André Luis Saraiva. Vice-Diretor de Meio Ambiente da ABINEE Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "André Luis Saraiva. Vice-Diretor de Meio Ambiente da ABINEE Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica"

Transcrição

1 André Luis Saraiva Graduado em Administração de Empresas Pós Graduado em Análise de Sistemas MBA em Gestão Ambiental Grade Curricular: Vice-Diretor de Meio Ambiente da ABINEE Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Conselheiro do COSEMA - Conselho Superior de Meio Ambiente da FIESP Membro Permanente do Grupo de Trabalho no CONAMA - Conselho Nacional de Meio Ambiente - MMA Processo - Resolução Nº 257/99 - Pilhas e Baterias Coordenador do GT de Resíduos Sólidos Industriais da Câmara Ambiental da Indústria Paulista na FIESP em Representante da ABINEE na CNI COEMA / Política Nacional de Resíduos Sólidos Representante da ABINEE na Câmara Ambiental da Indústria Paulista - FIESP / Política Estadual de Resíduos Sólidos Gerente de Desenvolvimento Ambiental da Newpower Fabricante das Baterias Industriais Marca Fulguris Autor do PRAC - Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada Prêmio CNI 2004 na Categoria: Ecologia Modalidade : Conservação dos Insumos da Produção Case Premiado em 2005 no 3º. Benchmarking Ambiental Brasileiro Nota: Detalhes do Projeto PRAC podem ser obtidas no Google da seguinte forma: Digite: André Luis Saraiva clicar em imagem, depois clique na foto. Segue anexo: projeto resumido. 1

2 Case Premiado º. Benchmarking Ambiental Brasileiro Missão: Divulgar o PRAC como ferramenta e conceito de trabalho, criando uma base sólida e sustentável de dados para a conscientização através do Consumo Responsável na cadeia de produtos. Com isso, Recuperam-se Valores e cuidados que devemos ter com o Meio Ambiente, direcionando os resultados obtidos em atividades de Responsabilidade Social, fechando o ciclo desta atividade. PRESERVANDO 2

3 O MEIO AMBIENTE Guarulhos, PRAC - Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada. Prezados Senhores(as): Atualmente, no objetivo de atingir as metas organizacionais e a busca pela conformidade ambiental tem sido os grandes desafios dos profissionais responsáveis pela Gestão de Meio Ambiente em todas as empresas brasileiras. É com o objetivo de fornecer subsídios aos nossos clientes para superarem suas dificuldades e encontrarem um procedimento ambientalmente adequado para o Descarte de Baterias Chumbo Ácido em suas unidades operacionais que adotamos o PRAC - Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada. Esse instrumento e/ou ferramenta de trabalho foi desenvolvida pelo Gestor Ambiental André Luis Saraiva para a NEWPOWER em conformidade e ao pleno atendimento a Resolução CONAMA Conselho Nacional de Meio Ambiente e de acordo com a Legislação Ambiental. O PRAC visa orientar todos os aspectos a serem observados por nossos clientes no Descarte de Baterias, levando sempre em consideração a disposição de cada uma das suas atividades para definirmos uma metodologia de operação sustentável. Assegurando a continuidade dos trabalhos ao longo do desenvolvimento e o crescimento do relacionamento junto aos nossos clientes criando, com isso, uma correta análise dos resultados. A certeza de estarmos desenvolvendo esse trabalho em conjunto proporciona segurança, agilidade nas tomadas de decisões, bem como, clareza, objetividade nas análises dos Relatórios Ambientais / Destinação de Resíduos, com isso, validamos indicadores e obtemos uma forma direta de comunicar resultados ambientalmente sustentáveis. Ciente desse compromisso nos coloca à disposição para esclarecimentos. 3

4 Atenciosamente, Newpower Sistemas de Energia SA. Fabricante de Baterias Industriais - Marca FULGURIS Av. Santos Dumont, Guarulhos - SP - CEP André Luis Saraiva - Gestor Ambiental - PRAC Tel.: Fax: Cel.: ou Work Station PRAC, desde Descarte de Baterias Resolução CONAMA 257 CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE Esclarecimentos Importantes Desde agosto de 1997, as indústrias de baterias filiadas a ABINEE participaram de diversas reuniões com órgãos governamentais nos âmbitos municipal, estadual e federal, entidades civis e organismos não governamentais para discutir a questão da reciclagem, reutilização e disposição final adequada das baterias. O resultado deste amplo debate é a Resolução 257 publicada pelo CONAMA, em 30 de Junho de A Resolução está em vigor desde Janeiro de abinee Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica FABRICANTES DE BATERIAS FAZEM CAMPANHA DE ORIENTAÇÃO VISANDO A COLETA PARA RECICLAGEM Artigo 11 o. Os fabricantes, os importadores, a rede autorizada de assistência técnica e os comerciantes de baterias descritas no Artigo 1 o. ficam obrigados a, no prazo de 12 (doze) meses contados a partir da vigência desta resolução, implantar mecanismos operacionais para coleta, transporte, armazenamento e destinação final ambientalmente adequada. 4

5 TRATAMENTO ESPECIAL O Artigo 1 o. da Resolução 257 confere tratamento especial para baterias que contenham em suas composições chumbo, cádmio, mercúrio e seus compostos, acima dos níveis estabelecidos nos artigos 5 o. e 6 o. Elas devem ser entregues, após seu esgotamento energético, pêlos usuários aos estabelecimentos que comercializam ou à rede de assistência técnica autorizada pelas indústrias ou de forma direta a fabricantes, respeitando o mesmo principio químico. Os fabricantes e importadores já estão definindo junto aos seus clientes a estratégia ideal para o recolhimento. Também é deles a responsabilidade pelo tratamento final dos produtos que deverá ser ecologicamente correta e obedecer à legislação ambiental. COMO EFETUAR O DESCARTE CORRETAMENTE O descarte só pode ser efetuado através de Empresas que se encontram autorizadas pêlos principais Órgãos Ambientais a proceder dentro de Normas à coleta e/ou recebimento direto dos materiais para a destinação final ambientalmente adequada. O DESCARTE SEGURO DEVE CONTER EMPRESAS COM AS SEGUINTES LICENÇAS Gerenciador e Transportador Certificado / Licença de Transporte e Uso de Produtos Perigosos. Autorizações Emitidas pela Polícia Civil, Federal e Ministério do Exército. Transportador SOS COTEC Seguro Gerenciador Licença de Operação. CADRI - Certificado de Aprovação Destinação de Resíduos Industriais. CETESB Transportador Cadastro Técnico Federal Gerenciador Cadastro Técnico Federal TCFA - Taxa de Controle de Fiscalização Ambiental. Certidão Negativa: Empresa e Responsáveis. IBAMA Reciclador Cadastro Técnico Federal Policia Federal. Licença de Operação NBR ISO EMPRESA COM AS SEGUINTES CONDIÇÕES 5

6 Áreas cobertas que permitem o armazenamento correto das baterias. Tratamento dos efluentes / total neutralização dos ácidos - CADRI CETESB. Tratamento aos sólidos para encaminhamento as áreas autorizadas pela CETESB dos restos e aparas da Sucata Metálica e Plástica. Programa de Coleta em conformidade com Decretos e Legislações que regulamentam o Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos. Emissão do Termo de Responsabilidade Ambiental, no encerramento do ciclo do descarte. Antes do seu próximo descarte de baterias, consulte-nos para obter esclarecimentos e orientações adequadas, temos a responsabilidade e a obrigação de orientá-lo a proceder de forma segura, pois o descarte inadequado de baterias pode gerar multas pesadas por agressão ao Meio Ambiente. 2 Os 10 Princípios PRAC 2 1. Preservação do meio ambiente como princípio empresarial A observação da preservação do meio ambiente é um dos princípios. Qualidade de produtos, rentabilidade e preservação do meio ambiente são metas com igual importância para nós. 2. Redução dos impactos ao meio ambiente A preservação do meio ambiente envolve todos os processos e comportamentos na empresa. Isso envolve, sobretudo, o consumo racional (econômico) de recursos, como também a prevenção de danos e minimização e seus efeitos. 3. Conscientização da responsabilidade dos colaboradores A preservação do meio ambiente é tarefa de cada colaborador. A conscientização dos colaboradores sobre a importância do meio ambiente é tarefa da gerência. 6

7 4. Melhoria contínua No âmbito de um processo de melhoria contínua estamos trabalhando no sentido de manter sob controle e reduzir possíveis efeitos de todo o nosso processo industrial sobre o meio ambiente. 5. Legalidade Leis e prescrições de preservação ao meio ambiente devem ser seguidas à risca. 6. Técnica do meio ambiente Para a preservação do meio ambiente emprega a melhor técnica possível levando em conta critérios econômicos. 7. Gestão do meio ambiente Temos um sistema de gestão do meio ambiente, que desenvolvemos continuamente. Ele envolve uma organização com competências e delegação de tarefas claramente definidas. 8. Fornecedores Envolvem nossos colaboradores em nossas medidas de prevenção do meio ambiente. 9. Relações Públicas Mantêm uma relação de cooperação com órgãos oficiais e um diálogo aberto com o colaborador e o público envolvido. 10. Controles do Meio Ambiente Controlam regularmente o cumprimento destes princípios e monitoramos a eficácia do nosso sistema de gestão do meio ambiente. Os resultados dos controles são avaliados. Havendo necessidades de melhorias a implantamos prontamente. 2 Relação de Documentos 2 Resolução CONAMA Conselho Nacional de Meio Ambiente. Instruções / Preenchimento de NF / Descarte de Baterias. 7

