Oneide Bobsin Valério Guilherme Schaper Iuri Andréas Reblin (Organizadores)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Oneide Bobsin Valério Guilherme Schaper Iuri Andréas Reblin (Organizadores)"

Transcrição

1 Oneide Bobsin Valério Guilherme Schaper Iuri Andréas Reblin (Organizadores) 1ª Edição EST São Leopoldo 2014

2 2014 Faculdades EST. Todos os Direitos Reservados. Faculdades EST Rua Amadeo Rossi, 467, Morro do Espelho São Leopoldo RS Brasil Tel.: Fax: Esta publicação reúne os textos apresentados e discutidos no I Simpósio Regional Sul da Associação Brasileira de História das Religiões, ocorrido entre os dias 17 e 19 de outubro de 2013, na Faculdades EST, em São Leopoldo, RS. Comissão organizadora do I Simpósio Regional Sul da Associação Brasileira de História das Religiões e deste livro: Oneide Bobsin, Valério Guilherme Schaper e Iuri Andréas Reblin. Comissão científica: Ana Carolina Rigoni, Anaxsuell Fernando da Silva, Maria Clara Ramos Nery, Celso Gabatz, Lilian Conceição da Silva Pessoa de Lira, Marcos Rodrigues da Silva, Vera Regina Rodrigues da Silva, Luis Tomás Domingos, Alessandro Bartz, Rodrigo Portella, Wilhelm Wachholz, André Augusto Bousfield, Vanildo Luiz Zugno, Iuri Andréas Reblin, Amaro Braga Jr., Solon E. A. Viola, Paulo C. Carbonari, Valério G. Schaper, Virgínia Feix, Oneide Bobsin, Claiton Ivan Pommerening, André Musskopf, Márcia Blasi, Carlos Arthur Dreher, Ruben Marcelino Bento da Silva, Remí Klein e Lourival José Martins Filho. Copyright dos textos e revisão final: dos autores e das autoras. Capa: Rafael von Saltiél Compilação e Editoração: Iuri Andréas Reblin O respeito às normas ortográficas vigentes e às normas técnicas de citação, atinentes à honestidade intelectual, é de responsabilidade dos autores e das autoras dos textos. Esta é uma publicação sem fins lucrativos, disponibilizada gratuitamente. Qualquer parte pode ser reproduzida, desde que citada a fonte. [Este exemplar é uma cópia impressa do livro digital, a qual pode ser obtida em ao preço de custo.] Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) C328b Cartografias do sagrado e do profano [recurso eletrônico] religião, espaço e fronteira / Oneide Bobsin, Valério Guilherme Schaper, Iuri Andréas Reblin (organizadores). São Leopoldo : EST, p. E-book, PDF. ISBN Inclui referências bibliográficas. 1. Religião. I. Bobsin, Oneide. II. Schaper, Valério Guilherme. III. Reblin, Iuri Andréas. CDD 200 Ficha elaborada pela Biblioteca da EST

3 A ABHR e os estudos da religião no Brasil 9 Wellington Teodoro da Silva 9 Em busca de critérios para o estudo objetivo da religião 25 Afranio Patrocínio de Andrade 25 Espírito: o mediador entre corpo e alma 37 Ana Carolina Jungblut 37 O Reino do Corpo na obra holística de Ellen White: genealogias e propostas 57 Fábio Augusto Darius 57 Laicidade em escola pública: a mediação pedagógica contempla e desperta nos discentes o senso crítico sobre o Transcendente? 73 Clera Barbosa Cunha Claudia Barbosa 73 Literatura grega e literatura hebraica: A tragédia e o evangelho 89 Everton Nery Carneiro 89 Considerações acerca dos elementos escatológicos e apocalípticos na constituição do protestantismo no Brasil 99 Willian Kaizer de Oliveira 99 Radicalizações Fundamentalistas na Contramão do Pluralismo Religioso 119 José Ivo Follmann 119 Somos filhos/as do nosso tempo! A (auto)formação docente baseada em modelos biográficos 131 Sandra Vidal Nogueira, Adélia Dugatto Duarte e Daniela Silva de Lourenço 131

4 O sagrado no pentecostalismo: Fronteiras entre a racionalidade e a irracionalidade 143 Claiton Ivan Pommerening 143 Vozes e Silêncios: memória, identidade e representação da mulher colona do Vale Paranhana 159 Ana Paula Moutinho Ferraz 159 Pedagogia Cemiterial: Uma Possibilidade de Ação nas Aulas de Ensino Religioso 169 Kate Fabiani Rigo 169 Política da fé: a eleição municipal na constituição do projeto político/assistencial da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Campos dos Goytacazes-RJ 183 Pedro Costa Azevedo 183 A presença de uma pedagogia luterana nos fundamentos da Rede Sinodal de Educação 199 Tiago Becker 199 Os desafios e as oportunidades do Ensino Superior em Instituições Confessionais frente ao Pluralismo Pós-moderno 213 Domingos Salvador Cesca e Andressa Jackeline de Oliveira Mario e Paiva 213 Imagens femininas na história de Santo Antônio da Patrulha: um olhar nos lugares de memória do Parque da Guarda 229 Maicon Diego Rodrigues 229 Sacred Dance entre o sagrado e o profano 245 Ana Lúcia Marques Ramires 245

5 Compreensão de tempo e estratégias na fronteira: articulações de direitos nas amazônias interamericanas 259 Geórgia Pereira Lima 259 Quanto vale a sua fé? A tendência capitalista da fé evangélica de Fortaleza nos últimos vintes anos 273 George Sousa Cavalcante 273 Adolescência e Terreira: a construção de uma identidade negra na periferia de Porto Alegre 291 Valeska Garbinatto 291 Em busca de um lugar para vivenciar a fé: o caso da comunidade luterana em São Luís do Maranhão 303 Alessandro Bartz 303 A mulherzinha doida e histérica que pregava na Colônia : Jacobina Mentz Maurer no imaginário religioso do século XIX 323 Daniel Luciano Gevehr 323 Formação identitária do professor e a mídia televisiva 341 Maria de Fátima Luz Santos 341 Religiões de Matrizes Africanas e os comportamentos preconceituosos de gestores/as e docentes do sistema público e privado de ensino 355 Antonilda de Oliveira Leitão 355 O Advento da Cibercultura: Globalização, crescimento tecnológico e midiatização religiosa 367 Sidnei Budke 367 Fronteiras fluidas, religiosidade e os desafios contemporâneos 387 Geórgia Pereira Lima 387

6 O desafio de se tornar pessoa na atualidade: Sujeitos para quê? 401 Silvia Helena Barreto Silva Queiroz 401 O crescimento das Assembleias de Deus no Brasil para a próxima década 411 Luciano de Carvalho Lirio 411 Protestantismo brasileiro e direitos humanos: entre trincheiras e camaleões 427 Thyeles Borcarte Strelhow 427 Assembleia de Deus: construção e manutenção da identidade de Pentecostalismo Clássico 447 Valdinei Ramos Gandra 447 Assembleia de Deus: a instrumentalização do patrimônio cultural como recurso identitário 461 Valdinei Ramos Gandra 461 O Dualismo Grego na Teologia Cristã: contribuições do neocalvinismo holandês para o resgate de uma teologia integral 475 Rodomar Ricardo Ramlow 475 A escola das virtudes: X-Men e o bem aristotélico 491 Gelson Vanderlei Weschenfelder 491 Sexualidade humana, homossexualidade, família e matrimônio: perspectivas institucionais e outras vozes protestante-luteranas 501 Daniela Senger 501 Neopentecostalismo: profanização do sagrado e sacralização do profano - Uma reflexão 519 Maria Clara Ramos Nery 519

