Resumo sobre Hardware

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resumo sobre Hardware"

Transcrição

1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN Curso Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Disciplina: Informática Professor: Addson A. Costa Resumo sobre Hardware Santa Cruz-RN Outubro de 2014

2 1. Unidades 1.1 Armazenamento Bit é a unidade de medida e significa um valor binário com um único dígito, isto é, 0 ou 1. Byte é um valor binário com 8 bits. Convertendo de binário para decimal, um byte é capaz de armazenar números inteiros entre o valor 0 e 255 (inclusive). KB, significa kilobyte e equivale a 1024 bytes. MB, significa megabyte e equivale a 1024 KB. GB, significa gigabyte e equivale a 1024 MB. TB, significa terabyte e equivale a 1024 GB. 1.2 Frequência Hertz é a unidade usada para expressar a frequência e um hertz significa um ciclo por segundo. Da mesma forma que para os bytes, a frequência pode ser expressa através de Khz, Mhz, Ghz, porém para a frequência, um kilohertz significa 1000 hertz, mhz significa 1000khz e assim por diante. A exceção usada para dados existe devido a dificuldade em armazenar 1000bytes, devido a restrição de ser necessário armazenar valores de acordo com a potência de 2, pela natureza dos números binários. 1.3 Período Representa o contrário da frequência, isto é, enquanto a frequência representa quantos ciclos são executados por segundo, o período indica quanto tempo demora cada ciclo. Seu cálculo é efetuado pela formula: 1.4 Tempo Período = 1 / Frequência. Milisegundo, representa um milésimo de segundo. Microcrosegundo, representa um milésimo de milisegundo Nanosegundo, representa um milésimo de microsegundo. Exercício A Um processador trabalha a 2Ghz, calculando-se o período, chegamos a conclusão que cada ciclo demora quantos nanosegundos?

3 2. Memória As memórias de acesso aleatório feitas em chip são organizadas em forma de matriz como ilustrado na figura 1, abaixo. Figura 1: Matriz de memória. Fonte: Tecmundo Cada intersecção entre linhas e colunas corresponde a uma posição de memória, isto é, capaz de armazenar um bit. Para isso deve-se escolher a linha e coluna que deseja-se acessar. Esses indices são nomeados de CAS (column address strobe) e RAS (row address strobe), respectivamente, endereço da sequência de coluna e endereço da sequência de linha e, juntos, constituem o endereço de memória. Através do endereço de memória, é preciso identificar qual o CAS e RAS e acionar a fiação correspondente. Isto leva algum tempo e esse tempo é chamado de Latência. Existem os seguintes tempos de latência. Latência CAS tempo necessário para ativar uma coluna Latência RAS tempo necessário para ativar uma linha Latência de pre-carga tempo após ativar uma linha, para ativar a linha seguinte Latência de ativação tempo mínimo necessário para ativar uma linha, coluna e requisitar a pre-carga 2.1 Cache Nos computadores modernos as memórias mais rápidas são as memórias cache, também chamadas de memórias ram estáticas, que são encontradas hoje apenas dentro dos processadores. Nessas memórias, em cada união de linha com coluna existe um circuito que armazena um bit. Esse circuito é feito em curto, isto é, a saída desse circuito é o valor nele armazenado, isto é, 0 ou 1, e esse valor é diretamente ligado a entrada do circuito para que seja calculado o próximo valor, podendo ser mantido o valor atual ou sobrescrito com outro valor.

4 O novo valor é informado ao circuito através de outras entradas, como ocorre na memória RAM dinâmica mostrada abaixo. A grande vantagem desse tipo de memória é a grande velocidade, podendo se equiparar a velocidade do processador e ter taxas de transferência na velocidade que o processador demanda e com latências baixas. A desvantagem é o alto consumo de energia devido ao circuito estar em curto e ser mais caro construir esse tipo de memória tornando-a disponível em pequena quantidade. 2.2 RAM (dinâmica) A memória RAM dinâmica, mais conhecida por apenas memória RAM, é a que pode ser comprada em grande quantidade em lojas de informática para uso em computadores. Sua principal característica é que ao invés de usar circuitos para armazenar memória, ela usa um capacitor e um transistor. O capacitor sendo responsável por armazenar energia, como um balde furado, pois a energia se dissipa com o tempo, e o transistor sendo responsável por gerenciar o capacitor, enviando mais energia para recarregá-lo quando preciso ou secando-o ao ligá-lo ao terra. O uso de capacitores torna o circuito muito mais simples que o circuito usado na memória cache, tornando este tipo de memória capaz de armazenar grandes quantidades de informação, por caber mais células de memória devido a quantidade de circuitos ser menor, mas também torna essa memória mais lenta devido a necessidade de recarregar os capacitores muito frequentemente, e durante esse período de carga, a memória não pode ser acessada. Enquanto a memória cache pode atingir a velocidade do processador, as memórias RAM dinâmicas encontradas no mercado só chegam a 800mhz (DDR3-1600), apesar de atuarem com taxa de transferência dupla, o que torna-as tão eficientes quanto memórias antigas que trabalhassem a 1600mhz, por isso sua nomenclatura usa o valor dobrado da sua velocidade no nome do modelo. A sua grande vantagem é a capacidade de ser ter esse tipo de memória em grande quantidade e consumir menos energia que a cache. 2.3 Flash Nas memórias flash, cada célula de memória tem uma fina camada de óxido onde se depositam elétrons. Dependendo da carga dessa camada de óxido, a celula de memória assumirá valor 0 ou 1.

