração.

8 RISCOS PROFISSIONAIS: Factores de risco

9 PREVENÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS 1º Identificação dos perigos; 2º Identificação de quem se encontra em risco, onde e como; 3º Avaliação do nível do risco; 4º Adopção de medidas no sentido de eliminar/reduzir o risco; 5º Acompanhamento e análise das medidas adoptadas.

10 FACTORES DE RISCOS ASSOCIADOS A locais e postos de trabalho O LOCAL DE TRABALHO Está limpo e arrumado? Tem acesso fácil e rápido? É bem iluminado? O piso é aderente e sem irregularidades? É suficientemente afastado dos outros postos de Trabalho? As escadas têm corrimão ou protecção lateral? O material e o local em si estão em boas condições de preservação? Existe sinalização de segurança? (saídas de emergência, sinalização de áreas perigosas, produtos perigosos.)

11 RISCOS PROFISSIONAIS Local e postos de trabalho:

12 RISCOS PROFISSIONAIS Local e postos de trabalho:

13 FACTORES DE RISCOS ASSOCIADOS A locais e postos de trabalho CONDIÇÕES PSICOLÓGICAS DO TRABALHO O trabalho é em turnos ou normal? Os turnos possuem mais de 8 horas? O Operador realiza muitas Horas extras? A Tarefa é de alta cadência de produção? É exigida muita concentração dados os riscos da operação?

14 FACTORES DE RISCOS ASSOCIADOS A locais e postos de trabalho CONDIÇÕES PSICOLÓGICAS DO TRABALHO

15 RISCOS PROFISSIONAIS Locais e postos de trabalho em Práticas Administrativas:

16 RISCOS PROFISSIONAIS Máquinas e equipamentos necessários: como funciona? quais as condições de segurança? como manusear?

17 RISCOS PROFISSIONAIS Máquinas e equipamentos de trabalho em Práticas Administrativas: Lesões neurológicas por radiação; Lesões musculares; Osteoarticulares: Tendinites.

18 RISCOS PROFISSIONAIS: causas, efeitos e prevenção Electricidade Incêndio e explosões Substâncias perigosas Ruído Iluminação nos locais de trabalho Temperatura nos locais de trabalho Postura (ergonomia)

19 RISCOS PROFISSIONAIS: Electricidade Caracterização: Fenómeno físico resultante de descargas eléctricas Causas: Contacto directo: partes activas da instalação. Contacto indirecto: massas metálicas. Consequências: Electrização : acidente por contacto com corrente eléctrica. Electrocussão : acidente mortal por contacto com corrente eléctrica.

20 RISCOS PROFISSIONAIS: Electricidade Prevenção de acidentes Não realizar trabalhos com electricidade se não estiver habilitado para o efeito; Manter a distância de segurança dos fios eléctricos; Usar equipamento e meios de protecção individual (EPI); Em locais húmidos ou molhados usar aparelhos eléctricos portáteis <25V; Cabos de alimentação isolados e conservados; Desligar os aparelhos eléctricos após utilização; Não usar o cabo de alimentação para desligar os aparelhos eléctricos; Revisão periódica dos aparelhos.

21 RISCOS PROFISSIONAIS: Incêndios e explosões Caracterização: Combustão: reacção química exotérmica entre combustível e comburente. Combustível: substância que seja capaz de arder (sólida, líquida ou gasosa) Comburente: por norma é o oxigénio (alimenta a combustão) Causas: Algo que indicia a combustão: cigarros, faíscas, sol, etc.

22 RISCOS PROFISSIONAIS: Incêndios e explosões Consequências: Prevenção de acidentes Queimaduras de pele; Morte; Danos materiais. Armazenar produtos inflamáveis em locais adequados (isolados, afastados); Utilizar recipientes fechados hermeticamente, no armazenamento, transporte e depósito de resíduos; Proibição de fumar e de utilizar utensílios susceptíveis de gerar chamas ou faíscas; Não misturar substâncias cuja reacção se desconheça.

23 RISCOS PROFISSIONAIS: Substâncias perigosas Caracterização: Substâncias químicas capazes de provocar incêndios e serem nocivas à saúde do indivíduo. Causas: Uso indevido; Acondicionamento inadequado. Consequências: Provocar incêndios; Provocar doenças ou problemas de saúde. Prevenção de acidentes Usar máscara e luvas Conhecer regras de utilização e símbolos Ler rótulos Verificar data de validade Saber actuar em caso de emergência

24 Causas: Introdução à Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho RISCOS PROFISSIONAIS: Ruído Caracterização: Som indesejado e incómodo Medese em decibeis (db) e é medido pelo sonómetro. Consequências: Perda auditiva; Dores de cabeça Prevenção de acidentes Usar protectores auditivos a partir dos 80dB; Fazer a revisão das máquinas e equipamentos e reajustar apertos dos seus componentes; Tapar as partes ruidosas das máquinas.

