Rita de Cássia Cronemberger Sobral Presidente da AD de Serviço Social

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rita de Cássia Cronemberger Sobral Presidente da AD de Serviço Social"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI CENTRO DE CIENCIAS HUMANAS E LETRAS DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL Normatiza o plano departamental, o plano docente, as atividades e a distribuição da carga horária docente do Departamento de Serviço Social. Aprovada em Assembléia do Departamento de Serviço Social em 07 de maio de RESOLUÇÃO Nº 03/2010 PLANO DEPARTAMENTAL, PLANO DOCENTE, ATIVIDADES E DISTRIBUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA DE TRABALHO DOCENTE. Considerando: A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº 9.394, de 20/12/1996; O Decreto nº , de 23 de julho de 1987; A Portaria nº 475, de 26 de agosto de 1987; A Resolução CEPEX/UFPI Nº 004/1988; O Regimento Geral da UFPI, Resolução nº 45/99 CONSUN, de 16/12/1999. CAPÍTULO I - DO PLANO DEPARTAMENTAL Art. 1º - O plano de Trabalho do Departamento de Serviço Social terá por base os planos docentes de seu quadro de professores, tendo como referência as atividades próprias do pessoal docente do ensino superior. Parágrafo Único São consideradas atividades acadêmicas próprias do pessoal docente do ensino superior; as pertinentes à pesquisa, ensino e extensão que, indissociáveis, visem à aprendizagem, à produção do conhecimento, à ampliação e transmissão do saber e da cultura e as inerentes ao exercício de direção, assessoramento, chefia, coordenação e assistência na própria instituição, além de outras previstas na legislação vigente (Decreto nº , de 23/07/1987). Art. 2º - O quadro docente do Departamento de Serviço Social da UFPI deverá apresentar seu plano de atividades em acordo com a presente Resolução. Art. 3º - Os planos docentes serão semestrais e conterão o conjunto de todas as atividades a serem desenvolvidas no semestre subseqüente pelo docente do Departamento de Serviço Social. Parágrafo Único do plano docente constarão, obrigatoriamente, as atividades de ensino, pesquisa, extensão e administração. 1

2 Art. 4º - Os planos docentes cumprirão o calendário a seguir estabelecido e serão analisados e julgados pela Assembléia Departamental de Serviço Social, observando o seguinte: I - Elaboração do plano e aprovação pelo Departamento até o final do mês de fevereiro (ou 1ª AD de março) e julho do ano em curso (ou 1ª AD de agosto) do ano em curso. Parágrafo 1º - O Departamento de Serviço Social consolidará os planos docentes elaborando o Plano Departamental. Parágrafo 2º - É vedada a aprovação ad referendum em qualquer nível. II Elaboração de relatório das atividades realizadas, conforme os planos propostos, ao final de cada semestre letivo ou primeira semana do semestre subseqüente. Parágrafo 1º - O Departamento de Serviço Social consolidará os relatórios docentes elaborando o relatório departamental anual. Parágrafo 2º - É vedada a aprovação ad referendum em qualquer nível. CAPÍTULO II DA DISTRIBUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA DOCENTES Art. 5º - Compete ao Departamento distribuir a carga horária dos docentes entre as atividades de ensino, pesquisa, extensão e administração, no limite da carga horária contratada. Art. 6º - Compete ao departamento fixar, de acordo com suas necessidade, os turnos de trabalho dos docentes, no período entre 8 (oito) e 22 (vinte e duas) horas. Art. 7º - Na atribuição dos encargos a serem desempenhados pelos docentes, deverão ser observados os seguintes limites: I Docente em regime de Tempo Parcial: mínimo de 8 (oito) horas semanais de aulas efetivas. II Docente em regime de Tempo Integral ou em Dedicação Exclusiva: a) Mínimo de 14 (catorze) e máximo de 16 (dezesseis) horas semanais de aulas efetivas; b) Mínimo de 08 (oito) e máximo de 10 (dez) horas semanais de aulas efetivas, acrescidas de encargos de pesquisa e/ou extensão. c) Mínimo de 4 (quatro), acrescidas de encargos de administração. Parágrafo 1º - Observadas as cargas horárias mínimas previstas neste artigo, poderão ser atribuídas horas de acordo com as necessidades do Departamento, desde que devidamente justificadas. 2

