MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA-GERAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA-GERAL"

Transcrição

1 Circular Normativa Nº 01 Data 12/01/2006 Para conhecimento de todos os serviços e estabelecimentos dependentes do Ministério da Saúde ASSUNO: Regime de trabalho de horário acrescido Critérios. A Circular Normativa n.º 9, de 2 de Dezembro de 2005, suspendeu a atribuição de novos regimes de horário acrescido, bem como a renovação dos regimes já atribuídos, até à negociação com as Agências de Contratualização das respectivas administrações regionais de saúde, do número de efectivos em horário acrescido para O Despacho n.º 27144/2005 (2ª série), publicado no Diário da República n.º 250, de 30 de Dezembro, procedeu à uniformização do processo de atribuição do regime de horário acrescido ao pessoal de enfermagem, técnico superior de saúde e técnico de diagnóstico e terapêutica. O referido despacho determinou que as propostas a apresentar pelos serviços deverão fundamentar a necessidade do recurso ao regime de horário acrescido, como forma indispensável de assegurar o regular e eficiente funcionamento dos serviços, através de um conjunto de critérios objectivos que, embora não exaustivos, deverão constituir uma plataforma mínima de justificação do recurso a tal regime. 1

2 Circular Normativa Cumpre agora estabelecer a metodologia que deve estar subjacente aos novos critérios determinados pelo mencionado despacho. É expectável que, num futuro próximo, se disponha de rácios e indicadores de desempenho que permitam quantificar as necessidades de pessoal para todos os grupos profissionais visados, tendo em conta a conclusão de diversos trabalhos em curso no âmbito das respectivas associações profissionais e das Escolas Superiores de ecnologias de Saúde. No imediato, no entanto, apenas existem de forma consistente, elementos daquela natureza para o pessoal de enfermagem, fruto de um longo trabalho desenvolvido por diversas entidades, nomeadamente, a Secretaria-Geral do Ministério da Saúde, a Direcção-Geral da Saúde e o Instituto de Gestão Informática e Financeira da Saúde, o que determina que os critérios infra referidos para o pessoal de enfermagem se apliquem, com as devidas adaptações, aos outros grupos profissionais. Assim, nos termos do n.º 2 do Despacho n.º 27144/2005 (2ª série), publicado no Diário da República n.º 250, de 30 de Dezembro, determina-se que, para efeitos de fundamentação da necessidade do recurso ao regime de trabalho de horário acrescido, se proceda de acordo com o previsto nos documentos anexos. O Secretário-Geral (Rui Gonçalves) 2

3 Critérios para atribuição do regime de trabalho de horário acrescido Metodologia 1. A metodologia para o critério Insuficiência de horas de prestação de cuidados/serviços em função de valores de referência deverá ser a seguinte: Calcular, por área de actividade e para a globalidade da instituição, o número de horas anuais de cuidados de enfermagem necessárias, segundo a aplicação das fórmulas de cálculo e dos rácios constantes do anexo 1. Estas fórmulas e rácios têm por base estudos efectuados, bem como indicadores e valores de referência a serem fornecidos pelas Agências, no âmbito do processo de contratualização; Calcular, por área de actividade, o diferencial entre o número anual de horas necessárias, calculado nos termos do número anterior, e o número de horas de enfermagem disponíveis; ransformar o eventual número de horas deficitárias, em acréscimos de horas correspondentes ao diferencial entre o número de horas do regime normal e o número de horas do regime de horário acrescido; Proceder ao cálculo do número de efectivos a propor no regime de horário acrescido. Para o ano de 2006, o número de horas de enfermagem necessárias e disponíveis deverá calcular-se com base nos valores da instituição estimados para o ano económico de 2005, conforme determinado no n.º 3 do Despacho n.º / 2005 (2.ª Série), publicado no Diário da República, n.º 205, de 25 de Outubro. 3

4 2. Para o critério Impossibilidade e/ou inadequação da reafectação entre valências /serviços, de horas de prestação de cuidados/serviços deverá ser adoptada a seguinte metodologia: Justificar, casuisticamente, as situações em que verificando-se, numa determinada área de actividade e/ou valência, um superavit de horas prestadas face às horas necessárias, não seja possível ou adequado proceder à sua reafectação a outras áreas e/ou valências eventualmente deficitárias, nomeadamente pela complexidade e especificidade dos cuidados a prestar. 3. Para o critério Vantagem económica do recurso a horários de tempo acrescido, a metodologia deverá ser a seguinte: Calcular os encargos correspondentes à atribuição dos horários acrescidos propostos, comparativamente com os encargos decorrentes do correspondente pagamento de horas extraordinárias. 4. A utilização de critérios adicionais para fundamentação da necessidade do recurso ao regime de horário acrescido deverá ter um carácter excepcional, não substituindo a obrigatoriedade de cumprimento da plataforma mínima acima identificada. 5. Os critérios acima referidos para o pessoal de enfermagem aplicam-se, com as devidas adaptações, aos técnicos superiores de saúde e técnicos de diagnóstico e terapêutica, devendo a indisponibilidade de rácios e de indicadores de referência ser colmatada com a utilização de valores médios calculados pelas Agências de Contratualização, relativamente às instituições da respectiva região, segundo a aplicação das fórmulas de cálculo indicativas, constantes do anexo 2. 4

5 Anexo 1 (A que se refere o ponto 1) FÓRMULAS DE CÁLCULO RELAIVAMENE A NECESSIDADES DE ENFERMEIROS A CENROS DE SAÚDE A.1- Centros de Saúde com serviços programados At x HCN/At At = Número de actividades de enfermagem por ano HCN/At = Número de horas de cuidados necessárias por actividade / área de intervenção segundo tabela I = Número de horas de trabalho por enfermeiro e por ano Valor de : 1435 H (correspondentes a 41 semanas úteis por ano)* *Consideram-se as seguintes deduções ao horário de 35 horas semanais: 5 semanas para férias + 2 semanas para feriados + 3 semanas para formação + 1 semana para faltas A.2 - Centros de Saúde com horário de funcionamento para continuidade e acessibilidade de cuidados de saúde para doença grave EN = P x HFx N.º dias/ano P = Número de postos de trabalho HF = Número de horas de funcionamento por dia N.º dias/ano = Número de dias de funcionamento por ano

