REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO Á FAMÍLIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO Á FAMÍLIA"

Transcrição

1 REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO Á FAMÍLIA APRECIAÇÃO E DELIBERAÇÃO DE PROPOSTA DE REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO Á FAMÍLIA: Foi deliberado por unanimidade e em minuta aprovar a seguinte proposta de regulamento interno do serviço de apoio à família: Preâmbulo: A Educação Pré Escolar é a primeira etapa da Educação Básica e é ministrada em estabelecimentos de Educação Pré-escolar tendo ainda uma componente socioeducativa designada por Serviços de Apoio à Família conforme a Lei nº 5/97 de 10 de Fevereiro e do Decreto de Lei nº 147/97 de 11 de Junho, prosseguido pela publicação do despacho conjunto nº 300/97 de 9 de Setembro e do Decreto Lei n.º 70/2010 de 16 de Junho. As comparticipações do Serviço de Refeições e Auxílios Económicos no 1º Ciclo do Ensino Básico e Serviço de Refeições no Ensino Pré-escolar, assim como as Atividades de animação e de apoio à família, adiante designadas como AAAF, são regulados de acordo com a legislação a publicar pelo Ministério da Educação e Ciência para cada Ano Letivo. Artigo 1.º (Objeto) 1- O presente Regulamento Interno, para o ano letivo de 2013/2014, estabelece o funcionamento dos Serviços de Apoio à Família, nomeadamente: Ensino Pré-escolar a) Fornecimento de almoço b) Atividades de animação e de apoio à família (AAAF) c) Transporte escolar 1.º Ciclo do Ensino Básico a) Fornecimento de almoço b) Auxílios económicos (manuais e fichas escolares) c) Transporte escolar 2- Os serviços a que se refere o número anterior, com exceção dos auxílios económicos e do transporte escolar, serão exercidos nos estabelecimentos de ensino pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico. Artigo 2.º (Âmbito de aplicação) Os projetos referidos, serviços de apoio à família, têm como destinatários as crianças/alunos que frequentam os jardins-de-infância e as escolas do 1.º ciclo do ensino básico da rede pública do concelho do Bombarral.

2 Artigo 3.º (Serviços) Ensino Pré-escolar 1- Todas as crianças inscritas nos estabelecimentos de Ensino Pré-Escolar do Concelho do Bombarral poderão usufruir da Atividade de animação e de apoio à família (AAAF) (prolongamento de horário) e do Serviço de fornecimento de almoço, sendo os respetivos serviços pagos. 2- O pagamento da Atividade de animação e de apoio à família (AAAF) no Ensino Pré- Escolar, na vertente de prolongamento de horário é suportado pelos pais e encarregados de educação, de acordo com uma Tabela Escalonada, tendo em conta os rendimentos familiares, sendo ainda comparticipados pela Autarquia e Ministério da Educação e Ciência. 3- O serviço de transporte escolar é assegurado, gratuitamente, a todas as crianças inscritas nos estabelecimentos de Ensino Pré-Escolar do Concelho do Bombarral, com exceção dos residentes na Vila de Bombarral e da freguesia do Pó, salvo situações apresentadas com a devida fundamentação, ao setor da educação, com despacho superior. 4- O serviço de fornecimento de almoço é pago pelo pais ou encarregados de educação, mediante a apresentação de fotocópia de documento da declaração de abono de família com o posicionamento de escalão emitido em 2013, pelo Instituto de Segurança Social, salvo situações devidamente fundamentadas, com o devido parecer social emitido pelo setor dos Assuntos Sociais e despachado superiormente. 1.º Ciclo do Ensino Básico 1- O serviço de transporte escolar é assegurado, gratuitamente, a todas as crianças inscritas nos estabelecimentos de Ensino Pré-Escolar do Concelho do Bombarral, com exceção dos residentes na vila de Bombarral e da freguesia do Pó, salvo situações apresentadas com a devida fundamentação, ao setor da educação, com despacho superior. 2- O serviço de fornecimento de almoço é pago pelo pais ou encarregados de educação, mediante a apresentação de fotocópia de Documento da declaração de abono de família com o posicionamento de escalão emitido em 2013, pelo Instituto de Segurança Social, salvo situações devidamente fundamentadas, com o devido parecer social emitido pelo setor dos Assuntos Sociais e despachado superiormente. Artigo 4.º (Funcionamento) 1- Os serviços prestados, fornecimento de almoço, atividade de animação e de apoio à família, não podem ser prestados por períodos interpolados, tendo necessariamente caráter mensal, sem prejuízo no disposto do número seguinte. 2 A AAAF no Ensino Pré-Escolar, o serviço de refeições referentes aos dois níveis de ensino, funcionarão de acordo com o Calendário Escolar, previamente fornecido pelo

3 Ministério da Educação e Ciência e acordados com o Agrupamento de Escolas, não se efetuando durante as interrupções letivas. 3- O funcionamento dos serviços citados no n.º 1 carece de um número mínimo de inscrições, nomeadamente: a) Fornecimento de almoço, igual ou superior a 5, com exceção dos estabelecimentos de ensino com crianças/ alunos transportados; b) A AAAF, igual ou superior a Caso não seja possível o fornecimento dos serviços no estabelecimento de ensino frequentado por falta de número mínimo de inscrições, mas se da análise efetuada aos pedidos se verificar a existência da necessidade extrema do fornecimento dos serviços, a Câmara Municipal responsabiliza-se por garantir a universalidade dos mesmos, noutras instalações. 5- O horário de funcionamento dos serviços das AAAF compreende o tempo pós letivo, que decorre no período das 16H às 17H30, com exceção do Jardim de Infância do Pó que pratica um serviço de entrada, que se entende como serviço de acolhimento antes da atividade letiva, que decorre no período entre as 8H e as 9 H, se se verificar a necessidade. 6 - No caso do número de alunos inscritos no serviço de almoço, ser superior ao número de lugares disponíveis, considerar-se-ão sucessivamente os seguintes critérios: a) Alunos com necessidades educativas especiais. b) Alunos que beneficiem de transporte escolar. c) Alunos a partir dos 5 anos de idade (universalidade da educação pré-escolar a partir da referida idade). d) Horário e local de trabalho dos pais (mediante comprovativo da entidade patronal). e) Data da inscrição nos serviços. f) Alunos que beneficiaram no ano letivo anterior do serviço de almoço. g) Alunos com irmãos já inscritos no serviço de almoço, do ensino pré-escolar e básico. 7 - Os alunos inscritos nos serviços prestados pelo Municipio, almoço e AAAF que não tenham vaga ficarão em lista de espera. 8- Os almoços serão confecionados na cozinha da Escola Básica n.º 1 (Centro Escolar) por uma empresa contratada por este Municipio, com base no Acordo Quadro. 9- A empresa referida anteriormente, assegurará o transporte das refeições, de acordo com todas as normas de segurança legalmente previstas, aos estabelecimentos escolares que não detenham as condições necessárias para a sua confeção.