3 Parágrafo 2º - Para cada hora aula será computada uma hora de preparação e uma hora para preparação e correção de avaliações, perfazendo um total de duas horas. Parágrafo 3º - Os professores que não estiverem realizando atividades de pesquisa e extensão, assim como, não estiverem com nenhuma função administrativa, poderão ministrar até três disciplinas distintas do Departamento de Serviço Social; Parágrafo 4º - Os professores que fazem parte de quadros de Programas de Pós- Gradação da UFPI deverão obrigatoriamente cumprir atividades didáticas na graduação, pelo menos 1 (um) semestre no ano letivo, conforme interesse departamental. Art. 8º - Os docentes investidos na função de Chefia de Departamento, de Coordenadoria de Curso de Graduação ou de Pós-Graduação, obedecerão ao regime de trabalho correspondente à função exercida. Parágrafo 1º - Quando a carga horária atribuída ao exercício das funções for inferior a 40 horas, o tempo integral deverá ser preenchido com atividades de ensino, pesquisa ou extensão. Art. 9º - O docente em regime de Tempo Integral ou Dedicação Exclusiva, que esteja realizando curso de pós-graduação a nível de mestrado ou doutorado em outra Universidade, será dispensado de suas atividades, de acordo com as normas que tratam de afastamento de docente para pós-graduação da UFPI. Art. 10º - O docente em regime de Tempo Integral ou Dedicação Exclusiva, que esteja realizando curso de pós-graduação lato sensu na própria Universidade, poderá ter até 50% (cinqüenta por cento) de sua carga horária semanal disponível para a realização desses cursos, durante o tempo efetivo em que são realizados, a critério do departamento em que esteja lotado. Art. 11º - Esta Resolução passa a viger a partir da data de sua aprovação. Art. 12º - Os casos e/ou as atividades omissas serão compatibilizadas às demais previstas, de acordo com a natureza e envergadura, pela assembléia do DSS. Rita de Cássia Cronemberger Sobral Presidente da AD de Serviço Social 3

4 ANEXO I PLANO DE ATIVIDADES E CARGA HORÁRIA DOCENTE - DSS ÍTEM 1 ATIVIDADE DE ENSINO - Sala de aula CH 1 Professor com cargo de Coordenação de Curso de graduação e de Pós- 04h Graduação e Chefia de Departamento 2 Professor com Pesquisa e/ou Extensão 08 à 10h 3 Professor sem Pesquisa, Extensão e cargos administrativos 14 à 16h 4 Professor com disciplina na Pós-Graduação 8h 5 Regência: Preparação de aula e de avaliações e correções de provas e 2h trabalhos, para cada hora aula ÍTEM 2 ATIVIDADES DE ENSINO complementares CH 1 Orientação pedagógica 1h 2 Coordenação de estágio obrigatório e não-obrigatório 8h 3 Supervisão de estágio não obrigatório Cf Resolução da UFPI, a cada 5 1h alunos 15H semestral 4 Orientação de alunos da monitoria -Cf.Resolução da UFPI 2h 5 Coordenação PET Cf. Resolução da UFPI 8h 6 Participação na Comissão de acompanhamento curricular de cursos de 2h graduação ou participação no Núcleo Docente Estruturante 7 Orientação de trabalho de conclusão de pós-graduação lato sensu, curso não remunerado, por trabalho. 1h 8 Orientação de trabalho de conclusão de pós-graduação stricto sensu, por 2h trabalho. 9 Supervisão de campo em estágio obrigatório 2h ITEM 3 ATIVIDADE DE PESQUISA E PRODUÇÃO TÉCNICO- CIENTÍFICA CH 1 Coordenação de pesquisa e/ou de equipe de pesquisa 4h 2 Execução de projeto de pesquisa 4h 3 Coordenação e execução de projeto de pesquisa 8h 4 Coordenação de núcleo de pesquisa 4h 5 Orientação de alunos de Iniciação à pesquisa científica, por aluno 2h 6 Produção de livro-autoria ou Produção de livro-co-autoria 4h 7 Organização de livro ou co-organização de livro 2h 8 Tradução de livro 3h 9 Tradução de artigo 2h 10 Produção de artigo 3h 11 Produção de artigos para jornais ou sites 1h 12 Participação em Conselho Editorial 2h 14 Produção áudio visual 4h 14 Produção de mostra 1h 4

5 ÍTEM 4 ATIVIDADE DE EXTENSÃO E OUTRAS ATIVIDADES TÉCNICAS CH 1 Coordenação de equipe de projeto ou equipe de projeto de extensão - 4h 2 Execução de projeto de extensão (desenvolvimento de atividades e 4h orientação de alunos) 3 Coordenação e Execução de Projeto de Extensão 8h 4 Coordenação de eventos de extensão 1h 5 Atividades de assessoria, consultoria perícia ou sindicância, 1h 6 Mini-cursos e/ou oficinas 1h 7 Consultor ad hoc de revista, eventos científicos e órgãos de fomento, editoras. 8 Participação em banca examinadora de concurso público para professor efetivo ou substituto 30min 1h 9 Participação em banca examinadora de tese de doutorado ou dissertação ou monografia de especialização não remunerada; 10 Monografia de especialização não remunerada e Participação em banca examinadora de qualificação de doutorado ou mestrado 1h 30min 11 Participação em banca examinadora de Seleção de Doutorado, mestrado ou 30 Especialização não remunerada. 12 Participação em mesa redonda, conferência, palestras, etc. 30min ÍTEM 5 ATIVIDADE DE ADMINISTRAÇÃO CH 1 Coordenação de Curso de Graduação, de Pós-Graduação e Chefia de Departamento 30h 2 Coordenação de Curso de Especialização não remunerado 8h 3 Membro de comissões permanentes (CPPD, CPAD, Associado, etc.), Conforme Resolução da UFPI. 4 Representação docente em órgãos colegiados intra e extra UFPI 1h 5 Membro de comissões temporárias 1 h 5

