Sistema de Alimentação para lâmpadas UV.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema de Alimentação para lâmpadas UV."

Transcrição

1 Página 1 de 8 Sistema de Alimentação para lâmpadas UV. Linha: UV-TRON - Alimentação bifásica - Alto fator de potência Revisão: 2

2 Página 2 de 8 Características Gerais: O sistema Rasatronic UV-TRON é um sistema eletrônico em estado sólido, projetado especialmente para controlar a potência em lâmpadas UV através de um sinal de controle em baixa potência. A unidade consiste basicamente de 3 partes: Transformador, módulo de potência e placa de controle. Uma variação de 50 a 100% da corrente na lâmpada significa uma variação de 25% a 100% na potência da mesma, sem considerar possíveis variações na impedância da lâmpada. Vantagens na utilização: - Possibilidade de ajuste de acordo com a corrente máxima de carga; - Partida inicial em soft-start (Partida em rampa); - Desligamento automático em caso de sobrecorrente ou curto-circuito; - Sistema compacto e de fácil instalação; - Limitação da corrente de partida, maior durabilidade da lâmpada; - Baixo índice de manutenção. Placa de controle: Tensão de alimentação: 220Vac. Sinais de controle: Potenciômetro externo.(opcionalmente pode ser fornecido com controle por sinal externo: 4-20mA, 0-5 V ou 0-10 V ). Temperatura ambiente: 0 á 45 ºC. Dispositivos de proteção: Curto Circuito: Atua em, no máximo, um semi-ciclo de senóide após a ocorrência de curto circuito na carga. Sobrecorrente: Atua quando a corrente de trabalho ultrapassar a corrente nominal indicada na etiqueta situada no dissipador do módulo de potência. Recomenda-se a utilização de fusíveis ultra-rápidos na entrada da unidade para proteção do módulo de potência. Fusíveis a ser usado nesta unidade: Ampéres Alimentação bifásica: Onde a rede for 220 V fase-neutro e 380 V fase-fase, usar transformador de 380 V ligado em 2 fases. Onde a rede for 127 V fase-neutro e 220 V fase-fase, usar transformador de 220 V ligado em 2 fases Equilíbrio das fases: Máquinas com 1 transformador: REDE TRIFÁSICA R S T TRANSFORMADOR OUTROS DISPOSITIVOS Máquinas com 2 transformadores: R TRANSFORMADOR 1 REDE S OUTROS DISPOSITIVOS TRIFÁSICA TRANSFORMADOR 2 T Máquinas com 3 transformadores: R TRANSFORMADOR 1 REDE S TRANSFORMADOR 2 TRIFÁSICA TRANSFORMADOR 3 T Outros dispositivos distribuir entre as fases

3 Página 3 de 8 Ventilação: Prever grades de ventilação ao lado ou abaixo do transformador para constante troca de ar, a fim de obter dissipação de calor. As grades de ventilação devem possuir filtros apropriados para reter a poeira em suspensão. Caso necessário, colocar ventilação forçada para manter a temperatura interna do gabinte em 45 C máximos. O transformador não deve ser montado muito próximo as paredes laterais da máquina, a fim de facilitar a ventilação e evitar que o campo magnético faça a lateral vibrar e, em alguns casos, causar aquecimento. Pode-se usar como padrão, uma distância mínima igual à metade da profundidade do conjunto, ou seja, se o conjunto tiver uma profundidade de 300 mm, a distância entre ele e o gabinete onde será instalado, deve ser de 150 mm no mínimo, se mesmo assim houver vibração ou aquecimento da chapa do gabinete, esta distância deverá ser aumentada. P L L/2 Microventilador 150 x 150 mm Aconselhamos a instalação no gabinte de um microventilador axial de 150 x 150 (ou 162 x 162) mm para cada trafo, na parte de trás do mesmo, direcionado para as bobinas, que é o ponto de maior aquecimento. Potenciômetro: Instalar o potenciômetro no painel. O sistema já vem com um cabo de 2 metros conectado na placa de controle e no potenciômetro. Caso seja necessário um cabo maior ou menor, pode ser solicitado na ocasião do pedido uma medida especifica para cada máquina. Aconselha-se sempre o uso de cabo blindado, para evitar interferência no circuito de controle. O potenciômetro vai permitir um ajuste na corrente da lâmpada de, aproximadamente, 50 à 100%. Importante: O sistema de espera quando acionado, (unido os 2 terminais), a potênica cai para o valor baixo, independente da posicao do potencimetro. Sistema de espera - redução automática da potência de saída: BL Blindagem Fio Não usado Potenciômetro Usar cabo blindado 1 x 0,5 mm2 Potenciômetro multivoltas Conectar as saídas para o sistema de espera em um relé ou contatora do sistema de parada da máquina. Quando os dois terminais indicados A e B forem fechados (unidos) através dos contatos de um relé ou contatora, o sistema vai para uma potência reduzida na lâmpada, permanecendo até que forem abertos estes contatos, voltando para a potência que está ajustada pela posição do potenciômetro. Comum OBS: O alarme de lâmpada fraca ou desligada e o termostato são opcionais e não inclusos nos preços dos modelos normais Termostato A B Espera BL SISTEMA DE ESPERA REDUÇÃO AUTOMÁTICA DA POTÊNCIA DE SAÍDA

