Flexibilidade total para projeto e instalação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Flexibilidade total para projeto e instalação"

Transcrição

1

2 Flexibilidade total para projeto e instalação Perfeita vedação Resistência química Facilidade de limpeza e inspeção Soluções técnicas adequadas

3 ÍNIE ESGOTO SÉRIE NORML E SÉRIE REFORÇ aracterísticas da Linha Série Normal Instruções de Instalação Itens da Linha aracterísticas da Linha Série Reforçada Itens da Linha Instruções Gerais IXS E RLOS aracterísticas da Linha Instruções de Instalação Itens da Linha Instruções Gerais IXS MÚLTIPLS aracterísticas da Linha Instruções de Instalação Itens da Linha

4 Soluções TIGRE para Instalações de qualidade de vida das pessoas depende da qualidade da infraestrutura disponível onde elas vivem. Por isso, a Tigre desenvolve sistemas inéditos, eficientes e duráveis para prédios residenciais e comerciais e para a infra-estrutura urbana, como as modernas soluções para coleta e condução de esgotos. Investimento em Saneamento é sinônimo de prevenção à problemas de saúde e respeito ao meio ambiente. Saneamento básico é condição mínima e indispensável para chegarmos ao sonhado desenvolvimento sustentável. Por isso, a Tigre desenvolve sistemas que visam coletar e conduzir a um destino adequado os efluentes de esgotos com garantia de segurança e perfeito funcionamento. Nas próximas páginas, você encontra todas as informações necessárias, dispostas de forma clara, para projetar, especificar e instalar as soluções Tigre para esgoto. 04

5

6 Série Normal e Reforçada Linha Série Normal TIGRE lasse de Rigidez: mm = Pa mm = 9.000Pa mm =4.000Pa, e 200mm =1.0Pa Função e plicação Linha de tubos e conexões fabricados de PV rígido, para condução dos efluentes dos aparelhos sanitários, inclusive das bacias sanitárias e mictórios, em instalações prediais de esgoto e ventilação. enefícios Temperatura máxima de trabalho: 45º em regime não contínuo; Superfície interna lisa. NORMS E REFERÊNI São fabricados conforme a norma NR Sistemas Prediais de Água Pluvial, Sanitário e Ventilação. Para a instalação, deve-se seguir a norma NR Sistemas Prediais de Sanitário - Projeto e Execução. Linha completa para atender as necessidades dos sistemas prediais de esgoto; Facilidade de instalação: simples execução das juntas, leveza dos materiais; Estanqueidade: tanto o sistema soldável quanto o de junta elástica garantem estanqueidade, quando bem executados; Fácil solução para reparos através da Luva de orrer da linha; Elevada resistência química, graças à matéria-prima. aracterísticas Técnicas Tubos e conexões de PV rígido, na cor branca; Tubos de 6 e 3 metros com ponta e bolsa (somente N com bolsas lisas); Juntas que aceitam o sistema soldável (com adesivo plástico) ou elástico (com anel de borracha); iâmetros: N (com bolsas para juntas soldáveis), N, N, N, N e N 200; 06

7 Série Normal e Reforçada Execução das Juntas Elásticas O processo de execução de juntas é o mesmo para as linhas Série Normal e Série Reforçada. ntes da execução das juntas, verifique se todos os materiais necessários já estão reunidos no local da obra: anéis de borracha, Pasta Lubrificante TIGRE, trena ou metro, lápis. Passo 4: Encaixe a ponta chanfrada do tubo no fundo da bolsa, recue 5mm no caso de tubulações expostas e 2mm para tubulações embutidas, tendo como referência a marca previamente feita na ponta do tubo. Esta folga se faz necessária para a dilatação da junta. Execução das juntas soldáveis Passo 1: Limpe a ponta e a bolsa do tubo e acomode o anel de borracha na virola da bolsa. Passo 2: Marque a profundidade da bolsa na ponta do tubo. Passo 1: Utilizando uma lixa, tire o brilho das superfícies a serem soldadas para aumentar a área de ataque do adesivo. Passo 3: plique a Pasta Lubrificante TIGRE no anel e na ponta do tubo. Não use óleo ou graxa, que poderão atacar o anel de borracha. Faça um chanfro na ponta do tubo para facilitar o encaixe. Passo 2: Limpe as superfícies lixadas com Solução Preparadora TIGRE, eliminando impurezas e gorduras. Observe que o encaixe deve ser bastante justo, quase impraticável sem o adesivo, pois sem pressão não se estabelece a soldagem. 07

8 Série Normal e Reforçada Passo 3: istribua uniformemente o adesivo com o pincel ou com o bico da própria bisnaga nas superfícies a serem soldadas. Evite excesso de adesivo. Passo 4: Encaixe as partes e remova qualquer excesso de adesivo. IMPORTNTE s linhas Série Normal e Série Reforçada são intercambiáveis, ou seja: podem ser encaixadas uma na outra, pois possuem o mesmo diâmetro externo. Porém, tome cuidado com a temperatura: a linha Série Normal suporta 45 e a Série Reforçada suporta. 08

9 Série Normal e Reforçada Itens da Linha Série Normal Tubo Série Normal 3 Metros e L 26 1, ,7 1, , , , Tubo Série Normal 6 Metros e L 26 1, ,7 1, , , , , urva 45º Longa Série Normal R , urva 90º urta Série Normal R ,42, , ,6 80, ,

10 Série Normal e Reforçada urva 90º Longa Série Normal R , urva R 45º Série Normal E d e , Joelho 45º Série Normal e L 27, , , , , , Joelho 90º Série Normal ,6,1 29,9,

11 Série Normal e Reforçada Joelho 90º com nel Série Normal b Joelho 90º com Visita Série Normal d H X , Junção upla Série Normal H X X 94, , X X Junção Invertida Série Normal b c d X , X , ,

12 Série Normal e Reforçada Junção Simples b c d s X X X X X X X X 200 X , ,5 64,7, ,5,7 206, , ,5,7 219, ,6 110, Tê Série Normal d H s X X , ,4,7, X X ,8 109,8 103,8 103,8,7 194,5 194,5 X X X X X 200 X ,6 104,4, ,3 116, ,6 130, ,9 154,2 268, , Tê de Inspeção Série Normal d H X 95 67,3 2 1/ ruzeta SN H R N 102,4,4 225,8 118, '

13 Série Normal e Reforçada Luva de orrer Série Normal 45, ,5 51, , , , Luva Simples Série Normal , , , Plug Série Normal E 64 39, , ,3 41, Prolongamento para Válvula de Retenção E

14 Série Normal e Reforçada Redução Excêntrica Série Normal E d X 108, , X 130, , X X 148, X 163, Terminal de Ventilação Série Normal E ,5, , Válvula de Retenção Série Normal E L ,2 106, daptador para Saída de Vaso Sanitário E 121,

15 Série Normal e Reforçada ucha de Redução Longa Série Normal E d X 77 26, ap Série Normal , , Portinhola para Válcula de Retenção INOX PV H PV INOX nel de orracha Série Normal e 3,53, ,2 49, ,2 74, ,2 101, ,2 149, ,

16 Série Normal e Reforçada desivo Plástico para PV - Frasco - PESO (g) desivo Plástico para PV - isnaga - PESO (g) Solução Preparadora Frasco - VOLUME (cm³) Pasta Lubrificante PESO (g)