5 Figura 2: Célula de memória Flash. Fonte: gentequeeduca.org.br Para que a camada de óxido fique com carga negativa, é usado um fenômeno chamado de tunelamento que ocorre quando se aplica de 10 a 13 volts sobre o transistor que controla a porta flutuante que fará com que esse transistor dispare elétrons na direção da camada de óxido. Para que essa camada seja descarregada, basta ligá-la ao terra. Um circuito especial monitora a quantidade de energia capaz de atravessar a camada de óxido. Quando a camada de óxido está com carga negativa, menos energia conseguirá atravessar devido aos elétrons já presos no óxido atuarem como uma espécie de barreira evitando receber mais elétrons nessa camada. A vantagem dessa memória está em ser ser barata, ter baixo consumo de energia, não ser volátil e bem mais rápida quando comparado aos Hds mecânicos. 2.4 Hds As memórias RAM são incapazes de armazenar dados sem a existência de energia, para suprir essa capacidade entram em cena os Hds que podem ser categorizados hoje em dois tipos. Hds mecânicos Esses são formados por discos magnéticos girando em grande velocidade e com um sensor capaz de identificar precisamente o campo magnético em um determinado ponto em movimento. A velocidade máxima teórica para este tipo de memória é 300Mb/s, porém a velocidade real costuma ser de aproximadamente 100Mb/s. Hds SSD (Solid State Drive) Esses Hds não têm partes móveis. São formados por grandes quantidades de chips de memória Flash. Eles são mais rápidos por não conter partes móveis e chegam a taxas de transferência de até 550 MB/s.

6 2.5 CDs Os CDs são discos onde os arquivos são gravados em espiral, sendo o espiral estremamente fino e delicadado formado por pequenos sulcos de no mínimo 0.83 micron e altura de 125 nanômetros. Veja abaixo as dimensões na Figura 3. Figura 3: Trilha ao longo do CD. Fonte: tecnologia.hsw.uol.com.br Se você pudesse arrancar a trilha de dados de um CD e esticá-la em uma linha reta, ela teria 0,5 mícron de largura e quase 5 quilômetros de comprimento!, segundo hsw.uol.com.br. Para acompanhar esses sulcos, um motor deve girar posicionando o laser na posição correta do CD e a medida que vai sendo lido dados na parte mais externa do CD, a velocidade deve reduzir para que se mantenha a taxa de leitura estável. Por isso o barulho no drive de CD reduz com o tempo. 2.6 Taxa de tranferência de memórias Podemos calcular a taxa de transferência de memórias em chip através da fórmula: Taxa de transferência = clock * qtd de bits por ciclo * largura do barramento / 8 Por exemplo, uma memória ram dinâmica DDR3-1600, trabalha a 800mhz, transfere dois bits por clock (lembre que a 800mhz, existem 800 milhões de clocks por segundo) e trabalha com barramento de 64 bits, assim sua taxa de transferência é de aproximadamente MB/s (aproximadamente devido a conversão de Mhz e MB ser diferente). Já um processador, trabalhando a 2Ghz com 64bits e transferindo apenas um bit por clock, demanda uma taxa de transferência de 16GB/s. A memória RAM dinâmica já não é capaz de suprir na velocidade desejada, agora imagine um processador com 4 núcleos. A memória que consegue acompanhar essa demanda é a memória cache. Para atenuar essa diferença entre a velocidade da memória RAM e processador, pode-se usar o dual channel (usar dois pentes de memória com informação repetida entre eles para que a leitura ocorra com o dobro da velocidade buscando parte da informação de cada pente de memória) ou quad channel (idêntico, porém com 4 canais de memória). Um HD, como vimos previamente, caso seja um HD mecânico, tem taxa de transferência média em 100MB/s e um SSD tem até 550MB/s.

7 Exercício B Como vimos, após a solicitação de dados à memoria, existe uma latência, isto é, quantos ciclos a memória leva para encontrar os dados solicitados. Para determinar esse tempo de espera devemos descobrir quanto tempo dura cada ciclo da memória, o que varia de acordo com a frequência, para uma memória DD3-1600, vimos que seu clock é 800Mhz, assim, quantos nanosegundos demora cada ciclo de memória? Exercício C Considerando que sua latência seja , isto é, as latências de CAS, RAS e Précarga têm valor de 11 ciclos e a latência de ativação é de 30 ciclos. Quantos nanosegundos demora para a memória do exercício b, responder a uma solicitação de ativação? Exercício D O processador I5, fabricado pela intel tem clock de 1.8 Ghz e caches L1, L2 e L3, sendo o cache L1 o mais rápido e L3 o mais lento. O cache L1 desse processador tem latência de 4 ciclos, L2 tem latência de 11 ciclos e L3 tem latência de 28 ciclos. Assim, qual o tempo de resposta destes três níveis de cache em nanosegundos?

8 3. Outros componentes 3.1 Placa-mãe A placa mãe é a responsável por interligar os componentes e é quem gerencia os componentes para que eles possam funcionar em conjunto. A peça chave para gerenciar tudo isto é o BIOS (Basic Input/Output System). Ela é responsável por armazenar as informações de como funciona cada parte da placa mãe e realizar o processo de inicialização, isto é, inicializando as peças e transferindo dados entre os componentes na ordem correta. Antigamente o BIOS era um chip de memória de apenas leitura, daí o nome de memórias ROM (Read Only Memory) e era construído através de forma semelhante as memórias RAM abordadas no tópico anterior porém as celulas de memória eram pontos que podiam estar com conexão ou não conseguidos através da queima desses pontos no circuito, hoje em dia essa prática não existe mais devido a possibilidade de armazenarmos dados em memória não voláteis sem a necessidade de ser apenas de leitura, então hoje o BIOS é composto em sua maior parte por uma memória flash onde está gravado o Setup, seus parâmetros e também as instruções necessárias a carregar inicialmente para o processador para que o mesmo possa carregar o sistema operacional e dar seguimento a inicialização. 3.2 Processador O processador é uma peça onde ficam peças responsáveis basicamente por efetuar contas (ULA - Unidade Lógica e Aritmética), registradores (responsáveis por guardar os operadores necessários pela ULA), e controle (responsável por gerenciar a ordem de execução para que por exemplo, primeiro sejam carregados os operadores a partir da memória para que depois a operação envolvendo-os possa ser realizada). Nos dias atuais os processadores podem ter mais de um núcleo, sendo assim compartilhado entre eles a memória cache. Em geral a cache L1, a mais rápida, cada núcleo tem a sua sem haver compartilhamento, já os outros níveis de cache são compartilhados de acordo com o modelo do processador. O modelo de processador com maior quantidade de cache hoje, o Intel Haswell Mobile, tem 64kb de cache L1 por núcleo, 256kb de cache L2 por núcleo, 6MB de cache L3 compartilhado e cache L4 com 128MB também compartilhado, porém a cache L4 tem velocidade reduzida a 1.2Ghz. 3.3 Placas de I/O As placas de entrada/saída são todas as placas que podem estar onboard ou não, para fazer a interligação do computador com o ambiente externo. São elas: Placa de vídeo, som, rede, impressora, teclado, mouse, etc. A única placa externa a placa mãe que não é considerada placa de I/O é a controladora de discos rígidos, que é responsável por gerenciar o acesso aos discos, isto porquê não faz comunicação com o mundo externo.

