INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 3.º Trimestre de 2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 3.º Trimestre de 2012"

Transcrição

1 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 3.º TRIMESTRE DE 2012 Serviço de Acesso à Internet 3.º Trimestre de 2012

2 Índice SUMÁRIO Evolução do número de prestadores habilitados para a prestação do Serviço de Acesso à Internet Clientes do serviço de acesso à Internet Clientes do serviço de acesso à Internet em local fixo O perfil do cliente e da utilização do serviço de acesso à Internet (SAI) Número de acessos físicos à Internet Tráfego de acesso à Internet em banda larga Receitas do Serviço de Acesso à Internet Taxa de penetração da banda larga Cobertura de banda larga Índice de gráficos Gráfico 1 - Evolução do número de clientes de banda larga... 8 Gráfico 2 - Evolução da taxa de penetração residencial do SAI...10 Gráfico 3 - Adições líquidas de acessos à Internet em banda larga por tecnologia...13 Gráfico 4 - Evolução do número total de acessos de banda larga...14 Gráfico 5 - Evolução do número de acessos ADSL...15 Gráfico 6 - Evolução do número de acessos por modem Cabo...16 Gráfico 7 - Evolução do número de acessos através de fibra ótica (FTTH/B) /38

3 Gráfico 8 - Utilizadores de smartphones...20 Gráfico 9 - Tráfego médio mensal por acesso à Internet em banda larga (fixa e móvel), em GB...25 Gráfico 10 - Fatura mensal do serviço de Internet fixa ou móvel (stand-alone)...27 Gráfico 11 - Fatura mensal do serviço de Internet fixa integrada num pacote de serviços...28 Gráfico 12 - Taxas de penetração do serviço banda larga fixa (Clientes Residenciais)...30 Gráfico 13 - Penetração da banda larga fixa na UE27-2T Gráfico 14 - Penetração de banda larga móvel através de cartões PCMCIA ou modems USB, na UE27-2T Gráfico 15 - Cobertura de DSL na UE27, em dezembro de Gráfico 16 - Cobertura de modem de cado e DOCSIS3.0 na UE27, em dezembro de Gráfico 17 - Cobertura de FTTP na UE27, em dezembro de Gráfico 18 - Cobertura de Rede de Nova Geração na UE27, em dezembro de Gráfico 19 - Cobertura de HSPA e LTE na UE27, em dezembro de Índice de tabelas Tabela 1- Evolução dos prestadores do serviço fixo de acesso à Internet... 7 Tabela 2 - Evolução do número total de clientes de acesso fixo à Internet... 9 Tabela 3 - Posse de ligação à Internet e Internet em banda larga pelos agregados domésticos, por NUTS II...11 Tabela 4 - Penetração da Internet por escalão de idade /38

4 Tabela 5 - Penetração da Internet por dimensão da empresa...12 Tabela 6 - Evolução do número de acessos de banda larga (acesso fixo)...12 Tabela 7 - Evolução das quotas de acessos de banda larga (acesso fixo)...18 Tabela 8 - Evolução da banda larga móvel e de acesso móvel à Internet com utilização efetiva...19 Tabela 9 - Evolução das quotas de clientes ativos de banda larga móvel...21 Tabela 10 - Evolução das quotas de clientes ativos de banda larga móvel através de placas/modem...22 Tabela 11 - Tráfego de acesso à Internet em banda larga (em GB)...23 Tabela 12 - Evolução das quotas de tráfego de banda larga (acesso fixo)...24 Tabela 13 - Evolução das quotas de tráfego de Internet em banda larga móvel (MB)...25 Tabela 14 - Receitas do serviço de acesso à Internet fixa (acumuladas desde o início do ano)...26 Tabela 15 - Receitas individualizáveis do serviço de acesso à Internet móvel (acumuladas desde o início do ano)...27 Tabela 16 - Evolução das taxas de penetração do serviço de acesso à Internet (SAI) em banda larga: n.º de acessos por 100 habitantes Tabela 17 - Evolução das taxas de penetração do serviço banda larga móvel: n.º de clientes por 100 habitantes /38

5 SUMÁRIO No final do 3T12 existiam em Portugal cerca de 2,4 milhões de acessos à Internet fixos, mais 40 mil do que no trimestre anterior (+1,7 por cento). Em comparação com o trimestre homólogo do ano anterior o crescimento verificado foi de 6 por cento. O número de utilizadores que efetivamente utilizaram Internet em banda larga móvel foi de 3,17 milhões (um aumento de 9,6 por cento em relação ao trimestre anterior), dos quais 1,04 milhões através de placas/modem. A penetração do serviço de acesso à Internet em local fixo era de 22,1 por 100 habitantes, 50,8 por 100 famílias clássicas e 34,8 por 100 alojamentos familiares clássicos, no caso dos acessos fixos, e de 29,8 por 100 habitantes no caso dos acessos móveis com utilização efetiva. No 3T12 cerca de 86 por cento dos clientes do serviço de acesso à Internet em banda larga fixa adquiriam o serviço no âmbito de um pacote de serviços. Cerca de 9 por cento eram clientes double-play (com TV ou telefone fixo) e cerca de 77 por cento possuíam um pacote triple-play (com TV+telefone fixo). A principal tecnologia de acesso à Internet em banda larga fixa continua a ser o ADSL (46 por cento total), seguindo-se o modem cabo (39,5 por cento) e a Internet sobre fibra ótica - FTTH/B (14,3 por cento), sendo esta forma de acesso a que mais tem crescido (9,9 por cento neste período e 67,5 por cento em relação ao 3T11). A quota de acessos do Grupo PT situou-se nos 51,1 por cento, mais 0,5 pontos percentuais do que no trimestre anterior e mais cerca de 9,7 pontos percentuais desde o spin-off da PT Multimédia. No que se refere às quotas de clientes de banda larga móvel, a quota de clientes da TMN é de 40,7 por cento, seguindo-se a Vodafone e a Optimus com 38,4, e 19,5 por cento, respetivamente. O tráfego de acesso à Internet em banda larga cresceu cerca de 1,7 por cento no 3T12. A evolução ocorrida é sobretudo explicada pela evolução do tráfego da 5/38

6 banda larga fixa (+1,6 por cento), que representa cerca de 96 por cento do total. O tráfego de acesso à Internet dos acessos móveis aumentou 4,2 por cento. O tráfego médio por acesso à Internet em banda larga em local fixo foi, em média, de 33,2 GB de tráfego por mês. O tráfego gerado por cliente de banda larga móvel com utilização efetiva foi de 1,04 GB por mês (2,87 GB por mês no caso de placas/modem). De acordo com o Barómetro de Telecomunicações da Marktest, a mensalidade média do serviço de acesso à Internet individualizado era, no 3T12, de 21,3 Euros no caso da Internet Fixa e de 15,5 Euros no caso da Internet Móvel através de placas/modem. A mensalidade de Internet com acesso através do telemóvel foi, no mesmo período, de 11,9 euros. A despesa média mensal das famílias com ofertas em pacote com o serviço de acesso à Internet variou entre 49,5 euros no caso do triple play (STF+SAI+STVS), e 26,5 euros no caso do double play (STF+SAI). O valor médio da mensalidade do pacote com STVS+SAI era de 43,6 euros. Em dezembro de 2011, de acordo com um estudo da Point Topic para a CE: a cobertura de xdsl em Portugal era a 8.ª mais elevada entre os países da UE27 (99 por cento), acima da média da UE (92,3 por cento); a cobertura redes por cabo em Portugal encontrava-se em 5.º lugar no ranking no caso das redes standard (75,9 por cento) e em 4.º lugar no caso da cobertura EuroDOCSIS3.0 (73,7 por cento), claramente acima da média da UE (41,8 por cento e 36,6 por cento, respetivamente);no que respeita às redes FTTP (fiber to the permises), 41 por cento dos alojamentos estavam já cablados, enquanto a média da UE era de 11,5 por cento. Cerca de 74,5 dos alojamentos em Portugal estavam preparados para receber serviços com débitos iguais ou superiores a 30 Mbps (49,9 por cento na UE27). A penetração do serviço de acesso à Internet em banda larga fixa era, em julho de 2012, de 22 acessos por 100 habitantes (enquanto a média da UE era de 27,8 por 100 habitantes). Portugal encontrava-se no 22.º lugar deste ranking entre os 27 países da UE. No caso da banda larga móvel através de placas/modem, a penetração em Portugal era de 9,8 por 100 habitantes (8.ª posição no ranking da UE27). 6/38

7 1. Evolução do número de prestadores habilitados para a prestação do Serviço de Acesso à Internet 1 No final do 3.º trimestre de 2012 (3T12), existiam em Portugal 49 entidades habilitadas a prestarem o serviço fixo de acesso à Internet em local fixo 2. Destas, 36 encontravam-se em atividade 3 (Tabela 1). Tabela 1- Evolução dos prestadores do serviço fixo de acesso à Internet 4T11 1T12 2T12 3T12 Número de Prestadores Registados Tecn. Fixas Número de Prestadores em Atividade Tecn. Fixas Unidade: Número de prestadores Todos os prestadores de serviços fixos de acesso à Internet em atividade oferecem o serviço de acesso à Internet em banda larga: o ADSL é utilizado por 16 entidades, enquanto o modem cabo é utilizado por 9 entidades e a fibra ótica (FTTH/B) por 16 entidades. Existem ainda 22 entidades que prestam o serviço através de outros meios (p.ex. circuitos alugados, FWA). Como decorre da leitura do texto, existem várias entidades que prestam o serviço utilizando mais do que um suporte físico. Por outro lado, 5 dos prestadores do serviço telefónico móvel prestam, igualmente, o serviço móvel de acesso à Internet em banda larga 4. 1 Informação disponível em 31/10/2012. A informação agora disponibilizada foi recolhida junto dos prestadores deste serviço e poderá ser objeto de alterações caso se verifiquem revisões ou atualizações. Os dados trimestrais apresentados dizem respeito ao final do período (último dia ou último mês), exceto no caso das receitas e tráfego. Na sequência da entrada em vigor do questionário dos serviços de comunicações eletrónicas em local fixo e VoIP nómada (no 3T11), algumas das variáveis apresentadas foram alteradas (p.ex. alguns quadros e gráficos apresentam agora acessos em vez de clientes). 2 Também designadas por Internet Service Providers (ISP). 3 Entidades que, de acordo com a informação estatística disponível, registaram atividade no período em análise. 4 Ver entendimento do ICP-ANACOM sobre a atividade dos operadores móveis virtuais (http://www.anacom.pt/render.jsp?contentid=455099). 7/38

