1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP"

Transcrição

1 1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP 1.1 IP - Internet Protocol RFC 791 Esse protocolo foi introduzido na ARPANET no início dos anos 80, e tem sido utilizado juntamente com o TCP desde então. A principal característica desse protocolo é que a transmissão é efetuada sem a necessidade de uma conexão entre máquina fonte e máquina destino, sendo baseada no envio de datagramas que podem passar por muitas redes intermediárias até chegarem ao destino. Um datagrama IP consiste de um cabeçalho e uma área de dados. O cabeçalho ocupa uma área fixa de 20 bytes e uma área de tamanho variável (correspondente ao campo options). A seguir é visto o formato desse cabeçalho. Version IHL Fragment Identification Time to Live Type of Service Protocol 32 bits D F M F Source Address Destination Address Options (campo opcional e variável) Total Length Destination Port (13 bits) Header Checksum Version: 4 bits: contém a versão do protocolo IP que o datagrama pertence. Dessa forma, há a possibilidade de modificar o protocolo com a rede em funcionamento; IHL: 4 bits: indica o número de palavras de 32 bits que existem no cabeçalho. O valor mínimo é 5; Type of service: indica a qualidade de serviço que o datagrama deve ser enviado. Várias combinações de velocidade e segurança são possíveis. Para voz digitalizada, a velocidade é muito mais importante que segurança. Já para transferência de arquivos, uma transmissão com segurança é muito mais importante que a velocidade. Na prática esse campo não é usado (TAN 96 p. 472); Total length: indica o número total de bytes (octetos) existentes no datagrama (cabeçalho + dados). O tamanho máximo é bytes; Fragment ID: todos os fragmentos de um datagrama contém o mesmo valor de identificação, que é utilizado para a máquina destino identificar o datagrama que pertence cada fragmento; 1

2 DF: Don't Fragment - aviso para os roteadores não fragmentarem o datagrama, pois o destino não é capaz de remontá-los novamente. MF: More Fragments - todos os fragmentos, com exceção do último, devem possuir este bit ligado. Ele é utilizado juntamente com o campo total length para garantir que nenhum fragmento esteja faltando. Quando essa flag for 0, quer dizer que se trata do último fragmento (ou que o pacote não foi fragmentado). Fragment offset: indica a posição à qual pertence o fragmento atual. Todos fragmentos com exceção do último devem ser múltiplos de 8 bytes (unidade básica do fragmento). Como são utilizados 13 bits, há um máximo de 8192 fragmentos por datagrama, dando um tamanho máximo de bytes, coerentemente com o campo total length. Time to live: é um contador utilizado para limitar a vida dos pacotes. Quando ele chega a zero, o pacote é destruído. A unidade utilizada é segundo, e a máxima vida de um pacote é 255 segundos. Protocol: este campo identifica o protocolo da camada de transporte ao qual esse datagrama está associado, sendo que o mais comum é o TCP (0x06) ou UDP (0x11); Header checksum: faz o controle de erros do cabeçalho. Soma de todos bytes deve dar zero. É modificado a cada hop, pois pelo menos TTL se altera; Source address: indica o número da rede e número do host origem da mensagem; Destination address: indica o número da rede e número do host destino da mensagem; Options: é utilizado para controle de segurança, roteamento, relatório de erros, depuração, informação de hora, etc. Basicamente, foi proposto para permitir a evolução do protocolo através deste campo variável. Detalhes em TAN 96 p. 473 /**/ Mostrar fragmentação com o aplicativo PRAV Multicast 1.2 O protocolo TCP RFC793 Entidades TCP trocam dados na forma de segmentos, que consiste num cabeçalho de 20 bytes (fixo) mais uma parte opcional, seguido de zero ou mais bytes de dados. O software TCP decide qual deve ser o tamanho dos segmentos, limitado de duas formas: Tamanho máximo do segmento, de bytes, menos os cabeçalhos TCP e IP. (p. 597e 599). Tamanho da MTU (Maximum Transfer Unit) da rede. Se o segmento passar por uma rede com MTU menor, deve ser fragmentado, recebendo um novo cabeçalho TCP e IP (40 bytes a mais). P. 598 TAN. /**/ 2

3 Originalmente, a ARPANET assumia que o nível de subnet oferecia um serviço totalmente confiável de transmissão de dados. Dessa forma, o primeiro protocolo de nível de transporte era bastante simples, e ficou conhecido como NCP (Network Control Protocol), sendo satisfatório para o ambiente inicial da ARPANET. À medida que o tempo foi passando, a ARPANET cresceu e começou a incluir na sua estrutura muitas redes locais, algumas subredes baseadas em rádio, e também muitos canais via satélite, fazendo com que a confiabilidade entre a máquina fonte e máquina destino fosse diminuída. Isso forçou a criação de um novo protocolo de nível de transporte, que ficou conhecido como TCP (Transfer Control Protocol), e foi especificamente desenvolvido para tolerar uma subrede não confiável. TCP é um protocolo de nível de transporte orientado à conexão, portanto, oferece uma comunicação confiável entre máquina fonte e destino, além de controle de fluxo e recuperação de erros, permitindo uma transmissão de dados full-duplex. O processo de usuário pode enviar mensagens de qualquer tamanho, e o TCP divide essa mensagem em blocos iguais ou menores que 64 Kbytes, enviando cada peça separadamente. O nível de rede não oferece garantias que os pedaços vão ser entregues na mesma seqüência que foram transmitidos, portanto, o TCP deve prever uma forma de remontar os pedaços em ordem. Caso uma mensagem seja perdida, o TCP deve prever mecanismos de time-out para retransmitir o pedaço perdido Cabeçalho TCP A figura a seguir mostra o formato do cabeçalho do TCP. 32 bits Source Port Destination Port Sequence number Piggyback acknowledgement Header Length (6 bits) Checksum U R G A C K E O M R S T S Y N F I N Window size Urgent Pointer Options (campo opcional e variável) A primeira observação é que o cabeçalho mínimo do TCP é de 20 bytes. A seguir é feita uma descrição de cada campo existente no cabeçalho. Source Port e Destination Port: portas TCP (16 bits cada) através das quais será feita a conexão entre as entidades de transporte. A RFC 1700 especifica algumas portas padrão. Até 256 é reservado. 3

