PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO"

Transcrição

1 PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Institui e estabelece critérios para o Aproveitamento de Estudos e Verificação de Proficiência para fins de certificação no Centro Universitário Newton Paiva em todas as suas esferas de ensino. O Reitor do Centro Universitário Newton Paiva no uso de suas atribuições regimentais, ad referendum do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão e, Considerando que de acordo com a legislação específica vigente o aproveitamento de estudos é uma concessão das instituições de ensino; Considerando a possível equivalência de estudos cursados em outra instituição e em qualquer modalidade de ensino; Considerando que graduados interessados em novo curso de graduação ou pós-graduação com habilidades e conhecimentos específicos poderão antecipar o tempo de integralização; Considerando a seriedade e a serenidade com que o Centro Universitário Newton Paiva transmite aos seus alunos o conhecimento necessário para a formação profissional do indivíduo, RESOLVE: Art. 1º - Instituir o Aproveitamento de Estudos para alunos ingressantes por meio de processo seletivo, transferência ou obtenção de novo título, independente de curso, turno, modalidade de ensino, a ser aplicado por disciplina, uma única vez, no semestre em que formalizar o pedido, protocolizado nas Centrais de Atendimento ao Aluno no campus onde situa o curso de matrícula do Aluno. Parágrafo único: Os alunos dos cursos a distância oferecidos pelo Centro Universitário Newton Paiva formalizarão o pedido por meio do Sistema Acadêmico, dirigido à Secretaria Virtual. Art.2º - Instituir a recuperação de estudos ao aluno reprovado em qualquer disciplina teórica e/ou prática, no primeiro processo subsequente à reprovação. Parágrafo único: Alunos reprovados em semestres anteriores, limitado em 1 ano, poderão solicitar prova de avaliação de aproveitamento de estudos. I Alunos dos cursos presenciais deverão formalizar o pedido por meio da Central de Atendimento ao aluno no próprio campus.

2 II - Alunos dos cursos a distância deverão formalizar o pedido por meio do Sistema Acadêmico. Art 3º - Regulamentar o processo de concessão de dispensa de disciplinas e disciplinar o aproveitamento de carga horária e conteúdo nos currículos oferecidos pelo Centro Universitário Art.4º - Regulamentar o processo de Proficiência de disciplinas do Centro Universitário Capítulo I - Do Aproveitamento de Estudos por equivalência curricular de carga horária e de conteúdo de disciplinas cursadas em quaisquer instituições de ensino no mesmo grau para dispensa de disciplina. Art.5º - A partir do ingresso do aluno na instituição e após a análise prévia da Coordenação do Curso de destino, as dispensas deferidas com base no Art. 6º a seguir, serão automaticamente reconhecidas pela Secretaria para o cumprimento integral do currículo do curso matriculado. 1º - O aproveitamento de disciplinas autorizadas e cursadas em outras IES não poderá ultrapassar 80% (oitenta por cento) da carga horária total exigida para a conclusão do curso do Centro Universitário Art. 6º - O Aproveitamento de carga horária e de conteúdo deve respeitar o limite mínimo de 75% (setenta e cinco por cento) de equivalência com as disciplinas ministradas no Centro Universitário Newton Paiva, sendo a análise dos conteúdos de responsabilidade do coordenador do curso de destino que poderá solicitar especialistas para complementação da análise. 1º - Para análise de equivalência das disciplinas, o interessado deverá apresentar cópia do Conteúdo (disciplina, contendo carga horária, ementa e bibliografia) e histórico escolar mencionando o Ato de Autorização ou Reconhecimento do Curso da IES de origem, ficando dispensada a apresentação se o interessado tiver cursado a disciplina nos cursos do Centro Universitário I Para análise de disciplinas cursadas no exterior é obrigatória a apresentação do Histórico e Conteúdo (disciplina, contendo carga horária, ementa e bibliografia) traduzido por tradutor juramentado, como também vir com o carimbo do consulado ficando a cargo do Coordenador do Curso solicitar outros documentos necessários ao entendimento da análise. 2º - Mesmo que o conteúdo da disciplina e número de horas cursadas sejam iguais ou superiores a 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária da disciplina, cuja equivalência é pretendida, a Coordenação do Curso a partir de uma entrevista prévia de conhecimento com o aluno poderá exigir deste um exame de avaliação para tal concessão.