8 1T01 2T01 3T01 4T01 1T02 2T02 3T02 4T02 1T03 2T03 3T03 4T03 1T04 2T04 3T04 4T04 1T05 2T05 3T05 4T05 1T06 2T06 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 2T11 3T11 4T11 1T12 2T12 3T12 2. Clientes do serviço de acesso à Internet No final do 3T12 existiam em Portugal cerca de 2,3 milhões de clientes com acessos à Internet fixos 5 e cerca de 3,2 milhões de utilizadores que efetivamente utilizaram Internet em banda larga móvel 6, dos quais 1 milhão através de placas/modem 7. Gráfico 1 - Evolução do número de clientes de banda larga Clientes BL fixa Utilizadores BL móvel (ativos no período de reporte) Unidade: Milhares de clientes 5 Os valores anteriormente publicados para o número de clientes de banda larga fixa foram alterados em virtude de correções efetuadas por um prestador. Estima-se que o impacto médio destas alterações seja de -2,3 por cento. A série histórica foi corrigida. 6 Trata-se dos clientes dos operadores móveis que podem aceder à Internet em banda larga móvel, e que estabeleceram pelo menos uma sessão IP para acesso à Internet em banda larga, no período de reporte, ie registaram tráfego no último mês do trimestre. Corresponde ao indicador do Questionário trimestral dos serviços móveis. Consultar a definição deste indicador no sítio da ANACOM, no endereço 7 Trata-se dos clientes dos operadores móveis que podem aceder à Internet em banda larga móvel com ligação através de placas/modem (i.e. excluem-se os assinantes que recorreram a terminais móveis, vulgo telemóveis, smart phones, PDA-Personal digital assistants, etc...), e que o fizeram pelo menos uma vez no último mês do trimestre. Corresponde ao indicador p do Questionário trimestral dos serviços móveis. 8/38

9 2.1. Clientes do serviço de acesso à Internet em local fixo O número de clientes do serviço fixo de acesso à Internet (Tabela 2) aumentou 1,6 por cento no 3T12 face ao trimestre anterior, e 5,5 por cento face ao trimestre homólogo do ano anterior. Tabela 2 - Evolução do número total de clientes de acesso fixo à Internet 3T11 2T12 3T12 3T12/2T12 Variação % 3T12/3T11 Número Total de Clientes ,6% 5,5% Clientes de banda larga (fixa) ,7% 5,6% Clientes de acesso dial-up ,4% -5,1% Unidade: Milhares de clientes, % Nota: Os valores anteriormente publicados para o número de clientes de banda larga fixa foram alterados em virtude de correções efetuadas por um prestador. Estima-se que o impacto médio destas alterações seja de -2,3 por cento. A série histórica foi corrigida em conformidade. A maioria dos clientes do serviço de acesso à Internet em local fixo utiliza a banda larga; os clientes destes serviços representam cerca de 98,9 por cento do total de clientes. O número de clientes dos serviços de banda larga fixa atingiu cerca de 2,2 milhões, mais cerca de 36 mil que no trimestre anterior, o que representa uma taxa de crescimento de 1,7 por cento. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, o número de clientes da banda larga aumentou cerca de 5,6 por cento. O número de clientes de acesso dial-up continuou a decrescer. Neste trimestre, o número destes clientes atingiu cerca de 25,1 mil, menos 1,4 por cento do que no trimestre anterior. No 3T12 cerca de 86 por cento dos clientes do serviço de acesso à Internet em banda larga fixa adquiriam o serviço no âmbito de um pacote de serviços. Cerca de 9 por cento eram clientes double-play (com TV ou telefone fixo) e cerca de 77 por cento possuíam um pacote triple-play (com TV+telefone fixo). 9/38

10 2.2. O perfil do cliente e da utilização do serviço de acesso à Internet (SAI) Os clientes residenciais 8 constituem a grande maioria dos clientes do SAI, representando cerca de 89 por cento do total de clientes de banda larga. Segundo os dados do INE, no 2.º trimestre de 2012, cerca de 61 por cento dos lares portugueses dispunham de ligação à Internet, mais 3 pontos percentuais do que no mesmo período do ano anterior. Gráfico 2 - Evolução da taxa de penetração residencial do SAI 70% 60% 50% 40% 30% 20% 22% 8% 26% 32% 12% 20% 35% 40% 24% 30% 46% 39% 48% 46% 58% 61% 54% 50% 57% 60% 10% 0% 14% 14% 12% 11% 9% 7% 2% 3% 1% 1% Banda estreita Banda larga Unidade: % Fonte: INE, Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias No segmento residencial, os dados disponíveis revelam a existência de assimetrias regionais no que diz respeito à penetração da Internet. Lisboa e Vale do Tejo continuava a ser a região com maior taxa de penetração do SAI. Em contrapartida, a penetração da Internet nas regiões do Norte, Alentejo, Centro, Algarve e R. A. da Madeira encontravamse abaixo da média nacional (61 por 100 habitantes em 2012). 8 É considerado cliente residencial todo o cliente que não utilize maioritariamente o serviço em causa como consumo intermédio da atividade económica desenvolvida. 10/38

11 Tabela 3 - Posse de ligação à Internet e Internet em banda larga pelos agregados domésticos, por NUTS II Unidade: % Regiões Internet Banda Larga Internet Banda Larga Norte 55,1 53,3 58,0 55,9 Centro 52,5 50,7 55,2 54,2 Lisboa 68,0 67,2 71,9 71,5 Alentejo 48,8 48,0 48,8 47,2 Algarve 58,3 57,1 60,7 59,9 R. A. dos Açores 59,6 59,2 64,1 63,5 R. A. da Madeira 55,0 54,4 60,5 60,0 Fonte: INE, Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2011 e 2012 Por outro lado, a penetração da Internet é maior nos escalões de idade mais baixos. Tabela 4 - Penetração da Internet por escalão de idade Classes de idade * 91,1 * 95, ,3 92,7 96, ,2 82,1 89, ,4 70,6 74, ,6 45,7 52, ,7 28,3 32, ,4 12,5 16,4 Unidade: % Fonte: INE, Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias * O módulo Utilização de TIC no Grupo Etário dos 10 aos 15 anos é realizado apenas de 2 em 2 anos. No tocante ao segmento não residencial, cerca de 95,4 por cento das empresas dispunham de acesso à Internet e cerca de 91,1 por cento utilizavam banda larga. Quanto maior a dimensão da empresa, maior a probabilidade desta dispor de acesso à Internet de banda larga. 11/38

12 Tabela 5 - Penetração da Internet por dimensão da empresa Internet Banda larga 10 a 49 pessoas ao serviço 94,7 90,1 50 a 249 pessoas ao serviço 100,0 97,1 250 e mais pessoas ao serviço 100,0 97,7 Total 95,4 91,1 Unidade: % Fonte: INE, Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas, Número de acessos físicos à Internet O número de acessos físicos à Internet em local fixo, atingiu 2,4 milhões, tendo aumentado 1,7 por cento no 3T12 face ao trimestre anterior, e 6 por cento face ao trimestre homólogo. Total de Acessos, dos quais: Tabela 6 - Evolução do número de acessos de banda larga (acesso fixo) 3T11 2T12 3T12 3T12/2T12 Variação % 3T12/3T ,7% 6,0% Acessos ADSL ,2% -2,0% % do Total de banda larga fixa 49,9% 47,0% 46,1% Acessos modem cabo ,4% 4,2% % do Total de banda larga fixa 40,1% 39,6% 39,5% Acessos FTTH/B ,9% 67,5% % do Total de banda larga fixa 9,1% 13,3% 14,3% Outros ,5% -89,7% % do Total de banda larga fixa 0,9% 0,1% 0,1% Unidade: Milhares de acessos, % Nota: Os valores anteriormente publicados foram alterados em virtude de correções efetuadas pelos prestadores. Em termos líquidos, seguindo a tendência dos últimos trimestres, os acessos em fibra ótica (FTTH/B) continuam a ser os acessos preferenciais dos novos clientes. 12/38

13 Gráfico 3 - Adições líquidas de acessos à Internet em banda larga por tecnologia ,0 38,0 32,0 30, ,0 9,0 3,0 13, T4 12T1 12T2 3T12-3,0-6,0-3,0-10,0 ADSL Modem cabo FTTH/B Unidade: Milhares de acessos A evolução do número total de acessos de banda larga, através de todas as tecnologias, no 3T12, é compatível com a tendência histórica - verifica-se uma tendência linear crescente -, situando-se o número de acessos no 3T12 dentro do intervalo de previsão estimado. 13/38

14 04T4 05T1 05T2 05T3 05T4 06T1 06T2 06T3 06T4 07T1 07T2 07T3 07T4 08T1 08T2 08T3 08T4 09T1 09T2 09T3 09T4 10T1 10T2 10T3 10T4 11T1 11T2 11T3 11T4 12T1 12T2 12T3 Milhares de Acessos Gráfico 4 - Evolução do número total de acessos de banda larga Acessos_Todas Tecnologias Previsão Intervalo de previsão* Notas: * Intervalo de previsão a um nível de significância de 95 por cento. Recorreu-se ao modelo de regressão linear múltipla com as seguintes variáveis independentes significativas a um nível de confiança de 95 por cento: tendência (t), dummy linear relativa a mudança de estrutura até ao 3.º trimestre de 2007 e dummy associada à concorrência de outra tecnologia (FO) a partir do 3.º trimestre de R^2 ajustado de 0,997. A principal tecnologia de acesso à Internet em banda larga fixa continua a ser o ADSL, que representa 46,1 por cento do total, 16,5 p.p. abaixo do máximo registado no 4T06. A evolução do número de acessos ADSL no 3T12 é compatível com a tendência histórica - verifica-se uma tendência crescente com ligeiro abrandamento (tendência quadrática negativa) -, situando-se o número de acessos no 3T12 dentro do intervalo de previsão estimado. O abrandamento verificado poderá estar associado à evolução das outras formas de acesso, nomeadamente aquelas que permitem velocidades de download mais elevadas. 14/38