4 Sequence Number: Todo byte tem um número de seqüência, portanto, pode ter um acknowledge relativo a ele. Permite a remontagem dos dados no destino. Acknowledge number: especifica o próximo byte aguardado pelo destino, informando também que até o byte anterior foi recebido corretamente. Só é válido se o bit de ACK do campo flags estiver setado. TCP Header Length: número de palavras de 32 bits do cabeçalho TCP. Essa informação é necessária pois o campo options é variável. Seis bits não utilizados Flags: 1. URG: indica que o campo Urgent Pointer é válido 2. ACK: indica que o campo Acknowledge number é válido 3. PSH: PUSH o receptor é solicitado a entregar os dados à aplicação imediatamente, sem esperar que o buffer fique completo. 4. RST: Usado para reiniciar uma conexão que ficou confusa por uma falha no host ou por qualquer outra razão. Também usado para rejeitar uma tentativa de conexão ou rejeitar um segmento inválido. 5. SYN: usado para estabelecer a conexão. Primeiro segmento deve ter SYN=1 e ACK=0 (solicitação de conexão e informação do número de seqüência CONNECTION REQUEST). A resposta contém uma confirmação (ver three way handshake), tendo SYN=1 e ACK=1 (CONNECTION ACCEPTED). 6. FIN: usado para encerrar a conexão, dizendo que o transmissor não tem mais dados a enviar. 7. Window Size: Efetua controle de fluxo através de uma janela deslizante de tamanho variável. Esse campo indica quantos bytes podem ser enviados a partir do byte confirmado (Acknowledge number). O valor de 0 é válido, e serve para indicar que os bytes até Acknowledge number 1 foram recebidos bem, mas o receptor quer um descanso (o transmissor deve parar de enviar dados). Quando o receptor estiver mais folgado, envia outro segmento com o mesmo campo acknowledge number e um byte de window diferente de zero. Checksum: soma de todos bytes mais checksum deve dar zero. Urgent Pointer: indica um offset do número de bytes a partir do número de seqüência atual no qual existem dados urgentes; Options: possui diversas funções, como por exemplo comunicar tamanho de buffer durante o período de setup. Maiores detalhes em TAN 96 p Three Way Handshake (RFC 793) 1) A --> B SYN my sequence number is X 2) A <-- B ACK your sequence number is X 3) A <-- B SYN my sequence number is Y 4) A --> B ACK your sequence number is Y 4

5 Como os passos 2 e 3 podem ser feitos juntos, o reconhecimento é feito em três etapas. Ele é necessário pois cada entidade pode ter um número de seqüência diferente, e os dois devem saber qual o número do outro Timeout no TCP É adaptativo, ou seja, o host tenta estabelecer a conexão (SYN no IP e porta destino). Se não obtiver resposta (SYN ACK) em 3s, tenta 2 a vez, aumentando timeout para 6s. Se não vier, dobra timeout (12s), tentando 3 a vez. Se não vier resposta, tenta novamente. Se não vier resposta, dá erro dizendo que conexão falhou. Durante a conexão é similar, se adaptando ao tempo que a resposta está demorando para chegar. /**/ telnet para ip inválido e análise no NetXRay. 1.3 UDP - User Datagram Protocol RFC 768 O UDP é um protocolo de nível de transporte orientado à transmissão de mensagens sem o estabelecimento de uma conexão entre máquina fonte e destino, fornecendo uma comunicação menos confiável que o TCP. Ele envia as mensagens (sem conexão) e não oferece nenhuma garantia de entrega ou seqüência. O formato do cabeçalho do UDP é mostrado na figura a seguir. Source Port Length Destination Port Checksum O campo length dá o tamanho do cabeçalho mais o campo de dados. O campo de checksum também é para o cabeçalho mais dados Exemplos de usos do UDP 1. Protocolo TFTP (Trivial FTP) - /* link para servidor de TFTP */ 2. Transmissão de voz e vídeo pela rede 3. Transmissão em multicast (normalmente é não confiável, apesar de existirem protocolos multicast confiáveis. 1.4 Ipv6 RFCs 1883 e 1884 As principais alterações em relação ao Ipv4 são: Ampliação de 32 bits para 128 bits Término das classes de endereços Fim da fragmentação no cabeçalho 5