3 Art. 7º - Nos casos em que a carga horária e/ou o conteúdo da disciplina não forem compatíveis com o ministrado no Centro Universitário Newton Paiva a dispensa de disciplina será indeferida devendo o aluno cumprir integralmente a carga horária e o conteúdo ministrado no Centro Universitário Newton Paiva ou formalizar pedido de Aproveitamento de Estudos por Avaliação, seguindo as orientações do Capítulo VI desta Portaria. 1º - Quando o número de horas cursadas for inferior a 70% (setenta por cento) e igual ou maior que 50% da carga horária da disciplina cuja equivalência é pretendida, se houver interesse do aluno, este poderá formalizar pedido de recuperação de estudos conforme especificado no capítulo II desta Resolução. 2º - Quando o número de horas cursadas for inferior a 50% (cinquenta por cento) da carga horária da disciplina cuja equivalência é pretendida, a equivalência não pode ser concedida e, consequentemente, o aluno deverá cursar a disciplina integralmente no Centro Universitário Art. 8º - A análise de aproveitamento de estudos por equivalência curricular fica limitada a dez anos do semestre cursado, ficando a critério do interessado realizar a Avaliação para posterior aproveitamento, respeitando o disposto no artigo 6º desta Portaria. Art. 9º - A dispensa de uma ou mais disciplinas confere ao aluno o número de horas que a aprovação na disciplina dispensada conferiria no currículo do curso Centro Universitário Art. 10º - Os custos serão suportados pelo requerente com base na tabela de preços vigente a da formalização do pedido junto à Central de Atendimento ao aluno do Centro Universitário Capítulo II Do aproveitamento de estudos por disciplina isolada Art De conformidade com o que dispõe o Artigo 20, Inciso IX do Regimento Geral do Centro Universitário Newton Paiva, a decisão sobre o aproveitamento de carga horária cursada em regime de disciplina isolada é de competência do Coordenador de Curso. Art O interessado em cursar disciplina isolada em instituição congênere deverá, previamente, formalizar o pedido na Central de Atendimento ao Aluno, dirigido ao Coordenador de seu Curso, por meio de requerimento formal, via Protocolo, instruindo o processo com a seguinte documentação expedida pela instituição de ensino onde pretende matricular-se: I - Conteúdo constando a carga horária e a bibliografia básica da disciplina que deseja cursar para ter seus estudos aproveitados no Centro Universitário Newton Paiva; Art O número de carga horária que poderá ser aproveitada, quando cursada externamente em regime de disciplina isolada, será no máximo 5% (cinco por cento) da carga horária mínima do currículo do curso em que o discente estiver matriculado no Centro Universitário Newton Paiva;

4 Art. 14- O último semestre do curso e/ou a carga horária final para a integralização do currículo em que o aluno estiver matriculado no Centro Universitário Newton Paiva, não poderá ser cumprida em regime de isolada. Art Para cursar disciplina isolada em outra instituição congênere o aluno, obrigatoriamente, deverá estar com sua matrícula regularizada no Centro Universitário Art O discente só deverá matricular-se em disciplinas posteriores à Sequência Pedagógica Recomendada, devendo fazer uso desta prerrogativa orientada pelo coordenador. Apenas nos casos de choque de horários e de pendências de disciplinas de sequencias anteriores. Capítulo III Do aproveitamento de estudos por equivalência de disciplina por substituição Art. 17- O aproveitamento de estudos por equivalência por substituição será decidido pelo Colegiado do Curso exclusivamente quando uma disciplina, retirada de um currículo, ou constante em um currículo já extinto, não possuir equivalência com outra disciplina intra ou extra curso. 1º - A disciplina que substituirá a disciplina extinta deverá ser oferecida em qualquer curso ou modalidade de ensino no Centro Universitário Newton Paiva e deverá ter, no mínimo, a mesma carga horária da disciplina a ser substituída; 2º - A disciplina escolhida para substituição deverá proporcionar ao aluno a atualização de seus conhecimentos. Capítulo IV Do processo de proficiência de disciplinas do Centro Universitário Newton Paiva Art.18 - Em razão de sua experiência profissional, o aluno será avaliado, uma única vez, por meio de provas e outros instrumentos para obtenção de dispensa de disciplina quando obtiver resultado mínimo satisfatório de 60% (sessenta por cento). 1º - Será de responsabilidade do coordenador de curso validar a documentação / justificativa apresentada para comprovação de sua experiência. 2º - e de competência do coordenador o deferimento do pedido e ou a indicação de uma equipe para elaboração da ( s) prova(s) da(s) disciplina (s) solicitada (s). Todas as disciplinas deferidas serão objeto de convalidação do colegiado de curso. 3º - No caso de indeferimento do pedido, pelo coordenador, o processo será finalizado.

