MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA SEÇÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA SEÇÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES"

Transcrição

1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA SEÇÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES 1. Propósito O presente documento tem o objetivo de dar publicidade aos procedimentos realizados pela Seção de Cadastro de Fornecedores, de modo a possibilitar a todos os interessados o conhecimento prévio de quais são os procedimentos e as características e exigências peculiares a cada um deles, visando uma maior transparência e objetividade nas ações da Seção de Cadastro de Fornecedores. O Manual de Procedimentos da Seção de Cadastro de Fornecedores foi elaborado, também, para que possa servir de base para a eventual elaboração da Carta de Serviços à Comunidade do Ministério Público do Estado de Goiás. 2. Áreas de Aplicação Além da Seção de Cadastro de Fornecedores, todas as unidades que contribuem em alguma etapa de quaisquer dos procedimentos deverão consultar o Manual, bem como o público principal, qual seja, os fornecedores. 3. Referências Normativas LEGISLAÇÃO FEDERAL Lei Ordinária Federal nº /2002 Lei Ordinária Federal nº 8.666/1993 Decreto n.º /1979 LEGISLAÇÃO ESTADUAL Lei Ordinária Estadual nº /2012 Lei Ordinária Estadual nº 8.728/1979 LEGISLAÇÃO ADMINISTRATIVA Ato PGJ n.º 019/2010 Ato PGJ n.º 034/ Observações Gerais Para efeito dos procedimentos regulados por este manual, são consideradas as seguintes definições: FORNECEDOR Pessoa física ou jurídica apta a fornecer produtos e/ou prestar serviços ao Ministério Público do Estado de Goiás.

2 CADASTRO DE FORNECEDOR Procedimento formal de inclusão de novo fornecedor. CADASTRO COMPLETO Procedimento formal de inclusão de novo fornecedor, estando este habilitado a receber o CRC. CADASTRO SIMPLIFICADO Procedimento formal de inclusão de novo fornecedor, estando este inabilitado a receber o CRC. ATUALIZAÇÃO CADASTRAL Procedimento formal de retificação de informações e documentos desatualizados e/ou vencidos. Pode ser feito a qualquer tempo. INCLUSÃO/EXCLUSÃO DE PRODUTOS E/OU SERVIÇOS Procedimento formal de inclusão e/ou exclusão de itens da lista de produtos e/ou serviços comercializados pelo fornecedor. Válido apenas para fornecedores com cadastro válido atualizado. RENOVAÇÃO DE CADASTRO Procedimento formal de renovação de validade do cadastro já existente, com a retificação de informações e documentos desatualizados e/ou vencidos. CANCELAMENTO DE CADASTRO Procedimento formal de cancelamento do registro do cadastro de fornecedores, seja ele completo ou simplificado, como consequência de aplicação de sanção judicial e/ou administrativa. O cadastro tem seu status definido como INATIVO e não aparecerá na consulta padrão do sistema. CADASTRO ATIVO Base de dados de fornecedores cujo registro está regular. CADASTRO INATIVO Base de dados de fornecedores cujo registro foi cancelado a pedido do próprio fornecedor, e também por determinação em processo administrativo ou judicial. O cadastro do fornecedor não é excluído, mas seu status é definido como INATIVO e não mais aparece listado na consulta padrão do sistema. CRC Certificado de Registro Cadastral. Documento que comprova a regularidade do cadastro do fornecedor. Esse documento, que pode ser exigido em alguns procedimentos licitatórios, só pode ser emitido aos fornecedores com cadastro válido atualizado. ATESTADO DE CAPACIDADE TÉCNICA Documento que comprova a capacidade do fornecedor em fornecer produtos e/ou prestar serviços com requisitos mínimos de qualidade.

3 ASSENTAMENTO DO FORNECEDOR Registro dos procedimentos de aplicação de penalidade contra o fornecedor. CADASTRO NACIONAL DE EMPRESAS INIDÔNEAS E SUSPENSAS CEIS O Cadastro Nacional de Empresas Inidôneas e Suspensas (CEIS) é um banco de informações mantido pela Controladoria-Geral da União que tem como objetivo consolidar a relação das empresas e pessoas físicas que sofreram sanções pelos órgãos e entidades da Administração Pública das diversas esferas federativas. Além das empresas apenadas por órgãos ou entidades do Governo Federal, o Ceis já conta com dados de empresas apenadas pelos seguintes estados da federação: Acre, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Sergipe, São Paulo e Tocantins. (Fonte: REPRESENTANTE LEGAL Sócio com poderes de administração ou funcionário ocupante de cargo executivo (Presidente, Diretor, etc.). PROCURADOR Pessoa portadora de instrumento de mandato procuratório, com poderes especiais para representar a pessoa física ou jurídica interessada junto à Seção de Cadastro de Fornecedores em todos os procedimentos realizados por esta unidade. 5. Responsabilidade e Autoridade Atividade Autoridade Responsabilidade CADASTRO DE FORNECEDOR Superintendente de Gestão Orçamentária e Compras Chefe da Seção de Cadastro de Fornecedores ATUALIZAÇÃO CADASTRAL Superintendente de Gestão Orçamentária e Compras Chefe da Seção de Cadastro de Fornecedores INCLUSÃO/EXCLUSÃO DE PRODUTOS E/OU Superintendente de Gestão Orçamentária e Compras Chefe da Seção de Cadastro de Fornecedores SERVIÇOS RENOVAÇÃO DE CADASTRO Superintendente de Gestão Orçamentária e Compras Chefe da Seção de Cadastro de Fornecedores CANCELAMENTO DE Superintendente de Gestão Chefe da Seção de CADASTRO REQUERIMENTO DE ATESTADO DE CAPACIDADE TÉCNICA CADASTRAMENTO DE INSTITUIÇÃO FINANCEIRA PARA OPERAR EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS Orçamentária e Compras Superintendente de Gestão Orçamentária e Compras Superintendente de Gestão Orçamentária e Compras Cadastro de Fornecedores Chefe da Seção de Cadastro de Fornecedores Chefe da Seção de Cadastro de Fornecedores

4 6. DETALHAMENTO 6.1 DA DOCUMENTAÇÃO 1 E DA FORMA DE APRESENTAÇÃO DOS DOCUMENTOS Qualquer que seja o procedimento, a documentação necessária deverá ser por original dos documentos ou cópia autenticada, nos termos do artigo 32 da Lei Ordinária Federal nº 8.666/1993: Art. 32. Os documentos necessários à habilitação poderão ser apresentados em original, por qualquer processo de cópia autenticada por cartório competente ou por servidor da administração ou publicação em órgão da imprensa oficial. Para autenticação por servidor, é necessária a apresentação do documento original e da respectiva cópia. Não serão autenticados cópias com base em documentos autenticados, nos termos da legislação federal (Decreto nº / ) e estadual (Lei Ordinária Estadual nº 8.728/ ) vigentes. O interessado deverá apresentar a documentação relativa a sua habilitação jurídica, regularidade fiscal, qualificação técnica, qualificação econômico-financeira, exigida pelo artigo 27 e seguintes, da Lei Ordinária Federal nº 8.666/1993 e pelo artigo 88 da Lei Ordinária Estadual nº /2012: Uma lista consolidada com os documentos necessários pode ser encontrada no Apêndice II. Para efeito do artigo 29, III, da Lei Ordinária Federal nº 8.666/1993 na parte relativa à prova de regularidade para com a Fazenda Pública Municipal, cabem algumas observações. Alguns municípios não possuem uma única certidão fiscal, como a maioria. Municípios como Goiânia-GO e São Paulo-SP possuem dois documentos distintos, cada um com natureza de certidão fiscal relativas a ISSQN/MULTAS e IPTU/ITU/MULTAS (no caso de Goiânia-GO) e Tributos Mobiliários e Tributos Imobiliários (no caso de São Paulo-SP). Se o Município possuir duas ou mais certidões de natureza fiscal, o interessado deverá apresentar a certidão que comprove a sua regularidade em relação ao tributo ISSQN, sendo este o documento que comprova a regularidade do interessado pertinente ao seu ramo de atividade. Além da documentação exigida legalmente, poderão ser exigidos outros documentos relativos a cada procedimento especificamente. 1 Tendo em vista que os procedimentos regulados por este regulamento não se tratam de processos licitatórios concretos, não serão exigidos os itens descritos nos seguintes dispositivos: Art. 30, III, Art. 30, 1º, I; Art. 30, 6º, e Art. 31, III da Lei Ordinária Federal 8.666/ Art 5º, Parágrafo único A autenticação poderá ser feita, mediante cotejo da cópia com o original pelo próprio servidor a quem o documento deva ser apresentado, se não houver sido anteriormente feita por tabelião. 3 Art. 3º, Parágrafo único A autenticação por órgão administrativo deverá ser feita a quem o documento deva ser apresentado, mediante cotejo da cópia com o original.