7 A construção histórica do fundamentalismo 531 Luciano de Carvalho Lirio 531 Pneumatologia crucis: a pneumatologia pentecostal em diálogo com a Teologia da Cruz 547 Fernando Albano 547 A vinculação da imagem no imaginário religioso dentro do contexto evangélico luterano 563 Daniela Moratti Precilio 563 Congregação das Filhas do Amor Divino: os desafios e perspectivas na história ( ) 577 Ana Cristina de Lima Moreira 577 A Igreja Internacional da Graça de Deus: o protagonismo dos seus símbolos e seus autores 589 Celso Gabatz 589 A construção de uma cultura de direitos humanos a partir da racionalidade descentrada: um caminho eficaz para a inclusão do outro 603 Noli Bernardo Hahn e Rosângela Angelin 603 Escritura Gnóstica e Escritura Cristã Hoje 625 Flávio Schmitt 625

8

9 Wellington Teodoro da Silva * Principio a minha participação nesse evento manifestando meu sentimento de gratidão. Peço licença ao professor Oneide Bobsin, magnífico reitor da Faculdades EST para, em sua pessoa, saudar a todos os presentes e agradecer ao convite que recebi com alegria. É uma grande honra participar em uma mesa nessa reconhecida casa de excelência. Agradeço em nome da ABHR aos professores e demais funcionários da EST pela realização deste I Simpósio Sul. Ele oferece uma inestimável contribuição para essa associação e para o campo de estudos das religiões no Brasil. A ideia dessa mesa é apresentar a ABHR e tratar dos estudos das religiões em nosso país. Esses dois temas escapam ao domínio de uma pessoa apenas. Tratar da historia dessa entidade de modos a propor elementos suficientes para se elaborar uma compreensão sobre o seu percurso é tarefa de grande monta. Proponho-me a fazê-lo maneira desconfortavelmente precária. O mesmo raciocínio vale para os estudos das religiões no Brasil hoje que é tema denso e de maior alcance. Acredito ser possível compreender, em alguma medida, os movimentos gerais desses estudos por meio da história da ABHR. A análise dos simpósios dessa entidade e de suas publicações em formas de livros e anais oferecem grandes contributos para esse fim. É isso que procurarei demonstrar aqui. A partir de sua fundação, no ano de 1999, na Universidade Estadual Paulista, campus de Assis, a ABHR tem cumprido a trajetória de lugar de encontro entre pesquisadores do tema religião. Seu percurso está acontecendo, até o momento, sem privilégios voluntários de uma ou outra área do conhecimento. E tem sido assim sem que algum grupo de pesquisadores tenha se ocupado em dar essa orientação. Essa não * Doutor em Ciência da Religião pela UFJF. Professor do Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião da PUC Minas. Presidente da Associação Brasileira de História das Religiões ( ).

10 diretividade tem ficado tão evidente que deu vaga para a proposta de mudar o nome para ABER Associação Brasileira de Estudos da Religião. Essa mudança pode ser adequada porque a palavra História pode levar à falsa compreensão de haver orientação organizativa e intelectual que parta dessa área do conhecimento. Isso gera embaraços entre colegas de outras áreas que embora participem dos eventos não se sentem a vontade para permanecer de maneira orgânica como quadros da gestão dessa associação. O evento de 1999 foi considerado o I Simpósio Nacional da ABHR uma vez que nele aconteceu sua fundação. No ano de 2000 aconteceu o II Simpósio Nacional na Universidade Federal de Ouro Preto, na cidade de Mariana, Minas Gerais. No ano de 2001 a Universidade Federal Rural de Pernambuco recebeu o III Simpósio com o tema Insurgências e Ressurgências no Campo Religioso. O IV Simpósio Nacional aconteceu, com o tema O estudo das religiões: desafios contemporâneos, no ano de 2002 na PUC de São Paulo. Em 2003 o V Simpósio foi promovido pela Universidade Federal de Juiz de Fora e pelo Centro de Estudos Superiores CES com o tema Religião e globalização: o desafio da violência. O VI Simpósio teve lugar na Universidade Estadual Paulista, na cidade de Franca, no ano de 2004, com o tema: História das Religiões: desafios, problemas e avanços teóricos, metodológicos e historiográficos. Em 2005 aconteceu na PUC Minas o VII Simpósio da ABHR com o tema O sagrado e o urbano: diversidades, manifestações e análises. No ano de 2006, a Universidade Federal do Maranhão sediou o VIII simpósio com o tema Religião, raça e identidade. Em 2007 aconteceu o IX Simpósio na Universidade Federal de Viçosa com o tema Religiões e religiosidades: entre a tradição e a modernidade. No ano de 2008 a ABHR completou dez simpósios nacionais anuais. Em homenagem a sua fundação, o X simpósio aconteceu no campus da Universidade Estadual Paulista na cidade de Assis, onde começou sua história, seu tema foi Migrações e Imigrações das Religiões. O XI simpósio teve como anfitriã a Universidade Federal de Goiás com o tema Sociabilidades religiosas: mitos, ritos e identidades e aconteceu no ano de Algumas questões devidas às contingências não permitiram que acontecesse o evento nacional no ano de Em sendo assim, o XII simpósio nacional aconteceu no ano de 2011 na Universidade Federal de Juiz de Fora com o tema: Experiências e interpretações do Sagrado: interfaces entre saberes acadêmicos e

11 religiosos. No ano de 2012 aconteceu o XIII simpósio nacional na cidade de São Luis. Novamente fomos acolhidos pela Universidade Federal do Maranhão. O tema desse evento foi: Religião, carisma e poder: as formas da vida religiosa no Brasil. No ano de 2014 acontecerá o XIV simpósio nacional da ABHR na cidade de Curitiba, a PUC Paraná e a Universidade Federal do Paraná serão nossas anfitriãs. O tema geral desse evento será História: religião e revolução. O XIII simpósio foi o último anual. No evento anterior, em Juiz de Fora, foi aprovado o novo estatuto que promoveu a reestruturação da entidade. Sua maior mudança foi a regionalização com a consequente bianualização dos seus simpósios nacionais. Eles passaram a acontecer nos anos pares. Os simpósios regionais também acontecerão bianualmente, nos anos ímpares, iniciando em Esse documento começou a ser pensado e produzido na gestão eleita no ano de A necessidade de propor uma nova organização para a entidade já era algo ressentido por muitos colegas. Eles compreendiam o lugar cada vez mais relevante e o seu crescente alcance no meio acadêmico no território brasileiro. A partir do simpósio de Juiz de Fora em 2011 passaram a existir coordenações regionais nas cinco regiões brasileiras: norte, nordeste, sul, sudeste e centro-oeste. O simpósio nacional pareceu ter um alcance limitado como espaço de interlocução. O processo de ampliação pelo qual passa as universidades públicas que ocorre também no nível das pós-graduações está conduzindo um processo de interiorização do meio acadêmico. Essa constatação é coincidente com a meta 14 e sua estratégia 14.8 do Plano Nacional de Educação ( ) fazendo da ABHR um pequeno movimento de apoio a essa realização. 1 Esse dado tem-se manifestado ao longo dos simpósios nacionais por meio da 1 Meta 14 do PNE ( ): Elevar gradualmente o número de matrículas na pós-graduação stricto sensu, de modo a atingir a titulação anual de sessenta mil mestres e vinte e cinco mil doutores. Sua estratégia 14.8 diz: Ampliar a oferta de programas de pós-graduação stricto sensu, especialmente o de doutorado, nos campi novos abertos no âmbito dos programas de expansão e interiorização das instituições superiores públicas. PROJETO DE LEI DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (PNE 2011/2020): projeto em tramitação no Congresso Nacional / PL. n / 2010 / organização: Márcia Abreu e Marcos Cordiolli Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, p. (Série ação parlamentar; n. 436) p.. 43.

