As dores de cabeça de um Oficial de Justiça Ai! Acho que agora acabou...

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As dores de cabeça de um Oficial de Justiça Ai! Acho que agora acabou..."

Transcrição

1 ASSOCIAÇÃO DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Filiada à FOJEBRA, FESPESP e ANSJ Órgão oficial da Associação dos Oficiais de Justiça do Estado de São Paulo Presidente: Yvone Barreiros Moreira Ano 24 - Agosto n o 37 As dores de cabeça de um Oficial de Justiça Ai! Acho que agora acabou... REFORMA SINDICAL DO LULA DESTAQUES A luta pelos valores das diligências Lei do IPI continua sendo um objetivo AOJESP integra Pró-conselho do SINP A luta por alterações no PCC do Tribunal Reajuste de 3,12% Valor das diligências defasados Síndrome do Pânico Ad Hoc s Insultos Agressões PCC do TJ SP PREV A verdade sobre o Oficial Avaliador A Frente Parlamentar em Defesa dos Servidores e do Poder Judiciário Entendendo a Reforma Política Oficiais de Justiça, Escreventes e Auxiliares Judiciários: Associem-se à AOJESP para integrar AÇÕES JUDICIAIS COLETIVAS REDUÇÃO DE 16% EM SEGURO: A AOJESP acaba de assinar novo convênio de seguro de vida com a Porto Seguro, com valores 16% menores que a Bradesco Seguros. Faça sua inscrição para o futuro contrato de seguros para os carros. Falar com Rosa e Sr. João (11) ramal 14 e 28 ou pelo Questões críticas da Central de Mandados Uma Reforma Sindical pró-centrais Oficial de Justiça agredido Aylton Bekes Cezar, vice-presidente da AOJESP, foi atacado dentro da Fundação CASA - antiga FEBEM). A SPPREV passou na Assembléia Legislativa, mas sem o autoritarismo que o governo queria Foram dois meses de protestos, mobilização, vigília, estudos e propostas de mudanças no projeto original governista, com sugestões viáveis e constitucionais, as quais - pela pressão exercida sobre os deputados - acabaram por prevalecer.

2 Editorial 2 DILIGÊNCIAS: a luta da AOJESP junto à Corregedoria As Entidades que representam os servidores do Judiciário paulista receberam com indignação o índice de reposição salarial de 3,12% publicado em 26/6, no Diário Oficial. Este percentual era aguardado desde 1º de março, dia em que foi fixada a Data-base para o Judiciário.. No começo deste ano, após reunião com a presidência, o próprio Tribunal de Justiça anunciou um índice de defasagem de 4,62%, desprezando 20 meses devidos e não considerando o período de abril/2002 a fevereiro/2004. Os mesmo cálculos feitos pelo departamento financeiro da AOJESP comprovam que para repor a defasagem salarial dos servidores públicos, o TJ deveria aplicar um índice de reposição superior a 30%. É inacreditável a omissão e a indiferença dos donos do Poder em relação à perda de poder aquisitivo dos servidores públicos do Judiciário. Enquanto eles nos dão essa Tribuna Judiciária - Agosto n o 37 Se o destinatário da ordem Judicial não for encontrado no 1º endereço e houver necessidade de o Oficial de Justiça se dirigir a um segundo endereço, que não seja vizinho do primeiro, as despesas corresponderão a mais um ato. Portanto dois atos, vez que não se trata de endereço vizinho. O Oficial de Justiça gastou seu tempo e teve despesas de deslocamento e locomoção, além do que, ele foi e voltou à pé, ou usando o seu carro, bem de família. A Associação entende que esta estória de 10 km é inaceitável e já declarou ao Corregedor Geral e ao Presidente do Tribunal de Justiça que os Oficiais de Justiça não podem continuar a diligenciar por apenas R$ 7,34 (no caso de Justiça gratuita), com valores inferiores aos R$ 14,79 (capital) e R$ 11,84 (interior). As mesmas distâncias percorridas pelo Oficial do cível também percorrem os Oficiais lotados nas Varas Criminais. Não se pode aceitar os ditames equivocados da Corregedoria Geral. O provimento que regulamenta o assunto é nº 50 de Cabe aos Juízes auxiliares e assessores se atualizarem para o fato de que, hoje, tramitam 17 milhões de processos e de que existem outras bases de cálculos diferenciadas do MVR, de 1º de novembro de 1985 (10,79% e 8,89% do MVR). Com R$ 7,34, o reembolso é absolutamente insuficiente para bem executar os mandados. Entendemos que o critério de indenização e de reembolso tem que ser, necessariamente, pelas distâncias percorridas, ou seja, por quilometragem e por endereços, para ir e voltar. A Corregedoria Geral tem a desfaçatez de determinar que não se reembolse a volta do Oficial, que muitas vezes, se locomove 30 km, 50 km, 70 km e até 100 km só para atingir zonas rurais. E mais: Obriga os Oficiais a diligenciar em duas, três Comarcas, distantes uma da outra. Não aceitamos o critério de que até 10 km, conte-se apenas um só ato. Se o Oficial percorreu dois, três ou quatro endereços, distantes um do outro, serão duas, três e quatro diligências a serem reembolsadas, não importando se a diligência é cível ou criminal. Existem comarcas cuja zona urbana não atinge 10 km. Se o Oficial de Justiça percorrer vários endereços, distantes um do outro, não pode ser indenizado somente por um ato, mas por todos os endereços percorridos. A AOJESP esteve reunida com o Corregedor Geral, Desembargador Gilberto Passos de Freitas e com a Drª Carmen Lucia da Silva, expondo-lhes 3,12%, índice insuficiente e ofensivo migalha, tramita na Assembléia o projeto de lei nº 10/07, que eleva o salário dos magistrados para 22 mil, protestou a presidente Yvone. Este é o comunicado do TJ A Presidência do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo comunica a todos os seus servidores o encaminhamento ao Órgão Especial da proposta de reposição salarial de 3,12%, correspondente à variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) no período de março de 2006 a fevereiro de O índice resulta de intensas negociações da Presidência do Tribunal com o Poder Executivo estadual para suplementação do orçamento vigente, uma vez que a proposta original do Tribunal foi reduzida quando da sua aprovação. O percentual aprovado será aplicado sobre a totalidade dos vencimentos e é retroativo a março passado. O pagamento de todos os essas teses. O preço do combustível é o mesmo para todos e a natureza da função é idêntica para todos. Logo, necessário se faz a reposição das perdas nas diligências e a padronização da indenização com critérios e valores iguais para todos os Oficiais, das Comarcas e da Capital. A AOJESP calculou o reajuste dos combustíveis e atualizou pela taxa SELIC. O resultado foi: R$ 17,98 para o Cível e R$ 14,39 para a justiça gratuita, porém a Corregedoria não respondeu. Esperando que todos os Oficiais passem a trabalhar por quilometragem e por endereços, sem o quê a Corregedoria e o Tribunal continuarão glosando as diligências para sobrar dinheiro, que alguém, presume-se, esteja interessado. A AOJESP está tomando providências junto ao Conselho Nacional de Justiça. Um caso de Fernandópolis comprova o interesse que alguns Juízes corregedores, quando fazem correição nos cartórios vão direto aos mapas dos Oficiais. E as falhas cartorárias? E a falta de condições de trabalho? Quem responde por elas? E os servidores que adquirem doenças no trabalho? Yvone Barreiros Moreira Presidente da AOJESP valores devidos desde 1º de março, por conta da reposição, ocorrerá no dia 30 de julho do corrente. O Tribunal prepara proposta orçamentária para 2008, incluindo a previsão de reposição salarial do próximo ano, além de insistir na consignação de recursos para amortização do passivo com os servidores. O TJ informou que a reposição incide na Gratificação Judiciária. Os novos coeficientes devem ser multiplicados por 445,42 (este valor é o mesmo para todas as categorias e corresponde a 2 x a referência 12 da escala de vencimentos de cargos em comissão), resultando na Gratificação Judiciária. No caso de um Oficial de Justiça, os vencimentos iniciais vão para R$ 2.981,72. Veja no site da AOJESP (www. aojesp.org.br/tabela_reajustes. html) uma tabela completa com os valores de cada categoria. ASSOCIAÇÃO DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO TRIBUNA JUDICIÁRIA Órgão Oficial da Associação dos Oficiais de Justiça do Estado de São Paulo Sede Própria: Rua Tabatinguera, o andar CEP São Paulo - SP Fone/Fax: (011) (011) (011) Diretoria Executiva Yvone Barreiros Moreira Presidente Aylton Bekes Cezar 1 o Vice-Presidente Doroti de Oliveira Moreira 2 a Vice-Presidente Jane Monteiro da Costa Secretária Geral Maria da Glória Novaes 1 a Secretária Enizal Vieira: 2 o Secretário Oton José Batista da Silva Tesoureiro Geral Jonas Barbosa 1 o Tesoureiro Abidala Ascar: 2 o Tesoureiro Conselho Fiscal Eduardo Romeiro Atahualpa H. Tomaz de Aquino Acácio Simões dos Santos Mário Medeiros Neto Benvindo Marques Carneiro Norma Maria de O. Pereira Sonia Maria de Sá Macedo Conselho Regional Luiz Orlando P. Frasson Aparecido de O. Camargo Luis Cláudio Reineri Ramos Valdemir Aparecido Castilho Antonio Luis Maximino José Rodrigues Sergio Ramos Aiello Jornalista Responsável: João Paulo Rodrigues s - MTE 977 Fotografia: Edilson A. Silva Arte e Diagramação: Silvio Ramos Jr./Teor Comunicações Tiragem:

3 AOJESP em Ação Reunião com vice-presidente do TJ reforça pauta de reivindicações vice-presidente do Tribunal de O Justiça do Estado de São Paulo, Des. Caio Eduardo Canguçu de Almeida, recebeu, dia 17/7, a presidente da AOJESP para uma reunião. Yvone Barreiros recorreu ao magistrado para pedir apoio às reivindicações já levadas ao presidente Des. Celso Luis Limongi e ao corregedor geral Des. Gilberto Passos Freitas. Yvone alertou para o grande número de funcionários que estão contraindo doenças funcionais e para os riscos da profissão do Oficial de Justiça. Alguns deles já foram ameaçados diversas vezes. E o Estado não oferece condições dignas de trabalho, completou. A presidente pediu que o sistema de diligências voltasse a ser como acontecia. O advogado pagava as despesas das diligências e o Oficial, portando a guia de depósito (GRDs), sacava o reembolso depositado pela parte, sem que tivesse seu mapa glosado pelos cartorários. Desde que a Corregedoria começou a fazer correições nas comarcas e foruns regionais, os Oficiais de Justiça passaram a sofrer ofensas e serem discriminados, criticou a presidente da AOJESP. O desembargador Canguçu demonstrou não conhecer parte dos problemas apresentados, mas interessou-se em buscar mais informações sobre os mesmos. Ele solicitou que a Entidade apresentasse uma pauta de reivindicações para que sejam discutidas junto ao Conselho da Magistratura. Ao que parece, a senhora está coberta de razão. Traga documentos esclarecendo como eram feitos os paga- A presidente Yvone Barreiros reiterou a urgência para a solução de diversos problemas que afligem os Oficiais de Justiça e obteve a atenção do Desembargador Caio Canguçu, que também é membro do Conselho Superior da Magistratura. mentos das guias e como a senhora pleiteia que sejam futuramente, solicitou Canguçu. Yvone também pediu ao desembargador que estudasse uma possibilidade que permita aos Oficiais de Justiça adquirir carros mais baratos, da mesma maneira que faz o Tribunal de Justiça ao adquirir sua frota para Juízes. Ela aproveitou a oportunidade para reiterar a necessidade de que os Oficiais de Justiça sejam pagos pela Avaliação e cobrou mais informações sobre os boatos da Central de Mandados. AOJESP não desiste do Projeto de Lei do IPI Projeto de lei do deputado Márcio França, ex-oficial de Justiça, é bandeira unificada para a classe em todo o Brasil Associação dá outra arrancada A com mais um Projeto de Lei em Brasília. Renovam as chances para que os Oficiais de Justiça adquiram carros com a isenção do imposto sobre produtos industrializados (IPI). O ex-oficial de Justiça Márcio França, eleito deputado federal, atendeu à reivindicação da Associação dos Oficiais de Justiça do Estado de São Paulo (AOJESP) e apresentou o Projeto de Lei nº 418/07 em benefício da classe na área federal. Causa espanto o fato dos oficiais de Justiça não disporem de veículo oficial para o cumprimento de mandados. É fato público e notório que esses servidores utilizam o veículo particular porque o Poder Público não o fornece, explica o deputado. A proposição altera a Lei nº de 24 de fevereiro de 1995, modificada pela Lei nº , de 31 de outubro de 2003, para estender a isenção do IPI aos veículos utilizados pelos oficiais de justiça usados em serviço. Um projeto de lei semelhante chegou a ser apresentado na Câmara Federal, com nº 81/99, tendo sido aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça, que opinou pela constitucionalidade, juridicidade, técnica legislativa, legalidade e, no mérito, pela aprovação. Entretanto, o deputado relator, de Pernambuco, argüiu que os Oficiais de Justiça não dariam a mesma contrapartida que os taxistas oferecem à sociedade. Isso prejudicou o PL. Onde já se viu, dizer que os Oficiais de Justiça não desempenham um papel social. A categoria, além de ser o braço direito do Judiciário na base da sociedade, não cobra a corrida e não visa lucro, como fazem os taxistas contestou a presidente da AOJESP. Agora, mais do que nunca, os Oficiais de Justiça dos 27 estados do Brasil precisam atuar unidos para a aprovação de leis de seu interesse, já que os Tribunais de Justiça estaduais têm ouvidos de mercador. Os Oficiais, junto aos parlamentares de seus estados, de seus senadores, se efetivamente atuarem em conjunto, conquistarão seus direitos, afirmou Yvone. Um parlamentar que dignifica a classe política e o Congresso Nacional Deputado Márcio França é entrevistado pela presidente Yvone para o Programa Tribuna Judiciária, que pode ser visto na íntegra no site da AOJESP, seção de vídeos. O deputado Márcio França está sendo considerado um dos mais influentes do Congresso Nacional, segundo o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP). Com excelente trânsito no Palácio do Planalto, o deputado tem se destacado como articulador dos principais temas sociais e do funcionalismo. Não é a primeira vez que Márcio França tem seu trabalho reconhecido. Durante a administração de São Vicente, ele foi considerado um dos cinco melhores prefeitos do Brasil. Tribuna Judiciária - Agosto n o 37 3

