Proposta dos Vereadores do Partido Socialista para Beja ( )

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Proposta dos Vereadores do Partido Socialista para Beja ( )"

Transcrição

1 Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Beja Na sequência do convite formulado por V. Exa. com vista a participação no processo de planeamento em curso, que em primeira instância se agradece, apresenta-se em seguida um conjunto de propostas de intervenção que, tal como no passado, consideramos incontornáveis para o desenvolvimento socioeconómico da cidade, do concelho e da região. Não obstante esta postura participativa e construtiva que enforma a habitual postura do Partido Socialista, deve ser feita uma referência ao pouco tempo que nos foi disponibilizado para a real participação neste processo, bem como ao formato solicitado, francamente desadequado e limitador para a recolha de reais contributos. Também a ausência de documentos de base, da definição de grandes opções para o futuro ou de planos estratégicos ou ainda qualquer referência a intervalos de valores disponíveis para investimento, poderia limitar de sobremaneira a participação efetiva neste processo, para além de confirmar uma ausência de estratégia para os destinos de Beja (impõe-se uma referência obrigatória ao extenso trabalho anteriormente desenvolvido quer pela extinta Inovobeja, quer por técnicos da autarquia que, apesar de terem larga experiência nesta área se encontram sem funções há meses). Ainda assim, observadas as opções manifestadas por esse executivo relativamente à regeneração urbana e ambiente e qualidade de vida, considerando ainda as intervenções anteriormente preparadas e desenvolvidas, os vereadores do Partido Socialista estão convictos da plena aceitação das propostas que serão aqui apresentadas. Acresce a plena convicção de que o futuro e o desenvolvimento da região passam pela necessidade de continuidade de projetos estruturantes que não se podem, nem devem, cingir a um mandato autárquico, nem estar dependentes de alternâncias políticas. Fruto da necessidade de cooperação e articulação que sempre se fomentou durante a anterior ação executiva, algumas das propostas apresentadas deverão ser desenvolvidos e implementadas em conjunto com as empresas municipais e outros parceiros locais e regionais. Página 1 de 8

2 As propostas de investimento respeitam ao período de programação , devendo o seu faseamento ser objeto de opção vinculativa do executivo em funções. Todos os investimentos perspetivam-se que venham a ser enquadrados por financiamento comunitário a 85% Proposta do Partido Socialista para Beja ( ) Desenvolvimento económico Qualidade de vida Requalificação urbana, Turismo e Património Coesão Social Proposta do Partido Socialista para Beja ( ) Página 2 de 8

3 Desenvolvimento económico Segunda fase da Requalificação do Parque Industrial [ ] Requalificação da Zona Industrial Norte - Fase 1 (inclui infraestruturas básicas) [ ] Abastecimento de água ao aeródromo/projeto Macfarlan [ ] Acessibilidades rodoviárias: o Estrada da Mina da Juliana [ ] o Estrada de Quintos [ ] o Estrada das Apolinárias Fase 1 [ ] Programa de dinamização empresarial e do investimento [ ] Página 3 de 8

4 Qualidade de vida Requalificação do estádio Flávio Santos para parque de Lazer e Desporto Informal o Fase 1 [ ] o Fase 2 [ ] Requalificação das Piscinas Cobertas e Descobertas [ ] Requalificação da Pista de Atletismo [ ] Ciclovia Fase 2 [ ] Hortas urbanas - Fase 2 [ ] Parque Ambiental do Pisão (parceria EDIA e JF) [ ] Projeto rampa Fase 2 (melhoria das acessibilidades) [ ] Requalificação Área de Lazer Fluvial de Quintos [ ] Ecopista do Guadiana (parceria com a REFER) [ ] Conclusão da zona desportiva Fernando Mamede [ ] Página 4 de 8

5 Requalificação urbana, Turismo e Património Centro de Arqueologia e Artes [ ] Centro de Interpretação Arqueológica de Pisões (parceria com a UF) [ ] Centro de Interpretação Arqueológica do Outeiro do Circo (parceria com a UF) [ ] Museu Rural de Beringel (parceria com a JF) [ ] Ampliação e requalificação da Biblioteca Municipal [ ] Requalificação Casa da Cultura e Museu Jorge Vieira [ ] Continuação da requalificação do Mercado Fase 2 (de 3) [ ] Requalificação dos edifícios municipais no centro histórico o Edifícios Municipais de serviços [ ] o Edifícios Municipais para habitação [ ] ARU/ORU do Centro Histórico [ participação privada] Reservatório da Praça (Estabilidade sísmica, requalificação e integração no Centro de Arqueologia e Artes) [ ] Continuação da remodelação da Rede águas da cidade e ações complementares de requalificação de pavimentos (grandes empreitadas) - retomar do projeto de remodelação da rede de distribuição de água com início da remodelação da área correspondente à Zona 3 (integra a zona histórica ainda não intervencionada com intervenção simultânea na rede de esgotos domésticos dada a sua antiguidade e problemas existentes) [ ] Página 5 de 8

6 Intervenções integradas ao nível de pavimentos, requalificação urbana, águas de abastecimento, águas residuais e águas pluviais (cidade): Avenida Fialho de Almeida, Rua General Teófilo da Trindade, Rua Afonso III, Rua Tenente Sanches de Miranda e Rua da Lavoura. [ ] Redes de águas das restantes freguesias rurais: o Empreitadas em larga escala em localidades que apresentem problemas significativos em redes de abastecimento de água, de drenagem de águas residuais ou de águas pluviais e que apresentem simultaneamente problemas generalizados ao nível dos pavimentos: Albernoa, Baleizão, Trigaches e Mombeja [ ] o Intervenções integradas em São Brissos, Trindade, São Matias, Santa Vitória, Santa Clara do Louredo, Quintos. [ ] Requalificação do Largo do Carmo (parceria com a JF) [ ] Requalificação da entrada leste da cidade [ ] Repavimentação das ruas Zeca Afonso e Salgueiro Maia [ ] Requalificação do Parque de Materiais da Câmara Fase 2 [ ] Repavimentação estrada Neves / Porto Peles [ ] Página 6 de 8

