FRANCISCO SÁ CARNEIRO LIDO E VIVIDO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FRANCISCO SÁ CARNEIRO LIDO E VIVIDO"

Transcrição

1 Discurso de Mendes Bota sobre FRANCISCO SÁ CARNEIRO LIDO E VIVIDO * Lagos (Sede do PSD/Lagos) e Portimão (Sociedade Recreativa Carrasquense), 4 de Dezembro de 2010 VER FOTOS NO FINAL Cumprem-se hoje trinta anos sobre o falecimento de Francisco Sá Carneiro, advogado e político, que marcou um lugar na História recente de Portugal, mais como um agitador de um final de ciclo e do começo de um outro ciclo, do que como um governante de obra feita para o álbum da posteridade, mas a quem o destino não deu o tempo necessário. Sá Carneiro foi um visionário entre Repúblicas, que tinha um pensamento estruturado sobre o lugar de Portugal no concerto das nações democráticas da Europa e sobre um modelo político que conjugava as liberdades fundamentais com as preocupações sociais, a defesa da iniciativa privada com a autoridade do Estado, o primado da política sobre a economia, o princípio da separação dos poderes e o regresso dos militares às casernas. Suscitou mais expectativas do que concretizações e, como todos os heróis que morrem novos (46 anos é a puberdade em política, foi a idade com que Cavaco começou Primeiro Ministro), dele não relevando a figura de Apolo, do aspecto determinado se fez mito, e perduraram até aos nossos dias múltiplos oráculos dispostos a interpretar o que Sá Carneiro faria ou diria a cada passo da conjuntura, e milhões de seguidores que dele nunca leram um livro sequer, e dos quais a lei da morte vem reduzindo a uma minoria saudosa e inspiradora. Quero com isto dizer que, felizmente, Sá Carneiro pertenceu ao restrito lote de estadistas que deixaram o seu pensamento, as suas ideias, os seus projectos, as suas promessas e compromissos de reforma e de mudança em obra publicada ainda fora do poder, que o que por aí mais se vê são compilações de discursos de circunstância de governantes ou exgovernantes à entrada ou à saída de congressos, de inaugurações, de cimeiras, de campanhas eleitorais ou de debates parlamentares obrigatórios, norma geral, prestações de contas autolaudatórias e pouco ou nada visionárias, inovatórias e prospectivas. Antes de ascenderem ao poder, quem se recorda de algum livro político e doutrinário marcante de José Sócrates, Durão Barroso, António Guterres ou mesmo Cavaco Silva? Não é vasta a obra escrita que Sá Carneiro nos deixou, mas é relevante, pela dificuldade dos contextos em que ocorreu, denunciadora de coragem física e intelectual, desafiadora dos poderes políticos vigentes em ditaduras de sinal contrário. Mas suficiente para nos mostrar um homem inquieto e inconformado com os rumos do País, culto e informado, reflexivo suficiente para propor doutrina e caminhos ideológicos. Já sem falar dos inúmeros artigos dispersos em órgãos de comunicação social, com destaque para os célebres Vistos publicados no jornal Expresso antes do 25 de Abril de 1974, mas sofrendo graves mutilações pela Censura, Sá Carneiro publicou várias obras que deixaram a sua marca de pensador político, democrático e reformista: Uma Tentativa de Participação Política, em 1971; Revisão da Constituição Política, em 1971; As Revisões da Constituição Política de 1933, em 1971; 1

2 Ser ou Não Ser Deputado, em 1973; Vale a Pena Ser Deputado?, em 1973 Por uma Social Democracia Portuguesa, em 1975; Poder Civil: Autoridade Democrática e Social-Democracia, em 1975; Impasse, em 1978; Uma Constituição para os Anos 1980: Contributo para um Projecto de Revisão, em Daí que são cada vez menos aqueles que, ainda no activo da política em geral, e do partido em particular, possam falar com intimidade de experiências partilhadas, de quem foi o homem, o político e o líder chamado Francisco Sá Carneiro. Muitos faleceram, outros adeslembraram-se, e dos que sobram, a maioria não foi seu seguidor em tempo real, antes pelo contrário, mas crescendo em admiração quantas mais décadas passaram sobre o seu desaparecimento. Há sempre um lugar no panteão do coração português, pronto para acolher os heróis mortos de forma trágica e brutal. E é este o título desta palestra: Francisco Sá Carneiro, lido e vivido. E, devo confessar com sinceridade que, tendo adquirido há muito tempo os galões de veterano do PSD, com mais de três décadas de militância ininterrupta, é grande o espaço da leitura na aprendizagem que fiz do que foi a vida e pessoa de Sá Carneiro, sendo certo que também existe uma fatia, pequena e singela, é verdade, de momentos em que os nossos passos pisaram o mesmo chão da vivência político-partidária. Feita esta introdução de enquadramento, convido os assistentes a acompanharem-me neste voo rasante sobre o percurso de vida deste grande homem e estadista, ao sabor de um improviso guiado pelos marcos cronológicos que se seguem. SÁ CARNEIRO, ANTES DA POLÍTICA 1934 Nasceu a 19 de Julho de 1934, na Rua da Picaria nº 49, no Porto, teve 3 irmãos e 4 irmãs, e 3 filhos e 2 filhas, numa família da alta burguesia. O pai, José Gualberto, advogado, oriundo Barcelos. A mãe, Maria Francisca, filha dos Condes de Lumbrales, de Salamanca. Atraso de quatro anos no registo de nascimento. Um homem que viria a ser avançado no seu tempo, começou atrasado no reconhecimento da existência. Um destino envolto em polémica desde o primeiro suspiro de vida. À data do nascimento, FSC já tinha 5 irmãos, todos eles com apelidos Pinto da Costa Leite (da mãe) e Sá Carneiro (do pai). Uma lei recente, impedia Francisco de tomar esta quantidade de apelidos. O pai interpôs recurso e esperou quatro anos até lhe ser autorizada a substituição dos apelidos maternos pelo título nobiliárquico de Lumbrales, ficando pois Francisco Manuel Lumbrales de Sá Carneiro, sendo o primeiro da família a usar o apelido Lumbrales. E só então foi registado Praia da Granja, o destino das suas férias de Verão. Praia do Mindelo, Praia da Foz. Mais tarde, homem, Areias de S. João no Algarve. A casa dos pais era na Rua da Picaria 2

3 1950 Outubro, viagem a França com o pai Veio para Lisboa, cursar o curso de Direito na Universidade de Lisboa Aos 20 anos, conheceu Isabel Maria, sua futura mulher. Ele estudava em Lisboa e ela no Porto Ofereceram-lhe uma lambreta, conduzia como um louco Terminou o curso Casou, tendo montado escritório no Porto de imediato. O seu irmão Ricardo casou com a sua cunhada Frequentam cursos de formação religiosa, integram a equipa dos casais de Nossa Senhora, Porto II, orientada pelo franciscano Frei Vargas Nasce o primeiro filho Francisco. Passeiam de carro pelo Portugal Desconhecido Escreveu um texto de 30 páginas, de que apenas publicou a primeira, sobre a relação do indivíduo com a sociedade e da sociedade com a democracia. São os seus primeiros pensamentos sobre a social democracia Frequenta o 3º Curso de Cristandade para Homens. Frei Bento e Frei Mateus, da Ordem Franciscana enquadram a nova doutrina social da Igreja Pacem in Terris do Concílio Vaticano II. Sá Carneiro é um católico tranquilo mas começa a agitar-se sobre a necessidade de os católicos tomarem posição sobre a política e a vida pública. A prática da religião católica podia não se limitar apenas à observância estrita dos deveres religiosos, mas ser a transposição da palavra das encíclicas para a vida quotidiana Integrou a Cooperativa de Promoção Cultural Confronto de que foi presidente da Mesa da Assembleia geral Janeiro - Escreveu sobre o divórcio entre pessoas casadas canonicamente, uma notável peça jurídica na Revista dos Tribunais. FAZER POLÍTICA NO ANTIGO REGIME 3