5 Somente serão aceitos documentos que estejam dentro do prazo de validade. As certidões que não trouxerem em seu bojo o respectivo prazo de validade, serão consideradas válidas por até 60 (sessenta) dias contados da data de sua emissão. 6.2 PROCEDIMENTO CADASTRO DE FORNECEDOR CADASTRO SIMPLIFICADO Trata-se de um procedimento de inclusão de novo fornecedor, estando este inabilitado a receber o CRC. O fornecedor deverá acessar a página do Portal do Fornecedor, realizar o cadastro para acesso e inserir as informações solicitadas nos formulários eletrônicos. O CADASTRO SIMPLIFICADO insere o fornecedor na base de dados do Sistema de Compras do Ministério Público, para consultas e contatos comerciais CADASTRO COMPLETO Trata-se de um procedimento formal para a inclusão de novo fornecedor. Como requisito ao CADASTRO COMPLETO, o interessado deverá efetivar o CADASTRO SIMPLIFICADO, previamente, preenchendo todos os campos das telas: I Menu Cadastro do Fornecedor: a) Dados Gerais; b) Telefones; c) Endereços; d) Sócios. II Menu Dados do Fornecedor: a) Produtos; b) Enviar documentos; Feito o CADASTRO SIMPLIFICADO, o interessado deverá protocolar, a documentação relativa a sua habilitação jurídica, regularidade fiscal, qualificação técnica, qualificação econômico-financeira, exigida pelo artigo 35 da Lei Ordinária Federal nº 8.666/1993. Cada documento necessário deverá ser digitalizado individualmente e inserido no sistema por meio da opção Menu Dados do Fornecedor > Enviar Documentos. A documentação protocolada não poderá ser diversa da que for inserida no sistema, sob pena de não emissão do CRC. Além da documentação exigida legalmente, o fornecedor também deverá apresentar outros documentos, exigidos pela Seção de Cadastro de Fornecedores: I FICHA CADASTRAL impressa com assinatura do representante ou procurador. II Cópia de documento de identidade e CPF de todos os sócios e/ou administradores da empresa/instituição, se for o caso. Caso um dos sócios seja uma pessoa jurídica, deverá ser apresentado o contrato social (ou equivalente), bem como RG e CPF dos sócios e/ou administradores;

6 III Documentos pessoais (RG e CPF) do procurador, se for o caso; IV Procuração com poderes especiais para representar a pessoa física ou jurídica interessada junto à Seção de Cadastro de Fornecedores em todos os procedimentos realizados por esta unidade, ou equivalente, se for o caso; V Prospecto do(s) produto(s) ou outro documento que apresente as suas especificações técnicas e/ou descrição técnica do(s) serviço(s) prestado(s); VI Cópia de certificado (ex: Qualidade: ISO 9001; Ambiental: ISO 14001, etc.) que esteja dentro da validade, se for o caso. VII Cópia da Certidão Simplificada expedida pela Junta Comercial, caso a empresa se declare ME ou EPP. Uma vez realizado o CADASTRO SIMPLIFICADO, a FICHA CADASTRAL será liberada para impressão após o aceite do pedido de cadastro realizado pela Seção de Cadastro de Fornecedores no sistema. O prazo para liberação da FICHA CADASTRAL será de até 05 (cinco) dias úteis após o envio das informações. 6.3 PROCEDIMENTO ATUALIZAÇÃO CADASTRAL ATUALIZAÇÃO DO CADASTRO SIMPLIFICADO Trata-se de um procedimento de atualização dos dados de um fornecedor já existente. O fornecedor deverá acessar a página do Portal do Fornecedor, realizar o login para acesso e atualizar as informações nos formulários eletrônicos ATUALIZAÇÃO DO CADASTRO COMPLETO Trata-se de um procedimento formal de retificação de informações e documentos desatualizados e/ou vencidos. O procedimento de atualização cadastral deve ser utilizado para retificar informações incorretas e/ou desatualizadas (endereços, telefones, nomes e telefones de contatos, etc.) bem como encaminhar documentos para substituir outros que perderam a validade sofreram alterações (certidões fiscais, alteração de contrato social, Certidão Simplificada da Junta Comercial, etc). O interessado deverá apresentar, dentre a documentação relativa a sua habilitação jurídica, regularidade fiscal, qualificação técnica, qualificação econômico-financeira, exigida pelo artigo 35 da Lei Ordinária Federal nº 8.666/1993, apenas aqueles documentos que foram alterados ou que perderam a validade. O fornecedor também deverá apresentar outros documentos, exigidos pela Seção de Cadastro de Fornecedores: I FICHA CADASTRAL impressa com assinatura do representante ou procurador. II Requerimento corretamente preenchido com os dados atualizados e assinado pelo administrador da empresa, ou procurador; III Documentos pessoais (RG e CPF) do procurador, se for o caso;

7 IV Procuração com poderes especiais para representar a pessoa física ou jurídica interessada junto à Seção de Cadastro de Fornecedores em todos os procedimentos realizados por esta unidade, se for o caso; 6.4 PROCEDIMENTO INCLUSÃO/EXCLUSÃO DE PRODUTOS E/OU SERVIÇOS Trata-se de um procedimento formal para inclusão e/ou exclusão de itens da lista de produtos e/ou serviços comercializados pelo fornecedor. Válido apenas para fornecedores com cadastro válido atualizado. Para inclusão e/ou exclusão de itens da lista de produtos e/ou serviços comercializados pelo fornecedor, o fornecedor deverá apresentar a documentação relativa a sua qualificação técnica, exigida pelo artigo 30 da Lei Ordinária Federal nº 8.666/1993: Art. 30. A documentação relativa à qualificação técnica limitar-se-á a: I - registro ou inscrição na entidade profissional competente; II - comprovação de aptidão para desempenho de atividade pertinente e compatível em características, quantidades e prazos com o objeto da licitação, e indicação das instalações e do aparelhamento e do pessoal técnico adequados e disponíveis para a realização do objeto da licitação, bem como da qualificação de cada um dos membros da equipe técnica que se responsabilizará pelos trabalhos; IV - prova de atendimento de requisitos previstos em lei especial, quando for o caso. O fornecedor também deverá apresentar outros documentos, exigidos pela Seção de Cadastro de Fornecedores: I FICHA CADASTRAL impressa com assinatura do representante ou procurador. II Procuração com poderes especiais para representar a pessoa física ou jurídica interessada junto à Seção de Cadastro de Fornecedores em todos os procedimentos realizados por esta unidade, se for o caso; III Prospecto do(s) produto(s) ou outro documento que apresente as suas especificações técnicas e/ou descrição técnica do(s) serviço(s) prestado(s); IV Cópia de certificado (ex: Qualidade: ISO 9001; Ambiental: ISO 14001, etc.) que esteja dentro da validade, se for o caso. Os itens excluídos terão seu status definido como INATIVO e não aparecerão na consulta padrão do sistema. Serão incluídos automaticamente no assentamento do fornecedor, as atividades decorrentes de fornecimento ao Ministério Público do Estado de Goiás. 6.5 PROCEDIMENTO RENOVAÇÃO DE CADASTRO Trata-se de um procedimento formal renovação de validade do cadastro já existente, com a retificação de informações e documentos desatualizados e/ou vencidos. Pode ser feito a partir de 30 dias antes da data de vencimento do cadastro atual. Uma vez requerido após a data de vencimento, o interessado deverá providenciar toda a documentação

8 exigida para o procedimento de cadastro de fornecedor, devendo apresentar, ainda, a cópia do CRC anterior. 6.6 PROCEDIMENTO CANCELAMENTO DE CADASTRO Procedimento formal de cancelamento do registro do cadastro de fornecedores, seja ele completo ou simplificado, como consequência de aplicação de sanção judicial e/ou administrativa, nos termos do artigo 37 da Lei Ordinária Federal nº 8.666/1993, do artigo 7º da Lei Ordinária Federal nº /2002 e do artigo 81, parágrafo único, da Lei Ordinária Estadual nº /2012 : Lei nº 8.666/1993 Art. 37. A qualquer tempo poderá ser alterado, suspenso ou cancelado o registro do inscrito que deixar de satisfazer as exigências do art. 27 desta Lei, ou as estabelecidas para classificação cadastral. Lei nº /2002 Art. 7º. Quem, convocado dentro do prazo de validade da sua proposta, não celebrar o contrato, deixar de entregar ou apresentar documentação falsa exigida para o certame, ensejar o retardamento da execução de seu objeto, não mantiver a proposta, falhar ou fraudar na execução do contrato, comportar-se de modo inidôneo ou cometer fraude fiscal, ficará impedido de licitar e contratar com a União, Estados, Distrito Federal ou Municípios e, será descredenciado no Sicaf, ou nos sistemas de cadastramento de fornecedores a que se refere o inciso XIV do art. 4o desta Lei, pelo prazo de até 5 (cinco) anos, sem prejuízo das multas previstas em edital e no contrato e das demais cominações legais. Lei nº /2012 Art. 81. A suspensão de participação em licitação e o impedimento de contratar com a Administração deverão ser graduados pelos seguintes prazos: (...) Parágrafo único. Na modalidade pregão, ao fornecedor que, convocado dentro do prazo de validade de sua proposta, não celebrar o contrato, deixar de entregar ou apresentar documentação falsa exigida para o certame, ensejar o retardamento da execução do seu objeto, comportar-se de modo inidôneo ou cometer fraude fiscal, será aplicada penalidade de impedimento de licitar e contratar com o Estado, por prazo não superior a 5 (cinco) anos, sendo descredenciado do Cadastro de Fornecedores, sem prejuízo das multas previstas em edital e no contrato e das demais cominações legais, aplicadas e dosadas segundo a natureza e a gravidade da falta cometida. Uma vez determinado o cancelamento do cadastro por ato administrativo ou judicial, o cancelamento será efetuado após o trânsito em julgado da decisão, assegurado o contraditório e a ampla defesa. O cadastro tem seu status definido como INATIVO e não aparecerá na consulta padrão do sistema.

9 6.7 PROCEDIMENTO REQUERIMENTO DE ATESTADO DE CAPACIDADE TÉCNICA Trata-se de procedimento formal para emissão do Atestado de Capacidade Técnica. Para emissão de atestado de capacidade técnica, o fornecedor deverá apresentar a documentação exigida pela Seção de Cadastro de Fornecedores: I Requerimento corretamente preenchido com os dados atualizados e assinado pelo administrador da empresa, ou procurador; II Procuração com poderes especiais para representar a pessoa física ou jurídica interessada junto à Seção de Cadastro de Fornecedores em todos os procedimentos realizados por esta unidade, se for o caso; III Cópia(s) da(s) Nota(s) de Empenho e da(s) respectiva(s) nota(s) fiscal(is). Caso o pagamento tenha sido feito com verba do Fundo Rotativo, o fornecedor deverá apresentar a(s) cópia(s) da(s) nota(s) fiscal(is). 6.8 PROCEDIMENTO DE CADASTRAMENTO DE INSTITUIÇÃO FINANCEIRA PARA OPERAR EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS Trata-se de procedimento formal para cadastramento de instituições financeiras, cooperativas de crédito ou entidade autorizada pelo Banco Central do Brasil a realizar operação de crédito consignável em folha de pagamento de membros e servidores do Ministério Público do Estado de Goiás, ativos, inativos e pensionistas, nos termos do Ato PGJ 034/2013. Para ser cadastrada, a instituição financeira deverá apresentar a documentação e atender aos demais requisitos exigidos pelo no Ato PGJ 034/2013 ou outro que venha a substituí-lo. 6.9 DO RITO Para dar início a qualquer procedimento, o interessado deverá protocolar a documentação exigida, o qual será autuado em um processo administrativo Do rito aplicado ao processo administrativo, comum a todos os procedimentos, exceto ao procedimento de requerimento de atestado de capacidade técnica o qual deverá seguir rito próprio: Uma vez autuado, o processo administrativo é remetido à Seção de Cadastro de Fornecedores. Após análise do processo administrativo, o chefe da Seção de Cadastro expedirá despacho para: - deferimento, se o processo estiver devidamente instruído e não houver necessidade de análise técnica de documentação; - regularização, se o processo não estiver devidamente instruído; - encaminhar o processo administrativo para análise técnica de documentação, se for o caso;

