PROJETOS E PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETOS E PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO"

Transcrição

1 PROJETOS E PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA 2.1 PROGRAMA BOLSA ESCOLA DA FAMILIA (*) As Faculdades da UNIESP, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria da Educação, desde 2003, vem contribuindo para a inserção de jovens no ensino superior, dentro do Programa Escola da Família. Por força desse programa, todos os finais de semana, as escolas da Rede Estadual de Ensino abrem suas portas às comunidades e com o trabalho voluntário dos estudantes oferecem atividades voltadas às áreas esportivas, culturais, educacionais, de saúde e de qualificação para o trabalho, transformando-as em centro de convivência. Em contrapartida o aluno participante estuda com bolsa de 100%, sendo 50% custeada pela Faculdade e 50% pelo Governo do Estado. Quem pode se inscrever no Programa Bolsa Escola da Família? Podem se inscrever, os alunos que estiverem regularmente matriculados em cursos de graduação ou tecnólogo das Faculdades da UNIESP, 1 que tenham interesse e disponibilidade para desenvolver as atividades do Programa junto às escolas públicas estaduais, aos finais de semana, por 12 (doze) horas. Qual é o período para inscrição? As inscrições podem ser efetuadas entre os dias 1 e 12 de cada mês e/ou de acordo com o calendário lançado pela SEE (Secretaria do Estado de Educação), no site ao longo de todo o semestre. No entanto, para que tenha uma chance maior de contemplação, o ideal é que as inscrições sejam feitas em janeiro ou julho de cada ano. Quais os procedimentos para inscrição? Para se candidatar ao Programa Bolsa Escola da Família, o universitário deve preencher o formulário de inscrição on-line, no site e levar a documentação que comprove sua condição sócio-econômica e acadêmica à Diretoria de Ensino que contempla a escola que escolheu para atuar. Quais os documentos necessários a serem apresentados pelo candidato? O aluno inscrito no Programa Bolsa Escola da Família deve apresentar na Diretoria de Ensino, a qual pertence a escola escolhida para prestação de serviços, os seguintes documentos originais acompanhados de cópia: CPF; RG; Título de eleitor e último comprovante de votação; 1 (*)Apenas para as Faculdades da UNIESP habilitadas no Programa 12

2 Certificado de reservista (se homem com 18 anos ou mais); Certidão de casamento; Certidão de nascimento dos filhos menores de 21 anos; Comprovação de renda familiar mediante demonstrativo de pagamento, ou ganho, se autônomo (ex.: holerite, recibo, contrato de trabalho); Histórico escolar do ensino médio; Comprovantes de residência como: contas de água e luz; Recibo de pagamento do último aluguel ou recibo de financiamento do imóvel; Comprovante de pagamento do boleto da faculdade para quem ingressou no programa após o início das aulas. Quais os critérios de classificação do candidato inscrito no Programa? São considerados para classificação dos candidatos inscritos os seguintes aspectos: Renda mensal do candidato; Renda mensal familiar; Despesa fixa mensal da casa; Número de pessoas que moram na casa; Número de pessoas que trabalham na casa; Tipo de moradia. Quem avalia a documentação do aluno para classificação? As Diretorias de Ensino dos Estado de São Paulo verificam a documentação dos candidatos e aprovam as fichas de inscrição. As Faculdades da UNIESP ratificam a matrícula do candidato no curso indicado em sua ficha de inscrição, e a coordenadoria do programa seleciona o aluno de acordo com a renda demonstrada nos documentos entregues. Há critérios de prioridade para concessão da Bolsa? E quem é beneficiado? Sim, têm prioridade na concessão do benefício: Os candidatos à bolsa egressos do CEFAM, conforme disposto na Resolução SE 119 de 17/11/2003; Os egressos da Fundação Casa; Os formados pelo Programa Escola da Juventude; Os bolsistas de Instituições de Ensino Superior, que não vierem a renovar o convênio, se matriculados ou transferidos para cursos de Instituições de Ensino Superior conveniadas. Qual a carga horária de trabalho que o aluno deve prestar nas escolas estaduais? O aluno contemplado com a bolsa de 100% deve prestar 12 horas de trabalho nas escolas estaduais aos finais de semana, sendo 08 horas aos sábados e 08 horas aos domingos. Os alunos com aulas aos sábados, na grade do curso, devem repor as horas faltantes durante a semana junto a Diretoria de Ensino. Quais as atribuições do Educador Universitário? São atribuições do Educador Universitário beneficiado pelo Programa: 13

3 Elaborar plano de atividades que serão desenvolvidas no Programa Bolsa Escola da Família, conforme orientações recebidas; Cumprir a carga horária de 16 horas aos finais de semana, nos espaços escolares previamente indicados pela Diretoria de Ensino; Elaborar relatórios mensais das atividades desenvolvidas, que serão entregues ao Educador Profissional responsável pelo acompanhamento do Programa na unidade escolar; Participar das reuniões de capacitação e avaliação do Programa; Apresentar-se com pontualidade e assiduidade à unidade escolar indicada; Comunicar ao Educador Profissional, previamente, as possíveis ausências, não excedendo em três faltas semestrais; Contribuir para o bom andamento do Programa, cumprindo com responsabilidade as tarefas junto à comunidade participante; Utilizar os conhecimentos adquiridos no curso de graduação ou suas habilidades pessoais no exercício de suas funções; Garantir a qualidade de seu rendimento escolar no curso de graduação. O aluno classificado pode ser excluído do programa ou perder a bolsa? Por quê? Sim. O aluno contemplado pode ser desclassificado: Se não comprovar as declarações feitas no formulário de inscrição; Se perder os prazos estabelecidos pelas convocações; Se fraudar ou prestar informações falsas na inscrição junto ao Programa (nesse caso, além da desclassificação, o candidato estará sujeito às sanções do Código Penal Brasileiro); Se não aceitar a unidade escolar para a qual foi designado pela Diretoria de Ensino, onde deveria desenvolver as atividades do Programa Bolsa Escola da Família; Se desistir do curso de graduação ou ser reprovado no mesmo, por baixo rendimento escolar ou frequência; Se exceder o limite de três (3) faltas por semestre nas atividades do Programa Bolsa Escola da Família; Se incorrer em indisciplina ou falta grave no exercício de sua função como Educador-Universitário; O aluno que desistir do Programa Bolsa Escola da Família pode ser contemplado em algum outro projeto da UNIESP? O aluno que desistir do benefício do Programa Bolsa Escola da Família poderá ser beneficiado pelo FIES. O aluno que ficar na lista de espera do Programa Bolsa Escola da Família precisa fazer inscrição novamente todos os meses para o programa? O aluno que consta na lista de espera do Programa Bolsa Escola da Família, caso não seja contemplado com a bolsa neste ínterim, precisa refazer a inscrição todo o início de semestre, nos meses de janeiro e julho. 14

