TENDÊNCIAS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS PARA ALGUMAS LOCALIDADES DO ESTADO DO CEARÁ 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TENDÊNCIAS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS PARA ALGUMAS LOCALIDADES DO ESTADO DO CEARÁ 1"

Transcrição

1 TENDÊNCIAS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS PARA ALGUMAS LOCALIDADES DO ESTADO DO CEARÁ 1 G. S. Martins 2 ; T. B. Torres 3 ; E. P. de Miranda 2 ; W. M. Maciel 2 ; S. A. de Souza 3 RESUMO: Este trabalho teve como objetivo identificar o comportamento climático para alguns municípios de diferentes regiões do estado do Ceará, compreendendo dois períodos, N1 ( ) e N2 ( ), avaliando quanto aos aspectos de evapotranspiração potencial e real, precipitação e disponibilidades hídricas. Foi utilizado o balanço hídrico de Thornthwaite-Mather (1955) e dados médios mensais de temperatura máxima ( C) e mínima ( C), umidade relativa (%), velocidade do vento (m.s -1 ), insolação (h mês -1 ) para o cálculo da evapotranspiração de referência (ETo) e precipitação (mm). Os resultados mostraram que em 20 % das localidades houve mudança no tipo climático, segundo a classificação de Thornthwaite (1948), e em 20 % das localidades houve mudança no subtipo climático. Quanto à evapotranspiração de referência, tendências positivas para Campo Sales, Crateús, Iguatu, Quixeramobim, Sobral, Jaguaruana e Barbalha e tendências negativas para Fortaleza, Guaramiranga e Morada Nova. A precipitação com tendências positivas: Crateús, Fortaleza, Guaramiranga, Sobral e Jaguaruana e Tendências negativas: Campo Sales, Iguatu, Morada Nova e Barbalha. PALAVRAS-CHAVE: Clima; evapotranspiração; disponibilidades hídricas TRENDS OF CLIMATE CHANGE FOR SOME LOCATIONS IN THE STATE OF CEARA SUMMARY: This work had as main purpose do study the climate behavior for some counties in Ceara State for two distinct periods N1( ) and N2 ( ) where the parameters evapotranspiration (potential and actual), precipitation and water availability have been analyzed. For that, it was used the Thornthwaite-Mather water balance(1955) and the monthly average maximum and minimum temperature( C), relative humidity (%), wind velocity (m/s), solar radiation (h. month -1 ) to compute reference evapotranspiration(mm) and precipitation(mm). Results showed that a change in climate type occurred for 20(%) and in climate subtypes for 20% of the counties according the Thornthwaite (1948) climatic classification. For evapotranspiration, positive tendencies were observed for Campo Sales, Crateús, Iguatu, Quixeramobim, Sobral, Jaguaruana and Barbalha and negative tendencies for Fortaleza, Guaramiranga and Morada Nova. Precipitation presented positive tendencies for Crateús, Fortaleza, Guaramiranga, Sobral and negative tendencies for Campo Sales, Iguatu, Morada Nova e Barbalha. KEYWORDS: Climate; evapotranspiration; water availability 1 Parte da dissertação de conclusão do curso de Tecnólogo em Irrigação e Drenagem do segundo autor 2 Engº Agrônomo, M.Sc. Irrigação e Drenagem, Professor, IFCE, CEP: , Iguatu, CE. Fone (88) Graduando em Tecnologia de Irrigação e Drenagem, IFCE, CEP: , Iguatu, CE. Fone (88) ;

2 INTRODUÇÃO A agricultura é umas das atividades econômicas que é altamente dependente das condições climáticas. Os elementos meteorológicos afetam não só os processos metabólicos das plantas, diretamente relacionados à produção vegetal, como também as mais diversas atividades no campo. Além de influenciar o crescimento, o desenvolvimento e a produtividade das culturas, o clima afeta também a relação das plantas com microorganismos, insetos, fungos e bactérias, favorecendo ou não há ocorrência de pragas e doenças, o que demanda as medidas de controle adequadas. Muitas das práticas agrícolas de campo, como o preparo do solo, a semeadura, a adubação, a irrigação, as pulverizações, a colheita, entre outras, também dependem de condições de tempo e de umidade do solo específicas para que possam ser realizadas de forma eficiente (PEREIRA at AL.,2002). Há milhões de anos o clima no planeta sempre sofreu alterações naturais. Com surgimentos da civilização, essas alterações foram intensificadas. Atualmente, mudanças climáticas globais vêm ocorrendo no intervalo de poucas décadas. Ao longo dos anos fortaleceram-se as evidências empíricas de que a atividade humana alterou de maneira significativa a concentração de gases de efeito estufa na atmosfera (IPCC, 2007). No Nordeste do Brasil, o maior problema seria o aumento da seca e da falta de água. Conforme cenário apresentado por Houghton et al. (2001), poderá haver acréscimos de 1,0 ºC a 5,8 ºC na temperatura média do planeta, variável no tempo e no espaço. Segundo Deconto (2008), a consequência disso será uma profunda modificação no ciclo hidrológico, com reflexos no consumo de água das plantas, com aumentos significativos na evapotranspiração potencial, evapotranspiração real e na precipitação pluvial e alteração, em termos absolutos, do balanço hídrico das culturas. Neste contexto o presente trabalho tem como objetivo, identificar o comportamento climático, pela analise de vários municípios situados em diferentes regiões do estado do Ceará, compreendendo duas séries meteorológicas de dados mensais, nos intervalo de anos de e outra de , avaliando quanto aos aspectos: evapotranspiração potencial e real, precipitação e disponibilidades hídricas de forma comparativa de modo a entender o comportamento e as tendências dessas importantes variáveis agrometeorológicas desse estado nordestino. MATERIAL E MÉTODOS Os municípios estudados representando diversas regiões do estado como serrana, litoral e sertão foram: Barbalha, Campos Sales, Crateús, Fortaleza, Guaramiranga, Iguatu, Jaguaruana, Morada Nova, Quixeramobim e Sobral. Para estimativa do balanço hídrico foram utilizados dados médios mensais de temperatura máxima ( C) e mínima ( C), umidade relativa (%), velocidade do vento a dez metros da superfície do solo (m.s -1 ), insolação (h mês -1 ) e precipitação (mm), oriundos do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Esses dados foram processados e dividido em duas séries, aonde foi denominada de N1 a média mensal da primeira série de dados, ( ) e N2 média da segundo série ( ). Na Figura 1 visualizam-se detalhadamente as coordenas e o intervalo de anos de cada série compreendida para cada município. Para estimar a evapotranspiração de referência foi utilizado o método padrão Penman- Monteith FAO 56 (Allen 1998). O cálculo do balanço hídrico foi elaborado empregando o

3 método de THORNTHWAITE & MATHER (1955). Adotou-se uma capacidade de água disponível (CAD) de 100 mm (PEREIRA et al.,2002). Uma vez elaborado o banco de dados mensais de precipitação pluvial e evapotranspiração potencial estimada por Penman-Monteith- FAO (PM-FAO), procedeu-se a elaboração do BHC segundo Thornthwaite e Mather (1955) para todas as localidades. Figura 1 Precipitação anual para N1 ( ) e N2 ( ). A classificação climática foi elaborada a partir do método proposto por THORNTHWAITE (1948), citado em PEREIRA et al, (2002). Para a verificação da tendência da mudança da evapotranspiração e precipitação, utilizou-se a variação percentual entre a série mais recente(n2) e a outra mais antiga(n1), pela seguinte Equação: - (eq. 1) Onde:VP é a variação percentual da Tendência de mudança (%);N1 é o valor da serie mais antiga e N2 é o valor mais recente). Se VP> 0 houve aumento e se VP<0 houve redução. RESULTADOS E DISCUSSÃO Comparando os dois períodos (N1 e N2), analisados pelo percentual de variação, observouse que, os municípios de Barbalha, Iguatu, Campo Sales, Morada Nova e Quixeramobim apresentaram uma decréscimo na precipitação de -16,9% a -11,60%. Já os municípios de Jaguaruana,Fortaleza,Guaramiranga e Sobral houve uma acréscimo de 1,89% a 9,63% e Crateús teve uma redução mínima. As tendências da evapotranspiração de referencia no período seco mostraram-se semelhantes ao do período chuvoso com relação aos municípios, e diferente com relação aos valores expressos, apresentados na Figura 2. Fortaleza e Morada Nova obtiveram redução na evapotranspiração atingindo os valores -45,5 mm e -51,9 mm e, de -1,5 mm não muito elevado para Guaramiranga. E ocorreram indício (tendência) de aumento para Campo Sales, Crateús, Morada Nova, Quixeramobim, Jaguaruana, Barbalha e Sobral, que obtiveram respectivamente o seguintes valores: 143mm, 128mm, 242,9mm, 48,4mm, 40,51mm, 39,5mm, 43,9mm. De acordo com a classificação climática proposta por Thornthwaite, para os dados da série normal ( ) e ( ), o clima de Campo Sales, Crateús, Fortaleza e Guaramiranga sofreram alteração. Também houve alterações para os subtipos climáticos.

