II Feira de Ciências das Escolas da Diretoria de Ensino - Região Mogi das Cruzes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "II Feira de Ciências das Escolas da Diretoria de Ensino - Região Mogi das Cruzes"

Transcrição

1 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO MOGI DAS CRUZES Rua Dr. Antônio Cândido Vieira, 451, Centro Mogi das Cruzes / SP Telefone: (11) / Fax (11) Núcleo Pedagógico II Feira de Ciências das Escolas da Diretoria de Ensino - Região Mogi das Cruzes Regulamento Documento Orientador Dirigente Regional de Ensino Rosania Morales Morroni Diretor do Núcleo Pedagógico Mickael Nunes dos Santos Equipe Organizadora: PCNP: Audrey Garcia, Elizabeth Reymi Rodrigues, Erik Perozini, José Raphael, Pedro Tassoni.

2 Prezados (as) Professores (as) e Estudantes, O objetivo deste documento é orientar e estimular a formação dos estudantes da rede estadual de ensino, no âmbito das Ciências da Natureza, inserindo-os no contexto da pré-iniciação Científica. A II Feira de Ciências da Diretoria de Ensino da Região de Mogi das Cruzes possui em seu cerne as diretrizes do Currículo Oficial do Estado de São Paulo e foi baseada no documento oficial da SEE- CGEB referente as orientações da 4ª Feira de Ciências das Escolas Estaduais de São Paulo (FeCEESP). INTRODUÇÃO A Diretoria de Ensino - Região de Mogi das Cruzes (DERMGC), realizará a II Feira de Ciências, que segue as premissas da 4ª FeCEESP, uma ação voltada para a formação, divulgação e a promoção da cultura científica, que se constitui por meio de projetos de investigação de Pré-Iniciação na Educação Básica. A fundamentação proposta pela FeCEESP, ensino por investigação e na metodologia da Pesquisa Científica, estimula o estudante a desenvolver habilidades e construir conhecimentos referenciados no pensamento cientifico. Isso contribui com a construção de atitudes e valores, de tal forma que a práxis esteja voltada para o contexto histórico- social no qual a escola e comunidade do entorno estejam inseridas. Os projetos deverão ser carregados de intencionalidade educacional e científica, além de serem planejados e estruturados para estabelecer as relações pedagógicas que mediam a formação científica dos estudantes da rede pública estadual de São Paulo. A Feira da DERMGC como a FeCEESP realizará em três etapas o processo de aprendizagem, previstas no Currículo Oficial do Estado de São Paulo de Ciências da Natureza (2010), sendo elas: - Atividades com participação ativa dos alunos, preferencialmente demandando consulta e cooperação com seus colegas, assim como o posicionamento crítico diante da situação problema investigada; - Temáticas que dialoguem com o contexto da escola e com a realidade do aluno, antecedendo aquelas que transcendem o seu universo vivencial; - Observações que não se limitem a experiências demonstrativas ou laboratoriais, mas que envolvam também percepções do mundo real, em que a participação e o registro feito pelos alunos sejam relevantes.

3 Além desses princípios, há também o desdobramento em ações que promovam a integração entre estudantes, técnicos, cientistas e representantes da sociedade, com o intuito de contribuir com a formação e o desenvolvimento de sua identidade como sujeito e participante do universo das ciências. Os projetos que participarem da II Feira de Ciências - DERMGC, se selecionados entre os 5 de maior relevância e atenderem aos critérios de avaliação, poderão ser inscritos na 4ª FeCEESP, e caso estes sigam em outras etapas, poderão interagir com outras Feiras de Ciências, as quais a FeCEESP é afiliada. A II Feira de Ciências da DERMGC deverá ser composta por projetos de pré-iniciação Científica e desenvolvidos por grupos de alunos da rede pública estadual desta Diretoria Regional de Ensino. Para participar da II Feira de Ciências - DERMGC, cada unidade escolar deverá realizar a seleção de um de seus projetos escolares e fazer sua inscrição no Núcleo Pedagógico, no link que servirão de base para os procedimentos de avaliação, orientação e intervenção para o processo seletivo da 4ª FeCEESP. Esses projetos devem basear-se na realidade vivenciada pelos estudantes, buscando a resolução de problemas desenvolvidos por eles, e ainda, tendo como princípio, interferir positivamente nesse contexto, trazendo benefícios à escola e à sociedade. Dessa forma, os projetos podem contribuir no desenvolvimento de habilidades e na construção de atitudes e valores em nosso estudantes, que voltados ao bem comum, exercerão um dos princípios da Educação Básica que é a participação social. O estudo de Ciências da Natureza 1 tem como um de seus papéis principais a preparação dos jovens cidadãos para enfrentar os desafios de uma sociedade em mudança contínua. Currículo do Estado de São Paulo de Ciências da Natureza, p. 31, 2010.

4 OBJETIVOS DA II FEIRA DE CIÊNCIAS - DERMGC Promover a formação em nível de pré-iniciação Científica, visando o desenvolvimento acadêmico dos estudantes da DERMGC. Estimular os alunos a pensarem criticamente e a buscarem soluções alternativas para os desafios propostos na contemporaneidade, desenvolvendo assim as competências e habilidades do Currículo do Estado de São Paulo, com ênfase na competência leitora e escritora. Ampliar os conhecimentos científicos dos jovens na pesquisa de formas alternativas para as soluções de problemas, incluindo além da Ciência e Tecnologia, as áreas de Saúde, Sustentabilidade e Meio Ambiente. Instigar os alunos a se posicionarem de forma consciente diante de uma problemática e valorizar a pluralidade de nosso patrimônio sociocultural. Os 5 Projetos escolares que melhor atenderem ao Regulamento desta feira, serão inscritos na 4ª FeCEESP. O PÚBLICO-ALVO Podem inscrever-se na II Feira de Ciências da DERMGC estudantes: - 5ºAno EF- Anos iniciais; - 6º, 7º, 8º, 9º Ano EF- Anos finais; - 1º, 2º e 3º séries do Ensino Médio. Observação: Só poderão participar da seleção de projetos para a 4ª Edição da FeCEESP, os estudantes do 7º, 8º e 9º ano do Ensino Fundamental e da 1ª e 2ª série do Ensino Médio. Todos os projetos submetidos deverão ter professores orientadores conforme o regulamento, detalhado adiante. Os estudantes participantes devem ter no máximo 18 anos completos em 2017, ou seja, não podem completar 19 anos ao longo do ano de 2017, a fim de seguir os padrões de feiras de ciências nacionais e internacionais. O conhecimento é um elemento chave na cultura geral dos cidadãos, pois o acesso a esse conhecimento os habilita tanto para se posicionar ativamente diante das modificações do mundo em que vivem como para compreender os fenômenos observáveis na Natureza e no Universo. Currículo do Estado de São Paulo de Ciências da Natureza, p

