FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS"

Transcrição

1 PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA TRABALHOS EM ALTURA EM APOIOS METÁLICOS 2 DESCRIÇÃO Os trabalhos em linhas apoiadas em torres metálicas contêm um grande número de operações com perigo de queda de altura dos trabalhadores, nomeadamente na montagem dos postes e no desenrolamento e colocação de condutores e acessórios de rede. Os acidentes acontecem mais frequentemente nas fases de subida e descida ou na movimentação na cabeça do poste. Para além do risco de queda de altura, existe ainda o risco de choque com obstáculos nas fases de subida. 3 ACTIVIDADES Colocar EPI s e EPC s adequados; Efectuar trabalho em altura, decorrente da tarefa a executar; Concluir os trabalhos, com o adequado condicionamento de todos os materiais e equipamentos utilizados, incluindo EPI s e EPC s. 4 Particularidades Dar atenção às fichas: Movimentação manual de cargas; Trabalhos junto ou na via pública; Como actuar em caso de acidente eléctrico; Armazenagem de materiais, equipamentos e resíduos; Exposição a ambientes térmicos quentes (calor); Relevo (montanhas, linhas e cursos de água, terrenos agrícolas e poços); Trabalhos próximos de instalações em tensão; Interferência com redes telefónicas ou TV Cabo.

2 PP. 2/5 5 FOTOS 6 EPC 7 EPI Caixa de primeiros socorros; Medidas de informação, sensibilização e formação; Utilização de máquinas, aparelhos e ferramentas adequadas à tarefa; Linha de vida e seus acessórios de acordo com Manual de Trabalhos e Resgate em Altura EDA ; Kit s de resgate de acordo com Manual de Trabalhos e Resgate em Altura EDA. Capacete de segurança com franquelete; Calçado de segurança com protecção mecânica; Vestuário de alta visibilidade/reflector ou Colete reflector (Quando aplicável); Luvas de protecção mecânica; Arnês com cinto/sistema de páraquedas/sistema anti-quedas de acordo com Manual de Trabalhos e Resgate em Altura EDA. 8 RISCOS Choque com objectos; Electrização ou electrocussão; Entalamento; Esmagamento; Exposição a ambientes quentes; Golpe, perfuração e/ou corte; Postural; Projecção de objectos; Queda ao mesmo nível;

3 PP. 3/5 Queda de objectos; Queda em altura. 9 MEDIDAS PREVENTIVAS Nota informativa: o Até aprovação interna do Manual de Trabalhos e Resgate em Altura EDA, devem ser seguidas as seguintes medidas preventivas: Gerais o Analisar o trabalho a efectuar em função das condições climatéricas; o Validar a habilitação profissional para a tarefa a executar; o Validar periodicamente a existência de formações para a tarefa a executar; o Assegurar que a composição da equipa é adequada às tarefas a executar; o Todos os equipamentos e materiais utilizados na tarefa, incluindo EPI s e EPC s devem ser certificados. Utilização de Equipamento de Protecção Individual o O sistema antiquedas deve incluir um dispositivo de preensão do corpo do trabalhador (arnês ou arnês com cinto, antiqueda), e um dispositivo de ligação a um ponto fixo de ancoragem, que pode ser, um amortecedor pára-quedas, ou um páraquedas retráctil, ou ainda um dispositivo de ligação móvel sobre um suporte de ancoragem deslizante ao longo de uma corda, de um cabo ou de uma calha. Nota: sempre que o comprimento da ligação entre o ponto de ancoragem e o arnês do trabalhador for superior a 1,20 m é obrigatório que o sistema pára-quedas possua um amortecedor de energia. Antes de iniciar a subida o Verificar se os equipamentos de protecção individual estão correctamente colocados e devidamente fechados com a dupla segurança. Na subida o O trabalhador deve estar sempre protegido com um sistema pára-quedas. A solução

4 PP. 4/5 preconizada é a descrita anteriormente; o À medida que vai progredindo, verificar o estado das peças em que se vai apoiar para subir ou para se posicionar (verificar se oferecem solidez adequada, se estão em bom estado, se já estão bem fixas, etc.). Em caso de dúvida o trabalhador não as deve utilizar. Montagem da corda "linha de vida - com o auxílio de estropos o O primeiro trabalhador que sobe transporta consigo a extremidade da corda linha de vida, presa à argola frontal do arnês através de um amortecedor pára-quedas. o No solo, a corda linha de vida passa através de um dispositivo de travagem, preso a um ponto fixo de rigidez adequada (por exemplo no outro pé da torre), controlado por outro trabalhador que permite a passagem gradual da corda à medida que o trabalhador na torre vai subindo; o Iniciada a subida por um dos ângulos da torre, à medida que vai progredindo em altura o trabalhador prende espaçadamente, aproximadamente de 2 em 2 metros, nos nós da torre um estropo com um mosquetão, fazendo passar dentro deste a corda linha de vida. Para colocar o estropo o trabalhador deve prender-se previamente com a corda de amarração do seu cinto de trabalho. Montagem da corda "linha de vida - com auxilio da corda em Y de Manual de Trabalhos e Resgate em Altura EDA ; Montagem da corda "linha de vida - com a vara telescópica e gancho o Com a corda linha de vida presa ao gancho na extremidade da vara telescópica, o trabalhador prende-o na torre tão alto quanto a vara o permitir; o Em seguida o trabalhador prende-se à corda linha de vida com o seu pára-quedas deslizante e inicia a subida até à altura do gancho; o Se ainda não está na altura do posto de trabalho, o trabalhador amarra-se com a sua corda de amarração e com o auxílio da vara telescópica volta a prendê-lo mais acima; o O trabalhador desamarra-se e continua a subir ligado à corda linha de vida, repetindo o passo anterior tantas vezes quanto necessário até chegar ao posto de trabalho.