25 RISCOS PROFISSIONAIS: Iluminação Caracterização: É uma das condições importantes nos locais de trabalho para um bom rendimento. Nem deve res muito fraca nem forte. Causas: Iluminação insuficiente; Iluminação muito intensa. Consequências: Fadiga; Dores de cabeça; Induzir posturas incorrectas; Causar contracções musculares. Prevenção de acidentes Limitação do encadeamento; Distribuição conveniente das lâmpadas; Utilizar difusores, protecções, entre outros que regulem a luz; Utilizar lâmpadas fluorescentes, preferencialmente.

26 RISCOS PROFISSIONAIS: Iluminação Harmonia das cores e seus efeitos Cor Efeito psíquico Efeito distância Efeito temperatura Azul Calmante Afastamento Frio Verde Muito calmante Afastamento Frio a neutro Vermelho Estimulante, cansativo Aproximação Quente Laranja Excitante Muita aproximação Muito quente Amarelo Excitante Aproximação Muito quente Castanho Excitante Muita aproximação Neutro Violeta Agressivo, deprimente Muita aproximação Frio

27 RISCOS PROFISSIONAIS: Temperatura Caracterização: Cada organismo tem a sua temperatura óptima, na qual se sente confortável Conforto térmico. Naturalmente o organismo vivo produz calor e responde à temperatura ambiente de 2 formas: Sob condições de temperaturas elevadas o organismo reage com a transpiração. Sob condições de baixas temperaturas o organismo restringe a circulação sanguínea para não perder calor. Causas: Carga térmica elevada Carga térmica reduzida Consequências: Ambientes quentes Golpe de calor Desmaios Desidratação Redução da capacidade muscular Ambientes frios Hipotermia Redução da força e destreza Má circulação Congelamento

28 RISCOS PROFISSIONAIS: Temperatura Prevenção de acidentes Medida de prevenção Ambiente quente Ambiente frio Construtivas Ventilação natural ou artificial. Isolamento das fontes de calor; Isolamento térmico das paredes; Fonte de calor. Organizacionais Protecção pessoal Pausas para repouso; Reposição hídrica. Usar roupas adequadas; Usar óculos; Isolar-se de fontes de calor. Pausas para repouso; Alimentação adequada. Uso de roupas adequadas.

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume II Locais e Postos de trabalho um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

ARMAZENAGEM. 8 O empilhamento dos materiais obstruí a circulação nas vias. Decreto-lei 243/86 de 20 de Agosto. Foto Nº.

ARMAZENAGEM. 8 O empilhamento dos materiais obstruí a circulação nas vias. Decreto-lei 243/86 de 20 de Agosto. Foto Nº. CHECK LIST DE HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Resposta à check list. A severidade está dividida em 3 níveis, Leve, Médio e Grave Só é preenchida quando a resposta não corresponde ao que a legislação prevê.

Leia mais

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora Pág.1/12 Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos Câmara Municipal de Mora 2010 Pág.2/12 Identificação da Entidade Informação da Visita Documento Entidade: Câmara Municipal de Mora Entidade:

Leia mais

TIPOS DE RISCOS. Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonómicos Riscos de Acidentes

TIPOS DE RISCOS. Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonómicos Riscos de Acidentes RISCO Consideram-se Risco de Trabalho todas as situações, reais ou potenciais, suscetíveis de a curto, médio ou longo prazo, causarem lesões aos trabalhadores ou à comunidade, em resultado do trabalho.

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA 1. Identificação da substância/preparação e da sociedade / empresa Identificação da substância / preparação Nome comercial: LUSO EXTRUDER Código do produto: TPVE 301 Utilização da substância / da preparação:

Leia mais

OS GRANITOS DE VILA POUCA DE AGUIAR

OS GRANITOS DE VILA POUCA DE AGUIAR OS GRANITOS DE VILA POUCA DE AGUIAR COMO FACTOR DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL UMA ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR COORDENAÇÃO: LUÍS SOUSA Ficha Técnica Título Os granitos de Vila Pouca de Aguiar como factor de

Leia mais

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano A prática regular e moderada da actividade física pode trazer benefícios substanciais para a saúde da população, como seja reduzir para metade o risco de doenças coronárias, baixar o risco de desenvolver

Leia mais

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Resolução do Conselho 2002/C161/01 Nova Estratégia Comunitária de Saúde e Segurança (2002 2006) Redução dos Acidentes de Trabalho

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ORGANIZAÇÃO DO ESTALEIRO 2 DESCRIÇÃO Face à legislação em vigor, estaleiros temporários ou móveis são os locais onde se efectuam trabalhos de