6 ANEXO II - MODELO DE PLANO DE ATIVIDADES DOCENTE PLANO DE ATIVIDADES DOCENTE PERÍODO: I - IDENTIFICAÇÃO 1.1 Nome do professor: 1.2 Títulação: ( ) Graduação ( ) Especialização ( ) mestrado ( ) Doutorado ( ) Pós- Doutorado II - ATIVIDADE DE ENSINO - Sala de aula (Teóricas e práticas) 2.1 Aulas de Curso de Graduação Disciplinas CH da disciplina Período: Semestral ou Bimestral CH Semanal SUB TOTAL DA CARGA HORÁRIA 2.2 Aulas de Curso de Pós Graduação Lato Sensu Disciplinas CH da disciplina Período: Semestral ou Bimestral CH Semanal SUB TOTAL DA CARGA HORÁRIA 2.3 Aulas de Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu Disciplinas CH da disciplina Período: Semestral ou Bimestral CH Semanal SUB TOTAL DA CARGA HORÁRIA TOTAL DA CARGA HORÁRIA DE ENSINO III ATIVIDADES DE ENSINO - COMPLEMENTARES Atividades Natureza Período CH Semanal SUB TOTAL DA CARGA HORÁRIA 6

7 IV ATIVIDADES DE PESQUISA 4.1 PROJETOS DE PESQUISA Linha de Pesquisa - Título: Natureza: ( ) Núcleo e/ou grupo de pesquisa ( ) Projeto Individual Função: ( ) Coordenador ( ) Pesquisador Executor ( ) Assessor técnico Participantes: Nº de profissionais ( ) Nº de docentes N º de estudantes ( ) Carga Horária Semanal Linha de Pesquisa - Título: Natureza: ( ) Núcleo e/ou grupo de pesquisa ( ) Projeto Individual Função: ( ) Coordenador ( ) Pesquisador Executor ( ) Assessor técnico Participantes: Nº de profissionais ( ) Nº de docentes N º de estudantes ( ) Carga Horária Semanal SUB TOTAL DA CARGA HORÁRIA 4.2 ORIENTAÇÃO DE BOLSISTAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Nome do bolsista Título da Pesquisa Período CH Semanal SUB TOTAL DA CARGA HORÁRIA ORIENTAÇÃO DE ALUNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Aluno Curso Período CH Semanal SUB TOTAL DA CARGA HORÁRIA TOTAL DA CARGA HORÁRIA V ATIVIDADES DE EXTENSÃO 5.1 PROJETOS DE EXTENSÃO Título Natureza: ( ) Equipe ( ) Projeto Individual Função: ( ) Coordenador ( ) Pesquisador ( ) Assessor técnico Nº de pesquisadores docentes e/ou profissionais: Nº de Estudantes: Período: Carga Horária: Título Natureza: ( ) Equipe ( ) Projeto Individual Função: ( ) Coordenador ( ) Pesquisador ( ) Assessor técnico Nº de pesquisadores docentes e/ou profissionais: Nº de Estudantes: Período: Carga Horária: SUB-TOTAL DA CARGA HORÁRIA 5.2 OUTRAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO E TÉCNICAS Atividades Período Carga horária SUB-TOTAL DA CARGA HORÁRIA 7

8 VI ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E/OU OUTRAS 6.1 ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS NA UFPI CARGO ADMINISTRATIVO DEPARTAMENTO/SETOR CH semanal SUB-TOTAL DA CARGA HORÁRIA 6.2 ADMINISTRAÇÃO EXTRA-UNIVERSIDADE Atividades Local de Desempenho Ato de Autorização CH semanal SUB-TOTAL DA CARGA HORÁRIA VII - OUTRAS ATIVIDADES Atividades Local de Desempenho Período CH semanal SUB-TOTAL DA CARGA HORÁRIA TOTALIZAÇÃO DA CARGA HORÁRIA NO SEMESTRE ASSINATURAS Local e Data: Docente Aprovado em AD de Serviço Social de: Chefe de Departamento de Serviço Social 8

NORMA SOBRE OS REGIMES DE TRABALHO DO DOCENTE DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO UEMA

NORMA SOBRE OS REGIMES DE TRABALHO DO DOCENTE DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO UEMA NORMA SOBRE OS REGIMES DE TRABALHO DO DOCENTE DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO UEMA Aprovada pela Resolução n /20XX CONSUN/UEMA, de XX de xxxx de 20XX CAPÍTULO I DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Art. 1 São consideradas

Leia mais

Resolução nº 082, de 19 de outubro de 2011.

Resolução nº 082, de 19 de outubro de 2011. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Conselho Superior Resolução nº

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 009/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 009/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 009/2014 DE 21

Leia mais

CONSIDERANDO a decisão da Câmara de Pessoal Docente; CONSIDERANDO o que consta no Processo n.º 23108.037947/10-0, 98/10 -CONSEPE

CONSIDERANDO a decisão da Câmara de Pessoal Docente; CONSIDERANDO o que consta no Processo n.º 23108.037947/10-0, 98/10 -CONSEPE RESOLUÇÃO CONSEPE N. o 158, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010 Dispõe sobre normas para distribuição de encargos didáticos, segundo o regime de trabalho dos docentes. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA DA UNIVERSIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA RESOLUÇÃO/UEPB/CONSUNI/054/2010 ESTABELECE NORMAS PARA ATRIBUIÇÃO DE ENCARGOS DOCENTES NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAIBA O CONSELHO UNIVERSITARIO - CONSUNI da UNIVERSIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 01/88

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 01/88 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 01/88 Disciplina a aplicação do Decreto nº 94.664, de 23 de julho de 1987, no que concerne ao regime de trabalho do pessoal de magistério

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 08/88-CP/FCAP DISPÕE SOBRE OS PARAMETROS DE ACOMPANAHAMENTO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE PARA EFEITO DE PROGRESSÃO.