10 - indeferimento, caso o despacho de regularização não seja integralmente cumprido no prazo assinalado ou se a análise técnica da documentação se posicionar contrária ao deferimento. Constatada a deficiência de documentos na análise do processo administrativo, o interessado terá o prazo de 05 dias úteis para protocolar os documentos faltantes. Se o despacho de regularização for integralmente cumprido no prazo assinalado, será expedido despacho de deferimento, com os efeitos acima descritos. Sendo necessária a avaliação de documentação técnica, o processo administrativo será encaminhado para a área técnica competente. Na hipótese da análise técnica da documentação se posicionar contrária ao deferimento, o interessado terá apenas mais uma oportunidade para apresentar nova documentação técnica, sendo expedido novo despacho de regularização. Não sendo cumprido o novo despacho de regularização, o processo será indeferido. Em sendo cumprido integralmente o novo despacho de regularização, o processo será encaminhado novamente para análise técnica. Sendo favorável o posicionamento, o processo será deferido. Caso contrário, o processo será indeferido. Uma vez deferido o processo administrativo, o interessado terá suas informações e/ou documentos cadastrados no sistema informatizado, tendo preenchido seu cadastro completo, sendo possível a emissão do CRC se não houver outros impedimentos. Caso o processo administrativo seja indeferido, o interessado terá suas informações e/ou documentos cadastrados no sistema informatizado, tendo preenchido seu cadastro simplificado, não sendo possível a emissão do CRC Do rito aplicado ao procedimento de requerimento de atestado de capacidade técnica. Trata-se de procedimento formal para emissão do Atestado de Capacidade Técnica. Para emissão de atestado de capacidade técnica, o fornecedor deverá apresentar a documentação exigida pela Seção de Cadastro de Fornecedores: I Requerimento de emissão do atestado de capacidade técnica, indicando os produtos e/ou serviços e suas respectivas quantidades, devendo o requerimento ser assinado pelo administrador da empresa, ou procurador; II Procuração com poderes especiais para representar a pessoa física ou jurídica interessada junto à Seção de Cadastro de Fornecedores em todos os procedimentos realizados por esta unidade, se for o caso; III Cópia(s) da(s) Nota(s) de Empenho e da(s) respectiva(s) nota(s) fiscal(is). Caso o pagamento tenha sido feito com verba do Fundo Rotativo, o fornecedor deverá apresentar a(s) cópia(s) da(s) nota(s) fiscal(is). Para dar início ao procedimento de emissão de atestado de capacidade técnica, o interessado deverá protocolar a documentação exigida, o qual será autuado em um processo administrativo.

11 Uma vez autuado, o processo administrativo é remetido à Seção de Cadastro de Fornecedores. Após análise do processo administrativo e estando o processo administrativo devidamente instruído, o chefe da Seção de Cadastro expedirá despacho encaminhando o procedimento para informação da unidade administrativa responsável pela solicitação da compra/contratação ou recebimento sobre o efetivo fornecimento, ou não, do produto/serviço, bem como de suas quantidades e sobre a existência ou não de alguma ocorrência que desabone o fornecedor. Constatada a deficiência de documentos na análise do processo administrativo, antes de encaminhar o processo administrativo para a unidade administrativa solicitante, o chefe da Seção de Cadastro expedirá despacho para: - regularização, se o processo não estiver devidamente instruído; O interessado terá o prazo de 05 dias úteis para protocolar os documentos faltantes. Se o despacho de regularização for integralmente cumprido no prazo assinalado, o processo administrativo será encaminhado para informação da unidade administrativa solicitante. Caso contrário, o pedido será indeferido. Após a informação da unidade administrativa solicitante, o chefe da Seção de Cadastro expedirá despacho para: - deferimento, se o processo estiver devidamente instruído e não houver informações que desabonem o fornecedor; - regularização, se o processo não estiver devidamente instruído; - encaminhar o processo administrativo para análise técnica de documentação, se for o caso; - indeferimento, caso o despacho de regularização não seja integralmente cumprido no prazo assinalado ou se a análise técnica da documentação se posicionar contrária à expedição do atestado. Sendo necessária a avaliação de documentação técnica, o processo administrativo será encaminhado para a área técnica competente. Na hipótese da análise técnica da documentação se posicionar contrária à emissão do atestado, o interessado terá apenas mais uma oportunidade para apresentar nova documentação técnica, sendo expedido novo despacho de regularização. Não sendo cumprido o novo despacho de regularização, o pedido será indeferido. Em sendo cumprido integralmente o novo despacho de regularização, o processo será encaminhado novamente para análise técnica. Sendo favorável o posicionamento, o pedido será deferido. Caso contrário, o pedido será indeferido. Uma vez deferida a solicitação do fornecedor, o atestado de capacidade técnica será emitido.

12 Tratando-se de obras, o pedido de emissão de atestado deverá ser direcionado ao Departamento de Engenharia e Arquitetura, nos termos do artigo 4º, inciso II, do Ato PGJ 019/ DOS PRAZOS Aos interessados em participar de licitações, deverão observar o prazo estipulado pelo artigo 22, 2º da Lei Ordinária Federal nº 8.666/1993, em se tratando de licitação na modalidade Tomada de Preços, sob pena de serem desclassificados no certame: Art o Tomada de preços é a modalidade de licitação entre interessados devidamente cadastrados ou que atenderem a todas as condições exigidas para cadastramento até o terceiro dia anterior à data do recebimento das propostas, observada a necessária qualificação. Os casos omissos e eventuais questionamentos serão decididos pelo Chefe da Seção de Cadastro de Fornecedores DOS DOCUMENTOS ELETRÔNCIOS Fica instituída a CERTIDÃO DE REGISTRO DE PENALIDADES para comprovação da existência ou não de penalidades de suspensão temporária de participação em licitação e/ou impedimento de contratar com a Procuradoria-Geral de Justiça registradas no assentamento do fornecedor que estejam em vigência, emitida eletronicamente sem a necessidade de assinatura. Fica também instituída a CERTIDÃO DE HISTÓRIO DE PENALIDADES, para comprovar as penalidades aplicadas ao fornecedor registradas em seu assentamento, inclusive de suspensão temporária de participação em licitação e/ou impedimento de contratar com a Procuradoria-Geral de Justiça, emitida eletronicamente sem a necessidade de assinatura. Fica criada a FICHA CADASTRAL, documento que traz todas as informações cadastrais do fornecedor, com exceção das informações nas guias CONTATOS, DOCUMENTAÇÃO, PRODUTOS, GRUPOS e PENALIDADES. O CRC também passa a ser emitido eletronicamente sem a necessidade de assinatura e terá código validador para que sua autenticidade possa ser verificada no Portal do Fornecedor. Os documentos eletrônicos emitidos pela internet terão a identificação de sua emissão como EMITIDO VIA INTERNET. Quanto aos documentos eletrônicos emitidos pelo sistema, terão a identificação SEÇÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES. As certidões terão prazo de validade de 30 dias contados da data de emissão e terão código validador para que sua autenticidade possa ser verificada no Portal do Fornecedor.

13 7. Apêndices Apêndice I FICHA CADASTRAL FICHA CADASTRAL INFORMAÇÕES GERAIS: RAZÃO SOCIAL: NOME FANTASIA: CNPJ: NATUREZA JURÍDICA: ENQUADRAMENTO: INSCRIÇÃO ESTADUAL: INSCRIÇÃO MUNICIPAL: INFORMAÇÕES DE CONTATOS: TELEFONE(S): ENDEREÇO: INFORMAÇÕES DE ATIVIDADES COMERCIAIS CÓDIGO CNAE COMPLETO DA ATIVIDADE DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE Declaro, sob as penas da lei, que sou responsável pela veracidade e autenticidade de todas as informações acima. Goiânia, data. Assinatura (conforme documento de identidade apresentado) Fl. 1/1

14 Apêndice II Lista de Documentação Necessária LISTA DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÃO DE CRC ATENÇÃO, FORNECEDOR: 1 TODOS OS DOCUMENTOS SOLICITADOS DEVEM SER APRESENTADOS POR ORIGINAL OU CÓPIA AUTENTICADA, COM EXCEÇÃO DE DOCUMENTOS IMPRESSOS DIRETAMENTE DA INTERNET. 2 TODOS OS DADOS DA EMPRESA (RAZÃO SOCIAL, NOME FANTASIA, ENDEREÇO COMPLETO, ETC.) DEVEM ESTAR ATUALIZADOS EM TODOS OS DOCUMENTOS APRESENTADOS. 3 OS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS SÃO OS LISTADOS ABAIXO, E DEVERÃO SER APRESENTADOS NA SEGUINTE ORDEM: ITEM (Base Legal) FICHA CADASTRAL (Procedimento de Cadastro) HABILITAÇÃO JURÍDICA (Procedimento de Cadastro) HABILITAÇÃO JURÍDICA (Artigo 27, V, da Lei Federal nº 8.666/1993) HABILITAÇÃO JURÍDICA (Artigo 28 da Lei Federal nº DESCRIÇÃO Documento com informações cadastrais da empresa, que pode ser emitido após cadastro no Portal do Fornecedor. Identidade e CPF de todos os sócios e administradores da empresa. Caso um dos sócios seja outra pessoa jurídica, é necessário juntar cópia da consolidação do ato constitutivo da empresa, bem como da documentação pessoal (RG e CPF) de todos os sócios e administradores. Cumprimento do disposto no inciso XXXIII do art. 7º da Constituição Federal. I cédula de identidade; (no caso de pessoa física) II registro comercial, no caso de empresa individual; III - ato constitutivo, estatuto ou contrato social em vigor, devidamente registrado, em se tratando de sociedades comerciais, e, no caso de sociedades por ações,

