CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS"

Transcrição

1 CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS

2 CPN - CPR CPN - Comitê Permanente Nacional sobre Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção Civil.. Atribuições do CPN (subitem e alíneas) Delibera a respeito das propostas apresentadas pelo CPR; Encaminha ao MTE as propostas aprovadas; Aprovar os RTPs. CPR- Comitê Permanente Regional sobre Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção Civil. Atribuições do CPR (subitem e alíneas) Reuniões mensais 2012: MTE Estudar e propor medidas para controle e a melhoria das condições e dos ambientes do trabalho na Indústria da Construção; Participar e propor campanhas de prevenção de acidentes para a Indústria da Construção; Encaminhar o resultado de suas propostas ao CPN.

3 PROJETO CONSTRUÇÃO CIVIL - ABRIL DE 2010 A ABRIL DE 2012 ATIVIDADES Total AÇÕES FISCAIS TRABALHADORES ALCANÇADOS TRABALHADORES REGISTRADOS TERCEIRIZADOS IRREGULAR TERCEIRIZADOS REGISTRADOS TRABALHADORES LIBERTADOS AUTOS DE INFRAÇÃO LAVRADOS CORREÇÕES SOB AÇÃO FISCAL AUTUAÇÕES NOTIFICAÇÕES EMBARGOS SUSPENSÃO DE EMBARGOS INTERDIÇÕES SUSPENSÃO DE INTERDIÇÕES

4 SRTE - MINAS GERAIS COMPETENCIA JAN/2011 A DEZ/2011 ESTATÍSTICAS AUTUAÇÕES EM 2011 CODIGO QTDE AUTUAÇAO NORMA/ITEM (COMUNICAÇÃO PRÉVIA) (PROTEÇÃO COLETIVA CONTRA QUEDA) (ACESSO/NR-18) "b" (PCMAT/PROJETO) (TREINAMENTO ADMISSIONAL 6 HORAS) CAIXA DE ELEVADOR) (INST. SANITÁRIAS) (TREINAMENTO ADMISSIONAL/PERIÓDICO) (ANDAIMES/G.CORPO) (CINTO DE SEGURANÇA MAIS DE 2,00M) (PONTAS/VERGALHÕES ) (PROTEÇÃO DE PERIFERIA CONTRA QUEDA) "d" (LOCAL DE REFEIÇÃO) ( VESTIMENTA) (ABERTURAS PISO)

5 ESTATÍSTICAS AUTUAÇÕES EM 2012 SRTE - MINAS GERAIS COMPETENCIA JAN/2012 A ABR/2012 CODIGO QTDE AUTUAÇAO NORMA/ITEM (COMUNICAÇÃO PRÉVIA) ( ACESSO/NR-18) (PERIFERIA/CONCRETAGEM) (INST. SANITÁRIAS) (QUEDA EM GERAL) (PONTAS/VERGALHÕES ) ((ATERRAMENTO/ESTRUTURAS) (VESTIMENTA) (ESCADAS/RAMP/PASSARELAS) (OPERADOR QUALIFICADO) (CAIXA DE ELEVADOR) (DISPOSITIVO DE BLOQUEIO) "b" (PCMAT/PROJETO) (ANDAIMES/G.CORPO) "e" (SERRA CIRCULAR/COIFA)

6 OBJETIVO. Estabelece diretrizes de ordem administrativa, de planejamento de organização, que objetivam a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho na Indústria da Construção (18.1.1) CAMPO DE APLICAÇÃO. Consideram-se atividades da Indústria da Construção as constantes do Quadro I letra F da NR-04.

7 COMUNICAÇÃO PRÉVIA PCMAT ( e alíneas) PROGRAMA EXECUTIVO E NÃO SOMENTE MANUAL DE CONSULTA; Estabelecimentos com 20(vinte) ou mais trabalhadores (18.3.1); Mantido no estabelecimento à disposição da fiscalização ( ); Elaborado por profissional legalmente habilitado - CONFEA RES. 359/91 e 437/99 - ART; CONTEMPLAR Levantamento quantitativo dos riscos ambientais NR-9; Memorial sobre as condições e meio ambiente de trabalho nas atividades e operações; - Projeto de execução das proteções coletivas em conformidade com as fases; Especificações técnicas das proteções coletivas e individuais; - Cronograma de implantação das medidas preventivas conforme as fases da obra; - Layout do canteiro de obras inicial e permanentemente atualizado; Programa educativo contemplando a temática de prevenção de acidentes e doença do trabalho.

8 TREINAMENTOS Admissional ( e e alíneas)- para todos os trabalhadores. - Carga horária mínima de 6 horas; - Antes do trabalhador iniciar suas atividades; - Ministrado dentro do horário de trabalho. Operadores (betoneira, serra circular, serra policorte, maquita, corte de bloco, martelete, etc.). - Deve receber treinamento específico. Operadores de guincho de coluna, elevadores tracionados a cabo (passageiros, materiais ou misto) e cremalheira. - Deve ter ensino fundamental completo e receber qualificação e treinamento específico no equipamento, com carga horária mínima de 16 horas ( ), com atualização anual de 4 horas. Port. 296/2011 respeitar o direito adquirido ( ) Operadores de grua (carga horária definida pelo fabricante) Amarrador/Sinaleiro (8horas) - Deve ser qualificado de acordo com o item e alíneas e treinado com carga horária mínima definida pelo fabricante (Anexo III- plano de cargas para gruas). Eletricistas e ajudantes de eletricista. - Deve ser qualificado (10.8.1) com treinamento estabelecido no Anexo II da - NR-10- Curso Básico- carga horária de 40 horas. O empregador deverá emitir um certificado de treinamento formalizado: - NOME DO TRABALHADOR FUNÇÃO CARGA HORÁRIA - PERÍODO PROFISSIONAL - LISTA DE PRESENÇA -