6 = Número de horas de trabalho por enfermeiro e por ano Valor de : 1435 H (correspondentes a 41 semanas úteis por ano) B- HOSPIAIS B.1- Serviços com internamento LP x O x HCN/DI x N.º dias/ano LP = Lotação praticada O =axa de ocupação esperada a fornecer pela Agência N.º dias/ano = Número de dias de funcionamento por ano -365 HCN/DI = Número de horas de cuidados necessárias por dia de internamento segundo tabela II = Número de horas de trabalho por enfermeiro e por ano Valor de : 1268 H para Serviços de Psiquiatria e Oncologia * 1435 H para restantes Serviços (correspondentes a 41 semanas úteis por ano) * De acordo com as bonificações previstas no Decreto-Lei n.º 437/91, de 8 de Novembro, para os serviços de Psiquiatria e Oncologia. B.2- Consulta Externa P x HF x N.º dias/ano 6

7 P = Número de postos de trabalho (0,5 enf. x n.º gabinetes de consulta.) HF = Número de horas de funcionamento por dia N.º dias/ano = Número de dias de funcionamento por ano = Número de horas de trabalho por enfermeiro e por ano Valor de : 1268 H para Serviços de Psiquiatria e Oncologia 1435 H para restantes Serviços ( correspondentes a 41 semanas úteis por ano) B.3 Hospitais de Dia At x HCN/At At = Número de sessões por ano HCN/At = Número de horas de cuidados necessárias por sessão segundo tabela III = Número de horas de trabalho por enfermeiro e por ano Valor de : 1268 H para Serviços de Psiquiatria e Oncologia 1435 H para restantes Serviços (correspondentes a 41 semanas úteis por ano) B.4 - Bloco Operatório (Cirurgia Programada) P x HF x N.º dias/ano P = Número de postos de trabalho (3 enf. x n.º salas operatórias) ou (< 3 enf. x n.º salas operatórias, decidido em função das especialidades cirúrgicas, aspectos organizacionais e estruturais dos blocos operatórios) 7

8 HF = Número de horas de funcionamento por dia N.º dias/ano = Número de dias de funcionamento por ano -250 = Número de horas de trabalho por enfermeiro e por ano Valor de : 1435 H (correspondentes a 41 semanas úteis por ano) B.5. Urgência* At x HCN/At At = Número de atendimentos por ano HCN/At = Número de horas de cuidados necessárias por atendimento- a fornecer pela Agência ( média da região) = Número de horas de trabalho por enfermeiro e por ano Valor de : 1435 H (correspondentes a 41 semanas úteis por ano) *Poderá, em alternativa aplicar-se a fórmula prevista para B.6 B.6 Outros Serviços (Esterilização, Formação, etc) P x HF x N.º dias/ano P = Número de postos de trabalho - a fornecer pela Agência ( média da região) HF = Número de horas de funcionamento por dia N.º dias/ano = Número de dias de funcionamento por ano -250 = Número de horas de trabalho por enfermeiro e por ano Valor de : 1435 H (correspondentes a 41 semanas úteis por ano) 8

9 ABELA I (A que se refere a sigla HCN/At do ponto A.1 do anexo 1) Horas de cuidados necessários por actividade / área de intervenção Centros de Saúde ipo de actividades HCN empo médio (min) Consulta de Enfermagem / entrevista 15 Pensos e outros tratamentos 20 Administração de terapêutica 10 Educação para a saúde em grupo 60 Visitação domiciliária (incl. Deslocação) 40 ABELA II (A que se refere a sigla HCN/DI do ponto B.1 do anexo 1) Horas de cuidados necessárias por dia de internamento (HCN/DI) Hospitais VALÊNCIA / SERVIÇO HCN / DI empo médio Especialidades Básicas Horas Medicina 3,78 Cirurgia 3,66 Pediatria 4,78 Obstetrícia 3,86 Ginecologia 3,66 Ortopedia 3,93 Neonatologia 9,87 Psiquiatria de agudos 2,85 Especialidades Intermédias Dermatologia 2,71 Endocrinologia 3,23 Gastrenterologia 3,61 9

10 Oftalmologia 3,32 Nefrologia 4,84 Otorrinolaringologia 3,58 Urologia 3,45 Neurologia 3,34 Pneumologia 3,48 Infecciologia 3,63 Medicina Física e Reabilitação 3,14 Especialidades Diferenciadas Cardiologia 4,20 Cirurgia Cardiotorácica 4,33 Cirurgia Plástica 3,83 Cirurgia Vascular 3,89 Neurocirurgia 4,93 Hematologia 2,88 Oncologia Médica 3,84 Camas écnicas UCI Polivalente 16,63 UCI Cardiologia 13,42 UCI Cirurgia Cardiotorácica 13,96 UCI Cirurgia Geral 8,70 UCI Neurocirurgia 8,70 UCI Queimados 14,68 ABELA III (A que se refere a sigla HCN/At do ponto B.3 do anexo 1) Horas de cuidados necessários por sessão de Hospital de Dia ipo de Hospital de Dia HCN empo médio (horas) Hematologia 1.31 Infecciologia 1.95 Oncologia 1.21 Psiquiatria

11 Anexo 2 (A que se refere o ponto 5) FÓRMULAS DE CÁLCULO INDICAIVAS RELAIVAMENE A NECESSIDADES DE ÉCNICOS SUPERIORES DE SAÚDE E DE ÉCNICOS DE DIAGNÓSICO E ERAPÊUICA C = At x M/At C= Número de técnicos necessários At = Número de actos por ano (para este efeito deve considerar-se acto a formulação genérica da medida de produção, a qual pode assumir, em concreto, diferentes unidades, conforme a área de actividade em análise. Por ex.: análises, sessões, procedimentos.) M/At = empo necessário por acto a fornecer pela Agência (média da região) * = Número de horas de trabalho por técnico e por ano Valor de : 1435 H (correspondentes a 41 semanas úteis por ano) ou C= P x HF x N.º dias/ano C= Número de técnicos necessários P = Número de postos de trabalho HF = Número de horas de funcionamento por dia N.º dias/ano = Número de dias de funcionamento por ano 11

12 = Número de horas de trabalho por técnico e por ano Valor de : 1435 H (correspondentes a 41 semanas úteis por ano) * No caso específico dos técnicos de fisioterapia poderá utilizar-se como base de trabalho, valores disponibilizados por Isabel Souza Guerra Dissertação de Mestrado, ISCE, Lisboa 2003), que permitem deduzir tempos médios por sessão e por procedimento: N.º sessões /fisioterapeuta /dia 12 N.º sessões / fisioterapeuta /ano (250 dias) empo médio por sessão 30 minutos N.º de procedimentos / sessão 7 N.º procedimentos / fisioterapeuta /ano (250 dias) empo médio por procedimento 5 minutos. 12

Região Centro. Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica. Cuidados de Saúde Primários. Unidade de Saúde Familiar Lusitana

Região Centro. Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica. Cuidados de Saúde Primários. Unidade de Saúde Familiar Lusitana Região Centro Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica Cuidados de Saúde Primários ACeS Dão Lafões Unidade de Saúde Familiar Lusitana Unidade de Saúde Familiar Viseu Cidade Unidade de