4 O aluno que está na lista de espera do Programa Bolsa Escola da Família tem algum benefício? Não. Quando o nome do aluno consta na lista de espera do Programa significa que está prestes a ser contemplado com a bolsa. 2.2 PROGRAMA BOLSA ALFABETIZAÇÃO (*) O Programa Bolsa Alfabetização foi criado pelo Decreto de 1º de março de 2007, introduzindo, em caráter de colaboração, a participação de alunos das Instituições de Ensino Superior na prática pedagógica de sala de aula, junto aos professores da rede pública estadual. Essa vivência propicia não só a oportunidade de conhecer a realidade escolar, como também a possibilidade de associar a teoria acadêmica com a prática. Os estudantes dos cursos de Letras e Pedagogia batizados com o nome de alunos pesquisadores (AP) passam a apoiar os professores nas salas de aula do 2º ano do ciclo I ou em classes do mesmo ciclo, voltados para a recuperação da aprendizagem, na complexa ação pedagógica de garantir a obtenção das competências de leitura e de escrita por todos os alunos. Nesse processo, a prioridade dos APs em sala de aula é trabalhar com crianças que têm mais conhecimentos em leitura e escrita, fazendo intervenções de modo que, junto com o professor titular, todos, na classe, possam avançar. A concepção que orienta tanto a atuação de um, quanto a do outro, é a do Ler e Escrever, programa estreitamente vinculado ao Bolsa Alfabetização. Além da rotina cotidiana, o AP, como o próprio nome diz, faz uma pesquisa de natureza didática na sala de aula em que está atuando, para acompanhar o avanço dos alunos na leitura e na escrita. Orientado pelo respectivo professor orientador (PO) da Instituição de Ensino Superior onde estuda, ele observa e registra as atividades didáticas desenvolvidas em sala de aula, aprofundando esses procedimentos com estudos sobre os temas desenvolvidos. Essa investigação feita pelos alunos em sala de aula conta com a supervisão da Profª Delia Lerner, docente da Universidade de Buenos Aires. O Programa Bolsa Alfabetização foi estruturado com o propósito de discutir, junto às instituições formadoras, problemas relacionados à didática de alfabetização, que trazem questões vivas e candentes da prática educativa em sala de aula, para que se constituam conteúdo da formação inicial dos professores. São objetivos do Programa: Aprimorar a formação inicial dos estudantes dos cursos de Pedagogia e de Letras, possibilitando-lhes atuar como docentes da rede pública de ensino, tendo conhecimento de tal realidade; Favorecer o acesso à leitura e à escrita a todos os alunos do 2º ano ou de classes do mesmo ciclo, voltadas à recuperação da aprendizagem; Comprometer as IES com a causa do ensino público. 15

5 Ano a ano o Programa vem ampliando a parceria com as instituições de ensino superior de todo o Estado, e isso representa mais alunos pesquisadores em franca atuação, participando diretamente na aprendizagem dos alunos da rede. Quem pode ser contemplado pelo Programa Bolsa Alfabetização? Poderá candidatar-se a aluno-pesquisador, junto a uma Instituição de Ensino Superior conveniada, o estudante universitário que preencher integralmente os seguintes requisitos, conforme disposto na Resolução SE 74, de : Estar regularmente matriculado e frequentando um dos cursos: 1. Pedagogia; 2. Licenciatura Plena em Letras; 3. Pós-Graduação Stricto Sensu na área de didática da alfabetização. Ter interesse e disponibilidade para cumprir a carga horária de 20 (vinte) horas semanais, sendo 04 (quatro) horas diárias, incluindo duas horas semanais em ATPC (Atividade de Trabalho Pedagógico Coletivo), compatíveis com seu horário escolar, de segunda a sexta-feira, em classe de 2º ano do ciclo I do Ensino Fundamental ou em classe do mesmo ciclo, voltada à recuperação da aprendizagem, desenvolvendo atividades junto ao professor regente, conforme disposto no Artigo 5º da Resolução nº 74, de ; Dispor de, no mínimo, duas horas semanais, para participar das reuniões com o professor orientador, em sua Instituição de Ensino Superior, nas datas estipuladas no Plano de Trabalho apresentado; Não ser beneficiário de bolsa de estudos, financiamento universitário ou similar oriundos de recursos públicos. Como o Aluno Pesquisador pode se inscrever? Em primeiro lugar, é necessário saber se a instituição de ensino 2 em que você estuda faz parte do convênio com a Secretaria da Educação do Estado. Se fizer, você poderá inscrever-se em sua própria instituição, com o interlocutor administrativo ou com o professor orientador do Projeto. O que é necessário para se inscrever no Programa? Para seleção do aluno pesquisador, em consonância com os objetivos do Projeto, será considerado: Participação bem avaliada em Projetos, nos anos anteriores; Assiduidade; Desempenho acadêmico; Condição socioeconômica; Sociabilidade; Facilidade de acesso à região escolhida para a pesquisa; Interesse pelos fundamentos teóricos do Programa Ler e Escrever. Quais as atribuições do Aluno Pesquisador? Cabe ao aluno pesquisador, sob a supervisão de seu professor orientador: 2 (*) Apenas para as Faculdades da UNIESP habilitadas no Programa 16