5 REGULAMENTO Este regulamento normatiza a II Feira de Ciências da DER Mogi das Cruzes em conformidade com 4ª edição da Feira de Ciências das Escolas Estaduais 4ª FeCEESP Etapa Regional - Fase I. Equipes de Gestão das Unidades Escolares devem incentivar e auxiliar a criação da Feira de Ciências 2016 em suas respectivas escolas. 1. Poderão participar da II Feira da DERMGC todas as escolas 5ºAno EF- Anos iniciais, os 6º, 7º, 8º, 9º Ano EF- Anos finais e 1º, 2º e 3º séries do Ensino Médio. 2. Resultado da avaliação da II Feira da DERMGC, serão selecionados por Comissão julgadora, projetos relevantes para a 4ª FeCEESP, seguindo a seguinte normatização: alunos matriculados e frequentes do 7º, 8º e 9º ano dos Anos Finais do Ensino Fundamental Regular, do Programa Ensino Integral e da Educação de Jovens e Adultos do Ensino Fundamental; 2.1. Alunos matriculados e frequentes da 1ª e 2ª séries do Ensino Médio Regular e do Programa Ensino Integral A escola deverá indicar somente (02)estudantes e (01) professor- orientador para a 4ªFeCEESP. 3. Poderão participar da II Feira de Ciências - DERMGC projetos desenvolvidos nas disciplinas de Ciência da Natureza (Ciências, Biologia, Química e Física): disciplinar ou interdisciplinar. 4. Poderão participar projetos escolares já concluídos e/ou em desenvolvimento. 5. Professores - orientadores das respectivas equipes devem ser da mesma Unidade Escolar. 6. As equipes podem ser formadas por estudantes de anos e séries diferentes, desde que sejam respeitadas as normativas estabelecidas nos itens 1. e Os estudantes participantes devem ter no máximo 18 anos até o final de 2017, conforme explicitado na seção anterior, referente ao público-alvo.

6 OS PROJETOS INSCRITOS DEVERÃO TER AS SEGUINTES CARACTERÍSTICAS: Ter um professor-orientador, podendo participar do desenvolvimento do projeto professores coorientadores (da rede estadual de ensino ou de institutos, faculdades e universidades parceiras) e também outros estudantes da mesma escola, no entanto, a comissão da II Feira de Ciências da - DERMGC em conformidade com a 4ªFeCEESP compromete-se apenas com um (01) professor e dois (02) estudantes inscritos para prosseguir nas etapas seguintes da 4ªFeCEESP em conformidade com o item 2. As datas para realização das Feiras de Ciências nas unidades Escolares ficarão a critério de cada unidade escolar. As inscrições dos Trabalhos/Projetos na II Feira de Ciências - DERMGC devem ser realizadas até 23/08/2016 no Link Cada escola deverá selecionar um trabalho /projeto, o qual deve estar inscrito na II Feira de Ciências - DERMGC com seus respectivos cadastros e Temas conforme cadastro já realizado no Link(http://bit.ly/feiradeciencias2 ). OBS: A DERMGC terá o período de julho e agosto para realizar parecer técnico nos projetos para verificar se eles atendem ao regulamento. Caso a Comissão avaliadora do Núcleo Pedagógico verifique que as informações do projeto não atendam as solicitações do Documento orientador, o mesmo será reencaminhado para a escola, para que a equipe responsável pelo projeto possa realizar as adequações e intervenções necessárias. No que se refere à avaliação Os projetos serão avaliados em uma escala de 0 a 5 (sendo 0 conceito mínimo e 5 conceito máximo) a partir dos seguintes critérios: a. Tema; b. Questão Problema; c. Descrição da Metodologia; d. Expectativas de Resultados; e. Extensão Social.

7 Em caso de empate entre projetos com mesma classificação final os critérios de desempate será a maior nota individual seguinte disposição: a. Questão Problema; b. Descrição da Metodologia; c. Expectativas de Resultados; d. Tema; e. Extensão Social CONSIDERAÇÕES FINAIS Os trabalhos/projetos das Escolas inscritas serão apresentados na II Feira de Ciências da DE Mogi das Cruzes no dia 06 de Setembro de (Obs: local este ainda a ser definido). Os trabalhos/projetos apresentados na II Feira de Ciências - DERMGC serão avaliados por uma Comissão de jurados onde serão escolhidos os 5 melhores trabalhos. Os projetos selecionados serão inscrito na 4ª FeCEESP 2016 e passarão a fazer parte da Seletiva Regional Fase II e III do documento da 4ª FeCEESP Estes trabalhos/projetos prosseguirão pela seletiva dos melhores trabalhos/projetos em âmbito estadual conforme o regimento da 4ª FeCEESP. Mogi das Cruzes, junho 2016

Videoconferência Apresentação do Projeto Aventuras Currículo+ aos Diretores Escolares CETEC/CGEB. 23/03/ h30 17h30

Videoconferência Apresentação do Projeto Aventuras Currículo+ aos Diretores Escolares CETEC/CGEB. 23/03/ h30 17h30 Videoconferência Apresentação do Projeto Aventuras Currículo+ aos Diretores Escolares CETEC/CGEB 23/03/2015 15h30 17h30 Roteiro 1. Apresentação: Projeto Aventuras Currículo+ 2. Apresentação: diretrizes

