COMO FAZER TRABALHOS

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMO FAZER TRABALHOS"

Transcrição

1

2 Índice Como fazer trabalhos... 3 Trabalho escrito... 6 Estrutura... 6 Capa... 6 Página de Rosto... 7 Índice... 7 Introdução... 9 Corpo do trabalho... 9 Conclusão Anexos Bibliografia Apresentação formal Pesquisar na Internet Conceitos básicos Estratégias de pesquisa Pesquisa em motores de busca Pesquisar imagens Exemplo de um trabalho escrito

3 COMO FAZER TRABALHOS 1. E S C O L H A D O T E M A O trabalho pode ser da tua iniciativa ou da iniciativa do professor. Caso seja da tua própria iniciativa, deves ter em atenção o seguinte: Definir com clareza o tema a tratar. Não escolher um tema muito vasto. Caso seja da iniciativa do professor, deves certificar-te de que entendeste bem o que é pedido e, se tiveres dúvidas, esclarecê-las com o professor. Em ambos os casos, trabalho da tua iniciativa ou da iniciativa do professor, é importante: Fazeres uma lista ordenada de questões pretendes investigar. 2. F O N T E S D E I N F O R M A ÇÃO Depois de definido o tema, o passo seguinte é identificar as fontes de informação que tratam o tema e onde se encontram disponíveis (biblioteca, internet, especialistas no tema, etc...). As fontes de informação podem ser de vários tipos: Fontes impressas (livros, enciclopédias, revistas, jornais, dossiês temáticos ); Internet (motores de pesquisa, bases de dados, repositórios, diretórios); Material audiovisual (CD, DVD...); Depois de identificadas as fontes, é tempo de definires um conjunto de palavras-chave para usares na pesquisa. Para pesquisares na Biblioteca, podes usar o catálogo eletrónico, disponível em 3

4 PÁGINA DE PESQUISA NO CATÁLOGO DA BIBLIOTECA Se usares a internet, é importante verificares se a informação é fiável. Encontras aqui um guia de avaliação de páginas web: Para pesquisares em motes de busca, consulta a secção «Pesquisar na Internet» mais à frente neste guia DICA: Neste endereço encontras um conjunto muito grande de sites de Internet, selecionados pela biblioteca e organizados por disciplinas: 3. S E L E C I O N A R O S D O C U M E N T O S Despois da pesquisa, deves consultar todos os documentos encontrados e escolher os que consideras que vão ser úteis. De seguida, deves fazer uma lista das fontes e indicar a sua localização (que servirá depois para elaborares a bibliografia): 4

5 Livros: Autor Título Editora Data Páginas Páginas de Internet Autor Título Data da consulta Endereço Retirares a informação dos documentos não significa copiar e colar. Deves ler, observar, ver ou ouvir com atenção as fontes e decidir que aspetos são úteis para o teu trabalho. Depois deves registar a informação selecionada tirando notas (resumo, citação, entrevistas, inquéritos), fazendo desenhos, tirando fotos, gravando uma cassete áudio, fazendo um vídeo, outros. DICA: podes usar o Google Drive para registares a informação que fores selecionando. 4. T R A T A R A I N F O R M A Ç ÃO Nesta etapa vais decidir como organizar as notas, conclusões e opiniões que recolheste na etapa anterior. Deves reler todas as notas e organizá-las, de acordo com a sua importância e dando-lhe uma nova e diferente forma. 5. P R O D U Z I R O T R A B A L H O Aqui vais decidir o tipo de trabalho: texto escrito, apresentação oral ou multimédia, dramatização, outros. Depois, deve fazer uma lista dos materiais necessários para produzires o trabalho e uma previsão do tempo necessário para a apresentação. Caso se trate de um trabalho escrito, é nesta fase que passas à redação do trabalho, de acordo com as seguintes orientações: 5

6 DICA: No trabalho escrito, não utilizes tipos de letra difíceis de ler e nem muito grandes nem muito pequenos. Sugestão: Tipo de letra Calibri, tamanho 12 para o texto, e tamanho 18 para títulos e tamanho 16 para subtítulos. TRABALHO ESCRITO Estrutura Um trabalho escrito deverá incluir os seguintes elementos: Capa; Página de rosto; Índice de capítulos/subcapítulos; Introdução; Corpo do trabalho; Conclusão; Anexos (não obrigatórios); Bibliografia. Capa Na capa do trabalho deverão constar os seguintes elementos: Nome da instituição; Título do trabalho; Imagem (não obrigatórios) Nome do aluno; turma Local, ano letivo 6

7 Página de Rosto Na página de rosto deverão constar os seguintes elementos: Nome da escola; Título do trabalho; Nome do aluno, turma, n.º Tipo de trabalho Nome do professor Data, local, ano letivo Nota: em trabalhos de pequena dimensão, a página de rosto pode substituir a capa do trabalho. Índice O índice é a enumeração das partes do trabalho capítulos e subcapítulos apresentadas pela ordem em que aparecem no trabalho e com a indicação do número de página em que cada uma dessas partes começa. É possível usar o processador de texto do LibreOffice (Writer) para criar índices automáticos. Basta catalogar todos os títulos do trabalho e inserir o índice. Como catalogar os títulos? Seleciona o título ou subtítulo e, em Base, na secção Estilos, clica em Título 1 (ou Título 2, caso se trate de um subtítulo). 7

8 Como inserir o índice automático? Desloca o cursor para a página onde pretendes que apareça o índice (habitualmente a seguir à folha de rosto ou no final do trabalho) e depois clica em Inserir e no menu que se abre seleciona Índices e tabelas e depois novamente Índices e tabelas, como na imagem seguinte: Na caixa que se abre, escreve Índice onde diz Título e clicar em «Aceitar» 8

9 Se depois de inserires o Índice fizeres alguma alteração nos títulos ou páginas, deves atualizar o índice: clica com o botão direito do rato em cima do índice e escolhe Atualizar Índice/Tabela Introdução Regra geral, a Introdução é redigida apenas após a realização do trabalho ou continuamente reescrita à medida que o trabalho avança; A Introdução deve conter informação global sobre o trabalho, nomeadamente: Tema tratado Objetivos do trabalho Motivos de escolha do tema Metodologia utilizada Dificuldades encontradas Forma como está organizado Corpo do trabalho O desenvolvimento ou corpo do trabalho é a sua parte central. Deve ser redigido em texto e não por tópicos e pode ser ilustrado por imagens ou gráficos/esquemas. Pode dividir-se em várias partes (capítulos ou subcapítulos). Este texto é escrito tendo por base as informações recolhidas. Podem ser feitas citações dos autores consultados. 9

10 As citações devem ser curtas e devem estar bem destacadas entre aspas. Exemplo: «As armas e os barões assinalados/ Que da ocidental praia Lusitana...». Se retirarmos uma parte da citação, devemos assinalá-lo com parêntesis curvos ou retos, ou seja, assim (...) ou assim [...]. Teremos depois de referir o autor e a obra de onde se retirou a citação. Deves evitar a tentação de copiar texto de outros documentos. Deve acrescentar-se algo ao que já foi escrito sobre o tema, como, por exemplo, uma reinterpretação dos factos. Todo o texto copiado deve ser colocado entre aspas e devidamente citado. Conclusão A conclusão deve ser nítida, clara e relativamente breve; é uma síntese do conteúdo do trabalho, principalmente das conclusões a que chegaste; Anexos Os anexos são documentos que completam o texto, mas que se colocados no corpo do trabalho perturbariam a sua apresentação lógica e ordenada; nem todos os trabalhos precisam de anexos. Os anexos devem ser identificados pelas letras do alfabeto (Anexo A; Anexo B). Bibliografia A Bibliografia é a lista dos documentos que foram consultados para a elaboração do trabalho. É apresentada pela ordem alfabética do apelido do autor. Na bibliografia deve indicar-se, por esta ordem, os seguintes elementos, separados por vírgulas: último nome do autor, isto é o apelido, em maiúsculas, seguido de vírgula e do nome próprio e da data da edição entre parenteses (se não tiver data de edição, escreve-se s/d, que significa sem data), o título da obra em itálico; o nome da editora; o local da edição; 10