7 Coesão Social Outros apoios Habitação Social No contexto lamentavelmente generalizado de dificuldades socioeconómicos, a questão habitacional apresenta-se cada vez mais como um fator de instabilidade/desestruturação familiar, obrigando assim a exista uma resposta cada vez mais eficaz. Propõe-se um investimento anual nas situações mais urgentes do seguinte conjunto [ /ano durante 6 anos = ] o Conservação/ recuperação das habitações propriedade da Autarquia; o Conservação/recuperação dos espaços comuns; o Requalificação dos espaços envolventes (Bairros Sociais): o Requalificação da Rua da Lavoura. Apoio à criação de Unidade de Cuidados Continuados Trata-se de uma iniciativa de extrema importância a materializar com a cedência de terreno e projeto. Cartão Municipal Sénior Apesar de não se tratar de uma medida de investimento direto, face à sua relevância para a coesão social e melhoraria da qualidade de vida da população mais idosa e dependente, do Concelho de Beja, propõe-se reforçar os benefícios e os beneficiários do Cartão Municipal Sénior mediante: Página 7 de 8

8 o Alargamento do universo de acesso ao cartão municipal sénior para todos os residentes no concelho com mais de 60 anos, com rendimentos "per capita", iguais ou inferiores ao valor de 550 euros (contrariamente ao limite em vigor coincidente com o salário mínimo nacional). o Alargamento do benefício nos transportes públicos, com a comparticipação de pelo menos 25%, na aquisição do passe para a utilização da rede de transportes entre as freguesias rurais e a cidade de Beja, facilitando à população Sénior o acesso a bens e serviços indispensáveis para o seu quotidiano (atualmente a comparticipação é de 50 % e apenas nos transportes urbanos). Os Vereadores do PS na Câmara Municipal de Beja Jorge Pulido Valente José Velez Ana Horta Página 8 de 8

ESTADO DO MARANHÃO PLANO DE GOVERNO DO SR. RAIMUNDO TELES PONTES DO MUNICÍPIO DE GOVERNADOR LUIZ ROCHA PARA A LEGISLATURA DE 2013.

ESTADO DO MARANHÃO PLANO DE GOVERNO DO SR. RAIMUNDO TELES PONTES DO MUNICÍPIO DE GOVERNADOR LUIZ ROCHA PARA A LEGISLATURA DE 2013. ESTADO DO MARANHÃO PLANO DE GOVERNO DO SR. RAIMUNDO TELES PONTES DO MUNICÍPIO DE GOVERNADOR LUIZ ROCHA PARA A LEGISLATURA DE 2013. 1 - PODER LEGISLATIVO 1.1 - CÂMARA MUNICIPAL 1.1.1 - Manutenção e funcionamento

Leia mais

EXECUÇÃO DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO CONTABILÍSTICO 2011. Até ao mês de Rectificação

EXECUÇÃO DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO CONTABILÍSTICO 2011. Até ao mês de Rectificação EXECUÇÃO DO PLANO PLURIANUAL DE S ANO CONTABILÍSTICO 2011 Pagina : 1 1. FUNÇOES GERAIS 239.200,00 505.000,00 744.200,00 177.311,45 177.311,45 74.13 23.83 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE ADMINISTRAÇAO PUBLICA 232.200,00

Leia mais

Município Marinha Grande

Município Marinha Grande Município Marinha Grande PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS 55.741,08 49.017,16 789.803,00 789.803,00 192.292,54 39.013,46 28.860,84 5.600,00 1.160.328,08 1.1. SERVIÇOS GERAIS

Leia mais

E.S.T.Barreiro Instituto Politécnico de Setúbal

E.S.T.Barreiro Instituto Politécnico de Setúbal CÂMARA MUNICIPAL DE PALMELA Joaquim Carapeto Recuperação e Dinamização do Centro Histórico de Palmela E.S.T.Barreiro Instituto Politécnico de Setúbal 28 de maio de 2015 Revitalização do Centro Histórico

Leia mais

Ponto 10.1. Proposta das Normas do Orçamento Participativo de Pombal

Ponto 10.1. Proposta das Normas do Orçamento Participativo de Pombal Cópia de parte da ata da Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Pombal nº0014/cmp/15, celebrada em 25 de Junho de 2015 e aprovada em minuta para efeitos de imediata execução. Ponto 10.1. Proposta das

Leia mais

Conheça as quatro candidaturas ganhas pelo Município do Seixal ao QREN - Quadro Comunitário de Apoio 2007/2013.