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO OMETTO UNIARARAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPESQ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À PESQUISA

CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO OMETTO UNIARARAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPESQ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À PESQUISA CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO OMETTO UNIARARAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPESQ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À PESQUISA PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Artigo 1º - O Programa

Leia mais

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso O Trabalho de Conclusão de Curso TCC é um requisito obrigatório para a conclusão do curso, realizada no final do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº 023/2016, DE 24 DE AGOSTO DE 2016

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº 023/2016, DE 24 DE AGOSTO DE 2016 PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº 023/2016, DE 24 DE AGOSTO DE 2016 BOLSA TUTORIA/CURSO SUPERIOR - LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFMG O DIRETOR GERAL DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PIRIPIRIENSE DE ENSINO SUPERIOR APES CHRISTUS FACULDADE DO PIAUÍ - CHRISFAPI EDITAL Nº 001/2016

ASSOCIAÇÃO PIRIPIRIENSE DE ENSINO SUPERIOR APES CHRISTUS FACULDADE DO PIAUÍ - CHRISFAPI EDITAL Nº 001/2016 ASSOCIAÇÃO PIRIPIRIENSE DE ENSINO SUPERIOR APES CHRISTUS FACULDADE DO PIAUÍ - CHRISFAPI DIRETORIA DE ENSINO EDITAL Nº 001/2016 PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA PROJETOS DE EXTENSÃO O Núcleo de Iniciação

Leia mais

EDITAL PIC ISEPRO Nº. 001/2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIC ISEPRO) SELEÇÃO

EDITAL PIC ISEPRO Nº. 001/2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIC ISEPRO) SELEÇÃO EDITAL PIC ISEPRO Nº. 001/2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIC ISEPRO) SELEÇÃO 2015.1 1. O INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO PROGRAMUS ISEPRO, torna pública a abertura de inscrições para o preenchimento

Leia mais

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Art 1º. A Extensão Acadêmica se constitui em uma prática permanente de interação universidade-sociedade, articulada ao ensino

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE

Leia mais

XII BioCiências: Mostra de Projetos Experimentais de Itumbiara-GO 1 Caracterização da Proposta

XII BioCiências: Mostra de Projetos Experimentais de Itumbiara-GO 1 Caracterização da Proposta XII BioCiências: Mostra de Projetos Experimentais de Itumbiara-GO XII BI CIÊNCIAS 1 Caracterização da Proposta O curso de Ciências Biológicas do ILES/ULBRA Itumbiara-GO, iniciou no ano de 2006 a primeira

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E LETRAS COORDENAÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO MANUAL DE MONITORIA

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E LETRAS COORDENAÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO MANUAL DE MONITORIA MANUAL DE MONITORIA A Coordenação de Ensino, Pesquisa e Extensão da Faculdade FACEL acredita na importância do processo de monitoria para o desenvolvimento dos acadêmicos, desta forma estabeleceu uma normatização

Leia mais

EDITAL Nº 01/2017 COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E APOIO AO EDUCANDO SELEÇÃO SIMPLIFICADA PARA O CURSO DE EXTENSÃO ENEM PARA TODOS

EDITAL Nº 01/2017 COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E APOIO AO EDUCANDO SELEÇÃO SIMPLIFICADA PARA O CURSO DE EXTENSÃO ENEM PARA TODOS 1 EDITAL Nº 01/2017 COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E APOIO AO EDUCANDO SELEÇÃO SIMPLIFICADA PARA O CURSO DE EXTENSÃO ENEM PARA TODOS PUBLICADO EM: 19/05/2017. 2 A Coordenação de Extensão e Apoio ao Educando do

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - A Coordenação do Curso de Licenciatura em Química da UTFPR Campus

Leia mais

ENADE 2010 ENADE. Relatório da IES EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES

ENADE 2010 ENADE. Relatório da IES EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES ENADE EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES ENADE 2010 Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE NATAL G Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas

Leia mais

Destinado aos alunos da Educação Básica, da rede pública do Estado de São Paulo, regularmente matriculados, em seus diferentes níveis, segmentos e

Destinado aos alunos da Educação Básica, da rede pública do Estado de São Paulo, regularmente matriculados, em seus diferentes níveis, segmentos e Destinado aos alunos da Educação Básica, da rede pública do Estado de São Paulo, regularmente matriculados, em seus diferentes níveis, segmentos e modalidades. Objetivo do concurso Enfatizar na rede estadual

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA DO ISEPRO

PROGRAMA DE MONITORIA DO ISEPRO PROGRAMA DE MONITORIA DO ISEPRO EDITAL /25 A Direção Geral do Instituto Superior de Educação Programus ISEPRO, através da Coordenação do SAP, no uso de suas atribuições regimentais e regulamentares, tornam

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA DE MONITORIA. CAPÍTULO I Do Conceito de Monitoria

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA DE MONITORIA. CAPÍTULO I Do Conceito de Monitoria REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA DE MONITORIA CAPÍTULO I Do Conceito de Monitoria Art. 1º - Entende-se por Monitoria, uma modalidade de ensino e aprendizagem que contribui para a formação integrada

Leia mais

EDITAL VER-SUS CARIRI 2ª EDIÇÃO

EDITAL VER-SUS CARIRI 2ª EDIÇÃO EDITAL VER-SUS CARIRI 2ª EDIÇÃO PROCESSO DE SELEÇÃO DO PROJETO DE VIVÊNCIAS E ESTÁGIOS NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DO BRASIL (VER-SUS CARIRI/BRASIL) As Secretarias de saúde de Barbalha, Juazeiro

Leia mais

TERMO ADITIVO AO EDITAL 06/2012. PROCESSO SELETIVO DE BOLSAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC CNPq/ FEEVALE DE 2012

TERMO ADITIVO AO EDITAL 06/2012. PROCESSO SELETIVO DE BOLSAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC CNPq/ FEEVALE DE 2012 TERMO ADITIVO AO EDITAL 06/2012 PROCESSO SELETIVO DE BOLSAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC CNPq/ FEEVALE DE 2012 A Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação da Universidade

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Faculdade Processus.

