SQL Structured Query Language. SQL Linguagem de Definição de Dados. SQL Structured Query Language. SQL Structured Query Language

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SQL Structured Query Language. SQL Linguagem de Definição de Dados. SQL Structured Query Language. SQL Structured Query Language"

Transcrição

1 Pós-graduação em Ciência da Computação CCM-202 Sistemas de Banco de Dados SQL Linguagem de Definição de Dados Profa. Maria Camila Nardini Barioni Bloco B - sala quadrimestre de 2011 SQL Structured Query Language Desenvolvida e implementada pelo laboratório de pesquisa da IBM em San Jose final da década de 60 e início da década de 70 Inicialmente chamada de SEQUEL (Structured English QUEry Language) Criada como interface entre usuários e o primeiro SGBDR SYSTEM R CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL Server Interbase SyBase DB2 MySQL PostgreSQL CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de SQL Structured Query Language Atrativo: pequena quantidade de comandos para realizar todas as operações necessárias para definição e manipulação de relações Simplicidade Grande poder de consulta Padrão facilita migração CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de SQL Structured Query Language O padrão SQL American National Standard Institute (ANSI) e International Organization for Standardization (ISO) Versão mais recente: SQL3 (SQL99) Principalmente conceitos de orientação a objetos Versões anteriores SQL2 (SQL92) SQL1 (SQL86) Composição do SQL Linguagem de Definição dos Dados (DDL) comandos para a definição, a modificação e a remoção de relações, além da criação e da remoção de índices Linguagem Interativa de Manipulação dos Dados (DML) comandos para a consulta, a inserção, a remoção e a modificação de tuplas no banco de dados CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

2 Composição do SQL Linguagem de Manipulação dos Dados Embutida pode ser utilizada a partir de linguagens de programação de propósito geral Definição de visões SQL DDL inclui comandos para a criação e a remoção de visões Restrições de integridade SQL DDL possui comandos para a especificação de restrições de integridade Composição do SQL Autorização SQL DDL inclui comandos para a especificação de direitos de acesso a relações e visões Gerenciamento de transações introduz comandos para a especificação do início e do fim das transações Recuperação de falhas introduz comandos para utilização do arquivo de log CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de SQL DDL CREATE DATABASE SCHEMA cria um esquema de BD relacional DROP DATABASE SCHEMA remove um esquema de BD relacional CREATE DATABASE CREATE {DATABASE SCHEMA} nome [USER `username` [PASSWORD `password`] ]... ; Cria um esquema de BD relacional agrupa as tabelas e outros comandos que pertencem à mesma aplicação identifica o proprietário do esquema Característica o esquema inicial não possui tabelas/dados CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de DROP DATABASE DROP DATABASE {DATABASE SCHEMA} nome [CASCADE RESTRICT] ; Remove um esquema de BD relacional tabelas/dados índices arquivos de log Usuários autorizados quaisquer elementos associados proprietário do banco de dados DBA ou usuário com privilégio de root CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de DROP DATABASE CASCADE remove um esquema de BD, incluindo todas as suas tabelas e os seus outros elementos RESTRICT remove um esquema de BD somente se não existirem elementos definidos para esse esquema CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

3 SQL DDL CREATE TABLE cria uma nova tabela (relação) no BD a nova tabela não possui dados DROP TABLE remove uma tabela (relação) e todas as suas instâncias do BD ALTER TABLE altera a estrutura de uma tabela (relação) já existente no BD CREATE TABLE CREATE TABLE nome_tabela ( A 1 D 1 R 1, A 2 D 2 R 2,... A n D n R n ) ; Cria uma nova tabela (relação) Cria os atributos da nova tabela, com nome do atributo: A i (1 i n) tipo de dado (domínio do atributo): D i restrições que atuam no atributo: R i CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Exemplos de Tipos de Dados Numéricos smallint integer float double precision decimal numeric Hora/Data date time timestamp Booleano TRUE/FALSE ou UNKNOWN Cadeias de Caracteres char character varchar... Outros blob CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Restrições de Integridade Atributo Valor nulo representado por NULL membro de todos os domínios Restrição NOT NULL especificada quando NULL não é permitido proíbe que o atributo receba valor nulo Comparações usar IS NULL e IS NOT NULL CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Restrições de Integridade Atributo Cláusula DEFAULT associa um valor default para um atributo, caso nenhum outro valor seja especificado Cláusula CHECK especifica um predicado que precisa ser satisfeito por todas as tuplas de uma relação exemplos saldo int CHECK (saldo >= 0) nível char(15) CHECK (nível IN (`Bacharelado`,`Mestrado`, `Doutorado`)) Restrições de Integridade Chave Cláusula PRIMARY KEY identifica os atributos da relação que formam a sua chave primária os atributos são implicitamente NOT NULL sintaxe PRIMARY KEY (atributo 1, atributo 2,..., atributo X ) Cláusula UNIQUE não permite valores duplicados para um determinado atributo CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