11 Exemplo: ALARCÃO, J. de (1988), O domínio romano em Portugal. Mem Martins, Europa-América, Figueirinhas, Porto. Se o documento não tiver autor definido, o título deve ser escrito em maiúsculas. Exemplo: NOVA ENCICLOPÉDIA VERBO JUVENIL (1977), volume V, Editorial Verbo, Lisboa. Para documentos online, utiliza-se a seguinte convenção: Autor (data). Título da obra. Data de acesso. URL. Exemplo: PINHEIRO, C. (2012). Romanização da Península Ibérica. Acedido em 10 de Outubro de Disponível em Apresentação formal A apresentação formal é a forma como o texto vai aparecer para depois de impresso. Lembramos que deves usar um tipo de letra fácil de ler e uma cor da letra que permita um bom contraste com a folha que vai ser impressa (para impressões a preto, o melhor é usares a cor preta no tipo de letra. O mais comum é o texto datilografado a 1,5 espaços (no documento, clica em Formatar, depois em Parágrafo, e, em Espaçamento entre linha, seleciona 1,5 linhas). Se já tiveres escrito o texto, deves selecionar todo o texto antes de executares esta operação: 11

12 Deves deixar margens suficientes para qualquer tipo de encadernação (um mínimo de 2 cm) Deves usar sempre o mesmo tipo de letra e manter coerência nos tamanhos (exemplo: legendas das imagens: 10; texto: 12; subcapítulo: 14; capítulo 16; Todas as imagens devem estar relacionadas com o texto e deverão ser colocadas próximo do assunto que ilustram. Deverão ser numeradas e ter sempre uma legenda explicativa. Recomenda-se uma última leitura para: Corrigir gralhas/erros ortográficos Identificar frases mal estruturadas Substituir palavras que se repetem muitas vezes Verificar se o que foi escrito corresponde ao plano ou se falta alguma coisa. 12

13 PESQUISAR NA INTERNET Conceitos básicos O lugar onde está armazenada a informação na Internet chama-se URL (Uniform Resource Locator). Normalmente as pessoas chamam-lhe endereço e é o conjunto de caracteres, sem espaços entre si, que aparece na barra de endereço do teu navegador, por exemplo: As letras « significam que se trata de um documento hipertexto, que é como são designados os documentos usados na Internet. WWW significa World Wide Web ou «rede de alcance mundial». Nos navegadores atuais, não é necessário digitar « se o endereço começar por "www". O nome que se segue a " é chamado de domínio, e normalmente é o nome da página ou da instituição a que pertence. A extensão do domínio (as 2 ou 3 letras finais) significa, em geral, o tipo ou fim da organização, empresa ou indivíduo que o utiliza, conforme abaixo: org: organização não-governamental gov: governamental mil: militar com: comercial edu: educação tur: turismo A extensão pode também indicar a localização geográfica (país) da organização, ex: «pt» (Portugal), «com.br» (Brasil), «es» (Espanha), «org.ar» (Argentina), «uk» (United Kingdom), «de» (Deutschland /Alemanha), etc. 13

14 Estratégias de pesquisa Deves anotar num papel algumas ideias do que pretendes procurar: Qual é o assunto que procuro? Qual é a ciência ou saber onde se insere a pesquisa? É uma disciplina escolar? Qual é o tema? Qual é o subtema? Existe alguma associação ou instituição relacionadas? Quais são as palavras-chave? Quais são as palavras mais usadas? Quais são as palavras sinónimas? Há uma palavra ou expressão específica? Há uma pessoa famosa neste tema? Há um caso muito conhecido neste tema? Há uma data? Uma região? Tendo em mente as palavras-chaves e sua melhor combinação conseguem-se resultados mais relevantes em relação ao tema pesquisado. As pesquisas na web podem ser feitas de várias formas: Através dos motores de busca; Através das próprias páginas que hospedam os documentos procurados; Consultando diretórios; 14

15 Lendo a secção de hiperligações de uma página relacionada com o tema; Enviando uma mensagem para um fórum sobre esse tema; Enviando um a um especialista. A escolha do instrumento mais adequado vai depender da informação de que já se dispõe sobre o objeto de busca. Por exemplo, se pretendes procurar as áreas naturais protegidas de Portugal é melhor visitar a própria página do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas ( se já souberes o seu endereço, do que utilizares um motor de busca. Pesquisa em motores de busca Os Motores de Busca são os métodos mais utilizados para procurar informação. Antes de iniciares uma pesquisa num motor de busca, deves conhecer o seu funcionamento, navegar pelas suas ferramentas avançadas e descobrir as opções que facilitam, otimizam e focalizam a busca nas bases de dados. Vais agora iniciar a busca. Imagina que desejas informações sobre "Sistema Nacional de Saúde". Para evitar que o motor de busca te encontre páginas onde aparecem as palavras "Sistema ", "Nacional" e "Saúde", independentemente da relação entre elas, deves especificar a busca como frase, colocando-a entre aspas (""). Assim, o motor só te devolverá páginas onde as três palavras aparecem juntas. Deves evitar utilizar as palavras de ligação de, com, a, o, etc., embora a maior parte dos motores de busca as ignore. Podes também incluir um sinal de mais (+) - sem parêntesis - ou menos (-) para adicionar ou excluir palavras ou sites. Isso é útil para palavras com vários significados, como Jaguar, a marca do carro, e jaguar, o animal. Exemplos: velocidade do jaguar -carro ou pandas -site:wikipedia.org 15

16 Adiciona um asterisco como um marcador para termos que não conheces. Exemplo: "melhor um * na mão do que dois *" Os motores de busca, na sua grande maioria, ignoram letras maiúsculas e minúsculas, as acentuações da língua portuguesa ( ), (`), ("), (ˆ), ( ) e interpretam o "ç" como c. Outras ferramentas de pesquisa: site: Obter resultados a partir de determinados sites ou domínios. Exemplos: olimpíadas site:nbc.com e olimpíadas site:.gov link: Encontrar páginas com um link para uma página específica. Exemplo: link:youtube.com related: Encontrar sites semelhantes a um endereço da Web que já se conhece. Exemplo: related:time.com OU Encontrar páginas que podem usar uma das várias palavras. Exemplo: maratona OU corrida info: Receber informações sobre um endereço da Web, incluindo a versão em cache da página, páginas semelhantes e páginas vinculadas ao site. Exemplo: info:rbe.mec.pt cache: Veja como estava a página na última vez que o Google visitou o site. Exemplo: cache: publico.pt Observação: ao fazer uma pesquisa usando operadores ou sinais de pontuação, não adiciones espaços entre o operador e os termos de pesquisa. Uma pesquisa por site:publico.pt funcionará, mas por site: publico.pt não. 16

17 Pesquisar imagens As imagens vão indispensáveis para muitos dos trabalhos que vais fazer, e a internet dispõe de muitos milhões de exemplos para qualquer área do conhecimento. Nesta secção, vais aprender a usar um dos motores de busca mais conhecidos, o Google, para encontrares a imagem perfeita. Imagina que estás a fazer um trabalho sobre vulcões e queres uma imagem do vulcão dos Capelinhos. A primeira opção deverá ser pesquisares no Google por uma palavra-chave relacionada com a imagem, que, neste caso, poderá ser «vulcão dos capelinhos.» Depois da pesquisa, deves clicar em Imagens para veres as imagens disponíveis: Deverá aparecer uma página como esta: 17

18 Tal como tudo que se encontra na Internet, as imagens têm diferentes direitos de uso, isto é, o seu autor pode estabelecer o tipo de utilização que os outros podem fazer da sua obra. Isto significa que nem todas as imagens que aparecem na pesquisa podem ser usadas nos nossos trabalhos. Assim, a nossa primeira preocupação deverá ser encontrar imagens que possam ser reutilizadas. Para isso, vamos usar um filtro de pesquisa. Deves clicar em Ferramentas de Pesquisa e depois em Direitos de Utilização: Existem 4 tipos de direito de uso: Etiquetadas para reutilização com modificação Etiquetadas para reutilização Etiquetadas para reutilização não comercial sem modificação Etiquetadas para reutilização não comercial Seleciona uma das licenças, por exemplo «Etiquetadas para reutilização não comercial sem modificação». 18

19 Qualquer uma das imagens apresentadas pode ser usada no teu trabalho, mas é fundamental que indiques o seu autor [se disponível] e o endereço da foto. Para isso clica na imagem, e depois abre a página onde a imagem aparece, para tentares encontrar informação sobre o seu autor: Para encontrares o endereço da imagem, clica com o botão direito do rato em cima da imagem e depois em «Copiar endereço do link». Cola depois o endereço nos teus registos de pesquisas para depois poderes usá-los na indicação das fontes usadas na realização do trabalho. 19

20 Deverá também guardar todas as imagens que vais usar no trabalho numa pasta específica, e só depois inseri-las no trabalho. Assim, terás as imagens sempre disponíveis. 20

21 EXEMPLO DE UM TRABALHO ESCRITO 21

22 Escola Básica Padre Alberto Neto Os Romanos na Península Ibérica Gonçalo Neves, 5.º J 2015/16

23 Escola Básica Padre Alberto Neto Os Romanos na Península Ibérica Trabalho para a disciplina de História e Geografia de Portugal Professora Ana Martins Gonçalo Neves, 5.º J, n.º 16 Rio de Mouro, 25 de Novembro de /16 2