Programa de Iniciação Científica da Faculdade Processus. Programa de Iniciação Científica da Faculdade Processus. CAPÍTULO I OBJETIVOS Art. 1º O Programa de Iniciação Científica PIC da Faculdade Processus, constitui-se em um conjunto de ações destinadas a propiciar

Leia mais

EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP CAMPUS SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP CAMPUS SÃO JOSÉ DOS CAMPOS EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP O Instituto de Ciência e Tecnologia da UNIFESP Campus São José dos Campos TORNA PÚBLICO os requisitos, procedimentos e o funcionamento do Projeto de Tutoria Acadêmica

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010.

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. Institui as orientações e as atividades aprovadas para a realização da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais G O V E R N O F E D E

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DO PROJETO VIVÊNCIAS E ESTÁGIOS NA REALIDADE DO

PROCESSO DE SELEÇÃO DO PROJETO VIVÊNCIAS E ESTÁGIOS NA REALIDADE DO PROCESSO DE SELEÇÃO DO PROJETO VIVÊNCIAS E ESTÁGIOS NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DO BRASIL VER-SUS SÃO PAULO 2016: VIVER A REALIDADE DA SAÚDE E MORADIA EM SÃO PAULO. 1- APRESENTAÇÃO Os estágios

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac 2 TÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Artigo 1º - Os Cursos da FELM mantém estágios curriculares supervisionados que se constituem

Leia mais

REGULAMENTO. I Olimpíada Piauiense de Língua Portuguesa Tecendo Saberes do nosso povo. 1ª Edição Apresentação

REGULAMENTO. I Olimpíada Piauiense de Língua Portuguesa Tecendo Saberes do nosso povo. 1ª Edição Apresentação REGULAMENTO I Olimpíada Piauiense de Língua Portuguesa Tecendo Saberes do nosso povo 1ª Edição 2016 Apresentação A I Olimpíada Piauiense de Língua Portuguesa - Tecendo saberes do nosso povo é uma iniciativa

Leia mais

REGULAMENTO DA IV MOSTRA DE INICIAÇÃO

REGULAMENTO DA IV MOSTRA DE INICIAÇÃO REGULAMENTO DA IV MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROMOVIDA PELOS CURSOS DE ANÁLISE EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E CIÊNCIAS CONTÁBEIS) Com o objetivo de promover e valorizar as pesquisas dos acadêmicos

Leia mais

EDITAL CEET Nº 001/2016 3ª FEIRA DE CURSOS DO CEET TALMO LUIZ SILVA

EDITAL CEET Nº 001/2016 3ª FEIRA DE CURSOS DO CEET TALMO LUIZ SILVA EDITAL CEET Nº 001/2016 3ª FEIRA DE CURSOS DO CEET TALMO LUIZ SILVA O CEET Talmo Luiz Silva torna público o presente Edital de inscrição de projetos de alunos a serem avaliados e expostos na 3ª Feira de

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP ANEXO II REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP CAPÍTULO I DA FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1º

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE CRUZEIRO EDITAL PARA MONITORIA 1º semestre/2016

ESCOLA SUPERIOR DE CRUZEIRO EDITAL PARA MONITORIA 1º semestre/2016 ESCOLA SUPERIOR DE CRUZEIRO EDITAL PARA MONITORIA 1º semestre/2016 A Escola Superior de Cruzeiro - ESC, torna público e aberto, para conhecimento dos alunos interessados, a concorrência para monitoria

Leia mais

VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL 05/2016-DIRGRAD

VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL 05/2016-DIRGRAD Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Guarapuava Diretoria de Graduação e Educação Profissional VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL

Leia mais

Programa de Iniciação Científica (PIC) Seleção

Programa de Iniciação Científica (PIC) Seleção Programa de Iniciação Científica (PIC) Seleção 2017-2018 A FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS DE LETRAS DE CARUARU - FAFICA, através do seu Núcleo de Pesquisa, torna público o processo seletivo para seleção

Leia mais

18 São Paulo, 127 (43) Diário Oficial Poder Executivo - Seção I terça-feira, 7 de março de 2017

18 São Paulo, 127 (43) Diário Oficial Poder Executivo - Seção I terça-feira, 7 de março de 2017 18 São Paulo, 127 (43) Diário Oficial Poder Executivo - Seção I terça-feira, 7 de março de 2017 GABINETE DO SECRETÁRIO Comunicado O Secretário de Estado da Educação comunica que fica instituído o Concurso

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Introdução

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Introdução REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Introdução O presente regulamento constitui um documento interno do curso de Ciências Contábeis e tem por objetivo reger as atividades relativas ao Estágio Supervisionado.

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FATEC PINDAMONHANGABA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FATEC PINDAMONHANGABA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FATEC PINDAMONHANGABA 1. INTRODUÇÃO O objetivo de presente regulamento é estabelecer as normas e os procedimentos gerais do programa de iniciação científica-tecnológica

Leia mais

EDITAL Nº 475, DE 03 DE AGOSTO DE 2016

EDITAL Nº 475, DE 03 DE AGOSTO DE 2016 EDITAL Nº 475, DE 03 DE AGOSTO DE 2016 O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), por meio de sua Pró-reitoria de Extensão (PRX), tendo em vista o estabelecido na Portaria

Leia mais

Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO DIRETORIA GERAL.

Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO DIRETORIA GERAL. Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO DIRETORIA GERAL Comunicado (Edital G.D.G. 044/2016) Edital para Seleção de Alunos Bolsistas e não

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI UFPI CAMPUS MINISTRO REIS VELLOSO LIGA ACADÊMICA DE FISIOTERAPIA EM SAUDE DA MULHER - LAFISM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI UFPI CAMPUS MINISTRO REIS VELLOSO LIGA ACADÊMICA DE FISIOTERAPIA EM SAUDE DA MULHER - LAFISM UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI UFPI CAMPUS MINISTRO REIS VELLOSO LIGA ACADÊMICA DE FISIOTERAPIA EM SAUDE DA MULHER - LAFISM EDITAL 01/2016 DE SELEÇÃO PARA A LIGA ACADÊMICA DE FISIOTERAPIA EM SAÚDE DA MULHER

Leia mais

1º Concurso de Boas Práticas: Educando na Sustentabilidade

1º Concurso de Boas Práticas: Educando na Sustentabilidade 1º Concurso de Boas Práticas: Educando na Sustentabilidade Regulamento 1 O Concurso 1.1 O Serviço Social da Indústria - SESI, pessoa jurídica de direito privado, inscrito no CNPJ/MF sob nº 03.802.018/0001-09,

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA, TECNOLOGIA E NEGÓCIOS Nº 01/2017

INSTITUTO DE PESQUISA, TECNOLOGIA E NEGÓCIOS Nº 01/2017 INSTITUTO DE PESQUISA, TECNOLOGIA E NEGÓCIOS EDITAL DE CRIAÇÃO E CADASTRO DE GRUPOS DE PESQUISA Nº 01/2017 O Instituto de Pesquisa, Tecnologia e Negócios (IPTN), no uso de suas atribuições legais, torna

Leia mais

EDITAL Nº. 035 / 2012 IFCatarinense Câmpus Araquari e Câmpus Avançado São Francisco do Sul

EDITAL Nº. 035 / 2012 IFCatarinense Câmpus Araquari e Câmpus Avançado São Francisco do Sul 1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Câmpus Araquari EDITAL Nº. 035 / 2012 IFCatarinense Câmpus Araquari e Câmpus Avançado São Francisco

Leia mais

4º PRÊMIO ENEC EDITAL

4º PRÊMIO ENEC EDITAL 4º PRÊMIO ENEC EDITAL 1. DISPOSIÇÕES GERAIS O 4º Prêmio ENEC 2017 será atribuído aos ganhadores do concurso, conforme disposto no presente Edital. O concurso tem como principal objetivo estimular e dar

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE PESQUISA (CEPES) DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB/IDP

REGULAMENTO DO CENTRO DE PESQUISA (CEPES) DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB/IDP REGULAMENTO DO CENTRO DE PESQUISA (CEPES) DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB/IDP TEXTO COMPILADO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as

Leia mais

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NA FACULDADE DE ARACRUZ

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NA FACULDADE DE ARACRUZ FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NA FACULDADE DE ARACRUZ ARACRUZ 2010 INTRODUÇÃO A Iniciação Científica, segundo o Conselho Nacional

Leia mais

DESAFIO NAS ESCOLAS ÁGUA: USE, NÃO ABUSE REGULAMENTO

DESAFIO NAS ESCOLAS ÁGUA: USE, NÃO ABUSE REGULAMENTO 1- OBJETIVOS DO DESAFIO DESAFIO NAS ESCOLAS ÁGUA: USE, NÃO ABUSE REGULAMENTO Conscientizar a rede escolar para a importância da água; Desenvolver ações de economia de água na residência; Socialização e

Leia mais

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO COORDENAÇÃO DE TGI TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO SÃO PAULO JUNHO DE 2007 CAPÍTULO 1 DA CONCEITUAÇÃO Art. 1º - O Trabalho de Graduação Interdisciplinar (TGI), atividade obrigatória

Leia mais

I FESTIVAL DE DANÇA DA ESCOLA FRANCISCO PAZ ARAGÃO

I FESTIVAL DE DANÇA DA ESCOLA FRANCISCO PAZ ARAGÃO PROGRAMA MAIS CULTURA NAS ESCOLAS EEF FRANCISCO PAZ ARAGÃO DISTRITO SÃO JOSÉ I FESTIVAL DE DANÇA DA ESCOLA FRANCISCO PAZ ARAGÃO REGULAMENTO 01 - DAS FINALIDADES: O I festival de danças da EEF Francisco

Leia mais

(REPUBLICADA EM RAZÃO DE ALTERAÇÃO DO PARÁGRAFO ÚNICO DO ART. 14, CONSOANTE TEOR DO PARECER N 28/CUN/2008 E RESOLUÇÃO Nº 024/CUn/2008)

(REPUBLICADA EM RAZÃO DE ALTERAÇÃO DO PARÁGRAFO ÚNICO DO ART. 14, CONSOANTE TEOR DO PARECER N 28/CUN/2008 E RESOLUÇÃO Nº 024/CUn/2008) (REPUBLICADA EM RAZÃO DE ALTERAÇÃO DO PARÁGRAFO ÚNICO DO ART. 14, CONSOANTE TEOR DO PARECER N 28/CUN/2008 E RESOLUÇÃO Nº 024/CUn/2008) RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 008/CUN/2007, de 10 de julho de 2007. CRIA

Leia mais

ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O

ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O O QUE É UM PROJETO DE INTERVENÇÃO? Na perspectiva do desenvolvimento das habilidades e competência do eixo do Programa de Aprendizagem em Atenção

Leia mais

TCC DE LETRAS LICENCIATURA E BACHARELADO MANUAL DE ORIENTAÇÕES

TCC DE LETRAS LICENCIATURA E BACHARELADO MANUAL DE ORIENTAÇÕES TCC DE LETRAS LICENCIATURA E BACHARELADO MANUAL DE ORIENTAÇÕES 2014 TCC LETRAS BACHARELADO PORTUGUÊS/INGLÊS O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) dos alunos que cursam o Bacharelado constituise como trabalho

Leia mais

SHOW DE TALENTOS COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ 2016

SHOW DE TALENTOS COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ 2016 SHOW DE TALENTOS COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ 2016 APRESENTAÇÃO O Evento "Show de Talentos 2016" tem por objetivo descobrir novos talentos no Colégio Agostiniano São José, divulgar habilidades artísticas,