6 Conhecer os documentos que regem a unidade escolar, como o Regimento e a Proposta Pedagógica; Informar-se sobre o perfil da comunidade atendida pela escola; Conhecer o Planejamento Anual do professor regente; Cumprir 20 (vinte) horas semanais na escola que abriga sua pesquisa didática, escolhida sob orientação de seu professor orientador, sendo: 18 (dezoito) horas em sala de aula e 02 (duas) em ATPC Atividade de Trabalho Pedagógico Coletivo; Estabelecer vínculo de respeito mútuo com o diretor, vice-diretor, professor coordenador, professor regente, alunos e demais funcionários da escola; Atuar, auxiliando o professor regente na elaboração de diagnósticos pedagógicos, quanto às hipóteses da escrita; Planejar e executar, sempre em parceria com o professor regente, atividades pedagógicas, para serem desenvolvidas individualmente ou em grupo; Participar de todos os encontros de formação promovidos pela Instituição de Ensino Superior, sendo que as faltas não serão permitidas e acarretam motivo de desligamento do aluno pesquisador do Projeto; Registrar as atividades, constatações e reflexões propiciadas pela prática em sala de aula ou suscitadas pelo projeto de pesquisa a ser desenvolvido, junto à Instituição de Ensino Superior; Apresentar e discutir com seu professor orientador os apontamentos registrados em sala de aula; Desenvolver a pesquisa formativa de orientação didática conforme os encaminhamentos de seu professor orientador; Participar das reuniões de formação e avaliação do Projeto, sempre que solicitado pelos professores coordenadores, nas unidades escolares, e pelos professores orientadores, nas Instituições de Ensino Superior, respeitando sua carga horária. O Aluno Pesquisador pode ser desligado do programa? O aluno pesquisador poderá ser desligado do Projeto quando: Por qualquer motivo, deixar de ser aluno regular da Instituição de Ensino Superior; Não cumprir a carga horária estabelecida, tanto na escola em que atua quanto nas reuniões semanais com o professor orientador; Não contribuir para o bom andamento do Projeto, deixando de cumprir com responsabilidade as atividades junto ao professor regente da classe; Desistir do curso de graduação ou ser reprovado por baixo rendimento escolar ou frequência; Incorrer em indisciplina ou falta grave no exercício de sua colaboração como aluno pesquisador; For denunciado ou, por qualquer motivo, não for firmado o convênio entre sua Instituição de Ensino Superior e a Secretaria de Estado da Educação / Fundação para o Desenvolvimento da Educação; Exceder a 3 (três) dependências, ao longo do curso de graduação, ou ao limite de dependências, segundo a política adotada pela Instituição de Ensino Superior. 17

7 Para efetuar o desligamento do aluno pesquisador do Projeto, a Instituição de Ensino Superior ou a Diretoria Regional de Ensino deverá entrar no site e solicitar sua desativação, por meio de opção específica. O aluno contemplado pelo programa precisa pagar a matrícula? Sim. A matrícula precisa ser paga, porque o candidato precisa estar matriculado para fazer a inscrição para o programa Em que período do ano as inscrições são abertas para um candidato a aluno pesquisador? No início do ano, permanecendo abertas durante quase todo o período letivo, encerrando-se geralmente a partir de setembro. Onde é realizada a inscrição para se pleitear uma vaga a aluno pesquisador? Nas Faculdades da UNIESP, conveniadas ao Programa. Graduandos de quais cursos podem participar do Bolsa Alfabetização? Pedagogia, Letras. Qual o valor do repasse financeiro à instituição de ensino superior? O aluno pesquisador tem direito à ajuda de custo (transporte e alimentação) no valor de R$ 200,00. 18

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA MANUAL DOS PROJETOS SOCIAIS FACULDADES E CENTROS UNIVERSITÁRIOS DA UNIESP. 2º Semestre de 2014

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA MANUAL DOS PROJETOS SOCIAIS FACULDADES E CENTROS UNIVERSITÁRIOS DA UNIESP. 2º Semestre de 2014 PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA MANUAL DOS PROJETOS SOCIAIS FACULDADES E CENTROS UNIVERSITÁRIOS DA UNIESP 2º Semestre de 2014 VF002 JULHO - 2014 MISSÃO UNIESP Praticar a Educação Solidária, possibilitando o

Leia mais

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA BOLSA UNIVERSIDADE. Seção I DO EDUCADOR UNIVERSITÁRIO

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA BOLSA UNIVERSIDADE. Seção I DO EDUCADOR UNIVERSITÁRIO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA BOLSA UNIVERSIDADE REGULAMENTO 2010 Seção I DO EDUCADOR UNIVERSITÁRIO Capítulo I CANDIDATOS À BOLSA-UNIVERSIDADE Poderá candidatar-se a Educador Universitário do Programa Escola

Leia mais

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA E FACULDADE SUMARÉ CONDIÇÕES GERAIS PARA OBTENÇÃO E MANUTENÇÃO DA BOLSA INTEGRAL DE ESTUDO

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA E FACULDADE SUMARÉ CONDIÇÕES GERAIS PARA OBTENÇÃO E MANUTENÇÃO DA BOLSA INTEGRAL DE ESTUDO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA E FACULDADE SUMARÉ CONDIÇÕES GERAIS PARA OBTENÇÃO E MANUTENÇÃO DA BOLSA INTEGRAL DE ESTUDO Capítulo I candidatos à Bolsa-Universidade Poderá candidatar-se a Educador Universitário

Leia mais

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA BOLSA UNIVERSIDADE. Seção I DO EDUCADOR UNIVERSITÁRIO

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA BOLSA UNIVERSIDADE. Seção I DO EDUCADOR UNIVERSITÁRIO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA BOLSA UNIVERSIDADE REGULAMENTO 2015 Seção I DO EDUCADOR UNIVERSITÁRIO Capítulo I CANDIDATOS AO BOLSA-UNIVERSIDADE Pode candidatar-se a Educador Universitário do Programa Escola

Leia mais

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA BOLSA UNIVERSIDADE. Seção I DO EDUCADOR UNIVERSITÁRIO

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA BOLSA UNIVERSIDADE. Seção I DO EDUCADOR UNIVERSITÁRIO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA BOLSA UNIVERSIDADE REGULAMENTO 2014 Seção I DO EDUCADOR UNIVERSITÁRIO Capítulo I CANDIDATOS AO BOLSA-UNIVERSIDADE Pode candidatar-se a Educador Universitário do Programa Escola

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2011-2º.

MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2011-2º. MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2011-2º. semestre Caro Candidato, Este é o manual do processo seletivo para o Curso de Pedagogia do Instituto Superior de Educação de São Paulo Singularidades para

Leia mais

FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC

FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC SUMÁRIO CAPÍTULO I... 1 DO PROGRAMA DE BOLSAS... 1 CAPÍTULO II... 1 DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... 1 CAPÍTULO III...

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDOS. Faculdade de Direito de Alta Floresta FADAF

REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDOS. Faculdade de Direito de Alta Floresta FADAF REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDOS Faculdade de Direito de Alta Floresta FADAF 2011 SUMÁRIO CAPÍTULO I... 3 DO PROGRAMA DE BOLSAS... 3 CAPÍTULO II... 3 DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... 3 CAPÍTULO III... 3 DAS

Leia mais

100% Brasileira MANUAL DOS PROJETOS SOCIAIS FACULDADES E CENTROS UNIVERSITÁRIOS PARCEIROS DO GRUPO EDUCACIONAL UNIESP. 1º Semestre de 2014

100% Brasileira MANUAL DOS PROJETOS SOCIAIS FACULDADES E CENTROS UNIVERSITÁRIOS PARCEIROS DO GRUPO EDUCACIONAL UNIESP. 1º Semestre de 2014 MANUAL DOS PROJETOS SOCIAIS FACULDADES E CENTROS UNIVERSITÁRIOS PARCEIROS DO GRUPO EDUCACIONAL UNIESP 1º Semestre de 2014 VF001 NOVEMBRO - 2013 MISSÃO UNIESP Alcançar a oferta e a prática de uma educação

Leia mais

A matrícula será realizada nos dias 8 e 9 de dezembro de 2015, no horário das 8 às 16 horas.

A matrícula será realizada nos dias 8 e 9 de dezembro de 2015, no horário das 8 às 16 horas. Perguntas frequentes: 1) Quais os dias de prova do Vestibular Univale 2016? Você pode escolher qual o melhor dia para fazer as provas do Vestibular Univale 2016. 28 de novembro de 2015 (sábado), das 15

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Art. 1º - O programa de Iniciação Científica da

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO Para se candidatar é necessário: Ter concluído o Ensino Médio na rede estadual ou municipal do Estado de São Paulo (onde deve ter cursado as três séries); Estar regularmente

Leia mais

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF REGULAMENTO N. 005/2015 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE PESQUISA NUPES DA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR - GARÇA/SP Vanessa Zappa, Diretora da FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF GARÇA/SP,

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 1. ABERTURA O Diretor Geral do IFBA Campus Jacobina, no uso de suas atribuições, faz saber que,

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA

PROGRAMA DE MONITORIA PROGRAMA DE MONITORIA 17/12/2006 PROJETO DE MONITORIA FACIS A FACIS, com atuação na área da Saúde, vem desde sua criação procurando iniciativas de promoção do desenvolvimento e aprimoramento dos alunos

Leia mais

EDITAL CPG/IE-Nº 04/2015. PROCESSO SELETIVO Curso de Especialização em Economia do Trabalho e Sindicalismo 2016

EDITAL CPG/IE-Nº 04/2015. PROCESSO SELETIVO Curso de Especialização em Economia do Trabalho e Sindicalismo 2016 EDITAL CPG/IE-Nº 04/2015 PROCESSO SELETIVO Curso de Especialização em Economia do Trabalho e Sindicalismo 2016 1. INTRODUÇÃO 1.1. O Coordenador da Comissão de Pós-Graduação do Instituto de Economia da

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03/2015

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03/2015 1 CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03/2015 A Coordenação do Curso de Ciências Contábeis, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

EDITAL nº 068/2015 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL PROESDE

EDITAL nº 068/2015 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL PROESDE EDITAL nº 068/2015 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL PROESDE Lilia Aparecida Casagrande de Oliveira, Pró-Reitora de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação, da Universidade do Planalto

Leia mais

UNIVERSIDADE NILTON LINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE NILTON LINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL INICIAÇÃO CIENTÍFICA/2015-2016 Programa de Iniciação Científica PROIC/NILTON LINS A Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade NILTON LINS, por meio da Coordenação de Iniciação Científica,

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CANOINHAS Conselho Municipal de Desenvolvimento Agropecuário

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CANOINHAS Conselho Municipal de Desenvolvimento Agropecuário PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOINHAS SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL EDITAL DE SELEÇÃO PARA BENEFÍCIÁRIOS DE BOLSA DE ESTUDO DO COLÉGIO AGRÍCOLA CEDUP VIDAL RAMOS 2014. N.º 002/2014 O Prefeito

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE MONITORIA

REGULAMENTO PROGRAMA DE MONITORIA REGULAMENTO PROGRAMA DE MONITORIA BARRETOS 2010 REGULAMENTO PROGRAMA DE MONITORIA Art. 1 - O Programa de Monitoria da Faculdade Barretos, destinado a alunos regularmente matriculados, obedecerá às normas

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015 1 CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015 A Coordenação do Curso de Ciências Contábeis, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

Edital nº 001/15 Processo Seletivo 2015/1

Edital nº 001/15 Processo Seletivo 2015/1 Vestibular Edital nº 001/15 Processo Seletivo 2015/1 Comissão do Processo Seletivo - CoProS A Diretora Geral da Faculdade Integrada de Goiás FIG, com base em dispositivos constantes em seu Regimento, de

Leia mais

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE SÃO VICENTE FUNDAÇÃO CASA EDITAL DE CREDENCIAMENTO

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE SÃO VICENTE FUNDAÇÃO CASA EDITAL DE CREDENCIAMENTO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE SÃO VICENTE FUNDAÇÃO CASA EDITAL DE CREDENCIAMENTO A Dirigente Regional de Ensino da Diretoria de Ensino Região de São Vicente em atendimento às disposições da Resolução SE

Leia mais

PROJETO FORMADORES DO SABER E D I T A L N.º 02/ 2010

PROJETO FORMADORES DO SABER E D I T A L N.º 02/ 2010 PROJETO FORMADORES DO SABER E D I T A L N.º 02/ 2010 A Fundação Santo André torna público o Edital Nº. 02/2010 referente ao Projeto Formadores do Saber, mediante convênio com a Prefeitura Municipal de