17 Série Normal e Reforçada Linha Série Reforçada TIGRE aracterísticas Técnicas Função e plicação Linha de tubos e conexões de PV rígido, fabricados com espessura de parede maior que a linha Série Normal, para serem utilizados na condução de efluentes em trechos que sofrem maiores impactos internos ou externos, como: tubos de queda, subcoletores, ramais de despejo de máquinas de lavar louças residenciais e também condutores verticais de água da chuva, em obras com mais de 3 pavimentos. enefícios Resistência a esforços mecânicos e à temperatura superior a da linha Série Normal; Linha completa para atender as necessidades dos sistemas prediais de esgoto; Facilidade de instalação: simples execução das juntas, leveza dos materiais; Estanqueidade: tanto o sistema soldável quanto o de junta elástica garantem estanqueidade, sendo bem executados; Fácil solução para reparos através da Luva de orrer da linha; Elevada resistência química, graças à matéria-prima. Tubos e conexões fabricados de PV rígido na cor bege pérola; Tubos de 6 e 3 metros com ponta e bolsa; iâmetros: N, N, N, N, N e N 200; lasse de Rigidez: mm = Pa mm = Pa mm = 3.700Pa mm = 3.0Pa Juntas que aceitam o sistema soldável (com adesivo plástico) ou elástico (com anel de borracha); Temperatura máxima de trabalho: º em regime não contínuo; Superfície interna lisa. NORMS E REFERÊNI São fabricados conforme a norma NR Sistemas Prediais de Água Pluvial, Sanitário e Ventilação. Para a instalação, deve-se seguir a norma NR Sistemas Prediais de Sanitário - Projeto e Execução. Execução das Juntas Elásticas e Soldáveis execução das juntas elásticas e soldáveis segue o mesmo procedimento da linha Série Normal, com o uso da Pasta Lubrificante TIGRE para juntas elásticas, e desivo Plástico para PV com Solução Preparadora para juntas soldáveis. 17

18 Série Normal e Reforçada Itens da Linha Série Reforçada Tubo Série R 3 Metros L e , ,8, , , Tubo Série R 6 Metros L e , ,8, , , urva 87º 30 Série Reforçada 97, , urvar 45º Série Reforçada E d e

19 Série Normal e Reforçada urvar 90º Série Reforçada E d e Joelho 45º para Pé de oluna Série Reforçada Joelho 45º Série Reforçada , ,1, , , , Joelho 90º Série Reforçada , , , ,8 60,

20 Série Normal e Reforçada Joelho 90º Série Reforçada com Visita b c d X 101,4 41,7 39,6 61, Junção upla Série Reforçada H X X 127, , Junção Simples Série Reforçada b c d s X X X X X X X 51, ,5 56, ,7,7 159, ,2 207, , ,5 257, ,5 96, , Tê de Inspeção Série Reforçada dr 125, ,7 2 1/2" X ,3 2 1/2" 2627 X ,5 4"

21 Série Normal e Reforçada Tê Série Reforçada d b c ,4 80, X 208,1 41, , X 271, ,8 102, , ucha de Redução Longa Série Reforçada E X 87,8 37, ap Série Reforçada Luva de orrer Série Reforçada 85,9 76, ,1 102, ,

22 Série Normal e Reforçada Luva Simples Série Reforçada ,7 39, , , Redução Excêntrica Série Reforçada E d X,8 39, X X nel de orracha Série Reforçada e 3,53, ,2 49, ,2 74, ,2 101, ,2 149, desivo Plástico para PV - Frasco PESO (g)

23 Série Normal e Reforçada desivo Plástico para PV - isnaga PESO (g) Solução Preparadora Frasco VOLUME (cm³) desivo Especial PESO (g) Pasta Lubrificante PESO (g)

24 Série Normal e Reforçada Instruções Instalações Embutidas s instalações deverão permitir fácil acesso para eventual execução de reparos e não deverá interferir nas condições de estabilidade da construção. tubulação não deverá ficar solidária à estrutura da construção, devendo existir folga ao redor do tubo nas travessias de estruturas ou de paredes, para se evitar danos à tubulação na ocorrência de eventuais recalques (rebaixamento da terra ou da parede após a construção da obra). Vertical: colocar um suporte (braçadeira) a cada 2 metros. Instalações Enterradas Quando embutidas em alvenaria, deverão ser envolvidas em papel ou material semelhante, o que fará com que exista uma folga entre o tubo e a parede. Isto evitará o aparecimento de fissuras e rachaduras causadas pelas dilatações e contrações térmicas do material. Instalações parentes Nas instalações aparentes os tubos devem ser fixados com braçadeiras de superfícies internas lisas e largas, obedecendo o seguinte espaçamento: Horizontal: calcular 10 vezes o diâmetro da canalização (10 x N). Por exemplo, se temos um tubo de mm, o distanciamento entre os suportes será de 10 x mm = 0 mm ( ou 1 metro) s tubulações devem ser assentadas em terreno resistente ou sobre base apropriada, livre de detritos ou materiais pontiagudos. O fundo da vala dever ser uniforme e para tanto, deve ser regularizado utilizando-se areia ou material granular. Estando o tubo colocado no seu leito, preencha lateralmente com o material indicado, compactando-o manualmente em camadas de 10 a 15 cm até atingir a altura correspondente à parte superior do tubo. ompletar a colocação do material até 30cm acima da parte superior do tubo. Esta região acima do tubo deve ser compactada somente hidraulicamente. O restante do material de reaterro da vala deve ser lançado em camadas sucessivas e compactadas, de tal forma que se obtenha o mesmo estado do terreno das laterais da vala. profundidade mínima de assentamento da tubulação deve ser conforme recomendação a seguir: 24

25 Série Normal e Reforçada Profundidade Mínima de ssentanto argas Profundidade"h" (m) Interior dos lotes 0,30 Passeio 0,60 Tráfego de veículos leves 0,80 Tráfego pesado e intenso 1,20 Ferrovia 1, Recomendamos que a largura da vala a ser aberta para realizar o assentamento da tubulação seja: N + 30 cm Por exemplo, se você tiver uma tubulação com N (10 cm), você terá de abrir uma vala de = centímetros. TERR TERR aso não seja possível executar esse recobrimento mínimo, ou se sobre o local onde a tubulação ficará enterrada haverá peso de construções ou carga de veículos, deverá existir uma proteção maior, com uso de lajes ou canaletas de concreto que impeçam a ação desses esforços sobre a tubulação. N+30 REI TUO E PV IMPORTNTE Estas dicas servem para toda a instalação de esgoto, seja com a linha Série Normal ou Reforçada. 25

26 Série Normal e Reforçada plicação das Juntas Soldáveis e Elástica Ramal de Ventilação s juntas soldáveis são mais utilizadas em pequenos trechos horizontais, por exemplo em pequenos trechos de banheiros e cozinhas. Já a junta elástica não tem restrições. São muito utilizadas para tubos de queda, tubulações enterradas e sub-coletores em grandes trechos horizontais aparentes nos tetos das garagens. Normalmente são indicadas para tubulações enterradas, pois se adapta melhor às movimentações naturais do solo. Junção Invertida e Junção Simples Junção Invertida tem por finalidade formar o cavalete de ventilação. Serve também para interligar a coluna de ventilação ao tubo de queda. Já a Junção Simples pode ser usada tanto na vertical como na horizontal, para coletar dois fluxos de esgoto de canalizações que se interligam a 45. Um componente fundamental para o perfeito funcionamento do sistema de esgoto, e que não pode ser esquecido, é a ventilação. Ventilação é o conjunto de tubulações que permite a entrada de ar da atmosfera para o interior da instalação de esgoto. esta forma, a ventilação protege os desconectores, impedindo o rompimento do fecho hídrico, ou seja, a falta do fecho hídrico no desconector ocasionado por uma eventual pressão negativa na instalação. lém disso, a ventilação permite a saída dos gases do esgoto para a atmosfera. ventilação completa de um sistema de esgoto é composta pelos seguintes elementos: a) Ramal de ventilação: trecho de tubulação que interliga o desconector, ou ramal de descarga, a uma coluna de ventilação. b) oluna de ventilação: nome dado ao tubo ventilador em construções com mais de dois andares. Quando em residências de até 2 andares, costuma-se chamar a coluna de ventilação de tubo ventilador. extremidade superior da coluna ou do tubo ventilador deve estar sempre aberta à atmosfera, ultrapassando o telhado em no mínimo 30 cm. Para impedir a entrada de folhas, água da chuva e outros tipos de obstrução na coluna de ventilação, a TIGRE oferece os Terminais de Ventilação, fabricados nos diâmetros de, e mm. EXL USIVI E TIGRE iâmetros disponíveis: Junção Invertida: N x, N x Junção Simples: N x, x, x N x, x, x N x, x, x 30 cm 26