9 3.4 Cooler Responsável por esfriar o processador e é composto por duas partes, o dissipador e a ventoinha. O dissipador é responsável por aumentar a área de contato com o ar para que a ventoinha possa ser mais eficiente ao remover o calor movendo o ar. Um detalhe importante é que a ventoinha não sopra o ar em direção ao dissipador, isto porquê poderia aquecer outros componentes, então ao invés disso ela joga o ar na direção oposta ao processador em caso de computadores desktop ou diretamente para fora da máquina em notebooks. 3.5 Fonte Responsável por converter a energia para corrente contínua e o mais estável possível. Em desktops, ela também é responsável por fazer a conversão para as voltagens necessárias dentro do computador. Em notebooks, para a voltagem usada pela placa mãe, que irá fazer as demais conversões que forem necessárias. Fontes são compradas pela potência máxima (medida em Watts) que elas conseguem entregar ao computador, porém existe uma diferença entre máximo teórico e máximo real, então existem fontes com ou sem essa garantia, e são chamadas respectivamente de fontes com potência nominal e fontes com potência real. O que é importante quando se tem componentes com maior consumo de energia no computador, como placas de vídeo offboard, muitos HDs, ou simplesmente existem muitos componentes caros como memórias e processadores modernos, isto porquê as fontes com garantia de potência real são também capazes de entregar uma corrente mais estável. 3.6 Gabinete Responsável pela ventilação do computador, porém é comprado em geral de acordo com a sua estética. Um bom gabinete deve ter saídas de ar na parte superior e, ao mesmo tempo, uma solução para evitar a entrada excessiva de poeira por essa região, por exemplo, ao invés de ter saídas de ar na face superior, localizar saídas de ar laterais o mais próximo do topo do gabinete. Além disso deve ter bastante espaço interno para que as peças possam ter espaço para ventilação entre si.

Informática para Banca IADES. Hardware e Software

Informática para Banca IADES. Hardware e Software Informática para Banca IADES Conceitos Básicos e Modos de Utilização de Tecnologias, Ferramentas, Aplicativos e Procedimentos Associados ao Uso de Informática no Ambiente de Escritório. 1 Computador É

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 2.1 CONCEITO DE BIT O computador só pode identificar a informação através de sua elementar e restrita capacidade de distinguir entre dois estados: 0

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA COMPUTADOR QUANTO AO TIPO COMPUTADOR SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO o Analógico o Digital o Híbrido o Hardware (parte física)

Leia mais

MODULO II - HARDWARE

MODULO II - HARDWARE MODULO II - HARDWARE AULA 01 O Bit e o Byte Definições: Bit é a menor unidade de informação que circula dentro do sistema computacional. Byte é a representação de oito bits. Aplicações: Byte 1 0 1 0 0

Leia mais

CPU - Significado CPU. Central Processing Unit. Unidade Central de Processamento

CPU - Significado CPU. Central Processing Unit. Unidade Central de Processamento CPU - Significado CPU Central Processing Unit Unidade Central de Processamento CPU - Função Na CPU são executadas as instruções Instrução: comando que define integralmente uma operação a ser executada

Leia mais

AULA 1. Informática Básica. Gustavo Leitão. gustavo.leitao@ifrn.edu.br. Disciplina: Professor: Email:

AULA 1. Informática Básica. Gustavo Leitão. gustavo.leitao@ifrn.edu.br. Disciplina: Professor: Email: AULA 1 Disciplina: Informática Básica Professor: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Estudo de caso Empresa do ramo de seguros Presidência RH Financeiro Vendas e Marketing TI CRM Riscos Introdução

Leia mais

Hardware 2. O Gabinete. Unidades Derivadas do BYTE. 1 KB = Kilobyte = 1024B = 2 10 B. 1 MB = Megabyte = 1024KB = 2 20 B

Hardware 2. O Gabinete. Unidades Derivadas do BYTE. 1 KB = Kilobyte = 1024B = 2 10 B. 1 MB = Megabyte = 1024KB = 2 20 B 1 2 MODULO II - HARDWARE AULA 01 OBiteoByte Byte 3 Definições: Bit é a menor unidade de informação que circula dentro do sistema computacional. Byte é a representação de oito bits. 4 Aplicações: Byte 1

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Hardware de Computadores Questionário II 1. A principal diferença entre dois processadores, um deles equipado com memória cache o

Leia mais

R S Q 0 0 1 0 1 0 1 0 0 1 1 0 Tabela 17 - Tabela verdade NOR

R S Q 0 0 1 0 1 0 1 0 0 1 1 0 Tabela 17 - Tabela verdade NOR 19 Aula 4 Flip-Flop Flip-flops são circuitos que possuem a característica de manter os bits de saída independente de energia, podem ser considerados os princípios das memórias. Um dos circuitos sequenciais

Leia mais

Fundamentos em Informática

Fundamentos em Informática Fundamentos em Informática 04 Organização de Computadores nov/2011 Componentes básicos de um computador Memória Processador Periféricos Barramento Processador (ou microprocessador) responsável pelo tratamento