Leia mais

EDITAL CPG/IE-Nº 03/2014 PROCESSO SELETIVO PARA OS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM ECONOMIA DO TRABALHO E SINDICALISMO DO INSTITUTO DE ECONOMIA 2015

EDITAL CPG/IE-Nº 03/2014 PROCESSO SELETIVO PARA OS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM ECONOMIA DO TRABALHO E SINDICALISMO DO INSTITUTO DE ECONOMIA 2015 EDITAL CPG/IE-Nº 03/2014 PROCESSO SELETIVO PARA OS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM ECONOMIA DO TRABALHO E SINDICALISMO DO INSTITUTO DE ECONOMIA 2015 1. INTRODUÇÃO 1.1. O Coordenador da Comissão de Pós-Graduação

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS MANUAL DE MONITORIA ACADÊMICA Com base na Resolução CSA 02/07, que estabelece Monitoria Acadêmica Centro de

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (EPECIALIZAÇÃO) EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PARA A JUVENTUDE MODALIDADE A DISTÂNCIA

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (EPECIALIZAÇÃO) EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PARA A JUVENTUDE MODALIDADE A DISTÂNCIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA Coordenação do Curso de Especialização

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 2.865/14 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014

LEI MUNICIPAL Nº 2.865/14 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014 LEI MUNICIPAL Nº 2.865/14 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014 Dispõe sobre o Programa Bolsa Universitária/FESG nos Cursos de Graduação da FAFICH,e dá outras providências A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIATUBA, Estado de

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 02/2015

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 02/2015 CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 02/2015 A Coordenação do Curso de Arquitetura e Urbanismo, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS CETESC - CENTRO DE ENSINO E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS Campinas/SP Sumário 1 - APRESENTAÇÃO... 1 2 - DO PROGRAMA... 1 3 - INSCRIÇÃO... 1 4 - DO ANDAMENTO...

Leia mais

EDITAL VESTIBULAR FLORENCE AGENDADO SEMESTRE LETIVO 2016.1

EDITAL VESTIBULAR FLORENCE AGENDADO SEMESTRE LETIVO 2016.1 EDITAL VESTIBULAR FLORENCE AGENDADO SEMESTRE LETIVO 2016.1 EDITAL N 15 2016 PROCESSO SELETIVO 2016.1 A Diretora Geral do Instituto Florence de Ensino Superior, no uso de suas atribuições regimentais, torna

Leia mais

Título I. Da Monitoria

Título I. Da Monitoria MONITORIA O programa de monitoria tem como objetivo dar oportunidade de aprimoramento na formação do aluno e ainda despertar a valorização do ensino aprendizado de sua prática bem como estimular a seguir

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG ESCOLA DE DESIGN ED COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO NUCLEO INTEGRADOR DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - NIPP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 Aprovado pelo

Leia mais

COORDENAÇÃO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA

COORDENAÇÃO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA COORDENAÇÃO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 002/2013 DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA O CURSO DE ODONTOLOGIA A Magnífica Senhora Reitora do CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

ASSITÊNCIA ESTUDANTIL

ASSITÊNCIA ESTUDANTIL ASSITÊNCIA ESTUDANTIL Apoio ao Acadêmico A Assistência Estudantil da FAMEC tem a missão de apoiar o acadêmico na busca de soluções e oportunidades que contribuam para sua permanência na faculdade e conclusão

Leia mais

EDITAL Nº 019/2015 REABERTURA DA SELEÇÃO DE MONITORES DO CURSO PREPARATÓRIO PARA ACESSO À EDUCAÇÃO SUPERIOR - PROJETO UNIVERSIDADE PARA TODOS 2015

EDITAL Nº 019/2015 REABERTURA DA SELEÇÃO DE MONITORES DO CURSO PREPARATÓRIO PARA ACESSO À EDUCAÇÃO SUPERIOR - PROJETO UNIVERSIDADE PARA TODOS 2015 EDITAL Nº 019/2015 REABERTURA DA SELEÇÃO DE MONITORES DO CURSO PREPARATÓRIO PARA ACESSO À EDUCAÇÃO SUPERIOR - PROJETO UNIVERSIDADE PARA TODOS 2015 A UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA por meio

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF)

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) Introdução O Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

Curso Vagas Função. Executor (Perfis 1 e 2) 16 Orientador de TCC (Perfil 5) 20 Tutor Virtual. Administração Pública

Curso Vagas Função. Executor (Perfis 1 e 2) 16 Orientador de TCC (Perfil 5) 20 Tutor Virtual. Administração Pública EDITAL Nº 01/2014. Seleção Pública para Professores Executores, Orientadores de TCC e Tutores Virtuais do Curso de Bacharelado em Administração Pública e Professores Executores do Curso de Licenciatura

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO CAPITULO I DAS FINALIDADES Art. 1º - Os cursos de pós-graduação da UNIABEU são regidos pela Lei Federal 9394/96 Lei de Diretrizes

Leia mais

EDITAL Nº 094/2015. 1.2. Os tutores serão selecionados com base nos critérios estabelecidos no presente Edital.

EDITAL Nº 094/2015. 1.2. Os tutores serão selecionados com base nos critérios estabelecidos no presente Edital. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006 Educação a Distância EAD / UESB Fone: (77) 3425-9308 uesbvirtual@uesb.edu EDITAL Nº 094/2015 SELEÇÃO

Leia mais

EDITAL 08/2014/FACELI

EDITAL 08/2014/FACELI 1 EDITAL 08/2014/FACELI REABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACELI (ADMINISTRAÇÃO, DIREITO E PEDAGOGIA), POR MEIO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA, EXCLUSIVO PARA INGRESSO NO 2º SEMESTRE

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2014

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2014 1 CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2014 A Coordenação do Curso de Engenharia de Produção e do Curso de Engenharia Civil, da

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE EDUCAÇÃO PET/CONEXÕES DE SABERES NA UFF

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE EDUCAÇÃO PET/CONEXÕES DE SABERES NA UFF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE EDUCAÇÃO PET/CONEXÕES DE SABERES NA UFF EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTA E NÃO-BOLSISTA 02/2015 PARA GRUPO DO