24 ÍNDICE 1. Introdução Conquista romana da península Ibérica Viriato e os Lusitanos A romanização A divisão administrativa Aspetos económicos Aspetos arquitetónicos e religiosos Conclusão Bibliografia

25 1. INTRODUÇÃO Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Fusce accumsan lectus vitae lacus mattis, in luctus eros eleifend. Interdum et malesuada fames ac ante ipsum primis in faucibus. Vestibulum ante ipsum primis in faucibus orci luctus et ultrices posuere cubilia Curae; Nunc mollis iaculis condimentum. Integer mollis sagittis nibh eget blandit. Duis aliquam sapien at arcu ullamcorper, ac porttitor velit lacinia. Donec nibh metus, fermentum quis erat a, tempus venenatis odio. Aenean eleifend urna nec nisi molestie, eu condimentum odio pretium. Suspendisse tempor ipsum non nisi tincidunt elementum. Vivamus nec imperdiet metus, vitae interdum tortor. Donec sollicitudin arcu quis convallis porttitor. Nulla efficitur lectus risus, sed venenatis felis fermentum sed. Quisque at scelerisque sem. Sed elementum magna ut metus scelerisque scelerisque. Nam ac ante vehicula, hendrerit enim ultricies, ultrices ligula. Praesent accumsan dignissim tellus eget dapibus. Sed consequat vestibulum consectetur. Vivamus eu turpis metus. Nam ut egestas mi, vitae volutpat libero. Cras dapibus pretium consequat. Nullam tristique est nibh, eget cursus velit lobortis at. Curabitur ex erat, tristique nec felis sed, porta finibus nunc. Aliquam at viverra diam, faucibus sodales nisi. Aliquam vulputate id dui et lobortis. Maecenas non tellus varius turpis aliquam maximus ut nec leo. Curabitur facilisis nulla mauris, sed gravida nulla blandit non. Fusce posuere consequat nisl, ac vehicula augue mollis vel. Sed dui ex, mollis sit amet dui et, maximus tempus nisl. Suspendisse elementum, enim a ultricies sodales, tellus tellus tincidunt ante, eget dignissim metus tellus quis magna. Suspendisse malesuada ex nec dui lacinia, quis scelerisque nisi tristique. Fusce cursus mi sed felis bibendum mattis. 4

26 2. CONQUISTA ROMANA DA PENÍNSULA IBÉRiCA Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Sed a nulla ullamcorper, eleifend sapien eget, venenatis enim. Sed dui magna, blandit et purus mattis, maximus sollicitudin sem. Donec lacinia purus vel ipsum congue consectetur. Sed volutpat mauris et porta malesuada. Integer ut felis consectetur, volutpat dui a, porttitor mauris. Cras non pharetra urna. Class aptent taciti sociosqu ad litora torquent per conubia nostra, per inceptos himenaeos. Nulla sed consectetur massa. Praesent auctor orci diam, ac semper justo lacinia in. Sed sagittis, sapien quis fringilla condimentum, urna erat bibendum sem, vel scelerisque quam felis porttitor ipsum. IMAGEM 1. MAPA SIMPLIFICADO DA CONQUISTA ROMANA DA HISPÂNIA Etiam ullamcorper neque magna, eu consectetur elit convallis efficitur. Nam tristique massa vitae ipsum auctor pharetra. Morbi volutpat ex at hendrerit finibus. Suspendisse sagittis, urna sit amet sodales iaculis, lacus risus vestibulum mauris, eu vulputate purus ex et nibh. Quisque ullamcorper tincidunt quam in feugiat. Interdum et malesuada fames ac ante ipsum primis in faucibus. Fusce id ante velit. Ut fermentum sem id mauris ultrices, eget sollicitudin sem efficitur. Cras egestas lacus augue, sed molestie lorem lobortis a. Praesent ornare ex et mauris vulputate, imperdiet posuere risus egestas. Integer rutrum augue sem, a ultricies neque finibus et. Nunc vitae aliquam dolor. In ultrices mattis mi quis porttitor. Sed tristique ligula at ligula posuere, sed semper augue vestibulum. Aenean a aliquam sapien. Vestibulum ante ipsum primis in faucibus orci 5

27 luctus et ultrices posuere cubilia Curae; Nulla facilisi. Fusce at mauris condimentum mauris pulvinar semper eu sed nisi. Suspendisse potenti. Nunc vehicula nibh mi. 2.1 VIRIATO E OS LUSITANOS Sed varius ante in nulla blandit vehicula. Vivamus at leo placerat, luctus mauris at, vulputate justo. Nam sit amet lorem id ipsum faucibus varius a eget augue. Aliquam suscipit, libero eu faucibus sagittis, metus arcu scelerisque leo, eget facilisis ex justo sit amet odio. Vestibulum tempor dignissim nisi quis lacinia. Morbi pellentesque purus sit amet mi pellentesque, at vulputate metus fermentum. Aliquam risus sapien, hendrerit eget nisi tincidunt, volutpat tincidunt magna. Vestibulum ac justo eget quam pulvinar imperdiet. Nullam vitae sem non mi dapibus pretium in ut arcu. Curabitur ut felis quam. Quisque accumsan, ipsum vitae lobortis condimentum, orci magna facilisis purus, sed dignissim ipsum lacus in ex. Ut nec dictum quam, pellentesque tincidunt purus. Donec accumsan feugiat ipsum, efficitur vestibulum leo varius at. 6

28 3. A ROMANIZAÇÃO Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Curabitur pulvinar eget neque eget finibus. Nulla in efficitur velit, eu efficitur neque. Sed rutrum nibh non justo viverra viverra. Curabitur eget ipsum placerat, pellentesque ligula a, congue ex. Duis dignissim posuere nulla, ut bibendum tortor volutpat ut. Lorem ipsum dolor sit IMAGEM 2: TEMPLO ROMANO DE ÉVORA amet, consectetur adipiscing elit. Ut porta magna at risus porta ultrices. Donec fringilla metus at egestas vestibulum. Donec tristique varius dui, et mollis massa placerat et. Ut fringilla magna tortor, ut sodales est placerat ut. Sed pharetra tincidunt justo. Ut semper id nunc ut volutpat. Duis lacus risus, suscipit id posuere ac, egestas in massa. Mauris vehicula, tellus at dapibus porta, lorem est accumsan leo, a congue lacus quam et neque. 3.1 A DIVISÃO ADMINISTRATIVA Aenean pulvinar sodales mauris, vel euismod tortor rhoncus ac. Nulla mollis elit at mattis condimentum. Curabitur tempor nisl id lectus condimentum, quis dapibus tortor euismod. Mauris nunc velit, facilisis interdum enim id, sollicitudin dapibus est. In hac habitasse platea dictumst. Etiam eros risus, iaculis id mauris et, efficitur consectetur felis. Proin vulputate massa gravida, dictum elit accumsan, ornare orci. Etiam congue nunc lectus, ut aliquam massa accumsan interdum. Sed aliquet posuere est non placerat. Nullam massa lorem, fringilla a velit accumsan, pellentesque elementum sapien. Mauris accumsan ligula at volutpat sollicitudin. Morbi porta consequat nulla a ultricies. Praesent erat libero, hendrerit non libero eget, efficitur iaculis lorem. Cras id euismod ipsum. Donec pretium sagittis euismod. Phasellus rutrum id libero in dignissim. 7

29 In sed libero nec nisi consequat convallis. Pellentesque ac ex fermentum, vestibulum lectus quis, imperdiet purus. Suspendisse at tincidunt erat. Sed dapibus condimentum ligula eget ullamcorper. Nunc semper nibh sit amet dapibus ultrices. Maecenas interdum varius dui eget scelerisque. Integer rhoncus lorem ut elit dictum tincidunt. Vestibulum ante ipsum primis in faucibus orci luctus et ultrices posuere cubilia Curae; 3.2 ASPETOS ECONÓMICOS Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Curabitur pulvinar eget neque eget finibus. Nulla in efficitur velit, eu efficitur neque. Sed rutrum nibh non justo viverra viverra. Curabitur eget ipsum placerat, pellentesque ligula a, congue ex. Duis dignissim posuere nulla, ut bibendum tortor volutpat ut. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut porta magna at risus porta ultrices. Donec fringilla metus at egestas vestibulum. Donec tristique varius dui, et mollis massa placerat et. Ut fringilla magna tortor, ut sodales est placerat ut. Sed pharetra tincidunt justo. Ut semper id nunc ut volutpat. Duis lacus risus, suscipit id posuere ac, egestas in massa. Mauris vehicula, tellus at dapibus porta, lorem est accumsan leo, a congue lacus quam et neque. Aenean pulvinar sodales mauris, vel euismod tortor rhoncus ac. Nulla mollis elit at mattis condimentum. Curabitur tempor nisl id lectus condimentum, quis dapibus tortor euismod. Mauris nunc velit, facilisis interdum enim id, sollicitudin dapibus est. In hac habitasse platea dictumst. Etiam eros risus, iaculis id mauris et, efficitur consectetur felis. Proin vulputate massa gravida, dictum elit accumsan, ornare orci. Etiam congue nunc lectus, ut aliquam massa accumsan interdum. Sed aliquet posuere est non placerat. Nullam massa lorem, fringilla a velit accumsan, pellentesque elementum sapien. Mauris accumsan ligula at volutpat sollicitudin. Morbi porta consequat nulla a ultricies. Praesent erat libero, hendrerit non libero eget, efficitur iaculis lorem. Cras id euismod ipsum. Donec pretium sagittis euismod. Phasellus rutrum id libero in dignissim. 8