15 04T4 05T1 05T2 05T3 05T4 06T1 06T2 06T3 06T4 07T1 07T2 07T3 07T4 08T1 08T2 08T3 08T4 09T1 09T2 09T3 09T4 10T1 10T2 10T3 10T4 11T1 11T2 11T3 11T4 12T1 12T2 12T3 Milhares de Acessos Gráfico 5 - Evolução do número de acessos ADSL ADSL Previsão Intervalo de previsão Notas: * Intervalo de previsão a um nível de significância de 95 por cento. Recorreu-se ao modelo de regressão linear múltipla com as seguintes variáveis independentes significativas a um nível de confiança de 95 por cento: tendência quadrática (t e t 2 ), dummy relativa a mudança de estrutura até ao 3.º trimestre de 2007 com tendência quadrática e dummy associada à concorrência de outra tecnologia (FO) a partir do 3.º trimestre de 2010 com tendência quadrática. R^2 ajustado de 0,999. O modem cabo representa 39,5 por cento dos acessos da banda larga fixa. A evolução do número de acessos de modem cabo ocorrida no 3T12 é compatível com a tendência histórica, situando-se o número de acessos desta tecnologia dentro do intervalo de previsão estimado. 15/38

16 1T01 2T01 3T01 4T01 1T02 2T02 3T02 4T02 1T03 2T03 3T03 4T03 1T04 2T04 3T04 4T04 1T05 2T05 3T05 4T05 1T06 2T06 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 2T11 3T11 4T11 1T12 2T12 3T12 Milhares de Acessos Gráfico 6 - Evolução do número de acessos por modem Cabo Acessos por modem Cabo Previsão Intervalo de previsão* Notas: * Intervalo de previsão a um nível de significância de 95 por cento. Recorreu-se à modelação da série estacionária - primeiras diferenças consecutivas após logaritmização - tendo-se mostrado significativo os desfasamentos de 2 e 3 períodos da variável dependente: DlnY t=0,013+0,4651 lny t-2+0,2466 lny t-3 com R 2 ajustado de 0,92. Estimação realizada com observações desde o 1.º trimestre de No 3T12 contabilizaram-se cerca de 337 mil acessos à Internet sobre fibra ótica (FTTH/B), um crescimento de 9,9 por cento face ao trimestre anterior. O acesso à Internet suportado em fibra ótica (FTTH/B) atingiu 14,3 por cento do total de acessos. À semelhança do que ocorreu em trimestres anteriores, o FTTH/B foi a tecnologia que registou maior número de adesões; cerca de 3 em cada 4 novos acessos são suportados neste tipo de rede. A evolução do número de acessos de FTTH/B ocorrida no 3T12 é compatível com a tendência histórica, situando-se o número de acessos dentro do intervalo de previsão estimado. A evolução do número de acessos FTTH/B reflete o ciclo de vida destas ofertas. Apesar de terem sido lançadas em 2008, estas ofertas sofreram um novo impulso com o aparecimento, no final do 2.º trimestre de 2009, de ofertas do operador histórico. 16/38

17 08T1 08T2 08T3 08T4 09T1 09T2 09T3 09T4 10T1 10T2 10T3 10T4 11T1 11T2 11T3 11T4 1T12 2T12 3T12 Milhares de Acessos Gráfico 7 - Evolução do número de acessos através de fibra ótica (FTTH/B) Acessos FO Previsão Intervalo de previsão Notas: * Intervalo de previsão a um nível de significância de 95 por cento. Recorreu-se ao modelo de regressão linear com tendência quadrática com as seguintes variáveis independentes significativas a um nível de confiança de 95 por cento: tendência (t) e t^2. O R^2 ajustado do modelo é de 0,995. Estimação realizada com observações desde o 1.º trimestre de Foram alterados os indicadores recolhidos pelo ICP-ANACOM passando esta a analise a ser realizada com acessos FTTH/B. A rubrica outros, na qual estão incluídas, por exemplo, ofertas baseadas em circuitos alugados e FWA representa apenas 0,1 por cento do total de acessos. O significativo decréscimo verificado neste tipo de acessos em relação ao período homólogo do ano anterior deve-se à descontinuação das ofertas residenciais suportadas em FWA de um prestador. No que se refere às quotas de acessos de banda larga fixa, e como se pode observar na tabela seguinte (Tabela 7), a quota de acessos do Grupo PT situou-se nos 51,1 por cento, mais 0,5 pontos percentuais do que no trimestre anterior e mais cerca de 9,7 pontos percentuais desde o spin-off da PT Multimédia. 17/38

18 Tabela 7 - Evolução das quotas de acessos de banda larga (acesso fixo) T11 4T11 1T12 2T12 3T12 Grupo PT 48,4% 49,3% 50,0% 50,6% 51,1% PT Comunicações 47,0% 47,9% 49,9% 50,6% 51,0% PT Prime 1,4% 1,4% TMN 0,1% 0,1% 0,1% 0,0% 0,0% Grupo ZON Multimédia/TV Cabo 32,7% 33,0% 32,8% 32,5% 32,6% ZON TV Cabo Portugal 30,2% 30,5% 30,3% 30,1% 30,2% ZON TV Cabo Madeirense 1,6% 1,6% 1,5% 1,5% 1,5% Unidade: % ZON TV Cabo Açoreana 0,9% 0,9% 0,9% 0,9% 0,9% Cabovisão 7,3% 7,2% 7,1% 7,0% 6,9% Optimus 5,6% 5,4% 5,1% 4,8% 4,6% Vodafone 4,1% 4,2% 4,2% 4,1% 4,0% ONITELECOM 0,3% 0,3% 0,3% 0,3% 0,3% AR TELECOM 0,9% 0,1% 0,1% 0,1% 0,1% Outros Prestadores 0,6% 0,6% 0,5% 0,5% 0,5% Nota 1: Existem operadores que atuam em segmentos específicos de mercado. A posição relativa que os operadores ocupam neste quadro não deve ser interpretada como um indicador da qualidade dos serviços prestados ou da performance desses operadores nos segmentos em que atuam. Nota 2: Os valores anteriormente publicados foram alterados em virtude de correções efetuadas pelos prestadores. Serviço de acesso à Internet em banda larga móvel O número de utilizadores que efetivamente utilizaram Internet em banda larga móvel 9 foi de 3,17 milhões, dos quais 1,04 milhões através de placas/modem Trata-se dos clientes dos operadores móveis que podem aceder à Internet em banda larga móvel, e que estabeleceram pelo menos uma sessão IP para acesso à Internet em banda larga, no período de reporte, ie registaram tráfego no último mês do trimestre. Corresponde ao indicador do Questionário trimestral dos serviços móveis. Consultar a definição deste indicador no sítio da ANACOM, no endereço 10 Trata-se dos clientes dos operadores móveis que podem aceder à Internet em banda larga móvel com ligação através de placas/modem (i.e. excluem-se os assinantes que recorreram a terminais móveis, vulgo telemóveis, smart phones, PDA-Personal digital assistants, etc...), e que o fizeram pelo menos uma vez no último mês do trimestre. Corresponde ao indicador p do Questionário trimestral dos serviços móveis. 18/38

19 O número de utilizadores que efetivamente acederam à Internet em banda larga móvel no período de reporte registou um aumento de 9,6 por cento face ao período anterior. Em comparação com o período homólogo do ano anterior, o número utilizadores aumentou 17,5 por cento. O número de placas efetivamente utilizadas para aceder à Internet encontra-se em queda pelo oitavo trimestre consecutivo. Tabela 8 - Evolução da banda larga móvel e de acesso móvel à Internet com utilização efetiva 3T11 2T12 3T12 3T12/2T11 Variação % 3T12/3T11 Nº de estações móveis que se encontram ,0% 3,4% habilitadas a utilizar serviços de banda larga 11 dos quais ,2% 1,8% utilizadores de serviços 3G,upgrades e standards equivalentes 12 dos quais Número de utilizadores com acesso à Internet em banda larga móvel (com utilização efetiva) ,6% 17,5% dos quais Número de utilizadores com acesso à Internet em banda larga móvel com ligação através de placas/modem ,6% -9,3% Unidade: Milhares de clientes, % Esta evolução da banda larga móvel ocorreu em simultâneo com um aumento do número de utilizadores de smartphones. De acordo com o Barómetro de telecomunicações da Marktest, entre junho de 2012 e setembro de 2012, os utilizadores de smartphones 11 Trata-se dos clientes ativos que se encontram habilitados a utilizar serviços de banda larga (e não necessariamente do serviço de acesso à Internet), sem que necessariamente o tenham utilizado. Corresponde ao indicador 2.5. do Questionário trimestral dos serviços móveis. Consultar a definição deste indicador no sítio da ANACOM, no endereço 12 Trata-se dos clientes ativos que se encontram habilitados a utilizar serviços de banda larga (e não necessariamente do serviço de acesso à Internet) e que efetivamente utilizaram um dos serviços característicos de 3ª geração (i.e. videotelefonia, transmissão de dados em banda larga mobile tv, etc...), no período de reporte, ie, registaram tráfego no último mês. Corresponde ao indicador do Questionário trimestral dos serviços móveis. Consultar a definição deste indicador no sítio da ANACOM, no endereço 13 Trata-se dos clientes dos operadores móveis que podem aceder à Internet em banda larga móvel, e que estabeleceram pelo menos uma sessão IP para acesso à Internet em banda larga, no período de reporte, ie registaram tráfego no último mês do trimestre. Corresponde ao indicador do Questionário trimestral dos serviços móveis. Consultar a definição deste indicador no sítio da ANACOM, no endereço 14 Trata-se dos clientes dos operadores móveis que podem aceder à Internet em banda larga móvel com ligação através de placas/modem (i.e. excluem-se os assinantes que recorreram a terminais móveis, vulgo telemóveis, smart phones, PDA-Personal digital assistants, etc...), e que o fizeram pelo menos uma vez no último mês do trimestre. Corresponde ao indicador p do Questionário trimestral dos serviços móveis. 19/38

20 % cresceram cerca de 4,8 p.p. entre os utilizadores de telemóvel. Por outro lado, foram lançadas neste período campanhas para smartphones que incluíam a oferta de tráfego de acesso à Internet durante um período limitado de tempo. Gráfico 8 - Utilizadores de smartphones Mai-12 Jun-12 Jul-12 Ago-12 Set-12 Unidade: % Fonte: MARKTEST - Barómetro de Telecomunicações Base: Possuidores de telemóvel. No que se refere às quotas de clientes de banda larga móvel, a quota de clientes da TMN é de 40,7 por cento, seguindo-se a Vodafone e a Optimus com 38,4, e 19,5 por cento, respetivamente. 20/38

