INSTITUTO DE CULTURA TÉCNICA FACULDADE SUL FLUMINENSE. Manual de Orientação para Elaboração dos. Trabalhos Científicos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO DE CULTURA TÉCNICA FACULDADE SUL FLUMINENSE. Manual de Orientação para Elaboração dos. Trabalhos Científicos"

Transcrição

1 INSTITUTO DE CULTURA TÉCNICA FACULDADE SUL FLUMINENSE Manual de Orientação para Elaboração dos Trabalhos Científicos (TCC, Monografias, Dissertações e Teses) Prof.(a) Mestra Sonia Violeta Motta Volta Redonda, 2011

2 INSTITUTO DE CULTURA TÉCNICA FACULDADE SUL FLUMINENSE Trabalhos Científicos (TCC, Monografias, Dissertações e Teses) Volta Redonda, 2011

3 INSTITUTO DE CULTURA TÉCNICA FACULDADE SUL FLUMINENSE Trabalhos Científicos (TCC, Monografias, Dissertações e Teses) Manual elaborado visando orientar docentes e discentes na realização dos Trabalhos Científicos sob a responsabilidade da Professora Sonia Violeta Motta. Volta Redonda, 2011

4 Dedicamos o presente trabalho aos discentes da FASF, esperando ajudá-los na elaboração de seus Trabalhos Científicos, utilizando os conhecimentos metodológicos de forma adequada e despertando-lhes o interesse pela pesquisa.

5 Agradecemos ao Professor Cláudio Alvares Menchise, pelo incentivo aos discentes no desenvolvimento dos Trabalhos Científicos.

6 Desejo também declarar que o pouco que aprendi até aqui é quase nada em comparação com o que ignoro e que não me desespero de aprender (...) (DESCARTES, 1985, 137)

7 Sumário 1. Introdução Projeto de Pesquisa Conceito Estrutura do Projeto de Pesquisa Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) Conceito Estrutura do Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) Formatação o Trabalho de Conclusão de Curso Elementos Pré-Textuais Capa Contra Capa Reprodução da Capa Folha de Rosto Folha de Aprovação Página de Dedicatória Página de Agradecimento Pensamento ou Epígrafe Sumário Listas de Abreviaturas e Siglas Resumo ou Abstract Prefácio ou Introdução Formal...14

8 3.3.2 Elementos Textuais Introdução Desenvolvimento ou Corpo do Assunto Conclusão Elementos Pós-Textuais Referências Apêndice Anexo Índice Critérios Gráficos Formatação e Paginação Ilustrações Citações Referências Baseadas na ABNT NBR 6023/ Livro Capitulo de livro Periódicos Revistas Jornal Eventos Monografia Dissertação Tese... 26

9 5.7 Folheto Documento Iconográfico Foto Documentos Audiovisuais Fita de Vídeo CD Documentos Eletrônicos Modelos de Páginas Referências Bibliográficas...37

10 1. Introdução O presente manual tem por objetivo auxiliar o corpo discente da Faculdade Sul Fluminense na elaboração de seus Trabalhos Científicos, de forma padronizada, de acordo com as orientações da ABNT e apoiada nas recentes publicações sobre Metodologia Científica. No entanto, antes de sinalizar conceitos e formas, decidimos apresentar uma breve reflexão sobre Pesquisa, uma vez que esta constitui a expressão máxima da mentalidade científica. A realidade que nos cerca é uma fonte inesgotável de conhecimentos. Entretanto, o conhecimento que possuímos do nosso universo é, na maioria das vezes, empírico, não estando baseado em investigação, nem comprovado e fundamentado em estudos científicos. A partir do momento que adotamos uma postura crítico-reflexiva sobre o mundo que nos cerca passamos a desvendá-lo, através de um olhar investigativo, ou seja, do desenvolvimento de atividades de pesquisas, capazes de transformar nosso conhecimento empírico em científico. Esse olhar investigativo caracteriza-se pela busca, investigação, descrição e análise da realidade teórica e prática, com objetivo de recuperar o conhecimento desta realidade de forma científica, alcançando sobre a mesma certezas parciais e provisórias. O processo implica na coleta de dados capazes de explicar os objetos ou fenômenos da realidade que nos interessa. De posse dos dados, a postura é descrever e analisar os fenômenos ou objetos pesquisados, para atingirmos as certezas provisórias, características do conhecimento científico. A essa atividade damos o nome de Pesquisa Científica. Lakatos (2003:155) define pesquisa como um procedimento formal, com método de pensamento reflexivo que requer um tratamento científico e se constitui no caminho para conhecer a realidade ou para descobrir verdades parciais. Medeiros (1999:32) cita que uma das particularidades da ciência é aceitar que nada é eternamente verdadeiro. Partindo

11 desse pressuposto, poderemos entender o sentido de pesquisar a fim de propormos novos olhares sobre os mais variados temas. Lembramos porém, que toda pesquisa é precedida de um projeto (Projeto de Pesquisa). 2. Projeto de Pesquisa 2.1. Conceito Descrição sucinta de uma proposta de trabalho de pesquisa, objetivando nortear as etapas a serem cumpridas pelo pesquisador, bem como descrever a metodologia e verificar a viabilidade da pesquisa. Como toda atividade sistemática e racional, o Projeto de Pesquisa exige que as ações desenvolvidas ao longo de seu processo sejam efetivamente planejadas. O planejamento é a primeira fase da pesquisa, que envolve a formulação do problema, a especificação de seus objetivos, a construção das hipóteses e a operacionalização de conceitos. O planejamento é, pois, o processo sistematizado mediante o qual se pode conferir maior eficiência à investigação para, em determinado prazo, alcançar o conjunto das metas estabelecidas. O Projeto de Pesquisa só pode ser definido ou definitivamente elaborado, quando se tem o problema claramente formulado, os objetivos e as hipóteses bem determinadas, assim como, o plano da coleta e análise de dados. Gil (2002:161) aponta que, pelo fato das pesquisas diferirem entre si, não pode haver, naturalmente, um modelo fixo para a redação do projeto, mas que é possível apresentar um esquema abrangente dos vários tópicos que o compõem. O esquema aqui apresentado é o trabalhado nas salas de aula de Métodos e Técnicas de Pesquisa da FASF. a) Introdução b) Justificativa c) Objetivos