4 Restrições de Integridade Chave Integridade referencial dependência existente entre a chave estrangeira de uma relação e a chave primária da relação relacionada problemas atualização ou exclusão de elementos da chave primária sem fazer um ajuste coordenado nas chaves estrangeiras inclusão ou alteração de valores não nulos na chave estrangeira que não existam na chave primária CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Restrições de Integridade Chave Cláusula FOREIGN KEY características elimina a possibilidade de violação da integridade referencial reflete nas chaves estrangeiras todas as alterações na chave primária sintaxe FOREIGN KEY (atributos) REFERENCES nome_relação (atributos) [ON UPDATE [CASCADE SET NULL SET DEFAULT]] [ON DELETE [CASCADE SET NULL SET DEFAULT]] CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de DROP TABLE DROP TABLE nome_tabela ; Remove uma tabela existente do BD dados metadados índices gatilhos que referenciam a tabela Usuários autorizados proprietário do banco de dados DBA ou usuário com privilégio de root ALTER TABLE Altera o esquema de uma tabela do BD adiciona remove altera ALTER TABLE nome_tabela; colunas ou restrições de integridade CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Exemplos: ALTER TABLE ALTER TABLE nome_tabela ADD (A 1 D 1 R 1 ),... ADD (A n D n R n ) inclui novas colunas na tabela Exemplos: ALTER TABLE ALTER TABLE nome_tabela ALTER [COLUMN] A 1 TO A 2 modifica o nome de uma coluna existente de A 1 para A 2 ALTER TABLE nome_tabela DROP A 1 elimina uma coluna já existente da tabela ALTER TABLE nome_tabela ALTER [COLUMN] A 1 TYPE NOVOTIPO modifica o tipo de dado de uma coluna CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

5 SQL DDL CREATE DOMAIN cria um domínio para um tipo de dados DROP DOMAIN remove um domínio existente do BD ALTER DOMAIN altera a definição de domínio CREATE DOMAIN CREATE DOMAIN nome_domínio [AS] tipo_dado [DEFAULT... ] [NOT NULL] [CHECK...]... ; Cria um domínio para um tipo de dados restrições de integridade Característica a definição do domínio é global ao BD CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de DROP DOMAIN Remove um domínio existente do BD falha caso o domínio esteja definindo o tipo de dado de alguma coluna Usuários autorizados proprietário do banco de dados DBA DROP DOMAIN nome_domínio ; usuário com privilégio de root ALTER DOMAIN ALTER DOMAIN nome_domínio... ; Altera um domínio existente do BD remove ou define restrições de integridade CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Domínio no Oracle Sintaxe para a criação de domínio: Exemplo CREATE TYPE meu_numero AS OBJECT ( numero integer); CREATE TABLE tabelax ( atributo1 varchar(10) PRIMARY KEY, atributo2 meu_numero); INSERT INTO tabelax VALUES ('teste', meu_numero(12345)); CREATE SEQUENCE Facilita o processo de criação de identificadores únicos de um registro em um banco de dados É um contador automático que é acionado toda vez que é acessado O número gerado por ela pode ser usado para atualizar o campo chave em uma tabela, garantindo que não existam duas linhas com o mesmo código CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

6 CREATE SEQUENCE Uma seqüência padrão tem as seguintes características Começa sempre a partir do número 1 Tem ordem ascendente É aumentada em 1 CREATE SEQUENCE Sintaxe básica CREATE SEQUENCE sequence_name [START WITH integer_value] [INCREMENTED BY integer_value] CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CREATE SEQUENCE Para acessar o número seqüencial gerado é necessário trabalhar com o conteúdo de duas pseudocolunas CURRVAL: Retorna o valor atual da seqüência NEXTVAL: Aumenta o valor da seqüência e retorna o próximo valor CREATE SEQUENCE Observações importantes Uma seqüência só está disponível para o esquema que a criou A primeira vez que uma seqüência é acionada ela retorna o seu valor inicial Exemplo: NomeSequencia.NEXTVAL CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CREATE SEQUENCE Para visualizar no dicionário de dados Selecione a tabela USER_SEQUENCES Para excluir uma seqüência DROP SEQUENCE sequence_name Para alterar uma seqüência ALTER SEQUENCE sequence_name parameter_name NÃO é possível alterar Valor inicial Valor mínimo não pode ser maior que o atual CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de SQL DDL CREATE INDEX cria um índice sobre uma ou mais colunas de uma tabela DROP INDEX remove um índice existente do BD ALTER INDEX torna um índice ativo ou inativo CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

