SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO"

Transcrição

1 SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO

2 1 - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: ACFFD - ASSOCIAÇÃO CULTURAL E FILANTROPICA FAMÍLIA DE DEUS ESCRITÓRIO: RUA CAJAZEIRAS, QD-10 LT-36 JD. NOVO MUNDO - GOIANIA - GOIAS ÁREA DE ABRANGENCIA: ESTADO DE GOIAS RESPONS. LEGAL: PAULO ROBERTO PEREIRA SOUTO - Presidente. CPF: PROFESSOR - OMAR SOUTO (ARTISTA PLÁSTICO) MONITORES (06) SEIS COORDENADORES (A): (03) TRES GESTOR (A): 01 USUÁRIOS DOS SERVIÇOS: CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO E FAMILIARES

3 2. OBJETIVOS 2.1 Geral: Promover a ampliação dos serviços de atenção (orientação, apoio, encaminhamentos, prevenção. a crianças e adolescentes com problemas decorrentes do uso a abuso de substancias psicoativas, através de práticas educativas, preventivas e terapêuticas, visando a recuperação e a reinserção social. 2.2 Específicos: Garantir as crianças e adolescentes dependentes químicos e seus respectivos familiares acesso a orientação e programa de atendimento; Fortalecer a rede de atenção aos dependentes químicos a familiares no município;

4 2.2.3 Trabalhar em parceria com o Conselho Tutelar e grupos antientorpecentes, grupos de apoio e demais parceiros envolvidos na atenção à dependência química. 3. JUSTIFICATIVA: A atenção à criança e ao adolescente dependente químico não dispunha, até então, de atendimento específico. Formatar e implementar ações que contemplem estas demandas remete-nos a necessidade de programas interdisciplinares. Trabalhar no campo da dependência química requer um enfoque interdisciplinar tanto para sua analise, quanto para sua intervenção. Em outros termos, requer não só conhecimentos psicológicos, mas também políticosociais, uma vez que o fenômeno se constitui no âmbito da família, espaço que comporta uma teia de relações complexas, cujos fios se delineiam das mais diversas formas, ora representados por conceitos, símbolos, valores, ora pela não-representação destes, sendo alguns perceptíveis e outros não. È significativo o fato que o consumo das drogas sejam as lícitas (álcool, cigarro) ou as ilícitas (maconha, cocaína, crack e outras)tem tido um crescimento na sociedade e daí diretamente também nas Organizações Sociais de todo o Brasil. Há um aspecto importante a considerar no problema, é que apesar de ser lucro, até óbvio que o álcool e as outras drogas causam prejuízos a saúde, muitos demonstraram não ter muita consciência dos danos que essas drogas podem

5 vir a causar realmente no organismo; outros relatam que O beber socialmente é confundido, ou mascarado como algo que jamais pode vir a torná-los um Dependente Químico. Neste sentido, a ACFFD através de seu projeto SAUDE MENTAL cria um serviço formatado para atender especificamente estes usuários, incrementando a rede de atenção já existente. 4. ATIVIDADES PREVISTAS - Divulgação do programa na comunidade (imprensa, escolas, Conselho Tutelar, universidades, Ministério Público, Poder Judiciário); - Agendamento de atendimentos a comunidade; - Elaboração de atividades a saber, oficinas, cursos de formação continua e de capacitação e seminários; - Fortalecimento da rede de serviços a dependência química, através de parcerias, assessoria e planejamentos; - Orientações para os voluntários envolvidos no projeto; - Avaliações mensais das atividades desenvolvidas; - Estruturação da ala psiquiátrica com garantia de reserva de leitos para crianças e adolescentes dependentes químicos; - Firmação de convênio com Comunidades Terapêuticas e Clinicas psiquiátricas para utilização do leitos eventualmente; - Estabelecimento de parcerias com Escolas, Cursos Livres, Universidades e entidades congêneres.

6 5. METODOLOGIA Os atendimentos individual e grupal aos dependentes químicos e familiares ocorrerão no espaço físico da ACFFD e ginásio de esportes, Comunidades Terapêuticas, conforme as necessidades das atividades desenvolvidas. As oficinas terapêuticas serão realizadas por acadêmicos voluntários do curso de Educação Física, professora, oficineiro e terapeuta ocupacional da equipe. Após o encaminhamento dos usuários, é realizada avaliação para elaboração do plano terapêutico. Posteriormente o adolescente e a família recebem orientações acerca das atividades previstas e dos atendimentos a serem freqüentados. A criança e o adolescente recebem priorização na marcação de consulta. A avaliação inicial é realizada por psiquiatra e/ou psicóloga. Nesta avaliação inicial envolvendo familiares e responsáveis estabelece-se o Plano Terapêutico. Caso haja necessidade de internação para desintoxicação, o psiquiatra fará o encaminhamento.