15 8.666/1993) REGULARIDADE FISCAL (Artigo 29 da Lei Federal nº 8.666/1993) REGULARIDADE FISCAL (Artigo 88 da Lei Estadual nº /2012) QUALIFICAÇÃO TÉCNICA (Artigo 30 da Lei Federal nº 8.666/1993) acompanhado de documentos de eleição de seus administradores; IV - inscrição do ato constitutivo, no caso de sociedades civis, acompanhada de prova de diretoria em exercício; V - decreto de autorização, em se tratando de empresa ou sociedade estrangeira em funcionamento no País, e ato de registro ou autorização para funcionamento expedido pelo órgão competente, quando a atividade assim o exigir. I - prova de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou no Cadastro Geral de Contribuintes (CGC); (Obs: entenda-se CGC como sendo CNPJ) II - prova de inscrição no cadastro de contribuintes estadual ou municipal, se houver, relativo ao domicílio ou sede do licitante, pertinente ao seu ramo de atividade e compatível com o objeto contratual; III - prova de regularidade para com a Fazenda Federal, Estadual e Municipal do domicílio ou sede do licitante, ou outra equivalente, na forma da lei; IV - prova de regularidade relativa à Seguridade Social e ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), demonstrando situação regular no cumprimento dos encargos sociais instituídos por lei. V prova de inexistência de débitos inadimplidos perante a Justiça do Trabalho, mediante a apresentação de certidão negativa, nos termos do Título VII-A da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1o de maio de Em complemento à documentação referente à habilitação estabelecida no art. 27 da Lei federal nº 8.666/93, deverá ser também exigida prova de regularidade para com a Fazenda Pública do Estado de Goiás. I - registro ou inscrição na entidade profissional competente; II - comprovação de aptidão para desempenho de atividade pertinente e compatível em características, quantidades e prazos com o objeto da licitação, e indicação das instalações e do aparelhamento e do pessoal técnico adequados e disponíveis para a realização do objeto da licitação, bem como da qualificação de cada um dos membros da equipe técnica que se responsabilizará pelos trabalhos; Obs.: Em se tratando de serviços que devem ser fiscalizados por órgãos profissionais (ex: serviços de engenharia civil, eletrônica, cabeamento estruturado, etc.) o atestado deve ser acompanhado da respectiva CAT Certidão de Acervo Técnico, emitida pelo conselho respectivo. IV - prova de atendimento de requisitos previstos em lei

16 especial, quando for o caso. Obs.: Algumas empresas, ou profissionais, devem estar cadastrados em algumas instituições, como por exemplo, empresas e profissionais do ramo de engenharia e arquitetura, que devem ter registro no CREA, ou como empresas do ramo de seguros, que devem estar inscritas na SUSEP. QUALIFICAÇÃO ECONÔMICO- FINANCEIRA (Artigo 31 da Lei Federal nº 8.666/1993) CONDIÇÃO DE ME OU EPP DOCUMENTAÇÃO DO PROCURADOR (Procedimento de Cadastro) CRC ANTERIOR (Procedimento de Cadastro) I - balanço patrimonial e demonstrações contábeis do último exercício social, já exigíveis e apresentados na forma da lei, que comprovem a boa situação financeira da empresa, vedada a sua substituição por balancetes ou balanços provisórios, podendo ser atualizados por índices oficiais quando encerrado há mais de 3 (três) meses da data de apresentação da proposta; II - certidão negativa de falência ou concordata expedida pelo distribuidor da sede da pessoa jurídica, ou de execução patrimonial, expedida no domicílio da pessoa física; Certidão Simplificada da Junta Comercial para comprovar a condição de ME ou EPP, caso a empresa tenha se declarado como uma das duas opções. Documentos pessoais (RG e CPF) do procurador. Cópia do CRC anterior, em caso de renovação, atualização ou exclusão.

17 Apêndice III Certidão Negativa (emitida via internet) CERTIDÃO NEGATIVA FORNECEDOR: RAZÃO SOCIAL OU NOME CPF/CNPJ: / NÃO CONSTA REGISTRO DE PENALIDADE VIGENTE SEGURANÇA: Certidão VÁLIDA POR 30 DIAS, A PARTIR DA EMISSÃO DESTE DOCUMENTO. A autenticidade deve ser verificada pela INTERNET, no endereço: Validador: código de validação EMITIDA VIA INTERNET Data de Emissão e hora da emissão Fl. 1/1

18 Apêndice IV Certidão Negativa (emitida via sistema) CERTIDÃO NEGATIVA FORNECEDOR: RAZÃO SOCIAL OU NOME CPF/CNPJ: / NÃO CONSTA REGISTRO DE PENALIDADE VIGENTE SEGURANÇA: Certidão VÁLIDA POR 30 DIAS, A PARTIR DA EMISSÃO DESTE DOCUMENTO. A autenticidade deve ser verificada pela INTERNET, no endereço: Validador: código de validação DOCUMENTO EMITIDO ELETRONICAMENTE SEÇÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES Data de Emissão e hora da emissão Fl. 1/1

19 Apêndice V Certidão POSITIVA (emitida via internet) CERTIDÃO POSITIVA FORNECEDOR: RAZÃO SOCIAL OU NOME CPF/CNPJ: / REGISTRO(S): 1- PENALIDADE: SUSPENSÃO Nº DO PROCESSO: DESPACHO: DAS-2012 PUBLICAÇÃO: 21/11/1111 VIGÊNCIA: DE 11/11/1111 A 11/11/1111 ========================================================= 2- PENALIDADE: IMPEDIMENTO Nº DO PROCESSO: DESPACHO: DAS-2012 PUBLICAÇÃO: 21/11/1111 VIGÊNCIA: DE 11/11/1111 A 11/11/1111 SEGURANÇA: Certidão VÁLIDA POR 30 DIAS, A PARTIR DA EMISSÃO DESTE DOCUMENTO. A autenticidade deve ser verificada pela INTERNET, no endereço: Validador: código de validação EMITIDA VIA INTERNET Data de Emissão e hora da emissão Fl. 1/1

20 Apêndice VI Certidão POSITIVA (emitida via sistema) CERTIDÃO POSITIVA FORNECEDOR: RAZÃO SOCIAL OU NOME CPF/CNPJ: / REGISTRO(S): 1- PENALIDADE: SUSPENSÃO Nº DO PROCESSO: DESPACHO: DAS-2012 PUBLICAÇÃO: 21/11/1111 VIGÊNCIA: DE 11/11/1111 A 11/11/1111 ========================================================= 2- PENALIDADE: IMPEDIMENTO Nº DO PROCESSO: DESPACHO: DAS-2012 PUBLICAÇÃO: 21/11/1111 VIGÊNCIA: DE 11/11/1111 A 11/11/1111 SEGURANÇA: Certidão VÁLIDA POR 30 DIAS, A PARTIR DA EMISSÃO DESTE DOCUMENTO. A autenticidade deve ser verificada pela INTERNET, no endereço: Validador: código de validação DOCUMENTO EMITIDO ELETRONICAMENTE SEÇÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES Data de Emissão e hora da emissão Fl. 1/1

21 Apêndice VII Certidão POSITIVA COM EFEITO DE NEGATIVA (emitida via internet) CERTIDÃO POSITIVA COM EFEITO DE NEGATIVA FORNECEDOR: RAZÃO SOCIAL OU NOME CPF/CNPJ: / REGISTRO(S): 1- PENALIDADE: SUSPENSÃO Nº DO PROCESSO: DESPACHO: DAS-2012 PUBLICAÇÃO: 21/11/1111 VIGÊNCIA: DE 11/11/1111 A 11/11/1111 ========================================================= 2- PENALIDADE: IMPEDIMENTO Nº DO PROCESSO: DESPACHO: DAS-2012 PUBLICAÇÃO: 21/11/1111 VIGÊNCIA: DE 11/11/1111 A 11/11/1111 SEGURANÇA: Certidão VÁLIDA POR 30 DIAS, A PARTIR DA EMISSÃO DESTE DOCUMENTO. A autenticidade deve ser verificada pela INTERNET, no endereço: Validador: código de validação EMITIDA VIA INTERNET Data de Emissão e hora da emissão Fl. 1/1

22 Apêndice VIII Certidão POSITIVA COM EFEITO DE NEGATIVA (emitida via sistema) CERTIDÃO POSITIVA COM EFEITO DE NEGATIVA FORNECEDOR: RAZÃO SOCIAL OU NOME CPF/CNPJ: / REGISTRO(S): 1- PENALIDADE: SUSPENSÃO Nº DO PROCESSO: DESPACHO: DAS-2012 PUBLICAÇÃO: 21/11/1111 VIGÊNCIA: DE 11/11/1111 A 11/11/1111 ========================================================= 2- PENALIDADE: IMPEDIMENTO Nº DO PROCESSO: DESPACHO: DAS-2012 PUBLICAÇÃO: 21/11/1111 VIGÊNCIA: DE 11/11/1111 A 11/11/1111 SEGURANÇA: Certidão VÁLIDA POR 30 DIAS, A PARTIR DA EMISSÃO DESTE DOCUMENTO. A autenticidade deve ser verificada pela INTERNET, no endereço: Validador: código de validação DOCUMENTO EMITIDO ELETRONICAMENTE SEÇÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES Data de Emissão e hora da emissão Fl. 1/1

23 Apêndice IX Histórico de Penalidades (não havendo penalidade ) HISTÓRICO DE PENALIDADES FORNECEDOR: RAZÃO SOCIAL OU NOME CPF/CNPJ: / NÃO CONSTA NENHUM REGISTRO DE PENALIDADE. SEGURANÇA: Certidão VÁLIDA POR 30 DIAS, A PARTIR DA EMISSÃO DESTE DOCUMENTO. A autenticidade deve ser verificada pela INTERNET, no endereço: Validador: código de validação DOCUMENTO EMITIDO ELETRONICAMENTE SEÇÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES Data de Emissão e hora da emissão Fl. 1/1