6 1.4.1 Formas de representação dos endereços Ipv6: 1. x:x:x:x:x:x:x:x, onde os "x" são números hexadecimais, ou seja, o endereço é dividido em oito partes de 16 bits, com por exemplo: 1080:0:0:0:8:800:200C:417A 2. Utilizando a notação :: para substituir uma seqüência de zeros (uma única vez no endereço). Por exemplo: Unicast: 1080:0:0:0:8:800:200C:417A. - > 1080::8:800:200C:417 A Multicast: FF01:0:0:0:0:0:0:43 -> FF01::43 Loopback: 0:0:0:0:0:0:0:1 -> ::1 Unspecified: 0:0:0:0:0:0:0:0 -> :: 3. Para usar na transição de IPv4 e IPv6: x:x:x:x:x:x:d:d:d:d, onde os "x" são números hexadecimais e os "d" são valores decimais de 8 bits, referentes à representação padrão do IPv4. Por exemplo: 0:0:0:0:0:0: , ou, na forma abreviada: :: Número de endereços Ipv6 (Frank Ned) O IPng suporta endereços com número de bits 4 vezes maior que o endereço IPv4 (128 - [16 bytes] vs [4 bytes]). Isto significa que o IPv6 é 4 bilhões (2 96 ) de vezes maior que o IPv4 (2 32 ), ou seja, a quantidade de endereços é de: Esta é uma faixa de endereçamento extremamente grande. Teoricamente, isto representa aproximadamente endereços por metro quadrado da superfície do nosso planeta (assumindo que a superfície da Terra seja de m 2 ). Em termos mais práticos, a tarefa de distribuição e roteamento de endereços requer a criação de hierarquias eficientes para o uso dos endereços. Christian Huitema fez uma análise na qual avaliou a eficiência de outras arquiteturas de endereçamento (inclusive o sistema telefônico francês, o sistema telefônico dos E.U.A, a Internet atual que usa IPv4 e nós IEEE 802). Ele concluiu que o enderçamanto de 128 bits pode acomodar entre 8x10 17 a 2x10 33 nós, assumindo a eficiência de blocos semelhantes em outras arquiteturas de endereçamento. Até mesmo a sua estimativa mais pessimista assume que seria possível ter endereços para cada metro quadrado da superfície do planeta Terra. A estimativa otimista permitiria de endereços para cada metro quadrado. 6

7 1.4.3 Formato do cabeçalho Redes de computadores e TCP/IP Version Prior Payload Length Flow Label (24 bits) Next Header Hop Limit Source Address (128 bits) Destination Address (128 bits) Version - 4 bits com a versão do IP utilizado (6). Prior - Diz o nível de prioridade. Permite que uma origem especifique a prioridade de entrega para determinados pacotes em relação a outros pacotes da mesma origem. Flow Label - Campo de 24 bits, relacionado com a qualidade de serviço do pacote. Payload Length - Inteiro sem sinal. Tamanho do payload, isto é, o resto do pacote que segue o cabeçalho IPng em octetos. Next Header - Campo de 8 bits. Identifica o tipo de cabeçalho que segue o cabeçalho IPng. Usar o mesmo valor do protocolo IPv4. Hop Limit - Inteiro sem sinal. Decrementado de 1 a cada node que passa o pacote. O pacote é descartado caso o hop limit seja igual a zero. Semelhante ao TTL no Ipv4. Source Address e Destination Address - Campos de 128 bits com os endereços fonte e destino do pacote. 7

Redes de Computadores. Camada de Transporte

Redes de Computadores. Camada de Transporte Redes de Computadores Camada de Transporte Objetivo! Apresentar as características da camada de transporte da arquitetura TCP/IP! Apresentar os serviços fornecidos pela camada de transporte! Estudar os

Leia mais

Protocolo IP (Internet Protocol) Características do

Protocolo IP (Internet Protocol) Características do Protocolo IP (Internet Protocol) Características do Protocolo IP Serviço de datagrama não confiável Endereçamento Hierárquico Facilidade de Fragmentação e Remontagem de pacotes Identificação da importância

Leia mais

Introdução ao Protocolo TCP/IP. Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL

Introdução ao Protocolo TCP/IP. Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Protocolo Inter Redes Histórico Estrutura do Protocolo TCP/IP Equipamentos de Interconexão Endereçamento

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares

Arquitetura TCP/IP. Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Arquitetura TCP/IP Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Tópicos Conceitos Pacote (ou datagrama) IP Formato Campos do cabeçalho Encapsulamento Fragmentação e

Leia mais

Endereço IP Privado. Endereçamento IP. IP Protocolo da Internet. Protocolos da. Camada de Inter-Rede (Internet)

Endereço IP Privado. Endereçamento IP. IP Protocolo da Internet. Protocolos da. Camada de Inter-Rede (Internet) Protocolos da Camada de Inter- (Internet) IP Protocolo da Internet. Não Confiável; Não Orientado à conexão; Trabalha com Datagramas; Roteável; IPv 4 32 bits; IPv 6 128 bits; Divisão por Classes (A,B,C,D,E);

Leia mais

Camada de Transporte. Redes de Computadores I Prof. Mateus Raeder. Camada de Transporte. Camada de Transporte. Camada de Transporte

Camada de Transporte. Redes de Computadores I Prof. Mateus Raeder. Camada de Transporte. Camada de Transporte. Camada de Transporte Camada de Transporte Redes de Computadores I Prof. Mateus Raeder É responsável pela transmissão lógica dos dados A camada de enlace é responsável pela transmissão física Dois tipos de transmissão: Orientado

Leia mais

Camada de Transporte. Protocolos TCP e UDP

Camada de Transporte. Protocolos TCP e UDP Camada de Transporte Protocolos TCP e UDP Protocolo UDP Protocolo de transporte da Internet sem gorduras Serviço best effort, segmentos UDP podem ser: perdidos entregues fora de ordem para a aplicação

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

Introdução ao Protocolo TCP/IP

Introdução ao Protocolo TCP/IP Introdução ao Protocolo TCP/IP Gil Pinheiro UERJ-FEN-DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Protocolo Inter Redes Histórico Estrutura do Protocolo TCP/IP Equipamentos de Interconexão Endereçamento na Rede

Leia mais

Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP

Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP Camada Conceitual APLICATIVO TRANSPORTE INTER-REDE INTERFACE DE REDE FÍSICA Unidade de Dados do Protocolo - PDU Mensagem Segmento Datagrama /Pacote Quadro 01010101010100000011110