Conheça as quatro candidaturas ganhas pelo Município do Seixal ao QREN - Quadro Comunitário de Apoio 2007/2013. Conheça as quatro candidaturas ganhas pelo Município do Seixal ao QREN - Quadro Comunitário de Apoio 2007/2013. PORLisboa Politica de Cidades: Parcerias para a Regeneração Urbana Programa Integrados de

Leia mais

GRUPO 4 MOBILIDADE E TRANSPORTES

GRUPO 4 MOBILIDADE E TRANSPORTES GRUPO 4 MOBILIDADE E TRANSPORTES Medidas Propostas Impacto no Município Plano de mobilidade sustentável para os funcionários da autarquia Formação em eco-condução para os gestores de frotas, motoristas

Leia mais

Orçamento Participativo. Carta de Princípios

Orçamento Participativo. Carta de Princípios Orçamento Participativo Carta de Princípios A Câmara Municipal de Leiria reconhece, com a criação e implementação do Orçamento Participativo, o imperativo de partilhar com os cidadãos a definição de um

Leia mais

CONCURSO DE IDEIAS 2014-2015 JOVENS CRIATIVOS, EMPREENDEDORES PARA O SÉCULO XXI

CONCURSO DE IDEIAS 2014-2015 JOVENS CRIATIVOS, EMPREENDEDORES PARA O SÉCULO XXI 0 REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS 2014-2015 1. OBJETIVOS Através de um concurso de ideias, a iniciativa INOVA! visa: Estimular o espírito empreendedor, criativo e inovador das crianças e dos jovens;

Leia mais

Orçamento Participativo de Vila Nova de Cerveira

Orçamento Participativo de Vila Nova de Cerveira Orçamento Participativo de Vila Nova de Cerveira PREÂMBULO Os Orçamentos Participativos são símbolos de importância da participação dos cidadãos na sociedade democrática, neste sentido a Câmara Municipal

Leia mais

ELEIÇÃO PARA OS ORGÃOS DAS AUTARQUIAS LOCAIS

ELEIÇÃO PARA OS ORGÃOS DAS AUTARQUIAS LOCAIS ELEIÇÃO PARA OS ORGÃOS DAS AUTARQUIAS LOCAIS 29 DE SETEMBRO 2013 Distribuição de mesas de voto por Freguesia Local onde as mesmas funcionam Número de eleitores inscritos Horário de funcionamento: das 08,00H

Leia mais

MUNICIPIO DE VINHAIS DO ANO 2015 PÁGINA : 1

MUNICIPIO DE VINHAIS DO ANO 2015 PÁGINA : 1 PÁGINA : 1 1. FUNCOES GERAIS 4.670.218,46 1.262.000,00 1.262.000,00 761.000,00 201.000,00 201.000,00 7.095.218,46 1.1. SERVICOS GERAIS DE 4.670.218,46 1.262.000,00 1.262.000,00 761.000,00 201.000,00 201.000,00

Leia mais

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES PROPOSTAS PRIORITÁRIAS: 1. PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL Criar o Conselho Estadual da cidade e apoiar a criação dos conselhos municipais, de forma paritária, de caráter

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES - 2012

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES - 2012 Pelouro do Urbanismo, Habitação e Infra-estruturas Municipais DMGUHT - Direcção Municipal de Gestão Urbanística, Habitação e Transportes (Gabinete Técnico) A DMGUHT apresenta um âmbito de intervenção que

Leia mais

RAMPOLIM/ Progride, Medida 1

RAMPOLIM/ Progride, Medida 1 I - Rede Social O processo REFERÊNCIAS CRONOLÓGICAS 1997 Resolução do Conselho de Ministros 197/97, de 18 de Novembro Tem início ao Programa Piloto da Rede Social. FÓRUM DE ARTICULAÇÃO E CONJUGAÇÃO DE

Leia mais

Projeto 10Envolver. Nota Técnica

Projeto 10Envolver. Nota Técnica Nota Técnica Referência: Análise dos dados do componente Educação do Índice de Desenvolvimento Humano dos municípios de 2013 (Atlas do Desenvolvimento Humano 2013, PNUD, IPEA, FJP) para os municípios incluídos

Leia mais

3. BENEFICIÁRIOS Podem ser beneficiários dos apoios previstos na acção 3.1.3, Pessoas singulares ou colectivas de direito privado.

3. BENEFICIÁRIOS Podem ser beneficiários dos apoios previstos na acção 3.1.3, Pessoas singulares ou colectivas de direito privado. 1. OBJECTIVOS DAS INTERVENÇÕES Os apoios previstos no âmbito do presente regulamento visam desenvolver o turismo e outras actividades de lazer como forma de potenciar a valorização dos recursos endógenos

Leia mais

MODIFICAÇÕES AO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS

MODIFICAÇÕES AO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS MODIFICAÇÕES AO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS Página : 1 1. FUNÇOES GERAIS 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE ADMINISTRAÇAO PUBLICA 1.1.1. ADMINISTRAÇAO GERAL 1.1.1. 01 2002 I 1 AQUISIÇAO/REPARAÇAO DE OUTRO MATERIAL

Leia mais

Relatório de Actividades. Ano 2006. Rede Social de Lagos

Relatório de Actividades. Ano 2006. Rede Social de Lagos Relatório de Actividades Ano 2006 Rede Social de Lagos Núcleo Executivo e CLAS- Conselho Local de Acção Social Núcleo Executivo - 27 Reuniões de Trabalho Actividades (Trabalho de planificação, concepção,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000 PROJETO DE LEI DO PLANO PLURIANUAL Projeto de Lei: Dispoe sobre o Plano Plurianual para o periodo 2015/2018 A CAMARA MUNICIPAL decreta: Art. 1o. Esta lei institui o Plano Plurianual para o quadrienio 2015/2018

Leia mais

COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL

COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL Na última década, o número de pessoas em situação de pobreza e exclusão social em Portugal tem vindo a aumentar significativamente. A este facto preocupante, acresce

Leia mais

Plano Concelhio Para a Integração de Pessoas Sem Abrigo (Plano)