21 Tabela 9 - Evolução das quotas de clientes ativos de banda larga móvel 3T11 4T11 1T12 2T12 3T12 TMN 39,6% 41,3% 41,2% 41,3% 40,7% Vodafone 37,0% 36,7% 36,9% 37,2% 38,4% Optimus 21,6% 20,6% 20,3% 20,1% 19,5% ZON 1,8% 1,5% 1,5% 1,4% 1,4% Unidade: % Nota: Existem operadores que atuam em segmentos específicos de mercado. A posição relativa que os operadores ocupam neste quadro não deve ser interpretada como um indicador da qualidade dos serviços prestados ou da performance desses operadores nos segmentos em que atuam. Sublinha-se que as definições dos indicadores utilizadas para efeitos de cálculo são aquelas resultantes do formulário dos serviços móveis em vigor (disponível em Estas definições podem afastar-se daquelas utilizadas, com outros fins, pelos operadores. Quanto às quotas de clientes de banda larga móvel com acesso através de placas/modem, a quota de clientes da TMN é de 38,8 por cento, seguindo-se a Vodafone e a Optimus, ambas com 28,5 por cento. 21/38

22 Tabela 10 - Evolução das quotas de clientes ativos de banda larga móvel através de placas/modem 3T11 4T11 1T12 2T12 3T12 TMN 40,9% 41,8% 41,1% 39,7% 38,8% Vodafone 24,4% 25,3% 26,0% 28,1% 28,5% Optimus 30,7% 29,3% 28,9% 28,4% 28,5% ZON 4,0% 3,7% 3,9% 3,8% 4,2% Unidade: % Nota: Existem operadores que atuam em segmentos específicos de mercado. A posição relativa que os operadores ocupam neste quadro não deve ser interpretada como um indicador da qualidade dos serviços prestados ou da performance desses operadores nos segmentos em que atuam. Sublinha-se que as definições dos indicadores utilizadas para efeitos de cálculo são aquelas resultantes do formulário dos serviços móveis em vigor (disponível em Estas definições podem afastar-se daquelas utilizadas, com outros fins, pelos operadores. De referir, ainda, que a evolução deste indicador tem sido fortemente influenciada pelo programa e-iniciativas, podendo as quotas de cada prestador refletir em parte os diferentes compromissos assumidos no âmbito do concurso de atribuição das licenças UMTS para efeitos da promoção da sociedade de informação por cada operador. 4. Tráfego de acesso à Internet em banda larga O tráfego de acesso à Internet em banda larga 15 cresceu cerca de 1,7 por cento no 3T12. A evolução ocorrida é sobretudo explicada pela evolução do tráfego da banda larga fixa (+1,6 por cento), que representa cerca de 96 por cento do total. 15 O tráfego de acesso à internet móvel respeita ao tráfego associado às sessões APN Internet. O tráfego de banda larga fixa não inclui o tráfego IPTV. 22/38

23 Tabela 11 - Tráfego de acesso à Internet em banda larga (em GB) 3T11 2T12 3T12 3T12/2T12 Variação % 3T12/3T11 Total de tráfego, dos quais: Tráfego de banda larga fixa ,7% 25,5% ,6% 26,1% % do Total 95,5% 96,1% 96,0% Tráfego de banda larga móvel ,2% 12,5% % do Total 4,5% 3,9% 4,0% do qual tráfego de acessos através de placas/modem Unidade: GB, % ,3% 7,4% Nota 1: Inclui tráfego móvel em roaming out. Nota 2: Os valores anteriormente publicados foram alterados em virtude de correções efetuadas pelos prestadores. O impacto das correções efetuadas no tráfego de BLM teve um impacto médio de 1,9% enquanto no tráfego da BLF esse impacto foi de apenas 0,1%, em termos médios. As séries históricas foram corrigidas em conformidade. O tráfego de acesso à Internet dos acessos móveis (em GB) aumentou cerca de 4,2 por cento no 3T12. De referir que o tráfego gerado pelos acessos móveis com ligação através de placas/modem representa cerca de 91 por cento do total do tráfego de acesso à Internet em banda larga móvel. Os Grupos PT e ZON detêm as quotas de tráfego de banda larga fixa mais elevadas (46,0 por cento e 37,9 por cento, respetivamente). 23/38

24 Tabela 12 - Evolução das quotas de tráfego de banda larga (acesso fixo) T11 4T11 1T12 2T12 3T12 Grupo PT 45,8% 46,6% 45,8% 46,3% 46,0% PT Comunicações 44,3% 45,2% 45,8% 46,3% 46,0% PT Prime 1,5% 1,4% TMN 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% Grupo ZON Multimédia/TV Cabo 36,4% 35,5% 38,1% 37,5% 37,9% ZON TV Cabo Portugal 34,9% 34,0% 36,5% 35,9% 36,2% ZON TV Cabo Madeirense 0,8% 0,8% 0,8% 0,8% 0,9% ZON TV Cabo Açoreana 0,7% 0,7% 0,7% 0,7% 0,8% Vodafone 4,6% 5,2% 4,9% 5,2% 5,1% Optimus 6,4% 6,2% 5,3% 5,0% 4,7% Cabovisão 5,0% 5,0% 4,5% 4,5% 4,6% ONITELECOM 0,4% 0,3% 0,3% 0,4% 0,3% AR TELECOM 0,2% 0,1% 0,3% 0,2% 0,2% Outros Prestadores 1,1% 1,0% 0,9% 0,9% 1,0% Unidade: % Nota 1: Existem operadores que atuam em segmentos específicos de mercado. A posição relativa que os operadores ocupam neste quadro não deve ser interpretada como um indicador da qualidade dos serviços prestados ou da performance desses operadores nos segmentos em que atuam. Nota 2: Os valores anteriormente publicados foram alterados em virtude de correções efetuadas pelos prestadores. A Optimus detém a quota de tráfego de Internet móvel mais elevada (43,3 por cento). 24/38

25 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 2T11 3T11 4T11 1T12 2T12 3T12 Tráfego de banda larga fixa (GB) Tráfego de banda larga móvel (GB) Tabela 13 - Evolução das quotas de tráfego de Internet em banda larga móvel (MB) 3T11 4T11 1T12 2T12 3T12 Optimus 42,4% 41,0% 40,0% 43,8% 43,3% TMN 31,9% 35,4% 38,2% 32,8% 32,3% Vodafone 22,5% 21,1% 19,5% 20,9% 21,9% ZON 3,2% 2,4% 2,3% 2,4% 2,5% Unidade: % Nota: Os valores anteriormente publicados foram alterados em virtude de correções efetuadas por um prestador. No que se refere ao tráfego médio por acesso à Internet em banda larga em local fixo, no 3T12 cada acesso gerou, em média, 33,2 GB de tráfego por mês. Gráfico 9 - Tráfego médio mensal por acesso à Internet em banda larga (fixa e móvel), em GB ,00 1,800 1,600 1, ,200 1,00,800,600,400,200,00 Banda larga fixa Banda larga móvel Unidade: GB 25/38

26 O tráfego gerado pelos clientes de banda larga móvel com utilização efetiva, em termos médios (1,04 GB por cliente e por mês), é significativamente inferior ao tráfego médio da banda larga fixa, tendo diminuído cerca de 5 por cento em relação ao trimestre anterior. O tráfego gerado pelos clientes ativos de acesso à Internet em banda larga móvel através de placas/modem, em termos médios (2,87 GB por cliente e por mês), é também significativamente inferior ao tráfego médio da banda larga fixa. 5. Receitas do Serviço de Acesso à Internet Nos primeiros nove meses de 2012, o total de receitas provenientes do serviço de acesso à Internet fixa (SAI) stand-alone e de pacotes de serviços que incluem este serviço totalizou 800 milhões de euros. Em comparação com o período homólogo do ano anterior, o total de receitas aumentou cerca de 10,2 por cento. Tabela 14 - Receitas do serviço de acesso à Internet fixa (acumuladas desde o início do ano) Só SAI Multiple play com SAI 3T11 3T12 Variação anual 3T12/3T % % -18,6% % % 17,6% Total de receitas % % 10,2% Unidades: milhões de euros; % No que se refere às receitas do serviço de acesso à Internet móvel, estas atingiram os 263 milhões de euros no 3T12, um valor 1,3 por cento inferior ao registado no período homólogo do ano anterior. 26/38

27 Jul.11 Ago.11 Set.11 Out.11 Nov.11 Dez.11 Jan.12 Fev.12 Mar.12 Abr.12 Mai.12 Jun.12 Jul.12 Ago.12 Set.12 Euros Tabela 15 - Receitas individualizáveis do serviço de acesso à Internet móvel (acumuladas desde o início do ano) Receitas do acesso à Internet móvel (individualizável) Unidade: Milhares de euros,% Variação anual 3T11 3T12 3T12/3T ,3% De acordo com o Barómetro de Telecomunicações da Marktest, a mensalidade média do serviço de acesso à Internet individualizado era, no 3T12, de 21,3 Euros no caso da Internet Fixa e 15,5 Euros no caso da Internet Móvel através de placas. A mensalidade de Internet com acesso através do telemóvel foi, no mesmo período, de 11,9 euros. Gráfico 10 - Fatura mensal do serviço de Internet fixa ou móvel (stand-alone) Internet Fixa Internet Móvel (Placas) Internet Móvel (Telemóvel) Unidade: Euros Fonte: MARKTEST - Barómetro de Telecomunicações Base Internet Fixa: Lares com Internet fixa que não está incluída num pacote. Base Internet Móvel : Indivíduos com 15 ou + anos que acedem à internet através da BLM (placas ou telemóvel respetivamente) que não têm este serviço contratado em pacote. 27/38

