Tecnologia de Redes de Computadores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tecnologia de Redes de Computadores"

Transcrição

1 Tecnologia de Redes de Computadores Prof. Sidney Nicolau Venturi Filho 31. CAMADA DE TRANSPORTE

2 Camada de Transporte

3 Camada de Transporte Funções da camada controle de fluxo fim-a-fim sequênciação detecção e recuperação de erros multiplexação de várias conexões de transporte em uma conexão de rede

4 Camada de Transporte

5 Camada de Transporte Tipos de serviços oferecidos na arquitetura TCP/IP: Com conexão: protocolo TCP Sem conexão: protocolo UDP Unidade de dados TCP: segmento. UDP: datagrama.

6 Camada de Transporte Aplicação TCP UDP Inter-rede

7 Camada de Transporte

8 Tecnologia de Redes de Computadores Prof. Sidney Nicolau Venturi Filho 32. PROTOCOLO UDP

9 User Datagram Protocol (UDP) Características principais do UDP: não confiável. sem conexão. não implementa acks. não implementa controle de fluxo. não garante a seqüência. A aplicação assume as responsabilidades pela garantia da confiabilidade. usado em aplicações em tempo-real e multiponto Programadores costumam esquecer essa característica uma vez que testam seus programas em ambientes de rede local, que costumam ser altamente confiáveis.

10 User Datagram Protocol (UDP) Identifica os processos que estão se comunicando através do conceito de porta. Permite a multiplexação do uso do serviço de rede. Características: O protocolo UDP oferece um serviço não confiável e sem conexão que usa o protocolo IP para o transporte de mensagens entre máquinas. Adiciona ao IP a funcionalidade de distinguir múltiplos destinos dentro de um mesmo host (endereçamento a nível de transporte, porta)

11 O conceito de porta: User Datagram Protocol (UDP) A maioria dos S.O. atuais é multi-tarefa, vários processos são executados ao mesmo tempo Ao chegar um datagrama IP para qual processo o S.O. deverá encaminhar a mensagem? End. IP identifica o host, mas não a aplicação (processo)

12 Uso de porta Protocolo UDP usada para distinguir entre múltiplos processos executando numa única máquina uma aplicação (ou processo) UDP é identificada por uma determinada porta em uma estação: ENDEREÇO IP + PORTA UDP

13 Protocolo UDP A porta permite a demultiplexação UDP Aplicação 1 Aplicação 2 Porta 126 Porta 34 Porta 22 UDP IP

14 User Datagram Protocol (UDP) Funcionamento: Acesso síncrono às portas Se o processo tenta extrair dados da porta antes dos dados chegarem, o S.O. bloqueia o processo até que os dados estejam disponíveis Quando os dados chegam o S.O. reinicia o processo e passa os dados. Em geral, as portas usam buffers de forma que se os dados chegarem antes do processo estar pronto para recebê-los eles não serão perdidos Para comunicação com o processo na máquina destino, o processo origem precisa saber não só o endereço IP bem como a porta destino.

15 User Datagram Protocol (UDP) Funcionamento: Idéia de Guichê Antes de enviar um pacote a aplicação deve associar-se a um número de porta Identificação do processo pela rede deve ser independente do S.O. Toda multiplexação e demultiplexação entre software UDP/TCP e as aplicações ocorre pelo mecanismo das portas Quando uma porta é estabelecida o S.O. cria internamente uma fila e a associa à porta Quando o UDP/TCP recebe um datagrama, ele verifica se a porta especificada existe, caso não exista uma mensagem ICMP port unreachable será enviada. Se houver um casamento o dado será colocado na fila para posterior acesso da aplicação

16 User Datagram Protocol (UDP) Abordagens para atribuição de números de portas: Atribuição universal: portas bem conhecidas. Associação dinâmica: uma requisição (para uma porta bem conhecida) solicita o número da porta. As portas de 0 a 1023 são bem conhecidas. Acima de 1023, livre para uso dos usuários Documentação: RFC 768

17 Algumas Portas Bem Conhecidas Porta Descrição do Serviço 7 eco 13 relógio (texto) 37 relógio (binário) 53 DNS - Domain Name System 67 Servidor do serviço bootstrat 68 Cliente do serviço bootstrap 69 TFTP - Trivial File Transfer Protocol 111 RPC - Remote Procedure Call 123 NTP - Network Time Protocol 161 SNMP - Simple Network Mngmt Protocol 162 SNMP traps

18 Datagrama UDP Datagrama UDP (em bytes): Source Port Destination Port Lenght Checksum Variável Payload Source Port: Porta de origem. Destination Port: Porta de destino. Lenght: tamanho do datagrama inteiro. Checksum: da mensagem inteira. Payload: dados do usuário do nível de transporte.

19 Tecnologia de Redes de Computadores Prof. Sidney Nicolau Venturi Filho 33. PROTOCOLO TCP

20 Características Protocolo TCP Orientado a stream (fluxo)» os dados gerados/recebidos pela aplicação são vistos como uma sequência de bytes, em oposição a uma sequência de pacotes. Stream não-estruturada» TCP não conhece a estrutura de dados usada pela aplicação Fornece um serviço confiável» dados em sequência, sem duplicações ou erros.» Realiza a detecção e correção de erros.» Realiza o controle de fluxo através de janelas deslizantes.