4 Figura 2 Variação percentual (N1e N2) da evapotranspiração de referência (%) acumulada para o período seco(julho-dezembro). Campo Sales passando de clima árido, com pequena ou nulo excesso de água, denominado megatérmico ( ) para clima árido, com pequeno excesso de água, também megatérmico, e com uma ETP de 2023,8 mm no ano, sendo que 46,6% desta ETP ocorre no verão ( ). Fortaleza, passando de C 2 w 2 A' b' 2 no primeiro período (Subumido, com grande excesso de água, megatérmico) para B 1 w 2 A' b' 4, (clima úmido, grande excesso de água, também megatérmico, com uma ETP de 1537,4 mm no ano, sendo que 48,56% desta ETP ocorre no verão). Guaramiranga foi de B 2 w 2 B' 4 b' 2 (umido, com grande excesso de água) para B 3 w 2 B' 4 b' 2 (clima úmido,uma categoria acima, com grande excesso de água, também megatérmico, e com uma ETP de 1094,9 mm no ano, e 48,56% desta ETP ocorre no verão) no período de Cratéus foi de D d A' b' 3 no período, ou seja umido, semi árido com pequeno ou nenhum excesso de água, denominado megatérmico, com uma ETP de 1806 mm no ano, sendo que 52,48% desta ETP ocorre no verão para semi árido com pequeno ou nenhum excesso de água, denominado megatérmico, com uma ETP de 1974,9 mm no ano os dados observados no período de , com 49,94% desta ETP ocorrendo no verão. CONCLUSÃO De acordo com os resultados observados, o presente trabalho evidencia algumas tendências, tanto nos tipos quanto nos subtipos climáticos e nos parâmetros do balanço hídrico de Thornthwaite e Mather (1955) para os municípios estudados. Em 4 dos 10 municípios analisados as localidades apresentaram mudança no tipo ou subtipo climático segundo a classificação de Thornthwaite (1948). As tendências relativas à evapotranspiração evidenciam um desvio positivo para sete (07) municípios do total de 10 analisados e tendências negativas para três municípios do total. Apesar de a última série de dados analisada ( ) não constituir em uma série completa de 30 (anos), esses indícios sugerem a importância dessas tendências em estudos ligados às disponibilidades hídricas, demandas de irrigação e planejamento ambiental na região de estudo.

5 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALLEN, R.G.; PEREIRA, L.S.; RAES, D.; SMITH, M. Crop evapotranspiration: Guidelines for computing crop water requirements, Rome: FAO, p. (Irrigation and Drainage Paper, 56). DECONTO, J. G. (Coord.). Aquecimento global e a nova geografia da produção agrícola no Brasil. [Brasília, DF]: Embrapa; [Campinas]: Unicamp, p. HOUGHTON, J. T.; DING, Y.; GRIGSS, D. J.; NOGUER, M; LINDEN, P. J. van der ; DAI, X.; MASKELL, K.; JOHNSON, C. A. (Ed.). Climate change 2001: the scientific basis. Cambridge: Cambridge University Press, p. Contribution of Working Group I to the Third Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Chang IPCC. Climate Change 2007: Synthesis Report. Contribution of Working Groups I, II and III to the Fourth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change [Core Writing Team, Pachauri, R.K and Reisinger, A.(eds.)]. IPCC, Geneva, Switzerland, 104 pp., PEREIRA, A.R.; ANGELOCCI, L.R.; SENTELHAS, P.C. aplicações práticas. Guaíba: Ed. Agropecuária p. Agrometeorologia fundamentos e THORNTHWAITE, C. W.; MATHER, J. R. The water balance. Publications in Climatology, New Jersey, v. 1, n. 8, p , THORNTHWAITE, C. W. An approach toward a rational classification of climate. Geographical Review, Baton Rouge, v. 38, p , THORNTHWAITE, C. W.; MATHER, J. R. The water balance. New Jersey: Drexel Institute of Technology, p. (Publications in Climatology).

BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO EM DOIS PERÍODOS DISTINTOS ( ) E ( ) PARA CAMPOS SALES NO CEARÁ

BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO EM DOIS PERÍODOS DISTINTOS ( ) E ( ) PARA CAMPOS SALES NO CEARÁ BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO EM DOIS PERÍODOS DISTINTOS (1961-1990) E (1991-2009) PARA CAMPOS SALES NO CEARÁ A. H. Francilino 1 ; M. G. Silva 2 ; E. R. F. Ledo 1 ; Y. A. Silva 1 ; T. B. Torres 3 RESUMO: Objetivou-se

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA A CIDADE DE SÃO PAULO DO POTENGI - RN.

BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA A CIDADE DE SÃO PAULO DO POTENGI - RN. BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA A CIDADE DE SÃO PAULO DO POTENGI - RN Josenildo Teixeira da Silva, José Américo Souza Grilo Junior, Milton Bezerra do Vale, Pedro Vieira de Azevedo

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO EM DUAS DECADAS DISTINTAS ( ) E ( ) PARA SOBRAL NO CEARÁ

DETERMINAÇÃO DO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO EM DUAS DECADAS DISTINTAS ( ) E ( ) PARA SOBRAL NO CEARÁ DETERMINAÇÃO DO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO EM DUAS DECADAS DISTINTAS (1973-198) E (003-01) PARA SOBRAL NO CEARÁ Juarez Cassiano de Lima Junior¹, Antonio Gebson Pinheiro¹, Joaquim Branco de Oliveira²,

Leia mais

MANEJO DE IRRIGAÇÃO COM BASE NO CLIMA NA CULTURA DA MELANCIA NO MUNICÍPIO DE IGUATU-CE

MANEJO DE IRRIGAÇÃO COM BASE NO CLIMA NA CULTURA DA MELANCIA NO MUNICÍPIO DE IGUATU-CE MANEJO DE IRRIGAÇÃO COM BASE NO CLIMA NA CULTURA DA MELANCIA NO MUNICÍPIO DE IGUATU-CE J. M. Souza 1 ; M. M. Pereira 2 ; K. A. Duarte 1 ; F. N. F. B. Xerez 1 ; P. C. Viana 3 ; R. S. Arruda 4 RESUMO: O

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO EM DECORRÊNCIA DO AQUECIMENTO GLOBAL NO SERTÃO DE PERNAMBUCO

BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO EM DECORRÊNCIA DO AQUECIMENTO GLOBAL NO SERTÃO DE PERNAMBUCO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO EM DECORRÊNCIA DO AQUECIMENTO GLOBAL NO SERTÃO DE PERNAMBUCO LINDENBERG L. SILVA 1, FRANCIS LACERDA 2, HUDSON E. A. MENEZES 3, GENIVAL SILVA 4, ROBÉRIO COUTINHO 5, JANAÍNA

Leia mais

EFEITOS DO AUMENTO DA TEMPERATURA NO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRA DO POMBAL-BA

EFEITOS DO AUMENTO DA TEMPERATURA NO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRA DO POMBAL-BA EFEITOS DO AUMENTO DA TEMPERATURA NO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRA DO POMBAL-BA Cloves Vilas Boas dos Santos(Discente, UPE, e-mail: cloves.geo25@hotmail.com); Magna SoelmaBeserra

Leia mais

Balanço Hídrico Climatológico e Classificação Climática da Região de Sinop, Mato Grosso