12 d) Hipóteses de Trabalho e) Discussão Teórica f) Metodologia Utilizada g) Plano Provisório h) Cronograma da Pesquisa i) Recursos j) Referências 2.2. Estrutura do Projeto de Pesquisa a) Introdução A introdução será um texto, em forma de redação e não em tópicos. Inicialmente é anunciado o tema da Pesquisa, o assunto a ser pesquisado. Em seguida, são reservados alguns parágrafos para a construção do objeto, sem utilizar a expressão construção do objeto, apenas detalhando como surgiu a idéia do objeto da pesquisa, em uma linguagem quase informal, o mais claro possível. A esta fase dá-se o nome de definição do objeto de estudo, pois dentro de um tema proposto é definido e formulado, de forma clara, o objeto da Pesquisa (o que se vai estudar). Nos próximos parágrafos é delimitado o seu tema (onde e em que período o tema vai ser estudado). Não se escreve a expressão tema e delimitação do tema, o texto deve conduzir a isso. Todo tema tem uma amplitude maior do que se pode pesquisar de imediato. É necessário que seja delimitado um espaço, um tempo, uma condição ou um modo para trabalhar a pesquisa. Em seguida é criada a problemática. Pode ser usada uma expressão como: diante do exposto acima e entendida a delimitação do tema, apresenta-se a seguinte problemática... lembrando que o problema é a dúvida central que vai guiar a sua pesquisa. Em seguida é feita a revisão bibliográfica do tema a ser pesquisado (contextualização do tema com opiniões de especialistas sobre a problemática formulada).

13 No próximo parágrafo, é descrito o tipo de pesquisa que se pretende usar, de maneira a deixar claro para quem lê, já na introdução, se será pesquisa bibliográfica, de campo, laboratorial, etc. Finalmente, é enfocada a viabilidade da Pesquisa, as possibilidades de desenvolvêla (existência e disponibilidade de material). Em seguida, são criados os demais títulos. O primeiro será o da justificativa. Cada título deverá abrir uma nova página, mesmo que o texto não seja extenso. b) Justificativa: Justificar a escolha da temática, ressaltando sua relevância científica, social e pessoal, indicando a importância do tema, necessidades e motivação para o estudo do mesmo. c) Objetivos: Devem estar relacionados com a problemática, pois indicam a finalidade do estudo da problemática (para que estudá-la). Vem em folha única e, caso haja mais de um, podem vir descritos em tópicos, sempre usando um verbo no infinitivo. d) Hipótese de Trabalho: Resposta ou solução à situação problema. Aquilo que o pesquisador, ao longo do trabalho tentará comprovar (algo provável que será ou não confirmado). e) Discussão Teórica: Da mesma forma que foi feito na justificativa, com a mesma formatação, deve ser colocado Revisão Bibliográfica ou Referencial Teórico ou ainda Discussão Teórica. Aqui são apontadas citações de autores e o que já existe escrito sobre a hipótese, discutindo algumas citações e discorrendo sobre elas, concordando ou negando-as, além de levantar conceitos e histórico sobre sua hipótese.

14 f) Metodologia Utilizada: Descrição de quais procedimentos e técnicas serão usados na pesquisa, como coletará, tabulará e analisará os dados coletados. Como se irá pesquisar e onde. Procedimentos na coleta de dados (participantes do estudo, instrumentos utilizados, anexar modelos de questionários e entrevistas, caso sejam utilizados). g) Plano Provisório: Como será apresentado o Trabalho de Conclusão de Curso. Citar os títulos dos Capítulos que, por ser um plano provisório, podem, no decorrer da Pesquisa, ser modificados. h) Cronograma da Pesquisa Seguir uma tabela, conforme o modelo: Atividades Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Escolha do Assunto e Levantamento Bibliográfico X x Formulação do Problema e Construção das Hipóteses Coleta de Dados Tabulação, Análise e Interpretação dos Dados x x X x Síntese ou Relatório da Pesquisa x x x x Digitação e Revisão x x x

15 i) Recursos Descrever os recursos materiais e humanos que usará na pesquisa. j) Referências Relacionam-se, de acordo com a NBR 6023/02, as fontes efetivamente citadas para a elaboração escrita do Projeto. 3. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) 3.1. Conceito A palavra Monografia, do grego monos (um só) e grapheim (escrever), significa o estudo por escrito de um só tema, bem delimitado, sistematizado e estudado exaustivamente. Em Monografias de Conclusão de Curso o tema e o enfoque deverão expressar conhecimento do assunto escolhido, bem como afinidade do autor com o mesmo Estrutura do Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) A estrutura dos Trabalhos de Conclusão de Curso compreende os seguintes elementos: pré-textuais, textuais e pós-textuais.