21 Características Protocolo TCP Orientado à conexão» Oferece um serviço de circuito virtual sobre IP:» antes do início da transferência de dados é necessário que ambas as partes estejam de acordo abertura da conexão, transferência dos dados e fechamento da conexão Estabelece conexão via three-way handshaking.» Multiplexa (e demultiplexa) o acesso à camada de rede. Conexões full-duplex» duas sequências de bytes (streams) independentes fluindo em direções opostas, com nenhuma interação aparente reduz o tráfego permitindo o piggybacking

22 Transport Control Protocol (TCP) Portas de 0 a 1023 são reservadas para aplicações oficiais - Exemplos: 20 FTP - File Transfer Protocol dados 21 FTP - File Transfer Protocol controle 23 Conexão telnet 25 SMTP - Simple Mail Transport Protocol 53 DNS - Domain Name System 70 Gopher 79 Finger 80 HTTP - HyperText Transfer Protocol 110 POP3 - Post Office Protocol v3 111 RPC - Remote Procedure Call 119 NNTP - Network News Transfer Protocol A conexão é identificada pela seguinte tupla: (IP Origem, Porta TCP Origem, IP Destino, Porta TCP Destino)

23 Conexão TCP O TCP usa a conexão, e não a porta de protocolo, como sua abstração principal. As conexões são identificadas por um par de pontos terminais. Ponto terminal - (ender host, nr porta) Um ponto terminal pode pertencer a várias conexões. Porta 22 Porta 2340 TCP TCP IP Inter-rede TCP/IP Host Host Conexão = ( , 22) e ( , 2340) IP

24 O Segmento TCP (em bits) Source Port Destination Port Sequence Number Ack Number Data Offset Reserved Flags Window Checksum Até 65K - Header - Header IP Urgent Pointer Options + Padding Data Source Port & Destination Port: portas origem / dest. Sequence Number: Número de seqüência utilizado na janela deslizante. É determinado no estabelecimento da conexão. Leva em consideração o tamanho do segmento. Ack Number: utilizado para o piggybacking. Trás o número do próximo segmento esperado pelo destino.

25 O Segmento TCP (em bits) Source Port Destination Port Sequence Number Ack Number Data Offset Reserved Flags Window Checksum Até 65K - Header - Header IP Urgent Pointer Options + Padding Data Data Offset: tam. do header (múltiplos de 32 bits). Reserved: zero. Flags: todos de 1 bit: Urg: indica a presença de Urgent Field Ack: indica a presença de ack. Push: solicita a função push (envio imediato). Rst: solicita o reinício da conexão.

26 O Segmento TCP (em bits) Source Port Destination Port Sequence Number Ack Number Data Offset Reserved Flags Window Checksum Até 65K - Header - Header IP Urgent Pointer Options + Padding Flags: todos de 1 bit: Syn: solicita a sincronização dos sequence numbers. Fin: indica que a origem não enviará mais dados. Window: tamanho da janela de recepção da origem. Checksum: checksum do segmento e do cabeçalho IP. Urgent point: indica o final dos dados urgentes. Data

27 O Segmento TCP (em bits) Source Port Destination Port Sequence Number Ack Number Data Offset Reserved Flags Window Checksum Até 65K - Header - Header IP Urgent Pointer Options + Padding Options: apenas uma opção está definida, que limita o tamanho do segmento TCP (MSS). Data Padding: faz com que o tamanho do cabeçalho seja múltiplo de 32 bits. Data: dados a serem transportados. O MSS típico é de 1024 bytes.

28 Cliente Conexão TCP Pedido de abertura Servidor SP: Source Port DP: Destination Port Resposta ao pedido Confirmação Three Way Handshake Write & Read Troca de dados Aplicação ordenou close SO envia eof Confirmação do recebimento Pedido de encerramento Half Close Dados Pedido de encerramento t Confirmação

29 Abertura da Conexão TCP Three-way Handshake Envia um SYN com seq = x Recebe SYC com seq = y e ACK x+1, envia ACK y+1 Recebe um SYN com seq = x, responde através de SYN com seq = y, ACK x+1 Recebe ACK y+1 Um número de seqüência é gerado para cada conexão. Requisições para uma nova conexão a partir da mesma origem, após a abertura de uma primeira conexão, são rejeitadas.

30 Fechamento da Conexão TCP Aplicação fecha a conexão Envia um FIN com seq = x Recebe ACK x+1 Recebe um FIN com seq = x, responde através de ACK x+1 Informa à aplicação (half close) Aplicação fecha a conexão Envia um FIN com seq = y, ACK x+1 Recebe FIN com seq = y e ACK x+1, envia ACK y+1 Recebe ACK y+1

31 Tecnologia de Redes de Computadores Prof. Sidney Nicolau Venturi Filho 34. CONTROLE DE FLUXO RETRANSMISSÃO

32 Controle de Fluxo Evitar que o TX afogue o RX com dados RX tipicamente aloca um buffer para armazenar dados recebidos enquanto está ocupado realizando outras tarefas (processamento) A ausência de controle de fluxo pode causar overflow nesse buffer. Como implementar? 1. RX atrasa o envio de ACKs, desta forma após enviar N quadros sem reconhecimento o TX para (timeout). 2. Uso de quadros especiais: RNR (Receiver not Ready). Por exemplo, RNR-5 recebi todos os quadros até o 5, mas no momento não posso aceitar mais. Depois o RX envia um ACK normal para reabrir a janela do transmissor. 3. Controle sobre o tamanho da janela do TX por meio de informação do status do buffer do receptor (usado no TCP) Geralmente funciona em conjunto com o controle de erros (ARQ)

33 Proposta Inicial: usar confirmação, ACK TX ACK ACK RX tempo

34 Proposta Inicial: usar confirmação, ACK TX ACK ACK RX tempo Erro ou perda do quadro?

35 Timeout timeout X ACK

36 Timeout timeout X ACK Erro ou perda do ACK?

37 Erro ou Perda do ACK timeout X ACK Duplicata passada para o Nível 3 Solução?

38 Identificação dos Quadros timeout X ACK 1 1 Solução final? Descartado! Quadro 1 já foi recebido, estou esperando o Quadro 2

39 Timeout Prematuro timeout ACK ACK ACK X duplicata Solução? 4 Perdeu o Quadro 3!

40 Solução: Identificação dos ACKs timeout ACK1 ACK2 ACK2 X duplicata 3 OK!

41 Solução: Identificação dos ACKs timeout ACK1 ACK2 ACK2 X duplicata Adicionalmente: dimensionar corretamente o timeout. 3 OK! Pergunta: até quando deve ir a sequência de identificação dos quadros?

