Nome Instituição Gestora INSTITUTO FLORESTAL Tipo de instituição X governamental não governamental empresa mista Federal x Estadual Municipal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nome Instituição Gestora INSTITUTO FLORESTAL Tipo de instituição X governamental não governamental empresa mista Federal x Estadual Municipal"

Transcrição

1 Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida PARQUE ESTADUAL DE CAMPOS DO JORDÃO Estado Municipio (s) SÃO PAULO CAMPOS DO JORDÃO Nome Instituição Gestora INSTITUTO FLORESTAL Tipo de instituição X governamental não governamental empresa mista Federal x Estadual Municipal Documento legal de criação: Lei x Decreto Portaria Federal x Estadual Municipal Numero e data do documento legal Nº /4/1941 Área da Unidade Perimetro há km Nome do Responsável Direto MARCO ANTONIO PUPIO MARCONDES Profissão Engenheiro Florestal Escolaridade fundamental nivel médio x superior x mestre doutor Endereço da sede da unidade Av Pedro Paulo s/nº caixa postal 264 Campos do Jordão Telefone (12) Endereço Eletrônico da unidade Acesso principal à sede Rodovia AV. PEDRO PAULO sigla Estrada Distância da capital a partir da sede 160 KM km Área de Propriedade da Federação/Estado/Município há porcentagem do total 100 % Documento de Planejamento X Plano de Manejo Plano de Gestão Outro X concluido em elaboração X em revisão ano ano inicio Base cartográfica digital

2 X existente em elaboração escala base Conselho Consultivo sim não X ANO em processo de criação visitantes/ n. estimado n. monitorado n. registrado principais atrativos X trilhas praias X mata X montanhas maciços rochosos X cachoeiras pat historico patrimonio cultural cavernas X campos de altitude campos rupestres manguesais Ocupação Humana uso do solo em % da área total - estimada Mata maciços rochosos campos de altitude campos rupestres restinga manguesais campos antrópicos ambientes marinhos ilhas cultura temporaria cul permanente pastagens ocupação urbana Ocupantes - habitantes ou familias (assinalar opção) no estimado F hab no registrado F hab Edificações de terceiros no. Projetos de pesquisa 30 concluidos 20 em andamento 50 total estimado não sabe não tem Administração Aquisições/contratos sim ou não Novas instalações SIM Reforma Instalações SIM Novos equipamentos SIM Novos veiculos Total investimento 2005 Total custeio 2005 X não totalizou não tem acesso no. no. no. Equipe Técnica (nivel 3 superior) 10 Fiscalização Vigilancia 14 terceirizada 3 apoio administrativo 8 apoio operacional voluntarios

3 2 estagiarios 6 outros Infra estrutura X Sede X interior da UC Fora da UC X Propria alugada outra instituicão Centro de visitantes 200 m2 sala exposições 250 m2 museu m2 sala de reunioes 100 m2 capacidade 40 pessoas sala de reunioes m2 capacidade pessoas alojamento visitantes 100 m2 capacidade 18 leitos alojamento visitantes 70 m2 capacidade 8 leitos Bases (ou nucleos) no. no. no. 1 fiscalização 2 visitação ambas funções 1 administração 2 alojamento pesquisa Outros Problemas Ambientais Qualificar de 1 a 5, conforme gravidade crescente. Considerar gravidade pontual da atividade, reversibilidade, área de abrangencia do problema e tendencia a piorar ou resolver Ocupação 1 Rural 1 rarefeita adensada monocultura 3 pastagens interior da UC 2 entorno da UC Urbana/residencial/turistica rarefeita (pequenos desordenada 2 nucleos) adensada 0 interior da UC 2 entorno da UC Acessos 3 estrada pavimentada 3 estrada de terra 1 interior da UC 2 caminho (4x4) 3 dá acesso à UC ferrovia Pressões e impactos somente no interior da UC consolidada c/ infra estrutura residencial pontual 0 uso público descontrolado Outras Estruturas

4 Duto (água, captação de 0 der.petróleo, gás) 0 linha de alta tensão 0 antenas 0 água outros Utilização ilegal dos recursos naturais 0 desmatamento 3 fogo caça/captura fauna 2 s. 2 pesca area afetada/ano extração de 0 madeira 0 ornamentais 0 palmito 0 pedra e areia contaminação biológica 1 3 peixes exóticos animais 2 domésticos 2 fauna exótica 0 resíduos sólidos 2 agrotóxicos 0 residuos industriais espécies de 0 flora Gestão Efetividade de Manejo - pontuar de 0 a 5 em ordem crescente conforme atendimento a necessidades básicas 4 recursos humanos 3 rec. financeiros 4 infra estrutura 3 eq informatica 2 veiculos 3 telecomunicação 3 radiocomunicação 3 geoprocessamento 4 internet 4 interinstitucional 4 técnica 4 financeira 4 proteção 4 pesquisa 4 uso publico interação sócio 4 ambiental 5 reg. fundiária 4 sinalização 3 brigada de incendio Prioridades de gestão e manejo - pontuar de 1 a 5, conforme prioridade, em ordem crescente 4 recursos humanos 4 rec. financeiros 3 infra estrutura 4 eq informatica 4 veiculos 3 telecomunicação 4 radiocomunicação 4 geoprocessamento 3 internet 4 interinstitucional 4 técnica 3 financeira 4 proteção 4 pesquisa 3 uso publico interação sócio 4 ambiental reg. fundiária 3 sinalização Parcerias 4 prefeitura estado federação 1 informal informal informal

5 4 Universidades Agentes 5 financiadores 5 ONGs 1 informal informal informal 4 empresas privadas 4 operadores turismo 4 monitores/guias 2 informal 2 informal 2 informal IMPORTÂNCIA E JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA UC NO MOSAICO (utilize quantas linhs for necessário) MAIOR ÁREA PROTEGIDA DE ARAUCARIA NO ESTADO, CAMPOS DE ALTITUDE, PLANO DE MANEJO, USO PUBLICO, EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Observações/complementações ANEXAR MAPA DIGITALIZADO DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO (enviar em CD-ROM devido ao tamanho do arquivo ou caso não possua representar e enviar na base cartográfica do IBGE escala 1:50.000) Preenchido por nome função data Marco Antonio Pupio Marcondes Diretor do PECJ 17 de julho de 2.006