28 Euros O Barómetro de Telecomunicações permite ainda conhecer a evolução da despesa média mensal dos agregados familiares com ofertas multiple play. No 3T2012, a despesa média mensal das famílias com ofertas em pacote que integram o serviço de acesso à Internet variava entre 49,5 euros no caso do triple play STF+SAI+STVS), e 26,5 euros no caso do double play (STF+SAI). O valor da mensalidade do pacote STVS+SAI era de 43,6 euros. Gráfico 11 - Fatura mensal do serviço de Internet fixa integrada num pacote de serviços T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 2T11 3T11 4T11 1T12 2T12 3T12 Double play (SAI+STVS) Double play (STF+SAI) Triple play (STF+SAI+STVS) Unidade: Euros Fonte: MARKTEST - Barómetro de Telecomunicações Base: Lares com serviços contratados em pacote. 6. Taxa de penetração da banda larga No final do 3T12, a taxa de penetração 16 do acesso à Internet em banda larga situava-se em 22,1 por 100 habitantes no caso dos acessos fixos e em 29,8 por 100 habitantes no caso dos acessos móveis com utilização efetiva (Tabela 16). 16 Fórmula de cálculo: (Número total de acessos) / (População total). Inclui acessos residenciais e não residenciais. 28/38

29 No caso dos acessos fixos, este valor aumentou 0,4 pontos relativamente ao registado no trimestre anterior, situando-se 1,3 pontos acima do período homólogo do ano anterior. Tabela 16 - Evolução das taxas de penetração do serviço de acesso à Internet (SAI) em banda larga: n.º de acessos por 100 habitantes. 3T11 4T11 1T12 2T12 3T12 1. N.º Acessos do SAI em Banda Larga fixa / 100 Hab. 20,8 21,1 21,5 21,7 22, N.º de Acessos ADSL/100 Hab. 10,4 10,4 10,3 10,2 10, N.º de Acessos Modem por cabo/100 Hab. 8,4 8,5 8,6 8,6 8, N.º Acessos Fibra Ótica (FTTH/B)/100 Hab. 1,9 2,2 2,6 2,9 3, N.º Acessos Outros Tipos de Acesso/100 Hab. 0,2 0,0 0,0 0,0 0,0 2. N.º Clientes do SAI em Banda Larga móvel com utilização efetiva/ 100 Hab ,3 27,5 27,3 27,2 29,8 2.1 N.º Clientes Banda Larga (móvel) através de placas/modem ativos / 100 Hab.18 10,8 10,7 10,1 9,8 9,8 Unidade: N.º de acessos por 100 habitantes Nota: Os valores anteriormente publicados foram alterados em virtude de correções efetuadas pelos prestadores. De referir que a penetração das ofertas de Internet fixa suportadas em FTTH/B é de 3,2 por 100 habitantes. A penetração dos clientes residenciais da banda larga fixa em termos de famílias clássicas 19 e alojamentos familiares clássicos 20 situa-se nos 50,8 por 100 famílias e 34,8 por 100 alojamentos, respetivamente. 17 Trata-se dos clientes dos operadores móveis que podem aceder à Internet em banda larga móvel, e que estabeleceram pelo menos uma sessão IP para acesso à Internet em banda larga, no período de reporte, ie registaram tráfego no último mês do trimestre. Corresponde ao indicador do Questionário trimestral dos serviços móveis. Consultar a definição deste indicador no sítio da ANACOM, no endereço 18 Trata-se dos clientes dos operadores móveis que podem aceder à Internet em banda larga móvel com ligação através de placas/modem (i.e. excluem-se os assinantes que recorreram a terminais móveis, vulgo telemóveis, smart phones, PDA-Personal digital assistants, etc...), e que o fizeram pelo menos uma vez no último mês do trimestre. Corresponde ao indicador p do Questionário trimestral dos serviços móveis. 19 Fonte: INE - Famílias clássicas (Série N.º). 20 Fonte: INE - Alojamentos familiares clássicos (Parque habitacional - N.º). 29/38

30 Gráfico 12 - Taxas de penetração do serviço banda larga fixa (Clientes Residenciais) 60,0 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0,0 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 2T11 3T11 4T11 1T12 2T12 3T12 por 100 Habitantes por 100 Alojamentos por 100 Famílias Clássicas Unidade: N.º de clientes residenciais por 100 habitantes, por 100 alojamentos, por 100 famílias clássicas O valor da penetração dos clientes do SAI em Banda Larga móvel com utilização efetiva aumentou 2,6 pontos relativamente ao registado no trimestre anterior, situando-se 4,4 pontos acima do período homólogo do ano anterior. No que se refere à penetração serviços de banda larga móvel que não exclusivamente o serviço acesso à Internet, as taxas de penetração são apresentadas no quadro abaixo. 30/38

31 Tabela 17 - Evolução das taxas de penetração do serviço banda larga móvel: n.º de clientes por 100 habitantes 3T11 4T11 1T12 2T12 3T12 Nº de estações móveis que se encontram habilitadas a utilizar serviços de banda 101,6 105,0 104,4 104,0 105,1 larga 21 dos quais 37,4 39,1 37,6 37,2 38,1 utilizadores de serviços 3G, upgrades e standards equivalentes 22 Unidade: N.º de clientes por 100 habitantes No final do 3.º trimestre de 2012, cerca de 32,8 por cento dos acessos à Internet em banda larga móvel correspondiam a placas/modems USB utilizados para aceder à Internet através de computadores desktop/laptop/pad. Em igual período do ano anterior este valor era de 42,5 por cento. A penetração 23 em Portugal do serviço de acesso à Internet em banda larga fixa encontrava-se, no período considerado, abaixo da média da UE27 (Gráfico 13). Em julho de 2012, a penetração da banda larga na UE27 era de 27,8 por 100 habitantes, enquanto para Portugal este valor era de 22,0 (22.ª posição no ranking da UE27). 21 Trata-se dos clientes ativos que se encontram habilitados a utilizar serviços de banda larga (sem que o necessariamente o tenham utilizado). Corresponde ao indicador 2.5. do Questionário trimestral dos serviços móveis. Consultar a definição deste indicador no sítio da ANACOM, no endereço 22 Trata-se dos clientes ativos que se encontram habilitados a utilizar serviços de banda larga e que efetivamente utilizaram um dos serviços característicos de 3ª geração (i.e. vídeotelefonia, transmissão de dados em banda larga mobile tv, etc...), no período de reporte, ie, registaram tráfego no último mês. Corresponde ao indicador do Questionário trimestral dos serviços móveis. Consultar a definição deste indicador no sítio da ANACOM, no endereço 23 Fórmula de cálculo: (Número total de clientes de banda larga) / (População total). Não inclui acessos móveis. 31/38

32 Roménia Bulgária Eslováquia Polónia Letónia Portugal Itália Grécia Lituânia Hungria Áustria República Checa Irlanda Espanha Eslovénia Estónia Chipre Finlândia Malta Reino Unido Luxemburgo Bélgica Suécia Alemanha França Dinamarca Países Baixos 16,00 17,300 18,400 19,400 20,600 22,00 22,200 22,600 23,00 23,700 24,500 24,500 24,600 24,700 25,00 26,700 27,200 30,00 32,100 32,500 32,700 32,900 33,00 33,900 36,00 39,200 40,600 Gráfico 13 - Penetração da banda larga fixa na UE27-2T12 45,00 40,00 35,00 UE27 30,00 25,00 20,00 15,00 10,00 5,00,00 Unidade: Acessos por 100 habitantes Fonte: CE, COCOM julho 2012 (dados provisórios) Nota: O valor dos Países Baixos é relativo a Janeiro de No final do 2.º trimestre de 2012 a penetração da modalidade de banda larga móvel através de placas de Portugal era de 9,8 por 100 habitantes, ocupando a 8.ª posição no ranking da UE27. 32/38

33 Eslovénia Grécia Chipre Bélgica Malta Hungria França Roménia República Checa Espanha Letónia Alemanha Luxemburgo Países Baixos Eslováquia Reino Unido Lituânia Polónia Portugal Itália Bulgária Irlanda Estónia Áustria Dinamarca Suécia 2,700 3,500 3,700 3,700 5,00 5,100 5,700 6,00 6,00 6,400 6,600 6,700 6,900 7,100 7,400 7,900 8,200 9,500 9,800 10,800 10,900 12,700 13,600 16,800 17,500 21,800 Gráfico 14 - Penetração de banda larga móvel através de cartões PCMCIA ou modems USB, na UE27-2T UE Unidade: Placas/modem por 100 habitantes. Fonte: CE, COCOM julho 2012 (dados provisórios) Nota: Dados não disponíveis para a Finlândia. 7. Cobertura de banda larga De acordo com um estudo da Point Topic para a CE 24, em dezembro de 2011, a cobertura (disponibilidade do serviço) DSL em Portugal era a 8.ª mais elevada entre os 27 países da UE. Nas zonas rurais, a cobertura do DSL em Portugal ocupava a 7.ª posição no ranking. Refira-se ainda que a cobertura em Portugal, cerca de 99 por cento, estava acima da média da UE27 (92,3 por cento). Nas zonas rurais, a média da UE27 era de 72,4 por cento, bastante inferior ao valor registado para Portugal (95,9 por cento). 24 Broadband coverage in Europe in 2011 (http://ec.europa.eu/information_society/newsroom/cf/dae/itemdetail.cfm?item_id=8907&univ erse=1) 33/38

34 Gráfico 15 - Cobertura de DSL na UE27, em dezembro de 2011 Roménia Polónia Lituânia Eslovénia Eslováquia Bulgária Letónia Hungria Estónia República Checa U.E. Alemanha Áustria Espanha Irlanda Finlândia Itália Suécia Dinamarca Grécia Portugal Malta França Chipre Reino Unido Luxemburgo Bélgica Países Baixos 0% 20% 40% 60% 80% 100% Cobertura em Zonas Rurais Cobertura Total Unidade: alojamentos cobertos com DSL por 100 alojamentos. Fonte: CE, Broadband coverage in Europe in De acordo com o mesmo estudo, em dezembro de 2011 a cobertura redes por cabo standard em Portugal encontrava-se em 5.º lugar no ranking dos países da UE27 (75,9 por cento) e no 4.º lugar no caso da cobertura de cabo EuroDOCSIS3.0 (73,7 por cento), ambos claramente acima da média da UE (41,8 por cento e 36,6 por cento, respetivamente). Nas zonas rurais, Portugal apresentava uma das maiores percentagens de cobertura de cabo de toda a UE27 (32,8 por cento contra uma média de 11,3 por cento). 34/38