24 Apêndice X Histórico de Penalidades (havendo penalidade ) HISTÓRICO DE PENALIDADES FORNECEDOR: RAZÃO SOCIAL OU NOME CPF/CNPJ: / REGISTRO(S): 1- PENALIDADE: SUSPENSÃO Nº DO PROCESSO: DESPACHO: DAS-2012 PUBLICAÇÃO: 21/11/1111 VIGÊNCIA: DE 11/11/1111 A 11/11/1111 ========================================================= 2- PENALIDADE: IMPEDIMENTO Nº DO PROCESSO: DESPACHO: DAS-2012 PUBLICAÇÃO: 21/11/1111 VIGÊNCIA: DE 11/11/1111 A 11/11/1111 SEGURANÇA: Certidão VÁLIDA POR 30 DIAS, A PARTIR DA EMISSÃO DESTE DOCUMENTO. A autenticidade deve ser verificada pela INTERNET, no endereço: Validador: código de validação DOCUMENTO EMITIDO ELETRONICAMENTE SEÇÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES Data de Emissão e hora da emissão Fl. 1/1

25 Apêndice XI Declaração de não emprego de menor DECLARAÇÃO DE NÃO EMPREGO DE MENOR RAZÃO SOCIAL, CNPJ nº xx.xxx.xxx/xxxx-xx, neste ato representada por seu administrador (ou procurador se for o caso) NOME COMPLETO, RG XXX, CPF XXX, declara, para fins do disposto no inciso V, do artigo 27 da Lei n.º 8666/93, a nãorealização, no estabelecimento, de trabalho noturno, perigoso ou insalubre por menores de 18 (dezoito) anos e de qualquer trabalho por menores de 16 (dezesseis) anos, salvo, na condição de aprendizes, a partir de 14 (quatorze) anos. Declaro, sob as penas da lei, que sou responsável pela veracidade e autenticidade de todas as informações acima. Goiânia, data. Assinatura (conforme documento de identidade apresentado)

26 Apêndice XII Declaração de que não é empregador DECLARAÇÃO DE QUE NÃO É EMPREGADOR(A) Eu, (NOME COMPLETO), portador do RG n.º..., CPF n.º..., residente e domiciliado no endereço (ENDEREÇO COMPLETO: RUA, Nº, QUADRA, LOTE, ETC), DECLARO SOB AS PENAS DA LEI que não sou empregador e não possuo nenhuma pendência relativa ao INSS e FGTS na qualidade de empregador. Local, data. Assinatura

27 Apêndice XIII CRC (emitida via internet) A autenticidade deve ser verificada pela INTERNET, no endereço: Validador: código de validação EMITIDA VIA INTERNET Data de Emissão e hora da emissão Fl. 1/1

28 Apêndice IX CRC (emitida via sistema) A autenticidade deve ser verificada pela INTERNET, no endereço: Validador: código de validação DOCUMENTO EMITIDO ELETRONICAMENTE SEÇÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES Data de Emissão e hora da emissão Fl. 1/1

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Estado de São Paulo DIVISÃO DE SUPRIMENTOS Seção de Licitações e Contratos

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Estado de São Paulo DIVISÃO DE SUPRIMENTOS Seção de Licitações e Contratos INSTRUÇÕES GERAIS PARA OBTENÇÃO DO C.R.C. (CERTIFICADO DE REGISTRO CADASTRAL), CONFORME DISPOSTO NA LEI Nº 8.666/93 1. CADASTRAMENTO 1.1 PROCEDIMENTO 1.1.1 A empresa interessada em obter o Certificado

Leia mais

D E C R E T A: Art. 3º. Para obtenção do CRC será necessária a apresentação das seguintes documentações:

D E C R E T A: Art. 3º. Para obtenção do CRC será necessária a apresentação das seguintes documentações: Decreto nº 015, de 16 de outubro de 2015. Regulamenta o Certificado de Registro Cadastral- CRC para fornecedores e/ou prestadores de serviços, previsto no artigo 34 da Lei Federal nº 8.666/93, e dá providências

Leia mais

a) Relação explícita do pessoal técnico especializado, adequado e disponível para a realização do

a) Relação explícita do pessoal técnico especializado, adequado e disponível para a realização do 2. CONDIÇÕES PARA CREDENCIAMENTO 2.1. Poderão participar deste Credenciamento, as empresas que: 2.1.1 Atendam a todas as exigências deste Edital, inclusive quanto à documentação constante deste instrumento

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG Edital de Chamamento para Cadastro nº 01/2013

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG Edital de Chamamento para Cadastro nº 01/2013 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG Edital de Chamamento para Cadastro nº 01/2013 Edital de convocação de Pessoas Jurídicas para inscrição e atualização do Cadastro de Fornecedores do Município de Itaúna.

Leia mais

Estado: CEP: Fone: Fax: CONTA PARA PAGAMENTO Banco: Agência: Conta Corrente: REPRESENTANTE CREDENCIADO (PREENCHIMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL)

Estado: CEP: Fone: Fax: CONTA PARA PAGAMENTO Banco: Agência: Conta Corrente: REPRESENTANTE CREDENCIADO (PREENCHIMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL) EMPRESA INTERESSADA Nome/Razão Social: Nome Fantasia: E-mail: E-mail vendas: Site na web: N.º INSCRIÇÃO CNPJ: Estadual: Junta Comercial: Municipal: ENDEREÇO Endereço: Nº: Bairro: Cidade: Estado: CEP: Fone:

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DECRETO Nº 8.407 DE 18/12/2014 REGULAMENTA O CADASTRAMENTO DE PESSOAS FÍSICAS E JURÍDICAS NA DIVISÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES E PRESTADORES DE SERVIÇOS DICAD, SETOR INTEGRANTE DA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ALÉM PARAÍBA DEPARTAMENTO DE LICITAÇÕES

PREFEITURA MUNICIPAL DE ALÉM PARAÍBA DEPARTAMENTO DE LICITAÇÕES REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO Pessoa Jurídica Requerimento composto de 05 páginas: 1. página 01: IDENTIFICAÇÃO E DO FORNECEDOR; 2. página 02: ENQUADRAMENTO NA CATEGORIA; 3. página 03 e 04: RELAÇÃO DE DOCUMENTOS

Leia mais

Câmara Municipal de Itatiba

Câmara Municipal de Itatiba DOCUMENTOS PARA EFETUAR CADASTRO PARA EMISSÃO DO CERTIFICADO DE REGISTRO CADASTRAL "CRC" INFORMAÇÕES PARA CADASTRO DE FORNECEDORES Razão Social: Endereço: Bairro: Cidade: CEP: CNPJ: Inscrição Estadual:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA DECRETO JUDICIÁRIO Nº 13/2006

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA DECRETO JUDICIÁRIO Nº 13/2006 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA DECRETO JUDICIÁRIO Nº 13/2006 Regulamenta a inscrição, renovação, suspensão e cancelamento de registro no Cadastro de Fornecedores do Poder Judiciário

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATO RICO ESTADO DO PARANÁ CNPJ - 95.684.510/0001-31 COMISSÃO MUNICIPAL DE LICITAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATO RICO ESTADO DO PARANÁ CNPJ - 95.684.510/0001-31 COMISSÃO MUNICIPAL DE LICITAÇÃO DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA REGISTRO CADASTRAL (Conf. Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993) I - Para a habilitação jurídica: a) Cédula de identidade e registro comercial na repartição competente, para

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA ATUALIZAÇÃO E INSCRIÇÃO DE NOVOS INTERESSADOS NO REGISTRO CADASTRAL DE FORNECEDORES DO MUNICÍPIO DE TUPÃSSI/PR

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA ATUALIZAÇÃO E INSCRIÇÃO DE NOVOS INTERESSADOS NO REGISTRO CADASTRAL DE FORNECEDORES DO MUNICÍPIO DE TUPÃSSI/PR EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA ATUALIZAÇÃO E INSCRIÇÃO DE NOVOS INTERESSADOS NO REGISTRO CADASTRAL DE FORNECEDORES DO MUNICÍPIO DE TUPÃSSI/PR EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 1/2015 O MUNICÍPIO DE TUPÃSSI/PR,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 043/2010-CPJ

RESOLUÇÃO Nº 043/2010-CPJ RESOLUÇÃO Nº 043/2010-CPJ O COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o disposto no artigo 29-A da Lei nº 8.229, de 07 de dezembro de

Leia mais

CARTILHA FORNECEDOR ENDEREÇO PARA ENVIO DE DOCUMENTOS:

CARTILHA FORNECEDOR ENDEREÇO PARA ENVIO DE DOCUMENTOS: CARTILHA FORNECEDOR ENDEREÇO PARA ENVIO DE DOCUMENTOS: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul Setor de Licitações Rua Mário Linck, nº. 352, Centro Almirante Tamandaré do Sul/RS CEP 99523-000

Leia mais

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SERVIÇOS DO VALE DO RIO PARDO - CISVALE

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SERVIÇOS DO VALE DO RIO PARDO - CISVALE HABILITAÇÃO JURÍDICA Documentos para Credenciamento - Registro comercial no caso de empresa individual; - Ato Constitutivo, Estatuto ou Contrato Social em vigor, devidamente registrado em se tratando de

Leia mais

PROCESSO Nº. 650081044 EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº. 060/2011 RECEBIMENTO DAS PROPOSTAS DE CREDENCIAMENTO

PROCESSO Nº. 650081044 EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº. 060/2011 RECEBIMENTO DAS PROPOSTAS DE CREDENCIAMENTO PROCESSO Nº. 650081044 EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº. 060/2011 RECEBIMENTO DAS PROPOSTAS DE CREDENCIAMENTO Data: A partir do dia 22/06/2011 Local: FAPEU SETOR DE LICITAÇÃO (Campus Universitário s/nº, Trindade,

Leia mais

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DIVERSOS PARA EMEI GENI TEREZINHA COLOMBO.

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DIVERSOS PARA EMEI GENI TEREZINHA COLOMBO. PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO. EDITAL TOMADA DE PREÇOS Nº 72/2015 TIPO MENOR PREÇO EXCLUSIVO PARA ME s e EPP s, CONFORME REDAÇÃO DADA PELA LC 147/2014.