7 CREATE INDEX CREATE [UNIQUE] INDEX nome_índice ON nome_tabela (nome_coluna [ASC DESC] [, nome_coluna [ASC DESC]]) ; sintaxe SGBD Oracle Cria um índice sobre uma ou mais colunas de uma tabela Considerações desempenho das consultas versus custos de atualização e de armazenamento CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Índice Estrutura de acesso auxiliar usada para melhorar o desempenho na recuperação de registros Pesquisa restringida a um subconjunto dos registros, em contrapartida à análise do conjunto completo realizada em resposta a certas condições CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Índice Índice Exemplo baseado em árvore Desvantagem sobrecarga adicional Observações existe uma variedade de índices, cada qual com uma estrutura de dados particular qualquer atributo em um arquivo pode ser usado para criar um índice vários índices podem ser definidos para um mesmo arquivo A B 4 maria 3 joão 1 cecília 2 luiz 6 júlia 5 marina 7 enzo 16 rúbens 15 carlos 14 levi Custo: log 2 N CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Atributos Indexados Chave principalmente primária Presentes em operações de seleção valores requeridos em condições igualdade um atributo deve ser indexado? faixa de valores (i.e., range queries) Participam em condições de junção algumas consultas podem ser processadas apenas varrendo-se o índice, sem recuperar qualquer dado CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Índice sobre Vários Atributos quando deve Condição ser criado? vários atributos de uma relação estão envolvidos juntamente em diversas consultas Restrição ordem dos atributos dentro do índice deve corresponder às consultas Exemplo índice sobre (estilo_carro, cor) CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

8 DROP INDEX DROP INDEX nome_índice ; Remove um índice existente do BD Usuários autorizados proprietário do banco de dados DBA ou usuário com privilégio de root CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de ALTER INDEX Torna um índice existente ativo inativo Característica ALTER INDEX nome_índice { ENABLE DISABLE } ; sintaxe SGBD Oracle tornar um índice inativo e depois ativá-lo novamente gera a reconstrução e o balanceamento do índice CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Exemplo vinho n é_de 1 vinícola n situada 1 região vinho_id nome_vinho tipo_vinho ano_vinho descrição_vinho vinícola_id nome_vinícola descrição_vinícola fone_vinícola fax_vinícola região (região_id, nome_região, mapa_região, descrição_região) vinícola (vinícola_id, nome_vinícola, descrição_vinícola, fone_vinícola, fax_vinícola, região_id) vinho (vinho_id, nome_vinho, tipo_vinho, ano_vinho, descrição_vinho, vinícola_id) região_id nome_região descrição_região mapa_região CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Exemplo região CREATE (região_id, DATABASE nome_região, loja_vinhos; mapa_região, descrição_região) CREATE TABLE região ( região_id nome_região mapa_região descrição_região PRIMARY KEY (região_id) ); smallint DEFAULT 0 NOT NULL, varchar(100) NOT NULL, blob, blob, CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Exemplo vinícola (vinícola_id, nome_vinícola, descrição_vinícola, fone_vinícola, fax_vinícola, região_id) CREATE TABLE vinícola ( vinícola_id smallint NOT NULL, nome_vinícola varchar(100) NOT NULL, descrição_vinícola blob, fone_vinícola fax_vinícola região_id varchar(15) varchar(15) smallint DEFAULT 0,, NOT NULL, PRIMARY KEY (vinícola_id), FOREIGN KEY (região_id) REFERENCES região(região_id) ON UPDATE SET DEFAULT ON DELETE SET DEFAULT ); CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Exemplo vinho (vinho_id, nome_vinho, tipo_vinho, ano_vinho, descrição_vinho, vinícola_id) CREATE TABLE vinho ( vinho_id smallint NOT NULL, nome_vinho varchar(50) NOT NULL, tipo_vinho varchar(10) DEFAULT seco NOT NULL, ano_vinho descrição_vinho vinícola_id integer blob smallint DEFAULT 0 DEFAULT 0 NOT NULL,, NOT NULL, PRIMARY KEY (vinho_id), FOREIGN KEY (vinícola_id) REFERENCES vinícola (vinícola_id) ON UPDATE CASCADE ON DELETE CASCADE ); CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

9 SQL DML Inserção Realizada através da especificação de uma tupla particular de uma consulta que resulta em um conjunto de tuplas a serem inseridas Valores dos atributos das tuplas inseridas devem pertencer ao domínio do atributo Atributos sem valores especificados por NULL ou valor DEFAULT SQL DML Inserção INSERT INTO nome_tabela VALUES ( V 1, V 2,..., V N ) ; Ordem dos atributos deve ser mantida CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de SQL DML Inserção INSERT INTO nome_tabela (A 1, A 2,..., A n ) VALUES ( V 1, V 2,..., V N ) ; Ordem dos atributos não precisa ser mantida SQL DML Inserção - Exemplos INSERT INTO região VALUES (12, nome região, NULL, descrição ); INSERT INTO região (região_id, nome_região) VALUES (12, nome região ); CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Comandos para Controlar Relações - DCL CONNECT: Permite a conexão a uma base de dados através de um gerenciador DISCONNECT: Desconecta de uma base de dados COMMIT: Torna permanente todas as alterações feitas desde o início da conexão ROLLBACK: Descarta todas as alterações feitas desde o início da conexão, ou do último comando COMMIT ou ROLLBACK Segurança do Banco de Dados Os SGBD incluem recursos de segurança que controlam o modo como um banco de dados é acessado e usado Exemplo: Evitam o acesso ao BD sem autorização Controlam o uso de recursos do sistema (exemplo: tempo de CPU) Fazem auditoria das ações do usuário CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