Leia mais

Regras de funcionamento (Unreliable Delivery, etc.) Método de roteamento (Sem conexão) Formato dos dados em um datagrama

Regras de funcionamento (Unreliable Delivery, etc.) Método de roteamento (Sem conexão) Formato dos dados em um datagrama IP - Internet Protocol Histórico O protocolo internet (IP), definido e aprovado pelo DoD (Departamento de Defesa Americano), foi concebido para uso em sistemas de computação interconectados através de

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Camada de Transporte Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Março de 2011 1 / 59 Camada de Transporte Os protocolos dessa camada supervisionam o fluxo de

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores Nível de Rede Redes de Computadores 2 1 Nível de Rede Internet Nível de Rede na Internet O ambiente inter-redes: hosts conectados a redes redes interligam-se

Leia mais

Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Conexão de Redes. Protocolo TCP/IP. Arquitetura Internet.

Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Conexão de Redes. Protocolo TCP/IP. Arquitetura Internet. Origem: Surgiu na década de 60 através da DARPA (para fins militares) - ARPANET. Em 1977 - Unix é projetado para ser o protocolo de comunicação da ARPANET. Em 1980 a ARPANET foi dividida em ARPANET e MILINET.

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES 09/2013 Cap.3 Protocolo TCP e a Camada de Transporte 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica. Os professores

Leia mais

TRANSMISSÃO DE DADOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

TRANSMISSÃO DE DADOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 4 - A CAMADA DE REDE (Parte 2) 1. Flooding (Inundação) Outro algoritmo estático é o algoritmo de inundação, no qual cada pacote de entrada é enviado para todas as linhas de saída, exceto para aquela

Leia mais

robustez; confiabilidade; e comunicação de dados independente de fornecedores.

robustez; confiabilidade; e comunicação de dados independente de fornecedores. HISTÓRICO! 1969, Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) cria um projeto de pesquisa para criar uma experimental de comutação de pacotes ARPANET que deveria prover: robustez; confiabilidade;

Leia mais

Camada de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Camada de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Camada de Rede Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Internet Protocol IP; Fragmentação do Datagrama IP; Endereço IP; Sub-Redes; CIDR Classes Interdomain Routing NAT Network Address Translation

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Ementa Introdução a Redes de

Leia mais

Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Hitórico

Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Hitórico Com a explosão da Internet e com o surgimento constante de mais e mais serviços e aplicações, os atuais endereços IP (IPv4) estão se tornando um recurso escasso. Estima-se que, em aproximadamente dois

Leia mais

Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Hitórico

Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Protocolo IPv6. Hitórico Com a explosão da Internet e com o surgimento constante de mais e mais serviços e aplicações, os atuais endereços IP (IPv4) estão se tornando um recurso escasso. Estima-se que, em aproximadamente dois

Leia mais

Interconexão de Redes Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama

Interconexão de Redes Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama Interconexão de Redes Parte 2 Prof. Dr. S. Motoyama 1 Software IP nos hosts finais O software IP nos hosts finais consiste principalmente dos seguintes módulos: Camada Aplicação; DNS (Domain name system)

Leia mais

Programação TCP/IP. Protocolos TCP e UDP

Programação TCP/IP. Protocolos TCP e UDP Programação TCP/IP Protocolos TCP e UDP Tecnologia em Redes de Computadores Unicesp Campus I Prof. Roberto Leal Visão Geral da Camada de Transporte 2 1 Protocolo TCP Transmission Control Protocol Protocolo

Leia mais

Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP

Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP Conhecer o conceito da camada de transporte e seus principais protocolos: TCP e UDP. O principal objetivo da camada de transporte é oferecer um serviço confiável,

Leia mais

TCP/IP Internet não segue o modelo OSI. É anterior a ele.

TCP/IP Internet não segue o modelo OSI. É anterior a ele. TCP/IP Internet não segue o modelo OSI. É anterior a ele. UTP - UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Arquitetura de Redes de Computadores II Prof. André Luiz PROGRAMA 1. Conceitos Básicos de Rede 2. Camada de

Leia mais

3. Arquitetura TCP/IP

3. Arquitetura TCP/IP 3. Arquitetura TCP/IP A arquitetura internet foi criada pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos, com o objetivo de se ter uma rede interligando várias universidades e órgãos do governo de maneira

Leia mais

Introdução à Redes de Computadores

Introdução à Redes de Computadores Introdução à Redes de Computadores 1 Agenda Camada 4 do modelo OSI 2 1 Camada 4 do modelo OSI 3 Camada 4 - Transporte O termo "qualidade de serviço" é freqüentemente usado para descrever a finalidade da

Leia mais

Redes de Computadores Preparatório para Concursos de TI

Redes de Computadores Preparatório para Concursos de TI Redes de Computadores Preparatório para Concursos de TI Prof. Bruno Guilhen Protocolos da Camada de Transporte TCP protocolo de Controle de Transmissão Confiável; Orientado à conexão com Controle de Fluxo;

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores 2 1 Multiplexação e Desmultiplexação Acontece entre vários módulos na estrutura de SW de comunicação A nível de interface de rede: IP Interface

Leia mais

Funcionamento de ARP entre redes (sub-redes) distintas. Mecanismos de entrega. Funcionamento entre redes (sub-redes): default gateway

Funcionamento de ARP entre redes (sub-redes) distintas. Mecanismos de entrega. Funcionamento entre redes (sub-redes): default gateway Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Protocolos ARP e ICMP Aula 18 A camada de rede fornece um endereço lógico Uniforme, independente da tecnologia empregada pelo enlace

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS. Especialização em Redes de Computadores e Internet

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS. Especialização em Redes de Computadores e Internet UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Especialização em Redes de Computadores e Internet TRANSMISSION CONTROL PROTOCOL MARINA SIMON BECKER Orientador:

Leia mais

Tecnologia de Redes de Computadores

Tecnologia de Redes de Computadores Tecnologia de Redes de Computadores Prof. Sidney Nicolau Venturi Filho 31. CAMADA DE TRANSPORTE Camada de Transporte Camada de Transporte Funções da camada controle de fluxo fim-a-fim sequênciação detecção

Leia mais

Transporte. Sua função é: Promover uma transferência de dados confiável e econômica entre máquina de origem e máquina de destino.