4 10- O acompanhamento do serviço de almoço será assegurado por assistentes operacionais do Município do Bombarral e do Agrupamento de Escolas Fernão do Pó do Bombarral. 11- As ementas semanais serão previamente afixadas nos estabelecimentos de Ensino (Jardins de Infância e Escolas do 1.º Ciclo de Ensino Básico) e no site do Município. 12- Os alunos que não utilizem o transporte escolar, cedido pelo Municipio, durante duas semanas seguidas (dias úteis), ou, trinta (30) dias úteis interpolados, durante o período letivo, sem apresentação de justificação válida, no setor de educação, o Municipio poderá proceder à anulação do titulo de transporte do aluno, com a devida informação ao encarregado de educação. 13- Os encarregados de educação comprometem-se a informar por escrito ao setor da educação, em tempo útil, de todas as alterações feitas de origem e destino de residência, que possam afetar a rota do transporte escolar. 14- É obrigatório o uso diário do passe e, no caso de perda, deverá ser solicitada uma 2.ª via. A falta de assiduidade e de comportamentos incorretos por parte dos alunos poderão originar o cancelamento ou a suspensão do serviço. 15- Os transportes escolares serão acompanhados por vigilantes, que podem definir lugares fixos para cada aluno. 16- Os locais de paragem das viaturas de transporte escolares serão definidos pela empresa contratualizada para a prestação do serviço em causa. Artigo 5.º (Auxílios Económicos) 1- Têm direito a beneficiar dos auxílios económicos, os alunos que frequentam o 1.º ciclo do ensino básico, pertencentes aos agregados familiares integrados nos escalões 1 e 2 do abono de família, correspondente aos escalões A e B. 2- O apoio referido no número anterior resulta do valor anualmente fixado por Despacho do Membro do Governo, para livros que inclui manuais e fichas escolares. 3- Os pedidos são efetuados no setor da educação do Municipio, nos termos do calendário definido anualmente, pela Câmara Municipal. Artigo 6.º (Comparticipação Familiar nas refeições) 1- O preço dos almoços a fornecer às crianças e alunos dos estabelecimentos de educação pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico são fixados anualmente por Despacho do Membro do Governo. 2- O valor da comparticipação familiar é calculado com base no escalão de abono de família, de acordo com a legislação em vigor, conforme quadro que se segue:

5 Escalão de abono de família Almoço % da comparticipação familiar 1 Gratuito 2 50% 3 100% Incompleta (processo de candidatura) 100% Artigo 7.º (Inscrição nos serviços e documentos necessários) 1- As inscrições são efetuadas no setor da Educação, do Municipio, pelos pais e/ou encarregados de educação, através de impresso próprio fornecido pelo serviço supra citado, nos termos do calendário definido anualmente, pela Câmara Municipal. 2-As novas inscrições ou renovações fora de prazo só serão aceites mediante a invocação de força maior, devidamente fundamentadas e justificadas, que serão analisadas e decididas no prazo máximo de 10 dias úteis. 3-As famílias obrigam-se a apresentar no ato de inscrição, para além do Boletim de Inscrição devidamente preenchido, os seguintes documentos, sob a forma de forma de fotocópias: PRÉ- ESCOLAR: a) Aluno: Bilhete de identidade/cartão de Cidadão/ Cédula Pessoal/ Passaporte b) Encarregado de Educação: Bilhete de identidade/cartão de Cidadão/ Passaporte c) Número de Identificação Fiscal do aluno e encarregado de educação d) Documento da declaração de abono de família com o posicionamento de escalão emitido em 2013, pelo Instituto de Segurança Social e) Declaração do último Boletim de IRS Mod. 3 e respetivos anexos, referente aos rendimentos auferidos pelo agregado familiar no ano anterior ou Declaração de Isenção passada pela Repartição de Finanças.

6 f) Comprovativo/declaração de horário e local de trabalho, do pai e da mãe ou de quem tem a guarda da criança, passado pela Entidade Patronal. g) Declaração de rendimentos mensais não declarados. h) Comprovativo do valor de pensões ou outras prestações sociais (abono de família, pensão de alimentos, de velhice, de invalidez, de sobrevivência, de aposentação, de reforma, Rendimento Social de Inserção, bolsas de estudo e formação e apoios à habitação). i)trabalhadores sem rendimentos fixos ou que não façam descontos, é necessário a apresentação de declaração sob compromisso de honra dos valores que auferiram no ano anterior. A estes os serviços da Autarquia aplicarão a tabela mensal de rendimentos publicada pelo Ministério da Solidariedade e Segurança Social. j) Pais solteiros, divorciados ou separados, avós e outros, deverão apresentar a fotocópia da Regulação das Responsabilidades Parentais e documento da pensão de alimentos. l) Emigrantes deverão apresentar documento comprovativo do Rendimento no País de Emprego. m) Se utilizar transporte escolar, deverá entregar 1 fotografia tipo passe, do aluno n) Documento comprovativo de residência, p.e., fatura da luz, água ou gás quando canalizado fornecido por empresa, ou Declaração da Junta de Freguesia da sua residência. 1.º Ciclo do Ensino Básico Os alunos do 1.º ciclo do Ensino Básico que pretendam unicamente usufruir do fornecimento de almoço devem apresentar os seguintes documentos: a) Aluno: Bilhete de identidade/cartão de Cidadão/ Cédula Pessoal/ Passaporte; b) Encarregado de Educação: Bilhete de identidade/cartão de Cidadão/ Passaporte; c)número de Identificação Fiscal do aluno e encarregado de educação; d)documento da declaração de abono de família com o posicionamento de escalão emitido em 2013, pelo Instituto de Segurança Social e)comprovativo/declaração de horário e local de trabalho, do pai e da mãe ou de quem tem a guarda da criança, passado pela Entidade Patronal f)se utilizar transporte escolar, deverá entregar 1 fotografia tipo passe, do aluno.- Os alunos do 1.º ciclo do Ensino Básico que pretendam unicamente usufruir dos auxílios económicos, manuais e fichas escolares, devem apresentar o Documento da declaração de abono de família com o posicionamento de escalão emitido em 2013, pelo Instituto de Segurança Social.