42 Tecnologia de Redes de Computadores Prof. Sidney Nicolau Venturi Filho 35. ESTRATÉGIAS DE RETRANSMISSÃO

43 Stop-and-Wait ARQ timeout timeout ACK0 ACK1 X X ACK

44 Stop-and-Wait ARQ (cont) Um novo quadro é enviado somente se for recebida confirmação do anterior; Há timeout para controlar o tempo de espera; Só é necessário 1 bit para numerar os quadros; Fluxo unidirecional; Para bidirecional: usar 2 Stop-and-Wait, um para cada sentido. No caso bidirecional: técnica de piggybacking pode ser usada Melhor aproveitamento de banda. Timeout2 no caso de não haver informação para ser TX em um dos sentidos.

45 Problema do Stop-and-Wait ARQ Canais que apresentam grandes retardos Desperdício de banda é grande Baixa utilitização do canal Utilização: percentual de tempo dedicado a transmissão de informação útil. Como estimar a utilização do canal usando o protocolo Stop-and-Wait ARQ? Incluir todos os retardos Análise do melhor caso Considerar perdas, erros na transmissão Ronaldo M Salles

46 Melhor Caso: sem erros ou ReTX t I t p t proc t p t ACK t proc 0 1 t p 0 ACK0 t p : tempo de propagação (supondo igual nos 2 sentidos) t proc : tempo de processamento (supondo igual nos 2 sentidos) t T = t I + 2t p + 2t proc + t ACK Ronaldo M Salles

47 Go-Back-n ARQ (sliding window) Vários quadros são enviados sem espera de confirmação O número máximo de quadros que podem ser TX define o tamanho da janela de transmissão (n) Neste protocolo a janela de recepção é igual a 1 (igual a do Stop-and-Wait) A ReTX é realizada a partir do quadro que não foi reconhecido. Os quadros seguintes, mesmo sendo recebidos sem erros são descartados (não armazenados pelo receptor)

48 Go-back-n ARQ (sliding window) W = 7 0 [0,6] [1,7] [2,8] [3,9] ACK0 ACK

49 Go-back-n ARQ (sliding window) W = 4 0 [0,3] [1,4] [1,4] [2,5] X ACK0 ACK0 ACK0 ACK0 ACK Não tem buffer p/ armazenar Janela recepção = 1 1

50 Go-back-n ARQ W = 5 0 timeout X ACK RX espera novo quadro 0 Aceito por como novo quadro FUROU! Ronaldo M Salles

51 Go-back-n módulo m > n W = 5 timeout Seq.: 0,1,2,3,4, X ACK RX espera quadro 5 Descartado já recebeu o quadro 0 Ronaldo M Salles

52 Selective Repeat ARQ (sliding window) Funcionamento semelhante ao Go-back-n, porém o tamanho da janela do receptor é igual a do transmissor. O RX armazena os pacotes recebidos sem erros mesmo fora de ordem, desde que os números de sequência estejam dentro da janela. Quantidade de buffers necessária no receptor é igual ao tamanho da janela. Implementa a retransmissão seletiva Existe ainda um número Go-back caso a janela se esgote Objetivo: maximizar a utilização do canal

53 Sliding-window (janela deslizante) envio de vários quadros sem reconhecimento Transmissor Receptor Quadro 0 Quadro 1 Quadro 2 Quadro 3 ACK 3 Quadro 4 Quadro 5 Quadro 0 Quadro 0 Quadro 1 Quadro 2 Quadro 3 ACK 3 Quadro 4 Quadro 5 Quadro 0 Quadro 1 Quadro 1 Quadro 2 Quadro 2 ACK 2 ACK 2 T pacotes são numerados em sequência (NrSeq) 0.. NrSeqMax o número máximo de pacotes transmitidos e ainda não reconhecidos é determinado pelo tamanho da janela qdo o tamanho da janela é igual a 1 => stop-and-wait

54 Sliding-window (janela deslizante) Transmissor Receptor Envia um quadro Envia dois quadros Envia um quadro Recebe Ack de quatro quadros Recebe um quadro 0 Recebe dois quadros Recebe um quadro Envia Ack de quatro quadros Envia um quadro Recebe um quadro Envia três quadros Recebe Ack de quatro quadros Recebe três quadros Envia Ack de quatro quadros

55 Selective Repeat ARQ (sliding window) W = 4 [0,3] [1,4] [5,8] X ACK0 ACK0 ACK0 ACK0 ACK [1,4] [5,8] Armazena os quadros recebidos que não apresentaram erros.

56 Tecnologia de Redes de Computadores Prof. Sidney Nicolau Venturi Filho 36. ESTRATÉGIAS DE RETRANSMISSÃO E CONTROLE FLUXO DO TCP

57 Segmento, Stream e Seq.Numbers TCP é orientado a bytes (octetos) stream é toda a sequência de bytes número de seq. aponta para o último byte do stream que foi transmitido conjunto de bytes forma o segmento TCP Mecanismo sliding window

58 Funções do protocolo TCP Controle de erros (confiabilidade) usa estratégias de retransmissão reconhecimentos positivos - a cada segmento recebido, o receptor envia um reconhecimento (ACK) Controle de fluxo (janela deslizante) evita que o emissor sobrecarregue o receptor uma função fim-a-fim Controle de congestionamento evita que uma grande quantidade de dados sejam injetados na rede, fazendo com que os roteadores e os enlaces fiquem sobrecarregados

59 Controle de erro ARQ (Automatic Repeat Request) reconhecimentos + temporizadores reconhecimentos positivos» a cada pacote recebido, o receptor envia um reconhecimento (ACK) reconhecimentos negativos» o receptor envia um reconhecimento (NAK) apenas qdo a perda de um pacote é detectada FEC (Forward Error Control) transmissão redundante de dados utilização de códigos corretores de erro

60 Funções do sliding-window no TCP entrega confiável de pacotes reconhecimento acumulativo» receptor reconhece o número de sequência do próximo octeto esperado estratégia go-back-n modificada preserva a ordem de transmissão dos pacotes» receptor só passa um pacote para a aplicação qdo todos os pacotes com nr. de sequência inferior já foram entregues

61 Controle de Fluxo Controle da taxa de transmissão para evitar que um transmissor rápido sobrecarregue um receptor lento Evita perda de informação, garante confiabilidade na transmissão Fundamental em redes como a Internet onde existe uma grande diversidade de hosts e links Implementado através de ajustes no tamanho da janela de transmissão (janela de tamanho variável) Campo window do segmento TCP