Leia mais

CIPA GESTÃO 2013/2014

CIPA GESTÃO 2013/2014 HOSPITAL SÃO PAULO-SPDM Mapa de Risco da Empresa: Questionário auxiliar para elaboração do Mapa de Riscos Mapa de Risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho,

Leia mais

Produtos químicos PERIGOSOS

Produtos químicos PERIGOSOS Produtos químicos PERIGOSOS Como podemos identificar os produtos químicos perigosos? Os produtos químicos estão presentes em todo o lado, quer em nossas casas, quer nos locais de trabalho. Mesmo em nossas

Leia mais

Conselhos para Colaboradores e Parceiros da Securitas Portugal securitas.pt

Conselhos para Colaboradores e Parceiros da Securitas Portugal securitas.pt Security, Health and Safety Conselhos para Colaboradores e Parceiros da Securitas Portugal securitas.pt O Regulamento (CE) 1272/2008 CLP (classificação, rotulagem e embalagem) harmoniza a legislação comunitária

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA ONDAS DE CALOR 2009 RECOMENDAÇÕES PARA DESPORTISTAS Nº: 29/DA DATA: 04/08/09 Para: Contacto na DGS: Todos os Estabelecimentos de Saúde Divisão de Saúde Ambiental INTRODUÇÃO

Leia mais

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora Pág.1/5 Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos Câmara Municipal de Mora Pág.2/5 Identificação da Entidade Informação da Visita Documento Entidade: Câmara Municipal de Mora Entidade: Segurévora

Leia mais

Síntese sobre Higiene e Segurança no Trabalho

Síntese sobre Higiene e Segurança no Trabalho Síntese sobre Higiene e Segurança no Trabalho Fundamentos da segurança no trabalho A segurança como sinónimo de prevenção de acidentes engloba vários aspectos: Aspectos ético-sociais Segurança social Aspectos

Leia mais

REGRAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO (NO FINAL DO MANUAL)

REGRAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO (NO FINAL DO MANUAL) A segurança no laboratório de química Os laboratórios são lugares de trabalho que necessariamente não são perigosos, desde que sejam tomadas certas precauções. Todos aqueles que trabalham em laboratório

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho

Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XVI Armazenamento de Produtos Químicos Perigosos um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido

Leia mais

Armazenamento Todas as matérias primas são organizadas por secções no armazém, através de prateleiras.

Armazenamento Todas as matérias primas são organizadas por secções no armazém, através de prateleiras. Recepção de matérias primas Após a chegada das matérias primas à fábrica, estas são transportadas para o armazém através do empilhador, porta paletes ou através de transporte manual. Armazenamento Todas

Leia mais

INSPEÇÃO DE SEGURANÇA

INSPEÇÃO DE SEGURANÇA INSPEÇÃO DE SEGURANÇA Grupo 01 Riscos Físicos 01. Existe ruído constante no setor? 02. Existe ruído intermitente no setor? 03. Indique os equipamentos mais ruidosos: 04. Os funcionários utilizam Proteção

Leia mais

MAPA DE RISCOS COMSAT

MAPA DE RISCOS COMSAT MAPA DE RISCOS COMSAT Comissão de Saúde do Trabalhador 1 - Cores usadas no Mapa de Risco e Tabela de Gravidade GRUPO 1: VERDE GRUPO 2: VERMELHO GRUPO 3: MARROM GRUPO 4: AMARELO GRUPO 5: AZUL Riscos Físicos

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho

Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XXI Acidentes de Trabalho um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a

Leia mais

Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS

Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS MAPA DE RISCOS Previsto na NR 5. 5.16 A CIPA terá por atribuição: a) identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com a participação do maior

Leia mais

SGA. Introdução. Qualidade SGA ISO 14001. SGA por Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática SGA. Introdução.

SGA. Introdução. Qualidade SGA ISO 14001. SGA por Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática SGA. Introdução. por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Legislação aplicada no âmbito de S.H.S.T. Prescrições mínimas de segurança e saúde sobre os componentes materiais do Trabalho

Leia mais

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas. Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/ INTRODUÇÃO Os incêndios e explosões, ainda que representem uma porcentagem

Leia mais

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio Índice geral 3 Prólogo à 2.ª edição 5 Sumário 7 Siglas 9 Agradecimentos 11 1. Introdução 13 Tipificação dos incêndios... Causas de incêndio... Consequências dos incêndios... 2.3.1. Considerações gerais...