5 Capítulo V - Do aproveitamento de estudos por equivalência na Pós-Graduação - Lato Sensu Art Considera-se aproveitamento de estudos, a equivalência entre disciplina(s) anteriormente cursada(s) pelo discente em Cursos de Pós-graduação Lato Sensu. 1º - Entende-se por disciplina já cursada aquela em que o discente logrou aprovação em frequência e por avaliação de desempenho. 2º - A decisão sobre equivalência será feita pelo Coordenador do Curso e homologada pela Assessoria Acadêmica da Pós-graduação. Art São passíveis de aproveitamento, para fins de concessão de carga horária no Programa de Pós-graduação do Centro Universitário Newton Paiva, os estudos realizados com aproveitamento em disciplinas constantes de cursos de Pós-graduação Lato Sensu, nele incluídos a residência médica e o MBA (Master Bussiness Administration). 1º - Só poderá ser admitido o aproveitamento de estudos realizados em instituições de ensino autorizadas e recredenciadas e aquelas por credenciamento especial do MEC. 2º - O aproveitamento será possível em um 1/3 do total da carga horária da estrutura curricular do Curso, desde que cumpridas todas as exigências desta Portaria. 3º - No tocante à(s) disciplina(s) que houver sido cursada em outra instituição de ensino, e aproveitada, no Histórico Escolar do aluno deverão constar as seguintes observações. I. Citação das horas aproveitadas; II. Explicitação do conceito APROVADO em relação à disciplina aproveitada ou dispensada; III. Menção do nome da instituição de ensino onde a disciplina foi cursada, assim como o nome e a titulação do docente responsável por ela. Art Para pleitear aproveitamento de estudos, os discentes dos cursos de Pós-graduação Lato Sensu do Centro Universitário Newton Paiva, deverão estar nas seguintes situações: I. portador de Certificado de Curso de Pós-graduação Lato Sensu; II. portador de Diploma de Mestrado; III. portador de Diploma de Doutorado. Parágrafo único - As mesmas normas se aplicam aos discentes de cursos ministrados na modalidade presencial e a distância, oferecidos diretamente pelo Programa de Pósgraduação do Centro Universitário Newton Paiva, e de cursos oferecidos por meio de contratos de parcerias e acordos institucionais. Art O pedido de Aproveitamento de Estudos será formalizado em requerimento próprio, dirigido ao Coordenador do Curso no prazo máximo de 30 (trinta) dias a partir do primeiro dia de aula de cada curso, instruído com a cópia autenticada dos seguintes documentos: I. Certificado de Especialização ou Diploma de Mestrado ou Doutorado; II. Histórico Escolar do curso de Pós-graduação já concluído;

6 III. Plano de Ensino ou equivalente com o Programa do Curso e ementas das disciplinas já cursadas. Art.23 - Formalizado o pedido, a Coordenação de Curso emitirá parecer conclusivo sobre o deferimento ou o indeferimento do aproveitamento de estudos, de acordo com os seguintes critérios: I.Pelo deferimento, quando a disciplina cursada apresentar carga horária e conteúdo equivalente em pelo menos 75% (setenta e cinco por cento) da disciplina cuja dispensa for pleiteada; II. Pelo indeferimento, quando não for reconhecida a equivalência em pelo menos 75% (setenta e cinco por cento) entre os conteúdos das disciplinas, ou a carga horária cursada for inferior à da disciplina cuja dispensa é pleiteada, ou quando a disciplina cursada já tiver sido apresentada para dispensa no mesmo programa. Art Caso o resultado seja o indeferimento, não caberá interposição de recurso. Art Cabe ao Coordenador Geral de Pesquisa e Pós-graduação zelar pela correção formal dos processos de Aproveitamento de Estudos, não devendo registrar a dispensa concedida em desacordo com estas normas. Art. 26 Os casos omissos serão resolvidos observando a legislação vigente Art. 27 Esta Resolução entra em vigor na presente data, revogada qualquer disposição em contrário. Art Fica revogada a Resolução nº09/consepe/94, DE 12/6/1994, Resolução 12/CONSEPE/04, de 1 /7/2004, RESOLUÇÃO nº13 - CONSE PE/06 - de 31/10/06 e demais disposições em contrário. PUBLIQUE-SE. REGISTRE-SE. CUMPRA-SE Sala de reuniões da Reitoria, aos cinco dias do mês de julho do ano de dois mil e dez. Prof. Luis Carlos de Souza Vieira Reitor

RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS

RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS O Conselho Acadêmico Superior (CAS), no uso de suas atribuições conferidas pelo Estatuto da Universidade Positivo (UP), dispõe sobre as normas acadêmicas dos cursos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA/FUNDAÇÃO UNITINS/GRE/N 004/2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA/FUNDAÇÃO UNITINS/GRE/N 004/2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA/FUNDAÇÃO UNITINS/GRE/N 004/2012. Normatiza, no âmbito da Pró- Reitoria de Graduação, o aproveitamento de estudos para os Cursos de Graduação da Unitins. O REITOR DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, em anexo, o Regulamento dos Programas de Pós-Graduação Lato Sensu da FAE Centro Universitário.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, em anexo, o Regulamento dos Programas de Pós-Graduação Lato Sensu da FAE Centro Universitário. RESOLUÇÃO CONSEPE 09/2009 APROVA O REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FAE CENTRO UNIVERSITÁRIO. O Presidente do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE, no uso das

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 37/2009

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 37/2009 DISPÕE SOBRE CRITÉRIOS PARA O EXAME DE IDENTIDADE OU EQUIVALÊNCIA DE DISCIPLINAS PARA EFEITO DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS O Presidente do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE, no uso

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 45ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de setembro de 2013, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO nº 107, de 21 de dezembro de 2012.