4 K1 G1 K2 G2 Eletrônica Industrial Página 4 de 8 Ajustes: Não existe a necessitade de efetuar-se nenhum ajuste adicional no equipamento pois o mesmo já é configurado na fábrica. Apenas é preciso fazer a seleção fina da tensão da rede disponível, medindo-se a tensão da rede e ajustar, se necessário o tap de entrada do transformador. Uma das fases deve ser conectada no ponto 0 V. 0V 340V 360V 380V 400V 420V Outra fase ligar no ponto correspondente à tensão da rede disponível. OBS: Os cabos que são ligados aos capacitores não precisam ser mudado de posição, eles ficam sempre ligados entre o 0 V e o 380 V (ou 220 V no caso de transformadores para esta alimentação). Conexões: A conexão de potência é disponível através de parafusos de entrada/saída apropriados para fixação de cabos que devem possuir terminais tipo tubular. A conexão de rede está na parte frontal superior do trafo, e para a lâmpada na parte frontal inferior. Para ligação da carga, devem ser usados cabos adequados á potência e corrente do equipamento, visto que tratam-se de níveis elevados de tensão. Recomenda-se o uso de CABO SILICONE 2,5mm² 1,8/3,6 kv, próprios para uso em média tensão. - Os cabos de sinalização e controle devem ser instalados em separado dos cabos de potência; - As conexões de controle estão disponíiveis na parte frontal esquerda do transformador; - Os cabos para o potenciômetro e o sistema de espera devem ser blindados; - Os cabos para o termostato e o alarme de lâmpada fraca ou desligada, podem ser cabos flexíveis comuns; - O contato do termostato abre quando a temperatura do trafo atingir 130 C, e o alarme de lâmpada fraca ou desligadaa possui as 2 opções, e, e é acionado quando a lâmpada se apaga ou fica muito fraca. Rede elétrica 220, 380, 440V ou 480V CFP ESQUEMA DE LIGAÇÕES Autotransformador para alimentação da placa eletrônica 380 V / 220 V Conecção da rede 0V 340V 360V 380V 400V 420V Trafo de corrente Comum O alarme de lâmpada fraca ou desligada e o termostato são opcionais. 380V F1 220V 1 2 TC2 TC1 F1 F2 IN- IN+ + Vcc Alim. 220Vac Blindagem F2 Blindagem Conexões de Controle Termostato Espera BL SISTEMA DE ESPERA Blindagem Fio Não usado Potenciômetro Conecções da lâmpada LÂMPADA TERRA É muito importante o aterramento do sistema, para que, em caso de falha, as tensões em relação à terra e carcaça da máquina fiquem baixas.

5 Página 5 de 8 IMPORTANTE - A instalação e manutenção de dispositivos elétricos devem ser feitas somente por profissional habilitado, e tomadas todas as providências de segurança previstas na NR Podem haver diferenças na tensão de disparo e de trabalho em lâmpadas de fabricantes diferentes; - Os ajustes necessários para adaptar o Sistema de Potência a diversas marcas de lâmpadas só podem ser feitos na fábrica da Rasatronic; - A empresa não ajusta os sistemas no cliente; - A assistência técnica somente é feita na fábrica da Rasatronic. Possíveis falhas: Sintoma: Possivel causa: Solução: Nenhum sinal de funcionamento - Saída nula no transformador Desligamento do sistema em plena carga Funcionamento normal do sistema, porém com corrente elevada na entrada do transformador Fio solto no potenciômetro Fusível da placa danificado Corrente na lâmpada acima do normal Curto-circuito na lâmpada Funcionamento anormal dos capacitores para correção do fator de potência Tap de entrada do transformador não coincidente com tensão da rede elétrica Verificação das conexões no potenciômetro Verificação do fusível da placa Verificação da corrente na lâmpada e funcionamento do amperímetro Verificação de rigidez no circuito da lâmpada Verificação e substituição dos capacitores Efetuar a medição da rede elétrica de entrada e adequar o tap do transformador para o valor correto OBS.: As cores usadas nas figuras deste manual, são apenas para compreensão dos esquemas.

6 K1 G1 TR PULSO 2/2 K2 TR PULSO 2/2 G2 Eletrônica Industrial Página 6 de 8 Manutenção: A manutenção de equipamentos elétricos deve ser efetuada por profissional habilitado e tomadas todas as medidas de segurança prevista na NR-10. O sistema de alimentação UV-TRON Rasatronic, em condições normais de uso, não exige nenhuma manutenção periódica. TRANSFORMADOR MÓDULO DE POTÊNCIA PLACA DE CONTROLE Para trocar a placa de controle, é preciso apenas soltar 3 conectores: Os 2 que vão para o módulo de potência TC2 TC1 F1 F2 IN- E o grande que vai para as demais ligações IN+ + Vcc Alim. 220Vac TR 220 / Logo após, soltar os 4 parafuso que prendem a placa e fazer a troca. Uma característica particular e muito importante deste sistema é que, no caso de danos na etapa de controle, a alimentação pode continuar a ser fornecida para a lâmpada, na potência máxima, para não parar o processo até o conserto do setor de controle. Na necessidade de manutenção da placa o sistema continuará funcionando como se fosse um sistema convencional sem controle de potência. Procedimento para desabilitar o sistema de controle Transformador operando sozinho em máxima potência Para tornar o sistema independente do controle, basta fazer um jumper no módulo de potênica, como indicado abaixo. Caso a corrente na lâmpada fique acima da nominal, basta aumentar um tap na conexão da fase 2 da rede no trafo. Para troca do módulo é preciso apenas soltar os 2 parafusos que o prendem ao dissipador e os 4 conectores na parte de cima Unir os pontos 1 e 2 do módulo de potência. 1

7 Página 7 de 8 Acessórios opcionais Amperímetro digital Até 19,9 A Desenvolvido especialmente para uso em sistemas UV. Voltímetro digital Para mediçao de tensão até 1999 V. TCR-15/5 Padrão 15/5A Medição de corrente Obtem uma amostra da corrente do com completa isolação entre a lâmpada e o amperímetro. TPR Medição de tensão em instalação e manutenção Provê o Isolamento e adequação da tensão de alimentação da lâmpda para o circuito de medição, para uma leitura precisa. TPR Para uso em conjunto como voltímetro digital Provê o Isolamento e adequação da tensão de alimentação da lâmpda para o circuito de medição, para uma leitura precisa. Caixa fundo de painel padrao DIN. Entrada com cabos de alta tensao: V e saida para o medidor com terminais. Sensor de Corrente: Detecta quando a lâmpada apaga ou sua corrente cai para um valor muito baixo, acionando um relé /. O relé é acionado após alguns segundos após a lâmpada apagar ou enfraquecer. Os contatos do relé podem ser usados para acionar um alarme, contatora, etc. Controle Sensor - TC Ganchos de sustentação para içamento. Protetor térmico bimetálico.

