Acordos Internacionais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Acordos Internacionais"

Transcrição

1 Acordos Internacionais África do Sul Acordo de Cooperação entre a República Portuguesa e a República da África do Sul no Domínio Policial (Pretória, 22 de abril de 2002). Aprovado pelo Decreto n.º 23/02, DR I-A, n.º 157, de 10 de julho de Entrada em vigor a 27 de agosto de 2002, Aviso n.º 84/02, DR I-A, n.º 221, de 24 de setembro de 2002 Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República da África do Sul sobre Supressão de Vistos em Passaportes Diplomáticos, de Serviço e Especiais (Lisboa, 13 de outubro de 1998). Aprovado pelo Decreto n.º 14/99, DR I-A, n.º 111, de 13 de maio de 1999 Alemanha Acordo, por troca de notas, entre Portugal e a Alemanha, para a Abolição Recíproca de Vistos em Passaportes (Lisboa, 31 de janeiro de 1955) DG 1ª S, nº 31 de 9 de fevereiro de 1955 Acordo sobre Vistos em Passaportes (8 de Julho de 1957) Andorra Convénio entre a República Portuguesa e o Principado de Andorra relativo à Entrada, Circulação, Estadia e Estabelecimento dos seus Nacionais (Lisboa, 23 de julho de 2007). Aprovado pela RAR n.º 28/2008, Ratificado pelo Decreto n.º 45/2008, DR I, n.º 139, de 21 de julho de 2008 Acordo entre a República Portuguesa e o Principado de Andorra de Reconhecimento Mútuo e Homologação das cartas de condução (Andorra la Vella, 27 de Julho de 2007). Aprovado pelo Decreto nº 47/2008 de 17 de outubro, DR. I.-A, nº202, de 17 de outubro de Entrada em vigor em 13 de dezembro de 2008, Aviso nº 232/2008, D.R. I-A, nº 240, de 12 de dezembro de Angola Reconhecimento de Títulos de Condução da República de Angola. Despacho n.º /07, DR II Série, n.º 118, de 21 de junho de Entra em vigor após a assinatura do despacho Acordo Bilateral de Cooperação entre a República Portuguesa e a República de Angola no domínio do Combate ao Tráfico Ilícito de Estupefacientes, Substâncias Psicotrópicas e Criminalidade Conexa 1

2 (Luanda, 30 de agosto de 1995). Aprovado pela RAR n.º 8/97, Ratificado pelo Decreto n.º 8/97, DR I-A, n.º 50, de 28 de fevereiro de 1997 Acordo entre a República Portuguesa e a República de Angola sobre Supressão de Vistos em Passaportes Diplomáticos, de Serviço e Especiais (Luanda, 5 de agosto de 1996). Aprovado pelo Decreto n.º 15/97, DR I-A, n.º 80, de 5 de abril de 1997 Acordo especial de Cooperação em matéria de Segurança Interna entre a República de Angola e a República Portuguesa (Luanda, 12 de julho de 1995). Aprovado pelo Decreto n.º 25/97, DR I-A, n.º 125 de 31 de maio de 1999 Arábia Saudita Acordo Geral de Cooperação entre a República Portuguesa e o Reino da Arábia Saudita (Riade, 25 de abril de 2006). Aprovado pelo Decreto n.º 9/08, DR I-A, n.º 97, de 20 de maio de Entrada em vigor em 09 de Setembro de 2008, Aviso nº 184/2008, D.R. I-A, nº 171, de 04 de Setembro de Argélia Tratado de Amizade, Boa Vizinhança e Cooperação entre a República Portuguesa e a República Democrática da Argélia (Argel, 8 de janeiro de 2007). Aprovado pela RAR n.º 14/06, Ratificado pelo Decreto n.º 13/06, DR I-A, n.º 37, de 21 de fevereiro de de março de Aviso n.º 483/06, DR I-A, n.º 51, de 13 de março de Entrada em vigor em 24 de Março de 2006, Aviso n.º 483/06, DR I- A, n.º 51, de 13 de Março de 2006 Acordo entre a República Portuguesa e a República Democrática e Popular da Argélia sobre Supressão de Vistos para Titulares de Passaportes Diplomáticos, Especiais e de Serviço (Argel, 22 de janeiro de 2007). Aprovado pelo Decreto n.º 12/2008, DR I-A, n.º 109, de 30 de abril de Já foram trocadas as respectivas notas diplomáticas a 21 de março e 9 de abril de Entrada em vigor em 13 de Março de 2008, Aviso nº 3/2009, D.R. I-A, nº 23, de 03 de Fevereiro de Argentina Convénio sobre Prevenção do Uso Indevido e Repressão do Tráfico Ilícito de Estupefacientes e de Substâncias Psicotrópicas entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República da Argentina (Buenos Aires, 21 de julho de 1997). Aprovado pelo Decreto n.º 66/97, DR I-A, n.º 300, de 30 de dezembro de de agosto de Aviso 75/01, DR I-A, n.º 178, de 2 de agosto de Entrada em vigor a 4 de Agosto de Aviso 75/01, DR I-A, n.º 178, de 2 de Agosto de

3 Acordo, por troca de notas, de Supressão de Vistos em Passaportes Ordinários (Buenos Aires, 30 de outubro de 1997). Aviso publicado no DR I-A n.º 26 de 31 de janeiro de (Este acordo não produz efeitos, uma vez que os cidadãos argentinos estão isentos de vistos nos termos do Regulamento 539/2011) Acordo, por troca de notas, entre o MNE da República da Argentina e a Embaixada de Portugal de Buenos Aires, sobre Supressão de Vistos nos Passaportes Diplomáticos Oficiais e de Serviços Argentinos e nos Passaportes Diplomáticos Oficiais Portugueses (Buenos Aires, 29 de janeiro de 1971), Aviso publicado no DR I-A, n.º 62 de 15 de março de 1971 Austrália Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da Austrália relativo à Entrada e Permanência para Estadas de Curta Duração de Cidadãos Portugueses na Austrália e de Cidadãos Australianos na República Portuguesa (Camberra, 6 de junho de 2001). Aprovado pelo Decreto n.º 8/02, DR I-A, n.º 75, de 30 de março de 2002 Áustria Acordo, Por troca de notas, entre a Áustria e Portugal sobre Supressão Recíproca de Vistos em Passaportes (Lisboa, 14 de dezembro de 1954), Diário do Governo I - S., n.º 289 de 28 de dezembro de de janeiro de 1955 (Ponto 8 do Acordo) Acordo, por troca de notas, entre a Embaixada da Áustria e o MNE de Portugal, que modifica os nºs 1, 2 e 3 do Acordo de 14 de dezembro de 1954, sobre Supressão Recíproca de Vistos (Lisboa, 10 de dezembro de 1981) - Aviso publicado no DR I - S, n.º 4 de 6 de Janeiro de 1982 Bélgica Acordo, por troca de notas, entre a Embaixada da Bélgica em Portugal, e o MNE sobre a Abolição Recíproca de Taxas Consulares exigidas para vistos em passaportes de Súbditos Belgas ou nacionais Portugueses que se dirijam, respectivamente, para Portugal ou para a Bélgica (Lisboa, 31 de maio de 1965). Diário do Governo I - S n.º 145 de 2 de julho de 1965 Acordo entre o Governo Português e o Governo Belga para a Supressão de Vistos em Passaportes Diplomáticos Especiais e Comuns 27 de fevereiro de 1957 Bermudas Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo das Bermudas relativo às Condições Gerais de Emprego e Residência dos Trabalhadores Portugueses Contratados nas Bermudas (Hamilton, 10 de dezembro de 1982). Aprovado pelo Decreto n.º 11/84, DR I-A, n.º 56, de 7 de março de