9 ESCAVAÇÕES, FUNDAÇÕES E DESMONTES DE ROCHAS. Garantir a estabilidade de taludes das escavações com profundidade superior a 1,25m (18.6.5) durante a execução das contenções definitivas; obrigatório o uso de escada para saída de emergência(18.6.7);. Taludes com altura superior a 1,75m devem ter estabilidade garantida (18.6.9);. Levar em consideração as seguintes características do solo para garantir a estabilidade: tipo de solo, ângulo de atrito, coesão, umidade, possíveis sobrecargas, altura e inclinação do talude, etc;. Os serviços de escavação, fundação e desmonte de rocha devem ser acompanhados por responsável técnico legalmente habilitado (18.6.3), no caso o engenheiro responsável técnico pela execução da obra ou especialista em geotécnica ou o Blaster (desmonte de rocha);.os acessos de trabalhadores, veículos e equipamentos às áreas de escavação devem ter sinalização de advertência permanente ( ).. Escavações de tubulões a céu aberto e abertura de base: - Estudo geotécnico obrigatório para profundidade superior a 3,0m ( ); - Encamisamento fica a critério do engenheiro especializado em fundações ou solo ( ); - Equipamento de descida e subida de materiais e trabalhadores deve ser dotado de sistema de segurança com travamento ( ); - Aplicar :NR-33, item da NR-18, NR-35; - Segurança de escavação a céu aberto (NBR- 9061/85, da ABNT).

10 RISCOS COMUNS Pode ocasionar ruptura/colapso ou desprendimento de solo e fragmentos de rochas devido a: - Operação de máquinas; - Sobrecargas nas bordas dos taludes; - Execução de talude inadequado; - Aumento da umidade do solo; -Falta de estabelecimento de fluxo, sinalização e isolamento físico (cerquites) de veículos, máquinas, equipamentos e trânsito de trabalhadores; - Vibrações na obra e adjacências; - Realização de escavações abaixo do lençol freático; - Realização de trabalhos de escavações sob condições meteorológicas adversas; - Interferência de cabos elétricos, cabos de telefone e de redes de água potável e de sistema de esgoto; - Obstrução de vias públicas; - Recalque e bombeamento de lençóis freáticos; - Falta de espaço suficiente para a operação e movimentação de máquinas.

11 TALUDES DIVERSOS

12 SOTERRAMENTO

13 EM 01/03/ OBRA EMBARGADA EM 12/03/ DESMORONAMENTO DE TALUDE DE 4,10M DE ALTURA SOTERRAMENTO DE SERVENTE A 4,00M DE PROFUNDIDADE DE RETANGULÃO EM 04/05/2010 APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE ESCORAMENTO EM 01/06/2010 SUSPENSÃO DO EMBARGO

14 CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS PRÓXIMO A TALUDES ACIDENTE FATAL - SOTERRAMENTO

15 DESMORONAMENTO SEM VÍTIMA

16 TALUDES RISCOS DIVERSOS

17 TUBULÃO A CÉU ABERTO DESPROTEGIDO - NR18 NR33 NR 35 AUSÊNCIA DE: ESCORAMENTO/ESTUDO; ESCADA DE EMERGÊNCIA; PLATAFORMA DE TRABALHO; PROTEÇÃO DE PERIFERIA; PROTEÇÃO DE VERGALHÕES; PROTETOR AURICULAR ; MÁSCARA RESPIRATÓRIA;

18 ESCAVAÇÃO DE TUBULÃO A CÉU ABERTO (NR 33- E NR-18 ITENS 18.6 E 18.20): TRAVA DE SEGURANÇA NO SARILHO E NO GANCHO DE IÇAMENTO; CABO DE SEGURANÇA PARA RESGATE; EPI S CINTO DE SEGURANÇA TIPO PARAQUEDISTA / CALÇADO / CAPACETE; ESPAÇO CONFINADO

19 TÚNEL PARA FERROVIA ESTABILIDADE DE TALUDES QUEDA DE CHOCOS TÚNEL BALA (1,5m) MG 30 NR 33 NR NR-17

20 CONSTRUÇÃO DE BARRAGEM DE REJEITOS EM MINERAÇÃO ACIDENTE (QUEDA DE VEÍCULO DENTRO DO LAGO)

21 EDIFÍCIO ÁGATA AV. FRANCISCO DESLANDES BH DESMORONAMENTO DE MURO DE ARRIMO ABRIL/2010 CASOS COMUNS EM 2012 IMPORTANTE: AVALIAR EDIFICAÇÕES VIZINHAS

22 MEDIDAS DE PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS DE ALTURA. Instalar proteção coletiva contra queda ( );. Aberturas no piso ( );. Aberturas no ponto de entrada e saída de materiais ( );. Aberturas nos vãos de acesso ás caixas do elevador definitivo com fechamento(vedação) até uma altura de 1,20m ( );. Periferia protegida antes da concretagem da laje ( ) -. Guarda-corpos e rodapés ( e alíneas): rodapés = 0,20m > travessão intermediário= 0,70m > travessão superior = 1,20m > tela entre os vãos resistência. Plataforma Principal de Proteção ( ), com dimensões mínimas de 2,50m de projeção horizontal e complemento de 0,80m de extensão, com inclinação de 45, na primeira laje ( ); ou Instalação na primeira laje do corpo recuado ( );. Plataforma Secundária de Proteção de 3 em 3 lajes ( ), com dimensões mínimas de 1,40m de projeção horizontal e complemento de 0,80m de extensão a 45 ( );. Plataformas Terciárias 2 em 2 lajes abaixo da Plataforma Principal 2,20m de projeção horizontal e 0,80m a 45 ( ). Redes de segurança, como medida alternativa ao uso de plataformas secundárias de proteção ( ).