7 6. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES atividades Implantação X X X X X X X X projeto/ divulgação Atendimentos X X X X X X X X individuais e grupais Convênios com X X X X X X X X Entidades afins Início X funcionamento ala psiquiátrica Inclusão X X X X X X X X dotação orçamentária Elaboração X X X X X X X X Plano de Metas Avaliação X X X X X X X X Resultados Metas (Indicadores) 1 Semestre 50 Beneficiários Afastamento dos vícios e pequenos furtos 2 Semestre 100 Beneficiários Menor índice de crianças de rua 3 Semestre 150 Beneficiários Menor incidência de Prostituição infantil 4 Semestre 200 Beneficiários Melhoria na qualidade de vida familiar e comunitária

8 6.2 ATIVIDADE PRINCIPAL E CRONOGRAMA DO PROJETO: Resultados Metas (Indicadores Afastamento dos vícios e pequenos furtos Menor índice de crianças de rua Menor incidência de Prostituição infantil Melhoria na qualidade de vida familiar e comunitária

9 (b) FGTS 8% (c) Previsão de férias + encargos 15% (e) IRRF 15% alíquota - Contratações de 01 (Um) contador e Auxiliar para todo o PROJETO RESULTADOS ESPERADOS CRIANÇAS E ADOLESCENTES C/ ESCOLAS ENTREVISTA PARA ELABORAÇÃO DE PLANO TERAPÊUTICO COM PSICÓLOGA AVALIAcAO COM PSIQUIATRA DESINTOXICAÇÃO INTERNAÇÃO PARA INGRESSO NAS OFICINAS E GRUPOS OPERATIVOS PARTICIPAÇAO DOS FAMILIARES E/OU PSICOTERAPIA FAMILIAR

10 PAULO ROBERTO P SOUTO Presidente

SAÚDE MENTAL NO SUS E OS CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

SAÚDE MENTAL NO SUS E OS CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL SAÚDE MENTAL NO SUS E OS CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL Prof. João Gregório Neto 2013 REFORMA PSIQUIÁTRICA Ampla mudança do atendimento público em Saúde Mental, objetivando garantir o acesso da população

Leia mais

PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS.

PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS. DE DEPENDENTES QUÍMICOS CENPRE AO CRACK E OUTRAS DROGAS. O Centro Regional de Estudos, Prevenção e Recuperação de Dependentes Químicos - CENPRE é um programa permanente de extensão da FURG, tem como missão

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2012 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL META: COMBATE AO TRABALHO INFANTIL

Leia mais

SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA: o vínculo e o diálogo necessários

SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA: o vínculo e o diálogo necessários SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA: o vínculo e o diálogo necessários II Mostra Nacional de Saúde Família 01º a 03 de junho de 2004 Diretrizes da política de saúde mental do MS Redução Progressiva dos Leitos

Leia mais

Política Nacional sobre drogas. Leon Garcia- Diretor de Articulação e Projetos

Política Nacional sobre drogas. Leon Garcia- Diretor de Articulação e Projetos Política Nacional sobre drogas Leon Garcia- Diretor de Articulação e Projetos A arma mais importante que nós temos- os que temos uma perspectiva democrática para a vida social para tratar do tema das drogas

Leia mais

Cuidado. Crack, é possível vencer Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários

Cuidado. Crack, é possível vencer Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Prevenção Educação, Informação e Capacitação Cuidado Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Autoridade Enfrentamento ao tráfico de drogas e às organizações criminosas Crack, é

Leia mais

O SUAS PARÁ NO PLANO ESTADUAL DE AÇÕES INTEGRADAS SOBRE DROGAS. Meive Ausonia Piacesi

O SUAS PARÁ NO PLANO ESTADUAL DE AÇÕES INTEGRADAS SOBRE DROGAS. Meive Ausonia Piacesi O SUAS PARÁ NO PLANO ESTADUAL DE AÇÕES INTEGRADAS SOBRE DROGAS Meive Ausonia Piacesi POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL Sistema Único de Assistência Social - SUAS INDIVÍDUOS E FAMÍLIAS EM SITUAÇÃO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria de Desenvolvimento Social 2 CICLO DE CAPACITAÇÃO PARA COMUNIDADES TERAPÊUTICAS PARCEIRAS

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria de Desenvolvimento Social 2 CICLO DE CAPACITAÇÃO PARA COMUNIDADES TERAPÊUTICAS PARCEIRAS 2 CICLO DE CAPACITAÇÃO PARA COMUNIDADES TERAPÊUTICAS PARCEIRAS 08/06/2016 DO PROGRAMA RECOMEÇO: UMA VIDA SEM DROGAS 8h00 Chegada e café de boas vindas 9h00 - Abertura 9h30- Tema 01 Questões de Gênero e

Leia mais

A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas. Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013

A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas. Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013 A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013 Situação Atual - Portaria 336/2002 - CAPS - Portaria 245/2005 incentivo implantação

Leia mais

O AVANÇO DAS POLITICAS SOBRE DROGAS NO BRASIL

O AVANÇO DAS POLITICAS SOBRE DROGAS NO BRASIL O AVANÇO DAS POLITICAS SOBRE DROGAS NO BRASIL O AVANÇO DAS POLITICAS SOBRE DROGAS NO BRASIL Arcabouço de leis ao longo dos últimos anos, foram fundamentais na consolidação do processo das políticas sobre

Leia mais

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/Aids em saúde mental, no Brasil

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/Aids em saúde mental, no Brasil Ministério da saúde Secretaria de Atenção à saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Coordenação de Saúde Mental Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/Aids em saúde mental,

Leia mais

04 Federações Integrantes: Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos #juntossomosmaisfortes

04 Federações Integrantes: Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos #juntossomosmaisfortes 04 Federações Integrantes: Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos #juntossomosmaisfortes Resolução 01/2015 do CONAD de 28/08/2016: Principais Tópicos MUDANÇAS DE NOMENCLATURAS: Diferenciar de

Leia mais

Profª : ANA BRAZ EVOLUÇÃO DA SAÚDE MENTAL NO BRASIL. NOÇÕES de POLÍTICA de SAÚDE MENTAL no BRASIL. NÚCLEOS de APOIO à SAÚDE da FAMÍLIA e MENTAL