Leia mais

Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Fecho (Ano N-2) Estimado (Ano N-1) Acumulado (Ano N)

Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Fecho (Ano N-2) Estimado (Ano N-1) Acumulado (Ano N) Q 2 Número de Utilizadores do Hospital (P) Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Área de Influência Fora da Área de Influência Notas:

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2016

RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 4600074 1 100 100 - CIRURGIA GERAL 4600086 2 100 100 - CIRURGIA GERAL 4600489 3 100 100 - CIRURGIA GERAL 4600487 4 100 100 - CIRURGIA GERAL 4600670 5 100 100 - CIRURGIA GERAL 4600415 6 100 100 - CIRURGIA

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2016

RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 4600074 1 100 100 - CIRURGIA GERAL Convocado 4600086 2 100 100 - CIRURGIA GERAL Convocado 4600489 3 100 100 - CIRURGIA GERAL Convocado 4600487 4 100 100 - CIRURGIA GERAL Convocado 4600670 5 100 100 - CIRURGIA

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO FINAL DA SELEÇÃO PÚBLICA PARA ADMISSÃO DE MÉDICOS COMO COOPERADOS NA UNIMED JUIZ DE FORA 01/2012

CLASSIFICAÇÃO FINAL DA SELEÇÃO PÚBLICA PARA ADMISSÃO DE MÉDICOS COMO COOPERADOS NA UNIMED JUIZ DE FORA 01/2012 34288 Acupuntura 59 aprovado 3 45210 Alergia e Imunologia 56,5 aprovado 5 42926 Anestesiologia 62,5 aprovado 48867 Anestesiologia 60,5 aprovado 48235 Anestesiologia 59 aprovado 9 48302 Anestesiologia 56

Leia mais

S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015

S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015 S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015 A redução de listas de espera cirúrgicas, de consultas e de meios complementares de diagnóstico e terapêutica para tempos de espera clinicamente

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 06/2015-EBSERH/HC-UFG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 16 DE JULHO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 06/2015-EBSERH/HC-UFG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 16 DE JULHO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 06/2015-EBSERH/HC-UFG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 16 DE JULHO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 004 Médico - Alergia e Imunologia

Leia mais

GRUPO SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE BELO HORIZONTE PROCESSO SELETIVO - RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 RESULTADO FINAL 1ª Etapa Prova Objetiva.

GRUPO SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE BELO HORIZONTE PROCESSO SELETIVO - RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 RESULTADO FINAL 1ª Etapa Prova Objetiva. 101 Anestesiologia 1167427 84,00 5,60-89,60 1 CLASSIFICADO 101 Anestesiologia 1168953 78,00 8,00-86,00 2 CLASSIFICADO 101 Anestesiologia 1169652 75,60 8,50-84,10 3 CLASSIFICADO 101 Anestesiologia 1170741

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 02/2015 EBSERH/HE-UFPEL EDITAL N 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA NÍVEL SUPERIOR - MANHÃ

CONCURSO PÚBLICO 02/2015 EBSERH/HE-UFPEL EDITAL N 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA NÍVEL SUPERIOR - MANHÃ Gabarito Preliminar CONCURSO PÚBLICO 02/2015 EBSERH/HE-UFPEL EDITAL N 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA NÍVEL SUPERIOR - MANHÃ MÉDICO - ALERGIA E IMUNOLOGIA D A B E C D D C A B C C E A E E B B E B D A C D A MÉDICO

Leia mais

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INFORMAÇÕES GERAIS 1 - A Residência em Medicina constitui modalidade de ensino de pós-graduação, destinada

Leia mais

VAGAS e INSCRITOS por GRUPO 39 85

VAGAS e INSCRITOS por GRUPO 39 85 01 - ÁREAS BÁSICAS COM ACESSO DIRETO 1 ANESTESIOLOGIA - 3 ANOS 15 165 11,0 2 CIRURGIA GERAL - 2 ANOS 46 211 4,6 3 CLÍNICA MÉDICA - 2 ANOS 54 275 5,1 4 DERMATOLOGIA - 3 ANOS 5 88 17,6 5 INFECTOLOGIA - 3

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Gabinete do Secretário de Estado da Saúde

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Gabinete do Secretário de Estado da Saúde 21816-(2) Diário da República, 2.ª série N.º 118 20 de junho de 2012 PARTE C MINISTÉRIO DA SAÚDE Gabinete do Secretário de Estado da Saúde Despacho n.º 8317-A/2012 Pelo despacho n.º 7702 -B/2012, publicado

Leia mais

SELEÇÃO PARA COOPERAÇÃO DE MÉDICOS Edital n. 01/2009. ACUPUNTURA Código 101. Gabarito

SELEÇÃO PARA COOPERAÇÃO DE MÉDICOS Edital n. 01/2009. ACUPUNTURA Código 101. Gabarito ACUPUNTURA Código 101 Questão 01: D Questão 19: B Questão 37: D Questão 55: D Questão 02: D Questão 20: D Questão 38: B Questão 56: B Questão 03: D Questão 21: A Questão 39: C Questão 57: A Questão 04:

Leia mais

REAL SOCIEDADE ESPANHOLA DE BENEFICÊNCIA (RSEB) HOSPITAL REGIONAL DE SANTA MARIA/DF (HRSM) GABARITO OFICIAL DEFINITIVO.

REAL SOCIEDADE ESPANHOLA DE BENEFICÊNCIA (RSEB) HOSPITAL REGIONAL DE SANTA MARIA/DF (HRSM) GABARITO OFICIAL DEFINITIVO. EMPREGO 1: ASSISTENTE SOCIAL TIPO A Gabarito D X D A C B A D C A D A A A D Gabarito D B B X C C C D C C D C C C D EMPREGO 2: CIRURGIÃO BUCO-MAXILO-FACIAL TIPO A Gabarito D X D A C B A D C A B A C A D Gabarito

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 09/2014-EBSERH/HU-UFMS ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 17 DE ABRIL DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 09/2014-EBSERH/HU-UFMS ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 17 DE ABRIL DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 09/2014-EBSERH/HU-UFMS ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 17 DE ABRIL DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 801 802 Médico Alergia e

Leia mais

XIV. Recursos Humanos ÍNDICE

XIV. Recursos Humanos ÍNDICE XIV Recursos Humanos ÍNDICE SECÇÃO I CONSIDERAÇÕES GERAIS...2 SECÇÃO II ENTIDADE GESTORA DO ESTABELECIMENTO...2 1. Planeamento de Recursos Humanos...2 2. Recrutamento...5 3. Integração e Formação Inicial...6

