NOTÍCIAS À SEXTA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NOTÍCIAS À SEXTA 2013.08.02"

Transcrição

1 NOTÍCIAS À SEXTA Estatuto das organizações não governamentais das pessoas com deficiência Foi publicado, em Diário da República, o Decreto-Lei n.º 106/2013, de 30 de Julho, que define o estatuto das organizações não governamentais das pessoas com deficiência (ONGPD), bem como os apoios a conceder pelo Estado a tais organizações, definindo o Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P. (INR, I.P.) como seu principal interlocutor institucional de apoio. Com base neste diploma, é estabelecido o regime da constituição, do âmbito, do objecto e da natureza jurídica dessas organizações, sendo ainda definidas as regras sobre a sua representatividade, bem como o regime aplicável aos seus dirigentes. Este diploma vem permitir que as ONGPD assumam um papel cada vez mais relevante junto da sociedade e das pessoas com deficiência, na defesa dos seus direitos, tendo em vista a plena inclusão económica, social e política das pessoas que representam. 1. No dia 26 de Julho, no número 143, Série I, do Diário da República foi publicada a Resolução da Assembleia da República n.º 115/2013, da Assembleia da República, relativa à eleição do presidente do Conselho Nacional de Educação (Prof. Doutor José David Gomes Justin) 2. No dia 30 de Julho, no número 145, Série I, do Diário da República foi publicado o Decreto-Lei n.º 106/2013, do Ministério da Solidariedade e da Segurança Social, que define o estatuto das organizações não governamentais das pessoas com deficiência, bem como os apoios a conceder pelo Estado a tais organizações. 3. No dia 02 de Agosto, no número 148, Série I, do Diário da República foi publicada a Portaria n.º 242/2013, da Presidência do Conselho de Ministros, que cria o Programa Agora Nós, com os objectivos de promover e estimular a prática de voluntariado, como meio de aquisição de competências e aprova o respectivo Regulamento (Artigo 2.º, do Decreto-Lei nº389/99: Organizações promotoras

2 1 - Reúnem condições para integrar voluntários e coordenar o exercício da sua actividade as pessoas colectivas que desenvolvam actividades nos domínios a que se refere o n.º 3 do artigo 4.º da Lei n.º 71/98, de 3 de Novembro, e que se integrem numa das seguintes categorias: a) Pessoas colectivas de direito público de âmbito nacional, regional ou local; b) Pessoas colectivas de utilidade pública administrativa; c) Pessoas colectivas de utilidade pública, incluindo as instituições particulares de solidariedade social. 2 - Podem ainda reunir condições para integrar voluntários e coordenar o exercício da sua actividade organizações não incluídas no número anterior, desde que o ministério da respectiva tutela considere com interesse as suas actividades e efectivo e relevante o seu funcionamento) 4. No dia 3 de Agosto, o Grupo de Acção Social Cristã (GASC) realiza a V Edição da Feirinha de Santo António, no espaço do campo da feira de Barcelos, das 8h00 às 14h00. Esta Feirinha de Santo António visa dar continuidade ao objectivo solidário desta iniciativa onde se poderá encontrar artigos de vestuário, doces e bens de utilidade doméstica a preços muito simbólicos. Em tempo de crise, é importante que os cidadãos se sintam mais próximos, mais despertos para o valor da solidariedade, em que "ter é menos importante do que ser, partilhar é dar sentido ao produzir e amar é dar expressão à vida". 5. No dia 10 de Agosto, na biblioteca municipal, a APPACDM de Valpaços irá levar a cabo um Workshop intitulado Coaching & Liderança - " Hoje por ti, amanhã por Valpaços", com o objectivo de angariação de fundos para a conclusão do Lar Residencial e o CAO. A APPACDM possui instalações provisórias na valência de CAO licenciado para 30 Utentes em Vilarandelo. As futuras instalações compreendem um CAO para 30 Utentes e um Lar Residencial para 12, em Valpaços (prazo de conclusão Dezembro de 2013). 6. No dia 2 de Setembro, em Fátima, reúne a Direcção da CNIS. 7. No dia 2 de Setembro, os membros de Centro de Estudos Sociais da CNIS reúnem em Fátima. 8. No dia 10 de Setembro, prolongando-se até dia 12, no Centro Pastoral Paulo VI em Fátima, vai realizar-se o XXVIII Encontro da Pastoral Social, subordinado ao tema Testemunhar a Caridade no Ano da Fé. 6ª edição do Concurso 3 de Dezembro O Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P., lançou a 6ª edição do Concurso "Cartaz 3 de Dezembro / Dia Internacional das Pessoas com Deficiência", cujo prémio tem um valor pecuniário de 500 euros. Este concurso tem por objectivo premiar o trabalho gráfico que melhor represente a mensagem subjacente à comemoração deste dia, nomeadamente celebrar os direitos das pessoas com deficiência e sensibilizar a sociedade para combater os preconceitos e obstáculos que impeçam estes cidadãos de exercer os seus direitos e participar activamente em todos os aspectos da vida política, social, económica, cultural e artística. A fase de candidatura decorre até 1º dia útil de Setembro. Consulte e divulgue o Regulamento do Concurso