8 Página 8 de 8 Exemplo de aplicação Sensor lâmpada apagada C Para alarme ou desligamento automático Amperímetro 888 TCR-15/5A Saída do transformador Sensor TC 3 voltas completas por dentro da janela do TC Lâmpada Voltímetro 8888 TPR-101 ou TPR-3000 CONTATO: Rasatronic Eletrônica Industrial Ltda. Av. Silvio Sanson, 650L Bairro São Cristóvão Guaporé RS CEP: Fone/fax: (54) / (54) Site:

Manual Técnico. Transformadores de Potência. Versão: 5

Manual Técnico. Transformadores de Potência. Versão: 5 Manual Técnico Transformadores de Potência Versão: 5 Índice 2 8 Página 1 1 INTRODUÇÃO Este manual fornece instruções referentes ao recebimento, instalação e manutenção dos transformadores de potência a

Leia mais

Sistema de Alimentação para lâmpadas UV.

Sistema de Alimentação para lâmpadas UV. Página 1 de 6 Sistema de Alimentação para lâmpadas UV. Linha: UV-CON Manual de instalação Versão 6 Página 2 de 6 Características gerais O sistema Rasatronic da série UV-CON é um sistema eletromagnético

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 155ED +55 (16) 33833818

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 155ED +55 (16) 33833818 A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 33833818 bambozzi Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

Sistema de alimentação para lâmpadas UV UV - TRON

Sistema de alimentação para lâmpadas UV UV - TRON Sistema de alimentação para lâmpadas UV UV - TRON Manual de instalação Versão: 20 Características gerais Equilíbrio da fase Ventilação Ajustes Conexões Possíveis falhas Manutenção Acessórios opcionais

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES REFRIGERADOR PARA ÔNIBUS MODELO G7

MANUAL DE INSTRUÇÕES REFRIGERADOR PARA ÔNIBUS MODELO G7 MANUAL DE INSTRUÇÕES Compact Indústria de Produtos Termodinâmicos Ltda. Fábrica: Est. BR-116 KM 152,3, 21940 Pavilhão 1 Bairro Planalto Caxias do Sul - RS - CEP 95070-070 Fone (0XX) 54-2108-3838- Fax:

Leia mais

Manual de instalação e configuração do módulo de saídas NSR-08

Manual de instalação e configuração do módulo de saídas NSR-08 Manual de instalação e configuração do módulo de saídas NSR-08 Sumário DESCRIÇÃO GERAL...4 VANTAGENS...4 CARACTERÍSTICAS...4 LED DE STATUS DO MODULO...4 ESQUEMA DE LIGAÇÕES...5 LIGAÇÃO DO CABO DE COMUNICAÇÃO...6

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções NM 250 TURBO +55 (16) 3383 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com.

bambozzi Manual de Instruções NM 250 TURBO +55 (16) 3383 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com. bambozzi A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 3383 3818 Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 155ED +55 (16) 3383

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 155ED +55 (16) 3383 A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 3383 3818 bambozzi Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

POWERTRANS ELETRÔNICA INDUSTRIAL Manual Técnico de Instalação e Operação POWERBLOCK MASTER MONOFÁSICO

POWERTRANS ELETRÔNICA INDUSTRIAL Manual Técnico de Instalação e Operação POWERBLOCK MASTER MONOFÁSICO POWERTRANS Eletrônica Industrial Ltda. Rua Ribeiro do Amaral, 83 Ipiranga SP - Fone/Fax: (11) 2063-9001 E-mail: powertrans@powertrans.com.br Site: www.powertrans.com.br Manual Técnico de Instalação e Operação

Leia mais

Manual de Instalação DIGISTAR XE - 10 DIGISTAR XE - 16 DIGISTAR XE - 16 A

Manual de Instalação DIGISTAR XE - 10 DIGISTAR XE - 16 DIGISTAR XE - 16 A Manual de Instalação DIGISTAR XE - 10 DIGISTAR XE - 16 DIGISTAR XE - 16 A Sumário 1 - Instalação 1.1 - Ambiente de Instalação... 3 1.2 - Fixação Mecânica... 3 1.3 - Rede Elétrica... 4 1.4 - Fiação... 5

Leia mais

Manual Técnico. Autotransformadores para Chave Compensadora. Revisão 3.0. Índice

Manual Técnico. Autotransformadores para Chave Compensadora. Revisão 3.0. Índice Página 1 de 6 Manual Técnico Autotransformadores para Chave Compensadora Revisão 3.0 Índice 1 Introdução...2 2 Recebimento...2 3 Instalação...3 3.1 Local de instalação...3 3.2 Ligações...3 4 Manutenção...5

Leia mais

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-211 CONTROLE REMOTO

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-211 CONTROLE REMOTO CENTRAL DE ALARME COM FIO AW2 CONTROLE REMOTO CARACTERÍSTICAS DO APARELHO Central de alarme de setor com fio; Caixa plástica com alojamento para bateria selada de 7 A/H; Carregador de bateria incorporado;

Leia mais

Hamtronix CONTROLE REMOTO DTMF. CRD200 - Manual de Instalação e Operação. Software V 2.0 Hardware Revisão B

Hamtronix CONTROLE REMOTO DTMF. CRD200 - Manual de Instalação e Operação. Software V 2.0 Hardware Revisão B Hamtronix CRD200 - Manual de Instalação e Operação Software V 2.0 Hardware Revisão B INTRODUÇÃO Índice...01 Suporte On-line...01 Termo de Garantia...01 Em Caso de Problemas (RESET)...01 Descrição do Produto...02

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Central de Alarme Particionada

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Central de Alarme Particionada MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO AP6 Central de Alarme Particionada www.compatec.com.br 2 www.compatec.com.br 3 4. Dimensões do produto... 5. Conhecendo o seu produto... 7 5.1 Conhecendo as funções da central...

Leia mais

* Acesso à programação protegido por senha; * Alimentação: 90 a 240Vca (Fonte chaveada).

* Acesso à programação protegido por senha; * Alimentação: 90 a 240Vca (Fonte chaveada). PROGRAMADOR HORÁRIO MANUAL DE INSTRUÇÕES MTZ622R - 90~240VCA - P504 VERSÃO.0 ABRIL/202 * Acesso à programação protegido por senha; * Alimentação: 90 a 240Vca (Fonte chaveada). 3.2 DIMENSÕES PLACA IHM:

Leia mais

Manual de instalação e configuração do módulo de entradas WEBER-REP

Manual de instalação e configuração do módulo de entradas WEBER-REP Manual de instalação e configuração do módulo de entradas WEBER-REP Sumário CONVENÇÕES UTILIZADAS...3 DESCRIÇÃO GERAL...4 VANTAGENS...4 CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS...4 ESPECIFICAÇÕES GERAIS...5 LED DE STATUS

Leia mais

Sistema de Alimentação para lâmpadas UV.