Leia mais

QUESTIONÁRIO N.º. 1-Sexo: 3- Nacionalidade: 4-Estado Civil: 5-Grau de ensino (completo): 4 anos de escolaridade 11 anos de escolaridade

QUESTIONÁRIO N.º. 1-Sexo: 3- Nacionalidade: 4-Estado Civil: 5-Grau de ensino (completo): 4 anos de escolaridade 11 anos de escolaridade QUESTIONÁRIO N.º O presente inquérito tem como objectivo registar as opiniões dos trabalhadores que trabalham na Construção Civil, com vista a recolher informações relativamente às condições ambientais

Leia mais

MÓDULO IV SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS

MÓDULO IV SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Programa de formação sobre a aplicação de MÓDULO IV SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS TEMA 1 ASPECTOS TOXICOLÓGICOS DA APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊTICOS TENDO EM CONSIDERAÇÃO A

Leia mais

INQUÉRITO SOBRE O ESTADO DOS LABORATÓRIOS E CONDIÇÕES DE TRABALHO E SEGURANÇA

INQUÉRITO SOBRE O ESTADO DOS LABORATÓRIOS E CONDIÇÕES DE TRABALHO E SEGURANÇA INQUÉRITO SOBRE O ESTADO DOS LABORATÓRIOS E CONDIÇÕES DE TRABALHO E SEGURANÇA Na sequência da Circular nº04/cd/03, de 17 de Janeiro, vimos por este meio solicitar a colaboração dos Responsáveis pelos Laboratórios

Leia mais

PRIMEIRO A SEGURANÇA. Armazenamento e Manuseamento Seguro de Produtos de Limpeza e de Desinfecção. Seguir as Regras de Segurança:

PRIMEIRO A SEGURANÇA. Armazenamento e Manuseamento Seguro de Produtos de Limpeza e de Desinfecção. Seguir as Regras de Segurança: Seguir as Regras de Segurança: 1. Seguir sempre as recomendações e instruções de aplicação dos produtos de limpeza e de desinfecção. 2. Observar os pictogramas de perigo, as advertências de perigo e as

Leia mais

Avaliação de Riscos no Laboratório de Química Orgânica do IST

Avaliação de Riscos no Laboratório de Química Orgânica do IST Avaliação de Riscos no Laboratório de Química Orgânica do IST Apresentação do Laboratório Armazém de Reagentes aprox. 7 m 2 de armazém Escadas sem apoio e com grande inclinação Armazém de Reagentes Ventilação

Leia mais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais Riscos Ambientais Riscos Ambientais São os agentes, elementos ou substâncias presentes nos locais de trabalho. A exposição dos trabalhadores a estes agentes pode causar acidentes com lesões ou danos à

Leia mais

Examen de teste: Segurança Básica (BE)

Examen de teste: Segurança Básica (BE) Examen de teste: Segurança Básica (BE) Série: Examen de teste (BE) Leia atentamente as instruções apresentadas abaixo! Este exame é constituído por 40 perguntas de escolha múltipla. A seguir a cada pergunta

Leia mais

Testes de Diagnóstico

Testes de Diagnóstico INOVAÇÃO E TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO AGRÍCOLA agrinov.ajap.pt Coordenação Técnica: Associação dos Jovens Agricultores de Portugal Coordenação Científica: Miguel de Castro Neto Instituto Superior de Estatística

Leia mais

Educação Tecnológica HIGIENE, SEGURANÇA E SAÚDE. Comportamentos seguros no trabalho AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL

Educação Tecnológica HIGIENE, SEGURANÇA E SAÚDE. Comportamentos seguros no trabalho AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL ESCOLA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ALVES REDOL Educação Tecnológica HIGIENE, SEGURANÇA E SAÚDE O trabalho é desgastante e tem situações de perigo. O objectivo da Higiene,

Leia mais

Escola Secundária com 3.º ciclo Jorge Peixinho

Escola Secundária com 3.º ciclo Jorge Peixinho Escola Secundária com 3.º ciclo Jorge Peixinho Ciências Físico-Químicas: CEF-EM(N2) PROFESSORA: Daniela Oliveira MÓDULO 1 SEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE QUÍMICA Escola Secundária com 3.º ciclo Jorge Peixinho

Leia mais

O RUÍDO LABORAL E A SUA PREVENÇÃO

O RUÍDO LABORAL E A SUA PREVENÇÃO O RUÍDO LABORAL E A SUA PREVENÇÃO Humberto J. P. Guerreiro Engenheiro de Minas INTRODUÇÃO O ruído é um dos agentes físicos que gera mais incomodidade. É responsável por conflitos entre pessoas, entre pessoas

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume V Riscos de Incêndio. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume V Riscos de Incêndio. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume V Riscos de Incêndio um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa

Leia mais

Lista das frases de risco e de segurança

Lista das frases de risco e de segurança Lista das frases de risco e de segurança FRASES DE RISCO R1 : Explosivo no estado seco. R2 : Risco de explosão por choque, fricção, fogo ou outras fontes de ignição. R3 : Grande risco de explosão por choque,

Leia mais

O sector da saúde apresenta uma elevada taxa de incidência de distúrbios músculo-esqueléticos relacionados com o trabalho, apenas precedido do