RESOLUÇÃO Nº 08/88-CP/FCAP DISPÕE SOBRE OS PARAMETROS DE ACOMPANAHAMENTO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE PARA EFEITO DE PROGRESSÃO. RESOLUÇÃO Nº 08/88-CP/FCAP DISPÕE SOBRE OS PARAMETROS DE ACOMPANAHAMENTO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE PARA EFEITO DE PROGRESSÃO. O Conselho Departamental da FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DO PARÁ,

Leia mais

Programa de Atividades de Monitoria

Programa de Atividades de Monitoria Programa de Atividades de Monitoria CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS DA MONITORIA Art. 1º A atividade de monitoria é desenvolvida por discentes para aprimoramento do processo de ensino e aprendizagem,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Alterada pela

Leia mais

REGULAMENTO DO NUPE NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO

REGULAMENTO DO NUPE NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO REGULAMENTO DO NUPE NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO A Direção Geral da Faculdade ESUP, torna público o presente Regulamento do NUPE Núcleo de Pesquisa e Extensão que tem por finalidade normatizar as atividades

Leia mais

FACULDADE ORÍGENES LESSA FACOL ISEOL - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA PORTARIA Nº 004 / 2009

FACULDADE ORÍGENES LESSA FACOL ISEOL - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA PORTARIA Nº 004 / 2009 ASSOCIAÇÃO LENÇOENSE DE EDUCAÇÃO E CULTURA - ALEC FACULDADE ORÍGENES LESSA FACOL ISEOL - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA PORTARIA Nº 004 / 2009 Usando as atribuições que lhe confere o regimento

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 101, de 15 de dezembro

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU) UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU) RESOLUÇÃO N.º 346/2005 Publicada no D.O.E. de 20-09-2005 Pág.17 Estabelece normas para a alteração de Regime de Trabalho, Controle

Leia mais

TÍTULO I DAS NORMAS GERAIS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO FUNCIONAL DOCENTE

TÍTULO I DAS NORMAS GERAIS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO FUNCIONAL DOCENTE Resolução n 011/2013-CEPE Regulamenta as normas para avaliação de desempenho acadêmico dos docentes da UFRR para fins de desenvolvimento na carreira. A PRESIDENTA DO DA, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ RESOLUÇÃO Nº 17/CEPE, DE 03 DE MAIO DE 2006 Aprova normas para os cursos de especialização da Universidade Federal do Ceará. O Reitor da UNIVERSIDADE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUN N 044, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUN N 044, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUN N 044, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 Estabelece as normas para distribuição das atividades

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERITÁRIO. RESOLUÇÃO N. 07/2015 CONSU/UNIFAP, de 06 de maio de 2015.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERITÁRIO. RESOLUÇÃO N. 07/2015 CONSU/UNIFAP, de 06 de maio de 2015. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERITÁRIO RESOLUÇÃO N. 07/05 CONSU/UNIFAP, de 06 de maio de 05. Estabelece as diretrizes que regulamentam o preenchimento do Plano de Atividades

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 034, de 13 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº. 034, de 13 DE OUTUBRO DE 2014 Parecer N o 070/04 Aprovado em //04 RESOLUÇÃO Nº. 04, de DE OUTUBRO DE 04 ANEXO I - CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE PONTUAÇÃO CAMPO I ATIVIDADES DE ENSINO. Docência em curso de graduação sem remuneração adicional

Leia mais

RESOLUÇÃO N 189 CEPEX/2007

RESOLUÇÃO N 189 CEPEX/2007 - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS RESOLUÇÃO N 189 CEPEX/2007 ESTABELECE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA ATRIBUIÇÃO DE ENCARGOS DOCENTES E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Reitor e Presidente do CONSELHO DE

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO PLANO DE CARREIRA DOCENTE PCD

CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO PLANO DE CARREIRA DOCENTE PCD CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO PLANO DE CARREIRA DOCENTE PCD DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.1º O Centro Universitário Franciscano Unifra, instituição de educação superior, entidade civil de ensino, sem

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO N 0 53, DE 30 DE ABRIL DE 2014 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO (lato sensu) CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO, NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS DOS CURSOS

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO (lato sensu) CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO, NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS DOS CURSOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA R E I T O R I A Rua Esmeralda, 430-97110-060 Faixa Nova Camobi Santa

Leia mais

ORIENTAÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS DO PLANO ACADÊMICO

ORIENTAÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS DO PLANO ACADÊMICO ORIENTAÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS DO PLANO ACADÊMICO PLANO ACADÊMICO Orientações de preenchimento dos Formulários de número 01 à 08 1) Formulário nº. 1 - Ensino de Graduação ou Educação Básica

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina 2 Anexo I da Resolução nº 92/99 Planejamento de Atividades Individuais do Docente Nome do Docente Departamento Centro Classe Regime de Trabalho Chapa Identificação do Docente Ano: A - Aulas de Graduação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO MATERNO-INFANTIL CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO MATERNO-INFANTIL CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO MATERNO-INFANTIL CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 56, de 16 de junho de 2016, publicado no Diário

Leia mais

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação:

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação: ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO Nome do Servidor: SIAPE: Lotação: Email: Telefone: Graduação: Titulação: Nível de RSC pretendido (marque com x o perfil pretendido) RSC I RSC

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno do Departamento das Ciências da Educação Física e Saúde DCEFS, anexo a esta Resolução.