16 Pré- textuais Capa (obrigatório) Folha em Branco (opcional) Reprodução da Capa (opcional) Folha de Rosto (obrigatório) Folha de Aprovação (obrigatório) Dedicatória (opcional) Agradecimentos (opcional) Epígrafe ou Pensamento ou Dístico (opcional) Resumo em língua vernácula (obrigatório) Resumo em língua estrangeira ou abstract (obrigatório)* Lista de ilustrações (opcional) Lista de tabelas (opcional) Listas de abreviaturas e siglas (opcional) Sumário (obrigatório) Prefácio (opcional) Textuais Introdução Desenvolvimento Conclusão Pós-textuais Referências Apêndice(s) Anexo(s) Índice *Nos Trabalhos de Conclusão de Curso e Monografias da FASF não será necessário o uso do resumo em língua estrangeira.

17 3.3. Formatação do Trabalho de Conclusão de Curso e Monografia Elementos Pré-Textuais: Capa Deverá ser simples, incolor, de material consistente e não apresentar desenhos ou ilustrações. Na parte superior, em negrito centrado, deverá conter o nome da Instituição (MAÍSCULO,14). No centro, também em negrito, o título da Monografia (MAIÚSCULO, 16) e o subtítulo (MAIÚSCULO/minúsculo,14). Abaixo sem negrito (MAIÚSCULO/minúsculo,14) o nome do autor. Títulos maiores devem ser divididos em 2 linhas. Na parte inferior, centrado, também em negrito, o local e a data (MAIÚSCULO/minúsculo,12) Contra Capa (opcional) Folha tamanho ofício A-4, sem gravações nem impressões Reprodução da Capa (opcional) Deverá conter tudo o que a capa contém, na mesma disposição Folha de Rosto a) Nome da Instituição: no alto da página, centrado em negrito. b) Título do Trabalho: no centro da página, em negrito e na mesma disposição em que apareceu na capa. c) Identificação ou Ementa do Trabalho: no canto, à direita da página, em letra comum, tamanho, 12 (MAIÚSCULO/minúsculo) com espaçamento simples entre as linhas e recuo de 8 cm da margem esquerda. d) Local e Data: próximos à borda inferior da página, centrados, em negrito, tamanho, Folha de Aprovação a) Parte Superior: título da Monografia e logo abaixo o nome do autor centrados e em negrito. b) Identificação ou Ementa: 5 cm abaixo, do meio para a direita e em letras comuns: Trabalho Final de Curso ou Monografia Apresentado ao Curso de

18 ... da Faculdade Sul Fluminense, como parte dos requisitos necessários para a obtenção do título e graduado ou especialista em... c) Professor Orientador:... d) Aprovação: 3cm abaixo em letras comuns Aprovada por: Prof.:... Grau:... e) Parte Inferior: Local e Data, centrados e em negrito Página de Dedicatória (opcional) Na parte inferior da página com recuo de 8cm da margem esquerda, próxima à margem direita, em letras comuns Página de Agradecimento: (opcional) comuns. Na parte inferior da página, com recuo de 8 cm da margem esquerda, em letras Pensamento ou Epígrafe: (opcional) Na parte inferior da página, com recuo de 8cm da margem esquerda, próximo à margem direita. No caso do pensamento não ser do autor do trabalho, colocá-lo entre aspas e indicar o autor. Deverá ser apresentado em letras comuns Sumário É o plano desenvolvido e paginado que remete o leitor ao assunto. Comporta todas as divisões e subdivisões do trabalho a partir do prefácio, paginadas como aparecem no conjunto do mesmo.

19 OBS: Atualmente nos Trabalhos Científicos o Sumário substitui o Índice Listas de Abreviaturas e Siglas: Relação que identifica as abreviaturas e siglas que aparecerão no texto Resumo ou Abstract Sinopse do Trabalho que pode ser apresentado em mais de um idioma. A palavra Resumo ou Abstract aparece centrada, no alto da página, em negrito. Não deve ultrapassar duzentas palavras Prefácio ou Introdução Formal Recado do autor do leitor, sob a forma de explicação preliminar, sobre o trabalho como um todo. Breve histórico das origens do trabalho, com suas características e finalidades. Designa o público a que se destina, as dificuldades encontradas e os agradecimentos que se fizerem necessários. A palavra Prefácio deverá aparecer no alto da página, centrada em negrito (MAÚSCULO,14) Elementos Textuais: Introdução Recado do autor ao leitor, em forma de explicação preliminar, sobre o tema ou assunto do trabalho. Na introdução é feita uma retomada do Projeto de Pesquisa, pois a formulação de delimitação do assunto, a definição da problemática, a justificativa, os objetivos, as hipóteses de trabalho e as metodologias utilizadas deverão constar da Introdução.

20 No caso da Pesquisa de Campo, ao tratar das metodologias utilizadas, deverão ser definidos e quantificados os participantes do estudo, descritos os instrumentos utilizados e para quem ou para que foram elaborados, bem como quaisquer outros instrumentos auxiliares. Deverá ser descrita como foi realizada a coleta de dados: quem coletou, quando foi feita a coleta; e quaisquer outras observações que julgar necessárias para melhor compreensão da análise dos resultados. É conveniente também explicitar as limitações da metodologia, isto é, as deficiências reconhecidas pelo pesquisador. Requisitos da Boa Introdução a). Definir o Assunto: Anunciar a idéia central e precisa do assunto; Delimitar o assunto, indicando o ponto de vista sob o qual será focalizado; Situar o assunto no tempo e no espaço; Justificar a escolha e delimitação do assunto, mostrando sua importância, para despertar o interesse do leitor; Indicar a metodologia empregada. b). Indicar o caminho a seguir: Anunciar as idéias mestras do desenvolvimento, os pontos principais e serem abordados e as hipóteses a serem comprovadas; Anunciar o plano adotado para o Desenvolvimento: plano do Desenvolvimento fecha a Introdução; A palavra Introdução aparece a 1 cm da margem esquerda, em negrito (MAIÚSCULO,14) e precedida do algarismo arábico 1 seguido de hífen O Desenvolvimento ou Corpo do Assunto: É a parte principal e mais extensa do trabalho, devendo conter a exposição ordenada e pormenorizada do assunto.