10 Segurança do Banco de Dados No Oracle Cada usuário do BD tem um esquema associado com o mesmo nome Esquema (tabelas, visões, seqüência, índices, procedimentos, funções, etc.) Todo usuário cria e tem acesso a todos os objetos do esquema correspondente A segurança pode ser classificada em duas categorias Segurança de sistema Segurança de dados CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Segurança do Banco de Dados No Oracle Segurança de sistema: inclui os mecanismos que controlam o acesso e o uso do BD em um determinado nível Combinações válidas de usuário e senha Quantidade de espaço em disco para os objetos de esquema Limites de recurso CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Segurança do Banco de Dados No Oracle Segurança de dados: inclui os mecanismos que controlam o acesso e o uso do BD no nível de objeto de esquema Quais usuários têm acesso a um objeto específico e aos tipos de ações que cada um pode executar (exemplo: o usuário Silva pode emitir comandos SELECT e INSERT, mas não DELETE usando a tabela EMPREGADO) Segurança do Banco de Dados Mecanismos de Segurança suportados pelo Oracle Controle arbitrário O privilégio apropriado deve ser atribuído por um usuário para que ele acesse um objeto de esquema Usuários com um determinado grupo de privilégios podem concedê-los a outros segundo seu critério As ações, se existirem, que são auditadas para cada objeto de esquema CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Segurança do Banco de Dados Mecanismos de Segurança suportados pelo Oracle Recursos Usuários e esquemas de banco de dados Privilégios Papéis Definições de cota de armazenamento Limites de recurso Auditoria Mecanismos de Segurança Usuários e Esquemas do BD Cada BD tem uma lista de usuários, na qual cada usuário tem uma senha associada Domínio de Segurança São associados a cada usuário Conjunto de propriedades que determinam Ações (privilégios e papéis) disponíveis Espaço disponível em disco Limites de recursos de sistema (exemplo: tempo de CPU) CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

11 Mecanismos de Segurança Privilégios Direito para executar um determinado tipo de declaração SQL Exemplos: Direito de Conectar-se ao BD Direito de criar uma tabela Direito de selecionar linhas da tabela de outro usuário Direito de executar o procedimento de outro usuário Podem ser divididos Privilégios de sistema Muitas vezes disponíveis apenas para o DBA Privilégios do objeto de esquema Atribuídos aos usuários finais CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Mecanismos de Segurança Privilégios Podem ser divididos 1. Privilégios de sistema Muitas vezes disponíveis apenas para o DBA Existem mais de 70 tipos Exemplos: Privilege: GRANT ANY PRIVILEGE Procedure: CREATE PROCEDURE CREATE ANY PROCEDURE ALTER ANY PROCEDURE DROP ANY PROCEDURE EXECUTE ANY PROCEDURE CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Mecanismos de Segurança Privilégios Podem ser divididos 2. Privilégios do objeto de esquema Atribuídos aos usuários finais Exemplos: ALTER: tabelas e seqüências DELETE: tabelas e visões EXECUTE: procedimentos Etc. CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Mecanismos de Segurança Concedendo Privilégios Duas formas Explicitamente Exemplo: o usuário Silva pode emitir comandos SELECT e INSERT, mas não DELETE usando a tabela EMPREGADO Podem ser concedidos aos papéis (um grupo nomeado de privilégios) que então são concedidos a um ou mais usuários Exemplo: o privilégio de emitir comandos SELECT e INSERT, mas não DELETE usando a tabela EMPREGADO pode ser concedido ao papel chamado GerenteRH, o qual pode ser concedido ao usuário Silva CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Mecanismos de Segurança Papéis São grupos de privilégios concedidos aos usuários ou a outros papéis Existem diversos papéis predefinidos Exemplos: CONNECT, RESOURCE e DBA Mecanismos de Segurança Papéis Vantagens: Concessão reduzida de privilégios Por grupos de usuários Gerenciamento dinâmico de privilégios Se for necessário alterar privilégios de um grupo de usuários, altera-se apenas no papel Disponibilidade seletiva de privilégios Permite o controle específico dos privilégios de um usuário em determinada situação CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

12 Mecanismos de Segurança Auditoria Auxilia na investigação de um suposto uso suspeito do BD Pode ser executada em três níveis: Auditoria de declaração: associada com declarações SQL específicas Auditoria de privilégio: associada ao uso dos privilégios Auditoria de objeto de esquema: associada aos acessos a objetos de esquema específicos sem levar em conta o usuário CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de O comando CREATE USER Permite a criação de novos usuários Sintaxe simplificada CREATE USER username IDENTIFIED BY password CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Os comandos GRANT e REVOKE GRANT: Permite atribuir privilégios REVOKE: Permite revogar privilégios Sintaxe simplificada para atribuir privilégios de sistema (pelo DBA) GRANT role/privilege_name TO username/role [WITH ADMIM OPTION] WITH ADMIM OPTION: permite que o usuário/papel que recebe o privilégio possa atribuílo a outros usuários CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Os comandos GRANT e REVOKE Sintaxe simplificada para atribuir privilégios de objeto (qualquer usuário) GRANT ALL SELECT INSERT DELETE INDEX ALTER UPDATE [(column name) ON table_name/view_name] TO username [WITH ADMIM OPTION] A sintaxe do REVOKE é a mesma do GRANT, basta substituir GRANT por REVOKE nos comandos apresentados CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de O comando CREATE ROLE Permite criar novos papéis Sintaxe simplificada CREATE ROLE role_name IDENTIFIED BY password CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de Comandos adicionais Para excluir um papel DROP ROLE role_name Para excluir um usuário DROP USER username [CASCADE] Para visualizar no dicionário de dados Usuários e privilégios, selecione a tabela ALL_USERS Papéis, selecione a tabela USER_ROLE_PRIVS CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