4 AOJESP em Ação Associação dos Oficiais de A Justiça do Estado de São Paulo (AOJESP) protocolou reclamação disciplinar no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em Brasília, contra o Tribunal de Justiça de São Paulo para impedir a nomeação de Oficiais de Justiça ad hoc s. O termo corresponde à nomeação de qualquer pessoa para suprir as carências de funcionários no Poder Judiciário. São pessoas que não fizeram concurso público ou sequer passaram por algum tipo de avaliação antes de assumir função de cargo efetivo. A AOJESP alega que os servidores nomeados como Oficiais de Justiça ad hoc não possuem qualquer qualificação para o exercício da função. Eles não têm conhecimentos técnicos a respeito da legislação processual. Na maioria dos casos eles nem seriam capazes de passar num concurso público para ocupar vaga de titular de cargo efetivo. É Tribunal de Justiça do Estado O de São Paulo anunciou convênio firmado com o Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (CRECI-SP) para realizar cursos de qualificação para Oficiais de Justiça. Desde a vigência da Lei /06, os Oficiais de Justiça assumiram a incumbência de efetuar as avaliações de bens penhorados em processos de execução. A novidade veio a partir da reivindicação da AOJESP, que por diversas vezes reiterou ao alto escalão do TJ que a classe necessitava de aperfeiçoamento e de remuneração pelo acúmulo de serviço. Apesar do pedido, apenas uma parte foi atendida. Além de não pagar pela avaliação, o curso abrange apenas o mercado imobiliário. A lei foi injusta com os oficiais de justiça. Teremos que trabalhar muito AOJESP recorre ao CNJ contra ad hoc s inadmissível admitir-se alguém para trabalhar num Poder, sem vínculo empregatício, nomeando-se trabalhador do Executivo municipal, autor das ações. Aliás, isto é imoral afirmou Yvone Barreiros Moreira, presidente da AOJESP. De acordo com a Constituição Federal o acesso aos cargos, empregos e funções públicas deve ser feito por meio de concurso de provas ou de provas e títulos, ressalvando as nomeações a cargo de comissão, que requerem lei própria. Tais princípios são desconsiderados pelo Tribunal de Justiça, que firma convênios inconstitucionais e absorve funcionários de prefeituras em seu quadro de pessoal, concedendo-lhes atribuições de alta responsabilidade. A comarca de Taboão da Serra é um dos casos mais evidentes dessa infração constitucional. São 10 Ad hoc s trabalhando como se fossem Oficiais de Justiça, fazendo citações, prisões, penhoras, arrestos e mais Até que enfim, saiu o curso de avaliação. Agora, falta pagar por ela mais, sem receber por isso. A classe merecia ser ouvida, pois iríamos reivindicar uma remuneração por esse trabalho, ou quando muito que o juiz arbitrasse um valor por esse trabalho, a ser pago pelas partes. Sem remuneração não dá!, afirmou Yvone Barreiros, presidente da Entidade. O Tribunal acredita que o curso proporcionará aos oficiais um conhecimento detalhado do mercado imobiliário, agilizando as avaliações e, em conseqüência, o trâmite dos processos. No entanto, o TJ não tem sinalizado positivamente quando o assunto é remuneração. Na última reunião com a Corregedoria Geral, o Desembargador Gilberto Passos Freitas e a Juíza assessora Drª Carmen Lucia da Silva afirmaram que para atender a reivindicação da Entidade, a Assembléia Legislativa teria que aprovar uma Lei estadual diligências próprias do ofício. É um completo descumprimento da Constituição Federal e das leis que regulamentam a profissão completou Yvone. A Lei Complementar nº 516/87, anterior à CF já exigia um complexo procedimento administrativo para admissão de Oficiais de Justiça. O Judiciário paulista vem tomando essa atitude para tentar amenizar os efeitos da falta de pessoal, que chega a 15 mil. Em alguns casos, há Oficial de Justiça trabalhando por três, sendo submetidos às ordens de mais de um Juiz para atender a demanda de processos. A única maneira de solucionar o problema seria a realização de concursos públicos para suprir os cargos vagos. Mas, o presidente do Tribunal de Justiça, Des. Celso Luiz Limongi, alega que não há verba e o impasse continua. A Entidade já acionou o CNJ e aguarda uma manifestação do Ministro Corregedor do órgão sobre a matéria. regulamentando o pagamento pela Avaliação. A Entidade, inconformada com o posicionamento, diz que trata-se de má vontade do Tribunal de Justiça e elenca o exemplo de outros estados onde o impasse foi resolvido com dispositivos administrativos internos do Judiciário. A situação dos Oficiais de Justiça do Paraná foi resolvida com um Provimento. Porque em São Paulo não poderíamos fazer o mesmo? Não é o Estado que vai arcar com o ônus argumentou Yvone. Nos termos do convênio, o CRECI-SP disponibilizará, sem ônus, o curso prático de avaliação de imóveis aos Oficiais. A AOJESP reitera instrução para que a avaliação seja feita na forma de Laudo, cujo modelo pode ser acessado no site (www.aojesp.org. br/laudo_avaliacao.htm) Judiciário paulista e governo anunciam gastos de R$ 141,3 milhões em fóruns O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Celso Luiz Limongi, o governador de São Paulo, José Serra, e o secretário da Justiça e da Defesa da Cidadania, Luiz Antonio Marrey, apresentaram (19/7) um pacote de construção, reforma e ampliação de 37 fóruns no Estado. A previsão é de que mais de 80% das obras anunciadas pelo governador sejam finalizadas até o final de Indagamos: E as dívidas funcionais, das quais o TJ é devedor, como férias, FAM, licença-prêmio, precatórios etc.?! Quando haverá investimento para quitá-las?! Opinião da AOJESP Oficiais de Justiça indignados O Desembargador José Renato Nalini, em entrevista ao Conjur, acusa o Judiciário de usar estafetas para entregar mensagens. O desembargador é um intelectual da magistratura que tem coragem de expor as mazelas do Poder Judiciário. Entretanto, não deveria ofender os servidores do Judiciário, sem os quais jamais teria feito a carreira brilhante que fez. Graças à força de trabalho, dedicação, desempenho e eficiência dos servidores é que Juízes substitutos chegam a ser titulares, desembargadores e ministros dos tribunais superiores. Graças à dedicação dos Oficiais de Justiça é que eles, na tranqüilidade dos seus gabinetes, estudam e recebem promoções. Enquanto os Oficiais de Justiça sacrificam o seu descanso, os feriados, sábados, domingos e a companhia da própria família, os Juízes e Desembargadores têm vida tranqüila, com ótimos vencimentos, podendo ostentar bom padrão financeiro. A tecnologia e a informática, se aplicadas no Poder Judiciário, obviamente, agilizarão muitos procedimentos. O processo eletrônico virtual é uma maravilha. Porém, até onde ele pode chegar? Existe monopólio maior que o da magistratura? Basta constatar as péssimas condições de trabalho dos servidores, rodeados de baratas e de ácaros, com apenas 30 minutos para o lanche. É um Poder tão despreparado e mal administrado que sequer paga os direitos funcionais dos servidores (férias, licença-prêmio, juros e correção monetária dos vencimentos, FAM-precatórios etc). Ademais, administrar um Tribunal com apenas mil ou dois mil servidores não é difícil. Como foi o caso do Desembargador em questão que já presidiu o Tribunal de Alçada. O TJ-SP conta com mais de 45 mil servidores, cuja maioria está profundamente insatisfeita com a omissão dos Poderes. Lamentavelmente, quando se aproximam as eleições no Tribunal de Justiça, tudo se pode esperar. Até mesmo a ofensa dos donos do Poder, inclusive de alguns Juízes, que não respeitam os funcionários. 4 Tribuna Judiciária - Agosto n o 37

5 Notícias Juiz Assessor da presidência do Tribunal alerta para mudanças no Plano de Cargos e Carreiras Data-base e a criação do Plano de Cargos e Carreiras para A os servidores públicos do Judiciário foram objetos de discussão entre o presidente do Tribunal de Justiça, Des. Celso Luiz Limongi e o Governador José Serra. A informação veio do Juiz assessor Ronnie Herbert Barros Soares, com quem a Entidade se reuniu (12/6). Os dois assuntos da pauta foram muito discutidos, sem que se chegasse a um acordo. No entanto, com a aprovação da São Paulo Previdência, eles ganharam destaque. A Data-base, por ser o segundo ponto mais importante da pauta reivindicatória, foi parcialmente resolvida dias depois. Já a discussão do Plano de Cargos e Carreiras (PCC) ganha força pela recente mudança na legislação que incluiu mais de 20 mil servidores contratados nos termos da Lei 500/74 no quadro de efetivos do Judiciário paulista, conforme a Lei Complementar 1010/07. Nós vamos tentar inserir um artigo semelhante ao da São Paulo Previdência ou algo que faça menção à Lei que agrega esses funcionários, esclareceu Ronnie Soares. O Tribunal de Justiça contratou quase 60 novos funcionários, entre psicólogos e assistentes sociais, que ficarão fora da nova autarquia, indo para o INSS. Ora admitido não será segurado do RPPS, instituído pela Lei Complementar nº 1010/2007 escreve o texto publicado no Diário Oficial. Dr. Ronnie esclareceu que essa questão pode ser discutida administrativamente, mas disse não poder tomar providências quanto a isso. Segundo ele, a Comissão de Organização Judiciária do TJ aprovou um projeto que cria novos cargos, tanto para contratação de novos funcionários quanto para a efetivação dos novos Lei 500/74. Oficiais de Justiça poderão receber Palm Top Yvone Barreiros Moreira, presidente da AOJESP, aproveitou a oportunidade para cobrar os computadores na sala dos Oficiais, como prometeu o presidente do Tribunal de Justiça. Se ainda não chegaram, vão chegar! É um projeto do Tribunal de Justiça, inclusive, que os Oficiais diligenciem com Palm Tops, como já acontece com os Oficiais de Justiça federais respondeu o Juiz assessor. Yvone cobrou a equiparação nos valores das diligências e o mesmo tratamento oferecido aos Juízes no cálculo salarial. Com uma resolução do Conselho Nacional da Justiça, os magistrados recebem 90,25% do teto salarial dos ministros. Hugo Coviello (ASSOJUBS) aderiu à reivindicação e cobrou para os Oficiais de Justiça direitos iguais aos dos Juízes que acumulam em mais de uma Vara ou trabalham em feriados. Cada dia de serviço no plantão judiciário, na Justiça Eleitoral ou em concursos, equivalerá a dois dias de folga. Nos juizados especiais, para cada grupo de quatro sentenças proferidas, o juiz terá direito a um dia de crédito. É acumulo de função. Nós queremos que haja isonomia no tratamento dos Oficiais de Justiça, tal qual dos Juizes, completou Yvone. Greve de 2004 A presidente da AASPTJ, Dayse Cesar Franco Bernardi, questionou a notícia de que uma entidade teria conquistado uma ação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para pagar dois meses dos que participaram da greve de 91 dias em Uma completa inverdade. Vocês não fazem idéia dos transtornos que tivemos com pessoas ligando pra saber se era verdade, contou o Juiz Ronnie. Yvone reiterou seu pedido para que os funcionários possam repor os dias parados por ocasião da greve e ter de volta seu dinheiro retido. Mas, sobre isso, Dr. Ronnie esclareceu que até essa decisão passa pelas mãos do atual governador: É quase impossível que isso aconteça, pois não temos verba, adiantou. Yvone acredita que se o presidente do TJ na época, Desembargador Elias Tâmbara, aceitou que a greve fosse além dos 30 dias, sem punir os funcionários parados com demissão, foi porque ele reconheceu o direito de greve que perdurou por 91 dias. Na ação promovida pelo Ministério Público contra as entidades, o Juiz sentenciou que a greve é um direito que assiste ao trabalhador público. Logo, não há de se penalizar alguém que exerce um direito Constitucional, completou. Calote à vista Um projeto que tramita em Brasília poderá limitar o repasse de verbas destinadas ao pagamento de precatórios devidos pelos governos. A proposta criada pelo senador Renan Calheiros deve intensificar os conflitos entre o Estado caloteiro e seus credores, servidores públicos. O que para muitos advogados pode parecer uma inovação, na realidade, é um verdadeiro calote criado para beneficiar o Estado e privilegiar oportunistas. Os Precatórios são dívidas de origem pública, quando o governo, por meio da Fazenda Pública, é condenado em processo judicial, para valores que ultrapassem 60 salários mínimos por beneficiário. No caso do Judiciário paulista, segundo a assessoria do presidente do Tribunal de Justiça, Celso Luiz Limongi, a dívida ultrapassaria os R$ 2 bilhões. Muitos servidores públicos que têm precatórios a receber, estão morrendo por problemas de saúde, sem ver a cor do dinheiro. Com a aprovação da PEC 12, é provável que muitos credores continuem na mesma situação. O problema ocorre exclusivamente por indiferença dos governantes, que não respeitam as condenações Judiciais. Os três Poderes - Executivo, Legislativo e Judiciário - agindo em conivência buscam soluções para não pagar o que devem, criando dispositivos legislativos que amenizem a situação em detrimento da sociedade e do serviço público. A proposta limita o pagamento de precatórios na base de 3% da despesa líquida para a União e estados, e de 1,5% para municípios. Desses 3%, 70% serão destinados a pagamentos de credores habilitados em leilão, privilegiando aqueles que oferecerem deságios maiores. Isso significa que aqueles credores que aceitarem receber menos do que é devido pelo Estado terá o privilégio de receber antes dos demais. No entanto, uma quantia bem inferior. Os outros 30% serão destinados aos credores não habilitados no leilão, que serão pagos na ordem crescente de valores dos precatórios: quanto menor o valor, mais cedo receberá o credor. Para o restante dos credores, o projeto explicita um vergonhoso calote do Estado. Cobrança no Legislativo A AOJESP enviou correspondência a todos os deputados estaduais de São Paulo para cobrar apoio nas seguintes proposições: Emenda nº3, ao PLC nº 43 /2005 (assegura a permanência do Regime Especial de Trabalho Judicial - RETJ, 150%); Projeto de Lei nº 25/2006 (inclui os Oficiais de Justiça paulistas na Escala de Vencimentos do nível universitário); Projeto de Lei nº 512/2004 (dispõe sobre a destinação de dependências para Oficiais de Justiça nos Fóruns); e Projeto de Lei nº 479/2004 (dispõe sobre a reposição salarial de 26,39%, nos termos do inciso X do artigo 37 da Constituição Federal). Escreventes e Auxiliares Judiciários: Fazer greve ou apenas cruzar os braços? Quantos são os Servidores indispensáveis ao funcionamento do Judiciário de São Paulo? 40 mil? Sem eles não há audiências, o processo não tramita e o Juiz não trabalha. São funcionários muito mal remunerados pela importância que têm. São os Oficiais de Justiça, os Escreventes (muitos deles despacham e sentenciam) e os Auxiliares Judiciários. Na Justiça Federal, os mesmos cargos recebem salários dobrados. Que tal experimentarmos cruzar os braços? Até que nos paguem a perda salarial e equiparem nossos vencimentos aos Federais? Tribuna Judiciária - Agosto n o 37 5