Plano Concelhio Para a Integração de Pessoas Sem Abrigo (Plano) Plano Concelhio Para a Integração de Pessoas Sem Abrigo (Plano) 2010-2013 RELATÓRIO DE EXECUÇÃO E AVALIAÇÃO - 2012 CMC/DIPS Ricardo Caldeira - Coordenador do Grupo de Planeamento da Intervenção com os

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR PREÂMBULO A Lei n.º 75/2013, de 12 de Setembro, diploma que estabelece, entre outros, o regime jurídico das autarquias locais, veio atribuir, no

Leia mais

JESSICA NO ORDENAMENTO JURÍDICO PORTUGUÊS. José Brito Antunes Lisboa, 18 de Fevereiro de 2008

JESSICA NO ORDENAMENTO JURÍDICO PORTUGUÊS. José Brito Antunes Lisboa, 18 de Fevereiro de 2008 JESSICA NO ORDENAMENTO JURÍDICO PORTUGUÊS José Brito Antunes Lisboa, 18 de Fevereiro de 2008 ESTRUTURA FINANCEIRA CONCEPTUAL IDEIAS CHAVE FLEXIBILIDADE na estruturação jurídica Fundos de Participação e

Leia mais

PROPOSTA DE GOVERNO DO PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO PSB. VAMOS MUDAR JAMBEIRO

PROPOSTA DE GOVERNO DO PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO PSB. VAMOS MUDAR JAMBEIRO PROPOSTA DE GOVERNO DO PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO PSB. VAMOS MUDAR JAMBEIRO A Gestão Participativa, com a construção de múltiplos canais de consulta, com a participação em decisões, com o controle Social,

Leia mais

2008 Concelho de Ourique

2008 Concelho de Ourique Plano de Acção 2008 Concelho de Rede Social Programa Rede Social Conselho Local de Acção Social de Janeiro 2008 Ficha Técnica Título: Plano de Acção 2008 do Concelho de Autoria: Núcleo Executivo da Rede

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA RELATÓRIO DE DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE NO USO DO SISTEMA PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO DA Fase 1 (magistrados e servidores da Justiça do Trabalho) Secretaria de Tecnologia da Informação

Leia mais

Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo

Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo REDE SOCIAL Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo Regulamento Interno [9/04/2014] REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE FIGUEIRA DE CASTELO RODRIGO

Leia mais

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ Prémio Jovem Empreendedor Regulamento Municí pio de Grâ ndolâ Regulamento do Prémio Jovem Empreendedor Preâmbulo O empreendedorismo tem vindo a assumir, dadas as atuais circunstâncias económicas e sociais,

Leia mais

Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a).

Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a). Anexo A 96 DIRECTIVIDADE ATRATIVIDADE CONFORTO COERÊNCIA SEGURANÇA Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a). Nível de segurança social do entorno

Leia mais

Município das Lajes das Flores

Município das Lajes das Flores ALTERAÇÃO Nº 1 DE 09/01/2013 2 FUNÇÕES SOCIAIS 1.496.442,00 1.496.442,00 13.850,00 1.510.292,00 2 241 HABITAÇÃO 300,00 300,00 200,00 500,00 2 241 2003 13 Recuperação e melhoramentos em diversos edificios

Leia mais

1 093 225 Receitas Próprias

1 093 225 Receitas Próprias - Programação Plurianual do 213 Investimento por Programas e Medidas Página 1 Anos anteriores 213 214 215 Anos Seguintes TOTAL VICE PRESIDÊNCIA DO GOVERNO 41 - INOVAÇAO E QUALIDADE 1 - PROMOÇAO DA INOVAÇAO

Leia mais

3ª DELIBERAÇÃO DA SECÇÃO PERMANENTE DE ESTATÍSTICAS SOCIAIS RELATÓRIO DO GRUPO DE TRABALHO DAS ESTATÍSTICAS DA SAÚDE

3ª DELIBERAÇÃO DA SECÇÃO PERMANENTE DE ESTATÍSTICAS SOCIAIS RELATÓRIO DO GRUPO DE TRABALHO DAS ESTATÍSTICAS DA SAÚDE DOCT/3463/CSE/S 3ª DELIBERAÇÃO DA SECÇÃO PERMANENTE DE ESTATÍSTICAS SOCIAIS RELATÓRIO DO GRUPO DE TRABALHO DAS ESTATÍSTICAS DA SAÚDE Considerando que: - as Linhas Gerais da Atividade Estatística Nacional

Leia mais

Liga Nacional Contra a Fome

Liga Nacional Contra a Fome Liga Nacional Contra a Fome IPSS de Utilidade Pública PLANO DE ATIVIDADES 2016-2019 E ORÇAMENTO 2016 NOVEMBRO 2015 Liga Nacional Contra a Fome IPSS de Utilidade Pública A Liga Nacional Contra a Fome é

Leia mais

CMY. Calçada de SantʼAna, 180 1169-062 Lisboa tel. 210 027 000 fax: 210 027 027 e-mail: inatel@inatel.pt www.inatel.pt

CMY. Calçada de SantʼAna, 180 1169-062 Lisboa tel. 210 027 000 fax: 210 027 027 e-mail: inatel@inatel.pt www.inatel.pt horizontal.ai 29-09-2009 23:03:35 C M Y CM MY CY CMY K Calçada de SantʼAna, 180 1169-062 Lisboa tel. 210 027 000 fax: 210 027 027 e-mail: inatel@inatel.pt www.inatel.pt REJUVENESCER REINVENTAR Sinto-me

Leia mais

Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica

Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica Audiência Pública na Câmara dos Deputados Comissão Especial sobre a Crise Hídrica Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae Sobre a Assemae

Leia mais

CENSO GERAL DE INSTALAÇÕES DESPORTIVAS

CENSO GERAL DE INSTALAÇÕES DESPORTIVAS CENSO GERAL DE INSTALAÇÕES DESPORTIVAS BLOCO A - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1.1 NOME 1.2 ENDEREÇO COD. POSTAL TELEFONE FAX 1.3 END. ELECTRÓNICO PAG. WEB 1.4 LUGAR CONCELHO FREGUESIA DISTRITO 1.5 CÓDIGO IDP..