Transporte. Sua função é: Promover uma transferência de dados confiável e econômica entre máquina de origem e máquina de destino. Redes de Computadores Transporte Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Camada de transporte Sua função é: Promover uma transferência de dados confiável e econômica

Leia mais

7 Introdução ao TCP/IP

7 Introdução ao TCP/IP APÊNDICE 7 7 Introdução ao TCP/IP 7.1 Histórico A arquitetura TCP/IP (ou Internet) teve seu início quando a Agência de Projetos Avançados de Pesquisa em Defesa (Defense Advanced Research Projects Agency

Leia mais

Camada de rede. Camada de enlace. Meio Físico

Camada de rede. Camada de enlace. Meio Físico Instituto Federal do Pará - IFPA Ricardo José Cabeça de Souza ricardo.souza@ifpa.edu.br 2010 Redes Básicas S-12 Modelo OSI Camada de Transporte Responsável pela transferência eficiente, confiável e econômica

Leia mais

Aula-16 Interconexão de Redes IP (Internet Protocol) Prof. Dr. S. Motoyama

Aula-16 Interconexão de Redes IP (Internet Protocol) Prof. Dr. S. Motoyama Aula-16 Interconexão de Redes IP (Internet Protocol) Prof. Dr. S. Motoyama Software de IP nos hosts finais O software de IP consiste principalmente dos seguintes módulos: Camada Aplicação; DNS (Domain

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Rede Slide 1 Endereçamento IPv4 Tem comprimento de 32bits (4 bytes); São escritos em notação decimal separados por ponto; Cada interface de um sistema conectado a internet

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Parte XI Transporte orientado a conexão (TCP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares

Arquitetura TCP/IP. Parte XI Transporte orientado a conexão (TCP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Arquitetura TCP/IP Parte XI Transporte orientado a conexão (TCP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Tópicos Características do TCP Como o TCP fornece confiabilidade Janela deslizante Estabelecimento e

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores 1 Elmano R. Cavalcanti Redes de Computadores Camada de Rede elmano@gmail.com facisa-redes@googlegroups.com http://sites.google.com/site/elmano Esta apresentação contém slides fornecidos pela Editora Pearson

Leia mais

robustez; confiabilidade; e comunicação de dados independente de fornecedores.

robustez; confiabilidade; e comunicação de dados independente de fornecedores. HISTÓRICO 1969, Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) cria um projeto de pesquisa para criar uma rede experimental de comutação de pacotes ARPANET que deveria prover: robustez; confiabilidade;

Leia mais

Camada de Transporte. BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação

Camada de Transporte. BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação Prof. Reinaldo Silva Fortes www.decom.ufop.br/reinaldo 2012/01 Camada Nome 5 Aplicação 4 Transporte

Leia mais

A Camada de Rede. A Camada de Rede

A Camada de Rede. A Camada de Rede Revisão Parte 5 2011 Modelo de Referência TCP/IP Camada de Aplicação Camada de Transporte Camada de Rede Camada de Enlace de Dados Camada de Física Funções Principais 1. Prestar serviços à Camada de Transporte.

Leia mais

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação 1 Introdução à Camada de Transporte Camada de Transporte: transporta e regula o fluxo de informações da origem até o destino, de forma confiável.

Leia mais

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Informática I Aula 22 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Critério de Correção do Trabalho 1 Organização: 2,0 O trabalho está bem organizado e tem uma coerência lógica. Termos

Leia mais

Protocolos de Comunicação (Tanenbaum, 1.3)

Protocolos de Comunicação (Tanenbaum, 1.3) Protocolos de Comunicação (Tanenbaum, 1.3) O quê são: São um conjunto de regras que regem o formato e significado dos pacotes ou mensagens que são trocadas por uma camada e sua entidade par em outra máquina.

Leia mais

Redes de computadores e a Internet. A camada de rede

Redes de computadores e a Internet. A camada de rede Redes de computadores e a Internet Capitulo Capítulo 4 A camada de rede A camada de rede Objetivos do capítulo: Entender os princípios dos serviços da camada de rede: Roteamento (seleção de caminho) Escalabilidade

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II UDP Prof: Ricardo Luís R. Peres Tem como objetivo prover uma comunicação entre dois processos de uma mesma sessão que estejam rodando em computadores dentro da mesma rede ou não.