5 PP. 5/5 Chegado à altura do posto de trabalho, o trabalhador: o Prende-se com o amortecedor pára-quedas (ou com o pára-quedas retráctil) a um ponto escolhido, tendo em conta a tarefa que vai executar (o ponto de ancoragem pode ser fixo ou móvel num plano horizontal); o Desliga-se da corda linha de vida e prende-a a um ponto de ancoragem para possibilitar a subida de outros trabalhadores; o O segundo trabalhador a subir prende o seu pára-quedas deslizante à corda linha de vida e à medida que vai subindo, vai libertando a corda dos mosquetões (se tiver sido adoptado o método dos estropos); o Uma vez chegado ao posto de trabalho prende-se com o sistema antiquedas; o Se subirem mais trabalhadores, a subida faz-se directamente com o pára-quedas deslizante sobre a corda; o Para a descida seguem os passos pela a ordem inversa da anteriormente descrita. No posto de trabalho o Existem duas ligações distintas - de amarração (sujeição e posicionamento) que o trabalhador utilizará quando tiver de se amarrar para ficar numa posição estável e com as mãos livres para executar o trabalho e de protecção contra quedas, assegurada por um sistema antiquedas, que deverá ser fixado no trabalhador através da argola de fixação dorsal do arnês, ou na argola sobre o externo, mas nunca ao nível da cintura. Do lado da ancoragem, o ponto de ancoragem deve ficar a uma altura tal que o amortecedor pára-quedas não prejudique ou atrapalhe o trabalho e possa cumprir a sua missão. Em caso de queda, a altura desta, deve ser a mais reduzida possível e, claro, sempre inferior à distância a qualquer obstáculo que fique por baixo do posto de trabalho (o que condiciona o tipo de dispositivo pára-quedas a utilizar).

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS ASSEMBLAGEM E MONTAGEM DE APOIO METÁLICO (TORRES METÁLICAS)

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS ASSEMBLAGEM E MONTAGEM DE APOIO METÁLICO (TORRES METÁLICAS) PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ASSEMBLAGEM E MONTAGEM DE APOIO METÁLICO (TORRES METÁLICAS) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos diversos relacionados com a assemblagem de apoio metálico (torres

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA TRABALHOS TET (BT) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos na presença de tensão (TET) de conservação ou reparação, realizados em instalações BT. Nota: Um trabalho

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MANUTENÇÃO DE POSTO DE TRANFORMAÇÃO (AÉREO) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos de manutenção e reparação em posto de transformação aéreo (MT/BT) de distribuição

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS DESENROLAMENTO E COLOCAÇÃO DE CABOS - REDE SUBTERRÂNEA

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS DESENROLAMENTO E COLOCAÇÃO DE CABOS - REDE SUBTERRÂNEA PP. 1/6 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA DESENROLAMENTO E COLOCAÇÃO DE CABOS - REDE SUBTERRÂNEA 2 DESCRIÇÃO Trabalhos de colocação de cabos eléctricos em redes subterrâneas. 3 ACTIVIDADES

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/8 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA TRABALHOS COM ESCADAS PORTÁTEIS 2 DESCRIÇÃO A escada manual portátil consiste em duas peças paralelas ou ligeiramente convergentes, unidas a

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS DESENROLAMENTO E COLOCAÇÃO DE CABOS / CONDUTORES - REDE AÉREA

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS DESENROLAMENTO E COLOCAÇÃO DE CABOS / CONDUTORES - REDE AÉREA PP. 1/7 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA DESENROLAMENTO E COLOCAÇÃO DE CABOS / CONDUTORES - REDE AÉREA 2 DESCRIÇÃO Trabalhos em altura de colocação e tensionamento de condutores eléctricos,

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/10 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA TRABALHOS EM ALTURA COM ANDAIMES DE PÉS MÓVEIS 2 DESCRIÇÃO Os andaimes de pés móveis são assim designados porque em vez dos dispositivos de

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA TRABALHOS PRÓXIMOS DE INSTALAÇÕES EM TENSÃO 2 DESCRIÇÃO Nas tarefas de exploração, construção e manutenção das instalações eléctricas são susceptíveis

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Montagem de postes em redes de média tensão aéreas.

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Montagem de postes em redes de média tensão aéreas. PP. 1/8 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MONTAGENS EM REDES (MT) AÉREAS POSTES 2 DESCRIÇÃO Montagem de postes em redes de média tensão aéreas. 3 ACTIVIDADES Colocar EPI s e EPC s adequados;

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/11 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA CRUZAMENTOS E TRAVESSIAS E MONTAGEM DE PROTECÇÕES 2 DESCRIÇÃO Nos trabalhos de construção, exploração e manutenção das linhas de transporte

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/7 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA COFRAGEM E DESCOFRAGEM 2 DESCRIÇÃO Os trabalhos de cofragem são das actividades que mais expõem os trabalhadores ao risco de queda em altura

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/6 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA BETONAGEM 2 DESCRIÇÃO Entende-se por betonagem, a colocação de argamassas de cimento fresco em zonas limitadas, normalmente por cofragem, bem