23 PROTEÇÕES DE PERIFERIA AUSENTES E/OU PRECÁRIAS

24 PERIFERIA DESPROTEGIDA CAIXA DO ELEVADOR ABERTURA DE PISO

25

26 As aberturas, em caso de serem utilizadas para o transporte vertical de materiais e equipamentos, devem ser protegidas por guarda-corpo fixo, no ponto de entrada e saída de material, e por sistema de fechamento do tipo cancela ou similar.

27 Os vãos de acesso às caixas dos elevadores devem ter fechamento provisório de, no mínimo, 1,20m (um metro e vinte centímetros) de altura, constituído de material resistente e seguramente fixado à estrutura, até a colocação definitiva das portas.

28 As aberturas no piso devem ter fechamento provisório resistente. ABERTURA DE PISO PROTEGIDA MADEIRA DE LEI OU PERFIL METÁLICO ACIDENTE FATAL CAIXA DE ELEVADOR 10 PV.

29 AUSÊNCIA DE PLATAFORMA PERIFERIA DESPROTEGIDA PLATAFORMA EM ALVENARIA ESTRUTURAL AUTOPORTANTE

30 É proibida a existência de pontas verticais de vergalhões de aço desprotegidas.

31 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS AS INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS NÃO DEVEM SER PRECÁRIAS, DEVEM SER PROJETADAS PARA SUA FINALIDADE. Execução e manutenção por trabalhador qualificado ( );. Partes vivas(energizadas) expostas dotadas de proteção ( );. Circuitos elétricos devem ser protegidos contra impactos mecânicos, umidade e agentes corrosivos ( );. Estruturas e carcaças dos equipamentos devem ser aterrados eletricamente( );. Quadro geral de distribuição de energia mantido trancado e com identificação dos circuitos ( );. Máquinas e equipamentos somente ligados por intermédio do conjunto plugue e tomada ( ).

32 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPROVISADAS

33 ANDAIMES (Portaria nº 201, de 21/01/2011). Dimensionamento dos andaimes por profissional legalmente habilitado ( );. Projetos dos andaimes do tipo fachadeiro, suspensos e em balanço devem ser acompanhados pela ART ( );. Somente empresas regularmente inscritas no CREA( );. Montagens e desmontagens: trabalhadores qualificados e receber treinamento específico ( a ), portar crachá de identificação e qualificação ( d );. Piso de trabalho forração completa e fixação especificada ( );. Andaimes dispor de sistema guarda corpo e rodapé ( );. O acesso dos andaimes deve ser feito de maneira segura ( );. Os andaimes fachadeiros devem dispor de tela de material que apresente resistência mecânica condizente com os trabalhos e que impeça a queda de objetos ( );

34 ANDAIME FACHADEIRO E SUSPENSO

35 ITENS PREVISTOS PARA OS PRÓXIMOS ANOS CATRACA - 8 PAVIMENTOS 01/ GRAVAÇÃO - 01/ UTILIZAÇÃO - 01/2016

36 ANDAIMES NA CONSTRUÇÃO PESADA TORRE DE ACESSO

37 CADEIRA SUSPENSA

38 SERVIÇOS EM TELHADOS E COBERTURAS Para trabalho em telhados e coberturas devem ser utilizados dispositivos dimensionados por profissional legalmente habilitado e que permitam a movimentação segura dos trabalhadores.. Obrigatória instalação do cabo-guia para fixação do cinto de segurança com 2 talabartes ( );. Sinalização e isolamento físico sem a área de trabalho ( );. Emissão de Ordem de Serviço ou Permissão para o Trabalho ( ).. Acesso seguro escadas (18.12)

39 ÁREAS DE VIVÊNCIA Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; b) vestiário; c) alojamento; d) local de refeições; e) cozinha, quando houver preparo de refeições; f) lavanderia; g) área de lazer; h) ambulatório, quando se tratar de frentes de trabalho com 50 (cinquenta) ou mais trabalhadores.

40 Devem conter: Higienização permanente; Armários individuais; Bancos; Iluminação e ventilação adequado; Portas que impeça o devassamento vestiários, sanitários e chuveiros; Escoamento de água utilizada no piso chuveiros; Local para colocação de toalha e sabonete; Papel higiênico; Instalações mais apropriadas às condições femininas; Assentos e mesas em número suficientes Refeitório para atender os usuários por turnos; Bancadas para servir alimentação em número suficiente Fornecer água por bebedouro

41 INSTALAÇÃO SANITÁRIA

42

43 O local para refeições deve: a) ter paredes que permitam o isolamento durante as refeições; b) ter piso de concreto, cimentado ou de outro material lavável; c) ter cobertura que proteja das intempéries; d) ter capacidade para garantir o atendimento de todos os trabalhadores no horário das refeições; e) ter ventilação e iluminação natural e/ou artificial; f) ter lavatório instalado em suas proximidades ou no seu interior; g) ter mesas com tampos lisos e laváveis; h) ter assentos em número suficiente para atender aos usuários; i) ter depósito, com tampa, para detritos; j) não estar situado em subsolos ou porões das edificações; k) não ter comunicação direta com as instalações sanitárias; l) ter pé-direito mínimo de 2,80m ou respeitando-se o que determina o Códigode Obras do Município, da obra Independentemente do número de trabalhadores e da existência ou não de cozinha, em todo canteiro de: local exclusivo para o aquecimento de refeições, dotado de equipamento adequado e seguro para oaquecimento É proibido preparar, aquecer e tomar refeições fora dos locais estabelecidos neste subitem.