21 Cada capítulo abre nova folha e deverá aparecer com seu título a 1cm da margem esquerda, em negrito. O título é precedido de algarismos arábicos seguidos de hífens. (MAIÚSCULO, 14) Nas subdivisões também deverão ser usados algarismos arábicos compostos e os títulos em letras comuns. (MAIÙSCULO/minúsculo) No caso de Pesquisa Campo, um capítulo ou sessão deverá ser dedicado para a apresentação e discussão dos resultados da pesquisa, no qual serão oferecidas evidências que esclareçam cada questão levantada ou hipótese formulada e, ainda, confronto entre os objetivos iniciais e os alcançados; e discutidos os resultados à luz do referencial teórico Conclusão Compreende a parte que arremata o trabalho. Não é uma idéia nova que se acrescenta ao trabalho, nem simples resumo do mesmo, mas sim, a decorrência lógica do que se apresentou na Introdução em termos de hipóteses e se argumentou e tentou comprovar no Desenvolvimento. É a comprovação fundamentada das hipóteses. É uma síntese dos resultados, com comentários do autor do trabalho, as principais contribuições trazidas pela pesquisa e as sugestões para novos estudos. Características da Boa Conclusão a) Essencialidade: Resumo marcante e interpretativo dos argumentos principais, ponto de chegada do tema anunciado na Introdução e analisado no Desenvolvimento. b) Brevidade: Deverá ser breve, exata, firme e convincente.

22 c) Personalidade: Deverá definir o ponto de vista do autor. Sendo resultado de seu trabalho, é justo que traga sua marca pessoal, apresentando suas conclusões fundamentadas em dados concretos e comprovados que coletou, analisou e interpretou e não, em juízos subjetivos. A palavra Conclusão deverá aparecer a 1cm da margem esquerda, em negrito e precedida de algarismo arábico subseqüente ao último capítulo Elementos Pós-Textuais São elementos complementares ao texto no qual estão inclusos: Referências (obrigatória) Conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento, que permite sua identificação individual (indicação de obras consultadas). A palavra REFERÊNCIAS aparece centrada, junto à margem superior, em caixa alta e negrito. (vide item 5) Apêndice (opcional) Texto ou documento elaborado pelo autor, a fim de complementar sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do trabalho. É identificado por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Ex.: APÊNDICE A Anexo (opcional) Texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração. Assim como os apêndices, os anexos são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos.

23 Ex.: ANEXO A-... Obs.: Entre as referências e os apêndices e anexos, usa-se uma folha de separação, com as respectivas palavras APÊNDICES ou ANEXOS em caixa alta, fonte 14 em negrito, no centro da página Índice É o plano desenvolvido e paginado que remete o leitor ao assunto. Comporta todas as divisões e subdivisões do trabalho a partir do Prefácio, paginadas como aparecem no conjunto do trabalho. Coloca-se Índice nos trabalhos com mais de 30 páginas. A palavra Índice deverá aparecer no alto da página, centrada, em negrito. 4. Critérios Gráficos 4.1. Formatação e Paginação A fonte utilizada será Times New Roman, tamanho 12 para todo o corpo do texto, observando as exceções específicas indicadas no presente trabalho (citações, pré-textuais e pós-textuais). As margens do trabalho serão definidas: Superior: 3cm Esquerda: 3cm Direita: 2cm Inferior: 2 cm O espaçamento entre linhas será de 1,5, exceto na ementa (folha de rosto) e nas citações longas. Os parágrafos não serão recuados e entre um parágrafo e outro haverá 2 espaçamentos (2 x enter).

24 Com relação à paginação, só serão numeradas as páginas textuais e as páginas de referências, a partir da 2ª (Segunda) folha de Introdução. As páginas pré-textuais (exceto capa) serão apenas contadas. A localização da numeração será na margem superior á direita Ilustrações Nas ilustrações, adotar a nomenclatura figura para: fotos, gráficos e outros tipos de ilustrações, com exceção de tabela, cuja nomenclatura será preservada. A inclusão das mesmas nas partes textuais ou pré-textuais, dependerá do tamanho que contiverem. Até a metade da página deve-se manter na parte textual, acima desta medida colocá-las em apêndice ou anexo. Com relação à numeração da figura ou tabela e indicação da fonte, mencionar estes dados na parte de cima à esquerda da tabela ou figura. 4.3.Citações Menção de informações retiradas de outras fontes, podendo ser: a) Citação de citação Quando não se tem acesso ao texto original. Ex.: Segundo Lebret (1961 apud LAKATOS: 2003:164). b) Citação direta Transcrição textual da parte da obra do autor consultado, sendo em até três linhas entre aspas ( ) dentro do texto e mais que isso citar com recuo de 4 cm da margem esquerda, em espaços simples, referenciando a localização. Ex.: De acordo com Libâneo (2001:131), Os elementos constitutivos dos conteúdos convergem para a formação das capacidades cognoscitivas. c) Citação indireta Texto baseado na obra do autor consultado. Ex:. Sant Anna (2001:33) afirma que a auto avaliação passa pela experiência de exploração anterior da aprendizagem e ajuda o aluno a pensar e concluir.