4 1968 Inaugura a sua Quinta do Esperigo. Começa a estudar e a anotar a Constituição, decide entrar para a política Escreveu ao Núncio Apostólico e a Marcello Caetano exigindo o regresso do Bispo do Porto D. António Ferreira Gomes foi o seu 1º passo na vida política. Foi decisivo. Falava de um problema de Estado e não de Igreja. Semanas depois, o Bispo regressou a Portugal. Primeiro a Fátima, depois ao Porto. Integrou o movimento Justiça e Paz. Setembro - Melo e Castro convidou FSC, Mário Pinto e outros a candidatarem-se pela União Nacional nas eleições de Outubro, pela liberalização do regime. Queria refrescar as listas, renovação, alterar a situação por dentro, e tinha alguns lugares para sangue novo, com gente nova, descomprometida. O regime prometia liberalização, pluralismo político, transformação progressiva no quadro de uma democracia política de modelo europeu ocidental. Sá Carneiro teve muitas dúvidas. Primeiro negou-se, depois aceitou sob condição de publicação de um comunicado da UN com a posição do grupo. 28 de Setembro depois de atrasado pela UN, o comunicado saiu no primeiro dia de campanha eleitoral, o que muito desagradou a Marcello Caetano que lhe escreveu a verberar o ocorrido.. 12 de Outubro 1º discurso político em Matosinhos Foi deputado eleito à Assembleia Nacional pela UN. Hospedou-se no Hotel Tivoli-Jardim. Viaja de comboio ou avião Porto-Lisboa-Porto, às terças-feiras. Conciliava família, escritório e actividade parlamentar. Produziu intensa legislação. Tornou-se amigo de Balsemão A Ala Liberal era liderada por Pinto Leite. Em Julho, com a morte deste passou a ser liderada por FSC, que lhe fez o elogio fúnebre. Chega à política através da sua própria descoberta da dimensão social do Evangelho. Descobre Agustina, Sttau Monteiro, Cardoso Pires. Tem espírito de missão, ditado pelas suas convicções morais e religiosas. Foi discreto na primeira sessão legislativa. Fala pouco. No silêncio do quarto ensaiava para um gravador as intervenções que tinha de fazer, exercitava-se todos os dias. Tinha o sonho de vir a improvisar os discursos. No Outono, aparecimento da SEDES, de que, por prudência, não foi fundador

5 Visita Angola com outros deputados, entre os quais Pinto Balsemão e Magalhães Mota, e regressa muito sensibilizado para o problema colonial português, empenhando-se a fundo contra a manutenção do estado de coisas no Ultramar português. Na sequência de um parecer desfavorável da Câmara Corporativa, com os 3 votos contra de Lurdes Pintassilgo, Gonçalves Pereira e Freitas do Amaral, a maioria da Assembleia Nacional acaba por rejeitar o projecto de revisão constitucional, trabalhado conjuntamente com Mota Amaral, e apresentado em Outubro pela Ala Liberal, impedindo a discussão na especialidade. Faz então o seu primeiro grande discurso de improviso durante uma hora, numa crítica desapiedada ao regime, em defesa do projecto liberal, entusiasmando os seus apoiantes e deixando perplexos os opositores. Entre surpresa e inquietação, começa a ser olhado com respeito. Publica o livro Revisão da Constituição Política, com prefácio de Sá Borges. Apresentou, com Balsemão, um projecto-lei da Imprensa, mas irritou-se, abandonou a discussão, deixando aquele sozinho. Termina o ano de 1971 muito desanimado e pessimista Convidou Spínola a candidatar-se à presidência da República, com o apoio da Ala Liberal, enviando-lhe uma carta em nome de um conjunto de cidadãos. Identifica-se com a sua proposta de autonomia progressiva para os territórios portugueses, e numa solução política para a guerra colonial, mas numa perspectiva moderada e reformista. E considera Spínola o único militar português com envergadura e prestígio para assumir uma candidatura presidencial. Mas Spínola recusa avançar, considera inoportuno, está longe de Lisboa, tinha aversão à política e o seu universo era a guerra. 25 de Julho Recusou-se a votar a eleição de Américo Thomaz, nem pôs os pés na Assembleia Nacional. Começou a identificar-se como social democrata, e assumiu frontalmente a oposição ao regime. Defendia para Portugal uma democracia típica da Europa Ocidental. Tem como referências as social-democracias alemã e escandinava, na defesa dos valores humanos. Visita à Alemanha. Faz parte do Conselho Geral da Ordem dos Advogados. 15 de Novembro Início de nova sessão legislativa. Dividido entre a revolta e o desejo de afirmação política, decide entrar pela via aberta da provocação, tornar-se um deputado incómodo, assumindo frontalmente a oposição ao regime e está no hemiciclo para a incarnar. Era uma espécie de vingança perante si próprio, pela ingenuidade de ter acreditado na possibilidade de levar a bom porto os objectivos que o norteavam 3 anos antes 5

6 Em Dezembro proferiu um importante discurso na Assembleia Nacional onde apresentou projectos de lei, numa série de iniciativas reformistas, denunciando a falta de liberdade, de reunião e de associação, propõe a alteração do Código Civil e da organização judiciária, solicita inquérito às actividades da PIDE e uma amnistia para os crimes políticos, o que foi entendido como uma grave provocação ao governo e ao regime, provocando sério incómodo, tendo todas essas iniciativas sido recusadas sequer ser examinadas. 15 de Dezembro Concedeu entrevista a Jaime Gama no jornal República, confessando-se social democrata. Considera Sá Carneiro que Os conceitos de catolicismo progressista e de democracia-cristã são bastante equívocos para mim, e não aceito enquadrar-me em qualquer deles. Entendo que os partidos políticos que considero absolutamente indispensáveis a uma vida política sã e normal não carecem de ser confessionais, nem devem sê-lo. Daí que não me mostre nada favorável nem inclinado a filiar-me numa democracia-cristã. Para Sá Carneiro era o fim, dizendo pela única vez: Enganei-me! Acabou-se! A minha vida política acabou! A Ala Liberal não existe! E germina a ideia da renúncia no Natal de Janeiro Renuncia ao cargo de deputado por considerar incompatível com a sua dignidade. Diz: o repúdio activo é também uma forma de luta! Regressa ao Porto e retoma a advocacia. Jornais estrangeiros noticiam a sua renúncia 7 de Fevereiro Pinto Machado faz na Assembleia Nacional um discurso de louvor e homenagem a Sá Carneiro. Publica o livro Ser ou Não Ser Deputado. Em Abril teve um grave acidente de automóvel, Sofre grave acidente de automóvel conduzido pelo irmão Ricardo que se despista, fractura da bacia, hemorragia interna, rotura do baço, traumatismo renal e sete costelas partidas. Prepara-se para morrer e tomas as últimas disposições. Ao terceiro dia o amigo Frei Mateus dá-lhe a extrema-unção. Em desespero de causa foi operado, extraído o baço, que tinha uma rotura obstruída por um coágulo. Passa o Verão na Quinta do Esperigo em convalescença. 1 de Junho Começa a sentir nostalgia da vida política e aceita escrever a coluna Visto no Expresso de Pinto Balsemão. Muito cortado pela censura. Marcelo medeia as fúrias: É melhor um Visto cortado que Visto nenhum! Julho Congresso dos Liberais, terceira via, Sá Carneiro declina o convite secamente. Muito instado concede aparecer meia hora no hall da Sinase com a mulher, para a fotografia, o Congresso interrompe em euforia, mas ele volta para casa. Setembro Escreve no Visto a convidar à abstenção nas eleições de Outubro seguinte para a Assembleia Nacional. 6