Sistema de Alimentação para lâmpadas UV. Página de 7 Sistema de Alimentação para lâmpadas UV. LINHAS: UV-SEL UV-SEL+ Manual de instalação Versão Página 2 de 7 Características gerais O sistema Rasatronic da série UV-SEL, é um sistema eletromagnético

Leia mais

Manual de Instruções. Deve operar em ambientes isentos de gases corrosivos, poeiras inflamáveis ou materiais explosivos.

Manual de Instruções. Deve operar em ambientes isentos de gases corrosivos, poeiras inflamáveis ou materiais explosivos. Modelo: RPCF 3/ 12 Introdução O é apropriado para um eficiente controle da energia reativa das instalações elétricas. Ele é dotado de um microcontrolador com um poderoso algoritmo de otimização do fator

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL MODELO TD-870

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL MODELO TD-870 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL MODELO TD-870 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... - 1-2. REGRAS DE SEGURANÇA...

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO CATEGORIA: SIRENES ELETROMECÂNICAS Sirene Eletromecânica Industrial Convencional Para Médias e Grandes Áreas - Código: AFRT12. A sirene de alarme código AFRT12 é um equipamento que deve ser instalado no

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para Compra

Descrição do Produto. Dados para Compra Descrição do Produto Os módulos supressores para pontos analógicos AL-3492 e AL-3493 foram desenvolvidos para oferecer alta proteção contra surtos de tensão em pontos de entrada ou saída analógicos. Por

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 325ED +55 (16) 33833818

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 325ED +55 (16) 33833818 A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 33833818 bambozzi Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor de Resistência Transdutor de Temperatura W151 / W152. Revisão I

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor de Resistência Transdutor de Temperatura W151 / W152. Revisão I MANUAL DO USUÁRIO Transdutor de Resistência Transdutor de Temperatura W151 / W152 Índice Capítulo Página Introdução 3 Termo de Garantia 3 Características Técnicas 4 Esquemas de Ligação 6 Saída Analógica

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE Página 1 de 10 Manual Técnico Transformadores de potência Revisão 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 RECEBIMENTO...2 3 INSTALAÇÃO...3 3.1 Local de instalação...3 3.2 Ligações...3 3.3 Proteções...7 4 MANUTENÇÃO...9

Leia mais

TERMÔMETRO DIGITAL Temperatura interna/externa com funções máxima e mínima, alarme externo e conexão RS-232. Manual de Instruções

TERMÔMETRO DIGITAL Temperatura interna/externa com funções máxima e mínima, alarme externo e conexão RS-232. Manual de Instruções TERMÔMETRO DIGITAL Temperatura interna/externa com funções máxima e mínima, alarme externo e conexão RS-232. MODELO 7427.03.0.00 Manual de Instruções TERMÔMETRO DIGITAL Temperatura interna/externa com

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Sensor / Detector de Fumaça Óptico Convencional + Módulo Endereçável Código: AFDFE. (Ideal Para Utilizar em Conjunto com a Central de Alarme de Incêndio AFSLIM). O detector de fumaça código AFDFE é um

Leia mais

Descrição Geral 04. Descrição Geral 05. Programação 06. Funcionamento 07. Funcionamento 08. Funcionamento 09. Funcionamento 10

Descrição Geral 04. Descrição Geral 05. Programação 06. Funcionamento 07. Funcionamento 08. Funcionamento 09. Funcionamento 10 Parabéns por ter adquirido um dos produtos da empresa Fertron, uma empresa que tem orgulho de ser brasileira, atendendo clientes em todo o território nacional e também em diversos países. Nossa meta é

Leia mais

GA-1 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante Instruções de instalação e funcionamento

GA-1 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante Instruções de instalação e funcionamento Labkotec Oy Myllyhaantie 6 FI-33960 PIRKKALA FINLAND Tel: +358 29 006 260 Fax: +358 29 006 1260 19.1.2015 Internet: www.labkotec.com 1/11 GA-1 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante Copyright

Leia mais

PASSFINGER 1040. Manual de utilização

PASSFINGER 1040. Manual de utilização PASSFINGER 1040 Manual de utilização Sumário 1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PASSFINGER 1040...3 2 - APLICAÇÕES...4 2.1 RECOMENDAÇÕES DE INSTALAÇÃO...5 2.1.1 Recomendações de utilização...5 3 BULA DE INSTALAÇÃO...7-4

Leia mais

Eletrônica Industrial. Tr1 12 V 1A. Gnd 220 V 60 Hz. Fuse. 127 V 60 Hz 24 V 2A. Bridge 1. Alimentação para lâmpadas UV

Eletrônica Industrial. Tr1 12 V 1A. Gnd 220 V 60 Hz. Fuse. 127 V 60 Hz 24 V 2A. Bridge 1. Alimentação para lâmpadas UV Tr1 12 V 1A D1 Gnd 220 V 60 Hz C1 Fuse 1A D2 127 V 60 Hz 24 V 2A C2 Bridge 1 Alimentação para lâmpadas UV Transformadores Características gerais: Partida automática. Podem ser usadas lâmpadas de gálio

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA FONTE DIGITAL MODELO PS-3060D

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA FONTE DIGITAL MODELO PS-3060D MANUAL DE INSTRUÇÕES DA FONTE DIGITAL MODELO PS-3060D Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do aparelho ÍNDICE 1. Introdução... 01 2. Especificações... 02 2.1. Gerais...