27 Série Normal e Reforçada Pés de oluna Retorno de Nos pés-de-coluna, onde podem ocorrer impactos provocados pela queda de resíduos sólidos, normalmente lançados nos esgotos, devem ser utilizadas conexões reforçadas. urva 87º 30' da linha Série Reforçada foi especialmente projetada com reforço adicional de espessura de parede, que lhe proporciona grande resistência. O ângulo de 87 30' permite à tubulação horizontal, a ela ligada, uma declividade apropriada, sem que seja necessário curvar o tubo junto à bolsa. Válvula de Retenção de TIGRE foi projetada para evitar retorno nas instalações prediais de esgoto e águas pluviais, principalmente nos casos de inundações, enchentes, refluxo das marés, entupimentos ou ainda vazões elevadas nos períodos de fortes chuvas. Ela possui um anel de borracha para vedação da tampa, o que impede a liberação de mau cheiro, e pode trabalhar a uma temperatura de 45 em regime não contínuo. Válvula de Retenção TIGRE pode ser utilizada também em ramais prediais de águas pluviais. IMPORTNTE Não é recomendado "concretar" a Válvula de Retenção TIGRE. iâmetros disponíveis: N 27

28 Série Normal e Reforçada urvar TIGRE onsumo de desivo Plástico e Solução Preparadora EX LUSIVIE TIGRE Para o cálculo do consumo de desivo Plástico e Solução Preparadora, utilize a tabela a seguir, considerando: Para fazer curvas diferentes dos tradicionais ângulos de 45º e 90º, a urvar TIGRE é a melhor solução. asta o giro das porcas existentes no seu corpo e é possível fazer os ângulos mais variados. urvar é fabricada em dois modelos: urvar 45: permite fazer ângulos entre 0º e 45º urvar 90: permite fazer ângulos entre 0º e 90º O uso da urvar agiliza a instalação e evita montagens forçadas e procedimentos incorretos (como aquecimento por meio de fogo) que podem danificar a tubulação e trazer prejuízos ao sistema. 1 junta para cada tubo 1 junta para cada joelho 2 juntas para cada tê 2 juntas para cada junção junta junta Série Normal e Série Reforçada itolas (N) desivo (grama/junta) Sol. Preparadora (cm³/junta) 4,2 6,2 14,2 20,8 26,0 7,5 11,0 26,0,0,0 onsumo de Pasta Lubrificante Para o cálculo do consumo de Pasta Lubrificante, utilize a seguinte tabela: iâmetros disponíveis: urvar 45º SN = N e N urvar 45º SR = N urvar 90º SR = N iâmetro (N) * *possui bolsa lisa Série Normal e Série Reforçada Pasta Lubrificante (g/junta)

29 Série Normal e Reforçada Manutenção em Tubulação de PV de Para resolver os problemas que ocorrem em pontos localizados nos tubos de esgoto em instalações já concluídas, em conseqüência de pequenos acidentes ou vazamentos em juntas mal executadas, a TIGRE oferece a Luva de orrer, com pequena dimensão e um sistema de acoplamento que permite a interligação entre dois pontos fixos. O procedimento é simples: Passo 3: Finalize movendo as luvas de correr até cobrir totalmente as emendas entre os tubos. Obs.: Nunca aplique adesivo plástico nas juntas elásticas. Limpeza e Manutenção das Tubulações Passo 1: Identifique o trecho da tubulação danificado. O local deverá ser aberto somente num pequeno trecho, junto ao ponto afetado. Para permitir o fácil acesso para limpeza e inspeção nas colunas (trechos horizontais) ou linhas horizontais aparentes, que ficam suspensas no subsolo de prédios, pode-se utilizar o Tê de inspeção da linha de Série Normal TIGRE. bertura roscável para inspeção. Passo 2: orte o trecho danificado e substitua por outro da mesma tubulação. Use duas Luvas de orrer TIGRE da Linha, uma em cada extremidade, aplicando Pasta Lubrificante sobre os anéis. Obs.: Nunca retire os anéis para passar pasta na virola. Isto pode deslocar o anel ao se inserir a ponta do tubo, causando vazamento posteriormente. iâmetros disponíveis: Série Normal: N x Série Reforçada: N x N x N x 29

30 Série Normal e Reforçada Esta conexão possui uma abertura roscável, por onde pode-se acessar o interior da tubulação. dmite-se um empilhamento com altura máxima de 1, metros, independente da bitola ou espessura dos tubos. No caso de tubos amarrados em feixes, considera-se cada feixe como sendo um tubo individual. Porém, recomenda-se evitar esse tipo de empilhamento para estocagens prolongadas. Outra alternativa de empilhamento, é fazer camadas cruzadas, na qual os tubos são dispostos com as pontas e as bolsas alternadas, porém, em camadas transversais. Estocagem Os tubos são fornecidos em barras de 3m ou 6m de comprimento, amarrados entre si com fitas próprias. Para estocagem dos tubos deve-se procurar locais sombreados, livres da ação direta ou de exposição contínua ao sol. Os tubos devem ser empilhados com as pontas e as bolsas alternadas. primeira camada de tubos tem que estar totalmente apoiada, ficando livres apenas as bolsas. Para se conseguir esse apoio contínuo, pode ser utilizado um tablado de madeira ou caibros (em nível) distanciados de 1, metros, colocados transversalmente à pilha de tubos. 30

31 Série Normal e Reforçada imensionamento e Projeto norma que estabelece as exigências e critérios para o projeto, execução, testes e manutenção dos sistemas prediais de esgoto sanitário é a NR Sistemas Prediais de Sanitário - Projeto e Execução. Seguir as recomendações desta norma é importante para garantir condições mínimas de higiene, segurança e conforto aos usuários. Unidade Hunter de ontribuição dos parelhos Sanitários e iâmetro Nominal Mínimo dos Ramais de escarga iâmetros mínimos dos ramais de esgoto Quantidade de aparelhos anheiros om 2 aparelhos sem banheira om 3 aparelhos sem banheira om banheira mais aparelhos ozinha (do sifão até a caixa de gordura) om pia de 1 cuba om pia de 2 cubas Lavanderias om 1 tanque om tanque e 2 cubas om máquina de lavar roupas om máquina de lavar roupas e tanque iâmetro (N) Unidades Hunter de ontribuição (UH) para aparelhos não citados na tabela anterior N Ramais de descarga Número de UH onforme NR (Norma NT) imensionamento de ramais de esgoto N tubo Número de UH onforme NR (Norma NT)