PROJETO DE RESOLUÇÃO nº 107, de 21 de dezembro de 2012. PROJETO DE RESOLUÇÃO nº 107, de 21 de dezembro de 2012. Regulamenta o aproveitamento e equivalência de estudos. Elson Rogério Bastos Pereira, Reitor da Universidade do Planalto Catarinense UNIPLAC, no

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2006

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2006 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2006 Regulamenta os Cursos de Pósgraduação lato sensu na Universidade de Taubaté. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº PRPPG-036/2006, aprovou e eu

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE DE ESTUDOS Art. 1º O aproveitamento de estudos é o resultado do reconhecimento da equivalência de uma ou mais disciplinas, componente(s)

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre as normas para a pós-graduação na modalidade lato sensu ofertada pela Universidade Federal do Pampa. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. Resolução nº 01/2010

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. Resolução nº 01/2010 CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Resolução nº 01/2010 Regulamenta a pós-graduação lato sensu nas modalidades semipresencial e à distância O Diretor do Centro de Educação

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O Nº 018/2003-CEP

R E S O L U Ç Ã O Nº 018/2003-CEP R E S O L U Ç Ã O Nº 018/2003-CEP CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, nesta Reitoria, no dia / /. Secretária Aprova normas para o aproveitamento de estudos nos

Leia mais

REGULAMENTO DO APROVEITAMENTO DE ESTUDOS

REGULAMENTO DO APROVEITAMENTO DE ESTUDOS REGULAMENTO DO DE Art. 1º O aproveitamento de estudos é o resultado do reconhecimento da equivalência de uma ou mais unidades de estudo, componente curricular de curso de graduação do CEST, com uma ou

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 263. Pôr em vigência, a partir da presente data, o REGIMENTO. DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU, que

RESOLUÇÃO Nº 263. Pôr em vigência, a partir da presente data, o REGIMENTO. DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU, que RESOLUÇÃO Nº 263 PÕE EM VIGÊNCIA O REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU O Reitor da Universidade Católica de Pelotas, no uso de suas atribuições, considerando os termos da proposta encaminhada

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC 2014 ÍNDICE CAPÍTULO I... 3 Da Constituição, Natureza, Finalidade e Objetivos dos Cursos... 3 CAPÍTULO II... 3 Da Implantação dos Cursos...

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 32/2011

RESOLUÇÃO Nº 32/2011 RESOLUÇÃO Nº 32/2011 Regulamenta a Pós-Graduação Lato Sensu da O, da Universidade Federal de Juiz de Fora, no exercício de suas atribuições e tendo em vista o que consta do Processo 23071.014937/2010-12

Leia mais

REGULAMENTO DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO MAIO / 2015 REGULAMENTO DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS Art. 1º: Aproveitamento de estudos é o resultado do reconhecimento da equivalência

Leia mais

REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS ESUDA. Capítulo I Das Disposições Preliminares

REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS ESUDA. Capítulo I Das Disposições Preliminares Capítulo I Das Disposições Preliminares Art. 1º Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Faculdade de Ciências Humanas ESUDA orientam-se pelas normas especificadas neste Regulamento e estão sujeitos ao

Leia mais

Regulamento dos Cursos da Diretoria de Educação Continuada

Regulamento dos Cursos da Diretoria de Educação Continuada Regulamento dos Cursos da Diretoria de Educação Continuada Art. 1º Os Cursos ofertados pela Diretoria de Educação Continuada da Universidade Nove de Julho UNINOVE regem-se pela legislação vigente, pelo

Leia mais

TÍTULO I DAS ENTIDADES

TÍTULO I DAS ENTIDADES RESOLUÇÃO Nº 444 DE 27 DE ABRIL DE 2006. 1205 Ementa: Dispõe sobre a regulação de cursos de pós-graduação lato sensu de caráter profissional. O Conselho Federal de Farmácia, no uso das atribuições que

Leia mais

Minuta do Regimento Geral de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade Federal de São Carlos

Minuta do Regimento Geral de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade Federal de São Carlos Minuta do Regimento Geral de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade Federal de São Carlos CapítuloI Dos Objetivos Art.1º - Os cursos de pós-graduação lato sensu da Universidade Federal de São

Leia mais

REGULAMENTO DOS PROCESSOS DE TRANSFERÊNCIA, APROVEITAMENTO DE ESTUDOS E COMPETÊNCIAS E ACESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA SUPERIOR

REGULAMENTO DOS PROCESSOS DE TRANSFERÊNCIA, APROVEITAMENTO DE ESTUDOS E COMPETÊNCIAS E ACESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA SUPERIOR REGULAMENTO DOS PROCESSOS DE TRANSFERÊNCIA, APROVEITAMENTO DE ESTUDOS E COMPETÊNCIAS E ACESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA SUPERIOR (Aplicado aos cursos de Graduação) Aprovado no Conselho de Ensino, Pesquisa

Leia mais

Portaria nº 69, de 30/06/2005

Portaria nº 69, de 30/06/2005 Câmara dos Deputados Centro de Documentação e Informação - Legislação Informatizada Portaria nº 69, de 30/06/2005 O PRIMEIRO-SECRETÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, no uso das atribuições que lhe confere o

Leia mais

RESOLUÇÃO CAS Nº.18, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2008.

RESOLUÇÃO CAS Nº.18, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2008. RESOLUÇÃO CAS Nº.18, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2008. Dispõe sobre o aproveitamento de estudos e dá outras providências. O REITOR DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ANÁPOLIS E PRESIDENTE DO CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº. 10/2015 Criar e aprovar o Curso de Pós-Graduação MBA em Gestão Empreendedora

Leia mais

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos.