Leia mais

hospital de dia oncológico

hospital de dia oncológico guia do chtmad nota introdutória Sempre a pensar em si e para que possa beneficiar na totalidade de todos os nossos serviços, apresentam-se algumas informações que se consideram ser do seu interesse. Lembramos

Leia mais

Total de Atendimento Realizados Núcleo de Especialidades Janeiro 2013

Total de Atendimento Realizados Núcleo de Especialidades Janeiro 2013 Janeiro 2013 232 1258 714 595 2 345 113 428 232 250 113 30 54 509 66 240 46 437 30 186 180 31 32 5 Fevereiro 2013 53 501 81 393 23 752579 18636 426 154 69 8 215 32 535 288 1296 173 217 215 572 4 Marįo

Leia mais

Relatório Anual sobre o Acesso a Cuidados de Saúde

Relatório Anual sobre o Acesso a Cuidados de Saúde Relatório Anual sobre o Acesso a Cuidados de Saúde Hospital Garcia de Orta, E.P.E 1 31 de Março 2011 SUMÁRIO PREÂMBULO IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE CARECTERIZAÇÃO GERAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO OUTROS ASPECTOS

Leia mais

Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira e a sua articulação com as Unidades de Saúde de Ilha da RAA. Paula Moniz

Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira e a sua articulação com as Unidades de Saúde de Ilha da RAA. Paula Moniz Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira e a sua articulação com as Unidades de Saúde de Ilha da RAA Paula Moniz VISÃO O Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, EPER pretende ser uma instituição

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE. Vila Nova de Gaia, 30 de Agosto de 2007

REGULAMENTO INTERNO. Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE. Vila Nova de Gaia, 30 de Agosto de 2007 REGULAMENTO INTERNO Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE Vila Nova de Gaia, 30 de Agosto de 2007 1ª Revisão: Vila Nova de Gaia, 30 de Setembro de 2010 ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

Especialidades Médicas. Questões para todas as especialidades/áreas de atuação

Especialidades Médicas. Questões para todas as especialidades/áreas de atuação DAS PROVAS OBJETIVAS Especialidades Médicas Questões para todas as especialidades/áreas de atuação INGLÊS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 Prova A A B E D C B D E A C C D E Prova B C E B B A E B C D A A B C

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 03/2015-EBSERH/HU-UFJF ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 06 DE MARÇO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 03/2015-EBSERH/HU-UFJF ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 06 DE MARÇO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 03/2015-EBSERH/HU-UFJF ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 06 DE MARÇO DE 2015 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 006 Médico - Anestesiologia

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 1/2014-EBSERH/HUSM-UFSM ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 1/2014-EBSERH/HUSM-UFSM ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 1/2014-EBSERH/HUSM-UFSM ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 801 Médico Alergia

Leia mais

CENTROS DE SAÚDE E UNIDADES HOSPITALARES

CENTROS DE SAÚDE E UNIDADES HOSPITALARES ESTATÍSTICAS ISSN 1645-8893 CENTROS DE SAÚDE E UNIDADES HOSPITALARES RECURSOS E PRODUÇÃO DO SNS 2009 DIRECÇÃO-GERAL DA SAÚDE ESTATÍSTICA S CENTROS DE SAÚDE E UNIDADES HOSPITALARES nidahospitais RECURSOS

Leia mais

O Papel dos Protocolos Clínicos e das Recomendações Terapêuticas na Gestão Hospitalar

O Papel dos Protocolos Clínicos e das Recomendações Terapêuticas na Gestão Hospitalar O Papel dos Protocolos Clínicos e das Recomendações Terapêuticas na Gestão Hospitalar Piedade Ferreira/Rute Reis Infarmed 26 Outubro 2006 Objectivos 2006 Controlo do consumo de medicamentos Milhares Euros

Leia mais

Consultas de Especialidade 24-Abr-2007

Consultas de Especialidade 24-Abr-2007 Consultas de Especialidade 24-Abr-2007 A C D E F G I M N O P R S U Seleccione a primeira letra da Especialidade... A Anestesiologia - Especialidade da Dor C Cardiologia - Cardiologia Pacemaker - Cardiologia

Leia mais

Hospitais SA. Colaboradores: Qualificação e Satisfação

Hospitais SA. Colaboradores: Qualificação e Satisfação Hospitais SA Hospitais SA H SA Consigo, Sempre! "Esta nova estratégia está associada à necessidade de promover uma política assente no desenvolvimento profissional e meritocracia" Uma área crítica associada

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS (HFA)

MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS (HFA) U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A (UnB) CENTRO DE SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS (CESPE) MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS (HFA) Concurso

Leia mais

Programa com Entrada Direta 311 - Dermatologia 390 1 Classificado Programa com Entrada Direta 311 - Dermatologia 405 2 Classificado.

Programa com Entrada Direta 311 - Dermatologia 390 1 Classificado Programa com Entrada Direta 311 - Dermatologia 405 2 Classificado. Programa com Entrada Direta 302 - Anestesiologia 21 1 Classificado Programa com Entrada Direta 302 - Anestesiologia 1115 2 Classificado Programa com Entrada Direta 302 - Anestesiologia 32 3 Classificado

Leia mais

CARGOS / ESPECIALIDADES: Auxiliar de Serviços Gerais 101. Gabarito

CARGOS / ESPECIALIDADES: Auxiliar de Serviços Gerais 101. Gabarito Auxiliar de Serviços Gerais 101 Questão 01: B Questão 02: B Questão 03: C Questão 04: B Questão 05: D Questão 06: D Questão 07: B Questão 08: A Questão 09: D Questão 10: D Questão 11: C Questão 12: C Questão

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 27 de maio de 2014. Série. Número 96

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 27 de maio de 2014. Série. Número 96 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 27 de maio de 2014 Série Sumário VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Despacho n.º 90/2014 Delega competências no Diretor Regional de Infraestruturas

Leia mais

ATENÇÃO: Os cargos estão listados em ordenação alfabética por nível decrescente de escolaridade (superior, médio e fundamental).