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/8 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MEDIÇÕES DE GRANDEZA ELÉTRICA EM REDE BT. 2 DESCRIÇÃO Actividades de medições de grandezas elétricas diversas em redes de torçada de baixa tensão

Leia mais

AS ÃO ANTIQUED TEÇ PRO

AS ÃO ANTIQUED TEÇ PRO PROTEÇÃO ANTIQUEDAS INFORMAÇÃO TÉCNICA NORMA DESCRIÇÃO ANTIQUEDAS MÓVEIS SOBRE SUPORTE DE SEGURANÇA RÍGIDO: EN 353-1 Sistema composto de um antiqueda móvel com bloqueio automático solidário do suporte

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/7 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA UTILIZAÇÃO DE CABOS DE AÇO 2 DESCRIÇÃO Os cabos e cintas são elementos amplamente utilizados na maioria das actividades industriais e de distribuição.

Leia mais

Prevenção de Risco de Queda em Altura em Apoios e Fachadas da Rede de Distribuição

Prevenção de Risco de Queda em Altura em Apoios e Fachadas da Rede de Distribuição Prevenção de Risco de Queda em Altura em Apoios e Fachadas da Rede de Distribuição Procedimentos operacionais 2015 Copyright EDP Energias de Portugal, S.A. 2015 Este documento e o seu conteúdo pertencem

Leia mais

Resgate em Altura Apoios e Fachadas Edifícios

Resgate em Altura Apoios e Fachadas Edifícios Resgate em Altura Apoios e Fachadas Edifícios Guia de Apoio Curso de Especialização para Quadros Técnicos e Formadores para Prestadores de Serviço AL 2015 Este documento e o seu conteúdo pertencem exclusivamente

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MANUTENÇÃO EM REDES DE TORÇADA BT-IP (SISTEMAS DE SUPORTAGEM E AMARRAÇÃO)

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MANUTENÇÃO EM REDES DE TORÇADA BT-IP (SISTEMAS DE SUPORTAGEM E AMARRAÇÃO) PP. 1/10 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MANUTENÇÃO EM REDES DE TORÇADA BT-IP (SISTEMAS DE SUPORTAGEM E AMARRAÇÃO) 2 DESCRIÇÃO Actividades de manutenção nos sistemas de suporte e amarração

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/7 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MOVIMENTAÇÃO DE TERRAS 2 DESCRIÇÃO A movimentação de terras, requer na maioria das vezes o uso de diversos equipamentos pesados. Estes equipamentos

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/6 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA COMO ACTUAR EM CASO DE ACIDENTE ELÉCTRICO 2 DESCRIÇÃO A sobrevivência da vítima de um acidente de origem eléctrica depende muitas vezes da actuação

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/11 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MONTAGEM DE POSTO DE TRANSFORMAÇÃO AÉREO 2 DESCRIÇÃO Trabalhos de montagem de equipamentos, componentes e acessórios em posto de transformação

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/8 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS 2 DESCRIÇÃO Em muitos locais de trabalho, existem áreas fechadas e de acesso difícil nas quais os trabalhadores

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Trabalhos diversos de desmontagem em redes de média tensão aéreas.

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Trabalhos diversos de desmontagem em redes de média tensão aéreas. PP. 1/12 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA DESMONTAGENS EM REDE (MT) AÉREA 2 DESCRIÇÃO Trabalhos diversos de desmontagem em redes de média tensão aéreas. 3 ACTIVIDADES Colocar EPI s e

Leia mais

PLANO DE AULA NR 35 TRABALHO EM ALTURA

PLANO DE AULA NR 35 TRABALHO EM ALTURA NR 35 TRABALHO EM ALTURA OBJETIVO: O treinamento da NR 35 TRABALHO EM ALTURA tem o objetivo de capacitar profi ssionais a exercerem sua função através dos conceitos e das práticas de segurança envolvendo

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Execução de operações em sistemas de contagem em baixa tensão.

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Execução de operações em sistemas de contagem em baixa tensão. PP. 1/8 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA OPERAÇÕES COM CLIENTES SISTEMAS DE CONTAGEM (BT) 2 DESCRIÇÃO Execução de operações em sistemas de contagem em baixa tensão. 3 ACTIVIDADES Colocar

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/9 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA POSTO DE TRANSFORMAÇÃO AUXILIAR (PT MÓVEL) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos específicos de operação e ligação de posto de transformação móvel à rede de

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA REBOQUE DE GERADORES E SUPORTES DE BOBINAS DE CABOS 2 DESCRIÇÃO Durante os trabalhos diários de exploração e conservação das redes de distribuição

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/13 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA SUBSTITUIÇÃO EM POSTOS DE TRANSFORMAÇÃO AÉREOS 2 DESCRIÇÃO Trabalhos relativos às intervenções em postos de transformação aéreos com o objetivo

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. Balancim Individual Manual do Tipo Cadeirinha Modelo Cabo Passante

MANUAL DE OPERAÇÃO. Balancim Individual Manual do Tipo Cadeirinha Modelo Cabo Passante MANUAL DE OPERAÇÃO Balancim Individual Manual do Tipo Cadeirinha Modelo Cabo Passante Balancim Individual Manual KTB O Balancim Individual Manual KTB é um equipamento para movimentações verticais realizadas

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ARMAÇÃO DE FERRO 2 DESCRIÇÃO Esta tarefa, primordial na construção civil, desenrola-se muitas vezes em locais definidos no estaleiro, criando-se

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS 2 DESCRIÇÃO A movimentação de cargas pesadas, compreende as operações de elevação, transporte e descarga de objectos,

Leia mais

Equipamentos de protecção individual

Equipamentos de protecção individual Equipamentos de protecção individual Catálogo Informação para o utilizador Esta informação para o utilizador apresenta uma visão geral respeitante às aplicações do equipamento de protecção pessoal e não

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Trabalhos de manutenção em armário de distribuição de redes de baixa tensão e iluminação pública.