4 Bolívia Acordo entre a Republica Portuguesa e o Estado Plurinacional da Bolivia sobre supressão de vistos para titulares de passaportes diplomáticos, oficiais, de serviço e especiais. (La Paz, 29 de Março de 2010). Aprovado pelo Decreto nº 12/2011 de 2 de Maio de 2011, publicado no DR Serie I nº 82. (O acordo entrou em vigor no dia 19 de Julho de 2011) Brasil Acordo de Cooperação entre a República Portuguesa e a Republica Federativa do Brasil para a Prevenção e a Repressão do Tráfico Ilícito de Migrantes (Lisboa, 11 de julho de 2003). Aprovado pelo Decreto n.º 42/03, DR I-A, n.º 218, de 20 de setembro de Entrada em vigor a 3 de Outubro de Aviso n.º 183/04, DR I-A, n.º 282, de 2 de dezembro de Rectificado pelo Aviso n.º 24/05, DR I-A, n.º 20, de 28 de janeiro de 2005 Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República Federativa do Brasil sobre Facilitação de Circulação de Pessoas (Lisboa, 11 de julho de 2003). Aprovado pelo Decreto n.º 43/03, DR I-A, n.º 221, de 24 de setembro de 2003 Acordo entre o Governo da Republica Portuguesa e o Governo da Republica Federativa do Brasil sobre Contratação Recíproca de Nacionais (Lisboa, 11 de julho de 2003). Aprovado pelo Decreto n.º 40/03, DR I-A, n.º 217, de 19 de setembro de Entrada em vigor a 22 de outubro de 2003, Aviso n.º 206/03, DR I-A, n.º 230, de 4 de outubro Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República Federativa do Brasil sobre o Exercício de Actividades Remuneradas por parte de Dependentes do Pessoal Diplomático, Consular, Administrativo, Técnico e de Apoio ao Serviço (Brasília, 5 de setembro de 2001). Aprovado pelo Decreto n.º 30/02, DR I-A, n.º 209, de 10 de setembro de Entrada em vigor a 29 de novembro de 200, Aviso n.º 134/07, DR I-A, n.º 70, de 10 de abril de 2007 Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta entre a República Portuguesa e a República Federativa do Brasil (Porto Seguro, 22 de abril de 2000). Aprovado pela RAR n.º 83/00 -DR I-A, n.º 287 de 14 de dezembro de 2000,Decreto n.º 79/00, DR I-A, n.º 287 de 14 de Dezembro de Ratificação do artº 9º pelo Decreto n.º 41/02 DR I-A, n.º 302 de 31 de dezembro de Entrada em vigor a 5 de setembro de 2001, Aviso n.º 95-A/01,DR I-A n.º 205 de 4 de setembro de 2001 (Regulamentado pelo Decreto-Lei n.º 154/03 DR I-A n.º 161 de 15 de julho -Regulamenta a aplicação do tratado no que respeita ao regime processual de atribuição e registo do estatuto de igualdade aos cidadãos brasileiros residentes em Portugal e aos cidadãos portugueses residentes no Brasil) Protocolo Adicional ao Acordo de Cooperação Consular entre a República Portuguesa e a Republica Federativa do Brasil para a Protecção e Assistência Consular aos seus Nacionais em Terceiros Países (Lisboa, 17 abril de 1999). Aprovado pelo Decreto n.º 37/99 -DR I-A, n.º 227, de 28 de setembro de

5 Acordo de Cooperação Consular entre a República Portuguesa e a República Federativa do Brasil para a Protecção e Assistência Consular dos Seus Nacionais em Terceiros Países (Lisboa, 20 de julho de 1995). Aprovado pelo Decreto n.º 3/96 -DR I-A n.º 91, de 17 de abril de Entrada em vigor a 3 de julho de 1997, Aviso n.º 232/97, DR I-A, n.º 172, de 28 de julho Acordo de Cooperação entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República Federativa do Brasil para a Redução da Procura, Combate de Produção e Repressão ao Tráfico Ilícito de Drogas e Substâncias Psicotrópicas (Brasília, 7 de maio de 1991). Aprovado pelo Decreto n.º 4/92 -DR I-A, n.º 18, de 22 de janeiro de Entrada em vigor a 17 de junho de 1995, Aviso n.º 139/95, DR I-A, n.º 141, de 26 de abril de 1995 Bulgária Acordo entre Portugal e a Bulgária sobre Readmissão de Pessoas em Situação Irregular (Sófia, 20 de outubro de 1997). Decreto n.º 6/98, DR I-A, n.º 41 de 18 de Fevereiro de Entrada em vigor a 20 de Fevereiro de 1998 (Artº 16º-1) Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República da Bulgária sobre a Supressão de Vistos a Titulares de Passaportes Diplomáticos (Sófia, 20 de outubro de 1997). Decreto n.º 7/98, DR I-A n.º 41 de 18 de Fevereiro de 1998 Acordo entre Portugal e a Bulgária sobre Contratação Recíproca dos Respectivos Nacionais e respectivo Protocolo (Sófia, 26 de setembro de 2002). Decreto n.º 23/03 de 14 de Agosto de 2003, DR I-A, n.º 114, de 17 de Maio de Entrada em vigor a 12 de julho de Aviso nº 191/03, DR I-A n.º 187 Cabo Verde Acordo entre a República Portuguesa e a República de Cabo Verde para Reconhecimento de Títulos de Condução (Praia, 29 de março de 2007). Aprovado pelo Decreto n.º 10/07 - DR I-A, n.º 108 de 5 de Junho de 2007 Entrada em vigor a 12 de agosto de Em 11 de Junho e em 11 de julho de 2007 foram emitidas notas em que se comunica terem sido cumpridas as respectivas formalidades internas, Aviso n.º 41/2008 DRI-A, n.º 44 de 3 de Março de 2008 Protocolo de Cooperação entre o MAI de Portugal e o Ministério da Defesa de Cabo Verde em matéria de Proteção Civil (Praia, 11 de junho de 1998). Protocolo sobre Imigração Temporária de Trabalhadores Cabo-Verdianos para Prestação de Trabalho em Portugal (Praia, 18 de fevereiro de 1997). Aprovado pelo Decreto n.º 60/97 - DR I-A, n.º 268, de 19 de Novembro de Entrada em vigor a 22 de dezembro de 1997 Troca de notas. Aviso n.º II Série de 17 de outubro de 1998 Protocolo de Cooperação no Domínio Eleitoral entre a República Portuguesa e a República de Cabo Verde (Lisboa, 18 de julho de 1995). Aprovado pelo Decreto n.º 22/96 - DR I-A, n.º 155, de 12 agosto de

6 Acordo de Cooperação Técnica no domínio da Polícia entre a República Portuguesa e a República de Cabo Verde (Mindelo, 13 de junho de 1988). Aprovado pelo Decreto n.º 35/90 - DR I-A n.º 183, de 9 de agosto de Entrada em vigor a 27 de agosto de 1990 Aviso publicado no DR n.º 262, de 13 de novembro de 1990 Acordo Geral sobre Migrações entre Portugal e Cabo Verde (Lisboa, 16 de fevereiro de 1976). Aprovado pelo Decreto-Lei n.º 524/G/76 - DR I-A, n.º 155, de 5 de julho de Entrada em vigor a 5 de novembro de 1976 Aviso publicado no DR I-A, n.º 283 de 4 de dezembro de 1976 Canadá Acordo sobre a Repatriação de Cidadãos Nacionais entre o Governo da República Portuguesa e o Governo do Canadá (Lisboa, 5 de setembro de 2000). Aprovado pelo Decreto n.º 10/01 - DR I-A, n.º 39, de 15 de fevereiro de Entrada em vigor a 5 de setembro de Entrou em vigor aquando da assinatura por ambas as partes (n.º 7 do Acordo) Acordo, por troca de notas, assinadas em Lisboa a 2 de dezembro de 1998 e 7 de janeiro de 1999, entre República Portuguesa e o Canadá sobre o Acesso a Actividades Remuneradas para Familiares Dependentes de Funcionários Diplomáticos, Consulares, Administrativos e Técnicos das Embaixadas, Missões e Postos Consulares Portugueses e Canadianos (Lisboa, 7 de janeiro de 1999). Aprovado pelo Decreto n.º 32/99 - DR I-A, n.º 197 de 24 de agosto de Entrada em vigor a 6 de setembro de 1999 Aviso n.º 144 DR I-A n.º 239 de 13 de outubro de 1999 Cazaquistão Acordo, entre República Portuguesa e a República do Cazaquistão, sobre Supressão de Vistos para Titulares de Passaportes Diplomáticos (Astana, 26 de julho de 2010). Aprovado pelo Decreto n.º 1/2013, de 30 de janeiro, publicado em DR 1ª série, n.º 21, de 30 de janeiro de Entrada em vigor no dia 8 de março, aquando do cumprimento das formalidades estabelecidas no art.º 11º do Acordo. Chile Acordo, por troca de notas, entre a República Portuguesa e a República do Chile para que os Familiares Dependentes dos Funcionários Diplomáticos, Consulares, Administrativos e Técnicos das Missões Diplomáticas e Consulares Portuguesas e Chilenas possam Desenvolver Trabalhos Remunerados no Regime de Reciprocidade (Lisboa, 21 de junho de 1995). Aprovado pelo Decreto n.º 22/97 - DR I-A n.º 111, de 14 de maio de Entrada em vigor a 18 de dezembro de 1997 Aviso n.º 45/98, DR I-A n.º 41, de 18 de Ffvereiro de 1998 Acordo, por troca de notas, entre a Embaixada da República do Chile em Lisboa e o MNE de Portugal sobre Abolição Recíproca de Vistos Consulares em Passaportes (Lisboa, 7 de maio de 1970). Entrada em vigor no Aviso publicado no DR n.º 127, 1º suplemento, de 1 de Junho de 1970 (Este acordo não tens efeitos porque os cidadãos chilenos estão isentos de visto nos termos do Regulamento CE 539/2011) 6

7 Colômbia Acordo de Supressão Mútua de Vistos pata Titulares de Passaportes Diplomáticos, Oficiais e Especiais, assinada a 2 de novembro de 2011, e aprovado por Decreto n.º 27/2012 de 16 de novembro, publicado em DR, 1ª série, n.º 222, de 16 de novembro de Entrada em vigor a 16 de fevereiro de 2013, conforme Decreto n.º 27/2012, de 16 de novembro, publicado em DR, 1ª série, n.º 222, de 16 de novembro de República Popular do Congo Acordo Geral de Cooperação entre a República Portuguesa e a República Popular do Congo (Brazzaville, 17 de Março de 1984). Aprovado pelo Decreto n.º 53/89, DR I-A n.º 258, de 9 de Novembro de 1989 Chipre Acordo, por troca de notas, entre Portugal e o Chipre, Relativo à Supressão de Vistos (Paris, 17 de Junho de 1992). Aprovado pela RAR n.º 42/94. Ratificado pelo Decreto n.º 57/94, DR I-A, n.º 167, de 21 de Julho de 1994 Croácia Acordo, por troca de notas, entre a República Portuguesa e a República da Croácia, sobre Supressão de Vistos (Lisboa, 15 de Julho de 1994). Aprovado pela RAR n.º 18/95. Ratificado pelo Decreto n.º 46/95, DR I-A, n.º 81, de 5 de Abril de 1995 Cuba Acordo entre a República Portuguesa e a República de Cuba sobre Cooperação na Prevenção do Uso Indevido e Repressão do Tráfico Ilícito de Estupefacientes e Substâncias Psicotrópicas (Havana, 08 de Julho de 1998). Aprovado pelo Decreto n.º 41/98, DR I-A, n.º 260 de 10 de Novembro de Entrada em vigor a 19 de Maio de 1999, DR I-A, Aviso Nº 102/99 de 20 Julho de 1999 CPLP Acordo sobre Concessão de Vistos de Múltiplas Entradas para determinadas categorias de pessoas da CPLP (Brasília, 30 de Julho de 2002). Aprovado pelo Decreto n.º 34/03 - DR I-A n.º 174, 30 de Julho de Entrada em vigor a 1 de Outubro de 2003, Aviso n.º 34/04, DR I-A n.º 85, 10 de Abril de 2004 Acordo sobre Isenção de Taxas e Emolumentos devidos à Emissão e Renovação de Autorização de Residência para os Cidadãos da CPLP (Brasília, 30 de Julho de 2002). Aprovado pelo Decreto n.º 37/03, DR I-A n.º 174, 30 de Julho de Entrada em vigor a 1 de Outubro de 2003, Aviso n.º 35/04, DR I-A n.º 85, 10 de Abril de

8 Acordo sobre Estabelecimento de Requisitos Comuns Máximos para Instrução de Processos de Vistos de Curta Duração entre os Estados-membros da CPLP (Brasília, 30 de Julho de 2002). Aprovado pelo n.º Decreto 35/03, DR I-A n.º 174, 30 de Julho de Entrada em vigor a 1 de Outubro de 2003, Aviso n.º 36/04, DR I-A n.º 85, 10 de Abril de 2004 Acordo sobre Estabelecimento de Balcões Específicos nos Postos de Entrada e Saída para o Atendimento de Cidadãos da CPLP (Brasília, 30 de Julho de 2002). Aprovado pelo n.º Decreto 33/03, DR I-A n.º 174, 30 de Julho de Entrada em vigor a 1 de Outubro de 2003, Aviso n.º 37/04, DR I-A n.º 85, 10 de Abril de 2004 Acordo sobre Supressão de Vistos em Passaportes Diplomáticos, Especiais e de Serviço, entre os Governos dos Países Membros da CPLP (Maputo, 17 de Julho de 2000). Aprovado pelo Decreto n.º 8/01, DR I-A n.º 31, 06 de Fevereiro de 2001 Acordo sobre Concessão de Visto Temporário para o Tratamento Médico a Cidadãos da CPLP entre os Estados membros da CPLP (Brasília, 30 de Julho de 2002). Aprovado pelo Decreto 32/03, DR I-A n.º 174, 30 de Julho de Entrada em vigor a 1 de Outubro de 2003, Aviso n.º 40/04, DR I-A n.º 85, 10 de Abril de 2004 Protocolo de Cooperação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa dos Países de Língua Portuguesa no Domínio da Defesa, assinado na Cidade da Praia em 15 de Setembro de 2006, aprovado pela Resolução da Assembleia da Republica n.º 90/2013, em 3 de maio de 2013; e ratificado por Decreto do Presidente da Republica n.º 73/2013 de 1 de julho Colômbia Acordo entre a República Portuguesa e a República da Colômbia sobre Supressão Mútua de Vistos para Titulares de Passaportes Diplomáticos, Oficiais e Especiais, assinado a 2 de novembro de 2011, e aprovado por Decreto n.º 27/2012 de 16 de novembro, publicado em DR, 1ª série, n.º 222, de 16 de novembro de Entrada em vigor a 16 de fevereiro de 2013, conforme Decreto n.º 27/2012, de 16 de novembro, publicado em DR, 1ª série, n.º 222, de 16 de novembro de 2012 Dinamarca Acordo relativo à supressão de vistos entre a Dinamarca e Portugal (20 de Dezembro de 1954) Acordo, por troca de notas, entre Portugal e a Dinamarca, que modifica o parágrafo 3 do Acordo entre os dois países de 20 de Dezembro de 1954, sobre Supressão Recíproca de Vistos (Lisboa, 12 de Junho de 1980). Aviso DR IS, nº 151 de 3 de Julho de Entrada em vigor a 1 de Julho de 1980 (Ponto 3) DR, IS nº 151 de 3 de Julho de 1980 El Salvador 8

9 Acordo entre a República Portuguesa e a República de El Salvador sobre Supressão de Vistos em Passaportes Diplomáticos, Oficiais e Especiais (Madrid, 17 de Maio de 2002). Aprovado pelo Decreto n.º 1/03, DR I-A n.º 15, de 18 de Janeiro de Entrada em vigor a 3 de Abril de 2003, Aviso n.º 169/03DR I-A, n.º 132 de 7 de Junho de 2003 Acordo entre a República Portuguesa e a República de El Salvador sobre Supressão de Vistos em Passaportes Comuns e Ordinários (Madrid, 17 de Maio de 2002). Aprovado pelo Decreto n.º 2/03, DR I-A n.º 15 de 18 de Janeiro de Entrada em vigor a 3 de Abril de 2003,Aviso n.º 170/03DR I-A, n.º 132 de 7 de Junho de 2003 Emirados Árabes Unidos Acordo entre a República Portuguesa e os Emirados Árabes Unidos sobre Supressão de Vistos para Titulares de Passaportes Diplomáticos (Abu Dhabi, 8 de Abril de 2008). Aprovado pelo Decreto nº 4/2011, DR I-A, nº 38, de 23 de Fevereiro. Entrada em vigor a 26 de Março de 2011, Aviso de Troca de Notas nº 38/2011, DR I-A, nº 59, de 24 de Março de Eslováquia Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República Eslovaca sobre Supressão de Vistos (Lisboa, 7 de Abril de 1999). Decreto n.º 46/99, DR I-A, n.º 258 de 5 de Novembro de 1999 Eslovénia Acordo de Supressão de Vistos entre a República Portuguesa e a República da Eslovénia (Lisboa, 20 de Abril de 1994). Aprovado pela RAR n.º 4/95. Ratificado pelo Decreto n.º 8/95, DR, I-A n.º 18 de 21 de Janeiro de 1995 Espanha Acordo entre Portugal e a Espanha sobre Cooperação Transfronteiriça em Matéria Policial e Aduaneira (Évora, 19 de Novembro de 2005). Decreto n.º 13/ DR I - S, n.º 134 de 13 de Julho de Entrada em vigor a 27 de Janeiro de Aviso n.º 48 - DR I-A, n.º 86 de 5 de Maio de 2008 Acordo Técnico em Matéria de Reconhecimento Recíproco de Autorizações Especiais de Trânsito para Veículos que Excedam as Massas ou Dimensões Máximas Estabelecidas nas Regulamentações Nacionais e na Directiva 96/53/CE, em Virtude das suas Características Técnicas ou da Carga Indivisível que Transportam (Évora, 19 de Novembro de 2005). Decreto n.º 12/ DR I - S, nº 131 de 10 de Julho de Entrada em vigor a 2 de Julho de 1993 Aviso n.º 228/93 DR I - S, n.º 259 de 5 de Novembro de 1993 Convenção entre Portugal e Espanha sobre Cooperação Transfronteiriça entre Instâncias e Entidades Territoriais (Valência, 3 de Outubro de 2002). Aprovado pela RAR n.º 13/2003. Ratificado pelo Decreto 9

10 nº 11/ DR I-A, n.º 51 de 1 de Março de Entrada em vigor a 30 de Janeiro de 2004 Aviso n.º 200 DR I-A, n.º 193, de 22 de Agosto de 2003 Tratado entre a República Portuguesa e o Reino de Espanha para a Repressão do Tráfico Ilícito de Droga por Mar (Lisboa, 2 de Março de 1998). Aprovado pela RAR n.º 9/2000. Ratificado pelo Decreto n.º 2/ DR I-A, n.º 23, de 28 de Janeiro de Entrada em vigor a 21 de Janeiro de 2001 Aviso n.º 32/01 DR I-A, n.º 85 de 10 de Abril de 2001 Acordo entre a República Portuguesa e o Reino de Espanha em matéria de Perseguição Transfronteiriça (Albufeira, 30 de Novembro de 1998). Decreto n.º 48/99 - DR I-A, n.º 261 de 9 de Novembro de Entrada em vigor a 26 de Março de Aviso n.º 101/02 - DR I-A, n.º 270 de 22 de Novembro de 2002 Protocolo sobre Cooperação Técnica e Assistência Mútua em matéria de Protecção Civil entre Portugal e Espanha (Évora, 9 de Março de 1992). Decreto n.º 49/92 - DR I-A, n.º 291, de 18 de Dezembro de Entrada em vigor a 2 de Julho de DR I-A, n.º 259 de 5 de Novembro de 1993 Protocolo Adicional sobre Ajuda Mútua em caso de Incêndios Florestais nas Zonas Fronteiriças, adoptado nos termos do artigo 8º do Protocolo entre a República Portuguesa e o Reino de Espanha sobre Cooperação Técnica e Assistência Mútua em matéria de Protecção Civil (Figueira da Foz, 8 de Novembro de 2003). Convenção entre a República Portuguesa e o Reino de Espanha sobre Cooperação Transfronteiriça entre Instâncias e Entidades Territoriais (Valência, 3 de Outubro de 2002). Aprovada pela RAR n.º13/2003. Ratificada pelo Decreto n.º 11/ DR I-A, n.º 51 de 1 de Março de Entrada em vigor a 30 de Janeiro de 2004 Aviso n.º 200 DR I-A, n.º 193, de 22 de Agosto de 2003 Tratado de Amizade e não Agressão entre Portugal e Espanha - 17 de Março de Entrou em vigor em 30 de Março de 1939 Protocolo Adicional ao Tratado de Amizade e não Agressão entre Portugal e Espanha (29 de Julho de 1940). Entra em vigor na data da assinatura (texto da nota) Segundo Protocolo Adicional ao Tratado de Amizade e não Agressão entre Portugal e Espanha (20 de Setembro de 1948). Os governos Português e Espanhol acordam e por este Protocolo se obrigam a considerar válido por novo período de 10 anos a contar de 30 de Março de 1949, o tratado e o Protocolo (Texto da nota) Terceiro Protocolo Adicional ao Tratado de Amizade e não Agressão entre Portugal e Espanha (Madrid, 22 de Maio de 1970). Aviso DG 1ª S, n.º 146 de 25 de Junho de Este Protocolo assim como os dois anteriores, fica igualmente anexo ao tratado de Amizade e não Agressão, de que se considera parte integrante, e não necessita de ratificação (penúltimo parágrafo do Documento A) Tratado de Amizade e Cooperação entre Portugal e Espanha (Madrid, 22 de Novembro de 1977). Aprovado pela RAR n.º 59-A/78 - DR I-A, n.º 98 1º Suplemento de 28 de Abril de 1978, Artigo 11º do Tratado, DR n.º 134, 1ª S de 14 de Junho de

11 Criação de Postos Mistos de Fronteira (Madrid, 19 de Novembro de 1997). Decreto n.º 5/98 - DR n.º 40 I-A, de 17 de Fevereiro de Entrada em vigor a 13 de Agosto de 1998, Aviso n.º 251/98 DR I-A, n.º 264 de 14 de Novembro de 1984 Acordo Luso-Espanhol sobre Controlos Móveis (Lisboa, 17 de Janeiro de 1994). Entrada em vigor a 20 de Janeiro de 1994 Acordo entre Portugal e Espanha relativo à Readmissão de Pessoas em Situação Irregular (Granada, 15 de Fevereiro de 1993). Aprovado pela RAR n.º 61/94. Ratificado pelo Decreto n.º 65/95 - DR I-A, n.º 249, de 27 de Outubro de Entrada em vigor a 12 de Abril de 1995, Aviso n.º 103, DR I-A, n.º 114 de 17 de Maio de 1995 Protocolo de Cooperação sobre Fiscalização das áreas Fronteiriças entre Portugal e Espanha (Évora, 9 de Março de 1992). Decreto n.º 6/93 - DR I-A, n.º 48 de 26 de Fevereiro de 1993 Protocolo de cooperação no domínio da Segurança Rodoviária entre Portugal e Espanha (Évora, 9 de Março de 1992). Decreto n.º 50/92 - DR I-A, n.º 296 de 24 de Dezembro de 1992 Protocolo sobre Cooperação Técnica e Assistência Mútua em matéria de Protecção Civil entre Portugal e Espanha (Évora, 9 de Março de 1992). Decreto n.º 49/92 - DR I-A, n.º 291 de 18 de Dezembro de Entrada em vigor a 2 de Julho de 1993.Aviso n.º 228/93, DR I-A, n.º 259 de 5 de Novembro de 1993 Protocolo de acordo sobre Cooperação Policial entre Portugal e Espanha (Évora, 9 de Março de 1992). Decreto n.º 48/92 - DR I-A, n.º 286 de 12 de Dezembro de 1992 Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo do Reino de Espanha sobre cooperação em Matéria de Luta Contra a Droga (Lisboa, 27 de Janeiro de 1987). Decreto n.º 22/87 - DR IS, n.º 143 de 25 de Junho de 1987 Convenção relativa à Justaposição de Controles e ao Tráfego Fronteiriço entre Portugal e Espanha (Madrid, 7 de Maio de 1981). Decreto n.º 97/81 - DR I-A, n.º 168 de 24 de Julho de Entrada em vigor a 6 de Maio de DR I - S, n.º 103 de 6 de Maio de 1987 Convenção de Assistência Mútua entre os Serviços contra Incêndios e de Socorro Portugueses e Espanhóis (Lisboa, 31 de Março de 1980). Decreto n.º 60/80 - DR I - S, n.º 176 de 1 de Agosto de 1980 (Artº 9º da Convenção) Acordo entre Portugal e Espanha sobre Cooperação em matéria de Segurança das Instalações Nucleares de Fronteira (Lisboa, 31 de Março de 1980). Decreto n.º 36/80 - DR I - S, n.º 125 de 30 de Maio de Entrada em vigor a 13 de Julho de Aviso publicado no DR I - S, n.º 192 de 22 de Agosto de 1981 Acordo relativo à Denúncia do Acordo sobre Naturalização Celebrado entre os Governos de Portugal e Espanha (Lisboa, 26 de Maio de 1980). Aviso publicado no DR I - S, n.º 151 de 3 de Julho de Entrada em vigor a 28 de Maio de 1980 (Penúltimo parágrafo da nota) 11