Leia mais

CPU Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Pedro Neto

CPU Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Pedro Neto Fundamentos de Arquitetura de Computadores Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Conteúdo 4. i. Introdução ii. O Trabalho de um Processador iii. Barramentos iv. Clock Interno e Externo v. Bits do Processador

Leia mais

PROCESSAMENTO DE DADOS

PROCESSAMENTO DE DADOS PROCESSAMENTO DE DADOS Aula 1 - Hardware Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari 2 3 HARDWARE Todos os dispositivos físicos que constituem

Leia mais

sobre Hardware Conceitos básicos b Hardware = é o equipamento.

sobre Hardware Conceitos básicos b Hardware = é o equipamento. Conceitos básicos b sobre Hardware O primeiro componente de um sistema de computação é o HARDWARE(Ferragem), que corresponde à parte material, aos componentes físicos do sistema; é o computador propriamente

Leia mais

Estrutura geral de um computador

Estrutura geral de um computador Estrutura geral de um computador Prof. Helio H. L. C. Monte-Alto Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 4.1 HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS Qualquer PC é composto pelos mesmos componentes básicos: Processador, memória, HD, placa-mãe, placa de vídeo e monitor

Leia mais

O paradigma de que se mexer no computador ele pode quebrar.

O paradigma de que se mexer no computador ele pode quebrar. 1 O paradigma de que se mexer no computador ele pode quebrar. Tópicos: 2 Números Binários Unidades de Medida de Informação Arquitetura Básica Hardware Software Periféricos de Entrada Periféricos de saída

Leia mais

Informática Aplicada

Informática Aplicada Informática Aplicada Conceitos Aula 2 Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2013 Esquema Geral do Computador HARDWARE; SOFTWARE. Prof. Walteno Martins Parreira

Leia mais

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Introdução Os processadores (ou CPUs, de Central Processing Unit) são chips responsáveis pela execução de cálculos, decisões lógicas e instruções

Leia mais

Introdução à Informática ARQUITETURA DE COMPUTADORES

Introdução à Informática ARQUITETURA DE COMPUTADORES Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Engenharia Ambiental Prof.: Maico Petry Introdução à Informática ARQUITETURA DE COMPUTADORES DISCIPLINA: Informática Aplicada O Que éinformação? Dados

Leia mais

Informática. Técnico em Agronegócio 1º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu.br

Informática. Técnico em Agronegócio 1º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu.br Informática Técnico em Agronegócio 1º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu.br Roteiro de Aula Introdução Computador Hardware, Software básico, Software Aplicativo Hardwares

Leia mais

PROCESSADORES. Introdução. O que é processador? 1/10

PROCESSADORES. Introdução. O que é processador? 1/10 1/10 PROCESSADORES Introdução Os processadores (ou CPU, de Central Processing Unit - Unidade Central de Processamento) são chips responsáveis pela execução de cálculos, decisões lógicas e instruções que

Leia mais

UCP. Memória Periféricos de entrada e saída. Sistema Operacional

UCP. Memória Periféricos de entrada e saída. Sistema Operacional Arquitetura: Conjunto de elementos que perfazem um todo; estrutura, natureza, organização. Houaiss (internet) Bit- Binary Digit - Número que pode representar apenas dois valores: 0 e 1 (desligado e ligado).

Leia mais

Conceitos Básicos sobre Sistema de Computação

Conceitos Básicos sobre Sistema de Computação Conceitos Básicos sobre Sistema de Computação INFORMÁTICA -É Ciência que estuda o tratamento automático da informação. COMPUTADOR Equipamento Eletrônico capaz de ordenar, calcular, testar, pesquisar e

Leia mais

Conhecer os tipos de Placa Mãe, principais caracteristicas, seus componentes e suas funcionalidades, destacando assim, a importância de uma placa mãe.

Conhecer os tipos de Placa Mãe, principais caracteristicas, seus componentes e suas funcionalidades, destacando assim, a importância de uma placa mãe. PLACA MÃE 1. OBJETIVO Conhecer os tipos de Placa Mãe, principais caracteristicas, seus componentes e suas funcionalidades, destacando assim, a importância de uma placa mãe. 2. COMPONENTES DA PLACA MÃE

Leia mais

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Introdução. Introdução. Curso Conexão Noções de Informática. Aula 1 Arquitetura de Computadores (Hardware)

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Introdução. Introdução. Curso Conexão Noções de Informática. Aula 1 Arquitetura de Computadores (Hardware) Curso Conexão Noções de Informática Aula 1 Arquitetura de Computadores (Hardware) Agenda ; Arquitetura do Computador; ; ; Dispositivos de Entrada e Saída; Tipos de Barramentos; Unidades de Medidas. Email:

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Conceitos básicos de informática O que é informática? Informática pode ser considerada como significando informação automática, ou seja, a utilização de métodos

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Componentes Sistema Informação Hardware - Computadores - Periféricos Software - Sistemas Operacionais - Aplicativos - Suítes Peopleware - Analistas - Programadores - Digitadores

Leia mais

MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES AULA - 5 DESEMPENHO E UPGRADE GRUPO INSTRUTOR MAIO/JUNHO 2010

MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES AULA - 5 DESEMPENHO E UPGRADE GRUPO INSTRUTOR MAIO/JUNHO 2010 MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES AULA - 5 DESEMPENHO E UPGRADE GRUPO INSTRUTOR MAIO/JUNHO 2010 PRIMEIROS PASSOS LEITOR DE DISQUETE: Não se pode dizer que é inútil, mas nunca vai ser considerado com

Leia mais

Noções de Hardware. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com)

Noções de Hardware. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Hardware André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Gerações de hardware Tipos de computadores Partes do Microcomputador Periféricos Armazenamento de

Leia mais

Informática. Aulas: 01 e 02/12. Prof. Márcio Hollweg. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.