Documento legal de criação: Lei x Decreto Portaria Federal x Estadual Municipal

Documento legal de criação: Lei x Decreto Portaria Federal x Estadual Municipal Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida PARQUE ESTADUAL DOS MANANCIAIS DE CAMPOS DO JORDÃO Estado Municipio (s) SÃO PAULO CAMPOS DO JORDÃO

Leia mais

São Paulo Nome Instituição Gestora IBAMA-Gerex SP Tipo de instituição x governamental não governamental empresa mista x Federal Estadual Municipal

São Paulo Nome Instituição Gestora IBAMA-Gerex SP Tipo de instituição x governamental não governamental empresa mista x Federal Estadual Municipal Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida APA Mananciais da bacia hidrográfica do rio Paraíba do Sul Estado Municipio (s) São Paulo Nome Instituição

Leia mais

Documento legal de criação: Lei Decreto X Portaria Federal X Estadual Municipal

Documento legal de criação: Lei Decreto X Portaria Federal X Estadual Municipal Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida Estação Ecológica de Tamoios Estado Municipio (s) RJ Angra dos Reis e Paraty Nome Instituição Gestora

Leia mais

Endereço da sede da unidade Estrada do Parque Nacional, km 8,5 Municipio Itatiaia - RJ Telefo(24) /7001 Endereço Eletrônico da unidade

Endereço da sede da unidade Estrada do Parque Nacional, km 8,5 Municipio Itatiaia - RJ Telefo(24) /7001 Endereço Eletrônico da unidade Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida Parque Nacional do Itatiaia Estado Municipio (s) RJ e MG Itatiaia e Resende (RJ), Itamonte e Bocaina

Leia mais

Brasópolis, Camanducaia, Extrema, Gonçalves, Itapeva, Minas Gerais

Brasópolis, Camanducaia, Extrema, Gonçalves, Itapeva, Minas Gerais Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida Área de Proteção Ambiental Fernão Dias Estado Municipio (s) Brasópolis, Camanducaia, Extrema, Gonçalves,

Leia mais

Numero e data do documento legal , 04/02/1971, modificado Pelo /06/1972

Numero e data do documento legal , 04/02/1971, modificado Pelo /06/1972 Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida Parque Nacional da Serra da Bocaina Estado Municipio (s) RJ/SP Angra dos Reis, Areias, Cunha, Paraty,

Leia mais

Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida. Informações Básicas

Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida. Informações Básicas Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida Area de Proteção Ambiental da Serra da Mantiqueira Estado Municipio (s) MG,SP,RJ Liberdade, Passa

Leia mais

Nome Instituição Gestora GEREX - RJ IBAMA Tipo de instituição governamental x não governamental empresa mista Federal x Estadual Municipal

Nome Instituição Gestora GEREX - RJ IBAMA Tipo de instituição governamental x não governamental empresa mista Federal x Estadual Municipal Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida APA de Cairuçú Estado RJ Nome Instituição Gestora GEREX - RJ IBAMA Tipo de instituição Municipio

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO MOSAICO MATA ATLÂNTICA CENTRAL FLUMINENSE

CARACTERIZAÇÃO DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO MOSAICO MATA ATLÂNTICA CENTRAL FLUMINENSE 1 CARACTERIZAÇÃO DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO MOSAICO MATA ATLÂNTICA CENTRAL FLUMINENSE Contexto O fortalecimento de Corredores Ecológicos e a criação Mosaicos de UCs foram definidos no Planejamento

Leia mais

Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida. Informações Básicas. Nome da Unidade/Área Protegida Parque Estadual da Ilha Anchieta

Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida. Informações Básicas. Nome da Unidade/Área Protegida Parque Estadual da Ilha Anchieta Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida Parque Estadual da Ilha Anchieta Estado Municipio (s) São Paulo Ubatuba Nome Instituição Gestora

Leia mais

AGÊNCIA DO MEIO AMBIENTE DE RESENDE (AMAR)

AGÊNCIA DO MEIO AMBIENTE DE RESENDE (AMAR) Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida APA da Serrinha do Alambari Estado Municipio (s) RJ RESENDE Nome Instituição Gestora AGÊNCIA DO

Leia mais

Documento legal de criação: Lei X Decreto Portaria Federal Estadual Municipal. Numero e data do documento legal Decreto 90225 de 1984

Documento legal de criação: Lei X Decreto Portaria Federal Estadual Municipal. Numero e data do documento legal Decreto 90225 de 1984 Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida Área de Proteção Ambiental de Guapimirim Estado Municipio (s) RJ Magé, Guapimirim, Itaboraí e São

Leia mais

Área de Propriedade da Federação/Estado/Município ha porcentagem do total %

Área de Propriedade da Federação/Estado/Município ha porcentagem do total % Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida RPPN Mitra do Bispo Estado Municipio (s) Minas Gerais Bocaina de Minas Nome Instituição Gestora

Leia mais

CAMPO DE ALTITUDE E FLORESTA OMBRÓFILA DENSA DE ENCOSTA

CAMPO DE ALTITUDE E FLORESTA OMBRÓFILA DENSA DE ENCOSTA PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO MAR NÚCLEO PICINGUABA CAMPO DE ALTITUDE E FLORESTA OMBRÓFILA DENSA DE ENCOSTA CARACTERISTICAS DO NPIC ÁREA: 47.500ha, 80% do município de Ubatuba DELIMITAÇÃO: : à partir de

Leia mais

Sena Madureira e Manoel Urbano

Sena Madureira e Manoel Urbano Plano de Manejo Sena Madureira e Manoel Urbano Contexto - entorno PM1 Conselho Deliberativo PM2 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 PM1 12 meses PM2 16 meses (aprovação do CD) Diagnóstico 2003 (jun a out)

Leia mais

PROJETO MOSAICOS DO CORREDOR DA SERRA DO MAR (IA-RBMA / CEPF ) JUSTIFICATIVA Elaborado por Paulo Pêgas

