Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Fecho (Ano N-2) Estimado (Ano N-1) Acumulado (Ano N)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Fecho (Ano N-2) Estimado (Ano N-1) Acumulado (Ano N)"

Transcrição

1 Q 2 Número de Utilizadores do Hospital (P) Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Área de Influência Fora da Área de Influência Notas: O conceito de Área de Influência é diferente do conceito de Área de Referência. Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico Fecho (Ano N-2) Estimado (Ano N-1) Acumulado (Ano N)

2 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Número de Utilizadores do Hospital Neste quadro deverão ser considerados apenas os doentes (numa perspectiva de indivíduo e não nº. de episódios) utilizadores de serviços no âmbito da especialidade de Psiquiatria (Internamento, Consulta Externa de Psiquiatria ou Psicologia, Exames Médico-Legais, Testes de Psicologia e Hospital de Dia). Exemplos: 1) Um doente que utiliza o serviço de Patologia Clínica, no periodo em análise, não é considerado para esta informação; 2) Um doente que utilize duas consultas de Psiquiatria e seis consultas de Psicologia, está duas vezes internado e fez dez sessões de Hospital de Dia é considerado um doente; 3) Um doente que utilize uma vez o Internamento é considerado um doente. Nas colunas dos quadros em análise, o valor solicitado para Acumulado (Ano N) corresponde ao valor que se prêve para o ano a contratualizar; o valor solicitado para Estimado (N-1) corresponde ao valor que se estima para o ano em curso; o valor solicitado para Fecho (N-2) corresponde ao valor que se observou para o ano anterior ao ano em curso.

3 Q 3 Número de Utilizadores por Serviço (P) Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Nº de Utilizadores por Serviço nos Hospitais Psiquiátricos Nº de Utilizadores por Serviço nos Hospitais Psiquiátricos Nº de Utilizadores por Serviço nos Hospitais Psiquiátricos Nº de Utilizadores por Serviço nos Hospitais Psiquiátricos Nº de Utilizadores por Serviço nos Hospitais Psiquiátricos Nº de Utilizadores por Serviço nos Hospitais Psiquiátricos Fecho (Ano N-2) Fecho (Ano N-2) Estimado (Ano N-1) Estimado (Ano N-1) Acumulado (Ano N) Acumulado (Ano N) Área de Influência Fora da Área de Influência Área de Influência Fora da Área de Influência Área de Influência Fora da Área de Influência Consulta Externa Internamento Psiquiatria Internamento Forenses Hospital de Dia Unid. Sócio-Ocupacionais (Estr. Reab.)

4 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Número de Utilizadores do Hospital, por Serviço À semelhança do formulário "Q 2 Número de Utilizadores no Hospital", neste formulário deverão ser considerados apenas os doentes (numa perspectiva de indivíduo e não nº. de episódios) utilizadores de serviços no âmbito da especialidade de Psiquiatria. Exemplos: 1) Um doente que utiliza o serviço de Patologia Clínica, no periodo em análise, não é considerado para esta informação; 2) Um doente que utilize duas consultas de Psiquiatria e seis de Psicologia, está duas vezes internado e fez dez sessões de Hospital de Dia é considerado um doente da Consulta Externa, um doente do Internamento e um doente do Hospital de Dia; 3) Um doente que utilize uma vez o Internamento é considerado um doente do Internamento. - Dos utilizadores indicados na linha "Internamento Psiquiatria", especificar quais os que pertencem à Psiquiatria Forense, na linha "Internamento Forenses". Nas colunas dos quadros em análise, o valor solicitado para Acumulado (Ano N) corresponde ao valor que se prêve para o ano a contratualizar; o valor solicitado para Estimado (N-1) corresponde ao valor que se estima para o ano em curso; o valor solicitado para Fecho (N-2) corresponde ao valor que se observou para o ano anterior ao ano em curso.

5 Q Recursos Humanos no Hospital - Médicos Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Pessoal com Vínculo Pessoal com Vínculo Internato Médico (a partir do 2º ano) Internato Médico (a partir do 2º ano) Outros Vínculos Outros Vínculos Nº de Médicos no Hospital Horas Semanais Médicos Dedicadas no Hospital Anatomia Patológica Anestesiologia 8 329,0 Angiologia e Cirurgia Vascular Cardiologia 5 178,0 Cardiologia Pediátrica Nº de Médicos no Hospital Horas Semanais Médicos Dedicadas no Hospital Nº de Médicos no Hospital Horas Semanais Médicos Dedicadas no Hospital Cirurgia Cardio-Torácica Cirurgia Geral 9 365, ,0 1 40,0 Cirurgia Maxilo-Facial Cirurgia Pediátrica Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e Estética Dermato-Venereologia 1 35,0 Doenças Infecciosas (Infecciologia) Endocrinologia e Nutrição Estomatologia 3 112,0 Farmacologia Clínica Gastroenterologia 6 229,0 2 80,0 Genética Médica Ginecologia 1 17,0 Ginecologia - Obstetrícia 2 77,0 1 42,0 Hematologia Clínica Imuno-alergologia 1 40,0 Imuno-hemoterapia 1 9,0 Medicina Desportiva Medicina do Trabalho 1 35,0 Medicina Física e Reabilitação 2 75,0 Medicina Geral e Familiar Medicina Interna , ,0 1 40,0 Medicina Legal Medicina Nuclear Medicina Tropical Nefrologia 5 185,0 2 80,0 Neurocirurgia Neurologia 1 35,0 Neurorradiologia Obstetrícia 2 55,0 Oftalmologia 2 70,0 Oncologia Médica Ortopedia 4 159,0 3 57,0 Otorrinolaringologia 3 112,0 Patologia Clínica 2 70,0 Pediatria 6 231,0 Pneumologia 2 70,0 Psiquiatria Adultos 3 115,0 Psiquiatria da Infância e Adolescência 1 27,0 Radiodiagnóstico 2 70,0 Radioterapia Reumatologia 1 40,0 Saúde Pública Urologia 3 110,0 1 15,0

6 Outras , , ,0 TOTAL , , ,0 Notas: - Na linha "Outras" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras especialidades. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor no comentário de submissão do Quadro, ou nos comentários da própria célula.

7 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Neste quadro deve constar o total de horas ordinárias semanais prestadas pelo pessoal médico do hospital. A distribuição das respectivas horas médicas pelas diversas linhas de actividades serão registadas nos quadros subsequentes. RH Médicos no Hospital Indicar os médicos que exercem funções no hospital, distribuídos pelas especialidades que estão subjacentes à sua relação contratual com o hospital. Assim, um médico inscrito na Ordem dos Médicos (O.M.) com as especialidades de medicina interna e de cardiologia, mas provido no quadro do hospital como especialista de medicina interna, deverá ser inscrito na especialidade de medicina interna. Os médicos que exercem funções noutros serviços de saúde em tempo total (v.g. requisitados, destacados, internos do complementar em formação noutros hospitais, etc.), ou em tempo parcial (v.g. consulta de pediatria nos centros de saúde), deverão ser inscritos no presente quadro, pela totalidade das horas de trabalho semanal correspondente ao seu regime de trabalho; as horas do seu horário semanal destinadas à prestação de serviços noutras Instituições deverão ser inscritas no formulário "Q RH Médicos - Outras Actividades". A informação referente aos médicos que exercem funções em tempo total noutras instituições deverá constar exclusivamente neste formulário e no formulário "Q RH Médicos - Outras Actividades". No que respeita às horas médicas da Psiquiatria, deverão ser inscritas no presente quadro pela totalidade das horas de trabalho semanal correspondente ao seu regime de trabalho. Destas, as horas semanais destinadas à prestação de serviços na Comunidade deverão ser inscritas no quadro da respectiva linha de produção, onde é discriminada a produção na Comunidade. Excluir os médicos do 1º ano do internato A informação sobre estes médicos deverá ser quantificada no comentário de submissão do Quadro. Médicos com vínculo definitivo à Instituição: Profissionais com vínculo definitivo do quadro da função pública assim como com contrato individual de trabalho, com vínculo definitivo (excluindo Contrato Individual de Trabalho a termo incerto que deverá ser incluído nos contratos de trabalho a termo). Médicos com Outros Tipos de Vínculos : Os profissionais com outro tipo de vínculo são: CAP, CIT a termo certo e incerto, Requisições, Destacamentos, Prestação de Serviços, Outro. - Nº de Médicos: indicar o número de médicos, pela especialidade subjacente à relação contratual. - Total de horas semanais: indicar o somatório das cargas horárias semanais dos respectivos regimes de trabalho, excluindo as horas extraordinárias, dos médicos referidos anteriormente. Neste quadro deve constar o total de horas ordinárias semanais prestadas no hospital pelo pessoal médico, enquanto que nos restantes quadros relativos a informação de Médicos, deverá ser indicada a sua distribuição pelas diversas áreas de acção. Total de horas semanais: Se o mesmo profissional - médico, enfermeiro ou outro - prestar serviço em várias áreas, por exemplo, internamento, consulta e urgência, a sua carga horária deve ser dividida por essas áreas, de acordo com o horário de trabalho aprovado.

8 Q RH Recursos Humanos no Hospital - Médicos - Prestação de Serviços por Empresas Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Acumulado (Ano N) Acumulado (Ano N) Acumulado (Ano N) Acumulado (Ano N) Acumulado (Ano N) Acumulado (Ano N) Acumulado (Ano N) Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Horas Semanais Médicos - - Prestação Serviços Empresas - Prestação Serviços Empresas - Prestação Serviços Empresas - Prestação Serviços Empresas - Prestação Serviços Empresas Médicos - Prestação Serviços Empresas Prestação Serviços Empresas Internamento Consulta Externa Urgência Bloco Operatório MCDT Hospital de Dia Unid. Sócio-Ocupacionais (Estr. Reab.) TOTAL Anestesiologia 0,0 Angiologia e Cirurgia Vascular 0,0 Cardiologia 0,0 Cardiologia Pediátrica 0,0 Cirurgia Cardio-Torácica 0,0 Cirurgia Geral 0,0 Cirurgia Maxilo-Facial 0,0 Cirurgia Pediátrica 0,0 Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e Estética 0,0 Dermato-Venereologia 0,0 Diabetologia 0,0 Doenças Infecciosas (Infecciologia) 0,0 Dor 0,0 Endocrinologia e Nutrição 0,0 Estomatologia 0,0 Gastroenterologia 0,0 Genética Médica 0,0 Ginecologia 17,0 17,0 Hematologia Clínica 0,0 Hemofilia 0,0 Hepatologia 0,0 Hipertensão 0,0 Imuno-alergologia 0,0 Imuno-hemoterapia 9,0 9,0 Imunologia 0,0 Medicina Física e Reabilitação 0,0 Medicina Interna 0,0 Medicina Tropical 0,0 Nefrologia 0,0 Neonatologia 0,0 Neurologia Pediátrica 0,0 Neurocirurgia 0,0 Neuroftalmologia 0,0 Neurologia 0,0 Obstetrícia 55,0 55,0 Oftalmologia 0,0 Oncologia Médica 0,0 Ortopedia 18,0 18,0 Otorrinolaringologia 0,0 Pancreatologia 0,0 Pediatria 0,0 Pneumologia 0,0 Psiquiatria Adultos 0,0 Psiquiatria da Infância e Adolescência 0,0 Radioterapia 0,0 Reumatologia 0,0 Senologia 0,0 Urologia 15,0 15,0

9 ESPECIALIDADES IPO Cirurgia da Cabeça e Pescoço 0,0 Gastroenterologia - Proctologia 0,0 Hematologia 0,0 Transplantes de Medula 0,0 Radioterapia Externa 0,0 Radioterapia - Braquiterapia 0,0 Medicina Nuclear 0,0 Consultas de Grupo 0,0 Consultas de Atendimento não Programado 0,0 Consultas a pessoal (Medicina do Trabalho) 0,0 Outras 0,0 Notas: Subtotal Serviços 0,0 24,0 90,0 0,0 0,0 0,0 0,0 114,0 Subtotal Outras Consultas 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 TOTAL 0,0 24,0 90,0 0,0 0,0 0,0 0,0 114,0 - Na linha "Outras" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras especialidades. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor no comentário de submissão do Quadro, ou nos comentários da própria célula.

