REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA"

Transcrição

1 CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA FAFIL/FAECO/FAENG

2 Índice Capítulo I Das Finalidades 3 Capítulo II - Das Inscrições dos Alunos 3 Capítulo III - Dos critérios de distribuição de monitores 4 Capítulo IV - Da seleção dos alunos candidatos 5 Capítulo V - Da bolsa de estudo 5 Capítulo VI - Das funções do monitor 6 Capítulo VII Dos deveres do monitor 7 Capítulo VIII Dos direitos do monitor 8 Capítulo IX Dos deveres dos professores 9 Capítulo X Das disposições gerais 10 2

3 CAPÍTULO I DAS FINALIDADES ARTIGO 1º Oferecer aos alunos das Faculdades FAFIL, FAECO E FAENG, um suporte didático-acadêmico referente às atividades desenvolvidas em salas de aula ou laboratórios e pesquisas nas disciplinas que estes estão cursando. ARTIGO 2º Oferecer aos monitores a oportunidade de aprimoramento didático-pedagógico com alunos de nível universitário. CAPÍTULO II - DAS INSCRIÇÕES DOS ALUNOS ARTIGO 3º As inscrições à monitoria dar-se-ão no período préestabelecido pelas coordenações de monitoria das faculdades, podendo ser reaberto caso haja novas vagas. ARTIGO 4º A ficha de inscrição estará disponível na Sala da Coordenação de Monitoria, em seu site, ou na secretaria da faculdade, durante o período de inscrição, que deverá ser preenchida com foto, assinada e entregue à Coordenação de Monitoria ou na secretaria, em seu horário de funcionamento. A entrega é protocolada. Não serão aceitas fichas entregues fora do local e período. 3

4 Parágrafo único O aluno poderá se inscrever em até duas disciplinas, sendo escolhido para apenas uma de cada faculdade, podendo também ser escolhido para monitoria em outras unidades. ARTIGO 5º O aluno candidato deverá estar regulamente matriculado nas faculdades ou na Pós-Graduação do Centro Universitário Fundação Santo André. Parágrafo único Os alunos da Pós-Graduação do Centro Universitário Fundação Santo André deverão ser ex-alunos da instituição. ARTIGO 6º O aluno candidato deverá ter freqüentado com aprovação a disciplina que pretende monitorar. ARTIGO 7º O aluno candidato não poderá ter nenhum tipo de advertência e/ou relato de caráter negativo em seu prontuário de aluno. CAPÍTULO III - DOS CRITÉRIOS DE DISTRIBUIÇÃO DE MONITORES ARTIGO 8º O Professor que desejar trabalhar com monitores deverá apresentar à coordenação seu Plano de Trabalho do Monitor. ARTIGO 9º As disciplinas poderão ser agrupadas e distribuídas em grupos correlatos, e não por cursos, obedecendo o limite de verba anual 4

5 destinada à monitoria, estabelecido pelo Centro Universitário Fundação Santo André. CAPÍTULO IV - DA SELEÇÃO DOS ALUNOS CANDIDATOS ARTIGO 10º O professor responsável pela disciplina, que entregou o Plano de Trabalho do Monitor, participará do critério de seleção de seus monitores, que constará no Edital de Inscrição. ARTIGO 11º A seleção dos monitores seguirá o critério estabelecido no edital de inscrição definido por cada unidade. CAPÍTULO V - DA BOLSA DE ESTUDO ARTIGO 12º A carga horária semanal de monitoria poderá ser de duas até oito horas, conforme a necessidade da disciplina. O crédito mensal relativo à bolsa de estudo será definido anualmente pela Pró-Reitoria de Administração e Planejamento da instituição. 1 - Caso o monitor realize mais horas do que as previstas, as mesmas serão consideradas como horas voluntárias, não sendo portanto remuneradas. 2 Para alteração da carga horária semanal, o monitor deverá preencher o formulário de solicitação que passará por deferimento do professor responsável pela disciplina e pela Coordenação de Monitoria. 5

6 3 A solicitação deverá ser feita no máximo até o dia 20 do mês corrente e se deferido entrará em vigor no mês seguinte. ARTIGO 13º O período de recebimento de bolsa monitoria será definido por cada unidade, de acordo com suas especificidades. ARTIGO 14º A relação de alunos monitores, homologados pelo Conselho de Faculdade, será enviada às Pró-Reitorias competentes do Centro Universitário Fundação Santo André, para expedição do crédito relativo a bolsa de estudo, não havendo nenhum vínculo empregatício entre o Centro Universitário Fundação Santo André e os monitores. ARTIGO 15º As faculdades poderão solicitar monitores voluntários, que deverão ser indicados pelo professor responsável e pelo coordenador do curso, tendo estes todas as responsabilidades do monitor bolsista, porém não receberão desconto nas mensalidades, podendo solicitar certificado no final do ano. CAPÍTULO VI - DAS FUNÇÕES DO MONITOR ARTIGO 16º São funções dos Monitores: I. orientar estudos individualizados e/ou coletivos; II. III. IV. participar e desenvolver projetos junto aos professores; colaborar na identificação de dificuldades da classe; fazer levantamento bibliográfico para a disciplina; 6