PROJETO MOSAICOS DO CORREDOR DA SERRA DO MAR (IA-RBMA / CEPF ) JUSTIFICATIVA Elaborado por Paulo Pêgas PROJETO MOSAICOS DO CORREDOR DA SERRA DO MAR (IA-RBMA / CEPF ) JUSTIFICATIVA Elaborado por Paulo Pêgas A Serra da Mantiqueira constitui um dos mais significativos conjuntos orográficos brasileiros. Localizada

Leia mais

Atribuições da FATMA no município de Florianópolis

Atribuições da FATMA no município de Florianópolis Seminário de Condicionantes Ambientais e Capacidade de Suporte IPUF / Prefeitura Municipal de Florianópolis Atribuições da FATMA no município de Florianópolis ELAINE ZUCHIWSCHI Analista Técnica em Gestão

Leia mais

Mosaico Mantiqueira. Clarismundo Benfica. São Paulo, Maio de 2009

Mosaico Mantiqueira. Clarismundo Benfica. São Paulo, Maio de 2009 Mosaico Mantiqueira Integração de Ações Regionais Foto: Clarismundo Benfica Clarismundo Benfica São Paulo, Maio de 2009 Mosaicos de UCs rede formal de UCs trabalhando para melhorar as capacidades individuais

Leia mais

PLANO DE GESTÃO E MANEJO ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL APA PINGO D ÁGUA ABRIL DE 2008 PINGO D ÁGUA - MINAS GERAIS

PLANO DE GESTÃO E MANEJO ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL APA PINGO D ÁGUA ABRIL DE 2008 PINGO D ÁGUA - MINAS GERAIS PLANO DE GESTÃO E MANEJO ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL APA PINGO D ÁGUA ABRIL DE 2008 PINGO D ÁGUA - MINAS GERAIS PLANO DE GESTÃO E MANEJO APA PINGO D ÁGUA PREFEITURA MUNICIPAL DE PINGO D ÁGUA Breno Silvério

Leia mais

Lagoa Urussanga Velha Lagoa Mãe Luzia

Lagoa Urussanga Velha Lagoa Mãe Luzia Lagoas Costeiras Objetivando constatar a situação atual das lagoas costeiras dos municípios do setor Sul do litoral catarinense, nos dias 17 de abril e 12 de junho de 2008 foram realizadas vistorias terrestres

Leia mais

ANEXO I - TABELA DE TÍTULOS E RESPETIVAS PONTUAÇÕES COLUNA 1 COLUNA 2 COLUNA 3 COLUNA 4 COLUNA 5

ANEXO I - TABELA DE TÍTULOS E RESPETIVAS PONTUAÇÕES COLUNA 1 COLUNA 2 COLUNA 3 COLUNA 4 COLUNA 5 ANEXO I - TABELA DE TÍTULOS E RESPETIVAS PONTUAÇÕES COLUNA 1 COLUNA 2 COLUNA 3 COLUNA 4 COLUNA 5 Pontuação conforme Pontuação Máxima Grau de Critérios Documentação documentos para cada critério importância

Leia mais

Mata Atlântica: área de ocorrência (cobertura original)

Mata Atlântica: área de ocorrência (cobertura original) Mata Atlântica: área de ocorrência (cobertura original) Em 1500 a Mata Atlântica era uma faixa de 3500 Km, que se estendia por dezessete Estados. A Mata tinha mais de 1 milhão de Km 2, equivalente a cerca

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ESTÁGIO VOLUNTÁRIO 2010/2011 PARQUE ESTADUAL SERRA DO MAR NÚCLEO PICINGUABA

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ESTÁGIO VOLUNTÁRIO 2010/2011 PARQUE ESTADUAL SERRA DO MAR NÚCLEO PICINGUABA EDITAL PARA SELEÇÃO DE ESTÁGIO VOLUNTÁRIO 2010/2011 PARQUE ESTADUAL SERRA DO MAR NÚCLEO PICINGUABA O Núcleo Picinguaba do Parque Estadual da Serra do Mar (PESM-NPIC), Unidade de Conservação administrada

Leia mais

Ivan Suarez da Mota II WORKSHOP PROJETO SERRA DO MAR. Mestre em Saneamento e Ambiente

Ivan Suarez da Mota II WORKSHOP PROJETO SERRA DO MAR. Mestre em Saneamento e Ambiente II WORKSHOP PROJETO SERRA DO MAR Ivan Suarez da Mota Mestre em Saneamento e Ambiente Estrada Parque Uma proposta no cenário complexo da relação entre a Conservação e desenvolvimento econômico O debate

Leia mais

AVANÇOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO SNUC E DESAFIOS PARA O FUTURO

AVANÇOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO SNUC E DESAFIOS PARA O FUTURO AVANÇOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO SNUC E DESAFIOS PARA O FUTURO Maurício Mercadante Diretoria de Áreas Protegidas Secretaria de Biodiversidade e Florestas Ministério do Meio Ambiente - Brasil Em 1985 as Unidades

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA APLICAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA APLICAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA APLICAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS OBJETIVO GERAL Elaborar um planejamento com o objetivo de orientar os investimentos nas UCs Estaduais,

Leia mais

PAC Cidades Históricas e a Gestão das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina

PAC Cidades Históricas e a Gestão das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina PAC Cidades Históricas e a Gestão das Fortalezas da Ilha de Santa Fortalezas de SC tombadas pelo IPHAN São José da Ponta Grossa Bateria São Caetano Fortalezas de SC tombadas pelo IPHAN Santo Antônio de

Leia mais

Definição Bio Diversidade Brasil Biomas Brasileiros Mata Atlântica

Definição Bio Diversidade Brasil Biomas Brasileiros Mata Atlântica UC, SNUC e o MoNa Marcelo Andrade Biólogo Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SMAC Gestor do Monumento Natural dos Morros do Pão de Açúcar e da Urca Gestor do Parque Natural Municipal Paisagem Carioca

Leia mais

PROGRAMA VOLUNTARIADO NO PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU - PNI

PROGRAMA VOLUNTARIADO NO PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU - PNI PROGRAMA VOLUNTARIADO NO PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU - PNI Entendendo que através do trabalho voluntário, a sociedade, de maneira geral tem a chance de exercitar seu papel de cidadão e conhecer novas áreas