10 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Neste quadro deve constar a distribuição estimada das horas contratadas a profissionais médicos em regime de Prestação de Serviços, pelas linhas de produção identificadas. Recursos Humanos: Indicar o conjunto de profissionais com os quais o hospital conta desenvolver a actividade prevista para o ano N. Médicos por Especialidades Indicar os médicos contratados pela Instituição em Regime de Prestadores de Serviços* (empresa ou em nome individual) distribuindo as horas contratadas pelas "linhas de Produção" identificadas, em função das especialidades que estão subjacentes à relação contratual com o hospital, independentemente da especialidade(s) com que encontram inscritos na Ordem dos Médicos. Dado que, com frequência, os contratos estabelecidos não determinam o número de horas a prestar pelos médicos contratados, o Hospital deverá fazer uma estimativa do número médio de horas necessárias à realização das actividades. * Estes médicos, já foram incluídos na coluna "outro tipo de vínculos" do quadro Q , quer para o seu nº quer para o nº de horas contratadas. Neste quadro pretende-se apenas conhecer a distribuição das respectivas horas contratadas por linhas de produção. - Total de horas semanais dedicadas ao Internamento: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas ao Internamento, dos médicos referidos anteriormente. - Total de horas semanais dedicadas à Consulta Externa: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas à Consulta Externa, dos médicos referidos anteriormente. - Total de horas semanais dedicadas ao Hospital de Dia: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas ao Hospital de Dia, dos médicos referidos anteriormente. - Total de horas semanais dedicadas à Urgência: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas à Urgência, dos médicos referidos anteriormente. - Total de horas semanais dedicadas a MCDT: iindicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas a MCDT, dos médicos referidos anteriormente. - Total de horas semanais dedicadas ao Bloco Operatório: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas ao Bloco Operatório, dos médicos referidos anteriormente. - Total de horas semanais dedicadas a Unidades Sócio-Ocupacionais: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas a Unidades Sócio-Ocupacionais, dos médicos referidos anteriormente. Total de horas semanais: Se o mesmo profissional - médico, enfermeiro ou outro - prestar serviço em várias áreas, por exemplo, internamento, consulta e urgência, a sua carga horária deve ser dividida por essas áreas, de acordo com a carga horária contratada.

11 Q Recursos Humanos no Hospital - Médicos em Consulta Externa por Especialidade Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Nº de Médicos Consulta Externa - Especialidade Horas Semanais Médicos Consulta Externa - Especialidade Horas Semanais Médicos Consulta Externa - Especialidade Horas Semanais Médicos Consulta Externa - Especialidade Não Aplicável Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Total Tipos de Horas Anatomia Patológica Anestesiologia 7 42,0 42,0 Angiologia e Cirurgia Vascular Cardiologia 5 32,0 32,0 Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardio-Torácica Cirurgia Geral 12 61,0 61,0 Cirurgia Maxilo-Facial Cirurgia Pediátrica Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e Estética Dermato-Venereologia 2 21,0 21,0 Doenças Infecciosas (Infecciologia) Endocrinologia e Nutrição Estomatologia 3 69,0 69,0 Farmacologia Clínica Gastroenterologia 6 20,0 20,0 Genética Médica Ginecologia 1 14,0 14,0 Ginecologia - Obstetrícia Hematologia Clínica Imuno-alergologia 1 25,0 25,0 Imuno-hemoterapia 1 6,0 6,0 Medicina Desportiva Medicina do Trabalho 1 29,0 29,0 Medicina Física e Reabilitação 2 32,0 32,0 Medicina Geral e Familiar Medicina Interna 12 76,0 76,0 Medicina Nuclear Medicina Tropical Nefrologia 6 38,5 38,5 Neurocirurgia Neurologia 1 18,0 18,0 Neurorradiologia Obstetrícia 2 30,0 30,0 Oftalmologia 2 19,0 19,0 Oncologia Médica 1 11,0 11,0 Ortopedia 5 31,0 31,0 Otorrinolaringologia 3 60,0 60,0 Patologia Clínica Pediatria 6 47,0 47,0 Pneumologia 1 11,0 11,0 Psiquiatria Adultos 3 41,0 41,0 Psiquiatria da Infância e Adolescência 1 27,0 27,0 Radiodiagnóstico Radioterapia Reumatologia 1 25,0 25,0 Saúde Pública Urologia 4 36,0 36,0

12 Outras TOTAL ,5 0,0 821,5 Nota: - Na linha "Outras" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras especialidades. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor no comentário de submissão do Quadro, ou nos comentários da própria célula.

13 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Recursos Humanos: Indicar o conjunto de profissionais com os quais o hospital conta desenvolver a actividade prevista para o ano N. Médicos por Especialidades Indicar os médicos que fazem consulta externa, distribuídos pelas especialidades que estão subjacentes à relação contratual com o hospital. Assim, um médico que esteja inscrito na Ordem dos Médicos (O.M.) com as especialidades de medicina interna e de cardiologia, mas provido no quadro do hospital como especialista de medicina interna, deverá ser inscrito na especialidade de medicina interna. - Nº de Médicos: indicar o número de médicos pela especialidade subjacente à relação contratual. - Total de horas semanais dedicadas à consulta externa: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas à consulta externa, dos médicos referidos anteriormente: - Ordinária: indicar as horas de trabalho normal. - Extraordinária: indicar as horas de trabalho extraordinário. Total de horas semanais: Se o mesmo profissional - médico, enfermeiro ou outro - prestar serviço em várias áreas, por exemplo, internamento, consulta e urgência, a sua carga horária deve ser dividida por essas áreas, de acordo com o horário de trabalho aprovado.

14 Q RH Recursos Humanos no Hospital - Médicos em Consulta Externa por Consulta Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Acumulado (Ano N) Acumulado (Ano N) Acumulado (Ano N) Acumulado (Ano N) Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Externa - Consulta Consulta Externa - Consulta Consulta Externa - Consulta Consulta Externa - Consulta Não Aplicável Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Total Tipos de Horas Anestesiologia 7 35,0 35,0 Angiologia e Cirurgia Vascular Cardiologia 5 32,0 32,0 Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardio-Torácica Cirurgia Geral 12 61,0 61,0 Cirurgia Maxilo-Facial Cirurgia Pediátrica Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e Estética Dermato-Venereologia 2 21,0 21,0 Diabetologia 13,0 13,0 Doenças Infecciosas (Infecciologia) Dor 7,0 7,0 Endocrinologia e Nutrição Estomatologia 3 69,0 69,0 Gastroenterologia 6 20,0 20,0 Genética Médica Ginecologia 1 14,0 14,0 Hematologia Clínica Hemofilia Hepatologia Hipertensão Imuno-alergologia 1 25,0 25,0 Imuno-hemoterapia 1 6,0 6,0 Imunologia Medicina Física e Reabilitação 2 32,0 32,0 Medicina Interna 13 63,0 63,0 Medicina Tropical Nefrologia 6 38,5 38,5 Neonatologia Neurologia Pediátrica Neurocirurgia Neuroftalmologia Neurologia 1 18,0 18,0 Obstetrícia 2 30,0 30,0 Oftalmologia 2 19,0 19,0 Oncologia Médica 11,0 11,0 Ortopedia 5 31,0 31,0 Otorrinolaringologia 3 60,0 60,0 Pancreatologia Pediatria 6 47,0 47,0 Pneumologia 1 11,0 11,0 Psiquiatria - Instituição 3 41,0 41,0 Psiquiatria - Comunidade Psiquiatria da Infância e Adolescência 1 27,0 27,0 Radioterapia Reumatologia 1 25,0 25,0 Senologia Urologia 4 36,0 36,0 ESPECIALIDADES IPO Cirurgia da Cabeça e Pescoço

15 Gastroenterologia - Proctologia Hematologia Transplantes de Medula Radioterapia Externa Radioterapia - Braquiterapia Medicina Nuclear Consultas de Grupo Consultas de Atendimento não Programado Consultas a pessoal (Medicina do Trabalho) 1 29,0 29,0 Outras Notas: Subtotal Consultas Externas ,5 0,0 792,5 Subtotal Outras Consultas 1 29,0 0,0 29,0 TOTAL ,5 0,0 821,5 - Na linha "Outros" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras consultas. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor no comentário de submissão do Quadro, ou nos comentários da própria célula.

16 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Recursos Humanos: Indicar o conjunto de profissionais com os quais o hospital conta desenvolver a actividade prevista para o ano N. Médicos por Consultas Indicar os médicos referidos no quadro "Q RH Médicos Consultas Externas por Especialidade", distribuídos agora pelas consultas externas existentes no hospital. Assim, um médico que esteja provido no quadro do hospital como especialista de medicina e que faça consultas de hipertensão, de diabetologia, etc., deverá ter distribuída a sua carga horária semanal pelas consultas respectivas. - Nº de Médicos: indicar o número de médicos por consultas da especialidade. - Total de horas semanais dedicadas à consulta externa: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas a cada especialidade de consulta externa, dos médicos referidos anteriormente. - Ordinária: indicar as horas de trabalho normal. - Extraordinária: indicar as horas de trabalho extraordinário. As consultas de sub-especialidades devem ser inseridas na respectiva especialidade, não devendo ser isoladas na linha 'Outras'. Exemplo: A consulta de 'Cérebro Vasculares' quando realizada por médicos neurologistas deve ser incluída na consulta de 'Neurologia'. Total de horas semanais: Se o mesmo profissional - médico, enfermeiro ou outro - prestar serviço em várias áreas, por exemplo, internamento, consulta e urgência, a sua carga horária deve ser dividida por essas áreas, de acordo com o horário de trabalho aprovado.