Informática. Aulas: 01 e 02/12. Prof. Márcio Hollweg. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM. Informática Aulas: 01 e 02/12 Prof. Márcio Hollweg UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO

Leia mais

Apresentação. Conceitos Iniciais. www.profricardobeck.com.br. contato@profricardobeck.com.br. Apresentação & Introdução.

Apresentação. Conceitos Iniciais. www.profricardobeck.com.br. contato@profricardobeck.com.br. Apresentação & Introdução. Apresentação www.profricardobeck.com.br contato@profricardobeck.com.br Apresentação & Introdução Condicionamento Material Didático Site / E-mail Testes? Edital Conceitos Iniciais 1 Mensurando Dados Sistemas

Leia mais

Capítulo 4 Livro do Mário Monteiro Introdução Hierarquia de memória Memória Principal. Memória principal

Capítulo 4 Livro do Mário Monteiro Introdução Hierarquia de memória Memória Principal. Memória principal Capítulo 4 Livro do Mário Monteiro Introdução Hierarquia de memória Memória Principal Organização Operações de leitura e escrita Capacidade http://www.ic.uff.br/~debora/fac! 1 2 Componente de um sistema

Leia mais

Apresentação. Conceitos Iniciais. Apresentação & Introdução. www.profricardobeck.com.br. contato@profricardobeck.com.br.

Apresentação. Conceitos Iniciais. Apresentação & Introdução. www.profricardobeck.com.br. contato@profricardobeck.com.br. Apresentação Apresentação & Introdução Condicionamento www.profricardobeck.com.br contato@profricardobeck.com.br Material Didático Site / E-mail Testes? Edital Mensurando Dados Sistemas de numeração Conceitos

Leia mais

Montagem e Manutenção de Computadores Aula1

Montagem e Manutenção de Computadores Aula1 Montagem e Manutenção de Computadores Aula1 Programa Instrutor Universidade Federal do Paraná Departamento de Informática 18 de Maio de 2010 Programa Instrutor (Universidade Federal do Montagem Paraná,

Leia mais

Noções básicas sobre sistemas de computação

Noções básicas sobre sistemas de computação Noções básicas sobre sistemas de computação Conceitos e definições Dado: Pode ser qualquer coisa! Não tem sentido nenhum se estiver sozinho; Informação: São dados processados. Um programa determina o que

Leia mais

Disciplina: Introdução à Informática Profª Érica Barcelos

Disciplina: Introdução à Informática Profª Érica Barcelos Disciplina: Introdução à Informática Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 4 1. ARQUITETURA DO COMPUTADOR- HARDWARE Todos os componentes físicos constituídos de circuitos eletrônicos interligados são chamados

Leia mais

Componentes de um computador típico

Componentes de um computador típico Componentes de um computador típico Assim como em um videocassete, no qual é necessário ter o aparelho de vídeo e uma fita contendo o filme que será reproduzido, o computador possui a parte física, chamada

Leia mais

for Information Interchange.

for Information Interchange. 6 Memória: 6.1 Representação de Memória: Toda a informação com a qual um sistema computacional trabalha está, em algum nível, armazenada em um sistema de memória, guardando os dados em caráter temporário

Leia mais

Capítulo 3: Noções de Hardware. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 3: Noções de Hardware. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 3: Noções de Hardware Prof.: Roberto Franciscatto HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS Qualquer PC é composto pelos mesmos componentes básicos: Processador, memória, HD, placa-mãe, placa de vídeo e monitor

Leia mais

Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores. Automação e Computadores

Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores. Automação e Computadores Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores Automação e Computadores Memórias Significado Em informática, memória são todos os dispositivos que permitem a um computador guardar dados, temporariamente

Leia mais

Arquitetura de Computadores Circuitos Combinacionais, Circuitos Sequênciais e Organização de Memória

Arquitetura de Computadores Circuitos Combinacionais, Circuitos Sequênciais e Organização de Memória Introdução Arquitetura de Computadores Circuitos Combinacionais, Circuitos Sequênciais e O Nível de lógica digital é o nível mais baixo da Arquitetura. Responsável pela interpretação de instruções do nível

Leia mais

Microinformática. Perguntas:

Microinformática. Perguntas: Microinformática UNICERP Disciplina: Informática Prof. Denis Henrique Caixeta Perguntas: Como foi a evolução da computação? Qual a função do computador? O que é Hardware? O que é Software? BIT, Byte, etc

Leia mais

O Hardware Dentro da Unidade do Sistema

O Hardware Dentro da Unidade do Sistema Memória RAM Random Access Memory Memória de Acesso Aleatório Armazena: programas em execução dados dos programas em execução alguns programas do sistema operacional O objetivo é tornar mais rápido o acesso

Leia mais

Tecnologia - Conjunto de instrumentos, métodos e processos específicos de qualquer arte, ofício ou técnica.

Tecnologia - Conjunto de instrumentos, métodos e processos específicos de qualquer arte, ofício ou técnica. Técnica - Conjunto de processos que constituem uma arte ou um ofício. Aplicação prática do conhecimento científico. Tecnologia - Conjunto de instrumentos, métodos e processos específicos de qualquer arte,

Leia mais

Curso Técnico de Nível Médio

Curso Técnico de Nível Médio Curso Técnico de Nível Médio Disciplina: Informática Básica 2. Hardware: Componentes Básicos e Funcionamento Prof. Ronaldo Componentes de um Sistema de Computador HARDWARE: unidade

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS INFORMÁTICA PARA CONCURSOS HARDWARE Professor Mauricio Franceschini Duarte profmaudua@gmail.com HARDWARE VÁRIOS TIPOS DE EQUIPAMENTOS GRANDE PORTE MAINFRAME COMPUTADOR PESSOAL - PC DESKTOPS COMPUTADOR

Leia mais

MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware. Professor: Renato B. dos Santos

MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware. Professor: Renato B. dos Santos MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware Professor: Renato B. dos Santos 1 O computador é composto, basicamente, por duas partes:» Hardware» Parte física do computador» Elementos concretos» Ex.: memória, teclado,

Leia mais

INFORMÁTICA. Prof. Jacinto José Franco E-mail: jacinto.franco@jna.ifmt.edu.br

INFORMÁTICA. Prof. Jacinto José Franco E-mail: jacinto.franco@jna.ifmt.edu.br INFORMÁTICA Prof. Jacinto José Franco E-mail: jacinto.franco@jna.ifmt.edu.br 1 HARDWARE 2 HARDWARE É a parte física que compõe o computador, e estes componentes eletrônicos se comunicam através de barramentos.