7 Outubro Colóquio na SEDES, faz violento ataque ao regime e fala de uma certa agitação em alguns sectores das Forças Armadas. Dezembro publica o livro Vale a Pena Ser Deputado? 1974 Março Declara aos jornalistas a necessidade de criação de um partido do centro. FAZER POLÍTICA NO NOVO REGIME Só por intoxicação da opinião pública se pode entender, que não aceitar, que este homem viesse a ser apelidado no pós-25 de Abril de fascista, direitista e reaccionário. Mais de três décadas após a sua morte, é mais do que tempo de repor a verdade das coisas e de render Justiça a este Homem e político. 25 de Abril A Revolução apanha-o a tomar banho em casa, no Porto. 26 de Abril Parte para Lisboa para estar no centro dos acontecimentos 27 de Abril Dá entrevista à televisão e fala da criação de um partido político, sucedendo-se nos dias seguintes reuniões preparatórias no Expresso e na Quinta da Marinha, casa de Balsemão. Encontra-se com Barbosa de Melo. 03 de Maio Com Balsemão, Magalhães Mota e Miller Guerra é recebido por Spínola na Cova da Moura. Miller, com ideias diferentes quanto ao Ultramar, abandona o grupo. 05 de Maio O aparecimento do Partido Social Democrata Cristão, obriga Sá Carneiro a adoptar o nome de Partido Popular Democrático. 06 de Maio Em conferência de imprensa realizada na Sinase, e juntamente com Magalhães Mota e Balsemão, é anunciado oficialmente a criação do PPD, em apoio ao programa do MFA e aderindo ao movimento democrático português. Marcelo Rebelo de Sousa redigiu o comunicado lido no Telejornal das 19h de Maio Primeira sede do PPD no Largo do Rato. 10 dias depois já tem filiados. 15 de Maio Posse como Ministro Sem Pasta e Ministro Adjunto do Primeiro Ministro Adelino da Palma Carlos, no I Governo Provisório. Junho Visita a Bruxelas para promover adesão de Portugal à Comunidade Europeia. 24 de JUnho 1ª Comissão Política do PPD. Julho PPD muda-se para a Av. Duque de Loulé. 09de Julho Demissão do Governo Palma Carlos. FSC regressa ao PPD a tempo inteiro. 13 de Agosto No 1º número do Povo Livre titula: Situamo-nos numa linha progressista não marxista 7

8 Setembro Recebe aulas de dicção com Glória de Matos, na sede da Duque de Loulé. 25 de Outubro 1º comício PPD em Lisboa, no Pavilhão dos Desportos, pessoas de Novcembro 1º Congresso do PPD no Pavilhão dos Desportos. Aprovado programa, FSC eleito Secretário-Geral em lista de consenso, e aprovada por aclamação o pedido de adesão à Internacional Socialista. O discurso é importante texto sobre a social democracia. Começa a ficar doente com cólicas violentas. 29 de Novembro 1º comício do PPD no Porto, Palácio de Cristal com Mota Pinto, José Augusto Seabra, Emídio Guerreiro, Magalhães Mota, Pinto Balsemão e FSC. 1 de Dezembro Boicote violento do comício do PPD em Viana do Castelo Dezembro Visita aos EUA de Janeiro Legalização do PPD, assinaturas, entregues no Supremo Tribunal de Justiça. Fevereiro - Começam problemas de saúde cólicas, estado de choque, operações. 11 de Março Doente em casa assiste à distância aos acontecimentos político-militares. 10 de Abril Vai para clínica em Londres, escoliose. 25 de Abril Volta para votar para a Assembleia Constituinte. O PPD obtém 26,39% com votos de Maio 1º Conselho Nacional do PPD, abandona o partido por motivos de doença, e foi substituído por Emídio Guerreiro, como Secretário-Geral interino. Regressa para tratamentos em Londres, onde fica durante meses, e passa o Verão no Sul de Espanha em convalescença, em S. Pedro de Alcântara. 23 de Setembro Conferência de Imprensa no Hotel Roma, para anunciar o regresso à vida política após prolongada doença, e o propósito de retomar as funções de Secretário-Geral do PPD 27 e 28 de Setembro No Conselho Nacional na Estalagem da Via Norte,no Porto, FSC exige que o seu regresso seja referendado por voto secreto. Vence com 14 votos contra e reconquista o poder. 2 de Novembro Decorre o cerco à Assembleia Constituinte, FSC está em Leiria. 25 de Novembro Está em visita a Bona, enquanto Portugal vive os acontecimentos políticos que mudaram o curso de Portugal. 8

9 06-07 de Dezembro II Congresso (extraordinário) do PPD de Aveiro primeira grande dissidência no PPD saíram 4 membros do Governo e 14 deputados. Sá Carneiro foi confirmado na liderança de Janeiro FSC almoçou com Snu Abecassis no restaurante Varanda do Chanceler, em Lisboa, por sugestão de Natália Correia. Daqui nasceu uma relação amorosa, consumada dois anos depois ao viverem juntos até que juntos faleceram. Março FSC recusa-se a assinar o II Pacto MFA-Partidos a título pessoal 25 de Abril Primeiras eleições para a Assembleia da República, PPD obtém 24,38% com votos. 9 de Junho FSC eleito líder do Grupo Parlamentar Agosto FSC na Festa do Pontal 2 de Outubro PPD passa a PPD/PSD 30 e 31 de Outubro III e IV Congressos do PSD. Estatutos e FSC foi eleito Presidente do PPD/PSD 12 de Dezembro Eleições autárquicas. PPD elege 115 Presidentes de Câmara de Novembro Após uma derrota política FSC entregou o cartão de militante e comunicou o abandono da liderança do partido. Quatro dias depois, em Conselho Nacional, Sousa Franco é eleito presidente do PSD e 29 de Janeiro V Congresso do PSD no Porto, FSC para o CN, Sousa Franco para a CPN e Sérvulo Correia para Secretário-Geral Março Publicou o livro Impasse 3 de Abril Comissão Política Nacional demitiu-se 15 de Abril IV Conselho Nacional Extraordinário 1 e 2 de Julho VI Congresso do PSD, Cinema Roma, FSC consegue 2/3 dos votos e volta à presidência do PSD Agosto FSC de novo na Festa do Pontal 1979 Janeiro Publica o livro Uma Constituição para os anos 80 9

10 4 de Abril 2ª dissidência no PSD. Demitiram-se 37 deputados do PSD que passaram a independentes 5 de Abril Hernâni Lopes demite-se do PSD, FSC eleito líder parlamentar 16 e 17 Junho VII Congresso do PSD, Hotel Roma, FSC reeleito líder do PSD 5 de Julho Criada a Aliança Democrática = PSD+ CDS + PPM + Grupo dos Reformadores 4 de Agosto Jornal Diário publica o primeiro artigo sobre o caso da Dívida Sá Carneiro 22 de Agosto FSC apresenta queixa na PJ contra jornal Diário 2 de Dezembro Vitória da AD nas eleições para a Assembleia da República 16 de Dezembro AD vence eleições autárquicas, conquistando maioria de 196 câmaras municipais de Janeiro Tomada de posse do VI Governo Constitucional. Desliga-se da presidência do Partido. Televisão a cores em Portugal. 26 de Abril Entrega de terras a pequenos agricultores no Baixo Alentejo 14 de Agosto FSC faz comunicação ao País refutando as calúnias do jornal O Diário 5 de Outubro Vitória da AD nas eleições para a Assembleia da República com 47,1% 4 de Dezembro De tarde gravou tempo de antena ameaçando demitir-se caso Soares Carneiro perdesse. 19h conferência de imprensa com Soares Carneiro e Freitas do Amaral no Hotel Altis, parte para o Aeroporto de Lisboa em direcção ao Porto para um comício de Soares Carneiro. 20,16h Cessna despenhou-se em Camarate. Morreram FSC e Snu Abecassis, Adelino Amaro da Costa (Ministro da Defesa e esposa, António Patrício Gouveia e 2 co-pilotos. Foi ordenado rigoroso inquérito às causas do acidente. 11 de Dezembro Governo afastou hipótese de sabotagem de Fevereiro Governo de Balsemão informou que inquérito afastou origem criminosa. Polémica até hoje. Inquéritos da AR disseram sim, nim e o seu contrário. Cria-se o mito. Há 4 teses. Ou acidente, por negligência, dos pilotos ou da manutenção. Ou atentado, contra Amaro da Costa ou contra Sá Carneiro. SÁ CARNEIRO VIVIDO EM QUATRO MOMENTOS 10