Leia mais

EDITAL 005/2012 CPADC/ICED/UFOPA

EDITAL 005/2012 CPADC/ICED/UFOPA UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CENTRO PEDAGÓGICO DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO EDITAL 005/2012 CPADC/ICED/UFOPA O Centro Pedagógico de Apoio ao Desenvolvimento

Leia mais

EDITAL DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA 2014

EDITAL DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA 2014 EDITAL DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA 2014 A Direção do Núcleo Acadêmica do Centro Universitário Monte Serrat, no uso de suas atribuições, torna público o Programa de Iniciação Científica

Leia mais

SELEÇÃO. Edital DG nº ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

SELEÇÃO. Edital DG nº ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO SELEÇÃO Edital DG nº001-2013 ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO FACULDADE INTERNACIONAL SIGNORELLI SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS PARA ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO 1 Do objeto 1.1 O presente Edital tem por objetivo a seleção

Leia mais

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO - BACHARELADO EM ESTATÍSTICA

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO - BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Anexo II REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO - BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Capítulo I Constituição e Objetivos Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSOS TÉCNICOS 1 SUMÁRIO 3 DIRETRIZES PARA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO 4 ATRIBUIÇÕES DO RESPONSÁVEL PELA ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIO 4 PERFIL DE CONCLUSÃO DE CURSO 4 CAPTAÇÃO DE VAGAS 5

Leia mais

PROJETO DE SOLICITAÇÃO DE DISCIPLINA NO PROGRAMA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PID/2016

PROJETO DE SOLICITAÇÃO DE DISCIPLINA NO PROGRAMA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PID/2016 1 PROJETO DE SOLICITAÇÃO DE DISCIPLINA NO PROGRAMA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PID/2016 I. Professor orientador: Marco Aurélio Bernardes de Carvalho II. Disciplinas de atuação: Programa Integrador de Atenção

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO - CAMPUS RIO VERDE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO - CAMPUS RIO VERDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO - CAMPUS RIO VERDE O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano Campus Rio Verde (IF Goiano Campus Rio

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SÃO JUDAS TADEU ISESJT. RESOLUÇÃO CONSUP Nº 03/2014 Floriano, 10 de janeiro de 2014.

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SÃO JUDAS TADEU ISESJT. RESOLUÇÃO CONSUP Nº 03/2014 Floriano, 10 de janeiro de 2014. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SÃO JUDAS TADEU ISESJT RESOLUÇÃO CONSUP Nº 03/2014 Floriano, 10 de janeiro de 2014. Fixa normas para o Programa de Iniciação Científica, no Instituto Superior de Educação

Leia mais

APRESENTAÇÃO. É com esses propósitos que pela 17ª vez nos propomos a realizar em nossa Capital o Concurso de Redação Goiânia na Ponta do Lápis.

APRESENTAÇÃO. É com esses propósitos que pela 17ª vez nos propomos a realizar em nossa Capital o Concurso de Redação Goiânia na Ponta do Lápis. APRESENTAÇÃO O concurso de redação Goiânia na Ponta do Lápis é um projeto do jornal Tribuna do Planalto, desenvolvido com o apoio da Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal da Educação

Leia mais

JÚNIOR/2013 Mostra de Trabalhos do Ensino Fundamental REGULAMENTO

JÚNIOR/2013 Mostra de Trabalhos do Ensino Fundamental REGULAMENTO JÚNIOR/2013 Mostra de Trabalhos do Ensino Fundamental REGULAMENTO 1 DENOMINAÇÃO A Mostra de Trabalhos do Ensino Fundamental 2013, neste regulamento denominada MOSTRATEC JUNIOR 2013, é organizada pela Fundação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI VICE-REITORIA DE ENSINO E PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL PIBIC/CNPQ-2012

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI VICE-REITORIA DE ENSINO E PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL PIBIC/CNPQ-2012 CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI VICE-REITORIA DE ENSINO E PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL PIBIC/CNPQ-2012 A Vice-Reitoria de Ensino e Pesquisa do Centro Universitário

Leia mais

REGULAMENTO DA MONITORIA. para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu. discentes; magistério superior.

REGULAMENTO DA MONITORIA. para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu. discentes; magistério superior. i.e PRÓ-REITORIA ACADÊMICA REGULAMENTO DA MONITORIA Art. 1º. O presente regulamento estabelece as regras para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu UNIG, por meio de programas

Leia mais

ENADE Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ

ENADE Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ ENADE 2011 Relatório da IES G Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ O V E R N O F E D E R A L PAÍS RICO

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016 Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC PRÓ-REITORIA DE ENSINO CURSO: CIENCIAS BIOLÓGICAS REGIMENTO DE ESTÁGIO (BACHARELADO)

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC PRÓ-REITORIA DE ENSINO CURSO: CIENCIAS BIOLÓGICAS REGIMENTO DE ESTÁGIO (BACHARELADO) UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC PRÓ-REITORIA DE ENSINO CURSO: CIENCIAS BIOLÓGICAS REGIMENTO DE ESTÁGIO (BACHARELADO) Novembro / 2003 APRESENTAÇÃO/JUSTIFICATIVA O estágio curricular caracteriza-se pelo envolvimento

Leia mais

EDITAL DE CIRCULAÇÃO INTERNA 029/2015 SEMINÁRIO DE ENCERRAMENTO DA ACOLHIDA CIDADÃ/ SOLIDÁRIA FURG ª EDIÇÃO

EDITAL DE CIRCULAÇÃO INTERNA 029/2015 SEMINÁRIO DE ENCERRAMENTO DA ACOLHIDA CIDADÃ/ SOLIDÁRIA FURG ª EDIÇÃO EDITAL DE CIRCULAÇÃO INTERNA 029/2015 SEMINÁRIO DE ENCERRAMENTO DA ACOLHIDA CIDADÃ/ SOLIDÁRIA FURG 2015 6ª EDIÇÃO 1. DA REALIZAÇÃO O Edital do Seminário de Encerramento da Acolhida Cidadã/ Solidária FURG

Leia mais

Instituto de Educação Universidade de Lisboa

Instituto de Educação Universidade de Lisboa Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Educação e Tecnologias Digitais 14 15 Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa

Leia mais

Instrução Normativa 03/09 - PROGRAD

Instrução Normativa 03/09 - PROGRAD Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Reitoria Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Instrução Normativa 03/09 - PROGRAD

Leia mais

ENADE 2012 INFORMAÇOES IMPORTANTES PROACAD - UFPE DIRETORIA DE GESTÃO ACADÊMICA JUNHO 2012

ENADE 2012 INFORMAÇOES IMPORTANTES PROACAD - UFPE DIRETORIA DE GESTÃO ACADÊMICA JUNHO 2012 ENADE 2012 INFORMAÇOES IMPORTANTES PROACAD - UFPE DIRETORIA DE GESTÃO ACADÊMICA JUNHO 2012 1 Documentos 2 Estudantes ingressantes e concluintes para o ENADE 2012 3 Regularização dos estudantes em situação

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO Art. 1 o - Visando possibilitar a melhor adequação dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), obrigatório e que corresponde

Leia mais

APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017

APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017 APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017 Pelo presente faz-se saber que estarão abertas, no período de 10 a 30 de junho de 2016, as inscrições para seleção de bolsistas do Programa Institucional

Leia mais

2.1 Fazer um justo reconhecimento a todos os alunos e professores que contribuem no empenho em ações que resultem em um mundo melhor;

2.1 Fazer um justo reconhecimento a todos os alunos e professores que contribuem no empenho em ações que resultem em um mundo melhor; REGULAMENTO 4º Prêmio UNA de SUSTENTABILIDADE 1 CARACTERIZAÇÃO 1.1 O 4º Prêmio UNA de SUSTENTABILIDADE é uma iniciativa do Núcleo de Sustentabilidade e Inovação do grupo Ănima de Educação e tem o propósito

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA Este Regulamento e a Resolução do Conselho Superior da Uneal (CONSU/UNEAL) que o aprovou foram publicados na edição do Diário

Leia mais

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil Jacqueline Moreno Theodoro Silva Outubro/2016 Avaliação Educacional Avaliar é o ato de atribuir valor ou mérito a alguma coisa. Avaliação educacional:

Leia mais

Manual do Estágio Supervisionado

Manual do Estágio Supervisionado IBB Ano 2015 1. APRESENTAÇÃO: A partir do 1º Semestre Letivo de 2016, os alunos em fase de conclusão do Curso de (Currículo 2013) deverão realizar o Estágio Curricular Supervisionado. O presente manual

Leia mais

OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO. 1 a Edição

OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO. 1 a Edição OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO 1 a Edição 1. Responsabilidade: A 1ª Olimpíada Catarinense de Redação (OCR 2016) é um projeto, sem fins lucrativos, realizado pela Secretaria de Educação do Estado, em

Leia mais

Boletim da Escola CEI. MARILIA / MARILIA Coordenadoria: O SARESP Escola Estadual ANTONIO DEVISATE ETE Diretoria de Ensino / Município:

Boletim da Escola CEI. MARILIA / MARILIA Coordenadoria: O SARESP Escola Estadual ANTONIO DEVISATE ETE Diretoria de Ensino / Município: Boletim da O SARESP 2009 033583 ANTONIO DEVISATE ETE / Município: MARILIA / MARILIA Coordenadoria: O SARESP Sistema de Avaliação do Rendimento r do Estado de São Paulo aplica anualmente provas aos alunos

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO PARA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL PARA ATUAÇÃO EM 2017.

EDITAL DE CREDENCIAMENTO PARA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL PARA ATUAÇÃO EM 2017. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE CAMPINAS OESTE Rua Candido Mota, 186, Fundação da Casa Popular Campinas/SP CEP 13.031-385 Fone:: (19) 3772-2795/2796/2798

Leia mais

SELEÇÃO DE PROJETOS PARA A VII JORNADA ACADÊMICA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E CULTURA (JACITEC) O

SELEÇÃO DE PROJETOS PARA A VII JORNADA ACADÊMICA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E CULTURA (JACITEC) O SELEÇÃO DE PROJETOS PARA A VII JORNADA ACADÊMICA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E CULTURA (JACITEC) O Brasil tem Fome de quê? (Realização de 19 a 23 de setembro de 2016) Os Coordenadores da Comissão designada

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Nº 001/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Nº 001/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Nº 001/2016 O Diretor Geral das Faculdades Integradas Hélio Alonso e a Gerência Acadêmica, no uso de suas atribuições regimentais, tornam público que estão abertas, para

Leia mais

EDITAL Nº 01/ IFSul/ Câmpus Sapucaia do Sul PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO. Manhã: das 8 h às 12 h. Tarde: das 14 h às 18 h

EDITAL Nº 01/ IFSul/ Câmpus Sapucaia do Sul PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO. Manhã: das 8 h às 12 h. Tarde: das 14 h às 18 h Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense Câmpus Sapucaia do Sul EDITAL Nº /27 - IFSul/ Câmpus Sapucaia

Leia mais

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINAS DO CEFET/MG/CAMPUS ARAXÁ

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINAS DO CEFET/MG/CAMPUS ARAXÁ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE ARAXÁ COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINA REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

Leia mais

Faculdade Adventista da Bahia. Regulamento de Monitoria Acadêmica Fisioterapia

Faculdade Adventista da Bahia. Regulamento de Monitoria Acadêmica Fisioterapia Faculdade Adventista da Bahia Regulamento de Monitoria Acadêmica Fisioterapia Cachoeira BA Abril de 2011 Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento disciplina o Programa de Monitoria

Leia mais

DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO GUAURLHOS SUL Comunicado Edital de Credenciamento - Escolas de Tempo Integral A Dirigente Regional de Ensino de

DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO GUAURLHOS SUL Comunicado Edital de Credenciamento - Escolas de Tempo Integral A Dirigente Regional de Ensino de DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO GUAURLHOS SUL Comunicado Edital de Credenciamento - Escolas de Tempo Integral - 2015 A Dirigente Regional de Ensino de acordo com a Portaria CGRH- 7, de 25/08/2015, divulga