3 Extracto da Lei n.º 51/2013. D.R. n.º 141, Série I de Artigo 5.º Alteração ao Código do Imposto sobre o Valor Acrescentado Os artigos 29.º, 40.º, 57.º e 58.º do Código do Imposto sobre o Valor Acrescentado, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 394 -B/84, de 26 de Dezembro, abreviadamente designado por Código do IVA, passam a ter a seguinte redacção: «Artigo 29.º [...] A obrigação referida na alínea b) do n.º 1 pode ser cumprida mediante a emissão de outros documentos pelas pessoas colectivas de direito público, organismos sem finalidade lucrativa e instituições particulares de solidariedade social, relativamente às transmissões de bens e prestações de serviços isentas ao abrigo do artigo 9º. Artigo 57.º [...] As facturas emitidas pelos sujeitos passivos referidos no artigo 53.º (1 - Beneficiam da isenção do imposto os sujeitos passivos que, não possuindo nem sendo obrigados a possuir contabilidade organizada para efeitos de IRS ou IRC, nem praticando operações de importação, exportação ou actividades conexas, nem exercendo actividade que consista na transmissão dos bens ou prestação dos serviços mencionados no anexo E ao presente Código, não tenham atingido, no ano civil anterior, um volume de negócios superior a (euro)10000.(redacção da Lei 33/2006, de 28/7. Ver redacção anterior) (Ver art.º 54.º; art.º 55. º n.º 1; art.º 57.º; art.º 58.º n.ºs.1 e 2 - a) e d); art.º 59.º; art.º 73.º), no exercício da sua actividade devem sempre conter a menção «IVA regime de isenção». Serviço de Teleassistência da Câmara Municipal de Lisboa A Câmara Municipal de Lisboa assinou um protocolo com a Fundação PT com o objectivo de proporcionar o Serviço de Teleassistência às pessoas idosas e às pessoas com deficiência residentes na cidade de Lisboa e em situação de vulnerabilidade. O serviço é gratuito, sendo apenas necessário a existência de linha telefónica da rede fixa na residência do beneficiário. Podem beneficiar deste serviço os cidadãos residentes na cidade de Lisboa com idade igual ou superior a 65 anos, ou com deficiência ou doença crónica determinante de incapacidade superior a 60%, com um rendimento per capita igual ou inferior ao valor do Salário Mínimo Mensal. A adesão ao Serviço de Teleassistência é feita através do preenchimento de um Pedido de Adesão que deverá ser enviado à Câmara Municipal ou às Juntas de Freguesia. O Pedido de Adesão está disponível no seguinte endereço de internet Para mais informações sobre o serviço poderão ser contactados os Núcleos de Envelhecimento e de Deficiência através dos seguintes telefones: e

4 Extracto da

5

6 REFORMA DO ARRRENDAMENTO URBANO Emissão de Declaração do rendimento Anual Bruto (RABC) corrigido do agregado familiar A Declaração do Rendimento Anual Bruto Corrigido (RABC) do agregado familiar do arrendatário já está a ser emitida pelos Serviços de Finanças. O pedido é feito presencialmente em qualquer Serviço de Finanças e a Declaração da qual consta o valor RABC é emitida no momento. Para o efeito, os arrendatários devem entregar o modelo de pedido devidamente preenchido. Caso não seja possível a emissão da declaração no momento, por motivo não imputável ao requerente, o Serviço de Finanças emite comprovativo de que aquela Declaração foi requerida. Os arrendatários que já tinham feito esse pedido anteriormente, e que tenham o comprovativo de pedido de emissão da Declaração do valor do RABC, devem dirigir-se a qualquer Serviço de Finanças dentro do prazo que consta nesse documento, para que seja emitida a Declaração. Para o efeito, os arrendatários devem igualmente entregar o modelo de pedido devidamente preenchido. Esta Declaração permite a actualização das rendas, mas também que os arrendatários tenham direito a um período de transição de cinco anos, durante o qual o aumento da renda é suavizado em função do concreto rendimento do arrendatário. O Modelo de pedido de emissão da Declaração está disponível para download, no Portal da Finanças: Comprovativo do Rendimento Anual Bruto Corrigido (RABC). Pode obter mais informações através de: Linha de atendimento: /1/2/3 (tecla 1) Endereço eletrónico: Portal:

7 PENSAMENTO DO MÊS As férias são um inalienável direito de todos. Também são um grave dever para quem à causa solidária se dedica Boas férias!... Lino Maia

Pedido de Licenciamento Atualizado em: 06-04-2016

Pedido de Licenciamento Atualizado em: 06-04-2016 SEGURANÇA SOCIAL Pedido de Licenciamento Atualizado em: 06-04-2016 Esta informação destina-se a Estabelecimentos e Apoio Social que queiram exercer atividade. O que é Os estabelecimentos de apoio social

Leia mais

REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA

REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA Nota justificativa A Câmara Municipal de Vidigueira assume o papel de agente fundamental na aplicação de políticas de protecção social,

Leia mais

4 de Setembro 2012 Direito Fiscal

4 de Setembro 2012 Direito Fiscal Orçamento Rectificativo Lei n.º 20/2012, DE 14 DE MAIO No âmbito da iniciativa para o reforço da estabilidade financeira foi publicada, no passado dia 14 de Maio a Lei n.º 20/2012 (Lei 20/2012) que entrou

Leia mais

Regime fiscal das fundações. Guilherme W. d Oliveira Martins FDL

Regime fiscal das fundações. Guilherme W. d Oliveira Martins FDL Regime fiscal das fundações Guilherme W. d Oliveira Martins FDL DUP e benefícios fiscais O regime fiscal das Fundações/IPSS depende da atribuição da declaração de utilidade pública a essas pessoas coletivas.

Leia mais

GUIA FISCAL ASSOCIATIVO 2012 GAMA Gabinete de Apoio ao Movimento Associativo Câmara Municipal de Vila Franca de Xira

GUIA FISCAL ASSOCIATIVO 2012 GAMA Gabinete de Apoio ao Movimento Associativo Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Este Guia Fiscal tem como objectivo possibilitar aos dirigentes associativos e a outros agentes ligados à problemática fiscal das colectividades de cultura, recreio e desporto, o conhecimento do enquadramento

Leia mais

MUNICIPIO DE MESÃO FRIO

MUNICIPIO DE MESÃO FRIO MUNICIPIO DE MESÃO FRIO REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROGRAMA SOCIAL DE APOIO À HABITAÇÃO DO MUNICIPIO DE MESÃO FRIO A, em conformidade com as atribuições e competências consignadas aos Municípios, nomeadamente

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO ISENÇÃO DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO DOS JOVENS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL,

Leia mais

Estatuto dos Beneficios Fiscais

Estatuto dos Beneficios Fiscais Dedução ao rendimento Majoração à criação emprego para Jovens e empregados de longa duração Artº19º 14 x retribuição minima mensal garantida Valor = 14 x 485 eur = 6.790 eur 150% Este beneficio passa a