35 Gráfico 16 - Cobertura de modem de cado e DOCSIS3.0 na UE27, em dezembro de 2011 Itália Grécia Eslováquia Roménia Suécia Polónia República Checa França Letónia Áustria Eslovénia U.E. Irlanda Chipre Reino Unido Alemanha Lituânia Espanha Bulgária Estónia Hungria Dinamarca Luxemburgo Portugal Finlândia Bélgica Malta Países Baixos EuroDOCSIS3.0 Cabo Standard 0% 20% 40% 60% 80% 100% Unidade: alojamentos cablados com modem de cabo/doscis3.0 por 100 alojamentos. Fonte: CE, Broadband coverage in Europe in Complementarmente à cobertura do cabo EuroDOCSIS3.0, os elevados investimentos em fibra otica colocaram Portugal na 5.º posição no ranking dos países europeus em termos de cobertura de Redes FTTP (fiber-to-the-premises), com 41 por cento dos alojamentos preparados para receber serviços através de fibra ótica, valor acima do registado nos países nórdicos. A média dos países da UE27 era de 11,5 por cento. 35/38

36 Gráfico 17 - Cobertura de FTTP na UE27, em dezembro de 2011 Grécia Chipre Malta Reino Unido Bélgica Irlanda Polónia Alemanha Áustria Espanha Itália República Checa U.E. Roménia Países Baixos Eslovénia França Luxemburgo Hungria Finlândia Estónia Suécia Dinamarca Portugal Bulgária Eslováquia Lituânia Letónia 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% Unidade: alojamentos cablados com fibra ótica por 100 alojamentos. Fonte: CE, Broadband coverage in Europe in 2011 Combinando as tecnologias de alta velocidade: FTTP, DOCSIS3.0 e VDSL, no final de 2011, cerca de 74,5 dos alojamentos em Portugal estavam preparados para receber serviços com débitos iguais ou superiores a 30 Mbps, situando-se na 5.ª posição do ranking da UE27. Os países baixos lideram este ranking, sendo a média na UE27 cerca de 49,9 por cento. 36/38

37 Gráfico 18 - Cobertura de Rede de Nova Geração na UE27, em dezembro de 2011 Chipre Grécia Itália Irlanda Polónia França República Checa Roménia U.E. Suécia Hungria Reino Unido Espanha Letónia Alemanha Eslovénia Estónia Dinamarca Lituânia Áustria Eslováquia Finlândia Bulgária Portugal Luxemburgo Bélgica Malta Países Baixos 0% 20% 40% 60% 80% 100% Unidade: alojamentos preparados para receber serviços de alta velocidade por 100 alojamentos. Fonte: CE, Broadband coverage in Europe in 2011 No que se refere à banda larga móvel, o HSPA atingiu, no mesmo período, níveis de cobertura bastante elevados, próximos da cobertura total de DSL. A cobertura da HSPA em Portugal atingiu os 92 por cento dos alojamentos, ligeiramente abaixo da média da UE, com 95 por cento. Quanto ao LTE, esta recente tecnologia estava presente apenas em 9 países, com níveis de cobertura abaixo dos 50%, com exceção da Dinamarca que atingiu os 54%. 37/38

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 4.º Trimestre de 2013

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 4.º Trimestre de 2013 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE 2013 Serviço de Acesso à Internet 4.º Trimestre de 2013 Índice SUMÁRIO... 4 1. Número de prestadores habilitados... 6 2. Taxa de

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2015 Versão / 25-8-2015

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2015 Versão / 25-8-2015 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 2.º TRIMESTRE DE 2015 Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2015 Versão / 25-8-2015 Índice SUMÁRIO... 4 1. Número de prestadores habilitados...

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 1.º Trimestre de 2015 Versão / 8-5-2015

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 1.º Trimestre de 2015 Versão / 8-5-2015 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 1.º TRIMESTRE DE 2015 Serviço de Acesso à Internet 1.º Trimestre de 2015 Versão / 8-5-2015 Índice SUMÁRIO... 4 1. Número de prestadores habilitados...

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2010

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2010 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 2.º TRIMESTRE DE 2010 Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2010 Índice de gráficos Gráfico 1 - Evolução do número de clientes de banda larga...

Leia mais

SERVIÇO DE TELEVISÃO POR SUBSCRIÇÃO INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 1.º TRIMESTRE DE 2015

SERVIÇO DE TELEVISÃO POR SUBSCRIÇÃO INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 1.º TRIMESTRE DE 2015 SERVIÇO DE TELEVISÃO POR SUBSCRIÇÃO INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 1.º TRIMESTRE DE 2015 Serviço de Televisão por subscrição 1.º trimestre 2015 Versão 2 / 04-06-2015 Índice SUMÁRIO... 4 1. Assinantes do serviço

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE 2009

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE 2009 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE Índice 1. Evolução do número de prestadores habilitados para a prestação do Serviço de Acesso à Internet... 3 2. Número de clientes

Leia mais

Evolução dos clientes de acesso móvel à Internet activos no período de reporte

Evolução dos clientes de acesso móvel à Internet activos no período de reporte 10 S E R V I Ç O T E L E F Ó N I C O M Ó V E L Tráfego de roaming in 2008 Var. Trimestral Var. Homóloga 2º Trim. (+/-) % (+/-) % Chamadas em roaming in 32 617 8 525 35,4% 1 646 5,3% Nº de minutos em roaming

Leia mais

QUESTIONÁRIO ANUAL DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS (2010) Informação referente ao ano 2009

QUESTIONÁRIO ANUAL DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS (2010) Informação referente ao ano 2009 QUESTIONÁRIO ANUAL DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS (200) Informação referente ao ano 2009 PARTE II - INDICADORES FINANCEIROS E DE ACTIVIDADE DOS OPERADORES/PRESTADORES DE REDES E SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES

Leia mais

ÍNDICE GERAL. 2. A Oferta e a procura de serviços de comunicações electrónicas uma perspectiva integrada

ÍNDICE GERAL. 2. A Oferta e a procura de serviços de comunicações electrónicas uma perspectiva integrada ÍNDICE GERAL Parte I Comunicações electrónicas 1. Enquadramento 2. A Oferta e a procura de serviços de comunicações electrónicas uma perspectiva integrada CAIXA I: O efeito global da substituição fixo-móvel

Leia mais

Decisão relativa ao conjunto de elementos estatísticos a remeter ao ICP-ANACOM pelos prestadores do Serviço de Acesso à Internet (em local fixo)

Decisão relativa ao conjunto de elementos estatísticos a remeter ao ICP-ANACOM pelos prestadores do Serviço de Acesso à Internet (em local fixo) http://www.anacom.pt/template31.jsp?categoryid=262742 Deliberação de 19.12.2007 Decisão relativa ao conjunto de elementos estatísticos a remeter ao ICP-ANACOM pelos prestadores do Serviço de Acesso à Internet

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 4.º TRIMESTRE DE 2015

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 4.º TRIMESTRE DE 2015 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 4.º TRIMESTRE DE 2015 1 Inclui as tecnologias FTTH/B e EuroDOCSIS 3.0 Redes e Serviços Alta Velocidade 4º Trimestre de 2015

Leia mais

SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA

SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 4.º TRIMESTRE DE 2013 Índice SUMÁRIO... 5 1. Taxa de penetração do serviço móvel... 7 2. Estações móveis / equipamentos de utilizador ativos... 8 3. Distribuição

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2013

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2013 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 2.º TRIMESTRE DE 2013 Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2013 Índice SUMÁRIO... 4 1. Número de prestadores habilitados... 6 2. Taxa de

Leia mais

Telefone fixo... 94. Tabela 1 - Evolução dos prestadores do Serviço Telefónico Fixo (nº), 2001 a 2013... 94

Telefone fixo... 94. Tabela 1 - Evolução dos prestadores do Serviço Telefónico Fixo (nº), 2001 a 2013... 94 7. Telecomunicações Telefone fixo... 94 Tabela 1 - Evolução dos prestadores do Serviço Telefónico Fixo (nº), 2001 a 2013... 94 Figura 1 - Evolução dos prestadores do Serviço Telefónico Fixo (nº) 2001 a

Leia mais

SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA

SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 1.º TRIMESTRE DE 2014 Índice SUMÁRIO... 4 1. Taxa de penetração do serviço móvel... 6 2. Estações móveis / equipamentos de utilizador ativos... 7 3. Distribuição

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA http://www.anacom.pt/template12.jsp?categoryid=168982 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA 3º TRIMESTRE DE 2005 NOTA: O presente documento constitui

Leia mais

Anexo V. Acesso em banda larga fixa e acesso em banda larga móvel

Anexo V. Acesso em banda larga fixa e acesso em banda larga móvel Anexo V. Acesso em banda larga fixa e acesso em banda larga móvel Um utilizador final pode aceder à Internet utilizando banda larga fixa ou banda larga móvel. Neste último caso, e para as tecnologias atualmente

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 3.º TRIMESTRE DE 2015

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 3.º TRIMESTRE DE 2015 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 3.º TRIMESTRE DE 2015 1 Inclui as tecnologias FTTH/B e EuroDOCSIS 3.0 Redes e Serviços Alta Velocidade 3º Trimestre de 2015

Leia mais

3. Clientes de serviços prestados em pacote

3. Clientes de serviços prestados em pacote QUESTIONÁRIO TRIMESTRAL DOS SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS EM LOCAL FIXO E VOIP NÓMADA Serviço Telefónico Fixo (STF) Serviço VoIP nómada Serviço de Acesso à Internet (SAI) Serviço de Televisão por

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTÍSTICA DOS SERVIÇOS MÓVEIS

INFORMAÇÃO ESTÍSTICA DOS SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTÍSTICA DOS SERVIÇOS MÓVEIS Empresa: Responsáveis pelo preenchimento: Contactos dos responsáveis - Telf.: E-mail: ES ESTATÍSTICOS A. B. C. D. E. E'. F. G. ESTAÇÕES MÓVEIS E UTILIZADORES TRÁFEGO

Leia mais

Usados por maior número de utilizadores, os acessos móveis reúnem menor satisfação, A fibra é a ligação que mais satisfaz

Usados por maior número de utilizadores, os acessos móveis reúnem menor satisfação, A fibra é a ligação que mais satisfaz 11 - HSVI intad >fa,# < Usados por maior número de utilizadores, os acessos móveis reúnem menor satisfação, A fibra é a ligação que mais satisfaz á quem já não consiga viver i sem poder aceder à Net. Daí

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTÍSTICA DOS SERVIÇOS MÓVEIS

INFORMAÇÃO ESTÍSTICA DOS SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTÍSTICA DOS SERVIÇOS MÓVEIS Empresa: Responsáveis pelo preenchimento: Contactos dos responsáveis - Telf.: E-mail: ES ESTATÍSTICOS A. B. C. D. E. E'. ESTAÇÕES MÓVEIS E UTILIZADORES TRÁFEGO