Leia mais

BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR

BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE 2014 RESUMO: 1. NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR 1 NÚMEROS, PROGRAMAS E INSTRUMENTOS 84 artigos 76 EXCEÇÕES - INV. GAS. 36 DECRETOS REGULAMENTARES - DECRETOS A PUBLICAR: CRA

Leia mais

A Área ( AIAR) (1) I Várzea do Rio Atibaia

A Área ( AIAR) (1) I Várzea do Rio Atibaia Anexo A.15 MUNICÍPIO DE ATIBAIA LEI COMPLEMENTAR Nº /, de de de ORDENAMENTO DO USO E OCUPAÇÃO DO SOLO - ÁREAS DE INTERESSE AMBIENTAL RELEVANTE DISPOSIÇÕES INCIDENTES Área ( AIAR) (1) Restrições ( Usos,

Leia mais

Desafios para o Mosaico Veadeiros

Desafios para o Mosaico Veadeiros Governança e gestão integrada das áreas protegidas que compõe mosaicos Desafios para o Mosaico Veadeiros Workshop sobre Mosaicos de Áreas Protegidas Brasília, 10/05/2016 Conversaremos sobre: Mosaico de

Leia mais

CORREDOR ECOLÓGICO DA MANTIQUEIRA COMO E PORQUE PLANEJAR

CORREDOR ECOLÓGICO DA MANTIQUEIRA COMO E PORQUE PLANEJAR CORREDOR ECOLÓGICO DA MANTIQUEIRA COMO E PORQUE PLANEJAR Corredor Ecológico da Mantiqueira Corredor Ecológico da Mantiqueira Fonte: Conservação Internacional Corredor Ecológico da Mantiqueira Justificativa

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº /2015

PROJETO DE LEI Nº /2015 Sumário PROJETO DE LEI Nº /2015 TÍTULO I DOS FUNDAMENTOS, ABRANGÊNCIA E FINALIDADES...7 CAPÍTULO I DOS FUNDAMENTOS E ABRANGÊNCIA... 7 CAPÍTULO II DA FINALIDADE E PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO... 7 TÍTULO

Leia mais

SECRETÁRIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PORTARIA Nº. 015, DE 21 DE OUTUBBRO DE 2004.

SECRETÁRIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PORTARIA Nº. 015, DE 21 DE OUTUBBRO DE 2004. SECRETÁRIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PORTARIA Nº. 015, DE 21 DE OUTUBBRO DE 2004. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições legais e regulamentares, conforme art. 27º, do Decreto

Leia mais

MAPA DE PESSOAL 2017

MAPA DE PESSOAL 2017 MAPA DE PESSOAL 07 (art.º 9.º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, aprovada pela Lei n.º 5/04 de 0/06) A - TRABALHADORES A MANTER EM EXERCÍCIO DE FUNÇÕES A.. COMISSÃO DE SERVIÇO A... PESSOAL DIRIGENTE

Leia mais

PARQUE ESTADUAL DO JALAPÃO - PEJ. Manejo Integrado do Fogo MIF

PARQUE ESTADUAL DO JALAPÃO - PEJ. Manejo Integrado do Fogo MIF PARQUE ESTADUAL DO JALAPÃO - PEJ Manejo Integrado do Fogo MIF PARQUE ESTADUAL DO JALAPÃO - PEJ Unidade de Conservação de Proteção Integral Criação: 12 de janeiro de 2001 Lei Estadual nº 1.203/2001 Área:

Leia mais

Prezado senhor gestor público do município de Florianópolis,

Prezado senhor gestor público do município de Florianópolis, Prezado senhor gestor público do município de Florianópolis, Entregamos este documento elaborado pela representação do Conselho Gestor do Plano Diretor Participativo (PDP) do bairro do Rio Vermelho junto

Leia mais

FRAGMENTOS FLORESTAIS

FRAGMENTOS FLORESTAIS FRAGMENTOS FLORESTAIS O que sobrou da Mata Atlântica Ciclos econômicos 70% da população Menos de 7,4% e mesmo assim ameaçados de extinção. (SOS Mata Atlânitca, 2008) REMANESCENTES FLORESTAIS MATA ATLÂNTICA

Leia mais

Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica

Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica Rede de ONGs da Mata Atlântica RMA Apoio: Funbio e MMA Papel do Município no meio ambiente Constituição Federal Art 23 Competência Comum,

Leia mais

Plano Operacional Anual (POA) 2014

Plano Operacional Anual (POA) 2014 Plano Operacional Anual (POA) 2014 GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS INSTITUTO NATUREZA DO TOCANTINS COORDENADORIA DE PROTEÇÃO À BIODIVERSIDADE SUPERVISÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL MONUMENTO

Leia mais

6 ENCONTRO NACIONAL DO CB27 PALMAS. Tocantins PROGRAMA DE GESTÃO DOS RECURSOS NATURAIS E FLORESTAS URBANAS

6 ENCONTRO NACIONAL DO CB27 PALMAS. Tocantins PROGRAMA DE GESTÃO DOS RECURSOS NATURAIS E FLORESTAS URBANAS PALMAS Tocantins PROGRAMA DE GESTÃO DOS RECURSOS NATURAIS E FLORESTAS URBANAS Natal, Julho de 2015 I INDICADORES SOCIOECONÔMICOS DO MUNICÍPIO: População: 265.409 Habitantes. Área: 2.218,943 Km². Área verde

Leia mais

Eng. Agrônomo Ricardo Moacir Konzen Coordenador de departamento Departamento de Meio Ambiente de Vera Cruz

Eng. Agrônomo Ricardo Moacir Konzen Coordenador de departamento Departamento de Meio Ambiente de Vera Cruz Eng. Agrônomo Ricardo Moacir Konzen Coordenador de departamento Departamento de Meio Ambiente de Vera Cruz agronomia@veracruz-rs.gov.br dema@veracruz-rs.gov.br 51 37183778 Vera Cruz - RS Distância de Porto

Leia mais

Fogos Para que serve a prevenção estrutural? por Rui Almeida (DGACPPF/DDFVAP) 5 de novembro de 2015

Fogos Para que serve a prevenção estrutural? por Rui Almeida (DGACPPF/DDFVAP) 5 de novembro de 2015 Palestra Fogos Para que serve a prevenção estrutural? por Rui Almeida (DGACPPF/DDFVAP) 5 de novembro de 2015 Ciclo de Palestras ENCONTROS COM O ICNF Sede do ICNF, Lisboa, às segundas e quintas (14H-14H30)