44 REFEITÓRIO PROIBIDO AQUECIMENTO COM ÁLCOOL

45 ALOJAMENTOS INADEQUADOS

46 EPI - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A empresa é obrigada a fornecer aos trabalhadores, gratuitamente, EPI adequado ao risco e em perfeito estado de conservação e funcionamento, consoante as disposições contidas na NR 6 - Equipamento de Proteção Individual - EPI O cinto de segurança tipo abdominal somente deve ser utilizado em serviços de eletricidade e em situações em que funcione como limitador de movimentação O cinto de segurança tipo paraquedista deve ser utilizado em atividades a mais de 2,00m (dois metros) de altura do piso, nas quais haja risco de queda do trabalhador O cinto de segurança deve ser dotado de dispositivo trava-quedas e estar ligado a cabo de segurança independente da estrutura do andaime. (incluído pela Portaria SSST n.º 63, de 28 de dezembro de 1998) Os cintos de segurança tipo abdominal e tipo paraquedista devem possuir argolas e mosquetões de aço forjado, ilhoses de material não-ferroso e fivela de aço forjado ou material de resistência e durabilidade equivalentes.

47 SINALIZAÇÃO E VESTIMENTA COM FAIXAS REFLETIVAS AUSÊNCIA DE SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO PARA TRÂNSITO TRABALHADORES, VEÍCULOS, MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS CONSTRUÇÃO PESADA

48 FERROVIAS RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES ERGONOMIA

49 TRAVA-QUEDAS E ABSORVEDOR DE ENERGIA (NR-35)

50 . RISCO GRAVE E IMINENTE DE QUEDA

51 ESCADAS DE MÃO E DEFINITIVA

52 ESCADA COLETIVA DEFINITIVA COM VÃO INTERNO PROTEGIDO

53 PLATAFORMA SEM REMOÇÃO DE ENTULHOS E INCOMPLETA ENTULHOS (SOBRAS DE MATERIAIS) NAS VIAS DE CIRCULAÇÃO DE TRABALHADORES E MATERIAIS ORGANIZAÇÃO E LIMPEZA

54 SINALIZAÇÃO

55 EMBARGO EM 28/11/2006 SITUAÇÃO COMUM EM 2012 SUSPENSÃO DO EMBARGO EM EM 05/02/2007- EMBARGO AUTUAÇÕES - EM 08/02/2007

56 MUITO OBRIGADO FÁTIMA FONSECA LAGARES FÁBIO HENRIQUE PORTO LUCAS DELFINO BATISTA AUDITORES FISCAIS DO TRABALHO MTE/SRTE-MG

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.4 Áreas de Vivência 18.4.1. Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; b) vestiário; c) alojamento; d)

Leia mais

18.4. Áreas de vivência

18.4. Áreas de vivência 18.4. Áreas de vivência 18.4.1. Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; (118.015-0 / I4) b) vestiário; (118.016-9 / I4) c) alojamento; (118.017-7 / I4) d) local de refeições;

Leia mais

NR 18 NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.000-2)

NR 18 NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.000-2) NR 18 NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.000-2) Resumo da NR 18 para áreas de vivência 18.1. Objetivo e campo de aplicação. 18.1.1. Esta Norma Regulamentadora NR

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA.

QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. O presente trabalho é resultado de um consenso estabelecido

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de

Leia mais

Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18. Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009

Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18. Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009 Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18 Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009 Cestos aéreosa GT- Cesto Aéreo(em discussão no CPN) É proibido a utilização de equipamentos de guindar

Leia mais

DEFESA CIVIL - ES. Recomendações Técnicas de Procedimentos Escavações. Facilitador: Roney Gomes Nascimento Eng.º Civil Subcoordenador de Operações

DEFESA CIVIL - ES. Recomendações Técnicas de Procedimentos Escavações. Facilitador: Roney Gomes Nascimento Eng.º Civil Subcoordenador de Operações DEFESA CIVIL - ES Recomendações Técnicas de Procedimentos Escavações Facilitador: Roney Gomes Nascimento Eng.º Civil Subcoordenador de Operações NR- 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria

Leia mais

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil.

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil. FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª MarivaldoOliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de prevenção

Leia mais

PROJETO DE FISCALIZAÇÃO DO MTE NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL

PROJETO DE FISCALIZAÇÃO DO MTE NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL OBJETIVOS PROJETO DE FISCALIZAÇÃO DO MTE NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL VIGÊNCIA 2010 / 2011 Redução do número de acidentes graves e fatais do setor; Redução da mão de obra informal; Atendimento à demanda

Leia mais

Questionário de Identificação das Principais Situações de Grave e Iminente Risco nos Canteiros de Obras da Indústria da Construção no Estado da Bahia

Questionário de Identificação das Principais Situações de Grave e Iminente Risco nos Canteiros de Obras da Indústria da Construção no Estado da Bahia Questionário de Identificação das Principais Situações de Grave e Iminente Risco nos Canteiros de Obras da Indústria da Construção no Estado da Bahia O presente trabalho é resultado de um consenso estabelecido

Leia mais

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVAS APLICÁVEIS NAS ESCAVAÇÕES E EM TUBULÕES A CÉU ABERTO E COM PRESSÃO HIPERBÁRICA. Antonio Pereira do Nascimento

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVAS APLICÁVEIS NAS ESCAVAÇÕES E EM TUBULÕES A CÉU ABERTO E COM PRESSÃO HIPERBÁRICA. Antonio Pereira do Nascimento MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVAS APLICÁVEIS NAS ESCAVAÇÕES E EM TUBULÕES A CÉU ABERTO E COM PRESSÃO HIPERBÁRICA Antonio Pereira do Nascimento ACIDENTES DO TRABALHO Eventos: súbitos, indesejáveis, que ocorrem

Leia mais

GRUPO 01 GRUPO 02 GRUPO 03 NÃO SE APLICA

GRUPO 01 GRUPO 02 GRUPO 03 NÃO SE APLICA CONCEITO DE AVALIAÇÃO CHECK LIST 1. MEMORIAL SOBRE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NAS NOTA MÉDIA FINAL: 6,71NOTA MÉDIA FINAL: 4,82NOTA MÉDIA FINAL: 8,97 ATIVIDADES E OPERAÇÕES a) O memorial contempla