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno do Departamento das Ciências da Educação Física e Saúde DCEFS, anexo a esta Resolução. RESOLUÇÃO N o 021, de 21 de maio de 2007. Aprova Regimento Interno do Departamento das Ciências da Educação Física e Saúde DCEFS. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO

Leia mais

PARECER Nº 034/2013 DA COORDENADORIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONEGÓCIOS.

PARECER Nº 034/2013 DA COORDENADORIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONEGÓCIOS. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ECONOMIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONEGÓCIOS PARECER Nº 034/2013 DA COORDENADORIA

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

ORIENTAÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS DO PLANO ACADÊMICO

ORIENTAÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS DO PLANO ACADÊMICO ORIENTAÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS DO PLANO ACADÊMICO PLANO ACADÊMICO Orientações de preenchimento dos Formulários de número 01 a 09. 1) Formulário nº. 1 - Ensino de Graduação Objetivo: Registrar

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 1.132, DE 2 DE JULHO DE 2003.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 1.132, DE 2 DE JULHO DE 2003. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 1.132, DE 2 DE JULHO DE 2003. Revoga a Resolução n.º 1.115, de 19 de dezembro de 2000, que dispõe sobre

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSUN N 017/2011

RESOLUÇÃO CONSUN N 017/2011 RESOLUÇÃO CONSUN N 017/2011 Ementa: Regulamenta a distribuição da carga horária docente em atividades de Ensino, Pesquisa, Extensão, Gestão e Associativa. O Presidente do Conselho Universitário-CONSUN,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. TITULO I Da Natureza, dos Fins e da Aprovação dos Cursos

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. TITULO I Da Natureza, dos Fins e da Aprovação dos Cursos REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU TITULO I Da Natureza, dos Fins e da Aprovação dos Cursos CAPÍTULO I Da Natureza e dos Fins dos Cursos Art. 1º Os cursos de pós-graduação Lato sensu

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco. Regimento Interno do Centro de Informática

Universidade Federal de Pernambuco. Regimento Interno do Centro de Informática Universidade Federal de Pernambuco Regimento Interno do Centro de Informática TÍTULO I DISPOSIÇÃO PRELIMINAR SUMÁRIO 2 TÍTULO II DA FINALIDADE DO CENTRO TÍTULO III DOS CURSOS DO CENTRO TÍTULO IV DA ESTRUTURA

Leia mais

PROPOSTA DO GRUPO DE TRABALHO DIRETRIZES PARA REGULAMENTAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO

PROPOSTA DO GRUPO DE TRABALHO DIRETRIZES PARA REGULAMENTAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO PROPOSTA DO GRUPO DE TRABALHO DIRETRIZES PARA REGULAMENTAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO CARREIRA DE MAGISTÉRIO SUPERIOR E CARREIRA DE MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO O Grupo de Trabalho

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO-MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ-UFPI Campus Universitário "Ministro Petrônio Portella", Bairro Ininga, Teresina, Piauí, Brasil; CEP 64049-550. Telefones: (86) 215-5511/215-5513/215-5516;

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades Complementares constituem ações a serem desenvolvidas ao longo do curso, criando

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 17/00-CEPE

RESOLUÇÃO Nº 17/00-CEPE RESOLUÇÃO Nº 17/00-CEPE Fixar normas básicas de controle e registro da atividade acadêmica dos cursos de Aperfeiçoamento e Especialização na modalidade de Educação a Distância da Universidade Federal do

Leia mais

NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. CAPÍTULO I Das considerações gerais

NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. CAPÍTULO I Das considerações gerais Sociedade de Educação e Cultura de Goiás www.faculdadearaguaia.edu.br Rua 18 n 81 Centro Goiânia Goiás Fone: (62) 3224-8829 NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA Art. 1º - O Estágio Supervisionado obrigatório tem por finalidade ministrar a prática

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 01 DE SETEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 01 DE SETEMBRO DE 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Avenida Vicente Simões, 1111 Bairro Nova Pouso Alegre 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone:

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades Complementares

Leia mais

Art. 1º Ficam estabelecidos os modelos de Plano Individual de Trabalho PIT e Relatório Individual de Trabalho RIT, constantes do Anexo;

Art. 1º Ficam estabelecidos os modelos de Plano Individual de Trabalho PIT e Relatório Individual de Trabalho RIT, constantes do Anexo; PORTARIA NORMATIVA Nº 005, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2015 Dispõe sobre distribuição da carga horária didática semanal dos docentes do IFB por tipo de atividade e dá outras providências. 1. Tendo em vista que

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MACHADO DE ASSIS FEMA FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MACHADO DE ASSIS FEMA FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MACHADO DE ASSIS FEMA FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS PLANO DE CARREIRA DOCENTE SANTA ROSA MARÇO/2010 PLANO DE CARREIRA DOCENTE CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º - O presente