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Trabalhos de manutenção em armário de distribuição de redes de baixa tensão e iluminação pública. PP. 1/10 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MANUTENÇÃO EM REDES BT-IP (ARMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos de manutenção em armário de distribuição de redes de baixa tensão

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/6 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ABERTURA DE CABOUCOS PARA MACIÇOS DE FUNDAÇÃO 2 DESCRIÇÃO A construção dos maciços de fundação para os pórticos e torres metálicas das linhas

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA REDES DE IP (SUBSTITUIÇÃO DE COMPONENTES EM REDES DE INSTALAÇÃO PÚBLICA)

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA REDES DE IP (SUBSTITUIÇÃO DE COMPONENTES EM REDES DE INSTALAÇÃO PÚBLICA) PP. 1/14 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA REDES DE IP (SUBSTITUIÇÃO DE COMPONENTES EM REDES DE INSTALAÇÃO PÚBLICA) 2 DESCRIÇÃO Actividades em redes de iluminação pública de substituição

Leia mais

IRATA. Níveis 1, 2 ou 3 5 dias formação + 1 dia de Exame (Inclui Taxas Exame + Registo IRATA)

IRATA. Níveis 1, 2 ou 3 5 dias formação + 1 dia de Exame (Inclui Taxas Exame + Registo IRATA) DIRIGIDO A Colaboradores de empresas e particulares que queiram obter/manter uma acreditação internacional para acesso e posicionamento por corda. Níveis 1, 2 ou 3 5 dias formação + 1 dia de Exame (Inclui

Leia mais

C Â M A R A M U N I C I P A L D E B A R C E L O S

C Â M A R A M U N I C I P A L D E B A R C E L O S O presente regulamento visa dar cumprimento ao disposto no artigo 5.º do REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO do MUNICIPIO DE BARCELOS. Pretende-se estabelecer um conjunto de normas

Leia mais

Protecção Anti-QuedA

Protecção Anti-QuedA Protecção AntiQuedA informação técnica antiqueda normas e caracteristicas Protecção contra quedas em altura normas: EN 341 EN 3531 EN 3532 Equipamentos de protecção individual contra quedas em altura.

Leia mais

TET-AT Método de Intervenção à Distância até 60kV

TET-AT Método de Intervenção à Distância até 60kV TET-AT Método de Intervenção à Distância até 60kV 1 CARACTERIZAÇÃO RESUMIDA 1.1 Objectivos No final do curso os formandos deverão ser capazes de: - Conhecer as condições de execução de trabalhos, processos

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/12 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA AVARIAS EM REDES (MT) 2 DESCRIÇÃO Pesquisa e reparação de avarias em redes de média tensão incluindo as manobras necessárias para a execução

Leia mais

DOCUMENTOS PARA ALPINISMO INDUSTRIAL E SUAS FUNÇÕES CONFORME NORMAS E REGULAMENTAÇÕES BRASILEIRAS.

DOCUMENTOS PARA ALPINISMO INDUSTRIAL E SUAS FUNÇÕES CONFORME NORMAS E REGULAMENTAÇÕES BRASILEIRAS. DOCUMENTOS PARA ALPINISMO INDUSTRIAL E SUAS FUNÇÕES CONFORME NORMAS E REGULAMENTAÇÕES BRASILEIRAS. 1 OBJETIVO Estabelecer condições gerais e procedimentos para execução de trabalhos em altura, utilizando

Leia mais

- Executar trabalhos em tensão, segundo plano de trabalhos pré-estabelecido pela equipa, sob orientação do responsável de trabalhos (Executantes);

- Executar trabalhos em tensão, segundo plano de trabalhos pré-estabelecido pela equipa, sob orientação do responsável de trabalhos (Executantes); 1 CARACTERIZAÇÃO RESUMIDA 1.1 Objectivos No final do curso os formandos deverão ser capazes de: - Conhecer as condições de execução de trabalhos, processos operatórios, fichas técnicas correspondentes

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ORGANIZAÇÃO DO ESTALEIRO 2 DESCRIÇÃO Face à legislação em vigor, estaleiros temporários ou móveis são os locais onde se efectuam trabalhos de

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Trabalhos em tensão (TET) de intervenção em redes de baixa tensão.