ATENÇÃO: Os cargos estão listados em ordenação alfabética por nível decrescente de escolaridade (superior, médio e fundamental). 1 de 9 ATENÇÃO: Os cargos estão listados em ordenação alfabética por nível decrescente de escolaridade (superior, médio e fundamental). CARGO PERFIL PRÉ REQUISITO NÍVEL SUPERIOR Administrador Curso Superior

Leia mais

Para a Categoria Funcional de Nível Superior, nas seguintes áreas/especialidades:

Para a Categoria Funcional de Nível Superior, nas seguintes áreas/especialidades: Vagas e requisitos Para a Categoria Funcional de Nível Superior, nas seguintes áreas/especialidades: Áreas/Especialidades Vagas Pré-Requisitos Análises Clínicas (Biologia) 01 a) Formação Superior Completa

Leia mais

santa casa da misericórdia

santa casa da misericórdia santa casa da misericórdia 5 de Outubro de 1945 Inaugurada uma enfermaria, com 6 camas, a juntar às 3 outras já existentes. 14 de Dezembro de 1947 Inauguração do Serviço de Radioscopia. 27 de Agosto de

Leia mais

PROGRAMA DATA LOCAL E INFORMAÇÕES HORÁRIO

PROGRAMA DATA LOCAL E INFORMAÇÕES HORÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE - SANTA CASA DE PORTO ALEGRE COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 CALENDÁRIO DA 2ª

Leia mais

Critérios para Admissão em Longo e Curto Internamento e Unidade de Dia

Critérios para Admissão em Longo e Curto Internamento e Unidade de Dia Critérios para Admissão em Longo e Curto Internamento e Unidade de Dia Critérios de Admissão em Longo Internamento O Centro Psicogeriátrico Nossa Senhora de Fátima (CPNSF), oferece serviços especializados

Leia mais

HOSPITAL DOS SERVIDORES DO ESTADO RIO DE JANEIRO

HOSPITAL DOS SERVIDORES DO ESTADO RIO DE JANEIRO U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A (UnB) CENTRO DE SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS (CESPE) HOSPITAL DOS SERVIDORES DO ESTADO RIO DE JANEIRO Processo Seletivo Simplificado GABARITOS OFICIAIS PRELIMINARES

Leia mais

A Fundação do ABC, por meio da Central de Convênios C,C.,TORNA PÚBLICO os Gabaritos das Provas realizadas em 12/01/2014.

A Fundação do ABC, por meio da Central de Convênios C,C.,TORNA PÚBLICO os Gabaritos das Provas realizadas em 12/01/2014. FUNDAÇÃO DO ABC - CENTRAL DE CONVÊNIOS COMPLEXO HOSPITALAR MUNICIPAL DE SÃO BERNARDO DO CAMPO (HOSPITAL MUNICIPAL UNIVERSITÁRIO / HOSPITAL ANCHIETA / HOSPITAL E PRONTO SOCORRO CENTRAL / HOSPITAL DE CLÍNICAS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ. ANEXO I DO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO n. o 001/2007-PMC CARREIRAS/CARGOS/ÁREAS DE CONHECIMENTO/REQUISTOS BÁSICOS/VAGAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ. ANEXO I DO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO n. o 001/2007-PMC CARREIRAS/CARGOS/ÁREAS DE CONHECIMENTO/REQUISTOS BÁSICOS/VAGAS PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ ANEXO I DO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO n. o 001/2007-PMC CARREIRAS/CARGOS/ÁREAS DE CONHECIMENTO/REQUISTOS BÁSICOS/VAGAS Carreira: Regulação e Fiscalização Especialista em

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 Diário Oficial da União; Poder Executivo, Brasília, DF, n. 81, 29 abr.2002. Seção 1, p. 265-66 Alterada pela Resolução CFM nº 1666/03 (Anexo II) O CONSELHO

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 Dispõe sobre convênio de reconhecimento de especialidades médicas firmado entre o Conselho Federal de Medicina CFM, a Associação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS CONCURSO PÚBLICO 004/2016 A Secretaria Municipal de Administração

Leia mais

Estágios de Verão BESup. GUN Gabinete Universidades

Estágios de Verão BESup. GUN Gabinete Universidades Estágios de Verão BESup Janeiro 2013 Objetivos dos Estágios BESup Participar de forma construtiva na valorização dos Universitários através da criação de valor científico, intelectual e vivencial Detetar

Leia mais

U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A (UnB) CENTRO DE SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS (CESPE)

U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A (UnB) CENTRO DE SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS (CESPE) U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A (UnB) CENTRO DE SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS (CESPE) MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS (HFA) Concurso

Leia mais

SELEÇÃO UNIFICADA PARA RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO CEARÁ SURCE 2012 ADITIVO AO EDITAL Nº 02/2011

SELEÇÃO UNIFICADA PARA RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO CEARÁ SURCE 2012 ADITIVO AO EDITAL Nº 02/2011 SELEÇÃO UNIFICADA PARA RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO CEARÁ SURCE 2012 ADITIVO AO EDITAL Nº /2011 A Coordenação Geral do Grupo Gestor da SURCE e a Coordenação de Ensino e Pesquisa dos Hospitais Universitários

Leia mais

Perfil Assistencial ÍNDICE SECÇÃO I - ASPECTOS GERAIS...2. 1. Conteúdo...2 SECÇÃO II - PERFIL ASSISTENCIAL...3

Perfil Assistencial ÍNDICE SECÇÃO I - ASPECTOS GERAIS...2. 1. Conteúdo...2 SECÇÃO II - PERFIL ASSISTENCIAL...3 I Perfil Assistencial ÍNDICE SECÇÃO I - ASPECTOS GERAIS...2 1. Conteúdo...2 SECÇÃO II - PERFIL ASSISTENCIAL...3 2. Perfil Assistencial...3 3. Especialidades incluídas na carteira de Serviços do Hospital

Leia mais

Relatório Anual sobre o Acesso a Cuidados de Saúde. Ano de 2014

Relatório Anual sobre o Acesso a Cuidados de Saúde. Ano de 2014 Relatório Anual sobre o Acesso a Cuidados de Saúde 1. Índice 1. ÍNDICE... 2 2. ENQUADRAMENTO... 3 3. IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE... 4 4. CARACTERIZAÇÃO GERAL... 5 5. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO... 7 6. OUTROS

Leia mais

40 horas semanais Taxa de inscrição R$ 50,00

40 horas semanais Taxa de inscrição R$ 50,00 2.1 ARTÍFICE Ensino Fundamental Completo e experiência comprovada na área de atuação, quando da Salário R$ 622,00 Taxa de inscrição R$ 50,00 2.2 ASSISTENTE SOCIAL Salário R$ 2.223,74 30 horas semanais

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS CONCURSO PÚBLICO 004/2016 A Secretaria Municipal de Administração

Leia mais

Nomenclatura dos Produtos

Nomenclatura dos Produtos Nomenclatura dos Produtos Características Cobertura Global Abrange Consultas Médicas, Serviços Auxiliares de Diagnose e Terapia, Atendimentos Ambulatoriais, Internações Hospitalares e Parto. Cobertura

Leia mais

Anexo III. Vagas Adicionais AREAS BÁSICAS

Anexo III. Vagas Adicionais AREAS BÁSICAS Anexo III Vagas Adicionais AREAS BÁSICAS COD.101 - CLINICA MÉDICA 4 2 Hospital Geral de Pedreira 4 3 Associação Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus (UNOESTE) 1 4 SANTA CASA DE FRANCA 2 1

Leia mais

Conhecimentos em Clínica Médica.