8 Modelo de Carta / Autorização de Descarte de Baterias. Ficha de Emergência. MTR - Manifesto de Transporte de Resíduos. Check List PRAC / Transporte. Fluxogramas: Logística Reversa & Ciclo Produtivo. Relação de Empresas e Folder dos Prêmios. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente - RESOLUÇÃO CONAMA Nº. 257, de 30 / 06 / O Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA, no uso das atribuições e competências que lhe são conferidas pela Lei n o 6.938, de 31 de agosto de 1981 e pelo Decreto n o , de 6 de junho de 1990, e conforme o disposto em seu Regimento Interno, e Considerando os impactos negativos causados ao meio ambiente pelo descarte inadequado de pilhas e baterias usadas; Considerando a necessidade de se disciplinar o descarte e o gerenciamento ambientalmente adequado de pilhas e baterias usadas, no que tange à coleta, reutilização, reciclagem, tratamento ou disposição final; Considerando que tais resíduos além de continuarem sem destinação adequada e contaminando o ambiente necessitam, por suas especificidades, de procedimentos especiais ou diferenciados, resolve: Art. 1 o As pilhas e baterias que contenham em suas composições chumbo, cádmio, mercúrio e seus compostos, necessárias ao funcionamento de quaisquer tipos de aparelhos, veículos ou sistemas, móveis ou fixos, bem como os produtos eletro-eletrônicos que as contenham integradas em sua estrutura de forma não substituível, após seu esgotamento energético, serão entregues pelos usuários aos estabelecimentos que as comercializam ou à rede de assistência técnica autorizada pelas respectivas indústrias, para repasse aos fabricantes ou importadores, para 8

9 que estes adotem, diretamente ou por meio de terceiros, os procedimentos de reutilização, reciclagem, tratamento ou disposição final ambientalmente adequada. Parágrafo Único. As baterias industriais constituídas de chumbo, cádmio e seus compostos, destinadas a telecomunicações, usinas elétricas, sistemas ininterruptos de fornecimento de energia, alarme, segurança, movimentação de cargas ou pessoas, partida de motores diesel e uso geral industrial, após seu esgotamento energético, deverão ser entregues pelo usuário ao fabricante ou ao importador ou ao distribuidor da bateria, observado o mesmo sistema químico, para os procedimentos referidos no caput deste artigo. Art. 2 o Para os fins do disposto nesta Resolução considera-se: I - bateria: conjunto de pilhas ou acumuladores recarregáveis interligados convenientemente.(nbr 7039/87); II - pilha: gerador eletroquímico de energia elétrica, mediante conversão geralmente irreversível de energia química.(nbr 7039/87); III - acumulador chumbo ácido: acumulador no qual o material ativo das placas positivas é constituído por compostos de chumbo, e os das placas negativas essencialmente por chumbo, sendo o eletrólito uma solução de ácido sulfúrico. (NBR 7039/87); IV - acumulador (elétrico): dispositivo eletroquímico constituído de um elemento, eletrólito e caixa, que armazena, sob forma de energia química a energia elétrica que lhe seja fornecida e que a restitui quando ligado a um circuito consumidor.(nbr 7039/87); V - baterias industriais: são consideradas baterias de aplicação industrial, aquelas que se destinam a aplicações estacionárias, tais como telecomunicações, usinas elétricas, sistemas ininterruptos de fornecimento de energia, alarme e segurança, uso geral industrial e para partidas de motores diesel, ou ainda tracionárias, tais como as utilizadas para movimentação de cargas ou pessoas e carros elétricos; VI - baterias veiculares: são consideradas baterias de aplicação veicular aquelas utilizadas para partidas de sistemas propulsores e/ou como principal fonte de energia em veículos automotores de locomoção em meio terrestre, aquático e aéreo, inclusive de tratores, equipamentos de construção, cadeiras de roda e assemelhados; VII - pilhas e baterias portáteis: são consideradas pilhas e baterias portáteis aquelas utilizadas em telefonia, e equipamentos eletro-eletrônicos, tais como jogos, brinquedos, ferramentas elétricas portáteis, informática, lanternas, equipamentos...fotográficos, rádios, aparelhos de som, relógios, agendas eletrônicas, barbeadores, instrumentos de medição, de aferição, equipamentos médicos e outros; VIII - pilhas e baterias de aplicação especial: são consideradas pilhas e baterias de aplicação especial aquelas utilizadas em aplicações específicas de caráter científico, médico ou militar e aquelas que sejam parte integrante de circuitos eletro-eletrônicos para exercer funções que requeiram energia elétrica ininterrupta em caso de fonte de energia primária sofrer alguma falha ou flutuação momentânea. Art. 3 o Os estabelecimentos que comercializam os produtos descritos no art.1 o, bem como a rede de assistência técnica autorizada pelos fabricantes e importadores desses produtos, ficam obrigadas a aceitar dos usuários as devoluções das unidades usadas, cujas características sejam similares àquelas comercializadas, com vistas aos procedimentos referidos no art. 1 o. Art. 4 o As pilhas e baterias recebidas na forma do artigo anterior serão acondicionadas adequadamente e armazenadas de forma segregada, obedecidas às normas ambientais e de saúde pública pertinentes, bem como as recomendações definidas pelos fabricantes ou importadores, até o seu repasse a estes últimos. Art. 5 o A partir de 1 o de janeiro de 2000, a fabricação, importação e comercialização de pilhas e baterias deverão atender aos limites estabelecidos a seguir: 9

10 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente - RESOLUÇÃO CONAMA Nº. 257, de 30 / 06 / I - com até 0,025% em peso de mercúrio, quando forem do tipo zinco-manganês e alcalino manganês; II - com até 0,025% em peso de cádmio, quando forem do tipo zinco-manganês e alcalino manganês; III - com até 0,400% em peso de chumbo, quando forem do tipo zincomanganês e alcalino manganês; IV - com até 25 mg de mercúrio por elemento, quando forem do tipo pilhas miniaturas e botão. Art. 6 o A partir de 1 o de janeiro de 2001, a fabricação, importação e comercialização de pilhas e baterias deverão atender aos limites estabelecidos a seguir: I - com até 0,010% em peso de mercúrio, quando forem do tipo zinco-manganês e alcalino manganês; II - com até 0,015% em peso de cádmio, quando forem dos tipos alcalina manganês e zinco manganês; III - com até 0,200% em peso de chumbo, quando forem dos tipos alcalina manganês e zinco manganês. Art. 7 o Os fabricantes dos produtos abrangidos por esta Resolução deverão conduzir estudos para substituir as substâncias tóxicas potencialmente perigosas neles contidas ou reduzir o teor das mesmas, até os valores mais baixos viáveis tecnologicamente. Art. 8 o Ficam proibidas as seguintes formas de destinação final de pilhas e baterias usadas de quaisquer tipos ou características: I - lançamento "in natura" a céu aberto, tanto em áreas urbanas como rurais; II - queima a céu aberto ou em recipientes, instalações ou equipamentos não adequados, conforme legislação vigente; III - lançamento em corpos d'água, praias, manguezais, terrenos baldios, poços ou cacimbas, cavidades subterrâneas, em redes de drenagem de águas pluviais, esgotos, eletricidade ou telefone, mesmo que abandonadas, ou em áreas sujeitas à inundação. Art. 9 o No prazo de um ano a partir da data de vigência desta resolução, nas matérias publicitárias, e nas embalagens ou produtos descritos no art. 1 o deverão constar, de forma visível, as advertências sobre os riscos à saúde humana e ao meio ambiente, bem como a necessidade de, após seu uso, serem devolvidos aos revendedores ou à rede de assistência técnica autorizada para repasse aos fabricantes ou importadores. Art. 10 Os fabricantes devem proceder à gestão no sentido de que a incorporação de pilhas e baterias, em determinados aparelhos, somente seja efetivada na condição de poderem ser facilmente substituídas pelos consumidores após sua utilização, possibilitando o seu descarte independentemente dos aparelhos. Art. 11. Os fabricantes, os importadores, a rede autorizada de assistência técnica e os comerciantes de pilhas e baterias descritas no art. 1 o ficam obrigados a, no prazo de doze meses contados a partir da vigência desta resolução, implantar os mecanismos operacionais para a coleta, transporte e armazenamento. Art. 12. Os fabricantes e os importadores de pilhas e baterias descritas no art. 1 o ficam obrigados a, no prazo de vinte e quatro meses, contados a partir da vigência desta Resolução, implantar os sistemas de reutilização, reciclagem, tratamento ou disposição final, obedecida a legislação em vigor. Art. 13. As pilhas e baterias que atenderem aos limites previstos no artigo 6 o poderão ser dispostas, juntamente com os resíduos domiciliares, em aterros sanitários licenciados. Parágrafo Único. Os fabricantes e importadores deverão identificar os produtos descritos no caput deste artigo, mediante a aposição nas embalagens e, quando couber, nos produtos, de símbolo que permita ao usuário distinguí-los dos demais tipos de pilhas e baterias comercializados. Art. 14. A reutilização, reciclagem, tratamento ou a disposição final das pilhas e baterias abrangidas por esta resolução, realizadas diretamente pelo fabricante ou por terceiros, deverão ser processadas de forma tecnicamente segura e adequada, com vistas a evitar riscos à saúde humana e ao meio ambiente, principalmente no que tange ao manuseio dos resíduos pelos seres humanos, filtragem do ar, tratamento de efluentes e cuidados com o solo, observadas as normas ambientais, especialmente no que se refere ao licenciamento da atividade. Parágrafo Único. Na impossibilidade de reutilização ou reciclagem das pilhas e baterias descritas no art. 1 o, a destinação final por destruição térmica deverá obedecer as condições técnicas previstas na NBR Incineração de Resíduos Sólidos Perigosos - e os padrões de qualidade do ar estabelecidos pela Resolução Conama n o 03, de 28 de junho de l990. Art. 15. Compete aos órgãos integrantes do SISNAMA, dentro do limite de suas competências, a fiscalização relativa ao cumprimento das disposições desta resolução. Art. 16. O não cumprimento das obrigações previstas nesta Resolução sujeitará os infratores às penalidades previstas nas Leis n o 6.938, de 31 de agosto de 1981, e n o 9.605, de 12 de fevereiro de Art. 17. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. JOSÉ SARNEY FILHO Presidente do Conama JOSÉ CARLOS CARVALHO Secretário-Executivo 10