17 Q RH no Hospital - Médicos em Internamento por Especialidade Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Especialidade Internamento - Internamento - Internamento - Internamento - Não Aplicável Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Total Tipos de Horas Horas Prevenção Anatomia Patológica Anestesiologia Angiologia e Cirurgia Vascular Cardiologia 5 40,3 40,3 Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardio-Torácica Cirurgia Geral ,0 110,0 Cirurgia Maxilo-Facial Cirurgia Pediátrica Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e Estética Dermato-Venereologia 1 3,5 3,5 Doenças Infecciosas (Infecciologia) Endocrinologia e Nutrição Estomatologia Farmacologia Clínica Gastroenterologia 6 40,0 40,0 Genética Médica Ginecologia 1 4,0 4,0 Ginecologia - Obstetrícia Hematologia Clínica Imuno-alergologia Imuno-hemoterapia Medicina Desportiva Medicina do Trabalho Medicina Física e Reabilitação Medicina Geral e Familiar Medicina Interna ,0 196,0 Medicina Legal Medicina Nuclear Medicina Tropical Nefrologia 6 79,5 79,5 Neurocirurgia Neurologia 1 9,0 9,0 Neurorradiologia Obstetrícia 2 6,0 6,0 Oftalmologia 2 8,0 8,0 Oncologia Médica Ortopedia 5 37,0 37,0 Otorrinolaringologia 3 11,5 11,5 Patologia Clínica Pediatria 6 72,5 72,5 Pneumologia 1 10,5 10,5 Psiquiatria Adultos 3 21,0 21,0 Psiquiatria da Infância e Adolescência Radiodiagnóstico Radioterapia Reumatologia Saúde Pública Urologia 3 9,5 9,5 Outras 2 80,0 80,0 TOTAL ,3 0,0 738,3 0,0 Notas:

18 - Na linha "Outras" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras especialidades. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor no comentário de submissão do Quadro, ou nos comentários da própria célula.

19 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Recursos Humanos: Indicar o conjunto de profissionais com os quais o hospital conta desenvolver a actividade prevista para o ano N. Médicos por Especialidades: Indicar os médicos que exercem funções no internamento, distribuídos pelas especialidades que estão subjacentes à relação contratual que mantêm com o hospital. Assim, um médico inscrito na Ordem dos Médicos (O.M.) com as especialidades de medicina interna e de cardiologia, mas provido no quadro do hospital como especialista de medicina interna, deverá ser inscrito na especialidade de medicina interna. - Nº de Médicos: indicar o número de médicos, pela especialidade subjacente à relação contratual. - Total de horas semanais dedicadas ao Internamento: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas ao internamento, dos médicos referidos anteriormente: - em presença física: discriminadas em horas ordinárias e extraordinárias - em regime de prevenção Deverá ser indicada a totalidade das horas e não a sua conversão em horas ordinárias. Total de horas semanais: Se o mesmo profissional - médico, enfermeiro ou outro - prestar serviço em várias áreas, por exemplo, internamento, consulta e urgência, a sua carga horária deve ser dividida por essas áreas, de acordo com o horário de trabalho aprovado.

20 Q RH no Hospital - Médicos em Internamento por Serviço Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Serviço Internamento - Serviço Internamento - Serviço Internamento - Serviço Internamento - Serviço Não Aplicável Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Total Tipos de Horas Horas Prevenção Angiologia e Cirurgia Vascular Cardiologia 5 40,3 40,3 Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardio-Torácica Cirurgia Geral ,0 106,0 Cirurgia Maxilo-Facial Cirurgia Pediátrica Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e Estética Dermato-Venereologia 1 3,5 3,5 Doenças Infecciosas (Infecciologia) Endocrinologia e Nutrição Estomatologia Gastroenterologia 6 40,0 40,0 Ginecologia 1 4,0 4,0 Ginecologia - Obstetrícia Hematologia Clínica Hidrologia Imuno-alergologia Medicina Física e Reabilitação Medicina Interna ,0 196,0 Nefrologia 6 79,5 79,5 Neonatologia 1 14,0 14,0 Neurocirurgia Neurologia 1 9,0 9,0 Obstetrícia 2 6,0 6,0 Oftalmologia 2 8,0 8,0 Oncologia Médica Ortopedia 5 37,0 37,0 Otorrinolaringologia 3 11,5 11,5 Pediatria 5 58,5 58,5 Pneumologia 1 10,5 10,5 Queimados Reumatologia Urologia 3 9,5 9,5 U. Cuidados Intermédios 1 4,0 4,0 U.C.I. Cirurgia U.C.I. Médicos U.C.I. Coronários U.C.I. Pediatria U.C.I. Polivalente 2 80,0 80,0 U.C.I. Outra U.C.I. Recém Nascidos Psiquiatria e Abuso de Substâncias 3 21,0 21,0 Agudos 3 21,0 21,0 Alcoologia Toxicodependencia Curta Duração Residentes Psiquiatria Forense Reabilitação Psicossocial (R.P.) R.P. - Treino de Autonomia R.P. - Apoio Moderado

21 R.P. - Autónomo Reabilitação Psicossocial na Comunidade (R.P.C.) R.P.C. - Treino de Autonomia R.P.C. - Apoio Máximo R.P.C. - Apoio Moderado R.P.C. - Autónomo Quartos Particulares ESPECIALIDADES IPO Hematologia Unidade de Transplante de Medula Cirurgia da Cabeça e Pescoço Oncologia Médica Total Esp. de Terapia com Radiações Ionizantes Radioterapia - Braquiterapia Medicina Nuclear Cuidados Paliativos (Hospital) Lar de Doentes Cuidados Paliativos na Rede Sub-Total Especialidades Médicas Sub-Total Especialidades Cirúrgicas Sub-Total UCI's TOTAL (excluindo Quartos Particulares, Lar de Doentes e Cuidados Paliativos na Rede)

22 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Recursos Humanos: Indicar o conjunto de profissionais com os quais o hospital conta desenvolver a actividade prevista para o ano N. Médicos por Serviço Indicar os médicos que exercem funções no internamento, distribuídos agora pelos serviços de internamento do hospital a que estão afectos. - Nº de Médicos: indicar o número de médicos de acordo com o serviço a que estão afectos. Os médicos que, não estando afectos a nenhum serviço em particular, e prestam assistência a vários serviços (v.g. os médicos fisiatras que prestam serviço ao internamento em geral) devem ter a sua carga horária semanal distribuída pelos diversos serviços. - Total de horas semanais dedicadas ao Internamento: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas aos serviços de internamento, dos médicos referidos anteriormente: - em presença física: discriminadas em horas ordinárias e extraordinárias - em regime de prevenção Deverá ser indicada a totalidade das horas e não a sua conversão em horas ordinárias. - Nos quartos particulares deverá ser considerada apenas a actividade privada. - As horas de berçário devem ser imputadas ao serviço de internamento onde o mesmo está situado. - Os Cuidados Paliativos devem ser diferenciados entre cuidados paliativos prestados dentro do hospital e cuidados paliativos prestados fora do hospital (na rede). Total de horas semanais: Se o mesmo profissional - médico, enfermeiro ou outro - prestar serviço em várias áreas, por exemplo, internamento, consulta e urgência, a sua carga horária deve ser dividida por essas áreas, de acordo com o horário de trabalho aprovado.

23 Q RH no Hospital - Médicos em Bloco Operatório por Especialidade Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Especialidade Bloco Operatório - Bloco Operatório - Bloco Operatório - Não Aplicável Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Total Tipos de Horas Anatomia Patológica Anestesiologia 8 131,0 131,0 Angiologia e Cirurgia Vascular Cardiologia 3 13,8 13,8 Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardio-Torácica Cirurgia Geral 12 95,0 95,0 Cirurgia Maxilo-Facial Cirurgia Pediátrica Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e Estética Dermato-Venereologia 1 8,8 8,8 Doenças Infecciosas (Infecciologia) Endocrinologia e Nutrição Estomatologia 3 20,0 20,0 Farmacologia Clínica Gastroenterologia Genética Médica Ginecologia 3 14,0 14,0 Ginecologia - Obstetrícia Hematologia Clínica Imuno-alergologia Imuno-hemoterapia Medicina Desportiva Medicina do Trabalho Medicina Física e Reabilitação Medicina Geral e Familiar Medicina Interna Medicina Nuclear Medicina Tropical Nefrologia 1 10,5 10,5 Neurocirurgia Neurologia Neurorradiologia Obstetrícia Oftalmologia 2 12,0 12,0 Oncologia Médica Ortopedia 5 54,0 54,0 Otorrinolaringologia 3 28,0 28,0 Patologia Clínica Pediatria Pneumologia Psiquiatria Adultos Psiquiatria da Infância e Adolescência Radiodiagnóstico Radioterapia Reumatologia Saúde Pública Urologia 3 27,0 27,0 Outras TOTAL ,1 0,0 414,1 Notas:

24 - Na linha "Outras" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras especialidades. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor no comentário de submissão do Quadro, ou nos comentários da própria célula.

25 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Recursos Humanos: Indicar o conjunto de profissionais com os quais o hospital conta desenvolver a actividade prevista para o ano N. Médicos em Bloco Operatório - por Especialidades Indicar os médicos que exercem funções no bloco operatório, pela especialidade subjacente à sua relação contratual com o hospital. - Nº de Médicos: indicar o número de médicos pela especialidade subjacente à relação contratual. - Total de horas semanais dedicadas ao bloco operatório: indicar o somatório das cargas horárias semanais afectas ao bloco operatório, dos médicos referidos anteriormente: - Ordinária: indicar as horas de trabalho normal. - Extraordinária: indicar as horas de trabalho extraordinário. - Deverão ser incluídas as horas destinadas à realização de cirurgias em produção adicional do projecto SIGIC. Total de horas semanais: Se o mesmo profissional - médico, enfermeiro ou outro - prestar serviço em várias áreas, por exemplo, internamento, consulta e urgência, a sua carga horária deve ser dividida por essas áreas, de acordo com o horário de trabalho aprovado.

26 Q RH no Hospital - Médicos em BO - Distribuição pelas Especialidades Cirúrgicas existentes no Hospital Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Nº de Médicos Bloco Operatório - Distribuição Nº de Médicos Bloco Operatório - Distribuição Horas Semanais Médicos Bloco Operatório - Distribuição Horas Semanais Médicos Bloco Operatório - Distribuição Horas Semanais Médicos Bloco Operatório - Distribuição Horas Semanais Médicos Bloco Operatório - Distribuição Horas Semanais Médicos Bloco Operatório - Distribuição Cirurgia Convencional Cirurgia Ambulatória Cirurgia Convencional Cirurgia Convencional Cirurgia Convencional Cirurgia Ambulatória Cirurgia Ambulatória Não Aplicável Não Aplicável Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Total Tipos de Horas Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Anestesiologia ,0 98,0 33,0 Angiologia e Cirurgia Vascular Cirurgia Cardio-Torácica Cirurgia Geral 12 73,0 73,0 22,0 Cirurgia Maxilo-Facial Cirurgia Pediátrica Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e Estética Cirurgia Torácica Dermato-Venereologia 1 2,0 2,0 6,8 Estomatologia 3 10,0 10,0 10,0 Ginecologia 3 14,0 14,0 0,0 Neurocirurgia Obstetrícia Oftalmologia 2 3,0 3,0 9,0 Ortopedia 5 51,0 51,0 3,0 Otorrinolaringologia 3 26,0 26,0 2,0 Urologia 3 24,0 24,0 3,0 Outras 4 15,8 15,8 8,5 ESPECIALIDADES IPO Cirurgia da Cabeça e Pescoço Gastroenterologia Pneumologia Notas: - Na linha "Outras" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras especialidades. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor no comentário de submissão do Quadro, ou nos comentários da própria célula. TOTAL ,8 0,0 316,8 97,3 0,0

27 Horas Semanais Médicos Bloco Operatório - Distribuição Cirurgia Ambulatória Total Tipos de Horas 33,0 22,0 6,8 10,0 0,0 9,0 3,0 2,0 3,0 8,5 97,3

28 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Distribuição das horas de médicos pelas Especialidades Cirúrgicas existentes no hospital As especialidades existentes correspondem às valências oficiais do hospital. Assim, não poderão ser inscritas horas (nem produção) em cirurgia vascular, ainda que o hospital trate cirurgicamente a insuficiência venosa periférica no âmbito da cirurgia geral. - Nº de Médicos: Indicar o número de médicos que exercem funções no bloco operatório, distribuídas agora pelas especialidades cirúrgicas existentes no hospital (e para as quais há produção). Por exemplo, o número e as horas dos cirurgiões gerais que ajudem em urologia ou em qualquer outra especialidade, deverão ser inscritas nessa especialidade, e vice-versa. - Total de horas semanais dedicadas ao bloco operatório: Indicar o somatório das cargas horárias afectas ao bloco operatório, por tipo de cirurgia programada para uma semana de trabalho dos médicos referidos anteriormente. - Ordinária: indicar as horas de trabalho normal. - Extraordinária: indicar as horas de trabalho extraordinário. Deverão ser incluídas as horas destinadas à realização de cirurgias em produção adicional do projecto SIGIC. Só deverão considerar-se como intervenções cirúrgicas de ambulatório os actos que constam na Portaria nº 132/2009 de 30 de Janeiro, corrigida pela Portaria 839-A/2009 de 31 de Julho. Total de horas semanais: Se o mesmo profissional - médico, enfermeiro ou outro - prestar serviço em várias áreas, por exemplo, internamento, consulta e urgência, a sua carga horária deve ser dividida por essas áreas, de acordo com o horário de trabalho aprovado.