Leia mais

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE TUBOS DE CONCRETO

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE TUBOS DE CONCRETO PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E AGRICULTURA EDITAL TOMADA DE PREÇOS Nº 38/2015 TIPO MENOR PREÇO EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE TUBOS DE CONCRETO O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO COORDENADORIA-GERAL DE LICITAÇÕES ATENÇÃO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO COORDENADORIA-GERAL DE LICITAÇÕES ATENÇÃO ATENÇÃO 1 As empresas interessadas em participar desta licitação, deverão passar um fax para a Coordenadoria Geral de Licitação (24) 3339-9038/3339-9071 ou email cgl@vr.rj.gov.br, confirmando a retirada

Leia mais

INSCRIÇÃO OU RENOVAÇÃO CADASTRAL

INSCRIÇÃO OU RENOVAÇÃO CADASTRAL INSCRIÇÃO OU RENOVAÇÃO CADASTRAL 1. DA ENTREGA DA DOCUMENTAÇÃO 1.1. Os interessados em se inscrever e/ou renovar o Registro Cadastral junto ao GRB deverão encaminhar a documentação a seguir estabelecida,

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 001/2016 - IPMT

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 001/2016 - IPMT EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 001/2016 - IPMT CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS E SIMILARES, SOCIEDADES CORRETORAS, DISTRIBUIDORAS DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E PESSOAS JURÍDICAS QUE ATUEM COMO

Leia mais

INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com.

INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com. 1/7 INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com.br) INFORMAÇÕES I. O interessado na inscrição no Cadastro de Fornecedores

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO 1 MANUAL CADASTRO DE FORNECEDORES PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO COORDENADORIA DE GESTÃO DE BENS E SERVIÇOS - COBES DEPARTAMENTO DE GESTÃO

Leia mais

EXPLORAÇÃO COMERCIAL DE ÁREAS (LOJAS / TERRENOS)

EXPLORAÇÃO COMERCIAL DE ÁREAS (LOJAS / TERRENOS) EXPLORAÇÃO COMERCIAL DE ÁREAS (LOJAS / TERRENOS) ÍNDICE: RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA CADASTRO DE EMPRESAS INTERESSADAS NA EXPLORAÇÃO COMERCIAL DE TERRENOS, LOJAS E ESPAÇOS DE PROPRIEDADE DA COMPANHIA DO

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2013 PROCESSO N 787-09.00/13-4

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2013 PROCESSO N 787-09.00/13-4 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2013 PROCESSO N 787-09.00/13-4 Contrato AJDG n.º 031/2013 O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, por intermédio da PROCURADORIA- GERAL DE JUSTIÇA, órgão

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 017/2007 TIPO: MENOR PREÇO

CARTA CONVITE Nº 017/2007 TIPO: MENOR PREÇO CARTA CONVITE Nº 017/2007 TIPO: MENOR PREÇO PROCESSO Nº 017/2007 Tipo de Licitação: MENOR PREÇO DATA: 22/08/2007 HORÁRIO: 10:00 HORAS LOCAL: Universidade de Brasília Campus Universitário Darcy Ribeiro

Leia mais

RECIBO DE RETIRADA PROCESSO Nº 11.628/2005 EDITAL DE CONVITE N.º 05/2005

RECIBO DE RETIRADA PROCESSO Nº 11.628/2005 EDITAL DE CONVITE N.º 05/2005 SCS, Qd. 02, Bl. B, Edifício Palácio do Comércio, Sala 501 Brasília-DF Tel: (61) 224-4385 e-mail: cofecon@cofecon.org.br RECIBO DE RETIRADA PROCESSO Nº 11.628/2005 EDITAL DE CONVITE N.º 05/2005 RAZÃO SOCIAL:

Leia mais

DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: 41.20.02 MOBILIÁRIO EM GERAL - R$ 16.000,00 (Dezesseis mil reais).

DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: 41.20.02 MOBILIÁRIO EM GERAL - R$ 16.000,00 (Dezesseis mil reais). PROCESSO N.º 003/2013 LICITAÇÃO Nº 003/2013-CONVITE TIPO: MENOR PREÇO POR LOTE À EMPRESA: ENDEREÇO: O Conselho Regional de Administração-CRA, através de sua Comissão Permanente de Licitação, nos termos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ALÉM PARAÍBA DEPARTAMENTO DE LICITAÇÕES

PREFEITURA MUNICIPAL DE ALÉM PARAÍBA DEPARTAMENTO DE LICITAÇÕES REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO Pessoa Física Requerimento composto de 05 páginas: 1. página 01: IDENTIFICAÇÃO E DO FORNECEDOR; 2. página 02: ENQUADRAMENTO NA CATEGORIA; 3. página 03 e 04: RELAÇÃO DE DOCUMENTOS

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES COM RECURSOS PÚBLICOS FUNDAÇÃO SICREDI

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES COM RECURSOS PÚBLICOS FUNDAÇÃO SICREDI REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES COM RECURSOS PÚBLICOS FUNDAÇÃO SICREDI A FUNDAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E CULTURAL DO SISTEMA DE CRÉDITO COOPERATIVO FUNDAÇÃO SICREDI, institui o presente

Leia mais

REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS DE CONSULTORIA, INSTRUTORIA EM PROJETOS.

REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS DE CONSULTORIA, INSTRUTORIA EM PROJETOS. REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS DE CONSULTORIA, INSTRUTORIA EM PROJETOS. TOLEDO-PR Página 2 de 6 1. OBJETIVO 1.1 O presente regulamento objetiva

Leia mais

Estado do Amazonas PREFEITURA MUNICIPAL DE TONANTINS CNPJ: 04.628.608/0001-16 Endereço: Rua Leopoldo Peres, s/n Centro, Tonantins AM

Estado do Amazonas PREFEITURA MUNICIPAL DE TONANTINS CNPJ: 04.628.608/0001-16 Endereço: Rua Leopoldo Peres, s/n Centro, Tonantins AM EDITAL CONVITE Nº 002/2015 1 PREÂMBULO 1.1. A, através da COMISSÃO MUNICIPAL DE LICITAÇÃO CML, adiante denominada simplesmente CML, CONVIDA essa firma para participar do certame licitatório, na modalidade

Leia mais

PASSO A PASSO PARA HABILITAÇÃO COMPLETA NO CADASTRO DE FORNECEDORES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Revisão 01 em 12/01/2015

PASSO A PASSO PARA HABILITAÇÃO COMPLETA NO CADASTRO DE FORNECEDORES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Revisão 01 em 12/01/2015 GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS SEGER SUBSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL SUBAD GERÊNCIA DE LICITAÇÕES GELIC SUBGERÊNCIA DE CADASTRO DE FORNECEDORES

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE ÁGUA E ESGOTO AV. HUGO ALESSI Nº 50 B. NDUSTRIAL - FONE: (0**34) 3242-3579/3242-5026 ARAGUARI MG

SUPERINTENDÊNCIA DE ÁGUA E ESGOTO AV. HUGO ALESSI Nº 50 B. NDUSTRIAL - FONE: (0**34) 3242-3579/3242-5026 ARAGUARI MG SUPERINTENDENCIA DE AGUA E ESGOTO DE ARAGUARI DEPARTAMENTO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS COMISSÃO ESPECIAL DE CADASTRO/SETOR DE CADASTRO INSTRUÇÕES GERAIS 1. OBJETIVO Estabelecer normas e procedimentos para

Leia mais

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5.

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5. TERMO DE REFERÊNCIA I DO OBJETO 1.1. Contratação de pessoa jurídica especializada para prestação de serviço de limpeza e desinfecção de caixa d água para subseção de Dourados/MS do Coren/MS, conforme as

Leia mais

TRANSFERÊNCIA DE CONTROLE SOCIETÁRIO

TRANSFERÊNCIA DE CONTROLE SOCIETÁRIO TRANSFERÊNCIA DE CONTROLE SOCIETÁRIO O art. 27 da Lei nº 8.987, de 13/02/1995, bem como os atos de outorga dos agentes, determinam a necessidade de prévia para as transferências de controle societário

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho ATENDIMENTO IT. 14 16 1 / 23 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o atendimento realizado pelo Crea GO ao profissional, empresa e público em geral. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Lei n 5.194 24 de dezembro

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO DE JANEIRO EDITAL DE CHAMADA PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO Nº 001/2016

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO DE JANEIRO EDITAL DE CHAMADA PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO Nº 001/2016 EDITAL DE CHAMADA PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO Nº 001/2016 1.INTRODUÇÃO 1.1 O COREN/RJ, com sede na Avenida Presidente Vargas, nº 502, 3º, 4º, 5º e 6º andares, Centro, Rio de Janeiro/RJ, torna público que

Leia mais

RESOLUÇÃO CFFa nº 446, de 26 de abril de 2014 (*)

RESOLUÇÃO CFFa nº 446, de 26 de abril de 2014 (*) RESOLUÇÃO CFFa nº 446, de 26 de abril de 2014 (*) Dispõe sobre o registro de Pessoas Jurídicas nos Conselhos Regionais de Fonoaudiologia, e dá outras providências. O Conselho Federal de Fonoaudiologia-CFFa,

Leia mais

Processo nº 50608.002622/2012-53

Processo nº 50608.002622/2012-53 Processo nº 50608.002622/2012-53 EXAME DA HABILITAÇÃO JURÍDICA, FISCAL E ECONÔMICO-FINANCEIRA EDITAL Nº 0336/2014-08. Objeto: Elaboração de Projeto Executivo Detalhado para a Reforma e Ampliação da Unidade

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 001/2010

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 001/2010 Fundação Diamantinense de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 001/2010 A Fundação Diamantinense de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão FUNDAEPE torna pública a abertura

Leia mais

EDITAL PROCESSO 4674/2009

EDITAL PROCESSO 4674/2009 EDITAL PROCESSO 4674/2009 A Justiça Federal de Primeiro Grau em Minas Gerais, por intermédio da Pregoeira designada pela Portaria 10/58-DIREF de 24/06/2009 realizará o pregão presencial em epígrafe, regido

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE CREDENCIAMENTO 01/14

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE CREDENCIAMENTO 01/14 A COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL - SULGÁS, com sede na cidade de Porto Alegre/RS, à Rua Sete de Setembro, 1069 5º andar, Bairro Centro Histórico - CEP: 90010-191, com fundamento no artigo

Leia mais

Edital de Chamamento Público nº 001/2016 Protocolo nº 020/2015

Edital de Chamamento Público nº 001/2016 Protocolo nº 020/2015 Edital de Chamamento Público nº 001/2016 Protocolo nº 020/2015 Credenciamento de instituições financeiras interessadas na concessão de empréstimos consignados em folha de pagamento aos empregados desta

Leia mais

Edital de convite para

Edital de convite para CÂMARA MUNICIPAL DE ARVOREZINHA EDITAL DE CONVITE N.º 004/2014 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 006/2014 TIPO MENOR PREÇO POR ITEM ENTREGA DA DOCUMENTAÇÃO E ABERTURA DOS ENVELOPES DA DOCUMENTAÇÃO: 13/11/2014,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Boa Vista do Buricá/RS

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Boa Vista do Buricá/RS ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Boa Vista do Buricá/RS EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS N 001/2014 TIPO MENOR PREÇO POR ITEM EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS PARA CONTRATAÇAO DE EMPRESA PARA FORNECIMENTO

Leia mais

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628 LEI N 812 de 12 de maio de 2014. Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e, a Ferramenta de Declaração Eletrônica de Serviços - DES, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPIMIRIM,,

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina CONTRATO N. 124/2009 Contrato para fornecimento e instalação de switch gigabit de 24 portas, layer 3, autorizado pelo Senhor Eduardo Cardoso, Secretário de

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina CONTRATO N. 093/2014 Contrato para fornecimento e instalação de unidade de backup padrão LTO-5,, autorizado pelo Senhor Eduardo Cardoso,, Secretário de Administração

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO BRANCO ESTADO DE MINAS GERAIS Procuradoria Geral DECRETO Nº 6.487, DE 27 DE OUTUBRO DE 2011.

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO BRANCO ESTADO DE MINAS GERAIS Procuradoria Geral DECRETO Nº 6.487, DE 27 DE OUTUBRO DE 2011. DECRETO Nº 6.487, DE 27 DE OUTUBRO DE 2011. REGULAMENTA A UTILIZAÇÃO DA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFSE E DECLARAÇÃO FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NO MUNICÍPIO DE OURO BRANCO, E DÁ OUTRAS PRIVIDÊNCIAS.

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº 08/2015 EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA (ACESSIBILIDADE E DIAGRAMAÇÃO)

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº 08/2015 EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA (ACESSIBILIDADE E DIAGRAMAÇÃO) COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº 08/2015 EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA (ACESSIBILIDADE E DIAGRAMAÇÃO) Tipo: Melhor Técnica O Instituto Brasileiro de Administração Municipal - IBAM, associação

Leia mais

PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta o credenciamento de empresas de tecnologia para geração de códigos de segurança cifrados (CSC) inseridos em códigos bidimensionais de resposta rápida

Leia mais

FUNDO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE TURVO - PR. Tomada de Preço N.º 001/2014.

FUNDO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE TURVO - PR. Tomada de Preço N.º 001/2014. FUNDO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE TURVO - PR. Tomada de Preço N.º 001/2014. Emissão: 09/12/2014. Abertura: 29/12/2014. Horário: 10:00 H. O Fundo de Previdência dos Servidores Municipais

Leia mais

EDITAL DE DISPENSA DE LICITAÇÃO N 004/2014 TIPO: MENOR PREÇO

EDITAL DE DISPENSA DE LICITAÇÃO N 004/2014 TIPO: MENOR PREÇO EDITAL DE DISPENSA DE LICITAÇÃO N 004/2014 TIPO: MENOR PREÇO (PROCESSO N 2014/11/267) O Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Paranaguá, por sua Comissão Permanente de Licitação, designada

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO PORTO DE MACEIÓ - APMC

ADMINISTRAÇÃO DO PORTO DE MACEIÓ - APMC RESUMO DA NORMA PARA INSCRIÇÃO NO CADASTRO DA APMC/CODERN DOS OPERADORES PORTUÁRIOS PROCEDIMENTOS EDOCUMENTOS PARA INSCRIÇÃO/RENOVAÇÃO DOS OPERADORES PORTUÁRIOS Os pedidos de inscrição no Cadastro da APMC/CODERN

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina CONTRATO N. 127/2015 Contrato para a contratação de suporte técnico, com direito de atualização de versões, para 15 (quinze) licenças de uso flutuantes do

Leia mais

EDITAL Nº 01/2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DO IFPR CAMPUS PITANGA

EDITAL Nº 01/2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DO IFPR CAMPUS PITANGA EDITAL Nº 01/2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DO IFPR CAMPUS PITANGA O INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ IFPR, no uso de suas atribuições, torna público o presente Edital com normas que regem o Processo simplificado

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VERA CRUZ

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VERA CRUZ ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VERA CRUZ SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE LICITAÇÃO Nº 01/2010 MODALIDADE CONVITE PROCESSO Nº 058/2010 Contratação de serviços

Leia mais

CADASTRO DE FORNECEDORES (MATERIAL/SERVIÇOS)

CADASTRO DE FORNECEDORES (MATERIAL/SERVIÇOS) CADASTRO DE FORNECEDORES (MATERIAL/SERVIÇOS) ÍNDICE RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA CADASTRO DE FORNECEDORES DE MATERIAL/SERVIÇOS PÁGINA 2 FICHA DE INFORMAÇÕES PARA CADASTRO DE FORNECEDORES PÁGINA 4 DECLARAÇÃO

Leia mais

Processo nº 50608.000045/2014-27

Processo nº 50608.000045/2014-27 Processo nº 50608.000045/2014-27 EXAME DA DOCUMENTAÇÃO DE HABILITAÇÃO JURÍDICA, FISCAL, ECONÔMICO FINANCEIRA EDITAL Nº 0438/2014-08. Objeto: Seleção de empresa especializada para Execução de serviços técnicos

Leia mais

RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977.

RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977. RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977. DÁ NOVA REDAÇÃO À RESOLUÇÃO N o 18, DE 10.02.72, DO CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA, PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DE 27.03.72. CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA

Leia mais

Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul.

Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul. LEI Nº 13.179, DE 10 DE JUNHO DE 2009 Business Online Comunicação de Dados Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Faço

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Boa Vista do Buricá SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2014

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Boa Vista do Buricá SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2014 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Boa Vista do Buricá SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2014 O Município de Boa Vista do Buricá, comunica aos interessados

Leia mais

TERMO DE CONVOCAÇÃO Nº. 012/14 MODALIDADE: CONVITE PROCESSO: 300/2014

TERMO DE CONVOCAÇÃO Nº. 012/14 MODALIDADE: CONVITE PROCESSO: 300/2014 TERMO DE CONVOCAÇÃO Nº. 012/14 MODALIDADE: CONVITE PROCESSO: 300/2014 DATA DE ABERTURA: 27/05/2014 15H (HORÁRIO DE BRASÍLIA) SEDE DO CPB: SETOR BANCÁRIO NORTE QD 02, LT 12, BL F, ED. VIA CAPITAL, 14º ANDAR.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho ATENDIMENTO IT. 14 13 1 / 20 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o atendimento realizado pelo Crea GO ao profissional, empresa e público em geral. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Lei n 5.194 24 de dezembro

Leia mais

Comissão de Licitação

Comissão de Licitação CARTA CONVITE: 2014.0010 19ª Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação A da EEEP RAIMUNDO SARAIVA COELHO JUAZEIRO DO NORTE CE comunica a V.Sª. que às 16h do dia 28 DE NOVEMBRO DE 2014, na Sede

Leia mais

PORTARIA Nº 131, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008

PORTARIA Nº 131, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 PORTARIA Nº 131, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 Estabelece os requisitos técnicos e procedimentos para credenciamento de empresas prestadoras de serviço de vistoria em veículos automotores. O DIRETOR DO DEPARTAMENTO

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Ministério da Fazenda Comissão de Valores Mobiliários INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Estabelece normas e procedimentos para a organização e o funcionamento das corretoras de mercadorias. O

Leia mais

PORTARIA Nº 293, DE 4 DE OUTUBRO DE 2007. Art. 4º - Fica revogada a Orientação Normativa GEARP 001, de 28 de setembro de 2000.

PORTARIA Nº 293, DE 4 DE OUTUBRO DE 2007. Art. 4º - Fica revogada a Orientação Normativa GEARP 001, de 28 de setembro de 2000. PORTARIA Nº 293, DE 4 DE OUTUBRO DE 2007 O SECRETÁRIO-ADJUNTO DO PATRIMÔNIO DA UNIÃO, no uso de suas atribuições, tendo em vista o disposto no Art. 32 do Regimento Interno da Secretaria do Patrimônio da

Leia mais

REGULARIDADE DE RECOLHIMENTO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS - Obtenção de CND, CPD-EN e CPD

REGULARIDADE DE RECOLHIMENTO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS - Obtenção de CND, CPD-EN e CPD REGULARIDADE DE RECOLHIMENTO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS - Obtenção de CND, CPD-EN e CPD Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 04/04/2013. Sumário: 1 - Introdução 2 - Prova de Inexistência

Leia mais

Cotação de Preços Processo nº 002/2016

Cotação de Preços Processo nº 002/2016 Feira de Santana, 21 de janeiro de 2016. MOC - Movimento de Organização Comunitária Cotação de Preços Processo nº 002/2016 A O Movimento de Organização Comunitária vem através desta, convidar essa conceituada

Leia mais

EEEP PROFESSOR GUSTAVO AUGUSTO LIMA E-mail: eeepgustavolima@escola.ce.gov.br Lavras da Mangabeira Ceará

EEEP PROFESSOR GUSTAVO AUGUSTO LIMA E-mail: eeepgustavolima@escola.ce.gov.br Lavras da Mangabeira Ceará MINUTA DO CONVITE Nº 030/2014. Natureza da Despesa: SERVIÇOS PESSOA JURÍDICA 3390390091 - REPASSE PARA MANUTENÇÃO DE ESCOLAS Data de Emissão: 29/09/2013 Data da Licitação: 09/10/2014 Hora da Licitação:

Leia mais

EDITAL DE TOMADA DE PREÇO N.º 004/2015. Objeto

EDITAL DE TOMADA DE PREÇO N.º 004/2015. Objeto EDITAL DE TOMADA DE PREÇO N.º 004/2015 O Município de Benjamin Constant do Sul - RS, em conformidade com a Lei Federal n.º 8.666/93 e suas alterações, torna público para conhecimento dos interessados a

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº 02/2016 EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA (TÉCNICO SÊNIOR II)

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº 02/2016 EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA (TÉCNICO SÊNIOR II) COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº 02/2016 EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA (TÉCNICO SÊNIOR II) Tipo: Melhor Técnica O Instituto Brasileiro de Administração Municipal - IBAM, associação civil

Leia mais

Quais são as 4 principais certidões indispensável para participar em uma licitação?