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos. Resolução n.º 03/2010 Regulamenta os Cursos de Pós-Graduação da Faculdade Campo Real. O CONSU Conselho Superior, por meio do Diretor Geral da Faculdade Campo Real, mantida pela UB Campo Real Educacional

Leia mais

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 RESOLUÇÃO Nº.06/2008 Dispõe sobre a Normatização do Programa. de Cursos de Pós-Graduação Lato

Leia mais

lato sensu na modalidade de educação a

lato sensu na modalidade de educação a DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 122/2011 Regulamenta os Cursos de Pós-graduação lato sensu na modalidade de educação a distância (EAD) na Universidade de Taubaté. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.529, DE 12 DE JUNHO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.529, DE 12 DE JUNHO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.529, DE 12 DE JUNHO DE 2007 Dispõe sobre a oferta de cursos de pósgraduação lato sensu

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: DINÂMICA REGIONAL E ALTERNATIVAS DE SUSTENTABILIDADE. CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA

Leia mais

GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe

GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe Sumário Título I Dos Cursos de Pós Graduação e suas finalidades...1 Título II Dos Cursos de Pós Graduação em Sentido Lato...1 Título III Dos Cursos de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA COMISSÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02/2010/CPG

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA COMISSÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02/2010/CPG INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02/2010/CPG Estabelece procedimento para o reconhecimento e o registro de diploma de conclusão de curso de Pós-Graduação expedidos por instituições de ensino superior estrangeiras.

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742 Aprova o Regulamento Geral dos Cursos de Pós-Graduação LATO SENSU da UFG, revogando-se a Resolução CEPEC Nº 540. O CONSELHO

Leia mais

R E S O L V E: I - DA TRANSFERÊNCIA EXTERNA FACULTATIVA

R E S O L V E: I - DA TRANSFERÊNCIA EXTERNA FACULTATIVA AEDA Nº. 053/REITORIA/2014 1/9 TRANSFERÊNCIA EXTERNA FACULTATIVA, TRANSFERÊNCIA INTERNA E APROVEITAMENTO DE ESTUDOS PARA O PRIMEIRO E SEGUNDO SEMESTRES LETIVOS DE 2015. O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 003/2007 CONEPE

RESOLUÇÃO Nº 003/2007 CONEPE RESOLUÇÃO Nº 003/2007 CONEPE Aprova o Regimento dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu da Universidade do Estado de Mato Grosso. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão CONEPE, da Universidade

Leia mais

Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE Coordenação de Pós-Graduação, Extensão e Atividade Complementares CEPAC

Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE Coordenação de Pós-Graduação, Extensão e Atividade Complementares CEPAC FACULDADE DA IGREJA MINISTÉRIO FAMA Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE Coordenação de Pós-Graduação, Extensão e Atividade Complementares CEPAC Regulamento Geral dos Cursos de Pós-Graduação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 05 - CONSU 13 DE JUNHO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº. 05 - CONSU 13 DE JUNHO DE 2007 Rua Governador Luiz Cavalcante, S/N, TELEFAX (82) 3530-3382 CEP: 57312-270 Arapiraca-Alagoas RESOLUÇÃO Nº. 05 - CONSU 13 DE JUNHO DE 2007 Dispõe sobre normas e procedimentos para os Cursos de Especialização

Leia mais

Universidade Positivo Resolução n o 04 de 16/04/2010 Normas Acadêmicas do Stricto Sensu

Universidade Positivo Resolução n o 04 de 16/04/2010 Normas Acadêmicas do Stricto Sensu RESOLUÇÃO N o 04 de 16/04/2010 - CONSEPE Dispõe sobre as normas das atividades acadêmicas dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade Positivo. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão,

Leia mais

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Disciplina os Cursos de Pós- Graduação Lato Sensu nas modalidades Acadêmica e Profissionalizante

Leia mais

Ementa : Estabelece normas para o funcionamento de cursos de Pós-Graduação lato sensu na Universidade de Pernambuco

Ementa : Estabelece normas para o funcionamento de cursos de Pós-Graduação lato sensu na Universidade de Pernambuco Resolução CEPE N XXX/200 Ementa : Estabelece normas para o funcionamento de cursos de Pós-Graduação lato sensu na Universidade de Pernambuco O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão CEPE,

Leia mais

REGULAMENTO DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO REGULAMENTO DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO Art. 1º Denomina-se aproveitamento de estudos ao fato de que determinada disciplina, apesar de constante do currículo pleno do curso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇAO E CONTABILIDADE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇAO E CONTABILIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇAO E CONTABILIDADE REGIMENTO INTERNO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA, GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL E GESTÃO EM SAÚDE MODALIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES. IUPERJ Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro. Unidade Pio X

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES. IUPERJ Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro. Unidade Pio X UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES IUPERJ Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro Unidade Pio X NORMAS GERAIS PARA APROVEITAMENTO DE ESTUDOS E EQUIVALÊNCIA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2014 NORMAS GERAIS

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015 RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015 Aprovar ad referendum do Conselho Universitário- CONSUN, o Regulamento para a Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade do Contestado - UnC. A Presidente do Conselho Universitário

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 453, de 28 de abril de 2005. Conselho Nacional de Educação de Minas Gerais.