Conhecimentos em Clínica Médica. ANEXO II PROGRAMAS DA PROVA ESCRITA s com Acesso Direto Acupuntura Anestesiologia Cirurgia Geral Dermatologia Infectologia Medicina da Família e Comunidade Medicina Nuclear Neurocirurgia Neurologia Conhecimentos

Leia mais

Ensaios Clínicos: A Perspectiva da Indústria Farmacêutica

Ensaios Clínicos: A Perspectiva da Indústria Farmacêutica Ensaios Clínicos: A Perspectiva da Indústria Farmacêutica Plataforma Nacional de Ensaios Clínicos Lançamento Oficial Lisboa, 20 de Março 2012 Paula Martins de Jesus Grupo de Trabalho de Investigação Clínica

Leia mais

Identificação da Empresa. Missão. Visão

Identificação da Empresa. Missão. Visão Identificação da Empresa Designação social: Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE Sede: Rua José António Serrano, 1150-199 - Lisboa Natureza jurídica: Entidade Pública Empresarial Início de actividade:

Leia mais

Pesquisa da relação entre. médicos, dentistas e fisioterapeutas. com planos de saúde

Pesquisa da relação entre. médicos, dentistas e fisioterapeutas. com planos de saúde Pesquisa da relação entre médicos, dentistas e fisioterapeutas Abril / 2013 Objetivo Conhecer a opinião dos médicos especialistas, cirurgiões-dentistas e fisioterapeutas sobre a relação com os planos ou

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 5/2014-EBSERH/HC-UFMG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, 21 DE FEVEREIRO DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 5/2014-EBSERH/HC-UFMG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, 21 DE FEVEREIRO DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 5/2014-EBSERH/HC-UFMG ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, 21 DE FEVEREIRO DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 801 Médico Acupuntura 802

Leia mais

EDITAL 01 NÍVEL SUPERIOR

EDITAL 01 NÍVEL SUPERIOR EDITAL NÍVEL SUPERIOR Quantidade de empregos por ocupação Concurso 25 Fundasus Emprego Público de Nível Superior Médico 100h 200h Médico Acupuntura 02 - em Saúde Anestesiologia 02 - Angiologia 03 - Antroposofia

Leia mais

Tabela 24 - Terminologia do código brasileiro de ocupação (CBO) Data de início de vigência. Código do Termo. Data de fim de implantação

Tabela 24 - Terminologia do código brasileiro de ocupação (CBO) Data de início de vigência. Código do Termo. Data de fim de implantação de 201115 Geneticista 26/09/2008 26/09/2008 203015 Pesquisador em biologia de microorganismos e parasitas 26/09/2008 26/09/2008 213150 Físico médico 26/09/2008 26/09/2008 221105 Biólogo 26/09/2008 26/09/2008

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. 4408 Diário da República, 1.ª série N.º 133 11 de Julho de 2008

MINISTÉRIO DA SAÚDE. 4408 Diário da República, 1.ª série N.º 133 11 de Julho de 2008 4408 Diário da República, 1.ª série N.º 133 11 de Julho de 2008 do citado despacho, evidencia, porém, ter o seu processo de extensão a decorrer. Assim: Nos termos do disposto no n.º 1 do artigo 10.º do

Leia mais

Quem vou ser daqui a 20 anos Público. Privado. Assistencial Acadêmica Gestão. Assistencial Acadêmico Gestão Autônomo

Quem vou ser daqui a 20 anos Público. Privado. Assistencial Acadêmica Gestão. Assistencial Acadêmico Gestão Autônomo Dr Milton Glezer Quem vou ser daqui a 20 anos Público Assistencial Acadêmica Gestão Privado Assistencial Acadêmico Gestão Autônomo Mudanças nos planos de saúde- melhorar cada vez mais o funcionamento dos

Leia mais

INFORME CBO. CBO com alterações de códigos e/ou descrições

INFORME CBO. CBO com alterações de códigos e/ou descrições INFORME CBO Considerando a publicação da Portaria SAS/MS n 203/2011, que inclui no Sistema de Informação Hospitalar (SIH) o registro obrigatório da competência de realização de todos os procedimentos realizados

Leia mais

Dados para geração do NFTE para Residência Médica - 2002. TI/DEDES/SESu/MEC Página 1 de 17

Dados para geração do NFTE para Residência Médica - 2002. TI/DEDES/SESu/MEC Página 1 de 17 26284 FFFCMPA Porto Alegre Anatomia Patológica 4 4 26284 FFFCMPA Porto Alegre Anestesiologia 6 6 26284 FFFCMPA Porto Alegre Cirurgia de Cabeça e Pescoço 2 2 26284 FFFCMPA Porto Alegre Cirurgia Geral 18

Leia mais

EDITAL HRTN 01/2013, de 30 de dezembro de 2013 CONCURSO PÚBLICO 01/2013 ERRATA

EDITAL HRTN 01/2013, de 30 de dezembro de 2013 CONCURSO PÚBLICO 01/2013 ERRATA EDITAL HRTN 01/2013, de 30 de dezembro de 2013 CONCURSO PÚBLICO 01/2013 ERRATA A Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (FUNDEP) e o Hospital Risoleta Tolentino Neves (HRTN) COMUNICA que foram efetuadas

Leia mais

HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS

HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS Lista Telefónica HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS Polo de Lisboa Fev-14 LISTA TELEFÓNICA DO HFAR/PL Central de Atendimento (24 Horas) SERVIÇOS Extensão DDI 508 777 508 729 217519777 Call Center de Marcação

Leia mais

201115 Geneticista 26/09/2008 26/09/2008. 213150 Físico médico 26/09/2008 26/09/2008. 221105 Biólogo 26/09/2008 26/09/2008

201115 Geneticista 26/09/2008 26/09/2008. 213150 Físico médico 26/09/2008 26/09/2008. 221105 Biólogo 26/09/2008 26/09/2008 de 201115 Geneticista 26/09/2008 26/09/2008 203015 Pesquisador em biologia de microorganismos e parasitas 26/09/2008 26/09/2008 213150 Físico médico 26/09/2008 26/09/2008 221105 Biólogo 26/09/2008 26/09/2008

Leia mais

Página 1 de 6. Médico - Acupuntura. Médico - Alergia e Imunologia Pediátrica. Médico - Anestesiologia. Médico - Cancerologia Clínica