Leia mais

Câmara Municipal de Mealhada

Câmara Municipal de Mealhada Câmara Municipal de Mealhada Normas de funcionamento dos serviços da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos de Educação Pré-Escolar do Município da Mealhada NORMAS DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS

Leia mais

Principais medidas decorrentes do Decreto-Lei 197/2012, de 24 de Agosto:

Principais medidas decorrentes do Decreto-Lei 197/2012, de 24 de Agosto: Principais medidas decorrentes do Decreto-Lei 197/2012, de 24 de Agosto: Artigo 29.º do CIVA 1 -Para além da obrigação do pagamento do imposto, os sujeitos passivos referidos na alínea a) do n.º 1 do artigo

Leia mais

Briefing Laboral # 18 1

Briefing Laboral # 18 1 Briefing Laboral # 18 1 CRIAÇÃO DA MEDIDA ESTÍMULO EMPREGO E ALTERAÇÃO ÀS MEDIDAS ESTÁGIO EMPREGO Portaria n.º 149-A/2014, de 24 de Julho Concessão de Apoio Financeiro à celebração de contrato de Trabalho

Leia mais

Ato Isolado - Tudo o que precisa de saber!

Ato Isolado - Tudo o que precisa de saber! Ato Isolado - Tudo o que precisa de saber! Conceito de Ato Isolado Enquadramento Fiscal (IRS e IVA) Obrigações Fiscais e Legais Emissão Fatura-Recibo (Portal das Finanças) Pedro Moura Webinar - Ato Isolado

Leia mais

Capítulo I Disposições Gerais

Capítulo I Disposições Gerais Regulamento Municipal do Banco Local de Voluntariado de Marco de Canaveses Preâmbulo A Lei n.º 71/98, de 3 de Novembro, estabelece as bases do enquadramento jurídico do voluntariado, visando promover e

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA DE VOLUNTARIADO

REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA DE VOLUNTARIADO 2012 REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA DE VOLUNTARIADO 2 de 1 Índice 1. Enquadramento... 3 2. Definição... 3 3. Princípios... 4 4. Objetivos... 4 5. Direitos... 4 6. Deveres... 5 7. Inscrição... 7 8. Candidatura...

Leia mais

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as normas para atribuição de bolsas de estudo a estudantes do ensino secundário e superior, residentes

Leia mais

Decreto-Lei 55/2000, de 14/04 - I Série - A

Decreto-Lei 55/2000, de 14/04 - I Série - A Decreto-Lei 55/2000, de 14/04 - I Série - A Altera os Códigos do IRS, do IRC e do IVA, reformulando as obrigações declarativas dos sujeitos passivos no sentido de separar a informação para liquidação da

Leia mais

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO E CONCESSÃO TRANSPORTES ESCOLARES NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO E CONCESSÃO TRANSPORTES ESCOLARES NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO E CONCESSÃO TRANSPORTES ESCOLARES NOTA JUSTIFICATIVA Considerando - Que a Educação é um direito de todos, cabendo ao Estado promover a sua democratização, bem como as condições

Leia mais

ENQUADRAMENTO DO VOLUNTARIADO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

ENQUADRAMENTO DO VOLUNTARIADO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO ENQUADRAMENTO DO VOLUNTARIADO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO Considerando: O relevo formativo, social, cultural e cívico do voluntariado e o papel importante que a Universidade de Aveiro (UA) pode desempenhar

Leia mais

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso do Concelho de Ferreira do Zêzere

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso do Concelho de Ferreira do Zêzere REGULAMENTOS Regulamento do Cartão Municipal do Idoso do Concelho de Ferreira do Zêzere MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ZÊZERE CÂMARA MUNICIPAL Aprovado pela Câmara Municipal por deliberação de 09 de fevereiro

Leia mais

Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU. Regulamento de Atribuição da. Bolsa para Estudos sobre Macau. Artigo 1.º. Objecto

Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU. Regulamento de Atribuição da. Bolsa para Estudos sobre Macau. Artigo 1.º. Objecto Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU Regulamento de Atribuição da Bolsa para Estudos sobre Macau Artigo 1.º Objecto O presente Regulamento define as regras de atribuição da Bolsa para Estudos sobre Macau, adiante designada

Leia mais

União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos

União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos Regulamento Do Serviço Vamos até Si 2014. Regulamento do serviço Vamos Até Si 1 Regulamento do Serviço Vamos até Si Preâmbulo Vamos até si é um serviço

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 18/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 18/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 18/XII Exposição de Motivos Nos últimos anos, os serviços e órgãos da administração directa e indirecta do Estado, bem como as Regiões Autónomas e as autarquias locais, têm, no âmbito

Leia mais

IVA - REGIME ESPECIAL DE ISENÇÃO PREVISTO NO ARTIGO 53.º DO CÓDIGO DO IVA

IVA - REGIME ESPECIAL DE ISENÇÃO PREVISTO NO ARTIGO 53.º DO CÓDIGO DO IVA Classificação: 020.01.10 Seg.: P úbli ca Proc.: 2012 004921 DIREÇÃO DE SERVIÇOS DO IVA Of.Circulado N.º: 30138/2012 2012-12-27 Entrada Geral: N.º Identificação Fiscal (NIF): 770 004 407 Sua Ref.ª: Técnico:

Leia mais

TARIFÁRIOS ESPECIAIS i (Tarifa a aplicar e Condições de Acesso)

TARIFÁRIOS ESPECIAIS i (Tarifa a aplicar e Condições de Acesso) Página 1 de 5 TARIFÁRIOS ESPECIAIS i (Tarifa a aplicar e Condições de Acesso) TARIFA A APLICAR a. Tarifa Social para utilizadores domésticos Isenção da Tarifa Fixa para os serviços de Abastecimento Público

Leia mais

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS Manual de GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/15 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Complemento Solidário para Idosos