Leia mais

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE SERVIÇO SEM CONEXÃO E SERVIÇO ORIENTADO À CONEXÃO Serviço sem conexão Os pacotes são enviados de uma parte para outra sem necessidade de estabelecimento de conexão Os pacotes

Leia mais

Camada de Transporte. Agenda. Tópicos. Serviços oferecidos... O serviço de transporte

Camada de Transporte. Agenda. Tópicos. Serviços oferecidos... O serviço de transporte BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação Prof. Reinaldo Silva Fortes www.decom.ufop.br/reinaldo 2012/01 Camada Nome 5 Aplicação 4 Transporte

Leia mais

Camada de transporte. TCP Transmission Control Protocol

Camada de transporte. TCP Transmission Control Protocol Camada de transporte TCP Transmission Control Protocol TCP A confiabilidade dos processos de comunicação foi deixada a cargo do TCP O TCP é um protocolo: Orientado à conexão Confiável Número de portas

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Camada de Redes Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Junho 2012 1 / 68 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte Cab

Leia mais

A Camada de Transporte

A Camada de Transporte A Camada de Transporte Romildo Martins Bezerra CEFET/BA s de Computadores II Funções da Camada de Transporte... 2 Controle de conexão... 2 Fragmentação... 2 Endereçamento... 2 Confiabilidade... 2 TCP (Transmission

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Arquitetura de redes Aula 02 A. Car rissimi --ago-1 Comunicação de dados envolve diferentes entidades Entidade=qualquer dispositivo

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores TCP/IP Fabricio Breve Fundamentos Atualmente é o protocolo mais usado em redes locais Principal responsável: Popularização da Internet Mesmo SOs que antigamente só suportavam seu

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores 6. Camada de Transporte DIN/CTC/UEM 2008 Principais Funções Oferece conexão lógica entre duas extremidades da rede Oferece controle fim-a-fim de fluxo e confiabilidade Independente da tecnologia utilizada

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Redes I Fundamentos - 1º Período Professor: José Maurício S. Pinheiro Material de Apoio VI PROTOCOLOS

Leia mais

Bacharelado em Informática TCP/IP TCP/IP. Disciplina: Internet e Arquitetura TCP/IP. Protocolos Inter-rede. Inter-rederede

Bacharelado em Informática TCP/IP TCP/IP. Disciplina: Internet e Arquitetura TCP/IP. Protocolos Inter-rede. Inter-rederede Bacharelado em Informática Disciplina: Internet e Arquitetura Arquitetura OSI Arquiteturas de Arquitetura IEEE Arquitetura Internet Inter-rede Apresentação Sessão Prof. Sérgio Colcher colcher@inf.puc-rio.br

Leia mais

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Módulo 11 Camada de Transporte TCP/IP Camada de Aplicação

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Módulo 11 Camada de Transporte TCP/IP Camada de Aplicação CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 11 Camada de Transporte TCP/IP Camada de Aplicação Camada de Transporte TCP/IP 2 Introdução à Camada de Transporte As responsabilidades principais da camada de

Leia mais

Curso: Tec. Em Sistemas Para Internet 1 semestre Redes de Computadores Memória de Aula 07. Prof. Moises P. Renjiffo

Curso: Tec. Em Sistemas Para Internet 1 semestre Redes de Computadores Memória de Aula 07. Prof. Moises P. Renjiffo Curso: Tec. Em Sistemas Para Internet 1 semestre Redes de Computadores Memória de Aula 07 DETALHAMENTO DA CAMADA DE REDE: 1- Endereçamento Físico. MAC Da camada de Enlace. 2- Endereçamento Logico. IP Endereço

Leia mais

Serviço de datagrama não confiável Endereçamento hierárquico. Facilidade de fragmentação e remontagem de pacotes

Serviço de datagrama não confiável Endereçamento hierárquico. Facilidade de fragmentação e remontagem de pacotes IP Os endereços IP são números com 32 bits, normalmente escritos como quatro octetos (em decimal), por exemplo 128.6.4.7. A primeira parte do endereço identifica uma rede especifica na interrede, a segunda

Leia mais

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Redes de Computadores Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Endereços e nomes Quaisquer duas estações

Leia mais

IPv6 - Características do IP Next Generation

IPv6 - Características do IP Next Generation IPv6 - Características do IP Next Generation 1 - Introdução As três das principais motivações que conduziram à necessidade de superar as limitações de crescimento da versão atual do protocolo IP (Internet

Leia mais

6 de Julho de 2015. Exercício 23 Para que servem portas na camada de transporte?

6 de Julho de 2015. Exercício 23 Para que servem portas na camada de transporte? Lista de Exercícios Camada de Transporte GBC-056 Arquitetura de Redes de Computadores Bacharelado em Ciência da Computação Universidade Federal de Uberlândia 6 de Julho de 2015 Exercício 1 Para que serve

Leia mais

ANÁLISE DE TRÁFEGO TCP/IP

ANÁLISE DE TRÁFEGO TCP/IP 2010 ANÁLISE DE TRÁFEGO TCP/IP Paulo Marcelo 13/11/2010 2 MEMOREX ANÁLISE DE TRÁFEGO Continuando a série dos memorex para concurso de TI, disponibilizo o material sobre análise de tráfego que havia prometido

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Camada de Rede. Prof.: Agostinho S. Riofrio

REDES DE COMPUTADORES. Camada de Rede. Prof.: Agostinho S. Riofrio REDES DE COMPUTADORES Camada de Rede Prof.: Agostinho S. Riofrio Agenda 1. Introdução 2. Funções 3. Serviços oferecidos às Camadas superiores 4. Redes de Datagramas 5. Redes de Circuitos Virtuais 6. Comparação

Leia mais

Foi inicialmente desenvolvido como parte de um

Foi inicialmente desenvolvido como parte de um PROTOCOLO TCP/IP 1 INTRODUCÃO Foi inicialmente desenvolvido como parte de um projeto incentivado pela DARPA; Tinha como objetivo desenvolver tecnologias para que as máquinas interligadas em rede continuassem

Leia mais

Padrão TCP/IP UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CAMPUS JOÃO MONLEVADE