Leia mais

VÍDEO PORTEIRO SENSE E VIVA-VOZ SENSE. Manual de Instalação

VÍDEO PORTEIRO SENSE E VIVA-VOZ SENSE. Manual de Instalação VÍDEO PORTEIRO SENSE E VIVA-VOZ SENSE Manual de Instalação Manual de Instalación Installation Manual HDL da Amazônia Indústria Eletrônica LTDA. Av. Abiurana, 1150 - Distrito Indústrial Manaus - AM - Cep:

Leia mais

Manual da Prensa 38x38 / 40x60 Plana

Manual da Prensa 38x38 / 40x60 Plana Manual da Prensa 38x38 / 40x60 Plana JD INK JET Apresentação. O desenvolvimento da prensa JD INK JET, foi criada e acompanhada por engenheiros Coreanos na China, e ao decorrer dos anos fomos aprimorando

Leia mais

1) Entendendo a eletricidade

1) Entendendo a eletricidade 1) Entendendo a eletricidade 1 2) Circuitos Modelix 2 3) Utilizando o Sistema Esquemático Modelix-G (Modelix-Grafix) 6 4) Fazendo montagens com os Circuitos Modelix 7 5) Exercícios para treinar 8 Objetivo:

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA GPC

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA GPC SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPC 01 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA

Leia mais

CM4020/M. Controlador do Fator de Potência. Sensoramento Monofásico 350877 - Rev. A3

CM4020/M. Controlador do Fator de Potência. Sensoramento Monofásico 350877 - Rev. A3 Controlador do Fator de Potência CM4020/M Sensoramento Monofásico 350877 - Rev. A3 Embrasul Indústria Eletrônica Ltda Av. Bahia, 684 - Porto Alegre - RS - Brasil 90240-551 Fone: (51) 3358.4000 - Fax: (51)

Leia mais

Manual de Operações. Estação Auto-Manual AMS-1. www.innowatt.ind.br

Manual de Operações. Estação Auto-Manual AMS-1. www.innowatt.ind.br Manual de Operações Estação Auto-Manual AMS-1 www.innowatt.ind.br 1 INTRODUÇÃO Obrigado por ter escolhido um produto INNOWATT. Para garantir o uso correto e eficiente, é imprescindível a leitura completa

Leia mais

CM8000TC. Manual do Usuário

CM8000TC. Manual do Usuário CM8000TC Manual do Usuário R Descrição Geral O CM8000TC é um temporizador microprocessado com 2 setpoints. Possui display a LED de 6 dígitos com escala em horas, minutos e segundos. A programação dos setpoints

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO SC 203

GUIA DE INSTALAÇÃO SC 203 GUIA DE INSTALAÇÃO SC 203 1. Instalação do equipamento 1. Fixação placa de montagem Retire uma Estação de Controle de Acesso, desmontar o parafuso entre o corpo da máquina e placa de montagem até que ele

Leia mais

Compatível com o módulo AIO571 Nota: Os conectores de interface dos módulos podem ser do tipo alavanca (para os módulos novos) ou do tipo parafuso.

Compatível com o módulo AIO571 Nota: Os conectores de interface dos módulos podem ser do tipo alavanca (para os módulos novos) ou do tipo parafuso. Automação Industrial Módulos Controlador P7C - HI Tecnologia 7C 573 57 3 O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador P7C da HI tecnologia (PMU10700100). A lista de verbetes consta

Leia mais

PORTEIROS ELETRÔNICOS RESIDÊNCIAIS - KITs

PORTEIROS ELETRÔNICOS RESIDÊNCIAIS - KITs RESIDÊNCIAIS KITs 26.0 INTRODUÇÃO AOS PORTEIROS ELETRÔNICOS RESIDÊNCIAIS KITs O porteiro eletrônico residencial é um sistema constituído por quatro componentes básicos. 3 S Figura 1 KIT NR30 Figura 2 KIT

Leia mais

Manual de utilização do módulo NSE METH 3E4RL

Manual de utilização do módulo NSE METH 3E4RL INSTALAÇÃO 1 - Baixe o arquivo Software Configurador Ethernet disponível para download em www.nse.com.br/downloads-manuais e descompacte-o em qualquer pasta de sua preferência. 2 - Conecte a fonte 12Vcc/1A

Leia mais

Eletroímã VERSÃO DO MANUAL

Eletroímã VERSÃO DO MANUAL Eletroímã VERSÃO DO MANUAL 1.4 de 19/02/2013 3045 Sumário 1. Apresentação... 3 2. Itens que Acompanham... 3 2.1. FECHBEM SUPER FS 150 e FS 200... 3 2.2. AUTOMAG F300 E F600... 4 3. Especificações Técnicas...

Leia mais

PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP

PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP Partindo de um conhecimento de comandos elétricos e lógica de diagramas, faremos abaixo uma revisão para introdução à CLP. Como saber se devemos usar contatos abertos ou fechados

Leia mais

REFLETÔMETRO M43D EEL (SMOKE STAIN RFLECTOMETER) MANUAL DE OPERAÇÃO. Responsável: José Walderley Coêlho Dias

REFLETÔMETRO M43D EEL (SMOKE STAIN RFLECTOMETER) MANUAL DE OPERAÇÃO. Responsável: José Walderley Coêlho Dias ENERGÉTICA IND.E COM. LTDA. Rua Gravataí, 99 Rocha CEP 20975-030 Rio de Janeiro RJ CNPJ 29.341.583/0001-04 IE 82.846.190 Fone: (0xx21) 2501-1998; Fax: (0xx21) 2241-1354 REFLETÔMETRO M43D EEL (SMOKE STAIN

Leia mais

IECETEC. Acionamentos elétricos AULA 16 SOFT START

IECETEC. Acionamentos elétricos AULA 16 SOFT START AULA 16 SOFT START 1- Introdução Soft-starters são utilizados basicamente para partidas de motores de indução CA (corrente alternada) tipo gaiola, em substituição aos métodos estrela-triângulo, chave compensadora

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL MODELO TD-801

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL MODELO TD-801 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL MODELO TD-801 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. Introdução... 02 2. Regras de segurança...