Leia mais

Lisboa. uma cidade de bairros

Lisboa. uma cidade de bairros Lisboa uma cidade de bairros Fonte: Relatório do PDM Lisboa, Câmara Municipal de Lisboa, Setembro 2010 No PDM de Lisboa, foram identificadas Zonas de Moderação da circulação automóvel, que podem ser concretizadas

Leia mais

O PLANO BRASIL SEM MISÉRIA

O PLANO BRASIL SEM MISÉRIA O PLANO BRASIL SEM MISÉRIA A adoção de uma estratégia multidimensional coordenada, com objetivos e metas claros e mensuráveis, é uma das iniciativas mais importantes dos países que buscam reduzir seus

Leia mais

PRESIDÊNCIA. Declaração

PRESIDÊNCIA. Declaração Declaração Os órgãos de comunicação social do passado fim-de-semana falavam num memorando de informação facultado aos interessados na privatização da ANA Aeroportos de Portugal, que tiveram de entregar

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 95/VIII COMBATE À INSEGURANÇA E VIOLÊNCIA EM MEIO ESCOLAR

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 95/VIII COMBATE À INSEGURANÇA E VIOLÊNCIA EM MEIO ESCOLAR PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 95/VIII COMBATE À INSEGURANÇA E VIOLÊNCIA EM MEIO ESCOLAR A preocupação com o aumento e as características dos múltiplos episódios de violência vividos na e pela comunidade escolar

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades 1 Relatório de Atividades 2005 I- Introdução A Fundação Fé e Alegria do Brasil é uma sociedade civil de direito privado, de ação pública e sem fins lucrativos, com sede a Rua Rodrigo Lobato, 141 Bairro

Leia mais

S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações LEI Nº 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DO PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL EMPREENDIMENTO RESIDENCIAL: ALPHA.

Leia mais

Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra

Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra WORKSHOP Combustíveis e veículos alternativos Práticas correntes e futuras linhas de orientação política para o transporte de passageiros (Projecto Alter-Motive) Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra

Leia mais

PLANO de PORMENOR da ALDEIA da ESTRELA

PLANO de PORMENOR da ALDEIA da ESTRELA M A N U E L G R A Ç A D I A S + E G A S J O S É V I E I R A A R Q U I T E C T O S PLANO de PORMENOR da ALDEIA da ESTRELA PROPOSTA de PLANO MOURA Fevereiro 2012 08 Plano de Financiamento RUA BORGE S CARNEIR

Leia mais

Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança

Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança (Retirado do estudo promovido pela CCDR-N) Introdução A Comissão de Coordenação da Região Norte,

Leia mais

Na União Europeia e países europeus (I):

Na União Europeia e países europeus (I): O princípio da CPD diz-nos que as políticas nos vários setores devem contribuir ativamente para os objetivos de luta contra a pobreza e de promoção do desenvolvimento ou, pelo menos, não prejudicarem esses

Leia mais

REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA

REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA Nota justificativa A Câmara Municipal de Vidigueira assume o papel de agente fundamental na aplicação de políticas de protecção social,

Leia mais

Saneamento Basico Canalizacao e despoluicao do Correqo da Divineia Saneamento basico no Jardim Por do Sol e

Saneamento Basico Canalizacao e despoluicao do Correqo da Divineia Saneamento basico no Jardim Por do Sol e Propostas 2013-2016 Coligacao Uma Cidade Forte se Constr6i corn Uniao Candidato: Prefeito Claudia Viveani de Moraes - Vice Prefeito Antonio Jose de Lima Geracao de Emprego e Renda Continuacao com a Politica

Leia mais

REGULAMENTO Orçamento Participativo de Águeda

REGULAMENTO Orçamento Participativo de Águeda REGULAMENTO Orçamento Participativo de Águeda PREÂMBULO A Democracia Participativa não se reduz a um mero sistema político e social, mas a um modo de ser, agir e pensar que abrange a totalidade da pessoa.

Leia mais

ABORDAGENS METODOLÓGICAS NA ELABORAÇÃO DE PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO

ABORDAGENS METODOLÓGICAS NA ELABORAÇÃO DE PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO ABORDAGENS METODOLÓGICAS NA ELABORAÇÃO DE PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO Eng.ª Gabriela de Toledo, Msc Saneando Projetos de Engenharia e Consultoria Salvador/BA, 17 de Julho de 2015 METODOLOGIA:

Leia mais

UNIAO VITORIOSA PLANO DE GOVERNO SAUDE

UNIAO VITORIOSA PLANO DE GOVERNO SAUDE UNIAO VITORIOSA PLANO DE GOVERNO 2013 2016 SAUDE A saúde publica centra sua ação a partir da ótica do Estado com os interesses que ele representa nas distintas formas de organização social e politica das