12 presença de considerável número de participantes vindos de instituições de fora dos grandes centros. Essa constatação foi da máxima importância. Descobrimos que a religião como tema de investigação acadêmica existia com produções relevantes de maneira capilar no Brasil. A criação de uma estrutura que fosse leve (apenas um coordenador) e que alcançasse os níveis locais contribuindo para o adensamento dos estudos das religiões, segundo as diversas singularidades de um país tão grande e diverso quanto o Brasil, pareceunos uma exigência da hora presente A religião acompanha esse processo de expansão das pósgraduações das universidades brasileiras como tema relevante de investigação e não incidentalmente. Um excelente termômetro desse dado é o crescimento do número de pós-graduações stricto sensu em Ciência(s) das Religiões no Brasil. No atual momento existem 14 cursos de mestrado e 4 de doutorado. Esse dado é causa da fundação da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Teologia e Ciências da Religião ANPTECRE que está no seu sexto ano de existência. Um único simpósio anual não conseguiria fazer a ABHR contribuir para o campo de estudo das religiões segundo as singularidades de cada lugar do país. Os grandes eventos possuem um alcance horizontalizado sem, contudo, capilarizar-se como pede o atual momento brasileiro. O grande tamanho do país também é impeditivo para os diversos pesquisadores e estudantes acompanharem os eventos nacionais. A regionalização permite a promoção de até cinco eventos em um mesmo ano com adensamento local. A figura do coordenador regional cria condições para as articulações acadêmicas nesse nível com imensas possibilidades de interlocuções com vistas à publicações e parcerias interinstitucionais. Dentre essas ações, a principal seria a articulação entre as pós-graduações locais em atividades comuns. Os eventos regionais e a atuação desse coordenador poderá, no limite, contribuir como um momento tático dentro da estratégia 13.7 da meta 13 do Plano Nacional de Educação ( ). 2 2 A meta 13 do PNE ( ) diz: Elevar a qualidade da educação superior pela ampliação da atuação de mestres e doutores nas instituições de educação superior para setenta e cinco por cento, no mínimo, do corpo docente em efetivo exercício, sendo, do total, trinta e cinco por cento outores. A sua estratégia 13.7 diz:

13 Até o momento, a estratégia da regionalização está acontecendo de maneira a conferir verificabilidade às análises prévias descritas acima. Em fins de maio de 2013 aconteceu I Simpósio Regional Nordeste na Universidade Federal de Campina Grande, Paraíba, com o tema Religião, a herança das crenças e as diversidades de crer. Agora tenho a alegria e honra de estar presente na mesa de abertura do I Simpósio Regional Sul, na Faculdades EST, na cidade gaúcha de São Leopoldo, que acontece com o tema Cartografias do sagrado e do profano: religião, espaço e fronteira. Daqui a poucos dias teremos o I Simpósio Regional Sudeste na Universidade de São Paulo, que acontecerá com o tema Diversidades e (in)tolerâncias religiosas. Nesse último, por força da conjuntura que se apresentou, faremos a primeira experiência de um simpósio internacional da ABHR. Vamos ver como será. A próxima assembleia fará a avaliação e estabelecerá regras claras para os eventos dessa natureza. Acredito que há uma razoável plausibilidade em propor que a ABHR é uma resposta a uma demanda da história da academia brasileira. Ela está atendendo ao momento da notável emergência da religião como tema de pesquisas. Num espaço de tempo menor que uma década e meia, diversas áreas situadas na Universidade moveram recursos teóricos, materiais e de pessoal para o estudo da religião. Dentre tantas áreas vale citar algumas cujos pesquisadores participaram de eventos da ABHR em comunicações coordenadas e mesas redondas: sociologia, antropologia, história, ciência política, geografia, psicologias, psicanálise, ciências da religião, direito, teologia, letras-literatura, física, geografia, educação e filosofia. O dado de não ser uma associação organizada pelo recorte disciplinar tais como as associações de historiadores, de cientistas sociais, de filosofia, de teologia ou de ciências das religiões, por exemplo, é altamente significativo. O objeto produtor de sentido e coesão dessa entidade é a religião como tema de estudo. Ela nos Fomentar a formação de consórcios entre universidades públicas de educação superior, com vistas a potencializar a atuação regional, inclusive por meio de plano de desenvolvimento institucional integrado, assegurando maior visibilidade nacional e internacional às atividades de ensino, pesquisa e extensão. (PROJETO DE LEI DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2011, p. 42.

14 permite pensar na existência entre nós de uma demanda reprimida sobre o estudo das religiões. Ou, talvez, as matrizes compreensivas que a reputavam como tema menor, redutor do humano, esgotaram-se como macroteorias. Dentre elas lembro os filtros iluministas, o marxismo e o positivismo. Esse último com incrível sucesso entre nós brasileiros compondo ambientes teóricos de interpretação do próprio marxismo. No mesmo movimento, como ensinam os clássicos, há a descoberta do valor heurístico da religião como janela para a compreensão do humano; da sociedade; da cultura; da política e da fundação e organização do Estado. A trajetória da ABHR é marcada pela não diretividade de um ou outro recorte disciplinar. É razoável pensar que essa característica deita raiz no seu núcleo fundante. Os professores da linha de pesquisa Religiões e visões de mundo, do Programa de Pós-graduação em História da Unesp, campus de Assis, convocaram o Simpósio Nacional de História das Religiões que foi o evento fundador da associação. O trânsito em diferentes áreas feitos durante o período de formação desses professores pode ter contribuído para a formação da sua matriz de não diretividade disciplinar. Embora sendo todos de uma linha de pesquisa de um programa de pós-graduação, as áreas percorridas por três desses colegas, graduação, mestrado e doutorado, são: filosofia, ciências bíblicas, história, ciência política, antropologia e direito. Esse trânsito entre disciplinas seguramente influiu nos primeiros movimentos da ABHR que, seguramente, foi idealizada antes do simpósio que a fundou. Além desses colegas, a presença de pessoas de áreas diversas, no simpósio em Assis e no seguinte em Mariana, vale o destaque para a teologia e as ciências das religiões, contribuíram para o não direcionamento em uma ou outra disciplina. Como dito acima, a última década conheceu uma transformação no campo do estudo das religiões no Brasil. A ABHR é um resultado dessa transformação e os seus simpósios são documentos 3 de grande potencial investigativo para a compreensão dessa transformação acontecida. Esse período é também o momento de formação de uma nova geração de pesquisadores cujo tempo de formação acadêmica coincide com o tempo de existência dessa associação. 3 Documentos compreendidos segundo LE GOFF, 2003.

15 A coleção estudos da ABHR editado pela Editora Paulinas publica os textos dos participantes das mesas redondas e das conferências destes simpósios. Até o momento foram publicados nove volumes. O décimo será lançado em Curitiba por ocasião do XIV simpósio nacional e publicará as contribuições do XIII simpósio acontecido em São Luis. Esse evento gerou dois volumes sendo que um sairá pelas Paulinas e outro pela Editora da UFMA. Esses livros oferecem boas possibilidades para uma compreensão dos estudos das religiões no Brasil no período. Outra possibilidade de compreender esse campo seria a análise dos anais dos simpósios nacionais e regionais. Esperamos até meados do ano de 2014 incluir todos na página da associação na internet 4. Os grupos de trabalho ou sessões temáticas que funcionaram nos simpósios também são importantes fontes para o estudo desse campo. A análise detida desses três documentos, somada as pesquisas de história oral, seria de grande utilidade. Para os fins dessa mesa, fiz a opção de tratar dos temas presentes nas sessões temáticas / grupos de trabalho acontecidas em 8 simpósios, 4 nacionais e 3 regionais. Eles funcionaram com comunicações coordenadas resultadas de pesquisas de estudantes e pesquisadores de todo o Brasil. Os temas de cada sessão são propostos pelos sócios da associação. 5 Apenas aqueles que conseguem um número mínimo de inscrições funcionam efetivamente ao longo evento. A seguir farei a citação dos grupos de trabalhos dos simpósios escolhidos e chamo atenção para a quantidade e os temas entre o ano de 2003 e O alcance desse texto não permite o uso dos textos dos anais desses simpósios. Em momentos posteriores, quando a análise feita aqui for aprofundada, esses textos serão explorados. Estamos 4 5 Nos primeiros simpósios as comunicações coordenadas funcionavam em grupos de pesquisa. Na primeira estratégia de organização, a entidade pensou em manter continuidades de diálogos entre pesquisados por meio de Grupos de Pesquisas que animariam o intercâmbio e trabalhos comuns entre os eventos. Esses grupos não conseguiram ter um funcionamento adequado. Portanto, os eventos passaram a adotar os nomes sessões temáticas, grupos de trabalho ou simpósio temático para os momentos onde os pesquisadores fariam as comunicações coordenadas para os pares com interesses investigativos afins. Nesse artigo usarei os temos grupos de trabalhos e sessões temáticas como sinônimos.