32 Série Normal e Reforçada 32

33

34 aixas e Ralos aixas e Ralos TIGRE aracterísticas Técnicas Fabricadas de PV rígido na cor branca; Temperatura máxima de trabalho em regime contínuo: 45 ; aixas sifonadas com fecho hídrico de mm, com exceção da caixa de x x mm; s caixas são dotadas de entradas soldáveis e saída com junta elástica, o que elimina o uso de uma luva quando da sua interligação com o tubo do ramal de esgoto. Função e plicação linha de aixas Sifonadas e Ralos TIGRE é fabricada de PV, tendo a função de conectar os ramais de descarga aos ramais de esgoto, ou ainda para a coleta de águas de piso (no caso dos ralos). Para uso em áreas de serviços, banheiros, terraços e outros pontos. Para instalações onde haverá despejos com temperatura superior a 45º, é indicado o uso do orpo de aixa Sifonada Série Reforçada, fabricado na dimensão x x mm. enefícios Linha completa: opções de tamanhos variados para adequação às necessidades das obras; Facilidade de instalação: a IX SIFON GIRFÁIL permite facilmente alinhar as tubulações de entrada e saída da caixa, através de seu corpo giratório; Segurança contra vazamentos; Facilidade de limpeza através dos plugs das caixas tradicionais e da cesta de limpeza da aixa Girafácil e do Ralo com Saída rticulada; urabilidade por serem fabricadas de PV. NORMS E REFERÊNI s caixas e rolos TIGRE são fabricadas conforme a norma NR Sistemas Prediais de Água Pluvial, Sanitário e Ventilação. Para a instalação, deve-se seguir a norma NR Sistemas Prediais de Sanitário - Projeto e Execução. 34

35 aixas e Ralos Instalação das aixas Sifonadas Prepare o local da instalação para que esteja isento de materiais pontiagudos, como pontas de ferro, restos de concreto, pedras, etc. Obs.: - Para prolongar a aixa Sifonada Girafácil N, utilize o tubo de esgoto. - Para prolongar a aixa Sifonada comum N, utilize o prolongamento. - Para prolongar as aixas Sifonadas N, utilize o prolongamento. Passo 1: s aberturas para as tubulações de entrada das caixas são realizadas com serra copo no diâmetro de entrada da caixa ou fazendo-se vários furos com uma furadeira, lado a lado, em torno da circunferência interna. Passo 2: Faça o arremate final com uma lima meia-cana (rasqueta). Os furos não podem ser abertos através de pancadas de martelo ou uso de fogo sob risco de danificar o produto. Passo 3: Solde os tubos de esgoto provenientes dos aparelhos sanitários, como lavatório, ralo de chuveiro, banheira, nestas aberturas. Utilize o desivo Plástico TIGRE. Passo 4: Posteriormente, instale a tubulação de saída da caixa, na qual pode-se optar tanto pela junta soldável, quanto pela junta elástica. 35

36 aixas e Ralos Itens da Linha de aixas Sifonadas e Ralos TIGRE aixa Sifonada Girafácil aixa Sifonada N X X aixa Sifonada N X X F H d1 d2 c/ Grelha e Porta-Grelha Quadrada ranca Redonda ranca Quadrada romada Redonda romada Quadrada lumínio Redonda lumínio s/ grelha e porta-grelha X 1 X,5 141,5, c/ Grelha e Porta-Grelha Quadrada ranca Redonda ranca Quadrada lumínio Redonda lumínio s/ grelha e Porta-Grelha 2 3 c/ Grelha e Porta-Grelha Quadrada ranca Redonda ranca Quadrada lumínio Redonda lumínio s/ Grelha e Porta-Grelha X 170 X,3, X 1 X 56, X X , aixa Sifonada N X X 2 3 c/ grelha e Porta-grelha Quadrada ranca Redonda ranca s/ grelha e Porta-grelha X X ,

37 aixas e Ralos aixa Sifonada N X 185 X orpo aixa Sifonada 2 3 c/ Grelha e Porta-Grelha Quadrada ranca Redonda ranca Quadrada lumínio Redonda lumínio s/ Grelha e Porta-Grelha X 185 X aixa Sifonada Montada com Tampa ranca x x 56, x x , x x ,8, x 185 x x 185 x x 172 x , x 172 x , x 230 x , s/ Grelha e Porta-Grelha 2 X 230 X , X 172 X , orpo aixa Sifonada Série R X X 157,2 107,2 147,

38 aixas e Ralos ntiespuma 6, ,3 134, ntiinfiltração E 1 E 97,8 218, , ,6 273,5 24, Luva Simples com Fixadores H h2 67,7, orpo aixa Seca E F de X X 60, ,8 37,

39 aixas e Ralos Ralo com Saída rticulada d H b h com grelha e porta-grelha Quadrados brancos Redondos brancos lumínio quadrados lumínio redondos romada quadrados romada redondos sem grelha e porta-grelha X 15,7 84, Ralo ônico E F d ranco c/ grelha branca Prata c/ grelha alumínio S/ grelha branca S/ grelha prata X 53 X , Ralo Quadrado E F d ranco c/ grelha branca Prata c/ grelha alumínio S/ Grelha X 53 X 99, , Ralo Sifonado ilíndrico d E F X (branco) ,6 103, X (Série R) ,

40 aixas e Ralos Grelha Quadrada ranca e 94,2 84,5 8,5 3, ,8 136,6 9,6 3, Grelha Quadrada romada e 94,2 84,2 8,5 3, ,8 136,6 9,6 3, Grelha Quadrada de lumínio 94, ,8 3, Grelha Redonda ranca e E , ,6 3,

41 aixas e Ralos Grelha Redonda romada e E , ,6 3, Grelha Redonda de lumínio E 96,9 6, Porta Grelha Quadrado para Grelha Redonda e 110,5 97, Porta Grelha Quadrado ranco Prata ,5,

42 aixas e Ralos Porta Grelha Redondo d e E ranco Prata 21,5 97,5 6, , , Porta Tampa para aixa Sifonada d E Valores Tampa ega Quadrada ranca e,2 136,6 9 3, Tampa ega Redonda de lumínio e E 2 1,

43 aixas e Ralos Tampa ega Redonda ranca d e 96,9 3, , ,6 3, , Prolongamento para aixa Sifonada X x X 200 X X 200 X X 200 e E 1,8 1, , , , , s esta Limpeza para aixa Sifonada Girafácil R H 37, nel de orracha E 49,5 6, ,6 6,

44 aixas e Ralos Pasta Lubrificante PESO (g) desivo Plástico para PV PESO (g) desivo Plástico para PV PESO (g) Solução Preparadora VOLUME (cm³)

Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS

Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS Localização no Website Tigre: Obra Predial Esgoto CAIXA MÚLTIPLA ESGOTO Função: A linha Caixa Múltipla Esgoto completa a solução

Leia mais

Caixa de Inspeção e Interligação

Caixa de Inspeção e Interligação Caixa de Inspeção e Interligação Localização no website Tigre: Obra predial Esgoto CAIXA DE INSPEÇÃO e/ou Obra predial Águas Pluviais CAIXA DE INTERLIGAÇÃO Função/Aplicação: Caixa de Inspeção: destinada

Leia mais

Disponíveis nos DNs 100 e 150; 150x170x75. Corpo fabricado em polipropileno; Diâmetros Ralos: 100x40, 100x53x40

Disponíveis nos DNs 100 e 150; 150x170x75. Corpo fabricado em polipropileno; Diâmetros Ralos: 100x40, 100x53x40 Caixas e Ralos Localização no Website Tigre: Obra Predial Esgoto Caixas e ralos JUNHO 2010 Função/Aplicação: Caixas e ralos: Coletar águas servidas dos despejos dos aparelhos sanitários e pisos e impedir

Leia mais

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS 1 MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS A presente especificação destina-se a estabelecer as diretrizes básicas e definir características técnicas a serem observadas para execução das instalações da

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II ESGOTO SANITÁRIO 1 Conjunto de tubulações, conexões e

Leia mais

Grelhas para caixas e ralos

Grelhas para caixas e ralos Caixas e Ralos Localização no Website Tigre: Obra Predial Esgoto Caixas e ralos Caixa Sifonada Girafácil Antiespuma Grelhas para caixas e ralos Luva simples com fixadores Anti infiltração Função/Aplicação:

Leia mais

1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 1.1 CAIXAS E RALOS:

1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 1.1 CAIXAS E RALOS: Caixas e Ralos Localização no Website Tigre: Obra Predial Esgoto Caixas e ralos Caixa Sifonada Girafácil Antiespuma Grelhas para caixas e ralos Luva simples com fixadores Anti infiltração Função/Aplicação:

Leia mais

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 10-26

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 10-26 5. MATERIAIS Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 10-26 Numa instalação hidráulica, os materiais são classificados em tubos, conexões e válvulas, os quais abrangem uma grande variedade de tipos,

Leia mais

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Introdução Este manual destina a fornecer informações sobre a construção e dimensionamento do sistema individual de tratamento de esgotos, especialmente

Leia mais

Soluções Amanco. Linha Amanco Novafort

Soluções Amanco. Linha Amanco Novafort Linha Amanco Novafort Linha Amanco Novafort s o l u ç õ e s a m a n c o i n f r a e s t r u t u r a Linha Amanco Novafort para Redes Coletoras de Esgotos e Águas Pluviais para Infraestrutura A linha Amanco

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO HIDRÁULICA

MANUAL DE INSTALAÇÃO HIDRÁULICA MANUAL DE INSTALAÇÃO HIDRÁULICA Esquema de Instalação Hidráulica RESIDENCIAL Atenção: Modelo meramente ilustrativo em casas térreas. Para sua segurança e garantia do bom funcionamento das tubulações de

Leia mais

Prof. Eng. Ana Cristina Rodovalho Reis FEV/2015 APOSTILA DE INSTALAÇÕES PREDIAIS ESGOTO DOMÉSTICO FEV/2015 PROF. ANA CRISTINA RODOVALHO REIS

Prof. Eng. Ana Cristina Rodovalho Reis FEV/2015 APOSTILA DE INSTALAÇÕES PREDIAIS ESGOTO DOMÉSTICO FEV/2015 PROF. ANA CRISTINA RODOVALHO REIS Prof. Eng. Ana Cristina Rodovalho Reis FEV/2015 1 Sumário 1 Objetivo... 4 2 Esgotos Domésticos... 4 3 Sistema de Tratamento... 4 3.1 Tratamento... 5 3.1.1 Tratamento Individualizado... 5 Figura 1- Detalhe

Leia mais

MANUAL TÉCNICO Amanco Ductilfort Desenho e Dimensões

MANUAL TÉCNICO Amanco Ductilfort Desenho e Dimensões Amanco Ductilfort Desenho e Dimensões Os tubos Amanco Ductilfort são uma linha em PVC dúctil utilizada na construção de redes para condução de água. Perfeitamente intercambiáveis às tubulações de ferro

Leia mais

Universidade Católica de Goiás Departamento de Artes e Arquitetura Escola Edgar Graeff SHAU 2. Notas de aula

Universidade Católica de Goiás Departamento de Artes e Arquitetura Escola Edgar Graeff SHAU 2. Notas de aula Universidade Católica de Goiás Departamento de Artes e Arquitetura Escola Edgar Graeff SHAU 2 Notas de aula Tabelas, e recomendações. Esgoto Sanitário. Prof. Ms. Gerson Antonio Lisita Lopes Arantes Agosto/2004

Leia mais

RALO LINEAR Localização no Website TIGRE: Obra Predial Esgoto Caixas e Ralos Ralo Linear

RALO LINEAR Localização no Website TIGRE: Obra Predial Esgoto Caixas e Ralos Ralo Linear RO INER ocalização no Website TIGRE: Obra Predial Esgoto aixas e Ralos Ralo inear Função: aptação de água servida em sacadas, box de banheiros, lavanderias, etc. plicação: Instalações prediais, comerciais

Leia mais

INFRAERO VT.06/557.92/04747/00 2 / 7

INFRAERO VT.06/557.92/04747/00 2 / 7 REV MODIFICAÇÃO DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO Coordenador Contrato: CREA/UF: Autor do Projeto Resp. Técnico: CREA/UF: Co-Autor: CREA/UF: MARGARET SIEGLE 4522D/ES ELISSA M. M. FRINHANI 5548/D-ES NUMERO:

Leia mais

MANUAL TÉCNICO Amanco PBAfort

MANUAL TÉCNICO Amanco PBAfort Amanco PBAfort Os tubos Amanco PBAfort constituem a linha em PVC rígido utilizada na construção de redes enterradas para condução de água. São resistentes à corrosão tanto em relação à água transportada

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS - SANITÁRIA - Arquivo 828-M-SAN.DOC Página 1 1. SERVIÇOS COMPLEMENTARES Serão executados

Leia mais

LOUÇAS E INSTALAÇÕES SANITÁRIAS

LOUÇAS E INSTALAÇÕES SANITÁRIAS Antes de executar qualquer furação nas paredes, consulte a planta de instalações hidráulicas em anexo, para evitar perfurações e danos à rede hidráulica, bem como na impermeabilização. Não jogue quaisquer

Leia mais

ESGOTO. Doméstico e Não Doméstico (COMO OBTER A LIGAÇÃO) ATENÇÃO: LEIA AS INSTRUÇÕES DESTE FOLHETO, ANTES DE CONSTRUIR O RAMAL INTERNO DE SEU IMÓVEL.

ESGOTO. Doméstico e Não Doméstico (COMO OBTER A LIGAÇÃO) ATENÇÃO: LEIA AS INSTRUÇÕES DESTE FOLHETO, ANTES DE CONSTRUIR O RAMAL INTERNO DE SEU IMÓVEL. ESGOTO Doméstico e Não Doméstico (COMO OBTER A LIGAÇÃO) ATENÇÃO: LEIA AS INSTRUÇÕES DESTE FOLHETO, ANTES DE CONSTRUIR O RAMAL INTERNO DE SEU IMÓVEL. ESGOTO DOMÉSTICO Definição: esgoto gerado nas residências

Leia mais

Função: Conduzir água à temperatura ambiente nas instalações prediais de água fria; Aplicações: Instalações prediais em geral.

Função: Conduzir água à temperatura ambiente nas instalações prediais de água fria; Aplicações: Instalações prediais em geral. Função: Conduzir água à temperatura ambiente nas instalações prediais de água fria; Aplicações: Instalações prediais em geral. SETEMBRO/2011 Bitolas: 20, 25, 32, 40,50,60, 75, 85, 110 milímetros; Pressão

Leia mais

MANUAL TÉCNICO Amanco Ramalfort

MANUAL TÉCNICO Amanco Ramalfort Amanco Ramalfort Desenho e Dimensões Os tubos Amanco Ramalfort foram desenvolvidos para condução de água no trecho compreendido entre o ponto de derivação da rede de distribuição de água e o kit cavalete

Leia mais

MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS

MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS 1 - INTRODUÇÃO. A escolha do material a empregar (tipo de tubulação) nas redes coletoras de esgotos sanitários é função das características dos esgotos,

Leia mais

SISTEMAS PREDIAIS DE ESGOTO SANITÁRIO

SISTEMAS PREDIAIS DE ESGOTO SANITÁRIO Sistemas Prediais, Hidráulico-Sanitários e Gás Aula 2 Prof. Julio César B. Benatti SISTEMAS PREDIAIS DE ESGOTO SANITÁRIO NBR 8160/99 Sistema de esgoto sanitário: coletar e conduzir os despejos provenientes

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB Agência SHS Novas Instalações Código do Projeto: 1641-11 Pág. 2 Índice 1. Memorial Descritivo da Obra...3