7 V. pesquisar assuntos pertinentes à disciplina; VI. outras que as peculiaridades da disciplina exigir. CAPÍTULO VII DOS DEVERES DO MONITOR ARTIGO 17º São deveres do monitor: I. comparecer às reuniões, quando convocado pelo Professor, Coordenador de Curso, Coordenação de Monitoria, Conselho Universitário, ou Direção da Faculdade; II. marcar sua presença junto à Coordenação de Monitoria cumprindo os horários estabelecidos; III. quando houver listas de presença dos alunos que recorrem à monitoria, o monitor será responsável pelas mesmas; IV. quando solicitado, elaborar e entregar, nos prazos estabelecidos pela Coordenação de Monitoria, os relatórios mensais de atividades assinadas e anexadas as listas de presença ou outros documentos por ela estabelecidos; V. zelar pelo material didático sob sua responsabilidade; VI. manter os alunos informados sobre os horários e locais de atendimento; VII. dar conhecimento aos alunos sobre atividades a serem desenvolvidas, conforme estabelecido pelos professores; VIII. apresentar-se, semanalmente, aos professores da disciplina, para troca de informações; 7

8 IX. permanecer na sala definida para sua monitoria durante todo seu horário; CAPÍTULO VIII DOS DIREITOS DO MONITOR ARTIGO 18º São direitos do monitor: I. repor ausência ou atraso do horário de monitoria, desde que os alunos, professores e coordenação de monitoria sejam informados, com mais de dois dias de antecedência. II. obter certificado expedido pela Faculdade, ao final do ano letivo referente ao exercício da monitoria, desde que tenham cumprido todos os seus deveres; III. a bolsa parcial de estudo oferecida pelo Centro Universitário Fundação Santo André, enquanto exercer a atividade de monitor. ARTIGO 19º É vedado ao monitor: I. avaliar o rendimento escolar dos alunos, por qualquer meio; Parágrafo único O monitor poderá elaborar, aplicar e corrigir atividades, desde que acompanhado ou supervisionado pelo professor, e que essas atividades não constituam avaliação do rendimento escolar do aluno. II. Cobrar dos alunos qualquer importância por monitoria prestada. III. Substituir o professor durante as aulas. 8

9 CAPÍTULO IX DOS DEVERES DOS PROFESSORES ARTIGO 20º São deveres dos professores: I. indicar, em ordem de preferência, à Coordenação do Curso ou Coordenação de Monitores, dentro do prazo estabelecido pela mesma, os alunos candidatos selecionados, segundo critério estabelecido no Edital de Inscrição; II. dar conhecimento ao monitor do seu Plano de Trabalho do Monitor; III. orientar e supervisionar as atividades do monitor, quanto aos aspectos didático-pedagógicos; IV. avaliar constantemente as atividades do monitor, comunicando à Coordenação eventuais alterações; V. propiciar meios para que o monitor desenvolva projetos e pesquisas que visem à melhoria da qualidade de ensino e seu desenvolvimento pessoal. ARTIGO 21º No caso de desligamento do monitor, o Professor poderá indicar outro para substituí-lo. A indicação do novo monitor deverá seguir a lista de classificação estabelecida na etapa inicial do processo de seleção. Na impossibilidade de preencher a vaga, deverá ser aberto um novo processo de seleção, específico para vaga em questão. 9

10 CAPÍTULO X DAS DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 22º O desligamento do monitor poderá ocorrer nas situações: I. não atendimento ao estabelecido neste regulamento; II. três ocorrências de ausências da atividade ou reunião de monitoria. III. desrespeito às autoridades do CUFSA, a qualquer membro do seu corpo docente, discente ou técnico-administrativo; IV. perturbação da ordem, em área sob a jurisdição do CUFSA; V. dano material causado ao patrimônio do CUFSA; VI. agressão física dirigida a qualquer membro do corpo administrativo, docente, técnico e discente do CUFSA; VII. divulgação ou fixação de documentos, publicações, cartazes que represente ofensas pessoais ou coletivas; VIII. prática de infração incompatível com a dignidade acadêmica. ARTIGO 23º Os casos omissos serão analisados por esta Coordenação com aprovação do Conselho de Faculdade. Santo André 19 de dezembro de Prof. Carlos A. Nakano Profa. Marta E. W. Olivi Prof. Roberto Fecchio Coord. Monit. FAECO Coord. Monit. FAFIL Coord.Monit. FAENG 10

Regulamento do Programa de Monitoria Faculdade FIPECAFI

Regulamento do Programa de Monitoria Faculdade FIPECAFI Regulamento do Programa de Monitoria Faculdade FIPECAFI CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E DAS FINALIDADES Art. 1º - O programa de monitoria da Faculdade FIPECAFI apresenta como objetivos aprimorar e ampliar conhecimentos,

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FESPPR CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DE MONITORIA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FESPPR CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS REGULAMENTO DE MONITORIA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FESPPR CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º Este regulamento normaliza as Atividades de Monitoria nos Cursos de Graduação da FESPPR. Para efeito do

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAZONAS - CIESA COORDENAÇÃO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GASTRONOMIA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAZONAS - CIESA COORDENAÇÃO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GASTRONOMIA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAZONAS - CIESA COORDENAÇÃO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GASTRONOMIA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA ACADÊMICA NO CURSO DE GASTRONOMIA Manaus -

Leia mais

EDITAL 01/2016 ABERTURA DE SELEÇÃO INTERNA PARA MONITOR-BOLSISTA DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (GTI) I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

EDITAL 01/2016 ABERTURA DE SELEÇÃO INTERNA PARA MONITOR-BOLSISTA DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (GTI) I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES EDITAL 01/2016 ABERTURA DE SELEÇÃO INTERNA PARA MONITOR-BOLSISTA DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (GTI) I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES A FAI Faculdades de Itapiranga/SC, no uso de suas atribuições

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PORTARIA N 190, DE 02 DE JUNHO DE 2017.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PORTARIA N 190, DE 02 DE JUNHO DE 2017. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PORTARIA N 190, DE 02 DE JUNHO DE 2017. O PRÓ-REITOR DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS, no uso de suas atribuições

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) da UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA, no uso de suas atribuições,

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) da UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA, no uso de suas atribuições, UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA RESOLUÇÃO/UEPB/CONSEPE/013/2006 CRIA O PROGRAMA DE TUTORIA ESPECIAL NO ÂMBITO DA UEPB. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) da UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA,

Leia mais

REGULAMENTO DA MONITORIA

REGULAMENTO DA MONITORIA REGULAMENTO DA MONITORIA REGULAMENTO DA MONITORIA Art. 1º. O presente regulamento estabelece as regras para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação do Centro Universitário de União da Vitória

Leia mais

REGULAMENTO DA MONITORIA. para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu. discentes; magistério superior.