11 Novembro de 1979 Jantar num restaurante a caminho do Aeroporto, fui chamado para a beira dele, e foi a única vez em que falámos de perto. Penso que alguém lhe terá indicado que estava ali um jovem com potencial e com futuro. Não me recordo do que falámos, além de ter querido saber da implantação do PSD no Algarve. Setembro de 1980 Comício em Lagos, durante a campanha eleitoral para a Assembleia da República. Integrei a lista de candidatos a deputado pelo círculo eleitoral de Faro, e nessa condição pisei o mesmo palco que Sá Carneiro. 04/12/1980 Estava-se no culminar da campanha presidencial, na qual me tinha envolvido bastante. Dias antes recebera Soares Carneiro na janela da Câmara Municipal de Loulé, com grande ajuntamento popular. Estava em casa, quando vi pela televisão o infausto acontecimento. Corri para a sede de campanha distrital, em Faro, na Rua João Lúcio, à Pontinha. Estava tudo em estado de choque, desorientado, entre gritos, choros e esbracejar de desespero. E recordo-me, como se fosse hoje, da frieza de José Vitorino, impassível, como se não fosse nada com ele, como se o sofrimento não lhe tocasse. A vida continua!. A vida continua! Exclamava. E, de certa forma, era a única coisa certa nele. Nada mais batia certo. O momento de altas emoções, e o desprendimento de quem tinha a obrigação de não estar desprendido. Era incompreensível. Faltavam ali lágrimas naquele rosto. Traços de desgosto e tristeza. Parecia até uma cara aliviada. A vida continua repetia. Como se não tivesse morrido o pai da nossa família. Como se tratasse de uma simples substituição num campo de futebol. Foi uma imagem que me chocou e me tem acompanhado ao longo de toda a minha vida. Nessa noite, pelo País fora, houve quem tivesse atirado foguetes de regozijo pela morte de Sá Carneiro. Há sempre energúmenos dispostos a tudo. Mas, de verdade, além da morte confirmada, a vida continuou. De forma diferente, mas continuou. Com Sá Carneiro vivo, a História recente de Portugal teria sido muito diferente. Não sei, se para melhor ou pior, mas teria sido diferente de Fevereiro de 1981 (eu estava convencido de ter sido em um dia terei que colocar isto a limpo) Congresso do PSD, no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa. Sá Carneiro, se não estava presente corporalmente como interiorizei durante muitos anos, estaria 11

12 pelo menos em espírito a pairar por cima de todos nós, e eu a falar com as pernas a tremer. Fui interrompido com aplausos de minuto a minuto, durante um quarto de hora. E recordo-me de constatar esta situação anacrónica. Da barriga para cima, o coração, a voz e o cérebro funcionavam em total sincronia. Da barriga para baixo, as pernas pareciam umas cordas bambas, descontroladas, tal o nervoso miudinho. Foi a primeira e a última vez (até hoje) que tal me aconteceu em cima de um palco. COMO ERA SÁ CARNEIRO Teve poucos amigos íntimos. Cultivava a distância entre os outros e a sua pessoa. Mais racional do que afectivo. Em casa, o ambiente era simpático, mas algo formal. Não era uma pessoa alegre. Como pai, tinha duas facetas: muito austero e severo, ou quando brincava com os filhos ficava igual a eles. Com o irmão Ricardo, era diferente. Bons companheiros, sempre amigos, depois inseparáveis. Vieram para Lisboa, fizeram o mesmo curso, dormiram no mesmo quarto na Residencial Lisbonense, exerceram a mesma profissão, no mesmo escritório, defenderam as mesmas causas, ambos subdirectores da Revista dos Tribunais, indispensáveis, até se casaram com duas irmãs. Adoravam visitar antiquários. Não suportava que o seu ponto de vista não vencesse. Preferia ir-se embora. Não gostava que o contraditassem. Odiava perder. Era um homem de rupturas e não de paz podre. O carisma, é algo que não se adquire no supermercado. Ou se tem, ou não se tem. Sá Carneiro tinha um grande carisma, sustentado num exemplo de convicções e de princípios éticos pelos quais se bateu até ao fim. Era daqueles predestinados que antecipam o futuro, e que vêm para lá da linha do horizonte, muito antes de lá chegarem. Sá Carneiro. Não era um homem do linguajar politicamente correcto. Era um homem que sabia o que queria, e para onde ia. Não discursava ao sabor das circunstâncias, muito menos das conveniências, e menos ainda das sondagens ou das páginas dos jornais. Não sei se Portugal teria sido melhor ou pior com Sá Carneiro vivo. Mas sei que, no meio da saudade que nos deixou a sua partida súbita, houve muitos momentos na vida do PSD, com outros líderes que não souberam ou não conseguiram estar à altura das responsabilidades, em que gostaria que Sá Carneiro cá estivesse, senti que ele nos fez falta. E neste País, com tanto político descredibilizado, com tanto governante irresponsável, sinto que o exemplo de probidade, convicção, coerência e honestidade dado por Sá Carneiro deve ser exaltado como um farol orientador do que deve ser o comportamento de quem gere a causa pública. Obrigado pela vossa atenção. *As fontes utilizadas para a elaboração deste trabalho curricular e político sobre Francisco Sá Carneiro, provieram do conhecimento consolidado de múltiplos testemunhos do autor e de várias pessoas, e da leitura das seguintes obras: Solidão e Poder, de Maria João Avillez (ed. Oficina do Livro) e Francisco Sá Carneiro fotobiografia, de Rui Guedes (ed. Bertrand Editora). 12

13 CONFERÊNCIA NA SEDE DO PSD EM LAGOS À TARDE, SEGUIDA DE MISSA EM MEMÓRIA DE FRANCISCO SÁ CARNEIRO E ACOMPANHANTES NO FATÍDICO ACONTECIMENTO CONFERÊNCIA NA SEDE DA SOCIEDADE RECREATIVA CARRASQUENSE, EM PORTIMÃO, À NOITE 13

São poucas as personagens do século xx português

São poucas as personagens do século xx português r e c e n s ã o O mito de Sá Carneiro Ana Mónica Fonseca miguel pinheiro Sá Carneiro. Biografia Lisboa, Esfera dos Livros, 2010, 764 páginas São poucas as personagens do século xx português que tenham

Leia mais

No contexto da II Guerra Mundial, logo depois da reviravolta da guerra a favor dos Aliados, o movimento socialista português ganhou novo ânimo.

No contexto da II Guerra Mundial, logo depois da reviravolta da guerra a favor dos Aliados, o movimento socialista português ganhou novo ânimo. HISTÓRIA DO PS O Partido Socialista nasceu oficialmente a 19 de abril de 1973, na Alemanha, mas o percurso dos ideais socialistas em Portugal são muito mais antigos, remontando ao último quartel do século

Leia mais

Foi Presidente da Associação de Estudantes de Agronomia e, depois, Presidente da Comissão Inter-Associações de Estudantes (RIA), cargo que eu próprio

Foi Presidente da Associação de Estudantes de Agronomia e, depois, Presidente da Comissão Inter-Associações de Estudantes (RIA), cargo que eu próprio Evocar, neste livro de homenagem, António Lopes Cardoso é, para mim, antes de mais, recordar um grande, querido e saudoso amigo, cuja morte representou uma grande perda e um grande vazio. A sua presença

Leia mais

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO HISTÓRIA DO LEGISLATIVO Maurício Barbosa Paranaguá Seção de Projetos Especiais Goiânia - 2015 Origem do Poder Legislativo Assinatura da Magna Carta inglesa em 1215 Considerada a primeira Constituição dos