Quais são as 4 principais certidões indispensável para participar em uma licitação? Quais são as 4 principais certidões indispensável para participar em uma licitação? As certidões indispensáveis à participação nas licitações, conforme previsto no artigo 27 da Lei 8.666/93, são: certidão

Leia mais

EDITAL CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015. VISANDO O CREDENCIAMENTO FISIOTERAPEUTA E NUTRICIONISTA,.

EDITAL CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015. VISANDO O CREDENCIAMENTO FISIOTERAPEUTA E NUTRICIONISTA,. EDITAL CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015. VISANDO O CREDENCIAMENTO FISIOTERAPEUTA E NUTRICIONISTA,. Município de Nova Iguaçu de Goiás, por seu PREFEITO MUNICIPAL DE NOVA IGUAÇU DE GOIÁS, faz saber pelo presente

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE LIMPEZA URBANA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE LIMPEZA URBANA Minuta de Contrato CONTRATO que entre si fazem o DEPARTAMENTO MU- NICIPAL DE LIMPEZA URBANA e a empresa XXXXXX, para fornecimento de tinta, conforme Termo de Referência, a ser utilizada na pintura dos

Leia mais

V - Anexo V - solicitação de cancelamento ou atualização de habilitação.

V - Anexo V - solicitação de cancelamento ou atualização de habilitação. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 22, DE 20 DE JUNHO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁ- RIA E ABASTECIMENTO, no uso das atribuições

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA CAPTAÇÃO DE PATROCÍNIO PROJETO DE INFRAESTRUTURA DO CENTRO CULTURAL DAVID RIBEIRO - MERCADO VELHO

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA CAPTAÇÃO DE PATROCÍNIO PROJETO DE INFRAESTRUTURA DO CENTRO CULTURAL DAVID RIBEIRO - MERCADO VELHO EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA CAPTAÇÃO DE PATROCÍNIO PROJETO DE INFRAESTRUTURA DO CENTRO CULTURAL DAVID RIBEIRO - MERCADO VELHO 1 OBJETO 1.1 O presente chamamento público tem por objeto a captação

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica do Município, e

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica do Município, e DECRETO Nº 063/2013-GP. Regulamenta e implementa a Lei Complementar Federal n 123 de 14 de Dezembro de 2006 e a Lei Geral Municipal da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte n 216, de 18 de dezembro

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA 1 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 022/2012 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE MIDIA EXTERIOR OUTDOOR - QUE ENTRE SI CELEBRAM O CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA E O GRUPO CATARINENSE

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO N 12/2007 Sistema de Registro de Preços

PREGÃO ELETRÔNICO N 12/2007 Sistema de Registro de Preços PREGÃO ELETRÔNICO N 12/2007 Sistema de Registro de Preços EDITAL A Justiça Federal de Primeiro Grau em Minas Gerais, por intermédio da Pregoeira designada pela Portaria 10-124-DIREF de 29/06/2006, realizará

Leia mais

EDITAL Nº 004/2013. 1.4- As funções públicas deverão ser tão somente as vinculadas ao impedimento de titular.

EDITAL Nº 004/2013. 1.4- As funções públicas deverão ser tão somente as vinculadas ao impedimento de titular. EDITAL Nº 004/2013 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS PÚBLICOS E O SECRETARIO MUNICIPAL DE SÁUDE, no uso de suas atribuições legais e com base nos dispositivos de leis municipais vigentes,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI CONTRATO Nº 051/2016 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO/FORNECIMENTO QUE FAZEM ENTRE SI, DE UM LADO O MUNICIPIO DE ALTO TAQUARI MT E DE OUTRO LADO A EMPRESA ADARI BARBOSA DE QUEIROZ - ME. O Município de

Leia mais

ANEXO II- MINUTA DE CONTRATO TERMO DE CONTRATO Nº

ANEXO II- MINUTA DE CONTRATO TERMO DE CONTRATO Nº ANEXO II- MINUTA DE CONTRATO TERMO DE CONTRATO Nº PROCESSO SEI Nº 03209.200466/2015-50/2015. CREDENCIAMENTO Nº 1/2015. TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº.../..., QUE FAZEM ENTRE SI A UNIÃO,

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO

FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO CONVITE N.º 21/2012 PROCESSO DE COMPRA N.º 146/2012 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA REMANEJAMENTO DO SISTEMA DE TELEFONIA (PABX) DE PROPRIEDADE DA FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO

Leia mais

EDITAL DE CONVITE nº. 002/2016

EDITAL DE CONVITE nº. 002/2016 EDITAL DE CONVITE nº. 002/2016 Tipo de Licitação: Menor preço global Data abertura: 26/04/2016 Horário: 14:30hs Local: Sede do Conselho Regional de Odontologia do Distrito Federal SCN, Quadra 1, Ed. Central

Leia mais

IMPORTANTE!!! OBJETO: CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CORRESPONDENTE NÃO BANCÁRIO DO BRB.

IMPORTANTE!!! OBJETO: CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CORRESPONDENTE NÃO BANCÁRIO DO BRB. EDITAL DE CREDENCIAMENTO BRB - 2007/001 IMPORTANTE!!! É de responsabilidade do licitante o acompanhamento das alterações do Edital. O BRB não se responsabiliza pelo problemas de conexão e/ou falha na comunicação

Leia mais

Management Company TMC) para prestação de serviços de viagens executados por

Management Company TMC) para prestação de serviços de viagens executados por ATA DE JULGAMENTO DE IMPUGNAÇÃO AO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 11/2011 Ao primeiro dia do mês de abril de 2011, reuniram-se a Pregoeira e os integrantes da Equipe de Apoio para análise e julgamento

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral do Amapá COORDENADORIA DE MATERIAL E PATRIMÔNIO

Tribunal Regional Eleitoral do Amapá COORDENADORIA DE MATERIAL E PATRIMÔNIO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n.º 25 /2014 PROCESSO n.º 62/2013 (Protocolo nº 6.007). PREGÃO ELETRÔNICO n.º 49/2013 VALIDADE: 12 (doze) meses Aos quatorze dias do mês de abril do ano de dois mil e quatorze,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPOÁ CHEFIA DE GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPOÁ CHEFIA DE GABINETE DO PREFEITO DECRETO MUNICIPAL Nº 1388/2011 Data: 27 de outubro de 2011 INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS - NF-E NO MUNICÍPIO DE ITAPOÁ. ERVINO SPERANDIO, Prefeito Municipal de Itapoá (SC),

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/14 -Processo nº 1.120-

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/14 -Processo nº 1.120- EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/14 -Processo nº 1.120- O SEPREM Serviço de Previdência Municipal de Itapetininga, com sede na Rua Monsenhor Soares, 65, centro, no Município de Itapetininga, Estado de

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 002/2015

PROCESSO SELETIVO Nº 002/2015 PROCESSO SELETIVO Nº 002/2015 INSTITUTO DE GESTÃO EM SAÚDE INSTITUTO GERIR, Associação sem fins lucrativos, inscrito no CNPJ sob o nº 14.963.977/0001-19, qualificado como Organização Social pelo Estado

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Código de Classificação: 13.02.01.15 1 DO OBJETO: A presente licitação tem por objeto a contratação de empresa para prestação dos serviços de cobertura securitária (seguro) para assegurar

Leia mais

Leis sobre TV paga - TV por Satélite REGULAMENTO SERVIÇO DE TRANSPORTE DE SINAIS DE TELECOMUNICAÇÕES POR SATÉLITE. Capítulo I DAS GENERALIDADES

Leis sobre TV paga - TV por Satélite REGULAMENTO SERVIÇO DE TRANSPORTE DE SINAIS DE TELECOMUNICAÇÕES POR SATÉLITE. Capítulo I DAS GENERALIDADES Leis sobre TV paga - TV por Satélite REGULAMENTO SERVIÇO DE TRANSPORTE DE SINAIS DE TELECOMUNICAÇÕES POR SATÉLITE Capítulo I DAS GENERALIDADES Art. 1o Este Regulamento dispõe sobre Serviço de Transporte

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROCESSO N.º 2810-09.00/12-7 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 85/2012 Contrato AJDG N.º 004/13 O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, por intermédio da PROCURADORIA- GERAL DE JUSTIÇA, órgão

Leia mais

ANEXO I MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E INFRAESTRUTURA TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E INFRAESTRUTURA TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E INFRAESTRUTURA 1 OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1. Contratação de empresa especializada, para o eventual

Leia mais

Luiz A. Paranhos Velloso Junior Presidente da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro ID. 1919046-8

Luiz A. Paranhos Velloso Junior Presidente da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro ID. 1919046-8 PORTARIA JUCERJA N.º 1.408, DE 25 DE AGOSTO DE 2015. APROVA REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE PERITOS GRAFOTÉCNICOS, NO ÂMBITO DA JUCERJA. O PRESIDENTE DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS - COPASA MG EDITAL DE CREDENCIAMENTO SPAL 01/2014

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS - COPASA MG EDITAL DE CREDENCIAMENTO SPAL 01/2014 COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS - COPASA MG EDITAL DE CREDENCIAMENTO SPAL 01/2014 CAPÍTULO PRIMEIRO - DA FINALIDADE 1.1 A Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA MG, com endereço à Rua

Leia mais

Cotação de Preços Processo nº 002/2016

Cotação de Preços Processo nº 002/2016 Feira de Santana, 11 de janeiro de 2016. MOC - Movimento de Organização Comunitária Cotação de Preços Processo nº 002/2016 A O Movimento de Organização Comunitária vem através desta, convidar essa conceituada

Leia mais