6 Presidência Itinerante 6 AOJESP defende direito dos Oficiais de Justiça em Guarulhos Guarulhos Diretores da AJESPse reuniram com o Juiz Diretor do Forum de Guarulhos, Dr. Regis de Castilho Barbosa Júnior (na foto, à direita) e o Juiz Dr. Jaime Garcia dos Santos, titular das Execuções Criminais. A diretoria da AOJESP foi à comarca de Guarulhos para representar os Oficiais de Justiça locais numa reunião com o Juiz Dr. Jaime Garcia dos Santos, titular das Execuções Criminais, na qual foi discutida a correição feita pela Corregedoria, que prejudicou o reembolso das diligências. O magistrado contou que chamou representantes do Tribunal para solicitar que sua Vara fosse suprida com Oficiais de Justiça próprios, para cumprir suas diligências. Ao invés de atender ao pedido, a Corregedoria, utilizando-se de pareceres conservadores e desatualizados, fez uma correição que resultou na diminuição do número de atos reembolsados e na revolta dos Oficiais. Colega contou que durante a correição, a representante da Corregedoria que atende pelo nome de Ana Lúcia pressionou a diretora de cartório, dizendo que ela seria cúmplice se não cortasse os atos de acordo com a sua orientação. Nós sempre tivemos a certeza que aquela era a maneira certa de pagar contou a oficiala, que ganhou o reforço do magistrado eu nunca, em momento algum, desconfiei da idoneidade dos senhores (...) eu também pensei que fosse de outra forma, concluiu. A diretoria da AOJESP, presente no encontro, questionou a coerência dos pareceres e destacou algumas das péssimas condições nas quais os Oficiais de Justiça são obrigados a trabalhar. De acordo com a presidenta da Entidade, o reembolso de diligências tem natureza indenizatória e da maneira como a Corregedoria cuida do assunto, ela reduz os vencimentos dos Oficiais. Além disso, ela defendeu a equiparação de reembolso de Tribuna Judiciária - Agosto n o 37 diligências, seja para quem trabalha na Justiça Gratuita, seja para quem trabalha no Cível. Outro assunto abordado pela presidente foi a proximidade com a Data-Base. Após a reunião, a diretoria da AOJESP foi ao encontro do Juiz Diretor do Forum de Guarulhos, Dr. Regis de Castilho Barbosa Jr., para peticionar que seja reservada uma sala para que os Oficiais de Justiça da comarca possam trabalhar. O antigo espaço que eles utilizavam no Forum é ocupado, hoje, pela OAB e pelo Ministério público. Mostrando-se bastante complacente com as reivindicações da categoria o magistrado disse conhecer algumas delas e ser a favor do nível universitário para os Oficiais de Justiça. Sobre a sala, esclareceu que não há espaço hábil para destinar aos Oficiais de Justiça, mas defendeu que cada cartório do Estado tenha, no mínimo, duas mesas equipadas com computadores para que os Oficiais de Justiça possam elaborar suas certidões. Ele defendeu, também, que todo o dinheiro das custas Judiciais fique no próprio Judiciário. Se as custas forem destinadas integralmente ao Judiciário, ele terá condições de fazer investimentos muito mais eloqüentes, afirmou Dr. Regis. De acordo com Yvone, o encontro com o Juiz Diretor foi bastante construtivo e descontraído. A presidente levantou a tese dos 90,25% de vencimentos sobre o teto do Poder Judiciário, afirmando que o mesmo critério deveria ser aplicado aos servidores do Judiciário. Se os servidores do Judiciário, Juízes e Desembargadores do Estado têm os seus vencimentos baseados no teto de R$ ,00, o mesmo critério deve ser aplicado aos Oficiais de Justiça, escreventes e demais servidores, isto é, 90,25% sobre o maior vencimento do superior hierárquico, contou. Yvone exemplificou ainda sobre as cotas de produtividade pagas pela Fazenda Pública aos Oficiais lotados nas Execuções Fiscais do Estado que devem ser extensivas aos demais Oficiais. Baixa participação, mas muito conteúdo em reunião no Fórum da Barra Funda A diretoria da AOJESP esteve reunida no começo do ano com os Oficiais de Justiça lotados na Barra Funda para ouvir dos colegas, quais são seus maiores problemas no exercício da função, debater as implicações que traria uma Central de Mandados e falar sobre as diligências. Os Oficiais de Justiça presentes descreveram situações constrangedoras nas visitas aos presídios e a desunião dos colegas como algumas das situações mais corriqueiras. Segundo uma colega, na cadeia III de Pinheiros (famoso cadeião) os Oficiais enfrentam os cachorros que vivem soltos, logo na entrada, e o risco de ficarem frente a frente com bandidos perigosos. Ela conta que eles ficam soltos de um jeito que é impossível diferenciar os carcereiros dos presidiários. Para cumprir os mandados, os Oficiais precisam gritar pelo nome do intimando, que muitas vezes nem aparece, ou contar com a rara boa vontade dos carcereiros. Tem um Oficial de Justiça que chega a usar megafone (...) O próprio Oficial de Justiça deprecia seu Barra Funda trabalho, acaba com nosso trabalho afirmou. A Oficiala contou que nas vezes que foi até o presídio, pediu que chamasse o preso e na recusa do carcereiro, ela ameaçou denunciá-lo, para que, só assim, pudesse continuar seu trabalho. Ela contou que chegou a ser mantida em cárcere privado e ameaçada por algumas horas por reagir ao descaso dos funcionários. A presidente da AOJESP, Yvone Barreiros Moreira, disponibilizou o jurídico da Entidade para que providencie ação Judicial que puna os responsáveis por tais desrespeitos ao Oficial de Justiça. Segundo ela, os Oficiais de Justiça e os advogados precisam se unir em torno do problema para que as condições de atendimento no presídio sejam melhoradas. Outro colega falou sobre as censuras dos Juízes que observam até o momento de descanso dos Oficiais e criticou a falta de união entre os colegas. Ele contou o caso de um Oficial de Justiça que teve um processo administrativo aberto porque não encontrou um endereço que não estava claro. Tem endereços que são difíceis de encontrar. Na Avenida Aricanduva, por exemplo, não dá para estacionar nem ir devagar. Fui obrigado a mapear todos os números, porque eles não seguem a ordem correta destacou o Oficial. Sobre a Central de Mandados, todos concordaram que São Paulo possui características únicas, incomparáveis com cidades menores como Rio de Janeiro e Porto Alegre. A primeira vigência de uma central no Estado foi lembrada entre eles pela corrupção e pelos reais interesses do Tribunal de Justiça que criaram cargos sem lei. Daí a AOJESP ter impetrado Mandado de Segurança e ter derrubado a Central, lembrou Yvone. O corte nas diligências foi bastante criticado o reembolso é de natureza é indenizatória, quando o mapa dá uma média de R$ 600, não reembolsa as despesas com um carro 1.0, seria, no mínimo R$ 800 (...) A Corregedoria com esse método de reembolso está provocando uma redução de vencimentos, afirmou Yvone. A Entidade defende a equiparação do criminal com o Cível, eu não entendo porque vocês que trabalham no criminal ainda não pararam, questionou a presidente. Essa situação é uma das que a AOJESP espera resolver. Oficiais do Forum João Mendes debatem Central de Mandados A diretoria da AOJESP e os Oficiais de Justiça lotados no Forum João Mendes se encontraram no Espaço Habeas Corpus para discutir as diligências e a central de mandados. O objetivo da Entidade foi ouvir o que os colegas têm para acrescentar à recente reunião conjunta realizada entre a Corregedoria, a Presidência do Tribunal e a AOJESP. A presidente da Entidade fez uma longa explanação sobre o resultado de reuniões passadas e alguns boatos que estão surgindo sobre a Central de Mandados. Um dos colegas presentes suscitou a política privatizante, como um dos motivos pelos quais estariam querendo implantar uma Central em São Paulo. Segundo ele, a economia que eles estão fazendo pôde ser observada quando eles tiraram os as-