7 4 - Caso a família não apresente os documentos necessários para a avaliação da comparticipação familiar, a criança/aluno será incluída no escalão máximo. Artigo 8.º (Responsabilidades das famílias) 1- As famílias obrigam-se a demonstrar e justificar a necessidade dos serviços de AAAF e fornecimento de almoço, para o pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico, constituindo fundamento: a) A inadequação do horário de funcionamento do estabelecimento escolar às necessidades comprovadas dos horários profissionais dos pais ou encarregados de educação; b) A distância entre o local de trabalho dos pais ou encarregados de educação e o estabelecimento escolar; c) A inexistência de familiares disponíveis para o acolhimento no período do almoço da criança e após o horário letivo; d) A inexistência de alternativa, à qual a família possa recorrer, para ser assegurada a guarda da criança durante o período do almoço e após o horário letivo. 2- As famílias obrigam-se a respeitar os horários definidos para a AAAF. 3- Pode ser exceção a situação de agregados familiares, que comprovem documentalmente, a sua situação de carência económica, a ser analisada pelo setor dos Assuntos Sociais, com despacho superior. 4- Caso se extravie ou danifique o título de transporte do aluno, os encargos com a 2.ª via deste, será da responsabilidade dos pais ou encarregados de educação. Neste lapso de tempo a responsabilidade do pagamento do transporte será da inteira responsabilidade dos agentes acima referidos. Artigo 9.º (Comparticipação Familiar do AAAF no Ensino Pré-Escolar) Conforme despacho conjunto nº 300/97, de 7 de Agosto, decorrente dos princípios consagrados na lei 5/97 de 10 de Fevereiro, foi determinado que o prolongamento de horário, da Educação Pré-Escolar fosse comparticipado pelas famílias de acordo com o respectivo rendimento familiar, conforme o quadro seguinte e aplicando 6%. Escalão de Abono de Família Prolongamento de horário Valor da comparticipação familiar 1.º Escalão até 30% do RMM (IAS) Até 7,55 2.º Escalão > 30% até 50% do RMM (IAS)

8 De 7,56 a 12,58 3.º Escalão > 50% até 70% do RMM (IAS) De 12,59 a 17,61 4.º Escalão > 70% até 100% do RMM (IAS) De 17,62 a 25,15 5.º Escalão > 100% até 150% do RMM (IAS) De 25,16 a 37,73 6.º Escalão > 150% do RMM (IAS) De 37,74 a (Formula aplicada: valor do IAS x % definida por escalão = valor x 6%) (Escalão 6, formula aplicada: valor do IAS x % definida por escalão = valor x 12%) NOTA: No Jardim-de-infância do Pó os alunos que usufruírem do serviço de prolongamento de horário no período da manha terão um acréscimo de 3% às taxas de cada escalão. Obs: Comparticipação familiar calculada com base nos escalões de rendimento per capita, indexados ao valor do IAS (Indexante dos Apoios Sociais) para o ano 2013 (419,22 ) Decreto-Lei n.º 55/2009 de 2 de março. Artigo 10.º (Situações excecionais) 1- Sempre que, através de uma cuidada análise sócio-económica do agregado familiar, se conclua pela especial onerosidade do encargo com a comparticipação familiar, designadamente no caso de famílias que estejam comprovadamente em situação de carência económica, pode o pagamento da comparticipação ser reduzido ou dispensado, por despacho superior. 2- A análise e decisão das situações constantes no número anterior incidirão sempre sobre situações comprovadas documentalmente e com parecer social do setor dos Assuntos Sociais. 3- Sempre que haja fundadas dúvidas sobre as declarações de rendimento, serão feitas diligências complementares adequadas, pelo setor da Educação e Assuntos Sociais, procedendo o despacho superior. Artigo 11.º (Pagamento dos serviços) 1- As comparticipações familiares que dizem respeito aos serviços usufruídos no mês cessante são pagas de 9 a 16 de cada mês na secção de atendimento ao público, expediente e arquivo, da Câmara Municipal do Bombarral.

9 2- Caso o dia 16 coincida com o fim-de-semana ou feriado, o pagamento deverá ser efetuado no dia útil imediatamente a seguir. 3- Caso o pagamento da comparticipação familiar não se efetue até ao dia 16 de cada mês o montante será acrescido de juros de mora à taxa legal aplicável em vigor. 4- A não retoma do serviço não isenta o pagamento dos valores em atraso. 5- Haverá redução no montante a pagar, correspondente ao número de dias de falta, sempre que a criança falte por um período igual ou superior a 5 dias consecutivos, quando a falta for devidamente justificada e comprovada, ou seja, mediante a apresentação de um Atestado Médico entregue no setor da Educação, num prazo de 5 dias úteis a contar da data de início do atestado. 5- Na AAAF do Ensino Pré-Escolar (prolongamento de horário) é efetuado o desconto respetivo na comparticipação familiar desde que a educadora responsável pela atividade, afeta ao estabelecimento de ensino, falte por um período superior a 5 dias consecutivos As famílias que tenham mais do que um educando a frequentar o prolongamento de horário e o serviço de almoço no Ensino Pré-Escolar e 1.º Ciclo de Ensino Básico beneficiam de um desconto de 10% no montante de cada um deles. 7- Caso a dívida permaneça até ao fim do mês em causa os serviços do almoço e prolongamento de horário serão suspensos a partir da segunda semana do mês seguinte, podendo ser retomado logo que o pagamento seja efetuado e exista vaga. Da suspensão será dado conhecimento ao encarregado de educação por carta registada. 8 - As comparticipações familiares não pagas serão cobradas coercivamente, nos termos da legislação em vigor. Artigo 12.º (Acordos de pagamento) 1- Os encarregados de educação poderão solicitar através de uma petição diversas, a solicitar no secção de atendimento ao público, expediente e arquivo, da Câmara Municipal, anexando à mesma uma cópia da declaração de IRS, atual, um acordo de pagamento devidamente fundamentado, de forma a liquidar dívidas existentes em prestações, mediante acordo entre as partes. 2- O referido petição será devidamente analisada pelo setor de educação e despachada superiormente. O respetivo despacho superior será dado conhecimento ao encarregado de educação. Artigo 13.º (Falta dos educadores, professores e alunos) 1- Em caso de faltas de educadores e /ou professores por motivos previsíveis, o Agrupamento de Escolas Fernão do Pó deverá informar por escrito, de imediato, o setor da Educação para que os serviços de almoço e prolongamento de horário possam ser anulados.

10 2- Todas as faltas de educadores, professores (p.e. por doença, visitas de estudo) que não sejam devidamente e atempadamente informadas, por escrito, pelo Agrupamento de Escolas Fernão do Pó ao setor da Educação implicarão a não anulação dos serviços. 3- Sempre que se realizem visitas de estudo e outras atividades de caráter lúdico deverá o Agrupamento de Escolas Fernão do Pó informar, por escrito, o setor da Educação, até aos 5 dias úteis anteriores à sua realização. Esta informação deverá indicar o número de crianças envolvidas. No caso de não comunicação das atividades no prazo referido implicará a não anulação dos serviços. 4-Sempre que os serviços municipais detetem que a criança/aluno não frequenta os serviços (almoço e prolongamento de horário), por tempo superior a 22 dias úteis (sem interrupção), sem que tenha sido efetuada comunicação de desistência ou pagamento, a Câmara Municipal reserva-se o direito de proceder ao cancelamento da inscrição, sem prejuízo da cobrança dos mesmos Artigo 14.º (Desistências e Suspensões) 1- A comunicação da desistência definitiva é efetuada no setor da Educação, pelos encarregados de educação em horário de expediente (9H30-12H00) em formulário próprio (fornecido gratuitamente), com a antecedência de 5 dias úteis. 2-A suspensão só será permitida no ano letivo no máximo de duas vezes e por um período superior a 5 dias úteis, por motivos fundamentos, tais como, férias de família, nascimentos e irmãos, entre outros) e é efetuada nos mesmos termos e prazos do número anterior. 3- Se o Encarregado de Educação independentemente do escalão atribuído ao seu educando não efetuar a comunicação, a que se refere os números anteriores, a comparticipação familiar continuará a ser-lhe exigida até ao momento em que o setor da Educação tome conhecimento da desistência ou suspensão do (s) serviço (s). 4 Os encarregados de educação cujos educandos sejam isentos de pagamento, devem obedecer ao referido nas alíneas anteriores, sob pena de após o incumprimento reiterado ( mais de 5 dias úteis) as refeições serão suspensas. A sua reativação só será feita após análise e aceitação dos fundamentos da justificação. Artigo 15.º (Avaliação) No final de cada período letivo deverá ser realizada, pelo setor da educação, a avaliação dos serviços prestados, com os contributos do Agrupamento de Escolas Fernão do Pó e da Associação de Pais. Artigo 16.º (Casos omissos) Quaisquer dúvidas que surjam da interpretação do presente Regulamento Interno, ou perante casos omissos, serão analisados e resolvidos pela Câmara Municipal. Artigo 17.º (Entrada em vigor)