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Trabalhos em tensão (TET) de intervenção em redes de baixa tensão. PP. 1/14 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA TRABALHOS TET (BT) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos em tensão (TET) de intervenção em redes de baixa tensão. 3 ACTIVIDADES Colocar EPI s e EPC s adequados;

Leia mais

NR 18. Segurança na Construção Civil

NR 18. Segurança na Construção Civil NR 18 Segurança na Construção Civil Tópicos da NR 18 Objetivo e Campo de Aplicação Comunicação Prévia Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção - PCMAT Áreas de Vivência

Leia mais

Caracterização do Curso Execução de Redes BT Módulo 3 Redes Aéreas BT (Condições de estabelecimento)

Caracterização do Curso Execução de Redes BT Módulo 3 Redes Aéreas BT (Condições de estabelecimento) 1 CARACTERIZAÇÃO RESUMIDA 1.1 Objetivos No final do curso os formandos deverão ser capazes de: - Conhecer e identificar as características técnicas das redes aéreas de BT e as tecnologias aplicadas nestas

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR-18 Estruturas Pré-moldadas e Pré-Fabricadas de Concreto Versão_CPN ITEM / TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO OBSERVAÇÕES

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR-18 Estruturas Pré-moldadas e Pré-Fabricadas de Concreto Versão_CPN ITEM / TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO OBSERVAÇÕES PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR-18 Estruturas Pré-moldadas e Pré-Fabricadas de Concreto Versão_CPN ITEM / TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO OBSERVAÇÕES OBJETIVO Este anexo estabelece requisitos mínimos de segurança

Leia mais

Prevenção de riscos elétricos em locais de trabalho

Prevenção de riscos elétricos em locais de trabalho Prevenção de riscos elétricos em locais de trabalho SEGURANÇA DE PESSOAS: TECNOLOGIAS E CONCEITOS 1 Sumário Acidentes com a eletricidade. Porque acontecem Proteção contra choques elétricos Prevenção de

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/7 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA GRUAS TORRE 2 DESCRIÇÃO As gruas torre são máquinas utilizadas para elevação de cargas (por meio de um cabo), e transporte dentro de um raio

Leia mais

Protecção. Anti-queda

Protecção. Anti-queda Protecção Anti-queda Kit Arnês 01 P-01S ancoragem dorsal EN 361 Ref.: AB 101 02 Arnês com de fixação. dorsal. Size: M-XL - 670g XXL - 680g Um para as pernas e ombros com correias. loop LB 100 20 EN 354

Leia mais

PROTEÇÃO ANTIQUEDA 7

PROTEÇÃO ANTIQUEDA 7 PROTEÇÃO ANTIQUEDA 7 0902004-1 ponto de amarração (dorsal); - 2 fivelas de regulação; - Cinturão de posicionamento com proteção lombar; - 1 punto de anclaje (dorsal); - 2 hebillas de regulación; - Cinturón

Leia mais

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora Pág.1/9 Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos Câmara Municipal de Mora 2010 Pág.2/9 Identificação da Entidade Informação da Visita Documento Entidade: Câmara Municipal de Mora Entidade:

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ESCORAMENTO DE LAJES 2 DESCRIÇÃO Os elementos horizontais são executados com recurso a cofragem apoiada em suportes verticais destinados a sustentá-la,

Leia mais

DESCRIÇÃO. Sistema Telescópico Pneumático ou Hidráulico para Telecadeiras Telecabines e Afins

DESCRIÇÃO. Sistema Telescópico Pneumático ou Hidráulico para Telecadeiras Telecabines e Afins DESCRIÇÃO Sistema Telescópico Pneumático ou Hidráulico para Telecadeiras Telecabines e Afins [001] A invenção diz respeito à inserção de um sistema telescópico pneumático ou hidráulico nas torres de suporte

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO ILUMINAÇÃO PÚBLICA. Emissão/Revisão 28/05/2007 Atividades Competência Riscos/Controles OPERAÇÃO DE ESCADA BASCULANTE

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO ILUMINAÇÃO PÚBLICA. Emissão/Revisão 28/05/2007 Atividades Competência Riscos/Controles OPERAÇÃO DE ESCADA BASCULANTE 1/12 Passo 01: Verificar as condições do equipamento observando a OT-IP 002.01.09 Uso de Escada basculante. Passo 02: Posicionar o veiculo na distância adequada para execução da tarefa conforme o passo

Leia mais

Estrutura de Suporte dos Colectores RKEQ 2500 N ALPIN EASY

Estrutura de Suporte dos Colectores RKEQ 2500 N ALPIN EASY Estrutura de Suporte dos Colectores RKEQ 2500 N ALPIN EASY Terraço Plano Be Sun, Lda Parque Industrial e Comercial de Loulé, Lote 22 A, 8100-272 Loulé Telf. 289 098128 ; Fax. 289 098106 : email. geral@be-sun.pt

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA TRABALHOS JUNTO OU NA VIA PÚBLICA 2 DESCRIÇÃO Os trabalhos junto à via pública ou na via pública, bem como o depósito de

Leia mais

P 42 - EN 361, EN 358 Arnês com pontos de amarração frontal e dorsal e cinto de posicionamento. Regulação. M-XL 1150g XXL 1200g.

P 42 - EN 361, EN 358 Arnês com pontos de amarração frontal e dorsal e cinto de posicionamento. Regulação. M-XL 1150g XXL 1200g. 1 ARNESES P 40 - EN 361 Arnês com pontos de ancoragem frontal e dorsal. Regulação separada para pernas e ombros. P 42 - EN 361, EN 358 Arnês com pontos de amarração frontal e dorsal e cinto de posicionamento.

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO MODULAR Assistência à Rede e Clientes na Distribuição de Energia Elétrica em Média Tensão

CURSO DE FORMAÇÃO MODULAR Assistência à Rede e Clientes na Distribuição de Energia Elétrica em Média Tensão CURSO DE FORMAÇÃO MODULAR Assistência à Rede e Clientes na Distribuição de Energia Elétrica em Média Tensão Módulo I Reposição de serviço em caso de incidente 1. CARACTERIZAÇÃO 1.1 Objetivos No final deste

Leia mais

Módulo 16 Equipamentos de Protecção Individual

Módulo 16 Equipamentos de Protecção Individual Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local Módulo 16 Equipamentos de Protecção Individual Formadora - Magda Sousa É necessário dar prioridade a protecção colectiva sobre a individual!