11 Instruções / Preenchimento de NF / Descarte de Baterias. NF de Saída - Natureza da Operação: OUTRAS SAÍDAS CFOP : 5949 / SP e 6949 / fora SP. Descrição Específica: Baterias Chumbo Ácidas para reciclagem conforme Resolução CONAMA 257 (com esgotamento energético já atingido). Campo Especifico da NF (Observações), descreva: No uso das atribuições e competências que lhe são conferidas pela Lei No de 31 de agosto de 1981 e pelo decreto lei no /90. No campo "INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES" colocar a seguinte expressão: Produtos usados isentos do ICMS, coletados de consumidores finais, Convênio ICMS 27/05". Valor simbólico de R$ 0,01/Kg. Modelo de Carta / Descarte ( Em papel timbrado da Empresa). Data : / /. À NEWPOWER SISTEMAS DE ENERGIA LTDA. Fabricante de Baterias FULGURIS Avenida Santos Dumont, 2222 CEP Guarulhos - SP CNPJ.: / Cadastro na CETESB Ref.: Autorização para Descarte de ( Acida(s). ) Bateria(s) Chumbo Conforme entendimento realizado entre a Empresa, situada a, no bairro, na cidade de UF CEP - CNPJ No. e Insc. Est. No. e a Empresa NEWPOWER SISTEMAS DE ENERGIA LTDA, baseado na Resolução CONAMA 257 de 30 de junho de 1999, publicada no diário oficial da União em 22 de julho de 1999, ficou definido que a mesma se responsabilizará pêlos procedimentos de 11

12 reciclagem, tratamento e/ou disposição final ambientalmente adequada de ( ) bateria(s) chumbo acida(s), com esgotamento energético já atingido. Descrição: Atenciosamente, RAZÃO SOCIAL DA EMPRESA(assinar) Enviar cópia para o Fax A/C André - GMA, assim programaremos a coleta ou o recebimento direto através dos responsáveis. Após o recebimento da(s) bateria(s) para descarte, estaremos emitindo/enviando o TERMO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL, pelo destino final da(s) mesma(s), com todas as respectivas licenças ambientais. FICHA DE EMERGÊNCIA Nome Apropriado para Embarque: Bateria Elétrica Úmida Contendo Solução Ácida Nome do Produto: Acumuladores Elétricos frente Número de Risco: 80 Número da ONU: 2794 Classe ou subclasse de Risco: 8 Descrição da Classe ou subclasse de Risco: Corrosivo Aspecto: LÍQUIDO INCOLOR. EPI: LUVAS, ÓCULOS DE SEGURANÇA E VESTIMENTAS RESISTENTE AO ÁCIDO. RISCOS Fogo: : NÃO FACILMENTE INFLAMÁVEL OS GASES RESIDUAIS PODEM EXPLODIR EM CONTATO COM CHAMA OU FAÍSCA. Saúde: QUEIMADURA QUÍMICA QUANDO EM CONTATO DIRETO COM A PELE, MUCOSAS OU CONJUNTIVAS. Meio Ambiente: SOLÚVEL EM ÀGUA PROVOCANDO ACIDEZ, SOLUÇÃO MAIS PESADA QUE O AR. EM CASO DE ACIDENTE Vazamento: ISOLAR A ÁREA. CONTER AS PORÇÕES VAZADAS COM TERRA, AREIA OU VERMICULITE. ESTANCAR O VAZAMENTO DE PREFERÊNCIA COM MATERIAL PLÁSTICO. Fogo: UTILIZE ÁGUA COM PRECAUÇÃO, GÁS CARBÔNICO OU PÓ QUÍMICO. Poluição: NEUTRALIZAR COM BICARBONATO DE SÓDIO OU SOLUÇÃO DE SODA CÁUSTICA À 50%. ABSORVER O DERRAMAMENTO COM TERRA OU AREIA. DISPOR O MATERIAL ABSORVIDO COMO CLASSE I E CONFORME NBR

13 Envolvimento de Pessoas: RETIRAR A ROUPA IMPREGNADA E LAVAR AS ÁREAS DO CORPO COM ÁGUA CORRENTE. OLHOS: LAVAR COM ÁGUA CORRENTE E ENCAMINHAR AO OFTALMOLOGISTA. INALAÇÃO: PARA VÍTIMA CONSCIENTE DÊ ÁGUA OU LEITE. PARA VÍTIMA INCONSCIENTE NÃO DÊ NADA PELA BOCA. ENCAMINHAR AO MÉDICO. Informações ao médico: A AÇÃO TÓXICA CAUSA DEPLEÇÃO ALCALINA COM ACIDOSE, AFETA O SISTEMA NERVOSO,IRRITAÇÃO DO TRATO RESPIRATÓRIO GASTRINTESTINAL, ULCERAÇÃO DA CÓRNEA E QUEIMADURA DE PELE. Observações: As instruções ao motorista, em caso de emergência, encontram-se descritas exclusivamente no envelope para transporte. FABRICANTE: NEWPOWER SISTEMAS DE ENERGIA LTDA. Endereço: Av Santos Dumont, Cumbica - Guarulhos/SP (11) verso OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: Os dados e informações transcritos se revestem de caráter meramente complementar fornecidos de boa fé, e representam o que de melhor até hoje se tem conhecimento sobre a matéria, não significando, porém, que tratem completamente o assunto. Nenhuma garantia é dada sobre o resultado da aplicação destes dados e informações, não eximindo os usuários de suas responsabilidades, em qualquer fase do manuseio e transporte do produto. Prevalece sobre, os dados aqui contidos o disposto dos regulamentos governamentais existentes. ( A EMPRESA ) TELEFONES ÚTEIS PRÓ-QUÍMICA ABIQUIM : DDG ESTADO DEFESA CIVIL POLICIA RODOVIÁRIA FEDERAL ÓRGÃO DE MEIO AMBIENTE ACRE (068) R 241 (068) IBAMA (068) ALAGOAS (082) 192 (082) (082) AMAPÁ (096) (096) (096) AMAZONAS (092) 199 (092) (092) BAHIA (071) (071) (071) BRASÍLIA (061) 199 (061) IBAMA(061) CEARÁ (085) (085) (085) ESPÍRITO SANTO (027) (027) (027) GOIÁS (062) (062) (062) MARANHÃO (098) 199 (098) IBAMA (098)

14 MATO GROSSO (065) 199 (065) (065) MATO GROSSO DO SUL (067) 199 (067) IBAMA (067) MINAS GERAIS (031) (031) (031) PARÁ (091) (091) (091) /0731/8564 PARAÍBA (083) (083) (083) /6966 PARANÁ (041) 199 (041) (041) PERNAMBUCO (081) (081) (081) PIAUÍ (086) (086) (086) RIO DE JANEIRO (021) (021) (021) RIO GDE. DO NORTE (084) (084) (084) RIO GRANDE DO SUL (051) (051) (051) RONDÔNIA (069) (069) (069) / RORAIMA (095) (095) (095) SANTA CATARINA (048) 199 (048) (048) SÃO PAULO (011) 199 (011) (011) SERGIPE (079) (079) (079) TOCANTINS - (063) (063) BOMBEIRO : 193 EM TODO O TERRITÓRIO NACIONAL. MTR Manifesto para Transporte de Resíduos PRAC 1 - Resíduo Tipo: Classe: Licença-Cadri No Origem: [ ] Processo [ ] Fora do Processo [ ] ESTE [ ] ETA [ ] Cx. Gordura [ ] Outros, especificar: Estado Físico: [ ] Sólido [ ] Pastoso [ ] Líquido - Quantidade: [ ] M3 [ ] Ton [ ] Kg Acondicionamento: [ ] Tambor [ ] Bombona [ ] Tanque [ ] Saco Plástico [ ] Fardos [ ] Granel [ ] Big-Bags [ ] Outros, especificar: 2 - Gerador Empresa: CNPJ No. Insc. Est. No. Município: Bairro: UF: CEP. Tel.: ( ) Fax: ( ) Cel.: ( ) Responsável pela expedição do resíduo: Cargo: CPF No. Data: / / 200. Assinatura: 3 - Transportador 14