Leia mais

OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO. 5 a EDIÇÃO

OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO. 5 a EDIÇÃO OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO 5 a EDIÇÃO 1. Responsabilidade: A 1ª Olimpíada Catarinense de Redação (OCR 2016) é um projeto, sem fins lucrativos, realizados pela Imaginie, em parceria com a Secretaria

Leia mais

FEIRA DE INOVAÇÃO DA UNESC: DESENVOLVIMENTO DE SOLUÇÕES INOVADORAS. Edital n 205/2016 PROPEX/UNESC

FEIRA DE INOVAÇÃO DA UNESC: DESENVOLVIMENTO DE SOLUÇÕES INOVADORAS. Edital n 205/2016 PROPEX/UNESC FEIRA DE INOVAÇÃO DA UNESC: DESENVOLVIMENTO DE SOLUÇÕES INOVADORAS Edital n 205/2016 PROPEX/UNESC A Universidade do Extremo Sul Catarinense UNESC, mantida pela Fundação Educacional de Criciúma - FUCRI,

Leia mais

Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar

Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar Iª JORNADAS IGOT DOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar Maria Helena Esteves 7 de Setembro de 2013 Apresentação O que é a Educação para a Cidadania Educação

Leia mais

Faculdade de Medicina de Itajubá

Faculdade de Medicina de Itajubá PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ Prof. Dr. Sérgio Visoni Vargas Diretor da Faculdade de Medicina de Itajubá Prof. Ms Nilo César do Vale Baracho Coordenador

Leia mais

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE RIBEIRÃO PRETO CENTRO DE INFORMAÇÃO EDUCACIONAL E GESTÃO DA REDE ESCOLAR

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE RIBEIRÃO PRETO CENTRO DE INFORMAÇÃO EDUCACIONAL E GESTÃO DA REDE ESCOLAR DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE RIBEIRÃO PRETO CENTRO DE INFORMAÇÃO EDUCACIONAL E GESTÃO DA REDE ESCOLAR ORIENTAÇÃO SOBRE CLASSIFICAÇÃO E RECLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS A inclusão da Reclassificação no Sistema

Leia mais

Edital n 43 /2016 TORNAR PÚBLICA

Edital n 43 /2016 TORNAR PÚBLICA Edital n 43 /2016 O presidente da (CPC), no uso de suas atribuições legais e com base em diretrizes debatidas e acordadas pelo Conselho de Ensino e Pesquisa (Cepe), resolve: TORNAR PÚBLICA A abertura das

Leia mais

EDITAL Nº 05/2015/PROCULT SELEÇÃO DE AÇÕES CULTURAIS DE INICIATIVA DA COMUNIDADE ACADÊMICA PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE CULTURA

EDITAL Nº 05/2015/PROCULT SELEÇÃO DE AÇÕES CULTURAIS DE INICIATIVA DA COMUNIDADE ACADÊMICA PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE CULTURA EDITAL Nº 05/2015/PROCULT SELEÇÃO DE AÇÕES CULTURAIS DE INICIATIVA DA COMUNIDADE ACADÊMICA PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE CULTURA - 2016 A Pró-Reitoria de Cultura torna pública a abertura das inscrições destinadas

Leia mais

Pessoas físicas residentes no RS com inscrições em duas categorias diferenciadas:

Pessoas físicas residentes no RS com inscrições em duas categorias diferenciadas: Edital de Convocação: O Grupo de Trabalho Ensino de História e Educação da ANPUH-RS, faz saber que se encontra aberto o processo para apresentação, seleção e publicação material paradidático para utilização

Leia mais

EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA MULTIVIX-SERRA DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS

EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA MULTIVIX-SERRA DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA MULTIVIX-SERRA DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS Antes do preenchimento do Formulário de Cadastramento da Inscrição recomenda-se

Leia mais

NOTA TÉCNICA No 001/2014

NOTA TÉCNICA No 001/2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO ACADÊMICA NOTA TÉCNICA No 001/2014 Assunto: Recuperação Contínua e Recuperação Paralela

Leia mais

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) constitui-se como atividade facultativa e tem como objetivos: I - Desenvolver

Leia mais

MÉTODOS ESPECIAIS DE RECUPERAÇÃO: competição de conhecimentos EDITAL 03/ DE CONCURSO

MÉTODOS ESPECIAIS DE RECUPERAÇÃO: competição de conhecimentos EDITAL 03/ DE CONCURSO V WORKSHOP DA ESCOLA DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS EXATAS E III SIMPÓSIO DO MESTRADO PROFISSIONAL EM ENGENHARIA DE PETRÓLEO E GÁS CAMPUS NATAL MÉTODOS ESPECIAIS DE RECUPERAÇÃO: competição de conhecimentos

Leia mais

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS Dispõe sobre a oferta de atividades de Monitoria no curso de graduação da Faculdade Processus e dá outras providências.

Leia mais

EDITAL CEAD/UFOP N 019/2013

EDITAL CEAD/UFOP N 019/2013 EDITAL CEAD/UFOP N 019/2013 Dispõe sobre o processo de inscrição para o Curso de Especialização em Coordenação Pedagógica (Pós- Graduação lato sensu) oferecido pelo Centro de Educação Aberta e a Distância

Leia mais

CHAMADA 01/2017 PROEPI/PROENS CONVITE AOS CAMPI PARA A REALIZAÇÃO DO SEPIN 2017

CHAMADA 01/2017 PROEPI/PROENS CONVITE AOS CAMPI PARA A REALIZAÇÃO DO SEPIN 2017 CHAMADA 01/2017 PROEPI/PROENS CONVITE AOS CAMPI PARA A REALIZAÇÃO DO SEPIN 2017 O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná, por meio da Pró- Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação

Leia mais

NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS

NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERUNIDADES DE ENSINO DE CIÊNCIAS ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO FÍSICA, QUÍMICA E BIOLOGIA Instituto de Física,

Leia mais