Leia mais

I s n t s a t l a a l ção ã o de d e Sis i t s e t m e as a s de d Irrigação

I s n t s a t l a a l ção ã o de d e Sis i t s e t m e as a s de d Irrigação Instalação de Sistemas de Irrigação PROJETOS EUCALIPTOS Layout de Água TRANSPORTES CARPINTARIA CP025 CP19 ESCADA CP024 AR CP023 CP18 ESCRITORIO CP17 ESTACIONAMENTO CP06 1-7 1-6 1-3 1-2 1-4 R CP21A CP16

Leia mais

Projeto de Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário

Projeto de Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário AULA 14 Projeto de Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário Nos projetos de sistemas prediais de esgoto sanitário vamos traçar e dimensionar as tubulações que vão desde os aparelhos sanitários até o coletor

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO MONTAGEM E OPERAÇÃO DA FOSSA SÉPTICA BIODIGESTORA

MEMORIAL DESCRITIVO MONTAGEM E OPERAÇÃO DA FOSSA SÉPTICA BIODIGESTORA MEMORIAL DESCRITIVO MONTAGEM E OPERAÇÃO DA FOSSA SÉPTICA BIODIGESTORA 1. INTRODUÇÃO Este memorial descritivo se destina a orientar a montagem e a operação do sistema de tratamento de efluentes denominado

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA C A T Á L O G O T É C N I C O SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA CAIXA D ÁGUA EM FIBRA DE VIDRO MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções

Leia mais

Orientações para Instalação Domiliciar do Sistema de Fossa e Sumidouro.

Orientações para Instalação Domiliciar do Sistema de Fossa e Sumidouro. Orientações para Instalação Domiliciar do Sistema de Fossa e Sumidouro. INTRODUÇÃO Este manual destina a fornecer informações sobre a construção e dimensionamento do sistema individual de tratamento de

Leia mais

Guia de Soluções EcoWin Soluções Ecológicas

Guia de Soluções EcoWin Soluções Ecológicas Guia de Soluções Problemas & Soluções Este manual técnico traz exemplos de situações que surgiram durante a instalação e operação dos sistemas URIMAT no país ou no exterior nos últimos anos. A seguir,

Leia mais

MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA

MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa de soluções para armazenamento de água no Brasil. Campeã de vendas no seu segmento, garante a liderança no mercado

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA C A T Á L O G O T É C N I C O SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA CAIXA D ÁGUA EM POLIETILENO MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções

Leia mais

CAIXA SIFONADA QUADRADA 3 ENTRADAS. Amanco. Código Descrição Emb. Fornec. Herc Herc. Cx/12 Cx/12 Sc/12 Sc/12 Sc/12

CAIXA SIFONADA QUADRADA 3 ENTRADAS. Amanco. Código Descrição Emb. Fornec. Herc Herc. Cx/12 Cx/12 Sc/12 Sc/12 Sc/12 Acessório para Esgoto ANEL DE BORRACHA PARA ESGOTO Caixas Sinfonadas CAIXA SIFONADA QUADRADA 3 ENTRADAS Caixas de Gordura CAIXA DE GORDURA QUADRADA 220418 220426 220434 220442 220450 1 0 0 0 0 Acessório

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELEGRAFOS

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELEGRAFOS MEMORIAL DESCRITIVO I N S T A L A Ç Õ E S H I D R O - S A N I T Á R I A S EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELEGRAFOS AC. CERES ENDEREÇO: AV. PRESIDENTE VARGAS, Nº220, CENTRO, CERES - GO. Página 1 de 8

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB P SUL Ceilândia - DF Novas Instalações Código do Projeto: 3946-11 SIA Sul Quadra 4C Bloco D Loja 37

Leia mais

guia de instalação cisterna vertical

guia de instalação cisterna vertical guia de instalação cisterna vertical FORTLEV CARACTERÍSTICAS FUNÇÃO Armazenar água pluvial ou água potável à temperatura ambiente. APLICAÇÃO Residências, instalações comerciais, fazendas, escolas ou qualquer

Leia mais

INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ESGOTOS SANITÁRIOS

INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ESGOTOS SANITÁRIOS INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ESGOTOS SANITÁRIOS 1. SISTEMAS PÚBLICOS DE ESGOTOS Os sistemas públicos de coleta, transporte e disposição de esgotos existem desde as primeiras civilizações conhecidas (assírios,

Leia mais

Plena. Mais beleza para sua casa.

Plena. Mais beleza para sua casa. = Catálogo de Produtos Plena. Mais beleza para sua casa. A Plena é a marca da Tigre de acessórios para banheiros, cozinhas, lavanderias, áreas externas e complementos hidráulicos. Uma marca inovadora,

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos Catálogo de Produtos Agora sua casa tem Plena. A Tigre apresenta Plena, nova marca de acessórios para banheiros, lavanderias, áreas externas e complementos hidráulicos. Linha completa com mais de 200 itens.

Leia mais

Vinilfort 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 2. BENEFÍCIOS: Função: Transporte de esgoto sanitário em redes coletoras;

Vinilfort 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 2. BENEFÍCIOS: Função: Transporte de esgoto sanitário em redes coletoras; Vinilfort Localização no Website Tigre: Obra Infra-estrutura Saneamento Esgoto VINILFORT Função: Transporte de esgoto sanitário em redes coletoras; Aplicações: Ligações prediais, redes coletoras, interceptores

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO - BIODIGESTOR GUIA DE INSTALAÇÃO. Biodigestor Fortlev

GUIA DE INSTALAÇÃO - BIODIGESTOR GUIA DE INSTALAÇÃO. Biodigestor Fortlev GUIA DE INSTALAÇÃO Biodigestor Fortlev 1 CARACTERÍSTICAS FUNÇÃO Tratamento orgânico de esgoto do tipo domiciliar. APLICAÇÃO Residências, instalações comerciais, fazendas, sítios ou qualquer outra aplicação

Leia mais

Coletor Esgoto. Transporte de esgoto sanitário em redes coletoras.

Coletor Esgoto. Transporte de esgoto sanitário em redes coletoras. Coletor Esgoto Obra Infra-estrutura Saneamento Esgoto Coletor esgoto Transporte de esgoto sanitário em redes coletoras. Ligações prediais, redes coletoras, interceptores de esgoto sanitário, sistemas condominais,

Leia mais

A) GENERALIDADES: UNIDADES USUAIS

A) GENERALIDADES: UNIDADES USUAIS Hidr ulica Residencial A) GENERALIDADES: UNIDADES USUAIS 1 kgf/cm² = 10 m.c.a 1 MPa = 10 kgf/cm² = 100 m.c.a. 1 kgf/cm² = 14,223355 lb/pol² Etapas a serem executadas a de alvenaria, as instalações hidráulicas

Leia mais

Dimensionamento dos Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário

Dimensionamento dos Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário AULA 15 Dimensionamento dos Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário Vamos dimensionar as tubulações do sistema de esgoto abaixo: 1. Análise do projeto. Temos uma casa com um banheiro, área de serviço e cozinha.