25 d) Notas de rodapé Podem ser referenciais ou explicativas, como o nome já informa, localiza-se no rodapé e sempre sinalizada no texto. Referenciais: a numeração é aposta sobrescrita acima do nome do autor, para refenciar a fonte (título, data, editor e ano). Ex:. simples (o mesmo) ou com os elementos : Id Idem do mesmo autor (obra diferente) Ibid Ibidem na mesma obra (página) Op.cit Opus citatum obra citada Passim Passim aqui e ali, em diversas passagens Apud citado por 5. Referências Baseadas na ABNT NBR 6023/ Livro A relação dos elementos essenciais, na seqüência estabelecida pela ABNT, é apresentada abaixo: Autor. Título: subtítulo (se houver). Número da edição (segunda em diante) Cidade: Editor, data. Adiante são apresentados alguns exemplos de referências bibliográficas que em seguida são analisados cada um de per si. Esses exemplos não estão em ordem alfabética. LITTON, Gaston. A pesquisa bibliográfica em nível universitário. São Paulo: McGraw- Hill, l975.

26 GUITTON, Jean, BOGDANOV, Grichka, BOGDANOV, Igor. Deus e a ciência: em direção ao metarrealismo. 4. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, l992. CONTANDRIOPOULOS, André-Pierre et al. Saber preparar uma pesquisa: definição, estrutura, financiamento. 3. ed. Rio de Janeiro: Hucitec, l999. ALVES, Nilda, VILLARDI, Raquel (Org.). Múltiplas leituras da nova LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (lei n /96) Rio de Janeiro: Dunya, l997. 1) Como indicar o nome do AUTOR da obra? O nome do autor será indicado a partir do último sobrenome, que deverá ser apresentado em caixa alta (todo em maiúscula),empregando-se vírgula entre o sobrenome e o nome. Para o autor Antônio Joaquim Severino a apresentação será: SEVERINO, Antônio Joaquim. Há situações em que o último sobrenome é composto e neste caso serão apresentados os dois últimos sobrenomes. a) Sobrenomes que indicam relação de parentesco Para o autor Manuel Barbosa Filho indicar-se-á: BARBOSA FILHO, Manuel. Sobrenomes ligados por hífen Sendo o autor Newton Freire-Maia, indicar-se-á: FREIRE-MAIA, Newton. b) Sobrenome em que a forma composta é mais conhecida: CASTELO BRANCO, Camilo. MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Sobrenomes espanhóis: ASTI VERA, Armando. SIERRA BRAVO, Restituto.

27 1.1) Obras produzidas por até três autores: serão registrados os nomes dos autores segundo a ordem em que aparecem na obra, separando-se cada autor por vírgula. Ex.: KELLER, Vicente, BASTOS, Cleverson Leite. GUITTON, Jean, BOGDANOV, Grichka, BOGDANOV, Igor. 1.2) Obras produzidas por mais de três autores: será registrado o nome do primeiro autor acompanhado da expressão et al., que é abreviação do latim et alii, cujo significado é e outros. Ex.: CONTANDRIOPOULOS, André-Pierre et al. BASTOS, Lília da Rocha et al. 1.3) Para obras coordenadas ou organizadas, indicar-se-á essa condição após o(s) nome(s) do(s) autor(es). Ex.: ALVES, Nilda, VILLARDI, Raquel (Org.). LOMBARDI, José Claudinei (Org.). 2) Como indicar o TÍTULO da obra? O título é apresentado logo depois do nome do autor. O título deverá ser destacado usando-se uma das três opções sugeridas pela ABNT: itálico, negrito ou sublinhamento. No caso de haver subtítulo este não será destacado e será separado do título principal por dois pontos. Os exemplos serão apresentados em negrito e incluirão o(s) autor(es). SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. CONTANDRIOPOULOS, André-Pierre et al. Saber preparar uma pesquisa: definição, estrutura, financiamento.

28 3) Como indicar o NÚMERO DA EDIÇÃO? A numeração da edição será indicada, somente a partir da 2ª edição, de forma abreviada, com a apresentação do numeral e da expressão ed. Informações que indiquem alterações na edição serão apresentadas abreviadamente. Ex.: SALOMON, Délcio Vieira. Como fazer uma monografia. 2. ed. rev.. atual. REY, Luís. Planejar e redigir trabalhos científicos. 2. ed. rev. ampl. rev. é abreviação de revista, revisada; atual. é abreviação de atualizada; ampl. é abreviação de ampliada. 4) Como indicar o LOCAL (nome da cidade) onde a obra foi editada? O nome da cidade é indicado, por extenso, após o título ou o número da edição (quando se tratar de segunda ou sucessiva edição). O nome da cidade é seguido de dois pontos (:). Ver exemplos a seguir: KELLER, Vicente, BASTOS, Cleverson Leite. Aprendendo Lógica. 4. ed. Petrópolis: BECKER, Howard S. Métodos de pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Caso o nome da cidade esteja omitido indicar-se-á [s. l.] que é abreviação do latim sine loco (sem local). Se no exemplo acima não estivesse indicado o nome da cidade de São Paulo, a referência ficaria como segue: BECKER, Howard S. Métodos de pesquisa em ciências sociais. [s. l.]: 5) Como indicar o nome da EDITORA? O nome da editora é indicado logo após o nome do local, sendo seguido por vírgula. Veja os exemplos: KELLER, Vicente, BASTOS, Cleverson Leite. Aprendendo Lógica. 4. ed. Petrópolis: Vozes,