Profª : ANA BRAZ EVOLUÇÃO DA SAÚDE MENTAL NO BRASIL. NOÇÕES de POLÍTICA de SAÚDE MENTAL no BRASIL. NÚCLEOS de APOIO à SAÚDE da FAMÍLIA e MENTAL Profª : ANA BRAZ EVOLUÇÃO DA SAÚDE MENTAL NO BRASIL NOÇÕES de POLÍTICA de SAÚDE MENTAL no BRASIL NÚCLEOS de APOIO à SAÚDE da FAMÍLIA e MENTAL REFORMA PSIQUIÁTRICA Reforma Psiquiátrica Brasileira Em 1978,

Leia mais

Projeto para Credenciamento do NASF do Município de

Projeto para Credenciamento do NASF do Município de Projeto para Credenciamento do NASF do Município de Projeto elaborado para implantação do Núcleo de Apoio à Saúde da Família tipo do Município de Mês ano Sumário 1 Apresentação 2 Caracterização do Município

Leia mais

QUESTIONÁRIO REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

QUESTIONÁRIO REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL Diagnóstico e Avaliação do Atual Estágio de Desenvolvimento das Redes Regionais da Atenção à Saúde nas regiões priorizadas pelo Projeto de Fortalecimento da Gestão Estadual da Saúde 2016 QUESTIONÁRIO REDE

Leia mais

INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE

INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE RESPEITO E SUCESSO EXPERIÊNCIA DE ARACAJU 2002 Ampliação do PSF cobertura de 70% da população; Implantação do Acolhimento; Na Saúde Mental a implantação de equipes

Leia mais

1- NOME DO PROJETO: PINTANDO O SETE 1.1 SINTESE DO PROJETO:

1- NOME DO PROJETO: PINTANDO O SETE 1.1 SINTESE DO PROJETO: PROJETO SOCIAL 1 1- NOME DO PROJETO: PINTANDO O SETE 1.1 SINTESE DO PROJETO: FORMAÇAO DE GRUPOS DE CRIANÇAS / ADOLESCENTES PARA ATUAR COMO APRENDIZES DE PINTURA ARTISTICA, DESCOBRINDO TALENTOS E AO MESMO

Leia mais

QUADRO DE VAGAS 2018/1 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA

QUADRO DE VAGAS 2018/1 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE HOSPITAL PSIQUIÁTRICO SÃO PEDRO DIREÇÃO DE ENSINO E PESQUISA QUADRO DE VAGAS ESTÁGIO CURRICULAR 2018/1 QUADRO DE VAGAS 2018/1 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA

Leia mais

QUADRO DE VAGAS 2017/2 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA

QUADRO DE VAGAS 2017/2 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE HOSPITAL PSIQUIÁTRICO SÃO PEDRO DIREÇÃO DE ENSINO E PESQUISA QUADRO DE VAGAS 2017/2 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA LOCAL VAGAS MODALIDADE DE ESTÁGIO Data

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2013 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 1- POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL 1.1- META: COMBATE AO TRABALHO

Leia mais

Secretaria Nacional DE POLÍTICA SOBRE DROGAS

Secretaria Nacional DE POLÍTICA SOBRE DROGAS Secretaria Nacional DE POLÍTICA SOBRE DROGAS 81 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE POLÍTICA SOBRE DROGAS Secretaria Nacional DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS Horário de funcionamento: de segunda a sexta,

Leia mais

CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS. Coordenador: Renato Carlos Vieira. Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160. Bairro: Ilha de Santa Maria

CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS. Coordenador: Renato Carlos Vieira. Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160. Bairro: Ilha de Santa Maria CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS Coordenador: Renato Carlos Vieira Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160 Bairro: Ilha de Santa Maria CEP: 29051-100 Horários de atendimento: 7 às 19h (Atendimento

Leia mais

Ariane Ap. Gaspar Imperial

Ariane Ap. Gaspar Imperial CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde NÚCLEO DE ATENÇÃO Á SAÚDE DO SERVIDOR DA SAÚDE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP Ariane Ap. Gaspar Imperial São José do

Leia mais

Polí%ca do tratamento do CRACK

Polí%ca do tratamento do CRACK Polí%ca do tratamento do CRACK Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Professor Titular de Psiquiatria da UNIFESP INPAD-CNPq - Instituto Nacional de Políticas do Álcool e Drogas Que tipo de doença é a Dependência?

Leia mais

MATRIZ DIAGNÓSTICA DA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

MATRIZ DIAGNÓSTICA DA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL MATRIZ DIAGNÓSTICA DA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL REGIÃO: RRAS 2 MUNICÍPIOS: ARUJÁ, BIRITIBA MIRIM, FERRAZ DE VASCONCELOS, GUARAREMA, GUARULHOS, ITAQUAQUECETUBA, MOGI DAS CRUZES, POÁ, SALESÓPOLIS, SANTA

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

cada órgão de segurança, através de publicação, de forma acessível.

cada órgão de segurança, através de publicação, de forma acessível. EIXO I - Gestão Democrática: Controle Social e Externo, Integração e Federalismo 1. Divulgação das atribuições específicas de cada órgão de segurança, através de publicação, de forma acessível. 1 EIXO

Leia mais

7. CARACTERIZAÇÃO DOS SERVIÇOS OFERTADOS NESTE CREAS

7. CARACTERIZAÇÃO DOS SERVIÇOS OFERTADOS NESTE CREAS CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Coordenador: Cristiane picine os santos milles Fundação: 05 de Junho de 2010 Endereço: Rua Dom Pedro I nº 43 Bairro: Maruípe Telefone: 3235-2880/

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 465, DE 28 DE MAIO DE 2012.

LEI COMPLEMENTAR Nº 465, DE 28 DE MAIO DE 2012. LEI COMPLEMENTAR Nº 465, DE 28 DE MAIO DE 2012. Autores: Deputado Romoaldo Júnior e Deputado Sebastião Rezende Dispõe sobre a criação da Lei estadual de Atenção Integral à Saúde Mental e dá outras providências.

Leia mais

DEPENDÊNCIA QUÍMICA TEM CURA?

DEPENDÊNCIA QUÍMICA TEM CURA? DEPENDÊNCIA QUÍMICA TEM CURA? SUMÁRIO 01. Dependência química tem solução? 3 02. Como tratar a dependência química? 8 03. Diferentes tipos de internação para dependentes 13 01 DEPENDÊNCIA QUÍMICA TEM SOLUÇÃO?

Leia mais

DIRETRIZES SOBRE COMORBIDADES PSIQUIÁTRICAS EM DEPENDÊNCIA AO ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS

DIRETRIZES SOBRE COMORBIDADES PSIQUIÁTRICAS EM DEPENDÊNCIA AO ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS DIRETRIZES SOBRE COMORBIDADES PSIQUIÁTRICAS EM DEPENDÊNCIA AO ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS DEPENDÊNCIA AO ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS E COMORBIDADES PSIQUIÁTRICAS UMA VISÃO GERAL Feinstein, 1970 DEFINIÇÃO Presença

Leia mais

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social.

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. 01 SOBRE Qualidade com parcerias de sucesso. A Mitra é uma cooperativa de trabalho que oferece serviços e soluções para sua área de Recursos

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado ODAIR CUNHA PT/MG

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado ODAIR CUNHA PT/MG PROGRAMAS ABERTOS FUNDACAO NACIONAL ANTIDROGAS Código do Programa 3091220140014 Órgão 30000 - MINISTERIO DA JUSTICA Órgão Vinculado Órgão Executor Tipo de Instrumento Convênio Qualificação da proposta

Leia mais

Apresenta o projeto:

Apresenta o projeto: Apresenta o projeto: BELÉM -2015 1 OBJETIVOS GERAL O objetivo geral do projeto CatAmor é implantar a coleta seletiva em Belém em larga escala. 1.1 OBJETIVOS ESPECIFICOS Presentear Belém com um Plano Básico

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE FORTALEZA GABINETE DO VEREADOR PAULO DIÓGENES LÍDER DO PSD 0125/2015 INDICAÇÃO N /2015

CÂMARA MUNICIPAL DE FORTALEZA GABINETE DO VEREADOR PAULO DIÓGENES LÍDER DO PSD 0125/2015 INDICAÇÃO N /2015 CÂMARA MUNICIPAL DE FORTALEZA GABINETE DO VEREADOR PAULO DIÓGENES LÍDER DO PSD 0125/2015 INDICAÇÃO N /2015 Dispõe sobre a criação da "CLINICA MUNICIPAL DE RECUPERAÇÃO DE DEPENDENTES QUÍMICOS" e dá outras

Leia mais

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Seminário Motivações para o Início e o Fim do Consumo de Drogas: uma análise das comunidades virtuais relacionadas ao tema SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Arthur Guerra de Andrade Coordenação da Área

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA DESCRIMINALIZAÇÃO DO USO E POSSE DA MACONHA PARA CONSUMO PRÓPRIO

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA DESCRIMINALIZAÇÃO DO USO E POSSE DA MACONHA PARA CONSUMO PRÓPRIO CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA DESCRIMINALIZAÇÃO DO USO E POSSE DA MACONHA PARA CONSUMO PRÓPRIO Salomão Rodrigues Filho Médico psiquiatra Conselheiro por Goiás do CFM DIMENSÃO

Leia mais

PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições,

PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS, de 23 de dezembro de 2011, que institui a Rede de Atenção Psicossocial

Leia mais

MÓDULO 6 - USO NOCIVO DE SUBSTÂNCIAS - ÁLCOOL

MÓDULO 6 - USO NOCIVO DE SUBSTÂNCIAS - ÁLCOOL MÓDULO 6 - USO NOCIVO DE SUBSTÂNCIAS - ÁLCOOL GABARITO DAS QUESTÕES NORTEADORAS (Aspectos que devem ser contemplados na resposta das questões norteadoras) PERGUNTA NORTEADORA 1: Neste caso temos cinco

Leia mais

Plano de Trabalho e Relatório de atividades. Justificativa:

Plano de Trabalho e Relatório de atividades. Justificativa: Plano de Trabalho e Relatório de atividades Justificativa: Nova Campinas é uma comunidade carente de infraestrutura e de serviços como a pratica de esporte, lazer, cultura, cursos, etc. A Fundação Jesus

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº DE DE 2015.

PROJETO DE LEI Nº DE DE 2015. PROJETO DE LEI Nº DE DE 2015. Determina a obrigatoriedade de inserção de mensagens educativas sobre o uso de drogas ilícitas nos ingressos de eventos esportivos e shows culturais ou esportivos voltados

Leia mais

(a) Metropolitana Garanhuns TOTAIS QUANTITATIVO DE VAGAS FUNÇÃO. Metropolitana Garanhuns TOTAIS

(a) Metropolitana Garanhuns TOTAIS QUANTITATIVO DE VAGAS FUNÇÃO. Metropolitana Garanhuns TOTAIS ANEXO I QUADRO DE VAGAS, REQUISITOS, REMUNERAÇÃO MENSAL, JORNADA DE TRABALHO E ATRIBUIÇÕES. I VAGAS POR LOTAÇÃO, COM RESERVA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. 1.1 Nível Superior Advogado Região 02 01 03 (a)

Leia mais

MARCELO RIBEIRO UNIDADE DE PESQUISA EM ÁLCOOL E DROGAS UNIAD / UNIFESP

MARCELO RIBEIRO UNIDADE DE PESQUISA EM ÁLCOOL E DROGAS UNIAD / UNIFESP ORGANIZAÇÃO DE SERVIÇOS PARA O TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA MARCELO RIBEIRO UNIDADE DE PESQUISA EM ÁLCOOL E DROGAS UNIAD / UNIFESP 1. TRATAMENTO CONCEITO TRATAMENTO OU INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA UMA

Leia mais

Certidão de Nascimento: (Cartório, Livro, Folha e número) Registro de Antecedentes Infracionais (para adolescentes: sim ou não)

Certidão de Nascimento: (Cartório, Livro, Folha e número) Registro de Antecedentes Infracionais (para adolescentes: sim ou não) I ) IDENTIFICAÇÃO Processo n Guia de Acolhimento n Data do acolhimento institucional: Entidade de Acolhimento Institucional (Abrigo): Nome da Criança/Adolescente: Data de Nascimento: Filiação: Certidão

Leia mais

UMA PARCERIA DE AGENCIAS EM UM SÓ ESPAÇO GEOGRAFICO.

UMA PARCERIA DE AGENCIAS EM UM SÓ ESPAÇO GEOGRAFICO. Projeto Segurança Humana: São Paulo UMA PARCERIA DE AGENCIAS EM UM SÓ ESPAÇO GEOGRAFICO. SETEMBRO 2009 ANÁLISE DO PROJETO PROJETO SEGURANÇA A HUMANA NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO: Agências envolvidas: OPAS/OMS

Leia mais

Prof. Jefferson Monteiro

Prof. Jefferson Monteiro Prof. Jefferson Monteiro Histórico O Programa Segundo Tempo é uma política pública de esporte educacional idealizado e criado em 2003 pelo Ministério do Esporte, destinado a democratizar o acesso à prática

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2008

PLANO DE TRABALHO 2008 PLANO DE TRABALHO 2008 1. INTRODUÇÃO A Fundação Stickel em 2007 iniciou efetivamente sua atuação direta na área da assistência social, através da unidade Vila Brasilândia do Programa Mulheres de Talento,

Leia mais

BRIGADA MILITAR PARCEIRA NA PREVENÇÃO AO USO INDEVIDO DE DROGAS

BRIGADA MILITAR PARCEIRA NA PREVENÇÃO AO USO INDEVIDO DE DROGAS COORDENAÇÃO ESTADUAL DO PROERD Palestrante Maj SILVIA VISSOTT BITENCOURT Máster PROERD BRIGADA MILITAR PARCEIRA NA PREVENÇÃO AO USO INDEVIDO DE DROGAS I CONGRESSO INTERNACIONAL CRACK E OUTRAS DROGAS UM

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA BLUMENAU ARTICULADOR

TERMO DE REFERÊNCIA BLUMENAU ARTICULADOR TERMO DE REFERÊNCIA BLUMENAU ARTICULADOR PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA INDIVIDUAL EM ARTICULAÇÃO DE REDE INTERSETORIAL ALCOOL E DROGAS DESCENTRALIZADO I. CONTEXTO O decreto 7.179 de 2010 da Presidência

Leia mais

PROJETO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO UNIVERSITÁRIO

PROJETO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO UNIVERSITÁRIO PROJETO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO UNIVERSITÁRIO GUARAPUAVA 2017 1. Introdução O Núcleo de Apoio Psicopedagógico (NAPP) é um órgão de apoio educacional, de caráter permanente e de natureza multidisciplinar

Leia mais

TERAPIA OCUPACIONAL MENU TERAPIA OCUPACIONAL. A Terapia Ocupacional resgata a autonomia e a qualidade de vida do dependente de drogas e álcool.

TERAPIA OCUPACIONAL MENU TERAPIA OCUPACIONAL. A Terapia Ocupacional resgata a autonomia e a qualidade de vida do dependente de drogas e álcool. Atendimento: +55 15 3326-6784 MENU E-mail atendimentoctes@gmail.com TERAPIA OCUPACIONAL A Terapia Ocupacional resgata a autonomia e a qualidade de vida do dependente de drogas e álcool. / Informações Úteis

Leia mais

Atendimento: Clínica Especializada em Dependência Química - Método de Tratamento de Dependentes Químicos e Alcoólatras

Atendimento: Clínica Especializada em Dependência Química - Método de Tratamento de Dependentes Químicos e Alcoólatras Atendimento: +55 15 3326-6784 MENU E-mail atendimentoctes@gmail.com TRATAMENTOS Clínica Especializada em Dependência Química - Método de Tratamento de Dependentes Químicos e Alcoólatras / Tratamentos /

Leia mais

Atendimento: Clínica Especializada em Dependência Química - Método de Tratamento de Dependentes Químicos e Alcoólatras

Atendimento: Clínica Especializada em Dependência Química - Método de Tratamento de Dependentes Químicos e Alcoólatras Atendimento: +55 15 3326-6784 MENU E-mail atendimentoctes@gmail.com TRATAMENTOS Clínica Especializada em Dependência Química - Método de Tratamento de Dependentes Químicos e Alcoólatras / Tratamentos /

Leia mais

TRATAMENTO EXCLUSIVO CTES

TRATAMENTO EXCLUSIVO CTES Atendimento: +55 15 3326-6784 MENU E-mail atendimentoctes@gmail.com TRATAMENTO EXCLUSIVO CTES Tratamento de reabilitação em dependência química com métodos especializados. / Tratamentos / Tratamento Exclusivo

Leia mais

Portaria SAS/MS nº 305, de 03 de Maio de 2002.

Portaria SAS/MS nº 305, de 03 de Maio de 2002. Portaria SAS/MS nº 305, de 03 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando o aumento do consumo de álcool e outras drogas entre crianças e adolescentes

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE IVAIPORÃ-PR PROGRAMA INTERSETORIAL DE ENFRENTAMENTO ÀS SITUAÇÕES DE VIOLÊNCIAS

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE IVAIPORÃ-PR PROGRAMA INTERSETORIAL DE ENFRENTAMENTO ÀS SITUAÇÕES DE VIOLÊNCIAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE IVAIPORÃ-PR PROGRAMA INTERSETORIAL DE ENFRENTAMENTO ÀS SITUAÇÕES DE VIOLÊNCIAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE IVAIPORÃ-PR Nova estratégia de gestão em redes em matéria

Leia mais

CLÍNICA DE RECUPERAÇÃO: LIVRE-SE DO VÍCIO DAS DROGAS

CLÍNICA DE RECUPERAÇÃO: LIVRE-SE DO VÍCIO DAS DROGAS CLÍNICA DE RECUPERAÇÃO: LIVRE-SE DO VÍCIO DAS DROGAS SUMÁRIO 01. Dependência química: como evitar a recaída? 3 02. Prevenção contra a recaída 7 03. Clínica de recuperação: livre-se da dependência 12 01

Leia mais

Revitalização de Salas de Aula da Sede Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Praia Grande

Revitalização de Salas de Aula da Sede Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Praia Grande Revitalização de Salas de Aula da Sede Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Praia Grande Objetivo: Propiciar ampliação dos locais de capacitação profissional de adolescentes na entidade, para que

Leia mais

REGIÃO SUDESTE. GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais. Políticas Envolvidas. Segurança Pública.

REGIÃO SUDESTE. GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais. Políticas Envolvidas. Segurança Pública. REGIÃO SUDESTE Eixos de Atuação 1. Informação e Mobilização GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais 1.1 Capacitar permanente os gestores e profissionais envolvidos

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA. Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA. Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ PACTO PELOS DIREITOS DAS CRIANÇAS, ADOLESCENTES E JOVENS DA CIDADE

Leia mais

Psicologia e Educação

Psicologia e Educação Psicologia e Educação 2016.2 Profª. MSc. Fernanda Lima. Unidade III: O que pode fazer o psicólogo na escola. Psicólogo escolar: Papéis e funções na escola. Escola é um espaço social onde pessoas convivem

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DE JULHO A SETEMBRO DE 2016

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DE JULHO A SETEMBRO DE 2016 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DE JULHO A SETEMBRO DE 2016 Belém / Pará Setembro/ 2016 Relatório das atividades do Projeto Escola Viva OBJETIVO 1: Efetivar diagnóstico acerca do uso de álcool, outras drogas

Leia mais

PORTARIA Nº 130, DE 26 DE JANEIRO DE 2012

PORTARIA Nº 130, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 PORTARIA Nº 130, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 Redefine o Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e outras Drogas 24 h (CAPS AD III) e os respectivos incentivos financeiros. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE,

Leia mais

PROJETO DE LEI MUNICIPAL Nº. 013/2017

PROJETO DE LEI MUNICIPAL Nº. 013/2017 PROJETO DE LEI MUNICIPAL Nº. 013/2017 INSTITUI O NÚCLEO DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA NASF, E DISPÕE SOBRE A CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PESSOAL, NOS TERMOS DO ART. 37, IX, DA CONSTITUIÇÃO, PARA SUA IMPLANTAÇÃO

Leia mais

COORDENADORIA DA MULHER DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SERGIPE PROJETO INTERIOR EM REDE

COORDENADORIA DA MULHER DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SERGIPE PROJETO INTERIOR EM REDE COORDENADORIA DA MULHER DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SERGIPE PROJETO INTERIOR EM REDE Aracaju-SE Abril/2016 1. APRESENTAÇÃO A Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça de Sergipe tem como competência

Leia mais

Critérios de para análise Projetos para captação de recursos do FIA Palhoça

Critérios de para análise Projetos para captação de recursos do FIA Palhoça Critérios de para análise Projetos para captação de recursos do FIA Palhoça Resolução 001/2013 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), de Palhoça, No uso de suas atribuições

Leia mais

Chamada nº 16/2016. Processo Seletivo Simplificado para profissionais de nível superior do Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS II).

Chamada nº 16/2016. Processo Seletivo Simplificado para profissionais de nível superior do Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS II). Chamada nº 16/2016 Processo Seletivo Simplificado para profissionais de nível superior do Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS II). A FIOTEC, em observância, ao Contrato de Gestão firmado com a Prefeitura

Leia mais

INDICADORES DEMANDA DE DROGAS

INDICADORES DEMANDA DE DROGAS INDICADORES DEMANDA DE DROGAS BRASIL Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas - OBID Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas- SENAD Ministério da Justiça COMPARAÇÕES ENTRE O I e II LEVANTAMENTOS

Leia mais

Promovendo desenvolvimento integral na primeira infância. Outubro de 2016

Promovendo desenvolvimento integral na primeira infância. Outubro de 2016 Promovendo desenvolvimento integral na primeira infância Outubro de 2016 MARCO LEGAL DA PRIMEIRA INFÂNCIA Lei nº 13.257, de 8 de março de 2016 DIRETRIZES E ESTRATÉGIAS de apoio às famílias em sua função

Leia mais

PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR:

PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR: PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR: IMPACTO NA ASSISTÊNCIA À BEBÊS COM SÍNDROME CONGÊNITA DO ZIKA VÍRUS E SUA FAMÍLIA EXPERIÊNCIA DE CAMPINA GRANDE - PB Maria Jeanette De Oliveira Silveira Mestre em Psicanálise

Leia mais

HABILIDADES SOCIAIS E PERFIL DE ADOLESCENTES USUÁRIOS DE DROGAS EM TRATAMENTO

HABILIDADES SOCIAIS E PERFIL DE ADOLESCENTES USUÁRIOS DE DROGAS EM TRATAMENTO HABILIDADES SOCIAIS E PERFIL DE ADOLESCENTES USUÁRIOS DE DROGAS EM TRATAMENTO Luana Thereza Nesi de Mello (Bolsista UNIBIC UNISINOS) Jaluza Aimèe Schneider Jéssica Limberger Profª Drª Ilana Andretta Adolescência

Leia mais

REDE DE ESCOLAS TÉCNICAS DE SAÚDE DA CPLP Plano de trabalho

REDE DE ESCOLAS TÉCNICAS DE SAÚDE DA CPLP Plano de trabalho REDE DE ESCOLAS TÉCNICAS DE SAÚDE DA CPLP Plano de trabalho Introdução O Plano Estratégico de Cooperação em Saúde da CPLP (PECS CPLP 2009-2012) aprovado em maio de 2009, em Estoril, Portugal, define como

Leia mais

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS Escolaridade de nível superior de acordo com a NOB/RH/2006

Leia mais

CENTRO DE DEFESA DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (CEDECA RIO DE JANEIRO)

CENTRO DE DEFESA DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (CEDECA RIO DE JANEIRO) CENTRO DE DEFESA DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (CEDECA RIO DE JANEIRO) CNPJ Nº 10.832.372/0001-38 EDITAL Nº 001 /2017 O CENTRO DE DEFESA DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CEDECA RJ, no

Leia mais

CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO

CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESGATE HISTÓRICO Assistência Social enquanto política pública de direitos. Relevante marco no processo histórico de construção de um sistema de

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA RESOLVE:

A CÂMARA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA RESOLVE: Projeto de Lei Ordinária n /2015 Autor: Vereador Marmuthe Cavalvanti. ESTADO DA PARAÍBA Institui a Semana do Bebê no município de João Pessoa e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS BAHIA

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS BAHIA PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS BAHIA OBJETIVO GERAL Promover ações integradas para o enfrentamento da epidemia de HIV/AIDS e outras DST

Leia mais

COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009

COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009 COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009 Robsmeire Calvo Melo Zurita 1 ; Alessandra Massi Puziol Alves 2 Neide Barboza Lopes 3 INTRODUÇÃO: No Brasil ainda

Leia mais

* QUALIFICAÇÃO EXIGIDA: Graduação em. inscrição nos órgãos competentes.

* QUALIFICAÇÃO EXIGIDA: Graduação em. inscrição nos órgãos competentes. PSICÓLOGO - CLASSE C ESPECIALIDADE: Psicólogo Judicial PROVIMENTO: Concurso Público PROPOSTAS DESTACADAS EM VERMELHO SÃO DE AUTORIA DOS (AS) PSICOLOGOS (AS); PROPOSTAS EM AZUL ACATADAS PELOS (AS) PSICOLOGOS

Leia mais

Projetos para os municípios Motivação

Projetos para os municípios Motivação PROJETOS Projetos para os municípios Motivação A FNP é referência na interlocução com os municípios, envolvendo diretamente os prefeitos e prefeitas na coordenação política dos projetos. Por isso, é constantemente

Leia mais

RAPS. Saúde Mental 26/08/2016. Prof.: Beto Cruz PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*)

RAPS. Saúde Mental 26/08/2016. Prof.: Beto Cruz PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Saúde Mental Prof.: Beto Cruz betocais2@gmail.com PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades

Leia mais

Anexo 7 - Despesa por Projeto e Atividade - Detalhado

Anexo 7 - Despesa por Projeto e Atividade - Detalhado Folha N. 1 01 LEGISLATIVA 120.000,00 4.543.000,00 4.848.000,00 01.031 AÇÃO LEGISLATIVA 120.000,00 4.543.000,00 4.848.000,00 01.031.0001 PROCESSO LEGISLATIVO 4.543.000,00 4.728.000,00 01.031.0001.0125 INATIVOS

Leia mais

1.1. Matriz Curricular do Curso de Bacharelado em Psicologia

1.1. Matriz Curricular do Curso de Bacharelado em Psicologia 1.1. Matriz Curricular do Curso de Bacharelado em Psicologia 1 SEMESTRE Fundamentos Históricos e Epistemológicos da Psicologia 60 Desenvolvimento do Conhecimento Científico 60 Comunicação e Expressão 60

Leia mais

Conselheira Meliane Higa Cimatti Conselho Tutelar Norte

Conselheira Meliane Higa Cimatti Conselho Tutelar Norte Conselheira Meliane Higa Cimatti Conselho Tutelar Norte O Conselho Tutelar é um instrumento fundamental de defesa dos direitos da criança e do adolescente. Ele existe para corrigir os desvios dos que,

Leia mais

CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-CRAS DRA. ZILDA ARNS NEUMANN

CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-CRAS DRA. ZILDA ARNS NEUMANN CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-CRAS DRA. ZILDA ARNS NEUMANN PROJETO PILOTO PROMOTORES DE CIDADANIA Maio/2016 Gaspar - Santa Catarina Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO GERAL... 3 3. OBJETIVO