REGULAMENTO DA MONITORIA. para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu. discentes; magistério superior. i.e PRÓ-REITORIA ACADÊMICA REGULAMENTO DA MONITORIA Art. 1º. O presente regulamento estabelece as regras para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu UNIG, por meio de programas

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE BOITUVA - FIB

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE BOITUVA - FIB REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE BOITUVA - FIB CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Entende-se por Monitoria as atividades de apoio

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS- CCL Coordenação do Curso de Letras

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS- CCL Coordenação do Curso de Letras REGULAMENTO DE MONITORIA TÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1 o A Monitoria no Centro de Comunicação e Letras (CCL) será regida por este regulamento e corresponderá ao conjunto

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA

PROGRAMA DE MONITORIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL PROGRAMA DE MONITORIA Agosto/2010 2 1. O QUE É MONITORIA A Monitoria é a modalidade de ensino-aprendizagem,

Leia mais

EDITAL Nº 002/2016 SELEÇÃO DE LICENCIANDOS PARA O PROGRAMA DE MONITORIA DE SUPORTE DE APRENDIZAGEM

EDITAL Nº 002/2016 SELEÇÃO DE LICENCIANDOS PARA O PROGRAMA DE MONITORIA DE SUPORTE DE APRENDIZAGEM INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CAMPUS MACEIÓ DIRETORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE FORMAÇÃO GERAL EDITAL Nº 002/2016 SELEÇÃO DE LICENCIANDOS PARA O PROGRAMA DE MONITORIA

Leia mais

EDITAL Nº 01, DE 09 DE MAIO DE 2012

EDITAL Nº 01, DE 09 DE MAIO DE 2012 COORDENAÇÕES DO CST EM SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES E BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA EDITAL Nº, DE 09 DE MAIO DE 22 APRESENTAÇÃO O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB)

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE MONITORIA TÍTULO I CAPÍTULO I DA FINALIDADE

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE MONITORIA TÍTULO I CAPÍTULO I DA FINALIDADE FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE MONITORIA TÍTULO I CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1º. A Monitoria deve cumprir suas finalidades consoante os princípios norteadores de sua criação legal

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ

PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA Artigo 1º - O Programa de Monitoria, mantido pela Faculdade de Medicina de Itajubá,

Leia mais

NORMATIZAÇÃO CGA N o 04/2015

NORMATIZAÇÃO CGA N o 04/2015 NORMATIZAÇÃO CGA N o 04/2015 1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES NORMATIZAÇÃO DE ATIVIDADES DE MONITORIA 1.1 - O presente documento reúne as normas estabelecidas para o Programa de Monitoria desenvolvido no Instituto

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA CENTRO DE FORMAÇÃO DA UFGD

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA CENTRO DE FORMAÇÃO DA UFGD REGULAMENTO DO 1 DEFINIÇÃO/OBJETIVO O Projeto de Extensão Centro de Formação da UFGD está sob a coordenação da Pró- Reitoria de Extensão e Cultura e objetiva oferecer à comunidade cursos de extensão de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 03/2016. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias;

RESOLUÇÃO Nº 03/2016. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias; RESOLUÇÃO Nº 03/2016 Revoga a Resolução nº 05/2014- CONUNI e estabelece normas para o Programa Integrado de Desenvolvimento e capacitação Estudantil da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF).

Leia mais

b) possuir carga horária disponível para a realização das atividades do Programa; c) ser professor da disciplina no período vigente das monitorias.

b) possuir carga horária disponível para a realização das atividades do Programa; c) ser professor da disciplina no período vigente das monitorias. EDITAL Nº 03/2016 - CONSEPE A Direção da Faculdade Herrero torna públicos os procedimentos e normas para inscrição e seleção de Monitores 2016/2. Este Edital está em conformidade com a RESOLUÇÃO Nº 11/2010

Leia mais

RESOLUÇÃO CEPE N o 014, DE 25 DE ABRIL DE Aprova Regulamento de Monitoria para os Cursos de Graduação a Distância, da UEPG.

RESOLUÇÃO CEPE N o 014, DE 25 DE ABRIL DE Aprova Regulamento de Monitoria para os Cursos de Graduação a Distância, da UEPG. RESOLUÇÃO CEPE N o 014, DE 25 DE ABRIL DE 2017. Aprova Regulamento de Monitoria para os Cursos de Graduação a Distância, da UEPG. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

DeVry Faculdade Ruy Barbosa - Paralela

DeVry Faculdade Ruy Barbosa - Paralela DeVry Faculdade Ruy Barbosa - Paralela PROGRAMA DE MONITORIA 2017.2 EDITAL Nº 02/2017 DE 12 DE MAIO DE 2017 A Coordenação Geral de Graduação juntamente com a Coordenadoria de Apoio e Suporte ao Aluno (CASA)

Leia mais

PORTARIA N. 01, DE 21 DE OUTUBRO DE 2015

PORTARIA N. 01, DE 21 DE OUTUBRO DE 2015 PORTARIA N. 01, DE 21 DE OUTUBRO DE 2015 A PRÓ-REITORIA DE ENSINO, DE PESQUISA E DE EXTENSÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS, dispõe sobre normas e critérios para MONITORIA nos cursos de graduação