O sector da saúde apresenta uma elevada taxa de incidência de distúrbios músculo-esqueléticos relacionados com o trabalho, apenas precedido do SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE DO TRABALHO BOAS PRÁTICAS EM MEIO HOSPITALAR 26-11-2008 10% dos trabalhadores da União Europeia sector da saúde e da protecção social A taxa de acidentes de trabalho no sector

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ )

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Anti Ruído Tradicional Aplicação: Reparação e emborrachamento de veículos. Fornecedor: Nome: Mastiflex Indústria e Comércio Ltda Endereço : Rua

Leia mais

Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local RISCOS FÍSICOS RUÍDO. Formadora - Magda Sousa

Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local RISCOS FÍSICOS RUÍDO. Formadora - Magda Sousa Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local RISCOS FÍSICOS RUÍDO Formadora - Magda Sousa O Ruído no Meio Ambiente O problema do Ruído no meio ambiente tem-se tornado, cada vez mais, numa

Leia mais

O empregador deve assegurar ao trabalhador condições de segurança e de saúde em todos os aspectos do seu trabalho.

O empregador deve assegurar ao trabalhador condições de segurança e de saúde em todos os aspectos do seu trabalho. Guia de Segurança do Operador PORTUGAL: Lei n.º 102/2009 de 10 de Setembro Regime Jurídico da Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho O empregador deve assegurar ao trabalhador condições de segurança

Leia mais

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO 11 de fevereiro de 2013. Saúde e Segurança na agricultura

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO 11 de fevereiro de 2013. Saúde e Segurança na agricultura TÍTULO DA APRESENTAÇÃO Saúde e Segurança na agricultura TÍTULO DA APRESENTAÇÃO TÍTULO DA APRESENTAÇÃO DEVERES GERAIS DO EMPREGADOR DEVERES GERAIS DO TÍTULO EMPREGADOR DA APRESENTAÇÃO Admissão de trabalhadores

Leia mais

Anexo 3 - Questionário específico - construção

Anexo 3 - Questionário específico - construção Anexo 3 - Questionário específico - construção 85 Empresa: Morada: Localidade: Cód. Postal: Distrito: Telefone: NIF: Código de CAE-Rev. 2/92: Actividade principal da empresa: Categoria da Actividade: Número

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume IX Movimentação Mecânica de Cargas. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume IX Movimentação Mecânica de Cargas. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume IX Movimentação Mecânica de Cargas um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

Formando: Dário Filipe da Silva Afonso. Formanda: Fernanda Maria Piçarra. Avaliação de riscos. Filme 1 Situação 1 Caso do menino

Formando: Dário Filipe da Silva Afonso. Formanda: Fernanda Maria Piçarra. Avaliação de riscos. Filme 1 Situação 1 Caso do menino Avaliação de riscos Filme 1 Situação 1 Caso do menino Camião a despejar carga em andamento (destravado) Menino a brincar debaixo da obra Técnicos sem EPIs Mau acondicionamento e deficiente arrumação de

Leia mais

Formando: Dário Filipe da Silva Afonso. Formanda: Fernanda Maria Piçarra. Avaliação de riscos. Filme 1 Situação 1 Caso do menino

Formando: Dário Filipe da Silva Afonso. Formanda: Fernanda Maria Piçarra. Avaliação de riscos. Filme 1 Situação 1 Caso do menino Avaliação de riscos Filme 1 Situação 1 Caso do menino Camião a despejar carga em andamento (destravado) Menino a brincar debaixo da obra Técnicos sem EPIs Mau acondicionamento e deficiente arrumação de

Leia mais

Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local MÓDULO 5. Sinalização de Segurança. Formadora - Magda Sousa

Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local MÓDULO 5. Sinalização de Segurança. Formadora - Magda Sousa Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local MÓDULO 5 Sinalização de Segurança Formadora - Magda Sousa SINALIZAÇÃO A sinalização é a técnica que administra uma indicação relativa à segurança

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XIX Gestão da Prevenção um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa

Leia mais

Substâncias perigosas: Esteja atento, avalie e proteja

Substâncias perigosas: Esteja atento, avalie e proteja Substâncias perigosas: Esteja atento, avalie e proteja ON END OPEN Lavandarias a seco e limpezas www.campanhaquimicos.eu Avaliação de riscos na utilização de substâncias perigosas Campanha Europeia CARIT

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/7 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ARMAZENAGEM DE MATERIAIS, EQUIPAMENTOS E RESÍDUOS 2 DESCRIÇÃO O trabalho preventivo no armazenamento de produtos perigosos, visa não só a protecção

Leia mais

1. HIGIENE INDUSTRIAL: GENERALIDADES

1. HIGIENE INDUSTRIAL: GENERALIDADES TÍTULO: Higiene Industrial no Fabrico de Louça Metálica Algumas considerações AUTORIA: Factor Segurança PUBLICAÇÕES:TECNOMETAL n.º 116 (Maio/Junho de 1998) 1. HIGIENE INDUSTRIAL: GENERALIDADES A higiene