29 ASTI VERA, Armando. Metodologia da pesquisa científica. 6. ed. Porto Alegre:Globo, Caso o nome da editora esteja omitido indicar-se-á [s. n.], que é abreviação do latim sine nomine (sem nome). No exemplo anterior, se o nome da editora estivesse omitido, a referência ficaria como segue: ASTI VERA, Armando. Metodologia da pesquisa científica. 6. ed. Porto Alegre: [s. n.], 6) Como indicar o ANO de publicação da obra? O ano de publicação é apresentado logo depois do nome da editora, acompanhado de ponto. Veja o exemplo: ASTI VERA, Armando. Metodologia da pesquisa científica. 6. ed. Porto Alegre: Globo, l980. Na hipótese de haver omissão do ano de publicação, será necessário indicar a data mais adequada, definida por consulta efetuada pelo leitor. Nesse caso a data será apresentada segundo uma das cinco seguintes formas sugeridas pela ABNT: a) [l999?] para ano provável b) [ca. 1999] para ano aproximado c) [l99-] para década certa d) [l9--] para século certo e) [l9--?] para século provável Quando houver duas ou mais obras de uma mesma autoria e todas com a mesma data de publicação, acrescentar-se-á a cada data uma letra do alfabeto, em letra minúscula. Exemplo: l998a, l998b, l998c. O conjunto dos elementos local, editora e data é denominado imprenta.

30 Estando os três elementos da imprenta omitidos simultaneamente a referência dos mesmos ficará:[s. l.: s. n., l999?]. Se o local e/ou editor for identificado em outra fonte que não seja a própria obra referenciada essa informação será apresentada entre colchetes. Exemplo: [Rio de Janeiro]. O uso do colchete indica, por conseguinte, que a informação apresentada não se encontra na própria obra referenciada Capítulo do Livro PARAIN, Charles, Características Gerais do Feudalismo. IN: VITALE, Luis, PARAIN, Charles, CAHEN, Claude et al., PINSKY, Jaime (org.). Modo de Produção Feudal. 2. ed. São Paulo: Global, p Periódicos Revistas No todo INTERCIÊNCIAS. São Paulo: Universidade Ibirapuera, 1997 v.1, n.4 (dez. 1997) semestral Em parte OLIVEIRA, Claudionor dos Santos. A Globalização da Economia e suas Implicações nas estratégias Mercadológicas. Interferências. São Paulo. v. 1, n.4, p.75 94, (dez. 1997) Jornal MACHADO, André. Esquadrão XP. O Globo. Rio de Janeiro, 12 jul Eventos (Congressos, Encontros, Reuniões, Seminários, Workshop, Simpósios)

31 No todo SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, XX, Florianópolis. Resumos...Florianópolis: Parte MOTTA, Sonia Violeta de Andrade. Escravos e Colonos: uma abordagem das fronteiras sociais e jurídicas no Baixo Império Romano. IN: XX SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ANPUH REV, 1999.p Monografia Com + de 3 autores PORTO, Bernadete Franco, et al.: Contribuições do lúdico no diagnóstico psicopedagógico. Volta Redonda: Ferp, 61 p Dissertação MOTTA, Sonia Violeta de Andrade. Colonato e Escravidão: uma abordagem social e jurídica dos segmentos camponeses no Baixo Império p. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ. Rio de Janeiro: Tese DOCKHORN, Nestor. A expressão da finalidade no campo romântico p. Tese (Doutorado) Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ. Rio de Janeiro: Folheto COUTINHO, Eduardo de Faria. Sentido e função da literatura comparada na América Latina. Rio de Janeiro: UFRJ, p

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 Jaciara-MT COMPOSIÇÃO DA MONOGRAFIA MONOGRAFIA Recebe nº página CAPA FOLHA DE ROSTO FOLHA DE APROVAÇÃO DEDICATÓRIA (OPCIONAL) AGRADECIMENTO (OPCIONAL) EPIGRAFE

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 2013

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 2013 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 2013 Jaciara-MT 2013 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO FORMATO Os trabalhos acadêmicos devem ser em conformidade com os apontamentos a seguir. Papel branco, Formato A4 (21

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias.

Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias. Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias. Goiânia, 2010 SUMÁRIO SUMÁRIO...2 1. INTRODUÇÃO...3 1.1-

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS DOS TRABALHOS Formato: A4 Cor preta Espaçamento entre linhas: 1,5cm Fonte texto: Times New Roman, 12 ou Arial, 11 Margem superior

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo Objetivo ABNT Normas para elaboração de trabalhos científicos Esta Norma especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos, visando sua apresentação à instituição Estrutura Parte

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE 1 INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTRUÇÕES GERAIS: papel branco A4, fonte Arial tamanho 12, com espaçamento de 1,5 cm entre as linhas,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Programa de Pós-Graduação em Biotecnociência Título Santo André dd/mm/aaaa Normas para Dissertações Mestrado em Biotecnociência - UFABC.

Leia mais

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005)

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Errata Folha de Rosto Capa ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Epígrafe Resumo L. estrangeira Resumo Agradecimentos Dedicatória Folha de Aprovação Anexos Apêndices Glossário Referências

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS JUINA/MT JULHO/2009 SUMÁRIO Introdução...

Leia mais

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO.