Leia mais

ÍNDICE VINILFORT E VINILFORT ULTRA

ÍNDICE VINILFORT E VINILFORT ULTRA ÍNICE VINILFORT E VINILFORT ULTRA Características da Linha Vinilfort Itens da Linha Vinilfort Características da Linha Vinilfort Ultra Itens da Linha Vinilfort Ultra Instruções Gerais Tabelas de Perda

Leia mais

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26 Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26 6. FOSSAS SEPTICAS As fossas sépticas são unidades de tratamento primário de esgotos domésticos que detêm os despejos por um período que permita a

Leia mais

Inst Ins alaç t ões alaç Prediais Pr de Esgot g os Sanitários Prof Pr. of Cris tiano Cris

Inst Ins alaç t ões alaç Prediais Pr de Esgot g os Sanitários Prof Pr. of Cris tiano Cris Instalações Prediais de Esgotos Sanitários Prof. Cristiano Considerações Gerais Regidas pela NBR 8160,, as instalações de esgotos sanitários têm a tem a finalidade de coletar e afastar da edificação todos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ÁGUAS PLUVIAIS

MEMORIAL DESCRITIVO ÁGUAS PLUVIAIS MEMORIAL DESCRITIVO ÁGUAS PLUVIAIS Considerando o índice pluvialmétrico histórico da Cidade do Salvador, de 1800 mm por ano. Tendo em mente a correspondência de 1 mm de chuva ser equivalente a 1 (um) litro

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO OBRA: UNIDADE DE ACOLHIMENTO ADULTO PREFEITURA MUNICIPAL DE SOBRAL ENDEREÇO: Rua Dinamarca, S/N Sobral - Ceará PROJETO: HIDRO-SANITÁRIO E ÁGUAS PLUVIAIS

Leia mais

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha Carazinho, RS, 30 de junho de 2014. APRESENTAÇÃO OBRA: Tanque Séptico Escola Municipal

Leia mais

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ÁREA DE ABASTECIMENTO E ARMAZENAMENTO DE COMBUSTÍVEL 6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ambiente e seu manuseio e armazenagem também apresentam considerável grau

Leia mais

RALO LINEAR Localização no Website TIGRE: Obra Predial Esgoto Ralo Linear

RALO LINEAR Localização no Website TIGRE: Obra Predial Esgoto Ralo Linear RALO LINEAR Localização no Website TIGRE: Obra Predial Esgoto Ralo Linear Função: Captação de água servida com temperatura ambiente em instalações prediais. Aplicação: Instalações prediais, comerciais

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES SISTEMA DE RECOLHIMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS OBRA: ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE PROJETO PADRÃO

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES SISTEMA DE RECOLHIMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS OBRA: ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE PROJETO PADRÃO MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES SISTEMA DE RECOLHIMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS OBRA: ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE PROJETO PADRÃO PROPRIETÁRIO: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

CGP. diâmetro interno = 0,30m; parte submersa do sépto = 0,20m; capacidade de retenção = 18 litros; diâmetro nominal da tubulação de saída DN 75.

CGP. diâmetro interno = 0,30m; parte submersa do sépto = 0,20m; capacidade de retenção = 18 litros; diâmetro nominal da tubulação de saída DN 75. Memorial de cálculo Projeto: Residência Renato Cortez Assunto: Saneamento ecológico a/c Renato Cortez 1. caixa de gordura De acordo com a NBR 8160, para a coleta de apenas uma cozinha, pode-ser uma caixa

Leia mais

O melhor do plástico. Construindo um Novo Tempo

O melhor do plástico. Construindo um Novo Tempo O melhor do plástico. Construindo um Novo Tempo Índice Acessórios para Banheiro... Válvulas... 3 Torneiras-Bóia... 3 Caixas... 3 Sifões... 3 Ferramentas para Construção... 4 Caixas Sifonadas... 4 Bombonas...

Leia mais

Dimensionamento das Instalações de Água Fria

Dimensionamento das Instalações de Água Fria Dimensionamento das Instalações de Água Fria Dimensionamento é o ato de determinar dimensões e grandezas. As instalações de água fria devem ser projetadas e construídas de modo a: - Garantir o fornecimento

Leia mais

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema SISTEMA DE ESGOTO ESTÁTICO Check list e Avaliação Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema Belo Horizonte, Outubro de 2008 SISTEMA DE ESGOTO

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

FUNDAÇÃO PROFESSOR MARTINIANO FERNANDES- IMIP HOSPITALAR - HOSPITAL DOM MALAN

FUNDAÇÃO PROFESSOR MARTINIANO FERNANDES- IMIP HOSPITALAR - HOSPITAL DOM MALAN 25% 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES R$ 12.734,82 1.1 COTAÇÃO MOBILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS E PESSOAL. M² 200,00 2,57 3,21 642,50 1.2 74220/001 TAPUME DE CHAPA DE MADEIRA COMPENSADA, E= 6MM, COM PINTURA

Leia mais

Elementos de Escoamento

Elementos de Escoamento DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II PERÍODO: 6 PROFESSORA: DÉBORA CRISTINA ALMEIDA Elementos de Escoamento André Renato Augusto César Carlos Augusto Eduardo Felipe Ivano Heleno Vicente Neto Ytallo

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA A participação da Comunidade é fundamental Na preservação do Meio Ambiente COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL ASSESSORIA

Leia mais

Aquapluv Style 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 2. BENEFÍCIOS: Função: Coleta e condução de águas pluviais de telhados residenciais;

Aquapluv Style 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 2. BENEFÍCIOS: Função: Coleta e condução de águas pluviais de telhados residenciais; Aquapluv Style Localização no Website Tigre: Obra Predial Drenagem Pluvial AQUAPLUV STYLE Função: Coleta e condução de águas pluviais de telhados residenciais; Aplicações: Obras residenciais com telhados

Leia mais

antes de conectar o engate flexível à caixa de descarga acoplada. acoplada. Quando necessário, utilizar dispositivos controladores de vazão.

antes de conectar o engate flexível à caixa de descarga acoplada. acoplada. Quando necessário, utilizar dispositivos controladores de vazão. MANUAL DE INSTALAÇÃO AVISO IMPORTANTE A não observância de qualquer dos itens das instruções técnicas por parte do usuário, isenta o fabricante de qualquer responsabilidade por eventuais danos que venham

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO HIDROSSANITÁRIO

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO HIDROSSANITÁRIO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO HIDROSSANITÁRIO OBRA: Biblioteca do câmpus Ibirama LOCALIZAÇÃO: Rua Dr. Getúlio Vargas, 3006 Ibirama/SC 89140-000 SISTEMAS A SEREM EXECUTADOS: Sistema de Água Fria Potável Sistema

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO SUSTENTÁVEL POR NATUREZA

MANUAL DE INSTALAÇÃO SUSTENTÁVEL POR NATUREZA MANUAL DE INSTALAÇÃO SUSTENTÁVEL POR NATUREZA APRESENTAÇÃO SISTEMA ECOFOSSA A Ecofossa é um sistema biológico autônomo de tratamento de esgoto que não utiliza energia elétrica ou qualquer produto químico

Leia mais

Sistemas Hidráulicos Sanitários. Água fria Água quente Esgoto Águas Pluviais Combate a incêndio Gás

Sistemas Hidráulicos Sanitários. Água fria Água quente Esgoto Águas Pluviais Combate a incêndio Gás Sistemas Hidráulicos Sanitários Água fria Água quente Esgoto Águas Pluviais Combate a incêndio Gás Sistemas Hidráulicos Sanitários Instalação hidro-sanitária água fria Processo Executivo 1) Colocar todas

Leia mais

ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO HIDROSSANITÁRIO

ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO HIDROSSANITÁRIO ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO HIDROSSANITÁRIO 1. GENERALIDADES O presente memorial descritivo trata das instalações hidrossanitárias do prédio acima descrito, o qual foi elaborado segundo as normas

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS A PLASTUBOS é uma empresa do Grupo Empresarial DVG, especializada na produção de tubos rígidos e conexões de PVC para água e esgoto predial, infra-estrutura, irrigação e eletricidade.