Leia mais

A TRANSPORTAR... 40.275,19 98.800,00 81.800,00 18.000,00 18.000,00 18.000,00 193.075,19

A TRANSPORTAR... 40.275,19 98.800,00 81.800,00 18.000,00 18.000,00 18.000,00 193.075,19 PÁGINA : 1 DESPESAS D (PREVISÃO) 1. FUNÇOES GERAIS 132.059,77 470.000,00 470.000,00 157.250,00 107.500,00 62.700,00 929.509,77 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE 93.277,77 410.000,00 410.000,00 147.250,00 97.500,00

Leia mais

União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos

União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos Regulamento Do Serviço Vamos até Si 2014. Regulamento do serviço Vamos Até Si 1 Regulamento do Serviço Vamos até Si Preâmbulo Vamos até si é um serviço

Leia mais

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL Nota Justificativa Considerando que a competitividade da economia concelhia está na primeira linha das preocupações

Leia mais

Assunto. 1 Ata nº 14/2015, da reunião de câmara de 2015/06/17 Aprovação

Assunto. 1 Ata nº 14/2015, da reunião de câmara de 2015/06/17 Aprovação ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL Melros, Freguesia de Alverca do e Sobralinho, pelas 9h30, do dia 2015/07/15 1 Ata nº 14/2015, da reunião de câmara de 2015/06/17 Pág. 1 2 Parque Linear Ribeirinho - Sistema de iluminação

Leia mais

FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL

FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL Ideias Centrais Metodologia de Construção do Programa Quatro instâncias: 1. Fóruns de discussão regionalizados Um coordenador regional; Espaço de discussão permanente; Diálogo

Leia mais

1ªCorrida e Caminhada Solidária

1ªCorrida e Caminhada Solidária 1ªCorrida e Caminhada Solidária Regulamento 1.Numa organização dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede, realiza-se no dia 21 de Junho de 2014, com início às 17.30 horas a 1ª corrida e caminhada solidária.

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013 I. Introdução O ano de 2013 foi um ano marcado por grandes investimentos na Comunidade Terapêutica, por forma a criar condições estruturais que possibilitem a formação e integração

Leia mais

Conselho Local de Ação Social

Conselho Local de Ação Social Conselho Local de Ação Social Índice Introdução... 6 Eixo I - Demografia... 7 Eixo II Educação/Nível de Instrução... 8 Eixo III Economia... 11 Eixo IV Grupos Vulneráveis... 13 Avaliação.26 2 Ficha Técnica

Leia mais

ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL

ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL 1 - FICHAS SOCIAIS (Esta ficha deve ser aplicada para todos os subprojetos e contempla o levantamento e demanda da área social, inclusive os povos tradicionais e demais

Leia mais

Concurso de fotografia Somos todos peões REGULAMENTO 1. ENQUADRAMENTO

Concurso de fotografia Somos todos peões REGULAMENTO 1. ENQUADRAMENTO Concurso de fotografia Somos todos peões REGULAMENTO 1. ENQUADRAMENTO O concurso de fotografia Somos todos peões decorre por ocasião da Segunda Semana Mundial de Segurança Rodoviária, promovida pelas Nações

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Institui o Estatuto da Metrópole, altera a Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Esta Lei, denominada

Leia mais

Acordo de Acionistas. do Grupo CPFL Energia. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. do Grupo CPFL Energia. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. Acordo de Acionistas Política de da Investimento CPFL Energia Social S.A. do Grupo CPFL Energia Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. 1 Sumário 1. Introdução 3 2. Objetivo 4 3. Âmbito

Leia mais

Serviço de Abastecimento de Água e Saneamento de Águas Residuais Urbanas

Serviço de Abastecimento de Água e Saneamento de Águas Residuais Urbanas Serviço de Abastecimento de Água e Saneamento de Águas Residuais Urbanas 379 963 179 801 1 826 A qualidade de prestação de um serviço público de excelência é um imperativo para os SMAS-SINTRA: Um Laboratório

Leia mais

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha)

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha) Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha) Linha de Crédito Bonificada com Garantia Mútua (atualizado a 30 de abril de 2014) UNIÃO EUROPEIA Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Enquadramento

Leia mais

Financiamento e Empreendedorismo Cultural

Financiamento e Empreendedorismo Cultural Financiamento e Empreendedorismo Cultural Instrumentos e Soluções de Investimento Porto, 2 de Julho 2009 Financiamento e Empreendedorismo Cultural 1 Programa Financiamentos ao Sector Cultural Soluções

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATRAÇÃO DE INVESTIMENTO

PLANO MUNICIPAL DE ATRAÇÃO DE INVESTIMENTO PLANO MUNICIPAL DE 1. CONSELHO ESTRATÉGICO ECONÓMICO DE PENAFIEL Criação de um conselho consultivo capaz de agregar agentes económicos do concelho, parceiros estratégicos e personalidades de reconhecido

Leia mais

Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio Formulário de candidatura Boas Práticas

Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio Formulário de candidatura Boas Práticas Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio Formulário de candidatura Boas Práticas 1. Identificação do Candidato 1.1. Nome da pessoa/organização: 1.2. Número de identificação (BI ou CC): de / / ou

Leia mais

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo Atividade Turística Julho de 20 15 de setembro de 20 Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo A hotelaria registou 5,8 milhões de dormidas em julho de 20, valor correspondente a

Leia mais

Ocean Business Week. Cláudia Teixeira de Almeida - BPI. 3de Junho de 2016

Ocean Business Week. Cláudia Teixeira de Almeida - BPI. 3de Junho de 2016 Ocean Business Week Cláudia Teixeira de Almeida - BPI 3de Junho de 2016 PORTUGAL SUBSECTOR MAR, BANCO DE PORTUGAL SÍNTESE DESTAQUES Diversidade de conceitos sobre sectores a incluir Peso no PIB (2013):