12 Acordo entre Portugal e Espanha sobre a Dispensa de Passaportes (Madrid, 17 de Abril de 1979). Aviso publicado no DR I - S, 2º Suplemento n.º 165 de 19 de Julho de 1979 Estónia Acordo entre Portugal e a Estónia sobre Readmissão de Pessoas em Situação Irregular (12 de Novembro de 2001). Aprovado pela RAR n.º 46/03. Ratificado pelo Decreto nº 35/03 - DR I-A, n.º 119 de 23 de Maio Entrada em vigor a 2 de Agosto de Aviso n.º 207/2003, DR I-A n.º 239 de 15 de Outubro Acordo entre a República Portuguesa e a República da Estónia sobre Supressão de Vistos (21 de Abril de 1999). Decreto n.º 44/99 - DR I-A, n.º 256 de 3 de Novembro de 1999 EUA Acordo entre a República Portuguesa e os EUA para o reforço da cooperação no domínio da Prevenção e do combate ao crime, em particular o terrorismo, assinado em Lisboa a 30 de Junho de 2009 (Acordo tipo Prüm-like) Aprovado pela Resolução da Assembleia da República Nº 128/2011; ratificado pelo Decreto do Presidente da República Nº 71/2011 publicados no DR, I Série Nº 199, de 17 de Outubro de Entrou em vigor a 29 de novembro de 2011 Acordo de Cooperação para a Troca de Informações de Rastreio de Terrorismo, assinado em Washington a 24 de julho de 2012, aprovado a aprovado pela Resolução da Assembleia da República n.º 51/2013, em 15 de fevereiro de 2013, e ratificado pelo Decreto do Presidente da República n.º 53/2013, de 11 de abril, publicado no DR, I Série N.º71, de 11 de abril de Entrou em vigor a 7 de junho de 2013, cf. Aviso n.º 73/2013 de 6 de junho, publicado em DR, 1ª séria, de 6 de junho de 2013 Protocolo entre Portugal e os EUA sobre o Processo de Deportação de Cidadãos Portugueses dos EUA e de Cidadãos Americanos em Portugal (Lisboa, 30 de Maio de 2000). Aprovado pelo Decreto n.º 24/ DR I-A, n.º 242 de 19 de Outubro de (Portugal notificou as competentes autoridades norte americanas sobre o cumprimento na ordem interna dos procedimentos para a entrada em vigor. Em resposta, os EUA informaram que, visto o Protocolo não assumir a forma de um Acordo Internacional, era seu entendimento de que não era necessária a realização de diligência internas com vista à sua entrada em vigor, considerando-o em vigor desde o momento da sua assinatura, o que ocorreu a 30 de Maio de 2000) Acordo, por troca de notas de 22 de Junho de 1999, que altera o Acordo, por troca de notas, sobre Vistos entre o Governo da República Portuguesa e o Governo dos EUA, de 7 de Junho de 1983 (22 de Junho de 1999). Aprovado pelo Decreto n.º 45/99 - DR I-A n.º 258, de 5 de Novembro de Altera o Acordo por troca de notas sobre vistos e exigência de passaportes de 7 de Junho de 1983, DR de 19 de Junho de (Portugal foi admitido no Visa Waiter Program. O Acordo de 1983, com as alterações de 1999, mantem-se em vigor. Contudo, na prática, não produz efeitos na medida em que os cidadãos portugueses estão isentos de visto ao abrigo do VWP e os norte-americanos estão isentos de vistos nos termos do Regulamento CE 539/2001.) 12

Mercados. informação regulamentar. Portugal Acordos Bilaterais Celebrados

Mercados. informação regulamentar. Portugal Acordos Bilaterais Celebrados Mercados informação regulamentar Portugal Acordos Bilaterais Celebrados Janeiro 2013 Índice 5 NOTA DE PRÉVIA 6 ENQUADRAMENTO GERAL A 7 ÁFRICA DO SUL 7 ALBÂNIA 7 ALEMANHA 8 ANDORRA 8 ANGOLA 9 ANGUILLA 10

Leia mais

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2011 - Indicadores DSPDCE - 2012

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2011 - Indicadores DSPDCE - 2012 Ação Cultural Externa Relatório Anual 0 Indicadores DSPDCE 0 .Iniciativas apoiadas pelo IC a) Número (total): 0 b) Montante global:.0,0,* Áreas Geográficas África América Ásia Europa Médio Oriente e Magrebe

Leia mais

Índice Geral. 1. Condições de entrada, permanência, saída e afastamento de estrangeiros do território nacional

Índice Geral. 1. Condições de entrada, permanência, saída e afastamento de estrangeiros do território nacional INTRODUCTION 5 Índice Geral Índice Alfabético 11 Índice Cronológico 15 Índice Sistemático 19 Nota Prévia 65 Parte I Estrangeiros em geral 1. Condições de entrada, permanência, saída e afastamento de estrangeiros

Leia mais

Tributação Internacional Junho 2014

Tributação Internacional Junho 2014 www.pwc.pt/tax Tributação Internacional Junho 2014 Perante a aldeia global em que vivemos, atuar apenas no mercado doméstico não é suficiente. De facto, a internacionalização é um requisito obrigatório

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

Preçário dos Cartões Telefónicos PT

Preçário dos Cartões Telefónicos PT Preçário dos Cartões Telefónicos PT Cartão Telefónico PT 5 e (Continente)... 2 Cartão Telefónico PT 5 e (Região Autónoma dos Açores)... 6 Cartão Telefónico PT 5 e (Região Autónoma da Madeira)... 10 Cartão

Leia mais

PT PRIME PREÇÁRIOS DE VOZ EMPRESARIAL 2006. PT Prime Preçário Voz Empresarial 2006

PT PRIME PREÇÁRIOS DE VOZ EMPRESARIAL 2006. PT Prime Preçário Voz Empresarial 2006 PT PRIME PREÇÁRIOS DE VOZ EMPRESARIAL 2006 Versão: 1.0 Pág.: 1/7 1. ACESSO DIRECTO Chamadas DENTRO DO PAÍS Não Corp Corp Local 0,0201 0,0079 Local Alargado 0,0287 0,0105 Nacional 0,0287 0,0105 FIXO MÓVEL

Leia mais

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes.

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes. 3. Geografia Turística 3.1 Geografia Turística: Brasil de Ponta a Ponta Proporcionar ao participante melhor compreensão geográfica do país; Apresentar as principais especificidades existentes nos continentes

Leia mais

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Náutica Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para

Leia mais

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Vendas Novas - 02 de julho de 2013 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro

Leia mais

Redes de apoio às empresas portuguesas no estrangeiro

Redes de apoio às empresas portuguesas no estrangeiro SERVIÇOS DE INTELIGÊNCIA ECONÓMICA Documento de Inteligência Económica TEMA: Redes de apoio às empresas portuguesas no estrangeiro 1. Importância para as empresas em processo de internacionalização A ação

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11 de Julho de 2007 (18.07) (OR. en) 11722/07 SCH-EVAL 131 SIRIS 133 COMIX 659

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11 de Julho de 2007 (18.07) (OR. en) 11722/07 SCH-EVAL 131 SIRIS 133 COMIX 659 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 11 de Julho de 2007 (18.07) (OR. en) 11722/07 SCH-EVAL 131 SIRIS 133 COMIX 659 NOTA de: para: Assunto: Presidência Grupo de Avaliação de Schengen Projecto de decisão

Leia mais

AUTORIZA O GOVERNO A ALTERAR A ESTRUTURA ORGÂNICA E AS ATRIBUIÇÕES DO SERVIÇO DE ESTRANGEIROS E FRONTEIRAS, REVOGANDO O DECRETO-LEI N

AUTORIZA O GOVERNO A ALTERAR A ESTRUTURA ORGÂNICA E AS ATRIBUIÇÕES DO SERVIÇO DE ESTRANGEIROS E FRONTEIRAS, REVOGANDO O DECRETO-LEI N DECRETO N.º 36/VIII AUTORIZA O GOVERNO A ALTERAR A ESTRUTURA ORGÂNICA E AS ATRIBUIÇÕES DO SERVIÇO DE ESTRANGEIROS E FRONTEIRAS, REVOGANDO O DECRETO-LEI N.º 440/86, DE 31 DE DEZEMBRO, ESPECIALMENTE PARA

Leia mais

Começar Global e Internacionalização

Começar Global e Internacionalização Começar Global e Internacionalização Artur Alves Pereira Assessor do Conselho de Administração, AICEP Portugal Global Fevereiro 06, 2014 1 A aicep Portugal Global Missão. A aicep Portugal Global é uma

Leia mais

NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA

NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 31 de Março de 2005 (OR. en) AA 15/2/05 REV 2 TRATADO DE ADESÃO: ACTO DE ADESÃO, ANEXO II PROJECTO DE ACTOS LEGISLATIVOS E OUTROS

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Serviços Adicionais. 12400 - Portal de Voz

Serviços Adicionais. 12400 - Portal de Voz Serviços Adicionais 12400 - Portal de Voz Descrição Totoloto, Totobola, Lotarias e Euro Milhões Pode conhecer os números do Euro Milhões meia hora antes do sorteio na TV. Saiba os resultados e o valor

Leia mais

CONSILIUM. Schengen. A porta para a sua liberdade de circulação na Europa JUNHO DE 2011

CONSILIUM. Schengen. A porta para a sua liberdade de circulação na Europa JUNHO DE 2011 PT CONSILIUM Schengen A porta para a sua liberdade de circulação na Europa JUNHO DE 2011 Índice INTRODUÇÃO 1 LIVRE CIRCULAÇÃO DE PESSOAS 2 COOPERAÇÃO POLICIAL E ADUANEIRA 2 Fronteiras internas 2 Fronteiras

Leia mais

Necessidade de visto para. Não

Necessidade de visto para. Não País Necessidade de visto para Turismo Negócios Afeganistão África do Sul Albânia, Alemanha Andorra Angola Antígua e Barbuda Arábia Saudita Argélia. Argentina Ingresso permitido com Cédula de Identidade

Leia mais

o Diretor Executivo da Fundação de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento - FAPED, no uso de suas atribuições legais,

o Diretor Executivo da Fundação de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento - FAPED, no uso de suas atribuições legais, Deliberação 01 de 23 de fevereiro de 2015. o Diretor Executivo da Fundação de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento - FAPED, no uso de suas atribuições legais, CONSIDERANDO o que dispõe a Lei n." 8.958, de

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA

PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA 1. Canadá 2. Comunidade da Austrália 3. Estado da Líbia 4. Estados Unidos da América 5. Federação Russa 6. Japão 7. Reino da Arábia Saudita 8. Reino

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil País Afeganistão África do Sul Albânia Alemanha Andorra Angola Antígua e Barbuda Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Austrália

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME 15.06.2010 Institucional \ Breve Introdução A NEWVISION é uma empresa Portuguesa de base tecnológica, que tem como objectivo

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427 NOTA de: para: Assunto: Presidência Grupo de Avaliação de Schengen Projecto de decisão do

Leia mais

GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE

GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/17 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pedido de

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Porto, 28 de Janeiro de 2014 Índice 1. Enquadramento 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP Enquadramento Enquadramento

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas.

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. CARTA-CIRCULAR N 2.070 Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. Divulga relação das missões diplomáticas, repartições consulares de carreira e representações

Leia mais

A formação da União Europeia

A formação da União Europeia A formação da União Europeia A EUROPA DOS 28 Como tudo começou? 1926: 1º congresso da União Pan- Europeia em Viena (Áustria) 24 países aprovaram um manifesto para uma organização federativa na Europa O

Leia mais

DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL

DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL PLMJ Advogamos com Valor Julho 2009 DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL A dupla tributação jurídica internacional é um obstáculo às relações comerciais e à circulação bens e serviços e pessoas e

Leia mais

Descubra um mundo de sensações O maior evento de exportação dos produtos agro-alimentares em Portugal. 22/23/24 Fevereiro 2010

Descubra um mundo de sensações O maior evento de exportação dos produtos agro-alimentares em Portugal. 22/23/24 Fevereiro 2010 Lisboa. Portugal International Trade Fair for Portuguese Food and Beverage Salão Internacional do Sector Alimentar e Bebidas 22/23/24 Fevereiro 2010 EDITION EDIÇÃO #1 Descubra um mundo de sensações O maior

Leia mais

Desses países, Portugal, Angola e Filipinas estabeleceram consulados-gerais na RAEM.

Desses países, Portugal, Angola e Filipinas estabeleceram consulados-gerais na RAEM. Relações Externas Como entidade não soberana, a Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) mantém contactos e relações estreitas com os países e regiões de todo o mundo. Desde sempre mantém relações

Leia mais

IX. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de Título de Viagem da RAEM

IX. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de Título de Viagem da RAEM IX. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de (países ordenados por continente) Ásia Brunei 14 dias --- Camboja 30 dias c) --- Coreia do Sul 90 dias --- Filipinas 14 dias --- Indonésia

Leia mais

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC Categorias / Products:, INDUSTRIALIZADA / PROCESSED,,, 1 de 16 2000 1999 %(2000x1999) Janeiro / January US$ (000) US$/Ton 25.537 9.793 2.608 15.392 4.375 3.518 66% 124% -26% INDUSTRIALIZADA / PROCESSED

Leia mais

ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS

ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS 1º. Semestre 2013 O Google Analytics é um serviço gratuito oferecido pelo Google que permite analisar as estatísticas de visitação de um site. Este é o primeiro

Leia mais

L A E R T E J. S I L V A

L A E R T E J. S I L V A MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil PAÍS Visto de Turismo Visto de Negócios Observação Afeganistão Visto exigido Visto exigido África do Sul Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Albânia Dispensa de visto,

Leia mais

O Reino da Bélgica, a República Federal da Alemanha, a República Francesa, o Grão-Ducado do Luxemburgo, o Reino dos Países

O Reino da Bélgica, a República Federal da Alemanha, a República Francesa, o Grão-Ducado do Luxemburgo, o Reino dos Países Resolução da Assembleia da República n.º 21/99 Acordo de Cooperação entre o Reino da Bélgica, a República Federal da Alemanha, a República Francesa, o Grão-Ducado do Luxemburgo, o Reino dos Países Baixos,

Leia mais

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI Tratado de Lisboa A Europa rumo ao século XXI O Tratado de Lisboa Índice 1. Contextualização 1.1. Porquê um novo Tratado? 1.2. Como surgiu o Tratado de Lisboa? 2. O que mudará com o Tratado de Lisboa?

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

mídiakit www.tvgazeta.com.br

mídiakit www.tvgazeta.com.br mídiakit www.tvgazeta.com.br JUNHO / 2015 #HISTÓRIA Fundada no aniversário da cidade de São Paulo, a TV Gazeta fala com uma metrópole globalizada com a intimidade de quem esteve presente na vida e no coração

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/02/2013) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/02/2013) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Taxas de Visto. Pagamento em Dinheiro e Vale Postal

Taxas de Visto. Pagamento em Dinheiro e Vale Postal Taxas de Visto Pagamento em Dinheiro e Vale Postal A Embaixada NÃO aceita pagamentos com cartão de crédito/débito ou cheques. Se o pagamento for feito ao balcão dos vistos, aquando do pedido, o valor deve

Leia mais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais O Conselho Superior da Magistratura é membro de duas organizações internacionais que promovem a cooperação e concertação

Leia mais

TLC 60 TORRE LUMINOSA COMPACTA

TLC 60 TORRE LUMINOSA COMPACTA TLC 60 TORRE LUMINOSA COMPACTA TLC-60 Torre Luminosa Compacta Desenvolvida para ser a melhor opção em custo/benefício, a Torre Luminosa Compacta - TLC-60 combina tecnologia e performance na medida ideal

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 14/05/2014) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 14/05/2014) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 27-Abr-2015

Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 27-Abr-2015 Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS O Preçário completo da Agência de Câmbios Central, Lda., contém o Folheto de e Despesas (que incorpora

Leia mais

Exportação Brasileira de Tangerinas por País de Destino 2010

Exportação Brasileira de Tangerinas por País de Destino 2010 Exportação Brasileira de Laranjas por País de Destino 2010 ESPANHA 5.293.450 12.795.098 PAISES BAIXOS (HOLANDA) 4.669.412 10.464.800 REINO UNIDO 2.015.486 5.479.520 PORTUGAL 1.723.603 3.763.800 ARABIA

Leia mais

farrajota consultoria jurídica empresarial

farrajota consultoria jurídica empresarial O Estrangeiro e a Legislação de Trânsito Paula dos Santos Farrajota Advogada em São Paulo A obtenção por estrangeiro de autorização para conduzir veículo automotor em território nacional é questão polêmica

Leia mais

MANUAL PROGRAMA DE ESTÁGIO IAESTE 2009/2010

MANUAL PROGRAMA DE ESTÁGIO IAESTE 2009/2010 MANUAL PROGRAMA DE ESTÁGIO IAESTE 2009/2010 Caro Participante, Seja bem-vindo ao Programa de intercâmbio de estágio oferecido mundialmente pela IAESTE! Leia atentamente este manual. Ele contém todas as

Leia mais

LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA PAÍSES MEMBROS

LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA PAÍSES MEMBROS 1 LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA ÁFRICA DO SUL ARÁBIA SAUDITA BRASIL CANADÁ COREIA DO SUL EGITO EQUADOR HOLANDA ITÁLIA JORDÂNIA NÍGER SUÉCIA ALEMANHA ARGENTINA

Leia mais

Newvision Quando a Internacionalizaçao faz parte do código genético. Marketing 07.10.2010

Newvision Quando a Internacionalizaçao faz parte do código genético. Marketing 07.10.2010 Newvision Quando a Internacionalizaçao faz parte do código genético. Marketing 07.10.2010 Institucional \ Quem Somos A NEWVISION é uma empresa Portuguesa de base tecnológica, que tem como objectivo disponibilizar

Leia mais

CHAVES DE FIM DE CURSO. Linha Pesada 441, 461 e 500 Linha à Prova de Explosão

CHAVES DE FIM DE CURSO. Linha Pesada 441, 461 e 500 Linha à Prova de Explosão CHAVES DE FIM DE CURSO Linha Pesada 441, 461 e 500 Linha à Prova de Explosão Índice Importância das Normas Técnicas página 3 Produtos Especiais página 4 Chaves de Emergência Linha 500 página 5 Chaves de

Leia mais

Geografia Econômica Mundial. Organização da Aula. Aula 4. Blocos Econômicos. Contextualização. Instrumentalização. Tipologias de blocos econômicos

Geografia Econômica Mundial. Organização da Aula. Aula 4. Blocos Econômicos. Contextualização. Instrumentalização. Tipologias de blocos econômicos Geografia Econômica Mundial Aula 4 Prof. Me. Diogo Labiak Neves Organização da Aula Tipologias de blocos econômicos Exemplos de blocos econômicos Algumas características básicas Blocos Econômicos Contextualização

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL AGÊNCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL AGÊNCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA AGÊNCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA SEGURANÇA GERAL E SEGURANÇA PÚBLICA: AÇÕES PREVENTIVAS E REPRESSIVAS Brasília, 17 de agosto de 2011 SUMÁRIO 1. SISTEMA BRASILEIRO DE INTELIGÊNCIA 2. AGÊNCIA BRASILEIRA

Leia mais

Informação geral sobre o visto Schengen (atualizada 15/12/2008)

Informação geral sobre o visto Schengen (atualizada 15/12/2008) Visto de entrada gratuito Informação geral sobre o visto Schengen (atualizada 15/12/2008) Cidadãos da União Européia (UE), de países membros da Área Econômica Européia (AEE) e dos seguintes países 1 podem

Leia mais

Tratados Internacionais

Tratados Internacionais Tratados Internacionais 1. Definição e elementos art. 2º da Convenção de Viena sobre Direito dos Tratados (acordo, celebrado entre pessoas do DIP, por escrito, regido pelo DIP, previsto em único ou múltiplos

Leia mais

Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt

Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos 2012 1 2 Sobre a COSEC O que é o Seguro de Créditos

Leia mais

Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna e Oficiais de Ligação de Imigração

Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna e Oficiais de Ligação de Imigração Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna e Oficiais de Ligação de Imigração Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna A existência de Oficiais de Ligação do Ministério

Leia mais

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS EM POUCAS PALAVRAS OS PRIMEIROS PASSOS DATA/LOCAL DE ASSINATURA E ENTRADA EM VIGOR PRINCIPAIS MENSAGENS QUIZ 10 PERGUNTAS E RESPOSTAS OS PRIMEIROS PASSOS No século XX depois das Guerras No século XX, depois

Leia mais

GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE

GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/20 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pedido de

Leia mais

SUPER RANKING MUNDIAL DE CLUBES DE FUTEBOL ( SRM) MELHORAMENTOS ANUAIS 2012

SUPER RANKING MUNDIAL DE CLUBES DE FUTEBOL ( SRM) MELHORAMENTOS ANUAIS 2012 SUPER RANKING MUNDIAL DE CLUBES DE ( SRM) MELHORAMENTOS ANUAIS 2012 Dezembro 2011 1- Introdução A metodologia do SRM estabelece que o modelo seja revisto no final de cada ano. As alterações resultantes

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL

DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL Direito Penal Europeu para Advogados Penalistas ERA/ECBA/ICAB Barcelona 21-22 de Fevereiro de 2014 DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL NA UNIÃO EUROPEIA INDICAÇÕES DE PESQUISA E ELEMENTOS NORMATIVOS Vânia

Leia mais

Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP)

Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP) Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP) 1ª Conferência Anual de Alto-Nível da Parceria para Governo Aberto - OGP Roberta Solis Ribeiro Assessoria Internacional - CGU Conselho da

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS 1. PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE PESSOAS 2. CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES SEGUNDO AS ROTAS DE TRÁFICO 3. PAÍSES COM MAIOR NÚMERO DE ROTAS

Leia mais

Artigo I. Artigo II. Artigo III. A cooperação a que se refere o presente Convénio compreenderá:

Artigo I. Artigo II. Artigo III. A cooperação a que se refere o presente Convénio compreenderá: Decreto n.º 66/97 de 30 de Dezembro Convénio sobre Prevenção do Uso Indevido e Repressão do Tráfico Ilícito de Estupefacientes e de Substâncias Psicotrópicas entre o Governo da República Portuguesa e o

Leia mais

N O T A V E R B A L. A Embaixada da Áustria apresenta ao Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal

N O T A V E R B A L. A Embaixada da Áustria apresenta ao Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal BGBl. III - Ausgegeben am 16. Dezember 2014 - Nr. 235 1 von 5 Ref. Lissabon-ÖB/KONS/0370/2014 N O T A V E R B A L A Embaixada da Áustria apresenta ao Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal os

Leia mais

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional Lisboa, 25 de Janeiro de 2013 A crescente influência dos Estados nas economias emergentes. A

Leia mais

TABELA DE VALORES DE BOLSAS NO EXTERIOR

TABELA DE VALORES DE BOLSAS NO EXTERIOR Revogada pela RN 020/06 Resolução Normativa RN-007/2006 Revoga a RN 001/05 TABELA DE VALORES DE BOLSAS NO EXTERIOR O Presidente do CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO - CNPq,

Leia mais

SWAZILÂNDIA E TANZÂNIA. Across Mundovip Quadrante Soltrópico TUNÍSIA. Club Med Grantur Mundovip Soltrópico. Travelers Travelplan U GANDA.

SWAZILÂNDIA E TANZÂNIA. Across Mundovip Quadrante Soltrópico TUNÍSIA. Club Med Grantur Mundovip Soltrópico. Travelers Travelplan U GANDA. Quem programa o quê? ÁFRICA ÁFRICA DO SUL ANGOLA BOTSWANA CABO VERDE EGIPTO GUINÉ-BISSAU LÍBIA MARROCOS MAURÍCIAS MOÇAMBIQUE NAMÍBIA QUÉNIA SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE SENEGAL SEYCHELLES SWAZILÂNDIA E TANZÂNIA

Leia mais

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula.