Leia mais

Suprimark Brasil Com de tintas e Papeis ltda

Suprimark Brasil Com de tintas e Papeis ltda Produto: Sistema Escrita Prima Amarelo FISPQ: 0005 1 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Sistema Escrita PDVmais Prima amarela Suprimark Brasil de Com. De tintas e Papeis Ltda Rua : Augusto Tolle,

Leia mais

OBJECTIVOS PRINCIPAIS:

OBJECTIVOS PRINCIPAIS: Câmara Municipal de Aveiro SERVIÇO MUNICIPAL DE PROTECÇÃO CIVIL SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS EM EDIFICIOS ESCOLARES (SCIE) Meios de 1ª Intervenção - EXTINTORES AGRUPAMENTO EIXO 28 Setembro 2011 Sandra Fernandes

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Para: Contacto na DGS: Ondas de calor medidas de prevenção Recomendações dirigidas à população Conhecimento de todos os estabelecimentos

Leia mais

Newsletter do Grupo 4Work Nº 60 Setembro de 2014

Newsletter do Grupo 4Work Nº 60 Setembro de 2014 A 4 Work - Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, Lda., vai realizar a partir do início do mês de Outubro, uma campanha de vacinação antigripal, desenvolvida e dirigida às empresas, independentemente

Leia mais

TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6)

TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6) TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6) Objectivos do Curso No final da acção, os formandos deverão ser capazes de: Colaborar na definição da política geral da empresa relativa à

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Indicar os critérios gerais que caracterizam os sinais de segurança aplicáveis em SCIE. Listar os sinais específicos exigidos no RT-SCIE,

Leia mais

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA HSST Higiene Segurança e Saúde no Trabalho SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA IvoTeixeira 06 Operador de Informática Introdução do trabalho Sendo este trabalho proporcionado pela professora de HSST para realizar

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO Página: 1 de 5 FISPQ Nº: 037 Data da última revisão: 26/10/2010 Nome do Produto: Betugrout 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Betugrout Código do Produto: 026050025. Nome da Empresa:

Leia mais

Ruído. Acção de Formação. Associação de Municípios do Oeste. Outubro de 2008

Ruído. Acção de Formação. Associação de Municípios do Oeste. Outubro de 2008 Ruído Acção de Formação Associação de Municípios do Oeste Outubro de 2008 Objectivos Impacte do Ruído no Ser Humano; Introdução à Acústica; Quantificação do Ruído; Legislação Aplicável (D.L. n.º 9/2007

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA 1. Identificação da substância/preparação e da sociedade / empresa Identificação da substância / preparação Nome comercial: ECOPICRIL BRANCO Utilização da substância /da preparação: Pintura para marcação

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO 1/19 Programa do curso Módulo Designação Duração (h) Componente Sócio-Cultural 1 Legislação, regulamentos e normas de segurança,

Leia mais

SABES O QUE É UM RÓTULO DE SEGURANÇA? SABES O QUE É UM PICTOGRAMA DE PERIGO? CONHECES OS NOVOS PICTOGRAMAS DE PERIGO?

SABES O QUE É UM RÓTULO DE SEGURANÇA? SABES O QUE É UM PICTOGRAMA DE PERIGO? CONHECES OS NOVOS PICTOGRAMAS DE PERIGO? SABES O QUE É UM RÓTULO DE SEGURANÇA? Os rótulos de segurança incluem frases e pictogramas que alertam para os perigos dos produtos químicos. SABES O QUE É UM PICTOGRAMA DE PERIGO? Um pictograma de perigo

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA Edição revista (*) Nº : 5. 2.2 : Gás não inflamável e não tóxico.

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA Edição revista (*) Nº : 5. 2.2 : Gás não inflamável e não tóxico. Página : 1 2.2 : Gás não inflamável e não tóxico. Atenção 1 Identificação da substância/ preparação e da sociedade/ empresa Identificador do produto Designação Comercial : AR Reconstituido K/AR Comprimido/

Leia mais

Termos Técnicos Ácidos Classe de substâncias que têm ph igual ou maior que 1 e menor que 7. Exemplo: sumo do limão. Átomos Todos os materiais são formados por pequenas partículas. Estas partículas chamam-se

Leia mais

Designação do Produto

Designação do Produto Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Ref.ª HSEL114_115 Designação do Produto Food Plus Aplicação O FOOD PLUS é adequado para ser empregue na Indústria Alimentar (indústria de catering, cozinhas, padarias,

Leia mais

Quando falamos de prevenção no âmbito da Segurança, Higiene e Saúde no. Trabalho, estamos a falar de um conjunto de actividades que têm como objectivo