15 Empresa: CNPJ No. Insc. Est. No. Município: Bairro: UF: CEP. Tel.: ( ) Fax: ( ) Cel.: ( ) Responsável pela coordenação da coleta: Motorista: CPF No. Data: / / 200. Assinatura: 4 - Destino Final Empresa: NEWPOWER SISTEMAS DE ENERGIA LTDA. CNPJ No / Insc. Est. No Bairro: Pq. Industrial Cumbica Município: Guarulhos UF: SP CEP Tel.: ( 11 ) Fax: ( 11 ) Cel.: ( 11 ) Responsável pelo resíduo: Sr. André Luis Saraiva Cargo: Ger. de Desenvolvimento Ambiental CPF No. Data: / / 200. Assinatura: 1ª.Via Gerador - 2ª.Via Órgão Ambiental - 3ª.Via Transportador - 4ª.Via Destino Final - 5ª.Via Retorno Gerador. Check List PRAC / Transporte Autorização No. Cliente : NF No. Transportadora: Data: / / 2. Veículo/Placa 3. Nome/Motorista: RG No. 4. Destinatário: Newpower Sistemas de Energia Ltda. Av. Santos Dumont, Guarulhos SP Tel.: Fax.: Cel.: Contato: André Luis Saraiva. 5. Produto e Resíduos: 15

16 (Descrever a qtde. de elementos, baterias, cabos, interligações, estantes, periféricos e outros). 6. Atividades a serem observadas: A - Aspecto físico do local após a realização dos trabalhos, satisfatório SIM ( ) NÃO ( ) B - Traje adequado dos funcionários, satisfatório SIM ( ) NÃO ( ) C - Veículo com o Rótulo de Risco SIM ( ) NÃO ( ) D - Veículo com Rótulo de Simbologia SIM ( ) NÃO ( ) E - Kit de Emergência SIM ( ) NÃO ( ) F - Certificado do Curso MOPP SIM ( ) NÃO ( ) 7. Veículo: A - Aspecto - Boas Condições SIM ( ) NÃO ( ) B - Pneus, estepe SIM ( ) NÃO ( ) C - Parte elétrica SIM ( ) NÃO ( ) D - Extintor carregado SIM ( ) NÃO ( ) 8. Documentação: A - Nota Fiscal e Carta de Autorização SIM ( ) NÃO ( ) B - Ficha de Emergência e MTR SIM ( ) NÃO ( ) C Envelope / Transporte e Check List SIM ( ) NÃO ( ) D - Resultado final, satisfatório SIM ( ) NÃO ( ) Responsável / Cliente: Nome: RG No. Tel.: ( ) Obs.: ( 1a.via - Newpower, 2a.via - Cliente ) 16

17 PRAC - Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada Fluxo / Descarte de Baterias Chumbo-Ácidas Logística Reversa Gerenciador NEWPOWER Envio das baterias coletadas nos clientes para reciclagem Coleta / Transferência Transportadores PH Transportes Sencíveis Tele Star Transpontes Coleta / Transferência Retorno do chumbo secundário após reciclagem Indústria Recicladora TAMARANA METAIS - PR Clientes/Consumidores PRAC - Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada Fluxo / Reciclagem de Baterias Chumbo-Ácidas Ciclo Produtivo Transporte Newpower Sist. de Energia Plástico O mesmo transporte usado para distribuição de novas baterias é utilizado para a coleta de baterias com ciclo energético esgotado. Armazenagem Newpower Moído, lavado e Extruzado As baterias são armazenadas em área específica e são separadas por modelo. Os componentes internos são segregados para o início do processo de reciclagem. Novos invólucros e tampas Recicladora Chumbo Derretido a altas temperaturas e transformado em lingotes de chumbo Lingotes retornam para produção das baterias NEWPOWER Neutralização do Ácido Cristais de Sulfato de Sódio extraídos do ácido Uso para fabricação de tecidos, detergentes e vidros. (Em estudo) INDÚSTRIA RECICLADORA Bateria Nova Guarulhos,

18 Relação de Empresas. Segue abaixo à relação de algumas empresas que implantaram o PRAC - Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada / Descarte de Baterias, como ferramenta ambiental. O PRAC atende os procedimentos a serem observados para o cumprimento da Resolução CONAMA Conselho Nacional de Meio Ambiente e Legislação Ambiental (as empresas). Empresa Contato Depto. Telefone Material Alcatel Anglogold Elisama Ricardo Planejamento Eng. / Manut. e Almox Bat. Estacionaria Bat. Trac. e Auto. Unilever Edmilson Caceres Manutenção Bat. Tracionaria Atacadão Hélio Medeiros Diretoria Bat. Tracionaria Banco Itaú Cláudio Ferreira Adm. Predial Bat. Estacionária Bayer Celina Meio Ambiente Bat. Tracionaria Bandeirante Santolin Engenharia Bat. Estacionaria Casas Bahia Atílio Adm. Geral Bat. Tracionaria Caterpillar Mário Nardin Serviço. & Supervisão Bat. Tracionaria Chocolate Garoto Cosipa Aldecimar Gobetti Paolo Rogério Sup. de Armazém Manutenção Bat. Trac. e Auto. Bat. Arranque CPTM Raul Meio Ambiente Bat. Arranque Dixie Toga Valentin Coordenação Geral Bat. Estacionaria Eletropaulo Sônia Meio Ambiente Bat. Estacionaria Embratel Álvaro Goulart Seg. / Meio Ambiente Bat. Estacionaria Furnas Jornal Folha Francisco Paulo Galo Engenharia Sup. de Manutenção Bat. Estac. e Autom. Bat. Tracionaria GE Dako Roberto Pintura a Pó Bat. Automotiva Independência Leonardo Compras Bat. Tracionaria Jema Brasil Tatiane Diretoria Bat. Estacionaria Kimberly Clark Jaime Matéria Prima Bat. Tracionaria Lucent Francisco Meio Ambiente Bat. Estacionaria Maggion Pneus Romualdo Expedição Bat. Tracionaria Nestle Jorge Gonzaga Manutenção Elétrica Bat. Tracionaria New Bat Novartis Pharma Airton Renato Russo Gerencia Geral Adm. Geral Bat. Tracionaria Bat. Estacionaria Pirelli Oliveira Manutenção Bat. Tracionaria Philips Pedro Segurança Bat. Estacionaria LG Philips Vicente Laboratório Químico Bat. Automotiva Perdigão Daniel Massad Compras Bat. Tracionaria Reckitt Benckiser Jeferson Planj. e Controle/Manut Bat. Tracionaria Sant Gobain Maria do Carmo Meio Ambiente Bat. Automotiva Seara Alimentos Souza Cruz Marcelo Valeria Meio Ambiente Meio Ambiente Bat. Tracionaria Bat. Trac. e Auto. Telefonica Tetra Pak Carlos Pereira Juliana Seidel Enga. Desenvolvimento Meio Ambiente Bat. Estacionaria Bat. Tracionaria Tigre Rejan Meio Ambiente Bat. Automotiva Tintas MC Américo Enga. de Manutenção Bat. Tracionaria Valeo Maurício Manutenção Bat. Tracionaria Atenciosamente, Newpower Sistemas de Energia SA Fabricante de Baterias Industriais - Marca FULGURIS Av. Santos Dumont, Guarulhos - SP - CEP André Luis Saraiva - Gestor Ambiental - PRAC Tel.: Fax: Cel.: ou Work Station PRAC, desde