29 Q RH no Hospital - Médicos em Urgência Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Nº de Médicos Urgência Urgência Geral Nº de Médicos Urgência Urgência Obstétrica Nº de Médicos Urgência Urgência Pediátrica Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Geral Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Geral Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Geral Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Geral Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Obstétrica Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Obstétrica Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Obstétrica Não Aplicável Não Aplicável Não Aplicável Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Total Tipos de Horas Horas Prevenção Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Total Tipos de Horas Anatomia Patológica Anestesiologia 8 108,0 98,0 206,0 52,0 Angiologia e Cirurgia Vascular Cardiologia 4 48,0 48,0 Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardio-Torácica Cirurgia Geral ,0 221,0 365,0 39,0 Cirurgia Maxilo-Facial Cirurgia Pediátrica Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e Estética Dermato-Venereologia Doenças Infecciosas (Infecciologia) Endocrinologia e Nutrição Estomatologia Farmacologia Clínica Gastroenterologia 6 72,0 7,5 79,5 108,0 Genética Médica Ginecologia Ginecologia - Obstetrícia 5 108,0 80,0 188,0 Hematologia Clínica Imuno-alergologia Imuno-hemoterapia Medicina Desportiva Medicina do Trabalho Medicina Física e Reabilitação Medicina Geral e Familiar Medicina Interna ,0 150,0 286,0 Medicina Legal Medicina Nuclear Medicina Tropical Nefrologia 6 76,0 58,0 134,0 105,0 Neurocirurgia Neurologia Neurorradiologia Obstetrícia Oftalmologia 2 12,0 12,0 Oncologia Médica Ortopedia 7 78,0 105,0 183,0 140,0 Otorrinolaringologia 115,0 Patologia Clínica 2 24,0 33,0 57,0 40,0 Pediatria 6 Pneumologia Psiquiatria Adultos 3 22,0 22,0 Psiquiatria da Infância e Adolescência Radiodiagnóstico Radioterapia Reumatologia Saúde Pública Urologia 3 36,0 36,0 117,0 Outras 2 52,0 129,0 181,0 Médicos de Clínica Geral da ARS 17 54,0 248,0 302,0 Outros Médicos - Externos ao Hospital ,0 247,0 62,0 62,0

30 TOTAL Médicos do Hospital ,0 801, ,5 716,0 108,0 80,0 188,0 TOTAL Médicos externos ao Hospital TOTAL , , ,5 716,0 108,0 142,0 250,0 Nota: - Na linha "Outros" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras especialidades. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor no comentário de submissão do Quadro, ou nos comentários da própria célula.

31 Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Obstétrica Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Pediátrica Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Pediátrica Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Pediátrica Horas Semanais Médicos Urgência Urgência Pediátrica Horas Prevenção Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Total Tipos de Horas Horas Prevenção 123,0 72,0 118,0 190,0 44,0

32 123,0 72,0 118,0 190,0 44, ,0 72,0 118,0 190,0 44,0

33 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Recursos Humanos: Indicar o conjunto de profissionais com os quais o hospital conta desenvolver a actividade prevista para o ano N. NOTAS IMPORTANTES: - As horas de urgência interna, de apoio aos serviços de internamento, deverão ser lançadas nos respectivos serviços; - Os médicos que fazem Urgência Psiquiátrica deverão ser indicados nas colunas de Urgência Geral; - Algumas destas especialidades não existem nos hospitais ou não prestam cuidados na urgência. As respectivas células devem constar em branco. Médicos - Urgência: Geral, Obstétrica e Pediátrica Indicar os médicos que fazem urgência, pela especialidade subjacente à sua relação contratual com o hospital, incluindo os do internato complementar, devendo indicar-se também os que, não estando providos no quadro do hospital ou não fazendo parte da carreira hospitalar, têm um vínculo contratual com a Instituição (v.g. médicos especialistas em regime de avença ou prestadores de serviços da carreira de clínica geral). Nas linhas relativas a "Médicos Externos ao Hospital", indicar os médicos que, embora não tendo qualquer vínculo contratual com o hospital, fazem urgência no hospital. - Nº de Médicos: indicar o número de médicos por especialidade subjacente à relação contratual. - Total de horas semanais dedicadas à Urgência: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas à urgência, dos médicos referidos anteriormente: - em presença física: discriminadas em horas ordinárias e extraordinárias - em regime de prevenção Deverá ser indicada a totalidade das horas e não a sua conversão em horas ordinárias. Total de horas semanais: Se o mesmo profissional - médico, enfermeiro ou outro - prestar serviço em várias áreas, por exemplo, internamento, consulta e urgência, a sua carga horária deve ser dividida por essas áreas, de acordo com o horário de trabalho aprovado.

34 Q RH no Hospital - Médicos em Hospital de Dia Instituições Scenario Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Contratualização Time Dezembro 2012 Nº de Médicos Hospital De Dia Horas Semanais Médicos Hospital De Dia Horas Semanais Médicos Hospital De Dia Horas Semanais Médicos Hospital De Dia Hematologia Clínica Hematologia - Outras Total - Hematologia Clínica Não Aplicável Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Todos os Tipos de Horas Imuno-hemoterapia Imuno-hemoterapia Outros Total - Imuno-hemoterapia Doenças Infecciosas (Infecciologia) Infecciologia - Outros Total - Infecciologia Psiquiatria (Inst) 3 11,0 11,0 Psiquiatria - Outros Na Instituição 3 11,0 11,0 SMC - Psiquiatria SMC - Psiquiatria - Outros Saúde Mental na Comunidade Psiquiatria da Infância e Adolescência (Inst) Psiquiatria da Infância e Adolescência (Inst) - Outros Total - Psiquiatria da Infância e Adolescência (Instituição) SMC - Psiq. da Infância e Adolescência SMC - Psiq. da Infância e Adolescência - Outros Total - Psiquiatria da Infância e Adolescência (SMC) Pediatria 1 1,5 1,5 Pediatria - Outros Total - Pediatria 1 1,5 1,5 Pneumologia 1 2,0 2,0 Pneumologia - Outros Total - Pneumologia 1 2,0 2,0 Oncologia Médica 1 11,0 11,0 Oncologia - Outros Total - Oncologia 1 11,0 11,0 Radioterapia Radioterapia - Outros Total - Radioterapia Outras 4 20,0 20,0 Nefrologia 3 16,5 16,5 Nefrologia Outros

35 Total - Nefrologia 3 16,5 16,5 Notas: Na linha "Outras" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras especialidades. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor no comentário de submissão do Quadro, ou nos comentários da própria célula. * Oncologia Médica: diz respeito ao nº de recursos humanos, e às respectivas horas (ordinárias e extraordinárias), afectas à produção de GDH Médicos de Ambulatório e sessões de Hospital de Dia de Oncologia ** Radioterapia Médica: diz respeito ao nº de recursos humanos, e às respectivas horas (ordinárias e extraordinárias), afectas à produção de GDH Médicos de Ambulatório.

36 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Recursos Humanos: Indicar o conjunto de profissionais com os quais o hospital conta desenvolver a actividade prevista para o ano N. Médicos - Hospital de Dia: Indicar os médicos que exercem funções no hospital de dia, distribuídos por tipo de hospital de dia e segundo a especialidade subjacente à sua relação contratual com o hospital. - Nº de Médicos: indicar o número de médicos pela especialidade da relação contratual. - Total de horas semanais dedicadas ao hospital de dia: indicar o somatório das cargas horárias, afectas ao hospital de dia, dos médicos referidos anteriormente: - Ordinária: indicar as horas de trabalho normal. - Extraordinária: indicar as horas de trabalho extraordinário. - Médicos em Hospital de Dia - Oncologia Esta linha corresponde ao nº de Médicos, e ao correspondente nº de horas ordinárias e extraordinárias, afectos ao Hospital de Dia de Oncologia, independentemente de estas sessões terem originado GDH Médicos de Oncologia. - Médicos em Hospital de Dia - Radioterapia Esta linha corresponde ao nº de Médicos, e ao correspondente nº de horas ordinárias e extraordinárias, afectos aos tratamentos de Radioterapia. - Psiquiatria Sempre que um campo se encontra identificado com a designação "Inst" o âmbito de recolha é circunscrito à Instituição. Sempre que um campo se encontra identificado com a designação "SMC" o âmbito de recolha é circunscrito à Comunidade. Total de horas semanais: Se o mesmo profissional - médico, enfermeiro ou outro - prestar serviço em várias áreas, por exemplo, internamento, consulta e urgência, a sua carga horária deve ser dividida por essas áreas, de acordo com o horário de trabalho aprovado.

37 Q RH no Hospital - Médicos em Unidades Sócio-Ocupacionais (Estr. Reab.) (P) Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Nº de Médicos em Estruturas Reabilitativas (hosp. Não Aplicável Horas Semanais de Médicos dedicadas a Estruturas Horas Ordinárias Horas Semanais de Médicos dedicadas a Estruturas Horas Extraordinárias Horas Semanais de Médicos dedicadas a Estruturas Total Tipos de Horas Anatomia Patológica Anestesiologia Angiologia e Cirurgia Vascular Cardiologia Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardio-Torácica Cirurgia Geral Cirurgia Maxilo-Facial Cirurgia Pediátrica Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e Estética Dermato-Venereologia Doenças Infecciosas (Infecciologia) Endocrinologia e Nutrição Estomatologia Farmacologia Clínica Gastroenterologia Genética Médica Ginecologia Ginecologia - Obstetrícia Hematologia Clínica Imuno-alergologia Imuno-hemoterapia Medicina Desportiva Medicina do Trabalho Medicina Física e Reabilitação Medicina Geral e Familiar Medicina Interna Medicina Legal Medicina Nuclear Medicina Tropical Nefrologia Neurocirurgia Neurologia Neurorradiologia Obstetrícia Oftalmologia Oncologia Médica Ortopedia Otorrinolaringologia Patologia Clínica Pediatria Pneumologia Psiquiatria Adultos Psiquiatria da Infância e Adolescência Radiodiagnóstico Radioterapia Reumatologia Saúde Pública Urologia Outras Total 0 0,0 0,0 0,0 Nota:

38 - Na linha "Outras" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras especialidades. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor na caixa de Observações, ou nos comentários da própria célula.