Leia mais

Segurança na Construção

Segurança na Construção UNIVERSIDADE DO ALGARVE ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Segurança na Construção EPI Equipamentos de Protecção Individual EPI Equipamento de Protecção Individual (EPI) é a última barreira contra a lesão.

Leia mais

Curso de Formação STAE - Segurança em Trabalhos em Altura atividade Elétrica. Distribuição Elétrica - (Rede Aérea BT/MT/AT {MAT})

Curso de Formação STAE - Segurança em Trabalhos em Altura atividade Elétrica. Distribuição Elétrica - (Rede Aérea BT/MT/AT {MAT}) Curso de Formação STAE - Segurança em Trabalhos em Altura atividade Elétrica Distribuição Elétrica - (Rede Aérea BT/MT/AT {MAT}) Programa de Formação Ed.3 07-11-2016 Equipa de trabalho A equipa de trabalho,

Leia mais

ANEXO V REQUISITOS TÉCNICOS E FUNCIONAIS DE BASE DO EQUIPAMENTO DO LOTE 2

ANEXO V REQUISITOS TÉCNICOS E FUNCIONAIS DE BASE DO EQUIPAMENTO DO LOTE 2 ANEXO V REQUISITOS TÉCNICOS E FUNCIONAIS DE BASE DO EQUIPAMENTO DO LOTE 2 Introdução O mobiliário urbano está geralmente sujeito a pressões e desgaste de nível elevado, devido quer ao envolvimento ambiental,

Leia mais

Segurança: Todos os colaboradores devem utilizar Equipamentos de Proteção individual (E.P.I.), em condições de uso, tais quais:

Segurança: Todos os colaboradores devem utilizar Equipamentos de Proteção individual (E.P.I.), em condições de uso, tais quais: Segurança: 01 Equipamentos de Proteção Individual (E.P.I.): Ref.: NR-06 Todos os colaboradores devem utilizar Equipamentos de Proteção individual (E.P.I.), em condições de uso, tais quais: Botas; Óculos;

Leia mais

Regulamento. 13 a 15 de Setembro de Centro de Convenções da PUC/GO Goiânia Goiás Brasil

Regulamento. 13 a 15 de Setembro de Centro de Convenções da PUC/GO Goiânia Goiás Brasil Regulamento 13 a 15 de Setembro de 2017 Centro de Convenções da PUC/GO Goiânia Goiás Brasil 1. Das Provas Na primeira fase da competição todas as equipes iniciarão o desafio realizando a prova de caráter

Leia mais

MANUAL DE MANUSEIO, TRANSPORTE E ARMAZENAMENTO DE BOBINAS DE CABOS ELÉTRICOS

MANUAL DE MANUSEIO, TRANSPORTE E ARMAZENAMENTO DE BOBINAS DE CABOS ELÉTRICOS MANUAL DE MANUSEIO, TRANSPORTE E ARMAZENAMENTO DE BOBINAS DE CABOS ELÉTRICOS OBJETIVO Estabelecer condições para o correto manuseio, transporte e armazenamento de bobinas de cabos elétricos, com o objetivo

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM MAN UAL DE UTILIZACAO E DE MONTAGEM CONFORME NORMA EUROPEIA: NEN-EN1004/1298. Página1

MANUAL DE MONTAGEM MAN UAL DE UTILIZACAO E DE MONTAGEM CONFORME NORMA EUROPEIA: NEN-EN1004/1298. Página1 Página1 MANUAL DE MONTAGEM MAN UAL DE UTILIZACAO E DE MONTAGEM CONFORME NORMA EUROPEIA: NEN-EN1004/1298 Página2 Colocar as rodas nos bastidores os horizontais e o horizontal / diagonal Levantar o bastidor,

Leia mais

DÚVIDAS LEVANTADAS PELOS/AS JUÍZES/AS

DÚVIDAS LEVANTADAS PELOS/AS JUÍZES/AS DÚVIDAS LEVANTADAS PELOS/AS JUÍZES/AS G002 ANDAR SOBRE A LONA. Os 2 (dois) pés cheios na lona caracteriza a penalidade. Pisadas com metade do pé na lona não é penalidade. G020 ELETRICISTA EXECUTOR, NÃO

Leia mais

Manual de montagem e utilização

Manual de montagem e utilização Escadas telescópicas Escadas articuladas Plataformas de trabalho Escadas simples Escadas duplas Escadas multiusos Manual de montagem e utilização conforme EN 131-3: 2007 (D) Índice 1. Introdução 2. Informação

Leia mais

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 63 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM BATE-ESTACAS

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 63 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM BATE-ESTACAS LISTA DE CHECAGEM DE BATE-ESTACAS 1 Autor DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança do Trabalho. Obras de construções: Hidrelétrica;

Leia mais

Estrutura de Suporte dos Colectores RKEQ 2500 EASY ALPIN

Estrutura de Suporte dos Colectores RKEQ 2500 EASY ALPIN Estrutura de Suporte dos Colectores RKEQ 2500 EASY ALPIN Telhado Be Sun, Lda Parque Industrial e Comercial de Loulé, Lote 22 A, 8100-272 Loulé Telf. 289 098128 ; Fax. 289 098106 : email. geral@be-sun.pt