Leia mais

SeGURAnÇA do TRABALHO

SeGURAnÇA do TRABALHO SeGURAnÇA do TRABALHO Se durante o trabalho você se deparar com alguma situação que não conste neste manual, não se precipite e nem se arrisque desnecessariamente. Em caso de dúvida procure seu Encarregado

Leia mais

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO Andaime Tubo Equipado...03 Acessórios...04 Modos e Pontos de Ancoragem...05 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09 Fotos Obras...10 Atualização

Leia mais

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Equipamento de Proteção Coletiva (EPC): 2 Áreas vazadas: Equipamento de Proteção Coletiva (EPC) 18.13.1. É obrigatória a instalação de proteção coletiva

Leia mais

Portaria nº 30 de 20 de Dezembro de 2001

Portaria nº 30 de 20 de Dezembro de 2001 Portaria nº 30 de 20 de Dezembro de 2001 A SECRETÁRIA DE INSPEÇAO DO TRABALHO e o DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso das atribuições legais que lhe conferem o Decreto n.º

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS DEFINIÇÃO DE GRUA: GUINDASTE UNIVERSAL DE TORRE PARA TRANSPORTE DE CARGAS, TANTO NA HORIZONTAL COMO NA VERTICAL SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro.

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro. e MANUAL TÉCNICO ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR e ANDAIME TUBULAR Objetivo Estabelecer os procedimentos que devem ser obedecidos na liberação de montagem / desmontagem de andaimes com a finalidade de

Leia mais

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial.

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial. manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR Sumário Andaime Tubular...03 Montagem Especial...04 Acessórios...05 Modos e Pontos de Ancoragem...06 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09

Leia mais

Fevereiro/2002 Gianfranco Pampalon Gianfranco Pampalon

Fevereiro/2002 Gianfranco Pampalon Gianfranco Pampalon GOVERNO FEDERAL Fevereiro/2002 INTRODUÇÃO Esta cartilha tem o objetivo de servir ao Auditor Fiscal do Trabalho como um manual sobre alguns conceitos das Normas Regulamentadoras e para intervenção nas atividades

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária)

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária) MANUAL TÉCNICO (Proteção Periférica Primária e Secundária). 2 SUMÁRIO Proteção Periférica Primária e Secundária...03 Descrição Técnica...04 Sistema de Ancoragem...06 Norma Regulamentadora NR-18...07 Atualização

Leia mais

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão. Andre Cavalcanti Santos Téc. em saúde e segurança do trabalho E-mail: cavalcanti_sst@hotmail.com Sumário Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

Leia mais

TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO DE ACIDENTES POR QUEDAS

TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO DE ACIDENTES POR QUEDAS TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO DE ACIDENTES POR QUEDAS DRT/SP Delegacia Regional do Trabalho no Estado de São Paulo SSST Seção de Segurança e Saúde do Trabalho PECC/SP Programa Estadual da Construção Civil

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.1 Objetivo e Campo de Aplicação 18.1.1. Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece diretrizes de ordem administrativa, de planejamento

Leia mais

Norma Regulamentadora n 18- Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção

Norma Regulamentadora n 18- Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção Norma Regulamentadora n 18- Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção SUMÁRIO 1. Introdução 02 2. Desenvolvimento 02 2.1. Objetivo, Campo de Aplicação e Comunicação Prévia 02 2.2.

Leia mais

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS ELEVADOR A CABO ELEVADOR DE CREMALHEIRA Elevador de cremalheira e pinhão Maior custo compra / aluguel; Maior padrão de segurança;

Leia mais

O que é Canteiro de Obras?

O que é Canteiro de Obras? O que é Canteiro de Obras? Sistema complexo, com muitos riscos associados Análise prévia e criteriosa de sua implantação Qualidade Produtividade Segurança Cartão de visita da obra!!! O que é Canteiro

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 201 DE 21 DE JANEIRO DE 2011 (D.O.U. de 24/01/2011 Seção 1 págs 100 e 101) Altera a Norma Regulamentadora n.º 18, aprovada

Leia mais

ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO

ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO e MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO Trabalho em Altura Uma das principais causas de acidentes de trabalho graves e fatais se deve a eventos envolvendo quedas de trabalhadores de diferentes

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. ENGº CIVIL E DE SEGURANÇA DO TRABALHO LUIZ ANTÔNIO VIÉGAS DA SILVA luizviegasrj@gmail.

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. ENGº CIVIL E DE SEGURANÇA DO TRABALHO LUIZ ANTÔNIO VIÉGAS DA SILVA luizviegasrj@gmail. Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite ENGº CIVIL E DE SEGURANÇA DO TRABALHO LUIZ ANTÔNIO VIÉGAS DA SILVA luizviegasrj@gmail.com DISCIPLINA Prevenção em Máquinas e Equipamentos I Assunto Condições

Leia mais

DOU 201 21/01/2011 24/01/2011) * O

DOU 201 21/01/2011 24/01/2011) * O 18.15. Andaimes. 18.15.1.1 Os projetos de andaimes do tipo fachadeiro, suspensos e em balanço devem ser acompanhados pela respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica. (Nova redação dada pela Portaria

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA ANDAIME TUBULAR ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÃO TÉCNICA... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 4 2.1. USO DOS ANDAIMES TUBULARES... 5 2.2. MANUTENÇÃO (DIRETRIZES

Leia mais

Segurança e Saúde no Trabalho Professor Flávio Nunes

Segurança e Saúde no Trabalho Professor Flávio Nunes O Ministério do Trabalho e Emprego publicou, em 09/05/2013, a Portaria 644, que alterou os itens 18.6, 18.14 e 18.17 da Norma Regulamentadora nº 18. O item 18.6 trata de Escavação, Fundações e Desmontes