Fraternidade Teológica Latino-americana em Joinville e Região (SC) APRESENTAÇÃO

Fraternidade Teológica Latino-americana em Joinville e Região (SC) APRESENTAÇÃO Fraternidade Teológica Latino-americana em Joinville e Região (SC) APRESENTAÇÃO Segundo informações do site da Fraternidade Teológica Latino-americana (FTL), o surgimento da FTL se deu a partir de um [...]

Leia mais

EDITAL N 005/2016 PPGSOF 1ª CHAMADA III SISOF V ABRAPSO N-ND

EDITAL N 005/2016 PPGSOF 1ª CHAMADA III SISOF V ABRAPSO N-ND EDITAL N 005/2016 PPGSOF 1ª CHAMADA III SISOF V ABRAPSO N-ND Boa Vista RR, 13 de junho de 2016 EDITAL DE CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE GRUPOS DE TRABALHO E MINICURSOS NO III SEMINÁRIO INTERNACIONAL

Leia mais

Cadernos de Pós-Graduação em Educação, Arte e História da Cultura

Cadernos de Pós-Graduação em Educação, Arte e História da Cultura ISSN 1519-776X São Paulo v. 2 n. 1 p. 1-83 2002 Os direitos de publicação destes Cadernos são da. Os textos publicados nestes Cadernos são de inteira responsabilidade de seus autores. Permite-se a reprodução

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 6 semestres. Prof. Dr. Jaimir Conte

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 6 semestres. Prof. Dr. Jaimir Conte Habilitação: Bacharelado e Licenciatura em Filosofia Documentação: jetivo: Titulação: Diplomado em: Renovação Atual de Reconhecimento - Port. nº286/mec de 21/12/12-DOU 27/12/12.Curso reconhecido pelo Decreto

Leia mais

CADERNO DE ENCENAÇÃO. Publicação do Curso de Graduação em Teatro Escola de Belas Artes/ UFMG

CADERNO DE ENCENAÇÃO. Publicação do Curso de Graduação em Teatro Escola de Belas Artes/ UFMG CADERNO DE ENCENAÇÃO Publicação do Curso de Graduação em Teatro Escola de Belas Artes/ UFMG Volume 2 - número 9 2009 CADERNO DE ENCENAÇÃO / publicação do Curso de Graduação em Teatro. - v. 2, n. 9 ( set.

Leia mais

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM NUTRIÇÃO E DIETÉTICA ESTATUTO GEPNuDi

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM NUTRIÇÃO E DIETÉTICA ESTATUTO GEPNuDi GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM NUTRIÇÃO E DIETÉTICA ESTATUTO GEPNuDi CAPÍTULO I DA FINALIDADE E CONSTITUIÇÃO Art. 1º - Ora em diante, o denominado GEPNuDi Grupo de Estudos e Pesquisa em Nutrição e Dietética

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 6 semestres. Prof. Dr. Jaimir Conte

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 6 semestres. Prof. Dr. Jaimir Conte Habilitação: Bacharelado e Licenciatura em Filosofia Documentação: jetivo: Titulação: Diplomado em: Renovação Atual de Reconhecimento - Port. nº286/mec de 21/12/12-DOU 27/12/12.Curso reconhecido pelo Decr.

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO FIL02457 - FILOSOFIA POLÍTICA I (60 h, OBR) O homem e sua ação política. A noção de polis no pensamento grego antigo e seus desdobramentos

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA (Aprovado pela Resolução Nº 780 CONSEPE de 26 de agosto de 2010)

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA (Aprovado pela Resolução Nº 780 CONSEPE de 26 de agosto de 2010) CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA (Aprovado pela Resolução Nº 780 CONSEPE de 6 de agosto de 010) EDITAL PPPG Nº. 33/010 A PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Curriculum Vitae. Graus académicos Licenciatura em Geografia Faculdade de Letras Coimbra

Curriculum Vitae. Graus académicos Licenciatura em Geografia Faculdade de Letras Coimbra Curriculum Vitae Rui Manuel Missa Jacinto, Geógrafo. Técnico Assessor Principal na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, onde exerce as funções de Secretário Técnico do Programa

Leia mais

IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES) V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM)

IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES) V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM) IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES) V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM) I Seminário Nacional Integrado da Área das Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Língua Portuguesa,

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi) CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente

Leia mais

CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA Reconhecido (renovado) pela Portaria SERES/MEC nº 01, de 06/01/2012, Publicada no DOU, de 09/01/2012

CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA Reconhecido (renovado) pela Portaria SERES/MEC nº 01, de 06/01/2012, Publicada no DOU, de 09/01/2012 RESOLUÇÃO Nº 002/ CONSELHO DO CURSO - MEDICINA VETERINÁRIA Regulamento para validação e registro das horas de Atividades Complementares Curso de Medicina Veterinária. O Conselho do Curso de Medicina Veterinária,

Leia mais

PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO

PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO Os projetos de cursos novos serão julgados pela Comissão de Avaliação da área de Educação com base nos dados obtidos pela aplicação dos critérios

Leia mais

A SBC e o Avanço Tecnológico e Social do Brasil

A SBC e o Avanço Tecnológico e Social do Brasil A SBC e o Avanço Tecnológico e Social do Brasil Flávia Maristela Santos Nascimento Professora e Atual Coordenadora de ADS Representante Institucional na SBC Agenda Apresentando a Sociedade Brasileira de

Leia mais

Quadro I - Eixos temáticos e trabalhos aprovados no I CBHE

Quadro I - Eixos temáticos e trabalhos aprovados no I CBHE APRESENTAÇÃO A partir de meados da década de 80 do século XX começou a ganhar visibilidade um movimento de discussão e revisão historiográfica que colocou em questão os padrões então dominantes na produção

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS REGULAMENTO PARA AFASTAMENTO DE SERVIDORES DOCENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO NORTE DE MINAS GERAIS PARA QUALIFICAÇÃO EM PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU e PÓS-DOUTORADO.