Leia mais

Parque de habitação social em Portugal

Parque de habitação social em Portugal Caracterização da Habitação Social em Portugal 2012 31 de julho de 2013 Parque de habitação social em Portugal Em 2012 existiam cerca de 118 mil fogos de habitação social (-0,2% face a 2011) distribuídos

Leia mais

Disponibilidade geográfica da banda larga em Portugal

Disponibilidade geográfica da banda larga em Portugal Data de publicação 22.9.2008 Disponibilidade geográfica da banda larga em Portugal A disponibilidade das ofertas de banda larga depende da existência de centrais da rede telefónica pública comutada nas

Leia mais

Questionário trimestral dos serviços de comunicações electrónicas em local fixo e VoIP nómada. Preâmbulo

Questionário trimestral dos serviços de comunicações electrónicas em local fixo e VoIP nómada. Preâmbulo Questionário trimestral dos serviços de comunicações electrónicas em local fixo e VoIP nómada 1. Tendo a conta a necessidade de: Preâmbulo Reformular a informação estatística recolhida trimestralmente

Leia mais

Regulação e Concorrência no Mercado de Banda Larga

Regulação e Concorrência no Mercado de Banda Larga Regulação e Concorrência no Mercado de Banda Larga Pedro Duarte Neves Preparado para o painel "A Sociedade da Informação em Portugal: Situação e Perspectivas de Evolução" Fórum para a Sociedade da Informação

Leia mais

Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013

Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013 Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013 Abril 2013 1 MERCADO AUTOMÓVEL EM PORTUGAL EM 2012 De acordo

Leia mais

Evolução dos acessos à Internet em Portugal

Evolução dos acessos à Internet em Portugal Evolução dos acessos à Internet em Portugal (com base em 29 milhões de testes, de meados de 2006 ao final de 2014, realizados em Portugal, no sitio da Speedtest na Internet) [Novembro de 2015] 1 Índice

Leia mais

Portugal em Banda Larga.

Portugal em Banda Larga. Portugal em Banda Larga. José Ferrari Careto 1 1. Consumadas que estão as coberturas da população e do território em termos de serviço de telefone, tanto fixo como móvel, grande parte dos desafios que

Leia mais

Obras concluídas e licenciadas com decréscimo menos acentuado

Obras concluídas e licenciadas com decréscimo menos acentuado Construção: Obras licenciadas e concluídas 4º Trimestre de 2015 - Dados preliminares 15 de março de 2016 Obras concluídas e licenciadas com decréscimo menos acentuado No 4º trimestre de 2015 os edifícios

Leia mais

Balanço Huawei 3T12. Preparado pela. www.huawei.com HUAWEI TECHNOLOGIES CO., LTDA

Balanço Huawei 3T12. Preparado pela. www.huawei.com HUAWEI TECHNOLOGIES CO., LTDA Balanço Huawei da Banda Larga 3T12 www.huawei.com Preparado pela HUAWEI TECHNOLOGIES CO., LTDA Sumário Introdução Banda Larga Fixa Banda Larga Móvel Considerações Finais 2 Objetivo e metodologia Acompanhar

Leia mais

Serviço de TV por subscrição

Serviço de TV por subscrição Comunicações electrónicas 22 Serviço de TV por subscrição presenta-se neste capítulo a evolução do serviço de TV por subscrição ocorrida durante o ano de 28 e anos anteriores. O serviço de TV por subscrição

Leia mais

Preços no setor das comunicações eletrónicas. Abril 2016

Preços no setor das comunicações eletrónicas. Abril 2016 Preços no setor das comunicações eletrónicas Abril 2016 1 AGENDA 1. 2. IPC SUB ÍNDICE SERVIÇOS TELEFÓNICOS E DE TELECÓPIA ESTUDOS INTERNACIONAIS 3. ANEXOS IPC sub índice serviços telefónicos e de telecópia

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal novembro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Tarifário VPNCC-M- PROT_ON NET

Tarifário VPNCC-M- PROT_ON NET Tarifário individual de minutos/sms/dados com comunicações para todas as redes (Portugal ou Espanha), WiFi PT ilimitado e plafond de desconto para aquisição de equipamentos. (Sujeito a política de utilização

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 1.º trimestre de 2016 Versão /

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 1.º trimestre de 2016 Versão / INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 1.º TRIMESTRE DE 2016 Serviço de Acesso à Internet 1.º trimestre de 2016 Versão / 18-05-2016 Índice SUMÁRIO... 4 1. Número de prestadores habilitados...

Leia mais

Parque de habitação social aumentou 2% entre 2009 e 2011

Parque de habitação social aumentou 2% entre 2009 e 2011 Caracterização da Habitação Social em Portugal 2011 18 de julho de 2012 Parque de habitação social aumentou 2% entre 2009 e 2011 O número de fogos de habitação social em Portugal registou um aumento de

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 Elaborado por: Maria Julieta Martins Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice

Leia mais

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Passageiros desembarcados por

Leia mais

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9%

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9% Estatísticas do Emprego 3º trimestre de 2007 16 de Novembro de 2007 A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9 A taxa de desemprego estimada para o 3º trimestre de 2007 foi de 7,9. Este valor

Leia mais

Balanço Huawei da Banda Larga 1T12

Balanço Huawei da Banda Larga 1T12 Balanço Huawei da Banda Larga 1T12 www.huawei.com Preparado pela HUAWEI TECHNOLOGIES CO., LTDA Sumário Introdução Banda Larga Fixa Banda Larga Móvel Especial 4G 2 Objetivo e metodologia Acompanhar o crescimento

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal maio 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 4º Trimestre 2012 02 maio de 2013 Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes No 4º trimestre de 2012, os residentes efetuaram

Leia mais

Atividade Turística com resultados positivos em 2014

Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Estatísticas do Turismo 2014 28 de julho de 2015 Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Segundo os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas internacionais,

Leia mais

INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELETRÓNICAS PELAS PME - 2014. Principais resultados

INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELETRÓNICAS PELAS PME - 2014. Principais resultados INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELETRÓNICAS PELAS PME - 2014 Principais resultados Fevereiro/2015 ÍNDICE Introdução... 4 1. Sumário... 4 2. Nível de utilização dos serviços de comunicações

Leia mais

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno Atividade Turística Novembro de 2014 19 de janeiro de 2015 Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno As dormidas na hotelaria fixaram-se em

Leia mais

11. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (OUTROS CLIENTES)

11. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (OUTROS CLIENTES) 11.1. Cartões de crédito Comissões (Euros) Designação do Redes onde o é aceite NB Business Silver NB Business Gold NB Corporate Gold NB Corporate Gold Negócios 1. Anuidades 1.º Titular Outros titulares

Leia mais

Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010

Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010 Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010 18 de Maio de 2010 A taxa de desemprego foi de 10,6% no 1º trimestre de 2010 A taxa de desemprego estimada para o 1º trimestre de 2010 foi de 10,6%. Este valor

Leia mais

Serviços. Estatísticas das Comunicações. Ano de edição 2008. tema

Serviços. Estatísticas das Comunicações. Ano de edição 2008. tema Serviços H tema Estatísticas das Comunicações 2006 Ano de edição 2008 2 FICHA TÉCNICA Título Estatísticas das Comunicações 2006 Editor Instituto Nacional de Estatística, I.P. Av. António José de Almeida

Leia mais

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 Estatísticas do Emprego 4º trimestre de 2010 16 de Fevereiro de 2011 A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 A taxa de desemprego estimada para o 4º trimestre de 2010 foi de 11,1%. Este

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 06 de novembro de 2012 60% das pessoas dos 16 aos 74 anos utilizam Internet

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Fixa

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Fixa O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Fixa Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL São Paulo, Outubro

Leia mais

Oferta crescente de pacotes dual,

Oferta crescente de pacotes dual, TIC à lupa VOZ FIXA Viver dos pacotes O conceito tradicional de voz fixa está a desaparecer. O negócio passa cada vez mais pela sua inclusão em pacotes de serviços que são oferecidos através de todas as

Leia mais

A Atividade das Empresas Agrícolas em Portugal 2004-2010

A Atividade das Empresas Agrícolas em Portugal 2004-2010 26 de setembro de 2012 A Atividade das Empresas Agrícolas em Portugal 2004-2010 Empresas agrícolas: o futuro da agricultura portuguesa? As 43 972 empresas da atividade agrícola (divisão 01 da CAE Rev.3)

Leia mais

Menos Crédito e destruição de emprego continuam a refletir grave crise na Construção

Menos Crédito e destruição de emprego continuam a refletir grave crise na Construção Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Conjuntura da Construção n.º 71 Agosto

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013 38% DAS PESSOAS COM IDADE ENTRE 16 E 74 ANOS CONTACTAM COM ORGANISMOS

Leia mais

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos HOTELARIA 2008 AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. INFORMAÇÃO SOBRE AS EMPRESAS Segundo os dados das Empresas em Portugal 2005, do INE, em 2005 o sector do Alojamento e Restauração compreendia

Leia mais

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas Atividade Turística Dezembro de 2012 14 de fevereiro de 2013 Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas As dormidas na hotelaria atingiram 1,7 milhões em dezembro 2012, mais 1,9%

Leia mais

RELATÓRIO O SECTOR DA CONSTRUÇÃO EM PORTUGAL EM 2010

RELATÓRIO O SECTOR DA CONSTRUÇÃO EM PORTUGAL EM 2010 RELATÓRIO O Sector da Construção em Portugal em 2010 Setembro de 2011 Ficha Técnica Título: Relatório O Sector da Construção em Portugal em 2010 Autoria: Catarina Gil Coordenação Geral: Pedro Ministro

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

Inquérito ao consumo da banda larga Dezembro de 2006 - Principais resultados -

Inquérito ao consumo da banda larga Dezembro de 2006 - Principais resultados - http://www.anacom.pt/template12.jsp?categoryid=231582 Data de publicação - 1.2.27 Inquérito ao consumo da banda larga Dezembro de 26 - Principais resultados - Ligação à Internet e tecnologia de acesso

Leia mais

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir IP/08/1831 Bruxelas, 28 de Novembro de 2008 Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir De acordo com um relatório publicado hoje pela Comissão Europeia,

Leia mais

BPstat mobile inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal

BPstat mobile inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal João Cadete de Matos Diretor do Departamento de Estatística 23 fevereiro 2016 Coimbra Conferências da Central de Balanços (2010 2016) Porto Lisboa

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 1.º Trimestre de 2014

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 1.º Trimestre de 2014 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 1.º TRIMESTRE DE 2014 Serviço de Acesso à Internet 1.º Trimestre de 2014 Índice SUMÁRIO... 4 1. Número de prestadores habilitados... 6 2. Taxa de

Leia mais

O gasto médio diário dos não residentes entrevistados que visitaram Portugal foi 100,22

O gasto médio diário dos não residentes entrevistados que visitaram Portugal foi 100,22 31 de julho de 2014 Gastos Turísticos Internacionais 2013 O gasto médio diário dos não residentes entrevistados que visitaram Portugal foi 100,22 O gasto médio diário per capita (GMD pc ) dos visitantes

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS 2010 - Setembro de 2011 - ÍNDICE Sumário Executivo... 5 1 Objecto e método... 8 2 Comunicações electrónicas em Portugal: evolução recente...