Leia mais

1 Ano a Valorizar Coimbra

1 Ano a Valorizar Coimbra PRESIDÊNCIA 1 Ano a Valorizar Coimbra Reivindicação da conclusão/solução para o Metro Mondego CMC avança com a disponibilidade para juntar os SMTUC ao Metro Mondego Reivindicação de remodelação do apeadeiro

Leia mais

(RSCECE e RCCTE) e a posição ocupada por Portugal no ranking do potencial de crescimento do mercado das energias renováveis

(RSCECE e RCCTE) e a posição ocupada por Portugal no ranking do potencial de crescimento do mercado das energias renováveis As metas ambientais fixadas pela União Europeia para 2020 (aumento da eficiência energética e da utilização de energias renováveis em 20%), a recente legislação criada para o sector dos edifícios (RSCECE

Leia mais

2. SEGURIDADE SOCIAL NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

2. SEGURIDADE SOCIAL NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL SEGURIDADE SOCIAL 1. DEFINIÇÃO Conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à Previdência e à Assistência Social

Leia mais

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ALJEZUR

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ALJEZUR ALJEZUR, 4 DE DEZEMBRO DE 7 INTRODUÇÃO Desde a sua criação até aos dias de hoje, a formação interna dos elementos que constituem o Corpo de Bombeiros Voluntários de Aljezur, tem sido uma constante, na

Leia mais

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão IP/07/721 Bruxelas, 30 de Maio de 2007 Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão A política de coesão teve um efeito comprovado

Leia mais

A RELAÇÃO MÉDICO X SUS

A RELAÇÃO MÉDICO X SUS A RELAÇÃO MÉDICO X SUS Condições de trabalho Remuneração Direitos e deveres Dr. Angelo Mário Sarti Alta Mogiana / 2013 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Em 1998,elaboração de Manual: SAÚDE & CIDADANIA - 12 volumes,

Leia mais

PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 2015

PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 2015 PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 2015 11:27 2014/10/27 Grandes Opções do Plano - Func. Plano Pag. 1 PÁGINA : 1 01 RENOVAR O MUNICIPIO 517.058,00 636.758,00 330.000,00 277.500,00 227.500,00 1352058,00

Leia mais

Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15

Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15 2015 Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15 Junta de Freguesia de Fermentelos Índice NOTA JUSTIFICATIVA... 2 CAPÍTULO I... 3 Missão... 3 Artigo 1º... 3 CAPÍTULO II... 3 Objeto... 3 Artigo 2º...

Leia mais

JOVEM AGRICULTOR/JOVEM EMPRESÁRIO RURAL

JOVEM AGRICULTOR/JOVEM EMPRESÁRIO RURAL JOVEM AGRICULTOR/JOVEM EMPRESÁRIO RURAL AJAP Associação dos Jovens Agricultores de Portugal José Firmino B. Cordeiro 21/01/11 Idanha-a-Nova Estrutura Jovens Agricultores / Jovens Empresários Rurais Considerações

Leia mais

Lisboa, Museu de Marinha, 26 de março de 2014

Lisboa, Museu de Marinha, 26 de março de 2014 INTERVENÇÃO DA SECRETÁRIA DE ESTADO ADJUNTA E DA DEFESA NACIONAL BERTA DE MELO CABRAL Apresentação do Programa Praia Saudável Lisboa, Museu de Marinha, 26 de março de 2014 Só serão válidas as palavras

Leia mais

Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 7.0 Auxílio estatal

Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 7.0 Auxílio estatal Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 7.0 Auxílio estatal 2 Ficha 7.0 Auxílio estatal Índice 1 Princípio... 5 2 Definição do conceito de auxílios estatais... 6 3 Quem

Leia mais

1.1.1. 0103/070109 04 2002 142 AQUISICAO E REPARACAO DE OUTRA 100.0 CM 2014/01/01 2014/12/31 9 5.000,00 5.000,00 5.000,00

1.1.1. 0103/070109 04 2002 142 AQUISICAO E REPARACAO DE OUTRA 100.0 CM 2014/01/01 2014/12/31 9 5.000,00 5.000,00 5.000,00 MUNICIPIO SAO DO ANO 2014 PÁGINA : 1 1. Funções gerais 114.600,00 114.600,00 114.600,00 1.1. Serviços gerais de 52.200,00 52.200,00 52.200,00 administração pública 1.1.1. Administracao geral 52.200,00

Leia mais

PLANO BÁSICO DE GOVERNO ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 2013/2016. Coligação UNIÃO, TRABALHO, PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO PT PTB PPS PDT - PT

PLANO BÁSICO DE GOVERNO ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 2013/2016. Coligação UNIÃO, TRABALHO, PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO PT PTB PPS PDT - PT PLANO BÁSICO DE GOVERNO ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 2013/2016 Coligação UNIÃO, TRABALHO, PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO PT PTB PPS PDT - PT APARICIO MENDES DE FIGUEIREDO e ROGÉRIO GARCIA DUTRA, candidatos, respectivamente,

Leia mais

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Programa: 0252 - CAPTAÇÃO E DIFUSÃO DE NOTÍCIAS Objetivo: Divulgar material jornalístico sobre os atos governamentais nos campos social, político, econômico, educativo,

Leia mais

A EDUCAÇÃO PARA O RISCO NA CIDADE DE LISBOA

A EDUCAÇÃO PARA O RISCO NA CIDADE DE LISBOA A EDUCAÇÃO PARA O RISCO NA CIDADE DE LISBOA CORONEL JOAQUIM LEITÃO DIRECÇÃO MUNICIPAL DE PROTECÇÃO CIVIL E SOCORRO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS A EDUCAÇÃO PARA O RISCO NA CIDADE DE LISBOA RISCOS NA

Leia mais

Avanços do TPE Setembro 2006 / Maio 2007

Avanços do TPE Setembro 2006 / Maio 2007 Avanços do TPE Setembro 2006 / Maio 2007 Já sabemos que... Educação de qualidade para todos promove: Já sabemos que... Educação de qualidade para todos promove: Crescimento econômico Já sabemos que...