Leia mais

Usina Hidrelétrica (UHE) Sinop 7ª Reunião da Comissão de Monitoramento Socioeconômico 06 de abril de 2016

Usina Hidrelétrica (UHE) Sinop 7ª Reunião da Comissão de Monitoramento Socioeconômico 06 de abril de 2016 Usina Hidrelétrica (UHE) Sinop 7ª Reunião da Comissão de Monitoramento Socioeconômico 06 de abril de 2016 AGENDA 08:30 Boas vindas / Apresentação 08:45 Pauta da Reunião: Apresentação do Vídeo Institucional;

Leia mais

EDITAL DIBAP/INEA Nº 01/2016

EDITAL DIBAP/INEA Nº 01/2016 EDITAL DIBAP/INEA Nº 01/2016 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1. O Instituto Estadual do Ambiente (INEA) torna público o Edital nº 01/2016, referente ao Programa de Voluntariado Ambiental do INEA, regido

Leia mais

O Papel da Gestora Ambiental no Empreendimento Rodoviário UFV/DNIT

O Papel da Gestora Ambiental no Empreendimento Rodoviário UFV/DNIT seminário [Gestão Ambiental] O Papel da Gestora Ambiental no Empreendimento Rodoviário UFV/DNIT Salvador/BA, 23 de setembro de 2016 integração [Gerenciamento] PARTES INTERESSADAS GESTÃO AMBIENTAL, ABRANGENDO

Leia mais

ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento

ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento SUB Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano 1 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço Central 2 Classificação e Qualificação do Solo Solo

Leia mais

Acordo de Gestão de Recursos Naturais

Acordo de Gestão de Recursos Naturais Acordo de Gestão de Recursos Naturais Reserva Extrativista do Lago do Capanã Grande Amazonas-AM Fotos: Aquivo Resex Capanã Grande Portaria 226 de 13/09/2013 1 PESCA É permitido pescar dentro da Resex?

Leia mais

AULÃO UDESC 2013 GEOGRAFIA DE SANTA CATARINA PROF. ANDRÉ TOMASINI Aula: Aspectos físicos.

AULÃO UDESC 2013 GEOGRAFIA DE SANTA CATARINA PROF. ANDRÉ TOMASINI Aula: Aspectos físicos. AULÃO UDESC 2013 GEOGRAFIA DE SANTA CATARINA PROF. ANDRÉ TOMASINI Aula: Aspectos físicos. Relevo de Santa Catarina Clima de Santa Catarina Fatores de influência do Clima Latitude; Altitude; Continentalidade

Leia mais

PARECER TÉCNICO Nº 07/2017

PARECER TÉCNICO Nº 07/2017 PARECER TÉCNICO Nº 07/2017 Assunto: Análise da área do município de Alto Caparaó, situada na porção da bacia do rio Doce, para fins de determinação sobre a implementação dos programas previstos no Plano

Leia mais

IMPACTOS SOCIAIS EM REGIÕES DE FLORESTAS PLANTADAS. Sergio Alvareli Júnior UFV Universidade Federal de Viçosa

IMPACTOS SOCIAIS EM REGIÕES DE FLORESTAS PLANTADAS. Sergio Alvareli Júnior UFV Universidade Federal de Viçosa IMPACTOS SOCIAIS EM REGIÕES DE FLORESTAS PLANTADAS Sergio Alvareli Júnior UFV Universidade Federal de Viçosa Sergio Alvareli Júnior Eng. Florestal, M. Sc. Ciência Florestal Doutorando em Ciência Florestal

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GLT 16 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO III GRUPO DE ESTUDO DE LINHA DE TRANSMISSÃO NOVAS TECNOLOGIAS PARA ESTUDO

Leia mais

ECOVILA CAMINHO DE ABROLHOS. Loteamento Ecológico a 500 metros da praia

ECOVILA CAMINHO DE ABROLHOS. Loteamento Ecológico a 500 metros da praia ECOVILA CAMINHO DE ABROLHOS Loteamento Ecológico a 500 metros da praia Localização Cidade de Nova Viçosa NOVA VIÇOSA 38.000 hab. Localização do Empreendimento Vista Aérea Cidade de Nova Viçosa/Localização

Leia mais

PLANO DE TRABALHO GEUC N.º 03 / SUBSTITUI O PT GEUC Nº 02/2013

PLANO DE TRABALHO GEUC N.º 03 / SUBSTITUI O PT GEUC Nº 02/2013 PLANO DE TRABALHO GEUC N.º 03 /2015 - SUBSTITUI O PT GEUC Nº 02/2013 Plano de trabalho para aplicação de recursos advindos da compensação ambiental, apresentado à Câmara de Proteção à Biodiversidade /COPAM,

Leia mais

RELATÓRIO DE AÇÕES DE AQUISIÇÃO DE MÃO DE OBRA, PRODUTOS E SERVIÇOS NO MUNICÍPIO DE MINEIROS GO

RELATÓRIO DE AÇÕES DE AQUISIÇÃO DE MÃO DE OBRA, PRODUTOS E SERVIÇOS NO MUNICÍPIO DE MINEIROS GO RELATÓRIO DE AÇÕES DE AQUISIÇÃO DE MÃO DE OBRA, PRODUTOS E SERVIÇOS NO MUNICÍPIO DE MINEIROS GO Agosto, 2016. ÍNDICE 1. Apresentação... 3 2. Empreendedor... 3 3. Ações de aquisição de mão de obra, produtos

Leia mais

Instituto Estadual do Patrimônio Cultural. Inventário de Identificação dos Reservatórios da CEDAE. Secretaria de Estado de Cultura - RJ

Instituto Estadual do Patrimônio Cultural. Inventário de Identificação dos Reservatórios da CEDAE. Secretaria de Estado de Cultura - RJ Instituto Estadual do Patrimônio Cultural Secretaria de Estado de Cultura - RJ Inventário de Identificação dos Reservatórios da CEDAE Denominação: Represa do Camorim Localização: Parque Estadual da Pedra

Leia mais

AÇÕES DA VIGILÂNCIA EM ÁREAS DE RISCO

AÇÕES DA VIGILÂNCIA EM ÁREAS DE RISCO AÇÕES DA VIGILÂNCIA EM ÁREAS DE RISCO Município: Cotia S.P População estimada( IBGE/05 ) 175.008 habitantes Área 325 km 2 108 km 2 : Reserva Florestal 196 km 2 : Tendência Rural 21 km 2 : Cosmopolita Distância

Leia mais

Figura 7: Distribuição dos diferentes tipos de perfis localizados nos municípios do setor Sul do litoral catarinense.