Leia mais

Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo

Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo REDE SOCIAL Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo Regulamento Interno [9/04/2014] REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE FIGUEIRA DE CASTELO RODRIGO

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO SOCIAL POR DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS

REGULAMENTO DE APOIO SOCIAL POR DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS REGULAMENTO DE APOIO SOCIAL POR DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS REGULAMENTO DE APOIO SOCIAL POR DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS Considerando o quadro legal de atribuições e competências das Autarquias Locais, Lei

Leia mais

M U N I C Í P I O D E O U R I Q U E REGULAMENTO MUNICIPAL DE INCENTIVO À NATALIDADE PREÂMBULO

M U N I C Í P I O D E O U R I Q U E REGULAMENTO MUNICIPAL DE INCENTIVO À NATALIDADE PREÂMBULO REGULAMENTO MUNICIPAL DE INCENTIVO À NATALIDADE PREÂMBULO Considerando que a diminuição da natalidade é um problema premente e preocupante, particularmente nas regiões interiores do país; Considerando

Leia mais

FUNDAÇÃO CASA DE REPOUSO D. MARIA MADALENA GODINHO DE ABREU PLANO DE ACTIVIDADES DIÁRIAS DOS UTENTES 2008

FUNDAÇÃO CASA DE REPOUSO D. MARIA MADALENA GODINHO DE ABREU PLANO DE ACTIVIDADES DIÁRIAS DOS UTENTES 2008 PLANO DE ACTIVIDADES DIÁRIAS DOS UTENTES 2008 6ª feiras PLANO DE ACTIVIDADES DIÁRIAS DOS UTENTES 2009 6ª feiras 5 de Janeiro de 2009 PLANO DE ACTIVIDADES DIÁRIAS DOS UTENTES 2010 6ª feiras 4 de Janeiro

Leia mais

Decreto-Lei 20/90. Prevê a restituição de IVA à Igreja Católica e às instituições particulares de solidariedade social Publicação: DR nº 11/90 I Série

Decreto-Lei 20/90. Prevê a restituição de IVA à Igreja Católica e às instituições particulares de solidariedade social Publicação: DR nº 11/90 I Série Decreto-Lei 20/90 Prevê a restituição de IVA à Igreja Católica e às instituições particulares de solidariedade social Publicação: DR nº 11/90 I Série O presente diploma concede algumas isenções de IVA

Leia mais

ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO

ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO A CÂMARA MUNICIPAL DE ALENQUER Praça Luís de Camões -2580-318 ALENQUER - Telef. 263730900. Fax 263 711 504. e-mau: aerai6~cm-a eflaue.dt ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO r Proposta

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho REGULAMENTO MUNICIPAL DE COMPARTICIPAÇÃO EM MEDICAMENTOS E TRANSPORTE DE DOENTES Preâmbulo O Concelho de Vieira do Minho, tal como a maioria dos Concelhos do interior do país, tem vindo a assistir nas

Leia mais

Portaria n.º 879-A/2010, de 29 de Novembro, Série II, n.º231

Portaria n.º 879-A/2010, de 29 de Novembro, Série II, n.º231 Aprova os modelos oficiais do recibo designado de recibo verde electrónico A generalização da utilização das tecnologias da informação e da comunicação nos procedimentos administrativos é reconhecida internacionalmente

Leia mais

NOTÍCIAS À SEXTA

NOTÍCIAS À SEXTA 1 1. No dia 29 de Agosto, com a presença do Secretário de Estado da Solidariedade e Segurança Social, Dr. Agostinho Branquinho, a Santa Casa da Misericórdia de Bragança inaugurou a maior Unidade de Cuidados

Leia mais

Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES

Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES 2015 Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES Índice Nota Justificativa... 2 Capítulo I Disposições Gerais... 2 Artigo

Leia mais

PROJETO DIGITALL APOIO SOCIAL E INCLUSÃO DIGITAL

PROJETO DIGITALL APOIO SOCIAL E INCLUSÃO DIGITAL PROJETO DIGITALL APOIO SOCIAL E INCLUSÃO DIGITAL (COFINANCIADO PELO PROGRAMA MONTEPIO INCENTIVO SUPERIOR) REGULAMENTO (MARÇO 2015) 1 DigitALL: Apoio Social e Inclusão Digital REGULAMENTO PREÂMBULO O atual

Leia mais

Ex. m.ºs Senhores Subdirectores- Gerais Directores de Serviços Directores de Finanças Representantes da Fazenda Pública. Assunto:

Ex. m.ºs Senhores Subdirectores- Gerais Directores de Serviços Directores de Finanças Representantes da Fazenda Pública. Assunto: Classificação: 000.01.09 DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DO IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS COLECTIVAS Ofício n.º: Processo: Entrada Geral: N.º Identificação Fiscal (NIF): Sua Ref.ª: Técnico: João Sousa Cód.

Leia mais

NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL

NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL A Câmara Municipal de Sesimbra apoia famílias de contexto socioeconómico fragilizado, através

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALTER DO CHÃO

MUNICÍPIO DE ALTER DO CHÃO MUNICÍPIO DE ALTER DO CHÃO REGULAMENTO OFICINA DOMICILIÁRIA Preâmbulo O Município de Alter do Chão, no âmbito da prossecução de uma política social com responsabilidade, tem tido a preocupação de contribuir

Leia mais

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ Prémio Jovem Empreendedor Regulamento Municí pio de Grâ ndolâ Regulamento do Prémio Jovem Empreendedor Preâmbulo O empreendedorismo tem vindo a assumir, dadas as atuais circunstâncias económicas e sociais,

Leia mais

Não dispensa a consulta do Diário da República Imojuris. Todos os direitos reservados.