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO. SEMINÁRIO Seminário é um grupo de pessoas que se reúnem com o propósito de estudar um tema sob a direção de um professor ou autoridade na matéria. O nome desta técnica vem da palavra semente, indicando

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO OESTE DONA LINDU GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ DIVINÓPOLIS MG 2009 O Trabalho de

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS Elaborado por Prof. Dr. Rodrigo Sampaio Fernandes Um projeto de pesquisa consiste em um documento no qual

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS F A C UL DA DE DE P R E S I DE N T E V E N C E S L A U REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS APRESENTAÇÃO GRÁFICA - CONFIGURAÇÃO DAS MARGENS Ir ao menu Arquivo, escolher a opção Configurar

Leia mais

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Manual de Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Engenharia de Produção NATAL RN 2010 Apresentação O curso de Engenharia de Produção institui

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA A primeira etapa para a organização do TCC nos cursos de pós-graduação lato sensu a distância consiste na elaboração do projeto de pesquisa,

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br 2014 Pesquisa Pesquisa Atividade básica da ciência

Leia mais

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ Prof. Marat Guedes Barreiros GUARUJÁ 2º semestre de 2013 PROJETO MULDISCIPLINAR Curso superior de BACHAREL em

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Segundo a NBR 15287:2011

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1)

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV RESUMO Este

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROF. DR. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. Me. CELSO LUCAS COTRIM APRESENTAÇÃO

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS. FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS. FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga Ibitinga/ SP 2010 SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 REGRAS GERAIS... 3 2.1 DAS FINALIDADES... 3 2.2

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE QUÍMICA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC 1 APRESENTAÇÃO As recomendações a seguir resumem os princípios para a elaboração

Leia mais

FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA

FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA CURITIBA 2012 SUMÁRIO 1. ESTRUTURA DA MONOGRAFIA...03 1.1. Elementos pré-textuais...03

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS APRESENTAÇÃO O trabalho deve ser digitado e impresso em papel formato A4. O texto deve ser digitado, no anverso das folhas, em espaço 1,5, letra do tipo

Leia mais

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL AQUIDAUANA MS 2009 1. PAPEL E PROCESSO DE MULTIPLICAÇÃO O papel

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA 2014 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte

Leia mais

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/ DE 30 DE MAIO DE 2011/ PRODEMA-UFS DE Estas normas de redação foram definidas como diretrizes básicas pelo Colegiado do Núcleo de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

Uma instituição qualificando a ação profissional

Uma instituição qualificando a ação profissional Uma instituição qualificando a ação profissional SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...03 2. FORMAÇÃO GERAL...05 2.1 TIPO DE PAPEL...05 2.2 MARGEM...05 2.3 ESPAÇAMENTO...05 2.4 TIPO E TAMANHO DA FONTE...06 2.5 PAGINAÇÃO...06

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Educação Artística Unifadra / Dracena SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Educação Artística

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= *

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= * Lombada* UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BIBLIOTECA GLÁDIS W. DO AMARAL ORIENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Elementos póstextuais INDICES * PARTE INTERNA ANEXOS * APENDICES * GLOSSARIO

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

(CAPA) INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE BRASÍLIA

(CAPA) INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE BRASÍLIA (CAPA) INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA CAMPUS BRASÍLIA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e Análise de Práticas de Gestão Organizacional em uma Empresa. OBJETIVOS: Favorecer aos alunos ingressantes

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 APRESENTAÇÃO Tanto o artigo quanto a monografia são trabalhos monográficos, ou seja, trabalhos que apresentam resultados de pesquisa sobre um

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO São Carlos 2009 2 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO

Leia mais

PADRÃO PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS

PADRÃO PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS 1. ESTRUTURA DA MONOGRAFIA PADRÃO PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS A estrutura de uma monografia compreende as seguintes partes: a) elementos pré-textuais; b) elementos textuais; c) elementos pós-textuais.

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Centro de Excelência em Turismo MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB Por: Jakeline V. de Pádua APRESENTAÇÃO As páginas que se seguem especificam os princípios gerais

Leia mais

ESTRUTURA DO TIID 2010

ESTRUTURA DO TIID 2010 ESTRUTURA DO TIID 2010 7. Anexos c 7. A ficha de entrevista, agora com as respostas, deve ser apresentada como anexo, após as referências bibliográficas. 6. Referências Bibliográficas 6. As referências

Leia mais

3 cm UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE LUZIÂNIA

3 cm UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE LUZIÂNIA 3 cm UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE LUZIÂNIA NOME DO AUTOR (fonte tamanho 12, arial, todas em maiúscula, negrito, centralizado) ESTÁGIO SUPERVISIONADO I OU II DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA PIM II Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: O aluno deverá escolher uma empresa de qualquer porte ou segmento e, com base no cenário

Leia mais

Artigo 4º - Os cursos com ênfase deverão ter o TCC relacionado aos conteúdos trabalhados na ênfase.

Artigo 4º - Os cursos com ênfase deverão ter o TCC relacionado aos conteúdos trabalhados na ênfase. NORMA CONJUNTA FGV MANAGEMENT (MGM)/ DIRETORIA EXECUTIVA ACADÊMICA (ACD) Nº 11 / 2009 PADRONIZAÇÃO DE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC O Diretor Executivo do Programa FGV Management

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO

FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO LONDRINA 2009 SUMÁRIO 1 ESTRUTURA DO ARTIGO CIENTÍFICO...01 1.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS...01

Leia mais

Manual TCC Administração

Manual TCC Administração 1 Manual TCC Administração 2013 2 Faculdade Marista Diretor Geral Ir. Ailton dos Santos Arruda Diretora Administrativo-Financeiro Sra. Rafaella Nóbrega Coordenador do Curso de Administração e Gestão de

Leia mais

Metodologia do Trabalho Científico

Metodologia do Trabalho Científico Metodologia do Trabalho Científico Diretrizes para elaboração de projetos de pesquisa, monografias, dissertações, teses Cassandra Ribeiro O. Silva, Dr.Eng. METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Porque escrever

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS 0 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS MANUAL PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS PIRENÓPOLIS 2012 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO Av. Dom Manuel de Medeiros s/nº Dois Irmão, Recife PE Telefone: 3320-6203 ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA I ESTRUTURA DO RELATÓRIO 1.1

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espaçamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Nome do Estagiário 2 espaços 1,5 Fonte 14 Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA LOCAL ANO Fonte

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PONTA GROSSA 2011 LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO. Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros.

ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO. Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros. ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros. Estrutura Elementos Parte externa Capa (obrigatório) Lombada (opcional) Parte

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso (Administração) ETEC TEOTÔNIO ALVES PEREIRA

Trabalho de Conclusão de Curso (Administração) ETEC TEOTÔNIO ALVES PEREIRA Trabalho de Conclusão de Curso (Administração) ETEC TEOTÔNIO ALVES PEREIRA Objetivo: Estas diretrizes têm por objetivo padronizar a apresentação dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) dos Cursos Técnicos

Leia mais

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO Finalidade de um Artigo Científico Comunicar os resultados de pesquisas, idéias e debates de uma maneira clara, concisa e fidedigna. Servir de medida da produtividade

Leia mais

TÍTULO CLARO E OBJETIVO QUANTO ÀS PRETENÇÕES RELATIVAS AO OBJETO DE ESTUDO

TÍTULO CLARO E OBJETIVO QUANTO ÀS PRETENÇÕES RELATIVAS AO OBJETO DE ESTUDO FORMATAÇÃO GERAL PAPEL: A4 MARGEM: 3 cm à esquerda e superior e 2 cm à direita e inferior ESPAÇAMENTO: 1,5 texto corrido; entre parágrafo 6pts antes e depois FONTE: Times New Roman ou Arial TAMANHO DA

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Propor a aplicação dos conhecimentos adquiridos nas disciplinas do semestre na estratégia

Leia mais

CONDIÇÕES PARA SUBMISSÃO NORMAS PARA PUBLICAÇÃO

CONDIÇÕES PARA SUBMISSÃO NORMAS PARA PUBLICAÇÃO CONDIÇÕES PARA SUBMISSÃO NORMAS PARA PUBLICAÇÃO Todas as contribuições destinadas à Revista Interface Tecnológica devem estar rigorosamente baseadas nas regras da ABNT (Associação Brasileira de Normas

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP FACULDADE (do aluno) CURSO TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO RELATÓRIO AUTOR(ES) DO RELATÓRIO SÃO PAULO 200_ NOTA PRÉVIA

Leia mais

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS Baseado nas obras de Júnia Lessa França e Ana Cristina de Vasconcellos; Rosy Mara Oliveira. Atualizado

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Andersown Becher Paes de Barros * Ideraldo Bonafé ** RESUMO Este trabalho apresenta

Leia mais

MODELO PRÉ-PROJETO TCC 2012

MODELO PRÉ-PROJETO TCC 2012 MODELO PRÉ-PROJETO TCC 2012 1 2 1.4 FORMATO 1.4.1 Espacejamento Papel branco, formato A4 (21 cm x 29,7 cm), impressões com tinta preta (com exceção das ilustrações) e o texto deve ser digitado no anverso.

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO NOME DO ALUNO MATRÍCULA

TÍTULO DO PROJETO NOME DO ALUNO MATRÍCULA CURSO DE DIREITO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO DO PROJETO NOME DO ALUNO MATRÍCULA RIO DE JANEIRO MÊS - ANO NOME DO AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO PROJETO Projeto de Pesquisa apresentado ao orientador

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Porto Alegre RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL Estrutura formal do relatório Estrutura Elemento Capa Folha de Rosto Pré-textuais Folha de Identificação Sumário 1. Introdução Textuais 2. Atividades

Leia mais

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS O texto a seguir tratará das seguintes normalizações: A. NBR 14724:2001 Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos - Apresentação Informações pré-textuais

Leia mais

CURSO: TÍTULO DO TRABALHO. Nome do Aluno

CURSO: TÍTULO DO TRABALHO. Nome do Aluno CURSO: TÍTULO DO TRABALHO Nome do Aluno ESTRELA 2015 FACULDADE LA SALLE ESTRELA DISCIPLINA... CURSO... NOME DO ALUNO (MAIÚSCULO) Trabalho da Disciplina, do Curso da Faculdade La Salle Estrela. Professor:

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA APRESENTAÇÃO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS O trabalho deve ser digitado e impresso em papel

Leia mais

O título e subtítulo (quando houver) devem ser separados por dois pontos (:).

O título e subtítulo (quando houver) devem ser separados por dois pontos (:). VIII Jornada Ibmec de Iniciação Científica - 2013 Normas para submissão dos artigos Os autores devem ser cuidadosos com a apresentação técnica, com a sintaxe e a ortografia de seu texto, sob pena de recusa

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Dissertação é a apresentação escrita do trabalho de pesquisa desenvolvido no âmbito do Programa de

Leia mais

TÍTULO DA FUTURA MONOGRAFIA: SUBTÍTULO, SE HOUVER.

TÍTULO DA FUTURA MONOGRAFIA: SUBTÍTULO, SE HOUVER. 1 UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO FACULDADE DE HUMANIDADES E DIREITO CURSO DE DIREITO NOME DO AUTOR TÍTULO DA FUTURA MONOGRAFIA: SUBTÍTULO, SE HOUVER. SÃO BERNARDO DO CAMPO 2014 2 NOME DO AUTOR TÍTULO

Leia mais

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 1 ESTRUTURA A estrutura e a disposição dos elementos de um trabalho acadêmico são as

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL

INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE UM RELATÓRIO TÉCNICO Eurípedes de Medeiros Junior 1 Mara Matos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais