ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS APLICADO À RECURSOS HUMANOS. Ministério da Justiça

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS APLICADO À RECURSOS HUMANOS. Ministério da Justiça"

Transcrição

1 ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS APLICADO À RECURSOS HUMANOS Ministério da Justiça

2 2 TARSO FERNANDO HERZ GENRO Ministro de Estado da Justiça HÉLIO CARDOSO DERENNE Diretor-Geral do Departamento de Polícia Rodoviária Federal SÉRGIO MAX BASTOS LINS Coordenador-Geral de Recursos Humanos São responsáveis pela criação deste livro os participantes do Quinto Encontro Nacional de Recursos Humanos do Departamento de Polícia Rodoviária Federal (V ENARH), realizado no Centro de Treinamento de Cachoeira Paulista SP, no período de 17 a 22 de novembro de 2008: SEDE: AMIRCE FERREIRA RODRIGUES DOS SANTOS DANIEL ALVES BRASIL DOUGLAS HIRÔO HIGASHIE FERREIRA FRANCISCO BRANDÃO DE OLIVEIRA FRANK JORGE BORGES RODRIGUES GUSTAVO BRITO IDÊ FERNANDO MARTINS MACHADO JUSSARA ALESSANDRA DE CAVALHO COSTA MARIA IZABEL RIBEIRO DE CERQUEIRA RICARDO DE OLIVEIRA BETAT RODRIGO REGIS JANSEN RÔMULO FABRÍCIO LEITE E LOPES SÉRGIO MAX BASTOS LINS 1ª SRPRF/GO FRANCISLAY JOSEPH DE ALMEIDA BENDÔ INÁCIA BENÍCIO DE MELO NETA JAIRO BRAGA 2ª SRPRF/MT CLADISNEY BOTELHO DA SILVA ODENER VICENTE DA SILVA 3ª SRPRF/MS JUCINÉA BATISTA MARINHO LINDOMAR ELIAS DOS SANTOS NEEMIAS GONÇALVES DE CARVALHO

3 4ª SRPRF/MG CRISTHIAN PIRES DE MIRANDA EDUARDO ANDRADE D. MACHADO MARCÍLIO MARTINS DA S. MAIA 5ª SRPRF/RJ JOSÉ FERNANDO COELHO LÚCIO ALVES ÂNGELO JUNIOR 6ª SRPRF/SP CARLOS ALBERTO FISHER EDUARDO CAFFER INGRID GARCIA S SANTOS OTÁVIO JOSÉ C. OLIVEIRA RAFAEL G. GAIOTO SOARES RUTE DA SILVA GUSMÃO WAGNER SCHMITZ 7ª SRPRF/PR ADRIANO MARCOS FURTADO ELOISE ROSÁRIO DA SILVA EVERSON ANTÔNIO GULMINE 8ª SRPRF/SC ALEXANDRE DANIEL LITRAN DOS SANTOS ALLAN CARLOS VIEIRA NÚRIA PALOMERO MACHADO 9ª SRPRF/RS EDSON HOFFMANN PORTO LEANDRO NIEDO CUPELLO LÚCIA HELENA MADEIRA GONÇALVES 10ª SRPRF/BA ANA PATRICIA VINHAS BARRETO ÉRICO ANTONIO MATHEOS GUEDES DOS SANTOS JANEIDE CAVALCANTI DE MORAES TELES 11ª SRPRF/PE LOUIS GUSTAVO OLIVEIRA VILA NOVA LUIS VITORINO DE SOUZA FILHO RENATO DE CERQUEIRA ANTUNES BORGES RODRIGUES 3

4 12ª SRPRF/ES ELIETE ZAMPROGNO JOSEMAR PEDRO 13ª SRPRF/AL ALEXON MELO DE OLIVEIRA MANOEL BELO PEREIRA MARIA LÚCIA LEITE ALBUQUERQUE 14ª SRPRF/PB DELOSMAR PETRUCCI FALCÃO EDUARDO HENRIQUE GEORGE DINIZ MARILZA FREIRE FERREIRA 15ª SRPRF//RN ALDO FURTADO MAIA BIANCA JUCIELLY DA SILVA CUNHA MARIA DE FÁTIMA SILVA SOARES 16ª SRPRF/CE ÁLVARO BARRETO DANTAS MILENA MENEZES DE OLIVEIRA ROSSICLER SOUSA DA SILVA 17ª SRPRF/PI ELIZA SANTOS DE MORAIS IZABEL BASTOS BATISTA COELHO 18ª SRPRF/MA EDUARDO JOSÉ MENDONÇA LIMA FRANCISCO ARÃO DUARTE THADEU DE MELO ALVES 19ª SRPRF/PA BENEDITO DOMINGOS COELHO JUNIOR MARCELO SOARES MARTINS MARCIA MENEZES DO ESPIRITO SANTO 20ª SRPRF/SE ANTÔNIO PEREIRA RODRIGUES NETO FÁBIO SANTOS DA SILVA SÉRGIO REIS DE OLIVEIRA 4

5 5 21ª SRPRF/RO JOÃO MARIA DE MEDEIROS MAÍZA PEDREIRA DE SOUZA AULER MÁRCIO ROBERTO POMPILIO 1ª SRPRF/DF CARLOS OTÁVIO RODRIGUES DE OLIVEIRA LEONARDO ACÁCIO RODRIGUES DE OLIVEIRA 2º DRPRF/TO JOSÉ ACÁCIO DA SILVA MELO 3º DRPRF/AM CHARLES MAITSON DE BARROS ARAÚJO GLÁUCIO CASACURTA SANTOS 4º DRPRF/AP ROSALINA DAS NEVES BITTENCOURT TORK 5º DRPRF/RR ANTÔNIA ERILEUDA SILVEIRA ROCHA EDINIR DA SILVA LIMA CGRH/MJ CINTIA REGINA VASCONCELOS DA COSTA LIMA MARIA SALETE SANTANA CARVALHO SUZANA MODESTO DA SILVA Esta edição do foi revisada e atualizada até julho/2009.

6 6 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...11 PARTE I DO PROVIMENTO, VACÂNCIA, REMOÇÃO E SUBSTITUIÇÃO...13 APROVEITAMENTO...13 CONCURSO PÚBLICO...15 DISPONIBILIDADE...18 ESTABILIDADE...21 EXERCÍCIO...23 EXERCÍCIO PROVISÓRIO...27 NOMEAÇÃO E POSSE DE CARGO EM COMISSÃO COM VÍNCULO...31 NOMEAÇÃO E POSSE DE CARGO EM COMISSÃO SEM VÍNCULO...34 NOMEAÇÃO PARA CARGO EFETIVO...40 POSSE...43 PROMOÇÃO / PROGRESSÃO...46 READAPTAÇÃO...51 RECONDUÇÃO...55 REDISTRIBUIÇÃO...58 REINTEGRAÇÃO...62 REMOÇÃO...66 REVERSÃO DE APOSENTADORIA...71 VACÂNCIA...76 PARTE II - DOS DIREITOS E VANTAGENS...80 ABONO DE PERMANÊNCIA E ISENÇÃO DE PSS...80 ADICIONAL DE FÉRIAS...83 ADICIONAL DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE...84 ADICIONAL DE SERVIÇO EXTRAORDINÁRIO...87 ADICIONAL NOTURNO...90 ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO...91 AJUDA DE CUSTO, PASSAGEM AÉREA E TRANSPORTE DE MOBILIÁRIO E BAGAGEM...95 AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO AUXÍLIO-FUNERAL AUXÍLIO-NATALIDADE AUXÍLIO-RECLUSÃO AUXÍLIO-TRANSPORTE AVERBAÇÃO DE TEMPO DE SERVIÇO DIÁRIAS FATOR 1.4 E FÉRIAS...129

7 7 GEAPRF GAE GDATA GRATIFICAÇÃO NATALINA INCORPORAÇÃO DE QUINTOS / DÉCIMOS INDENIZAÇÃO DE TRANSPORTE PLANO ESPECIAL DE CARGOS DO DPRF PEDPRF (NOVAS GRATIFICAÇÕES, DEVIDAS A PARTIR DE 1º/03/2008) VANTAGEM PECUNIÁRIA INDIVIDUAL PARTE III - DAS LICENÇAS LICENÇA À ADOTANTE LICENÇA À GESTANTE LICENÇA INCENTIVADA SEM REMUNERAÇÃO LICENÇA PARA ATIVIDADE POLÍTICA LICENÇA PARA CAPACITAÇÃO LICENÇA PARA DESEMPENHO DE MANDATO CLASSISTA LICENÇA PARA SERVIÇO MILITAR LICENÇA PARA TRATAMENTO DA SAÚDE LICENÇA PARA TRATAMENTO DA SAÚDE (ACIDENTE EM SERVIÇO) LICENÇA PARA TRATAR DE INTERESSE PARTICULAR LICENÇA PATERNIDADE LICENÇA POR MOTIVO DE AFASTAMENTO DO CÔNJUGE LICENÇA POR MOTIVO DE DOENÇA DE PESSOA DA FAMÍLIA LICENÇA-PRÊMIO POR ASSIDUIDADE PARTE IV - DAS CONCESSÕES HORÁRIO ESPECIAL AO SERVIDOR ESTUDANTE HORÁRIO ESPECIAL AO SERVIDOR PORTADOR DE DEFICIÊNCIA PARTE V - DOS AFASTAMENTOS AFASTAMENTO PARA ESTUDO OU MISSÃO NO EXTERIOR AFASTAMENTO PARA EXERCÍCIO DE MANDATO ELETIVO AFASTAMENTO PARA PARTICIPAR DE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NO PAÍS AFASTAMENTO PARA SERVIR EM OUTRO ÓRGÃO OU ENTIDADE (CESSÃO / REQUISIÇÃO) PARTE VI - DA APOSENTADORIA APOSENTADORIA APOSENTADORIA ESPECIAL PARTE VII - DA PENSÃO PENSÃO ALIMENTÍCIA JUDICIAL...253

8 8 PENSÃO ALIMENTÍCIA VOLUNTÁRIA PENSÃO CIVIL PENSÃO CIVIL - JUDICIAL PENSÃO ESPECIAL - GRACIOSA PENSÃO ESPECIAL - INDENIZATÓRIA PARTE VIII - ASSUNTOS DIVERSOS ACUMULAÇÃO DE CARGOS CONSIGNAÇÃO EM FOLHA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE DIRF IMPOSTO SOBRE RENDA E PROVENTOS DE QUALQUER NATUREZA (DEDUÇÃO) JORNADA DE TRABALHO / CONTROLE DE FREQUÊNCIA PAGAMENTO DE EXERCÍCIOS ANTERIORES RECADASTRAMENTO RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS RAIS REVERSÃO, REPOSIÇÃO E INDENIZAÇÃO AO ERÁRIO SUBSTITUIÇÃO PARTE IX - FLUXOGRAMAS ABONO DE PERMANÊNCIA E ISENÇÃO DE PSS ACUMULAÇÃO DE CARGOS ADICIONAL DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE ADICIONAL NOTURNO ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO AFASTAMENTO PARA ESTUDO OU MISSÃO NO EXTERIOR AFASTAMENTO PARA EXERCÍCIO DE MANDATO ELETIVO AJUDA DE CUSTO, PASSAGEM AÉREA E TRANSPORTE DE MOBILIÁRIO E BAGAGEM APOSENTADORIA COMPULSÓRIA APOSENTADORIA POR INVALIDEZ APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA APROVEITAMENTO AUSÊNCIA EM DECORRÊNCIA DE CASAMENTO AUSÊNCIA EM DECORRÊNCIA DE FALECIMENTO DE PESSOA DA FAMÍLIA AUSÊNCIA PARA DOAR SANGUE AUSÊNCIA PARA SE ALISTAR COMO ELEITOR AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO AUXÍLIO-FUNERAL AUXÍLIO-NATALIDADE AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR AUXÍLIO-RECLUSÃO AUXÍLIO-TRANSPORTE...334

9 9 AVERBAÇÃO DE TEMPO DE SERVIÇO AFASTAMENTO PARA SERVIR EM OUTRO ÓRGÃO OU ENTIDADE (CESSÃO / REQUISIÇÃO) CONCURSO PÚBLICO CONSIGNAÇÃO EM FOLHA DISPONIBILIDADE EXERCÍCIO PROVISÓRIO FATOR 1.4 e FÉRIAS HORÁRIO ESPECIAL AO SERVIDOR ESTUDANTE HORÁRIO ESPECIAL AO SERVIDOR PORTADOR DE DEFICIÊNCIA INCORPORAÇÃO DE QUINTOS / DÉCIMOS INDENIZAÇÃO AO ERÁRIO LICENÇA À ADOTANTE LICENÇA À GESTANTE LICENÇA INCENTIVADA SEM REMUNERAÇÃO LICENÇA PARA ATIVIDADE POLÍTICA LICENÇA PARA CAPACITAÇÃO LICENÇA PARA DESEMPENHO DE MANDATO CLASSISTA LICENÇA PARA SERVIÇO MILITAR LICENÇA PARA TRATAMENTO DE SAÚDE LICENÇA PARA TRATAMENTO DE SAÚDE (ACIDENTE EM SERVIÇO) LICENÇA PARA TRATAR DE INTERESSE PARTICULAR LICENÇA PATERNIDADE LICENÇA POR MOTIVO DE AFASTAMENTO DO CÔNJUGE LICENÇA POR MOTIVO DE DOENÇA DE PESSOA DA FAMÍLIA LICENÇA-PRÊMIO POR ASSIDUIDADE - GOZO LICENÇA-PRÊMIO POR ASSIDUIDADE - PAGAMENTO EM PECÚNIA NOMEAÇÃO E POSSE DE CARGO EM COMISSÃO NOMEAÇÃO PARA CARGO EFETIVO, POSSE E EXERCÍCIO PAGAMENTO DE EXERCÍCIOS ANTERIORES PENSÃO ALIMENTÍCIA JUDICIAL PENSÃO ALIMENTÍCIA VOLUNTÁRIA PENSÃO CIVIL PENSÃO ESPECIAL GRACIOSA PROMOÇÃO / PROGRESSÃO READAPTAÇÃO RECONDUÇÃO REINTEGRAÇÃO REMOÇÃO A PEDIDO ENTRE UNIDADES REMOÇÃO A PEDIDO NA MESMA UNIDADE REMOÇÃO EX-OFFÍCIO REMOÇÃO POR PERMUTA...376

10 10 REPOSIÇÃO AO ERÁRIO REVERSÃO DE APOSENTADORIA SUBSTITUIÇÃO VACÂNCIA PARTE X - FORMULÁRIOS REQUERIMENTO DE ABONO DE PERMANÊNCIA REQUERIMENTO DE AJUDA DE CUSTO REQUERIMENTO DE ALTERAÇÃO DE DADOS BANCÁRIOS REQUERIMENTO DE ALTERAÇÃO DE ENDEREÇO REQUERIMENTO DE ALTERAÇÃO DE FÉRIAS REQUERIMENTO DE ALTERAÇÃO DE NOME DE IDENTIFICAÇÃO REQUERIMENTO DE APOSENTADORIA REQUERIMENTO DE AUXÍLIO-FUNERAL REQUERIMENTO DE AUXÍLIO MORADIA REQUERIMENTO DE AUXÍLIO NATALIDADE REQUERIMENTO DE AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR REQUERIMENTO DE AUXÍLIO TRANSPORTE REQUERIMENTO DE AVERBAÇÃO DE TEMPO DE SERVIÇO REQUERIMENTO DE HORÁRIO ESPECIAL A ESTUDANTE REQUERIMENTO DE LICENÇA-PRÊMIO REQUERIMENTO DE PAGAMENTO DE SUBSTITUIÇÃO REQUERIMENTO DE PENSÃO CIVIL REQUERIMENTO DE REMOÇÃO REQUERIMENTO DE TRANSPORTE DE MOBILIÁRIO E BAGAGEM REQUERIMENTO DE TRANSPORTE PASSAGEM AÉREA REQUERIMENTO DE VACÂNCIA CONCLUSÃO...403

11 11 INTRODUÇÃO A presente obra, fruto do trabalho de todos os operadores da área de Recursos Humanos do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, tem por finalidade proporcionar a todos os servidores um instrumento que permita o pronto acesso às informações, precisas e atualizadas, sobre as normas que regulamentam sua vida funcional e pretende, também, garantir aos servidores que atuam nas unidades de Recursos Humanos, em todo o Brasil, a permanente atualização de seu conhecimento. Com o lançamento deste livro, o Departamento de Polícia Rodoviária Federal, através da Coordenação-Geral de Recursos Humanos, procura suprir uma demanda permanente dos seus servidores por informações acerca de seus direitos e deveres, de forma transparente e objetiva, visando dar-lhes a tranquilidade necessária para o correto exercício da função pública da qual estão incumbidos. De caráter abrangente e em conformidade com o ordenamento jurídico estabelecido pela Lei Federal nº 8.112/90, o chamado Regime Jurídico Único (RJU), esta publicação apresenta aos servidores um apanhado geral sobre a normatização que envolve a sua vida funcional, desde o seu ingresso até a sua aposentadoria, bem como seus dependentes, abrangendo, também, aspectos remuneratórios e os benefícios a que fazem jus, e como requerê-los corretamente. Em virtude da vasta legislação que rege a área de Recursos Humanos e, principalmente, a sua natureza dinâmica, esta cartilha deverá ser objeto de permanente atualização, estando o seu conteúdo sujeito a futuras modificações, facultando aos usuários o envio de sugestões visando o seu aperfeiçoamento. Que o seu texto sirva, não somente para que dúvidas sejam sanadas e regras disseminadas, mas, também, para que se fortaleçam as relações entre a Administração e aquele que se constitui no seu mais valioso patrimônio: o servidor. Na elaboração deste trabalho procuramos garantir uma linguagem clara, precisa e concisa, bem como um texto que apresentasse um nível de profundidade compatível com as necessidades de operacionalização do Sistema de Administração de Pessoal. Com o mesmo espírito de abertura que incentivou a elaboração deste livro, e ainda, em razão da dinâmica dos textos legais, entendimentos e decisões jurisprudenciais, solicitamos aos servidores deste Departamento, que utilizem desta fonte para esclarecer dúvidas e tomar conhecimento dos seus direitos, fazendo chegar suas sugestões e críticas à Coordenação-Geral de Recursos Humanos, visando ao aperfeiçoamento deste trabalho.

12 12 O apresenta a seguinte estrutura: Introdução Parte I Do Provimento, Vacância, Remoção e Substituição Parte II Dos Direitos e Vantagens Parte III Das Licenças Parte IV Das Concessões Parte V Dos Afastamentos Parte VI Da Aposentadoria Parte VII - Da Pensão Parte VIII - Assuntos Diversos Parte IX - Fluxogramas Parte X - Formulários Conclusão SÉRGIO MAX BASTOS LINS Coordenador-Geral de Recursos Humanos

13 PARTE I DO SUBSTITUIÇÃO PROVIMENTO, VACÂNCIA, 13 REMOÇÃO E APROVEITAMENTO 1. CONCEITO: Aproveitamento é o retorno à atividade, de servidor público que tenha sido colocado em disponibilidade, em cargo com atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado. 2. OCORRÊNCIA: Publicação da Portaria de Aproveitamento no Diário Oficial da União. 3. INFORMAÇÕES GERAIS: O órgão central do Sistema de Pessoal Civil SIPEC determinará o imediato aproveitamento de servidores em disponibilidade, em vaga que vier a ocorrer nos órgãos ou entidades da Administração Pública Federal. O prazo para o servidor aproveitado entrar em exercício em outra sede é de, no mínimo 10 (dez) e no máximo 30 (trinta) dias, contados da data de publicação do ato de aproveitamento, incluindo nesse período, o tempo necessário para o deslocamento para a nova sede. Será tornado sem efeito o aproveitamento e cassada a disponibilidade do servidor que não entrar em exercício no prazo legal, salvo doença comprovada por Junta Médica Oficial. Os servidores aproveitados em órgãos ou entidades cujos planos de classificação de cargos sejam diferentes daqueles a que pertenciam serão enquadrados na Instituição de destino na forma da legislação vigente. Quando o aproveitamento resultar em mudança de sede, o servidor, seu cônjuge ou companheiro, seus filhos ou enteados que vivam em sua companhia e os menores sob sua guarda com autorização judicial, se estudantes, têm assegurada, na localidade da nova residência ou na mais próxima, matrícula em instituição de ensino congênere, em qualquer época, independentemente de vaga. Nos casos em que a mudança de sede obrigar o servidor a mudar de domicílio em caráter permanente, ser-lhe-á devida ajuda de custo para compensar as despesas de instalação, vedado o duplo pagamento de indenização, no caso do cônjuge ou companheiro que detenha a condição de servidor também fazer jus a esse benefício. Considera-se sede o município onde a repartição estiver instalada e onde

14 14 o servidor tiver exercício em caráter permanente. 4. INSTRUÇÃO PROCESSUAL: Oficio ao Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão comunicando o interesse em absorver os servidores ocupantes de cargos declarados desnecessários dentro da Administração Pública Federal; Presente a necessidade da Administração e observados os critérios definidos pelo MPOG, o aproveitamento de servidor posto em disponibilidade dar-se-á em cargo de atribuições, vencimentos, nível de escolaridade, especialidade ou habilitação profissional compatíveis com o anteriormente ocupado; Publicação do Ato; O setor de cadastro recebe o servidor mediante ofício de apresentação do órgão de origem e Solicita liberação do cadastro funcional no SIAPE/SIAPECAD; Abre pasta funcional e registra a ocorrência de aproveitamento; Solicita ao órgão de origem os Assentamentos Funcionais e a Certidão de Tempo de Serviço do servidor; Observar rotina de Averbação de Tempo de Serviço; Providenciar o enquadramento do servidor, se for o caso, na forma da legislação vigente; Observar a rotina para a concessão de Ajuda de Custo, se ocorrer mudança de domicílio funcional; Apresentação do servidor ao chefe da unidade de lotação e exercício por meio de memorando; Encaminha comunicação ao setor de Pagamento. 5. FUNDAMENTO LEGAL: Artigos 8º, inciso VII, 30 a 32, da Lei nº 8.112, de 11/12/90 (D.O.U. 12/12/90), com nova redação dada pela Lei nº 9.527, de 10/12/97; Artigos 7º, 8º e 26 da Lei nº 8.270, de 17/12/91 (D.O.U. 19/12/91), com a redação dada pela Lei nº de 02/04/98; Decreto nº 3.151, de 23/08/99; Orientação Normativa nº 105, de 06/05/ PROCEDIMENTOS PARA LANÇAMENTO NO SIAPE: Consultar a Divisão de Cadastro DICAD/CGRH.

15 15 CONCURSO PÚBLICO 1. CONCEITO: Concurso Público é o mecanismo utilizado pela Administração Pública Federal para selecionar candidatos para provimento de cargo em caráter efetivo ou temporário, no quadro de pessoal do órgão, por meio de processo aberto ao público em geral, observando, para tanto as disposições constitucionais referentes ao assunto. 2. OCORRÊNCIA: Publicação de Portaria do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão no Diário Oficial da União, autorizando a realização do concurso público. 3. INFORMAÇÕES GERAIS: O concurso público destinado a selecionar candidatos para provimento de cargo efetivo ou temporário tem por objetivo compatibilizar o suprimento das necessidades da Administração Pública Federal com as prioridades governamentais e os recursos orçamentários disponíveis. O pedido de autorização deve ser encaminhado ao Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão, pela autoridade competente do DPRF, em observância ao Art. 3º, do Decreto nº 4.175, de 27 de março de O DPRF deverá apresentar à Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão justificativa fundamentada, com indicação das vagas a serem providas e comprovação da disponibilidade orçamentária. O concurso público será regido por edital, cabendo a sua execução à instituição escolhida mediante processo em conformidade com a Lei de Licitações. O edital do concurso deverá ser publicado no D.O.U. e divulgado por meio eletrônico. A reserva legal de vagas para candidatos com deficiência dependerá da compatibilidade do exercício do cargo com o tipo de deficiência. O concurso público para cargos que compõem o quadro de pessoal do DPRF compreenderá duas etapas distintas, observadas as especificidades de cada cargo: A primeira etapa será composta de 4 (quatro) fases, sendo prova objetiva e prova de redação, exame de capacidade física, exames médicos e avaliação psicológica; A segunda etapa consistirá do Curso de Formação Profissional.

16 16 Haverá investigação social durante todo o certame. Os candidatos aprovados na primeira etapa do concurso público e classificados dentro do número de vagas previsto serão convocados em edital específico para apresentação dos documentos necessários para a matrícula no Curso de Formação Profissional, segundo a ordem de classificação e dentro do número de vagas previsto para cada estado. Os candidatos que forem classificados além do limite de vagas previsto neste edital não terão assegurado o direito à matrícula no Curso de Formação Profissional, mas apenas a expectativa desse direito, segundo a rigorosa ordem classificatória. Durante o período de validade do concurso público, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão poderá autorizar a nomeação ou contratação de candidatos classificados e não convocados, até o limite de 50% (cinquenta por cento) a mais do quantitativo original de vagas. O valor cobrado a título de inscrição no concurso será de, no máximo, 2,5% (dois e meio por cento) do valor da remuneração inicial do cargo público previsto no edital, podendo ser isentado de taxas de inscrição o candidato que se declarar hipossuficiente, na forma da Lei. O órgão ou entidade responsável pela realização do concurso público homologará e divulgará no Diário Oficial da União, a relação dos candidatos aprovados no certame, classificados em até duas vezes o número de vagas previsto no edital para cada cargo público, por ordem de classificação. A nomeação ou contratação dos candidatos obedecerá rigorosamente à ordem de classificação do concurso público. O edital de convocação para realização de exames médicos deverá, preferencialmente, estabelecer a data de nomeação dos candidatos. Havendo vacância ou desistência de candidatos durante o processo seletivo, antes da nomeação ou da assinatura do contrato, facultar-se-á à Administração substituí-los, por meio da convocação dos próximos candidatos aprovados, obedecendo a ordem de classificação e o limite de vagas previsto no edital. Os candidatos preliminarmente aprovados em concurso público para provimento de cargos na Administração Pública Federal, durante o programa de formação, farão jus, a título de auxílio financeiro, a 50% (cinquenta por cento) da remuneração da classe inicial do cargo a que estiver concorrendo. As nomeações de candidatos sub judice serão efetuadas conforme a demanda.

17 17 4. INSTRUÇÃO PROCESSUAL: 4.1. CANDIDATOS APROVADOS: Portaria de nomeação da comissão de licitação para escolha da instituição que realizará o certame; Escolha da instituição; Portaria de nomeação da comissão nacional de concurso; Definição do Edital junto com a organizadora do certame; Publicação do edital no D.O.U. e divulgação por meio eletrônico; Inscrições e processo seletivo; Homologação de candidatos aprovados, segundo a ordem de classificação e dentro do número de vagas previstas para cada estado; Portaria de nomeação dos candidatos, assinada pelo Diretor do DPRF e publicada no D.O.U.; Portaria de lotação dos candidatos, assinada pelo Coordenador-Geral de Recursos Humanos do DPRF, publicada no B.S.; Posse na regional pelos respectivos Superintendentes/Chefes de Distrito, mediante Termo de Posse e Termo de Exercício CANDIDATOS SUB JUDICE : Decisão Judicial, provisória ou definitiva, para nomeação e posse de candidato eliminado do certame por não ter logrado êxito em qualquer das etapas do concurso; Solicitação de força executória da decisão para a Advocacia-Geral da União; Cumprimento da decisão com a publicação no D.O.U. da nomeação do candidato, através de Portaria do Diretor-Geral do DPRF; Portaria de lotação do candidato, assinada pelo Coordenador-Geral de Recursos Humanos do DPRF; Posse na regional pelos respectivos Superintendentes/Chefe de Distrito, mediante Termo de Posse e Termo de Exercício. Observação: Caso a decisão para nomeação e posse seja modificada (decisões provisórias), é editada Portaria do Diretor-Geral do DPRF, tornando sem efeito a Portaria de nomeação do candidato. 5. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 11, 12 da Lei 8.112/90, de 11/12/90 (Redação dada pela Lei nº 9.527, de 10/12/97); Art. 37 da Constituição Federal, de 5/10/1988; Decreto 3.298, de 20/12/1999; Decreto nº 4.175, de 27/3/02; Art. 14 da Lei n 9.624/98; Orientação Normativa nº 02, de 25/03/02; Portaria nº 450, de 06/11/ PROCEDIMENTOS PARA LANÇAMENTO NO SIAPE: Não há lançamentos no SIAPE.

18 18 DISPONIBILIDADE 1. CONCEITO: Disponibilidade é o instituto que permite ao servidor estável, que teve seu cargo extinto ou declarado desnecessário, permanecer sem trabalhar, temporariamente, percebendo a remuneração proporcional ao tempo de serviço, até seu adequado aproveitamento em outro cargo. 2. OCORRÊNCIA: Publicação de ato do Ministro de Estado da Justiça no Diário Oficial da União, extinguindo um cargo ou declarando-o desnecessário. 3. INFORMAÇÕES GERAIS: Respeitados o interesse público e a conveniência da Administração, os cargos públicos podem ser declarados desnecessários, nos casos de extinção ou de reorganização de órgãos ou de entidades. Caracterizada a existência de cargos sujeitos à declaração de desnecessidade, a Administração deverá adotar, separada ou cumulativamente, os seguintes critérios de análise, pertinentes à situação pessoal dos respectivos ocupantes, para fins de disponibilidade: Menor tempo de serviço; Maior remuneração; Idade menor; Menor número de dependentes. Autorizada por Lei, a extinção de cargo público far-se-á mediante ato privativo do Presidente da República. Fica delegada competência ao Ministro de Estado para a prática dos atos de declaração de desnecessidade de cargos públicos e de colocação dos respectivos ocupantes em disponibilidade remunerada. Esta delegação não admite subdelegação. Extinto o cargo ou declarada sua desnecessidade, o servidor estável nele investido será imediatamente posto em disponibilidade, com remuneração proporcional ao respectivo tempo de serviço. O ato que colocar em disponibilidade servidor que se encontre regularmente licenciado ou afastado, somente produzirá efeitos após o término da licença ou do afastamento.

19 19 A remuneração do servidor em disponibilidade deverá considerar, para o respectivo cálculo, 1/35 (um trinta e cinco avos) ou 1/30 (um trinta avos) da respectiva remuneração mensal, por ano de serviço, respectivamente, seja homem ou mulher. No caso de servidor cujo trabalho lhe assegure o direito à aposentadoria especial, definida em Lei, o valor da remuneração a ele devida, durante a disponibilidade, terá por base a proporção anual correspondente ao respectivo tempo mínimo para a concessão da aposentadoria integral. Não se incluem no cálculo da remuneração proporcional o adicional pela prestação de serviço extraordinário, o adicional noturno, o adicional de insalubridade, de periculosidade ou pelo exercício de atividades penosas, o adicional de férias, a retribuição pelo exercício de função ou cargo de direção, chefia ou assessoramento, a gratificação natalina, o auxílio funeral, o auxílio natalidade, o auxílio alimentação, o auxílio-transporte, o auxílio pré-escolar, as indenizações, as diárias, a ajuda de custo em razão de mudança de sede e o custeio da moradia. Além da remuneração proporcional, o servidor em disponibilidade perceberá, integralmente, as vantagens pessoais nominalmente identificadas, já incorporadas. O servidor em disponibilidade contribuirá para o regime próprio de previdência do servidor público federal, e o tempo de contribuição, correspondente ao período em que permanecer em disponibilidade, será contado somente para efeito de aposentadoria e nova disponibilidade. O servidor em disponibilidade poderá participar de programa de treinamento dirigido para o exercício de novas funções na Administração Pública Federal, sob a coordenação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e da Escola Nacional de Administração Pública ENAP. O servidor em disponibilidade será aposentado, compulsoriamente, ao completar a idade limite estabelecida pela legislação em vigor; A exoneração, a pedido, do servidor em disponibilidade, implicará no cancelamento da disponibilidade e acarretará, exclusivamente, no pagamento da remuneração devida no mês da publicação do respectivo ato e da gratificação natalina proporcional. 4. INSTRUÇÃO PROCESSUAL: Manifestação da autoridade quanto à desnecessidade de um cargo; Levantamento, pela unidade de Recursos Humanos, dos cargos públicos passíveis de serem declarados desnecessários, seu quantitativo e rol de atribuições; Enviar à Assessoria Jurídica para a análise quanto ao interesse público e a conveniência da Administração em declarar desnecessários os cargos públicos, nos casos de extinção ou de reorganização de órgãos ou de

20 20 entidades; Remeter à autoridade máxima do DPRF; Enviar o processo com a declaração de desnecessidade dos cargos ao MJ; Publicar o ato de disponibilidade; Dar ciência ao servidor e à chefia imediata; Observar as rotinas de exoneração de cargo comissionado ou função gratificada, se for o caso; Observar as rotinas de aposentadoria voluntária e compulsória, se for o caso; Registrar nos sistemas SIAPE/SIAPECAD e SRH; Registrar nos assentamentos funcionais; Observar as rotinas de Frequência e Benefícios; Efetuar os acertos financeiros. 5. FUNDAMENTO LEGAL: Artigos 41, 3º, e 84, inciso XV, da C.F./88; Artigos 30 a 32, da Lei nº 8.112, de 11/12/90; Artigo. 8º da Lei nº 8.270, de 17/12/91; Decreto nº 3.151, de 23/08/99; Orientação Normativa SAF nº 74, de 01/02/91; Orientação Normativa SAF nº 109, de 27/05/ PROCEDIMENTOS PARA LANÇAMENTO NO SIAPE: Consultar a Divisão de Cadastro DICAD/CGRH.

21 21 ESTABILIDADE 1. CONCEITO: Estabilidade é a garantia que o servidor habilitado em concurso público e empossado em cargo de provimento efetivo adquire de permanecer por determinado prazo nos quadros da Administração pública. 2. OCORRÊNCIA: Publicação, no Boletim de Serviço, da aprovação do servidor no Estágio Probatório. 3. INFORMAÇÕES GERAIS: A estabilidade dos servidores públicos federais do poder executivo ocorreu na forma da legislação vigente, das seguintes formas: Para os servidores regidos pela Lei nº 1.711/52, após 3 (três) anos de efetivo exercício no cargo; Para os servidores concursados e admitidos no regime da CLT, após 2 (dois) anos de efetivo exercício no cargo; Os servidores públicos civis da União, admitidos através de concurso público anteriormente a data de publicação da Emenda Constitucional nº 19, de 04/06/98, publicada no Diário Oficial de 05/06/98, são considerados estáveis após 2 (dois) anos de efetivo exercício, na forma dos artigos 41 (redação original) da Constituição Federal/88 e 21 (redação original) da Lei nº 8.112/90. Os servidores nomeados após a publicação da Emenda Constitucional nº 19/98, são considerados estáveis no Serviço Público, após 3 (três) anos de efetivo exercício, na forma dos artigos 41 (na nova redação data pela E. C. nº 19/98) da Constituição Federal/88 e 21 (na nova redação dada pela E. C. nº 19/98) da Lei nº 8.112/90. Os servidores públicos não concursados, que se encontravam em exercício no Serviço Público, em 05/10/88 (data da promulgação da Constituição Federal), há pelo menos 5 (cinco) anos, ininterruptos, são considerados estáveis, nos termos do artigo 19 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. O servidor público estável só perderá o cargo nas seguintes situações: Em virtude de sentença judicial transitada em julgado; Mediante processo administrativo, no qual lhe é assegurado o contraditório e ampla defesa;

22 22 Mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho, na forma de Lei Complementar, assegurada ampla defesa; Por excesso de despesa (Art. 169 da C.F./88; Lei Complementar nº 101 e Lei nº 9.801/99). A perda de cargo público por insuficiência de desempenho do servidor estável, depende de edição de Lei Complementar. Encontra-se em tramitação no Congresso Nacional o Projeto de Lei Complementar nº 248/98, que objetiva disciplinar a matéria. 4. DA INSTRUÇÃO PROCESSUAL: A estabilidade é um ato que se materializa quando é publicada no Boletim de Serviço a aprovação do servidor no estágio probatório. 5. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 8º, inciso VIII e Art. 41 da Constituição Federal/88; Art. 19, 10, inciso II, e 53, inciso I, do ADCT; Parecer SEDAP/PR nº 327/89; Parecer SEDAP/PR nº 84/90; Parecer SEDAP/PR nº 134/90; Parecer SEDAP/PR nº 222/90; Parecer AGU nº 151/98; Ofício-Circular SRH/MPOG nº 16, de 27/07/04; Art. 6º da Emenda Constitucional nº 19/ PROCEDIMENTOS PARA LANÇAMENTO NO SIAPE: Consultar a Divisão de Cadastro DICAD/CGRH.

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN 1. Que vantagens além do vencimento podem ser pagas ao servidor? a) indenizações, que não se incorporam

Leia mais

Principais diferenças entre CARGO EFETIVO, CARGO EM COMISSÃO e FUNÇÃO DE CONFIANÇA:

Principais diferenças entre CARGO EFETIVO, CARGO EM COMISSÃO e FUNÇÃO DE CONFIANÇA: Prof.: Clayton Furtado LEI 8.112/90 clayton_furtado@yahoo.com.br 1ª AULA 1 - Introdução: a. Histórico: Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA

Leia mais

OAB. Direito Administrativo. Prof. Rodrigo Canda LEI 8.112/90

OAB. Direito Administrativo. Prof. Rodrigo Canda LEI 8.112/90 LEI 8.112/90 Art. 5o São requisitos básicos para investidura em cargo público: I - a nacionalidade brasileira; II - o gozo dos direitos políticos; III - a quitação com as obrigações militares e eleitorais;

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 I - DAS REGRAS GERAIS SOBRE A CONTAGEM DO TEMPO DE SERVIÇO

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 I - DAS REGRAS GERAIS SOBRE A CONTAGEM DO TEMPO DE SERVIÇO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 O MINISTRO DE ESTADO CHEFE DA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe conferem a Lei nº 8.490, de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 07 DE MARÇO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 07 DE MARÇO DE 2014 INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 07 DE MARÇO DE 2014 Institui a Política de Remoção dos servidores detentores de cargo efetivo no âmbito do Instituto

Leia mais

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP LEGISLAÇÃO DE PESSOAL COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO Regime Jurídico dos Servidores Públicos Federais Lei nº. 8.112/90 Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO 14º EDITAL DE CONVOCAÇÃO DO CONCURSO PÚBLICO 001/2013

RETIFICAÇÃO DO 14º EDITAL DE CONVOCAÇÃO DO CONCURSO PÚBLICO 001/2013 RETIFICAÇÃO DO 14º EDITAL DE CONVOCAÇÃO DO CONCURSO PÚBLICO 001/2013 1. DA CONVOCAÇÃO E NOMEAÇÃO 1.1. O Prefeito Municipal de Cametá no uso de suas atribuições legais, e em cumprimento ao disposto no item

Leia mais

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1- DEFINIÇÃO APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1.1 Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos calculados de acordo com a média aritmética das maiores remunerações,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 6/2013/CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 6/2013/CM PROVIMENTO N. 6/2013/CM Revoga o Provimento n. 017/2011/CM e estabelece critérios para a remoção e movimentação interna dos servidores do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso. O EGRÉGIO CONSELHO DA

Leia mais

Edital Nº 18/2015 Processo Seletivo Interno para Remoção de Servidores Técnicos Administrativos

Edital Nº 18/2015 Processo Seletivo Interno para Remoção de Servidores Técnicos Administrativos O Reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, nomeado pelo Decreto de 06 de maio de 2014, publicado no Diário Oficial da União em 07 de maio de 2014, visando atender

Leia mais

ABANDONO DE CARGO Ausência intencional do servidor ao trabalho, por mais de 30 (trinta) dias consecutivos.

ABANDONO DE CARGO Ausência intencional do servidor ao trabalho, por mais de 30 (trinta) dias consecutivos. A ABANDONO DE CARGO Ausência intencional do servidor ao trabalho, por mais de 30 (trinta) dias consecutivos. Abandono de Cargo Lei nº 6.677, de 26.09.94 - Arts. 192, inciso II e 198. ABONO Quantia paga

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos Órgãos Setoriais

Leia mais

Em 21 de agosto de 2014, a Reitora da Universidade Federal de São João del- Rei UFSJ, usando de suas atribuições, e considerando:

Em 21 de agosto de 2014, a Reitora da Universidade Federal de São João del- Rei UFSJ, usando de suas atribuições, e considerando: ORDEM DE SERVIÇO N o 062/2014 Em 21 de agosto de 2014, a Reitora da Universidade Federal de São João del- Rei UFSJ, usando de suas atribuições, e considerando: - a Lei n o 8.112 de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

NORMA DE REMOÇÃO NOR 309

NORMA DE REMOÇÃO NOR 309 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: REMOÇÃO DE DIRIGENTES E EMPREGADOS APROVAÇÃO: Deliberação DIREX nº 71, de 25/05/2015 VIGÊNCIA: 25/05/2015 NORMA DE REMOÇÃO NOR 309 1/7 SUMÁRIO 1. FINALIDADE...

Leia mais

ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. CAPÍTULO I DO DIREITO E DA CONCESSÃO

ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. CAPÍTULO I DO DIREITO E DA CONCESSÃO ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº01/2013-SUGEP Regulamenta as normas para concessão do Auxílio

Leia mais

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SEÇÃO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

EDITAL Nº 004, DE 14 DE MARÇO DE 2011

EDITAL Nº 004, DE 14 DE MARÇO DE 2011 EDITAL Nº 004, DE 14 DE MARÇO DE 2011 O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto na alínea c do inciso III do Art.

Leia mais

Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º

Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º PROVIMENTO ART. 8º Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º Significa o preenchimento de um cargo público, consubstanciado mediante ato administrativo de caráter funcional, pois o ato é que materializa ou formaliza

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 Procedência: Governamental Natureza: PLC/0046.0/2013 DO: 19.729, de 31/12/2013 Fonte: ALESC/Coord. Documentação Fixa o subsídio mensal dos integrantes

Leia mais

CONHEÇA MELHOR SEU CONTRACHEQUE

CONHEÇA MELHOR SEU CONTRACHEQUE CONHEÇA MELHOR SEU CONTRACHEQUE DIPES/PROGP 2013 Para esclarecer dúvidas sobre seu pagamento, procure imediatamente sua unidade pagadora. COMPROVANTE DE RENDIMENTOS - FOLHA NORMAL FUND. UNIVERSIDADE DE

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal AJUDA DE CUSTO

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal AJUDA DE CUSTO AJUDA DE CUSTO Cód.: ADC Nº: 19 Versão: 6 Data: 22/09/2014 DEFINIÇÃO Indenização concedida ao servidor público, que, no interesse da Administração, passar a ter exercício em nova sede, com mudança de domicílio,

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA PROJETO DE LEI Nº Disciplina a admissão de pessoal por prazo determinado no âmbito do Magistério Público Estadual, para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público, sob regime administrativo

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Reitoria

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Reitoria AUXÍLIO-TRANSPORTE Eu,, [nome completo do servidor (a)] 1) DECLARO PARA FINS DE PERCEPÇÃO DE AUXÍLIO-TRANSPORTE, e sob as penas da lei que: Ocupo o cargo de: Matrícula SIAPE n : Local de exercício das

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. Fixa os critérios e procedimentos para a realização de concursos públicos de provas e títulos, destinados ao provimento dos cargos efetivos do

Leia mais

LEI Nº 9.586, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 AUTORIA: PODER JUDICIÁRIO (PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO EM 15 DE DEZEMBRO DE 2011.

LEI Nº 9.586, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 AUTORIA: PODER JUDICIÁRIO (PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO EM 15 DE DEZEMBRO DE 2011. LEI Nº 9.586, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 AUTORIA: PODER JUDICIÁRIO (PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO EM 15 DE DEZEMBRO DE 2011.) Dispõe sobre o plano de cargos e carreira e remuneração dos servidores

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal FÉRIAS Cód.: FER Nº: 55 Versão: 10 Data: 05/12/2014 DEFINIÇÃO Período de descanso remunerado com duração prevista em lei. REQUISITOS BÁSICOS 1. Servidor efetivo: - Possuir 12 (doze) meses de efetivo exercício

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 Estabelece orientação aos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC quanto aos procedimentos operacionais

Leia mais

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Dispõe acerca das regras e procedimentos para a concessão, indenização, parcelamento e pagamento da remuneração de férias dos servidores do Instituto

Leia mais

VACÂNCIA 1. DEFINIÇÃO:

VACÂNCIA 1. DEFINIÇÃO: VACÂNCIA 1. DEFINIÇÃO: 1.1. É o desligamento de cargo público federal efetivo, com a geração de vaga, que possibilita o servidor aprovado em concurso público ser nomeado para outro cargo inacumulável,

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO Dispõe sobre a concessão de folgas compensatórias e o gozo de Licença-Prêmio por Assiduidade dos servidores do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal CONCURSO PÚBLICO, NOMEAÇÃO E POSSE

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal CONCURSO PÚBLICO, NOMEAÇÃO E POSSE DEFINIÇÕES CONCURSO PÚBLICO, NOMEAÇÃO E POSSE Cód.: CNP Nº: - Versão: 02 Data: 22/02/2016 Concurso público Processo de seleção de natureza competitiva, aberto ao público geral, para provimento de cargo

Leia mais

Manual de Orientação sobre bolsas de estudo de graduação e ESMESC

Manual de Orientação sobre bolsas de estudo de graduação e ESMESC Manual de Orientação sobre bolsas de estudo de graduação e ESMESC 01) APRESENTAÇÃO 02) BOLSA DE ESTUDO - O QUE É? 03) ADMINISTRAÇÃO DO BENEFÍCIO 04) REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO 05) CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998 Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/8 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos operacionais na administração de recursos humanos; 1.2) Garantir maior segurança na admissão e exoneração de pessoal; 1.3) Manter atualizado

Leia mais

ATO Nº 56/2012. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 56/2012. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 56/2012 Dispõe sobre a concessão da gratificação natalina aos magistrados e servidores do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Emendas Constitucionais Emendas Constitucionais de Revisão Ato das Disposições

Leia mais

CAPÍTULO I DA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL

CAPÍTULO I DA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL REGULAMENTO PARA SOLICITAÇÃO, CONCESSÃO E USUFRUTO DA LICENÇA PARA CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS DE QUE TRATA A NS Nº 570 de 22/05/2006 CAPÍTULO I DA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL 1.1 A licença

Leia mais

BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes

BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes Que norma regulamenta a concessão da bolsa de estudo? A Instrução Normativa nº 104, de 25 de janeiro de 2010, regulamenta a concessão

Leia mais

EDITAL Nº 292/IFC/REITORIA/2015

EDITAL Nº 292/IFC/REITORIA/2015 INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE - EDITAL Nº 292/IFC//2015 Torna pública a abertura do processo seletivo de servidores técnico-administrativos para as vagas de afastamento integral para pós-graduação stricto

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM EMPREGOS DE NÍVEL SUPERIOR COMPLETO EDITAL Nº 02/2011

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM EMPREGOS DE NÍVEL SUPERIOR COMPLETO EDITAL Nº 02/2011 PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM EMPREGOS DE NÍVEL SUPERIOR COMPLETO EDITAL Nº 02/2011 A Fundação de Educação Tecnológica e Cultural da Paraíba FUNETEC/PB, pessoa jurídica

Leia mais

Vencimento Qualificação Exigida. - Formação Superior de Engenharia Civil. Engenheiro Civil

Vencimento Qualificação Exigida. - Formação Superior de Engenharia Civil. Engenheiro Civil O PREFEITO MUNICIPAL DE FRAIBURGO, Estado de Santa Catarina, no uso de suas atribuições; FAZ SABER: Encontram-se abertas as inscrições para o Processo Seletivo da função abaixo descrita para Admissão em

Leia mais

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão.

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 37º FONAI Maceió-AL Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 26 a 30/11/2012 Oficina Técnica Regras de Aposentadoria no Setor Público Pessoal Civil Cleison Faé Aposentadoria no Setor Público

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO ACRE Tribunal de Justiça - Presidência

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO ACRE Tribunal de Justiça - Presidência EDITAL N o 9/2012. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ACRE, DESEMBARGADOR ADAIR LONGUINI, TORNA PÚBLICA A ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PRESTADORES

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 Vide texto compilado Mensagem de veto Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos

Leia mais

Coordenação de Cadastro/DP

Coordenação de Cadastro/DP CONHECENDO A UFRRJ: um olhar mais próximo da estrutura física, organizacional, funcional e cultural da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Coordenação de Cadastro/DP SEÇÃO DE CADASTRO Controle

Leia mais

Parágrafo único. Os servidores docentes podem candidatar-se somente em caso de formação de mestrado ou doutorado.

Parágrafo único. Os servidores docentes podem candidatar-se somente em caso de formação de mestrado ou doutorado. RESOLUÇÃO N o 014, de 23 de dezembro de 2009. Regulamenta o Programa de Incentivo à Formação dos Servidores (PROSER) da UFSJ. O PRESIDENTE DO CONSELHO DIRETOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

Leia mais

SERVIDOR PÚBLICO. Pode-se dizer que são três as categorias de servidor público:

SERVIDOR PÚBLICO. Pode-se dizer que são três as categorias de servidor público: SERVIDOR PÚBLICO São servidores públicos, em sentido amplo, as pessoas físicas que têm vínculo de trabalho com a Administração Municipal, seja direta ou indireta, mediante remuneração paga pelos cofres

Leia mais

I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SUMÁRIO Manifestações sobre a 8.ª edição Palavras do leitor Citações por Ministros do Superior Tribunal de Justiça Ministros do Tribunal de Contas da União Obras e publicações do autor Livros publicados

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA RESOLUÇÃO Nº 02/2012 Regulamenta o processo de remoção de Servidores Técnico-Administrativos,

Leia mais

EDITAL nº 67/2015/DGP/IFAL, DE 10 DE JUNHO DE 2015 PROCESSO SELETIVO DE CADASTRO DE RESERVA PARA A REMOÇÃO DE DOCENTES

EDITAL nº 67/2015/DGP/IFAL, DE 10 DE JUNHO DE 2015 PROCESSO SELETIVO DE CADASTRO DE RESERVA PARA A REMOÇÃO DE DOCENTES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS-DGP COORDENAÇÃO DE CONTRATO E ADMISSÃO DE PESSOAL-CCAP EDITAL nº 67/2015/DGP/IFAL, DE

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO ATO Nº 20/2005 (Revogado pelo Ato nº 56/2012) Dispõe sobre a concessão da gratificação natalina aos servidores do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO

Leia mais

Cartilha Ponto Biométrico

Cartilha Ponto Biométrico Cartilha Ponto Biométrico Secretaria Municipal de Administração, Orçamento e Informação 2 CONTROLE E APURAÇÃO DA FREQUÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA DO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS Prezado

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO NORMA OPERACIONAL/DIRAD/N 04, DE 7 DE AGOSTO DE 2014

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO NORMA OPERACIONAL/DIRAD/N 04, DE 7 DE AGOSTO DE 2014 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO NORMA OPERACIONAL/DIRAD/N 04, DE 7 DE AGOSTO DE 2014 Define os procedimentos relativos à concessão de auxílio-moradia

Leia mais

EDITAL ANAC Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2012. PROCESSO SELETIVO INTERNO DE REMOÇÃO Nº 1

EDITAL ANAC Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2012. PROCESSO SELETIVO INTERNO DE REMOÇÃO Nº 1 EDITAL ANAC Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2012. PROCESSO SELETIVO INTERNO DE REMOÇÃO Nº 1 O DIRETOR-PRESIDENTE DA ANAC, no uso de suas atribuições, conferidas pelo artigo art. 16 da Lei nº 11.182, de 27 de setembro

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015 Publicada no DJE/STF, n. 122, p. 1-2 em 24/6/2015. RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015 Dispõe sobre as férias dos servidores do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL,

Leia mais

REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013.

REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013. REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013. Dispõe acerca da Política de uso do PONTO ELETRÔNICO E DA JORNADA DE TRABALHO dos servidores do Instituto

Leia mais

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Publicada D.O.E. Em 23.12.2003 LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Reestrutura o Plano de Carreira do Ministério Público do Estado da Bahia, instituído pela Lei nº 5.979, de 23 de setembro de 1990,

Leia mais

Município de Montes Claros MG Procuradoria Jurídica

Município de Montes Claros MG Procuradoria Jurídica PORTARIA Nº 01, de 15 de janeiro de 2007. Estabelece critérios visando à convocação para contratação de pessoal, por excepcional interesse público, na composição do Quadro de Pessoal das Unidades Municipais

Leia mais

considerando a necessidade de conceder incentivos ao estudo de idioma estrangeiro para os servidores ativos da Anvisa, resolve:

considerando a necessidade de conceder incentivos ao estudo de idioma estrangeiro para os servidores ativos da Anvisa, resolve: Nº21 29/04/2013 Boletim de Serviço 19/164 PORTARIA Nº 763/ANVISA, DE 29 DE ABRIL DE 2013 Dispõe sobre limites e procedimentos para concessão de bolsa de estudo de idioma estrangeiro aos servidores ativos

Leia mais

Tramita como documento, é anexado a processo ou dá origem a processo? CLASSIFICAÇÃO ARQUIVÍSTICA ESPÉCIE/FORMATO

Tramita como documento, é anexado a processo ou dá origem a processo? CLASSIFICAÇÃO ARQUIVÍSTICA ESPÉCIE/FORMATO OBSERVAÇÕES INICIAIS Deve-se dar preferência ao trâmite de documentos, pois assim o trâmite será mais rápido, menos burocrático e gastará menos recursos(capas plásticas, folhas de rosto, prendedores plásticos,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO EDITAL PROGRAD Nº 18/2008, DE 22 DE JULHO DE 2008 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DO PROGRAMA PRÓ-ESTÁGIO UFGD 2008 O PRÓ-REITOR DE ENSINO DE GRADUAÇÃO da Fundação Universidade Federal da Grande Dourados, no uso

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR Cód.: AUE Nº: 31 Versão: 8 Data: 14/07/2015 DEFINIÇÃO Benefício concedido ao servidor ativo para propiciar assistência pré-escolar aos seus dependentes, durante sua jornada de trabalho.

Leia mais

FÉRIAS DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES

FÉRIAS DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES FÉRIAS DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Período de descanso remunerado com duração prevista em lei (Lei 8.112/90 artigos 77 a 80).

Leia mais

REGULAMENTO Nº 006, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

REGULAMENTO Nº 006, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. REGULAMENTO Nº 006, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Dispõe acerca das regras e procedimentos para a concessão de ajuda de custo e transporte dos servidores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA Nº 1, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2012

PORTARIA CONJUNTA Nº 1, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2012 PORTARIA CONJUNTA Nº 1, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2012 A SECRETÁRIA DE GESTÃO PÚBLICA E A SECRETÁRIA DE ORÇAMENTO FEDERAL DO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO E A CONSULTOR-GERAL DA UNIÃO DA ADVOCACIA-GERAL

Leia mais

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia PROCEDIMENTOS E ROTINAS AO DARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Título: Instrução Normativa nº. 001/2012. Ementa: Recomenda procedimentos para o Departamento de Recursos Humanos dos Órgãos da Administração Direta

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS, usando das atribuições legais e regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS, usando das atribuições legais e regimentais, DECRETO JUDICIÁRIO Nº 1543/2013. Dispõe sobre a Regulamentação da concessão de Bolsa de Graduação e Pós-Graduação no âmbito do Poder Judiciário do Estado de Goiás. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº 10.435, de 24 de abril de 2002

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº 10.435, de 24 de abril de 2002 NORMA PARA PARTICIPAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA, EM TREINAMENTO REGULARMENTE INSTITUÍDO EDUCAÇÃO FORMAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Estabelece critérios para participação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000.

RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000. RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000. Dispõe sobre as férias dos servidores do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o art.

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PROFESSOR TEMPORÁRIO

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PROFESSOR TEMPORÁRIO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PROFESSOR TEMPORÁRIO EDITAL Nº05/2012 BR-020,S/N/ Primavera São Raimundo Nonato PI FONE: (0xx89) 3582-182

Leia mais

EDITAL Nº 104/2015 CADASTRO DE RESERVA PARA REMOÇÃO A PEDIDO

EDITAL Nº 104/2015 CADASTRO DE RESERVA PARA REMOÇÃO A PEDIDO CADASTRO DE RESERVA PARA REMOÇÃO A PEDIDO O VICE-REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no exercício da Reitoria, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, de acordo com os termos do Processo

Leia mais

Art. 5º O Plano de Capacitação dos Servidores compreende as seguintes ações:

Art. 5º O Plano de Capacitação dos Servidores compreende as seguintes ações: PORTARIA Nº 2143, DE 12 DE JUNHO DE 2003. Institui o Plano de Capacitação de Servidores e regulamenta a participação de servidores em eventos de capacitação no âmbito do TRT da 4ª Região. A PRESIDENTE

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO EDITAL Nº. 01/2010, REFERENTE À CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO EDITAL Nº. 01/2010, REFERENTE À CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA PROCESSO SELETIVO PÚBLICO EDITAL Nº. 01/2010, REFERENTE À CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA O Diretor Presidente do Departamento Municipal de Eletricidade de Poços de Caldas DME-PC, no uso de suas atribuições, considerando

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014.

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014. TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014. Dispõe sobre a concessão de bolsa de estudo para curso de língua estrangeira no âmbito do Tribunal Superior

Leia mais

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS O SINTFUB entende que o servidor que está para aposentar tem de ter esclarecimento sobre os tipos e regras para aposentadorias hoje vigentes antes de requerer esse direito.

Leia mais

Prefeitura de São Luís. Secretaria Municipal de Meio Ambiente SEMMAM

Prefeitura de São Luís. Secretaria Municipal de Meio Ambiente SEMMAM Prefeitura de São Luís Secretaria Municipal de Meio Ambiente SEMMAM A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de São Luís SEMMAM, considerando o disposto na Lei Federal nº. 8.745/93 e suas alterações, na

Leia mais

ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS LEI 8.112/90. Profª Lana Furtado

ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS LEI 8.112/90. Profª Lana Furtado ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS LEI 8.112/90 Profª Lana Furtado AGENTES PÚBLICOS: Toda pessoa física que presta serviços ao Estado e às pessoas jurídicas da Administração Indireta, conforme elencado

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 21, DE 24 DE SETEMBRO DE 2010

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 21, DE 24 DE SETEMBRO DE 2010 PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 21, DE 24 DE SETEMBRO DE 2010 EMENTA: Dispõe sobre a participação de servidores ocupantes de cargos

Leia mais

SAÚDE CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL

SAÚDE CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL 1PLANOS DE SAÚDE CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL CARTA DE SERVIÇOS A Carta de Serviços é uma ferramenta de gestão criada pelo Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização GesPública.

Leia mais

É o retorno do servidor posto em disponibilidade. A disponibilidade não é uma forma de punição, é uma garantia do servidor.

É o retorno do servidor posto em disponibilidade. A disponibilidade não é uma forma de punição, é uma garantia do servidor. Turma e Ano: TJ ANALISTA JUDICIÁRIO e EXECUTANTE (2014) Matéria / Aula: Estatuto dos Servidores / Aula 2 Professor: Marcelo Chaves Monitor: Juliana Louzada FORMAS DE PROVIMENTO: Recondução: Segundo a Constituição,

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS Palestra Tema: Formalização de Processo Administrativo na Gestão de Pessoas Aposentadoria é a contraprestação assistencial por serviços prestados, nos termos da

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.421, DE 05 DE ABRIL DE 2010. (publicada no DOE nº 062, de 05 de abril de 2010 2ª edição) Institui a Carreira

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI COMPLEMENTAR N. 305, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015 Cria o Corpo Voluntário de Militares do Estado da Reserva Remunerada e dispõe sobre a convocação dos inscritos para serviço ativo em caráter transitório.

Leia mais

RESOLVE: TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

RESOLVE: TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Dispõe sobre os procedimentos internos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, referentes ao Estágio Probatório, nos termos do Art. 41 4.º da Constituição da República Federativa do Brasil.

Leia mais

RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA

RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA O Presidente do CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO - FADISA, Professor Ms. ANTÔNIO

Leia mais

Prefeitura do Município de Carapicuíba Estado de São Paulo

Prefeitura do Município de Carapicuíba Estado de São Paulo EDITAL Nº 0005/2011 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO A Comissão Permanente de Acompanhamento de Processos Seletivos do Município de Carapicuíba, nomeada pelo Decreto Municipal n.º 3.918 de 30 de setembro

Leia mais

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001/2009 DIREH, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001/2009 DIREH, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001/2009 DIREH, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 Dispõe sobre os procedimentos a serem adotados para o ressarcimento, mediante auxílio

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO LEI Nº516/2012- DE 09 DE ABRIL DE 2012 Altera a Lei Municipal nº 280, de 30 de março de 2004, que dispõe sobre o Estatuto Geral do Servidores Públicos do Município de São José do Povo. JOÃO BATISTA DE

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 50, DE 24 DE MAIO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 50, DE 24 DE MAIO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 50, DE 24 DE MAIO DE 2007 Regulamenta as atividades de instrutoria interna no âmbito do Supremo Tribunal Federal. O DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS 1 APRESENTAÇÃO A Coordenação de Controle e Expedição de Diárias da Reitoria do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba,

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal SUBSTITUIÇÃO DE CHEFIA

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal SUBSTITUIÇÃO DE CHEFIA SUBSTITUIÇÃO DE CHEFIA Cód.: SCH Nº: 106 Versão: 9 Data: 15/12/2015 DEFINIÇÃO É o período em que o servidor permanece no exercício de cargo ou função de direção ou chefia nos afastamentos, impedimentos

Leia mais

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional;

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional; (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL DECRETO Nº 10.609,

Leia mais

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Universidade Federal Fluminense

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Universidade Federal Fluminense ESTÁGIO PROBATÓRIO Lei nº 12.772 de 28 de Dezembro de 2012 Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos do Magistério Federal; - sobre a Carreira do Magistério Superior, de que trata a Lei

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL DEPARTAMENTO PESSOAL DÚVIDAS MAIS FREQUENTES 1 1. Documentos necessários para admissão Para o processo de admissão, o novo funcionário deverá apresentar a relação de documentos abaixo: *Carteira de Trabalho

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares Cria o Plano de Carreira dos Servidores Técnicos e Administrativos da Polícia Rodoviária Federal e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono

Leia mais

MINISTÉRIO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008.*

MINISTÉRIO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008.* MINISTÉRIO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008.* Estabelece orientação sobre a aceitação de estagiários no âmbito da Administração

Leia mais

DADOS PESSOAIS. Endereço: Município: Bairro: CEP: Complemento:

DADOS PESSOAIS. Endereço: Município: Bairro: CEP: Complemento: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL DADOS PESSOAIS Sexo: ( ) Masculino ( ) Feminino Data de Nascimento: / / Naturalidade:

Leia mais