Leia mais

INSTALAÇÕES DE ESGOTOS SANITÁRIOS

INSTALAÇÕES DE ESGOTOS SANITÁRIOS FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL TÉCNICO 13 de março de 2008 FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE ESGOTOS SANITÁRIOS MEMORIAL TÉCNICO Memória Descritiva e Justificativa

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções para armazenamento de água do Brasil. Campeã em

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR 1 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 MEMORIAL DESCRITIVO 3 I. DADOS FÍSICOS LEGAIS 3 II. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 III.

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções para armazenamento de água do Brasil. Campeã em

Leia mais

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS 1 1.1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas 01520.8.1.1 m² 7,50 1.2 Ligação provisória de água para a obra

Leia mais

FACULDADE ASSIS GURGACZ FAG

FACULDADE ASSIS GURGACZ FAG FACULDADE ASSIS GURGACZ FAG INSTALAÇÃOES PREDIAIS DE ESGOTOS SANITÁRIOS ENGENHARIA CIVIL INSTALAÇÕES PREDIAIS LUIZ HENRIQUE BASSO Instalações de Esgoto Sanitário As instalações de esgoto sanitário destinam-se

Leia mais

Sistema de tubos em polipropileno de alta resistência para esgoto e águas pluviais. Maior segurança. Máxima resistência.

Sistema de tubos em polipropileno de alta resistência para esgoto e águas pluviais. Maior segurança. Máxima resistência. Sistema de tubos em polipropileno de alta resistência para esgoto e águas pluviais. Maior segurança. Máxima resistência. União deslizante de duplo lábio: maior segurança e facilidade de trabalho. O anel

Leia mais

MANTA POLIMÉRICA é um impermeabilizante flexível a base de cimentos especiais modificados com polímeros acrílicos de excelente qualidade.

MANTA POLIMÉRICA é um impermeabilizante flexível a base de cimentos especiais modificados com polímeros acrílicos de excelente qualidade. Data da última revisão: 03/2011 DEFINIÇÃO MANTA POLIMÉRICA é um impermeabilizante flexível a base de cimentos especiais modificados com polímeros acrílicos de excelente qualidade. MANTA POLIMÉRICA é fácil

Leia mais

Esgotos Sanitários: Objetivos de Projeto

Esgotos Sanitários: Objetivos de Projeto OBJETIVO GERAL Esgotos Sanitários: Objetivos de Projeto A instalação de esgoto doméstico tem a finalidade de coletar e afastar da edificação todos os despejos provenientes do uso da água para fins higiênicos,

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DE BATENTES E PORTAS CORTA-FOGO

MANUAL DE INSTALAÇÃO DE BATENTES E PORTAS CORTA-FOGO INSTALAÇÃO DOS BATENTES A instalação dos batentes é simples porém, são necessários alguns cuidados básicos para obter uma porta em perfeitas condições: Para a fixação do batente, levantam-se as grapas

Leia mais

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS ENDEREÇO: Rua nº 01 - Loteamento Maria Laura ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² 1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 1.1 Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas

Leia mais

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10 - -03 1/5 - -03 2/5 - -03 3/5 - -03 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Lastro de concreto magro, traço 1:4:8, cimento, areia e brita. Fundo e vigas de concreto armado, moldados in loco: - Fôrmas de tábuas de

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO Os equipamentos do Kit Chuva atendem as exigências da norma NBR 15527: Água de chuva - Aproveitamento de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis Requisitos. KIT CHUVA Filtro

Leia mais

NEUBAU ENGENHARIA E ASSESSORIA LTDA

NEUBAU ENGENHARIA E ASSESSORIA LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO SISTEMA DE ESGOTO OBRA: IMPLANTAÇÃO DO LOTEAMENTO RESIDENCIAL ALVORADA LOCALIZAÇÃO: Rua Norberto Raduenz Bairro Testo Central Pomerode - SC SISTEMAS A SEREM EXECUTADOS: Rede

Leia mais

CAIXAS SEPARADORAS NUPI BRASIL - MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO -

CAIXAS SEPARADORAS NUPI BRASIL - MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO - CAIXAS SEPARADORAS NUPI BRASIL - MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO - INTRODUÇÃO Conforme a Resolução CONAMA 273 de 2000, postos de revenda e de consumo de combustíveis devem ser dotados de sistema de drenagem

Leia mais

LIGAÇÕES PREDIAIS ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2

LIGAÇÕES PREDIAIS ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 LIGAÇÕES PREDIAIS PÁGINA 1/49 MOS 4ª Edição ESPECIFICAÇÕES MÓDULO 17 VERSÃO 00 DATA jun/2012 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 1701 a 1714 LIGAÇÃO PREDIAL DE

Leia mais

Caixa d Água. Materiais necessários. Anotações. 0800 771 0001 odebrechtambiental.com odebrecht.amb

Caixa d Água. Materiais necessários. Anotações. 0800 771 0001 odebrechtambiental.com odebrecht.amb Materiais necessários Separe todo o material que será utilizado para a limpeza do seu reservatório. Anotações Papai, precisamos separar o material de limpeza. Claro, filha! Caixa d Água SAIBA COMO LIMPAR

Leia mais

UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim

UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUAS PLUVIAIS 2 INTRODUÇÃO A água da chuva é um dos elementos

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MEMÓRIA DE CÁLCULO Objeto: CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Proprietário: Endereço: Área da Edificação: 165,30 M² Pavimento: térreo Área do Terreno: 450,00 M² INTRODUÇÃO Este documento técnico

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DRENO CORRUGADO CIMFLEX

MANUAL TÉCNICO DRENO CORRUGADO CIMFLEX 1. INTRODUÇÃO O DRENO CIMFLEX é um tubo dreno corrugado fabricado em PEAD (Polietileno de Alta Densidade), de seção circular e com excelente raio de curvatura, destinado a coletar e escoar o excesso de

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO HIDRO SANITÁRIO OBRA: ANEXO 01 Proprietário: CREA SC - CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SANTA CATARINA Responsável Projeto: Eng Civil Cleber Giordani

Leia mais

MANUAL DO FABRICANTE:

MANUAL DO FABRICANTE: MANUAL DO FABRICANTE: ALVENARIA ESTRUTURAL Características e especificações, instruções de transporte, estocagem e utilização. GESTOR: Engenheiro civil EVERTON ROBSON DOS SANTOS LISTA DE TABELAS Tabela

Leia mais

III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO

III. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO PLANO DE CURSO RESUMIDO CURSO Instalador Hidráulico Residencial CBO 7241-15 COD-SGE 014.395 MODALIDADE Qualificação Profissional Área Tecnológica Construção Civil CARGA HORÁRIA 220 horas ITINERÁRIO Regional

Leia mais

Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB

Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB Índice Capítulo Título Página 1 Informações Gerais 3 2 Segurança 4 3 Especificações Técnicas 5 4 Ferramentas, Instrumentos e Materiais 6

Leia mais

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica.

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica. Descrição VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica. Características Densidade: 1,02 g/cm 3 Aparência: Cor preta Composição básica: emulsão asfáltica modificada com elastômeros

Leia mais

GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS

GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS MEMORIAL DESCRITIVO Obra: GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS Área: 488,50 m² Local: Comunidade de Rio Bonito Alto Bairro: Rio Bonito Alto Cidade: Pontão - RS Proprietário: Comunidade

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA C A T Á L O G O T É C N I C O SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA FILTRO PARA CAIXA D ÁGUA MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções para

Leia mais

MATERIAIS, EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS

MATERIAIS, EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS 6 MATERIAIS, EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS Versão 2014 Data: Abril / 2014 6.1. Tubos e Conexões... 6.3 6.1.1. Sistema em aço... 6.3 6.1.1.1. Tubos... 6.3 6.1.1.2. Conexões... 6.3 6.1.2. Sistema em cobre rígido...

Leia mais