DATA BASE 1º DE MARÇO DIRETORIA DO SINDICATO UNIÃO E O PRESIDENTE DO TJ

DATA BASE 1º DE MARÇO DIRETORIA DO SINDICATO UNIÃO E O PRESIDENTE DO TJ DATA BASE 1º DE MARÇO Já está previsto no orçamento de 6,8 bilhões para o ano de 2012, o cumprimento da DATA BASE, no indicativo de inflação período março/2011 a fevereiro de 2012, aproximadamente, 6%,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SETOR JURÍDICO DA ASSEMP

REGIMENTO INTERNO DO SETOR JURÍDICO DA ASSEMP REGIMENTO INTERNO DO DA ASSEMP O Setor Jurídico da ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE, doravante denominado Jurídico-ASSEMP, será regido de acordo com este regimento e

Leia mais

COMUNICADO LEGISLATIVO Nº 1/2013. Projetos de Lei e Trâmites 1ª quinzena de novembro/2013

COMUNICADO LEGISLATIVO Nº 1/2013. Projetos de Lei e Trâmites 1ª quinzena de novembro/2013 Matérias na Câmara PEC 185/2012 Acrescenta parágrafos ao art. 37 da Constituição Federal para estabelecer data certa para a revisão geral anual da remuneração dos servidores públicos e dá outras providências.

Leia mais

ESCLARECIMENTO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DA JORNADA DE 30 HORAS PARA ASSISTENTES SOCIAIS SEM REDUÇÃO SALARIAL

ESCLARECIMENTO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DA JORNADA DE 30 HORAS PARA ASSISTENTES SOCIAIS SEM REDUÇÃO SALARIAL ESCLARECIMENTO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DA JORNADA DE 30 HORAS PARA ASSISTENTES SOCIAIS SEM REDUÇÃO SALARIAL Desde a publicação da lei nº 12.317, de 27 de agosto de 2010, que estabeleceu a jornada de trabalho

Leia mais

, Prefeito Municipal de. FAÇO saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

, Prefeito Municipal de. FAÇO saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno, cria a Controladoria Municipal e dá outras providências., Prefeito Municipal de FAÇO saber a todos os habitantes deste Município

Leia mais

MENSAGEM Nº, de 2008.

MENSAGEM Nº, de 2008. MENSAGEM Nº, de 2008. = Tenho a honra de submeter à elevada consideração de Vossas Excelências o projeto de Lei anexo, que objetiva criar o Conselho Municipal Antidrogas COMAD. Um dos mais graves problemas

Leia mais

Comissão de Saúde da Câmara dos Vereadores do Rio questiona SMS e defende instalação de CPI para investigar desrespeito à Lei das OSs

Comissão de Saúde da Câmara dos Vereadores do Rio questiona SMS e defende instalação de CPI para investigar desrespeito à Lei das OSs Comissão de Saúde da Câmara dos Vereadores do Rio questiona SMS e defende instalação de CPI para investigar desrespeito à Lei das OSs O plenário da Câmara Municipal do Rio de Janeiro ficou lotado durante

Leia mais

EX. MO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA 1ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA, FALÊNCIA, CONCORDATAS E REGISTROS PÚBLICOS DA COMARCA DE CONTAGEM/MG.

EX. MO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA 1ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA, FALÊNCIA, CONCORDATAS E REGISTROS PÚBLICOS DA COMARCA DE CONTAGEM/MG. EX. MO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA 1ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA, FALÊNCIA, CONCORDATAS E REGISTROS PÚBLICOS DA COMARCA DE CONTAGEM/MG. PROCESSO: 007910 017400-6 / 0174006-57.2010.8.13.0079 JULIANA FERREIRA

Leia mais

EXMO DESEMBARGADOR DR. JOSÉ RENATO NALINI, PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO.

EXMO DESEMBARGADOR DR. JOSÉ RENATO NALINI, PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO. EXMO DESEMBARGADOR DR. JOSÉ RENATO NALINI, PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Ref. Pauta de Reivindicações. As Entidades Representativas dos Servidos Públicos do Poder Judiciário

Leia mais

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE Consulentes: Comércio de Bebidas Branco Ltda. Advogados: Nacir Sales Relator: Conselheiro Roberto Augusto Castellanos Pfeiffer EMENTA:

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO JURÍDICA Disciplina: Direito Comercial Tema: Recuperação Judicial Prof.: Alexandre Gialluca Data: 12/04/2007 RESUMO

CURSO DE ATUALIZAÇÃO JURÍDICA Disciplina: Direito Comercial Tema: Recuperação Judicial Prof.: Alexandre Gialluca Data: 12/04/2007 RESUMO RESUMO 1) Falência. Continuação. 1.1) Da realização ativo. Art. 108, Lei 11.101/05. O administrador Judicial providenciará a realização do ativo. Pode ser por: leilão; proposta fechada ou pregão O porduto

Leia mais

Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ

Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ É bom saber... LEI Nº 12.618, DE 30 DE ABRIL DE 2012. Institui o regime de previdência complementar para os servidores públicos federais titulares de

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral Abril 2013 TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Presidente Desembargadora Letícia De Faria Sardas Corregedor

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO Nº 002/PRES/OAB/RO RESOLVE:

RESOLUÇÃO DO CONSELHO Nº 002/PRES/OAB/RO RESOLVE: RESOLUÇÃO DO CONSELHO Nº 002/PRES/OAB/RO O CONSELHO SECCIONAL DO ESTADO DE RONDÔNIA DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, no uso de suas atribuições estatutárias, com base no que dispõe o art. 10, 1º da Lei

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Sr. Guilherme Campos) Dispõe sobre juros de mora e atualização monetária dos débitos judiciais. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta lei disciplina os juros de mora

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Conselho Nacional de Justiça Autos: PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS - 0006845-87.2014.2.00.0000 Requerente: ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS - AMB Requerido: CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA - CNJ Ementa: PEDIDO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli R E L A T Ó R I O A Exmª Des. Federal MARGARIDA CANTARELLI (Relatora): Cuida-se de mandado de segurança impetrado pelo MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL contra decisão do Juízo da 8ª Vara Federal do Rio Grande

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº Dispõe sobre a criação do Conselho de Ética Pública e estabelece medidas de transparência e controle de atos de agentes políticos, dirigentes, empregados e servidores públicos.

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Estado do Rio de Janeiro Procuradoria

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Estado do Rio de Janeiro Procuradoria EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SEÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, serviço público independente, dotado de personalidade jurídica e forma

Leia mais

COMUNICADO nº 033/2013. Aos: Senhores prefeitos, secretários dos municípios e executivos de Associações de Municípios.