Leia mais

Gabinete de Empreendedorismo do Município de Albufeira

Gabinete de Empreendedorismo do Município de Albufeira Gabinete de Empreendedorismo do Município de Albufeira O Apoio às Empresas: Criação do CAE Centro de Acolhimento Empresarial Paulo Dias AGE Município de Albufeira AGE Gabinete de Empreendedorismo Nasceu

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO DO IFRN INCUBADORA TECNOLÓGICA NATAL CENTRAL

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO DO IFRN INCUBADORA TECNOLÓGICA NATAL CENTRAL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO DO IFRN INCUBADORA TECNOLÓGICA NATAL CENTRAL EDITAL Nº 01/2016 - SELEÇÃO DE IDEIAS EMPREENDEDORAS PARA PRÉ-INCUBAÇÃO EM HOTEL DE PROJETOS A direção-geral do Campus Natal

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DA APAE DE UBERLÂNDIA APAE 2008

PLANO ESTRATÉGICO DA APAE DE UBERLÂNDIA APAE 2008 PLANO ESTRATÉGICO DA APAE DE UBERLÂNDIA APAE 2008 1. NEGÓCIO Inclusão Social 2. MISSÃO Promover a inclusão social, desenvolvendo os potenciais de pessoas com deficiência mental ou múltipla. Através de

Leia mais

Introdução. Évora, 18 de outubro de 2014. A Direção da Associação

Introdução. Évora, 18 de outubro de 2014. A Direção da Associação Introdução A dos Amigos da Ludoteca, em parceria com a Câmara Municipal de Évora na promoção dos Direitos da Criança e da Família, pretende desenvolver em 2015 um Plano de Atividades que promova o Direito

Leia mais

PLANOS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - PAS

PLANOS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - PAS Universidade do Sul de Santa Catarina UNISUL Especialização em Gestão Social de Políticas Públicas PLANOS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - PAS Janice Merigo Docente UNISUL Assistente Social FECAM social@fecam.org.br

Leia mais

1 Sobre os aspectos legais da abrangência da Lei 20.817 de 29/07/2013

1 Sobre os aspectos legais da abrangência da Lei 20.817 de 29/07/2013 Ofício Circular nº 252/2013 Assunto: Abrangência da Lei 20.817/2013 matrícula de aluno no 1º ano do Ensino Fundamental Setor: Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica Belo Horizonte, 21 de Outubro

Leia mais

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada AVENIDA RIO DE JANEIRO, 38, 3º ESQ. Localidade LISBOA. Freguesia ALVALADE

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada AVENIDA RIO DE JANEIRO, 38, 3º ESQ. Localidade LISBOA. Freguesia ALVALADE Válido até 15/10/2024 IDENTIFICAÇÃO POSTAL Morada AVENIDA RIO DE JANEIRO, 38, 3º ESQ. Localidade LISBOA Freguesia ALVALADE Concelho LISBOA GPS 38.754048, -9.138450 IDENTIFICAÇÃO PREDIAL/FISCAL Conservatória

Leia mais

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada RUA CONDE SABUGOSA, 27, 7º ESQ. Localidade LISBOA. Freguesia ALVALADE

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada RUA CONDE SABUGOSA, 27, 7º ESQ. Localidade LISBOA. Freguesia ALVALADE Válido até 15/10/2024 IDENTIFICAÇÃO POSTAL Morada RUA CONDE SABUGOSA, 27, 7º ESQ. Localidade LISBOA Freguesia ALVALADE Concelho LISBOA GPS 38.748515, -9.140355 IDENTIFICAÇÃO PREDIAL/FISCAL Conservatória

Leia mais

Carta Circular n.º 6/2016/DES 2016/02/04

Carta Circular n.º 6/2016/DES 2016/02/04 Carta Circular n.º 6/2016/DES 2016/02/04 Assunto: Informação sobre colaterais e rendimento do mutuário associados aos contratos de crédito à habitação e crédito conexo a 31 de dezembro No âmbito das funções

Leia mais

PROGRAMA RAIDES DE ENDURANCE 2016

PROGRAMA RAIDES DE ENDURANCE 2016 PROGRAMA RAIDES DE ENDURANCE 2016 Categoria da Prova: CAMPEONATO NACIONAL DE SENIORES OPEN Local: FRONTEIRA Data: 22,23,24 de Abril de 2016 REGULAMENTOS GERAIS Este evento decorrerá de acordo com os seguintes

Leia mais

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa Propostas 2013 2016 As propostas do candidato a Prefeito Dr. Marcos têm como meta principal o bem estar do povo de Pacoti, assim como seu desenvolvimento social e financeiro. Este plano de governo é resultado

Leia mais

PARECER Nº, DE 2015. Relator: Senador PAULO PAIM I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2015. Relator: Senador PAULO PAIM I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 650, de 2011, do Senador Humberto Costa, que altera o parágrafo

Leia mais