Quando falamos de prevenção no âmbito da Segurança, Higiene e Saúde no. Trabalho, estamos a falar de um conjunto de actividades que têm como objectivo 1 - Em que consiste a prevenção? Quando falamos de prevenção no âmbito da Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, estamos a falar de um conjunto de actividades que têm como objectivo eliminar ou reduzir

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único Curso Técnico Segurança do Trabalho Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único SeÄÅo IX Das InstalaÄÉes ElÑtricas Art. 179 - O Ministério do Trabalho disporá sobre as condições de segurança e as medidas

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo ACIDENTES E INCÊNDIOS DOMÉSTICOS ADULTOS Acidentes Os acidentes domésticos são muito comuns. Mesmo com todo o cuidado, há objetos e situações que podem tornar todas as divisões

Leia mais

Designação do Produto

Designação do Produto PÁGINA: 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Ref.ª HSEL120 Designação do Produto Fresh LV Aplicação O FRESH LV é um limpa vidros multiusos recomendado, para limpeza de vidros, ceramica, fórmica, melamina,

Leia mais

HI 701-25 Reagente para Cloro Livre

HI 701-25 Reagente para Cloro Livre Data de revisão: 2013-07-15 Motivo da Revisão: Conformidade com o Regulamento (CE) No. 1272/2008 SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA/MISTURA E DA SOCIEDADE/EMPRESA HI 701-25 Identificador do produto:

Leia mais

«Conselhos de segurança» Para utilização de pneus turismo, comerciais e 4x4 na Europa. Grupo Michelin setembro 2004

«Conselhos de segurança» Para utilização de pneus turismo, comerciais e 4x4 na Europa. Grupo Michelin setembro 2004 «Conselhos de segurança» Para utilização de pneus turismo, comerciais e 4x4 na Europa Grupo Michelin setembro 2004 Introdução Os pneus constituem os únicos pontos de contacto entre o veículo e o solo.

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FISPQ N 004/2006 Página 1de 6 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Massas Corrida PVA Nome Comercial: Massa Corrida PVA Empresa: Resicolor Tintas e Vernizes Ltda Endereço: Rodovia

Leia mais

Ficha de dados de segurança

Ficha de dados de segurança Página 1 de 5 SECÇÃO 1: Identificação da substância/mistura e da sociedade/empresa 1.1. Identificador do produto 1.2. Utilizações identificadas relevantes da substância ou mistura e utilizações desaconselhadas

Leia mais

FICHA TECNICA CONTRA RISCO DE INCENDIOS EM EDIFICIOS HABITACIONAIS COMERCIAS E INDUSTRIAIS

FICHA TECNICA CONTRA RISCO DE INCENDIOS EM EDIFICIOS HABITACIONAIS COMERCIAS E INDUSTRIAIS Página 1/5 INSTALAÇÃO ELETRICA CONTADOR ENERGIA / ACE Verificação da não violação do selo do contador Verificação da existência de limitador de potência do distribuidor / Fatura QUADRO ELECTRICO Verificação

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31 NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31 RESUMO Indicar os critérios gerais que caracterizam os sinais de segurança aplicáveis em SCIE. Listar os sinais específicos

Leia mais

V JORNADAS DE SEGURANÇA NO TRABALHO PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES DE TRABALHO E DOENÇAS PROFISSIONAIS

V JORNADAS DE SEGURANÇA NO TRABALHO PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES DE TRABALHO E DOENÇAS PROFISSIONAIS V JORNADAS DE SEGURANÇA NO TRABALHO PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES DE TRABALHO E DOENÇAS PROFISSIONAIS As PME s na Europa As PME s são a espinha dorsal da economia portuguesa, sendo responsáveis por grande

Leia mais

Ficha de dados de segurança

Ficha de dados de segurança Página 1 de 5 SECÇÃO 1: Identificação da substância/mistura e da sociedade/empresa 1.1. Identificador do produto 1.2. Utilizações identificadas relevantes da substância ou mistura e utilizações desaconselhadas

Leia mais

Distribuição e Venda de Produtos Fitofarmacêuticos

Distribuição e Venda de Produtos Fitofarmacêuticos IMPLEMENTAÇÂO DO DECRETO LEI 173/2005 Distribuição e Venda de Produtos Fitofarmacêuticos Algumas orientações para a construção e beneficiação das instalações bem como para o armazenamento de produtos fitofarmacêuticos

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XVII Ruído. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XVII Ruído. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XVII Ruído um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa autorização

Leia mais

Manual de instruções

Manual de instruções P Manual de instruções Salamandra eléctrica 100 A151.5001 V3/0211 Mantenha este manual de instruções pronto a ser utilizado com o produto! - 1 - 1. Informações gerais 3 1.1 Informações sobre o manual de

Leia mais

Para garantir um nível de segurança o mais elevado possível quanto à preparação das salas é necessário seguir algumas normas.