Leia mais

ANDAIMES E PLATAFORMAS DE TRABALHO

ANDAIMES E PLATAFORMAS DE TRABALHO Página: 1 de 5 ITEM TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO 18.15.1 Manter 18.15.1.1 18.15.2 Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de modo a suportar, com segurança, as cargas de trabalho a que estarão

Leia mais

NR 18 CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.1 Objetivo e Campo de Aplicação 18.1.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece diretrizes de ordem administrativa, de planejamento

Leia mais

ASPECTOS LEGAIS DAS NORMAS REGULAMENTADORAS

ASPECTOS LEGAIS DAS NORMAS REGULAMENTADORAS INTRODUÇÃO Esta cartilha tem o objetivo de servir como um manual sobre alguns conceitos das Normas Regulamentadoras e para intervenção nas atividades onde existam riscos de queda de trabalhadores. Uma

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria DSST n.º 02, de

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria DSST n.º 02, de

Leia mais

CARTILHA DE SEGURANÇA EM OBRA

CARTILHA DE SEGURANÇA EM OBRA CARTILHA DE SEGURANÇA EM OBRA FAÇA SEU TRABALHO COM SEGURANÇA OBJETIVO Esta cartilha é para você trabalhador da construção civil, em cuja atividade profissional ocorre o maior número de acidentes, em todo

Leia mais

TÉCNICO. manual BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA

TÉCNICO. manual BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA manual TÉCNICO BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA Sumário Balancim Individual - Cadeirinha...03 Instrução de Montagem...05 Norma Regulamentadora NR-18...07 Atualização da NR-18...11 Balancim Individual -

Leia mais

MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO

MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO 1 SUMÁRIO Acessórios 03 Instruções de montagem 04 Dicas Importantes 10 Acesso dos Andaimes 11 Informações de Segurança 12 2 ACESSÓRIOS 3 ANDAIME FACHADEIRO INSTRUÇÕES

Leia mais

manual TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial.

manual TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial. manual TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO Sumário Andaime Fachadeiro...03 Instrução de Montagem...04 Acessórios...06 Modos e Pontos de Ancoragem...07 Dicas Importantes...08 Acesso dos Andaimes...09 Informações

Leia mais

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA;

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; CONTEÚDO DO TRABALHO Doenças ocupacionais e riscos da construção civil; Quedas; Choque elétrico; Soterramento. A construção é um dos ramos mais antigos do

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.15 Andaimes e Plataformas de Trabalho (Alterado pela 18.15.1 O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação,

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.15 Andaimes e Plataformas de Trabalho (Alterado pela 18.15.1 O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação,

Leia mais

CANTEIRO DE OBRAS CARTÃO DE VISITA DA OBRA!!! 26/02/2015. Sistema complexo, com muitos riscos associados

CANTEIRO DE OBRAS CARTÃO DE VISITA DA OBRA!!! 26/02/2015. Sistema complexo, com muitos riscos associados CANTEIRO DE OBRAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I Sistema complexo, com muitos riscos associados Análise prévia e criteriosa de

Leia mais

CHECK LIST - NR 18. Empresa: Endereço: Número de empregados: Homens: Mulheres: Data: Horário:

CHECK LIST - NR 18. Empresa: Endereço: Número de empregados: Homens: Mulheres: Data: Horário: Ministério Público da União Ministério Público do Trabalho Coordenadoria Nacional de Defesa do Meio Ambiente do Trabalho CODEMAT CHECK LIST - NR 18 Empresa: Endereço: Número de empregados: Homens: Mulheres:

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria DSST n.º 02, de

Leia mais

S I N D U S C O N S P 1 8 / 0 2 / 2 0 1 1 A N T O N I O P E R E I R A D O N A S C I M E N T O

S I N D U S C O N S P 1 8 / 0 2 / 2 0 1 1 A N T O N I O P E R E I R A D O N A S C I M E N T O Modificações recentes e em fase de aprovação para trabalhos com andaimes, gruas e elevadores de obras dentro do âmbito federal e municipal S I N D U S C O N S P 1 8 / 0 2 / 2 0 1 1 A N T O N I O P E R

Leia mais

Interface entre a Norma Regulamentadoras 18 (18.15 andaimes) e a NR 35 do MTE.

Interface entre a Norma Regulamentadoras 18 (18.15 andaimes) e a NR 35 do MTE. Interface entre a Norma Regulamentadoras 18 (18.15 andaimes) e a NR 35 do MTE. Instrutor: Emanuel Rodrigues Técnico em Segurança do Trabalho na área de Petróleo e Gás; Instrutor de Trabalhos em Altura

Leia mais

NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.0002)

NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.0002) NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.0002) 18.1 Objetivo e Campo de Aplicação 18.2 Comunicação Prévia Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria

Leia mais

18.15. Andaimes 18.15.1. O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação, deve ser realizado por profissional legalmente habilitado. (118.337-0 / I4) 18.15.2. Os andaimes devem ser

Leia mais

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO 18.1 Objetivo e Campo de Aplicação 18.2 Comunicação Prévia 18.3 Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria DSST n.º 02, de

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO SUMÁRIO Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria DSST n.º

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3 Curso Técnico Segurança do Trabalho Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3 Instalações Elétricas a) Manter quadros de distribuição trancados e circuitos identificados;

Leia mais

REDES DE COOPERAÇÃO PARA MELHORIA DOS AMBIENTES E PREVENÇÃO DE AGRAVOS NOS CANTEIROS DE OBRAS

REDES DE COOPERAÇÃO PARA MELHORIA DOS AMBIENTES E PREVENÇÃO DE AGRAVOS NOS CANTEIROS DE OBRAS REDES DE COOPERAÇÃO PARA MELHORIA DOS AMBIENTES E PREVENÇÃO DE AGRAVOS NOS CANTEIROS DE OBRAS Ijuí 13/09/2012 José Enio Fontoura de Andrade Médico do Trabalho CEREST-Serra Deuteronômio 22.8 Quando edificares

Leia mais

Segurança do Trabalho NR 18. Juliano Lovatto Lucas Muller Marcos Ribeiro Jr. Paulo Ferreira

Segurança do Trabalho NR 18. Juliano Lovatto Lucas Muller Marcos Ribeiro Jr. Paulo Ferreira Segurança do Trabalho NR 18 Juliano Lovatto Lucas Muller Marcos Ribeiro Jr. Paulo Ferreira Objetivo e Campo de Aplicação Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece diretrizes de ordem administrativa, de

Leia mais

O Brasil tem utilizados desses equipamentos em todas as obras como os Estádios de Futebol, Portos, Aeroportos, Construção Civil, etc.