RESOLUÇÃO Nº 453, de 28 de abril de 2005. Conselho Nacional de Educação de Minas Gerais. SIC 01 /05 - CEE/MG Belo Horizonte, 25 de maio de 2005. PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU - ESPECIALIZAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 453, de 28 de abril de 2005. Conselho Nacional de Educação de Minas Gerais. Estabelece normas

Leia mais

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. Cursos Datas Local Horário. 09 a 18 de junho de 2014

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. Cursos Datas Local Horário. 09 a 18 de junho de 2014 A Direção da Faculdade SATC, mantida pela Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, credenciada pela Portaria Ministerial n. 3.556 de 26/11/2003, publicada no D.O.U., em

Leia mais

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 1. Quais são os tipos de instituições de ensino superior? De acordo com sua organização acadêmica, as instituições de ensino

Leia mais

RESOLUÇÃO UNESP Nº 41, DE 17 DE OUTUBRO DE

RESOLUÇÃO UNESP Nº 41, DE 17 DE OUTUBRO DE RESOLUÇÃO UNESP Nº 41, DE 17 DE OUTUBRO DE 2011 (Publicada no D.O.E. de 18/10/11 Seção I, pág. 99) (Republicada no D.O.E. de 10/01/12 Seção I, pág. 78) Regulamenta os Cursos de Especialização da UNESP.

Leia mais

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO " LATO SENSU"

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO  LATO SENSU UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ REITORIA ACADÊMICA ASSESSORIA DE PÓS GRADUAÇÃO E PESQUISA REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO " LATO SENSU" CAPÍTULO I DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Art. 1º A

Leia mais

Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará

Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará O REITOR DA, no uso das atribuições que lhe conferem o Estatuto e o Regimento Geral, obedecidas a legislação

Leia mais

Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo e dá outras providências.

Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo e dá outras providências. RESOLUÇÃO CoCEx nº 6667, de 19 de dezembro de 2013. (D.O.E. 21.12.13) (Protocolado 11.5.2443.1.5). Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo

Leia mais

Dispõe sobre o Regimento Geral de Pós-graduação da UNESP.

Dispõe sobre o Regimento Geral de Pós-graduação da UNESP. RESOLUÇÃO UNESP Nº 30, DE 17 DE JUNHO DE 2010. Texto consolidado Dispõe sobre o Regimento Geral de Pós-graduação da UNESP. O Reitor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, tendo em vista

Leia mais

REGULAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS

REGULAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES Art. 1º. O Instituto Federal de Educação,

Leia mais

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO N o 019/2012/CDP Florianópolis, 03 de maio de 2012. A PRESIDENTE DO DO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo Regimento Geral do IF-SC e pelo

Leia mais

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. 1.1. A matrícula será realizada conforme a tabela a seguir:

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. 1.1. A matrícula será realizada conforme a tabela a seguir: A Direção da Faculdade SATC, mantida pela Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, credenciada pela Portaria Ministerial n. 3.556 de 26/11/2003, publicada no D.O.U., em

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA PPGE / UCB REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA.

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA PPGE / UCB REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA PPGE / UCB REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA Brasília-DF CAPÍTULO I Das Disposições Iniciais Art. 1º. O presente

Leia mais

Proposta de Resolução Ementa:

Proposta de Resolução Ementa: Proposta de Resolução Ementa: Dispõe sobre a regulamentação de Título de Especialista e de Especialista Profissional Farmacêutico e sobre normas e procedimentos para seu registro O Conselho Federal de

Leia mais

10/04/2015 regeral_133_146

10/04/2015 regeral_133_146 Seção VI Da Transferência Art. 96. A UNIR aceita transferência de discentes oriundos de outras instituições de educação superior, de cursos devidamente autorizados, para cursos afins, na hipótese de existência

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 156/2011-CEPE, DE 4 DE AGOSTO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº 156/2011-CEPE, DE 4 DE AGOSTO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº 156/2011-CEPE, DE 4 DE AGOSTO DE 2011. Normas para revalidação de diplomas de graduação e de pós-graduação stricto sensu expedidos por instituições de ensino superior estrangeiras. O CONSELHO

Leia mais

REGIMENTO DA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO (Aprovado pelo CONSU - Parecer n. 01/12, de 23 de março de 2012)

REGIMENTO DA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO (Aprovado pelo CONSU - Parecer n. 01/12, de 23 de março de 2012) REGIMENTO DA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO (Aprovado pelo CONSU - Parecer n. 01/12, de 23 de março de 2012) REGIMENTO DA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO SUMÁRIO DA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO

REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO Cabedelo - PB Página 1 de 9 FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DA PARAÍBA - FESP, PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização

Regulamento do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização Regulamento do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização Juiz de Fora-MG Regulamento do Núcleo de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os Cursos

Leia mais

Lato Sensu - Especialização

Lato Sensu - Especialização Regulamento Geral do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu - Especialização da Fundação Educacional de Além

Leia mais

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade Resolução nº 200/CONSEA, de 19 de fevereiro de 2009. Altera normas para o oferecimento de cursos de pós-graduação Stricto Sensu e lato sensu, pelos Departamentos da Fundação Universidade Federal de Rondônia

Leia mais

disciplinas componentes do currículo pleno de cursos de graduação autorizados ou reconhecidos, concluídas com aprovação;

disciplinas componentes do currículo pleno de cursos de graduação autorizados ou reconhecidos, concluídas com aprovação; RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO N. 111/2002 O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO, REITOR DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA E PRESIDENTE DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, no uso de suas atribuições,

