PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIREITO PÚBLICO PÓS GRADUAÇÃO E EXTENSÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIREITO PÚBLICO PÓS GRADUAÇÃO E EXTENSÃO"

Transcrição

1 PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIREITO PÚBLICO PÓS GRADUAÇÃO E EXTENSÃO Paracatu MG 2008

2 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO NOME DO CURSO E ÁREA DO CONHECIMENTO JUSTIFICATIVA HISTÓRICO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO OBJETIVOS OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CONCEPÇÃO DO PROGRAMA PÚBLICO ALVO COORDENAÇÃO CARGA HORÁRIA TOTAL PERÍODO E PERIODICIDADE ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS OPTATIVAS CORPO DOCENTE METODOLOGIA INTERDISCIPLINARIDADE ATIVIDADES COMPLEMENTARES TECNOLOGIA E RECURSO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO INFRA-ESTRUTURA FÍSICA INSTALAÇÕES GERAIS ESPAÇO FÍSICO ATENDIMENTO ÀS PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS OU COM MOBILIDADE REDUZIDA NORMAS, PROCEDIMENTOS E EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA EQUIPAMENTOS RECURSOS AUDIOVISUAIS BIBLIOTECA ESPAÇO FÍSICO ACERVO IMPLEMENTAÇÕES DAS POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ATUALIZAÇÃO DO ACERVO NO ÂMBITO DO CURSO ORGANIZAÇÃO E SERVIÇOS EQUIPAMENTOS E LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS SISTEMA DE AVALIAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CERTIFICAÇÃO... 26

3 2 PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIREITO PÚBLICO 1 APRESENTAÇÃO O presente curso de Pós-Graduação lato sensu foi planejado e estruturado em conformidade com a Resolução CES/CNE n. 1, de 8 de junho de 2007, que estabelece as normas para o funcionamento de cursos de pós-graduação no Brasil. 2 NOME DO CURSO E ÁREA DO CONHECIMENTO Nome do Curso: Pós-Graduação lato - sensu em Direito Público. Área de Concentração: Direito Área do Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas. Modalidade de Oferta: Presencial 3 JUSTIFICATIVA A relevância deste curso é conceder à comunidade do noroeste mineiro e regiões vizinhas a possibilidade de se atualizarem no conhecimento do Direito Público. Apresentar colocações em uma perspectiva mais avançada em comparação com o nível da graduação, com vistas ao aprofundamento e desenvolvimento prático da atividade do Direito Público. O aprofundamento do conhecimento do Direito Público, foco deste curso, também trará consigo uma nova percepção e uma nova filosofia já utilizada nos maiores centros do país que é a abordagem profissionalizante em cursos de Pós-Graduação, procurando aliar o conhecimento teórico-reflexivo ao conhecimento prático-empírico. A origem da criação do programa é justamente a carência a ser suprida na área Jurídica e do Magistério Superior, no conhecimento profissional do Direito Público, trazendo grande desenvolvimento sob o ponto de vista da advocacia para toda região devido aos novos conhecimentos adquiridos. 4 HISTÓRICO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO A família Costa Rabelo, que tem suas raízes profundas nesta Terra, trazendo em seu sangue os dons dos seus antepassados, dotou Paracatu e região de uma grande Instituição de ensino que atua em todos os níveis: ensino de idiomas, básico (fundamental e médio) e superior.

4 3 No ano de 1995, inaugurou o centro de idiomas CCAA e em 17 de fevereiro de 1997, o Colégio Atenas iniciou suas atividades em todos os níveis. Em 2000, a família Costa Rabelo deu início ao projeto da Faculdade Atenas, que exigiu a construção de mais uma edificação, com instalações adequadas à Faculdade. Recebeu então, em setembro de 2001, a comissão avaliadora do MEC. Em seguida, foi publicada a Portaria do Ministério da Educação autorizando o funcionamento do curso de Direito e o credenciamento da Faculdade Atenas, pelo então Ministro da Educação Paulo Renato de Souza, em 31 de maio de O primeiro vestibular aconteceu em 13 de julho de 2002 e o início das aulas em 5 de agosto de Em dezembro de 2002, deu sequência a expansão da Faculdade, iniciada pela compra do terreno e a posterior construção das dependências do novo campus. Em 08 de outubro de 2005, teve início o curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Empresarial da Faculdade Atenas, todo estruturado em conformidade com a Resolução CES/CNE n. 1, de 3 de abril de No dia 20 de dezembro de 2005, o curso de Medicina foi autorizado pelo Ministro da Educação, Fernando Haddad, e suas atividades iniciadas em 6 de fevereiro de Neste momento, inaugurava-se também as modernas instalações do novo campus da Faculdade Atenas, com infra-estrutura necessária ao pleno desenvolvimento didáticopedagógico, permitindo a implantação de novos cursos de extensão, graduação e Pós- Graduação. No dia 27 de setembro de 2006, foram autorizados três novos cursos, sendo: Nutrição, Administração e Sistemas de Informação, tendo o início de suas aulas em fevereiro de No dia 02 de agosto de 2007, foi autorizado o curso de Educação Física nas modalidades licenciatura e bacharelado, iniciando suas atividades no mesmo mês. E, finalmente, em fevereiro de 2008, terão início os novos cursos de Pós- Graduação Lato Sensu da Faculdade Atenas, agora nas áreas de Direito Público, Gestão Empresarial e Saúde da Família, todos estruturados conforme a Resolução CNE/CES nº 1, de 8 de junho de O compromisso da Faculdade Atenas é com a coletividade na qual estamos inseridos, e, tudo faremos, com a bênção de Deus, para que a nossa instituição continue sempre focada nos anseios e necessidades da sociedade. Acreditamos que a Faculdade Atenas ainda há de escrever muitas páginas de sucesso na história de Paracatu e do Brasil, porque, a cada ano, se consolida como grande propulsora da educação de qualidade nos cursos já existentes e nos diversos outros que certamente virão.

5 4 5 OBJETIVOS 5.1 OBJETIVO GERAL Formar profissionais com excelente base técnica e sólidos conhecimentos jurídicos, comprometidos com a ética profissional, o Estado de Direito e os deveres da cidadania, sob orientação de um corpo docente altamente qualificado. 5.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Os objetivos específicos do curso são: a) Preparar profissionais e operadores jurídicos para o início da carreira docente no campo do Direito Público; b) Preparar os participantes para o gerenciamento e direção de atividades ligadas a esses ramos de atividade; c) Transmitir os conhecimentos em Direito Público que o advogado tanto necessita para seu adequado desempenho profissional. d) Demonstrar a aplicabilidade do Direito Público a casos concretos. e) Proporcionar aos participantes uma visão ampla e específica do Direito Público, e sua inserção no contexto jurídico, bem como preparar, reciclar e aprofundar os conceitos desta área que de há muito ultrapassou os limites funcionais, transformando-se em elemento de projeção e sucesso na trajetória profissional e na promoção da cidadania. 6 COMPETÊNCIAS E HABILIDADES Serão colocadas em foco as competências (habilidades) a serem desenvolvidas/adquiridas como consequência do curso. São sinônimos de competência: a) Resultado; b) Objetivo final; c) meta do conteúdo; d) Objetivo de desempenho. As competências dirão aos alunos quais habilidades primárias eles aprenderão no curso, podendo ser definida como uma perícia ou habilidade maior para realizar uma tarefa ou resolver um problema, de maneira efetiva e eficiente, assim como serão apresentadas em cada unidade de maneira palpável e mensurável, dizendo aos alunos o que eles serão capazes de fazer como resultado de dada experiência, portanto, a

6 5 competência do aluno será demonstrada por algum tipo de atividade que o professor irá exigir que o aluno execute. O conhecimento prévio das competências que serão desenvolvidas através do curso oferecendo aos alunos uma noção clara e precisa do que irão aprender. Cada professor de cada unidade nomeará as competências a serem desenvolvidas pela unidade. O trabalho de Benjamim Bloom, iniciado na década de 50 nos Estados Unidos é instrutivo quando se formula os objetivos para cada unidade. Bloom dividiu o conhecimento em um esquema hierárquico. Dentre as publicações de Bloom, a mais útil é o seu trabalho Taxonomy of Educational Objectives: cognitive domain. A taxonomia de Bloom é facilmente compreensível e é provavelmente a classificação educativa de maior uso na atualidade. Segundo Benjamin Bloom é possível identificar três domínios de atividades educacionais, ou seja: cognitivo, psicomotor e afetivo. As habilidades podem ser classificadas segundo cada um desses tipos de domínio. O domínio cognitivo refere-se ao desenvolvimento no cérebro (conhecimento); o afetivo é para desenvolver as áreas dos sentimentos e emocionais (atitudes), enquanto que o psicomotor refere-se ao desenvolvimento físico ou manual. Esta taxonomia dos comportamentos do aprendizado pode ser imaginada como sendo o conjunto dos objetivos de um processo de treinamento. Assim, ao final de cada unidade o aluno deve ter adquirido novas capacidades, conhecimentos ou atitudes. Os três domínios possuem subdivisões que vão desde o comportamento mais simples até o mais complexo. O domínio cognitivo envolve o conhecimento e o desenvolvimento de capacidades intelectuais, incluindo a lembrança e memorização. Categorias principais do domínio cognitivo: conhecimento, compreensão, aplicação, análise, síntese e avaliação. O domínio afetivo inclui a maneira na qual nós lidamos emocionalmente com coisas, como sentimentos, valores, apreciação, entusiasmo, motivações e atitudes. As cinco categorias principais são: receber, responder, estimar, organizar, caracterizar. No domínio psicomotor inclui o movimento físico, coordenação e o uso de áreas de habilidades motoras do cérebro. O desenvolvimento destas habilidades requer prática e é medido em termos de velocidade, precisão, distância, procedimento. As seis categorias principais listadas em ordem são: percepção, estar preparado para agir, resposta orientada, resposta complexa, adaptação, originar. Assim sendo e considerando o perfil dos especialistas e seu papel na sociedade e nas instituições, as atividades curriculares buscaram enfatizar a necessidade de atualização e de aperfeiçoamento profissional, possibilitando o acompanhamento das inovações nas diversas áreas jurídicas, adotando uma metodologia que consiste em: a) Habilitação para docência superior;

7 6 b) Complementação ou atualização do conhecimento pré-existente; c) Formação humanística e atitudinal com ênfase para as áreas do Direito Público. Portanto, o profissional egresso do curso estará habilitado a: a) Lecionar nas Instituições de Ensino Superior; b) Reciclar seu conhecimento, tornando-se, assim, um profissional mais atrativo para o mercado de trabalho; c) Atuar de modo mais ativo, através de uma prestação de serviço especializado, na comunidade de um modo geral, tendo em vista o desenvolvimento de uma visão critica e sistêmica voltada à concepção de soluções adequadas às necessidades da sociedade. 7 CONCEPÇÃO DO PROGRAMA O aspecto fundamental que norteia a criação do curso pode ser sintetizado na busca de uma melhor qualificação do profissional que atua no direito público. Uma melhor qualificação repercute no nível social por um atendimento norteado no critério da competência, abandonando todo tipo de improvisação resultante da não especialização. A Faculdade Atenas, tendo por meta básica a evolução da sociedade de mercado, presta serviço à sociedade do Noroeste de Minas qualificando os profissionais no ramo do Direito por acreditar que uma educação de alto nível é o instrumento imprescindível no alcance da justiça social. O nosso curso de especialização é centrado na escolha de um corpo docente altamente qualificado, oferecendo aos alunos um ambiente de estudo compatível para o aprendizado. 8 PÚBLICO ALVO Graduados em Direito (Advogados, Magistrados, Membros do Ministério Público, Assessores, Professores Universitários e Consultores Jurídicos) e em outras Ciências Sociais Aplicadas (Ciências Sociais, Ciências Econômicas, Administração Pública e outras), bem como profissionais com atuação relacionada ao Direito Público. 9 COORDENAÇÃO O curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Público da Faculdade Atenas será coordenado pelo professor José Querino Tavares Neto, pós-doutor em Direito Constitucional pela Universidade de Coimbra sob a supervisão do Doutor José Joaquim Gomes Canotilho (2007), Graduado em Ciências Sociais (1988), em Direito (1993),

8 7 Mestre em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (1997), Doutor em Sociologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001). Atualmente é professor adjunto da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Goiás, professor titular da Universidade de Ribeirão Preto, do Mestrado em Direito da UNAERP, do mestrado em Direito da UFG e do Mestrado em Desenvolvimento Regional das Faculdades ALFA, professor e consultor do Curso de Direito da Faculdade Atenas. Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Teoria Política Clássica, Direito Constitucional, atuando principalmente nos seguintes temas: Poder, Direito Constitucional, Estado, religião e avaliação. É líder do grupo de pesquisa Estado, Governo e Sociedade que se reúne regulamente na UFG para debate e atualização teórica sobre os mais diversos temas relacionados da temática do grupo. Sua pesquisa atual concentra-se numa análise da proposta de (re) visitar as perspectivas jurídico-políticas do poder na Constituição Brasileira, ressaltando os reflexos do poder na redefinição da carta política brasileira no que tange a sua desfiguração em face da inserção na sociedade global. É ainda Coordenador do Curso de Especialização em Constituição, Direitos Humanos e Democracia, realizado na UNAERP, a partir de convênio com o Ius Gentium Conimbrigae/Centro de Direitos Humanos da Universidade de Coimbra. Pesquisador da FUNADESP. 10 CARGA HORÁRIA TOTAL O curso de Pós-Graduação lato sensu da Faculdade Atenas terá uma carga horária de 360 horas aulas em disciplinas obrigatórias e 40 horas aula em disciplinas optativas, totalizando 400 horas aulas, que serão cumpridas dentro do programa previsto na Organização Curricular. 11 PERÍODO E PERIODICIDADE O curso de especialização em Direito Público da Faculdade Atenas ocorrerá no período de 16 de fevereiro de 2008 a 29 de março de 2010, sendo que as aulas acontecerão aos sábados das 07h30 às 11h50 e das 13h00 às 18h00, quinzenalmente 1. Ressalta-se que no período de 16 de fevereiro de 2008 a 01 de agosto de 2009, os alunos estarão cursando as disciplinas obrigatórias. Já de 15 de agosto a 26 de setembro do mesmo ano, os alunos que optarem por cursarem as disciplinas optativas, irá cursá-las. Finalmente, o período restante, ou seja, de 28 de setembro de 2009 a 04 de abril de 2010 os alunos passarão elaborando o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). 1 Em virtude de feriados, este prazo pode ser flexibilizado.

9 8 12 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR 12.1 DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Direito Constitucional Carga horária: 60h EMENTA Princípio da supremacia da Constituição e outros princípios constitucionais. Controle da constitucionalidade das leis e atos normativos do Poder Público. Controles difuso e concentrado de constitucionalidade. Ação direta de inconstitucionalidade contra atos omissivos e comissivos do Poder Público. Ação declaratória de constitucionalidade. Arguição de descumprimento de preceito fundamental. Direitos e garantias individuais. Bill of Rights. Nacionais e estrangeiros em face dos direitos individuais. Garantias da magistratura e impedimentos impostos aos juízes. Processo legislativo e inovações da Emenda Constitucional 45/2004. BIBLIOGRAFIA BARROSO, Luís Roberto. O Controle de Constitucionalidade no Direito Brasileiro. Saraiva MORAES, Alexandre de. Direito Constitucional. 10. ed. São Paulo: Atlas, MOTTA Sylvio, e DOUGLAS, William. Direito Constitucional. 13. ed. Impetus, 2004.

10 9 Direito Administrativo Carga horária: 60h EMENTA Administração Pública como organização na estrutura governamental e como função estatal. Função administrativa material, subjetiva e formalmente considerada. Administração Pública Brasileira. Administração direta e indireta. Colaboradores da Administração Pública. Agências Reguladoras. Fato e ato administrativo. Conceito e espécies. Suporte fático-administrativo. Elementos, existência, validade e eficácia. Nulidade, anulabilidade e irregularidade. Legitimidade para argüir. Aproveitamento e convalidação. Poder vinculado e poder discricionário. Revogação do ato administrativo. Servidores públicos. Regime jurídico. Estatuto. Cargos em comissão e funções de confiança. Contrato administrativo de trabalho. Responsabilidade civil do Estado. BIBLIOGRAFIA MELLO, Celso Antônio Bandeira de. Curso de Direito Administrativo. 20. ed. São Paulo:Malheiros, PIETRO, Sylvia Zanella de. Direito Administrativo. 18. ed. São Paulo: Atlas S.A., SOUZA, Flávio Roberto de. Direito Administrativo na Doutrina e na Jurisprudência. Espaço Jurídico, SILVA, Reinaldo Oliveira da. Teorias da Administração. São Paulo: Pioneira Thonsom, MOTTA, Fernandes C. Prestes. Teoria Geral de Administração: Uma Introdução. 7. ed. São Paulo: Pioneira, 1979.

11 10 Direito Tributário Carga horária: 60h EMENTA Direito Tributário. Sistema Tributário Nacional. Competência tributária. Repartição de competência tributária. Limitações constitucionais ao poder de tributar. Tributos. Conceito, classificação e espécies de tributos. Funções fiscal, parafiscal e extra-fiscal do tributo. Legislação tributária. Delegação no campo tributário. Normas complementares da legislação tributária. Vigência e aplicação da legislação tributária. Interpretação e integração da Legislação tributária. Obrigação tributária. Conceito, espécies e elementos. Fato gerador e sujeitos da obrigação tributária. Sucessão e substituição tributária. Capacidade tributária. Solidariedade e seus efeitos. Sucessores, substitutos tributários e terceiros na relação tributária. Crédito tributário. Constituição do crédito tributário. Tipos de lançamento. Suspensão da exigibilidade do crédito tributário. Extinção do crédito tributário. Exclusão do crédito tributário. Garantias e privilégios do crédito tributário. Correção monetária do crédito tributário. Administração tributária. Fiscalização e Dívida ativa. Certidões negativas. Impostos federais. Tipologia dos impostos federais. Outras imposições tributárias: taxas federais, contribuições de melhoria, etc. Distribuição das receitas tributárias. Direito processual tributário. Ações judiciais de natureza tributária. BIBLIOGRAFIA MACHADO, Hugo de Brito. Curso de Direito Tributário. 14 ed. São Paulo: Melhoramentos, ATALIBA, Geraldo. Sistema Constitucional Tributário Brasileiro. São Paulo: RT CARRAZZA, Roque Antonio. Curso de Direito Constitucional Tributário. 16. ed. São Paulo: Malheiros Editores, COÊLHO, Sacha Calmon Navarro. Comentários à Constituição de 1988 Sistema Tributário. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense, BALEEIRO, Aliomar. Direito Tributário Brasileiro. Atualizado por Misabel de Abreu Machado Derzi. 11. ed. Rio de Janeiro: Forense, Limitações ao Poder de Tributar. Atualizado por Mizabel Abreu Machado Derzi. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2006.

12 11 Direito Processual Civil Carga horária: 60h EMENTA Jurisdição estatal e arbitragem. Ação. Condições e elementos e da ação. Classificação das ações. Espécies de ações. Concurso e cumulação de ações. Processo e procedimento. Procedimento comum e procedimentos especiais. Formação, suspensão e extinção do processo. Pressupostos processuais. Procedimento sumário e procedimento ordinário. Petição inicial. Contestação, exceção e reconvenção. Reconvenção, ação dúplice e pedido contraposto. Revelia. Providências preliminares. Declaração incidente. Audiência de conciliação, instrução e julgamento. Antecipação da tutela. Sentença. Requisitos da sentença. Efeitos da sentença. Sentença terminativa e definitiva. Sentença líquida e ilíquida. Embargos de declaração. Coisa julgada formal e coisa julgada material. Limites objetivos e subjetivos da coisa julgada. Recurso. Pressupostos recursais. Tipologia recursal. Proibição de reformatio in pejus. Liquidação de sentença. Modalidades de liquidação. Procedimento na liquidação de sentença. Execução em geral. Título executivo judicial e título executivo extrajudicial. Espécies de execução. Execução contra a Fazenda Pública. Ação de execução fiscal. Embargos do devedor. Embargos à execução. Embargos à arrematação e à adjudicação. Embargos de terceiro. Processo cautelar. Medida cautelar ex officio. Defesa no processo cautelar. Procedimentos cautelares nominados e inominados. Ação monitória. BIBLIOGRAFIA THEODORO JÚNIOR, Humberto. Curso de Direito Processual Civil. 37. ed. Rio de Janeiro: Forense, MOREIRA, José Carlos Barbosa. Comentários ao Código de Processo Civil. 11. ed. São Paulo: Forense, CALAMANDREI, Piero. Instituições de Direito Processual Civil. 2. ed. Campinas: Bookseller, CARNELUTTI, Francesco. Sistema de Direito Processual Civil. São Paulo: Classic Book, ALVIM, José Eduardo Carreira. Elementos da Teoria Geral do Processo. 6. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1997.

13 12 Direito Penal Carga horária: 60h EMENTA Teoria do crime. Ação, tipicidade, antijuridicidade e culpabilidade. Condições de punibilidade. Causas de justificação e de exculpação. Concurso de crimes e concurso de pessoas. Cominação, aplicação e execução das penas. Modalidades de penas. Pena e medida de segurança. Suspensão condicional da pena e livramento condicional. Efeitos da condenação. Crimes contra a pessoa. Crimes contra o patrimônio. Crimes contra a administração pública. Crimes resultantes de preconceito de raça ou cor. Crimes contra os portadores de deficiência. Crimes de responsabilidade. Crimes contra o meio ambiente, a flora e a fauna. Crimes contra os índios. Crimes contra o sistema financeiro, a ordem econômica e as relações de consumo. Crimes contra a previdência social e a ordem tributária. Crimes de tóxicos. Crimes políticos. Abuso de autoridade. BIBLIOGRAFIA MIRABETE, Julio Fabbrini. Manual de Direito Penal. Parte Geral. 17. ed. São Paulo: Atlas S.A., JESUS, Damásio E. de. Direito Penal. 23. ed. São Paulo: Saraiva, DELMANTO, Celso. Código Penal Comentado. 5. ed. Saraiva, FOUCALT, Michel. Vigiar e punir. 32. ed. Rio de Janeiro: Vozes, [200_?]. BITTENCOURT, Cezar Roberto. Falência da Pena de Prisão: Causas e Alternativas CERNICCHIARO, Luiz Vicente. Estrutura do Direito Penal. 2. ed. José Bushatsky Editor, HUNGRIA, Nelson. Comentários ao Código Penal. Atualizado por Heleno Fragoso. 6. ed. Rio de Janeiro: Forense, LYRA, Roberto. Comentários ao Código Penal. Forense, 1958, v. 3. PIERANGELLI, José Henrique. Códigos Penais do Brasil: Evolução Histórica. Atualizado por Eugênio Raúl Zafaroni. São Paulo: Jolovi, 1980.

14 13 Direito Processual Penal Carga horária: 60h EMENTA Inquérito policial. Ação penal pública. Ação penal privada. Ação civil. Ação penal originária. Jurisdição e competência. Exceções. Conflitos de competência. Medidas assecuratórias. Prova. Ônus probatório. Instrução probatória no inquérito e no processo penal. Sujeitos da relação processual. Prisão e liberdade provisória. Forma e lugar dos atos processuais. Prazos processuais. Comunicação dos atos processuais. Nulidades. Sentença. Fixação da pena. Recursos. Habeas corpus e mandado de segurança em matéria penal. Revisão Criminal. Procedimento comum ou ordinário. Procedimento sumário. Juizados Especiais Criminais. Procedimentos especiais. Do júri popular. Execução penal. Incidentes da execução. BIBLIOGRAFIA TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo Penal. 28. ed. São Paulo: Saraiva, TORNAGHI, Hélio. Instituições de Processo Penal. Rio de Janeiro: Forense, CAPEZ, Fernando. Curso de Processo Penal. 13. ed.são Paulo: Saraiva, RANGEL, Paulo. Direito Processual Penal. 11. ed. Rio de Janeiro, Lumen Juris, CÂMARA LEAL, A. Luiz da. Comentários ao Código de Processo Penal Brasileiro. Freitas Bastos, GOMES, Luiz Flávio et al. Juizados Especiais Criminais. Revista dos Tribunais, GRINOVER, Ada Pellegrini. Eficácia e Autoridade da Sentença Penal. Forense, Novas Tendências do Direito Processual. Forense Universitária, 1990.

15 DISCIPLINAS OPTATIVAS Metodologia do Trabalho Científico e da Pesquisa Científica Carga horária: 20h EMENTA Ciência. Método e técnica. Ciência pura e aplicada. Tipos de explicação científica. Bases do raciocínio científico, teoria, hipótese, dedução, indução, análise e síntese. Pesquisa científica. Tipos de pesquisa. O processo de pesquisa e seu significado. Problemas de pesquisa e sua formulação. Fases da pesquisa. Redação de textos científicos. Normatização de textos técnico-científicos. BIBLIOGRAFIA. NBR 10520: Apresentação de citações em documentos. Rio de Janeiro, NBR 10524: Preparação de folha de rosto. Rio de Janeiro, NBR 12225: Apresentação de lombada. Rio de Janeiro, NBR 14724: Trabalhos acadêmicos. Rio de Janeiro, NBR 6023: Referências bibliográficas. Rio de Janeiro, NBR 6024: Numeração progressiva das seções de um documento. Rio de Janeiro, NBR 6027: Sumário. Rio de Janeiro, NBR 6028: Resumos. Rio de Janeiro, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6022: Artigo em publicação periódica científica impressa. Rio de Janeiro, GALLIANO, A. Guilherme. O Método Científico: Teoria e Prática. São Paulo: HABRA Ltda GIL, Antônio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5. ed. São Paulo: Atlas 1999.

16 15 Metodologia do Ensino Superior Carga horária: 20h EMENTA Reflexão sobre o processo educacional no Ensino Superior e sua importância no contexto social, considerando o significado e o valor da metodologia no fazer docente. Visão histórica e pressupostos epistêmicos-metodológicos da didática. O trabalho humano e as relações sociais da educação: as bases sociais e epistemológicas da formação e profissionalização. BIBLIOGRAFIA LOWMAN, Joseph. Dominando as técnicas de ensino. Tradução de Harue Ohara Avritscher. São Paulo: Atlas, IBAIXE, Carmensita de Souza Bueno; SOLANOWSKI, Marl; IBAIXE JUNIOR, João. Preparando aulas. Manual prático para professores. Passos para formação do educador. São Paulo: Madras, BERBEL, Neusi Aparecida Navas; GIANNASI, Maria Júlia. Metodologia da problematização aplicada em curso de educação continuada e a distância. Londrina: UEL, BORDENAVE, Juan Díaz; PEREIRA,Adair Martins. Estratégias de ensino aprendizagem. 26. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

17 16 13 CORPO DOCENTE TABELA 1 Corpo docente da Pós-Graduação Lato sensu Direito Público Nome do Docente Disciplina Titulação Regime de trabalho Hudson Couto Ferreira Freitas - Direito Constitucional Mestre Horista Leonardo Militão Abrantes - Direito Administrativo Doutor Horista Carlos Eduardo Nascimento - Direito Tributário e Econômico Mestre Integral Tâmara Márcia Melo - Direito Processual Civil Mestre Horista Helvécio Damis de Oliveira - Direito Penal Mestre Horista Cunha Fernando Laércio Alves da - Direito Processual Penal Mestre Horista Silva Delander da Silva Neiva - Metodologia do Trabalho Científico Especialista Integral e da Pesquisa Científica Marcos Spagnuollo de Souza - Metodologia do Ensino Superior Doutor Integral 14 METODOLOGIA O curso utilizará os diferentes métodos pedagógicos envolvidos no ensino jurídico, como, por exemplo, aulas expositivas, debates e seminários, trabalhos e estudos dirigidos, provas e práticas simuladas, análises de casos específicos. Serão também utilizados recursos audiovisuais. 15 INTERDISCIPLINARIDADE A interdisciplinaridade se realiza como uma forma de ver e sentir o mundo. De estar no mundo. De perceber, de entender as múltiplas implicações que se realizam, ao analisar um acontecimento, um aspecto da natureza, os fenômenos sociais, naturais ou culturais. Entender o mundo de forma holística, em sua rede infinita de relações e em sua total complexidade. Ao adotar a interdisplinaridade como metodologia no desenvolvimento do currículo de pós-graduação, não significa o abandono das disciplinas nem supõe para o professor uma pluri-especialização difícil de imaginar, com o risco do sincretismo e da superficialidade. A interdisciplinaridade objetiva uma maior consciência da realidade, para que os fenômenos complexos sejam observados, vistos, entendidos e descritos por uma confrontação de olhares plurais. Daí a necessidade de um trabalho de equipe realmente pluridisciplinar.

18 17 16 ATIVIDADES COMPLEMENTARES As Atividades Complementares são práticas acadêmicas, facultativa para os do curso de Pós-Graduação da Faculdade Atenas. Essas atividades são apresentadas sob múltiplos formatos com o objetivo de: a) complementar e sintonizar o currículo pedagógico vigente; b) ampliar os horizontes do conhecimento bem como de sua prática para além da sala de aula; c) favorecer o relacionamento entre grupos e a convivência com as diferenças sociais; d) favorecer a tomada de iniciativa nos alunos. As atividades complementares serão divididas em atividades fora do campus, palestras, seminários e pesquisa. 17 TECNOLOGIA E RECURSO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO A tecnologia a ser utilizada no Curso de Pós-Graduação lato sensu da Faculdade Atenas será aquela permitida pelos principais recursos existentes em informática, tais como computadores de última geração, internet, data show, etc. Também poderá ser usado retroprojetores, televisores, DVD s e Vídeo Cassete. 18 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA 18.1 INSTALAÇÕES GERAIS A Faculdade Atenas possui modernas instalações, destacando-se pela funcionalidade e conforto oferecidos aos seus discentes e docentes. Acrescenta-se, ainda, que a Faculdade possui laboratórios de informática com máquinas de última geração, ligados à internet rápida e várias salas de aula, munidas de farta iluminação, tanto interna quanto externa, dimensões compatíveis com a capacidade instalada de alunos, isolamento adequado de ruídos externos com boa audição interna, mobiliário adequado e suficiente e com rigorosa limpeza diária. Para eventos culturais, técnicos e científicos a faculdade conta com a sala de multimeios com capacidade para cem pessoas, dotada de recursos audiovisuais. É dotada ainda de lanchonete, reprografia/livraria, áreas de convivência, estacionamento interno e externo, portaria, ampla área para administração, áreas de circulação, biblioteca, salas de estudo em grupo e individuais, videoteca e outras.

19 18 Para as atividades de ensino, a Faculdade disponibiliza ampla sala de professores e gabinetes individuais de trabalho, onde se desenvolvem os trabalhos de planejamento, pesquisa e criação de várias atividades desenvolvidas, bem como o planejamento das aulas, correções de avaliações e diligências afins. Os horários de funcionamento dos ambientes da Faculdade Atenas estendemse de 7h15min. às 23h30min. A expansão da Instituição vem ocorrendo dentro de um programa de crescimento e desenvolvimento de seus cursos ESPAÇO FÍSICO A Faculdade Atenas possui a sua disposição dois campis: O campus I, localizado da Rua João Gonçalves de Carvalho, n. 114, Bairro Santa Lúcia compostos dos seguintes ambientes: Tabela 2 Campus I AMBIENTE CARACTERÍSTICAS ALUNOS / QUANT. ÁREA (M 2 ) TURMA Sala dos Professores 1 50 X Salas de Aula 9 50 cada 50 Salas de Aula 3 70 cada 50 Salas de Aula Salas de Aula 2 55 cada 50 Sala do Diretor Geral 1 12 X Tecnologia 1 20 X Pátio X Lanchonete X Secretaria Escolar 1 25 X Tesouraria 1 15 X Sala de Coordenadores 1 20 X Núcleo de Apoio Psicopeagógico 1 15 X Banheiros Vários 60 X Sauna 1 09 X Piscina X Quadra Poliesportiva X Academia X Laboratório de Informática Biblioteca X Salas Administrativas Várias 250 X O campus II com m2, localizado na Rua Avelino Euridamas de Barros, n. 60, Bairro Lavrado, distante dois quilômetros do centro da cidade, onde funcionam os cursos de graduação em Direito, Administração, Sistemas de Informação, Medicina, Nutrição e Educação Física e os cursos de extensão e Pós Graduação. Neste campus funcionará também os demais cursos constantes no Plano de Desenvolvimento Institucional, aprovado pelo MEC.

20 19 Tabela 3 Campus II AMBIENTE CARACTERÍSTICAS ALUNOS / QUANT. ÁREA (M 2 ) TURMA Estacionamento Externo vagas X Estacionamento Interno vagas X Portaria 1 60 X Administração X COPEVE 1 70 X Diretoria Acadêmica X Biblioteca X Sala de Multimeios Laboratório X Salas de Aula cada 50 Sala dos Professores 1 70 X Gabinetes de Professores, Monitoria e Estudos 09 Total: 70 X Lanchonete X Áreas de Convivência X Banheiros Vários 200 X Núcleo de Práticas Jurídicas 1 X X A programação de expansão das instalações prevê a construção de mais salas de aulas, sala para recepção, banheiros, praça da alimentação, laboratórios, gabinetes de professores e auditório. Existem plantas e maquetes da expansão que podem ser consultadas, in loco, e indicam as etapas do crescimento ATENDIMENTO ÀS PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS OU COM MOBILIDADE REDUZIDA A Faculdade Atenas imbuída da mais alta visão democrática e da igualdade social proporciona em todas as estruturas (física e mobiliária), condições necessárias para o acesso de portadores de necessidades especiais, ou seja, rampas com inclinação adequadas, instalações sanitárias apropriadas, vagas especiais em estacionamentos, bebedouros e orelhões em altura adequada e outros. Desta forma damos acessibilidade e atendimento prioritário e diferenciado para os portadores de necessidades educacionais especiais ou com mobilidade reduzida NORMAS, PROCEDIMENTOS E EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA A Faculdade Atenas tem, constituída e em funcionamento, nos seus campi, a sua Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). A CIPA tem atuado dentro de suas atribuições, reunindo-se mediante o seu calendário para discutir questões de saúde e segurança, encaminhando solicitações de providências à direção administrativa do campus.

PROJETO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSUEM SAÚDE PÚBLICA

PROJETO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSUEM SAÚDE PÚBLICA PROJETO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSUEM SAÚDE PÚBLICA SALVADOR - BAHIA 2014 1 APRESENTAÇÃO O presente curso de Pós-Graduação lato sensu foi planejado e estruturado em conformidade com a Resolução CES/CNE

Leia mais

REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS ESUDA. Capítulo I Das Disposições Preliminares

REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS ESUDA. Capítulo I Das Disposições Preliminares Capítulo I Das Disposições Preliminares Art. 1º Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Faculdade de Ciências Humanas ESUDA orientam-se pelas normas especificadas neste Regulamento e estão sujeitos ao

Leia mais

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO Atualmente a FIBRA encontra-se em novas instalações contando com 33 salas de aula climatizadas, com instalações de equipamentos de multimídia, auditório climatizado com

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 453, de 28 de abril de 2005. Conselho Nacional de Educação de Minas Gerais.

RESOLUÇÃO Nº 453, de 28 de abril de 2005. Conselho Nacional de Educação de Minas Gerais. SIC 01 /05 - CEE/MG Belo Horizonte, 25 de maio de 2005. PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU - ESPECIALIZAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 453, de 28 de abril de 2005. Conselho Nacional de Educação de Minas Gerais. Estabelece normas

Leia mais

EDITAL Nº 038, DE 15 DE MARÇO DE 2013.

EDITAL Nº 038, DE 15 DE MARÇO DE 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 038, DE 15 DE MARÇO DE 2013. Dispõe sobre o processo

Leia mais

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 RESOLUÇÃO Nº.06/2008 Dispõe sobre a Normatização do Programa. de Cursos de Pós-Graduação Lato

Leia mais

GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe

GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe Sumário Título I Dos Cursos de Pós Graduação e suas finalidades...1 Título II Dos Cursos de Pós Graduação em Sentido Lato...1 Título III Dos Cursos de

Leia mais

2.1. O período da inscrição para o processo seletivo será 18 a 25 de Março de 2013. No horário de 09:00 as 15:00.

2.1. O período da inscrição para o processo seletivo será 18 a 25 de Março de 2013. No horário de 09:00 as 15:00. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 039, DE 15 DE MARÇO DE 2013. Dispõe sobre o processo

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: TEORIA GERAL DO PROCESSO NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: TEORIA GERAL DO PROCESSO NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 3 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: TEORIA GERAL DO PROCESSO NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Noções introdutórias e históricas.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO Sumário TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 CAPÍTULO I Da Caracterização do Curso... 3 CAPÍTULO

Leia mais

SELEÇÃO PARA ESTÁGIO REMUNERADO NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ PARA ESTUDANTES DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE 7 DE SETEMBRO FA7

SELEÇÃO PARA ESTÁGIO REMUNERADO NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ PARA ESTUDANTES DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE 7 DE SETEMBRO FA7 SELEÇÃO PARA ESTÁGIO REMUNERADO NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ PARA ESTUDANTES DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE 7 DE SETEMBRO FA7 A FACULDADE 7 DE SETEMBRO, através do NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA,

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU DIREITO PROCESSUAL GERAL COM ÊNFASE EM DIREITO EMPRESARIAL

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU DIREITO PROCESSUAL GERAL COM ÊNFASE EM DIREITO EMPRESARIAL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU DIREITO PROCESSUAL GERAL COM ÊNFASE EM DIREITO EMPRESARIAL 2ª Turma 2012/2013 APRESENTAÇÃO A Faculdade de Direito de Varginha FADIVA, em busca do aprimoramento profissional,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 45ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de setembro de 2013, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre as normas para a pós-graduação na modalidade lato sensu ofertada pela Universidade Federal do Pampa. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - O presente Regimento Interno regulamenta a organização e o funcionamento do

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA TRABALHALISTA DA 6ª REGIÃO. Diretor: Desembargador Sergio Torres Teixeira

ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA TRABALHALISTA DA 6ª REGIÃO. Diretor: Desembargador Sergio Torres Teixeira ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA TRABALHALISTA DA 6ª REGIÃO Diretor: Desembargador Sergio Torres Teixeira QUINTA SELEÇÃO PARA ADMISSÃO AO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO

Leia mais

Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados. Enfam

Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados. Enfam Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados Enfam ROTEIRO DE CREDENCIAMENTO 1. Identificação do Requerente Escola: Escola do Poder Judiciário ESJUD Diretor: Desembargador Francisco Djalma

Leia mais

Regulamento da Pós-Graduação Lato Sensu

Regulamento da Pós-Graduação Lato Sensu Regulamento da Pós-Graduação Lato Sensu CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Os cursos de pós-graduação lato sensu da FACULDADE UNIDA são regidos pela Resolução n. º 01, de 8 de junho de 2007,

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742 Aprova o Regulamento Geral dos Cursos de Pós-Graduação LATO SENSU da UFG, revogando-se a Resolução CEPEC Nº 540. O CONSELHO

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE CONSELHEIRO LAFAIETE FDCL,

FACULDADE DE DIREITO DE CONSELHEIRO LAFAIETE FDCL, Especialização: Direito Penal Ênfase: Segurança Pública PÓS-GRADUAÇÃO 2012 A FACULDADE DE DIREITO DE CONSELHEIRO LAFAIETE FDCL, Instituição de Ensino Superior, aprovada pelo Decreto Estadual n. 73.815,

Leia mais

Proposta de Resolução Ementa:

Proposta de Resolução Ementa: Proposta de Resolução Ementa: Dispõe sobre a regulamentação de Título de Especialista e de Especialista Profissional Farmacêutico e sobre normas e procedimentos para seu registro O Conselho Federal de

Leia mais

REDE GONZAGA DE ENSINO SUPERIOR REGES FACULDADE REGES DE DRACENA

REDE GONZAGA DE ENSINO SUPERIOR REGES FACULDADE REGES DE DRACENA REGULAMENTO _ DAS ACADEMICAS Em cumprimento às exigências da Resolução CNE/CES nº 9, de 29 de setembro de 2004 (do Conselho Nacional de Educação Câmara de Educação Superior) e ao Projeto Pedagógico do

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização PÓS-GRADUAÇÃO O Programa de Pós Graduação Lato Sensu da FAEC foi aprovado pela Resolução do CAS, ATA 001/08, de 12 de março de 2008 e será implantado a partir do primeiro semestre de 2010, após aprovação

Leia mais

Escola Paulista de Direito. Transformando Conhecimento em Valores

Escola Paulista de Direito. Transformando Conhecimento em Valores Escola Paulista de Direito Transformando Conhecimento em Valores Índice Apresentação EPD... 3 Campus... 4 Biblioteca... 5 Laboratório informática... 6 Adaptação para portadores de necessidades especiais...

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Direito

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Direito PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Direito Professores: Cássio Furlan cassiofurlan@yahoo.com.br Período/ Fase: 7ª Semestre: 2º Ano: 2012

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU R E G I M E N T O G E R A L PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Regimento Geral PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Este texto foi elaborado com as contribuições de um colegiado de representantes da Unidades Técnico-científicas,

Leia mais

PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Institui e estabelece critérios para o Aproveitamento de Estudos e Verificação de Proficiência para fins de certificação

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE SÃO GOTARDO ltda. Avenida Francisco Resende Filho, 35 - São Gotardo/MG CEP 38800-000

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE SÃO GOTARDO ltda. Avenida Francisco Resende Filho, 35 - São Gotardo/MG CEP 38800-000 PORTARIA Nº 21, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2005 Dispõe sobre a regulamentação dos Programas de Pósgraduação Lato Sensu no âmbito do Centro de Ensino Superior de São Gotardo CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

LOCALIZAÇÃO: PAVIMENTO TÉRREO IDENTIFICAÇÃO ÁREA (M 2 ) CAPACIDADE Auditório 367,23 406

LOCALIZAÇÃO: PAVIMENTO TÉRREO IDENTIFICAÇÃO ÁREA (M 2 ) CAPACIDADE Auditório 367,23 406 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA E TECNOLÓGICA As salas de aula da FACULDADE BARRETOS estão aparelhadas para turmas de até 60 (sessenta) alunos, oferecendo todas as condições necessárias para possibilitar o melhor

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE CASTANHAL CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE CASTANHAL CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE CASTANHAL CAPÍTULO I DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art. 1º. As Atividades Complementares são componentes curriculares obrigatórios,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 010/2006

RESOLUÇÃO Nº 010/2006 Confere com o original RESOLUÇÃO Nº 010/2006 CRIA o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Educação Ambiental, em nível de Especialização. O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS e PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito

Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito Instituto de Ensino Superior de Goiás Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito PLANO DE ENSINO 1. IDENTIFICAÇÃO: CURSO: DIREITO TURMA: 8º SEMESTRE/NOTURNO DISCIPLINA: DIREITO

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2006

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2006 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2006 Regulamenta os Cursos de Pósgraduação lato sensu na Universidade de Taubaté. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº PRPPG-036/2006, aprovou e eu

Leia mais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais CURSOS : ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS ATUARIAIS CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO (*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 04/12/2007. (*) Portaria / MEC n 1.151, publicada no Diário Oficial da União de 04/12/2007. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 0 ÍNDICE NATUREZA E FINALIDADE 2 COORDENAÇÃO DOS CURSOS 2 COORDENAÇÃO DIDÁTICA 2 COORDENADOR DE CURSO 2 ADMISSÃO AOS CURSOS 3 NÚMERO

Leia mais

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL GLOSSÁRIO EDUCAÇÃO PROFISSIONAL SENAC DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL RIO DE JANEIRO NOVEMBRO/2009 AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Ações educativas destinadas ao desenvolvimento de competências necessárias

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO CAPITULO I DAS FINALIDADES Art. 1º - Os cursos de pós-graduação da UNIABEU são regidos pela Lei Federal 9394/96 Lei de Diretrizes

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA CEPE 04/12/2013 I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 o O Curso de Mestrado do Programa

Leia mais

Pós graduação em Psicologia Educacional DESCRITIVO DE CURSO

Pós graduação em Psicologia Educacional DESCRITIVO DE CURSO Pós graduação em Psicologia Educacional DESCRITIVO DE CURSO 1. Apresentação O curso de Pós Graduação Lato Sensu em Psicologia Educacional da POSGLOGAL visa a formação profissional de graduados que tenham

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

REGIME TO I TER O DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SE SU EM GESTÃO DA PRODUÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGIME TO I TER O DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SE SU EM GESTÃO DA PRODUÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS REGIME TO I TER O DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SE SU EM GESTÃO DA PRODUÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - O presente Regimento Interno regulamenta a organização e o funcionamento do curso de pósgraduação

Leia mais

MODELO DE REGULAMENTO PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO

MODELO DE REGULAMENTO PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO MODELO DE REGULAMENTO PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO Este modelo deve orientar a elaboração do Regulamento dos Cursos de Aperfeiçoamento, obedecendo às Normas para Aprovação e Acompanhamento de Cursos de

Leia mais

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007.

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. SIC 56/07 Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. 1. DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO, PELO INEP, DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PARA O CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR E SEUS PÓLOS DE APOIO

Leia mais

EDITAL PROCURADORIA DA FAZENDA NACIONAL NO AMAZONAS n 19 DE FEVEREIRO DE 2010. TESTE SELETIVO ESTÁGIO

EDITAL PROCURADORIA DA FAZENDA NACIONAL NO AMAZONAS n 19 DE FEVEREIRO DE 2010. TESTE SELETIVO ESTÁGIO EDITAL n 19 DE FEVEREIRO DE 2010., de TESTE SELETIVO ESTÁGIO A, com amparo na Lei nº 11.788/2008, RESOLVE divulgar a abertura de inscrições e estabelecer normas relativas ao processo seletivo-2010.1 destinado

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS

RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS O Conselho Acadêmico Superior (CAS), no uso de suas atribuições conferidas pelo Estatuto da Universidade Positivo (UP), dispõe sobre as normas acadêmicas dos cursos

Leia mais

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO " LATO SENSU"

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO  LATO SENSU UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ REITORIA ACADÊMICA ASSESSORIA DE PÓS GRADUAÇÃO E PESQUISA REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO " LATO SENSU" CAPÍTULO I DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Art. 1º A

Leia mais

TÍTULO I DAS ENTIDADES

TÍTULO I DAS ENTIDADES RESOLUÇÃO Nº 444 DE 27 DE ABRIL DE 2006. 1205 Ementa: Dispõe sobre a regulação de cursos de pós-graduação lato sensu de caráter profissional. O Conselho Federal de Farmácia, no uso das atribuições que

Leia mais

Regulamento das Atividades Complementares Obrigatórias ACO do Curso de Direito da Faculdade Arthur Thomas

Regulamento das Atividades Complementares Obrigatórias ACO do Curso de Direito da Faculdade Arthur Thomas Art. 1º. Este Regulamento tem por finalidade regular o aproveitamento e a validação das Atividades Complementares Obrigatórias ACO que compõem a Matriz Curricular do Curso de Graduação em Direito da Faculdade

Leia mais

Lato Sensu - Especialização

Lato Sensu - Especialização Regulamento Geral do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu - Especialização da Fundação Educacional de Além

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE CONSELHEIRO LAFAIETE FDCL,

FACULDADE DE DIREITO DE CONSELHEIRO LAFAIETE FDCL, PÓS-GRADUAÇÃO 2012 Especialização: Direito e Processo do Trabalho A FACULDADE DE DIREITO DE CONSELHEIRO LAFAIETE FDCL, Instituição de Ensino Superior, aprovada pelo Decreto Estadual n. 73.815, de 12 de

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC UFABC. TÍTULO I Dos Objetivos

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC UFABC. TÍTULO I Dos Objetivos Regimento REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC UFABC TÍTULO I Dos Objetivos Art. 1º - As atividades dos Cursos de Pós-Graduação abrangem estudos e trabalhos de formação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 16/05/2005 (*) Portaria/MEC nº 1.625, publicada no Diário Oficial da União de 16/05/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

REGULAMENTO 1- DOS OBJETIVOS E DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGULAMENTO 1- DOS OBJETIVOS E DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGULAMENTO 1- DOS OBJETIVOS E DA ORGANIZAÇÃO GERAL 1.1 - O Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Comunicação: Imagens e Culturas Midiáticas constitui-se em atividade de Ensino do Departamento de Comunicação

Leia mais

Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo e dá outras providências.

Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo e dá outras providências. RESOLUÇÃO CoCEx nº 6667, de 19 de dezembro de 2013. (D.O.E. 21.12.13) (Protocolado 11.5.2443.1.5). Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

2008-2020 BRASÍLIA / DF 2009 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ECONOMIA. Reg ECONOMIA.indd 1 6/9/2010 17:04:48

2008-2020 BRASÍLIA / DF 2009 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ECONOMIA. Reg ECONOMIA.indd 1 6/9/2010 17:04:48 2008-2020 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ECONOMIA BRASÍLIA / DF 2009 Reg ECONOMIA.indd 1 6/9/2010 17:04:48 Reg ECONOMIA.indd 2 6/9/2010 17:04:48 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

EDITAL I - PÚBLICO-ALVO:

EDITAL I - PÚBLICO-ALVO: A Faculdade de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) faz saber aos interessados que, no período de 16 de março a 08 de maio de 2009 estarão abertas as inscrições ra o Curso de Especialização

Leia mais

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade Resolução nº 200/CONSEA, de 19 de fevereiro de 2009. Altera normas para o oferecimento de cursos de pós-graduação Stricto Sensu e lato sensu, pelos Departamentos da Fundação Universidade Federal de Rondônia

Leia mais

1. Biblioteca. 2. Infra-Estrutura. 2.1 Espaço físico

1. Biblioteca. 2. Infra-Estrutura. 2.1 Espaço físico Biblioteca UPIS 1 SUMÁRIO 1. Biblioteca... 3 2. Infra-Estrutura... 3 2.1 Espaço físico... 3 Campus I... 3 Instalações para estudos individuais... 3 Instalações para estudos em grupo... 3 3. Acervo Bibliográfico...

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Em conformidade com a Resolução CNE/CES n 1, de 08 de Junho de 2007 e o Regimento da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Aprovado pelo Parecer CONSEPE

Leia mais

REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (Regimento aprovado pelo Conselho Deliberativo da Fiocruz em 28/08/2008) 1. Dos Objetivos 1.1. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) oferece programas de pós-graduação

Leia mais

REGULAMENTO PROPPES (Aprovado na Reunião do Consuni em 24/9/2009) CAPÍTULO XVI DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO PROPPES (Aprovado na Reunião do Consuni em 24/9/2009) CAPÍTULO XVI DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO PROPPES (Aprovado na Reunião do Consuni em 24/9/2009) CAPÍTULO XVI DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Art. 72. Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu destinam-se a candidatos graduados, podendo ser

Leia mais

SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15

SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15 SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15 DIREITO ADMINISTRATIVO...17 Fernando Ferreira Baltar Neto e Ronny Charles Lopes de Torres 1. Direito Administrativo e o Regime Jurídico-Administrativo...17

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS EDITAL PROPEG Nº 003/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO CURSO DE

Leia mais

Escola Superior de Ciências da Saúde RESOLUÇÃO Nº 014/2006 DO COLEGIADO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Escola Superior de Ciências da Saúde RESOLUÇÃO Nº 014/2006 DO COLEGIADO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Escola Superior de Ciências da Saúde RESOLUÇÃO Nº 014/2006 DO COLEGIADO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS

Leia mais

Reconhecer as diversas espécies de tributos cobrados pela União, pelos Estados e pelos Municípios;

Reconhecer as diversas espécies de tributos cobrados pela União, pelos Estados e pelos Municípios; 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-45 PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO TRIBUTARIO II NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Impostos.

Leia mais

COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012

COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Letras e Linguística PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA. EDITAL Nº 009/2014-PROPPG, de 22 de abril de 2014

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA. EDITAL Nº 009/2014-PROPPG, de 22 de abril de 2014 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA EDITAL Nº 009/2014-PROPPG, de 22 de abril de 2014 A, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPPG/IFG), torna público o processo

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior. ASSUNTO: Diretrizes para a elaboração, pelo INEP,

Leia mais

Coordenação de Pós-Graduação e Extensão. Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC

Coordenação de Pós-Graduação e Extensão. Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC Coordenação de Pós-Graduação e Extensão Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC Os cursos de especialização em nível de pós-graduação lato sensu presenciais (nos quais

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Projetos 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que apontam a

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE (UNIBH)

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE (UNIBH) CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE (UNIBH) Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (PGPE) Coordenação Geral do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu (CGPPGL) Edital do processo seletivo referente

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Plano de Utilização do Acervo e Acessos

Plano de Utilização do Acervo e Acessos FACULDADE DE RONDÔNIA INSTITUTO JOÃO NEÓRICO Plano de Utilização do Acervo e Acessos SUMÁRIO 1 OBJETIVO GERAL...2 2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS...2 3. ABRANGÊNCIA...2 4. BIBLIOTECA...2 4.1 Espaço Físico...4

Leia mais

Homologa adequações no Regulamento do Programa de pós-graduação lato sensu. DA FINALIDADE E OBJETIVOS

Homologa adequações no Regulamento do Programa de pós-graduação lato sensu. DA FINALIDADE E OBJETIVOS Resolução do CS nº 11/2013 Aparecida de Goiânia, 29 de janeiro de 2013. Homologa adequações no Regulamento do Programa de pós-graduação lato sensu. O Presidente Conselho Superior, no uso de suas atribuições,

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições:

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: Professor-autor é aquele que possui pleno domínio da área

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização

Regulamento do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização Regulamento do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização Juiz de Fora-MG Regulamento do Núcleo de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os Cursos

Leia mais

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA UNIFEBE Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 36/14, de 10/12/14. CAPÍTULO I DISPOSIÇÃO

Leia mais

EDITAL 04/2014 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FINANCEIRA DE INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS E ORGANIZAÇÕES SOCIAIS

EDITAL 04/2014 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FINANCEIRA DE INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS E ORGANIZAÇÕES SOCIAIS EDITAL 04/2014 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FINANCEIRA DE INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS E ORGANIZAÇÕES SOCIAIS A Faculdade Católica Dom Orione, Araguaína TO, torna pública a abertura das inscrições para

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO Art. 1º O colegiado de curso é órgão consultivo da Coordenação de Curso, destinado a subsidiar a

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Cacoal RO REGULAMENTO

Leia mais

Direito Tributário Nacional: Princípios Constitucionais Tributários. Fontes do Direito

Direito Tributário Nacional: Princípios Constitucionais Tributários. Fontes do Direito PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Direito Professor: Leandro Chiarello de Souza E-MAIL: leandrosouza@conection.com.br Período/ Fase: 5ª

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 40, DE 20 DE MARÇO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 40, DE 20 DE MARÇO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 40, DE 20 DE MARÇO DE 2013. O PRESIDENTE DO CONSELHO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO da, no uso de suas atribuições legais, resolve, ad referendum: Art. 1º Aprovar as Normas para Cursos de Pós-Graduação

Leia mais

IESB / PREVE. CURSO DE DIREITO Núcleo de Prática Jurídica Escritório de Assistência Jurídica ORIENTAÇÕES GERAIS

IESB / PREVE. CURSO DE DIREITO Núcleo de Prática Jurídica Escritório de Assistência Jurídica ORIENTAÇÕES GERAIS IESB / PREVE CURSO DE DIREITO Núcleo de Prática Jurídica Escritório de Assistência Jurídica ORIENTAÇÕES GERAIS MISSÃO / IESB Proporcionar um espaço de contínua aprendizagem onde alunos, professores e colaboradores

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO E JUSTIÇA DO TRABALHO 2ª TURMA GOIÂNIA-GO

ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO E JUSTIÇA DO TRABALHO 2ª TURMA GOIÂNIA-GO ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO E JUSTIÇA DO TRABALHO 2ª TURMA GOIÂNIA-GO REGULAMENTAÇÃO Resolução CNE/CES nº 1/2007, Diário Oficial da União, Brasília, 08/06/2007, Seção 1, pág. 9 Estabelece normas para o funcionamento

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - IFG

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - IFG REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - IFG DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Art.1º. O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é componente curricular obrigatório dos cursos

Leia mais

SUMÁRIO. Questões comentadas dos exames da OAB - 2ª edição

SUMÁRIO. Questões comentadas dos exames da OAB - 2ª edição SUMÁRIO Questões comentadas dos exames da OAB - 2ª edição Apresentação - Marco Antonio Araujo Junior Sobre os autores 1.1 Introdução princípios e poderes 1.2 Ato administrativo 1.3 Organização da Administração

Leia mais

I. Apresentação Geral... 3

I. Apresentação Geral... 3 Programa de Pós- Graduação Lato Sensu Especialização em Direito Constitucional Entrada: 2011 1º Semestre Índice I. Apresentação Geral... 3 II. Especialização em Direito Constitucional... 4 1. Plano de

Leia mais

Direito Processual do Trabalho

Direito Processual do Trabalho Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito do Trabalho Direito Processual do Trabalho Carga Horária: 64 h/a 1- Ementa O curso

Leia mais

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da FERLAGOS orientam-se pelas normas

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E GERENCIAIS 2012 GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais CURSOS ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS ATUARIAIS CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIAS

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 Estabelece o Regulamento para a Oferta de Cursos de Pós Graduação Lato Sensu das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração

Leia mais

3o 4o 5o 6o Art. 8o Art. 9o

3o 4o 5o 6o Art. 8o Art. 9o REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU TÍTULO I GENERALIDADES Art. 1 o A Fundação Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mandaguari FAFIMAN - poderá oferecer cursos de pós-graduação lato

Leia mais

EDITAL 03/2014 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

EDITAL 03/2014 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA EDITAL 03/2014 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA A Faculdade Católica Dom Orione, Araguaína TO, informa aos interessados que estão abertas as inscrições para o Curso de Especialização em EDUCAÇÃO

Leia mais