62 Window advertisement Controle de Fluxo quando o receptor envia um ACK (confirmação de recebimento de bytes), ele usa o campo window para informar quantos bytes adicionais ele está preparado para receber. espaço disponível do buffer do receptor No caso extremo a janela pode ser zero Quando o receptor ficar disponível de novo ele envia uma janela maior para reiniciar novamente o fluxo de dados

63 controle de fluxo Funções do sliding-window no TCP o receptor informa ao emissor o espaço livre que ele tem no seu buffer de recepção Aplicação emissora Aplicação receptora TCP último byte escrito último byte lido TCP último byte reconhecido último byte enviado próximo byte esperado último byte recebido advwindow = maxrcvbuffer - (ultbyterecebido - ultbytelido) effwindow = advwindow - (ultbyteenviado - ultbytereconhecido)

64 Sliding-window - Controle de Fluxo Controle de fluxo o receptor informa ao emissor o espaço livre que ele tem no seu buffer de recepção

65 Problemas do sliding window a cada segmento enviado, TCP inicia um temporizador e espera por um ACK se temporizador expira antes da chegada do reconhecimento o segmento é retransmitido Protocolo de janelas deslizantes necessitam de uma boa estimativa para o timeout Timeout curto: duplicatas Timeout longo: ineficiência No caso do enlace (ponto-a-ponto) é mais simples, o retardo de ida e volta (RTT) é mais determinístico No nível de transporte o problema é fim-a-fim o que dificulta a estimativa do RTT

66 Timeout e Retransmissão TCP: adaptive retransmission algorithm Os delays na Internet são variáveis e exigem um algoritmo de retransmissão adaptativo. RTT é estimado dinamicamente para acompanhar as flutuações no tráfego da rede Cálculo do RTT» TCP grava o tempo do envio de cada segmento e o tempo da chegada da confirmação (ACK)» O TCP calcula o RTS (Round Trip Sample) para cada segmento e ajusta o round trip médio para a conexão, o RTT (RT Time) utilizando uma média ponderada» RTT = ( * OldRTT ) + ( ( 1 - ) * NewRTS ) perto de 1: imunidade a mudanças de curta duração. perto de 0: reação rápida as mudanças. Timeout = ß * RTT» ß = 1 provoca retransmissão desnecessária

Redes de Computadores. Camada de Transporte

Redes de Computadores. Camada de Transporte Redes de Computadores Camada de Transporte Objetivo! Apresentar as características da camada de transporte da arquitetura TCP/IP! Apresentar os serviços fornecidos pela camada de transporte! Estudar os

Leia mais

Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP

Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP Conhecer o conceito da camada de transporte e seus principais protocolos: TCP e UDP. O principal objetivo da camada de transporte é oferecer um serviço confiável,

Leia mais

Computadores Digitais 2. Prof. Rodrigo de Souza Couto

Computadores Digitais 2. Prof. Rodrigo de Souza Couto Computadores Digitais 2 Linguagens de Programação DEL-Poli/UFRJ Prof. Miguel Campista ATENÇÃO Esta apresentação foi retirada e adaptada dos seguintes trabalhos: Notas de aula do Prof. Miguel Campista da

Leia mais

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação 1 Introdução à Camada de Transporte Camada de Transporte: transporta e regula o fluxo de informações da origem até o destino, de forma confiável.

Leia mais

Camada de Transporte. Protocolos TCP e UDP

Camada de Transporte. Protocolos TCP e UDP Camada de Transporte Protocolos TCP e UDP Protocolo UDP Protocolo de transporte da Internet sem gorduras Serviço best effort, segmentos UDP podem ser: perdidos entregues fora de ordem para a aplicação

Leia mais

Transporte. Sua função é: Promover uma transferência de dados confiável e econômica entre máquina de origem e máquina de destino.

Transporte. Sua função é: Promover uma transferência de dados confiável e econômica entre máquina de origem e máquina de destino. Redes de Computadores Transporte Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Camada de transporte Sua função é: Promover uma transferência de dados confiável e econômica

Leia mais

Camada de rede. Camada de enlace. Meio Físico

Camada de rede. Camada de enlace. Meio Físico Instituto Federal do Pará - IFPA Ricardo José Cabeça de Souza ricardo.souza@ifpa.edu.br 2010 Redes Básicas S-12 Modelo OSI Camada de Transporte Responsável pela transferência eficiente, confiável e econômica

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES 09/2013 Cap.3 Protocolo TCP e a Camada de Transporte 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica. Os professores

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Parte V: Camada de Transporte 3.1 Serviços da camada de transporte 3.2 Multiplexação e demultiplexação 3.3 Transporte não orientado à conexão: UDP 3.4 Princípios de transferência

Leia mais

Programação TCP/IP. Protocolos TCP e UDP

Programação TCP/IP. Protocolos TCP e UDP Programação TCP/IP Protocolos TCP e UDP Tecnologia em Redes de Computadores Unicesp Campus I Prof. Roberto Leal Visão Geral da Camada de Transporte 2 1 Protocolo TCP Transmission Control Protocol Protocolo

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Parte XI Transporte orientado a conexão (TCP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares

Arquitetura TCP/IP. Parte XI Transporte orientado a conexão (TCP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Arquitetura TCP/IP Parte XI Transporte orientado a conexão (TCP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Tópicos Características do TCP Como o TCP fornece confiabilidade Janela deslizante Estabelecimento e

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº7 Análise do tráfego na rede Protocolos TCP e UDP Objectivo Usar o Ethereal para visualizar

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores 6. Camada de Transporte DIN/CTC/UEM 2008 Principais Funções Oferece conexão lógica entre duas extremidades da rede Oferece controle fim-a-fim de fluxo e confiabilidade Independente da tecnologia utilizada

Leia mais

Introdução ao Protocolo TCP/IP. Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL

Introdução ao Protocolo TCP/IP. Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Protocolo Inter Redes Histórico Estrutura do Protocolo TCP/IP Equipamentos de Interconexão Endereçamento