O Brasil tem utilizados desses equipamentos em todas as obras como os Estádios de Futebol, Portos, Aeroportos, Construção Civil, etc. GRUAS Os modernos Canteiros de Obras se utilizam de GRUAS para reduzirem o número de operários, auxiliar no cumprimento de prazos apertados e viabilizar a implantação de diversos sistemas de pré-moldados

Leia mais

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO 18.1 Objetivo e Campo de Aplicação 18.2 Comunicação Prévia 18.3 Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria

Leia mais

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 18 CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DO TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 18 CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DO TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO - NORMA REGULAMENTADORA Nº 18 CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DO TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Alterada pela Portaria SIT nº 224, de 06/05/2011 - DOU de 10/05/2011 Aprovada pela Portaria SSST nº 4 - DOU

Leia mais

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno PPRA MANUAL PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO FORMULÁRIO PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Esse Formulário deve ser aplicado

Leia mais

Plataformas e Superfícies de Trabalho ANTONIO PEREIRA DO NASCIMENTO

Plataformas e Superfícies de Trabalho ANTONIO PEREIRA DO NASCIMENTO Plataformas e Superfícies de Trabalho ANTONIO PEREIRA DO NASCIMENTO Andaimes (Classificação) Simplesmente apoiados Fachadeiros Móveis Em balanço Suspensos mecânicos Suspensos

Leia mais

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO 18.1 Objetivo e Campo de Aplicação 18.2 Comunicação Prévia 18.3 Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria

Leia mais

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção SUMÁRIO 18.1 Objetivo e Campo de Aplicação 18.2 Comunicação Prévia 18.3 Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria

Leia mais

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção PORTARIAS ATENDIDAS 1983 - Portaria Nº. 18 de 26 de agosto de 1983 1992 - Portaria Nº. 2 de 20 de maio de 1992 1997 - Portaria Nº.

Leia mais

NR - 18 - APLICADA EM CANTEIROS DE OBRAS

NR - 18 - APLICADA EM CANTEIROS DE OBRAS NR - 18 - APLICADA EM CANTEIROS DE OBRAS ELVIO LUIZ LORIERI DIR. CANTEIRO DE OBRAS DA ALEC. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS WWW.ALEC.ORG.BR PARA IMPLANTAÇÃO DE UM CANTEIRO DE OBRA, DEVEMOS

Leia mais

Manual de obras civil e eletromecânica AES Brasil

Manual de obras civil e eletromecânica AES Brasil 2010 Manual de obras civil e eletromecânica AES Brasil REVISÃO 00 DEZEMBRO/2010 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 4 2. RESPONSABILIDADES... 4 3. DEFINIÇÕES... 4 4. LEGISLAÇÃO... 6 4.1 PORTARIA 3214/78 NR-18... 6 4.2

Leia mais

NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO 24.1 Instalações Sanitárias 24.1.1 Todo estabelecimento deve ser dotado de instalações sanitárias, constituídas por vasos sanitários,

Leia mais

Demolições. Algumas ações devem ser executadas antes de se iniciar e durante uma demolição:

Demolições. Algumas ações devem ser executadas antes de se iniciar e durante uma demolição: Demolições Algumas ações devem ser executadas antes de se iniciar e durante uma demolição: Desligamento das linhas de fornecimento de energia elétrica, água, inflamáveis líquidos e gasosos liquefeitos,

Leia mais

Indústria da Construção: Canteiro de obras

Indústria da Construção: Canteiro de obras Indústria da Construção: Canteiro de obras Grupo de Materiais de Construção 1 INTRODUÇÃO: Definição: O Canteiro de obras é o conjunto de "áreas destinadas à execução e apoio dos trabalhos da indústria

Leia mais

CHECK LIST - NR 18. Empresa: Endereço: Número de empregados: H: M: Data: Horário: AMBIENTE DE TRABALHO

CHECK LIST - NR 18. Empresa: Endereço: Número de empregados: H: M: Data: Horário: AMBIENTE DE TRABALHO CHECK LIST - NR 18 Empresa: Endereço: Número de empregados: H: M: Data: Horário: AMBIENTE DE TRABALHO Há 20 trabalhadores ou mais? Se a resposta for sim, há PCMAT? (18.3.1) Há SESMT? Está dimensionado

Leia mais

Curso NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção

Curso NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Seja bem Vindo! Curso NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 60hs Conteúdo Programático: Introdução Objetivo e Campo de Aplicação Comunicação

Leia mais

NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO. PLANO DE TRABALHO AprovadopeloCPN em15 MAI 201

NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO. PLANO DE TRABALHO AprovadopeloCPN em15 MAI 201 NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO PLANO DE TRABALHO AprovadopeloCPN em15 MAI 201 Processo de Regulamentação Definição de prioridades Formulação de texto técnico básico Consulta pública Discussão tripartite Análise

Leia mais

ANEXO X NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 004/2012

ANEXO X NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 004/2012 ANEXO X NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 004/2012 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. A Norma Regulamentadora nº 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção,

