Curso de Treinamento de Usuários Cadastradores - Sistema de Gestão de Processos Disciplinares (CGU- PAD)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso de Treinamento de Usuários Cadastradores - Sistema de Gestão de Processos Disciplinares (CGU- PAD)"

Transcrição

1 Curso de Treinamento de Usuários Cadastradores - Sistema de Gestão de Processos Disciplinares (CGU- PAD) Controladoria Geral da União CGU Corregedoria-Geral da União - CRG

2 Treinamento CGU-PAD Estrutura do Curso 1º Dia: Apresentação do Grupo Palestra de apresentação do CGU-PAD Intervalo Portal CGU e manuais do sistema Exercício 1

3 Treinamento CGU-PAD Estrutura do Curso 2º Dia: Discussão Exercício 1 Início do Exercício 2 Intervalo Finalização do Exercício 2 Discussão Final

4 Apresentação - Sistema de Gestão de Processos Disciplinares (CGU- PAD) Controladoria Geral da União CGU Corregedoria-Geral da União - CRG

5 CGU-PAD Objetivos Desenvolvimento Institucional do Sistema de Correição do Poder Executivo Federal Gestão / Controle dos Processos Disciplinares

6 CGU-PAD Desenvolvimento Institucional do SisCor- PEF Articulação dos órgãos para fortalecimento de parceria (CRG/CGU - Órgãos) Desenvolvimento de Indicadores para estabelecimento / monitoramento de políticas de prevenção e repressão às infrações administrativas Aperfeiçoamento do controle de processos

7 CGU-PAD Controle dos Processos e Combate à Corrupção Identificação de pontos críticos e construção de mapas de risco Aprofundamento da análise das causas dos casos mais graves Articulação com outros órgãos, visando à investigação das situações críticas

8 CGU-PAD BASE LEGAL Lei Competência CGU no acompanhamento de Processos Disciplinares. Decreto 5.480/05 e 5.683/06 SisCor-PEF Portaria 1.043/07 - Obrigatoriedade de Uso Portaria 1.166/07 - Aprova o Termo de Uso do Sistema CGU-PAD e a Política de Uso no âmbito da CRG

9 CGU-PAD FORMA DE ACESSO Disponível em ambiente web Acesso por meio do Portal da CGU, no endereço:

10 CGU-PAD GESTÃO DE USO CGU/CRG Gestor Central do Sistema Órgãos / Entidades Gestores locais das informações e do acesso ao Sistema

11 CGU-PAD ESCOPO DE AÇÃO Processos Administrativos Disciplinares com indícios de autoria (PAD e Sindicância Punitiva) Acompanhamento, pelo Gestor, do andamento dos processos Registro dos Julgamentos (Pessoas e Penalidades)

12 CGU-PAD Perfís de Acesso Administrador Principal e Usuários Administradores - gestão de senhas Usuário Cadastrador - inserção de dados e visualização Usuário Consulta - visualização das informações Níveis Hierárquicos

13 CGU-PAD Coordenador Ministerial Indicação do Administrador Principal Definição da Política de Uso Estratégia de capacitação Fomento à correta utilização do sistema Indicação de Coordenadores-Adjuntos

14 CGU-PAD Política de Uso Finalidade do Sistema; Procedimentos Disciplinares e respectivos atos objeto de registro; Regras e procedimentos para a definição dos servidores que terão acesso ao sistema, nos diferentes perfís e níveis hierárquicos; Procedimentos para a concessão de acesso; Prazos para o registro das informações; Procedimentos e estrutura de suporte ao uso do sistema; Responsabilidades no uso das informações.

15 CGU-PAD Usuários Administrador: perfil na área de informática Cadastrador: perfil técnico na área disciplinar Consulta: dirigentes e gestores na área disciplinar Servidores e empregados públicos Observância à Política de Uso Responsabilidade no uso do sistema

16 CGU-PAD Treinamento pela CGU Encontro com Coordenadores Ministeriais (21/08) Treinamento dos Administradores Principais (04/09) Treinamento dos Usuários Cadastradores (18/09 a 07/ servidores, em 16 turmas)

17 CGU-PAD Suporte pela CGU Termo de Uso e Subsídios às Políticas de Uso Manual (menu Ajuda), Guia Rápido, Dicas ao Usuário e Formulário de Perguntas Frequentes Suporte eletrônico (dúvidas e sugestões) Ambiente de treinamento.

18 CGU-PAD Próximas etapas Aprimoramento do Sistema (sugestões) Integração com Sistemas Corporativos (SIAPE)

19 Portal CGU e Manuais - Sistema de Gestão de Processos Disciplinares (CGU- PAD) Controladoria Geral da União CGU Corregedoria-Geral da União - CRG

20 Treinamento CGU-PAD Navegação guiada pelo Portal da CGU: Correição > Sistema CGU-PAD Acesso ao CGU-PAD (base de dados oficial) Confira o Guia Rápido de utilização do CGU-PAD Voltar Acesso ao ambiente de treinamento do CGU-PAD (versão para testar o funcionamento do Sistema com dados fictícios).

21 Exercícios - Sistema de Gestão de Processos Disciplinares (CGU- PAD) Controladoria Geral da União CGU Corregedoria-Geral da União - CRG

22 Treinamento CGU-PAD Dinâmica do Exercício: Orientações iniciais Inserção de Dados pelo Usuário (apoio dos instrutores e utilização dos manuais) Demonstração da Correta Inserção dos Dados Discussão sobre as dificuldades e cuidados a serem adotados

23 SIMULAÇÃO SEM VALOR JURÍDICO MODELO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR TREINAMENTO CGU-PAD CGU- PAD Sistema de Gestão de Processos Disciplinares Controladoria Geral da União CGU Corregedoria-Geral da União - CRG MODELO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR Exercício 1 Trata-se de processo instaurado no âmbito do Ministério da Previdência Social e do Ministério das Comunicações com o objetivo de apurar denúncia, protocolada em 15/07/2005, que relatou suposta fraude previdenciária na unidade Sede do Ministério das Comunicações, com envolvimento do Ministério da Previdência Social, por parte dos servidores JOÃO VALENTÃO e TIA MARIA, no período compreendido entre 10/05/2004 a 10/09/2004. Dados sobres os servidores investigados: a) João Valentão: - CPF: ; - Identificação Única SIAPE: ; - Lotação: MPS/Secretaria de Previdência Complementar/Departamento de Fiscalização b) Tia Maria: - CPF: ; - Identificação Única SIAPE: ; - Lotação: MC/Secretaria-Executiva/SPOA/Coordenação Geral de Gestão de Pessoas 1

24 SIMULAÇÃO SEM VALOR JURÍDICO MODELO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR TREINAMENTO CGU-PAD PORTARIA CONJUNTA Nº 002, DE 10 DE AGOSTO DE O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL e o MINISTRO DE ESTADO DAS COMUNICAÇÕES, no uso de suas atribuições legais, com fulcro nos artigos 143, 148 e 149 da Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990, resolvem instaurar o competente Processo Administrativo Disciplinar objetivando a apuração de responsabilidade pelas supostas irregularidades constantes do processo nº XXXXXX, designando: Art. 1º ADONIRAN DAS ONZE, Auditor-Fiscal da Previdência Social, matrícula SIAPE n , ARY INZONEIRO, Técnico Previdenciário, matrícula SIAPE n e TORQUATO GELÉIA, Técnico Previdenciário, matrícula SIAPE n , para, sob a presidência do primeiro, compor Comissão de Processo Administrativo Disciplinar destinada a apurar as responsabilidades constantes do processo epigrafado, bem como para apurar fatos, ações e omissões que porventura venham a surgir no curso de seus trabalhos, conexos às anteriormente referidas irregularidades. Art. 2º - Fica estabelecido o prazo de 60 (sessenta) dias para a conclusão dos trabalhos. Art. 3º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. [NOME DO MINISTRO] Ministro de Estado da Previdência Social TERMO DE INDICIAÇÃO A Comissão de Inquérito, tendo ultimado a coleta de provas, em que sempre assegurou o direito à ampla defesa e ao contraditório, decide, para o fim previsto no art. 161 da Lei n 8.112/90, enquadrar a infração disciplinar e indiciar os servidores João Valentão e Tia Maria pelos motivos abaixo explicitados. (...) (...) CONCLUSÃO Brasília, 20 de setembro de RELATÓRIO FINAL DA COMISSÃO DE PAD Após a instrução probatória realizada com atenção ao devido processo legal, à ampla defesa e ao contraditório, tendo-se apreciado, uma a uma, todas as teses apresentadas pela defesa, a presente Comissão de Inquérito concluiu que: PUBLICADA NO D.O.U. N 15, de 10/08/2005. [NOME DO MINISTRO] Ministro de Estado das Comunicações Os servidores JOÃO VALENTÃO e TIA MARIA valeram-se do cargo que ocupam para lograr proveito pessoal, em detrimento da dignidade da função pública, transgredindo o art. 117, inciso IX, da Lei n 8.112/90. Endereço da Comissão: Esplanada dos Ministérios, Bloco F, 7 o andar, sala 720, Brasília DF Telefone:

25 SIMULAÇÃO SEM VALOR JURÍDICO MODELO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR TREINAMENTO CGU-PAD ENCERRAMENTO A Comissão de Inquérito submete a Vossas Excelências, Ministro de Estado da Previdência Social e Ministro de Estado das Comunicações, os autos do presente processo para julgamento, nos termos do art. 166 da Lei n 8.112/90. (...) DESPACHO DE JULGAMENTO ADONIRAN DAS ONZE Presidente da Comissão Brasília, 9 de outubro de Vistos e examinados os autos do Processo Administrativo Disciplinar n XXXXXX, ACATO PARCIALMENTE o relatório da Comissão Processante e DECIDO, com base no art. 167 da Lei n 8.112/90, aplicar a penalidade de demissão à servidora TIA MARIA, com fulcro no art. 132, XIII, c/c art. 117, inciso IX, da Lei n 8.112/90. ARY INZONEIRO Membro TORQUATO GELÉIA Membro PUBLICADO NO D.O.U. N 57, de 20/11/2005. Brasília, 20 de novembro de [NOME DO MINISTRO] Ministro de Estado das Comunicações DESPACHO DE JULGAMENTO (...) Vistos e examinados os autos do Processo Administrativo Disciplinar n XXXXXXX, ACATO PARCIALMENTE o relatório da Comissão Processante e DECIDO, com base no art. 167 da Lei n 8.112/90, aplicar a penalidade de demissão ao servidor JOÃO VALENTÃO, com fulcro no art. 132, XIII, c/c art. 117, inciso IX, da Lei n 8.112/90. PUBLICADO NO D.O.U. N 48, de 12/11/2005. Brasília, 12 de novembro de [NOME DO MINISTRO] Ministro de Estado da Previdência Social 3

26 SIMULAÇÃO SEM VALOR JURÍDICO MODELO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR TREINAMENTO CGU-PAD CGU- PAD Sistema de Gestão de Processos Disciplinares Controladoria Geral da União CGU Corregedoria-Geral da União - CRG MODELO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR Exercício 2 Trata-se de processo instaurado no âmbito do Ministério da Previdência Social com o objetivo de apurar carta anônima, protocolada em 28/05/2004, que relatou suposto furto de material do almoxarifado do edifício-sede daquela Pasta, por parte dos servidores BENEDITO BELELÉU, ELIS PIMENTA, ISMAEL ANTONICO NESTOR, ANGENOR MANGUEIRA E MANUEL AUDAZ, no período compreendido entre 23/08/2003 a 10/09/2003. Dados sobres os servidores investigados: a) Benedito Beleléu: - CPF: ; - Identificação Única SIAPE: ; - Lotação: MPS/Secretaria-Executiva/SPOA/Coordenação-Geral de Logística e Serviços Gerais/Divisão de Suprimento e Patrimônio. b) Elis Pimenta: - CPF: ; - Identificação Única SIAPE: ; - Lotação: MPS/Secretaria-Executiva/SPOA/Coordenação-Geral de Logística e Serviços Gerais/Divisão de Suprimento e Patrimônio. c) Ismael Antonico Nestor: - CPF: ; - Identificação Única SIAPE: ; - Lotação: MPS/Secretaria-Executiva/SPOA/Coordenação-Geral de Logística e Serviços Gerais/Divisão de Suprimento e Patrimônio. d) Angenor Mangueira: - CPF: ; - Identificação Única SIAPE: ; - Lotação: MPS/Secretaria-Executiva/SPOA/Coordenação-Geral de Logística e Serviços Gerais/Divisão de Suprimento e Patrimônio. e) Manuel Audaz: - CPF: ; - Identificação Única SIAPE: ; - Lotação: MPS/Secretaria-Executiva/SPOA/Coordenação-Geral de Logística e Serviços Gerais/Divisão de Suprimento e Patrimônio. 4