19 3 BENCHMARKING AMBIENTAL BRASILEIRO Os melhores da Gestão Sócioambiental do País Á partir desse resultado, ficou clara a importância da utilização da ferramenta Benchmarking para a gestão ambiental corporativa. Desta forma, o prêmio foi concebido contando desde o inicio com o apoio de entidades representativas conceituadas, comissão técnica renomada e participação de grandes empresas/instituições, comenta André Luis Saraiva. No dia 28 de setembro de 2005 foi divulgada a classificação dos cases vencedores do 3 Benchmarking Ambiental Brasileiro. Concorreram cases ambientais de todo o Brasil apresentando soluções de sucesso nas diversas ações ambientais. Os cases vencedores foram aqueles que apresentaram soluções inovadoras que proporcionaram benefícios ao meio ambiente natural, a comunidade e competitividade a empresa e/ou instituição. O objetivo do prêmio é identificar as melhores práticas da gestão sócioambiental brasileira, validar estes cases e torna-los referências e exemplos a serem seguidos. Esta é uma forma de contribuir com o desenvolvimento técnico gerencial dos profissionais da área, e incentivar a adoção das boas práticas nas empresas e instituições. A iniciativa teve inicio no ano de 2003 após uma pesquisa realizada com aproximadamente 300 empresas. A aceitação foi surpreendente, 89% (dados disponíveis no link: Esta é uma iniciativa pioneira e diferenciada, pois mais do que reconhecer, o prêmio visa compartilhar as boas práticas ambientais. Esta é a verdadeira contribuição da iniciativa para com a sociedade, permitindo que as empresas e profissionais detentores dos melhores indicadores e modus operandi, compartilhem este conhecimento com os demais. O prêmio é inovador em toda a sua concepção. A começar pela comissão técnica que é multidisciplinar e representante de entidades associativas diversas, impedindo assim a visão unilateral da temática ambiental. Os apoiadores que dão credibilidade e visibilidade a iniciativa, formado basicamente pela mídia especializada e entidades representativas atuando como abalizadores e multiplicadores. A estrutura ágil permitindo a inscrição on line e de forma simplificada (descrição de 06 quesitos básicos) para incentivar e facilitar a organização do conhecimento aplicado nas organizações. E finalmente, a premiação que se realiza em formato de seminário, onde os cases vencedores são apresentados ao público presente, e o seu conteúdo gravado em CDROM e entregue aos apoiadores para seus devidos usos. Na edição 2003, foram selecionados 14 cases vencedores, na edição 2004, foram 20 cases vencedores, e nesta edição foram selecionados 24 cases vencedores. Os cases vencedores são referencias em se tratando de boas práticas ambientais, e seus profissionais e instituições, exemplos a seguir. Este é o Benchmarking Ambiental Brasileiro, um espaço aberto à empresas, instituições e profissionais comprometidos com o desenvolvimento sustentável no discurso e na prática, pois aqui se faz, prova e compartilha o conhecimento aplicado e as boas práticas ambientais. Confira a lista dos vencedores: 1º. CASES - PREMIADOS 1. CEAGESP - Cia de Entrepostos e Armazens Gerais do Estado SP - Sistema de Reciclagem Integrada 2. Newpower Sistemas de Energia - PRAC - Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada 3. VIVO PR/SC - Transformando com Arte a Vida 4. Indústria Química e Farmacêutica Schering-Plough - Gestão Integrada de Recursos Hídricos 5. Instituto Via Viva - Sistema de Barreiras Rodoviárias 6. CST - Gestão do Uso Racional das Águas 7. Rohm and Haas Química - Projeto Sementes - Plantando um futuro melhor 8. Portobello - Teoria dos Sistemas 9. Centro de Cuidados e Desenvolvimento Infantil Materna - Sistema de Gestão Ambiental no Setor Educacional 10. Bunge Fertilizantes - Centro de Educação Ambiental 11. Voith Paper Máquinas e Equipamentos - Voith Recicla 12. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos - Dia Nacional de Mobilização Social 13. Vianorte - Programa de Gestão Arqueológica, Pesquisa e Educação Patrimonial 14. Instituto Ambiental Vale do Rio Doce - Braço Ambiental para Pesquisas Científicas, Proteção e Conservação 2. CASES - MENÇÃO HONROSA 1. Prefeitura de Poços de Caldas - Desenvolvimento do Modelo de Gestão dos Resíduos 2. AES Tietê - Reflorestamento de Áreas de Preservação Permanente 3. TV Globo - Gestão Ambiental - Cuidados com o meio ambiente 4. Cia Açucareira Usina Capricho - Mata Ciliar X Cultura de Subsistência 5. Henkel - Programa de Conscientização Ambiental 6. Companhia Vale do Rio Doce - Revista Biodiversidade 7. Souza Cruz - Sistema de Tratamento Terciário de Efluentes 19

20 8. Eurofarma Laboratórios - De Mãos Dadas com a Escola 9. Klabin - A Responsabilidade Ambiental como Pilar Estratégico no Desenvolvimento Sustentável de Negócios 10. Usina Santa Cruz - Gestão Empresarial com Responsabilidade Ambiental e Social Outras informações podem ser consultadas no site: O Prêmio CNI objetiva reconhecer e premiar as empresas industriais que apresentem contribuições expressivas que resultem no aumento de sua competitividade, nas seguintes categorias: DESIGN ECOLOGIA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE INTERAÇÃO UNIVERSIDADE INDÚSTRIA Critério O RECONHECIMENTO À INOVAÇÃO E A CRIATIVIDADE DAS EMPRESAS Instituído pela Confederação Nacional da Indústria em 2001, o Prêmio CNI firmou-se ao longo dos anos como um importante mecanismo de mobilização da indústria brasileira na sua busca pelo aumento do nível de competitividade. O Prêmio CNI busca maior reconhecimento por sua competência nas áreas de qualidade do processo produtivo, meio ambiente, utilização do design como fator de diferenciação de produto e aumento do bem estar social e desenvolvimento econômico sustentável. A Comissão Julgadora do Prêmio, no âmbito da seleção, é instituída pela CNI e composta por especialistas com reconhecida experiência e notório conhecimento em cada uma das respectivas áreas. Caberá a esta comissão realizar a análise das propostas vencedoras da etapa estadual e escolher, no plano nacional, o primeiro, segundo e terceiro lugar por categoria e modalidade. Os casos omissos serão avaliados e julgados pela Comissão Julgadora do Prêmio. As atividades que compõem a proposta deverão ter sua implantação realizada a partir de 2004, e no mínimo 6 meses de execução. As empresas poderão concorrer em mais de uma categoria, desde que apresentem propostas específicas, atendendo aos critérios de cada categoria. Para efeito de classificação das empresas de pequeno porte, considera-se o faturamento bruto anual inferior a R$ 3,6 milhões. Quando a empresa for controlada por outra empresa ou pertencer a um grupo econômico, a classificação do porte se dará considerando-se a receita operacional bruta consolidada. As informações apresentadas nos questionários e relatórios são de exclusiva responsabilidade da empresa e terão caráter confidencial, não sendo utilizadas para outro fim. Com relação ao resguardo dos direitos de propriedade intelectual, este é de responsabilidade das indústrias concorrentes. 20

RESOLUÇÃO Nº 257, DE 30 DE JUNHO DE 1999 * Revogada pela Resolução 401, de 4 de novembro de 2008.

RESOLUÇÃO Nº 257, DE 30 DE JUNHO DE 1999 * Revogada pela Resolução 401, de 4 de novembro de 2008. RESOLUÇÃO Nº 257, DE 30 DE JUNHO DE 1999 * Revogada pela Resolução 401, de 4 de novembro de 2008. O Conselho Nacional do Meio Ambiente - Conama, no uso das atribuições e competências que lhe são conferidas

Leia mais

Esclarecimentos Importantes

Esclarecimentos Importantes Meio Ambiente Desenvolvimento Sustentável Reciclagem de Pilhas e Baterias André Luis Saraiva Vice-Diretor de Meio Ambiente da ABINEE andresaraiva@abinee.org.br 28.04.2005 Esclarecimentos Importantes Abinee

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO VERSÃO 7 LIMPA

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO VERSÃO 7 LIMPA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA PROPOSTA DE RESOLUÇÃO VERSÃO 7 LIMPA Procedência: 18ª Reunião da Câmara Técnica de Saúde e Saneamento Ambiental

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA N 401, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2008. Estabelece os limites máximos de chumbo, cádmio e mercúrio para pilhas e baterias comercializadas

RESOLUÇÃO CONAMA N 401, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2008. Estabelece os limites máximos de chumbo, cádmio e mercúrio para pilhas e baterias comercializadas RESOLUÇÃO CONAMA N 401, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2008. Estabelece os limites máximos de chumbo, cádmio e mercúrio para pilhas e baterias comercializadas no território nacional e os critérios e padrões para

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA Procedência: 18ª Reunião da Câmara Técnica de Saúde e Saneamento Ambiental Data: 05/04/06 Processo n : 02000.005624/1998-07

Leia mais

Considerando a necessidade de minimizar os impactos negativos causados ao meio ambiente pelo descarte inadequado de pilhas e baterias;

Considerando a necessidade de minimizar os impactos negativos causados ao meio ambiente pelo descarte inadequado de pilhas e baterias; NOVA RESOLUÇÃO DE PILHAS E BATERIAS Estabelece os limites máximos de chumbo, cádmio e mercúrio para pilhas e baterias comercializadas em território nacional e os critérios e padrões para o seu gerenciamento

Leia mais

André Luis Saraiva. andresaraiva@prac.com.br (11) 3511.3889 WWW.PRAC.COM.BR

André Luis Saraiva. andresaraiva@prac.com.br (11) 3511.3889 WWW.PRAC.COM.BR André Luis Saraiva andresaraiva@prac.com.br (11) 3511.3889 WWW.PRAC.COM.BR Seja bem vindo!! O PRAC - Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada foi idealizado em 2000, em virtude da publicação