Balanço Hídrico Climatológico e Classificação Climática da Região de Sinop, Mato Grosso Scientific Electronic Archives Volume 3 p. 38-44 2013 Balanço Hídrico Climatológico e Classificação Climática da Região de Sinop, Mato Grosso Climatic Water Balance and Classification of Climate of the

Leia mais

MODIFICAÇÕES NO CLIMA DA PARAIBA E RIO GRANDE DO NORTE

MODIFICAÇÕES NO CLIMA DA PARAIBA E RIO GRANDE DO NORTE MODIFICAÇÕES NO CLIMA DA PARAIBA E RIO GRANDE DO NORTE Maytê Duarte Leal Coutinho 1, José Ivaldo Barbosa de Brito 2 1 Doutoranda em Ciências Climáticas UFRN Natal RN, maytecoutinho@yahoo.com.br 2 Professor

Leia mais

COEFICIENTES DA EQUAÇÃO DE ANGSTRÖM-PRESCOTT PARA PARNAÍBA, PIAUÍ

COEFICIENTES DA EQUAÇÃO DE ANGSTRÖM-PRESCOTT PARA PARNAÍBA, PIAUÍ COEFICIENTES DA EQUAÇÃO DE ANGSTRÖM-PRESCOTT PARA PARNAÍBA, PIAUÍ ADERSON S. ANDRADE JÚNIOR 1, DARLAN L. BRAGA 2, DONAVAN H. NOLETO 2, MARIA E. SILVA 3 & EDSON A. BASTOS 4 1 Eng. Agrônomo, Pesquisador

Leia mais

Phenotyping Network (DPN) Project Embrapa Milho e Sorgo.

Phenotyping Network (DPN) Project Embrapa Milho e Sorgo. Caracterização Climática e Determinação da Necessidade Hídrica de Culturas do Sítio- Específico de Precisão de Sete Lagoas para a Fenotipagem de Genótipos de Cereais Tolerantes à Seca 1 Reinaldo L. Gomide

Leia mais

Palavras-Chave: Índice de Umidade, Evapotranspiração, Minas Gerais.

Palavras-Chave: Índice de Umidade, Evapotranspiração, Minas Gerais. USO DE SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E GEOESTATÍSTICA PARA A CARACTERIZAÇÃO DO CLIMA DE MINAS GERAIS COM BASE NO ÍNDICE DE UMIDADE DE THORNTHWAITE Luiz Gonsaga de Carvalho 1 ; Marcelo de Carvalho

Leia mais

ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO SOB CENÁRIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA PARAÍBA E RIO GRANDE DO NORTE

ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO SOB CENÁRIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA PARAÍBA E RIO GRANDE DO NORTE ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO SOB CENÁRIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA PARAÍBA E RIO GRANDE DO NORTE Maytê Duarte Leal Coutinho 1, José Ivaldo Barbosa de Brito 2, David Mendes 3 RESUMO: Neste estudo investigou

Leia mais

ESTAÇÃO METEOROLÓGICA CONVENCIONAL E AUTOMÁTICA NA ESTIMATIVA DA ETO EM OURICURI PE

ESTAÇÃO METEOROLÓGICA CONVENCIONAL E AUTOMÁTICA NA ESTIMATIVA DA ETO EM OURICURI PE ESTAÇÃO METEOROLÓGICA CONVENCIONAL E AUTOMÁTICA NA ESTIMATIVA DA ETO EM OURICURI PE L.S. Fraga Júnior 1 ; L. M. Vellame 2 ; L. B. Marinho 3 ; R. P. Barbosa 4 RESUMO: O objetivo do estudo foi apresentar

Leia mais

REFERENCE EVAPOTRANSPIRATION ESTIMATE (ETo) THE METHOD OF PENMAN-MONTHEITH FOR DIFFERENT ALAGOAS STATE MUNICIPALITIES

REFERENCE EVAPOTRANSPIRATION ESTIMATE (ETo) THE METHOD OF PENMAN-MONTHEITH FOR DIFFERENT ALAGOAS STATE MUNICIPALITIES ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA (ETo) PELO MÉTODO DE PENMAN-MONTHEITH PARA DIFERENTES MUNICÍPIOS DO ESTADO DE ALAGOAS J. C. SILVA 1 ; T. F. CIRILO ; L. A. SANTOS; D. F. LIMA; D. P. dos SANTOS

Leia mais

ESPACIALIZAÇÃO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA EM FUNÇÃO DE MODELOS DE ESTIMATIVA DA TEMPERATURA DO AR E DE IMAGENS SRTM

ESPACIALIZAÇÃO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA EM FUNÇÃO DE MODELOS DE ESTIMATIVA DA TEMPERATURA DO AR E DE IMAGENS SRTM ESPACIALIZAÇÃO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA EM FUNÇÃO DE MODELOS DE ESTIMATIVA DA TEMPERATURA DO AR E DE IMAGENS SRTM JOAQUIM B. DE OLIVEIRA 1 ; EDMILSON G. C. JUNIOR 2 ; PAULA C. VIANA 3 ; ALEXSANDRA

Leia mais

Agronomia, Prof. Associado, Depto. Engenharia, UFLA, Lavras MG,

Agronomia, Prof. Associado, Depto. Engenharia, UFLA, Lavras MG, XIX Congresso Brasileiro de Agrometeorologia 23 a 28 de agosto de 2015 Lavras MG Brasil Agrometeorologia no século 21: O desafio do uso sustentável dos biomas brasileiros Sistema de informações geográficas

Leia mais

Balanço Hídrico Seriado de Petrolina, Pernambuco

Balanço Hídrico Seriado de Petrolina, Pernambuco Balanço Hídrico Seriado de Petrolina, Pernambuco Antônio Heriberto de Castro Teixeira, Bernardo Barbosa da Silva (Professo) Pesquisador, Embrapa Semi-Árido, CP 23 CEP 56300-000 Petrolina-PE, Brazil Fone:

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO DA REGIÃO DE ILHA SOLTEIRA, NOROESTE PAULISTA 1

BALANÇO HÍDRICO DA REGIÃO DE ILHA SOLTEIRA, NOROESTE PAULISTA 1 BALANÇO HÍDRICO DA REGIÃO DE ILHA SOLTEIRA, NOROESTE PAULISTA 1 J.O. DAMIÃO 2 ; F. B. T. HERNANDEZ 3 ; G. O. SANTOS 4 ; J.L. ZOCOLER 5 RESUMO: O balanço hídrico é de grande importância para o planejamento,

Leia mais

Carlos Márcio de Aquino Eloi 1

Carlos Márcio de Aquino Eloi 1 CONFIRMAÇÃO DA OCORRÊNCIA DE SEMI-ÁRIDO DENTRO DO ESTADO DO MARANHÃO SEGUNDO A EQUAÇÃO DEFINIDA PELA CONVENÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS DE COMBATE À DESERTIFICAÇÃO (UNCCD) Carlos Márcio de Aquino Eloi 1 RESUMO

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA O MUNICÍPIO DE ITUPORANGA SC

BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA O MUNICÍPIO DE ITUPORANGA SC BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA O MUNICÍPIO DE ITUPORANGA SC Julio M. CATONI 1 ; Leonardo NEVES 2 ;João Célio ARAUJO 3 ; Evandro C. de OLIVEIRA 4 ; Roberto HAVEROTH 5 ; Katiani ELI 1 ; Elizabete

Leia mais

ANÁLISE DE TENDÊNCIAS EM SÉRIES DE DADOS DE LONDRINA E PONTA GROSSA, PR. Mirian S. KOGUISHI, Paulo H. CARAMORI, Maria E. C.

ANÁLISE DE TENDÊNCIAS EM SÉRIES DE DADOS DE LONDRINA E PONTA GROSSA, PR. Mirian S. KOGUISHI, Paulo H. CARAMORI, Maria E. C. ANÁLISE DE TENDÊNCIAS EM SÉRIES DE DADOS DE LONDRINA E PONTA GROSSA, PR Mirian S. KOGUISHI, Paulo H. CARAMORI, Maria E. C. VASCONCELLOS IAPAR, Caixa Postal 48, CEP 86-97, Londrina, PR. Email: caramori@pr.gov.br

Leia mais

VARIABILIDADE DO ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO COM CAPACIDADE DE CAMPO DIFERENCIADA PARA O ESTADO DA PARAÍBA

VARIABILIDADE DO ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO COM CAPACIDADE DE CAMPO DIFERENCIADA PARA O ESTADO DA PARAÍBA VARIABILIDADE DO ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO COM CAPACIDADE DE CAMPO DIFERENCIADA PARA O ESTADO DA PARAÍBA Paulo Roberto Megna Francisco(1); Raimundo Mainar de Medeiros (2); Djail Santos (1) (1)Universidade

Leia mais

EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DIÁRIA EM BOA VISTA (RR) COM BASE NA TEMPERATURA DO AR

EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DIÁRIA EM BOA VISTA (RR) COM BASE NA TEMPERATURA DO AR EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DIÁRIA EM BOA VISTA (RR) COM BASE NA TEMPERATURA DO AR W. F. Araújo 1 ; M. A. F. Conceição 2 ; J. B.Venâncio 3 RESUMO: O método padrão de estimativa da evapotranspiração

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE SERRA TALHADA PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE SERRA TALHADA PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO CURSO: PRODUÇÃO VEGETAL MODALIDADE: PRESENCIAL DISCIPLINA: METEOROLOGIA AGRÍCOLA TIPO: ( ) OBRIGATÓRIA ( X ) OPTATIVA PRÉ-REQUISITO: NÃO POSSUI DEPARTAMENTO: PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Leia mais

PROJEÇÕES DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO POTENCIAL PARA CENÁRIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO TAPEROÁ - PB

PROJEÇÕES DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO POTENCIAL PARA CENÁRIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO TAPEROÁ - PB PROJEÇÕES DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO POTENCIAL PARA CENÁRIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO TAPEROÁ - PB Madson T. SILVA 1, Edicarlos P. de SOUSA 2, Sonaly D. de OLIVEIRA 3, Vicente de Paulo

Leia mais

Universitário s/nº, Alegre-ES, CEP: , Caixa Postal 16,

Universitário s/nº, Alegre-ES, CEP: , Caixa Postal 16, FAO- CORRECTED PENMAM: ESTIMATIVA DA ET E COMPARAÇÃO COM O MÉTODO DE PENMAN-MONTEITH FAO Glaucio L. Araujo, Leonardo C. Lacerda, Camila Aparecida da S. Martins, Rogério R. Rodrigues, Aline A. Nazário,

Leia mais

REQUERIMENTO DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO DO MILHO NA REGIÃO SÃO MATEUS, ES APPLICATION OF WATER FOR IRRIGATION OF CORN IN THE SÃO MATEUS, ES

REQUERIMENTO DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO DO MILHO NA REGIÃO SÃO MATEUS, ES APPLICATION OF WATER FOR IRRIGATION OF CORN IN THE SÃO MATEUS, ES REQUERIMENTO DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO DO MILHO NA REGIÃO SÃO MATEUS, ES R.A.Sales 1, C. Oliveira 2, C.A. Spadeto³, R.P. Posse 4 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo estimar o requerimento de irrigação

Leia mais

ANÁLISE DA VARIABILIDADE INTERANUAL DO ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO PARA O ESTADO DA PARAÍBA

ANÁLISE DA VARIABILIDADE INTERANUAL DO ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO PARA O ESTADO DA PARAÍBA ANÁLISE DA VARIABILIDADE INTERANUAL DO ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO PARA O ESTADO DA PARAÍBA João Felipe da Silva Guedes¹; Sebastiana Angelita Lima da Silva²; Vanessa Maria Dantas Pedrosa²; Valéria Peixoto

Leia mais

ANÁLISE DA TEMPERATURA DO AR EM AREIA - PB, EM ANOS DE OCORRÊNCIA DE EL NIÑO

ANÁLISE DA TEMPERATURA DO AR EM AREIA - PB, EM ANOS DE OCORRÊNCIA DE EL NIÑO ANÁLISE DA TEMPERATURA DO AR EM AREIA - PB, EM ANOS DE OCORRÊNCIA DE EL NIÑO T. S. A. da COSTA (1) ; J. F. da COSTA FILHO (2) ; D. C. BARACHO (3) ; T. S. dos SANTOS (4) ; E. C. S. MARINHO (5). 1 Eng. Agrônoma,

Leia mais

Caracterização Climática do Sítio-Específico de Janaúba para a Fenotipagem de Cereais Visando Estudos de Tolerância à Seca

Caracterização Climática do Sítio-Específico de Janaúba para a Fenotipagem de Cereais Visando Estudos de Tolerância à Seca Caracterização Climática do Sítio-Específico de Janaúba para a Fenotipagem de Cereais Visando Estudos de Tolerância à Seca Paulo E. P. de Albuquerque 1, Reinaldo L. Gomide 1, Camilo de L. T. de Andrade

Leia mais

Documentos 86. Dados climatológicos: Estação de Fortaleza, 2003

Documentos 86. Dados climatológicos: Estação de Fortaleza, 2003 ISSN 1677-1915 Outubro, 2004 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Agroindústria Tropical Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 86 Dados climatológicos:

Leia mais

EFEITO DAS VARIÁVEIS METEOROLÓGICAS NA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DO SUBMÉDIO DO VALE SÃO FRANCISCO

EFEITO DAS VARIÁVEIS METEOROLÓGICAS NA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DO SUBMÉDIO DO VALE SÃO FRANCISCO EFEITO DAS VARIÁVEIS METEOROLÓGICAS NA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DO SUBMÉDIO DO VALE SÃO FRANCISCO Thieres G. F. da SILVA 1,4, José Edson F. de MORAIS 1, Wellington J. da S. DINIZ 1, Jannaylton E.

Leia mais

COMPARISON OF THE METEOROLOGICAL DATA OBTAINED BY CONVENTIONAL AND AUTOMATIC METEOROLOGICAL STATIONS

COMPARISON OF THE METEOROLOGICAL DATA OBTAINED BY CONVENTIONAL AND AUTOMATIC METEOROLOGICAL STATIONS COMPARAÇÃO DE DADOS METEOROLOGICOS OBTIDOS POR ESTAÇÕES METEOROLOGICAS CONVENCIONAL E AUTOMÁTICA M. Mendes Reis 1, E. M. Gonçalves Lopes 2, F. Gonçalves Oliveira 3 RESUMO: O objetivo desse trabalho foi

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM ANGRA DOS REIS - RJ

CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM ANGRA DOS REIS - RJ CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM ANGRA DOS REIS - RJ Célia Maria Paiva (1); Gisele dos Santos Alves; Mônica Carneiro Alves Xavier (1) Profª. do Departamento de Meteorologia da UFRJ-Ms E-mail:

Leia mais

Análise do clima de Goiás para os anos de 2012 a 2014 baseados na classificação climática de Thornthwaite.

Análise do clima de Goiás para os anos de 2012 a 2014 baseados na classificação climática de Thornthwaite. Análise do clima de Goiás para os anos de 2012 a 2014 baseados na classificação climática de Thornthwaite. João Pedro Costa Damasio¹* (Estudante), Diego Simões Fernandes¹ (Professor da UEG Câmpus Palmeiras

Leia mais

MÉTODOS DE ESTIMATIVA DIÁRIA DO DÉFICIT DE PRESSÃO DE SATURAÇÃO DO AR NA REGIÃO SEMIÁRIDA DO ESTADO DE PERNAMBUCO

MÉTODOS DE ESTIMATIVA DIÁRIA DO DÉFICIT DE PRESSÃO DE SATURAÇÃO DO AR NA REGIÃO SEMIÁRIDA DO ESTADO DE PERNAMBUCO MÉTODOS DE ESTIMATIVA DIÁRIA DO DÉFICIT DE PRESSÃO DE SATURAÇÃO DO AR NA REGIÃO SEMIÁRIDA DO ESTADO DE PERNAMBUCO M. T. Silva 1 ; H. A. de Almeida 2 ; D. L. de Araújo 3 ; A. de S. Santos 4 RESUMO: Com

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO COMO PLANEJAMENTO AGROPECUÁRIO PARA CIDADE DE POMBAL PB, BRASIL

BALANÇO HÍDRICO COMO PLANEJAMENTO AGROPECUÁRIO PARA CIDADE DE POMBAL PB, BRASIL BALANÇO HÍDRICO COMO PLANEJAMENTO AGROPECUÁRIO PARA CIDADE DE POMBAL PB, BRASIL Flaviano Moura Pereira¹; Joelma Viera do Nascimento Duarte²; Jonas da Silva Dias³; Gilberto Campos de Araújo Filho 4. ¹ Mestrando

Leia mais

AVALIAÇÃO DE MÉTODOS PARA ESTIMATIVA DIÁRIA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA PARA A REGIÃO CAFEEIRA DE AREADO MG

AVALIAÇÃO DE MÉTODOS PARA ESTIMATIVA DIÁRIA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA PARA A REGIÃO CAFEEIRA DE AREADO MG 6ª Jornada Científica e Tecnológica e 3º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMIAS 04 e 05 de novembro de 014, Pouso Alegre/MG AVALIAÇÃO DE MÉTODOS PARA ESTIMATIVA DIÁRIA DA EVAPOTRASPIRAÇÃO DE REFERÊCIA

Leia mais

MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS E SUAS INFLUÊNCIAS NA UMIDADE DO SOLO DO ESTADO DO CEARÁ

MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS E SUAS INFLUÊNCIAS NA UMIDADE DO SOLO DO ESTADO DO CEARÁ MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS E SUAS INFLUÊNCIAS NA UMIDADE DO SOLO DO ESTADO DO CEARÁ GLOBAL CLIMATE CHANGES AND THEIR INFLUENCES IN THE SOIL MOISTURE OF CEARÁ STATE FERNANDO CÉSAR MOURA DE ANDRADE Pesquisador

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM NOVA FRIBURGO - RJ

CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM NOVA FRIBURGO - RJ CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM NOVA FRIBURGO - RJ Gisele dos Santos Alves (1); Célia Maria Paiva; Mônica Carneiro Alves Xavier (1) Aluna do curso de graduação em Meteorologia - UFRJ e-mail:

Leia mais

ESTIMATIVA E ESPACIALIZAÇÃO DA UMIDADE RELATIVA DO AR NO ESTADO DO PIAUÍ ABSTRACT

ESTIMATIVA E ESPACIALIZAÇÃO DA UMIDADE RELATIVA DO AR NO ESTADO DO PIAUÍ ABSTRACT ESTIMATIVA E ESPACIALIZAÇÃO DA UMIDADE RELATIVA DO AR NO ESTADO DO PIAUÍ Thieres George Freire da Silva 1, Magna Soelma Beserra de Moura 2, Sílvia Helena Nogueira Turco 3, Carla Valéria da Silva Padilha

Leia mais

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NO ESTADO DO CEARÁ

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NO ESTADO DO CEARÁ VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NO ESTADO DO CEARÁ Francisco Solon Dantas Neto (1); Tarcísio Da Silveira Barra (1) Eng.º Agrº, Pós-graduação em Agrometeorologia, DEA/UFV, CEP:

Leia mais

COMPARISON OF REFERENCE EVAPOTRANSPIRATION ESTIMATE METHODS (ETO) THE MUNICIPALITY OF ARACAJU- SE

COMPARISON OF REFERENCE EVAPOTRANSPIRATION ESTIMATE METHODS (ETO) THE MUNICIPALITY OF ARACAJU- SE COMPARAÇÃO ENTRE MÉTODOS DE ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA (ET0) PARA O MUNICÍPIO DE ARACAJU- SE A. N. de OLIVEIRA 1, A. P. C. da SILVA 2, C.B da SILVA 2, J. C. da SILVA 2, D. P. dos SANTOS

Leia mais

INDÍCIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS A PARTIR DO BALANÇO HÍDRICO EM JOÃO PESSOA PARAÍBA

INDÍCIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS A PARTIR DO BALANÇO HÍDRICO EM JOÃO PESSOA PARAÍBA INDÍCIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS A PARTIR DO BALANÇO HÍDRICO EM JOÃO PESSOA PARAÍBA Raimundo Mainar de Medeiros 1 ; Alexandre Magno Teodosio de Medeiros 1 ; Maria da Conceição Marcelino Patricio 2 ; Alexandra

Leia mais

XXX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO Eficiência nas cadeias produtivas e o abastecimento global

XXX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO Eficiência nas cadeias produtivas e o abastecimento global XXX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO Eficiência nas cadeias produtivas e o abastecimento global Fatores de correção para a evapotranspiração de referência estimada para uso no software IrrigaFácil Paulo

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO COMO PLANEJAMENTO AGROPECUÁRIO PARA O MUNICÍPIO DE PAULISTANA, PI. Grande-PB,

BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO COMO PLANEJAMENTO AGROPECUÁRIO PARA O MUNICÍPIO DE PAULISTANA, PI. Grande-PB, BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO COMO PLANEJAMENTO AGROPECUÁRIO PARA O MUNICÍPIO DE PAULISTANA, PI Alexandra Lima Tavares 1, Raimundo Mainar de Medeiros 2, Vicente de Paulo Rodrigues da Silva 3 1 Doutoranda

Leia mais

EVAPORAÇÃO MENSAL E ANUAL PELO MÉTODO DE THORNTHWAITE PARA MATINHAS - PARAÍBA, BRASIL

EVAPORAÇÃO MENSAL E ANUAL PELO MÉTODO DE THORNTHWAITE PARA MATINHAS - PARAÍBA, BRASIL EVAPORAÇÃO MENSAL E ANUAL PELO MÉTODO DE THORNTHWAITE PARA MATINHAS - PARAÍBA, BRASIL Milla Nóbrega de Menezes Costa 1 ; Raimundo Mainar de Medeiros 1 ; Francisco de Assis Salviano de Sousa 2 ; Manoel

Leia mais

ANÁLISE DOS BALANÇOS HÍDRICOS DAS CIDADES DE SERRA TALHADA E TRIUNFO-PE

ANÁLISE DOS BALANÇOS HÍDRICOS DAS CIDADES DE SERRA TALHADA E TRIUNFO-PE ANÁLISE DOS BALANÇOS HÍDRICOS DAS CIDADES DE SERRA TALHADA E TRIUNFO-PE Jandelson de Oliveira Alves (1); Alexandre Maniçoba da Rosa Ferraz Jardim (2); George do Nascimento Araújo Junior (3); José Edson

Leia mais

DESEMPENHO COMPARATIVO DE MODELOS DE ESTIMATIVA DA ETo MENSAL PARA A CIDADE DE JUAZEIRO DE NORTE-CE

DESEMPENHO COMPARATIVO DE MODELOS DE ESTIMATIVA DA ETo MENSAL PARA A CIDADE DE JUAZEIRO DE NORTE-CE DESEMPENHO COMPARATIVO DE MODELOS DE ESTIMATIVA DA ETo MENSAL PARA A CIDADE DE JUAZEIRO DE NORTE-CE M. M. Pereira 1 ; J. L. Fernandes 2 ; J. B. Oliveira 3 ; M. H. Almeida 4 ; A. L. M. Sousa 5 ; A. A. Batista

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 22 ESTUDO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM TRÊS LOCALIDADES DO NORDESTE DO BRASIL Vicente de Paulo Rodrigues da Silva, Adelgício Farias Belo Filho, Renilson

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO ÍNDICE DE UMIDADE PARA A PORÇÃO CENTRO-SUL E LESTE DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

DETERMINAÇÃO DO ÍNDICE DE UMIDADE PARA A PORÇÃO CENTRO-SUL E LESTE DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL DETERMINAÇÃO DO ÍNDICE DE UMIDADE PARA A PORÇÃO CENTRO-SUL E LESTE DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL Amaury de Souza I ; Hamilton Germano Pavão I ;Giancarlo Lastoria II ; Sandra Garcia Gabas II ; Mayara

Leia mais

PRECIPITAÇÃO PLUVIAL E EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA CANA-DE- AÇÚCAR NA REGIÃO DE RIO LARGO-ALAGOAS