11 O presente Regulamento Interno vigorará no ano lectivo 2013/2014, e seguintes, caso não se verifiquem alterações que comprometam o normal funcionamento dos serviços. Sendo aplicável no dia útil seguinte ao da publicação da sua aprovação pela Câmara Municipal do Bombarral através de Edital.

Artigo 2º Serviço de Apoio Os Serviços de apoio à família assegurados pelo Município de Bombarral são os abaixo identificados: 1) No Ensino Pré-Escola

Artigo 2º Serviço de Apoio Os Serviços de apoio à família assegurados pelo Município de Bombarral são os abaixo identificados: 1) No Ensino Pré-Escola NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE APOIO À FAMÍLIA E ATRIBUIÇÃO DE AUXÍLIOS ECONÓMICOS PARA O ANO LETIVO 2017/2018 NOTA JUSTIFICATIVA O funcionamento da escola a tempo inteiro pressupõe o fornecimento

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro

Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro Normas Reguladoras de Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família dos Jardins de Infância da Rede Pública do Concelho de Oliveira do Bairro

Leia mais

REGULAMENTO DA COMPONENTE SÓCIO-EDUCATIVA DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

REGULAMENTO DA COMPONENTE SÓCIO-EDUCATIVA DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ARTIGO 1º Objecto 1- O presente regulamento tem por objecto definir o funcionamento dos serviços da componente de apoio à família, no âmbito de: a) Fornecimento de almoço b) Prolongamento de horário 2-

Leia mais

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições Preâmbulo As Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) procuram dar hoje uma resposta direta às necessidades das famílias das crianças que frequentam a Educação Pré-Escolar. Estas atividades socioeducativas

Leia mais

Município de Oliveira do Hospital

Município de Oliveira do Hospital NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ- ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO MUNICIPIO DE OLIVEIRA DO HOSPITAL Preâmbulo A educação é um direito

Leia mais

I - Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) integradas no calendário escolar a definir pelo Ministério da Educação.

I - Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) integradas no calendário escolar a definir pelo Ministério da Educação. INTRODUÇÃO As Atividades de Animação e de Apoio à Família, no âmbito da Educação Pré- Escolar, são uma resposta direta às necessidades das famílias e encontra-se consubstanciada em todos os tempos que

Leia mais

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares Município de São Pedro do Sul Regulamento de 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares O presente regulamento tem como objectivo regulamentar e uniformizar procedimentos para a atribuição de auxílios

Leia mais

REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR MUNICÍPIO DE ARGANIL PROJETO DE REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR

REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR MUNICÍPIO DE ARGANIL PROJETO DE REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR PROJETO DE REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR Fornecimento de Refeições Atividades de Animação e Apoio à Família Apoio para Manuais Escolares Transportes Escolares PREÂMBULO A Ação Social Escolar assume,

Leia mais

MUNICIPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ

MUNICIPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ O que são as Atividades de Animação e de Apoio à Família? 1 As Atividades Animação e de Apoio à Família (AAAF) são um serviço prestado pelo Município de Arcos de Valdevez em articulação com o Agrupamento

Leia mais

NORMAS PARA DEFINIÇÃO DE ESCALÕES DE COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR NO ENSINO PRÉ- ESCOLAR

NORMAS PARA DEFINIÇÃO DE ESCALÕES DE COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR NO ENSINO PRÉ- ESCOLAR NORMAS PARA DEFINIÇÃO DE ESCALÕES DE COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR NO ENSINO PRÉ- ESCOLAR EDIÇÃO DE 2006 ATUALIZAÇÃO DE 2015 EQUIPA RESPONSÁVEL: BRANCA PEREIRA E FÁTIMA AZEVEDO Nota Justificativa Considerando

Leia mais

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições Preâmbulo O Programa de Generalização do Fornecimento de Refeições Escolares aos Alunos do 1º CEB e a Componente de Apoio à Família (CAF) procuram dar hoje uma resposta direta às necessidades das famílias

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA O presente documento tem por objecto a regulamentação

Leia mais

EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR. Normas de Funcionamento

EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR. Normas de Funcionamento EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR Normas de Funcionamento da Componente de Apoio à Família (CAF) A educação pré-escolar destina-se a todas as crianças com idades compreendidas entre os 3 anos e a idade de ingresso

Leia mais

Normas da Componente de Apoio à Família Pré Escolar

Normas da Componente de Apoio à Família Pré Escolar Normas da Componente de Apoio à Família Pré Escolar No âmbito do programa de desenvolvimento e expansão da educação Pré-Escolar e considerando: a Lei n.º 5/97, de 10 de fevereiro, que consigna os objetivos

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA

PROJETO DE REGULAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PROJETO DE REGULAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOTA JUSTIFICATIVA A educação pré-escolar contribui de forma significativa para o desenvolvimento das crianças, pois assume-se como o ponto de partida

Leia mais

Regulamento de Funcionamento. da Componente de Apoio à Família nos. Estabelecimentos de. Educação Pré-Escolar do Município da Guarda.

Regulamento de Funcionamento. da Componente de Apoio à Família nos. Estabelecimentos de. Educação Pré-Escolar do Município da Guarda. Regulamento de Funcionamento da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos de Educação Pré-Escolar do Município da Guarda. Regulamento de Funcionamento da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos

Leia mais

Normas de funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família nos estabelecimentos de Educação Pré Escolar da rede pública 2017/2018

Normas de funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família nos estabelecimentos de Educação Pré Escolar da rede pública 2017/2018 Normas de funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família nos estabelecimentos de Educação Pré Escolar da rede pública 2017/2018 NOTA JUSTIFICATIVA Considerando que a educação é um direito

Leia mais

JARDINS-DE-INFÂNCIA DA REDE PÚBLICA

JARDINS-DE-INFÂNCIA DA REDE PÚBLICA NORMAS DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA NO MUNICIPIO DO SEIXAL PROLONGAMENTO DE HORÁRIO JARDINS-DE-INFÂNCIA DA REDE PÚBLICA

Leia mais

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico ENQUADRAMENTO Desde a Constituição da República de 1976 que está consagrada a universalidade, obrigatoriedade e gratuitidade do

Leia mais

NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 PREÂMBULO Atenta à diferenciação de oportunidades de acesso à educação, o Município de Almada tem preconizado uma política

Leia mais

Acordo de Colaboração

Acordo de Colaboração Acordo de Colaboração Extensão de horário das actividades de animação e de apoio à família na educação Pré-escolar nos Jardins do Agrupamento de Escolas de Samora Correia Considerando que: A Educação Pré-escolar,

Leia mais

EDITAL. 15 de Fevereiro de O Presidente da Câmara, José Manuel Pereira Pinto.

EDITAL. 15 de Fevereiro de O Presidente da Câmara, José Manuel Pereira Pinto. EDITAL Prof. José Manuel Pereira Pinto, Presidente da Câmara Municipal de Cinfães, torna público que, em conformidade com o disposto no artigo 118.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo

Leia mais

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico ENQUADRAMENTO Desde a Constituição da República de 1976 que está consagrada a universalidade, obrigatoriedade e gratuitidade do

Leia mais

Regulamento de Procedimento das Atividades de Animação e Apoio à Família

Regulamento de Procedimento das Atividades de Animação e Apoio à Família Regulamento de Procedimento das Atividades de Animação e Apoio à Família Reunião de Câmara (aprovação do projeto) 20/04/2015 Edital (apreciação pública) 30/2015, de 05/05/2015 Publicado (projeto) no DR

Leia mais

Nome. Nome do Pai. Nome da Mãe. Morada N.º Freguesia Código Postal - Telefone . Nome. Nome. Nome

Nome. Nome do Pai. Nome da Mãe. Morada N.º Freguesia Código Postal - Telefone  . Nome. Nome. Nome REQUERIMENTO DE CANDIDATURA JARDIM DE INFÂNCIA CÁLCULO DA COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR PELA UTILIZAÇÃO DE COMPONENTES DE APOIO À FAMÍLIA ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Ano letivo / IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

Preâmbulo. Divisão de Educação pág. 1 / 8

Preâmbulo. Divisão de Educação pág. 1 / 8 Regulamento Municipal de frequência e funcionamento das Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) nos jardins de infância da rede pública do concelho de Guimarães Preâmbulo Considerando a importância

Leia mais

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as normas para atribuição de bolsas de estudo a estudantes do ensino secundário e superior, residentes

Leia mais

Câmara Municipal de Mealhada

Câmara Municipal de Mealhada Câmara Municipal de Mealhada Normas de funcionamento dos serviços da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos de Educação Pré-Escolar do Município da Mealhada NORMAS DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS

Leia mais

Normas de Funcionamento

Normas de Funcionamento Normas de Funcionamento Câmara Municipal de Évora Divisão de Educação e Intervenção Social Ano Letivo 2016/2017 Página 1 de 4 Normas de Funcionamento Âmbito Regulados pelo Decreto-Lei n.º 299/84, de 5

Leia mais

BOLETIM DE CANDIDATURA

BOLETIM DE CANDIDATURA BOLETIM DE CANDIDATURA EDUCAÇAO PRÉ-ESCOLAR SERVIÇO DE FORNECIMENTO DE REFEIÇOES AÇÃO SOCIAL ESCOLAR AUXILIOS ECONÓMICOS (Refeição) COMPONENTE DE APOIO À FAMILIA / ACOLHIMENTO / PROLONGAMENTO DE HORARIO

Leia mais

- Componente de Apoio à Família - Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico. Nota Justificativa

- Componente de Apoio à Família - Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico. Nota Justificativa - Componente de Apoio à Família - Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico REGULAMENTO Nota Justificativa A Educação Pré-Escolar constitui a primeira etapa da educação básica no processo de educação

Leia mais

Nota Justificativa. Considerando que:

Nota Justificativa. Considerando que: Projeto de Regulamento Municipal para Funcionamento do Programa de Atividades de Animação e de Apoio à Família Acordo de Colaboração para a Educação Pré-Escolar Considerando que: Nota Justificativa - A

Leia mais

Regulamento Municipal das Atividades de Animação e de Apoio à Família da Educação Pré-escolar Ano letivo 2014/2015 e seguintes

Regulamento Municipal das Atividades de Animação e de Apoio à Família da Educação Pré-escolar Ano letivo 2014/2015 e seguintes Regulamento Municipal das Atividades de Animação e de Apoio à Família da Educação Pré-escolar Ano letivo 2014/2015 e seguintes Preâmbulo A Lei 5/97, de 10 de Fevereiro, Lei-Quadro da Educação Pré-Escolar,

Leia mais

Normas Internas de Funcionamento do Serviço de Componente de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar e do 1.º Ciclo do Ensino Básico.

Normas Internas de Funcionamento do Serviço de Componente de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar e do 1.º Ciclo do Ensino Básico. Normas Internas de Funcionamento à Família da Educação Pré-Escolar e Preâmbulo De acordo com o consagrado na Lei n.º 159/99, de 14 de setembro, os municípios possuem atribuições no domínio da educação

Leia mais

Regulamento de funcionamento do Serviço de Apoio à Família e Atribuição de Auxílios Económicos

Regulamento de funcionamento do Serviço de Apoio à Família e Atribuição de Auxílios Económicos Na sequência do aviso n.º 45/2015, publicado no diário da República 2ª série, n.º2, páginas 109 a 112, de 5 de janeiro de 2015, torna-se público que, em sessão da Assembleia Municipal, realizada em 23

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS. Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior. Preâmbulo

CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS. Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior. Preâmbulo CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior Preâmbulo O desenvolvimento de medidas de carácter social com o intuito de melhorar as

Leia mais

Regulamento da Componente de Apoio à Família. Regulamento da Componente de Apoio à Família. Preâmbulo

Regulamento da Componente de Apoio à Família. Regulamento da Componente de Apoio à Família. Preâmbulo Regulamento da Componente de Apoio à Família Preâmbulo De acordo com a Lei n.º 5/97, de 10 de Fevereiro, a educação pré-escolar constitui a primeira etapa da educação básica, sendo complementar da acção

Leia mais

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS. REGULAMENTO A.T.L. DE SANTO AMARO TELEFONE: / Ano Lectivo 2010/2011

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS. REGULAMENTO A.T.L. DE SANTO AMARO TELEFONE: / Ano Lectivo 2010/2011 CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO A.T.L. DE SANTO AMARO TELEFONE: 21 441 49 54 / 93 596 11 54 Ano Lectivo 2010/2011 cspo@sapo.pt I OBJECTIVOS O trabalho neste Estabelecimento é promovido e

Leia mais

REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO MUNICÍPIO DE VIZELA

REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO MUNICÍPIO DE VIZELA 0 ÍNDICE PREÂMBULO 2 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS 3 Artigo 1.º Lei Habilitante 3 Artigo 2.º Âmbito 3 CAPÍTULO II MODALIDADES DE APOIO NO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO 3 Secção I Auxílios Económicos 3 Artigo

Leia mais

MUNICÍPIO DE PALMELA REGULAMENTO DE ACTIVIDADES DE ANIMAÇÃO SÓCIOEDUCATIVA DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

MUNICÍPIO DE PALMELA REGULAMENTO DE ACTIVIDADES DE ANIMAÇÃO SÓCIOEDUCATIVA DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REGULAMENTO DE ACTIVIDADES DE ANIMAÇÃO SÓCIOEDUCATIVA DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR PREÂMBULO A educação pré-escolar constitui a primeira etapa na educação básica, destina-se às crianças com idades compreendidas

Leia mais

Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo. Regulamento

Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo. Regulamento Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo Regulamento 1. Requisitos a cumprir para candidatura - Não ser detentor/a de grau académico universitário; - Não beneficiar de outra bolsa de estudo ou vantagem

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho REGULAMENTO MUNICIPAL DE COMPARTICIPAÇÃO EM MEDICAMENTOS E TRANSPORTE DE DOENTES Preâmbulo O Concelho de Vieira do Minho, tal como a maioria dos Concelhos do interior do país, tem vindo a assistir nas

Leia mais

Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico

Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Preâmbulo A Educação constitui uma das atribuições fundamentais dos Municípios desde 1984 e a sua implementação obedece a um conjunto de

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S.

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. Artigo 1.º Objeto e âmbito 1. O presente regulamento define o processo de atribuição de bolsas de estudo pela Família Soares dos Santos para a

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro

Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro Normas Reguladoras de Funcionamento do Serviço de Refeições no âmbito do Programaa de Generalização do Fornecimento de Refeições Escolares do 1º Ciclo do Ensino

Leia mais

ESCOLA EB1 E JI DE FROSSOS

ESCOLA EB1 E JI DE FROSSOS REGULAMENTO FUNCIONAMENTO da CAF (COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA) E AAAF (ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO DE APOIO À FAMÍLIA) 2015/2016 ESCOLA EB1 E JI DE FROSSOS UNIÃO DAS FREGUESIAS DE MERELIM (SÃO PEDRO) E FROSSOS

Leia mais

Boletim de Candidatura Bolsas de Estudo Ensino Superior

Boletim de Candidatura Bolsas de Estudo Ensino Superior Boletim de Candidatura Bolsas de Estudo Ensino Superior No. Responda a todos os itens de forma mais completa possível. 1. Estabelecimento de Ensino Estabelecimento de ensino Localidade Telefone Fax E-mail

Leia mais

Normas de Funcionamento do Serviço de Apoio à Família. da Educação Pré-Escolar da Rede Pública do. Concelho de Torres Vedras NOTA JUSTIFICATIVA

Normas de Funcionamento do Serviço de Apoio à Família. da Educação Pré-Escolar da Rede Pública do. Concelho de Torres Vedras NOTA JUSTIFICATIVA Normas de Funcionamento do Serviço de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar da Rede Pública do Concelho de Torres Vedras NOTA JUSTIFICATIVA Considerando que a educação é um direito de todos e cabe ao

Leia mais

Junta de Freguesia de Avanca

Junta de Freguesia de Avanca Junta de Freguesia de Avanca Cadernos de Encargos Regulamento de Atribuição de Bolsa de Estudo ao Ensino Superior [Novembro de 2011] Preâmbulo A constituição da República Portuguesa no capítulo III, Direito

Leia mais

REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES Divisão de Educação e Promoção Social Ano Letivo 2014/2015 Regulamento Municipal para atribuição de Auxílios Económicos relativos a manuais escolares,

Leia mais

REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR

REGULAMENTO DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR Nota Justificativa A Educação constitui uma das atribuições fundamentais das Autarquias Locais, em conformidade com o disposto na alínea d) do n.º 2.º do artigo 23.º da Lei n.º 75/2013,

Leia mais

Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES

Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES 2015 Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES Índice Nota Justificativa... 2 Capítulo I Disposições Gerais... 2 Artigo

Leia mais

MUNICIPIO DE SETÚBAL CÂMARA MUNICIPAL. Proposta de Regulamento Municipal de Transportes Escolares. Ensino Básico e Secundário

MUNICIPIO DE SETÚBAL CÂMARA MUNICIPAL. Proposta de Regulamento Municipal de Transportes Escolares. Ensino Básico e Secundário MUNICIPIO DE SETÚBAL Proposta de Regulamento Municipal de Transportes Escolares Ensino Básico e Secundário Proposta de Regulamento Municipal de Transportes Escolares Preâmbulo O Regulamento Municipal de

Leia mais

ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO MUNICIPAL DO SERVIÇO DE APOIO À FAMÍLIA. Preâmbulo. Considerando:

ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO MUNICIPAL DO SERVIÇO DE APOIO À FAMÍLIA. Preâmbulo. Considerando: ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO MUNICIPAL DO SERVIÇO DE APOIO À FAMÍLIA Preâmbulo Considerando: - Que decorre dos art. 74 e 75 da Constituição da República Portuguesa, o direito ao "Ensino", como garantia da

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S.

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. Artigo 1.º Objeto e âmbito 1. O presente regulamento define o processo de atribuição de bolsas de estudo pela Família Soares dos Santos para a

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S.

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. Artigo 1.º Objeto e âmbito 1. O presente regulamento define o processo de atribuição de bolsas de estudo pela Família Soares dos Santos para a

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DO CEFAD. Preâmbulo:

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DO CEFAD. Preâmbulo: Preâmbulo: O desenvolvimento das sociedades democráticas exige cada vez mais políticas educativas que promovam uma efectiva igualdade de oportunidades, traduzida na aposta da qualificação para a promoção

Leia mais

Legislação Organização Escolar

Legislação Organização Escolar Legislação Organização Escolar Despacho Conjunto n.º 300/97 (2ª série), de 9 de Setembro MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL Define as normas que regulam a comparticipação

Leia mais

Programa Olivais em Férias

Programa Olivais em Férias Capítulo 90 Programa Olivais em Férias Ano 2017 1 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Planeamento e Organização... 3 3. Inscrição... 4 3.1. Fichas de Inscrição... 4 3.2. Pagamento...5 3.2.1. Valor a Pagar.5

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE APOIO À FAMILIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE DO MUNICÍPIO DA GOLEGÃ

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE APOIO À FAMILIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE DO MUNICÍPIO DA GOLEGÃ REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE APOIO À FAMILIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE DO MUNICÍPIO DA GOLEGÃ Nota Justificativa Considerando que: a educação pré-escolar constitui

Leia mais

Ano Lectivo 2009/2010

Ano Lectivo 2009/2010 Município da Póvoa de Varzim Ano Lectivo 2009/2010 Ano Letivo 2013/2014 COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDINS DE INFÂNCIA DA REDE PÚBLICA PÓVOA DE VARZIM Introdução A educação Pré-Escolar constitui a primeira