Leia mais

Building Technologies

Building Technologies Building Technologies Detecção de Incêndio Catálogo de Produtos BC80 Índice Página 1. Central de Detecção e Alarme de Incêndio Série BC8001... 4 BC8001/e Central de Detecção e Alarme de Incêndio BC8001

Leia mais

8.1 Verificações Prévias 11 8.2 Instalação da válvula 13

8.1 Verificações Prévias 11 8.2 Instalação da válvula 13 MÁQUINA DE ALTA FREQÜÊNCIA FREQUENCY 3 ÍNDICE 1. Apresentação 03 2. Introdução 04 3. Características Técnicas 05 4. Inspeção de Recebimento 06 5. Transporte 08 6. Abrindo a Embalagem 09 7. Identificação

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL FÊNIX-20L

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL FÊNIX-20L MANUAL TÉCNICO SUMÁRIO CARACTERÍSTICAS GERAIS... 3 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS... 3 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... 3 PAINEL... 4 FUNÇÕES DO PAINEL... 4 FUNÇÕES INTERNAS PLACA DE CONTROLE... 6 FUNÇÕES INTERNAS

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MDC 305ED +55 (16) 33833818

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MDC 305ED +55 (16) 33833818 A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 33833818 bambozzi Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

9. MANUTENÇÃO DE TRANSFORMADORES:

9. MANUTENÇÃO DE TRANSFORMADORES: 9. MANUTENÇÃO DE TRANSFORMADORES: 9.1 OTIMIZAÇÃO E MONITORAMENTO DA OPERAÇÃO DOS TRANSFORMADORES Os transformadores são máquinas estáticas que transferem energia elétrica de um circuito para outro, mantendo

Leia mais

CHAVES DE PARTIDA. Manobra e Proteção de Motores Elétricos

CHAVES DE PARTIDA. Manobra e Proteção de Motores Elétricos CHAVE DE PATIDA Manobra e Proteção de Motores Elétricos üchaves de partida em caixa termoplástica e metálica; üampla faixa de potências; üdisponibilidade de diversos tipos de acionamento (Liga/Desliga/eset/Auto);

Leia mais

Conectores Elétricos Rotativos

Conectores Elétricos Rotativos Conectores Elétricos Rotativos Serior aos coletores escovas convencionais Blindado com rolamentos de esferas Maior confiabilidade, livre de manutenção Livre de ruídos elétricos Resistência de condução

Leia mais

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130. V.1.

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130. V.1. Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130 V.1.01 / Revisão 4 ÍNDICE Item Página 1. Introdução...01 2. Características...01

Leia mais

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br R O B Ó T I C A Sensor Smart Ultrassom Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13 Sensor Smart Ultrassom 1. Introdução Os sensores de ultrassom ou ultrassônicos são sensores que detectam

Leia mais

Sensores Indutivos. 200129500 Hudson Legnar Lima hudsonlegnar@gmail.com

Sensores Indutivos. 200129500 Hudson Legnar Lima hudsonlegnar@gmail.com Sensores Indutivos 200129500 Hudson Legnar Lima hudsonlegnar@gmail.com Resumo Esta apresentação tem como objetivo fazer um apanhado geral sobre Sensores Indutivos. Os sensores indutivos foram desenvolvidos

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA TRENA DIGITAL A LASER MODELO TN-1150

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA TRENA DIGITAL A LASER MODELO TN-1150 MANUAL DE INSTRUÇÕES DA TRENA DIGITAL A LASER MODELO TN-1150 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do aparelho ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS DE SEGURANÇA...

Leia mais

Jato suave e concentrado; Chuveiro com chave seletora para ajuste da temperatura (4 temperaturas); Inovação tecnológica;

Jato suave e concentrado; Chuveiro com chave seletora para ajuste da temperatura (4 temperaturas); Inovação tecnológica; 1 1. INFORMAÇÕES GERAIS Função O Chuveiro tem como função principal fornecer água com vazão adequada à higiene pessoal. Aplicação Utilizado para higiene pessoal em banheiros ou áreas externas como piscinas.

Leia mais

Este produto está garantido contra defeito de fabricação por um período de 18 (dezoito) meses, a contar da data da nota fiscal de saída do produto.

Este produto está garantido contra defeito de fabricação por um período de 18 (dezoito) meses, a contar da data da nota fiscal de saída do produto. Parabéns por ter adquirido um dos produtos da Fertron, uma empresa que tem orgulho de ser brasileira, atendendo clientes em todo o território nacional e também em diversos países. Nossa meta é oferecer

Leia mais

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda.

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Confiança e economia na qualidade da energia. Recomendações para a aplicação de capacitores em sistemas de potência Antes de iniciar a instalação,

Leia mais

GEAPS EXCHANGE 99 Sessão Educacional. O que há de novo: Watchdog Elite da 4B Elevator Components Ltd. Monitor de Elevador de Caçamba para o Século 21

GEAPS EXCHANGE 99 Sessão Educacional. O que há de novo: Watchdog Elite da 4B Elevator Components Ltd. Monitor de Elevador de Caçamba para o Século 21 GEAPS EXCHANGE 99 Sessão Educacional Visita 4B no Stand # 500 O que há de novo: Watchdog Elite da 4B Elevator Components Ltd. Monitor de Elevador de Caçamba para o Século 21 Uma apresentação por Johnny

Leia mais

Instrução Técnica: Leitor Adicional Inner Pro

Instrução Técnica: Leitor Adicional Inner Pro Instrução Técnica: Leitor Adicional Inner Pro 1 Objetivo Este documento tem como objetivo principal trazer informações a respeito dos Leitores Adicionais do Inner Pro, quanto a: Funcionamento do Leitor

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

Artigo Técnico: Startup de Elevadores

Artigo Técnico: Startup de Elevadores Artigo Técnico: Startup de Elevadores Problemas enfrentados no início de operação de elevadores instalados em edifícios existentes modernização ou substituição dos equipamentos em edificações habitadas.