39 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Neste quadro deverão ser considerados apenas os profissionais afectos à actividade prestada no âmbito da Psiquiatria e Saúde Mental. Unidades Sócio-Ocupacionais (Estruturas Reabilitativas): Unidade de apoio de caracter socio-ocupacional e de integração social, destinada a pessoas com incapacidade psicosocial, clinicamente estabilizadas, as quais oferecem sob orientação de um técnico da área da reabilitação psicosocial, um conjunto de actividades de reabilitação, apoio socio-ocupacional e psicosocial, promoção de actividades culturais, desportivas e de lazer. Nestas unidades não há serviços clinico-assistenciais nem medicamentosos ou sequer hoteleiros. Profissionais em Unidades Sócio-Ocupacionais (Estrut. Reab.) - Médicos Indicar os médicos que exercem funções nas unidades sócio-ocupacionais (estrut. reab.), distribuídos pelas especialidades que estão subjacentes à relação contratual que mantêm com o hospital. Assim, um médico inscrito na Ordem dos Médicos (O.M.) com as especialidades de medicina interna e de cardiologia, mas provido no quadro do hospital como especialista de medicina interna, deverá ser inscrito na especialidade de medicina interna. - Nº de Médicos: indicar o número de médicos, pela especialidade subjacente à relação contratual. - Total de horas semanais dedicadas às unidades sócio-ocupacionais (estrut. reab.): indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas às unidades sócio-ocupacionais (estrut. reab.), dos médicos referidos anteriormente.

40 Q RH no Hospital - Médicos em MCDT - por Especialidade Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Especialidade MCDT - Especialidade MCDT - Especialidade MCDT - Especialidade Não Aplicável Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Total Tipos de Horas Anatomia Patológica Anestesiologia 1 5,0 5,0 Angiologia e Cirurgia Vascular Cardiologia 5 22,0 22,0 Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardio-Torácica Cirurgia Geral 1 1,0 1,0 Cirurgia Maxilo-Facial Cirurgia Pediátrica Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e Estética Dermato-Venereologia 1 4,5 4,5 Doenças Infecciosas (Infecciologia) Endocrinologia e Nutrição Estomatologia 3 6,0 6,0 Farmacologia Clínica Gastroenterologia 6 79,0 79,0 Genética Médica Ginecologia 1 3,0 3,0 Ginecologia - Obstetrícia Hematologia Clínica Imuno-alergologia 1 13,0 13,0 Imuno-hemoterapia 1 3,0 3,0 Medicina Desportiva Medicina do Trabalho Medicina Física e Reabilitação 1 3,0 3,0 Medicina Geral e Familiar Medicina Interna Medicina Legal Medicina Nuclear Medicina Tropical Nefrologia 3 5,5 5,5 Neurocirurgia Neurologia 1 3,0 3,0 Neurorradiologia Obstetrícia 2 8,0 8,0 Oftalmologia 1 2,0 2,0 Oncologia Médica Ortopedia Otorrinolaringologia 3 5,5 5,5 Patologia Clínica 2 34,0 34,0 Pediatria Pneumologia 1 9,0 9,0 Psiquiatria Adultos 1 3,0 3,0 Psiquiatria da Infância e Adolescência Radiodiagnóstico 2 70,0 70,0 Radioterapia Reumatologia 1 8,0 8,0 Saúde Pública Urologia 3 5,5 5,5 Outras TOTAL ,0 0,0 293,0 Notas:

41 - Na linha "Outras" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras especialidades. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor no comentário de submissão do Quadro, ou nos comentários da própria célula.

42 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO PLANO DE DESEMPENHO Recursos Humanos: Indicar o conjunto de profissionais com os quais o hospital conta desenvolver a actividade prevista para o ano N. Médicos por Especialidades: Indicar os médicos que fazem exames complementares de diagnóstico e terapêutica (MCDT), pela especialidade subjacente à sua relação contratual com o hospital. - Nº de Médicos: indicar o número de médicos por especialidade da relação contratual. - Total de horas semanais dedicadas a MCDT: indicar o somatório das cargas horárias semanais, afectas aos MCDT, dos médicos referidos anteriormente: - Ordinária: indicar as horas de trabalho normal. - Extraordinária: indicar as horas de trabalho extraordinário. Total de horas semanais: Se o mesmo profissional - médico, enfermeiro ou outro - prestar serviço em várias áreas, por exemplo, internamento, consulta e urgência, a sua carga horária deve ser dividida por essas áreas, de acordo com o horário de trabalho aprovado.

43 Q RH no Hospital - Médicos em MCDT - por Serviço Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Horas Semanais Médicos Nº De Médicos MCDT - Serviço MCDT - Serviço MCDT - Serviço MCDT - Serviço Não Aplicável Horas Ordinárias Horas Extraordinárias Total Tipos de Horas Anatomia Patológica Cardiologia 5 22,0 22,0 Dermatologia 1 4,5 4,5 Gastroenterologia 6 79,0 79,0 Ginecologia 1 3,0 3,0 Imuno-hemoterapia 1 3,0 3,0 Medicina Física e Reabilitação 1 3,0 3,0 Medicina Nuclear Neurologia 1 3,0 3,0 Obstetrícia 2 8,0 8,0 Oftalmologia 1 2,0 2,0 Otorrinolaringologia 3 5,5 5,5 Patologia Clínica 2 34,0 34,0 Pneumologia 1 9,0 9,0 Psiquiatria Adultos 1 3,0 3,0 Radiologia 2 70,0 70,0 Radioterapia Reumatologia 1 8,0 8,0 Urologia 3 5,5 5,5 Outras 8 25,5 25,5 TOTAL Nota: - Na linha "Outros" devem ser registados, apenas em situações excepcionais, os valores para outras especialidades. Sempre que for preenchida esta linha, discriminar o valor no comentário de submissão do Quadro, ou nos comentários da própria célula. - Não incluir no número de Médicos os Anestesistas nem horas realizadas por Anestesistas.

S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015

S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015 S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015 A redução de listas de espera cirúrgicas, de consultas e de meios complementares de diagnóstico e terapêutica para tempos de espera clinicamente

Leia mais

Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira e a sua articulação com as Unidades de Saúde de Ilha da RAA. Paula Moniz

Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira e a sua articulação com as Unidades de Saúde de Ilha da RAA. Paula Moniz Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira e a sua articulação com as Unidades de Saúde de Ilha da RAA Paula Moniz VISÃO O Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, EPER pretende ser uma instituição

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO FINAL DA SELEÇÃO PÚBLICA PARA ADMISSÃO DE MÉDICOS COMO COOPERADOS NA UNIMED JUIZ DE FORA 01/2012

CLASSIFICAÇÃO FINAL DA SELEÇÃO PÚBLICA PARA ADMISSÃO DE MÉDICOS COMO COOPERADOS NA UNIMED JUIZ DE FORA 01/2012 34288 Acupuntura 59 aprovado 3 45210 Alergia e Imunologia 56,5 aprovado 5 42926 Anestesiologia 62,5 aprovado 48867 Anestesiologia 60,5 aprovado 48235 Anestesiologia 59 aprovado 9 48302 Anestesiologia 56

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 5/2014-EBSERH/HC-UFMG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, 21 DE FEVEREIRO DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 5/2014-EBSERH/HC-UFMG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, 21 DE FEVEREIRO DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 5/2014-EBSERH/HC-UFMG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, 21 DE FEVEREIRO DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 801 Médico Acupuntura 802

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Gabinete do Secretário de Estado da Saúde

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Gabinete do Secretário de Estado da Saúde 21816-(2) Diário da República, 2.ª série N.º 118 20 de junho de 2012 PARTE C MINISTÉRIO DA SAÚDE Gabinete do Secretário de Estado da Saúde Despacho n.º 8317-A/2012 Pelo despacho n.º 7702 -B/2012, publicado

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 03/2015-EBSERH/HU-UFJF ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 06 DE MARÇO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 03/2015-EBSERH/HU-UFJF ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 06 DE MARÇO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 03/2015-EBSERH/HU-UFJF ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 06 DE MARÇO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 006 Médico - Anestesiologia

Leia mais

SELEÇÃO PARA COOPERAÇÃO DE MÉDICOS Edital n. 01/2009. ACUPUNTURA Código 101. Gabarito

SELEÇÃO PARA COOPERAÇÃO DE MÉDICOS Edital n. 01/2009. ACUPUNTURA Código 101. Gabarito ACUPUNTURA Código 101 Questão 01: D Questão 19: B Questão 37: D Questão 55: D Questão 02: D Questão 20: D Questão 38: B Questão 56: B Questão 03: D Questão 21: A Questão 39: C Questão 57: A Questão 04:

Leia mais

Página 1 de 6. Médico - Acupuntura. Médico - Alergia e Imunologia Pediátrica. Médico - Anestesiologia. Médico - Cancerologia Clínica

Página 1 de 6. Médico - Acupuntura. Médico - Alergia e Imunologia Pediátrica. Médico - Anestesiologia. Médico - Cancerologia Clínica Especialidade Médico - Acupuntura Médico - Alergia e Imunologia Médico - Anestesiologia Médico - Cancerologia Clínica Médico - Cancerologia Médico - Cardiologia Médico - Cardiologia - Eletrofisiologia

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 1/2014-EBSERH/HUSM-UFSM ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 1/2014-EBSERH/HUSM-UFSM ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 1/2014-EBSERH/HUSM-UFSM ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 801 Médico Alergia

Leia mais

Programa com Entrada Direta 311 - Dermatologia 390 1 Classificado Programa com Entrada Direta 311 - Dermatologia 405 2 Classificado.

Programa com Entrada Direta 311 - Dermatologia 390 1 Classificado Programa com Entrada Direta 311 - Dermatologia 405 2 Classificado. Programa com Entrada Direta 302 - Anestesiologia 21 1 Classificado Programa com Entrada Direta 302 - Anestesiologia 1115 2 Classificado Programa com Entrada Direta 302 - Anestesiologia 32 3 Classificado

Leia mais

Consultas de Especialidade 24-Abr-2007

Consultas de Especialidade 24-Abr-2007 Consultas de Especialidade 24-Abr-2007 A C D E F G I M N O P R S U Seleccione a primeira letra da Especialidade... A Anestesiologia - Especialidade da Dor C Cardiologia - Cardiologia Pacemaker - Cardiologia

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2016

RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 4600074 1 100 100 - CIRURGIA GERAL 4600086 2 100 100 - CIRURGIA GERAL 4600489 3 100 100 - CIRURGIA GERAL 4600487 4 100 100 - CIRURGIA GERAL 4600670 5 100 100 - CIRURGIA GERAL 4600415 6 100 100 - CIRURGIA

Leia mais

Região Centro. Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica. Cuidados de Saúde Primários. Unidade de Saúde Familiar Lusitana

Região Centro. Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica. Cuidados de Saúde Primários. Unidade de Saúde Familiar Lusitana Região Centro Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica Cuidados de Saúde Primários ACeS Dão Lafões Unidade de Saúde Familiar Lusitana Unidade de Saúde Familiar Viseu Cidade Unidade de

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 06/2015-EBSERH/HC-UFG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 16 DE JULHO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 06/2015-EBSERH/HC-UFG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 16 DE JULHO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 06/2015-EBSERH/HC-UFG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 16 DE JULHO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 004 Médico - Alergia e Imunologia

Leia mais

VAGAS e INSCRITOS por GRUPO 39 85

VAGAS e INSCRITOS por GRUPO 39 85 01 - ÁREAS BÁSICAS COM ACESSO DIRETO 1 ANESTESIOLOGIA - 3 ANOS 15 165 11,0 2 CIRURGIA GERAL - 2 ANOS 46 211 4,6 3 CLÍNICA MÉDICA - 2 ANOS 54 275 5,1 4 DERMATOLOGIA - 3 ANOS 5 88 17,6 5 INFECTOLOGIA - 3

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina III MATRIZ CURRICULAR Matriz Curricular I (MC I), em atendimento às Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Graduação em Medicina, aprovadas no Parecer CNE/CES nº 1133/2001, de 7/8/2001. Aprovada

Leia mais

Conhecimentos em Clínica Médica.