Leia mais

Transporte de mercadorias aumenta por via rodoviária e marítima

Transporte de mercadorias aumenta por via rodoviária e marítima Atividade dos Transportes 3º Trimestre de 215 14 de janeiro de 216 Transporte de mercadorias aumenta por via rodoviária e marítima Movimento de passageiros nos aeroportos continua a crescer mas com ligeira

Leia mais

Um retrato social de Portugal: uma leitura de evoluções ocorridas nos últimos anos

Um retrato social de Portugal: uma leitura de evoluções ocorridas nos últimos anos 27 de dezembro de 2012 Indicadores Sociais 2011 Um retrato social de Portugal: uma leitura de evoluções ocorridas nos últimos anos Em Portugal, existe cada vez maior esperança média de vida à nascença.

Leia mais

2008 Crescimento líquido de RGUs de 144,4 mil no 4T08 100 mil ZON Boxes instaladas

2008 Crescimento líquido de RGUs de 144,4 mil no 4T08 100 mil ZON Boxes instaladas ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Av. 5 de Outubro, n.º 208, Lisboa Capital Social: 3.090.968,28 Euros Número de Matrícula na Conservatória do

Leia mais

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos Atividade Turística Janeiro de 2014 19 de março de 2014 Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos A hotelaria registou 1,7 milhões de dormidas em janeiro de 2014, valor que corresponde

Leia mais

Taxa de desemprego estimada em 11,9%

Taxa de desemprego estimada em 11,9% 5 de agosto de 215 Estatísticas do Emprego 2º trimestre de 215 Taxa de desemprego estimada em 11,9% A taxa de desemprego no 2º trimestre de 215 foi de 11,9%. Este valor é inferior em 1,8 pontos percentuais

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Portugal em Mudança Comissão de Acompanhamento do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento

Sociedade da Informação e do Conhecimento Portugal em Mudança Comissão de Acompanhamento do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento Sociedade da Informação e do Conhecimento Portugal em Mudança Comissão de Acompanhamento do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento Lisboa, 25 Jan 2010 Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade

Leia mais

Atividade dos Transportes 1º Trimestre de 2015

Atividade dos Transportes 1º Trimestre de 2015 Atividade dos Transportes 1º Trimestre de 215 14 de julho de 215 Transporte de mercadorias mantém crescimento por via marítima e aérea. Continua a diminuir no modo rodoviário Transporte de passageiros

Leia mais

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Atividade Turística Fevereiro de 20 15 de Abril de 20 Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Os estabelecimentos hoteleiros registaram cerca de 2 milhões

Leia mais

CONSELHO EMPRESARIAL DO TÂMEGA E SOUSA (CETS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS

CONSELHO EMPRESARIAL DO TÂMEGA E SOUSA (CETS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS CONSELHO EMPRESARIAL DO TÂMEGA E SOUSA (CETS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS Fevereiro 2014 Para aderir ou obter mais informações: Consulte o seu gestor PT Empresas Envie email para protocoloseparceriasptempresas@telecom.pt

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE DE DORMIDAS NACIONAIS E ESTRANGEIRAS Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Acumulado Janeiro Maio 2010/2011 A Turismo

Leia mais

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros Transportes aéreos e atividade turística 2013 10 de setembro de 2014 Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou 4,9% O tráfego comercial nas infraestruturas aeroportuárias nacionais em

Leia mais

Associados da Associação Empresarial da Região do Oeste (AIRO)

Associados da Associação Empresarial da Região do Oeste (AIRO) Associados da Associação Empresarial da Região do Oeste (AIRO) As ofertas anunciadas estão sujeitas às alterações de mercado e limitadas ao stock existente, pelo que deverá sempre obter mais informação

Leia mais

Acompanhamento dos Mercados de Comunicações Electrónicas

Acompanhamento dos Mercados de Comunicações Electrónicas JJUULLHHOO 0055 Acompanhamento dos Mercados de Comunicações Electrónicas Esta newsletter é uma síntese do Relatório Anual de Acompanhamento dos Mercados de Comunicações Electrónicas (2004), onde se detalham

Leia mais

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER A oferta e a procura no TER 2007 Índice Introdução Capacidade de alojamento Estimativa de dormidas Taxas de ocupação-cama Anexos 2 Introdução. Em 2007 estavam em funcionamento em Portugal 1.023 unidades

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 Elaborado por: Ana Paula Gomes Bandeira Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nos Estabelecimentos Hoteleiros 2011

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nos Estabelecimentos Hoteleiros 2011 05 de dezembro de Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nos Estabelecimentos Hoteleiros 87% dos Estabelecimentos Hoteleiros têm

Leia mais

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC Seminário 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Casa própria ou arrendamento perfil da ocupação residencial emportugal Bárbara Veloso INE 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Sumário Aumentaram

Leia mais

SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO

SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO Índice 1. Mensagem de Paulo Azevedo, CEO da Sonaecom...2 2. Principais indicadores...4 3. Resultados consolidados...5 3.1. Demonstração de resultados

Leia mais

Trabalhar no feminino

Trabalhar no feminino 07 de Março de 2013 8 de Março: Dia Internacional da Mulher Trabalhar no feminino Numa sociedade que aposta na igualdade entre homens e mulheres, incentiva a participação feminina na vida ativa e promove

Leia mais

Newsletter Informação Semanal 08-02 a 14-02-2016

Newsletter Informação Semanal 08-02 a 14-02-2016 EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal 08-02 a 14-02- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

Utilização da Internet cresce quase 20 por cento nos últimos dois anos nas famílias portuguesas

Utilização da Internet cresce quase 20 por cento nos últimos dois anos nas famílias portuguesas Utilização da cresce quase 20 por cento nos últimos dois anos nas famílias portuguesas Mais de metade das famílias portuguesas ainda não dispõe de computador mas o parque informático dos agregados familiares

Leia mais

Síntese de Execução Orçamental. Publicação mensal 25 de junho de 2013 Elaborado com Informação disponível até 21 de maio. Direção-Geral do Orçamento

Síntese de Execução Orçamental. Publicação mensal 25 de junho de 2013 Elaborado com Informação disponível até 21 de maio. Direção-Geral do Orçamento S í nt e s e E x e c uç ã oor ç a me nt a l 2 0 1 3 mai o Mi ni s t é r i oda sf i na nç a s Síntese de Execução Orçamental Publicação mensal 25 de junho de 2013 Elaborado com Informação disponível até

Leia mais

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros .2 Situação patrimonial dos setores não financeiros No primeiro semestre de 203, prosseguiu o processo de ajustamento gradual dos desequilíbrios no balanço dos particulares 3 Nos primeiros seis meses de

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros Danos d. Automóvel II PROVISÕES TÉCNICAS E ATIVOS REPRESENTATIVOS

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO VIVO INTERNET EMPRESAS

REGULAMENTO PROMOÇÃO VIVO INTERNET EMPRESAS REGULAMENTO PROMOÇÃO VIVO INTERNET EMPRESAS TELEFÔNICA BRASIL S/A, com sede na Av. Engº Luis Carlos Berrini, nº 1376, CEP 04571-000, São Paulo/SP, e inscrita no CNPJ/MF sob o nº 02.558.157/0001-62, doravante

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. ADENE Agência para a Energia Maio de 2010

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. ADENE Agência para a Energia Maio de 2010 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ADENE Agência para a Energia Maio de 2010 0 PLANO NACIONAL DE ACÇÃO PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA RESULTADOS 1 Programas do Portugal Eficiência 2015 Transportes Residencial e Serviços

Leia mais

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES)

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES) 3.1. Cartões de crédito Designação do Redes onde o é aceite 1. Anuidades 1.º Titular Outros titulares Comissões (Euros) 2. Emissão de 3. Substituição de 4. Inibição do 5. Pagamento devolvido NB Verde --

Leia mais

Comércio Internacional Português

Comércio Internacional Português Comércio Internacional Português Exportações Portuguesas de Bens Janeiro a agosto de 2013 Direção de Informação, outubro de 2013 CIP bens 2013 (janeiro a agosto) - principais resultados Em 2013 (janeiro

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2014

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2014 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 14 Mais de metade dos utilizadores da internet fazem-no em mobilidade De acordo

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 05 Maio 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente 26 de junho de 2014 Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Maio de 2014 Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente O valor médio de avaliação bancária 1 do total do País foi de 995 euros/m

Leia mais

Direção Regional de Estatística da Madeira

Direção Regional de Estatística da Madeira 29 de dezembro de 2014 GASTOS TURÍSTICOS INTERNACIONAIS NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA ANO DE 2013 Nota introdutória O Inquérito aos Gastos Turísticos Internacionais (IGTI) foi uma operação estatística

Leia mais

http://www.anacom.pt/template12.jsp?categoryid=133982

http://www.anacom.pt/template12.jsp?categoryid=133982 http://www.anacom.pt/template12.jsp?categoryid=133982 SERVIÇOS DE AUDIOTEXTO Informação estatística 3º trimestre de Serviços de Audiotexto 3º trimestre de ÍNDICE 1. Prestadores... pág. 2 2. Tráfego...

Leia mais

Opiniões dos Empresários recuperam mas Consumo de Cimento bate mínimos históricos

Opiniões dos Empresários recuperam mas Consumo de Cimento bate mínimos históricos Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Conjuntura da Construção n.º 73 Novembro

Leia mais