Leia mais

Automação e Computadores

Automação e Computadores Automação e Computadores MICROCOMPUTADORES Curso Profissional de Técnico de Eletrónica, Automação e Computadores O Computador Hardware Unidades Funcionais de um Sistema Informático Dispositivos de Entrada

Leia mais

Microinformática Introdução ao hardware. Jeronimo Costa Penha SENAI - CFP/JIP

Microinformática Introdução ao hardware. Jeronimo Costa Penha SENAI - CFP/JIP Microinformática Introdução ao hardware Jeronimo Costa Penha SENAI - CFP/JIP Informática Informática é o termo usado para se descrever o conjunto das ciências da informação, estando incluídas neste grupo:

Leia mais

Processadores. Prof. Alexandre Beletti Ferreira

Processadores. Prof. Alexandre Beletti Ferreira Processadores Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução O processador é um circuito integrado de controle das funções de cálculos e tomadas de decisão de um computador. Também é chamado de cérebro do

Leia mais

Aula 01 Introdução à Informática. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br www.profbrunogomes.com.br

Aula 01 Introdução à Informática. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br www.profbrunogomes.com.br Aula 01 Introdução à Informática Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br www.profbrunogomes.com.br Agenda da Aula Introdução à Informática; Dados x Informação; O Computador (Hardware); Unidades de medida.

Leia mais

Formação Modular Certificada. Arquitetura interna do computador. Hardware e Software UFCD - 0769. Joaquim Frias

Formação Modular Certificada. Arquitetura interna do computador. Hardware e Software UFCD - 0769. Joaquim Frias Formação Modular Certificada Arquitetura interna do computador Hardware e Software UFCD - 0769 Joaquim Frias Computador É um conjunto de dispositivos eletrónicos capaz de aceitar dados e instruções, executa

Leia mais

Componentes de um Sistema de Computador

Componentes de um Sistema de Computador Componentes de um Sistema de Computador HARDWARE: unidade responsável pelo processamento dos dados, ou seja, o equipamento (parte física) SOFTWARE: Instruções que dizem o que o computador deve fazer (parte

Leia mais

HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS E FUNCIONAMENTO. Wagner de Oliveira

HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS E FUNCIONAMENTO. Wagner de Oliveira HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS E FUNCIONAMENTO Wagner de Oliveira SUMÁRIO Hardware Definição de Computador Computador Digital Componentes Básicos CPU Processador Memória Barramento Unidades de Entrada e

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES ARQUITETURA DE COMPUTADORES Aula 04: Subsistemas de Memória SUBSISTEMAS DE MEMÓRIA Tipos de memória: de semicondutores (ROM, PROM, EPROM, EEPROM, Flash, RAM); magnéticas (discos e fitas) e... óticas( CD

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 03 Conceitos de Hardware e Software parte 01. Cursos de Computação

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 03 Conceitos de Hardware e Software parte 01. Cursos de Computação Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 03 Conceitos de Hardware e Software parte 01 Referência: MACHADO, F.B. ; MAIA, L.P. Arquitetura de Sistemas Operacionais. 4.ed.

Leia mais

Memória. Introdução. Unidades de medida de capacidade Tipos:

Memória. Introdução. Unidades de medida de capacidade Tipos: Memória Memória Introdução Motivação para ser um Sub-sistema Operações Representação da informação Princípios da organização da memória Hierarquia da memória Critérios de comparação entre memórias Unidades

Leia mais

Conceitos Básicos de Informática. Antônio Maurício Medeiros Alves

Conceitos Básicos de Informática. Antônio Maurício Medeiros Alves Conceitos Básicos de Informática Antônio Maurício Medeiros Alves Objetivo do Material Esse material tem como objetivo apresentar alguns conceitos básicos de informática, para que os alunos possam se familiarizar

Leia mais

Tipos de placas-mãe PLACA MÃE. Placa-mãe com slot ISA (destaque)

Tipos de placas-mãe PLACA MÃE. Placa-mãe com slot ISA (destaque) PLACA MÃE Placa mãe, também denominada mainboard ou motherboard, é uma placa de circuito impresso, que serve como base para a instalação dos demais componentes de um computador, como o processador, memória

Leia mais

Prof. Lázaro Nogueira trabalhoseatividades@yahoo.com.br www.lazzoz.xpg.com.br

Prof. Lázaro Nogueira trabalhoseatividades@yahoo.com.br www.lazzoz.xpg.com.br Prof. Lázaro Nogueira trabalhoseatividades@yahoo.com.br ti id d h b www.lazzoz.xpg.com.br Introdução a Informática Informática: é a ciência que estudo o tratamento automático e racional da informação.