PRECIPITAÇÃO PLUVIAL E EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA CANA-DE- AÇÚCAR NA REGIÃO DE RIO LARGO-ALAGOAS PRECIPITAÇÃO PLUVIAL E EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA CANA-DE- AÇÚCAR NA REGIÃO DE RIO LARGO-ALAGOAS Kleyton Danilo da Silva Costa 1, Klebson Santos Brito 2, Iêdo Teodoro 3, José Dantas Neto 4 1 Engenheiro Agrônomo,

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO DE JUAZEIRO - BA

BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO DE JUAZEIRO - BA BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO DE JUAZEIRO - BA Antônio Heriberto de Castro Teixeira Embrapa Semi-Árido BR 428, Km 152, Zona Rural, Caixa Postal 23, CEP 563-97, Petrolina-PE e-mail: heriberto@cpatsa.embrapa.br

Leia mais

MUDANÇAS CLIMÁTICAS: ESTUDO DE CASO PARA O PROJETO FORMOSO DO ARAGUAIA/TO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS: ESTUDO DE CASO PARA O PROJETO FORMOSO DO ARAGUAIA/TO MUDANÇAS CLIMÁTICAS: ESTUDO DE CASO PARA O PROJETO FORMOSO DO ARAGUAIA/TO DAIANE SANTANA DA SILVA 1 ; JOSÉ LUIZ CABRAL DA SILVA JÚNIOR 2 ; DIEGO RAONI DA SILVA ROCHA 3 ; RENAN ALENCAR 4 ; DANIEL LIMA BATISTA

Leia mais

CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM REGIÕES DE GRANDE VARIABILIDADE INTERANUAL E INTERDECADAL DE PRECIPITAÇÃO

CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM REGIÕES DE GRANDE VARIABILIDADE INTERANUAL E INTERDECADAL DE PRECIPITAÇÃO CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM REGIÕES DE GRANDE VARIABILIDADE INTERANUAL E INTERDECADAL DE PRECIPITAÇÃO José Ivaldo Barbosa de Brito, Departamento de Ciências Atmosféricas, Centro de Ciências e Tecnologia,

Leia mais

ANÁLISE DE TENDÊNCIAS DE TEMPERATURA MÍNIMA DO BRASIL

ANÁLISE DE TENDÊNCIAS DE TEMPERATURA MÍNIMA DO BRASIL ANÁLISE DE TENDÊNCIAS DE TEMPERATURA MÍNIMA DO BRASIL RENATA RIBEIRO DO VALLE GONÇALVES 1 e EDUARDO DELGADO ASSAD 2 1 Engenheira Cartógrafa, doutoranda da Faculdade de Engenharia Agrícola Feagri /Unicamp,

Leia mais

IMPACTOS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA EVATRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA EM SANTA CATARINA

IMPACTOS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA EVATRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA EM SANTA CATARINA IMPACTOS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA EVATRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA EM SANTA CATARINA Angelo Mendes Massignam 1 ; Claudia G. Camargo 2 ; Cristina Pandolfo 3, Daniel A. Malandrin 4 1 Eng. Agrônomo, PhD, Epagri/Ciram

Leia mais

ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA PARA A CIDADE DE MOSSORÓ-RN

ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA PARA A CIDADE DE MOSSORÓ-RN 87 Revista Brasileira de Agricultura Irrigada v.4, n.2, p.87 92, 2010 ISSN 1982-7679 (On-line) Fortaleza, CE, INOVAGRI http://www.inovagri.org.br/rbai Protocolo 110 - W 05/04/2010 Aprovado em 11/06/2010

Leia mais

Projeções da duração do ciclo da cultura da soja baseadas no modelo regional Eta/CPTEC 40km (cenário A1B)

Projeções da duração do ciclo da cultura da soja baseadas no modelo regional Eta/CPTEC 40km (cenário A1B) Projeções da duração do ciclo da cultura da soja baseadas no modelo regional Eta/CPTEC 40km (cenário A1B PRISCILA S. TAVARES 1, ANGÉLICA GIAROLLA 1, SIN CHAN CHOU 1, DANIELA RODRIGUES 2, NICOLE RESENDE

Leia mais

Universitário s/nº, Alegre-ES, CEP: , Caixa Postal 16,

Universitário s/nº, Alegre-ES, CEP: , Caixa Postal 16, PRIESTLEY-TAYLOR: ESTIMATIVA DA ET E COMPARAÇÃO COM O MÉTODO DE PENMAN-MONTEITH FAO 5 Glaucio L. Araujo 1, Leonardo C. Lacerda, Camila Aparecida da S. Martins 3, Rogério R. Rodrigues 1, Maria M. Cazotti

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS PROJEÇÕES DE PRECIPITAÇÃO DOS MODELOS CLIMÁTICOS GLOBAIS DO QUARTO RELATÓRIO DO IPCC PARA O BRASIL *

AVALIAÇÃO DAS PROJEÇÕES DE PRECIPITAÇÃO DOS MODELOS CLIMÁTICOS GLOBAIS DO QUARTO RELATÓRIO DO IPCC PARA O BRASIL * AVALIAÇÃO DAS PROJEÇÕES DE PRECIPITAÇÃO DOS MODELOS CLIMÁTICOS GLOBAIS DO QUARTO RELATÓRIO DO IPCC PARA O BRASIL * BRUNO SILVA OLIVEIRA 1, EMILIA HAMADA 2, JOSÉ TADEU DE OLIVEIRA LANA 3 1 Eng. Agrícola,

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Penman-Monteith. Semiárido. Evapotranspiração. Escassez de chuva. Irrigação

PALAVRAS-CHAVE: Penman-Monteith. Semiárido. Evapotranspiração. Escassez de chuva. Irrigação CALIBRAÇÃO DOS PARÂMETROS DA EQUAÇÃO DE HARGREAVES & SAMANI E ESTIMATIVA DA VARIAÇÃO DO VOLUME DE ÁGUA A SER APLICADO NA CULTURA DA GOIABA PARA IGUATU, CEARÁ-BRASIL Juarez Cassiano de Lima Junior¹, Antonio

Leia mais

Disciplina: Fundamentos de Hidrologia, Irrigação e Drenagem

Disciplina: Fundamentos de Hidrologia, Irrigação e Drenagem UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Fundamentos de Hidrologia, Irrigação e Drenagem Apresentação da Disciplina Também disponível

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE DOIS MÉTODOS DE EVAPOTRANSPIRAÇAO DE REFERÊNCIA (ET0) PARA A REGIÃO AGRESTE DE ALAGOAS

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE DOIS MÉTODOS DE EVAPOTRANSPIRAÇAO DE REFERÊNCIA (ET0) PARA A REGIÃO AGRESTE DE ALAGOAS ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE DOIS MÉTODOS DE EVAPOTRANSPIRAÇAO DE REFERÊNCIA (ET0) PARA A REGIÃO AGRESTE DE ALAGOAS A. P. C. da SILVA 1 ; J. C. da SILVA 2 ; R. dos SANTOS 2 ; M. A. A. dos SANTOS 2 ;D. P.

Leia mais

CENÁRIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E VARIAÇÕES DO BALANÇO HÍDRICO DO DISTRITO FEDERAL

CENÁRIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E VARIAÇÕES DO BALANÇO HÍDRICO DO DISTRITO FEDERAL CENÁRIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E VARIAÇÕES DO BALANÇO HÍDRICO DO DISTRITO FEDERAL LUÍZA G. SANTOS 1, SELMA R. MAGGIOTTO 2, VÂNIA L. D. VASCONCELLOS 2, BALBINO A. EVANGELISTA 3, GUSTAVO D ANGIOLLELA 4

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA COMO SUBSÍDIO AO PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES AGRÍCOLAS PARA O MUNICÍPIO DE ASSAÍ-PR

BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA COMO SUBSÍDIO AO PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES AGRÍCOLAS PARA O MUNICÍPIO DE ASSAÍ-PR BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA COMO SUBSÍDIO AO PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES AGRÍCOLAS PARA O MUNICÍPIO DE ASSAÍ-PR PAULO M. DE BODAS TERASSI 1, CARLOS H. DA GRAÇA 2, SÔNIA M. S. STIVARI 3, HÉLIO

Leia mais

1 de 5 21/10/2010 14:28 Pré-visualização do trabalho Código do trabalho 68 CRESCIMENTO DA GRAMA BERMUDA (CYNODON DACTYLON) SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO LEONARDO DE ANDRADE MOREIRA 1 ANTONIO CARLOS

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF.

ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF. ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF. Sidney Figueiredo de Abreu¹; Arsênio Carlos Andrés Flores Becker² ¹Meteorologista, mestrando

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Meio-Norte. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Meio-Norte. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Meio-Norte Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ISSN 0104-866X Outubro, 2009 Documentos 201 Boletim Agrometeorológico de 2008 para o Município

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR,2002 ANÁLISE DAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DA REGIÃO DE CASCAVEL/PR

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR,2002 ANÁLISE DAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DA REGIÃO DE CASCAVEL/PR ANÁLISE DAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DA REGIÃO DE CASCAVEL/PR Ranieri Carlos F. Amorim Universidade Estadual do Oeste do Paraná Mestrando em Engenharia Agrícola / Cascavel PR rcfamorim@unioeste.br Dr. Reinaldo

Leia mais

ARTIGO TÉCNICO SOFTWARE PARA CÁLCULO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DIÁRIA PELO MÉTODO DE PENMAN-MONTEITH 1

ARTIGO TÉCNICO SOFTWARE PARA CÁLCULO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DIÁRIA PELO MÉTODO DE PENMAN-MONTEITH 1 SOFTWARE PARA CÁLCULO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DIÁRIA PELO MÉTODO DE PENMAN-MONTEITH 1 J.C.Q. MARIANO 2 ; F.B.T. HERNANDEZ 3 ; G.O. SANTOS 4, A.H.C. TEIXEIRA 5 RESUMO: Este trabalho tem como

Leia mais

EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTE DE CULTURA PARA DIFERENTES FASES DE DESENVOLVIMENTO DA CEBOLA (Allium cepa L.)

EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTE DE CULTURA PARA DIFERENTES FASES DE DESENVOLVIMENTO DA CEBOLA (Allium cepa L.) EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTE DE CULTURA PARA DIFERENTES FASES DE DESENVOLVIMENTO DA CEBOLA (Allium cepa L.) GERTRUDES M. DE OLIVEIRA 1, IRAI M. S. SANTOS 2, REGIANE DE C. BISPO 2, CAIO B. DE A. LIMA

Leia mais

PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA EM OURICURI-PE

PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA EM OURICURI-PE PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA EM OURICURI-PE 1 Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano - IF Sertão PE - Campus Ouricuri.-

Leia mais

CO-KRIGAGEM DA TEMPERATURA E DE ÍNDICES CLIMÁTICOS NO ESTADO DE MINAS GERAIS COM BASE NAS CO-VARIÁVEIS ALTITUDE, LATITUDE E LONGITUDE.

CO-KRIGAGEM DA TEMPERATURA E DE ÍNDICES CLIMÁTICOS NO ESTADO DE MINAS GERAIS COM BASE NAS CO-VARIÁVEIS ALTITUDE, LATITUDE E LONGITUDE. CO-KRIGAGEM DA TEMPERATURA E DE ÍNDICES CLIMÁTICOS NO ESTADO DE MINAS GERAIS COM BASE NAS CO-VARIÁVEIS ALTITUDE, LATITUDE E LONGITUDE. Luiz Gonsaga de Carvalho 1 ; Marcelo de Carvalho Alves 2 ; Marcelo

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Documentos 228

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Documentos 228 ISSN 0104-866X Setembro, 2014 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Meio-Norte Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 228 Boletim Agrometeorológico de 2013 para o

Leia mais

Avaliação de modelos de estimativa do saldo de radiação e do método de Priestley-Taylor para a região de Dourados, MS

Avaliação de modelos de estimativa do saldo de radiação e do método de Priestley-Taylor para a região de Dourados, MS Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental v.13, n., p.9 53, 9 Campina Grande, PB, UAEA/UFCG http://www.agriambi.com.br Protocolo 13.7 1/1/7 Aprovado em /1/ Avaliação de modelos de estimativa

Leia mais

RESPOSTA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA VEGETAÇÃO CAATINGA AOS CENÁRIOS REGIONALIZADOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS

RESPOSTA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA VEGETAÇÃO CAATINGA AOS CENÁRIOS REGIONALIZADOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS RESPOSTA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA VEGETAÇÃO CAATINGA AOS CENÁRIOS REGIONALIZADOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS SILVA, T. G. F. DA 1, BARBOSA, M. L. 2, MORAIS, J. E. F. DE 2, SOUZA, L. S. B. DE 3 1 Prof o. Adjunto,

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA DE CORUMBÁ-MS

CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA DE CORUMBÁ-MS ISSN 0102-2466X Dezembro-1997 CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA DE CORUMBÁ-MS Balbina Maria Araújo Soriano Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agropecuária do Pantanal Ministério da Agricultura

Leia mais

Métodos empíricos para a estimativa do saldo de radiação da superfície de referência a partir da radiação solar

Métodos empíricos para a estimativa do saldo de radiação da superfície de referência a partir da radiação solar 199 Éder Fotos - lavoura: Nilton P. de Araújo; percevejo: Foto: Narciso dacomunello S. Câmara ISSN 1679-0472 Dezembro, 2014 Dourados, MS Métodos empíricos para a estimativa do saldo de radiação da superfície

Leia mais

ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO POTENCIAL ATRAVÉS DOS MÉTODOS DE THORNTHWAITE, PENMAN MODIFICADO E TANQUE CLASSE A NO MEIO-OESTE CATARINENSE

ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO POTENCIAL ATRAVÉS DOS MÉTODOS DE THORNTHWAITE, PENMAN MODIFICADO E TANQUE CLASSE A NO MEIO-OESTE CATARINENSE ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO POTENCIAL ATRAVÉS DOS MÉTODOS DE THORNTHWAITE, PENMAN MODIFICADO E TANQUE CLASSE A NO MEIO-OESTE CATARINENSE Elfride Anrain Lindner 1 ; Angelo Mendes Massignam 2 ; Daniela

Leia mais

MODELO DE HARGREAVES-SAMANI AJUSTADO AS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PARA ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA

MODELO DE HARGREAVES-SAMANI AJUSTADO AS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PARA ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA MODELO DE HARGREAVES-SAMANI AJUSTADO AS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PARA ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA Anderson A.R. Santos 1, Rafael C. Delgado 2, Evaldo de P. Lima

Leia mais

Comparação de Variáveis Meteorológicas Entre Duas Cidades Litorâneas

Comparação de Variáveis Meteorológicas Entre Duas Cidades Litorâneas Comparação de Variáveis Meteorológicas Entre Duas Cidades Litorâneas F. D. A. Lima 1, C. H. C. da Silva 2, J. R. Bezerra³, I. J. M. Moura 4, D. F. dos Santos 4, F. G. M. Pinheiro 5, C. J. de Oliveira 5

Leia mais

ESTUDO PROBABILÍSTICO DE OBTENÇÃO DE LUCRO EM PLANTIOS DE MILHO E FEIJÃO NO ESTADO DO CEARÁ.