Não dispensa a consulta do Diário da República Imojuris. Todos os direitos reservados. REGIME ESPECIAL APLICÁVEL AOS FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PARA ARRENDAMENTO HABITACIONAL E ÀS SOCIEDADES DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PARA ARRENDAMENTO HABITACIONAL Aprovado pelos artigos 102.º a

Leia mais

Portaria n.º 1458/2009. de 31 de Dezembro

Portaria n.º 1458/2009. de 31 de Dezembro Portaria n.º 1458/2009 de 31 de Dezembro O Governo suspendeu, durante o ano de 2010, o mecanismo de actualização do indexante dos apoios sociais (IAS), das prestações sociais e da revalorização das remunerações

Leia mais

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso Regulamento do Cartão Municipal do Idoso Preâmbulo Considerando a importância crescente do papel das autarquias locais, no âmbito do apoio às populações, a Câmara Municipal de Grândola atenta que está

Leia mais

ÍNDICE. 1.1 Apresentação do Centro...2. 1.2 Direitos...2. 1.3 - Deveres...3. 1.4 - Organização...3

ÍNDICE. 1.1 Apresentação do Centro...2. 1.2 Direitos...2. 1.3 - Deveres...3. 1.4 - Organização...3 ÍNDICE I - 1.1 Apresentação do Centro...2 1.2 Direitos......2 1.3 - Deveres...3 1.4 - Organização...3 II Voluntariado 2.1 Apresentação do Voluntário...4 2.2 Perfil do Voluntário...5 2.3 Funções...6 2.4

Leia mais

ESTATUTO DOS BENEFÍCIOS FISCAIS CAPÍTULO X. Benefícios fiscais relativos ao mecenato. Artigo 61.º. Noção de donativo. Artigo 62.º

ESTATUTO DOS BENEFÍCIOS FISCAIS CAPÍTULO X. Benefícios fiscais relativos ao mecenato. Artigo 61.º. Noção de donativo. Artigo 62.º ESTATUTO DOS BENEFÍCIOS FISCAIS CAPÍTULO X Benefícios fiscais relativos ao mecenato Artigo 61.º Noção de donativo Para efeitos fiscais, os donativos constituem entregas em dinheiro ou em espécie, concedidos,

Leia mais

Prémio Hire.me app. Campanha nacional eskills for Jobs 2016. Regulamento

Prémio Hire.me app. Campanha nacional eskills for Jobs 2016. Regulamento Prémio Hire.me app Campanha nacional eskills for Jobs 2016 Regulamento Na prossecução das suas atribuições legais no domínio da Sociedade de Informação e do Conhecimento em Portugal, em particular ao nível

Leia mais

Regulamento do CARTÃO MUNICIPAL SÉNIOR. Nota Justificativa

Regulamento do CARTÃO MUNICIPAL SÉNIOR. Nota Justificativa Regulamento do CARTÃO MUNICIPAL SÉNIOR Nota Justificativa Perante o envelhecimento e solidão em que os idosos do concelho se encontram e, tendo em conta a saúde e rendimentos precários que os caracterizam,

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto

CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto Lei n.º 71/98 de 3 de Novembro Bases do enquadramento jurídico do voluntariado A Assembleia da República decreta, nos termos do artigo 161.º, alínea c), do artigo 166.º, n.º 3, e do artigo 112.º, n.º 5,

Leia mais

Município de Monforte REGULAMENTO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO

Município de Monforte REGULAMENTO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO Município de Monforte REGULAMENTO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO Convertido para formato digital em 16 de fevereiro de 2013. Aplicação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa - Cumprimento da Resolução do

Leia mais

NEWSLETTER I LABORAL. NEWSLETTER LABORAL I Agosto, 2014. I Legislação em Destaque 2. II Legislação 4. III Jurisprudência 5

NEWSLETTER I LABORAL. NEWSLETTER LABORAL I Agosto, 2014. I Legislação em Destaque 2. II Legislação 4. III Jurisprudência 5 NEWSLETTER I LABORAL NEWSLETTER LABORAL I Agosto, 2014 I Legislação em Destaque 2 II Legislação 4 III Jurisprudência 5 NEWSLETTER LABORAL I LEGISLAÇÃO EM DESTAQUE Portaria n.º 149-A/2014. D.R. n.º 141,

Leia mais

CPCJ P E N A C O V A C O M I S S Ã O D E P R O T E C Ç Ã O D E C R I A N Ç A S E J O V E N S REGULAMENTO INTERNO

CPCJ P E N A C O V A C O M I S S Ã O D E P R O T E C Ç Ã O D E C R I A N Ç A S E J O V E N S REGULAMENTO INTERNO Aprovado em: 24-11-2006 Alterado em: 04-12-2007 (Introduzidas alterações alínea e), artigo 9º) REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º 1. A Lei de Protecção de Crianças e Jovens em

Leia mais

Circular Gabinete Jurídico-Fiscal

Circular Gabinete Jurídico-Fiscal Circular Gabinete Jurídico-Fiscal N/REFª: 08/2014 DATA: 17/01/2014 ASSUNTO: Calendário Fiscal Fevereiro 2014 Exmos. Senhores, Junto se envia o Calendário Fiscal relativo ao mês de Fevereiro de 2014. Com

Leia mais

REGULAMENTO REGIME DE ACESSO À HABITAÇÃO

REGULAMENTO REGIME DE ACESSO À HABITAÇÃO REGULAMENTO REGIME DE ACESSO À HABITAÇÃO 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Fundamentos Decisão Objectivos Genéricos Fundamentos Legais Instrumentos para a implementação Linhas Orientadoras Condições de Acesso Excepções

Leia mais

CALHETA D ESPERANÇAS

CALHETA D ESPERANÇAS CÂMARA MUNICIPAL DA CALHETA MADEIRA REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO À FAMILIA E INCENTIVO À NATALIDADE CALHETA D ESPERANÇAS Página 1 de 5 Nota Justificativa Considerando a crescente intervenção deste Município

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR REGULAMENTO MUNICIPAL PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR Índice Nota Justificativa... 3 Capítulo I Disposições Gerais... 4 Artigo 1º... 4 Objeto... 4 Artigo 2º... 4 Âmbito...