Leia mais

Introdução ao Processamento de Dados - IPD

Introdução ao Processamento de Dados - IPD Introdução ao Processamento de Dados - IPD Autor: Jose de Jesus Rodrigues Lira 1 INTRODUÇÃO AO PROCESSAMENTO DE DADOS IPD A Informática está no nosso dia a dia: No supermercado, no banco, no escritório,

Leia mais

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com Informática Componentes de um SC Hardware X Software Memória do Computador Hardware X Software Toda interação dos usuários de computadores modernos é realizada

Leia mais

Tecnologias de Construção de Memórias e Memórias RAM, entrelaçada e Virtual

Tecnologias de Construção de Memórias e Memórias RAM, entrelaçada e Virtual Tecnologias de Construção de Memórias e Memórias RAM, entrelaçada e Virtual Arquiteturas para Alto Desmpenho Prof. pauloac@ita.br Sala 110 Prédio da Computação www.comp.ita.br/~pauloac Tempos de Acesso

Leia mais

GABARITO COMENTADO DE HARDWARE 1) Falsa O texto mostrado, descreve que o Pen Drive possui 8.192MB ou seja, 8 Gigas de Memória. Já a questão menciona que o texto exibido contém uma memória com capacidade

Leia mais

Estrutura e funcionamento de um sistema informático

Estrutura e funcionamento de um sistema informático Estrutura e funcionamento de um sistema informático 2006/2007 Sumário A constituição de um sistema informático: hardware e software. A placa principal. O processador, o barramento e a base digital. Ficha

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO O que é a Informática? A palavra Informática tem origem na junção das palavras: INFORMAÇÃO + AUTOMÁTICA = INFORMÁTICA...e significa, portanto, o tratamento da informação

Leia mais

MEMÓRIA. A memória do computador pode ser dividida em duas categorias:

MEMÓRIA. A memória do computador pode ser dividida em duas categorias: Aula 11 Arquitetura de Computadores - 20/10/2008 Universidade do Contestado UnC/Mafra Sistemas de Informação Prof. Carlos Guerber MEMÓRIA Memória é um termo genérico usado para designar as partes do computador

Leia mais

INSTITUTO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P.

INSTITUTO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P. INSTITUTO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P. Centro de Emprego e Formação Profissional da Guarda Curso: Técnico de Informática Sistemas (EFA-S4A)-NS Trabalho Realizado Por: Igor_Saraiva nº 7 Com

Leia mais

05/04/2013. Para efetuar medidas é necessário fazer uma padronização, escolhendo unidades para cada grandeza.

05/04/2013. Para efetuar medidas é necessário fazer uma padronização, escolhendo unidades para cada grandeza. Sistemas Internacional de Unidades Já imaginou se quando você fosse comprar uma fonte, importada, e ela viesse com as todas as especificações expressas em unidades que você nem fazia idéia que existiam?

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES ARQUITETURA DE COMPUTADORES Aula 07: Memória Secundária MEMÓRIA SECUNDÁRIA Discos magnéticos: Organização do disco magnético em faces, trilhas e setores; Tipos de discos magnéticos Discos óticos: CD/DVD/BluRay

Leia mais

20/09/2009 TRANSFORMANDO DADOS EM. PROCESSANDO DADOS George Gomes Cabral SISTEMAS NUMÉRICOS INFORMAÇÕES

20/09/2009 TRANSFORMANDO DADOS EM. PROCESSANDO DADOS George Gomes Cabral SISTEMAS NUMÉRICOS INFORMAÇÕES TRANSFORMANDO DADOS EM INFORMAÇÕES Em geral, parece que os computadores nos entendem porque produzem informações que nós entendemos. Porém, tudo o que fazem é reconhecer dois estados físicos distintos

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: ARQUITETURA DE COMPUTADORES

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: ARQUITETURA DE COMPUTADORES FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br ESQUEMA EXTERNO DE UM MICROCOMPUTADOR Agora que

Leia mais

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO INFORMÁTICA BÁSICA AULA 03. Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 25/06/2014

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO INFORMÁTICA BÁSICA AULA 03. Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 25/06/2014 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 03 Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 25/06/2014 Unidades de armazenamento

Leia mais

Arquitetura Genérica

Arquitetura Genérica Arquitetura Genérica Antes de tudo, vamos revisar o Modelo Simplificado do Funcionamento de um Computador. Modelo Simplificado do Funcionamento de um Computador O funcionamento de um computador pode ser

Leia mais

Memória principal; Unidade de Controle U C P. Unidade Lógica e Aritmética

Memória principal; Unidade de Controle U C P. Unidade Lógica e Aritmética Tecnologia da Administração Computador: origem, funcionamento e componentes básicos Parte II Sumário Introdução Origem Funcionamento Componentes Básicos Referências Sistema Binário O computador identifica

Leia mais

Memórias. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva

Memórias. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva Memórias Circuitos Lógicos DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva Memórias As memórias são componentes utilizados para armazenar dados e instruções em um sistema computacional. As memórias podem apresentar

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. João Inácio

ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. João Inácio ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. João Inácio Memórias Memória: é o componente de um sistema de computação cuja função é armazenar informações que são, foram ou serão manipuladas pelo sistema. Em outras

Leia mais

Introdução. à Estrutura e Funcionamento de um Sistema Informático

Introdução. à Estrutura e Funcionamento de um Sistema Informático Introdução à Estrutura e Funcionamento de um Sistema Informático Estrutura básica de um sistema informático Componentes de um sistema informático O interior de um PC A placa principal ou motherboard O

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informação Hardware: Dispositivos de Entrada, Processamento e Saída

Fundamentos de Sistemas de Informação Hardware: Dispositivos de Entrada, Processamento e Saída Fundamentos de Sistemas de Informação Hardware: Dispositivos de Entrada, Processamento e Saída Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Introdução O uso apropriado da tecnologia pode garantir

Leia mais

INSTITUTO MARTIN LUTHER KING CURSO PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: HARDWARE

INSTITUTO MARTIN LUTHER KING CURSO PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: HARDWARE Memória ROM Vamos iniciar com a memória ROM que significa Read Only Memory, ou seja, uma memória somente para leitura. Isso quer dizer que as instruções que esta memória contém só podem ser lidas e executadas,

Leia mais

Aplicativos Informatizados da Administração. Hardware A evolução e o impacto dos computadores nas áreas de negócios.