30 3.3 ASPETOS ARQUITETÓNICOS E RELIGIOSOS Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Pellentesque at rutrum libero. Donec posuere quis justo viverra eleifend. Quisque ultrices velit lorem, non mollis diam efficitur ac. Donec sem augue, lacinia ut lacinia ac, porta ut magna. IMAGEM 3: VISTA DE CONÍMBRIGA Nam faucibus orci non neque scelerisque sagittis. Vestibulum ante ipsum primis in faucibus orci luctus et ultrices posuere cubilia Curae; Praesent sit amet metus in urna ultricies venenatis. Nullam auctor dignissim lectus egestas pharetra. Nam nulla ligula, semper ut felis ut, hendrerit semper libero. Interdum et malesuada fames ac ante ipsum primis in faucibus. Curabitur et porttitor lorem. Maecenas congue viverra convallis. Integer non libero neque. Etiam dignissim metus ut tincidunt tristique. Vestibulum placerat eget risus eu maximus. Morbi sit amet ante at erat lobortis malesuada vulputate sed erat. Proin cursus ullamcorper est ut efficitur. Vestibulum eu nunc eget ante blandit dapibus sit amet fringilla mauris. Aenean ultricies nibh sit amet nisl rutrum finibus. Sed ut nunc id ligula blandit posuere. In lacinia vehicula ultricies. Nunc congue turpis vel cursus mattis. Maecenas sit amet tincidunt ex, vitae tincidunt magna. Sed commodo non mauris ut faucibus. Donec sodales mauris vitae odio malesuada gravida. Phasellus dignissim bibendum porta. Nulla rhoncus, ligula eget iaculis pulvinar, ipsum enim auctor metus, non mollis diam neque vel lorem. Mauris et purus sapien. Etiam euismod sem massa, id rutrum justo dapibus rhoncus. Phasellus facilisis a ligula vitae luctus. Vivamus ullamcorper nulla mauris, vel vehicula orci convallis sed. Vestibulum eget rhoncus neque. Proin semper dictum orci, sed dignissim mi ultricies a. Donec urna ligula, rhoncus in erat vel, varius varius augue. Pellentesque habitant 9

31 morbi tristique senectus et netus et malesuada fames ac turpis egestas. Quisque bibendum neque quis lobortis tristique. Vivamus in sapien elementum, scelerisque orci id, lobortis velit. Nullam a consectetur ante, eget consectetur felis. 10

32 4. CONCLUSÃO Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nullam neque orci, blandit vel leo et, imperdiet mattis turpis. Vivamus pharetra ante et arcu lacinia sodales. Aliquam aliquam malesuada tellus, sed interdum tortor bibendum vel. Nullam ac ex consectetur, dapibus diam vel, ornare mauris. Aenean euismod risus quis urna condimentum, et accumsan augue consectetur. In condimentum lorem eleifend ante maximus, in pellentesque lorem ultrices. Pellentesque sapien urna, dictum vitae odio quis, interdum sodales nisi. Quisque tempus mauris condimentum, rhoncus magna nec, sagittis ante. Sed suscipit neque nec tellus ullamcorper, vitae venenatis nunc viverra. Sed ut dolor elementum felis ultrices viverra. Phasellus iaculis arcu lectus, id euismod nulla suscipit eget. Class aptent taciti sociosqu ad litora torquent per conubia nostra, per inceptos himenaeos. Sed ut elit varius, dignissim urna ac, lobortis turpis. Proin elementum risus sagittis sapien consequat eleifend. Sed viverra, dui gravida porta lacinia, massa orci pharetra lectus, eget feugiat mauris tellus venenatis nunc. Morbi efficitur auctor orci et lobortis. Nunc varius mi at lorem varius, id facilisis nunc ornare. Sed ultrices convallis semper. Aliquam erat volutpat. Duis maximus convallis risus. Integer porta nibh velit. Aliquam orci sem, dapibus quis laoreet et, sollicitudin at nunc. Aenean a convallis neque. Aliquam blandit risus a dignissim eleifend. 11

33 5. BIBLIOGRAFIA ALARCÃO, J. de (1988), O domínio romano em Portugal. Mem Martins: Europa- América, Figueirinhas, Porto. PINHEIRO, C. (2012). Romanização da Península Ibérica. Acedido em 10 de Outubro, Disponível em WIKIPEDIA (2015), Conquista romana da península Ibérica. Acedido em 10 de Outubro, Disponível em a FONTES DAS IMAGENS Imagem 1. Autor: SaxumLeft, WIKIMEDIA. URL: Imagem 2 e imagem da capa. Autor: ho visto nina volare, WIKIMEDIA. URL: Imagem 3. Autor: Andreas Trepte, WIKIMEDIA. URL: 12

ISEL Instituto Superior de Engenharia de Lisboa ADEETC Área Departamental de Engenharia de Electrónica e Teleconumicações e de Computadores

ISEL Instituto Superior de Engenharia de Lisboa ADEETC Área Departamental de Engenharia de Electrónica e Teleconumicações e de Computadores ISEL Instituto Superior de Engenharia de Lisboa ADEETC Área Departamental de Engenharia de Electrónica e Teleconumicações e de Computadores MERCM Mestrado em Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia Dissertação

Leia mais

CCM002 Metodologia de Pesquisa em Ciência da Computação. Apresentações. Prof. Jesús P. Mena-Chalco 3Q-2016

CCM002 Metodologia de Pesquisa em Ciência da Computação. Apresentações. Prof. Jesús P. Mena-Chalco 3Q-2016 1 CCM002 Metodologia de Pesquisa em Ciência da Computação Prof. Jesús P. Mena-Chalco jesus.mena@ufabc.edu.br 3Q-2016 2 Pratique, pratique, pratique,. Pode inovar, não ha regra apenas sugestões. Pode falar

Leia mais

BRAND GUIDELINES RTP MÚSICA

BRAND GUIDELINES RTP MÚSICA RTP MÚSICA VERSÃO VERTICAL GRELHA / EIXOS BRAND GUIDELINES GRELHA / EIXOS VERSÃO VERTICAL VERSÃO HORIZONTAL BRAND GUIDELINES VERSÃO MOSCA COMPORTAMENTOS CROMÁTICOS (VERSÃO HORIZONTAL E VERTICAL) Cor Directa

Leia mais

MANUAL DE NORMAS Normas Normas.indd indd :09:36 12:09:36

MANUAL DE NORMAS Normas Normas.indd indd :09:36 12:09:36 MANUAL DE NORMAS Universo cromático Pantone 470 C C M Y K 0% 58% 100% 33% Black 50% Black Família Tipográfica Barmeno Regular utilizado nas palavras municipal de lisboa abcdefghijklmnopqrstuvxz ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVXZ

Leia mais

POCH MANUAL DE NORMAS

POCH MANUAL DE NORMAS POCH MANUAL DE NORMAS 2015 A MARCA A marca é o elemento mais identificativo da identidade corporativa. A normalização da mesma é essencial para preservar a sua legibilidade e percepção. Por esse motivo,

Leia mais

Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2

Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2 Brasil 2013, v-1.7.1 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2 Modelo canônico de Projeto de pesquisa em conformidade

Leia mais

MANUAL NORMAS GRÁFICAS

MANUAL NORMAS GRÁFICAS MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS NOVEMBRO 2016 MIGUEL GATA INTRODUÇÃO 2 MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS BEM-VINDO ao Manual de Normas Gráficas da ESCOLA PROFISSIONAL PRÁTICA UNIVERSAL BRAGANÇA Dada a importância que

Leia mais

Manual de Normas Gráficas

Manual de Normas Gráficas Manual de Normas Gráficas A criação da identidade visual da Proxira, tem por base um sistema de aplicações coerente, organizado e bem definido. O manual de identidade visual apresentado reúne os elementos

Leia mais

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO - TECCOGS ISSN:

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO - TECCOGS ISSN: Normas para publicação Formatação da página (margens): Topo: 3,3 cm Inferior: 3 cm Esquerda: 2,3 cm Direita: 2 cm Título: Fonte: Arial, 14 Alinhamento do texto: à esquerda Norma para publicação Autoria:

Leia mais

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Brasil 2013, v-1.7.1 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Modelo canônico de trabalho monográfico acadêmico

Leia mais

IFDR, IP MANUAL DE NORMAS

IFDR, IP MANUAL DE NORMAS IFDR, IP MANUAL DE NORMAS Este guia de normas representa, no seu conteúdo, o conjunto das regras básicas de utilização da marca, bem como das suas declinações e complementos visuais. A utilização dos elementos

Leia mais

Monografia Índice Completo

Monografia Índice Completo Monografia Definição: dissertação a respeito de um assunto único; estudo minucioso a fim de esgotar determinado tema relativamente restrito. Monografia é uma dissertação sobre um ponto particular de uma

Leia mais

KIT DE NORMAS GRAFICAS

KIT DE NORMAS GRAFICAS KIT DE NORMAS GRAFICAS ÍNDICE 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 INTRODUÇÃO CONCEÇÃO DO SELO CORES DO SELO SELO MONOCROMÁTICO REFERÊNCIAS DE COR OUTRAS CORES FUNDOS FOTOGRÁFICOS ÁREA DE PROTEÇÃO REDUÇÃO TIPOGRAFIA

Leia mais

MANUAL DE NORMAS. Guia de identidade visual. Abril. 2016

MANUAL DE NORMAS. Guia de identidade visual. Abril. 2016 MANUAL DE NORMAS Guia de identidade visual Abril. 2016 A logomarca tem como base a interação com as pessoas. É por isso que é tão importante que todos os que trabalham com a logomarca Nosso Shopping percebam

Leia mais

DE PRODUTOS. VISITE NOSSO SITE: FORMA DE BAURU C/ ROLO PARA PINTURA 15CM C/ ESPREMEDOR DE LARANJA C/

DE PRODUTOS. VISITE NOSSO SITE:  FORMA DE BAURU C/ ROLO PARA PINTURA 15CM C/ ESPREMEDOR DE LARANJA C/ CATÁLOGO 2015 DE PRODUTOS FORMA DE BAURU C/1 009118 ROLO PARA PINTURA 15CM C/1 009197 ESPREMEDOR DE LARANJA C/1 009149 FURA COCO C/1 009301 Página 12 Página 12 VISITE NOSSO SITE: www.grupoufs.com.br HISTÓRIA

Leia mais

Edital de Chamada para Trabalhos Acadêmicos

Edital de Chamada para Trabalhos Acadêmicos Edital de Chamada para Trabalhos Acadêmicos A Comissão Organizadora do VI Encontro Estudantil Regional de Relações Internacionais EERRI convida a comunidade acadêmica de relações internacionais para o

Leia mais

Brand Identity Guidelines

Brand Identity Guidelines Brand Identity Guidelines manual PARA QUÊ? Índice 1.0 Logotipo 00 1.1 Apresentação 00 1.2 Cores Institucionais 00 1.3 Símbolo 00 1.4 Família Tipográfica 00 1.5 Redução 00 1.6 Versões 00 Este manual explica

Leia mais

www.in-lex.pt ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO ANUÁRIO 2015 CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO EDIÇÕES E DIVULGAÇÃO CONTACTOS IN-LEX

www.in-lex.pt ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO ANUÁRIO 2015 CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO EDIÇÕES E DIVULGAÇÃO CONTACTOS IN-LEX www.in-lex.pt Para mais informação consulte o nosso site ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO ANUÁRIO 2015 Data da Publicação Dimensões Papel Capa Papel Miolo Hardcover Início de 2015 230 (largura) x 297 (altura)

Leia mais

A A. Caixas. Prof.: Ivan R. Pagnossin. Tutora: Juliana Giordano. Largura. Altura. Altura total. Linha-base. Profundidade. Ponto-de-referência

A A. Caixas. Prof.: Ivan R. Pagnossin. Tutora: Juliana Giordano. Largura. Altura. Altura total. Linha-base. Profundidade. Ponto-de-referência Prof.: Ivan R. Pagnossin Tutora: Juliana Giordano Coordenadoria de Tecnologia da Informação Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada Definição e dimensões Largura Altura Profundidade g Altura total Linha-base

Leia mais

Câmara Municipal de Vagos Normas Gráficas

Câmara Municipal de Vagos Normas Gráficas 01 Índice Introdução # 3 Marca # 4 Logótipo # 5 Símbolo # 6 Construção Identidade # 7 Versões # 8-9 - 10 Arquitetura Marca # 11 Identidade Inglês # 12 Identidade Espanhol # 13 Área de proteção # 14 Dimensões

Leia mais

MUSEU do FUTEBOL manual da marca

MUSEU do FUTEBOL manual da marca manual da marca MUSEU do FUTEBOL manual da marca 03 06 07 11 13 14 15 19 23 24 25 conceito ASSINATURAS PREFERENCIAIS ASSINATURAS secundárias dimensões da marca uso da tipologia Auxiliar opções de uso da

Leia mais

Cartão Loja. Cartão Pessoal. José Maria Diretor Administrativo. Buscamos e aviamos sua receita TELEVENDAS.

Cartão Loja. Cartão Pessoal. José Maria Diretor Administrativo. Buscamos e aviamos sua receita TELEVENDAS. Aplicações Cartão Loja Buscamos e aviamos sua receita www.pharmasu.com.br Matriz: Av. C-159 nº 670 Filial T-9: Av. T- 9 nº 2.811 (62) 3526-4910 Farmacia Ipasgo: Av. Anhanguera nº 8517 Campinas (62) 3526-5900

Leia mais

12EDIÇÃO In-Lex ANUÁRIO das Sociedades de Advogados IN-LEX

12EDIÇÃO In-Lex ANUÁRIO das Sociedades de Advogados IN-LEX www.in-lex.pt ª 12EDIÇÃO In-Lex 2017 ANUÁRIO das Sociedades de Advogados IN-LEX Lorem ipsum dolor sit amet, Suspendisse at tellus. Nullam in nisl. Curabitur dolor metus, consectetuer adipiscing elit. nisl.

Leia mais

Fulano de Tal. Exemplo de livro produzido com. Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.6

Fulano de Tal. Exemplo de livro produzido com. Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.6 Fulano de Tal Exemplo de livro produzido com abntex2 Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.6 Fulano de Tal Exemplo de livro produzido com abntex2 Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.6 2015

Leia mais

MARCA BRAGANÇA MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS NOVEMBRO 2014

MARCA BRAGANÇA MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS NOVEMBRO 2014 MARCA BRAGANÇA MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS NOVEMBRO 2014 INTRODUÇÃO 2 MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS BEM-VINDO ao Manual de Normas Gráficas da Marca de Bragança. Dada a importância que tem a imagem gráfica na

Leia mais

Revista Universitária de Comunicação e Multimédia Número 1/bimestral/Abril/2010/UTAD/gratuita

Revista Universitária de Comunicação e Multimédia Número 1/bimestral/Abril/2010/UTAD/gratuita Revista Universitária de Comunicação e Multimédia Número 1/bimestral/Abril/2010/UTAD/gratuita Concursos Empregos Proxima edição/fi cha técnica 19 Prêmio Design MCB http://www.mcb.sp.gov.br web designer

Leia mais

TÍTULO DA MONOGRAFIA

TÍTULO DA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS FACULDADE DE COMPUTAÇÃO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO NOME SOBRENOME TÍTULO DA MONOGRAFIA Belém 2017 UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

XXII Jornada Acadêmica do Curso de Ciências Biológicas. 30/05 a 04/06/2016

XXII Jornada Acadêmica do Curso de Ciências Biológicas. 30/05 a 04/06/2016 XXII Jornada Acadêmica do Curso de Ciências Biológicas 30/05 a 04/06/2016 Apresentação Oral Apenas trabalhos experimentais concluídos Instruções para Resumos Expandidos Formatação Os resumos devem ser

Leia mais

Título da Dissertação

Título da Dissertação FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO Título da Dissertação Nome do Autor VERSÃO DE TRABALHO Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação Orientador: Nome do Orientador 24 de Janeiro

Leia mais

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS MUNICÍPIO DE BRAGANÇA NOVEMBRO 2014 INTRODUÇÃO 2 MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS BEM-VINDO ao Manual de Normas gráficas do Município de Bragança. Dada a importância que tem a imagem

Leia mais

Normas para apresentação e elaboração de Trabalhos Finais de Licenciatura e Mestrado

Normas para apresentação e elaboração de Trabalhos Finais de Licenciatura e Mestrado Normas para apresentação e elaboração de Trabalhos Finais de Licenciatura e Mestrado Normas para apresentação e elaboração dos Trabalhos Finais Nota prévia: As normas agora aprovadas devem ser entendidas

Leia mais

A C R A M A L D A U N A

A C R A M A L D A U N A MANUAL DA MARCA BRIEFING & PROCESSO CRIATIVO 01 CONCEITO E CONSTRUÇÃO DA MARCA 02 GRADE 04 PALETA DE CORES 05 APLICAÇÕES MONOCROMÁTICAS 05 APLICAÇÕES 06 CRÉDITOS 07 01 BRIEFING & PROCESSO CRIATIVO BRIEFING...

Leia mais

Universidade Federal da Integração Latino-Americana. Manual de Identidade Visual

Universidade Federal da Integração Latino-Americana. Manual de Identidade Visual Universidade Federal da Integração Latino-Americana Manual de Identidade Visual Índice 1. Sistema Básico 2. Sistema Aplicativo 1.1 Assinatura Institucional 1.1.1 Preferencial / Versão Horizontal 1.1.2

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL Catarinense. Manual de Identidade Visual do Instituto Federal Catarinense

INSTITUTO FEDERAL Catarinense. Manual de Identidade Visual do Instituto Federal Catarinense INSTITUTO FEDERAL Manual de Identidade Visual do Instituto Federal CECOM/Reitoria - 2016 Apresentação A marca Instituto Federal é o principal elemento da identidade visual institucional, que simboliza

Leia mais

NOME SOBRENOME TÍTULO DO TRABALHO

NOME SOBRENOME TÍTULO DO TRABALHO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MESTRADO ACADÊMICO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO NOME SOBRENOME TÍTULO DO TRABALHO FORTALEZA

Leia mais

Processamento da Informação Vetores Parte 1 (Arrays / Arranjos )

Processamento da Informação Vetores Parte 1 (Arrays / Arranjos ) Processamento da Informação Vetores Parte 1 (Arrays / Arranjos ) Prof. Jesús P. Mena-Chalco CMCC/UFABC Q1/2017 1 Armazenar 10 inteiros em um programa... Usando variáveis: Usando um vetor: Para acessar

Leia mais

Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES

Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado da Bahia Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES sumário sumário 7 Apresentação 8 A NOVA MARCA FECOMÉRCIO

Leia mais

Normas para apresentação e elaboração de Trabalhos Finais de Licenciatura e Mestrado

Normas para apresentação e elaboração de Trabalhos Finais de Licenciatura e Mestrado Normas para apresentação e elaboração de Trabalhos Finais de Licenciatura e Mestrado Versão n.º2-01/02/2011 Normas para apresentação e elaboração dos Trabalhos Finais Nota prévia: As normas agora aprovadas

Leia mais

Como Usar Este Modelo por [Autor do Artigo]

Como Usar Este Modelo por [Autor do Artigo] TÍTULO SUBTÍTULO Edição nº Título Subtítulo Data da Edição Como Usar Este Modelo DIGITE O SLOGAN AQUI Este boletim informativo é criado principalmente usando colunas de texto, para que o texto quebre automaticamente

Leia mais

ESCREVER O TÍTULO NO IDIOMA EM QUE FOI ESCRITO A PUBLICAÇÃO

ESCREVER O TÍTULO NO IDIOMA EM QUE FOI ESCRITO A PUBLICAÇÃO aa/bb/cc/dd-tdi ESCREVER O TÍTULO NO IDIOMA EM QUE FOI ESCRITO A PUBLICAÇÃO Nome Completo do Autor Tese de Doutorado ou Dissertação de Mestrado do Curso de Pós- Graduação em Nome do Curso, orientada pelo(a)

Leia mais

atividade florestal não-madeireira título da categoria com opção de uso de icone

atividade florestal não-madeireira título da categoria com opção de uso de icone buscar no site OK Página inicial links rápidos a fazenda santa maria nononononono não- título em destaque texto complementar Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Praesent vestibulum

Leia mais

Informações do contratante. Pré-contrato. Informações do Titular. Informações de Endereço Residencial. Informações de Endereço Comercial

Informações do contratante. Pré-contrato. Informações do Titular. Informações de Endereço Residencial. Informações de Endereço Comercial Informações do contratante Nome: carol Email: carolina.mello@axeisaude.com.br Data de Nascimento: 12/12/1990 Sexo: Feminino Fone: (99) 23232-3232 CEP: 15010-085 Tipo de Plano: Coletivo Adesão CPF: 123..

Leia mais

Sindicatos. Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES DOS SINDICATOS LIGADOS À CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO

Sindicatos. Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES DOS SINDICATOS LIGADOS À CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES DOS SINDICATOS LIGADOS À CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO ligados à Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo Manual de

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL RECEITA ESTADUAL RS Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL RECEITA ESTADUAL RS Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul Conceituação.2 O maior patrimônio de muitas grandes empresas é sua identidade visual ou sua imagem corporativa. E como essas empresas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS UNIDADE ACADÊMICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS UNIDADE ACADÊMICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA Todo list o exemplo de comentário para auxiliar na lista de tarefas e correções.......... 25 o Alguns manuais de pacotes latex foram adicionados na pasta manuals......... 25 o Procure se informar a respeito

Leia mais

d ce R E V I S T A D I G I TA L

d ce R E V I S T A D I G I TA L d ce R E V I S T A D I G I TA L Doce Revista Digital Há 25 anos no mercado, a imagem da Doce Revista é marcada pelo jornalismo ágil e independente. É a única publicação nacional voltada exclusivamente

Leia mais

wireframe do novo site

wireframe do novo site wireframe do novo site home METRÔ PAINÉIS S ANUNCIE QUEM SOMOS Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nam imperdiet sed eros ut luctus. Suspendisse eu vulputate massa. Nullam dignissim,

Leia mais

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Brasil 2013, v-1.7.1 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Modelo canônico de

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual ATENÇÃO Devido à enorme diversidade de tipos de impressão e modelos de impressoras existentes, alertamos que as cores resultantes da impressão deste arquivo podem variar drasticamente.

Leia mais

EMBRACE THE FUTURE SERVIÇO PÓS-VENDA ONDE ESTAMOS NEGÓCIO ÁREAS DE EDIFÍCIO PLATINUM MOÇAMBIQUE

EMBRACE THE FUTURE SERVIÇO PÓS-VENDA ONDE ESTAMOS NEGÓCIO ÁREAS DE EDIFÍCIO PLATINUM MOÇAMBIQUE MENU EMBRACE THE FUTURE ÁREAS DE NEGÓCIO SERVIÇO PÓS-VENDA ONDE ESTAMOS EM DESTAQUE PORTUGAL MARROCOS ARGÉLIA EDIFÍCIO PLATINUM GANA ANGOLA ARGENTINA O Grupo Ramos Ferreira vai ser responsável, em parceria

Leia mais

T12design MÓVEIS DE ALTO PADRÃO. Manual de Identidade Visual T12 Design

T12design MÓVEIS DE ALTO PADRÃO. Manual de Identidade Visual T12 Design Índice Capítulo Apresentação... O logo e seus elementos... Variações cromáticas... Reduções e reservas... Aplicação em fundos de cor... Tipografias de apoio... Usos indevidos... Cartão de Visita... Pág.

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO INTERNET PARA CARTÃO SUL

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO INTERNET PARA CARTÃO SUL PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO INTERNET PARA CARTÃO SUL I. Objetivos e Descrição Redesign do website que a empresa possui, acrescentando novos recursos, informações mais detalhadas dos produtos e serviços,

Leia mais

MERCHANDISING. highdesignexpo.com

MERCHANDISING. highdesignexpo.com MERCHANDISING highdesignexpo.com /Prezado Expositor, BEM VINDO À HIGH DESIGN HOME & OFFICE EXPO! Agora que estamos juntos e sua empresa faz parte deste seleto grupo, porque não se destacar ainda mais?

Leia mais

Manual - Design UFAM

Manual - Design UFAM Manual - Design UFAM Índice Introdução 3 Aplicações principais 20 A marca Inspiração/Conceito Desenho da marca Assinaturas Malha de construção Versões monocromáticas Aplicaçao sobre fundos Redução máxima

Leia mais

[ PROPOSTA DE IDENTIDADE VISUAL UNIÃO DE FREGUESIAS DE COIMBRA - SÉ NOVA, SANTA CRUZ, ALMEDINA, S. BARTOLOMEU ] [ ]

[ PROPOSTA DE IDENTIDADE VISUAL UNIÃO DE FREGUESIAS DE COIMBRA - SÉ NOVA, SANTA CRUZ, ALMEDINA, S. BARTOLOMEU ] [ ] [ PROPOSTA DE IDENTIDADE VISUAL UNIÃO DE FREGUESIAS DE COIMBRA - SÉ NOVA, SANTA CRUZ, ALMEDINA, S. BARTOLOMEU ] [ 10.07.14 ] INTRODUÇÃO A proposta de identidade institucional da união das freguesias de

Leia mais

Sorriso. Metálico. Ponto de Vista. A Saúde bucal infantil. Entrevista. Comportamento

Sorriso. Metálico. Ponto de Vista. A Saúde bucal infantil. Entrevista. Comportamento Sorriso Entrevista Dr Alisson explica as vantagens dos aparelhos Autoligados Comportamento O que te faz feliz? Fique Ligado Participe, curta, compartilhe e ganhe brindes especiais Escova de dentes: A maior

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL APRESENTAÇÃO DA MARCA Uma nova marca, um novo momento, Apontando Para o futuro. Apresentamos o novo logotipo da Azuma Kirin Company, com sua assinatura. Neste arquivo você encontra

Leia mais

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Brasil 2015, v-1.9.6 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Modelo canônico de trabalho monográfico acadêmico

Leia mais

ECA-USP. Manual Simplificado de Identidade Visual. Estudio K Arquitetura e Comunicação Visual Dorinho Bastos Juliana Baracat

ECA-USP. Manual Simplificado de Identidade Visual. Estudio K Arquitetura e Comunicação Visual Dorinho Bastos Juliana Baracat ECA-USP Manual Simplificado de Identidade Visual Estudio K Arquitetura e Comunicação Visual Dorinho Bastos Juliana Baracat Logotipo Grade de Construção Identidade Visual/Cor Grade de Construção Identidade

Leia mais

A comunicação entre as diretoras e consultoras de vendas da Mary Kay Inc

A comunicação entre as diretoras e consultoras de vendas da Mary Kay Inc A comunicação entre as diretoras e consultoras de vendas da Mary Kay Inc Ana Cláudia Coutinho Leal Andyara Stephanie dos Santos Almeida Daiany Aparecida da Silva Batista Joyce Grazielle Castilho Nereu

Leia mais

Anexo A Guião de entrevista aos diretores de comunicação

Anexo A Guião de entrevista aos diretores de comunicação Anexo A Guião de entrevista aos diretores de comunicação 1. O que lhe sugere a designação Comunicação Estratégica Digital? 2. Na definição da(s) estratégia(s) de comunicação da marca/organização que gere

Leia mais

R.Boquino Manual de Identidade Visual

R.Boquino Manual de Identidade Visual R.Boquino Manual de Identidade Visual Normas padrão para construção e uso correto da marca. Comunicação institucional padrão Apresentação 3 Envelope 36 18 Conceito da marca 4 Envelope 34 19 Marca 5 Envelope

Leia mais

MANUAL DE APLICAÇÃO MARCA

MANUAL DE APLICAÇÃO MARCA MANUAL DE APLICAÇÃO DA MARCA 3 4 5 6 GRADE DE CONSTRUÇÃO EXEMPLOS MARGENS DE SEGURANÇA REDUÇÃO MÁXIMA 7 7 8 9 APLICAÇÃO DO ÍCONE EXEMPLOS CORES VERSÕES DO LOGOTIPO 10 11 APLICAÇÕES DO LOGOTIPO TIPOGRAFIA

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 1 Conceito Uma das características mais marcantes do Grupo Mirante é a forte ligação com os aspectos regionais da cultura maranhense. Por esse motivo, o Grupo leva o nome de

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE MEMORIAL DESCRITIVO DE PRODUTO JORNALÍSTICO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE MEMORIAL DESCRITIVO DE PRODUTO JORNALÍSTICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS, JORNALISMO E SERVIÇO SOCIAL COLEGIADO DE JORNALISMO PROJETOS EXPERIMENTAIS DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE MEMORIAL

Leia mais

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul. Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul. Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Mato Grosso do Sul aguardamos envio de uma imagem de mato grosso do sul Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL INTEGRADA VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL

PROPOSTA COMERCIAL INTEGRADA VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL PROPOSTA COMERCIAL INTEGRADA VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL Dir. Nac. de Marketing 13/Nov/13 A FAMÍLIA TRAPO FOI RENOVADA, MAS CONTINUA CAUSANDO MUITA CONFUSÃO. A REDE RECORD, RECORD NEWS e PORTAL R7, oferecem

Leia mais

Como fazer um trabalho escrito

Como fazer um trabalho escrito Como fazer um trabalho escrito 1.Escolha do tema 1.1. Proposto pelo professor 1.2. Escolhido pelo aluno. Fatores a considerar Capacidade individual não deve escolher tarefas superiores às suas capacidades;

Leia mais

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Brasil 2015, v-1.9.6 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Modelo canônico de

Leia mais

SOCALOR saunas Manual de Identidade Visual

SOCALOR saunas Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Normas padrão para construção e uso correto da marca. Comunicação institucional padrão Apresentação 3 Envelope 36 18 Conceito da marca 4 Envelope 34 19 Marca 5 Envelope 32 20

Leia mais

MANUAL DE REGRAS BÁSICAS. CAPAS MESTRADO Instituto Politécnico de Viana do Castelo

MANUAL DE REGRAS BÁSICAS. CAPAS MESTRADO Instituto Politécnico de Viana do Castelo INSTITUTO POLITÉCNICO MANUAL DE REGRAS BÁSICAS CAPAS MESTRADO Instituto Politécnico de Viana do Castelo Capa Tese de Mestrado INSTITUTO POLITÉCNICO Dimensões da capa: A4+lombada variável+a4 Papel: Coché

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL INTEGRADA VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL

PROPOSTA COMERCIAL INTEGRADA VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL PROPOSTA COMERCIAL INTEGRADA VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL Dir. Nac. de Marketing 12/Nov/13 TÁ TUDO EM CASA A REDE RECORD e o PORTAL R7, oferecem ao mercado anunciante a oportunidade de estar presente como

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA TEC498 PROJETO DE CIRCUITOS DIGITAIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA TEC498 PROJETO DE CIRCUITOS DIGITAIS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA TEC498 PROJETO DE CIRCUITOS DIGITAIS MODELO DE RELATÓRIO DE SESSÃO PBL COM ABNTEX2 Primeiro Autor, Segundo Autor, Quarto Autor, Quinto

Leia mais

Colégio Interamericano de Defesa

Colégio Interamericano de Defesa 2016-2017 Colégio Interamericano de Defesa Manual de Procedimentos de Admissão FORT LESLEY J. MCNAIR WASHINGTON, D.C. Conteúdo Mensagem da Diretora... 1 Orientações... 2 Requisitos de admissão... 3 Biografia

Leia mais

Mills fecha o primeiro trimestre com forte crescimento em todas as linhas de resultados e lucro líquido de R$ 18,7 milhões, com expansão de 56%.

Mills fecha o primeiro trimestre com forte crescimento em todas as linhas de resultados e lucro líquido de R$ 18,7 milhões, com expansão de 56%. Mills fecha o primeiro trimestre com forte crescimento em todas as linhas de resultados e lucro líquido de R$ 18,7 milhões, com expansão de 56%. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2010 - A Mills Estruturas

Leia mais

O ALUNO SURDO E OS PROCESSOS DE INTERAÇÃO NA COMPREENSÃO DO ENUNCIADO MATEMÁTICO

O ALUNO SURDO E OS PROCESSOS DE INTERAÇÃO NA COMPREENSÃO DO ENUNCIADO MATEMÁTICO O ALUNO SURDO E OS PROCESSOS DE INTERAÇÃO NA COMPREENSÃO DO ENUNCIADO MATEMÁTICO Ludmyla Sathler Aguiar do Nascimento 1 GD12 Educação Matemática e Inclusão A leitura e compreensão textual expõem o quanto

Leia mais

Olá! Vamos conhecer todas as aplicações e usos da sua Marca e de todos os elementos que formam sua identidade?

Olá! Vamos conhecer todas as aplicações e usos da sua Marca e de todos os elementos que formam sua identidade? Olá! Vamos conhecer todas as aplicações e usos da sua Marca e de todos os elementos que formam sua identidade? Índice O que é a Marca? Conceito 4 Personalidade da Marca 5 Como ela é? Marca Principal Versão

Leia mais

ap e em Em busca dos melhores São Paulo, 16 de outubro de 2015

ap e em Em busca dos melhores São Paulo, 16 de outubro de 2015 São Paulo, 16 de outubro de 2015 Secretaria Executiva Comunicação Visual: Patrocínio Conceito Criar um evento independente da marca Captativa porém com relações subliminares. O objetivo de criar um evento

Leia mais

wireframe homepage Onde buscar ajuda para animais carentes onde denunciar maus tratos Feiras de doação por todo o Brasil Apadrinhe um cão

wireframe homepage Onde buscar ajuda para animais carentes onde denunciar maus tratos Feiras de doação por todo o Brasil Apadrinhe um cão wireframe homepage tipo Quem somos Doações em dinheiro Onde r ajuda para animais carentes equipe Doações em mantimentos onde denunciar maus tratos banner 720 álbum x 160 de fotos Doaçòes medicinais Feiras

Leia mais

Fulano de Tal. Exemplo de livro produzido com. Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.5

Fulano de Tal. Exemplo de livro produzido com. Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.5 Fulano de Tal Exemplo de livro produzido com abntex2 Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.5 Fulano de Tal Exemplo de livro produzido com abntex2 Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.5 2015

Leia mais

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS PRINCÍPIOS BÁSICOS LOGÓTIPO. ALER CLIENTE. ALER ANO. 2014

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS PRINCÍPIOS BÁSICOS LOGÓTIPO. ALER CLIENTE. ALER ANO. 2014 PRINCÍPIOS BÁSICOS LOGÓTIPO. ALER CLIENTE. ALER ANO. 2014 1.1. SÍMBOLO, LOGÓTIPO E BRANDLINE 01. 12 - VERSÃO PRINCIPAL BRANDLINE SÍMBOLO LOGÓTIPO Apresentação da identidade ALER -. A identidade é composta

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA TENSÃO DO PAPEL NA IMPRESSÃO FLEXOGRÁFICA

A INFLUÊNCIA DA TENSÃO DO PAPEL NA IMPRESSÃO FLEXOGRÁFICA 3cm - superior 3cm - esquerda FACULDADE SENAI DE TECNOLOGIA GRÁFICA Pular 2 linhas (entrelinha de 1,5) 2cm - direita PROJETO INOVADOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 5 entrelinhas de 1,5 FULANO LANCELOTTI FILHO

Leia mais

Empresa. Fluxograma. Nosso site. Manual de Montagem. Produtos. Fachadeiro Multidirecional Torre Articulado Tesoura Bancada/Elástico. Soluções.

Empresa. Fluxograma. Nosso site. Manual de Montagem. Produtos. Fachadeiro Multidirecional Torre Articulado Tesoura Bancada/Elástico. Soluções. Capa Empresa 6 Fluxograma 14 Manual de Montagem Nosso site 8 9 Produtos 17 Fachadeiro Multidirecional Torre Articulado Tesoura Bancada/Elástico Soluções 9 Índice QUALIDADE SEGURANÇA INOVAÇÃO 03 05 Desde

Leia mais

Normas para envio de artigos:

Normas para envio de artigos: NORMAS PARA ENVIO DE ARTIGOS Formatação da página: recuo superior e da lateral esquerda de 3 cm. Recuo inferior e da lateral direita de 2,5 cm, conforme a formatação deste documento. Título: fonte Arial,

Leia mais

GUIA SIMPLIFICADO DE IDENTIDADE VISUAL. Club Athletico Paulistano

GUIA SIMPLIFICADO DE IDENTIDADE VISUAL. Club Athletico Paulistano GUIA SIMPLIFICADO DE IDENTIDADE VISUAL Club Athletico Paulistano GUIA SIMPLIFICADO DE IDENTIDADE VISUAL Fevereiro 2013 INTRODUÇÃO Este guia traz os elementos básicos da identidade visual da marca Club

Leia mais

Equipe abntex2. Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2

Equipe abntex2. Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Brasil 2013 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Modelo canônico de Relatório

Leia mais

Arquitetura de Informação - 7

Arquitetura de Informação - 7 Arquitetura de Informação - 7 Ferramentas para Web Design Prof. Ricardo Ferramentas para Web Design 1 Ícone Imagem Banner Logotipo Título 1 Título 2 Tabela Disclaimer Título 1 Título 2 Ícone Ícone Imagem

Leia mais

Autor 1, Autor 2. Titulo do documento. mês, 2017 Ouro Preto, MG

Autor 1, Autor 2. Titulo do documento. mês, 2017 Ouro Preto, MG Autor 1, Autor 2 Titulo do documento mês, 2017 Ouro Preto, MG Autor 1, Autor 2 Titulo do documento Titulo do documento do projeto Nome do Projeto. Programa de Pós-Graduação em Instrumentação, Controle

Leia mais

Wireframes. 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com

Wireframes. 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com Wireframes 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com 2 Definição Wireframes Diagrama que representa todos os elementos de uma página, definindo esses elementos, a hierarquia entre eles, agrupamentos e suas

Leia mais

Manual de identidade visual Brazil Let s Bee. Brand Book

Manual de identidade visual Brazil Let s Bee. Brand Book Brandbook Brand Book Este guia foi feito para inspirar e auxiliar as pessoas que constroem a marca Brazil Let s Bee. As recomendações aqui contidas devem ser seguidas rigorosamente a fim de comunicar o

Leia mais

MANUAL DE USO DE MARCA

MANUAL DE USO DE MARCA MANUAL DE USO DE MARCA INTRODUÇÃO A MARCA FAPEU A marca é um dos bens mais preciosos de uma empresa. Ela existe para ser vista e lembrada pelos consumidores, identificando-se com os produtos, serviços

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ECOBRAZ

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ECOBRAZ Sumário Sumário 1. Apresentação 2. O logo e seus elementos...... 3. Variações Cromáticas 4. Reduções e Reservas 5. Aplicação em fundo de cor 6. Tipografias de apoio 7. Usos indevidos..................

Leia mais

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Brasil 2015, v-1.9.6 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Modelo canônico de

Leia mais

Wireframes. Definição. Wireframes

Wireframes. Definição. Wireframes Wireframes Guilhermo Reis www.guilhermo.com 2 Definição Wireframes Diagrama que representa todos os elementos de uma página, definindo esses elementos, a hierarquia entre eles, agrupamentos e suas importâncias

Leia mais

O QUE É MARCA? Tem a capacidade de traduzir a essência de uma organização em seus produtos, serviços e na forma de se relacionar e se comunicar.

O QUE É MARCA? Tem a capacidade de traduzir a essência de uma organização em seus produtos, serviços e na forma de se relacionar e se comunicar. MANUAL da Marca O QUE É MARCA? Marca é a expressão da cultura, do jeito de ser de uma organização. Marcas são experiências construídas junto às pessoas, que refletem uma forma única de ser, de se relacionar

Leia mais

STEEL TECH 340 H STEEL TECH 340 H STEEL TECH 340 H FOGÃO A GÁS GC604. Dimensões: 400x600x265mm Peso: 23Kg. Potência: 2x3600W FOGÃO A GÁS GC606

STEEL TECH 340 H STEEL TECH 340 H STEEL TECH 340 H FOGÃO A GÁS GC604. Dimensões: 400x600x265mm Peso: 23Kg. Potência: 2x3600W FOGÃO A GÁS GC606 HOTMAX 600 Hotmax 600 1.200,50 FOGÃO A GÁS GC604 Lorem Corpo ipsum e painéis dolor feitos sit amet, em aço-inox. consectetur adipiscing elit. Duis porttitor orci hendrerit GPL ou gás mauris natural. pellentesque

Leia mais

PLANO DE PATROCÍNIO INTEGRADO VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL

PLANO DE PATROCÍNIO INTEGRADO VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL PLANO DE PATROCÍNIO INTEGRADO VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL Dir. Nac. de Marketing 03/Dez/13 Sabe aquela piada? A REDE RECORD e o PORTAL R7 oferecem ao mercado anunciante, a oportunidade de estar presente

Leia mais

Presidente Pio Guerra Diretor Superintendente Roberto Castelo Branco Diretor Técnico Aloísio Ferraz Diretora Administrativo Financeira Adriana Lira

Presidente Pio Guerra Diretor Superintendente Roberto Castelo Branco Diretor Técnico Aloísio Ferraz Diretora Administrativo Financeira Adriana Lira FICHA TÉCNICA Conselho Deliberativo - Pernambuco Associação Nordestina da Agricultura e Pecuária - ANAP Banco do Brasil - BB Banco do Nordeste do Brasil - BNB Caixa Econômica Federal - CEF Federação da

Leia mais

Anexo 1. Ficha do curso Criação de testes na plataforma Moodle

Anexo 1. Ficha do curso Criação de testes na plataforma Moodle Anexo 1 Ficha do curso Criação de testes na plataforma Moodle TEMPLATE 01 FICHA DO CURSO/UNIDADE CURRICULAR Designação curso/unidade curricular do Criação de testes na plataforma Moodle Nº total de horas

Leia mais