Leia mais

LEGISLAÇÃO SOBRE BATERIAS SUELY M.V. G. DE ARAÚJO Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento Urbano e Regional SETEMBRO/2003 2 ÍNDICE

Leia mais

ROBERT BOSCH LIMITADA

ROBERT BOSCH LIMITADA F0LHA...: 1 de 5 1 _ Identificação do Produto e Fabricante Nome do Produto: Acumulador elétrico de energia Nome do Fabricante sob licença da Robert Bosch Ltda.: Enertec do Brasil Ltda. Endereço: Av. Independência,

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ PRODUTO: BATERIA MOURA 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Nome da Empresa: Endereço: Bateria Moura Acumuladores Moura

Leia mais

DEFINIÇÕES. Pilha: gerador eletroquímico de energia elétrica, mediante conversão geralmente irreversível de energia química (NBR 7039/87);

DEFINIÇÕES. Pilha: gerador eletroquímico de energia elétrica, mediante conversão geralmente irreversível de energia química (NBR 7039/87); DEFINIÇÕES Pilha: gerador eletroquímico de energia elétrica, mediante conversão geralmente irreversível de energia química (NBR 7039/87); Bateria: conjunto de pilhas ou acumuladores recarregáveis interligados

Leia mais

Dispõe sobre a gestão dos resíduos sólidos, nos termos do artigo 247, parágrafo 3º da Constituição do Estado e dá outras providências.

Dispõe sobre a gestão dos resíduos sólidos, nos termos do artigo 247, parágrafo 3º da Constituição do Estado e dá outras providências. LEI Nº 9.921, DE 27 DE JULHO DE 1993. Dispõe sobre a gestão dos resíduos sólidos, nos termos do artigo 247, parágrafo 3º da Constituição do Estado e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO

Leia mais

LEI Nº 9.921, DE 27 DE JULHO DE 1993. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL.

LEI Nº 9.921, DE 27 DE JULHO DE 1993. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. LEI Nº 9.921, DE 27 DE JULHO DE 1993. Dispõe sobre a gestão dos resíduos sólidos, nos termos do artigo 247, parágrafo 3º da Constituição do Estado e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS : A RESPONSABILIDADE DE CADA SETOR

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS : A RESPONSABILIDADE DE CADA SETOR POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS : A RESPONSABILIDADE DE CADA SETOR Política Nacional de Resíduos Sólidos BASE LEGAL : Lei Federal nº 12305, de 02.08.2010 Decreto Federal nº 7404, de 23.12.2010 Princípio

Leia mais

DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS

DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS Alternativas tecnológicas disponíveis. Variações de custo e de segurança das operações. Copyright Ecovalor Consultoria

Leia mais

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante NOME DO PRODUTO: Solução Titulante 1/12 FISPQ NRº. 28 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome Comercial do Produto: Solução Titulante Nome Químico: Solução Ácida a 0,1 N Nome da Empresa: Hidroazul

Leia mais

LEGISLAÇÃO SOBRE RECICLAGEM DO LIXO

LEGISLAÇÃO SOBRE RECICLAGEM DO LIXO LEGISLAÇÃO SOBRE RECICLAGEM DO LIXO ILIDIA DA A. G. MARTINS JURAS Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento Urbano e Regional DEZEMBRO/2000

Leia mais

Rótulo Ecológico para o processo de tratamento de solução eletrolítica de baterias automotivas

Rótulo Ecológico para o processo de tratamento de solução eletrolítica de baterias automotivas Pág. Nº 2/10 0 Introdução O programa de Rotulagem Ambiental da ABNT foi desenvolvido para apoiar um esforço contínuo para melhorar e/ou manter a qualidade ambiental por meio da redução do consumo de energia

Leia mais

A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná

A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná LEI Nº 12493-22/01/1999 Publicado no Diário Oficial Nº 5430 de 05/02/1999. Estabelece princípios, procedimentos, normas e critérios referentes a geração, acondicionamento, armazenamento, coleta, transporte,

Leia mais

Relatório de Avaliação de Fornecedores

Relatório de Avaliação de Fornecedores Relatório de Avaliação de Fornecedores 1. Dados da organização Razão Social: Techfive Comércio e Gestão de Equipamentos de Telec LTDA CNPJ nº 09203925/0001 04 Endereço Rua Wilton Reis Costa, 165 - Condomínio

Leia mais

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos 01 Identificação do produto e da Empresa Nome do Natureza Química: Produto Germicida e Bactericida Autorização de Funcionamento / MS Nº: 3.04500.8 Produto Notificado ANVISA/MS Nº: 0687370137 Data da Publicação

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Impermeabilizante acrílico a base d água. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José

Leia mais

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 Dispõe sobre a destinação de Lâmpadas inservíveis, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências O CONSELHO NACIONAL DO MEIO

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 1/7 FISPQ NRº. 004 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome da Empresa: Hidroazul Indústria e Comércio Ltda Endereço: Rua João Dias Neto, 18 D Cataguases MG CEP: 36770-902. Telefone da Empresa: (32)

Leia mais

NPT 032 PRODUTOS PERIGOSOS EM EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO

NPT 032 PRODUTOS PERIGOSOS EM EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO Outubro 2011 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 032 Produtos perigosos em edificações e áreas de risco CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 01 Norma de Procedimento Técnico 6 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

3. Identificação dos Perigos Perigos mais importantes : Ação irritante para olhos, pele e sistema respiratório.

3. Identificação dos Perigos Perigos mais importantes : Ação irritante para olhos, pele e sistema respiratório. Tripolifosfato de Sódio Página 1 de 5 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do produto : Tripolifosfato de Sódio Código do produto : 001.019 Empresa Corpo de Bombeiros : 193 Polícia Militar : 190

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ)

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ) Nome do Produto DNC Página 01/06 SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO Detergente Neutro Concentrado - HERMON Limpeza- Ltda Rua Vicente Melle,771-Bairro Ana Jacinta- Presidente Prudente-São Paulo - CEP: IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo

NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

2 o Para fins desta resolução, reforma de pneu não é considerada fabricação ou destinação. adequada.

2 o Para fins desta resolução, reforma de pneu não é considerada fabricação ou destinação. adequada. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N o 416, DE 30 DE SETEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a prevenção à degradação ambiental causada por pneus inservíveis e sua destinação

Leia mais

SABONETE ANTI-SÉPTICO MAZA

SABONETE ANTI-SÉPTICO MAZA SABONETE ANTI-SÉPTICO MAZA 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO QUÍMICO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Sabonete Anti-séptico Maza Nome da Empresa: Maza 2000 Comércio e Indústria Ltda Endereço da Indústria: Via

Leia mais

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini O lixo é conhecido como os restos das atividades humanas considerados inúteis, indesejáveis e descartáveis. No entanto, separado nos seus

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do produto: CJI MASTER HARD SS Nome da empresa: Endereço: Rua Hermínio Poltroniere, 198

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFÊRENCIA PARA ELABORACÃO DE PROJETO AMBIENTAL DE DEDETIZADORAS, LIMPA FOSSA E EMPRESAS QUE PRESTA SERVIÇO DE LIMPEZA. Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO AMBIENTAL

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Nome do produto: BIOCAT FISPQ n : 0270/09 Data da última revisão: 05/11/08 Página 1 de 5

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Nome do produto: BIOCAT FISPQ n : 0270/09 Data da última revisão: 05/11/08 Página 1 de 5 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Nome do produto: BIOCAT Página 1 de 5 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: BIOCAT Nome da Empresa: INDÚSTRIA QUÍMICA ZEQUINI

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS DATA DE APROVAÇÃO: 22/11/2011 Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto LW Impercit Nome da empresa Lwart Química Ltda. Endereço Rodovia Marechal Rondon, Km 303,5, Lençóis Paulista-SP

Leia mais

Pode causar irritação na mucosa e dores abdominais. Não são conhecidos casos de irritação nas vias respiratórias.

Pode causar irritação na mucosa e dores abdominais. Não são conhecidos casos de irritação nas vias respiratórias. Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos - FISPQ FISPQ nº 032 Página 1 / 5 Data da última revisão 08/05/2008 1 Identificação do produto e da empresa Nome do produto: Tinta P.V.A.para Artesanato

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS : as responsabilidades de cada Setor

RESÍDUOS SÓLIDOS : as responsabilidades de cada Setor RESÍDUOS SÓLIDOS : as responsabilidades de cada Setor Gestão de Resíduos Sólidos ( São Paulo ) Lei 997/76 e regulamento: Dec. 8468/76 Foco: Comando e Controle Resíduos Disposição Final Disposição inadequada

Leia mais

EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À CRIAÇÃO OU AO APERFEIÇOAMENTO DE NÚMEROS CIRCENSES

EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À CRIAÇÃO OU AO APERFEIÇOAMENTO DE NÚMEROS CIRCENSES EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À CRIAÇÃO OU AO APERFEIÇOAMENTO DE NÚMEROS CIRCENSES O Presidente da Fundação Nacional de Artes - Funarte, no uso das Atribuições que lhe confere o inciso V artigo 14

Leia mais

INSTRUÇOES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS -

INSTRUÇOES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS - INSTRUÇOES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS - I. APRESENTAÇÃO O presente Termo de Referência visa subsidiar os diversos empreendimentos quanto à elaboração e apresentação

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS DATA DE APROVAÇÃO: 31/08/2012 Página 1 de 6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto Metrofix Fabricado por: Lwart Química Endereço Rodovia Marechal Rondon, Km 303,5, Lençóis Paulista-SP

Leia mais

RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010

RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010 RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010 Dispõe sobre a coleta, armazenamento e destinação de embalagens plásticas de óleo lubrificante pós-consumo no Estado do Paraná. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS

Leia mais

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resolução CONAMA Nº 009/1993 - "Estabelece definições e torna obrigatório o recolhimento e destinação adequada de todo o óleo lubrificante usado ou contaminado".