13 Bibliografia Elmasri, Ramez; Navathe, Shamkant B. Sistemas de banco de dados. 4 ed. São Paulo: Addison Wesley, 2005, 724 p. Bibliografia: p. [690]-714. Material Didático produzido pelos professores Cristina Dutra de Aguiar Ciferri e Caetano Traina Júnior CCM-205 Sistema de Bancos de Dados - 2 quadrimestre de

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Banco de Dados I Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Plano de Aula SQL Definição Histórico SQL e sublinguagens Definição de dados (DDL) CREATE Restrições básicas em SQL ALTER DROP 08:20 Definição de

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL Linguagem SQL Sub-linguagem DDL A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language para suas

Leia mais

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Banco de Dados I SQL DDL Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Introdução Modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de padrão SQL (Structured Query Language)

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: Introdução à linguagem de dados; DDL; DML; CRUD; Introdução à linguagem SQL. 2 Por que precisamos da linguagem SQL? A algebra

Leia mais

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015 SQL - Banco de Dados 1 Disciplina: Banco de Dados Professor: José Antônio 2 Tópicos de discussão Criando um banco de dados Incluindo, atualizando e excluindo linhas nas tabelas Pesquisa básica em tabelas

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Agenda Linguagem SQL: Introdução; Construção/Definição de tabelas. 2 Linguagem SQL SQL - Structured Query Language;

Leia mais

SQL - Criação de Tabelas

SQL - Criação de Tabelas SQL - Criação de Tabelas André Restivo Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto February 24, 2012 André Restivo (FEUP) SQL - Criação de Tabelas February 24, 2012 1 / 25 Sumário 1 Introdução 2 Tabelas

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

Modelo de Dados Relacional Restrições de um Banco de Dados Relacional

Modelo de Dados Relacional Restrições de um Banco de Dados Relacional Modelo de Dados Relacional e as Restrições de um Banco de Dados Relacional Modelo de Dados Relacional Conceitos do Modelo Relacional Representa o banco de dados como uma coleção de relações. Comparação

Leia mais

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Introdução a SQL 2 Leitura Obrigatória ELMASRI,

Leia mais

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Manipulação de Dados Banco de Dados SQL DML SELECT... FROM... WHERE... lista atributos de uma ou mais tabelas de acordo com alguma condição INSERT INTO... insere dados em uma tabela DELETE

Leia mais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais 1 LINGUAGEM SQL SQL Server 2008 Comandos iniciais SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação.

Leia mais

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br INTRODUÇÃO AO SQL Ferramentas brmodelo Ferramenta Case PostgreSQL versão 8 ou superior SGBD Em 1986 o American

Leia mais

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado Introdução à Engenharia da Computação Banco de Dados Professor Machado 1 Sistemas isolados Produção Vendas Compras Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Desvantagens:

Leia mais

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 BASES DE DADOS I LTSI/2 Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 A Linguagem SQL As raízes da linguagem SQL remontam a 1974, altura em que a IBM desenvolvia

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL (86); SQL-2 (92); SQL-3 (99) e SQL:2003 não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere...

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL- (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II BANCO DE DADOS II AULA 1 Linguagem SQL Linguagem de definição de dados (DDL) DISCIPLINA: Banco de Dados

Leia mais

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL BANCO DE DADOS 2 SQL (CREATE TABLE, CONSTRAINTS, DELETE, UPDATE e INSERT) Prof. Edson Thizon SQL SQL ( structured query language ) é uma linguagem comercial de definição e manipulação de banco de dados

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL-1 (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

SQL (STRUCTUREDQUERY LANGUAGE)

SQL (STRUCTUREDQUERY LANGUAGE) BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br SQL (STRUCTUREDQUERY

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language)

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language) Básico da Linguagem SQL Definição de Esquemas em SQL SQL(Structured Query Language) Desenvolvida como a linguagem de consulta do protótipo de SGBD Sistema R (IBM, 1976). Adotada como linguagem padrão de

Leia mais

Banco de Dados. StructuredQuery Language- SQL. Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.

Banco de Dados. StructuredQuery Language- SQL. Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo. Banco de Dados StructuredQuery Language- SQL Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015 A Origem Em 1970, Ted Codd (pesquisador da IBM) publicou o primeiro

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

SQL BÁSICO. Introdução. Prof. Suelane Garcia. Linguagem SQL (Structured Query Language)

SQL BÁSICO. Introdução. Prof. Suelane Garcia. Linguagem SQL (Structured Query Language) SQL BÁSICO Prof. Suelane Garcia Introdução 2 Linguagem SQL (Structured Query Language) Linguagem de Consulta Estruturada padrão para acesso a Banco de Dados. Usada em inúmeros Sistemas de Gerenciamento

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Aula Prática

Structured Query Language (SQL) Aula Prática Structured Query Language (SQL) Aula Prática Linguagens de SGBD Durante o desenvolvimento do sistema R, pesquisadores da IBM desenvolveram a linguagem SEQUEL, primeira linguagem de acesso para Sistemas

Leia mais

Linguagem SQL. Comandos Básicos

Linguagem SQL. Comandos Básicos Linguagem SQL Comandos Básicos Caetano Traina Júnior Grupo de Bases de Dados e Imagens Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Universidade de São Paulo - São Carlos caetano@icmc.sc.usp.br Comando

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) Structured Query Language (SQL) SQL-Breve Histórico : # CREATE, ALTER e DROP; # BEGIN TRANSACTION, ROLLBACK e COMMIT; # GRANT, REVOKE e DENY; 1 Structured Query Language (SQL) Desenvolvida pelo departamento

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Universidade Federal da Paraíba UFPB Centro de Energias Alternativas e Renováveis - CEAR Departamento de Eng. Elétrica DEE BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Isaac Maia Pessoa Introdução O que é um BD? Operações

Leia mais

SQL. Histórico BANCO DE DADOS. Conceito. Padrões de SQL (1) Componentes do SQL (1) Padrões de SQL (2) (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS)

SQL. Histórico BANCO DE DADOS. Conceito. Padrões de SQL (1) Componentes do SQL (1) Padrões de SQL (2) (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS) BANCO DE DADOS SQL (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS) Prof. Edson Thizon Histórico Entre 1974 e 1979, o San José Research Laboratory da IBM desenvolveu um SGDB relacional que ficou conhecido como Sistema

Leia mais

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo Comandos DDL Estudo de Caso Controle Acadêmico Simplificado Uma escola contém vários cursos, onde cada aluno possui uma matricula num determinado curso. Estes cursos, por sua vez, possuem módulos, aos

Leia mais

4.6. SQL - Structured Query Language

4.6. SQL - Structured Query Language 4.6. SQL - Structured Query Language SQL é um conjunto de declarações que é utilizado para acessar os dados utilizando gerenciadores de banco de dados. Nem todos os gerenciadores utilizam SQL. SQL não

Leia mais

Sistemas de Banco de Dados

Sistemas de Banco de Dados Sistemas de Banco de Dados Everson Santos Araujo everson@por.com.br Conceitos Dado - Um fato que pode ser armazenado Banco de dados (BD) - Coleção de dados interrelacionados Sistema Gerenciador de Banco

Leia mais

Linguagem de Consulta - SQL

Linguagem de Consulta - SQL SQL Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada; Originou-se da linguagem SEQUEL (1974); Revisada e chamada de SQL em 1976/77; Em 1986, padronizada pelo ANSI/ISO - chamada SQL-86; Em 1987

Leia mais

Programação SQL. Introdução

Programação SQL. Introdução Introdução Principais estruturas duma Base de Dados: Uma BD relacional é constituída por diversas estruturas (ou objectos ) de informação. Podemos destacar: Database: designa a própria BD; Table/Tabela:

Leia mais

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br BANCO DE DADOS info 3º ano Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br Na última aula estudamos Unidade 4 - Projeto Lógico Normalização; Dicionário de Dados. Arquitetura

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010 BANCO DE DADOS: SQL UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Departamento de Ciências da Computação. 27 de janeiro de 2010 índice 1 Introdução 2 3 Introdução SQL - Structured Query Language

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL)

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) Conceitos sobre a versão ANSI da SQL, a sublinguagem de definição de dados (DDL) e a sublinguagem de manipulação de dados (DML) Prof. Flavio Augusto C. Correia 1

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA. Banco de Dados II. Integridade. Carlos Eduardo Portela Serra de Castro

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA. Banco de Dados II. Integridade. Carlos Eduardo Portela Serra de Castro UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA Banco de Dados II Integridade Carlos Eduardo Portela Serra de Castro * Integridade Introdução Restrições de Integridade de Domínio de Relação Asserções Procedimentos-gatilho

Leia mais

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados LINGUAGEM SQL Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL, é uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents Banco de dados Linguagens de Banco de Dados II 1 Linguagem de Definição de Dados - DDL Comandos utilizados para criação do esquema de dados; Um DDL permite ao utilizador definir tabelas novas e elementos

Leia mais

SQL (STRUCTUREDQUERY LANGUAGE)

SQL (STRUCTUREDQUERY LANGUAGE) BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br SQL (STRUCTUREDQUERY

Leia mais

Banco de Dados. Módulo 7 - Modelo Relacional. Definição do Esquema Relacional em SQL. modulo07.prz 1 10/09/01

Banco de Dados. Módulo 7 - Modelo Relacional. Definição do Esquema Relacional em SQL. modulo07.prz 1 10/09/01 Banco de Dados Módulo 7 - Modelo Relacional Definição do Esquema Relacional em SQL modulo07.prz 1 10/09/01 Introdução SQL linguagem padrão para SGBDs relacionais derivada do SEQUEL (Structured English

Leia mais

Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos

Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos Objetivos: Criar restrições para atributos, chaves primárias e estrangeiras; Explorar consultas SQL com uso de

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com SQL Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Material dos professores Ana Carolina Salgado, Fernando Foncesa e Valéria Times (CIn/UFPE) SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Modelagem e Projeto de Banco de Dados Especialização em Tecnologia da Informação - Ênfases Março- 2009 1 Modelo Físico Introdução

Leia mais

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Abordagem geral Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br Em primeiro plano, deve-se escolher com qual banco de dados iremos trabalhar. Cada banco possui suas vantagens,

Leia mais

SQL. Curso Prático. Celso Henrique Poderoso de Oliveira. Novatec

SQL. Curso Prático. Celso Henrique Poderoso de Oliveira. Novatec SQL Curso Prático Celso Henrique Poderoso de Oliveira Novatec 1 Introdução Desde o início da utilização dos computadores, sabemos que um sistema é feito para aceitar entrada de dados, realizar processamentos

Leia mais

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre ROTEIRO PARA O 3º TRIMESTRE 1. O MySQL DDL SQL 1. Como funciona o MySQL 2. Como criar um banco de dados no MySQL 3. Como criar tabelas: comandos

Leia mais

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD)

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD) Pós-graduação em Ciência da Computação CCM-202 Sistemas de Banco de Dados Introdução Profa. Maria Camila Nardini Barioni camila.barioni@ufabc.edu.br Bloco B - sala 937 2 quadrimestre de 2011 Motivação

Leia mais

Bancos (Bases) de Dados

Bancos (Bases) de Dados Bancos (Bases) de Dados Aula #8 SQL Prof. Eduardo R. Hruschka * Slides baseados no material elaborado pelas professoras: Cristina D. A. Ciferri Elaine P. M. de Souza SQL (Structured Query Language) Linguagem

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados

SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Linguagem de Definição de Dados Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais

Leia mais

BANCO DE DADOS WEB AULA 4. linguagem SQL: subconjuntos DCL, DDL e DML. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com

BANCO DE DADOS WEB AULA 4. linguagem SQL: subconjuntos DCL, DDL e DML. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com BANCO DE DADOS WEB AULA 4 linguagem SQL: subconjuntos DCL, DDL e DML professor Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com O que é SQL? Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL,

Leia mais

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas:

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas: Álgebra Relacional Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída operação (REL 1 ) REL 2 operação (REL 1,REL 2 ) REL 3 Operações básicas: seleção projeção

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 11-1. INTRODUÇÃO TRIGGERS (GATILHOS OU AUTOMATISMOS) Desenvolver uma aplicação para gerenciar os dados significa criar uma aplicação que faça o controle sobre todo ambiente desde a interface, passando

Leia mais

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL)

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva SQL (MySql) ROTEIRO I PARTE - INTRODUÇÃO AO SQL COMANDOS E SUAS PARTES DA LINGUAGEM SQL II PARTE ADMINSTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS UTILIZANDO MYSQL PRINCIPAIS INSTRUÇÕES

Leia mais

SQL DDL Criando Tabelas e Restrições Instituto Militar de Engenharia IME Material extraido parcialmente de notas de aula de Maria Luiza Campos e Arnaldo Vieira Comandos de Definição de Dados Aplicação

Leia mais

1. Domínio dos Atributos

1. Domínio dos Atributos Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Domínio dos Atributos Por domínio, ou tipo, pode-se entender como a maneira como determinado atributo (ou campo, se tratando

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

Disciplina: Unidade V: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade V: Prof.: E-mail: Período: Encontro 17 Disciplina: Sistemas de Banco de Dados Unidade V: Introdução à Linguagem SQL Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 5º. SIG - ADM 13. Introdução à Linguagem SQL Introdução

Leia mais

SQL. Definição do Esquema da Base de Dados. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática

SQL. Definição do Esquema da Base de Dados. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL Definição do Esquema da Base de Dados Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL - Esquema da base de dados Definição das tabelas Definição das chaves primárias Definição

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

S Q L 31/03/2010. SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada

S Q L 31/03/2010. SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada Gerenciamento de Dados e Informação Fernando Fonseca Ana Carolina Robson Fidalgo SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada Apesar do QUERY no nome, não é apenas de consulta,

Leia mais

SQL. Hélder Antero Amaral Nunes

SQL. Hélder Antero Amaral Nunes SQL Hélder Antero Amaral Nunes 2 Introdução Desenvolvida pelo departamento de pesquisa da IBM na década de 1970 (System R); Linguagem padrão de BD Relacionais; Apresenta várias padrões evolutivos: SQL86,