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 201 DE 21 DE JANEIRO DE 2011 (D.O.U. de 24/01/2011 Seção 1 págs 100

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 201 DE 21 DE JANEIRO DE 2011 (D.O.U. de 24/01/2011 Seção 1 págs 100 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 201 DE 21 DE JANEIRO DE 2011 (D.O.U. de 24/01/2011 Seção 1 págs 100 e 101) Altera a Norma Regulamentadora n.º 18, aprovada

Leia mais

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção

NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção PORTARIAS ATENDIDAS Portaria 30:2001 - Altera a redação do item 18.15 - Andaimes, da NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho

Leia mais

PORTARIA N.º 20, DE 17 DE ABRIL DE 1998

PORTARIA N.º 20, DE 17 DE ABRIL DE 1998 PORTARIA N.º 20, DE 17 DE ABRIL DE 1998 MINISTÉRIO DO TRABALHO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso das atribuições legais que lhe confere o

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria DSST n.º 02, de

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO SUMÁRIO Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria DSST n.º

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. NR 18-Construção Civil-Alterações

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. NR 18-Construção Civil-Alterações VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NR 18-Construção Civil-Alterações Orientador Empresarial PORTARIA SIT nº 201/2011: 24.01.2011, com

Leia mais

METODOLOGIA APLICADA : CHECK LIST

METODOLOGIA APLICADA : CHECK LIST PROGRAMA DE AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL METODOLOGIA APLICADA : CHECK LIST Empresa avaliada: Endereço da obra: Data da avaliação: / / 2003 1 OBJETIVO. Criar uma

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O PCMAT DE UMA OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA-SC COM A NR 18 - ESTUDO DE CASO

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O PCMAT DE UMA OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA-SC COM A NR 18 - ESTUDO DE CASO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O PCMAT DE UMA OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA-SC COM A NR 18 - ESTUDO DE CASO RESUMO Lucas Vaz Franco Crispim (1), Clovis Norberto Savi (2) UNESC Universidade do Extremo

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO SUMÁRIO Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria DSST n.º

Leia mais

18.14.24.2 É proibida a utilização de gruas para o transporte de pessoal.

18.14.24.2 É proibida a utilização de gruas para o transporte de pessoal. Texto aprovado pelo CPN e CTPP. GRUAS 18.14.24 Gruas 18.14.24.1 A ponta da lança e o cabo de aço de levantamento da carga devem ficar no mínimo a 3,00m (três metros) de qualquer obstáculo e ter afastamento

Leia mais

Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção

Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção NR 18 SEGURANÇA DO TRABALHO I Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 Mas, o que é um canteiro de obras? SEGURANÇA DO TRABALHO I É um sistema

Leia mais

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS Análise Prevencionista da Tarefa - APT SMS EM OBRAS INTRODUÇÃO Nos slides a seguir, estamos divulgando a APT que é uma ferramenta que complementa a AST, analisando o passo a passo e pontos de atenção das

Leia mais

Implantação da NR 35 nos canteiros de obras

Implantação da NR 35 nos canteiros de obras SEMINÁRIO GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NOS CANTEIROS DE OBRA Implantação da NR 35 nos canteiros de obras BH 17/08/2012 Atividades dos Trabalhos em Altura Construção civil Taludes e Telhados Telecomunicações

Leia mais

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 70 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM ANDAIME SUSPENSO MOTORIZADO

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 70 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM ANDAIME SUSPENSO MOTORIZADO LISTA DE CHECAGEM DE ANDAIME SUSPENSO MOTORIZADO 1 Autor DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança do Trabalho. Obras de construções:

Leia mais

DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA

DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA ASSOCIAÇÃO DOS CONSTRUTORES E INCORPORADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE CAPÃO DA CANOA DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA Profissional qualificado e registrado operando o Guincho ( com certificado); Profissional qualificado

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.6.11 As escavações realizadas em vias públicas ou canteiros de obras devem ter sinalização de advertência, inclusive noturna,

Leia mais

CONSTRUÇÃO PESADA TEXTO PROPOSTO para ser inserido na NR 18

CONSTRUÇÃO PESADA TEXTO PROPOSTO para ser inserido na NR 18 Página: Página 1 de 140 CONSTRUÇÃO PESADA TEXTO PROPOSTO para ser inserido na NR 18 Proposta a ser encaminhada pelo CPN aos CPRs para apresentarem sugestões até o dia 28 de fevereiro de 2011 TEXTO PROPOSTO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS NAS DEPÊNDENCIAS DA UDESC

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS NAS DEPÊNDENCIAS DA UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC CNPJ 83.891.283/0001-36 CONTATO (48)3321-8155 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM CANTEIRO DE OBRAS DE ACORDO COM A NR18 ESTUDO DE CASO

IMPLANTAÇÃO DE UM CANTEIRO DE OBRAS DE ACORDO COM A NR18 ESTUDO DE CASO IMPLANTAÇÃO DE UM CANTEIRO DE OBRAS DE ACORDO COM A NR18 ESTUDO DE CASO RESUMO Orientando Alison Bonfante (1), Orientador Clovis Norberto Savi (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense (1) bonfantee_@hotmail.com,

Leia mais

GUIA ORIENTATIVO ÁREAS DE VIVÊNCIA

GUIA ORIENTATIVO ÁREAS DE VIVÊNCIA GUIA ORIENTATIVO ÁREAS DE VIVÊNCIA GUIA PARA IMPLANTAÇÃO DE ÁREAS DE VIVÊNCIA NOS CANTEIROS DE OBRA GUIA ÁREAS DE VIVÊNCIA 1 2 GUIA ORIENTATIVO ÁREAS DE VIVÊNCIA GUIA PARA IMPLANTAÇÃO DE ÁREAS DE VIVÊNCIA

Leia mais