Leia mais

Livro e DVD reúnem artigos e filmes sobre experimentos em Antropologia da Performance

Livro e DVD reúnem artigos e filmes sobre experimentos em Antropologia da Performance Antropologia e Performance Ensaios Napedra Coleção Antropologia Hoje Organizadores: John C. Dawsey, Regina P. Müller, Rose Satiko G. Hikiji e Marianna F. M. Monteiro Livro e DVD reúnem artigos e filmes

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação 15304201 ADRIANA ISABEL DA SILVA OLIVEIRA DE SOUSA Não -------- 121 12 12 (doze) ------------------- 33/217 15361984 ALEXANDRA ISABEL DA SILVA BORGES Não -------- Faltou ---------------- ------- ------------------

Leia mais

Publicação Semestral da Faculdade Estácio de Sá Juiz de Fora ISSN X

Publicação Semestral da Faculdade Estácio de Sá Juiz de Fora ISSN X Publicação Semestral da Faculdade Estácio de Sá Juiz de Fora ISSN 1809-046X Faculdade Estácio de Sá de Juiz de Fora Avenida Presidente João Goulart 600 Cruzeiro do Sul Juiz de Fora (MG) Direção Geral Márcia

Leia mais

INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras, às 8 h

INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras, às 8 h UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA Disciplina: INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras, às 8 h Professor: Prof. Dr. Sergio B. F. Tavolaro sergiotavolaro@unb.br

Leia mais

Cadernos de Pós-Graduação em Direito Político e Econômico

Cadernos de Pós-Graduação em Direito Político e Econômico ISSN 1678-2127 São Paulo v. 2 n. 1 p. 1-70 2002 Os direitos de publicação destes Cadernos são da. Os textos publicados nestes Cadernos são de inteira responsabilidade de seus autores. Permite-se a reprodução

Leia mais

4º Congresso de Pesquisa e Iniciação Científica e 2º Encontro de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação

4º Congresso de Pesquisa e Iniciação Científica e 2º Encontro de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação 4º Congresso de e de Educação, Ciência e Cultura: Expandindo as Fronteiras do Saber 1ª Circular O UDF - Centro Universitário, por meio do Programa de Iniciação Científica, Tecnológica e Inovação, têm a

Leia mais

Normas da disciplina TCC (Trabalho de Conclusão de Curso)

Normas da disciplina TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) 1. Aluno Normas da disciplina TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) Manual do Aluno 1.1 O TCC é o produto de uma atividade a ser desenvolvida individualmente. 1.2 É de responsabilidade do aluno procurar

Leia mais

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES Bibliotecários brasileiros pensando o direito: memória dos encontros nacionais de bibliotecários jurídicos (1971-1994) Regina Celi de Sousa Luciana Maria Napoleone Eixo temático: Preservação da memória

Leia mais

GEOGRAFIA UNIFAL/MG 2014

GEOGRAFIA UNIFAL/MG 2014 GEOGRAFIA UNIFAL/MG 2014 ETAPAS DO EXAME 19/09 - Divulgação eletrônica da lista de estudantes inscritos e convocados ao Enade 2014 21/10 a 23/11 Período para resposta eletrônica ao Questionário do Estudante

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES SOBRAL - CE ÍNDICE PÁG. CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 01 CAPÍTULO II - DA COORDENAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 03 CAPÍTULO III - DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq

ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq GRUPOS DE PESQUISA: DEFINIÇÃO E CRITÉRIOS ESTABELECIDOS PELA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA PROPe/UNESP a) Definição

Leia mais

A estrutura das atividades do X Encontro Estadual de História, edição 2010, deverá preferencialmente apresentar-se da seguinte forma:

A estrutura das atividades do X Encontro Estadual de História, edição 2010, deverá preferencialmente apresentar-se da seguinte forma: 1.ª CIRCULAR Chamada para candidaturas à sede da edição 2010 do X ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA promovido pela ANPUH-RS Através desta chamada, a Diretoria e o Conselho da Associação Nacional de História

Leia mais

2ª CIRCULAR SUBMISSÃO DE COMUNICAÇÕES ORAIS

2ª CIRCULAR SUBMISSÃO DE COMUNICAÇÕES ORAIS XIV CONGRESSO INTERNACIONAL DAS JORNADAS DE EDUCAÇÃO HISTÓRICA EDUCAÇÃO HISTÓRICA: DEBATES CONTEMPORÂNEOS 2ª CIRCULAR SUBMISSÃO DE COMUNICAÇÕES ORAIS I. PRAZOS Inscrição ouvinte: 09/06 a 10/08 Submissão

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento visa orientar os alunos referente aos objetivos, critérios, procedimentos e mecanismos de

Leia mais

Principais Livros e Capítulos Publicados em Docentes:

Principais Livros e Capítulos Publicados em Docentes: Principais Livros e Capítulos Publicados em 2011. Docentes: Paulo Santos Silva Âncoras de tradição: luta política, intelectuais e construção do discurso histórico na Bahia (1930-1949). EDUFBA ISBN 85-232-0218-8

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES PARA A ATUAÇÃO DOCENTE EM SALA DE AULA: AS CIÊNCIAS NATURAIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES

CONTRIBUIÇÕES PARA A ATUAÇÃO DOCENTE EM SALA DE AULA: AS CIÊNCIAS NATURAIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES CONTRIBUIÇÕES PARA A ATUAÇÃO DOCENTE EM SALA DE AULA: AS CIÊNCIAS NATURAIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES Pamela Anibal Dill 1 Ana Paula Corrêa Fantin 2 Resumo: Segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

ANEXO II Resolução 23/2014 Conselho Superior COMISSÃO PERMANENTE DE PESSOAL DOCENTE MEMORIAL DESCRITIVO PARA AVALIAÇÃO DA CEA CLASSE TITULAR

ANEXO II Resolução 23/2014 Conselho Superior COMISSÃO PERMANENTE DE PESSOAL DOCENTE MEMORIAL DESCRITIVO PARA AVALIAÇÃO DA CEA CLASSE TITULAR ANEXO II Resolução 23/2014 Conselho Superior COMISSÃO PERMANENTE DE PESSOAL DOCENTE MEMORIAL DESCRITIVO PARA AVALIAÇÃO DA CEA CLASSE TITULAR NOME DO DOCENTE: MATRÍCULA SIAPE: CARGA HORÁRIA: ( ) 20h ( )

Leia mais

IV FÓRUM INTERNACIONAL DE PEDAGOGIA

IV FÓRUM INTERNACIONAL DE PEDAGOGIA IV FÓRUM INTERNACIONAL DE PEDAGOGIA IV FIPED UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI Campus de Parnaíba 19 a Departamento de Educação - DE 21 de junho de 2012 - Parnaíba/PI 1ª CIRCULAR O Departamento de Educação

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA CHAMADA Nº 06/2013 PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA CIÊNCIA- CHAMADA PARA ORIENTADORES

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA CHAMADA Nº 06/2013 PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA CIÊNCIA- CHAMADA PARA ORIENTADORES PRÓ-REITORIA DE PESQUISA CHAMADA Nº 06/2013 PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA CIÊNCIA- CHAMADA PARA ORIENTADORES 1. APRESENTAÇÃO A Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade Federal do Pampa, no uso de suas

Leia mais

Edital SELEÇÃO PARA CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CANDIDATOS A TUTORES. Dimensões da Humanização: Filosofia, Psicanálise, Medicina Aperfeiçoamento

Edital SELEÇÃO PARA CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CANDIDATOS A TUTORES. Dimensões da Humanização: Filosofia, Psicanálise, Medicina Aperfeiçoamento Ministério da Educação Universidade Federal do Espírito Santo Sistema Universidade Aberta do Brasil UAB Núcleo de Educação Aberta e a Distância Ne@ad Edital SELEÇÃO PARA CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CANDIDATOS

Leia mais

A RELIGIÃO NAS MÚLTIPLAS MODERNIDADES

A RELIGIÃO NAS MÚLTIPLAS MODERNIDADES A RELIGIÃO NAS MÚLTIPLAS MODERNIDADES Rede de investigadores 3ª EDIÇÃO - Colóquio Anual 2017 31 de Maio e 1 de Junho 2017 Faculdade de Letras da Universidade do Porto Sala de Reuniões Coordenação e organização

Leia mais

História e História da Educação O debate teórico-metodológico atual*

História e História da Educação O debate teórico-metodológico atual* História e História da Educação O debate teórico-metodológico atual* Nadia Gaiofatto** Como o próprio título bem define, o livro em questão reúne importantes contribuições para a reflexão sobre a relação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES EDITAL n o 023/2006-CGCI/CAPES Chamada Pública de Projetos para a Escola de Altos Estudos Cooperação