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012. Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012. Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012 Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal de Santa

Leia mais

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES, PROGRAMAS E TABELA DE PONTUAÇÃO PARA JULGAMENTO DE TÍTULOS

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES, PROGRAMAS E TABELA DE PONTUAÇÃO PARA JULGAMENTO DE TÍTULOS DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL CONCURSO PÚBLICO PARA ENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 05, de 11 de fevereiro de 2014, publicado no Diário Oficial da União nº 30, de 12 de fevereiro de 2014. INFORMAÇÕES

Leia mais

FACULDADE BATISTA DE MINAS GERAIS CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DA MONITORIA AGOSTO DE 2014 CAPÍTULO I

FACULDADE BATISTA DE MINAS GERAIS CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DA MONITORIA AGOSTO DE 2014 CAPÍTULO I FACULDADE BATISTA DE MINAS GERAIS CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DA MONITORIA AGOSTO DE 2014 CAPÍTULO I DA MONITORIA: Art. 1º. A monitoria é uma atividade auxiliar à docência exercida por alunos regularmente

Leia mais

PORTARIA Nº 554, DE 20 DE JUNHO DE 2013

PORTARIA Nº 554, DE 20 DE JUNHO DE 2013 PORTARIA Nº 554, DE 20 DE JUNHO DE 2013 Estabelece as diretrizes gerais para o processo de avaliação de desempenho para fins de progressão e de promoção dos servidores pertencentes ao Plano de Carreiras

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM Regulamento de Atividades Complementares Curso de Enfermagem Capítulo I- Disposições Gerais Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade regrar as Atividades Complementares para o curso de Enfermagem

Leia mais

Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos

Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos APRESENTAÇÃO As Atividades Complementares (AC) são práticas curriculares de caráter independente, interdisciplinar e transversal que visam

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015 RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015 Aprovar ad referendum do Conselho Universitário- CONSUN, o Regulamento para a Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade do Contestado - UnC. A Presidente do Conselho Universitário

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO

PRÓ-REITORIA DE ENSINO PRÓ-REITORIA DE ENSINO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO Regulamento do Programa de Monitoria de Ensino aprovado pelo Conselho Superior do IFS através da Resolução nº 07/CS/2011. Aracaju/SE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO BR 174, S/Nº - Bairro Aeroporto Campus do Paricarana 69.310-270 - Boa Vista RR Fone (095)621-3100 Fax (095)621-3101

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CUNI Nº 008, DE 6 DE MARÇO DE 2012. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS, no uso de suas atribuições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013 Regulamenta os critérios de concessão, no âmbito da UFBA, da gratificação por encargos de cursos e concursos e dá outras providencias.

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 31/2014, DE 01 DE AGOSTO DE 2014

RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 31/2014, DE 01 DE AGOSTO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal do Espírito Santo Conselho Superior Avenida Rio Branco, 50 Santa Lúcia 29056-255 Vitória ES 27 3227-5564 3235-1741 ramal 2003 RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL)

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL) REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL) TÍTULO 1 Da Instituição e seus Fins Art. 1 0 O Centro de Estudos em Educação e Linguagem (CEEL), criado em 2004, para integrar uma

Leia mais

REGULAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Texto Aprovado CONSU Nº 2008-02 - Data:02/04/2008 Texto Revisado e Atualizado CONSU PRÓ-REITORIA ACADÊMICA Nº 2011-05 - Data: 24/03/11 2012-29 de 29/11/2012 REGULAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CAPÍTULO

Leia mais

PALMAS-TO DEZEMBRO 2013

PALMAS-TO DEZEMBRO 2013 REGULAMENTO DOS REGIMES DE TRABALHO, SUAS ALTERAÇÕES E AS ATRIBUIÇÕES DOS PROFESSORES DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO IFTO Aprovado pela Resolução nº 74/2013/CONSUP/IFTO, DE 16 DE DEZEMBRO DE

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE PIRATININGA

FACULDADE BARÃO DE PIRATININGA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades Complementares constituem ações a serem desenvolvidas ao longo do curso, criando

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE EDUCAÇÃO E HUMANIDADES FACULDADE DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE EDUCAÇÃO E HUMANIDADES FACULDADE DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE EDUCAÇÃO E HUMANIDADES FACULDADE DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EDITAL PARA CONCESSÃO/RENOVAÇÃO DE BOLSAS 2016 A Faculdade de Educação

Leia mais

DIRETRIZES PARA AS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E GESTÃO DO IFMS

DIRETRIZES PARA AS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E GESTÃO DO IFMS DIRETRIZES PARA AS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E GESTÃO DO IFMS Capítulo I DA FINALIDADE Art. 1º O presente documento tem por finalidade regulamentar as Atividades de Ensino, Pesquisa, Extensão

Leia mais

REFGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

REFGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA REFGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CANINDÉ CEARÁ 2014 R344 Regulamento das atividades complementares da licenciatura em matemática / Ana Claudia Gouveia de Sousa;

Leia mais

RESOLUÇÃO 04/2001 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1º - Fixar normas para o Funcionamento do Programa de Bolsas de Monitoria na UESB.