Figura 7: Distribuição dos diferentes tipos de perfis localizados nos municípios do setor Sul do litoral catarinense. Diagnóstico de Campo Objetivando constatar a situação atual da ocupação das praias dos municípios do setor Sul do litoral catarinense, entre os dias 14 e 17 de abril de 2008 foram realizadas vistorias

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA CÂMARA MUNICIPAL DE ALMADA Arquitetura Paisagista Plano de Pormenor - Lisboa, Março 2015 - PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA Fonte da Telha > Estimativa Orçamental DEMOLIÇÕES 1. Edifícios e estruturas

Leia mais

ANEXO III da Lei nº /2005 Progressão por Capacitação (Redação dada pela Lei nº de 2005

ANEXO III da Lei nº /2005 Progressão por Capacitação (Redação dada pela Lei nº de 2005 ANEXO III da Lei nº 11.091/2005 Progressão por Capacitação (Redação dada pela Lei nº 11.233 de 2005 TABELA PARA PROGRESSÃO POR CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL NÍVEL DE NÍVEL DE CARGA HORÁRIA DE CLASSIFICAÇÃO

Leia mais

Ainda segundo o Regulamento Interno (Associação..., 1999), é proibido o estabelecimento de empreendimentos não residenciais, como de comércio,

Ainda segundo o Regulamento Interno (Associação..., 1999), é proibido o estabelecimento de empreendimentos não residenciais, como de comércio, 163 Muro de divisa Novo acesso Figura 104: Vista parcial dos lotes localizados na Rua das Tulipas, o muro de divisa do loteamento e o novo acesso ao fundo. O loteamento Jardim Haras Bela Vista tem definido

Leia mais

II Municípios Mato-Grossenses em Foco

II Municípios Mato-Grossenses em Foco O banco que acredita nas pessoas II Municípios Mato-Grossenses em Foco As ações e possibilidades de atuação da Caixa nos municípios Atuação da CAIXA: Urbano + Rural Linhas Gerais Linhas Propostas: Linhas

Leia mais

Unidades de Conservação

Unidades de Conservação Unidades de Conservação Unidades de conservação Unidades de conservação Um dos mais significativos programas de conservação ambiental está sendo implantado pela CESP; porém, poucas pessoas podem perceber

Leia mais

O efeito das estradas sobre a cobertura florestal e a biodiversidade

O efeito das estradas sobre a cobertura florestal e a biodiversidade RODO2010-21/10/2010 O efeito das estradas sobre a cobertura florestal e a biodiversidade Simone R. Freitas Universidade Federal do ABC (UFABC) O que é Ecologia de Estradas? Estudo das interações entre

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SOCIOAMBIENTAL DA REGIÃO HIDROGRÁFICA DO GUAÍBA

DESENVOLVIMENTO SOCIOAMBIENTAL DA REGIÃO HIDROGRÁFICA DO GUAÍBA DESENVOLVIMENTO SOCIOAMBIENTAL DA REGIÃO HIDROGRÁFICA DO GUAÍBA REGIÃO HIDROGRÁFICA DO GUAÍBA Alto Jacuí Taquari-Antas Pardo Caí Sinos Vacacaí- Vacacaí Mirim Baixo Jacuí Lago Guaíba Gravataí População:

Leia mais

Última alteração Página 1 de 8

Última alteração Página 1 de 8 01 Despesas com o pessoal * 01 01 Remunerações certas e permanentes * 01 01 01 01 01 02 Órgãos sociais * 01 01 03 Pessoal dos quadros - Regime de função pública * 01 01 04 Pessoal dos quadros - Regime

Leia mais

Municípios são essenciais para a conservação da Mata Atlântica

Municípios são essenciais para a conservação da Mata Atlântica Municípios são essenciais para a conservação da Mata Atlântica Categories : Colunistas Convidados A Mata Atlântica, um dos hotspots mundiais de biodiversidade, possui uma das mais atuantes redes institucionais

Leia mais

Treinamento: Gestão Ambiental da Propriedade Rural Cód. 294

Treinamento: Gestão Ambiental da Propriedade Rural Cód. 294 Código Ambiental Atualizado Santa Catarina Santa Catarina é o primeiro estado brasileiro em aprovar e fazer virar lei um código ambiental independente da legislação federal (é importante salientar que

Leia mais

Consórcio Intermunicipal para Gestão Ambiental das Bacias da Região dos Lagos e dos Rios São João e Una. Tema Dados Atributo

Consórcio Intermunicipal para Gestão Ambiental das Bacias da Região dos Lagos e dos Rios São João e Una. Tema Dados Atributo Tema Dados Atributo Base Cartográfica Básica Municípios Distritos Localidades (ponto) Vias de acesso (rodovias, estradas vicinais) Faixa de domínio Linhas de Transmissão Sub-estação de energia do município

Leia mais

PERFIL DO PROFISSIONAL DOS PARQUES ESTADUAIS DE SANTA CATARINA

PERFIL DO PROFISSIONAL DOS PARQUES ESTADUAIS DE SANTA CATARINA PERFIL DO PROFISSIONAL DOS PARQUES ESTADUAIS DE SANTA CATARINA Autores: Paulo Henrique Antunes PITTARELLO, Marina Tété VIEIRA. Identificação autores: Aluno pesquisador, curso técnico em hospedagem, IFC-

Leia mais

Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento.

Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento. POLITICA FEDERAL DE SANEAMENTO Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento. Engº civil Gilson Queiroz Maio de 2014 Desafios e Cenários adversos 2 PERFIL DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS www.funasa.gov.br

Leia mais

REGISTRO DE INSTITUIÇÕES MUSEOLÓGICAS

REGISTRO DE INSTITUIÇÕES MUSEOLÓGICAS 1 REGISTRO DE INSTITUIÇÕES MUSEOLÓGICAS Nº do Processo: Data de Recebimento: Nº do Registro: 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 NOME COMPLETO DO MUSEU: 1.2 CNPJ PRÓPRIO: 1.3 ENDEREÇO: 1.4 CIDADE: 1.5 UF: 1.6 CEP: 1.7

Leia mais

Panorama sobre as Unidades de Conservação do município de São Paulo.

Panorama sobre as Unidades de Conservação do município de São Paulo. Panorama sobre as Unidades de Conservação do município de São Paulo. Julia da Silva Vilela - Bióloga Divisão de Unidades de Conservação e Proteção da Biodiversidade e Herbário - DEPAVE-8/SVMA São Paulo,

Leia mais

Caracterização das reservas naturais privadas na América Latina. Carlos Alberto B. Mesquita

Caracterização das reservas naturais privadas na América Latina. Carlos Alberto B. Mesquita Caracterização das reservas naturais privadas na América Latina Carlos Alberto B. Mesquita Pesquisa realizada com o apoio de: Centro Agronómico Tropical de Investigación y Enseñanza, CATIE Programa Natureza

Leia mais

Praias Antropizadas Conforme citado anteriormente, os perfis 1, 5, 7, 9 (Passo de Torres), 13, 14, (Balneário Gaivota), 19, 21, 24, 25, 27 (Balneário

Praias Antropizadas Conforme citado anteriormente, os perfis 1, 5, 7, 9 (Passo de Torres), 13, 14, (Balneário Gaivota), 19, 21, 24, 25, 27 (Balneário Praias Antropizadas Conforme citado anteriormente, os perfis 1, 5, 7, 9 (Passo de Torres), 13, 14, (Balneário Gaivota), 19, 21, 24, 25, 27 (Balneário Arroio do Silva), 37, 38 e 39 (Rincão, Içara) apresentam

Leia mais

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo Secretaria de Estado de Desenvolvimento.

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo Secretaria de Estado de Desenvolvimento. Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo 2015 Secretaria de Estado de Desenvolvimento. PROGRAMA ESTADUAL DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS Fórum Concessões

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE ESTÁGIO

EDITAL DE SELEÇÃO DE ESTÁGIO EDITAL DE SELEÇÃO DE ESTÁGIO 2016.1 A BIOCORE A Biocore Tecnologia e Soluções Ambientais é uma empresa movida pelo desafio de assessorar projetos em meio ambiente através de serviços e ações que promovam

Leia mais

FICHA PROJETO - nº199-ma Mata Atlântica Pequeno Projeto

FICHA PROJETO - nº199-ma Mata Atlântica Pequeno Projeto FICHA PROJETO - nº199-ma Mata Atlântica Pequeno Projeto 1) TÍTULO: Estudos para a criação de UC com objetivo de proteger e regulamentar o uso sustentável dos recursos naturais nas áreas ocupadas pelas

Leia mais

0 1 2 Km MAPA DOS COMBUSTÍVEIS FLORESTAIS DO MUNICÍPIO DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO LIMITES ADMINISTRATIVOS MODELOS DE COMBUSTÍVEL

0 1 2 Km MAPA DOS COMBUSTÍVEIS FLORESTAIS DO MUNICÍPIO DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO LIMITES ADMINISTRATIVOS MODELOS DE COMBUSTÍVEL MAPA DOS COMBUSTÍVEIS FLORESTAIS DO MUNICÍPIO DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO MODELOS DE COMBUSTÍVEL 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 11 12 Elaboração: 13 de Agosto de 2013 MAPA Nº 16 MAPA DE PERIGOSIDADE DE INCÊNDIO FLORESTAL

Leia mais

Prof. Guilhardes de Jesus Júnior, MSc.

Prof. Guilhardes de Jesus Júnior, MSc. RESERVA LEGAL FLORESTAL Aspectos jurídicos Prof. Guilhardes de Jesus Júnior, MSc. O QUE É A RESERVA LEGAL FLORESTAL? Segundo o Código Florestal (Lei 4.771/65), é a área localizada no interior de uma propriedade

Leia mais

AVALIAÇÃO RÁPIDA ESTRATÉGICA (ARE) PARA CRIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

AVALIAÇÃO RÁPIDA ESTRATÉGICA (ARE) PARA CRIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AVALIAÇÃO RÁPIDA ESTRATÉGICA (ARE) PARA CRIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Informações do Processo: Nome do Interessado: Nº do Processo: Data / de 20 Município: Localidade: Vistoria: Data: / / 20 Técnicos

Leia mais

Rua do Horto, 931 Horto Florestal São Paulo CEP Tel.:

Rua do Horto, 931 Horto Florestal São Paulo CEP Tel.: 1. Introdução O presente documento trata de informações referente à zona de amortecimento do Parque Estadual Cantareira. As informações aqui prestadas tem o objetivo de contribuir com a construção do plano

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida.

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente POLÍCIA ALTERNATIVAS AMBIENTAIS COMO SOLUÇÃO PARA O ENFRENTAMENTO DA ESCASSEZ HIDRICA Luiz Henrique Ferraz Miranda Engenheiro Florestal Chefe do Escritório Regional

Leia mais

Oficina. Grandes Obras na Amazônia. Tema 5: Ordenamento Territorial e Biodiversidade *Síntese* Ane Alencar Paulo Moutinho e Raissa Guerra

Oficina. Grandes Obras na Amazônia. Tema 5: Ordenamento Territorial e Biodiversidade *Síntese* Ane Alencar Paulo Moutinho e Raissa Guerra Oficina Grandes Obras na Amazônia Tema 5: Ordenamento Territorial e Biodiversidade *Síntese* Ane Alencar Paulo Moutinho e Raissa Guerra Rumo da discussão FORMULAÇÃO DE DIRETRIZES PARA POLÍTICAS PÚBLICAS

Leia mais

DECRETO Nº 33, DE 09 DE FEVEREIRO DE 2003.