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. Trabalho 01 dividido em 2 partes 1ª Parte Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. 2ª Parte Perguntas que serão expostas após a apresentação da 1ª Parte, e que

Leia mais

NOS Empresas 4Pro Satélite Detalhe das condiçoes do pacote 4Pro Satélite

NOS Empresas 4Pro Satélite Detalhe das condiçoes do pacote 4Pro Satélite NOS Empresas 4Pro Satélite Detalhe das condiçoes do pacote 4Pro Satélite Telemóvel Comunicações incluidas no pacote: Cada cartão tem 4.000 minutos ou SMS para redes fixas e móveis nacionais. : Depois de

Leia mais

Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 )

Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 ) Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 ) Legend # Entrance allowed by presenting Civil Identity Card * - Maximum stay of 90 days every 180 days For more informations: Phone: +55 11 2090-0970

Leia mais

NOS Empresas 4Pro Fibra Detalhe das condiçoes do pacote 4Pro Fibra

NOS Empresas 4Pro Fibra Detalhe das condiçoes do pacote 4Pro Fibra NOS Empresas 4Pro Fibra Detalhe das condiçoes do pacote 4Pro Fibra Telemóvel Comunicações incluidas no pacote: Cada cartão tem 4.000 minutos ou SMS para redes fixas e móveis nacionais. : Depois de atingir

Leia mais

NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA

NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 31 de Março de 2005 (OR. en) AA 23/2/05 REV 2 TRATADO DE ADESÃO: ACTA FINAL PROJECTO DE ACTOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS

Leia mais

A solução. para os seus problemas. na Europa. ec.europa.eu/solvit

A solução. para os seus problemas. na Europa. ec.europa.eu/solvit A solução para os seus problemas na Europa ec.europa.eu/solvit CONHEÇA OS SEUS DIREITOS Viver, trabalhar ou viajar em qualquer país da UE é um direito fundamental dos cidadãos europeus. As empresas também

Leia mais

DIPLOMAS DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA (DELE) Convocatórias 2008. Descrição Geral

DIPLOMAS DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA (DELE) Convocatórias 2008. Descrição Geral Descrição Geral Os Diplomas de Espanhol como Língua Estrangeira (DELE) são títulos oficiais, que certificam o grau de competência e domínio do idioma espanhol, que outorga o Instituto Cervantes em nome

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

PAÍS CLAUSULAS DESIGNAÇÃO QUADRO DE ROTAS DIREITOS DE TRÁFEGO CAPACIDADE/FREQUÊNCIAS TIPO U.E. Direitos de tráfego indisponíveis

PAÍS CLAUSULAS DESIGNAÇÃO QUADRO DE ROTAS DIREITOS DE TRÁFEGO CAPACIDADE/FREQUÊNCIAS TIPO U.E. Direitos de tráfego indisponíveis ÁFRICA DO SUL Não Multidesignação Portugal-Pontos intermédios em África-Joanesburgo e/ou Cidade do Cabo- em África 5ª liberdade num ponto intermédio sujeita a acordo entre as Autoridades Aeronáuticas.

Leia mais

CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA

CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA 1950 9 de Maio Robert Schuman, Ministro dos Negócios Estrangeiros francês, profere um importante discurso em que avança propostas inspiradas nas ideias de Jean Monnet.

Leia mais

CATEGORIA: POPULAÇÃO PRISIONAL CATEGORIA: PERFIL DO PRESO

CATEGORIA: POPULAÇÃO PRISIONAL CATEGORIA: PERFIL DO PRESO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL DIRETORIA DE POLÍTICAS PENITENCIÁRIAS SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES PENITENCIÁRIAS ESTÁTÍSTICA SUSEPE - SUPERINTENDÊNCIA DOS SERVIÇOS PENITENCIÁRIOS

Leia mais

"Faça tudo o mais simples possível, mas com qualidade." (Adaptado livremente de A. Einstein)

Faça tudo o mais simples possível, mas com qualidade. (Adaptado livremente de A. Einstein) Fácil assim. 12345 "Faça tudo o mais simples possível, mas com qualidade." (Adaptado livremente de A. Einstein) 12345 Tudo é mais fácil com Lenze. O forte dinamismo dos tempos atuais o coloca em confronto

Leia mais

LIGAMOS PEQUENAS EMPRESAS A GRANDES NEGÓCIOS.

LIGAMOS PEQUENAS EMPRESAS A GRANDES NEGÓCIOS. Soluções de Telecomunicações para Empresas LIGAMOS PEQUENAS EMPRESAS A GRANDES NEGÓCIOS. Permanência mínima para todos os serviços de 24 meses. IVA não incluido. Válido até Outubro de 2012 ZON Office ZON

Leia mais

Uma Rede de apoio à competitividade das empresas. 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa

Uma Rede de apoio à competitividade das empresas. 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa Uma Rede de apoio à competitividade das empresas 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa Quem somos Quem somos? Onde estamos? Criada pela Comissão Europeia no âmbito do Programa Quadro para a Competitividade

Leia mais

Index de Brochuras e Operadores. Index de Brochuras e Operadores

Index de Brochuras e Operadores. Index de Brochuras e Operadores ÁFRICA DO SUL BOTSWANA CABO VERDE Club 1840 Cabo Verde 30/04/05 Mundo Vip Cabo Verde Inverno 30/04/05 TerraÁfrica Ilhas de Cabo Verde 15/01/05 EGIPTO MALAUI MALDIVAS Quadrante Maldivas 21/12/04 MARROCOS

Leia mais

CRESCER COM SEGURANÇA. CÁ DENTRO E LÁ FORA. www.cosec.pt

CRESCER COM SEGURANÇA. CÁ DENTRO E LÁ FORA. www.cosec.pt CRESCER COM SEGURANÇA. CÁ DENTRO E LÁ FORA. www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Porquê a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida 2 Sobre a COSEC Quem somos

Leia mais

12400 - Portal de Voz

12400 - Portal de Voz 12400 - Portal de Voz Descrição Totoloto, Totobola, Lotarias e Euro Milhões Pode conhecer os números do Euro Milhões meia hora antes do sorteio na TVI. Saiba os resultados e o valor dos prémios a seguir

Leia mais

Notas: Este tarifário é taxado de 30 em 30 segundos após o primeiro minuto. Após os 1500 SMS's tmn-tmn grátis ou após os 250 SMS s para outras redes,

Notas: Este tarifário é taxado de 30 em 30 segundos após o primeiro minuto. Após os 1500 SMS's tmn-tmn grátis ou após os 250 SMS s para outras redes, Notas: Este tarifário é taxado de 30 em 30 segundos após o primeiro minuto. Após os 1500 SMS's tmn-tmn grátis ou após os 250 SMS s para outras redes, passa a pagar 0,080. Notas: Este tarifário é taxado

Leia mais

Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em

Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Transações Comerciais Internacionais Preâmbulo As Partes, Considerando que a corrupção é um fenômeno difundido nas Transações

Leia mais

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial ONU A ONU (Organização das Nações Unidas) foi fundada no dia 24 de outubro de 1945, em São Francisco, Estados Unidos. O encontro

Leia mais

4Pro. Telemóvel Telefone Internet Televisão

4Pro. Telemóvel Telefone Internet Televisão 4Pro A oferta mais competitiva, desenhada para empresas e profissionais que lhe garante os melhores resultados 2 cartões de telemóvel com comunicações ilimitadas para todas as redes nacionais, para uma

Leia mais

TABELA PRÁTICA DAS CONVENÇÕES PARA EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO CELEBRADAS POR PORTUGAL REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS

TABELA PRÁTICA DAS CONVENÇÕES PARA EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO CELEBRADAS POR PORTUGAL REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS (orm ÁFRICA DO SUL n.º 53/08 22 Setembro n.º 222/2008 publicado em 20-11-2008 EM VIGOR DESDE 22-10-2008 ALEMANHA Lei 12/82 03 Junho publicado em 14-10-1982 EM VIGOR DESDE 08-10-1982 15% 11º 10% a) 12º

Leia mais

MINIGUIA DA EUROPA 2011 Comunicar com os Europeus Línguas Na Europa fala-se muitas línguas, cujas principais famílias são a germânica, a românica, a eslava, a báltica e a céltica. As instituições da União

Leia mais

VERSÕES CONSOLIDADAS

VERSÕES CONSOLIDADAS 9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/1 VERSÕES CONSOLIDADAS DO TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA E DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA (2008/C 115/01) 9.5.2008 PT Jornal Oficial da

Leia mais