Leia mais

VOTO CONSU de 26/04/2012 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA

VOTO CONSU de 26/04/2012 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOTO CONSU 2012-04 de 26/04/2012 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA 2012 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º O Programa de Monitoria do Centro Universitário Adventista de São Paulo UNASP é um programa

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA

PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA A Faculdade Metropolitana de Manaus FAMETRO, através da Unidade 1 e 2, torna público que no período de 28/08/2017 a 04/09/2017, estarão abertas as inscrições para

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA DE MONITORIA. CAPÍTULO I Do Conceito de Monitoria

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA DE MONITORIA. CAPÍTULO I Do Conceito de Monitoria REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA DE MONITORIA CAPÍTULO I Do Conceito de Monitoria Art. 1º - Entende-se por Monitoria, uma modalidade de ensino e aprendizagem que contribui para a formação integrada

Leia mais

MONITORIA REGULAMENTO

MONITORIA REGULAMENTO 13 - MONITORIA 1-13.1 - NORMA GERAL 1 A Monitoria está institucionalizada na UEPG através de um dos artigos de seu Regimento Geral, a saber: Art. 158 A Universidade mantém sistema de monitoria destinado

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA

PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA A Faculdade Metropolitana de Manaus FAMETRO, através da Unidade de Saúde, torna público que no período de 28/08/17 a 01/09/17, estarão abertas as inscrições para

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA UNIP. A UNIP oferece ao aluno a oportunidade de iniciar-se na função docente através do exercício de Monitorias.

PROGRAMA DE MONITORIA UNIP. A UNIP oferece ao aluno a oportunidade de iniciar-se na função docente através do exercício de Monitorias. PROGRAMA DE MONITORIA UNIP A UNIP oferece ao aluno a oportunidade de iniciar-se na função docente através do exercício de Monitorias. 1. Regulamento do Programa de Monitoria 1.1 O que é Monitoria A UNIP

Leia mais

Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA

Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA 1. Quais são os requisitos para obtenção de bolsa monitoria? a) o discente deve estar regularmente matriculado no período letivo em

Leia mais

2º A monitoria remunerada por bolsa não gera nenhum vínculo empregatício entre o IFPE e o estudante.

2º A monitoria remunerada por bolsa não gera nenhum vínculo empregatício entre o IFPE e o estudante. 2º A monitoria remunerada por bolsa não gera nenhum vínculo empregatício entre o IFPE e o estudante. 3º O estudante-monitor deverá assinar um Termo de Compromisso específico à atividade de monitoria. Art.4º

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA 1 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA FORTALEZA, 2016 2 SUMÁRIO CAPÍTULO I... 3 DA MONITORIA... 3 CAPÍTULO II... 3 DOS OBJETIVOS... 3 CAPÍTULO III... 3 DA SELEÇÃO... 3 CAPÍTULO IV... 5 DOS REQUISITOS

Leia mais

RESOLUÇÃO CEPEX Nº 015/2011 Teresina, 13 de maio de 2011.

RESOLUÇÃO CEPEX Nº 015/2011 Teresina, 13 de maio de 2011. RESOLUÇÃO CEPEX Nº 015/2011 Teresina, 13 de maio de 2011. Revoga a Resolução CEPEX 002/2010 e fixa normas para o Programa de Monitoria na graduação, da Universidade Estadual do Piauí. O Reitor e Presidente

Leia mais

Resolução nº 004/2015

Resolução nº 004/2015 Resolução nº 004/2015 Dispõe sobre estágio de prática docente para os alunos do Mestrado em Direito e Instituições do Sistema de Justiça. Art. 1º O Estágio de Prática Docente (EPD) tem por objetivo aperfeiçoar

Leia mais

Art. 1º - Aprovar as alterações na Norma de Monitoria da Universidade Vale do Rio Doce UNIVALE.

Art. 1º - Aprovar as alterações na Norma de Monitoria da Universidade Vale do Rio Doce UNIVALE. 1 Resolução CONSUNI: Nº. 014/2016 Aprova as alterações na Norma de Monitoria da Universidade Vale do Rio Doce - UNIVALE. O Conselho Universitário - CONSUNI, da Universidade Vale do Rio Doce UNIVALE, em

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1190

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1190 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1190 Cria o Programa de Monitoria da UFG, fixa os objetivos e estabelece as estruturas de funcionamento da Monitoria na UFG, e

Leia mais

Programa de Incentivo à Pesquisa Acadêmica PIPA

Programa de Incentivo à Pesquisa Acadêmica PIPA Programa de Incentivo à Pesquisa Acadêmica PIPA ` REGULAMENTO União da Vitória, PR 2014 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA ACADÊMICA PIPA, DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE UNIÃO DA VITÓRIA DOS PRINCÍPIOS

Leia mais

Faculdade Iteana de Botucatu

Faculdade Iteana de Botucatu Faculdade Iteana de Botucatu REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO PROGRAMA E DOS OBJETIVOS Artigo 1º. Monitoria Acadêmica é uma atividade auxiliar a docência e exercida por discentes regularmente

Leia mais

Programa de Incentivo à Pesquisa Acadêmica PIPA

Programa de Incentivo à Pesquisa Acadêmica PIPA Programa de Incentivo à Pesquisa Acadêmica PIPA REGULAMENTO UNIÃO DA VITÓRIA 2016 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA ACADÊMICA PIPA CAPÍTULO I Dos Princípios Gerais Art. 1º O Programa de Incentivo

Leia mais

Faculdade de Ensino e Cultura do Ceará FAECE Página 2 Faculdade de Fortaleza - FAFOR