DECRETO Nº 33, DE 09 DE FEVEREIRO DE 2003. 1 de 5 15/09/2014 10:14 DECRETO Nº 33, DE 09 DE FEVEREIRO DE 2003. Cria o Parque Natural Municipal de Jacarenema e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE VILA VELHA, Estado do Espírito Santo,

Leia mais

SANTARÉM, PARÁ. BELTERRA, PARÁ 2014 AGOSTO, 2016

SANTARÉM, PARÁ. BELTERRA, PARÁ 2014 AGOSTO, 2016 SANTARÉM, PARÁ. BELTERRA, PARÁ 2014 AGOSTO, 2016 Histórico e contextualização Criação da Florestal Nacional dotapajós pelo decreto 73.684em 1974 Termo de ajustamento de conduta celebrado em 1998 em IBAMA

Leia mais

08/09/2015. Plano de Manejo Estação Ecológica de Corumbá. Processo Participativo de Construção do Plano de Manejo.

08/09/2015. Plano de Manejo Estação Ecológica de Corumbá. Processo Participativo de Construção do Plano de Manejo. Processo Participativo de Construção do Plano de Manejo Apresentação CPB 04 Setembro 2015 Criação: 14 de março de 1996 Área: 309ha Estrutura: Núcleo Museológico / Viveiro Florestal / Centro de Restauração

Leia mais

A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra;

A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra; A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra; três convenções Biodiversidade, Desertificação e Mudanças climáticas; uma declaração de princípios sobre florestas;

Leia mais

Turismo inteligente é aquele que é feito sem agressão à natureza e com o devido respeito a tudo o que rodeia.

Turismo inteligente é aquele que é feito sem agressão à natureza e com o devido respeito a tudo o que rodeia. Ubatuba é repleta de belezas naturais, a região oferece um dos melhores turismos do Brasil. É um lugar que oferece exatamente aquilo que cada um busca em seu prazer no contato direto com a natureza. O

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR

CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR Instituto Estadual do Ambiente - INEA Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas - DIBAP Gerência do Serviço Florestal - GESEF CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR BASE LEGAL

Leia mais

AGRICULTURA. Manutenção e desenvolvimento das atividades da Secretaria da Agricultura

AGRICULTURA. Manutenção e desenvolvimento das atividades da Secretaria da Agricultura LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS - ANEXO III - METAS E PRIORIDADES OBJETIVO ESTRATÉGICO : desenvolver a produção agrícola. PROGRAMA: 009 - GESTÃO PÚBLICA DA SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA JUSTIFICATIVA:

Leia mais

FORTALECIMENTO DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE - OBRAS DE REFORMA DA SEDE ADMINISTRATIVA/CENTRO DE VISITANTES DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE

FORTALECIMENTO DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE - OBRAS DE REFORMA DA SEDE ADMINISTRATIVA/CENTRO DE VISITANTES DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2011 Projeto: FORTALECIMENTO DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE - OBRAS DE REFORMA DA SEDE ADMINISTRATIVA/CENTRO DE VISITANTES DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE Protocolo nº: 20110419160128109

Leia mais

Consolidação do Sistema de Unidades de Conservação de Mato Grosso. Instituto Centro de Vida ICV. Brasil

Consolidação do Sistema de Unidades de Conservação de Mato Grosso. Instituto Centro de Vida ICV. Brasil Consolidação do Sistema de Unidades de Conservação de Mato Grosso utilizando instrumentos de REDD Instituto Centro de Vida ICV Brasil Localização Introducción al Contexto Consolidação do Sistema de UCs

Leia mais

Mosaico Marinho Costeiro de unidades de Conservação Litoral Norte de São Paulo. Kelen Luciana Leite Chefe da Estação Ecológica Tupinambás/ICMBio

Mosaico Marinho Costeiro de unidades de Conservação Litoral Norte de São Paulo. Kelen Luciana Leite Chefe da Estação Ecológica Tupinambás/ICMBio Mosaico Marinho Costeiro de unidades de Conservação Litoral Norte de São Paulo Kelen Luciana Leite Chefe da Estação Ecológica Tupinambás/ICMBio Histórico: 2005 - As discussões para a criação do Mosaico

Leia mais

BIOSFERA REGIÃO. Entidades de pesquisa, ensino e extensão ONG PAISAGEM EMPRESA FLORESTAL BACIA HIDROGRÁFICA. Comunidade local UMF

BIOSFERA REGIÃO. Entidades de pesquisa, ensino e extensão ONG PAISAGEM EMPRESA FLORESTAL BACIA HIDROGRÁFICA. Comunidade local UMF ASPECTOS AMBIENTAIS INTEGRADOS AO PROCESSO PRODUTIVO DA COLHEITA DE MADEIRA ENVIRONMENTAL ASPECTS INTEGRATED IN THE HARVESTING PRODUCTION PROCESS Paulo Henrique Dantas Coordenação de Meio Ambiente Industrial

Leia mais

DESIGNAÇÃO DESPESAS CORRENTES. Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos autárquicos *

DESIGNAÇÃO DESPESAS CORRENTES. Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos autárquicos * DESPESAS CORRENTES 01 Despesas com o pessoal * 01 01 Remunerações certas e permanentes * 01 01 01 01 01 02 Órgãos sociais * Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos autárquicos * 01 01 03 Pessoal

Leia mais

Resumo Público do Plano de Manejo Florestal da Fazenda Citróleo

Resumo Público do Plano de Manejo Florestal da Fazenda Citróleo Resumo Público do Plano de Manejo Florestal da Fazenda Citróleo CITRÓLEO INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ÓLEOS ESSECIAIS LTDA FAZENDA CITRÓLEO BAIRRO TRES PINHEIROS CEP 37.443-000 BAEPENDI / MG CNPJ 51.527.190/0002-11

Leia mais

O Estado de Mato Grosso

O Estado de Mato Grosso Logística e Meio Ambiente no Estado de Mato Grosso Governo do Estado de Mato Grosso 6º Seminário Internacional em Logística Agroindustrial Abril 2009 O Estado de Mato Grosso 3 Biomas : Amazônia; Cerrado;

Leia mais

Ordenamento do Espaço Rural

Ordenamento do Espaço Rural Ordenamento do Espaço Rural Ano lectivo 2005/2006 Capítulo 4 Ordenamento do Espaço Rural 1 4.1 A Política Nacional de Ordenamento do Território 2 Ordenamento do Território Assenta no sistema de gestão

Leia mais