Leia mais

CHECK LIST LICENÇA DE OPERAÇÃO

CHECK LIST LICENÇA DE OPERAÇÃO CHECK LIST LICENÇA DE OPERAÇÃO a) Requerimento através do Formulário N o 14 Licenciamento Ambiental, devidamente preenchido e assinado pelo representante legal da empresa; no mesmo formulário informar

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS PÁGINA: 1/5 SEÇÃO 1.0 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME DO PRODUTO: BIOCLEANER CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO: 0120/5521 NOME DO FABRICANTE: BIOCHEMICAL PRODUTOS QUIMICOS LTDA ENDEREÇO: RUA: PAPA SÃO

Leia mais

Produto: Denvercril RA701 Nº FISPQ: 079 Revisão: 00. Denver Indústria e Comércio Ltda. denver.resinas@denverresinas.com.br

Produto: Denvercril RA701 Nº FISPQ: 079 Revisão: 00. Denver Indústria e Comércio Ltda. denver.resinas@denverresinas.com.br 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto: Nome da Empresa: Endereço: Denvercril RA701. Denver Indústria e Comércio Ltda. Rua Geny Gusmão dos Santos, 48 Rio Abaixo Suzano-SP. Telefone da

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Cristina R. Wolter Sabino de Freitas Departamento Ambiental O mundo será obrigado a se desenvolver de forma sustentável, ou seja, que preserve

Leia mais

Ingredientes que contribuam para o perigo: Nome químico ou genérico N CAS % Classificação e rotulagem

Ingredientes que contribuam para o perigo: Nome químico ou genérico N CAS % Classificação e rotulagem FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Nome do produto: DENINPLUS 400-N Página 1 de 5 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: DENINPLUS 400-N Nome da Empresa: INDÚSTRIA

Leia mais

WORKSHOP TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. REALIZADO EM 17/09/2004 LOCAL: NTC PROMOVIDO: ABTLP, NTC & LOGISTICA, ASSOCIQUIM e ABIQUIM

WORKSHOP TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. REALIZADO EM 17/09/2004 LOCAL: NTC PROMOVIDO: ABTLP, NTC & LOGISTICA, ASSOCIQUIM e ABIQUIM WORKSHOP TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS REALIZADO EM 17/09/2004 LOCAL: NTC PROMOVIDO: ABTLP, NTC & LOGISTICA, ASSOCIQUIM e ABIQUIM PAINEL DE DEBATES: ANTT: Roberto David, Carmem Caixeta e Regina

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 32/2015

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 32/2015 Instrução Técnica nº 26/2011 - Sistema fixo de gases para combate a incêndio 645 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO

Leia mais

NORMA OPERACIONAL PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

NORMA OPERACIONAL PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1 OBJETIVO Estabelecer os critérios para o licenciamento ambiental das atividades de transporte rodoviário de produtos perigosos (exceto os das classes 1 e 7 da Resolução ANTT 42) que circulam apenas no

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE

SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE RESOLUÇÃO CONEMA Nº 56 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013. ESTABELECE CRITÉRIOS PARA A INEXIGIBILIDADE DE

Leia mais

REGULAMENTO. 1º - Serão aceitos projetos inovadores desenvolvidos em 2009 e 2010, e que já estejam no mercado por um período mínimo de 6 meses.

REGULAMENTO. 1º - Serão aceitos projetos inovadores desenvolvidos em 2009 e 2010, e que já estejam no mercado por um período mínimo de 6 meses. REGULAMENTO APRESENTAÇÃO Art. 1º O Prêmio de Nacional de Inovação na Indústria, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC), com o apoio da Financiadora

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIMICO - FISPQ Página 1 de 8 1. Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: Detergente Concentrado Oirad - Código interno de identificação do produto: LG 010 - Produto Notificado na ANVISA / MS: - Nome da

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS DATA DE APROVAÇÃO: 31/08/2012 Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto Fabricado por Endereço Vedapac Laje Preto Lwart Química Telefone (14) 3269-5060 Fax (14) 3269-5003 email

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto Limpa ar condicionado Código interno de identificação 00.00.000.000 Nome da empresa Endereço Aeroflex Indústria de Aerosol Ltda. Rod. BR 116 km

Leia mais

Rua Manoel Joaquim Filho, 303, cep.13140-000 Paulínia / SP E-mail: ceva@cevabrasil.com.br

Rua Manoel Joaquim Filho, 303, cep.13140-000 Paulínia / SP E-mail: ceva@cevabrasil.com.br Produto: TILDREN Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Nome do Fabricante: Nome do Distribuidor: Endereço: TILDREN La Ballastiere BP 126-33501 Libourne. Ceva Saúde Animal

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos. SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos. SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa Nome do produto: COLA PVA EXTRA FORMICA Nome da empresa: Formiline Indústria de Laminados Ltda. Endereço: Estrada Portão do Honda, 120 Rio Abaixo

Leia mais

Associação Brasileira de Materiais Compósitos MANUAL DE RECUPERAÇÃO DE TAMBORES METÁLICOS

Associação Brasileira de Materiais Compósitos MANUAL DE RECUPERAÇÃO DE TAMBORES METÁLICOS MANUAL DE RECUPERAÇÃO DE TAMBORES METÁLICOS Introdução Este documento é um guia orientativo aos associados da Abmaco que desejem efetuar a disposição adequada de tambores e embalagens de resina poliéster

Leia mais

FISPQ Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico FOSFATO DE ZINCO SOLUÇÃO

FISPQ Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico FOSFATO DE ZINCO SOLUÇÃO Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Nome da Empresa/Fornecedor: Resimapi Produtos Químicos Ltda. Endereço: Av. Osaka, 800 Arujá São Paulo Telefone da Empresa: (xx11)

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA:

1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Solunew Diluição: 1/10. Empresa: Ricknew Indústria Química.. Endereço: Rua Luiz Job de Souza, 118. Telefones: (44) 3233 2356 e 9849 0008. Home

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE

TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO DE CONTROLE

Leia mais

MANUSEIO, ACONDICIONAMENTO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS. Profa. Margarita Maria Dueñas O.

MANUSEIO, ACONDICIONAMENTO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS. Profa. Margarita Maria Dueñas O. MANUSEIO, ACONDICIONAMENTO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS Profa. Margarita Maria Dueñas O. RESÍDUOS PERIGOSOS Ponto de geração Destino final FASE INTERNA COLETA ACONDICIONAMENTO FASE

Leia mais

FISPQ Ficha de Informações de Segurança de Produto Quimico

FISPQ Ficha de Informações de Segurança de Produto Quimico Referência:FISPQ n 005 Emissão:01/02/2007 Revisão :00 SULFATO DE ALUMINIO ISENTO DE FERRO 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Sulfato de Alumínio Isento de Ferro Sólido Nome da Empresa:

Leia mais

Isento de odores desagradáveis Sua formulação à base de ácido orgânico permite menor liberação de odores, se comparado a outros neutralizantes.