Leia mais

Miriam Marques. Curso: EFA NS TSHT Técnico de Segurança e Higiene no Trabalho. Introdução 3. O que é um EPI? 4

Miriam Marques. Curso: EFA NS TSHT Técnico de Segurança e Higiene no Trabalho. Introdução 3. O que é um EPI? 4 Formadora: Eunice Florêncio UFCD: 3782 Segurança no Trabalho - Equipamentos Introdução 3 O que é um EPI? 4 Obrigações do empregador e dos trabalhadores 4 De que riscos protegem e em que profissões se utilizam

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO INSTALAÇÃO DE LINHA DE VIDA

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO INSTALAÇÃO DE LINHA DE VIDA 1/6 1. Objetivo Estabelecer critérios para instalação da linha de vida nas diversas estruturas quando a tarefa for executada em altura igual ou superior a dois metros em relação ao solo. 2. Aplicação Distribuição.

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA BOAS PRÁTICAS PARA INSTALAÇÃO DO CABO ÓPTICO AÉREO AUTOSSUSTENTADO

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA BOAS PRÁTICAS PARA INSTALAÇÃO DO CABO ÓPTICO AÉREO AUTOSSUSTENTADO Página 1 de 7 OBJETIVO Este documento foi redigido pela Área Técnica da Cablena do Brasil, buscando orientar seus clientes quanto às boas práticas a serem seguidas durante a instalação do cabo de fibras

Leia mais

ELEVADORES MECAN PARA MATERIAIS OU PASSAGEIROS

ELEVADORES MECAN PARA MATERIAIS OU PASSAGEIROS ELEVADOR UM SISTEMA MECAN DE ELEVADOR E CABINA FECHADA OU SEMIFECHADA PARA O TRANSPORTE DE PASSAGEIROS OU MATERIAIS EM CANTEIRO DE OBRAS EQUIPADO COM FREIO DE SEGURANÇA AUTOMÁTICO E MANUAL TIPO CUNHA ELEVADORES

Leia mais

Deuteronômios /10/2012

Deuteronômios /10/2012 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Deuteronômios 22.8 Quando edificares uma casa nova, farás um parapeito, no eirado (terraço), para que não ponhas culpa de sangue na tua casa, se alguém de algum modo cair

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA EXPOSIÇÃO A AMBIENTES TÉRMICOS QUENTES (CALOR) 2 DESCRIÇÃO A existência de calor no ambiente de trabalho constitui frequentemente uma fonte de

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR INTERIOR CE 100 Q MOTOR EXTERIOR CE 100 P

MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR INTERIOR CE 100 Q MOTOR EXTERIOR CE 100 P MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR INTERIOR CE 100 Q MOTOR EXTERIOR CE 100 P BEST 2 AVISOS O ar aspirado não deve ser canalizado por uma conduta já utilizada para evacuar fumos produzidos por aparelhos alimentados

Leia mais

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário:

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: (11) Número de Publicação: PT 104945 (51) Classificação Internacional: B23Q 3/00 (2006) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 2010.01.18 (30) Prioridade(s): (43) Data de publicação

Leia mais

Ler este manual antes da instalação UMBER KGT-75 UMBER KGT-100. Motor de ataque ao veio. Página 1

Ler este manual antes da instalação UMBER KGT-75 UMBER KGT-100. Motor de ataque ao veio. Página 1 Ler este manual antes da instalação OHMLINE 2010 UMBER KGT-75 UMBER KGT-100 Motor de ataque ao veio Página 1 Na instalação e utilização deve ter muita Atenção 1) Cuidado! Para sua segurança, é importante

Leia mais

Controlador climatização, s/ ajuste, com entrada binária 4 canais

Controlador climatização, s/ ajuste, com entrada binária 4 canais Controlador climatização, s/ ajuste, com entrada binária 4 canais N.º art...2178 ORTS.. Manual de instruções 1 Indicações de segurança A instalação e a montagem de aparelhos eléctricos apenas devem ser

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES V RODEIO NACIONAL DE ELETRICISTAS

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES V RODEIO NACIONAL DE ELETRICISTAS PERGUNTAS MAIS FREQUENTES V RODEIO NACIONAL DE ELETRICISTAS 01 - Será possível utilizar aquele tipo de conjunto de aterramento com grampo de torção, através de pequenos bastões acoplados, que ficam pendurados

Leia mais

A IGENA foi o primeiro fabricante espanhol a obter o Certificado de Conformidade para a sua gama de linhas de vida horizontais, segundo a norma

A IGENA foi o primeiro fabricante espanhol a obter o Certificado de Conformidade para a sua gama de linhas de vida horizontais, segundo a norma 7 L i n h a s d e v i d a v e r t i c a i s segurança A IGENA foi o primeiro fabricante espanhol a obter o Certificado de Conformidade para a sua gama de linhas de vida horizontais, segundo a norma europeia

Leia mais

Suplemento Legislativo

Suplemento Legislativo Suplemento Legislativo Este suplemento faz parte integrante da Revista segurança n.º 167. Não pode ser vendido separadamente. Julho/Agosto 2005 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO INSTITUTO PORTUGUÊS

Leia mais

Procedimento específico de segurança PES 31. Especificações de equipamentos de protecção individual

Procedimento específico de segurança PES 31. Especificações de equipamentos de protecção individual Página: 1/6 1. OBJECTIVO E ÂMBITO Este procedimento tem como objectivo resumir as características de cada tipo de equipamento de protecção para auxílio na selecção do equipamento mais adequado à actividade

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR EXTERIOR EMD 950

MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR EXTERIOR EMD 950 MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR EXTERIOR EMD 950 2 AVISOS O ar aspirado não deve ser canalizado por uma conduta já utilizada para evacuar fumos produzidos por aparelhos alimentados por outras fontes de energia

Leia mais

Norma Regulamentadora N 35 Segurança em Trabalhos em Altura NR 35 Módulo Básico Trabalho em altura... 14 Objetivo e campo de aplicação... 14 Campo de aplicação... 15 Análise de risco e condições impeditivas...