Conhecimentos em Clínica Médica. ANEXO II PROGRAMAS DA PROVA ESCRITA s com Acesso Direto Acupuntura Anestesiologia Cirurgia Geral Dermatologia Infectologia Medicina da Família e Comunidade Medicina Nuclear Neurocirurgia Neurologia Conhecimentos

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 09/2014-EBSERH/HU-UFMS ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 17 DE ABRIL DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 09/2014-EBSERH/HU-UFMS ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 17 DE ABRIL DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 09/2014-EBSERH/HU-UFMS ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 17 DE ABRIL DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 801 802 Médico Alergia e

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS (HFA)

MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS (HFA) U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A (UnB) CENTRO DE SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS (CESPE) MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS (HFA) Concurso

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2016

RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 4600074 1 100 100 - CIRURGIA GERAL Convocado 4600086 2 100 100 - CIRURGIA GERAL Convocado 4600489 3 100 100 - CIRURGIA GERAL Convocado 4600487 4 100 100 - CIRURGIA GERAL Convocado 4600670 5 100 100 - CIRURGIA

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 02/2015 EBSERH/HE-UFPEL EDITAL N 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA NÍVEL SUPERIOR - MANHÃ

CONCURSO PÚBLICO 02/2015 EBSERH/HE-UFPEL EDITAL N 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA NÍVEL SUPERIOR - MANHÃ Gabarito Preliminar CONCURSO PÚBLICO 02/2015 EBSERH/HE-UFPEL EDITAL N 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA NÍVEL SUPERIOR - MANHÃ MÉDICO - ALERGIA E IMUNOLOGIA D A B E C D D C A B C C E A E E B B E B D A C D A MÉDICO

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM Nº 1.973/2011 (Publicada no D.O.U. de 1º de agosto de 2011, Seção I, p. 144-147) Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM nº 1.845/08, que celebra

Leia mais

U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A (UnB) CENTRO DE SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS (CESPE)

U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A (UnB) CENTRO DE SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS (CESPE) U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A (UnB) CENTRO DE SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS (CESPE) MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS (HFA) Concurso

Leia mais

CONVÊNIO CELEBRADO ENTRE O CFM, A AMB E A CNRM

CONVÊNIO CELEBRADO ENTRE O CFM, A AMB E A CNRM CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.973, DE 14 DE JULHO DE 2011 Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM Nº 1.845/08, que celebra o convênio de reconhecimento de especialidades

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA 1 de 26 16/11/2010 18:54 CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM Nº 1845/2008 (Publicada no D.O.U. de 15 Jul 2008, Seção I, p. 72) (Republicada com anexo no D.O.U. 16 Jul 2008, Seção I, p.164-168) (Modificada

Leia mais

Para a Categoria Funcional de Nível Superior, nas seguintes áreas/especialidades:

Para a Categoria Funcional de Nível Superior, nas seguintes áreas/especialidades: Vagas e requisitos Para a Categoria Funcional de Nível Superior, nas seguintes áreas/especialidades: Áreas/Especialidades Vagas Pré-Requisitos Análises Clínicas (Biologia) 01 a) Formação Superior Completa

Leia mais

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INFORMAÇÕES GERAIS 1 - A Residência em Medicina constitui modalidade de ensino de pós-graduação, destinada

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.666/2003

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.666/2003 Página 1 de 27 RESOLUÇÃO CFM Nº 1.666/2003 Ementa: Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM nº 1.634/2002, que celebra o convênio de reconhecimento de especialidades médicas firmado entre

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. RESOLUÇÃO No- 2.116, DE 23 DE JANEIRO DE 2015

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. RESOLUÇÃO No- 2.116, DE 23 DE JANEIRO DE 2015 CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO No- 2.116, DE 23 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM nº 2.068/2013, que celebra o convênio de reconhecimento de especialidades

Leia mais

Total de Atendimento Realizados Núcleo de Especialidades Janeiro 2013

Total de Atendimento Realizados Núcleo de Especialidades Janeiro 2013 Janeiro 2013 232 1258 714 595 2 345 113 428 232 250 113 30 54 509 66 240 46 437 30 186 180 31 32 5 Fevereiro 2013 53 501 81 393 23 752579 18636 426 154 69 8 215 32 535 288 1296 173 217 215 572 4 Marįo

Leia mais

X FÓRUM NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM FISIOTERAPIA FLORIANÓPOLIS-SC

X FÓRUM NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM FISIOTERAPIA FLORIANÓPOLIS-SC X FÓRUM NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM FISIOTERAPIA FLORIANÓPOLIS-SC Dirceu Costa Florianópolis-SC - Abril-2015 HÁ NECESSIDADE DE AJUSTES CONSTANTES: DA COERÊNCIA INTERNA DOS PPGs

Leia mais

Especialidades Médicas. Questões para todas as especialidades/áreas de atuação

Especialidades Médicas. Questões para todas as especialidades/áreas de atuação DAS PROVAS OBJETIVAS Especialidades Médicas Questões para todas as especialidades/áreas de atuação INGLÊS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 Prova A A B E D C B D E A C C D E Prova B C E B B A E B C D A A B C

Leia mais

CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, E.P.E

CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, E.P.E CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, E.P.E 2013 ÍNDICE 1. Identificação da Entidade... 3 2. Caracterização Geral... 4 3 Sistemas de Informação... 5 4. Outros Aspectos de Regulação, Organização e Controlo Interno

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE As entidades prestadoras de cuidados de saúde devem publicar e divulgar, até 31 de março de cada ano, um relatório circunstanciado sobre o acesso aos

Leia mais

Tabela 24 - Terminologia do código brasileiro de ocupação (CBO) Data de início de vigência. Código do Termo. Data de fim de implantação

Tabela 24 - Terminologia do código brasileiro de ocupação (CBO) Data de início de vigência. Código do Termo. Data de fim de implantação de 201115 Geneticista 26/09/2008 26/09/2008 203015 Pesquisador em biologia de microorganismos e parasitas 26/09/2008 26/09/2008 213150 Físico médico 26/09/2008 26/09/2008 221105 Biólogo 26/09/2008 26/09/2008

Leia mais

NÚMERO DE CONSULTAS MÉDICAS (SUS) POR HABITANTE

NÚMERO DE CONSULTAS MÉDICAS (SUS) POR HABITANTE Indicadores de cobertura NÚMERO DE CONSULTAS MÉDICAS (SUS) POR HABITANTE 1. Conceituação x Número médio de consultas médicas apresentadas no Sistema Único de Saúde (SUS) por habitante, em determinado espaço

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 Diário Oficial da União; Poder Executivo, Brasília, DF, n. 81, 29 abr.2002. Seção 1, p. 265-66 Alterada pela Resolução CFM nº 1666/03 (Anexo II) O CONSELHO

Leia mais

ERRATA DE EDITAL LEIA-SE: EM, 27 /11 /2015

ERRATA DE EDITAL LEIA-SE: EM, 27 /11 /2015 EM, 27 /11 /2015 ERRATA DE EDITAL A SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE/PE torna público a ERRATA do edital do Processo Seletivo da RESIDÊNCIA MÉDICA para o ano de 2016 publicado no DOE 14/11/2015, que será realizado

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 Dispõe sobre convênio de reconhecimento de especialidades médicas firmado entre o Conselho Federal de Medicina CFM, a Associação

Leia mais

PROGRAMA DATA LOCAL E INFORMAÇÕES HORÁRIO

PROGRAMA DATA LOCAL E INFORMAÇÕES HORÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE - SANTA CASA DE PORTO ALEGRE COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 CALENDÁRIO DA 2ª

Leia mais

201115 Geneticista 26/09/2008 26/09/2008. 213150 Físico médico 26/09/2008 26/09/2008. 221105 Biólogo 26/09/2008 26/09/2008

201115 Geneticista 26/09/2008 26/09/2008. 213150 Físico médico 26/09/2008 26/09/2008. 221105 Biólogo 26/09/2008 26/09/2008 de 201115 Geneticista 26/09/2008 26/09/2008 203015 Pesquisador em biologia de microorganismos e parasitas 26/09/2008 26/09/2008 213150 Físico médico 26/09/2008 26/09/2008 221105 Biólogo 26/09/2008 26/09/2008

Leia mais

Centro Médico Pedro Maques. Av. Mendonça Junior,1018, Gruta de Lourdes. Fone: (82) 3316-7870. Rua Hugo Correia Paes, 253, Farol. Fone: (82) 2123-7000

Centro Médico Pedro Maques. Av. Mendonça Junior,1018, Gruta de Lourdes. Fone: (82) 3316-7870. Rua Hugo Correia Paes, 253, Farol. Fone: (82) 2123-7000 www.plamed.com.br Rede Credenciada Por Município MACEIÓ Urgência e Emergência URGÊNCIA PEDIÁTRICA CONSULTAS ALERGOLOGIA E IMUNOLOGIA (ADULTO E PEDIATRIA) ANGIOLOGIA CARDIOLOGIA CIRURGIA CARDÍACA CIRURGIA

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE As entidades prestadoras de cuidados de saúde devem publicar e divulgar, até 31 de Março de cada ano, um relatório circunstanciado sobre o acesso aos

Leia mais

Dados para geração do NFTE para Residência Médica - 2002. TI/DEDES/SESu/MEC Página 1 de 17

Dados para geração do NFTE para Residência Médica - 2002. TI/DEDES/SESu/MEC Página 1 de 17 26284 FFFCMPA Porto Alegre Anatomia Patológica 4 4 26284 FFFCMPA Porto Alegre Anestesiologia 6 6 26284 FFFCMPA Porto Alegre Cirurgia de Cabeça e Pescoço 2 2 26284 FFFCMPA Porto Alegre Cirurgia Geral 18

Leia mais

Quem vou ser daqui a 20 anos Público. Privado. Assistencial Acadêmica Gestão. Assistencial Acadêmico Gestão Autônomo

Quem vou ser daqui a 20 anos Público. Privado. Assistencial Acadêmica Gestão. Assistencial Acadêmico Gestão Autônomo Dr Milton Glezer Quem vou ser daqui a 20 anos Público Assistencial Acadêmica Gestão Privado Assistencial Acadêmico Gestão Autônomo Mudanças nos planos de saúde- melhorar cada vez mais o funcionamento dos

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 27 de maio de 2014. Série. Número 96

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 27 de maio de 2014. Série. Número 96 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 27 de maio de 2014 Série Sumário VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Despacho n.º 90/2014 Delega competências no Diretor Regional de Infraestruturas

Leia mais

Curso de Aperfeiçoamento em Medicina Oral e Odontologia Hospitalar

Curso de Aperfeiçoamento em Medicina Oral e Odontologia Hospitalar MINISTÉRIO DA SAÚDE HOSPITAL FEDERAL DOS SERVIDORES DO ESTADO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA Curso de Aperfeiçoamento em Medicina Oral e Odontologia Hospitalar JUSTIFICATIVA A Promoção de saúde só será completa

Leia mais

Convênio de reconhecimento de especialidades médicas - Resolução CFM 1666 de 7/5/2003 *****

Convênio de reconhecimento de especialidades médicas - Resolução CFM 1666 de 7/5/2003 ***** Convênio de reconhecimento de especialidades médicas - Resolução CFM 1666 de 7/5/2003 ***** Ementa: Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM n.º 1.634/2002, que celebra o convênio de reconhecimento

Leia mais

GRUPO SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE BELO HORIZONTE PROCESSO SELETIVO - RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 RESULTADO FINAL 1ª Etapa Prova Objetiva.

GRUPO SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE BELO HORIZONTE PROCESSO SELETIVO - RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 RESULTADO FINAL 1ª Etapa Prova Objetiva. 101 Anestesiologia 1167427 84,00 5,60-89,60 1 CLASSIFICADO 101 Anestesiologia 1168953 78,00 8,00-86,00 2 CLASSIFICADO 101 Anestesiologia 1169652 75,60 8,50-84,10 3 CLASSIFICADO 101 Anestesiologia 1170741

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA-GERAL

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA-GERAL Circular Normativa Nº 01 Data 12/01/2006 Para conhecimento de todos os serviços e estabelecimentos dependentes do Ministério da Saúde ASSUNO: Regime de trabalho de horário acrescido Critérios. A Circular

Leia mais

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade Ambulatorial ALERGIA E IMUNOLOGIA (ALERGOLOGISTA) CARDIOLOGISTA CIRURGIAO EM GERAL Pagina 1 de 9 CIRURGIAO VASCULAR CLINICO

Leia mais

QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA MÉDICOS, PSICÓLOGOS, FISIOTERAPEUTAS E DEMAIS PRESTADORES DE SERVIÇOS MÉDICOS

QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA MÉDICOS, PSICÓLOGOS, FISIOTERAPEUTAS E DEMAIS PRESTADORES DE SERVIÇOS MÉDICOS QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA MÉDICOS, PSICÓLOGOS, FISIOTERAPEUTAS E DEMAIS PRESTADORES DE SERVIÇOS MÉDICOS O objetivo deste questionário é analisar as atividades

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS CONCURSO PÚBLICO 004/2016 A Secretaria Municipal de Administração

Leia mais

Anexo I. Quadro de vagas por Hospital / Especialidades AREAS BÁSICAS

Anexo I. Quadro de vagas por Hospital / Especialidades AREAS BÁSICAS Anexo I Quadro de vagas por Hospital / Especialidades AREAS BÁSICAS COD.101 - CLINICA MÉDICA 0 2 Conjunto Hospitalar do Mandaqui 11 3 Faculdade de Medicina de Catanduva 6 4 Hospital Guilherme Alvaro -

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.763/05 (Publicada no D.O.U., de 09 Mar 2005, Seção I, p. 189-192)

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.763/05 (Publicada no D.O.U., de 09 Mar 2005, Seção I, p. 189-192) Página 1 de 17 RESOLUÇÃO CFM Nº 1.763/05 (Publicada no D.O.U., de 09 Mar 2005, Seção I, p. 189-192) Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM nº 1.666/2003, que celebra o convênio de reconhecimento

Leia mais

INFORMAÇÃO PARA UTENTES E FAMÍLIAS

INFORMAÇÃO PARA UTENTES E FAMÍLIAS INFORMAÇÃO PARA UTENTES E FAMÍLIAS Revisão em: Março 2015 Queremos ajudá-lo a conhecer melhor este Centro BEM-VINDO Os Hospitais de São José, Santo António dos Capuchos, Santa Marta, Dona Estefânia, Curry

Leia mais

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA Escola Superior de Ciências da Saúde Período de Inscrição: 18 de janeiro de 2010 a 19 de fevereiro de 2010. Local de Inscrição:

Leia mais

CBO-S (Códigos de Especialidade)

CBO-S (Códigos de Especialidade) CBO-S (Códigos de Especialidade) Código Descrição 1312.05 Diretor clínico 1312.05 Diretor de departamento de saúde 1312.05 Diretor de divisão médica 1312.05 Diretor de serviços de saúde 1312.05 Diretor

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS CONCURSO PÚBLICO 004/2016 A Secretaria Municipal de Administração

Leia mais

INFORME CBO. CBO com alterações de códigos e/ou descrições

INFORME CBO. CBO com alterações de códigos e/ou descrições INFORME CBO Considerando a publicação da Portaria SAS/MS n 203/2011, que inclui no Sistema de Informação Hospitalar (SIH) o registro obrigatório da competência de realização de todos os procedimentos realizados

Leia mais

HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS

HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS Lista Telefónica HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS Polo de Lisboa Fev-14 LISTA TELEFÓNICA DO HFAR/PL Central de Atendimento (24 Horas) SERVIÇOS Extensão DDI 508 777 508 729 217519777 Call Center de Marcação

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.116/2015

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.116/2015 RESOLUÇÃO CFM Nº 2.116/2015 (Publicada no D.O.U. de 04 de fevereiro de 2015, Seção I, p. 55) Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM nº 2.068/2013, que celebra o convênio de reconhecimento

Leia mais

XIV. Recursos Humanos ÍNDICE

XIV. Recursos Humanos ÍNDICE XIV Recursos Humanos ÍNDICE SECÇÃO I CONSIDERAÇÕES GERAIS...2 SECÇÃO II ENTIDADE GESTORA DO ESTABELECIMENTO...2 1. Planeamento de Recursos Humanos...2 2. Recrutamento...5 3. Integração e Formação Inicial...6

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR 2015.2 MEDICINA

MATRIZ CURRICULAR 2015.2 MEDICINA Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Coordenadoria de Ensino de Graduação Centro de Ciências da Saúde MATRIZ CURRICULAR 2015.2 MEDICINA PRIMEIRO PERÍODO MORFOLOGIA BIOLOGIA CELULAR, TECIDUAL E DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade Ambulatorial ALERGIA E IMUNOLOGIA (ALERGOLOGISTA) CARDIOLOGISTA CIRURGIAO EM GERAL Pagina 1 de 8 CIRURGIAO VASCULAR CLINICO

Leia mais

Anexo III. Vagas Adicionais AREAS BÁSICAS

Anexo III. Vagas Adicionais AREAS BÁSICAS Anexo III Vagas Adicionais AREAS BÁSICAS COD.101 - CLINICA MÉDICA 4 2 Hospital Geral de Pedreira 4 3 Associação Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus (UNOESTE) 1 4 SANTA CASA DE FRANCA 2 1

Leia mais

Cardiologia Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardíaca Cirurgia Geral 1 Cirurgia Maxilofacial Cirurgia Pediátrica

Cardiologia Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardíaca Cirurgia Geral 1 Cirurgia Maxilofacial Cirurgia Pediátrica Anatomia Patológica Anestesiologia Angiologia e Cirurgia Cardiologia Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardíaca Cirurgia Geral Cirurgia Maxilofacial Cirurgia Pediátrica Cir. Plástica Cirurgia Torácica Dermatovenereologia

Leia mais

SELEÇÃO UNIFICADA PARA RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO CEARÁ SURCE 2012 ADITIVO AO EDITAL Nº 02/2011

SELEÇÃO UNIFICADA PARA RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO CEARÁ SURCE 2012 ADITIVO AO EDITAL Nº 02/2011 SELEÇÃO UNIFICADA PARA RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO CEARÁ SURCE 2012 ADITIVO AO EDITAL Nº /2011 A Coordenação Geral do Grupo Gestor da SURCE e a Coordenação de Ensino e Pesquisa dos Hospitais Universitários

Leia mais

Página 1 de 4. Código Especialidade Requisitos

Página 1 de 4. Código Especialidade Requisitos CONCURSO PÚBLICO 12/2014-EBSERH/HU-UFMA ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS RETIFICADO Código Especialidade Requisitos 801 Médico

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE. Vila Nova de Gaia, 30 de Agosto de 2007

REGULAMENTO INTERNO. Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE. Vila Nova de Gaia, 30 de Agosto de 2007 REGULAMENTO INTERNO Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE Vila Nova de Gaia, 30 de Agosto de 2007 1ª Revisão: Vila Nova de Gaia, 30 de Setembro de 2010 ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

CENTROS HOSPITALARES PÚBLICO: HOSPITAL SANTO TOMÁS Av. Balboa Bella Vista Tels: 507 507-5600 507-5700

CENTROS HOSPITALARES PÚBLICO: HOSPITAL SANTO TOMÁS Av. Balboa Bella Vista Tels: 507 507-5600 507-5700 CENTROS HOSPITALARES PÚBLICO: HOSPITAL SANTO TOMÁS Av. Balboa Bella Vista Tels: 507 507-5600 507-5700 Centro de referência para toda a população adulta que não conta com seguro médico no país, presta atendimento

Leia mais

SELEÇÃO UNIFICADA PARA RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO CEARÁ - SURCE 2014/2015

SELEÇÃO UNIFICADA PARA RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO CEARÁ - SURCE 2014/2015 SELEÇÃO UNIFICADA PARA RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO CEARÁ - SURCE 2014/2015 ANEXO II - PROGRAMAS / VAGAS / INSTITUIÇÕES As vagas ofertadas são de total responsabilidade de cada uma das respectivas instituições

Leia mais

hospital de dia oncológico

hospital de dia oncológico guia do chtmad nota introdutória Sempre a pensar em si e para que possa beneficiar na totalidade de todos os nossos serviços, apresentam-se algumas informações que se consideram ser do seu interesse. Lembramos

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 14.02.06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 1548 CURSO DE MEDICINA

Aprovado no CONGRAD: 14.02.06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 1548 CURSO DE MEDICINA Aprovado no CONGRAD: 14..06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 48 CURSO DE MEDICINA EIXOS TRANSVERSAIS E ÁREAS DO CONHECIMENTO DO CURRÍCULO PLENO ACADÊMI COS I FUNDAMENTOS CONCEITUAIS DO CURSO

Leia mais

RADIOGRAFIA DOS HOSPITAIS MUNICIPAIS ABRIL/2013

RADIOGRAFIA DOS HOSPITAIS MUNICIPAIS ABRIL/2013 11 UMA RADIOGRAFIA DOS HOSPITAIS MUNICIPAIS ABRIL/2013 A Confederação Nacional de Municípios (CNM), preocupada com a realidade da Saúde Pública no Brasil e com as discussões em torno da qualidade dos serviços

Leia mais

40 horas semanais Taxa de inscrição R$ 50,00

40 horas semanais Taxa de inscrição R$ 50,00 2.1 ARTÍFICE Ensino Fundamental Completo e experiência comprovada na área de atuação, quando da Salário R$ 622,00 Taxa de inscrição R$ 50,00 2.2 ASSISTENTE SOCIAL Salário R$ 2.223,74 30 horas semanais

Leia mais

Relatório Anual sobre o Acesso a Cuidados de Saúde

Relatório Anual sobre o Acesso a Cuidados de Saúde Relatório Anual sobre o Acesso a Cuidados de Saúde Hospital Garcia de Orta, E.P.E 1 31 de Março 2011 SUMÁRIO PREÂMBULO IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE CARECTERIZAÇÃO GERAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO OUTROS ASPECTOS

Leia mais

Boletim de Serviço. Nº 06, 05 de janeiro de 2015. Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes

Boletim de Serviço. Nº 06, 05 de janeiro de 2015. Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes Boletim de Serviço Nº 06, 05 de janeiro de 2015 Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES EBSERH HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CASSIANO ANTÔNIO MORAES Av. Marechal

Leia mais

FACULDADE CENTRO SUL DO PARANÁ. PORTARIA nº01/2015 São Mateus do Sul, 02 de março de 2015.