Leia mais

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da FERLAGOS orientam-se pelas normas

Leia mais

Regulamento Geral. Programas Executivos IBMEC MG. REGULAMENTO GERAL PROGRAMAS EXECUTIVOS IBMEC BELO HORIZONTE Reprodução Proibida

Regulamento Geral. Programas Executivos IBMEC MG. REGULAMENTO GERAL PROGRAMAS EXECUTIVOS IBMEC BELO HORIZONTE Reprodução Proibida Regulamento Geral Programas Executivos IBMEC MG 0 TÍTULO I - DAS FINALIDADES Art. 1º - Os Programas CBA, MBA e LL.M. são atividades docentes do Ibmec MG, dirigidos à formação e aperfeiçoamento dos participantes,

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO CAPITULO I DAS FINALIDADES Art. 1º - Os cursos de pós-graduação da UNIABEU são regidos pela Lei Federal 9394/96 Lei de Diretrizes

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EDITAL No. 03/2013 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Seleção de candidatos às vagas nos cursos de Pós- Graduação lato sensu Gestão da Manutenção Industrial

Leia mais

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO Sumário TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 CAPÍTULO I Da Caracterização do Curso... 3 CAPÍTULO

Leia mais

Engenharia Elétrica 28 Noturno. Engenharia Mecânica 18 Noturno

Engenharia Elétrica 28 Noturno. Engenharia Mecânica 18 Noturno A Direção da Faculdade SATC, mantida pela Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, credenciada pela Portaria Ministerial n. 3.556 de 26/11/2003, publicada no D.O.U., em

Leia mais

Regulamento da Pós-Graduação Lato Sensu

Regulamento da Pós-Graduação Lato Sensu Regulamento da Pós-Graduação Lato Sensu CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Os cursos de pós-graduação lato sensu da FACULDADE UNIDA são regidos pela Resolução n. º 01, de 8 de junho de 2007,

Leia mais

3.2 Sistema de Avaliação e Monitoria

3.2 Sistema de Avaliação e Monitoria 3.2 Sistema de Avaliação e Monitoria RESOLUÇÃO N.º 06/2006 - CONSUN APROVA O SISTEMA DE AVALIAÇÃO E PROMOÇÃO PARA OS ALUNOS DE GRADUAÇÃO E CURSOS SEQÜENCIAIS DA PUCPR INGRESSANTES A PARTIR DE 2000. O Presidente

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA UNESP FFC/MARÍLIA. Seção I. Dos Objetivos

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA UNESP FFC/MARÍLIA. Seção I. Dos Objetivos REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA UNESP FFC/MARÍLIA Seção I Dos Objetivos Artigo 1º O Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília será estruturado

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU R E G I M E N T O G E R A L PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Regimento Geral PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Este texto foi elaborado com as contribuições de um colegiado de representantes da Unidades Técnico-científicas,

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE SÃO GOTARDO ltda. Avenida Francisco Resende Filho, 35 - São Gotardo/MG CEP 38800-000

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE SÃO GOTARDO ltda. Avenida Francisco Resende Filho, 35 - São Gotardo/MG CEP 38800-000 PORTARIA Nº 21, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2005 Dispõe sobre a regulamentação dos Programas de Pósgraduação Lato Sensu no âmbito do Centro de Ensino Superior de São Gotardo CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da UNINOVA destinam-se a portadores de diploma de nível superior,

Leia mais

2008-2020 BRASÍLIA / DF 2009 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ECONOMIA. Reg ECONOMIA.indd 1 6/9/2010 17:04:48

2008-2020 BRASÍLIA / DF 2009 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ECONOMIA. Reg ECONOMIA.indd 1 6/9/2010 17:04:48 2008-2020 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ECONOMIA BRASÍLIA / DF 2009 Reg ECONOMIA.indd 1 6/9/2010 17:04:48 Reg ECONOMIA.indd 2 6/9/2010 17:04:48 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade São Francisco USF, conforme anexo.

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade São Francisco USF, conforme anexo. RESOLUÇÃO CONSEPE 24/2014 ALTERA O REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE, no uso das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001.

RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001. RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001. Aprova o Manual para Credenciamento de Cursos com finalidade de Concessão do Título de Especialista e respectivo registro. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA,

Leia mais

Portaria Nº 0006A /2014 De 15 de maio de 2014

Portaria Nº 0006A /2014 De 15 de maio de 2014 Credenciada pelo MEC Portaria 347/2001 - Diário Oficial da União de 23.02.01 Entidade Mantenedora: AGES Empreendimentos Educacionais S/C Ltda CNPJ 03.732.265/0001-72 Portaria Nº 0006A /2014 De 15 de maio

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA/FUNDAÇÃO UNITINS/GRE/N 005/2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA/FUNDAÇÃO UNITINS/GRE/N 005/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA/FUNDAÇÃO UNITINS/GRE/N 005/2012 Aprovada pela RESOLUÇÃO CONSUNI/Nº 017/2012, Publicada no DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DO TO, Nº 3.670,no dia 13 de julho de 2012. Normatiza, no âmbito da

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE TÍTULO I

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE TÍTULO I 1 REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE TÍTULO I DO OBJETIVO E DA ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1.º - Este regimento estabelece as normas

Leia mais

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização Comissão da Câmara de Educação Superior Erasto Fortes

Leia mais

RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA

RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA O Presidente do CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO - FADISA, Professor Ms. ANTÔNIO

Leia mais

RESOLUÇÃO CAS Nº. 25, DE 6 DE AGOSTO DE 2009.

RESOLUÇÃO CAS Nº. 25, DE 6 DE AGOSTO DE 2009. RESOLUÇÃO CAS Nº. 25, DE 6 DE AGOSTO DE 2009. Regulamenta o processo de dependência e atendimento especial e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR DO CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 150/2010. Art. 1º - Fica aprovado o Regulamento Geral dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu da Universidade Federal Fluminense

RESOLUÇÃO N.º 150/2010. Art. 1º - Fica aprovado o Regulamento Geral dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu da Universidade Federal Fluminense MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 150/2010 EMENTA: Aprovação do Regulamento Geral dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu da Universidade Federal Fluminense.

Leia mais

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização Comissão da Câmara de Educação Superior Erasto Fortes

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 07/2010, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 07/2010, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 07/2010, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2010 Normatiza a oferta de cursos a distância, em nível de graduação, sequenciais, tecnólogos, pós-graduação e extensão universitária ofertados pela Universidade

Leia mais

Considerando que a excepcionalidade do regime de oferta gera processos de gestão acadêmica e administrativa distintos da rotina institucional;

Considerando que a excepcionalidade do regime de oferta gera processos de gestão acadêmica e administrativa distintos da rotina institucional; RESOLUÇÃO CONSEPE 22/2014 APROVA O REGULAMENTO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS, MODALIDADE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EAD, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF, PARA TURMAS COM INÍCIO EM

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL N o 3.476. Ano XXIII - Estado do Tocantins, sexta-feira, 30 de setembro de 2011

DIÁRIO OFICIAL N o 3.476. Ano XXIII - Estado do Tocantins, sexta-feira, 30 de setembro de 2011 52 REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO Lato sensu. Dispõe sobre o Regimento dos Cursos de Pós-Graduação Lato sensu na esfera da Fundação Universidade do Tocantins - Unitins. CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS, DA CONSTITUIÇÃO,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Ato: Resolução Nº 009/2010- CONSUP

REGIMENTO INTERNO Ato: Resolução Nº 009/2010- CONSUP Pág. 1 de 10 DO PROGRAMA DE PÓS- DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DOS CURSOS Art. 1 o A Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação é o órgão

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO 1 Anexo I da Resolução do Conselho Superior nº 46/2011, de 13/09/2011. REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO REGIMENTO DOS CURSOS

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO E DOS OBJETIVOS Art.1º - O Programa de Pós-graduação em Odontologia

Leia mais

ÍNDICE CAPÍTULO I...01 CAPÍTULO II...01 CAPÍTULO III...02 CAPÍTULO IV...05 CAPÍTULO V...06 CAPÍTULO VI...06 CAPÍTULO VII...07 CAPÍTULO VIII...

ÍNDICE CAPÍTULO I...01 CAPÍTULO II...01 CAPÍTULO III...02 CAPÍTULO IV...05 CAPÍTULO V...06 CAPÍTULO VI...06 CAPÍTULO VII...07 CAPÍTULO VIII... ÍNDICE CAPÍTULO I...01 DAS FINALIDADES...01 CAPÍTULO II...01 DOS OBJETIVOS...01 CAPÍTULO III...02 DO PROCESSO DE ABERTURA DE CURSOS...02 DO ENCAMINHAMENTO...02 DA ANÁLISE E DA APROVAÇÃO PRELIMINAR...03

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade Braz Cubas oferecidos nas

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação.

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação. Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação. Resolução nº. 035/12-COPPG Curitiba, 09 de abril de 2012 O CONSELHO PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS Dispõe sobre os estágios realizados pelos discentes do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - IFMG, em cumprimento da Lei nº 11.788, de 25 de setembro

Leia mais

PESQUISA SOBRE VALIDAÇÃO DE DISCIPLINA/APROVEITAMENTO DE ESTUDOS NOS CURSOS SUPERIORES

PESQUISA SOBRE VALIDAÇÃO DE DISCIPLINA/APROVEITAMENTO DE ESTUDOS NOS CURSOS SUPERIORES PESQUISA SOBRE VALIDAÇÃO DE DISCIPLINA/APROVEITAMENTO DE ESTUDOS NOS CURSOS SUPERIORES Adriane Stroisch De acordo com pesquisa realizada elaboramos a síntese a seguir com as informações

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: DINÂMICAS TERRITORIAIS E ALTERNATIVAS DE SUSTENTABILIDADE. CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 0 ÍNDICE NATUREZA E FINALIDADE 2 COORDENAÇÃO DOS CURSOS 2 COORDENAÇÃO DIDÁTICA 2 COORDENADOR DE CURSO 2 ADMISSÃO AOS CURSOS 3 NÚMERO

Leia mais