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL LAJES SOLIDÁRIA PEQUENAS REPARAÇÕES DOMÉSTICAS AO DOMICÍLIO NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO MUNICIPAL LAJES SOLIDÁRIA PEQUENAS REPARAÇÕES DOMÉSTICAS AO DOMICÍLIO NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO MUNICIPAL LAJES SOLIDÁRIA PEQUENAS REPARAÇÕES DOMÉSTICAS AO DOMICÍLIO NOTA JUSTIFICATIVA Tendo por base o diagnóstico social do concelho das Lajes das Flores, o qual refere que uma considerável

Leia mais

FUNDAÇÃO DE AURÉLIO AMARO DINIZ

FUNDAÇÃO DE AURÉLIO AMARO DINIZ FUNDAÇÃO DE AURÉLIO AMARO DINIZ ESTATUTOS: DA FUNDAÇÃO DE AURÉLIO AMARO DINIZ Da Denominação, Natureza e Fins CAPITULO I Artigo 1º - 1 A Fundação Aurélio Amaro Diniz é uma Fundação de Solidariedade Social,

Leia mais

REGULAMENTO DE USO DA MARCA COLECTIVA

REGULAMENTO DE USO DA MARCA COLECTIVA REGULAMENTO DE USO DA MARCA COLECTIVA 1. Introdução A Marca (doravante designada como Marca) está orientada para a promoção da Indústria Portuguesa de Engineering & Tooling, a nível nacional e internacional,

Leia mais

DATTA ASSSSUNTTO benefícios fiscais. EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério das Finanças Emprego e Segurança Social

DATTA ASSSSUNTTO benefícios fiscais. EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério das Finanças Emprego e Segurança Social DEESSI IGNAÇÇÃO: : CCONTTABBI ILLI IDADEE//FFI INANÇÇASS DIÁRIOS DA REPUBLLI ICA e do Plano Secretaria de Estado do Orçamento Direcção Geral de Contribuições e Impostos ASSSSUNTTO Aprova o novo regulamento

Leia mais

O IRC no Orçamento do Estado para 2012. Audit Tax Advisory Consulting

O IRC no Orçamento do Estado para 2012. Audit Tax Advisory Consulting Audit Tax Advisory Consulting Opção por período de tributação distinto do ano civil Período mínimo de vigência da opção: 5 anos Período mínimo poderá ser < 5 anos, se o s.p. passar a integrar grupo obrigado

Leia mais

JORNAL OFICIAL. I Série. 3.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 27 de Dezembro de Número 133

JORNAL OFICIAL. I Série. 3.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 27 de Dezembro de Número 133 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 27 de Dezembro de 2011 I Série 3.º Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DA CULTURA, TURISMO E TRANSPORTES E DO PLANO E FINANÇAS Portaria n.º 169/2011

Leia mais

REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS DA JUNTA DE FREGUESIA DE PARANHOS

REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS DA JUNTA DE FREGUESIA DE PARANHOS REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS DA JUNTA DE FREGUESIA DE PARANHOS PREÂMBULO No uso da competência prevista pelos artigos 112º, n.º. 8, e 241º da Constituição da República Portuguesa, e conferida pela

Leia mais

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO. Nota justificativa

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO. Nota justificativa REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO Nota justificativa A elevada taxa de insucesso escolar resulta, em grande parte, da ausência ou uso inapropriado de estratégias de estudo e pela não existência

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE OLIVEIRA DO HOSPITAL

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE OLIVEIRA DO HOSPITAL NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE OLIVEIRA DO HOSPITAL Preâmbulo O Decreto-Lei n.º 389/99, de 30 de Setembro, no art. 21º, atribui ao Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado

Leia mais

REGULAMENTO DA REDE CONCELHIA DE BIBLIOTECAS

REGULAMENTO DA REDE CONCELHIA DE BIBLIOTECAS NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO DA REDE CONCELHIA DE BIBLIOTECAS Um serviço de leitura pública surge como instrumento indispensável na democratização da cultura, ao contribuir para que todos os cidadãos,

Leia mais

Lista de Abreviaturas... 17. Prefácio... 19. Nota dos Autores... 21. Preâmbulo à proposta de Lei... 23. Lei n.º 22-A/2007, de 27 de Junho...

Lista de Abreviaturas... 17. Prefácio... 19. Nota dos Autores... 21. Preâmbulo à proposta de Lei... 23. Lei n.º 22-A/2007, de 27 de Junho... Lista de Abreviaturas............................... 17 Prefácio.......................................... 19 Nota dos Autores.................................. 21 Preâmbulo à proposta de Lei.........................

Leia mais

PROJECTO DE BEM-ESTAR ESTAR SOCIAL DE MÃOS DADAS REGULAMENTO PARA A ACTIVIDADE DE HIDROGINÁSTICA CÂMARA MUNICIPAL DE CUBA

PROJECTO DE BEM-ESTAR ESTAR SOCIAL DE MÃOS DADAS REGULAMENTO PARA A ACTIVIDADE DE HIDROGINÁSTICA CÂMARA MUNICIPAL DE CUBA PROJECTO DE BEM-ESTAR ESTAR SOCIAL DE MÃOS DADAS REGULAMENTO PARA A ACTIVIDADE DE HIDROGINÁSTICA CÂMARA MUNICIPAL DE CUBA NORMAS PARA A ACTIVIDADE DE HIDROGINÁSTICA Nota Justificativa O grupo etário de

Leia mais

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DATA: Segunda-feira, 16 de setembro de 2013 NÚMERO: 178 SÉRIE I, 1º SUPLEMENTO EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DIPLOMA: Portaria n.º 286-A/2013 SUMÁRIO: Cria a medida Incentivo

Leia mais

CONCURSO DE IDEIAS 2014-2015 JOVENS CRIATIVOS, EMPREENDEDORES PARA O SÉCULO XXI

CONCURSO DE IDEIAS 2014-2015 JOVENS CRIATIVOS, EMPREENDEDORES PARA O SÉCULO XXI 0 REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS 2014-2015 1. OBJETIVOS Através de um concurso de ideias, a iniciativa INOVA! visa: Estimular o espírito empreendedor, criativo e inovador das crianças e dos jovens;