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS. Marconi Ferreira Perillo Júnior Governador. José Eliton de Figuerêdo Júnior Vice Governador

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS. Marconi Ferreira Perillo Júnior Governador. José Eliton de Figuerêdo Júnior Vice Governador GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Marconi Ferreira Perillo Júnior Governador José Eliton de Figuerêdo Júnior Vice Governador Mauro Netto Faiad Secretário de Ciência e Tecnologia do Estado de Goiás UNIVERSIDADE

Leia mais

EDITAL DA SELEÇÃO PARA PROJETOS DE PESQUISA, EXTENSÃO E GRUPO DE ESTUDOS 2016:

EDITAL DA SELEÇÃO PARA PROJETOS DE PESQUISA, EXTENSÃO E GRUPO DE ESTUDOS 2016: EDITAL DIR N 13/2016 ESTABELECE O PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA PARTICIPAÇÃO NOS PROJETOS DE PESQUISA, EXTENSÃO E GRUPO DE ESTUDOS DO ANO DE 2016 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Diretor Geral das Faculdades Integradas

Leia mais

2ª PROVA 50M LIVRE ABSOLUTO MASCULINO

2ª PROVA 50M LIVRE ABSOLUTO MASCULINO 1ª PROVA 50M LIVRE ABSOLUTO FEMININO TEMPO BALIZAMENTO 1 ELISA DA CUNHA BOINA Espirito Santo Feminino Absoluto 50lf 00:33.55 2 GIANNE SOUZA KRACIK Santa Catarina Feminino Absoluto 50lf 00:32.94 3 HELINE

Leia mais

PROGRAMA BOAS PRÁTICAS: POLÍTICA DE GESTÃO DOCUMENTAL CPAD/TRT13

PROGRAMA BOAS PRÁTICAS: POLÍTICA DE GESTÃO DOCUMENTAL CPAD/TRT13 PROGRAMA BOAS PRÁTICAS: POLÍTICA DE GESTÃO DOCUMENTAL CPAD/TRT13 A utilidade dos processos trabalhistas na pesquisa acadêmica. Raimundo Normando Madeiro Monteiro Comissão Permanente de Avaliação de Documentos

Leia mais

COLEGIADO ESPECIAL DE LICENCIATURA FAE/UFMG DISCIPLINAS TEÓRICAS DOS CURSOS REGULARES DE LICENCIATURA HORÁRIO PARA O 2 o SEMESTRE DE 2013

COLEGIADO ESPECIAL DE LICENCIATURA FAE/UFMG DISCIPLINAS TEÓRICAS DOS CURSOS REGULARES DE LICENCIATURA HORÁRIO PARA O 2 o SEMESTRE DE 2013 CÓDIGO DISCIPLINAS C/H CRED. ADE003 Política Educacional 60 04 CAE001 Sociologia da Educação 60 04 CAE002 Psicologia da Educação - aprendizagem e ensino 60 04 MTE101 Didática de Licenciatura 60 04 Q U

Leia mais

CONGRESSO INTERNACIONAL REDE PITÁGORAS

CONGRESSO INTERNACIONAL REDE PITÁGORAS CONGRESSO INTERNACIONAL REDE PITÁGORAS PROGRAMAÇÃO 1º de setembro 14h30 # Credenciamento e welcome coffee 15h30 # Mônica Ferreira Boas-vindas e apresentação institucional 16h30 # Lilian Witte Fibe Cenário

Leia mais

Números do Ensino Superior Privado no Brasil 2009

Números do Ensino Superior Privado no Brasil 2009 Números do Ensino Superior Privado no Brasil 2009 Ano Base 2008 Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior SCS Quadra 07 Bloco A Sala 526 Torre Pátio Brasil Shopping 70 307-901 - Brasília

Leia mais

TOTAL CRÉDITOS ACUMULADOS

TOTAL CRÉDITOS ACUMULADOS NOME DO ALUNO = RA = Turno = ( ) Matutino ( ) Noturno DATA DE ENTREGA = (NÃO PREENCHER O QUADRO ABAIXO) Iniciação à Pesquisa Iniciação ao Ensino Atividades de Participação e/ou Organização de Eventos Atividades

Leia mais

O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA ORIENTAÇÕES LEGAIS

O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA ORIENTAÇÕES LEGAIS O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA ORIENTAÇÕES LEGAIS A CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 210 DETERMINA O ENSINO RELIGIOSO, MESMO FACULTATIVO PARA O ALUNO, DEVE ESTAR PRESENTE COMO DISCIPLINA DOS HORÁRIOS NORMAIS DA

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento visa normatizar as Atividades Complementares do Curso de História. Parágrafo único As Atividades Complementares

Leia mais

XIII Encontro Estadual de História da ANPUH RS Chamada para candidaturas à Sede para a edição 2016

XIII Encontro Estadual de História da ANPUH RS Chamada para candidaturas à Sede para a edição 2016 ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA ANPUH Seção Regional do Rio Grande do Sul ANPUH-RS XIII Encontro Estadual de História da ANPUH RS Chamada para candidaturas à Sede para a edição 2016 A Diretoria e o Conselho

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 Art. 207. As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre

Leia mais

APRENDER E ENSINAR G E O M E T R I A

APRENDER E ENSINAR G E O M E T R I A APRENDER E ENSINAR G E O M E T R I A série educação matemática Conselho Editorial Arlete de Jesus Brito Departamento de Educação, Unesp/Rio Claro Dione Lucchesi de Carvalho Faculdade de Educação, Unicamp

Leia mais

Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação, Museus: Por uma Política Pública Regional de Memória e Patrimônio

Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação, Museus: Por uma Política Pública Regional de Memória e Patrimônio Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação, Museus: Por uma Política Pública Regional de Memória e Patrimônio Maria de Lourdes Ferreira Centro de Memória de Diadema Secretaria de Cultura do Município

Leia mais

Em atendimento ao art. 32 da Portaria MEC 40/2007, publicamos as condições de oferta do Curso de Licenciatura em Sociologia, conforme segue:

Em atendimento ao art. 32 da Portaria MEC 40/2007, publicamos as condições de oferta do Curso de Licenciatura em Sociologia, conforme segue: Em atendimento ao art. 32 da Portaria MEC 40/2007, publicamos as condições de oferta do Curso de Licenciatura em Sociologia, conforme segue: I Ato autorizativo, expedido pelo MEC, com a data de publicação

Leia mais

Psiquiatria Normas Específicas

Psiquiatria Normas Específicas Psiquiatria Normas Específicas I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) A CCP do Programa de Pós-Graduação em PSIQUIATRIA será constituída pelo Coordenador do Programa e seu Suplente,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE IDEAL PAULISTA

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE IDEAL PAULISTA REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE IDEAL PAULISTA 1 APRESENTAÇÃO Este Regulamento visa esclarecer ao acadêmico, a estrutura, o funcionamento e o modo de

Leia mais

TIPOLOGIA DOCUMENTAL EM ARQUIVOS PESSOAIS TIPOLOGIA DOCUMENTAL NA FAMÍLIA BARBOSA DE OLIVEIRA FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA (FCRB/MINC)

TIPOLOGIA DOCUMENTAL EM ARQUIVOS PESSOAIS TIPOLOGIA DOCUMENTAL NA FAMÍLIA BARBOSA DE OLIVEIRA FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA (FCRB/MINC) TIPOLOGIA DOCUMENTAL EM ARQUIVOS PESSOAIS TIPOLOGIA DOCUMENTAL NA FAMÍLIA BARBOSA DE OLIVEIRA FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA (FCRB/MINC) Realização Apoio Financiamento do projeto - FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DOUTORADO EM DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PARA ABERTURA DO GRUPO DE TRABALHO (GT) E PESQUISA EM HUMANIDADES, DIREITO E INTERDISCIPLINARIDADE