Isento de odores desagradáveis Sua formulação à base de ácido orgânico permite menor liberação de odores, se comparado a outros neutralizantes. JohnsonDiversey Clax TIRA FERRUGEM Removedor de manchas de ferrugem. Contém sequestrante de ferro Seu uso contínuo evita amarelamento dos tecidos causados por traços de ferro na água. Evita amarelamento

Leia mais

Gestão de Resíduos em Terminais Ferroviários Experiências Empresariais. Alexssandro Sanches

Gestão de Resíduos em Terminais Ferroviários Experiências Empresariais. Alexssandro Sanches Gestão de Resíduos em Terminais Ferroviários Experiências Empresariais Alexssandro Sanches DF 08/07/2010 Programa de Gestão de Resíduos - FCA Nossa localização estratégica e a interligação com a Estrada

Leia mais

SABONETE LÍQUIDO NEUTRO

SABONETE LÍQUIDO NEUTRO SABONETE LÍQUIDO NEUTRO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Fornecedor: SABONETE LÍQUIDO NEUTRO Bluecare do Brasil Indústria e Comércio Ltda. CNPJ.: 94.003.753/0001-02 Endereço: Rua

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE TERMO DE REFERÊNCIA PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE CURITIBA

Leia mais

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE 1 A ABRELPE Associação nacional, sem fins lucrativos, que congrega e representa as empresas prestadoras de serviços

Leia mais

RESOLUÇÃO N. TC-0090/2014

RESOLUÇÃO N. TC-0090/2014 RESOLUÇÃO N. TC-0090/2014 Dispõe sobre práticas e critérios destinados a defesa do meio ambiente e promoção do desenvolvimento nacional sustentável nas contratações de bens, serviços e obras, no âmbito

Leia mais

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 1.223/2013 DE 16 DE ABRIL DE 2013. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE CACHOEIRA ALTA, Estado de Goiás, por

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Federação das Indústrias do Estado da Bahia FIEB. Conselho de Meio Ambiente COMAM

APRESENTAÇÃO. Federação das Indústrias do Estado da Bahia FIEB. Conselho de Meio Ambiente COMAM APRESENTAÇÃO A FIEB, através do seu Conselho de Meio Ambiente - COMAM, vem realizando desde o ano de 2000, o Prêmio FIEB Desempenho Ambiental. Em suas duas primeiras edições o Prêmio abrangeu as categorias

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS 1. JUSTIFICATIVA O presente Termo de Referência tem por fim orientar a elaboração do PGRS conforme previsto no

Leia mais

QUIDESOXIDADOR. Telefones de emergência: (41) 3376-2991 Curitiba 0800-7032991 Outras Regiões 2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

QUIDESOXIDADOR. Telefones de emergência: (41) 3376-2991 Curitiba 0800-7032991 Outras Regiões 2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES QUIDESOXIDADOR 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA - Nome do produto: QUIDESOXIDADOR - Código interno: 418 - Aplicação: Desoxidador de chapa off-set positiva. Fabricante: Quimagraf Ind. Com. De Material

Leia mais

Produto: DIPPING BASE DIPPING BASE (62) 3310-2700 (85) 3366-2350 (19) 3455-8900 (62) 3310-2700 (85) 3366-2350 (19) 3455-8900. emergencia@beraca.

Produto: DIPPING BASE DIPPING BASE (62) 3310-2700 (85) 3366-2350 (19) 3455-8900 (62) 3310-2700 (85) 3366-2350 (19) 3455-8900. emergencia@beraca. FISPQ-040 Revisão: 01 Data: 28/04/2009 Página: 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Empresa Distribuidora: DIPPING BASE Telefones para Emergências: (81) 3543-0571 (62) 3310-2700

Leia mais

Indústria e Comércio de Produtos Químicos

Indústria e Comércio de Produtos Químicos FICHA DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO: Nome do Produto: Ácido Fosfórico Nome Químico: Ácido Fosfórico ou Ácido Ortofosfórico Sinônimo: Hidrogeno Fosfato Fórmula Química: H

Leia mais

PRODUTO: SILICATO DE SÓDIO ALCALINO FISPQ - FICHA DE INFOMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

PRODUTO: SILICATO DE SÓDIO ALCALINO FISPQ - FICHA DE INFOMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2. INFORMAÇÕES SOBRE A COMPOSIÇÃO QUÍMICA 3. IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS 4. MEDIDAS DE PRIMEIROS SOCORROS 5. MEDIDAS DE COMBATE A INCÊNDIO 6. MEDIDAS DE CONTROLE

Leia mais

Página 1 de 6 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ

Página 1 de 6 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Página 1 de 6 1. Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: Zentrifix KMH - Código interno do produto: 051 - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda - Endereço: Rua

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PRODUTO QUIMICO

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PRODUTO QUIMICO SEÇÃO I Identificação do Produto Químico e da Empresa Nome do Produto: Nome da Empresa: IMPERCOTEPRIMER CITIMAT MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO LTDA. RUA COMENDADOR SOUZA 72/82 AGUA BRANCA SÃO PAULO SP CEP: 05037-090

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE

Leia mais

Documento Assinado Digitalmente

Documento Assinado Digitalmente LICENÇA DE OPERAÇÃO LO N.º 5415 / 2011-DL Processo n.º A Fundação Estadual de Proteção Ambiental, criada pela Lei Estadual n.º 9.077, de 04/06/90, e com seus Estatutos aprovados pelo Decreto n.º 33.765,

Leia mais

Produto: MAXPREN LAJE PRETO FISPQ n 040 emissão 02/02/09 Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

Produto: MAXPREN LAJE PRETO FISPQ n 040 emissão 02/02/09 Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: MAXPREN LAJE PRETO Código do produto: 16100 Nome da empresa: Maxton Brasil Endereço: Rua Ivo

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ. Nome do produto: Botatop HD 150 FISPQ nº: 721 Data da última revisão: 02/04/2007

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ. Nome do produto: Botatop HD 150 FISPQ nº: 721 Data da última revisão: 02/04/2007 Página 1 de 5 1. Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: Botatop HD 150 - Código interno do produto: 721 - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda - Endereço: Av.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (APLICADO A INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos FORTEX Ficha de Segurança Nome do Produto: MASSA PVA FORTEX Data de Revisão: 15/08/2013 Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto:

Leia mais

1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES NOME DO PRODUTO: BRANCOL 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome da Empresa: Petra Química Matriz: Estrada do Barreiro, 136 Gleba Nova Ukrânia - CEP: 86.800-970 - Apucarana/PR Fone: (43) 4104-0224

Leia mais

LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013

LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013 LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013 INSTITUI O PROJETO "DESTINO CERTO AO LIXO ELETRÔNICO DE FAGUNDES VARELA". JEAN FERNANDO SOTTILI, Prefeito Municipal de Fagundes Varela, no uso das atribuições que me

Leia mais

Página 1 de 6 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ

Página 1 de 6 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Página 1 de 6 1. Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: Ortolan Sep 791 - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda - Endereço: Rua Henry Martin, 235 Vargem Grande

Leia mais

www.crisagua.ind.br www.youtube.com/crisaguaindustria www.slideshare.net/crisaguaindustria www.flickr.com/crisaguaindustria

www.crisagua.ind.br www.youtube.com/crisaguaindustria www.slideshare.net/crisaguaindustria www.flickr.com/crisaguaindustria 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Cris ph - Aplicação: Nome da Empresa: Endereço: Ajustador de ph Marco Antonio Spaca Piscinas EPP Rua: João Paulino dos Santos, 150 Bairro: Atibaia

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIMICO - FISPQ Página 1 de 8 1. Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: Poliótimo Oirad - Código interno de identificação do produto: LP 010 - Produto Notificado na ANVISA / MS: - Nome da empresa: POLICLEAN

Leia mais

1. Identificação do Produto e da Empresa. 2. Composição e informações sobre os ingredientes. 3. Identificação de Perigos

1. Identificação do Produto e da Empresa. 2. Composição e informações sobre os ingredientes. 3. Identificação de Perigos 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do Nome da Empresa: Bayer Health Care - Área AH Endereço: Rua Domingos Jorge, 1000 - Socorro, CEP 04779-900, São Paulo - SP. Telefone: (11) 5694-5166 Telefone

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUíMICOS (FISPQ)

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUíMICOS (FISPQ) 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Aplicação: Redutor de ph Empresa: Micheloto Ind. e Com. de Prod. Químicos Ltda EPP Endereço: Est. Vic. Dr. Eduardo Dias de Castro Km 03 B Zona Rural Fernão/SP

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança do Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança do Produto Químico 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME DO PRODUTO... HTH Avaliar Elevador de Alcalinidade NOME DA EMPRESA... Arch Química Brasil Ltda. ENDEREÇO... Av. Brasília,nº 1500 Jd. Buru Salto-SP TELEFONE

Leia mais

RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO.

RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO. RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO. POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI Nº 12.305/2010 DECRETO Nº 7.404/2010 O QUE MUDA COM A LEI 12.305/2010? Lixões a céu aberto e aterros

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Ambiente, Saúde e Segurança Componente Curricular: Meio Amb.

Leia mais

LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ARTIGO 13 -ORIGEM RSU(domiciliares e de limpeza pública) Comerciais e Prestadores de Serviços Serviços Públicos de Saneamento Básico Industriais

Leia mais

Licenciamento Ambiental nos Municípios: a Lei Complementar nº 140

Licenciamento Ambiental nos Municípios: a Lei Complementar nº 140 Licenciamento Ambiental nos Municípios: a Lei Complementar nº 140 I Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Brasília, 29 de março de 2012 SISTEMA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - SISNAMA O

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico AMINA TERCIÁRIA C12 FISPQ 014 1 de 4 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: AMINA TERCIÁRIA C12 Fornecedor: Multichemie Indústria e Comércio de Produtos Químicos Ltda. R. Howard Archibald

Leia mais

Grill. Detergente desincrustante alcalino para remoção de gordura carbonizada.

Grill. Detergente desincrustante alcalino para remoção de gordura carbonizada. Grill Detergente desincrustante alcalino para remoção de gordura carbonizada. Alto poder de limpeza A composição de Suma Grill confere-lhe a propriedade de remover com eficiência sujidades provenientes

Leia mais