Padrão TCP/IP UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CAMPUS JOÃO MONLEVADE UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CAMPUS JOÃO MONLEVADE Padrão TCP/IP Daniel Prato da Silva Guilherme Augusto Fernandes Marcel Mariano Rocha Oliveira Marcos Antônio Cota Thairone Ezequiel de Almeida Sumário

Leia mais

Redes de Computadores. Protocolo TCP/IP Profa. Priscila Solís Barreto

Redes de Computadores. Protocolo TCP/IP Profa. Priscila Solís Barreto Redes de Computadores Protocolo TCP/IP Profa. Priscila Solís Barreto Internet G G G Introdução Protocolo: Conjunto de regras que determinam como o hardware e o software de uma rede devem interagir para

Leia mais

Introdução a Firewalls no Linux (Netfilter/Iptables)

Introdução a Firewalls no Linux (Netfilter/Iptables) IntroduçãoaFirewallsnoLinux (Netfilter/Iptables) RicardoKléberMartinsGalvão www.ricardokleber.com.br ricardo.galvao@ifrn.edu.br RicardoKléber::IntroduçãoaFirewallsnoLinux RicardoKléber ProfessordoIFRN(SegurançadeRedes)

Leia mais

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo:

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo: DIRETORIA ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DOS CURSOS DA ÁREA DE INFORMÁTICA! Atividade em sala de aula. 1) A respeito de redes de computadores, protocolos TCP/IP e considerando uma rede

Leia mais

Alan Menk Santos. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede 21/05/2013. alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.

Alan Menk Santos. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede 21/05/2013. alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com. Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede Modelo de Referência OSI 1 Camada de Rede: O que veremos. Entender os princípios

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº7 Análise do tráfego na rede Protocolos TCP e UDP Objectivo Usar o Ethereal para visualizar

Leia mais

Redes IP. Capítulo 3 - Protocolo IP

Redes IP. Capítulo 3 - Protocolo IP 1 Redes IP Capítulo 3 - Protocolo IP Camada Inter-Redes - Protocolo IP Características do Protocolo IP O Datagrama IP Encapsulamento de Datagramas Tamanho do Datagrama, MTU da Rede e Fragmentação IP versão

Leia mais

CAMADA DE REDES PARTE II. Fabrício Pinto

CAMADA DE REDES PARTE II. Fabrício Pinto CAMADA DE REDES PARTE II Fabrício Pinto Interligação de Redes 2 Supomos até agora uma única rede homogênea Máquinas usando o mesmo protocolo Suposição muito otimista Existe muitas redes diferentes LANs,

Leia mais

CAPÍTULO 6 A CAMADA DE TRANSPORTE

CAPÍTULO 6 A CAMADA DE TRANSPORTE CAPÍTULO 6 A CAMADA DE TRANSPORTE 6.1 OS SERVIÇOS DE TRANSPORTE: 6.1.1 SERVIÇOS OFERECIDOS ÀS CAMADAS SUPERIORES: Tem como objetivo de oferecer um serviço confiável, eficiente e econômico a seus usuários.

Leia mais

Visão geral da arquitetura do roteador

Visão geral da arquitetura do roteador Visão geral da arquitetura do roteador Duas funções-chave do roteador: Executar algoritmos/protocolos (RIP, OSPF, BGP) Comutar os datagramas do link de entrada para o link de saída 1 Funções da porta de

Leia mais

Fundamentos de Redes. Protocolos de Transporte. Djamel Sadok Dênio Mariz. {jamel,dmts}@cin.ufpe.br

Fundamentos de Redes. Protocolos de Transporte. Djamel Sadok Dênio Mariz. {jamel,dmts}@cin.ufpe.br Fundamentos de Redes Protocolos de Transporte Djamel Sadok Dênio Mariz {jamel,dmts}@cin.ufpe.br Cin/UFPE, JUN/2003 1 Internet e TCP/IP Internet Agrupamento de grande quantidade de redes ao redor do mundo,

Leia mais

Modulo 4. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados

Modulo 4. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados Modulo 4 Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados 1 Protocolo ICMP Internet Control Message Protocol 2 ICMP Internet Control Message Protocol IP funciona

Leia mais

Internet Control Message Protocol - ICMP. Rodolfo Riyoei Goya http://rgoya.sites.uol.com.br rgoya@uol.com.br

Internet Control Message Protocol - ICMP. Rodolfo Riyoei Goya http://rgoya.sites.uol.com.br rgoya@uol.com.br Internet Control Message Protocol - ICMP Rodolfo Riyoei Goya http://rgoya.sites.uol.com.br rgoya@uol.com.br Pauta Cabeçalho ICMP Funções do ICMP Bibliografia Stevens, R.W. TCP/IP Illustrated Volume 1 Addison-Wesley

Leia mais

Camada de rede: IP. Cabeçalho IP, encaminhamento de pacotes IP, sub-redes, máscara de sub-redes e processos de cálculo, NAT e PAT, futuro do IPv4.