EDITAL DE CHAMADA PARA ABERTURA DO GRUPO DE TRABALHO (GT) E PESQUISA EM HUMANIDADES, DIREITO E INTERDISCIPLINARIDADE Edital 06/2016 EDITAL DE CHAMADA PARA ABERTURA DO GRUPO DE TRABALHO (GT) E PESQUISA EM HUMANIDADES, DIREITO E INTERDISCIPLINARIDADE A Coordenação do Curso de Direito da Fanor Faculdades Nordeste, no uso

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO EM DIREITO

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO EM DIREITO REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO EM DIREITO Aprovado pelo Conselho da Faculdade de Direito em reunião extraordinário de 16/08/2013, Ata n. 11/2013 com as alterações aprovadas na reunião ordinário

Leia mais

Tema do dia: A REALIDADE DA SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL

Tema do dia: A REALIDADE DA SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL APRESENTAÇÃO Debater estratégias que permitam compatibilizar um modelo de polícia democrática, a promoção do direito à segurança pública e o respeito aos direitos dos profissionais da área, tendo como

Leia mais

IHGRGS. Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul. Origens Oficina de Genealogia. APERS, 19 de julho de 2014

IHGRGS. Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul. Origens Oficina de Genealogia. APERS, 19 de julho de 2014 Origens Oficina de Genealogia APERS, 19 de julho de 2014 Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul IHGRGS Vanessa Gomes de Campos Arquivista Rua Riachuelo, 1317 http://www.ihgrgs.org.br Atendimento

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE

Leia mais

SABERES LOCAIS E EXPERIÊNCIAS TRANSNACIONAIS: INTERFACES DO FAZER ANTROPOLÓGICO

SABERES LOCAIS E EXPERIÊNCIAS TRANSNACIONAIS: INTERFACES DO FAZER ANTROPOLÓGICO IV REUNIÃO EQUATORIAL DE ANTROPOLOGIA XIII REUNIÃO DE ANTROPÓLOGOS NORTE E NORDESTE SABERES LOCAIS E EXPERIÊNCIAS TRANSNACIONAIS: Fortaleza, 04 a 07 de agosto de 2013 Edital de convocação para propostas

Leia mais

V MOSTRA DE ESTÁGIO EM SERVIÇO SOCIAL DA UNIMONTES Estágio supervisionado em Serviço Social: trabalho profissional e construção de conhecimento

V MOSTRA DE ESTÁGIO EM SERVIÇO SOCIAL DA UNIMONTES Estágio supervisionado em Serviço Social: trabalho profissional e construção de conhecimento EDITAL Nº 01/2016 CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS A Coordenação Didática do Curso de Serviço Social da Universidade Estadual de Montes Claros UNIMONTES, por meio da Coordenação de Estágio

Leia mais

Egressos Doutorado em Direito PUC Minas

Egressos Doutorado em Direito PUC Minas Egressos Doutorado em Direito PUC Minas ELABORAÇÃO: ÍCARO MOREIRA URSINE REPRESENTANTE DOS DISCENTES 2017 APOIO: COLEGIADO DO PPGD PUC MINAS COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO DA PUC MINAS

Leia mais

RECONHECIMENTO E VALORIZAÇÃO DA FORMAÇÃO POR ALTERNÂNCIA NO BRASIL

RECONHECIMENTO E VALORIZAÇÃO DA FORMAÇÃO POR ALTERNÂNCIA NO BRASIL RECONHECIMENTO E VALORIZAÇÃO DA FORMAÇÃO POR ALTERNÂNCIA NO BRASIL A Alternância no Brasil Tem ganhado visibilidade e despertando interesses no campo educativo, como objeto de investigação e pesquisa.

Leia mais

ISSN Apresentação, Editorial e Sumário. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento

ISSN Apresentação, Editorial e Sumário. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento 1 Os direitos de publicação destes Cadernos são da. Os textos publicados nestes Cadernos são de inteira responsabilidade de seus autores. Permite-se

Leia mais

INTERPESSOAIS E FAMILIARES NA CONTEMPORANEIDADE. LÍDER: Profa. Dra. Marília Pereira Bueno Millan

INTERPESSOAIS E FAMILIARES NA CONTEMPORANEIDADE. LÍDER: Profa. Dra. Marília Pereira Bueno Millan GRUPO DE PESQUISA: RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS E FAMILIARES NA CONTEMPORANEIDADE LÍDER: Profa. Dra. Marília Pereira Bueno Millan INTEGRANTES: Dr. Raymundo Soares de Azevedo Neto, Profa. Julia Kubo Saito,

Leia mais

Ministério da Educação EXAMES FINAIS NACIONAIS DO ENSINO SECUNDÁRIO PAUTA DE CHAMADA

Ministério da Educação EXAMES FINAIS NACIONAIS DO ENSINO SECUNDÁRIO PAUTA DE CHAMADA Data realização: quarta, 22 de junho às 09:30 h Sala: A11 15495675 ALEXANDRA FILIPA SOUSA ALVES 1 15006793 ALINE FERNANDES LOPES 2 15807278 ANA ALEXANDRA COSTA SANTOS 3 15494534 ANA CATARINA BARBOSA BORGES

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA UNIVERSIDADE PÚBLICA PARA A SUPERAÇÃO DOS DESAFIOS DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO BRASIL

A CONTRIBUIÇÃO DA UNIVERSIDADE PÚBLICA PARA A SUPERAÇÃO DOS DESAFIOS DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO BRASIL A CONTRIBUIÇÃO DA UNIVERSIDADE PÚBLICA PARA A SUPERAÇÃO DOS DESAFIOS DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO BRASIL A UNIVERSIDADE PÚBLICA E O ENSINO DE CIÊNCIAS: INVESTIGANDO A EXPERIÊNCIA DOS MESTRADOS PROFISSIONAIS

Leia mais

manual lapsi curso de psicologia

manual lapsi curso de psicologia manual lapsi curso de psicologia ORGANIZAÇÃO: Professora Ms. Andréia Barbosa de Faria Professora Ms. Arlete Santana Pereira Professora Ms. Mônica Freitas Ferreira MANUAL lapsi curso de psicologia BELO

Leia mais

CONSELHO DISTRITAL DO PORTO. Recursos da Prova de Aferição

CONSELHO DISTRITAL DO PORTO. Recursos da Prova de Aferição 35816 Alberto Neves 10 12 12 Admitido 36037 Alexandra Cruz Pereira 10 10 11 Admitido 36019 Alexandre Cunha Ribeiro 10 13 10 Admitido 35737 Ana Almeida Campos 11 12 15 Admitido 32166 Ana Belém Cardoso 10

Leia mais

NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS

NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERUNIDADES DE ENSINO DE CIÊNCIAS ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO FÍSICA, QUÍMICA E BIOLOGIA Instituto de Física,

Leia mais

O que são os Núcleos Temáticos?