COMUNICADO nº 033/2013. Aos: Senhores prefeitos, secretários dos municípios e executivos de Associações de Municípios. COMUNICADO nº 033/2013 Aos: Senhores prefeitos, secretários dos municípios e executivos de Associações de Municípios. Referente: Contribuição Sindical. A na busca de auxiliar os gestores públicos municipais

Leia mais

Art. 2º. Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação. JUSTIFICATIVA

Art. 2º. Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação. JUSTIFICATIVA PROJETO DE LEI DO SENADO Nº (COMPLEMENTAR) Altera o art. 66 da Lei Complementar nº 35, de 14 de março de 1979, que dispõe sobre a Lei Orgânica da Magistratura Nacional O Congresso Nacional decreta: Art.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO LEI Nº 1552, DE 18 DE AGOSTO DE 2011. Disciplina a dação em pagamento de obras, serviços e bem móvel como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Codó, prevista no inciso XI do artigo

Leia mais

0003/09-TJAP. LEI Nº. 1.377, DE 07 DE OUTUBRO DE

0003/09-TJAP. LEI Nº. 1.377, DE 07 DE OUTUBRO DE Referente ao Projeto de Lei nº 0003/09-TJAP. LEI Nº. 1.377, DE 07 DE OUTUBRO DE 2009. Publicada no Diário Oficial do Estado nº 4597, de 07/10/2009. Autor: Tribunal de Justiça do Estado do Amapá Altera

Leia mais

Sindicato dos Executores de Metrologia do Estado de São Paulo. GAZETA SIEMESP Junho 2015

Sindicato dos Executores de Metrologia do Estado de São Paulo. GAZETA SIEMESP Junho 2015 Sindicato dos Executores de Metrologia do Estado de São Paulo GAZETA SIEMESP Junho 2015 SIEMESP Sindicato dos Executores de Metrologia do Estado de São Paulo CNPJ: 50.680.719/0001-99 Fundado em 09.02.90

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 844/2009-TCE-Pleno

RESOLUÇÃO Nº 844/2009-TCE-Pleno RESOLUÇÃO Nº 844/2009-TCE-Pleno 1. Processo nº: 02856/2009 2. Classe de Assunto: Consulta 3. Entidade: Câmara Municipal de Dianópolis-To 4. Responsável: Reginaldo Rodrigues de Melo - Presidente 5. Relator:

Leia mais

- 2 - Olá, eu sou o. Zé Virtual. e estou aqui para tirar suas dúvidas quanto ao Juizado Central

- 2 - Olá, eu sou o. Zé Virtual. e estou aqui para tirar suas dúvidas quanto ao Juizado Central - 2 - Olá, eu sou o Zé Virtual e estou aqui para tirar suas dúvidas quanto ao Juizado Central - 3 - JUIZADO CENTRAL uma Justiça mais rápida e acessível O Juizado Central foi criado para solucionar, de

Leia mais

1 Prefeitura Municipal de Luís Eduardo Magalhães ESTADO DA BAHIA

1 Prefeitura Municipal de Luís Eduardo Magalhães ESTADO DA BAHIA A 1 CNPJ 04.214.41910001-05 DECRETO N 3.091, DE 05 DE JANEIRO DE 2014. "Dispõe sobre a estrutura organizacional da Procuradoria Geral do Município ". O PREFEITO MUNICIPAL DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES,, no

Leia mais

Câmara Municipal de Cubatão

Câmara Municipal de Cubatão 2 ATA DA 1ª SESSÃO EXTRAORDINÁRIA DO 2º ANO LEGISLATIVO DA 16ª LEGISLATURA REALIZADA EM 27 DE MAIO DE 2014 PRESIDÊNCIA - Sr. César da Silva Nascimento. SECRETARIAS - Sr. Fábio Alves Moreira e Sr. Ricardo

Leia mais

PROVIMENTO Nº 01/2012

PROVIMENTO Nº 01/2012 PROVIMENTO Nº 01/2012 EMENTA: Dispõe sobre os requisitos mínimos de segurança que deverão existir nos alvarás judiciais e dá outras providências. O CORREGEDOR-GERAL DA JUSTIÇA, Desembargador Jones Figueirêdo

Leia mais

PROVIMENTO nº 09/2007-CGJ

PROVIMENTO nº 09/2007-CGJ PROVIMENTO nº 09/2007-CGJ Dispõe sobre a nomeação de defensor dativo nas Comarcas onde não exista Defensoria Pública e dá outras providências atribuições legais, O CORREGEDOR-GERAL DA JUSTIÇA, no uso de

Leia mais

VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os autos identificados acima;

VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os autos identificados acima; e. 0 4 +Cre:S. 4.1A.,y1.0 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO BENEDITO DA SILVA ACÓRDÃO MANDADO DE SEGURANÇA N. 200.2009.006317-9/001 6" Vara Criminal

Leia mais

1 Informações diversas Projeto de Terceirização A Câmara dos Deputados concluiu dia 22/04 a votação do projeto de lei que regulamenta contratos de terceirização. O texto principal foi aprovado no último

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA. DECISÃO MONOCRÁTICA. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA REMESSA OFICIAL N. 200.2010.034-761-21001. ORIGEM : 2.a Vara da Fazenda Pública da Comarca da

Leia mais

ADVOGADOS DO BRASIL SEÇÃO MINAS GERAIS, contra o TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS em possível descumprimento de norma federal.

ADVOGADOS DO BRASIL SEÇÃO MINAS GERAIS, contra o TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS em possível descumprimento de norma federal. Autos: PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS 0001505 65.2014.2.00.0000 Requerente: ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SEÇÃO MINAS GERAIS e outros Requerido: CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS RELATÓRIO

Leia mais

https://www.cnj.jus.br/pjecnj/painel/painel_usuario/documentohtml... ACÓRDÃO

https://www.cnj.jus.br/pjecnj/painel/painel_usuario/documentohtml... ACÓRDÃO 1 de 8 23/04/2014 14:41 E M E N TA P R O C E D I M E N TO S D E C O N TR O L E A D M I N I S T R ATI V O. T R I B U N A L D E J U S T I Ç A D O E S TA D O D A B A H I A. CUMULAÇÃO DE DIÁRIAS COM INDENIZAÇÃO

Leia mais

2 - Qualquer pessoa pode reclamar seu direito nos Juizados Especiais Cíveis?

2 - Qualquer pessoa pode reclamar seu direito nos Juizados Especiais Cíveis? Tribunal de Justiça do Estado de Goiás Juizados Especias Perguntas mais freqüentes e suas respostas 1 - O que são os Juizados Especiais Cíveis? Os Juizados Especiais Cíveis são órgãos da Justiça (Poder

Leia mais

Telefone p/contato: 22159822

Telefone p/contato: 22159822 Telefone p/contato: 22159822 Apresentação Turma Especial aos Sábados CURSO DE FORMAÇÃO DE PERITO CONTÁBIL COM EXPERTISE FINANCEIRA O CURSO DE FORMAÇÃO DE PERITO CONTÁBIL COM EXPERTISE FINANCEIRA abordará

Leia mais

1 de 5 16/11/2011 08:20

1 de 5 16/11/2011 08:20 1 de 5 16/11/2011 08:20 Nome E-mail OK Quarta-Feira, 16 de Novembro de 2011 Palavra chave 2 de 5 16/11/2011 08:20 Home Artigos Biblioteca Revista Notícias Informativo Galeria de Fotos Humor Livro de Visitas

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/2013 SISTEMA: ADMINISTRATIVO ASSUNTO: CONCESSÃO DE DIÁRIAS E INDENIZAÇÃO POR DESPESAS DE TRANSPORTE

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/2013 SISTEMA: ADMINISTRATIVO ASSUNTO: CONCESSÃO DE DIÁRIAS E INDENIZAÇÃO POR DESPESAS DE TRANSPORTE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/2013 SISTEMA: ADMINISTRATIVO ASSUNTO: CONCESSÃO DE DIÁRIAS E INDENIZAÇÃO POR DESPESAS DE TRANSPORTE 1. Esta Instrução tem por objetivo estabelecer orientações e procedimentos

Leia mais

7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA

7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA 7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA Apelante: MUNICÍPIO DE CERRO AZUL Apelado: ESTADO DO PARANÁ Relator: Des. GUILHERME LUIZ GOMES APELAÇÃO CÍVEL AÇÃO ANULATÓRIA

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS Resultados dos estudos sobre a redução de taxas de juros praticadas por bancos públicos e privados. Orientações aos consumidores. Face aos diversos anúncios de redução de juros veiculados na mídia a partir

Leia mais

Associação dos Assistentes Jurídicos do Estado do Rio de Janeiro AASSIJUR Fundada em 13 de maio de 1963 RIO DE JANEIRO - ASSISTENTES JURÍDICOS

Associação dos Assistentes Jurídicos do Estado do Rio de Janeiro AASSIJUR Fundada em 13 de maio de 1963 RIO DE JANEIRO - ASSISTENTES JURÍDICOS RIO DE JANEIRO - ASSISTENTES JURÍDICOS Para incluir no site da ABRAP A Associação dos Assistentes Jurídicos do Estado do Rio de Janeiro -, com sede própria localizada na Travessa do Ouvidor n 8, 3 andar,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PRERROGATIVAS DA AMATRA XV