RESOLUÇÃO 04/2001 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1º - Fixar normas para o Funcionamento do Programa de Bolsas de Monitoria na UESB. Dispõe sobre o Programa de Bolsa de Monitoria da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB, revogando as disposições em contrário, em especial as Resoluções CONSEPE/UESB 18/94 e 48/97. O Conselho

Leia mais

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO Art. 1º A monitoria é uma atividade acadêmica, no âmbito da graduação, que pretende oferecer ao aluno experiência de iniciação à docência. 1º A monitoria

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL FACULDADE DE CIENCIAS HUMANAS E SOCIAIS UNESP FRANCA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL FACULDADE DE CIENCIAS HUMANAS E SOCIAIS UNESP FRANCA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL FACULDADE DE CIENCIAS HUMANAS E SOCIAIS UNESP FRANCA Dispõe sobre o cumprimento da carga horária das Atividades de Estágio Supervisionado

Leia mais

Faculdade de São Paulo. Regimento do ISE

Faculdade de São Paulo. Regimento do ISE Faculdade de São Paulo Regimento do ISE 2 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO (ISE) Art. 1. O Instituto Superior de Educação ISE é o órgão responsável pela supervisão dos cursos de licenciatura, zelando pela

Leia mais

EDITAL Nº 05/2013 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (PROSUP/CAPES) NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM COMUNICAÇÃO

EDITAL Nº 05/2013 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (PROSUP/CAPES) NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM COMUNICAÇÃO 1. Do objeto: EDITAL Nº 05/2013 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (PROSUP/CAPES) NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM COMUNICAÇÃO 1.1. A Comissão de Bolsas de Estudo

Leia mais

ANEXO I UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CONSELHO, ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DISCRIMINAÇÃO DAS ATIVIDADES DOCENTES

ANEXO I UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CONSELHO, ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DISCRIMINAÇÃO DAS ATIVIDADES DOCENTES ANEXO I UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CONSELHO, ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DISCRIMINAÇÃO DAS ATIVIDADES DOCENTES I. ENSINO 1. Aulas presenciais e semipresenciais em curso de graduação, pós-graduação

Leia mais

Faculdade Adventista da Bahia CURSO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

Faculdade Adventista da Bahia CURSO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Faculdade Adventista da Bahia CURSO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Regulamento de S ACADE MICO-CIENTI FICO-CULTURAIS (AACC) Cachoeira Bahia 2013 REGULAMENTO DAS S ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS PARA O CURSO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO ACADÊMICO DE VITÓRIA NÚCLEO DE ENFERMAGEM

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO ACADÊMICO DE VITÓRIA NÚCLEO DE ENFERMAGEM SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO ACADÊMICO DE VITÓRIA NÚCLEO DE ENFERMAGEM CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 56, de 6 de JUNHO de 06, publicado

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Pró-Reitoria de Gestão com Pessoas

Universidade Federal de São Paulo Pró-Reitoria de Gestão com Pessoas O CONSELHO DA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO COM PESSOAS INSTITUI REGULAMENTO DE AFASTAMENTO DOS SERVIDORES TÉCNICO ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO / UNIFESP PARA CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO CAPÍTULO I DOS CONCEITOS

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO Justificativa Conforme consta nas leis de 2004 e 2005, parecer CNE/CES Nºs: 210/2004, e 023/2005, um curso de graduação em Administração desenvolve-se

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FUNDEPE (Aprovado pelo Conselho Curador em 23 de junho de 2009)

REGIMENTO INTERNO DA FUNDEPE (Aprovado pelo Conselho Curador em 23 de junho de 2009) REGIMENTO INTERNO DA FUNDEPE (Aprovado pelo Conselho Curador em 23 de junho de 2009) Artigo 1º. - FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - FUNDEPE, além das disposições constantes

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO (MONOGRAFIA) TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO (MONOGRAFIA) TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO (MONOGRAFIA) TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relativas ao Trabalho de Curso do currículo

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés Regulamento do Programa de Monitoria para os cursos de Graduação A Monitoria é uma atividade Acadêmica dos cursos de Graduação que visa dar oportunidade de aprofundamento vertical de estudos em alguma

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE SÃO LOURENÇO

REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE SÃO LOURENÇO REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE SÃO LOURENÇO SÃO LOURENÇO/2014 CAPÍTULO l DOS OBJETIVOS Artigo 1º - As presentes normas têm por objetivo organizar e disciplinar a monitoria,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 80, DE 13 DE JUNHO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 80, DE 13 DE JUNHO DE 2014. 1 RESOLUÇÃO Nº 80, DE 13 DE JUNHO DE 2014. O COLEGIADO DE CURSO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS, do Câmpus de Três Lagoas, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE PSICOLOGIA Matriz 2016.1

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE PSICOLOGIA Matriz 2016.1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE PSICOLOGIA Matriz 2016.1 Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 11/16, de 27/04/16. Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 2010 Dispõe

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 29/08-CEPE

RESOLUÇÃO Nº 29/08-CEPE RESOLUÇÃO Nº 29/08-CEPE Aprova as normas básicas da atividade acadêmica dos Cursos de Graduação na modalidade de Educação a Distância da Universidade Federal do Paraná. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA DO IFMS Campo Grande - MS 2014 PROGRAMA DE MONITORIA DO IFMS Capítulo I DA APRESENTAÇÃO Art. 1º O presente Programa estabelece as finalidades, objetivos, atribuições e normas para

Leia mais

ANEXO I. 02 Aulas Efetivas em Curso de Pós-Graduação, observada a legislação vigente. 1. Tutoria de pós-doutorado concluída (por aluno).