Leia mais

S Q L 15/01/2013. Enfoques de SQL. Enfoques de SQL SQL. Usos de SQL. SQL - Origem/Histórico. Gerenciamento de Dados e Informação

S Q L 15/01/2013. Enfoques de SQL. Enfoques de SQL SQL. Usos de SQL. SQL - Origem/Histórico. Gerenciamento de Dados e Informação Enfoques de SQL Gerenciamento de Dados e Informação Fernando Fonseca Ana Carolina Valeria Times Bernadette Loscio Linguagem interativa de consulta (ad-hoc): usuários podem definir consultas independente

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS Esclarecimento Licenciamento de Uso Este documento é propriedade intelectual 2012 da NRSYSTEM COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA-ME, consiste de uma compilação de diversos materiais entre livros,

Leia mais

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados EXERCÍCIOS PRÁTICOS Banco de Dados Introdução ao uso do SQL Structured Query Language, considerando tanto DDL Data Definition Language quanto DML Data Manipulation Language. Banco de Dados selecionado:

Leia mais

A Linguagem SQL. Introdução a Banco de Dados DCC 011

A Linguagem SQL. Introdução a Banco de Dados DCC 011 A Linguagem SQL Introdução Originalmente proposta para o System R desenvolvido nos laboratórios da IBM na década de 70 SEQUEL (Structured English QUEry Language) Objeto de um esforço de padronização coordenado

Leia mais

Introdução ao SQL. Aécio Costa

Introdução ao SQL. Aécio Costa Aécio Costa A linguagem SQL é um padrão de linguagem de consulta comercial e possui as seguintes partes: Linguagem de definição de dados (DDL) Linguagem interativa de manipulação de dados (DML) Definição

Leia mais

Capitulo 2. Prof.º Espc. Fábio Margarito Martins de Barros - Tecnologia de banco de dados

Capitulo 2. Prof.º Espc. Fábio Margarito Martins de Barros - Tecnologia de banco de dados Capitulo 2 1. MODELO LÓGICO DE BANCO DE DADOS... 2 1.1 Definição... 2 1.2 Mapeando o modelo conceitual para o modelo lógico... 2 1.2 Dicionário de dados... 3 2. MODELO FÍSICO DO BANCO DE DADOS... 4 2.1

Leia mais

Linguagem SQL Parte I

Linguagem SQL Parte I FIB - Centro Universitário da Bahia Banco de Dados Linguagem SQL Parte I Francisco Rodrigues Santos chicowebmail@yahoo.com.br Slides gentilmente cedidos por André Vinicius R. P. Nascimento Conteúdo A Linguagem

Leia mais

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações http://professor.fimes.edu.br/milena milenaresende@fimes.edu.br Sistema de Gerenciamento de Bases de Dados (DBMS) A implementação

Leia mais

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS Fábio Roberto Octaviano Controlando Acesso dos Usuários Após o término do Capítulo: Diferenciar privilégios de sistema e privilégios de objetos.

Leia mais

SQL S Q L. Introdução. Enfoques de SQL. SQL - Origem/Histórico. Usos de SQL. SQL - Vantagens. Banco de Dados. Fernando Fonseca Ana Carolina

SQL S Q L. Introdução. Enfoques de SQL. SQL - Origem/Histórico. Usos de SQL. SQL - Vantagens. Banco de Dados. Fernando Fonseca Ana Carolina Introdução Banco de Dados SQL Fernando Fonseca Ana Carolina SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada Apesar do QUERY no nome, não é apenas de consulta, permitindo definição (DDL)

Leia mais

Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados

Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cláudio Luís V. Oliveira Janeiro de 2010 Definição "Um sistema cujo objetivo principal é gerenciar o acesso, a correta manutenção e a integridade dos

Leia mais

Introdução a SQL. Prof. Anderson Cavalcanti UFRN-CT-DCA

Introdução a SQL. Prof. Anderson Cavalcanti UFRN-CT-DCA Introdução a SQL Prof. Anderson Cavalcanti UFRN-CT-DCA Características da Structured Query Language -SQL Características da SQL SQL é uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional.

Leia mais

Linguagem SQL (Parte II)

Linguagem SQL (Parte II) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte II Introdução

Leia mais

Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R. Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89, SQL-92, SQL:1999, SQL:2003

Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R. Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89, SQL-92, SQL:1999, SQL:2003 Bases de Dados Introdução à linguagem SQL História Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R Renomeada para SQL (Structured Query Language) Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89,

Leia mais

Regras de Integridade. Profa. Késsia Marchi

Regras de Integridade. Profa. Késsia Marchi Regras de Integridade Restrições de Integridade Integridade refere-se a precisão ou correção de dados em um banco de dados; Restrição refere-se a impor uma condição para qualquer atualização. Antes de

Leia mais

Operação de União JOIN

Operação de União JOIN Operação de União JOIN Professor Victor Sotero SGD 1 JOIN O join é uma operação de multi-tabelas Select: o nome da coluna deve ser precedido pelo nome da tabela, se mais de uma coluna na tabela especificada

Leia mais