Leia mais

CNPJ: 10.482.039/0001-46

CNPJ: 10.482.039/0001-46 EDITAL FUNAEPE Nº. 03/2014 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR (A) DE MATEMÁTICA PARA ATUAR NO PROJETO Tentáculos Cursinho Pré- Vestibular da UFGD A Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e

Leia mais

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos 1 ESCOLA SUPERIOR NACIONAL DE SEGUROS Manual do Candidato da Graduação Processos Seletivos Rua Senador Dantas, 74 Térreo; 2º e 3º andares Centro Rio de Janeiro RJ Tel. 33801044 33801046 33801535 2 A Escola

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO. Das Definições e Finalidades

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO. Das Definições e Finalidades CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO Das Definições e Finalidades Art. 1º. O Programa de Bolsa de Trabalho do Centro Federal

Leia mais

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA DER SÃO VICENTE Tutorial para inscrição Bolsa Universidade

PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA DER SÃO VICENTE Tutorial para inscrição Bolsa Universidade 1º Passo Acesso ao Site: http://escoladafamilia.fde.sp.gov.br 2º Passo Acesse a pagina para a inscrição 3º Passo Acesso a inscrição 4º Passo Início da inscrição Página 1 5º Passo Acesso ao formulário de

Leia mais

MINUTA DO EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES VOLUNTÁRIOS OU REMUNERADOS

MINUTA DO EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES VOLUNTÁRIOS OU REMUNERADOS MINUTA DO EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES VOLUNTÁRIOS OU REMUNERADOS O IESUR/FAAr torna público o presente Edital de Seleção de Monitores Voluntários ou Remunerados para o anos de, em conformidade com o

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Em conformidade com a Resolução CNE/CES n 1, de 08 de Junho de 2007 e o Regimento da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Aprovado pelo Parecer CONSEPE

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU Direito Médico 2013/2014 APRESENTAÇÃO A Faculdade de Direito de Varginha FADIVA, em busca do aprimoramento profissional, foi em busca de uma parceria para a instalação

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2015

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2015 1 A Coordenação do Curso de Administração, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições e em cumprimento ao Art. 5 o do Regulamento de Monitoria, Anexo da Resolução de 21 de dezembro

Leia mais

Norma para utilização das bolsas de monitoria PIB no Centro Universitário Norte do Espírito Santo CEUNES/UFES

Norma para utilização das bolsas de monitoria PIB no Centro Universitário Norte do Espírito Santo CEUNES/UFES 1 Norma para utilização das bolsas de monitoria PIB no Centro Universitário Norte do Espírito Santo CEUNES/UFES 1. BREVE HISTÓRICO O PIB Programa Integrado de Bolsas de monitoria é regulamentado pelo Conselho

Leia mais

SELEÇÃO PARA TUTORES PRESENCIAIS

SELEÇÃO PARA TUTORES PRESENCIAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CEAD CENTRO DE EDUCAÇÃO / DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR E PLANEJAMENTO EDUCACIONAL DAEPE/CE SELEÇÃO PARA TUTORES PRESENCIAIS

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Autorizada pelo Decreto Federal nº 77.496 de 27/04/76 Reconhecida pela Portaria Ministerial nº 874/86 de 19/12/86 Recredenciada pelo Decreto Estadual 9.271 de

Leia mais

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da FERLAGOS orientam-se pelas normas

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ECONOMIA E GESTÃO DE EMPRESAS PECEGE

MANUAL DE NORMAS E CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ECONOMIA E GESTÃO DE EMPRESAS PECEGE Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Economia, Administração e Sociologia Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas MANUAL DE

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA Cachoeira, março de 2011 REGULAMENTO DE MONITORIA ACADÊMICA DO CURSO DE PEDAGOGIA Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE MONITORIA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE MONITORIA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE MONITORIA CAPÍTULO l DOS OBJETIVOS Artigo 1º - As presentes normas têm por objetivo organizar e disciplinar a monitoria, no âmbito

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PROGRAMA INGLÊS SEM FRONTEIRAS NÚCLEO DE LÍNGUAS - NucLi EDITAL Nº 03, DE 13 DE OUTUBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PROGRAMA INGLÊS SEM FRONTEIRAS NÚCLEO DE LÍNGUAS - NucLi EDITAL Nº 03, DE 13 DE OUTUBRO DE 2014 EDITAL Nº 03, DE 13 DE OUTUBRO DE 2014 Edital nº 03, de 13 de outubro de 2014, da Universidade Federal de Pelotas UFPEL, referente ao processo seletivo simplificado para a função de PROFESSOR BOLSISTA

Leia mais

EDITAL Nº 5/2015 NORMAS PARA O PROCESSO SELETIVO 01/2016

EDITAL Nº 5/2015 NORMAS PARA O PROCESSO SELETIVO 01/2016 EDITAL Nº 5/2015 NORMAS PARA O PROCESSO SELETIVO 01/2016 A Direção Geral da Faculdade Iguaçu, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, de acordo com a legislação vigente e Regimento Geral, torna

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Medianeira Diretoria de Graduação e Educação Profissional

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Medianeira Diretoria de Graduação e Educação Profissional EDITAL Nº 09/2014 e-tec A Diretoria de Graduação e Educação Profissional, através da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Câmpus Medianeira da Universidade Tecnológica Federal do Paraná,

Leia mais

CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR

CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR 1 A Coordenação do Curso de Engenharia de Produção e do Curso de Engenharia Civil, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições e em cumprimento ao Art. 5 o do Regulamento de Monitoria,

Leia mais

Faculdade Maurício de Nassau

Faculdade Maurício de Nassau Faculdade Maurício de Nassau EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 A Direção da Faculdade Maurício de Nassau de Manaus no uso de suas atribuições e com base nas disposições regimentais, no Dec. 99.490/90,

Leia mais

EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA O FINANCIAMENTO ESTUDANTIL (FIES) PARA ALUNOS NÃO BENEFICIADOS PELO PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS (PROUNI) 2008/2º

EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA O FINANCIAMENTO ESTUDANTIL (FIES) PARA ALUNOS NÃO BENEFICIADOS PELO PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS (PROUNI) 2008/2º EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA O FINANCIAMENTO ESTUDANTIL (FIES) PARA ALUNOS NÃO BENEFICIADOS PELO PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS (PROUNI) 2008/2º 1. Do programa A Fundação Cultural de Belo Horizonte (Fundac-BH),

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU) UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU) RESOLUÇÃO N.º 700/2009 Publicada no D.O.E. de 07-07-2009, p.16 Altera a Resolução nº 507/07 CONSU, que aprova o Regulamento de Monitorias

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PEDAGOGIA

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PEDAGOGIA EDITAL DG N.º 07/2012 PROGRAMA DE MONITORIA PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PEDAGOGIA A Direção da Faculdade Internacional Signorelli, no uso de suas atribuições,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL - AUXILIO TRANSPORTE APROVADO PELA RESOLUÇÃO N.º 022/2011 DO CONSELHO SUPERIOR/IFMA

PROCESSO SELETIVO PARA A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL - AUXILIO TRANSPORTE APROVADO PELA RESOLUÇÃO N.º 022/2011 DO CONSELHO SUPERIOR/IFMA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO CAMPUS ALCÂNTARA NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA AO EDUCANDO PROCESSO SELETIVO PARA

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015 1 CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015 A Coordenação do Curso de Arquitetura e Urbanismo, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃOEM GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL PROCESSO DE SELEÇÃO DE TUTORES CHAMADA PÚBLICA N 5/2014. 1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

COMUNICADO. Assunto: Bolsas de Estudos 2015

COMUNICADO. Assunto: Bolsas de Estudos 2015 COMUNICADO Assunto: Bolsas de Estudos 2015 O Colégio Franciscano Santa Clara informa os critérios para concorrer à bolsa de estudos 2015, aos candidatos que cumprirem com as seguintes condições: 1º Requisitos:

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB. Edital Nº 44, de 28 de setembro de 2009

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB. Edital Nº 44, de 28 de setembro de 2009 Edital Nº 44, de 28 de setembro de 2009 A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO A abertura de inscrições para o processo seletivo de TUTORIA (Tutor

Leia mais

EDITAL BOLSA SOCIAL DOM ADÉLIO TOMASIN

EDITAL BOLSA SOCIAL DOM ADÉLIO TOMASIN EDITAL BOLSA SOCIAL DOM ADÉLIO TOMASIN A CISNE Faculdade de Quixadá e a CISNE Faculdade Tecnológica de Quixadá informam a abertura do Edital da Bolsa Social Dom Adélio Tomasin para todos os cursos de graduação

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2015 Manual do Candidato

PROCESSO SELETIVO 2015 Manual do Candidato PROCESSO SELETIVO 2015 Manual do Candidato O cursinho pré-vestibular comunitário VestJr O cursinho pré-vestibular VestJr surgiu em 2003 seguindo a ideia já em curso da política de implementação de cursinhos

Leia mais

O SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições, tendo em vista a Lei 10.613 de 24 de dezembro de 2015, RESOLVE:

O SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições, tendo em vista a Lei 10.613 de 24 de dezembro de 2015, RESOLVE: PORTARIA SEE nº 003, de 15 de janeiro de 2016. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições, tendo em vista a Lei 10.613 de 24 de dezembro de 2015, RESOLVE: I - Tornar público o Edital

Leia mais

Edital de Aproveitamento de Estudos e Diplomas de Curso Normal Superior e Pedagogia com habilitação em Supervisão e Orientação

Edital de Aproveitamento de Estudos e Diplomas de Curso Normal Superior e Pedagogia com habilitação em Supervisão e Orientação EDITAL n. 06.2012 - FAEL- EAD, 30 de maio de 2012 Edital de Aproveitamento de Estudos e Diplomas de Curso Normal Superior e Pedagogia com habilitação em Supervisão e Orientação A Faculdade Educacional

Leia mais

Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro. Fundação Educacional de Além Paraíba

Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro. Fundação Educacional de Além Paraíba Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro Fundação Educacional de Além Paraíba Regulamento de Monitoria Art. 1º A Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro admitirá, sem vínculo empregatício,

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO CONTINUADO 1 SEMESTRE 2016 FACULDADE PAULISTA DE SERVIÇO SOCIAL - FAPSS - SP

MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO CONTINUADO 1 SEMESTRE 2016 FACULDADE PAULISTA DE SERVIÇO SOCIAL - FAPSS - SP FACULDA FAPSS SP MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO CONTINUADO 1 SEMESTRE 2016 FACULDA FAPSS SP MISSÃO DA FACULDA Formar profissionais capazes de intervir nas múltiplas relações sociais, conscientemente

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015

PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015 1 Processo Seletivo 2015.2 Edital FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC RIO PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015 SENAC RJ FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC RIO O SENAC Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial,

Leia mais

3. Do número de vagas, da Remuneração e das Condições do cargo:

3. Do número de vagas, da Remuneração e das Condições do cargo: EDITAL FUNAEPE Nº 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR PARA ATUAR NO PROJETO Tentáculos Cursinho Pré-Vestibular da UFGD A Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade

Leia mais

EDITAL PROPP/AEAD/UAB-UEMS Nº 27/2014 Seleção De Tutores a Distância Especialização lato sensu em Educação Especial na modalidade a Distância

EDITAL PROPP/AEAD/UAB-UEMS Nº 27/2014 Seleção De Tutores a Distância Especialização lato sensu em Educação Especial na modalidade a Distância EDITAL PROPP/AEAD/UAB-UEMS Nº 27/2014 Seleção De Tutores a Distância Especialização lato sensu em Educação Especial na modalidade a Distância A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL UEMS,

Leia mais

PROGRAMAS DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº

PROGRAMAS DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CÂMPUS MONTEIRO PROGRAMAS DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL

Leia mais

Programa Mestrado & Doutorado

Programa Mestrado & Doutorado Mestrado & Doutorado Manual do Candidato ou do Bolsista 1. O 2. Público alvo do Mestrado & Doutorado 3. Requisitos para integrar o Mestrado & Doutorado 4. Período máximo de permanência no 5. Sobre a análise,

Leia mais

EDITAL Nº 195/2014 SELEÇÃO PARA TUTORES VIRTUAIS E PRESENCIAIS CURSOS DE LICENCIATURA A DISTANCIA (PARFOR): PEDAGOGIA E COMPUTAÇÃO

EDITAL Nº 195/2014 SELEÇÃO PARA TUTORES VIRTUAIS E PRESENCIAIS CURSOS DE LICENCIATURA A DISTANCIA (PARFOR): PEDAGOGIA E COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006 Educação a Distância EAD / UESB Fone: (77) 3425-9308 uesbvirtual@uesb.edu EDITAL Nº 195/2014 SELEÇÃO

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina Departamento de Medicina Social

Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina Departamento de Medicina Social Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina Departamento de Medicina Social CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA MODALIDADE A DISTÂNCIA - EDITAL Nº 01/2014 A Coordenação do Curso de Especialização

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 10/2015 BOLSA DE ESTUDO

PROCESSO SELETIVO 10/2015 BOLSA DE ESTUDO PROCESSO SELETIVO 10/2015 BOLSA DE ESTUDO 1.0 - O Diretor Geral das Faculdades Adamantinenses Integradas torna público para conhecimento dos interessados, que estarão abertas, no período de 25 de março

Leia mais

EDITAL Nº 06/2012 DISPÕE SOBRE O PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO NA ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO COMERCIAL E MARKETING ESIC.

EDITAL Nº 06/2012 DISPÕE SOBRE O PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO NA ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO COMERCIAL E MARKETING ESIC. EDITAL Nº 06/2012 DISPÕE SOBRE O PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO NA ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO COMERCIAL E MARKETING ESIC. A Escola Superior de Gestão Comercial e Marketing ESIC, mantido pela Associação

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO SOCIAL 2015

REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO SOCIAL 2015 REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO SOCIAL 2015 I DO CONCEITO Art. 1º. Entende-se como Bolsa de Estudo Social, a concessão de descontos, em virtude da situação financeira momentânea do aluno, de até 40% (quarenta

Leia mais

FUNDAÇÃO PERCIVAL FARQUHAR UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE UNIVALE

FUNDAÇÃO PERCIVAL FARQUHAR UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE UNIVALE FUNDAÇÃO PERCIVAL FARQUHAR UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE UNIVALE EDITAL Nº 020/2011 Edital de Seleção de Recursos Humanos para o Convênio firmado entre a Fundação Percival Farquhar/UNIVALE e o Ministério

Leia mais

EDITAL PIBID-FUNEC SELEÇÃO DE PROFESSORES SUPERVISORES PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

EDITAL PIBID-FUNEC SELEÇÃO DE PROFESSORES SUPERVISORES PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID EDITAL PIBID-FUNEC SELEÇÃO DE PROFESSORES SUPERVISORES PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID A FUNEC Fundação Municipal de Educação e Cultura de Santa Fé do Sul, através

Leia mais

EDITAL 001/2015 RENOVAÇÃO E CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDO PARA O ANO LETIVO DE 2016 ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL

EDITAL 001/2015 RENOVAÇÃO E CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDO PARA O ANO LETIVO DE 2016 ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL 001/2015 RENOVAÇÃO E CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDO PARA O ANO LETIVO DE 2016 ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL O - CSCJ, CNPJ 00 060 046/0005-20 situado à Rua Joaquim Pereira, 656 Centro - na cidade de Porto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO DIREÇÃO DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS E ESTUDANTIS DACE REITORIA EDITAL DO AUXÍLIO-MORADIA 2014.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO DIREÇÃO DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS E ESTUDANTIS DACE REITORIA EDITAL DO AUXÍLIO-MORADIA 2014. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO DIREÇÃO DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS E ESTUDANTIS DACE REITORIA EDITAL DO AUXÍLIO-MORADIA 2014.2 Chamada para seleção de estudantes de graduação, candidatos

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EDITAL Nº 062/2015-PRAC PROCESSO SELETIVO 2015/2016

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EDITAL Nº 062/2015-PRAC PROCESSO SELETIVO 2015/2016 PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EDITAL Nº 062/2015-PRAC PROCESSO SELETIVO 2015/2016 A Pró-Reitoria Acadêmica da Universidade Católica de Pelotas, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Regulamento Interno INCO-CEPEL

Regulamento Interno INCO-CEPEL Regulamento Interno INCO-CEPEL 1. DA NATUREZA DO PROGRAMA O Centro de Estudos e Pesquisas em Ensino de Línguas (CEPEL) da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP) destina-se à pesquisa,

Leia mais

Coordenação do Processo Seletivo

Coordenação do Processo Seletivo Coordenação do Processo Seletivo Edital nº 002/12 Processo Seletivo Inverno 2012/2 A Diretora Geral da Faculdade Catuaí, mantida pela Associação de Ensino de Cambé, com base em dispositivos constantes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUCAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO UNIAFRO) POLÍTICA DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL DA ESCOLA - MODALIDADE A DISTÂNCIA CHAMADA

Leia mais

1.2. O acompanhamento de Editais e comunicados referentes a este Processo Seletivo é de responsabilidade exclusiva do candidato.

1.2. O acompanhamento de Editais e comunicados referentes a este Processo Seletivo é de responsabilidade exclusiva do candidato. EDITAL Nº 17/2014, de 15 de outubro de 2014 PROCESSO DE SELEÇÃO PARA SERVIDORES PÚBLICOS DE ENSINO PARA INGRESSO NOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO SUBSEQUENTE AO ENSINO MÉDIO, DO PROFUNCIONÁRIO EAD Processo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Informática EDITAL N 01/2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Informática EDITAL N 01/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Informática EDITAL N 01/2014 EDITAL DE SELEÇÃO PARA TUTOR A DISTÂNCIA DO CURSO DE FORMAÇÃO ALUNO INTEGRADO A Universidade Federal de Pernambuco, por meio do

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA BOLSAS DE ESTUDO

EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA BOLSAS DE ESTUDO EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA BOLSAS DE ESTUDO O Colégio Cristo Rei no uso de suas atribuições estatutárias com base no que dispõe o seu Regimento Interno, torna público os critérios de inscrição

Leia mais