Leia mais

NORMAS PARA ATRIBUIÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE TRANSPORTES ESCOLARES

NORMAS PARA ATRIBUIÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE TRANSPORTES ESCOLARES NORMAS PARA ATRIBUIÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE TRANSPORTES ESCOLARES 1. ALUNOS ABRANGIDOS 1.1. São abrangidos todos os alunos do ensino básico e secundário oficial ou particular e cooperativo com

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO SOBRAL SÉNIOR DO MUNICÍPIO DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO

REGULAMENTO DO CARTÃO SOBRAL SÉNIOR DO MUNICÍPIO DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO REGULAMENTO DO CARTÃO SOBRAL SÉNIOR DO MUNICÍPIO DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO Reunião de Câmara (aprovação do projecto) 18-05-2010 Edital (apreciação pública) 27-05-2010 Publicado (projecto) no DR II Série,

Leia mais

PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE. Metodologia de Avaliação e Seleção de Candidatos

PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE. Metodologia de Avaliação e Seleção de Candidatos PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE PROTOCOLO INTERMUNICIPAL ENTRE OS MUNICÍPIOS DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO E OLHÃO Metodologia de Avaliação e Seleção de

Leia mais

SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA

SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA MUNICÍPIO DE AVEIRO DIVISÃO DE EDUCAÇÃO E DESPORTO SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA Orientações de Funcionamento para o ano letivo de 2017/2018 ÍNDICE ÍNDICE...1 PARTE I: DISPOSIÇÕES GERAIS...3 ENQUADRAMENTO...3

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR REGULAMENTO MUNICIPAL PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR Índice Nota Justificativa... 3 Capítulo I Disposições Gerais... 4 Artigo 1º... 4 Objeto... 4 Artigo 2º... 4 Âmbito...

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE MÉRITO A ALUNOS DO ENSINO SECUNDÁRIO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE MÉRITO A ALUNOS DO ENSINO SECUNDÁRIO REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE MÉRITO A ALUNOS DO ENSINO SECUNDÁRIO PREÂMBULO A Constituição da República Portuguesa estatui, no n.º 2 do artigo 73.º, que o Estado promove a democratização

Leia mais

Regulamento de Procedimentos da Ação Social Escolar

Regulamento de Procedimentos da Ação Social Escolar Regulamento de Procedimentos da Ação Social Escolar Reunião de Câmara (aprovação do projeto) 16/03/2015 Edital (apreciação pública) 19/2015, de 25/03/2015 Publicado (projeto) no DR II Série, n.º 100, de

Leia mais

AVISO - MATRÍCULAS NO PRÉ-ESCOLAR. As inscrições decorrem de 15 de abril a 15 de junho.

AVISO - MATRÍCULAS NO PRÉ-ESCOLAR. As inscrições decorrem de 15 de abril a 15 de junho. AVISO - MATRÍCULAS NO PRÉ-ESCOLAR ANO LETIVO - 2015/2016 As inscrições decorrem de 15 de abril a 15 de junho. www.portaldasescolas.pt A ESCOLA DISPONIBILIZA COMPUTADOR PARA O EFEITO. O ENCARREGADO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Contatos da Junta de Freguesia do Beato: Morada: Rua de Xabregas, n.º 67, 1º andar Telefone: Fax:

Contatos da Junta de Freguesia do Beato: Morada: Rua de Xabregas, n.º 67, 1º andar Telefone: Fax: Contatos da Junta de Freguesia do Beato: Morada: Rua de Xabregas, n.º 67, 1º andar Telefone: 21 868 11 07 Fax: 21 868 64 80 E-mail: geral@jf-beato.pt Vigora após aprovação do Executivo desta Autarquia

Leia mais

Normas de Candidatura aos Apoios

Normas de Candidatura aos Apoios CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DE XIRA AÇÃO SOCIAL ESCOLAR ANO LETIVO 2015/2016 Normas de Candidatura aos Apoios PREÂMBULO A educação está consagrada constitucionalmente como um direito universal e equitativo

Leia mais

Normas de Funcionamento do Programa de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar do Concelho de Santa Maria da Feira. Introdução

Normas de Funcionamento do Programa de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar do Concelho de Santa Maria da Feira. Introdução Normas de Funcionamento do Programa de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar do Concelho de Santa Maria da Feira Introdução A Lei de Bases do Sistema Educativo estabelece que um dos objectivos da educação

Leia mais

MUNICÍPIO DE IDANHA-A-NOVA Câmara Municipal de Idanha-a-Nova PROJETO DE REGULAMENTO DO CARTÃO RAIANO

MUNICÍPIO DE IDANHA-A-NOVA Câmara Municipal de Idanha-a-Nova PROJETO DE REGULAMENTO DO CARTÃO RAIANO PROJETO DE REGULAMENTO DO CARTÃO RAIANO NOTA JUSTIFICATIVA A, pretende implementar medidas de apoio social para os seus munícipes, pelo que elaborou o presente projeto de regulamento, que se constitui

Leia mais

Normas de funcionamento. do serviço de refeições escolares

Normas de funcionamento. do serviço de refeições escolares Normas de funcionamento do serviço de refeições escolares ENQUADRAMENTO O fornecimento de refeições escolares visa assegurar uma alimentação equilibrada e adequada às necessidades da população escolar,

Leia mais

SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA

SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA MUNICÍPIO DE AVEIRO DIVISÃO DE EDUCAÇÃO E DESPORTO SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA Orientações de Funcionamento para o ano letivo de 2016/2017 ÍNDICE PARTE I: DISPOSIÇÕES GERAIS Enquadramento 3 Âmbito 3 PARTE

Leia mais

MUNICÍPIO DE VALPAÇOS REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo

MUNICÍPIO DE VALPAÇOS REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo MUNICÍPIO DE VALPAÇOS REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Preâmbulo Nos termos do artigo 235º nº2 da Constituição da República Portuguesa, as Autarquias são pessoas colectivas territoriais

Leia mais

ANEXO IV NORMAS DOS TRANSPORTES ESCOLARES

ANEXO IV NORMAS DOS TRANSPORTES ESCOLARES ANEXO IV NORMAS DOS TRANSPORTES ESCOLARES CAPÍTULO I Disposições Gerais I (Disposição Introdutória) Em cumprimento do disposto no Decreto-Lei nº 299/84, de 5 de setembro, alterado pelo Decreto- Lei nº

Leia mais

Normas para a atribuição de transporte escolar NOTA INTRODUTÓRIA

Normas para a atribuição de transporte escolar NOTA INTRODUTÓRIA Normas para a atribuição de transporte escolar NOTA INTRODUTÓRIA A intervenção do Município de Benavente em matéria de transportes escolares consiste na oferta de um serviço nos parâmetros estabelecidos