Página 1 de 6. Médico - Acupuntura. Médico - Alergia e Imunologia Pediátrica. Médico - Anestesiologia. Médico - Cancerologia Clínica Especialidade Médico - Acupuntura Médico - Alergia e Imunologia Médico - Anestesiologia Médico - Cancerologia Clínica Médico - Cancerologia Médico - Cardiologia Médico - Cardiologia - Eletrofisiologia

Leia mais

OSMAR DE LIMA MAGALHÃES Secretário do Governo Municipal

OSMAR DE LIMA MAGALHÃES Secretário do Governo Municipal PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 1663, DE 02 DE JULHO DE 2012. Aprova o detalhamento das funções/especialidades dos cargos do Quadro Permanente da Função Saúde da Administração Pública

Leia mais

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade Ambulatorial ALERGIA E IMUNOLOGIA (ALERGOLOGISTA) CARDIOLOGISTA CIRURGIAO EM GERAL Pagina 1 de 9 CIRURGIAO VASCULAR CLINICO

Leia mais

CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO

CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO PROJECTO CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO do Hospital de Santa Maria CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO MARIA RAPOSA Todos os anos, um número crescente de crianças, dos 0 aos 18 anos de idade, são assistidas

Leia mais

MAPA ANEXO. Grupos de pessoal Nível Área funcional Carreira Categoria

MAPA ANEXO. Grupos de pessoal Nível Área funcional Carreira Categoria 3464 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 163 17-7-1998 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA SAÚDE Portaria n. o 413/98 17 Julho O quadro pessoal do Hospital Sousa Martins

Leia mais

ANEXO III QUADRO DE PROVAS QUADRO SETORIAL DA SAÚDE

ANEXO III QUADRO DE PROVAS QUADRO SETORIAL DA SAÚDE 1 ANEXO III QUADRO DE PROVAS QUADRO SETORIAL DA CARGO AGENTE DE HIGIENIZAÇÃO DE CÓDIGO DE INSCRIÇÃO AUXILIAR DE COZINHA 2. COPEIRO 3. COZINHEIRO 4. GUARDA PATRIMONIAL 5. ATENDENTE DE CONSULTORIO DENTARIO

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE As entidades prestadoras de cuidados de saúde devem publicar e divulgar, até 31 de março de cada ano, um relatório circunstanciado sobre o acesso aos

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXERAMOBIM GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DO CEARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXERAMOBIM GABINETE DO PREFEITO ADITIVO nº 01 ADITIVO AO EDITAL nº 005/2014 Concurso Público para Provimento de Cargos Efetivos de Nível Superior para a Prefeitura Municipal de Quixeramobim O Prefeito Municipal de Quixeramobim, no uso

Leia mais

ESTATÍSTICAS DA SAÚDE

ESTATÍSTICAS DA SAÚDE ESTATÍSTICAS DA SAÚDE 2006 Estatísticas oficiais ESTATÍSTICAS DA SAÚDE 2006 Esta publicação inclui, também, informação sobre os Estabelecimentos de Saúde Particulares e os Postos Médicos. ESTATÍSTICAS

Leia mais

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA Escola Superior de Ciências da Saúde Período de Inscrição: 18 de janeiro de 2010 a 19 de fevereiro de 2010. Local de Inscrição:

Leia mais

Convênio de reconhecimento de especialidades médicas - Resolução CFM 1666 de 7/5/2003 *****

Convênio de reconhecimento de especialidades médicas - Resolução CFM 1666 de 7/5/2003 ***** Convênio de reconhecimento de especialidades médicas - Resolução CFM 1666 de 7/5/2003 ***** Ementa: Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM n.º 1.634/2002, que celebra o convênio de reconhecimento

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia-geral. Não Aplicável. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia-geral. Não Aplicável. Conselho de Administração Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Vice-Presidente Secretário Mesa da Assembleia-geral Não Aplicável Presidente Conselho de Administração Izabel Maria Nunes Rodrigues Daniel

Leia mais

PARECER N.º 2 / 2012

PARECER N.º 2 / 2012 PARECER N.º 2 / 2012 DOTAÇÃO DE PESSOAL NO SERVIÇO DE PEDIATRIA ONCOLÓGICA 1. A questão colocada Solicitar o parecer da Ordem acerca da dotação de pessoal no serviço de Pediatria Oncológica, dado que não

Leia mais

CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, E.P.E

CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, E.P.E CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, E.P.E 2013 ÍNDICE 1. Identificação da Entidade... 3 2. Caracterização Geral... 4 3 Sistemas de Informação... 5 4. Outros Aspectos de Regulação, Organização e Controlo Interno

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 14.02.06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 1548 CURSO DE MEDICINA

Aprovado no CONGRAD: 14.02.06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 1548 CURSO DE MEDICINA Aprovado no CONGRAD: 14..06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 48 CURSO DE MEDICINA EIXOS TRANSVERSAIS E ÁREAS DO CONHECIMENTO DO CURRÍCULO PLENO ACADÊMI COS I FUNDAMENTOS CONCEITUAIS DO CURSO

Leia mais

Os horários poderão sofrer alteração para atender à necessidade e o interesse do serviço público.

Os horários poderão sofrer alteração para atender à necessidade e o interesse do serviço público. Os horários poderão sofrer alteração para atender à necessidade e o interesse do serviço público. Os servidores que trabalham na área de assistência e área médica, no regime de escala poderão ter suas

Leia mais

NÚMERO DE CONSULTAS MÉDICAS (SUS) POR HABITANTE

NÚMERO DE CONSULTAS MÉDICAS (SUS) POR HABITANTE Indicadores de cobertura NÚMERO DE CONSULTAS MÉDICAS (SUS) POR HABITANTE 1. Conceituação x Número médio de consultas médicas apresentadas no Sistema Único de Saúde (SUS) por habitante, em determinado espaço

Leia mais

ANEXO I (VAGAS E REQUISITOS) QUADRO SETORIAL DA SAÚDE

ANEXO I (VAGAS E REQUISITOS) QUADRO SETORIAL DA SAÚDE ANEXO I (VAGAS E REQUISITOS) QUADRO SETORIAL DA SAÚDE CARGO CÓDIGO REQUISITOS VAGAS VAGA DEFICIENTE Curso Superior, em nível de graduação, em Enfermagem, ENFERMEIRO DO TRABALHO SE-503 registro profissional

Leia mais

RELAÇÃO DE CARGOS. Requisito P/ Provimento. Salario Inicial 40 horas Semanais R$ 778,00. horaria. Ref. Denominação QTD

RELAÇÃO DE CARGOS. Requisito P/ Provimento. Salario Inicial 40 horas Semanais R$ 778,00. horaria. Ref. Denominação QTD RELAÇÃO DE CARGOS Ref. Denominação QTD 3 Agente de Combate as Endias 5 Requisito P/ Provimento Ensino Fundamenta + Curso Preparatório de responsabilidade da Prefeitura presença e nota de 80% de aproveitamento