Camada de rede: IP. Cabeçalho IP, encaminhamento de pacotes IP, sub-redes, máscara de sub-redes e processos de cálculo, NAT e PAT, futuro do IPv4. Camada de rede: IP Cabeçalho IP, encaminhamento de pacotes IP, sub-redes, máscara de sub-redes e processos de cálculo, NAT e PAT, futuro do IPv4. Internet Rede 2 Rede 1 Internet Rede 4 Rede 3 Rede 5 O

Leia mais

Qualidade de serviço. Protocolo IPv6

Qualidade de serviço. Protocolo IPv6 Qualidade de serviço. Protocolo IPv6 Apresentar a nova forma de endereçamento lógico, o endereço IP versão 6 (IPv6). No começo da década de 1990, a IETF começou o estudo para desenvolver o sucessor do

Leia mais

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Segundo Bimestre

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Segundo Bimestre Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour Segundo Bimestre Exercicio 1: Considere a seguinte configuração de rede estruturada em VLANs 220.0.0.2/24 C VLAN 2 B VLAN 1 A VLAN 1 VLAN 1,2,3

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Ementa Introdução a Redes de

Leia mais

Redes de Computadores. Camada de Transporte de Dados: protocolos TCP e UDP Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Redes de Computadores. Camada de Transporte de Dados: protocolos TCP e UDP Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Redes de Computadores Camada de Transporte de Dados: protocolos TCP e UDP Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer

Leia mais

A CAMADA DE TRANSPORTE

A CAMADA DE TRANSPORTE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ Centro de Tecnologia Departamento de Informática Redes de Computadores A CAMADA DE TRANSPORTE Prof.: Mauro Henrique Mulati A CAMADA DE TRANSPORTE Roteiro TCP 2 A CAMADA

Leia mais

TCP - multiplexação/demultiplexação

TCP - multiplexação/demultiplexação TCP Protocolo de controle de transmissão (Transmission Control Protocol) Definido em diversas RFCs (793, 1122, 1323, 2018 e 2581) Diversos flavors (tipos) Serviços Multiplexação/demultiplexação Detecção

Leia mais

Tudo sobre TCP/IP. As Origens

Tudo sobre TCP/IP. As Origens Tudo sobre TCP/IP O conjunto de protocolos TCP/IP (Transmission Control Protocol/Internet Protocol - Protocolo de Controle de Transmissão/Protocolo da Internet) está presente em quase na totalidade dos

Leia mais

Internet e TCP/IP. Camada de Rede: Objetivos. Encapsulamento. Redes de Computadores. Internet TCP/IP. Conceitos Básicos Endereçamento IP

Internet e TCP/IP. Camada de Rede: Objetivos. Encapsulamento. Redes de Computadores. Internet TCP/IP. Conceitos Básicos Endereçamento IP Camada de Rede Reinaldo Gomes reinaldo@cefet-al.br Redes de Computadores Conceitos Básicos Endereçamento IP Internet e TCP/IP Internet Conjunto de redes de escala mundial, ligadas pelo protocolo IP TCP/IP

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. Internet Protocol

Fundamentos de Redes de Computadores. Internet Protocol Fundamentos de Redes de Computadores Internet Protocol Internetworking LANs separadas e sem interoperabilidade Necessidade de um esquema que permitisse interligar várias tecnologias de rede em um todo

Leia mais

Redes de Computadores 2008 Primeiro Trabalho Analisador de Redes

Redes de Computadores 2008 Primeiro Trabalho Analisador de Redes Redes de Computadores 2008 Primeiro Trabalho Analisador de Redes Prof. Ronaldo Alves Ferreira 1 Descrição do Trabalho Analisadores de redes são ferramentas de enorme valor para a depuração de protocolos

Leia mais

Análise de tráfego em redes TCP/IP com tcpdump

Análise de tráfego em redes TCP/IP com tcpdump Análise de tráfego em redes TCP/IP com tcpdump João Eriberto Mota Filho João Pessoa, PB, 28 maio 2015 Sumário A análise de tráfego A estrutura de um protocolo O protocolo IP O protocolo TCP O protocolo

Leia mais

Detecção de Portadora em Redes de Acesso múltiplo (CSMA)

Detecção de Portadora em Redes de Acesso múltiplo (CSMA) Detecção de Portadora em Redes de Acesso múltiplo (CSMA) Carrier Sense on Mullti-Access Network CSMA CSMA/CA CSMA/CD CSMA/CD Carrier SenseMulti-Access / CollisionData Computadores ligados Ethernet usam

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 1 Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br - O que é a Internet? - Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais - Executando aplicações

Leia mais

Computadores Digitais 2. Prof. Rodrigo de Souza Couto

Computadores Digitais 2. Prof. Rodrigo de Souza Couto Computadores Digitais 2 Linguagens de Programação DEL-Poli/UFRJ Prof. Miguel Campista ATENÇÃO Esta apresentação foi retirada e adaptada dos seguintes trabalhos: Notas de aula do Prof. Miguel Campista da

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores s de Computadores s de Computadores s de Computadores 2 1 Roteamento como visto cada gateway / host roteia mensagens não há coordenação com outras máquinas Funciona bem para sistemas estáveis e sem erros

Leia mais

Unidade III. Unidade III

Unidade III. Unidade III Unidade III Unidade III CAMADAS FUNDAMENTAIS PARA TRANSFERÊNCIA DE MENSAGENS ATRAVÉS DA REDE Esta unidade tem como principal característica apresentar as camadas sem dúvida mais importantes, a qual deve

Leia mais

1.0 Intodução...Pág. 2. 2.0 Objetivos...Pág. 3. 3.0 Características...Pág. 4

1.0 Intodução...Pág. 2. 2.0 Objetivos...Pág. 3. 3.0 Características...Pág. 4 1 Índice 1.0 Intodução...Pág. 2 2.0 Objetivos...Pág. 3 3.0 Características...Pág. 4 4.0 O pacote Ipv6...Pág. 7 4.1 Cabeçalho-base Ipv6...Pág. 7 4.2 Comparação entre o cabeçalho do Ipv4 e Ipv6...Pág. 9

Leia mais

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento IP 1 História e Futuro do TCP/IP O modelo de referência TCP/IP foi desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD). O DoD exigia

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 10 - TCP/IP Intermediário 1 Objetivos do Capítulo Descrever o TCP e sua função; Descrever a sincronização e o controle de fluxo do TCP; Descrever

Leia mais