ESTUDO PROBABILÍSTICO DE OBTENÇÃO DE LUCRO EM PLANTIOS DE MILHO E FEIJÃO NO ESTADO DO CEARÁ. ESTUDO PROBABILÍSTICO DE OBTENÇÃO DE LUCRO EM PLANTIOS DE MILHO E FEIJÃO NO ESTADO DO CEARÁ. FERNANDO CÉSAR MOURA DE ANDRADE 1 e FRANCISCO DE ASSIS DE SOUZA FILHO 2 1 Msc. Geofísica, Pesquisador da Fundação

Leia mais

ZONEAMENTO CLIMÁTICO DO CEDRO AUSTRALIANO (Toona ciliata) PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

ZONEAMENTO CLIMÁTICO DO CEDRO AUSTRALIANO (Toona ciliata) PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ZONEAMENTO CLIMÁTICO DO CEDRO AUSTRALIANO (Toona ciliata) PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Valéria H. Klippel 1, José Eduardo M. Pezzopane 2, José Ricardo M. Pezzopane 3, Fábio S. Castro 4, Roberto A. Cecílio

Leia mais

ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NA REGIÃO DE CANINDÉ DO SÃO FRANCISCO - SE

ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NA REGIÃO DE CANINDÉ DO SÃO FRANCISCO - SE ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NA REGIÃO DE CANINDÉ DO SÃO FRANCISCO - SE W. R. M. BATISTA 1 ; A. A. G. da SILVA ; G. G FACCIOLI 3 ; N. O. de O. GOMES 4 R. B. de SANTANA 5 RESUMO - O presente

Leia mais

VARIAÇÃO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA CALCULADA EM DIFERENTES INTERVALOS DE TEMPO ÁLVARO J. BACK 1

VARIAÇÃO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA CALCULADA EM DIFERENTES INTERVALOS DE TEMPO ÁLVARO J. BACK 1 VARIAÇÃO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA CALCULADA EM DIFERENTES INTERVALOS DE TEMPO ÁLVARO J. BACK 1 RESUMO: Valores de evapotranspiração de referência foram calculados em intervalos de um, cinco,

Leia mais

O EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS NECESSIDADES HÍDRICAS DO FEIJÃO-CAUPI NO CURU-PENTECOSTE UTILIZANDO O MODELO ISAREG

O EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS NECESSIDADES HÍDRICAS DO FEIJÃO-CAUPI NO CURU-PENTECOSTE UTILIZANDO O MODELO ISAREG Revista Brasileira de Agricultura Irrigada v.6, nº. 1, p. 8-13, 2012 ISSN 1982-7679 (On-line) Fortaleza, CE, INOVAGRI http://www.inovagri.org.br Protocolo 073/11 13/12/2011 Aprovado em 26/03/2012 O EFEITO

Leia mais

DADOS CLIMATOLÓGICOS ESTAÇÃO DE FORTALEZA, 2000

DADOS CLIMATOLÓGICOS ESTAÇÃO DE FORTALEZA, 2000 ISSN 1517-8315 Boletim Agrometeorológico N o 25 Maio de 2001 DADOS CLIMATOLÓGICOS ESTAÇÃO DE FORTALEZA, Maria de Jesus Nogueira Aguiar José Vanglésio de Aguiar Francisco Marcus Lima Bezerra Jedaías Batista

Leia mais

Análise da Evapotranspiração sobre o Seridó Nordestino em cenários de aquecimento

Análise da Evapotranspiração sobre o Seridó Nordestino em cenários de aquecimento Artigo Original DOI:10.5902/2179460X12838 Ciência e Natura, Santa Maria, v. 36 n. 3 set-dez. 2014, p. 470 480 Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas - UFSM ISSN impressa: 0100-8307 ISSN on-line:

Leia mais

METODOLOGIAS DE CÁLCULO DA TEMPERATURA MÉDIA DIÁRIA DO AR: APLICAÇÃO PARA OS MUNICÍPIOS DE PARNAÍBA, PICOS E GILBUÉS, PI

METODOLOGIAS DE CÁLCULO DA TEMPERATURA MÉDIA DIÁRIA DO AR: APLICAÇÃO PARA OS MUNICÍPIOS DE PARNAÍBA, PICOS E GILBUÉS, PI Revista Brasileira de Agricultura Irrigada v.6, nº. 4, p. 283-295, 2012 ISSN 1982-7679 (On-line) Fortaleza, CE, INOVAGRI http://www.inovagri.org.br DOI: 10.7127/rbai.v6n400093 Protocolo 093.12 23/08/2012

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO DO MUNICÍPIO DE IGARAPÉ-AÇU PA.

BALANÇO HÍDRICO DO MUNICÍPIO DE IGARAPÉ-AÇU PA. BALANÇO HÍDRICO DO MUNICÍPIO DE IGARAPÉ-AÇU PA. Bruno Takeshi Tanaka Portela 1, Dayana Castilho de Souza 2, Paulo Jorge de Oliveira 3. RESUMO - O distrito municipal de Igarapé-Açu fica situado na Mesorregião

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Meio-Norte. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Meio-Norte. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Meio-Norte Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ISSN 0104-866X Dezembro, 2010 Documentos 207 Boletim Agrometeorológico de 2009 para o

Leia mais

COEFICIENTE DE PROPORCIONALIDADE Krs DA EQUAÇÃO DE HARGREAVES E SAMANI PARA O ESTADO DO PARANÁ RESUMO

COEFICIENTE DE PROPORCIONALIDADE Krs DA EQUAÇÃO DE HARGREAVES E SAMANI PARA O ESTADO DO PARANÁ RESUMO COEFICIENTE DE PROPORCIONALIDADE Krs DA EQUAÇÃO DE HARGREAVES E SAMANI PARA O ESTADO DO PARANÁ SOUZA J.L.M. 1 ; ERTAL M. 2 ; BARATTO R.L. 2 ; XAVIER A.C. 3 ; JERSZURKI D. 4 ; GURSKI B.C. 4 1 Professor,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM IRRIGAÇÃO E DRENAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM IRRIGAÇÃO E DRENAGEM PROGRAMA ANALÍTICO DE DISCIPLINA IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA CÓDIGO NOME NATUREZA PID0007 AGROMETEOROLOGIA [ ] Obrigatória [ X ] Optativa PROFESSOR(ES): José Espínola Sobrinho CARGA HORÁRIA SEMANAL TEÓRICA

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA O CONTROLE DO MANEJO DA IRRIGAÇÃO 1

DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA O CONTROLE DO MANEJO DA IRRIGAÇÃO 1 DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA O CONTROLE DO MANEJO DA IRRIGAÇÃO 1 M. G. Silva 2 ; F. D. D. Arraes 3 ; E. R. F. Ledo 4 ; D. H. Nogueira 5 RESUMO: O presente trabalho teve por objetivo

Leia mais

Climatologia da Precipitação no Município de Igarapé-Açu, PA. Período:

Climatologia da Precipitação no Município de Igarapé-Açu, PA. Período: Climatologia da Precipitação no Município de Igarapé-Açu, PA. Período: 1995-2009. Adriana Hellen Ferreira Cordeiro¹, Nilza Araújo Pachêco², Alailson Venceslau Santiago³. 1. Graduanda de Meteorologia da

Leia mais

Docente: Profa. Dra. Angela Laufer Rech Turma: 4 período 2 Semestre 2017

Docente: Profa. Dra. Angela Laufer Rech Turma: 4 período 2 Semestre 2017 CURSO DE AGRONOMIA METEOROLOGIA AGRÍCOLA E CLIMATOLOGIA Docente: Profa. Dra. Angela Laufer Rech Turma: 4 período 2 Semestre 2017 AULA 4 2 CLIMATOLOGIA CAMPO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO Estudo da espacialização

Leia mais

Estimativa da ETo a partir de duas estações meteorológicas em Ouricuri-PE

Estimativa da ETo a partir de duas estações meteorológicas em Ouricuri-PE Estimativa da ETo a partir de duas estações meteorológicas em Ouricuri-PE Maria Zélia de Souza S. Queiroz 1, Lucas M. Vellame 2 ; Maria do Socorro C. de Freitas 2 ; Geysse Kalynne S. Peixoto 3 1 Bolsista

Leia mais

ANÁLISE DE TENDÊNCIAS NA TEMPERATURA E PRECIPITAÇÃO EM LONDRINA, ESTADO DO PARANÁ

ANÁLISE DE TENDÊNCIAS NA TEMPERATURA E PRECIPITAÇÃO EM LONDRINA, ESTADO DO PARANÁ ANÁLISE DE TENDÊNCIAS NA TEMPERATURA E PRECIPITAÇÃO EM LONDRINA, ESTADO DO PARANÁ WILIAN DA S. RICCE 1, PAULO H. CARAMORI 2, HEVERLY MORAIS 3, DANILO A. B. SILVA 4, LETÍCIA TRINDADE ATAÍDE 5 1 Eng. Agrônomo,

Leia mais

Relatório Agrometeorológico

Relatório Agrometeorológico 2 Relatório Agrometeorológico Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia Rua de Outubro - Apartado 1 211-91 Coruche Tel: (+31)243613 Telem: (+31)962131 email: arbvs@arbvs.pt url: www.arbvs.pt

Leia mais