ANEXO I. 02 Aulas Efetivas em Curso de Pós-Graduação, observada a legislação vigente. 1. Tutoria de pós-doutorado concluída (por aluno). 1 ANEXO I QUADRO DE ATIVIDADES REFERENCIAIS E CRITÉRIOS DE PONTUAÇÃO PARA A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PARA FINS DE PROGRESSÃO E PROMOÇÃO NA CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR NO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS GRUPO

Leia mais

7- Atividades Complementares (CH60)

7- Atividades Complementares (CH60) 7- Atividades Complementares (CH60) As atividades complementares no curso de Fisioterapia estão dispostas na nova matriz curricular para os ingressantes a partir do ano de 2008. Visando a garantir a flexibilidade

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA ACADÊMICA EM CURSOS SUPERIORES E SUBSEQUENTES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA ACADÊMICA EM CURSOS SUPERIORES E SUBSEQUENTES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS OSÓRIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA ACADÊMICA

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº 05/2009

RESOLUÇÃO CONSU Nº 05/2009 RESOLUÇÃO CONSU Nº 05/2009 Cria o Núcleo de Inovação Tecnológica da UESC - NIT O Presidente do Conselho Universitário CONSU - da Universidade Estadual de Santa Cruz UESC, no uso de suas atribuições, em

Leia mais

ALTERADA PELAS RESOLUÇÕES CS 14/2014 E CS 25/2015 RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 38/2013, DE 1º DE OUTUBRO DE 2013

ALTERADA PELAS RESOLUÇÕES CS 14/2014 E CS 25/2015 RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 38/2013, DE 1º DE OUTUBRO DE 2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO SUPERIOR Avenida Rio Branco, 50 Santa Lúcia 29056-255 Vitória ES 27 3227-5564 3235-1741 ramal 2003 ALTERADA PELAS RESOLUÇÕES CS 14/2014

Leia mais

das demais previsões relativas ao estágio previstas no Projeto Pedagógico do Curso, no Regimento Interno e na Legislação.

das demais previsões relativas ao estágio previstas no Projeto Pedagógico do Curso, no Regimento Interno e na Legislação. DIRETRIZES E NORMAS PARA O ESTÁGIO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE REDENTOR DE PARAÍBA DO SUL DOS OBJETIVOS Art. 1 O Sistema de Estágio da FACULDADE REDENTOR DE PARAÍBA DO SUL terá por objetivos gerais:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.074, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.074, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.074, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010 Dispõe sobre os Planos Acadêmicos, Regimes e Horário de

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFSM/CESNORS TÍTULO I: DO REGIME

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 11/2012 Aprova a estrutura curricular contida no Projeto Pedagógico do Curso

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO- OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNISC

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO- OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNISC UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO- OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNISC CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

CRONOGRAMA DO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES 2015/2º SEM.

CRONOGRAMA DO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES 2015/2º SEM. CRONOGRAMA DO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES 2015/2º SEM. ATIVIDADES DATAS Publicação do Edital 29 de agosto de 2015 Período de inscrições de 31 de agosto a 29 de setembro de 2015 Período de realização

Leia mais

CONSIDERANDO os pronunciamentos contidos no Processo nº 39460/2006:

CONSIDERANDO os pronunciamentos contidos no Processo nº 39460/2006: DELIBERAÇÃO CÂMARA DE GRADUAÇÃO Nº 04/2007 Aprova o Regulamento de Estágios Curriculares Obrigatório e não Obrigatório do Curso de Letras Modalidade: Licenciatura Habilitações: Língua Inglesa e Respectivas

Leia mais

Normas Referentes a Bolsas e Estágios

Normas Referentes a Bolsas e Estágios Normas Referentes a Bolsas e Estágios 1. Conceito e Objetivos Estágio é o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de

Leia mais

Regulamenta o Programa de Estágio de Estudantes na Câmara Municipal de São Paulo.

Regulamenta o Programa de Estágio de Estudantes na Câmara Municipal de São Paulo. ATO 994/07 Regulamenta o Programa de Estágio de Estudantes na Câmara Municipal de São Paulo. Considerando a Lei Federal nº 6.494, de 07/12/1977, que dispõe sobre o estágio de estudantes de ensino superior,

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 09/96, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

RESOLUÇÃO N o 09/96, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N o 09/96, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO Aprova o Plano Integrado de Capacitação dos Servidores Téc nicos-administrativos da Universidade Federal de Uberlândia. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL MONITORIA

REGULAMENTO INSTITUCIONAL MONITORIA UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA. REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE MONITORIA São Paulo 2010 CAPÍTULO l DOS OBJETIVOS Artigo 1º - As presentes normas têm por objetivo organizar e disciplinar

Leia mais

APROVAR O REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES E PROPÕE OUTRAS PROVIDÊNCIAS

APROVAR O REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES E PROPÕE OUTRAS PROVIDÊNCIAS A presidente da Autarquia do Ensino Superior de Garanhuns, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO a necessidade de normatizar o regime de atividades complementares da AESGA, RESOLVE: APROVAR O REGULAMENTO

Leia mais