Leia mais

Curso: Tec. Em Sistemas Para Internet 1 semestre Redes de Computadores Memória de Aula 07. Prof. Moises P. Renjiffo

Curso: Tec. Em Sistemas Para Internet 1 semestre Redes de Computadores Memória de Aula 07. Prof. Moises P. Renjiffo Curso: Tec. Em Sistemas Para Internet 1 semestre Redes de Computadores Memória de Aula 07 DETALHAMENTO DA CAMADA DE REDE: 1- Endereçamento Físico. MAC Da camada de Enlace. 2- Endereçamento Logico. IP Endereço

Leia mais

Transporte. Transporte. Nível de Transporte Portas, Protocolos UDP e TCP. Transporte. Transporte. Nível de Transporte

Transporte. Transporte. Nível de Transporte Portas, Protocolos UDP e TCP. Transporte. Transporte. Nível de Transporte Departamento de Engenharia de Telecomunicações - UFF Disciplina: Nível de Transporte Portas, Protocolos UDP e TCP Nível de Transporte Profa. Débora Christina Muchaluat Saade deborams@telecom.uff.br br

Leia mais

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Módulo 11 Camada de Transporte TCP/IP Camada de Aplicação

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Módulo 11 Camada de Transporte TCP/IP Camada de Aplicação CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 11 Camada de Transporte TCP/IP Camada de Aplicação Camada de Transporte TCP/IP 2 Introdução à Camada de Transporte As responsabilidades principais da camada de

Leia mais

A Camada de Transporte

A Camada de Transporte A Camada de Transporte Romildo Martins Bezerra CEFET/BA s de Computadores II Funções da Camada de Transporte... 2 Controle de conexão... 2 Fragmentação... 2 Endereçamento... 2 Confiabilidade... 2 TCP (Transmission

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II UDP Prof: Ricardo Luís R. Peres Tem como objetivo prover uma comunicação entre dois processos de uma mesma sessão que estejam rodando em computadores dentro da mesma rede ou não.

Leia mais

1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP

1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP 1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP 1.1 IP - Internet Protocol RFC 791 Esse protocolo foi introduzido na ARPANET no início dos anos 80, e tem sido utilizado juntamente com o TCP desde então. A principal característica

Leia mais

robustez; confiabilidade; e comunicação de dados independente de fornecedores.

robustez; confiabilidade; e comunicação de dados independente de fornecedores. HISTÓRICO 1969, Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) cria um projeto de pesquisa para criar uma rede experimental de comutação de pacotes ARPANET que deveria prover: robustez; confiabilidade;

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

CAMADA DE TRANSPORTE

CAMADA DE TRANSPORTE Curso Técnico de Redes de Computadores Disciplina de Fundamentos de Rede CAMADA DE TRANSPORTE Professora: Juliana Cristina de Andrade E-mail: professora.julianacrstina@gmail.com Site: www.julianacristina.com

Leia mais

6 de Julho de 2015. Exercício 23 Para que servem portas na camada de transporte?

6 de Julho de 2015. Exercício 23 Para que servem portas na camada de transporte? Lista de Exercícios Camada de Transporte GBC-056 Arquitetura de Redes de Computadores Bacharelado em Ciência da Computação Universidade Federal de Uberlândia 6 de Julho de 2015 Exercício 1 Para que serve

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Protocolos da camada de transporte da Internet edes de Computadores Março, 2012 Parte III: Camada de Transporte Professor: einaldo Gomes reinaldo@dsc.ufcg.edu.br TCP: Confiável garante ordem de entrega

Leia mais

Introdução. Algumas terminologias. Camada de Enlace de Dados. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br

Introdução. Algumas terminologias. Camada de Enlace de Dados. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Camada de Enlace de Dados Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Introdução A função desta camada parece trivial, pois a máquina A coloca os bits no meio e a máquina B tem que retirar de lá, porem

Leia mais

Fundamentos de Redes. Protocolos de Transporte. Djamel Sadok Dênio Mariz. {jamel,dmts}@cin.ufpe.br

Fundamentos de Redes. Protocolos de Transporte. Djamel Sadok Dênio Mariz. {jamel,dmts}@cin.ufpe.br Fundamentos de Redes Protocolos de Transporte Djamel Sadok Dênio Mariz {jamel,dmts}@cin.ufpe.br Cin/UFPE, JUN/2003 1 Internet e TCP/IP Internet Agrupamento de grande quantidade de redes ao redor do mundo,

Leia mais

Redes de computadores e a Internet. Capítulo3. Camada de transporte

Redes de computadores e a Internet. Capítulo3. Camada de transporte Redes de computadores e a Internet Capítulo Camada de transporte Pilha de protocolos da Internet M Aplicação Ht M Transporte Hr Ht M Rede Hr Ht M Enlace Mensagem Segmento Datagrama Quadro He Física -2

Leia mais

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE SERVIÇO SEM CONEXÃO E SERVIÇO ORIENTADO À CONEXÃO Serviço sem conexão Os pacotes são enviados de uma parte para outra sem necessidade de estabelecimento de conexão Os pacotes

Leia mais

genérico proteção de rede filtragem dos pacotes Sem estado (stateless) no próprio pacote. Com estado (stateful) outros pacotes

genérico proteção de rede filtragem dos pacotes Sem estado (stateless) no próprio pacote. Com estado (stateful) outros pacotes FIREWALLS Firewalls Definição: Termo genérico utilizado para designar um tipo de proteção de rede que restringe o acesso a certos serviços de um computador ou rede de computadores pela filtragem dos pacotes

Leia mais

TCP - multiplexação/demultiplexação

TCP - multiplexação/demultiplexação TCP Protocolo de controle de transmissão (Transmission Control Protocol) Definido em diversas RFCs (793, 1122, 1323, 2018 e 2581) Diversos flavors (tipos) Serviços Multiplexação/demultiplexação Detecção

Leia mais

CAPÍTULO 6 A CAMADA DE TRANSPORTE

CAPÍTULO 6 A CAMADA DE TRANSPORTE CAPÍTULO 6 A CAMADA DE TRANSPORTE 6.1 OS SERVIÇOS DE TRANSPORTE: 6.1.1 SERVIÇOS OFERECIDOS ÀS CAMADAS SUPERIORES: Tem como objetivo de oferecer um serviço confiável, eficiente e econômico a seus usuários.

Leia mais

A CAMADA DE TRANSPORTE

A CAMADA DE TRANSPORTE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ Centro de Tecnologia Departamento de Informática Redes de Computadores A CAMADA DE TRANSPORTE Prof.: Mauro Henrique Mulati A CAMADA DE TRANSPORTE Roteiro TCP 2 A CAMADA

Leia mais

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte O TCP/IP, na verdade, é formado por um grande conjunto de diferentes protocolos e serviços de rede. O nome TCP/IP deriva dos dois protocolos mais

Leia mais

Redes de Computadores. Protocolos de comunicação: TCP, UDP

Redes de Computadores. Protocolos de comunicação: TCP, UDP Redes de Computadores Protocolos de comunicação: TCP, UDP Introdução ao TCP/IP Transmission Control Protocol/ Internet Protocol (TCP/IP) é um conjunto de protocolos de comunicação utilizados para a troca

Leia mais

Protocolos de Comunicação

Protocolos de Comunicação Protocolos de Comunicação Faculdades Santa Cruz TRC4SA Professor Guerra 2 2o Bimestre 3 Aplicações e Transporte TCP/IP O TCP/IP é uma combinação de dois protocolos individuais. O IP opera na camada 3 e

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Transporte Implementação de um Transporte Confiável Slide 1 Transferência Confiável de Dados sobre um Canal Confiável rdt1.0 Uma vez que o canal é confiável, não existe

Leia mais

Camada de Transporte. Prof. Leonardo Barreto Campos

Camada de Transporte. Prof. Leonardo Barreto Campos Camada de Transporte 1 Sumário Introdução; Serviços oferecidos à camada superior; Multiplexação e Demultiplexação; UDP; TCP; Controle de Congestionamento; Controle de Congestionamento do TCP; 2/62 Introdução

Leia mais

Introdução à Redes de Computadores

Introdução à Redes de Computadores Introdução à Redes de Computadores 1 Agenda Camada 4 do modelo OSI 2 1 Camada 4 do modelo OSI 3 Camada 4 - Transporte O termo "qualidade de serviço" é freqüentemente usado para descrever a finalidade da

Leia mais

Redes de Computadores. Protocolo TCP/IP Profa. Priscila Solís Barreto

Redes de Computadores. Protocolo TCP/IP Profa. Priscila Solís Barreto Redes de Computadores Protocolo TCP/IP Profa. Priscila Solís Barreto Internet G G G Introdução Protocolo: Conjunto de regras que determinam como o hardware e o software de uma rede devem interagir para

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Redes I Fundamentos - 1º Período Professor: José Maurício S. Pinheiro Material de Apoio VI PROTOCOLOS

Leia mais

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Controle de Congestionamento

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Controle de Congestionamento Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Controle de Congestionamento Professor Rene - UNIP 1 Revisão... Segmento A unidade de dados trocada entre as entidades de transporte é denominada

Leia mais

Redes de Computadores. Camada de Transporte de Dados: protocolos TCP e UDP Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Redes de Computadores. Camada de Transporte de Dados: protocolos TCP e UDP Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Redes de Computadores Camada de Transporte de Dados: protocolos TCP e UDP Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática 90 minutos * 24.05.2013 =VERSÃO A= 1 1. Esta teste serve como avaliação de frequência às aulas teóricas. 2. Leia as perguntas com atenção antes de responder. São 70 perguntas de escolha múltipla. 3. Escreva

Leia mais

Redes de computadores e a Internet. Capítulo 3. Camada de transporte

Redes de computadores e a Internet. Capítulo 3. Camada de transporte Redes de computadores e a Internet Capítulo 3 Camada de transporte Camada de transporte Objetivos do capítulo: Entender os princípios por trás dos serviços da camada de transporte: Multiplexação/demultiplexação

Leia mais

Camada de Transporte TCP/IP e Aplicação

Camada de Transporte TCP/IP e Aplicação Universidade do Sul de Santa Catarina Camada de Transporte TCP/IP e Aplicação 1 Camada de Transporte Os serviços de transporte incluem os seguintes serviços básicos: Segmentação de dados de aplicações

Leia mais

robustez; confiabilidade; e comunicação de dados independente de fornecedores.

robustez; confiabilidade; e comunicação de dados independente de fornecedores. HISTÓRICO! 1969, Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) cria um projeto de pesquisa para criar uma experimental de comutação de pacotes ARPANET que deveria prover: robustez; confiabilidade;

Leia mais

Qualidade em Servicos de Rede Prof. Eduardo Maronas Monks Roteiro de Laboratorio Camada de Transporte Parte II

Qualidade em Servicos de Rede Prof. Eduardo Maronas Monks Roteiro de Laboratorio Camada de Transporte Parte II Qualidade em Servicos de Rede Prof. Eduardo Maronas Monks Roteiro de Laboratorio Camada de Transporte Parte II 1) Explicar os seguintes mecanismos e conceitos do protocolo TCP: 1. Slow Start O algoritmo

Leia mais

Camada de Transporte

Camada de Transporte Camada de Transporte Conceitos Básicos Redes de Computadores A. S. Tanenbaum Mário Meireles Teixeira. UFMA-DEINF Protocolos Protocolo: Conjunto de regras e formatos usados para comunicação entre entidades,

Leia mais

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede Nível de Enlace Enlace: caminho lógico entre estações. Permite comunicação eficiente e confiável entre dois computadores. Funções: fornecer uma interface de serviço à camada de rede; determinar como os

Leia mais

Redes de Computadores II. Módulo 1 Introdução e a camada de enlace

Redes de Computadores II. Módulo 1 Introdução e a camada de enlace Redes de Computadores II Módulo 1 Introdução e a camada de enlace 1 A Camada de Enlace Principal objetivo da camada: Comunicar dados entre dois equipamentos de rede conectados ao mesmo meio de transmissão

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Arquitetura de redes Aula 02 A. Car rissimi --ago-1 Comunicação de dados envolve diferentes entidades Entidade=qualquer dispositivo

Leia mais

Camada de transporte. Camada de transporte

Camada de transporte. Camada de transporte Camada de transporte Camada de transporte Objetivos do capítulo: Entender os princípios dos serviços da camada de transporte: Multiplexação/demultiplexação Transferência de dados confiável Controle de

Leia mais

Controle de Erro em Redes de Computadores

Controle de Erro em Redes de Computadores Controle de Erro em Redes de Computadores Prof. S. Motoyama Aula 24 Motoyama: Controle de Erro 1 Enlace de Dados O controle de erro em redes de computadores é feito na camada enlace de dados (ou na camada

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES II. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br

REDES DE COMPUTADORES II. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br II Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br Frame Relay DÉCADA DE 80 Uso do protocolo X.25 (RENPAC) Linhas Analógicas Velocidade baixa Altas taxas de erros Computadores lentos e caros Circuitos

Leia mais

Camada de Transporte. BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação

Camada de Transporte. BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação Prof. Reinaldo Silva Fortes www.decom.ufop.br/reinaldo 2012/01 Camada Nome 5 Aplicação 4 Transporte

Leia mais

Camada de Transporte. Agenda. Tópicos. Serviços oferecidos... O serviço de transporte

Camada de Transporte. Agenda. Tópicos. Serviços oferecidos... O serviço de transporte BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação Prof. Reinaldo Silva Fortes www.decom.ufop.br/reinaldo 2012/01 Camada Nome 5 Aplicação 4 Transporte

Leia mais

Capítulo 3: Camada de Transporte. Multiplexação/desmultiplexação. Serviços e protocolos de transporte. Antônio Abelém abelem@ufpa.

Capítulo 3: Camada de Transporte. Multiplexação/desmultiplexação. Serviços e protocolos de transporte. Antônio Abelém abelem@ufpa. Serviços e protocolos de Capítulo 3: Camada de Transporte Antônio Abelém abelem@ufpa.br provê comunicação lógica entre processos de executando em hospedeiros diferentes protocolos de executam em sistemas

Leia mais

2 Controle de Congestionamento do TCP

2 Controle de Congestionamento do TCP 2 Controle de Congestionamento do TCP 17 2 Controle de Congestionamento do TCP A principal causa de descarte de pacotes na rede é o congestionamento. Um estudo detalhado dos mecanismos de controle de congestionamento

Leia mais

TCP: Overview RFCs: 793, 1122, 1323, 2018, 2581

TCP: Overview RFCs: 793, 1122, 1323, 2018, 2581 TCP: Overview RFCs: 793, 1122, 1323, 2018, 2581 ponto-a-ponto: dados full-duplex: um transmissor, um receptor confiável, seqüêncial -> byte stream: mensagens não são delimitadas pipelined: transmissão

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Camada de Transporte. Alexandre Augusto Giron

REDES DE COMPUTADORES Camada de Transporte. Alexandre Augusto Giron REDES DE COMPUTADORES Camada de Transporte Alexandre Augusto Giron ROTEIRO Visão geral da camada de transporte Protocolos UDP TCP Princípios do controle de congestionamento A camada de transporte: visão

Leia mais

Comunicação de Dados

Comunicação de Dados UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Comunicação de Dados Aula 6 Agenda Projeto da camada de enlace de dados Detecção e correção de erros Protocolos

Leia mais

Camada Transporte Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama

Camada Transporte Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama Camada Transporte Parte 2 Prof. Dr. S. Motoyama 1 Algoritmo de Janela Deslizante em TCP O TCP clássico emprega um protocolo de janela deslizante com confirmação positiva e sem repetição seletiva. O TCP

Leia mais

Redes de Computadores_Marcelo Furtado Pratica 2- Qualidade de serviços

Redes de Computadores_Marcelo Furtado Pratica 2- Qualidade de serviços Redes de Computadores_Marcelo Furtado Pratica 2- Qualidade de serviços Tarefas: 1) Explicar os seguintes mecanismos e conceitos do protocolo TCP: 1. Slow Start Slow start é um mecanismo do TCP desenvolvido

Leia mais

7 Introdução ao TCP/IP

7 Introdução ao TCP/IP APÊNDICE 7 7 Introdução ao TCP/IP 7.1 Histórico A arquitetura TCP/IP (ou Internet) teve seu início quando a Agência de Projetos Avançados de Pesquisa em Defesa (Defense Advanced Research Projects Agency

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br ADMINISTRAÇÃO TCP/IP. Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br ADMINISTRAÇÃO TCP/IP. Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br ADMINISTRAÇÃO TCP/IP Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br Protocolos TCP/IP - Tópicos Introdução IP Endereçamento Roteamento UDP, TCP Telnet, FTP Correio DNS Web Firewalls Protocolos TCP/IP

Leia mais

Redes de Computadores. 1 Questões de múltipla escolha. TE090 - Prof. Pedroso. 17 de junho de 2015

Redes de Computadores. 1 Questões de múltipla escolha. TE090 - Prof. Pedroso. 17 de junho de 2015 TE090 - Prof. Pedroso 17 de junho de 2015 1 Questões de múltipla escolha Exercício 1: Suponha que um roteador foi configurado para descobrir rotas utilizando o protocolo RIP (Routing Information Protocol),

Leia mais

Tratamento de erros. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Abril de 2006

Tratamento de erros. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Abril de 2006 Redes de Computadores Tratamento de erros Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Abril de 2006 Ligação de dados Conceitos e objectivos Uma ligação física caracteriza-se

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Ementa Introdução a Redes de

Leia mais

Funcionamento de ARP entre redes (sub-redes) distintas. Mecanismos de entrega. Funcionamento entre redes (sub-redes): default gateway

Funcionamento de ARP entre redes (sub-redes) distintas. Mecanismos de entrega. Funcionamento entre redes (sub-redes): default gateway Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Protocolos ARP e ICMP Aula 18 A camada de rede fornece um endereço lógico Uniforme, independente da tecnologia empregada pelo enlace

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES O QUE É PROTOCOLO? Na comunicação de dados e na interligação em rede, protocolo é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas. Sem protocolos, uma rede

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 10 - TCP/IP Intermediário 1 Objetivos do Capítulo Descrever o TCP e sua função; Descrever a sincronização e o controle de fluxo do TCP; Descrever

Leia mais

Redes de computadores. Redes para Internet

Redes de computadores. Redes para Internet Redes de computadores Redes para Internet Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais Executando aplicações distribuídas Enlaces de comunicação fibra, cobre, rádio, satélite

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares

Arquitetura TCP/IP. Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Arquitetura TCP/IP Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Tópicos Conceitos Pacote (ou datagrama) IP Formato Campos do cabeçalho Encapsulamento Fragmentação e

Leia mais

Visão geral da arquitetura do roteador

Visão geral da arquitetura do roteador Visão geral da arquitetura do roteador Duas funções-chave do roteador: Executar algoritmos/protocolos (RIP, OSPF, BGP) Comutar os datagramas do link de entrada para o link de saída 1 Funções da porta de

Leia mais

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s:

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s: Tecnologia em Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: André Sobral e-mail: alsobral@gmail.com Conceitos Básicos Modelos de Redes: O O conceito de camada é utilizado para descrever como ocorre

Leia mais

Evolução na comunicação. Organização de uma viagem aérea. Camadas de Protocolos. Camadas de Funcionalidade da companhia aérea. Por que as Camadas?

Evolução na comunicação. Organização de uma viagem aérea. Camadas de Protocolos. Camadas de Funcionalidade da companhia aérea. Por que as Camadas? s de Computadores Arquitetura e odelos de Referência odelo OSI/ISO odelo TCP/IP Evolução na comunicação Comunicação sempre foi uma necessidade humana, buscando aproximar comunidades distantes Sinais de

Leia mais

Endereços de transporte TPDU. Nível de Rede Endereço de rede. Figura 1. Entidade de transporte

Endereços de transporte TPDU. Nível de Rede Endereço de rede. Figura 1. Entidade de transporte 24 A CAMADA DE TRANSPORTE O nível de transporte é o coração da pilha de protocolos Sua tarefa é prover transporte confiável e eficiente de dados de uma máquina origem para uma máquina destino, independente

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Transporte UDP Slide 1 Camada de Transporte Fornece uma comunicação lógica entre processos de aplicações em diferentes hosts através da camada de rede; São implementados

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com ENLACE X REDE A camada de enlace efetua de forma eficiente e com controle de erros o envio

Leia mais

Redes de Telecomunicações (11382)

Redes de Telecomunicações (11382) Redes de Telecomunicações (11382) Ano Lectivo 2014/2015 * 1º Semestre Pós Graduação em Information and Communication Technologies for Cloud and Datacenter Aula 5 18/11/2014 1 Agenda Comunicação na camada

Leia mais

MÓDULO 8 Modelo de Referência TCP/IP

MÓDULO 8 Modelo de Referência TCP/IP MÓDULO 8 Modelo de Referência TCP/IP A internet é conhecida como uma rede pública de comunicação de dados com o controle totalmente descentralizado, utiliza para isso um conjunto de protocolos TCP e IP,

Leia mais

Análise Comparativa dos Algoritmos de Controle de Congestionamento do TCP

Análise Comparativa dos Algoritmos de Controle de Congestionamento do TCP Análise Comparativa dos Algoritmos de Controle de Congestionamento do TCP Trabalho de Conclusão de Curso Engenharia da Computação Nome do Aluno: Juliana Lima Cavalcanti Orientador: Prof. Adriano Lorena

Leia mais

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Informática I Aula 22 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Critério de Correção do Trabalho 1 Organização: 2,0 O trabalho está bem organizado e tem uma coerência lógica. Termos

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores 2 1 Responsável pela movimentação dos dados, de maneira eficiente e confiável, entre processos (usuários) em execução nos equipamentos

Leia mais

1 Redes de Computadores - TCP/IP Luiz Arthur

1 Redes de Computadores - TCP/IP Luiz Arthur 1 Redes de Computadores - TCP/IP Luiz Arthur TCP/IP O protocolo TCP/IP atualmente é o protocolo mais usado no mundo. Isso se deve a popularização da Internet, a rede mundial de computadores, já que esse

Leia mais

Introdução ao Protocolo TCP/IP

Introdução ao Protocolo TCP/IP Introdução ao Protocolo TCP/IP Gil Pinheiro UERJ-FEN-DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Protocolo Inter Redes Histórico Estrutura do Protocolo TCP/IP Equipamentos de Interconexão Endereçamento na Rede

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Modulo 4. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados

Modulo 4. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados Modulo 4 Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados 1 Protocolo ICMP Internet Control Message Protocol 2 ICMP Internet Control Message Protocol IP funciona

Leia mais

PEL/FEN Redes de Computadores 2015/1 Primeira Lista de Exercícios Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein

PEL/FEN Redes de Computadores 2015/1 Primeira Lista de Exercícios Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein PEL/FEN Redes de Computadores 2015/1 Primeira Lista de Exercícios Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein 1) Descreva os tipos de topologias utilizadas em redes de computadores, destacando suas principais vantagens

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Comunicação Inter-Processos Sockets e Portas Introdução Sistemas distribuídos consistem da comunicação entre processos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 2 - MODELO DE REFERÊNCIA TCP (RM TCP) 1. INTRODUÇÃO O modelo de referência TCP, foi muito usado pela rede ARPANET, e atualmente usado pela sua sucessora, a Internet Mundial. A ARPANET é de grande

Leia mais

Redes de Computadores. Protocolos ARQ Continuação Profa. Priscila Solís Barreto

Redes de Computadores. Protocolos ARQ Continuação Profa. Priscila Solís Barreto Redes de omputadores Protocolos RQ ontinuação Profa. Priscila Solís Barreto nálise do STOP and Wait nf=5 bytes = bits, na=no=5 bytes = bits O STOP and WIT não funciona bem para altas velocidades ou tempos

Leia mais