Faculdade de Ensino e Cultura do Ceará FAECE Página 2 Faculdade de Fortaleza - FAFOR MANUAL DE Faculdade de Ensino e Cultura do Ceará FAECE Página 2 A FAECE e a FAFOR oferece ao aluno a oportunidade de iniciar-se na função docente através do exercício de Monitorias. Apenas será considerado

Leia mais

EDITAL 032/2017 DE REABERTURA DAS INSCRIÇÕES PARA MONITORIA

EDITAL 032/2017 DE REABERTURA DAS INSCRIÇÕES PARA MONITORIA EDITAL 032/2017 DE REABERTURA DAS INSCRIÇÕES PARA MONITORIA A Coordenação do Curso de Agronegócio comunica aos alunos regularmente matriculados, que estarão abertas, no período de 22 a 26 de setembro de

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA. CAPÍTULO I Das Considerações Preliminares

REGULAMENTO DE MONITORIA. CAPÍTULO I Das Considerações Preliminares F a c u l d a d e d e R e a b i l i t a ç ã o d a A S C E - F R A S C E REGULAMENTO DE MONITORIA CAPÍTULO I Das Considerações Preliminares Art.1º A Monitoria constitui-se em mais um espaço de aprendizagem

Leia mais

Faculdade Adventista da Bahia. Regulamento de Monitoria Acadêmica Fisioterapia

Faculdade Adventista da Bahia. Regulamento de Monitoria Acadêmica Fisioterapia Faculdade Adventista da Bahia Regulamento de Monitoria Acadêmica Fisioterapia Cachoeira BA Abril de 2011 Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento disciplina o Programa de Monitoria

Leia mais

EDITAL Nº 072/2016 PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE BOLSA NA MODALIDADE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

EDITAL Nº 072/2016 PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE BOLSA NA MODALIDADE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EDITAL Nº 072/2016 PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE BOLSA NA MODALIDADE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA A Reitoria do Centro Universitário Senac torna pública a abertura das inscrições do processo de seleção

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DA FAMESC

REGIMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DA FAMESC REGIMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DA FAMESC Bom Jesus do Itabapoana - RJ 2017 REGIMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DA FAMESC Capítulo I DA APRESENTAÇÃO Art. 1º O presente Regimento estabelece as finalidades,

Leia mais

EDITAL PARA PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA

EDITAL PARA PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA EDITAL PARA PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA 2016-1 I DO PROCESSO SELETIVO: A Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida - FESAR, através da Coordenação de Pesquisa e Extensão, comunica ao corpo discente

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA UNIVERSIDADE DA AMAZONIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA UNIVERSIDADE DA AMAZONIA 29/02/26 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE AMAZONIA Belém 26 29/02/26 Dispõe sobre normas de Monitoria da Universidade da Amazônia. CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º Adotar e estimular a Monitoria Acadêmica, que

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA - ENGLISHPRO EDITAL Nº 01/2016 DE 25 DE ABRIL DE 2016

PROGRAMA DE MONITORIA - ENGLISHPRO EDITAL Nº 01/2016 DE 25 DE ABRIL DE 2016 PROGRAMA DE MONITORIA - ENGLISHPRO 2016.1 EDITAL Nº 01/2016 DE 25 DE ABRIL DE 2016 A Coordenação Geral Acadêmica juntamente com a Coordenadoria de Apoio e Suporte ao Aluno (CASA) torna público que, no

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS DA BAHIA FATEC/BA COORDENAÇÃO DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS DA BAHIA FATEC/BA COORDENAÇÃO DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 0 FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS DA BAHIA FATEC/BA COORDENAÇÃO DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FATEC/BA ALAGOINHAS 2014 1 SUMÁRIO DO PROGRAMA E

Leia mais

2.2. A concessão da vaga na Monitoria Voluntária está condicionada ao atendimento dos critérios estabelecidos neste Edital.

2.2. A concessão da vaga na Monitoria Voluntária está condicionada ao atendimento dos critérios estabelecidos neste Edital. EDITAL VET 2/27 MONITORIA VOLUNTÁRIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA O Diretor da Faculdade Murialdo, no uso de suas atribuições estatutárias e regimentais, conforme consta no Regimento da Instituição

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA EDITAL DE ABERTURA DE SELEÇÃO INTERNA PARA MONITORES

CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA EDITAL DE ABERTURA DE SELEÇÃO INTERNA PARA MONITORES Portaria MEC n 1216 de 18.12.2013 - D.O.U. 19.12.2013 CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA EDITAL DE ABERTURA DE SELEÇÃO INTERNA PARA MONITORES 2017.1 A política da FAI - Faculdade Irecê - em relação a assistência

Leia mais

1. DOS FUNDAMENTOS E OBJETIVOS DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA

1. DOS FUNDAMENTOS E OBJETIVOS DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA ESTÁGIO DE DOCÊNCIA DO MESTRADO DA ESCOLA SUPERIOR DOM HELDER CÂMARA 1º SEMESTRE DE 2017 1. DOS FUNDAMENTOS E OBJETIVOS DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA O candidato ao estágio de docência deve ser um aluno regularmente

Leia mais

REGULAMENTO DO COMPONENTE: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

REGULAMENTO DO COMPONENTE: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO REGULAMENTO DO COMPONENTE: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º O componente Estágio Curricular Supervisionado em Biotecnologia éparte integrante do currículo pleno do

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL

REGULAMENTO INSTITUCIONAL FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL REGULAMENTO INSTITUCIONAL MONITORIA VOLUNTÁRIA CACOAL 2016 CAPÍTULO l DOS OBJETIVOS Artigo 1º - As presentes normas têm por objetivo organizar e disciplinar a