Leia mais

ARQUIVO MÁRIO SOARES

ARQUIVO MÁRIO SOARES ARQUIVO MÁRIO SOARES PASTA N.º 2367,003 Imagem n.º: 2 Informar para Vencer - Partido Socialista/CTE N.º ou Ref.ª: 1, Ano 80 Data: 0/0/0 Descrição: Contém os seguintes artigos: Os Preços Sobem: Eis a Mudança

Leia mais

Jaime Wright por Dom Paulo Evaristo Arns

Jaime Wright por Dom Paulo Evaristo Arns Jaime Wright por Dom Paulo Evaristo Arns "Éramos dois contratados de Deus" JOSÉ MARIA MAYRINK (Jornal do Brasil - 13/6/99) SÃO PAULO - Campeão da defesa dos direitos humanos durante os anos da ditadura

Leia mais

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009 1 Resumo de Imprensa Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Privatização do BPN estará pronta até final de 2010. Francisco Bandeira, presidente do banco, disse ao Diário Económico esperar

Leia mais

LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL)

LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL) LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL) Com as alterações introduzidas pelas seguintes leis: Lei n.º 80/98, de 24 de Novembro; Lei n.º 128/99, de 20 de Agosto; Lei n.º 12/2003,

Leia mais

Reportagem do portal Terra sobre o Golpe de 1964

Reportagem do portal Terra sobre o Golpe de 1964 Reportagem do portal Terra sobre o Golpe de 1964 http://noticias.terra.com.br/brasil/golpe-comecou-invisivel-diz-sobrinho-de-substitutode-jango,bc0747a8bf005410vgnvcm4000009bcceb0arcrd.html acesso em 31-03-2014

Leia mais

ALGARVE COMUNICADO N.º 6 11/05/2014

ALGARVE COMUNICADO N.º 6 11/05/2014 ALGARVE COMUNICADO N.º 6 11/05/2014 Foco do dia Mendes Bota, candidato da Coligação Aliança Portugal, foi recebido ontem com bastante simpatia pela população da sua terra natal, Loulé. Numa ação de campanha

Leia mais

ANÍBAL. Autobiografia Política

ANÍBAL. Autobiografia Política A 376546 ANÍBAL Autobiografia Política VOLUME 2 Os anos de governo em maioria Temas ^ debates INOICE Prefácio 11 l. a PARTE A PRIMEIRA MAIORIA (1987-1991) I O meu segundo Governo 1. A estrutura orgânica

Leia mais

Histórico das constituições: direito de sufrágio

Histórico das constituições: direito de sufrágio 89 Histórico das constituições: direito de sufrágio André de Oliveira da Cruz Waldemar de Moura Bueno Neto José Carlos Galvão Goulart de Oliveira Graduandos pela Faculdade de Educação, Administração e

Leia mais

ARQUIVO MÁRIO SOARES

ARQUIVO MÁRIO SOARES ARQUIVO MÁRIO SOARES PASTA N.º 0277,001 Imagem n.º: 2 Documento Guia da Campanha Eleitoral: Temática e Estratégia 1979 N.º ou Ref.ª: Data: 0/0/1979 CTE PS Descrição: Contém os seguintes itens: A - Introdução,

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Estatutos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Estatutos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Estatutos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (com revisões de São Tomé/2001, Brasília/2002, Luanda/2005, Bissau/2006 e Lisboa/2007) Artigo 1º (Denominação) A Comunidade dos Países de Língua

Leia mais

DO PROCESSO DE EMANCIPAÇÃO A PRIMEIRA ELEIÇÃO MUNICIPAL

DO PROCESSO DE EMANCIPAÇÃO A PRIMEIRA ELEIÇÃO MUNICIPAL DO PROCESSO DE EMANCIPAÇÃO A PRIMEIRA ELEIÇÃO MUNICIPAL O processo de emancipação e a primeira eleição municipal de São João da Ponta ocorreram com muitas dificuldades. Para entendermos um pouco mais como

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, dia 30 de Janeiro de 2008

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, dia 30 de Janeiro de 2008 Resumo de Imprensa Quarta-feira, dia 30 de Janeiro de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Exportações para Angola atingem valores recorde (págs.1, 12 e 13) As empresas portuguesas já vendem quase tanto para aquele

Leia mais

ser difundida para a população: ainda há esperança. Somos capazes de alterar o destino das gerações futuras, dar-lhes um futuro melhor.

ser difundida para a população: ainda há esperança. Somos capazes de alterar o destino das gerações futuras, dar-lhes um futuro melhor. Um futuro melhor Várias vezes me questiono se algum dia serei capaz de me sentir completamente realizada, principalmente quando me encontro entregue somente aos meus pensamentos mais profundos. E posso

Leia mais

1. (PT) - TVI 24 - Política Mesmo, 25/06/2014, Discurso de António José Seguro: Direto 1

1. (PT) - TVI 24 - Política Mesmo, 25/06/2014, Discurso de António José Seguro: Direto 1 Tv's_25_Junho_2014 Revista de Imprensa 26-06-2014 1. (PT) - TVI 24 - Política Mesmo, 25062014, Discurso de António José Seguro: Direto 1 2. (PT) - RTP Informação - Grande Jornal, 25062014, Consultas no

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 180 ANOS DO SUPERIOR TRIBUNAL MILITAR

Leia mais

FUNDACIÓN MAPFRE VOLUME 3_ 1890/1930 A crise do liberalismo

FUNDACIÓN MAPFRE VOLUME 3_ 1890/1930 A crise do liberalismo Cronologia 1890 11 de janeiro Ultimatum inglês, que exige a retirada das forças militares portuguesas dos territórios entre Angola e Moçambique, sob pena de corte de relações diplomáticas. 1891 31 de janeiro

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS

CÂMARA DOS DEPUTADOS CÂMARA DOS DEPUTADOS CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO MULHERES NA POLÍTICA Exposição organizada pelo Museu da Câmara dos Deputados mostrando a trajetória da mulher brasileira na política. Centro de

Leia mais

Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007. Conteúdo e desafios

Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007. Conteúdo e desafios Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007 Conteúdo e desafios Os Tratados Tratado de Paris (CECA) 18 de Abril de 1951 Tratados de Roma (CEE e CEEA) 25 de Março de 1957 Acto Único Europeu 17 de Fevereiro 1986

Leia mais

O GOVERNO. Art.º 182º da Constituição da República Portuguesa

O GOVERNO. Art.º 182º da Constituição da República Portuguesa O GOVERNO Art.º 182º da Constituição da República Portuguesa «O Governo é o órgão de condução da política geral do país e o órgão superior da Administração Pública.» 1 Pela própria ideia que se retira

Leia mais

Comissão Diocesana da Pastoral da Educação ***************************************************************************

Comissão Diocesana da Pastoral da Educação *************************************************************************** DIOCESE DE AMPARO - PASTORAL DA EDUCAÇÃO- MARÇO / 2015 Todo cristão batizado deve ser missionário Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos e fazei-me conhecer a vossa estrada! Salmo 24 (25) Amados Educadores

Leia mais

DISCURSO ABERTURA DO SEMINÁRIO DA OISC CPLP HOTEL PESTANA, 10 DE JUNHO DE 2013, SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA NACIONAL;

DISCURSO ABERTURA DO SEMINÁRIO DA OISC CPLP HOTEL PESTANA, 10 DE JUNHO DE 2013, SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA NACIONAL; DISCURSO ABERTURA DO SEMINÁRIO DA OISC CPLP HOTEL PESTANA, 10 DE JUNHO DE 2013, SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA; SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA NACIONAL; MERITÍSSIMO JUIZ CONSELHEIRO

Leia mais

Passos Coelho 'entrega' partido a Jorge Moreira da Silva

Passos Coelho 'entrega' partido a Jorge Moreira da Silva Passos Coelho 'entrega' partido a Jorge Moreira da Silva mudanças 0 novo homem forte do PSD foi conselheiro de Cavaco Silva, líder da JSD e esteve quase a entrar para o Governo, mas foi traído pela orgânica

Leia mais

Prefeito de São Bernardo do Campo: Hoje tem um show no Cedesc, às 18 horas (incompreensível).