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PRERROGATIVAS DA AMATRA XV REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PRERROGATIVAS DA AMATRA XV CAPÍTULO I DAS ATRIBUIÇÕES Art. 1º. Compete à Comissão de Prerrogativas a efetivação prática do disposto no inciso III do artigo 2º do Estatuto

Leia mais

EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE ARQUITETOS E URBANISTAS PARA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA -CONVÊNIO DEFENSORIA PÚBLICA - CAU/SP

EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE ARQUITETOS E URBANISTAS PARA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA -CONVÊNIO DEFENSORIA PÚBLICA - CAU/SP EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE ARQUITETOS E URBANISTAS PARA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA -CONVÊNIO DEFENSORIA PÚBLICA - CAU/SP O Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo CAU/SP, nos termos do Convênio

Leia mais

15 de março de 2013. SIEMESP Sindicato dos Executores de Metrologia do Estado de

15 de março de 2013. SIEMESP Sindicato dos Executores de Metrologia do Estado de Sindicato dos Executores de Metrologia do Estado de São Paulo GAZETA SIEMESP 15 de março de 2013 SIEMESP Sindicato dos Executores de Metrologia do Estado de São Paulo CNPJ: 50.680.719/0001-99 Fundado em

Leia mais

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR, MEIO AMBIENTE E MINORIAS PROJETO DE LEI Nº 1.809, DE 1999

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR, MEIO AMBIENTE E MINORIAS PROJETO DE LEI Nº 1.809, DE 1999 COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR, MEIO AMBIENTE E MINORIAS PROJETO DE LEI Nº 1.809, DE 1999 (Apensado o Projeto de Lei nª 3.048, de 2000) Dispõe sobre a segurança nas transações bancárias efetuadas por

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Eduardo Gomes)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Eduardo Gomes) PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Eduardo Gomes) Acrescenta parágrafo único ao art. 23 da Lei nº 8.906, de 04 de Julho de 1994, que dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL PODER LEGISLATIVO

DIREITO CONSTITUCIONAL PODER LEGISLATIVO DIREITO CONSTITUCIONAL PODER LEGISLATIVO Atualizado em 03/11/2015 PODER LEGISLATIVO No plano federal temos o Congresso Nacional composto por duas casas (Câmara dos Deputados e Senado Federal). No âmbito

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA o. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO NQ 001.2010.006903-6/001 RELATOR : Desembargador João Alves da Silva AGRAVANTE

Leia mais

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM?

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? A Justiça Militar Estadual por força de expressa vedação contida no art. 125, 4º, da CF/88, não tem competência

Leia mais

GOVERNOS INTENSIFICAM ATAQUES AOS NOSSOS DIREITOS! A

GOVERNOS INTENSIFICAM ATAQUES AOS NOSSOS DIREITOS! A BOLETIM DA REDE Nº 97 08/04/2016 GOVERNOS INTENSIFICAM ATAQUES AOS NOSSOS DIREITOS! A nossa resposta deve ser na luta e com greve! A nossa indignação deve ultrapassar os muros das Escolas e UMEIs diante

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 5.423, DE 2009 Acrescenta dispositivo à Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, estabelecendo

Leia mais

Conselho da Justiça Federal

Conselho da Justiça Federal RESOLUÇÃO Nº 440, DE 30 DE MAIO DE 2005 Dispõe sobre o pagamento de honorários de advogados dativos, peritos, tradutores e intérpretes, em casos de assistência judiciária gratuita e disciplina os procedimentos

Leia mais

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014.

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. Regulamenta os procedimentos a serem adotados no âmbito da Justiça do Trabalho da 4ª Região em virtude da implantação do PJe- JT, revoga o Provimento

Leia mais

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador César Borges

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador César Borges PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, em decisão terminativa, ao Projeto de Lei da Câmara nº 281, de 2009 (Projeto de Lei nº 5.245, de 2009, na origem), do Presidente da

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br sato@sato.adm.br fone/fax (11) 4742-6674 Desde 1987 Legislação Consultoria Assessoria Informativos Treinamento Auditoria Pesquisa Qualidade Relatório

Leia mais

Remédio constitucional ou remédio jurídico, são meios postos à disposição dos indivíduos e cidadão para provocar a intervenção das autoridades

Remédio constitucional ou remédio jurídico, são meios postos à disposição dos indivíduos e cidadão para provocar a intervenção das autoridades Remédio constitucional ou remédio jurídico, são meios postos à disposição dos indivíduos e cidadão para provocar a intervenção das autoridades competentes, visando sanar ilegalidades ou abuso de poder

Leia mais

Prezadas Senadoras, Prezados Senadores,

Prezadas Senadoras, Prezados Senadores, Carta 035/ 2015 Brasília, 12 de maio de 2015 Carta Aberta da Undime às Senadoras e aos Senadores integrantes da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal referente ao PLS 532/ 2009

Leia mais

Poder Judiciário. Tabela 1 Poder Judiciário Primeira Instância Segunda Instância

Poder Judiciário. Tabela 1 Poder Judiciário Primeira Instância Segunda Instância O é a instituição encarregada de administrar justiça por meio dos tribunais. Sua função é assegurar o amparo, proteção ou tutela dos direitos dispostos nas leis. A Suprema Corte de Justiça é a máxima autoridade

Leia mais

Email enviado em 09/09/2015 pedindo a presidente Dilma Rousseff pedindo mudanças no REDOM

Email enviado em 09/09/2015 pedindo a presidente Dilma Rousseff pedindo mudanças no REDOM Email enviado em 09/09/2015 pedindo a presidente Dilma Rousseff pedindo mudanças no De: Mario Avelino [mailto:marioavelino@domesticalegal.org.br] Enviada em: quarta-feira, 9 de setembro de 2015 23:50 Para:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná LEI Nº 872/2009 Disciplina a dação de bens imóveis como forma de extinção da obrigação tributária no município de Juranda,, prevista no inciso XI do artigo 156 do Código Tributário Nacional, acrescido

Leia mais

A Semana no Congresso Nacional

A Semana no Congresso Nacional A Semana no Congresso Nacional Brasília, 10/08/2015 CÂMARA Câmara instalará seis comissões mistas para analisar MPs Relator da CPI do BNDES apresentará plano de trabalho Comissão de Finanças e Tributação

Leia mais

A jurisprudência da Lei de Falências e Recuperação de Empresas e a

A jurisprudência da Lei de Falências e Recuperação de Empresas e a A jurisprudência da Lei de Falências e Recuperação de Empresas e a Lei Complementar 147/14 Impactos para o mercado de crédito. Glauco Alves Martins Objetivo geral: aperfeiçoamento do SIMPLES e modificações

Leia mais

CONSULTA N. 809.491 EMENTA:

CONSULTA N. 809.491 EMENTA: Utilização do saldo positivo da reserva do regime próprio de previdência social para abertura de créditos adicionais suplementares. Arquivamento de notas de empenho pela administração pública CONSULTA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA Processo CG nº 681/2006. Procedimentos

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA Processo CG nº 681/2006. Procedimentos Projeto Paternidade Responsável. Procedimentos genitoras Primeira Etapa Convocação das 1) Seleção de escolas Verificar no material fornecido o nome do Dirigente Regional, com o qual será feito contato

Leia mais

PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS

PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS Data: 14/11/2014 Local: Sede da Fenasps Estados presentes: MG- SP- PR- RS- ES- SC- RN- CE e Oposição da BA e do DF. Nº de participantes: 65 Delegados e 10 Observadores

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça Corregedoria PROVIMENTO Nº 12

Conselho Nacional de Justiça Corregedoria PROVIMENTO Nº 12 Conselho Nacional de Justiça Corregedoria PROVIMENTO Nº 12 O Corregedor Nacional de Justiça, Ministro Gilson Dipp, no uso de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO que durante as inspeções

Leia mais

Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso

Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso A respeito da idade de ingresso das crianças, no ensino fundamental de 9 anos de duração, ocorreram acaloradas discussões na esfera educacional

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Quinto constitucional Antonio Pessoa Cardoso* Quinto constitucional é o mecanismo que confere vinte por cento dos assentos existentes nos tribunais aos advogados e promotores; portanto,

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO RONALDO FONSECA

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO RONALDO FONSECA COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO PROJETO DE LEI N 0 5.618, DE 2005 (Apensados os Projetos de Lei nº 7.456, de 2006 e nº 7.741, de 2010) Dispõe sobre a regulamentação da profissão

Leia mais

Novo teto libera dois terços dos supersalários Janaina Vilella, Sérgio Bueno, Vanessa Jurgenfeld, Carol Mandl e Patrick Cruz Valor 07/03/2007

Novo teto libera dois terços dos supersalários Janaina Vilella, Sérgio Bueno, Vanessa Jurgenfeld, Carol Mandl e Patrick Cruz Valor 07/03/2007 Novo teto libera dois terços dos supersalários Janaina Vilella, Sérgio Bueno, Vanessa Jurgenfeld, Carol Mandl e Patrick Cruz Valor 07/03/2007 A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que ampliou de

Leia mais

Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas

Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas Texto construído com base em diversos trabalhos acadêmicos, dados do Cofen, dados do Coren, Fórum Nacional das 30 horas, Aben e do artigo Jornada

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 6/2013/CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 6/2013/CM PROVIMENTO N. 6/2013/CM Revoga o Provimento n. 017/2011/CM e estabelece critérios para a remoção e movimentação interna dos servidores do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso. O EGRÉGIO CONSELHO DA

Leia mais

Art. 2º Recebidos os ofícios requisitórios (precatórios) da Autarquia, estes serão remetidos, de imediato, à Procuradoria Jurídica.