Aplicativos Informatizados da Administração. Hardware A evolução e o impacto dos computadores nas áreas de negócios. Aplicativos Informatizados da Administração Hardware A evolução e o impacto dos computadores nas áreas de negócios. Habilidades, Competências e Bases Tecnológicas Bases tecnológicas: Fundamentos de equipamentos

Leia mais

Introdução à Arquitetura de Computadores

Introdução à Arquitetura de Computadores Introdução à Arquitetura de Computadores Prof. Tiago Semprebom Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Santa Catarina - Campus São José tisemp@sj.ifsc.edu.br 31 de julho de 2009 Prof. Tiago

Leia mais

Sigla Nome Tecnologia. vez. Programable Read Only Memory (memória programável somente de leitura)

Sigla Nome Tecnologia. vez. Programable Read Only Memory (memória programável somente de leitura) 1. Introdução As memórias são as responsáveis pelo armazenamento de dados e instruções em forma de sinais digitais em computadores. Para que o processador possa executar suas tarefas, ele busca na memória

Leia mais

I - A COMUNICAÇÃO (INTERFACE) COM O USUÁRIO:

I - A COMUNICAÇÃO (INTERFACE) COM O USUÁRIO: I - A COMUNICAÇÃO (INTERFACE) COM O USUÁRIO: Os dispositivos de comunicação com o usuário explicados a seguir servem para dar entrada nos dados, obter os resultados e interagir com os programas do computador.

Leia mais

Memórias Secundárias. Prof. Rafael Sandim

Memórias Secundárias. Prof. Rafael Sandim Memórias Secundárias Prof. Rafael Sandim Disquete Disco Rígido HD Fitas para Backup CD DVD Blue-ray Pen Drives Cartões de Memória Disco de Estado Sólido - SSD Descrevendo as Memórias Descrevendo as Memórias

Leia mais

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas Óbidos MÓDULO 769 Arquitectura interna do computador Carga horária 25 Objectivos No final do módulo, os formandos deverão: i. Identificar os elementos base

Leia mais

Utilização do Computador

Utilização do Computador Princípios Básicos de Utilização do Computador Aula 1 Utilização do Computador O que é Informática? INFORmação automática (1962) Uso do computador para automatizar tarefas Tratamento automático das informações

Leia mais

SAMUEL MARTINS SEAP 07-01-2015 INFORMÁTICA HARDWARE

SAMUEL MARTINS SEAP 07-01-2015 INFORMÁTICA HARDWARE HARDWARE CONCEITOS INICIAIS A informática é um meio de obter informações de forma rápida e automática utilizando equipamentos como: Microcomputadores PC s (Desktops), Mainframes, Notebooks, Tablet e outros

Leia mais

ILHA I GERENCIAMENTO DE CONTEÚDO CMS DISCIPLINA: Introdução à Computação MÓDULO II Memórias e Processamento

ILHA I GERENCIAMENTO DE CONTEÚDO CMS DISCIPLINA: Introdução à Computação MÓDULO II Memórias e Processamento MÓDULO II Memórias e Processamento Esse módulo irá relatar sobre as memórias seus tipos e a ligação com os tipos variados de processamento. Leia atentamente todo o conteúdo e participe dos fóruns de discursão,

Leia mais

Processadores. Guilherme Pontes

Processadores. Guilherme Pontes Processadores Guilherme Pontes Já sabemos o básico! Como já sabemos, o processador exerce uma das mais importantes funções do computador. Vamos agora nos aprofundar em especificações mais técnicas sobre

Leia mais

Curso Técnico de Nível Médio

Curso Técnico de Nível Médio Curso Técnico de Nível Médio Disciplina: Informática Básica 2. Hardware: Componentes Básicos e Funcionamento Prof. Ronaldo Componentes de um Sistema de Computador HARDWARE: unidade

Leia mais

Princípios de Informática

Princípios de Informática Princípios de Informática Aula 1 Introdução à Informática Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Técnico em Alimentos Prof. Bruno B. Boniati www.cafw.ufsm.br/~bruno

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 3.1 EXECUÇÃO DAS INSTRUÇÕES A UCP tem duas seções: Unidade de Controle Unidade Lógica e Aritmética Um programa se caracteriza por: uma série de instruções

Leia mais

ÍNDICE.1 ÍNDICE.2 O QUE O PROCESSADOR.3 VELOCIDADE.3 ACTUALIDADE.3 INTEL.4 OS PROCESSADORES MAIS IMPORTANTES DE INTEL.4 CHIPSET.5 TABELA.8 COOLER.

ÍNDICE.1 ÍNDICE.2 O QUE O PROCESSADOR.3 VELOCIDADE.3 ACTUALIDADE.3 INTEL.4 OS PROCESSADORES MAIS IMPORTANTES DE INTEL.4 CHIPSET.5 TABELA.8 COOLER. Índice ÍNDICE...1 ÍNDICE...2 O QUE O PROCESSADOR...3 VELOCIDADE...3 ACTUALIDADE...3 INTEL...4 OS PROCESSADORES MAIS IMPORTANTES DE INTEL...4 CHIPSET...5 TABELA...6 BITS INTERNOS...7 BITS EXTERNOS...7 ENDEREÇAMENTO...8

Leia mais

U E S C. Introdução à Ciência da Computação

U E S C. Introdução à Ciência da Computação U E S C Introdução à Ciência da Computação Roteiro Unidades componentes de hardware CPU UC; ULA; Cache; Registradores. Introdução Informática é a ciência que desenvolve e utiliza a máquina para tratamento,

Leia mais

Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V

Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V Introdução As fontes de alimentação são as responsáveis por distribuir energia elétrica a todos os componentes do computador. Por isso, uma fonte de qualidade é essencial

Leia mais

Escola Secundária de Emídio Navarro

Escola Secundária de Emídio Navarro Escola Secundária de Emídio Navarro Curso Secundário de Carácter Geral (Agrupamento 4) Introdução às Tecnologias de Informação Ficha de trabalho N.º 1 1. Refere algumas das principais áreas das Tecnologias

Leia mais

Conceitos Básicos. Conceitos Básicos Memória

Conceitos Básicos. Conceitos Básicos Memória Infra-Estrutura de Hardware Conceitos Básicos Memória Prof. Edilberto Silva www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Sumário Bits de Memória Ordem de Bytes Conceitos Básicos Memória Secundária Códigos de Correção

Leia mais