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO RADAR DUO N de Homologação: 0723-12-2791

MANUAL DE INSTALAÇÃO RADAR DUO N de Homologação: 0723-12-2791 MANUAL DE INSTALAÇÃO RADAR DUO N de Homologação: 0723-12-2791 Versão 1.00 Manual de Instalação RADAR DUO 2 Índice 1. Introdução... 3 2. Especificações técnicas... 3 3. Conhecendo o equipamento... 4 3.1

Leia mais

CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS

CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS Parabéns, Você acaba de adquirir uma central de alarme modelo Brisa 4 Plus produzida no Brasil com a mais alta tecnologia de fabricação. 1- PAINEL FRONTAL Led REDE: Indica

Leia mais

Console Bimanual CBM-W

Console Bimanual CBM-W Fabricado por Sensores Eletrônicos Instrutech 11 5031-5188 CBM CONSOLE BIMANUAL PULSO AJUSTE POWER S1 OUTPUT S2 MANUAL DO USUÁRIO Console Bimanual CBM-W Console Bimanual para acionamento em máquinas operatrizes

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA USO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS

ORIENTAÇÃO PARA USO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS ORIENTAÇÃO PARA USO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS Anexo 3 do PRO-3209-74-24-03 Pág.: 1 de 5 RECOMENDAÇÕES GERAIS: - Não serão permitidos eletricistas da contratada intervirem nas instalações da contratante,

Leia mais

Manual de Instruções de Instalação e Garantia. Aquecedor Universal Com Acionamento Digital

Manual de Instruções de Instalação e Garantia. Aquecedor Universal Com Acionamento Digital Manual de Instruções de Instalação e Garantia Aquecedor Universal Com Acionamento Digital Parabéns! Você acabou de adquirir um produto com a qualidade AQUAPLÁS Apresentação O Aquecedor AQUAPLÁS é utilizado

Leia mais

Manual de Instalação e Operações

Manual de Instalação e Operações Manual de Instalação e Operações Acionador On/Off Bivolt Sistema de Aquecimento para banheira de hidromassagem PARA SUA SEGURANÇA: Antes de Instalar este produto, leia atentamente este manual de instruções.

Leia mais

Conceitos e definições para correção do fator de potência através de carga capacitiva

Conceitos e definições para correção do fator de potência através de carga capacitiva Conceitos e definições para correção do fator de potência através de carga capacitiva anobra de capacitores Na ligação de capacitores a uma rede ocorre um processo transitório severo até que seja atingido

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TACÔMETRO DIGITAL MODELO TC-5015. Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TACÔMETRO DIGITAL MODELO TC-5015. Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TACÔMETRO DIGITAL MODELO TC-5015 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...1 2. REGRAS DE SEGURANÇA...1 3.

Leia mais

Manutenção Elétrica. Entre os elementos de processamento de sinais podemos citar:

Manutenção Elétrica. Entre os elementos de processamento de sinais podemos citar: Manutenção Elétrica Elementos de Processamento de Sinais Os componentes de processamento de sinais elétricos são aqueles que analisam as informações emitidas ao circuito pelos elementos de entrada, combinando-as

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO

DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO 1 DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO Durante um curto-circuito, surge uma corrente de elevada intensidade

Leia mais

MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR

MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR www.mastertec.ind.br 1 ÍNDICE 1. Recursos:... 3 2. Condições de funcionamento:... 3 3. Características técnicas:... 3 4. Características construtivas:... 3 5. Diagrama

Leia mais

ÍNDICE anual de instruções e operações.............................3

ÍNDICE anual de instruções e operações.............................3 GÊNESY PASSIVO R04 ÍNDICE Manual de instruções e operações...3 Características Técnicas:... 3 Conhecendo o Sensor:... 4 Instalação:... 4 Efetuando a Conexão:... 4 Terminais de Conexão:... 4 Ajustando a

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Comutador de Iluminação de Provisória Para Lâmpadas HQI ou Sódio, Código AFCSC250 Equipamento destinado a ser instalado em locais que são iluminados através de lâmpadas HQI ou de Sódio, geralmente estas

Leia mais

Manual de Instruções. Carregador de Baterias BC800W 12V/50A A&C12V/50A A&C. A&C Automação e Controle. Rua: Itápolis nº 84 SBC.

Manual de Instruções. Carregador de Baterias BC800W 12V/50A A&C12V/50A A&C. A&C Automação e Controle. Rua: Itápolis nº 84 SBC. Manual de Instruções Carregador de Baterias BC800W 12V/50A A&C12V/50A A&C A&C Automação e Controle Rua: Itápolis nº 84 SBC. SP CEP: 09615-040 Tel: (11) 4368-4202 Fax: (11) 4368-5958 E-mail: aec@aecautomacao.com.br

Leia mais

PAINEL DIGITAL SUNDOW WEB - COMPLETO * SD40

PAINEL DIGITAL SUNDOW WEB - COMPLETO * SD40 RUA SIGFREDO DAY, 50 - SOBRELOJA CIC CEP 81.170-650 CURITIBA PR FONE / FAX: (41)3014-3536. E-MAIL: vendas@guster.com.br INSTRUMENTOS AUTOMOTIVOS MONITORAMENTO DE VEÍCULOS RASTREADORES GPS - TRAVAS PAINEL

Leia mais

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 4 BARREIRAS ÓTICAS

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 4 BARREIRAS ÓTICAS MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 4 BARREIRAS ÓTICAS INTRODUÇÃO Este trabalho é uma compilação de informações sobre várias formas de proteções em máquinas e equipamentos. A Norma Regulamentadora

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR

MANUAL DO CONSUMIDOR MANUAL DO CONSUMIDOR PROTEÇÃO PARA VOCÊ E SEU APARELHO Gravadora de Borracha para Carimbos Pré- Entintados REF:2005 (Somente em 110 volts) Indústria e Comércio de Carimbos e Brinquedos Ltda Av.: Souza

Leia mais

Válvulas de Segurança 5/2 vias para o Comando de Cilindros Pneumáticos. 2012 ROSS South America Ltda

Válvulas de Segurança 5/2 vias para o Comando de Cilindros Pneumáticos. 2012 ROSS South America Ltda Válvulas de Segurança 5/2 vias para o Comando de Cilindros Pneumáticos Prensa Pneumática Comandada por Válvula Convencional 5/2 vias Simples Solenóide Escape Área de pilotagem conectada à atmosfera através

Leia mais

Introdução e identificação dos aparelhos... 2. Posicionamento e instalação do produto...3. Controle operacional...4. Dados técnicos e dimensões...