Prefeito de São Bernardo do Campo: Hoje tem um show no Cedesc, às 18 horas (incompreensível). , Luiz Inácio Lula da Silva, durante a inauguração da República Terapêutica e do Consultório de Rua para Dependentes Químicos e outras ações relacionadas ao Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack São

Leia mais

LIGA DOS COMBATENTES

LIGA DOS COMBATENTES LIGA DOS COMBATENTES NÚCLEO DISTRITAL DE VIANA DO CASTELO DISCURSO EVOCATIVO DO 95º ANIVERSÁRIO DO ARMISTÍCIO DA 1ª GUERRA MUNDIAL, O 90º ANIVERSÁRIO DA FUNDAÇÃO DA LIGA DOS COMBATENTES E O 39º ANIVERSÁRIO

Leia mais

A Ambição de Deputar

A Ambição de Deputar A Ambição de Deputar Antes de qualquer avanço, é preciso que compreendamos o assunto que estamos a tratar. Falo-vos de deputação, a delegação dos poderes e da representação de muitos num só ou em poucos;

Leia mais

No Centenário do 5 de Outubro - A culpa

No Centenário do 5 de Outubro - A culpa No Centenário do 5 de Outubro - A culpa por Francisco Carromeu ( 1 ) Um historiador que vive em Portugal em 2010, no pico dos reflexos da crise financeira internacional que começou em 2008 e é convidado

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Discurso na cerimónia de posse

Leia mais

Discurso de Sua Exceléncia o Presidente de Po rtugal. Jorge Sampaio. Assembleia Geral das Nações Unidas

Discurso de Sua Exceléncia o Presidente de Po rtugal. Jorge Sampaio. Assembleia Geral das Nações Unidas MISSAO PERMANENTE DE PORTUGAL JUNTO DAS NaфEs UNIDAS EM NOVA IORQUE Discurso de Sua Exceléncia o Presidente de Po rtugal Jorge Sampaio Reunião de Alto Nîvel da Assembleia Geral das Nações Unidas Nova Iorque

Leia mais

40 ANOS 40 ANOS DE PSD DE DEMOCRACIA, ANOS DE DEMOCRACIA

40 ANOS 40 ANOS DE PSD DE DEMOCRACIA, ANOS DE DEMOCRACIA 40 ANOS DE DEMOCRACIA, ANOS DE DEMOCRACIA INTRODUÇÃO O 25 de Abril constitui uma data gloriosa da História Contemporânea de Portugal que deve ser comemorada e lembrada. O PSD orgulha-se do papel desempenhado

Leia mais

Funchal. 2 de Fevereiro de 2014

Funchal. 2 de Fevereiro de 2014 Funchal 2 de Fevereiro de 2014 Ex.mo e Rev.mo Senhor Bispo da Diocese do Funchal D. António José Cavaco Carrilho, Senhores Bispos Eméritos, Ex.mo Senhor Representante da República na Região Autónoma da

Leia mais

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 57 Imprimir 2015-09-24 Rádio Vaticana Francisco no Congresso Americano acolhido com grandes aplausos. É a primeira vez que um Papa

Leia mais

EUROPEAID/FWC BENEF LOTE 7-B2-11 Eleições - PEDIDO, N 1 TERMOS DE REFERÊNCIA ESPECÍFICOS

EUROPEAID/FWC BENEF LOTE 7-B2-11 Eleições - PEDIDO, N 1 TERMOS DE REFERÊNCIA ESPECÍFICOS COMISSÃO EUROPEIA DELEGAÇÃO NA REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU 1. INFORMAÇÕES GERAIS EUROPEAID/FWC BENEF LOTE 7-B2-11 Eleições - PEDIDO, N 1 TERMOS DE REFERÊNCIA ESPECÍFICOS Após 11 anos de guerra colonial com

Leia mais

Resolução Nº 10/05 CÓDIGO DE CONDUTA ELEITORAL

Resolução Nº 10/05 CÓDIGO DE CONDUTA ELEITORAL Resolução Nº 10/05 CÓDIGO DE CONDUTA ELEITORAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Secção I Objecto e Princípios Artigo 1º (Objecto) 1. O presente Código estabelece os princípios e as regras disciplinadoras

Leia mais

Transcrições do <>

Transcrições do <<LIVRO OURO>> Transcrições do Neste dia 2 de Outubro de 1994, na presença de todo o povo de Melres e das cercanias, aqui estivemos, com muita honra e gosto, a testemunhar a inauguração deste magnifico

Leia mais

REGIMENTO DA ASSEMBLEIA GERAL DA ASSOCIAÇAO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

REGIMENTO DA ASSEMBLEIA GERAL DA ASSOCIAÇAO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA REGIMENTO DA ASSEMBLEIA GERAL DA ASSOCIAÇAO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA CAPÍTULO I Da Assembleia Geral Artigo 1 Natureza A Assembleia Geral é constituída por todos os associados no pleno gozo dos seus

Leia mais

PRESIDENTE DA REPÚBLICA

PRESIDENTE DA REPÚBLICA CONCEITO: Cidadão directamente eleito que representa a República Portuguesa e garante a independência nacional, a unidade do Estado e o regular funcionamento das instituições democráticas. CARACTERÍSTICAS

Leia mais

Em primeiro lugar, gostaria, naturalmente, de agradecer a todos, que se disponibilizaram, para estar presentes nesta cerimónia.

Em primeiro lugar, gostaria, naturalmente, de agradecer a todos, que se disponibilizaram, para estar presentes nesta cerimónia. Cumprimentos a todas as altas individualidades presentes (nomeando cada uma). Caras Colegas, Caros Colegas, Minhas Senhoras, Meus Senhores, Meus Amigos Em primeiro lugar, gostaria, naturalmente, de agradecer

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

Para ser presente á Assembleia Nacional.

Para ser presente á Assembleia Nacional. Decreto-Lei n.º 286/71 Tratado sobre os Princípios Que Regem as Actividades dos Estados na Exploração e Utilização do Espaço Exterior, Incluindo a Lua e Outros Corpos Celestes, assinado em Washington,

Leia mais

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil Documento do MEJ Internacional Para que a minha alegria esteja em vós Por ocasião dos 100 anos do MEJ O coração do Movimento Eucarístico Juvenil A O coração do MEJ é a amizade com Jesus (Evangelho) B O

Leia mais

POLÍTICA LEGISLATIVAS 2015

POLÍTICA LEGISLATIVAS 2015 POLÍTICA LEGISLATIVAS 2015 ELEIÇÕES NA CATALUNHA Independentista catalão: Não nos podem expulsar da UE 27/9/2015, 11:12 104 PARTILHAS Ramon Tremosa i Balcells, eurodeputado eleito pelo movimento independentista

Leia mais

MANUAL DO JOVEM DEPUTADO

MANUAL DO JOVEM DEPUTADO MANUAL DO JOVEM DEPUTADO Edição 2014-2015 Este manual procura expor, de forma simplificada, as regras do programa Parlamento dos Jovens que estão detalhadas no Regimento. Se tiveres dúvidas ou quiseres

Leia mais

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Meus queridos brasileiros e brasileiras, É com muita emoção

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA JOSÉ MENDES BOTA Deputado à Assembleia da República em representação da Região do Algarve Palácio de S. Bento 1249-068 Lisboa Telef: 213 917 282 Mail: mendesbota@psd.parlamento.pt (COM GALERIA DE FOTOS)

Leia mais

A liberdade religiosa. dos direitos individuais aos direitos sociais

A liberdade religiosa. dos direitos individuais aos direitos sociais D E P O I M E N T O S A liberdade religiosa dos direitos individuais aos direitos sociais Com a viragem do século, e sobretudo com o desenvolvimento das investigações das ciências sociais sobre o fenómeno

Leia mais

"É imperiosa a necessidade de inverter a política de transportes"

É imperiosa a necessidade de inverter a política de transportes INTERVENÇÃO DE JERÓNIMO DE SOUSA, SECRETÁRIO-GERAL, LISBOA, REUNIÃO METROPOLITANA SOBRE TRANSPORTES PÚBLICOS E MOBILIDADE 10 Março 2016 "É imperiosa a necessidade de inverter a política de transportes"

Leia mais

Começo por dar conta que é sem embaraço, antes com prazer, que respondo às. questões que essa digníssima Associação me entendeu colocar, na qualidade

Começo por dar conta que é sem embaraço, antes com prazer, que respondo às. questões que essa digníssima Associação me entendeu colocar, na qualidade Excelentíssimo Senhor Presidente da Associação de Oficiais das Forças Armadas Coronel Manuel Martins Pereira Carcel Começo por dar conta que é sem embaraço, antes com prazer, que respondo às questões que

Leia mais

OBJECTIVO 2015. Cinco anos para construir uma verdadeira Parceria Global para o Desenvolvimento PROPOSTA DE ACÇÃO FEC

OBJECTIVO 2015. Cinco anos para construir uma verdadeira Parceria Global para o Desenvolvimento PROPOSTA DE ACÇÃO FEC OBJECTIVO 2015 Cinco anos para construir uma verdadeira Parceria Global para o Desenvolvimento PROPOSTA DE ACÇÃO INTRODUÇÃO O ano de 2010 revela-se, sem dúvida, um ano marcante para o combate contra a

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 27 DE JUNHO PALÁCIO DO PLANALTO BRASÍLIA

Leia mais

Maria Cavaco Silva defende «Casas do Avô» de Norte a Sul do país

Maria Cavaco Silva defende «Casas do Avô» de Norte a Sul do país Page 1 of 6 Restaurantes Contactos A equipa RSS Receba por email Pesquisar Submeter consulta Home Actualidade As suas notícias Cultura Desporto Educação Entrevista Fotos Negócios Opinião Região Saúde Últimas

Leia mais

GUIA DO PROFESSOR 2014-2015

GUIA DO PROFESSOR 2014-2015 GUIA DO PROFESSOR 2014-2015 Exmo(a). Senhor(a) Professor(a), Este documento procura ser um roteiro útil, que sistematiza as principais etapas e prazos a que os professores responsáveis pelo desenvolvimento

Leia mais

CARTA INTERNACIONAL DO 17 DE OUTUBRO. Dia Mundial da Erradicação da Miséria

CARTA INTERNACIONAL DO 17 DE OUTUBRO. Dia Mundial da Erradicação da Miséria CARTA INTERNACIONAL DO 17 DE OUTUBRO Dia Mundial da Erradicação da Miséria reconhecido pelas Nações Unidas como Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza Junho de 2013 CARTA INTERNACIONAL DO 17 DE

Leia mais

Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016

Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016 Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016 Aos dezanove dias do mês de Setembro de dois mil e quinze realizou-se em Fátima, na Casa Nossa Senhora do Carmo, o encontro de apresentação

Leia mais

Separação entre Estado e Igreja (20 de Abril de 1911) Cota CMPV/0015 Diários do Governo

Separação entre Estado e Igreja (20 de Abril de 1911) Cota CMPV/0015 Diários do Governo Separação entre Estado e Igreja (20 de Abril de 1911) Cota CMPV/0015 Diários do Governo NEWSLETTER: Dando continuidade à nossa nova rubrica on-line: Páginas de História com Estórias, passamos a apresentar

Leia mais

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG Um cacique kaingang, meu amigo, me escreveu pedindo sugestões para desenvolver, no Dia do Índio, o seguinte tema em uma palestra: "Os Valores Culturais da Etnia Kaingáng".

Leia mais

Reuniões no Conselho Geral O Conselho Distrital participou em 4 reuniões com o Sr. Bastonário e/ou membros do Conselho Geral da Ordem dos Advogados.

Reuniões no Conselho Geral O Conselho Distrital participou em 4 reuniões com o Sr. Bastonário e/ou membros do Conselho Geral da Ordem dos Advogados. RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DO CONSELHO DISTRITAL I - Órgãos Reuniões no Conselho Geral O Conselho Distrital participou em 4 reuniões com o Sr. Bastonário e/ou membros do Conselho Geral da Ordem dos Advogados.

Leia mais

CARTA AOS DIOCESANOS DE LISBOA,

CARTA AOS DIOCESANOS DE LISBOA, CARTA AOS DIOCESANOS DE LISBOA, NO INÍCIO DO NOVO ANO PASTORAL 2015-2016 1. Em caminho sinodal Chegados a setembro, retomamos o curso normal da nossa vida comunitária, no novo ano pastoral 2015-2016. Saúdo

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE SÁTÃO

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE SÁTÃO 1 ATA DA PRIMEIRA REUNIÃO DA REALIZADA NO DIA DEZASSEIS DO MÊS DE OUTUBRO DO ANO DE DOIS MIL E TREZE Após a instalação dos respetivos órgãos municipais, o Sr. Presidente da Assembleia Municipal cessante

Leia mais

Marinho Pinto. O Ministério da Justiça está a ser usado para ajustes de contas

Marinho Pinto. O Ministério da Justiça está a ser usado para ajustes de contas Cavaco Silva convoca mandões da Justiça para Belém Marinho Pinto. O Ministério da Justiça está a ser usado para ajustes de contas De acordo com a Ordem dos Advogados, apenas 2238 processos estavam irregulares

Leia mais

Lançamento da Campanha de Educação Cívica Nacional Hotel Malaika, Bissau, 25 de Maio de 2009.

Lançamento da Campanha de Educação Cívica Nacional Hotel Malaika, Bissau, 25 de Maio de 2009. 1 Lançamento da Campanha de Educação Cívica Nacional Hotel Malaika, Bissau, 25 de Maio de 2009. Prezados Senhores, Sinto-me honrado pelo convite que me foi dirigido no sentido de participar no lançamento

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO CAMBIAL ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DE CABO VERDE

ACORDO DE COOPERAÇÃO CAMBIAL ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DE CABO VERDE Decreto n.º 24/98 Acordo de Cooperação Cambial entre a República Portuguesa e a República de Cabo Verde e o Protocolo para o Estabelecimento da Comissão do Acordo de Cooperação Cambial Nos termos da alínea

Leia mais

A Participação Cívica dos Jovens

A Participação Cívica dos Jovens A Participação Cívica dos Jovens 2 Parlamento dos Jovens 2009 Nos dias 25 e 26 de Maio de 2009, realizou-se em Lisboa, no Palácio de São Bento, a Sessão Nacional do Parlamento dos Jovens 2009 do Ensino

Leia mais

Lei dos Partidos Políticos

Lei dos Partidos Políticos Lei dos Partidos Políticos Lei Orgânica n.º 2/2003, de 22 de Agosto, com as alterações introduzidas pela Lei Orgânica n.º 2/2008, de 14 de Maio 1 A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea

Leia mais

O Conselho Distrital empreendeu 1 reunião distrital com o conjunto das Delegações de Comarca.

O Conselho Distrital empreendeu 1 reunião distrital com o conjunto das Delegações de Comarca. RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DO CONSELHO DISTRITAL DE FARO I - Órgãos Reuniões no Conselho Geral O participou em 2 Assembleias, nomeadamente na Assembleia Geral para Discussão e Votação do Relatório e Contas

Leia mais

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Nós, representantes democraticamente eleitos dos Parlamentos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné- Bissau, Moçambique, Portugal,

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 130/IX PROTECÇÃO DAS FONTES DOS JORNALISTAS. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 130/IX PROTECÇÃO DAS FONTES DOS JORNALISTAS. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 130/IX PROTECÇÃO DAS FONTES DOS JORNALISTAS Exposição de motivos A Constituição da República Portuguesa define, na alínea b) do n.º 2 do artigo 38.º, que a liberdade de imprensa implica

Leia mais

150 munícipes operados em Cuba vão juntar-se hoje

150 munícipes operados em Cuba vão juntar-se hoje Page 1 of 5 Restaurantes Contactos A equipa RSS Receba por email Pesquisar Submeter consulta Home Actualidade As suas notícias Cultura Desporto Educação Entrevista Fotos Negócios Opinião Região Saúde Últimas

Leia mais

PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO. (Denominação)

PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO. (Denominação) PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO (Denominação) O Agrupamento adopta a denominação de Monte - Desenvolvimento Alentejo Central,

Leia mais

MOÇÃO VIVA O 25 DE ABRIL VIVA O 1º DE MAIO

MOÇÃO VIVA O 25 DE ABRIL VIVA O 1º DE MAIO MOÇÃO VIVA O 25 DE ABRIL VIVA O 1º DE MAIO Primeiro Subscritor: Jorge Lourido (CDU) Cumprem-se agora 33 anos sobre esse acontecimento maior do nosso viver colectivo: a revolução do 25 de Abril. Rompendo

Leia mais

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE É Preciso saber Viver Interpretando A vida na perspectiva da Espiritualidade Cristã Quem espera que a vida seja feita de ilusão Pode até ficar maluco ou morrer na solidão É

Leia mais

1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1

1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1 Tv's_25_Janeiro_2016 Revista de Imprensa 1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1 2. Conversa com Marisa Matias, RTP 2 - Página 2, 25-01-2016

Leia mais

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato *

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato * A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL Fábio Konder Comparato * Dispõe a Constituição em vigor, segundo o modelo por nós copiado dos Estados Unidos, competir

Leia mais

Estatutos da. Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Estatutos da. Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Estatutos da (com revisões de São Tomé/2001, Brasília/2002, Luanda/2005 e Bissau/2006) Artigo 1º (Denominação) A, doravante designada por CPLP, é o foro multilateral privilegiado para o aprofundamento

Leia mais

China Sistema Político Vigente

China Sistema Político Vigente China Sistema Político Vigente Especial Sistema Político / Eleitoral Carolina Andressa S. Lima 15 de setembro de 2005 China Sistema Político Vigente Especial Sistema Político / Eleitoral Carolina Andressa

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO A prova de História é composta por três questões e vale 10 pontos no total, assim distribuídos: Questão 1 3 pontos (sendo 1 ponto para o subitem A, 1,5

Leia mais

Congresso da Cidadania. Ruptura e Utopia para a Próxima Revolução Democrática

Congresso da Cidadania. Ruptura e Utopia para a Próxima Revolução Democrática Congresso da Cidadania. Ruptura e Utopia para a Próxima Revolução Democrática Celebramos os 40 anos do 25 de Abril. Durante um ano celebrámos os valores de Abril de Liberdade, de Justiça, de Solidariedade.

Leia mais

Nº 13 ANO 3 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA JANEIRO/FEVEREIRO 12 EDIÇÃO BIMESTRAL

Nº 13 ANO 3 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA JANEIRO/FEVEREIRO 12 EDIÇÃO BIMESTRAL Nº 13 ANO 3 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA JANEIRO/FEVEREIRO 12 EDIÇÃO BIMESTRAL 13. 3 Óscar Burmester Presidente da Direcção Nacional da AGEPOR Burmester & Stuve O almoço da tomada de posse ocorrido no passado

Leia mais

NO ABRIR DA MINHA BOCA (EFÉSIOS 6:19) modelo da mensagem

NO ABRIR DA MINHA BOCA (EFÉSIOS 6:19) modelo da mensagem NO ABRIR DA MINHA BOCA (EFÉSIOS 6:19) modelo da mensagem Tudo bem. Eu vou para casa! Foi o que uma moça disse a seu namorado, na República Central-Africana. Tudo começou porque ele ia fazer uma viagem

Leia mais

História B Aula 21. Os Agitados Anos da

História B Aula 21. Os Agitados Anos da História B Aula 21 Os Agitados Anos da Década de 1930 Salazarismo Português Monarquia portuguesa foi derrubada em 1910 por grupos liberais e republicanos. 1ª Guerra - participação modesta ao lado da ING

Leia mais

Combate ao Insucesso Escolar

Combate ao Insucesso Escolar Combate ao Insucesso Escolar Por Iolanda Barbosa Escola EB2,3 Sophia de Mello Breyner, Porto Insucesso Escolar - tema de análise para este ano. Um problema com o qual vários países têm lidado e que precisa

Leia mais

Os combatentes agradecem reconhecidos a presença de V. Exas.

Os combatentes agradecem reconhecidos a presença de V. Exas. DIA DO COMBATENTE NA BATALHA, EM 14 DE ABRIL DE 2007 GENERAL JOAQUIM CHITO RODRIGUES Exmo. senhor Ministro da Defesa Nacional. Digna-se V. Exa. presidir a esta cerimónia evocativa do Dia do Combatente

Leia mais

O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA

O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA SÃO PAULO RIO DE JANEIRO BRASÍLIA CURITIBA PORTO ALEGRE RECIFE BELO HORIZONTE LONDRES LISBOA XANGAI BEIJING MIAMI BUENOS AIRES O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA DURVAL

Leia mais

DADOS PESSOAIS NOTA CURRICULAR

DADOS PESSOAIS NOTA CURRICULAR DADOS PESSOAIS Nome : SOFIA DE SEQUEIRA GALVÃO Data de nascimento : 06.ABR.1963 Naturalidade : Lisboa Nacionalidade : Portuguesa Estado Civil : Divorciada 1 Advocacia NOTA CURRICULAR Sócia da Sérvulo Correia

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau , Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau Porto Velho-RO, 12 de março de 2009 Gente, uma palavra apenas, de agradecimento. Uma obra dessa envergadura não poderia

Leia mais

Revolução de 1930. Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições.

Revolução de 1930. Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições. Revolução de 1930 Revolução de 1930 Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições. Revolução de 1930 Responsável pelo fim da chamada Política café com leite Política café com leite

Leia mais

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA Os últimos anos da República Velha Década de 1920 Brasil - as cidades cresciam e desenvolviam * Nos grandes centros urbanos, as ruas eram bem movimentadas, as pessoas

Leia mais

Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e

Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e Sexta Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e mudou o rumo da vida profissional FOLHA DA SEXTA

Leia mais

Módulo Europeu sobre Direitos Fundamentais

Módulo Europeu sobre Direitos Fundamentais Módulo Europeu sobre Direitos Fundamentais Coordenadores: Professores Doutores Fausto de Quadros, Luís Pereira Coutinho e Lourenço Vilhena de Freitas Duração: Início no dia 17 de Maio Dias de leccionação:

Leia mais

A meio do mandato autárquico 2013-2017, e criada que foi uma expetativa enorme com este novo executivo, é hora de fazer o balanço.

A meio do mandato autárquico 2013-2017, e criada que foi uma expetativa enorme com este novo executivo, é hora de fazer o balanço. Sr. Presidente da Assembleia Municipal, Srª Presidente da Câmara Exºs membros do executivo, Membros desta Assembleia Público presente, A meio do mandato autárquico 2013-2017, e criada que foi uma expetativa

Leia mais

JANELA SOBRE O SONHO

JANELA SOBRE O SONHO JANELA SOBRE O SONHO um roteiro de Rodrigo Robleño Copyright by Rodrigo Robleño Todos os direitos reservados E-mail: rodrigo@robleno.eu PERSONAGENS (Por ordem de aparição) Alice (já idosa). Alice menina(com

Leia mais

As relações Igrejas-Estado em Portugal antes e depois do 25 de Abril de 1974

As relações Igrejas-Estado em Portugal antes e depois do 25 de Abril de 1974 David VALENTE, Lusotopie 1999, pp. 271-275 As relações Igrejas-Estado em Portugal antes e depois do 25 de Abril de 1974 OEstado Novo teve de recriar o sistema de relações Igrejas-Estado com base na legislação

Leia mais

MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2012 Boa noite, A todos os Portugueses desejo um Bom Ano Novo, feito de paz e de esperança. O ano que

Leia mais