Para garantir um nível de segurança o mais elevado possível quanto à preparação das salas é necessário seguir algumas normas. Requisitos da Sala do computador e do arquivo de suportes magnéticos Para garantir um nível de segurança o mais elevado possível quanto à preparação das salas é necessário seguir algumas normas. 1. Chão

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL E SHST. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança

GESTÃO AMBIENTAL E SHST. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança Regras de Qualidade, mbiente 1 / 7 provação: I. OBJECTIVO E ÂMBITO Este documento estabelece as regras da Qualidade, mbiente aplicáveis a entidades externas, que venham a desenvolver actividades dentro

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FIS 00001 1/6 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Empresa: Endereço: Água sanitária Super Cândida Indústrias Anhembi S/A Matriz: Rua André Rovai, 481 Centro Osasco SP Telefone: Matriz:

Leia mais

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS IGREDIENTES: CONCENTRAÇÃO %

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS IGREDIENTES: CONCENTRAÇÃO % 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: CONCRELATÉX Tinta acrílica base d agua. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José dos

Leia mais

TÍTULO: Introdução ao stress térmico em ambientes quentes. AUTORIA: Ricardo Sá (Edifícios Saudáveis, Lda)

TÍTULO: Introdução ao stress térmico em ambientes quentes. AUTORIA: Ricardo Sá (Edifícios Saudáveis, Lda) TÍTULO: Introdução ao stress térmico em ambientes quentes AUTORIA: Ricardo Sá (Edifícios Saudáveis, Lda) PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 124 (Setembro/Outubro de 1999) Enquadramento do tema A temperatura interior

Leia mais

6. O que indica este sinal? a) um perigo possível b) uma via de evacuação c) material de combate ao fogo d) direcção das casas de banho

6. O que indica este sinal? a) um perigo possível b) uma via de evacuação c) material de combate ao fogo d) direcção das casas de banho 1. Uma autorização de trabalho é um documento: a) que tem de promover a concertação entre todos os que tenham a ver com o trabalho. b) em que vêm estipuladas as condições relativas à maneira de trabalhar

Leia mais

Estágio Curricular no âmbito do Curso Licenciatura de Engenharia Electrotécnica e de Computadores. Segurança

Estágio Curricular no âmbito do Curso Licenciatura de Engenharia Electrotécnica e de Computadores. Segurança 1/10 Índice 1. SEGURANÇA...2 1.1. Domínio de Actuação... 2 1.2. Situações de Emergência... 2 1.3. Prescrições de... 3 1.3.1. Equipamentos de Trabalho (ET)... 3 1.3.2. Equipamentos de Protecção Colectiva

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA SIPFOL MAX

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA SIPFOL MAX FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA SIPFOL MAX 1. IDENTIFICAÇÃO DA PREPARAÇÃO E DA EMPRESA Nome do produto: Identificação: Tipo de formulação: Utilização: SIPFOL MAX Aminoácidos, magnésio e oligoelementos Concentrado

Leia mais

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho;

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho; Curso: Técnico de Segurança do Trabalho Curso Reconhecido pelo MEC: PORTARIA N 959/2007 Apresentação: O curso de Técnico de Segurança do Trabalho da Conhecer Escola Técnica é reconhecido pela excelência

Leia mais

Andreia Vasconcelos Raposo da Silva. PRODUTOS PERIGOSOS

Andreia Vasconcelos Raposo da Silva. PRODUTOS PERIGOSOS Andreia Vasconcelos Raposo da Silva. PRODUTOS PERIGOSOS SÃO LUÍS MA 2014 ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ENSINO Andreia Vasconcelos

Leia mais

Tópicos. Introdução Avaliação/gestão de riscos Normas de segurança Boas práticas laboratoriais (case study) Conclusões

Tópicos. Introdução Avaliação/gestão de riscos Normas de segurança Boas práticas laboratoriais (case study) Conclusões Boas Práticasde Trabalhoem Laboratório Olga Conde Moreira Seminário no âmbito do Projeto AGROPECUÁRIA, TECNOLOGIA ALIMENTAR E AMBIENTE APRENDER CIÊNCIA HANDS-ON Programa Ciência Viva 12 de Março de 2014

Leia mais

Ficha de dados de segurança

Ficha de dados de segurança Página 1 de 5 SECÇÃO 1: Identificação da substância/mistura e da sociedade/empresa 1.1. Identificador do produto 1.2. Utilizações identificadas relevantes da substância ou mistura e utilizações desaconselhadas

Leia mais

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno PPRA MANUAL PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO FORMULÁRIO PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Esse Formulário deve ser aplicado

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: CONCRECOR a base d água. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José dos Campos - SP

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Segundo a OMS, a verificação de condições de Higiene e Segurança consiste num estado de bem-estar estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença e enfermidades.

Leia mais