FACULDADE CENTRO SUL DO PARANÁ. PORTARIA nº01/2015 São Mateus do Sul, 02 de março de 2015. FACULDADE CENTRO SUL DO PARANÁ PORTARIA nº01/2015 São Mateus do Sul, 02 de março de 2015. O Diretor Geral da Faculdade Centro Sul do Paraná FACSPAR, credenciada junto ao MEC pela portaria Nº 697, de 15

Leia mais

ALAGOAS MACEIÓ URGÊNCIA GERAL URGÊNCIA ORTOPÉDICA URGÊNCIA PEDIÁTRICA HOSPITAL GERAL URGÊNCIA E EMERGÊNCIA URGÊNCIA CARDÍACA

ALAGOAS MACEIÓ URGÊNCIA GERAL URGÊNCIA ORTOPÉDICA URGÊNCIA PEDIÁTRICA HOSPITAL GERAL URGÊNCIA E EMERGÊNCIA URGÊNCIA CARDÍACA URGÊNCIA GERAL ALAGOAS URGÊNCIA ORTOPÉDICA URGÊNCIA PEDIÁTRICA HOSPITAL GERAL MACEIÓ URGÊNCIA E EMERGÊNCIA URGÊNCIA CARDÍACA RUA HUGO CORREIA PAES, 253. farol FONE: (82) 2123-7000 REDE CONTRATADA PARA

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC. Atualizado para 2015.2

CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC. Atualizado para 2015.2 CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC Atualizado para 2015.2 1ª Fase I: MED 7001 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA MEDICINA I Anatomia 48 (+12 Integr.) Fisiologia 68 (+12 Integr.) Bioquímica 62 Histologia

Leia mais

POLÍTICA DE QUALIFICAÇÃO MÉDICA Edição: 24/10/2013 NORMA Nº 650

POLÍTICA DE QUALIFICAÇÃO MÉDICA Edição: 24/10/2013 NORMA Nº 650 Página: 1/36 1- OBJETIVO Garantir a segurança do paciente e da Instituição, através da definição dos requisitos básicos que permitem ao médico exercer o ato médico no Sistema de Saúde Mãe de Deus (SSMD).

Leia mais

Actuais e Futuras Necessidades Previsionais de Médicos (SNS)

Actuais e Futuras Necessidades Previsionais de Médicos (SNS) Actuais e Futuras Necessidades Previsionais de Médicos (SNS) Unidade Operacional Planeamento e Investimentos Director: Dr. Adriano Natário Unidade Funcional Estudos e Planeamento de Recursos Humanos Coordenador:

Leia mais

CENTRO HOSPITALAR DO BAIXO VOUGA, EPE. 1 Órgãos Sociais... 3. 2 Atividade Assistencial... 4. 3 Recursos Humanos... 13. 4 Execução Orçamental...

CENTRO HOSPITALAR DO BAIXO VOUGA, EPE. 1 Órgãos Sociais... 3. 2 Atividade Assistencial... 4. 3 Recursos Humanos... 13. 4 Execução Orçamental... SUMÁRIO 1 Órgãos Sociais... 3 2 Atividade Assistencial... 4 3 Recursos Humanos... 13 4 Execução Orçamental... 17 5 Controlo de Gestão... 21 6 Conclusão... 26 2 1 Órgãos Sociais Conselho de Administração

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE TELECONSULTORIA MANUAL DO SOLICITANTE

MANUAL DO SISTEMA DE TELECONSULTORIA MANUAL DO SOLICITANTE MANUAL DO SISTEMA DE TELECONSULTORIA MANUAL DO SOLICITANTE CENTRO DE TELESSAÚDE DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG REDE DE TELEASSISTÊNCIA DE MINAS GERAIS DEZEMBRO DE 2015 Apresentação A (RTMG) é uma rede

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA RESIDÊNCIA MÉDICA DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

REGIMENTO INTERNO DA RESIDÊNCIA MÉDICA DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA REGIMENTO INTERNO DA RESIDÊNCIA MÉDICA DA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Artigo 1 o.- A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) através da Faculdade de Medicina e do Hospital de Clínicas, manterá

Leia mais

Quem somos? MUNICÍPIO DO SEIXAL CENSOS 2011. População residente 158.269 hab. População jovem 27% População idosa 15% Mulheres 52% Homens 48%

Quem somos? MUNICÍPIO DO SEIXAL CENSOS 2011. População residente 158.269 hab. População jovem 27% População idosa 15% Mulheres 52% Homens 48% ARPIFF, 21 DE NOVEMBRO DE 2014 Quem somos? MUNICÍPIO DO SEIXAL CENSOS 2011 47.661 30,11% 48.629 30,73% 28886 18,25% 2776 1,75% 13258 8,38% População residente 158.269 hab. População jovem 27% População

Leia mais

Educação Médica no Brasil. Graduação, Especialização & Educação Médica Continuada

Educação Médica no Brasil. Graduação, Especialização & Educação Médica Continuada Educação Médica no Brasil Graduação, Especialização & Educação Médica Continuada Educação Médica no Brasil Escola Médica Especialização (especialidades e áreas de atuação) Residência Médica Estágios credenciados

Leia mais

ANEXO I ÁREA DE FORMAÇÃO E TITULAÇÃO MÍNIMA

ANEXO I ÁREA DE FORMAÇÃO E TITULAÇÃO MÍNIMA 1 CURSO DE MEDICINA CÓD. DISCIPLINAS 001 Inglês 1 I 12 Curso formação completo em língua Inglesa ou título proficiência em língua inglesa. 002 Interação à Saú Comunitária I 2 I 12 ou Saú Coletiva ou Graduação

Leia mais

CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO

CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO PROJECTO CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO do Hospital de Santa Maria CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO MARIA RAPOSA Todos os anos, um número crescente de crianças, dos 0 aos 18 anos de idade, são assistidas

Leia mais

REAL SOCIEDADE ESPANHOLA DE BENEFICÊNCIA (RSEB) HOSPITAL REGIONAL DE SANTA MARIA/DF (HRSM) GABARITO OFICIAL DEFINITIVO.

REAL SOCIEDADE ESPANHOLA DE BENEFICÊNCIA (RSEB) HOSPITAL REGIONAL DE SANTA MARIA/DF (HRSM) GABARITO OFICIAL DEFINITIVO. EMPREGO 1: ASSISTENTE SOCIAL TIPO A Gabarito D X D A C B A D C A D A A A D Gabarito D B B X C C C D C C D C C C D EMPREGO 2: CIRURGIÃO BUCO-MAXILO-FACIAL TIPO A Gabarito D X D A C B A D C A B A C A D Gabarito

Leia mais

Santos. Rede de Atendimento Prime e Sinprafarmas

Santos. Rede de Atendimento Prime e Sinprafarmas Rede de Atendimento Prime e Sinprafarmas Santos PRONTO ATENDIMENTO Hospital Beneficência Portuguesa Av. Bernardino de Campo, 47 Hospital Infantil Gonzaga Av. Ana Costa, 411 Tel: (13) 2101-0203 CLÍNICAS

Leia mais

PROCESSO SELETIVO UNIFICADO DE RESIDÊNCIA MÉDICA/BAHIA 2015 COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA CEREM / BA EDITAL DE MATRÍCULA

PROCESSO SELETIVO UNIFICADO DE RESIDÊNCIA MÉDICA/BAHIA 2015 COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA CEREM / BA EDITAL DE MATRÍCULA PROCESSO SELETIVO UNIFICADO DE RESIDÊNCIA MÉDICA/BAHIA 2015 COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA CEREM / BA EDITAL DE MATRÍCULA A Comissão Estadual de Residência Médica - CEREM/BAHIA, no uso de suas

Leia mais

CARGOS / ESPECIALIDADES: Auxiliar de Serviços Gerais 101. Gabarito

CARGOS / ESPECIALIDADES: Auxiliar de Serviços Gerais 101. Gabarito Auxiliar de Serviços Gerais 101 Questão 01: B Questão 02: B Questão 03: C Questão 04: B Questão 05: D Questão 06: D Questão 07: B Questão 08: A Questão 09: D Questão 10: D Questão 11: C Questão 12: C Questão

Leia mais

Especialidade. Descrição. Código

Especialidade. Descrição. Código 1311.20 Gerente de serviços sociais 1312.05 Diretor de divisão médica 1312.05 Diretor de serviços de saúde 1312.05 Diretor de serviços médicos 1312.05 Diretor de unidade assistencial 1312.05 Diretor de

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI Nº 6.170, DE 06 DE JANEIRO DE 1993 - D.O. 06.01.93.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI Nº 6.170, DE 06 DE JANEIRO DE 1993 - D.O. 06.01.93. Autor: Poder Executivo LEI Nº 6.170, DE 06 DE JANEIRO DE 1993 - D.O. 06.01.93. * Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Salários do Sistema Único de Saúde do Estado de Mato Grosso, e dá outras providências.

Leia mais

HOSPITAL DOS SERVIDORES DO ESTADO RIO DE JANEIRO

HOSPITAL DOS SERVIDORES DO ESTADO RIO DE JANEIRO U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A (UnB) CENTRO DE SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS (CESPE) HOSPITAL DOS SERVIDORES DO ESTADO RIO DE JANEIRO Processo Seletivo Simplificado GABARITOS OFICIAIS PRELIMINARES

Leia mais

Região Norte. Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica. Cuidados de Saúde Primários. ACeS Douro I - Marão e Douro Norte

Região Norte. Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica. Cuidados de Saúde Primários. ACeS Douro I - Marão e Douro Norte Região Norte Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica Cuidados de Saúde Primários ACeS Douro I - Marão e Douro Norte Unidade de Cuidados na Comunidade de Mateus Unidade de Cuidados de

Leia mais

Mapa de Vagas IM - 2011 A - FE

Mapa de Vagas IM - 2011 A - FE Mapa de IM - 2011 A - FE Anatomia Patológica Centro Hospitalar de São João, EPE 2 Centro Hospitalar de Trás os Montes e Alto Douro, EPE Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE 1 1 Centro Hospitalar

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO Orientador Empresarial Enfermeiros-Títulos de Pós-Graduação-Procedimentos para Registro no Sistemas COFEN e Conselhos

Leia mais