Leia mais

AVISO. Matrículas Pré-Escolar e 1º ano do Ensino Básico. Ano letivo de 2017/2018

AVISO. Matrículas Pré-Escolar e 1º ano do Ensino Básico. Ano letivo de 2017/2018 AVISO Matrículas Pré-Escolar e 1º ano do Ensino Básico Ano letivo de 2017/2018 Avisam-se os Pais e Encarregados de Educação que, de acordo com o Despacho normativo nº 1 B/2017 de 17 de abril, o período

Leia mais

CONTRATOS DE APOIO À FAMÍLIA CONTRATOS SIMPLES PROCEDIMENTO PARA O ANO LETIVO 2017/2018

CONTRATOS DE APOIO À FAMÍLIA CONTRATOS SIMPLES PROCEDIMENTO PARA O ANO LETIVO 2017/2018 Nos termos do art.º 5.º, alínea h) da Portaria n.º 30/2013, de 29 de janeiro de 2013, compete à Direção-Geral da Administração Escolar, promover a gestão e acompanhamento da execução dos Contratos Simples

Leia mais

MUNICÍPIO DE SEIA REGULAMENTO MUNICIPAL PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR

MUNICÍPIO DE SEIA REGULAMENTO MUNICIPAL PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR MUNICÍPIO DE SEIA REGULAMENTO MUNICIPAL PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR 1 MUNICÍPIO DE SEIA Câmara Municipal de Seia Departamento de Cultura, Educação, Desporto, Turismo

Leia mais

Regulamento de Bolsas de Estudo da Junta de Freguesia do Caniço

Regulamento de Bolsas de Estudo da Junta de Freguesia do Caniço Regulamento de Bolsas de Estudo da Junta de Freguesia do Caniço Preâmbulo Consciente das dificuldades económicas que afetam alguns agregados familiares da nossa Freguesia, as quais constituem verdadeiros

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições Gerais

CAPÍTULO I Disposições Gerais CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1º Âmbito de Aplicação 1. Têm direito aos benefícios de ordem económico-social previstos no presente regulamento ou que venham a ser concedidos por este Centro: a.

Leia mais

TARIFA SOCIAL UTILIZADORES DOMÉSTICOS

TARIFA SOCIAL UTILIZADORES DOMÉSTICOS TARIFA SOCIAL UTILIZADORES DOMÉSTICOS A Tarifa Social para os utilizadores domésticos foi criada com o objetivo de apoiar os utilizadores finais domésticos com baixos rendimentos e em risco de pobreza

Leia mais

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo. Pelouro da Juventude

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo. Pelouro da Juventude Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Pelouro da Juventude Aprovado pela Reunião de Câmara do dia 28 de Julho de 2010 e na Reunião da Assembleia Municipal do dia 1 de Outubro de 2010 1 Regulamento

Leia mais

Componente de Apoio à Família

Componente de Apoio à Família Capítulo 56 Componente de Apoio à Família MR.003.01.Vers.1.0.a Página 1 de 11 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Planeamento e Organização... 3 3. Funcionamento... 4 3.1. Períodos da CAF... 4 3.2. Horários

Leia mais

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Beja, 2009 Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece

Leia mais

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Preâmbulo A educação e formação dos jovens famalicenses são factores essenciais para o desenvolvimento económico e social do concelho e da região onde nos inserimos.

Leia mais

CENTRO DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES A GAIVOTA

CENTRO DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES A GAIVOTA - pg 1 de 11 - Carlos Manuel Jesus Salvador, Presidente da Junta de Freguesia de Sines, nos termos das alíneas f) e g), do artigo 18º, da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, torna público que foi aprovado

Leia mais

NIB Transferência: NOTAS: CENTRO DE APOIO AO ESTUDO

NIB Transferência: NOTAS: CENTRO DE APOIO AO ESTUDO 7 NOTAS: NIB Transferência: 0010 0000 3434 9410 0063 0 REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE APOIO AO ESTUDO RAÍZES ASSOCIAÇÃO DE APOIO À CRIANÇA E AO JOVEM 2013/2014 Capitulo I Disposições Gerais 1 Artigo 1º

Leia mais

MUNICÍPIO DE LAGOA AÇORES REGULAMENTO DO PAGAMENTO EM PRESTAÇÕES DA RECEITA DO FORNECIMENTO DE ÁGUA. Preâmbulo

MUNICÍPIO DE LAGOA AÇORES REGULAMENTO DO PAGAMENTO EM PRESTAÇÕES DA RECEITA DO FORNECIMENTO DE ÁGUA. Preâmbulo REGULAMENTO DO PAGAMENTO EM PRESTAÇÕES DA RECEITA DO FORNECIMENTO DE ÁGUA Preâmbulo O Regulamento Municipal dos Sistemas Públicos e Predial de Distribuição de Água e Drenagem de Águas Residuais do Concelho

Leia mais

Regulamento para Atribuição de Transportes Escolares do Município de Mafra NOTA JUSTIFICATIVA

Regulamento para Atribuição de Transportes Escolares do Município de Mafra NOTA JUSTIFICATIVA NOTA JUSTIFICATIVA Dando cumprimento às atribuições do Município no domínio da Educação, conforme previsto nas alíneas d) do n.º 1 do artigo 13.º e a) do n.º 3 do artigo 19.º da Lei n.º 159/99, de 14 de

Leia mais

Preâmbulo. Considerando:

Preâmbulo. Considerando: REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO SERVIÇOS DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ- ESCOLAR E 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO DA REDE PÚBLICA DO MUNICIPIO DE PAREDES Considerando:

Leia mais

Município de Monforte REGULAMENTO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO

Município de Monforte REGULAMENTO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO Município de Monforte REGULAMENTO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO Convertido para formato digital em 16 de fevereiro de 2013. Aplicação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa - Cumprimento da Resolução do

Leia mais

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CRECHE O POMBAL ANO LECTIVO 2011/2012 TELEFONE: 21 441 58 25 / 93 596 11 56 cspo@sapo.pt I OBJECTIVOS O trabalho neste Estabelecimento é promovido e realizado

Leia mais

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO. Nota justificativa

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO. Nota justificativa REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO Nota justificativa A elevada taxa de insucesso escolar resulta, em grande parte, da ausência ou uso inapropriado de estratégias de estudo e pela não existência

Leia mais

Regulamento Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico

Regulamento Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Regulamento Acção Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Preambulo A Educação constitui uma das atribuições fundamentais dos Municípios desde 1984, a sua implementação obedece a um conjunto de preceitos

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Artigo 1.º O número de bolsas de estudos a conceder será anualmente fixado pela Câmara Municipal de Bombarral face à verba orçamentada para o efeito. Artigo

Leia mais

REGULAMENTO. Projeto Esperança

REGULAMENTO. Projeto Esperança REGULAMENTO Projeto Esperança Aprovação Câmara Municipal: 21-12-2015 Assembleia Municipal: 12-02-2016 REGULAMENTO PROJETO ESPERANÇA PREÂMBULO O Município de Arruda dos Vinhos, no desenvolvimento da sua

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto As presentes Normas definem os procedimentos e regras aplicáveis à utilização do serviço de fornecimento de refeições nos refeitórios escolares sob gestão

Leia mais