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina III MATRIZ CURRICULAR Matriz Curricular I (MC I), em atendimento às Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Graduação em Medicina, aprovadas no Parecer CNE/CES nº 1133/2001, de 7/8/2001. Aprovada

Leia mais

Página 1 de 4. Código Especialidade Requisitos

Página 1 de 4. Código Especialidade Requisitos CONCURSO PÚBLICO 12/2014-EBSERH/HU-UFMA ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS RETIFICADO Código Especialidade Requisitos 801 Médico

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO ÍNDICE

REGULAMENTO INTERNO ÍNDICE REGULAMENTO INTERNO ÍNDICE CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º - Natureza jurídica, constituição e sede Artigo 2.º - Finalidades/Missão Artigo 3.º - Valores Artigo 4.º - Objectivos Artigo 5.º -

Leia mais

Ficha de Protocolo. Resumo do Protocolo. Contactos da Entidade

Ficha de Protocolo. Resumo do Protocolo. Contactos da Entidade Ficha de Protocolo Resumo do Protocolo Entidade: Grupo Medi-T Local: Porto Serviços/Produtos: Serviços de Saúde em diversas especialidades Benefícios e Vantagens: 10% de desconto nas consultas de especialidade

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1. 60 h. 104 h. 146 h. 72 h 2º SEMESTRE. Carga horária

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1. 60 h. 104 h. 146 h. 72 h 2º SEMESTRE. Carga horária MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE MEDICINA DE DIAMANTINA - FAMED CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1 MED001 MED002 MED003

Leia mais

HOSPITAL CENTRAL ROBERTO SANTOS 201 Clínica Médica Recredenciado 02 anos 10 02 08 101 Cirurgia Geral Recredenciado 02 anos 10 00 10

HOSPITAL CENTRAL ROBERTO SANTOS 201 Clínica Médica Recredenciado 02 anos 10 02 08 101 Cirurgia Geral Recredenciado 02 anos 10 00 10 PROCESSO SELETIVO UNIFICADO DE RESIDÊNCIA MÉDICA DA BAHIA 2008 C O M U N I C A D O A CEREM COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA, comunica a alteração das vagas disponibilizadas para 2008, com base nas

Leia mais

CONVOCATÓRIA PRÉMIO CGC CENTRO GENÉTICA CLÍNICA

CONVOCATÓRIA PRÉMIO CGC CENTRO GENÉTICA CLÍNICA CONVOCATÓRIA PRÉMIO CGC CENTRO GENÉTICA CLÍNICA Prémio CGC Genetics Professor Doutor Amândio Tavares, FWA PRÉMIO CGC Genetics Professor Doutor Amândio Tavares, FWA 1º. Prémio: 5.000 2º. Prémio: 2.000 3º.

Leia mais

ANEXO I CARGOS, VAGAS, VENCIMENTO INICIAL, CARGA HORÁRIA, REQUISITOS MÍNIMOS EXIGIDOS, E TAXA DE INSCRIÇÃO. Vencimento Inicial em reais.

ANEXO I CARGOS, VAGAS, VENCIMENTO INICIAL, CARGA HORÁRIA, REQUISITOS MÍNIMOS EXIGIDOS, E TAXA DE INSCRIÇÃO. Vencimento Inicial em reais. ANEXO I CARGOS, VAGAS, VENCIMENTO INICIAL, CARGA HORÁRIA, REQUISITOS MÍNIMOS EXIGIDOS, E TAXA DE INSCRIÇÃO. Cód. Cargo 1 Ajudante de Carga e Descarga Vagas Vagas Reservadas Deficientes Vencimento Inicial

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI Nº 6.170, DE 06 DE JANEIRO DE 1993 - D.O. 06.01.93.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI Nº 6.170, DE 06 DE JANEIRO DE 1993 - D.O. 06.01.93. Autor: Poder Executivo LEI Nº 6.170, DE 06 DE JANEIRO DE 1993 - D.O. 06.01.93. * Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Salários do Sistema Único de Saúde do Estado de Mato Grosso, e dá outras providências.

Leia mais

CENTRO HOSPITALAR DO BAIXO VOUGA, EPE. 1 Órgãos Sociais... 3. 2 Atividade Assistencial... 4. 3 Recursos Humanos... 13. 4 Execução Orçamental...

CENTRO HOSPITALAR DO BAIXO VOUGA, EPE. 1 Órgãos Sociais... 3. 2 Atividade Assistencial... 4. 3 Recursos Humanos... 13. 4 Execução Orçamental... SUMÁRIO 1 Órgãos Sociais... 3 2 Atividade Assistencial... 4 3 Recursos Humanos... 13 4 Execução Orçamental... 17 5 Controlo de Gestão... 21 6 Conclusão... 26 2 1 Órgãos Sociais Conselho de Administração

Leia mais

FUNDAÇÃO HOSPITALAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS

FUNDAÇÃO HOSPITALAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS FUNDAÇÃO HOSPITALAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO REGIDO PELO EDITAL FHEMIG Nº. 01/2009, PARA PROVIMENTO DE CARGOS DAS CARREIRAS DE MÉDICO, PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM, ANALISTA DE GESTÃO E

Leia mais

AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE

AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE 18 MARÇO 2015 Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa PATROCINDADORES Apoio Patrocinadores Globais APDSI APDSI Conferência As TIC e a Saúde no Portugal de Hoje SESSÃO

Leia mais

QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA MÉDICOS, PSICÓLOGOS, FISIOTERAPEUTAS E DEMAIS PRESTADORES DE SERVIÇOS MÉDICOS

QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA MÉDICOS, PSICÓLOGOS, FISIOTERAPEUTAS E DEMAIS PRESTADORES DE SERVIÇOS MÉDICOS QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA MÉDICOS, PSICÓLOGOS, FISIOTERAPEUTAS E DEMAIS PRESTADORES DE SERVIÇOS MÉDICOS O objetivo deste questionário é analisar as atividades

Leia mais

2009/2010 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DE ANESTESIA

2009/2010 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DE ANESTESIA 2009/2010 COMISSÃO CIENTÍFICA Celínia Antunes Cristina Baião Fernanda Príncipe Henrique Dias Jorge Coelho José Alberto Martins José David Ferreira Marcos Pacheco Nuno Tavares Lopes Paulo Amorim Paulo Figueiredo

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE As entidades prestadoras de cuidados de saúde devem publicar e divulgar, até 31 de Março de cada ano, um relatório circunstanciado sobre o acesso aos

Leia mais