Introdução e identificação dos aparelhos... 2. Posicionamento e instalação do produto...3. Controle operacional...4. Dados técnicos e dimensões... Introdução e identificação dos aparelhos... 2 Posicionamento e instalação do produto...3 Controle operacional...4 Dados técnicos e dimensões...5 Certificado de garantia...6 ÍNDICE INTRODUÇÃO Os termostatos

Leia mais

Manual de Instruções. C o n t r o l a d o r D i f e r e n c i a l para P i s c i n a. Rev. B

Manual de Instruções. C o n t r o l a d o r D i f e r e n c i a l para P i s c i n a. Rev. B Manual de Instruções C o n t r o l a d o r D i f e r e n c i a l para P i s c i n a Rev. B 1. Descrição Índice 1.Descrição... pág 1 2.Dados Técnicos... pág 2 3.Instalação... pág 3 4.Ajuste e Operação...

Leia mais

AULA 6 Esquemas Elétricos Básicos das Subestações Elétricas

AULA 6 Esquemas Elétricos Básicos das Subestações Elétricas CONSIDERAÇÕES INICIAIS AULA 6 Esquemas Elétricos Básicos das Subestações Elétricas Quando planejamos construir uma subestação, o aspecto de maior importância está na escolha (e, conseqüentemente, da definição)

Leia mais

Manual. MOVITRAC B Desligamento seguro Aplicações. Edição 06/2007 11468793 / BP

Manual. MOVITRAC B Desligamento seguro Aplicações. Edição 06/2007 11468793 / BP Motoredutores \ Redutores Industriais \ Conversores de freqüência \ Automação \ Service Desligamento seguro Aplicações Edição 06/007 6879 / BP Manual SEW-EURODRIVE Driving the world Índice Indicações importantes...

Leia mais

Manual de Instruções. C o n t r o l a d o r D i f e r e n c i a l T e m p o r i z a d o. Rev. C

Manual de Instruções. C o n t r o l a d o r D i f e r e n c i a l T e m p o r i z a d o. Rev. C Manual de Instruções C o n t r o l a d o r D i f e r e n c i a l T e m p o r i z a d o Rev. C 1. Descrição Índice 1.Descrição...pág 1 2.Dados Técnicos...pág 3 3.Instalação...pág 4 4.Ajuste e Operação...pág

Leia mais

LEITOR PROX 9004 VERSÃO DO MANUAL

LEITOR PROX 9004 VERSÃO DO MANUAL LEITOR PROX 9004 VERSÃO DO MANUAL 1.3 de 11/02/2014 7548 2 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Itens que Acompanham... 5 3. Especificações Técnicas... 6 4. Características Gerais... 6 5. Recomendações de Instalação...

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEDIDOR RL DIGITAL MODELO RL-250

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEDIDOR RL DIGITAL MODELO RL-250 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEDIDOR RL DIGITAL MODELO RL-250 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS DE SEGURANÇA... 1

Leia mais

MD-50 Plus. Com a senha mestre são permitidas todas as funções de programação do módulo. A senha de fábrica é 5-6-7-8.

MD-50 Plus. Com a senha mestre são permitidas todas as funções de programação do módulo. A senha de fábrica é 5-6-7-8. MD-50 Plus DESCRIÇÃO DO PRODUTO Com esse equipamento você pode monitorar qualquer central de alarme convencional ou eletrificador. Ele possui 4 entradas e uma saída PGM que pode ser acionada por telefone

Leia mais

Procedimento de Manutenção Preventiva Elétrica

Procedimento de Manutenção Preventiva Elétrica GOM - GERÊNCIA DE APOIO À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO Procedimento de Manutenção Preventiva Elétrica Edição Data Alterações em relação a edição anterior 1ª 26/06/14 Edição inicial Objetivo A Gerência de Apoio

Leia mais

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 Versão 1.01 Infinium Automação Industrial Ltda contato@infiniumautomacao.com.br 1. APRESENTAÇÃO O rádio modem RMC-900 foi projetado para utilização em sistemas

Leia mais

Modelo GC 2109 T. Família GC 2009 Microcontrolado Indicador Digital de Temperatura 1/8 DIN - 98 x 50mm

Modelo GC 2109 T. Família GC 2009 Microcontrolado Indicador Digital de Temperatura 1/8 DIN - 98 x 50mm Modelo T Família GC 2009 Microcontrolado 1/8 DIN - 98 x 50mm Os Indicadores Digitais de Temperatura da Família GC 2009 são instrumentos precisos e compactos, baseados na moderna tecnologia dos microcontroladores,

Leia mais

dígitos. altura (mm) 10

dígitos. altura (mm) 10 ±,QVWDODomR Este equipamento é de fixação em, por meio de duas presilhas, cujo aperto é realizado por parafuso. As dimensões para a abertura são indicadas na figura1. O esquema de ligação é mostrado na

Leia mais

COMPACTADOR DE PERCUSSÃO

COMPACTADOR DE PERCUSSÃO Manual do Locatário COMPACTADOR DE PERCUSSÃO Instruções para Instalação, Operação e Manutenção CARIMBO DO ASSOCIADO 1 COMPACTADOR DE PERCUSSÃO Você acaba de alugar um compactador de percussão, neste tipo

Leia mais

CONVERSORES DE FREQÜÊNCIA Instruções para Instalação de Conversores de Freqüência

CONVERSORES DE FREQÜÊNCIA Instruções para Instalação de Conversores de Freqüência CONVERSORES DE FREQÜÊNCIA Instruções para Instalação de Conversores de Freqüência Edição 08.2007 A&D CS Suporte Técnico Drives HotLine Índice 1. Introdução 2. Condições Ambientais de Operação 2.1 Poluição

Leia mais

A tampa de proteção KS-100 é um ítem opcional altamente recomendável. 3-32 Vcc ou 90-280 Vca (especificar)

A tampa de proteção KS-100 é um ítem opcional altamente recomendável. 3-32 Vcc ou 90-280 Vca (especificar) MANUAL DE INSTRUÇÕES CONSIDERAÇÕES PARA INSTALAÇÃO Atenção: Material não passível de garantia. Evite utilizá-lo sem dissipador. Sempre utilizar pasta térmica entre o relé e o dissipador, ou placa de montagem;

Leia mais

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES SUBESTAÇÃO Uma subestação elétrica é um grupamento de equipamentos elétricos com a finalidade de dirigir o fluxo de energia elétrica num sistema de potência e de possibilitar a operação segura do sistema,

Leia mais