Leia mais

Serviços preliminares de construção. Tecnologia das Construções Profª. Bárbara Silvéria

Serviços preliminares de construção. Tecnologia das Construções Profª. Bárbara Silvéria Serviços preliminares de construção Tecnologia das Construções Profª. Bárbara Silvéria Atividades prévias que devem ser realizadas antes da construção de um edifício: Verificação da disponibilidade de

Leia mais

ANTÓNIO & JOÃO, LDA. MATERIAISDECONSTRUÇÃOEEQUIPAMENTOS

ANTÓNIO & JOÃO, LDA. MATERIAISDECONSTRUÇÃOEEQUIPAMENTOS ANTÓNIO & JOÃO, LDA. MATERIAISDECONSTRUÇÃOEEQUIPAMENTOS Este Manual proporciona as instruções necessárias para uma montagem e operação segura do andaime de fachada MK48. Cabe ao utilizador do andaime manter

Leia mais

Instruções detalhadas para o manuseio no transporte da máquina e as respectivas indicações de segurança seguem depois desta página.

Instruções detalhadas para o manuseio no transporte da máquina e as respectivas indicações de segurança seguem depois desta página. a-- dt/. / pt. Local de instalação adequado para a máquina Selecionar o lugar de colocação de maneira que haja suficiente lugar para a operação, supervisão e manutenção segura da máquina. Evitar corrente

Leia mais

REGRAS DE SEGURANÇA PARA INSTALADORES

REGRAS DE SEGURANÇA PARA INSTALADORES 9 REGRAS DE SEGURANÇA PARA INSTALADORES 9. REGRAS DE SEGURANÇA PARA INSTALADORES Deve ser cumprido o disposto no plano de segurança e na regulamentação em vigor. 9.1 IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS OPERAÇÕES,

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MANUTENÇÃO DE POSTO DE TRANFORMAÇÃO (CABINE ALTA) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos de manutenção e reparação em posto de transformação de cabine alta (MT/BT)

Leia mais

15 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE LINHA DE VIDA

15 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE LINHA DE VIDA 15 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE LINHA DE VIDA Segundo o MTE, 40% dos acidentes causados no ambiente de trabalho são ocasionadas por quedas. Uma das soluções mais buscadas pelas empresas para solucionar

Leia mais

RELATÓRIO DE ACIDENTE DO TRABALHO

RELATÓRIO DE ACIDENTE DO TRABALHO RELATÓRIO DE ACIDENTE DO TRABALHO Gravidade: A com óbito Acidentado: Admilson da Silva Data nascimento: 30/12/1980 Função: Soldador Empresa: Consórcio TBC Data de admissão: 02/02/2009 Data do acidente:

Leia mais

Ponto de Ancoragem dorsal. Fivela de ajuste. Ponto de Ancoragem frontal. Fivela de ajuste. Amarração lateral. Fivela de ajuste

Ponto de Ancoragem dorsal. Fivela de ajuste. Ponto de Ancoragem frontal. Fivela de ajuste. Amarração lateral. Fivela de ajuste Arneses P-40 Ancoragem dorsal EN 361 Ref.: AB 140 01 Arnês com pontos de ancoragem e dorsal Regulação separada para pernas e ombros. Tamanhos: M-XL - 1150g XXL - 1200g Ancoragem Ancoragem dorsal P-42 Novo!

Leia mais

2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho

2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho 14/03/2011 2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho NR.36 TRABALHOS EM ALTURA Esta norma é aplicável a qualquer trabalho realizado acima de

Leia mais

GlideLoc Sistemas de trilho para acesso seguro em escadas

GlideLoc Sistemas de trilho para acesso seguro em escadas GlideLoc Sistemas de trilho para acesso seguro em escadas FAQ Perguntas Mais Frequentes P1: O que são os kits GlideLoc para acesso seguro em escadas? R1: GlideLoc trata-se de de um sistema de linha de

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 201, DE 21 DE JANEIRO DE 2011

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 201, DE 21 DE JANEIRO DE 2011 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 201, DE 21 DE JANEIRO DE 2011 DOU de 24/01/2011 (nº 16, Seção 1, pág. 100) Altera a Norma Regulamentadora nº 18. A SECRETÁRIA

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DE INSTALAÇÃO LINHA DE VIDA TECNIPAR

MANUAL TÉCNICO DE INSTALAÇÃO LINHA DE VIDA TECNIPAR MANUAL TÉCNICO DE INSTALAÇÃO LINHA DE VIDA TECNIPAR Sumário 1- Introdução... 3 2- TERMO DE GARANTIA... 3 3- MODELOS DE LINHA DE VIDA TECNIPAR.... 4 4- INSTRUÇÕES DE MONTAGEM LINHA DE VIDA.... 5 5- MONTAGEM

Leia mais