Leia mais

Governação dos laboratórios: papel da regulação

Governação dos laboratórios: papel da regulação Governação dos laboratórios: papel da regulação César Carneiro Director do Departamento de Estudos e Regulação Económica Lisboa, 20 de Maio de 2016 Agenda 1. A Entidade Reguladora da Saúde 2. As actividades

Leia mais

3. Condições de ingresso

3. Condições de ingresso EDITAL Concurso institucional aos Cursos Técnicos Superiores Profissionais em «Intervenção Social e Comunitária» e em «Comunicação Digital» para o ano letivo de 2016/2017 Cumprindo o previsto no n.º 1

Leia mais

MANUAL DO VOLUNTÁRIO

MANUAL DO VOLUNTÁRIO MANUAL DO VOLUNTÁRIO Só é voluntário quem se põe ao serviço do OUTRO ÍNDICE 1. Introdução 2. O movimento Pais-em-Rede. 3. Ser voluntário Pais-em-Rede: 3.1 O nosso conceito de voluntariado 3.2 Direitos

Leia mais

IRC opção pelo regime simplificado

IRC opção pelo regime simplificado IRC opção pelo regime simplificado Está em curso durante o presente mês de fevereiro o prazo concedido aos sujeitos passivos de IRC para procederem à opção pelo regime simplificado de determinação da matéria

Leia mais

Respostas a questões das IC s sobre a Linha de Crédito PME Investe II / QREN

Respostas a questões das IC s sobre a Linha de Crédito PME Investe II / QREN Respostas a questões das IC s sobre a Linha de Crédito PME Investe II / QREN 1. Beneficiários 1.1. As regras de enquadramento que se aplicam às empresas são as correspondentes à da região onde se localiza

Leia mais

PAGAMENTO DE IMPOSTOS - 2011

PAGAMENTO DE IMPOSTOS - 2011 PAGAMENTO DE IMPOSTOS - 2011 JANEIRO / 2011 tesourarias de finanças ou dos CTT ou ainda (para importâncias não superiores a 99 999,99), através do multibanco, correspondente ao imposto apurado na declaração

Leia mais

Regulamento do Centro de Convívio Sénior da Junta de Freguesia de Odivelas CAPÍTULO I

Regulamento do Centro de Convívio Sénior da Junta de Freguesia de Odivelas CAPÍTULO I Regulamento do Centro de Convívio Sénior da Junta de Freguesia de Odivelas CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Noção) 1. O Centro de Convívio Sénior da Junta de Freguesia de Odivelas consiste numa

Leia mais

REGULAMENTO DOS APOIOS EM CEDÊNCIA DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

REGULAMENTO DOS APOIOS EM CEDÊNCIA DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO REGULAMENTO DOS APOIOS EM CEDÊNCIA DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PARA OBRAS PARTICULARES DE AGREGADOS FAMILIARES CARENCIADOS NA FREGUESIA DA PONTA DELGADA Considerando o novo quadro legal de atribuições

Leia mais

Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas (IRC)

Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas (IRC) FLASH NEWS FISCAL N.º 2 (IRC) PROPOSTA ORÇAMENTO DE ESTADO 2012 Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas (IRC) Taxas de IRC É eliminada a taxa de 12,5% aplicável aos primeiros 12.500,00 de matéria

Leia mais

Sistema Nacional de Compras Públicas e Centrais de compras

Sistema Nacional de Compras Públicas e Centrais de compras 17 de Novembro de 2008 Sistema Nacional de Compras Públicas e Centrais de compras Gisela Xavier Martins Gisela.martins@mirandalawfirm.com SNCP e ANCP Decreto-Lei n.º 37/2007, de 19 de Fevereiro O Sistema

Leia mais

Aplicação pela Caixa de Crédito de Leiria. Lei n.º 58/2012, de 9 de novembro, alterada pela Lei n.º 58/2014, de 25 de agosto

Aplicação pela Caixa de Crédito de Leiria. Lei n.º 58/2012, de 9 de novembro, alterada pela Lei n.º 58/2014, de 25 de agosto Aplicação pela Caixa de Crédito de Leiria da Lei n.º 58/2012, de 9 de novembro, alterada pela Lei n.º 58/2014, de 25 de agosto [Esta lei cria um regime extraordinário de proteção de devedores de crédito

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO AOS EVENTOS DESPORTIVOS NO ÂMBITO DO DESPORTO PARA TODOS DESPORTO PARA TODOS. Artigo 1 ENTIDADES PROMOTORAS

REGULAMENTO DE APOIO AOS EVENTOS DESPORTIVOS NO ÂMBITO DO DESPORTO PARA TODOS DESPORTO PARA TODOS. Artigo 1 ENTIDADES PROMOTORAS REGULAMENTO DE APOIO AOS EVENTOS DESPORTIVOS NO ÂMBITO DO DESPORTO PARA TODOS DESPORTO PARA TODOS A generalização da prática desportiva de recreação e lazer, como forma de promoção de estilos de vida saudáveis,

Leia mais

Despacho N.º 32/2015

Despacho N.º 32/2015 Despacho N.º 32/2015 Publicam-se, em anexo, os Regulamentos de Propinas dos Ciclos de Estudos (1.º, 2.º e 3.º) e Pós-Graduação para o ano letivo de 2015/2016. Lisboa, 16 de julho de 2015 O Diretor (Prof.