Leia mais

FACULDADE SANTA MARIA - FSM

FACULDADE SANTA MARIA - FSM FACULDADE SANTA MARIA - FSM BR 230, Km 504 CX. POSTAL 30 CEP: 58900-000 Fone: (83) 3531-1349 Fax: (83) 3531-1365 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA EDITAL Nº 02/2017 EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 40/2010, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CEPE) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 40/2010, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CEPE) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 37130-00 Alfenas - MG RESOLUÇÃO Nº 40/2010, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO UGB PARTE I - DOS ASPECTOS GERAIS DO ESTÁGIO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO UGB PARTE I - DOS ASPECTOS GERAIS DO ESTÁGIO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO UGB PARTE I - DOS ASPECTOS GERAIS DO ESTÁGIO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO Art. 1º - Este regulamento tem por finalidade, fixar

Leia mais

EDITAL N 03 SAP 21 DE MARÇO DE 2017

EDITAL N 03 SAP 21 DE MARÇO DE 2017 EDITAL N 03 SAP 21 DE MARÇO DE 2017 O DIRETOR GERAL DO CAMPUS SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA DO IFFLUMINENSE, no uso de suas atribuições, por meio da Direção de Ensino e Políticas Estudantis, torna pública as

Leia mais

EDITAL N 578, DE 31 DE JULHO DE 2017.

EDITAL N 578, DE 31 DE JULHO DE 2017. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IFSP CAMPUS SUZANO GERÊNCIA EDUCACIONAL EDITAL N 578, DE 31 DE JULHO DE 2017. PROCESSO SELETIVO DO PROGRAMA BOLSA DE ENSINO PARA OS CURSOS TÉCNICOS E SUPERIORES

Leia mais

SOCIEDADE PIAUIENSE DE ENSINO SUPERIOR I N S T I T U T O C A M I L L O F I L H O D I R E T O R I A G E R A L

SOCIEDADE PIAUIENSE DE ENSINO SUPERIOR I N S T I T U T O C A M I L L O F I L H O D I R E T O R I A G E R A L SOCIEDADE PIAUIENSE DE ENSINO SUPERIOR I N S T I T U T O C A M I L L O F I L H O D I R E T O R I A G E R A L PORTARIA Nº 24/2002 Regulamenta as atividades de monitoria. O DIRETOR GERAL DO INSTITUTO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ EDITAL N 07 DE 10 DE JULHO DE 2017 SELEÇÃO PARA PROGRAMA INSTITUCIONAL

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES PARA OS LABORATÓRIOS DE ELETROTÉCNICA E ELETRÔNICA Nº 01/2017

EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES PARA OS LABORATÓRIOS DE ELETROTÉCNICA E ELETRÔNICA Nº 01/2017 EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES PARA OS LABORATÓRIOS DE ELETROTÉCNICA E ELETRÔNICA Nº 01/2017 A Comissão Coordenadora dos cursos Técnicos em Eletrotécnica e Eletrônica, no uso de suas atribuições, tornam

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA. Capítulo I Das Disposições Gerais

REGULAMENTO DE MONITORIA. Capítulo I Das Disposições Gerais REGULAMENTO DE MONITORIA Dispõe sobre a regulamentação da Monitoria Capítulo I Das Disposições Gerais Art. 1 O presente regulamento estabelece normas para o processo seletivo de monitoria da Faculdade

Leia mais

IBMEC BH PROGRAMA DE MONITORIA EDITAL Nº 03/2017 DE 26 DE JUNHO DE 2017

IBMEC BH PROGRAMA DE MONITORIA EDITAL Nº 03/2017 DE 26 DE JUNHO DE 2017 IBMEC BH PROGRAMA DE MONITORIA - 2017.2 EDITAL Nº 03/2017 DE 26 DE JUNHO DE 2017 A Coordenação Geral Acadêmica, juntamente com a Coordenadoria de Apoio e Suporte ao Aluno (CASA) tornam público que, no

Leia mais

FACULDADE MADRE THAIS - FMT EDITAL Nº 01 DE 13 DE FEVEREIRO DE 2017 CURSO DISCIPLINA Nº DE VAGAS / TURNO ESTAGIO CURRICULAR EM MICROBIOLOGIA

FACULDADE MADRE THAIS - FMT EDITAL Nº 01 DE 13 DE FEVEREIRO DE 2017 CURSO DISCIPLINA Nº DE VAGAS / TURNO ESTAGIO CURRICULAR EM MICROBIOLOGIA FACULDADE MADRE THAIS - FMT EDITAL Nº 01 DE 13 DE FEVEREIRO DE 2017 O Diretor da FACULDADE MADRE THAÍS, mantida pela Sociedade Educacional Sul Bahiana Ltda - SESB, no uso de suas atribuições legais e de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Pró-Reitoria de Graduação Av. dos Estados, 5001 Bairro Santa Terezinha Santo André - SP CEP 09210-580 Fone: (11) 4996.7983 gabinete.prograd@ufabc.edu.br

Leia mais

NORMA DE PROGRAMA DE BOLSA DE EXTENSÃO PARA ALUNOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ -PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO-

NORMA DE PROGRAMA DE BOLSA DE EXTENSÃO PARA ALUNOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ -PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO- NORMA DE PROGRAMA DE BOLSA DE EXTENSÃO PARA ALUNOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ -PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO- CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - A presente norma fixa os procedimentos para

Leia mais

SELEÇÃO DE BOLSISTA PARA MONITORIA

SELEÇÃO DE BOLSISTA PARA MONITORIA Atualização em 2017 EDITAL DE CHAMADA XX/XX SELEÇÃO DE BOLSISTA PARA MONITORIA CURSOS DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS, GESTÃO COMERCIAL, GESTÃO PÚBLICA, MARKETING E ANÁLISE

Leia mais

REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (LABEC) DO CENTRO DE EDUCAÇÃO - UFES

REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (LABEC) DO CENTRO DE EDUCAÇÃO - UFES REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (LABEC) DO CENTRO DE EDUCAÇÃO - UFES TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E DOS SEUS FINS Art. 1 O Laboratório de Educação em Ciências (LABEC) é um órgão do Centro de

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 06/2013 CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 06/2013 CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 06/2013 A Coordenação do Curso de Sistemas de Informação, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA EDITAL DE MONITORIA Nº 05

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA EDITAL DE MONITORIA Nº 05 PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DOS CURSOS DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E CIVIL EDITAL DE MONITORIA Nº 05 A Direção Geral e de Graduação torna público o presente Edital de Concurso Público composto de

Leia mais

Manual de Monitoria - FAMETRO

Manual de Monitoria - FAMETRO 2015 Manual de Monitoria - FAMETRO QUALIDADE DE ENSINO Coordenação de Ensino 17/12/2015 MANUAL DE MONITORIA INTRODUÇÃO O presente Guia visa proporcionar aos professores orientadores e alunos-monitores

Leia mais

E D I T A L Nº 003 Monitoria/2016

E D I T A L Nº 003 Monitoria/2016 E D I T A L Nº 003 Monitoria/2016 Dispõe sobre a abertura das inscrições para o Programa de Monitoria para os Cursos de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil e Administração da UNIARP. A Reitoria da

Leia mais

2.2 São obrigações do monitor: a) executar integralmente o programa proposto pelo orientador; b) ler bibliografia específica do módulo;

2.2 São obrigações do monitor: a) executar integralmente o programa proposto pelo orientador; b) ler bibliografia específica do módulo; EDITAL Nº001 /2016 - COORD. DE MEDICINA/UFRR Boa Vista, 16 de Maio de 2016 Dispõe sobre Processo de Seleção para vagas de monitores do curso de Medicina da UFRR. A Coordenação do Curso de Bacharelado em

Leia mais

2 Manual de Monitoria

2 Manual de Monitoria MANUAL DE MONITORIA 1 Manual de Monitoria 2 3 INTRODUÇÃO O presente manual visa proporcionar aos professores orientadores de alunosmonitores das FIPMoc informações sobre a MONITORIA, entendida como possibilidade

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DE GRADUAÇÃO (MONITORIA) EDITAL 01/2015. I. Da Caracterização do Programa de Estímulo ao Ensino de Graduação- Monitoria

PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DE GRADUAÇÃO (MONITORIA) EDITAL 01/2015. I. Da Caracterização do Programa de Estímulo ao Ensino de Graduação- Monitoria PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DE GRADUAÇÃO (MONITORIA) EDITAL 01/2015 DISPÕE SOBRE O EDITAL 01/2015 DO PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO QUE VISA A OFERECER A ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO

Leia mais

VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL 05/2016-DIRGRAD

VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL 05/2016-DIRGRAD Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Guarapuava Diretoria de Graduação e Educação Profissional VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL

Leia mais

EDITAL MOBILIDADE INTERNACIONAL AMÉRICA LATINA Edital N 05/2014 DRI/PROAES

EDITAL MOBILIDADE INTERNACIONAL AMÉRICA LATINA Edital N 05/2014 DRI/PROAES EDITAL MOBILIDADE INTERNACIONAL AMÉRICA LATINA Edital N 05/2014 DRI/PROAES Dispõe sobre o programa de Mobilidade Acadêmica Internacional para alunos de graduação da Universidade Federal Fluminense que

Leia mais

EDITAL MONITORIA 2013

EDITAL MONITORIA 2013 EDITAL MONITORIA 2013 SELEÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE ENFERMAGEM PARA EXERCÍCIO DA MONITORIA DE DISCIPLINAS TEÓRICO PRÁTICAS, CONFORME ESTABELECE ESTE EDITAL A coordenação do Curso de Enfermagem torna público

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 004/2011 CONSUNI/CGRAD Institui o Programa de Monitorias no âmbito da UFFS e dá outras providências. A Câmara de Graduação do Conselho Universitário CGRAD/CONSUNI, da Universidade Federal

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2017 DE 10 DE FEVEREIRO DE Altera a Resolução nº 07/2008 que regulamenta a Monitoria no âmbito da FDSM.

RESOLUÇÃO Nº 02/2017 DE 10 DE FEVEREIRO DE Altera a Resolução nº 07/2008 que regulamenta a Monitoria no âmbito da FDSM. RESOLUÇÃO Nº 02/2017 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2017. Altera a Resolução nº 07/2008 que regulamenta a Monitoria no âmbito da FDSM. O DIRETOR DA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS, no uso e gozo de suas atribuições

Leia mais

Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA Pró- Reitoria de Ensino de Graduação - PROGRAD Programa Institucional de Monitoria

Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA Pró- Reitoria de Ensino de Graduação - PROGRAD Programa Institucional de Monitoria Pró- Reitoria de Ensino de Graduação - PROGRAD A Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), por meio da Pró- Reitoria de Ensino de Graduação (PROGRAD), em consonância com a Resolução Nº33/2008, de 22

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS UFAL Secretaria Executiva dos Conselhos Superiores SECS/UFAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS UFAL Secretaria Executiva dos Conselhos Superiores SECS/UFAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS UFAL Secretaria Executiva dos Conselhos Superiores SECS/UFAL RESOLUÇÃO Nº 55/2008-CONSUNI/UFAL, de 10 de novembro de 2008. APROVA NORMAS QUE DISCIPLINAM O PROGRAMA DE MONITORIA

Leia mais

Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Pesquisa

Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Pesquisa Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Pesquisa NORMAS E PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS UNIDADE ACADÊMICA ESCOLA DE MÚSICA E ARTES CÊNICAS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS UNIDADE ACADÊMICA ESCOLA DE MÚSICA E ARTES CÊNICAS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS UNIDADE ACADÊMICA ESCOLA DE MÚSICA E ARTES CÊNICAS NORMAS COMPLEMENTARES PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO DE MONITORES DA ESCOLA DE MÚSICA E ARTES CÊNICAS,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 115/2013

RESOLUÇÃO Nº 115/2013 RESOLUÇÃO Nº 115/2013 Cria o Programa de Treinamento Administrativo. O Conselho de Setorial de Graduação da Universidade Federal de Juiz de Fora, no uso de suas atribuições e tendo em vista o que foi deliberado

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Faculdade Processus.

Programa de Iniciação Científica da Faculdade Processus. Programa de Iniciação Científica da Faculdade Processus. CAPÍTULO I OBJETIVOS Art. 1º O Programa de Iniciação Científica PIC da Faculdade Processus, constitui-se em um conjunto de ações destinadas a propiciar

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA SUBSTITUIÇÃO DE ALUNO

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA SUBSTITUIÇÃO DE ALUNO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DESÃOPAULO CÂMPUS SÃO JOSÉ DOS CAMPOS/PETROBRAS EDITAL N 065/2016 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA SUBSTITUIÇÃO DE ALUNO BOLSISTA DO PROGRAMA BOLSA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ CAMPUS DE TUCURUÍ DIRETORIA DE ENSINO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ CAMPUS DE TUCURUÍ DIRETORIA DE ENSINO EDITAL N o 006/2015 SELEÇÃO DE DISCENTES PARA ATUAR NA MONITORIA, INICIAÇÃO À DOCÊNCIA E MONITORIA DE ATENDIMENTO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO DO CÂMPUS TUCURUÍ DO IFPA O Instituto Federal de Educação,

Leia mais

EDITAL DE MONITORIA no. 02/2016

EDITAL DE MONITORIA no. 02/2016 EDITAL DE MONITORIA no. 02/2016 Dispõe sobre o procedimento de seleção de alunos ao Programa de Monitoria do Curso de Pedagogia da Faculdade Única de Contagem e dá outras providências. A COORDENAÇÃO DO

Leia mais

Faculdade Boa Viagem

Faculdade Boa Viagem Faculdade Boa Viagem CENTRO DE EMPREENDEDORISMO E INTERNACIONALIZAÇÃO EDITAL Nº 02/2017 DE 01 DE AGOSTO DE 2017 O Centro de Empreendedorismo e Internacionalização (CEI) juntamente com a Coordenadoria de

Leia mais

Faculdade DeVry Martha Falcão

Faculdade DeVry Martha Falcão Faculdade DeVry Martha Falcão PROGRAMA DE MONITORIA 2017.2 EDITAL Nº 02/2017 DE 12 DE MAIO DE 2017 A Coordenação Geral Acadêmica juntamente com a Coordenadoria de Apoio e Suporte ao Aluno (CASA) torna

Leia mais

SELEÇÃO DE MONITORES PARA O PROJETO DE EXTENSÃO CURSOS DE LINGUAS ESTRANGEIRAS/NCL

SELEÇÃO DE MONITORES PARA O PROJETO DE EXTENSÃO CURSOS DE LINGUAS ESTRANGEIRAS/NCL SELEÇÃO DE MONITORES PARA O PROJETO DE EXTENSÃO CURSOS DE LINGUAS ESTRANGEIRAS/NCL A Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Empreendedorismo da Universidade Federal do Maranhão UFMA, torna público, a todos

Leia mais

EDITAL Nº 01/ SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA

EDITAL Nº 01/ SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE CÂMPUS VENÂNCIO AIRES EDITAL Nº 01/2016 - SELEÇÃO PARA O PROGRAMA

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO

Leia mais

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. São Paulo, 25 de junho de 2008.

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. São Paulo, 25 de junho de 2008. RESOLUÇÃO CONSEPE 17/2008 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA (valido a partir de 1º de fevereiro de 2016)

REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA (valido a partir de 1º de fevereiro de 2016) REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA (valido a partir de 1º de fevereiro de 2016) Aprovado pelo Conselho de Curso de Graduação em Engenharia Elétrica em / /. Aprovado pela

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO INTERNO

MANUAL DE ESTÁGIO INTERNO MANUAL DE ESTÁGIO INTERNO AGOSTO/2016 SUMÁRIO O QUE É ESTÁGIO INTERNO?... 3 INSCRIÇÃO... 3 CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO... 3 COMPETÊNCIAS E ATRIBUIÇÕES... 4 Professor orientador:... 4 Estagiário:... 4 É EXPRESSAMENTE

Leia mais

Metrocamp PROGRAMA DE MONITORIA EDITAL Nº 01/2017 DE 16 DE JANEIRO DE 2017

Metrocamp PROGRAMA DE MONITORIA EDITAL Nº 01/2017 DE 16 DE JANEIRO DE 2017 Metrocamp PROGRAMA DE MONITORIA 2017.1 EDITAL Nº 01/2017 DE 16 DE JANEIRO DE 2017 A Coordenação Geral Acadêmica juntamente com a Coordenadoria de Apoio e Suporte ao Aluno (CASA) torna público que, no período

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD DIRETORIA DE REGULAÇÃO ACADÊMICA PROGRAMA DE MONITORIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD DIRETORIA DE REGULAÇÃO ACADÊMICA PROGRAMA DE MONITORIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES 1. IDENTIFICAÇÃO Unidade/Campus: Cacoal Departamento: Ciências Contábeis Disciplina(s): Conforme quadro abaixo Número de vagas: 01

Leia mais