Art. 2º Recebidos os ofícios requisitórios (precatórios) da Autarquia, estes serão remetidos, de imediato, à Procuradoria Jurídica. NORMA DE EXECUÇÃO/INCRA/Nº 14, DE 31 DE MAIO DE 2001 (Publicação: Diário Oficial n 110-E, de 7/6/2001, seção 1, pág. 123 e Boletim de Serviço n 24, de 11/6/2001) Estabelece procedimentos técnicos e administrativos

Leia mais

ATA DA REUNIÃO DE DIRETORIA EM 03.04.2014

ATA DA REUNIÃO DE DIRETORIA EM 03.04.2014 ATA DA REUNIÃO DE DIRETORIA EM 03.04.2014 Ao terceiro dia de abril do ano de dois mil e quatorze, às dez horas, reuniu-se, ordinariamente, a diretoria da AJUT Associação dos Servidores na Justiça do Trabalho

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 35 Registro: 2016.0000031880 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0003042-68.2011.8.26.0003, da Comarca de, em que é apelante/apelado JOSUÉ ALEXANDRE ALMEIDA (JUSTIÇA

Leia mais

: MIN. ROBERTO BARROSO TRABALHO DA 11ª REGIÃO - AMAZONAS E RORAIMA - SITRAAM

: MIN. ROBERTO BARROSO TRABALHO DA 11ª REGIÃO - AMAZONAS E RORAIMA - SITRAAM MANDADO DE INJUNÇÃO 3.750 DISTRITO FEDERAL RELATOR IMPTE.(S) ADV.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROBERTO BARROSO :SINDICATO DOS SERVIDORES DA JUSTIÇA DO TRABALHO DA 11ª REGIÃO - AMAZONAS E RORAIMA - SITRAAM : JANNE

Leia mais

Clipagem de Notícias da SEF - 12/05/11

Clipagem de Notícias da SEF - 12/05/11 Riscos Fiscais DUPLICAÇÃO DA SC-401 Matérias veiculadas na imprensa Clipagem de Notícias da SEF - 12/05/11 JORNAL: DIÁRIO CATARINENSE Estado consegue vitória parcial Tribunal Regional Federal decidiu ontem

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2009

PROJETO DE LEI N o, DE 2009 PROJETO DE LEI N o, DE 2009 (Do Sr. NELSON GOETTEN) Altera o Decreto-Lei nº 3.689, de 1941 Código de Processo Penal. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta lei altera o Decreto-Lei nº 3.689, de 1941

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO

APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO Direito Previdenciário APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO Rafael Gabarra www.gabarra.adv.br ROTEIRO I. RGPS x RPPS II. Aposentadoria Especial III. Servidor Público - RPPS IV. Omissão MI s Súmula

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social O tempo e a espera Ministro fala de projetos em andamento e ações do governo para a área educacional Entrevista do ministro publicada na Revista Educação no dia 26 de maio de 2004. Tarso Genro é considerado

Leia mais

Lei 18.469 de 30/05/2015

Lei 18.469 de 30/05/2015 Lei 18.469 de 30/05/2015 Publicado no Diário Oficial nº. 9442 de 30 de Abril de 2015 Súmula: Reestruturação do Plano de Custeio e Financiamento do Regime Próprio de Previdência Social do Estado do Paraná

Leia mais

T R I B U N A L DE J U S T I Ç A

T R I B U N A L DE J U S T I Ç A Ata da Segunda Sessão do ano de 2014 da Comissão Executiva da Câmara Técnica do Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres e do Programa: Mulher Viver sem Violência, realizada aos trinta

Leia mais

Entre as partes de um lado: e, de outro lado:

Entre as partes de um lado: e, de outro lado: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO Entre as partes de um lado: SINDICATO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO NO ESTADO DE SÃO PAULO, CNPJ nº 60.266.996/0001-03 e, de outro lado: SINDICATO DA INDÚSTRIA DA

Leia mais

DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009

DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009 DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009 Dispõe sobre o registro e controle da freqüência dos servidores do Poder Judiciário. PUBLICADO NO DIÁRIO DO PODER JUDICIÁRIO NO DIA 24 DE AGOSTO DE 2009. A PRESIDENTE DO

Leia mais

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PEÇA PROFISSIONAL Mariano Pereira, brasileiro, solteiro, nascido em 20/1/1987, foi denunciado pela prática de infração prevista no art. 157, 2.º, incisos I e II,

Leia mais

Câmara Municipal de Tijucas do Sul

Câmara Municipal de Tijucas do Sul ATA DA 16 a SESSÃO ORDINÁRIA DO PRIMEIRO PERÍODO ORDINÁRIO DA PRIMEIRA SESSÃO LEGISLATIVA DA 15 a LEGISLATURA EM 26/05/2014. Aos vinte e seis dias do mês de maio do ano de dois mil e quatorze, nesta cidade

Leia mais

ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I

ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I DISPONIBILIZAÇÃO: sexta-feira, 12 de abril de 2013 PUBLICAÇÃO: segunda-feira, 15 de abril de 2013 Senhores(as) Usuários(as), A Seção I do Diário da Justiça Eletrônico

Leia mais

S E N A D O F E D E R A L Gabinete do Senador RONALDO CAIADO PARECER Nº, DE 2015

S E N A D O F E D E R A L Gabinete do Senador RONALDO CAIADO PARECER Nº, DE 2015 PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Projeto de Lei da Câmara nº 32 de 2015, que dispõe sobre a criação de cargos de provimento efetivo, de cargos em comissão e

Leia mais

LEI Nº 5 649. Art. 2º A Ouvidoria de Polícia do Estado do Espírito Santo tem as seguintes atribuições:

LEI Nº 5 649. Art. 2º A Ouvidoria de Polícia do Estado do Espírito Santo tem as seguintes atribuições: LEI Nº 5 649 Cria a Ouvidoria de Polícia do Estado do Espírito Santo e dá outras providências. O PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, faço saber que a Assembléia Legislativa

Leia mais

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 637, DE 2011 I - RELATÓRIO

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 637, DE 2011 I - RELATÓRIO COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI N o 637, DE 2011 Altera a Lei nº 6.830, de 22 de setembro de 1980, para incluir o segurogarantia dentre os instrumentos de garantia nas ações de execução

Leia mais

Proposta aprovada: utilizar as duas estratégias no esforço para aprovação do PL7027/2013.

Proposta aprovada: utilizar as duas estratégias no esforço para aprovação do PL7027/2013. RELATÓRIO DE SUELY SILVEIRA, COORDENADORA DO SINDJUFE Como afirmou o coordenador da FENAJUFE e servidor do TRE-GO, João Batista, a Fenajufe realizou intervenção junto ao TSE sobre a majoração do auxílio

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2015.0000770986 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Mandado de Segurança nº 2097361-61.2015.8.26.0000, da Comarca de, em que é impetrante GABRIELA DA SILVA PINTO, é impetrado

Leia mais

Art. 3º. A concessão de diárias fica condicionada a existência de disponibilidade orçamentária e financeira.

Art. 3º. A concessão de diárias fica condicionada a existência de disponibilidade orçamentária e financeira. LEI Nº 3466/2014, DE 08 DE ABRIL DE 2014. DISPÕE SOBRE AS VIAGENS OFICIAIS E A CONCESSÃO DE DIÁRIAS AOS VEREADORES E SERVIDORES DO PODER LEGISLATIVO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECLAMAÇÃO 15.309 SÃO PAULO RELATORA RECLTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECLDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROSA WEBER :MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO :PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO

Leia mais

Edital de Credenciamento 003/2012

Edital de Credenciamento 003/2012 1/5 Edital de Credenciamento 003/2012 1 DO OBJETO: 1.1. O presente Termo tem por objetivo o credenciamento de Instituições Financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil, para prestação

Leia mais

AÇÃO DE REVISÃO DO FGTS POR DEFASAGEM EM CORREÇÃO PELA TR

AÇÃO DE REVISÃO DO FGTS POR DEFASAGEM EM CORREÇÃO PELA TR COMUNICADO SINDECTEB 036/2013 AÇÃO DE REVISÃO DO FGTS POR DEFASAGEM EM CORREÇÃO PELA TR SINDECTEB orienta os trabalhadores a recuperarem as perdas do FGTS Ação na Justiça solicitando o recálculo retroativo

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Tutela antecipada e suspensão da exigibildade do crédito tributário Eduardo Munhoz da Cunha* Sumário:1. Introdução. 2. A possibilidade de concessão de tutela antecipada contra a

Leia mais