O que são os Núcleos Temáticos? O que são os Núcleos Temáticos? Dispositivos acadêmicos grupais de natureza multidisciplinar e transdisciplinar voltados para a ampliação e aprofundamento de temas de relevância social, cultural e científica

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES FUNDAÇÃO FUPAC REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art. 1º - As Atividades Complementares integram

Leia mais

Gestão de Áreas de Riscos e Desastres Ambientais ISBN

Gestão de Áreas de Riscos e Desastres Ambientais ISBN Gestão de Áreas de Riscos e Desastres Ambientais ISBN 978-85-89082-25-9 Rio Claro 2012 Gestão de Áreas de Riscos e Desastres Ambientais Solange T. de Lima Guimarães Salvador Carpi Junior Manuel B. Rolando

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE EDITAL n. 74/ UNESC Dispõe sobre os critérios de seleção de estudantes de graduação, cursos de licenciatura; para participar do Programa Observatório da Educação - OBEDUC. O Magnífico Reitor da Universidade

Leia mais

RESOLUÇÃO N 008/2013

RESOLUÇÃO N 008/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA (UNILA) CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 008/2013 Regulamenta as Atividades Acadêmicas Complementares nos cursos de graduação

Leia mais

Alunos para o quadro de honra Menção Honrosa

Alunos para o quadro de honra Menção Honrosa Alunos para o quadro de honra 2015-2016 4º ano 4A-BA 4B-BA 4B-CA 4A-CO 4B-CO 4A-LO Andreia Gabriela Pereira Oliveira Francisca Lima Pereira Francisco Martins Pereira Lara Raquel Mateus Félix Poinhos Luana

Leia mais

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CAMPUS DE RIO PARANAÍBA COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Campus Universitário - Caixa Postal 22 - Rio Paranaíba - MG - 38810-000 REGULAMENTO N. 1, DE 8 DE AGOSTO

Leia mais

São José dos Campos, SP 4 a 7 de outubro de 2016 CONVITE

São José dos Campos, SP 4 a 7 de outubro de 2016 CONVITE SIBGRAPI 2016 Conference on Graphics, XXIX Simpósio Brasileiro de Computação Gráfica e Processamento de Imagens http://gibis.unifesp.br/sibgrapi16 CONVITE Apresentação e Convite O Simpósio Brasileiro de

Leia mais

EDITAL PIBID-UFBA Nº 13/2016 SELEÇÃO DE SUPERVISORES

EDITAL PIBID-UFBA Nº 13/2016 SELEÇÃO DE SUPERVISORES UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO A DOCÊNCIA EDITAL PIBID-UFBA Nº 13/2016 SELEÇÃO DE SUPERVISORES A Pró-Reitoria de Ensino

Leia mais

REITORIA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE RESOLUÇÃO Nº 04/2008 NORMAS PARA DEPÓSITO E DISPONIBILIZAÇÃO DE TRABALHOS NA BIBLIOTECA

REITORIA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE RESOLUÇÃO Nº 04/2008 NORMAS PARA DEPÓSITO E DISPONIBILIZAÇÃO DE TRABALHOS NA BIBLIOTECA REITORIA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE RESOLUÇÃO Nº 04/2008 NORMAS PARA DEPÓSITO E DISPONIBILIZAÇÃO DE TRABALHOS NA BIBLIOTECA Aprovada no CONSEPE, na 5ª Sessão, realizada em 21 de maio

Leia mais

XLV Reunião Plenária. 25 a 28 de novembro de 2015, Belém/PA. Um país pensando a educação para a próxima década

XLV Reunião Plenária. 25 a 28 de novembro de 2015, Belém/PA. Um país pensando a educação para a próxima década XLV Reunião Plenária 25 a 28 de novembro de 2015, Belém/PA Um país pensando a educação para a próxima década Prof. Heleno Araújo Filho Diretor do SINTEPE Diretor da CNTE Coordenador do FNE O PNE é um documento

Leia mais

I CONGRESSO ESTADUAL DE TEOLOGIA De 18 a 20 de agosto de 2016

I CONGRESSO ESTADUAL DE TEOLOGIA De 18 a 20 de agosto de 2016 INSTITUTO TEOLÓGICO DA IBIAPABA I CONGRESSO ESTADUAL DE TEOLOGIA De 18 a 20 de agosto de 2016 TEMA: O DESAFIO DE PASTOREAR EM TEMPOS DE SECULARIZAÇÃO APRESENTAÇÃO O Instituto Teológico da Ibiapaba (INTI)

Leia mais

SEMINÁRIO AS LÁGRIMAS DE EROS UTOPIA, ARTE E PSICANÁLISE - 12 E 13 DE DEZEMBRO DE

SEMINÁRIO AS LÁGRIMAS DE EROS UTOPIA, ARTE E PSICANÁLISE - 12 E 13 DE DEZEMBRO DE SEMINÁRIO AS LÁGRIMAS DE EROS UTOPIA, ARTE E PSICANÁLISE - 12 E 13 DE DEZEMBRO DE 2014 - INSTITUTO DE PSICOLOGIA Av. Ramiro Barcelos, 2600 - sala 201 APRESENTAÇÃO O ponto de partida deste seminário é a

Leia mais

PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007

PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007 PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007 O Prof. Dr. Paulo Rogério Stella, Pró-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Fundação Santo André, no uso de suas atribuições legais, constantes no Regimento Geral

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES PPGAP 3ª EDIÇÃO JULHO/2016

BOLETIM DE INFORMAÇÕES PPGAP 3ª EDIÇÃO JULHO/2016 BOLETIM DE INFORMAÇÕES PPGAP 3ª EDIÇÃO JULHO/2016 Índice Geral O perfil dos egressos do PPGAP O perfil dos alunos matriculados no PPGAP Docentes, alunos e ex-alunos do PPGAP têm trabalhos aprovados no

Leia mais

Rua dos Funcionários, 1540 Juvevê - CEP: Curitiba-PR Fone (Fax) Homepage:

Rua dos Funcionários, 1540 Juvevê - CEP: Curitiba-PR Fone (Fax) Homepage: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rua dos Funcionários, 1540 Juvevê - CEP: 80035-050 Curitiba-PR Fone (Fax) 41-350 57 64 E-mail: made@ufpr.br Homepage:

Leia mais

IV EDIÇÃO DO PRÊMIO MELHORES TRABALHOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA GOIÁS

IV EDIÇÃO DO PRÊMIO MELHORES TRABALHOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA GOIÁS EDITAL N. 07/2017 PROPE Goiânia, 19 de junho de 2017. IV EDIÇÃO DO PRÊMIO MELHORES TRABALHOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA GOIÁS 1. OBJETIVO DO PRÊMIO 1.1. Valorizar e divulgar

Leia mais

N 2016/02 01 de Dezembro a 06 Dezembro de O DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

N 2016/02 01 de Dezembro a 06 Dezembro de O DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, EDITAL DE PROCESSO EXTERNO PARA SELETIVO INTERNO E O CURSO DE NUTRIÇÃO N 2016/02 01 de Dezembro a 06 Dezembro de 2016. Dispõe sobre o TESTE SELETIVO INTERNO E EXTERNO para COORDENADOR DO CURSO DE NUTRIÇÃO

Leia mais

III CONGRESSO BRASILEIRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS

III CONGRESSO BRASILEIRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS III CONGRESSO BRASILEIRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS Primeira Convocatória A Sociedade Brasileira de Estudos Organizacionais (SBEO), junto com o Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE) da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LITERATURA E INTERCULTURALIDADE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LITERATURA E INTERCULTURALIDADE UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LITERATURA E INTERCULTURALIDADE EDITAL /2017 SELEÇÃO PARA ALUNO ESPECIAL DO PPGLI 2017.2 1. PREÂMBULO

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (CONPPG) TÍTULO I - DO OBJETIVO DO REGIMENTO

REGIMENTO DO CONSELHO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (CONPPG) TÍTULO I - DO OBJETIVO DO REGIMENTO REGIMENTO DO CONSELHO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (CONPPG) TÍTULO I - DO OBJETIVO DO REGIMENTO Art. 1º. Este Regimento estabelece a constituição, a competência e o funcionamento do Conselho

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Ciências Humanas Componente Curricular: Sociologia Série: 2º Eixo Tecnológico:

Leia mais

EDITAL N 06, DE 14 DE MARÇO DE ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS RESTINGA

EDITAL N 06, DE 14 DE MARÇO DE ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS RESTINGA EDITAL N 06, DE 14 DE MARÇO DE 2016. ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS RESTINGA O Diretor-Geral do do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DE CURSO DE GRADUAÇÃO DO IFNMG

REGULAMENTO DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DE CURSO DE GRADUAÇÃO DO IFNMG Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Norte de Minas Gerais REGULAMENTO DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DE CURSO DE GRADUAÇÃO DO IFNMG (APROVADO

Leia mais