Leia mais

Conhecendo a realidade de Crianças, Adolescente e Jovens Adultos em Situação de Rua da GRANPAL

Conhecendo a realidade de Crianças, Adolescente e Jovens Adultos em Situação de Rua da GRANPAL Conhecendo a realidade de Crianças, Adolescente e Jovens Adultos em Situação de Rua da GRANPAL Evolução da População, Indicadores Sociais, Situação de Rua e Saúde Mental Adriana Furtado Lirene Finkler

Leia mais

MITOS E VERDADES SOBRE DROGAS

MITOS E VERDADES SOBRE DROGAS FURG FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE Centro Regional de Estudos, Prevenção e Recuperação de Dependentes Químicos - CENPRE MITOS E VERDADES SOBRE DROGAS Organização: Fernando Amarante Silva

Leia mais

##ATO Portaria nº 251/GM, Em 31 de janeiro de 2002.

##ATO Portaria nº 251/GM, Em 31 de janeiro de 2002. 1 de 5 15/5/2009 15:24 ##ATO Portaria nº 251/GM, Em 31 de janeiro de 2002. Estabelece diretrizes e normas para a assistência hospitalar em psiquiatria, reclassifica os hospitais psiquiátricos, define e

Leia mais

EDITAL Nº 002/2017 Termo de Colaboração nº 003/2016 Processo nº /

EDITAL Nº 002/2017 Termo de Colaboração nº 003/2016 Processo nº / EDITAL Nº 002/2017 Termo de Colaboração nº 003/2016 Processo nº 00005.220475/2016-46 A SOCIEDADE MARANHENSE DE DIREITOS HUMANOS - SMDH, no uso de suas atribuições legais, torna público, que estão abertas

Leia mais

CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS NO TRABALHO

CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS NO TRABALHO CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS NO TRABALHO Negociação Coletiva Clausulado sobre Álcool e Drogas em meio laboral A defesa da saúde dos trabalhadores é, desde sempre, um dos objetivos prioritários

Leia mais

I Jornada de Saúde Mental do Vale do Taquari: Crack e outras drogas: perspectivas na abordagem psicossocial

I Jornada de Saúde Mental do Vale do Taquari: Crack e outras drogas: perspectivas na abordagem psicossocial I Jornada de Saúde Mental do Vale do Taquari: Crack e outras drogas: perspectivas na abordagem psicossocial 14 de junho de 2014 FATORES DE RISCO E COMORBIDADES PSIQUIÁTRICAS ASSOCIADOS AOS TRANSTORNOS

Leia mais

Dra Hedi Martha Soeder Muraro

Dra Hedi Martha Soeder Muraro Dra Hedi Martha Soeder Muraro hemuraro@sms.curitiba.pr.gov.br Missão da SMS Planejar e executar a política de saúde para o Município de Curitiba, responsabilizando-se pela gestão e regulação dos serviços

Leia mais

TERAPIA OCUPACIONAL MENU TERAPIA OCUPACIONAL. A Terapia Ocupacional resgata a autonomia e a qualidade de vida do dependente de drogas e álcool.

TERAPIA OCUPACIONAL MENU TERAPIA OCUPACIONAL. A Terapia Ocupacional resgata a autonomia e a qualidade de vida do dependente de drogas e álcool. Atendimento: +55 15 3326-6784 MENU E-mail atendimentoctes@gmail.com TERAPIA OCUPACIONAL A Terapia Ocupacional resgata a autonomia e a qualidade de vida do dependente de drogas e álcool. / Informações Úteis

Leia mais

Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários

Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários Programa Operacional Norte 2020 Estrutura da Apresentação I. Eixo Prioritário/ Prioridade de Investimento/ Objetivo Específico

Leia mais

SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE BARBALHA-CE

SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE BARBALHA-CE SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE BARBALHA-CE Ofício Nº 0012204/2010 Da: Presidente do Sindicato dos Servidores dos Servidores Públicos Municipais de Barbalha-Ceará Professora Teresa Maria

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 403/11 CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando:

RESOLUÇÃO Nº 403/11 CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: RESOLUÇÃO Nº 403/11 CIB/RS A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: a Lei nº 9.716, de 07 de agosto de 1992, que estabelece a Reforma Psiquiátrica no âmbito

Leia mais

Etec Monsenhor Antonio Magliano. Projeto Interdisciplinar Ações de defesa e proteção ao Ambiente- 2012

Etec Monsenhor Antonio Magliano. Projeto Interdisciplinar Ações de defesa e proteção ao Ambiente- 2012 Etec Monsenhor Antonio Magliano Projeto Interdisciplinar Ações de defesa e proteção ao Ambiente- 2012 Professor Responsável: TASSIANA DE CASTRO LA TERZA Equipe de Professores Responsáveis: Professores

Leia mais

Circular 577/2012 São Paulo, 04 de dezembro de 2012.

Circular 577/2012 São Paulo, 04 de dezembro de 2012. Circular 577/2012 São Paulo, 04 de dezembro de 2012. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ESTRUTURAÇÃO DA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL - RAPS/SUS Diário Oficial do Estado nº 226 Seção

Leia mais

SAÚDE MENTAL NO BRASIL E O CAPS. Política Social e trabalho

SAÚDE MENTAL NO BRASIL E O CAPS. Política Social e trabalho SAÚDE MENTAL NO BRASIL E O CAPS ISSN 2359-1277 Denise Santos Borges- dehtaa@hotmail.com Ana Leticia Soares- Soares2329@hotmail.com Carlos Henrique Jessica Ruotolo- jessicaruotolo1@hotmail.com Prof. Me.

Leia mais