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 20 de janeiro de 2015. Série. Número 11

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 20 de janeiro de 2015. Série. Número 11 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 20 de janeiro de 2015 Série Sumário PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução n.º 37/2015 Aprova a proposta de Decreto Legislativo Regional que altera

Leia mais

Projecto de Voluntariado do CSPA

Projecto de Voluntariado do CSPA Projecto de Voluntariado do CSPA Centro Social Paroquial de Atalaia, designado por Organização Promotora, tem por fim a promoção de respostas diversificadas no âmbito da acção social adequadas às necessidades

Leia mais

NEWSLETTER I FISCAL. NEWSLETTER FISCAL I Setembro, 2014. I Legislação Nacional 2. II Instruções Administrativas 3. III Jurisprudência Europeia 4

NEWSLETTER I FISCAL. NEWSLETTER FISCAL I Setembro, 2014. I Legislação Nacional 2. II Instruções Administrativas 3. III Jurisprudência Europeia 4 NEWSLETTER I FISCAL NEWSLETTER FISCAL I Setembro, 2014 I Legislação Nacional 2 II Instruções Administrativas 3 III Jurisprudência Europeia 4 IV Jurisprudência Nacional 5 V Outras informações 6 NEWSLETTER

Leia mais

Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir

Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir Núcleo Executivo / Secretariado Técnico Rede Social Loures Aprovado na reunião de CLAS de 19.Fevereiro.2009 Objectivo Superior Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir Monitorização

Leia mais

Obrigações declarativas das entidades que não exercem a título principal

Obrigações declarativas das entidades que não exercem a título principal Obrigações declarativas das entidades que não exercem a título principal atividades comerciais, industriais ou agrícolas Com as alterações introduzidas aos n.ºs 6 e 7 do art. 117 do CIRC 1, as obrigações

Leia mais

SECRETRIA REGIONAL DOS ASSUNTOS SOCIAIS I SÉRIE - N.º 48-27-11-2003 1397. Assim, determina-se:

SECRETRIA REGIONAL DOS ASSUNTOS SOCIAIS I SÉRIE - N.º 48-27-11-2003 1397. Assim, determina-se: I SÉRIE - N.º 48-27-11-2003 1397 Assim, determina-se: 1. A taxa a que se refere o n.º 2 da cláusula 5.ª dos anexos I, II e III do Despacho Normativo n.º 89/98, de 26 de Março bem como do Anexo I do Despacho

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Executivo

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Executivo Conselho de Faculdade da da Universidade Nova de Lisboa REGIMENTO Artigo 1º Composição 1. O Conselho de Faculdade da FCM é constituído por treze membros, sendo oito docentes e investigadores, um estudante,

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL 65 +

REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL 65 + REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL 65 + Elaborado Por: Desenvolvimento Social Acção Social Data: Verificado Por: Data: Aprovado por: Câmara Municipal de Estremoz Data: 05/01/2011 Aprovado por: Assembleia

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO

Leia mais

Regulamento Interno. Centro Ocupacional de São Brás. Capítulo I. Objectivos do Regulamento

Regulamento Interno. Centro Ocupacional de São Brás. Capítulo I. Objectivos do Regulamento Regulamento Interno Centro Ocupacional de São Brás Capítulo I Objectivos do Regulamento 1) O presente regulamento visa definir as regras de organização e funcionamento do Espaço Educacional de São Brás,

Leia mais

1. Enquadramento fiscal

1. Enquadramento fiscal Obrigações declarativas e contabilísticas das entidades do sector não lucrativo Introdução Com a recente publicação dos novos impressos da declaração modelo 22 e a criação do também novo Anexo D desta,

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS EXCECIONAIS DE APOIO AO EMPREGO PARA 2010 APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.

GUIA PRÁTICO MEDIDAS EXCECIONAIS DE APOIO AO EMPREGO PARA 2010 APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I. GUIA PRÁTICO MEDIDAS EXCECIONAIS DE APOIO AO EMPREGO PARA 2010 APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Medidas excecionais de apoio

Leia mais

Regulamento de implementação e funcionamento da Loja Social de Alenquer

Regulamento de implementação e funcionamento da Loja Social de Alenquer Regulamento de implementação e funcionamento da Loja Social de Alenquer Nota Justificativa Num contexto marcado por uma profunda crise sócio-económica, que origina o crescente aumento de situações de pobreza

Leia mais

PROGRAMA METROPOLITANO DE EMERGÊNCIA SOCIAL DA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO (PMES AMP) REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I REGRAS GERAIS

PROGRAMA METROPOLITANO DE EMERGÊNCIA SOCIAL DA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO (PMES AMP) REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I REGRAS GERAIS PROGRAMA METROPOLITANO DE EMERGÊNCIA SOCIAL DA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO (PMES AMP) REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I REGRAS GERAIS Artigo 1.º Âmbito 1 No âmbito das atribuições da Área Metropolitana

Leia mais

«Publicação da lista definitiva» Quando é publicada a lista definitiva?

«Publicação da lista definitiva» Quando é publicada a lista definitiva? Concurso centralizado, de ingresso externo, para lugares vagos de técnico superior de 1.ª classe, 1.º escalão, da carreira de técnico superior, área jurídica (ref.: concurso n. 006-2015-TS-05) «e respostas

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM BIOMECÂNICA. (edição 2010 2012)

EDITAL MESTRADO EM BIOMECÂNICA. (edição 2010 2012) EDITAL MESTRADO EM BIOMECÂNICA (edição 2010 2012) Nos termos do Decreto Lei n.º 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto Lei n.º 74/2006 de 24 de Março, com as alterações introduzidas pelo Decreto Lei n.º

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BENEFÍCIOS AOS MEMBROS DA ORDEM DOS ENFERMEIROS,

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BENEFÍCIOS AOS MEMBROS DA ORDEM DOS ENFERMEIROS, Preâmbulo Foi aprovado em Assembleia Geral da Ordem dos Enfermeiros de 25 de Maio de 2002, sob proposta do Conselho Diretivo, o Regulamento de Acesso a Benefícios aos Membros, em cumprimento do desígnio

Leia mais

Regulamento Interno do Voluntariado do Centro Social Paroquial de Pinhal Novo

Regulamento Interno do Voluntariado do Centro Social Paroquial de Pinhal Novo Regulamento Interno do Voluntariado do Centro Social Paroquial de Pinhal Novo Preâmbulo O Centro Social Paroquial de Pinhal Novo é uma Instituição Particular de Solidariedade Social que tem por objetivos

Leia mais