27 SIMULAÇÃO SEM VALOR JURÍDICO MODELO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR TREINAMENTO CGU-PAD PORTARIA Nº 001, DE 10 DE JUNHO DE O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, no uso de suas atribuições legais, com fulcro nos artigos 143, 148 e 149 da Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990, RESOLVE instaurar o competente Processo Administrativo Disciplinar objetivando a apuração de responsabilidade pelas supostas irregularidades constantes do processo administrativo n XXXX, designando: Art. 1º ADONIRAN DAS ONZE, Auditor-Fiscal da Previdência Social, matrícula SIAPE n , ARY INZONEIRO, Técnico Previdenciário, matrícula SIAPE n e TORQUATO GELÉIA, Técnico Previdenciário, matrícula SIAPE n , para, sob a presidência do primeiro, compor Comissão de Processo Administrativo Disciplinar destinada a apurar as responsabilidades constantes do processo epigrafado, bem como para apurar fatos, ações e omissões que porventura venham a surgir no curso de seus trabalhos, conexos às anteriormente referidas irregularidades. Art. 2º - Fica estabelecido o prazo de 60 (sessenta) dias para conclusão dos trabalhos. Art. 3º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação [NOME DO MINISTRO] Ministro de Estado da Previdência Social PORTARIA Nº 007, DE 8 DE AGOSTO DE 2004 O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, no uso de suas atribuições legais, com fulcro nos artigos 143, 148 e 149 da Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990, RESOLVE: Art. 1º. PRORROGAR por 60 (sessenta) dias, contados do término do período inicial, o prazo para a conclusão dos trabalhos da Comissão de Processo Administrativo Disciplinar instaurada pela Portaria n 001, de 10 de junho de 2004, publicada no DOU de 12 de junho de 2004, Seção 2, pág. 4, objeto do processo nº XXXXXX, em face das razões apresentadas pela Comissão. Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. PUBLICADA NO D.O.U. N 35, de 10/08/2004. [NOME DO MINISTRO] Ministro de Estado da Previdência Social PUBLICADA NO D.O.U. N 15, de 12/06/2004. Endereço da Comissão: Esplanada dos Ministérios, Bloco F, 7 o andar, sala 720, Brasília DF Telefone:

28 SIMULAÇÃO SEM VALOR JURÍDICO MODELO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR TREINAMENTO CGU-PAD TERMO DE INDICIAÇÃO A Comissão de Inquérito, tendo ultimado a coleta de provas, em que sempre assegurou o direito à ampla defesa e ao contraditório, decide, para o fim previsto no art. 161 da Lei n 8.112/90, enquadrar a infração disciplinar e indiciar os servidores Ismael Antonico Nestor, Angenor Mangueira, Benedito Beleléu e Elis Pimenta pelos motivos abaixo explicitados. Diante de todo o exposto, este Colegiado recomenda: a) o arquivamento do processo em relação aos servidores Benedito Beleléu e Elis Pimenta; b) a aplicação da penalidade de demissão ao servidor Ismael Antonico Nestor, com fulcro no art. 132, XIII, da Lei n 8.112/90; c) a aplicação da penalidade de advertência ao servidor Angenor Mangueira. (...) Ressalta-se que Comissão deixou de apurar a conduta do servidor Manuel Audaz em virtude de seu falecimento em 05/07/2004. (...) RELATÓRIO FINAL DA COMISSÃO DE PAD Brasília, 15 de agosto de ENCERRAMENTO A Comissão de Inquérito submete a Vossa Excelência, Ministro de Estado da Previdência Social, os autos do presente processo para julgamento, nos termos do art. 166 da Lei n 8.112/90. Brasília, 01 de setembro de CONCLUSÃO Após a instrução probatória realizada com atenção ao devido processo legal, à ampla defesa e ao contraditório, tendo-se apreciado, uma a uma, todas as teses apresentadas pela defesa, a presente Comissão de Inquérito concluiu que: ADONIRAN DAS ONZE Presidente da Comissão a) inexistem evidências de prática de irregularidades por parte do servidor Benedito Beleléu, nos termos do art. X; b) inexistem evidências de prática de irregularidades por parte da servidora Elis Pimenta, nos termos do art. X; c) que o servidor Ismael Antonico Nestor utilizou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares, infringindo o previsto no art. 117, inciso XVI da Lei n 8.112/90; d) que o servidor Angenor Mangueira retirou objeto da repartição pública sem prévio conhecimento da autoridade competente, infringindo o disposto no art. 117, inciso II da Lei n 8.112/90. ARY INZONEIRO Membro TORQUATO GELÉIA Membro 6

29 SIMULAÇÃO SEM VALOR JURÍDICO MODELO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR TREINAMENTO CGU-PAD DESPACHO DE JULGAMENTO PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO (...) Vistos e examinados os autos do Processo Administrativo Disciplinar n XXXXXXXXX, ACATO PARCIALMENTE o relatório da Comissão Processante e DECIDO, com base no art. 167 da Lei n 8.112/90: Exmo. Sr. Ministro de Estado da Previdência Social, Solicito, com fulcro no art. 174 da Lei n 8.112/90, que reconsidere o julgamento proferido por Vossa Excelência em 20 de setembro de 2004, pelos motivos de fato e de direito abaixo expostos. a) arquivar o processo em relação aos servidores BENEDITO BELELÉU e ELIS PIMENTA; b) aplicar a penalidade de demissão ao servidor ISMAEL ANTONICO NESTOR, com fulcro no art. 132, X, da Lei n 8.112/90; c) reconhecer a prescrição da pretensão punitiva no caso da aplicação da penalidade de advertência ao servidor ANGENOR MANGUEIRA e determinar o registro do fato nos assentamentos individuais do servidor, conforme o art. 170 da Lei n 8.112/90. (...) ISMAEL ANTONICO NESTOR Brasília, 1 de outubro de Brasília, 20 de setembro de [NOME DO MINISTRO] Ministro de Estado da Previdência Social PUBLICADO NO D.O.U. N 48, de 20/09/

30 SIMULAÇÃO SEM VALOR JURÍDICO MODELO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR TREINAMENTO CGU-PAD DESPACHO DE JULGAMENTO DO PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO (...) Analisado o pedido de reconsideração apresentado pelo ex-servidor Ismael Antonico Nestor, DECIDO não acatá-lo, mantendo a penalidade de demissão aplicada por ocasião do Despacho de Julgamento exarado em 20 de setembro de PUBLICADO NO D.O.U. N 65, de 12/10/2004. [NOME DO MINISTRO] Ministro de Estado da Previdência Social Brasília, 10 de outubro de PORTARIA Nº 012, DE 04 DE ABRIL DE O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, no uso de suas atribuições legais, com fulcro nos artigos 143, 148 e 149 da Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990, bem como acatando os termos do Ofício n 001/2007/CGU, da Controladoria-Geral da União, resolve: XXXXXXX. Art. 1 ANULAR o Processo Administrativo Disciplinar nº Art. 2º DESIGNAR os servidores ADONIRAN DAS ONZE, Auditor-Fiscal da Previdência Social, matrícula SIAPE n , ARY INZONEIRO, Técnico Previdenciário, matrícula SIAPE n e TORQUATO GELÉIA, Técnico Previdenciário, matrícula SIAPE n , para, sob a presidência do primeiro, compor Comissão de Processo Administrativo Disciplinar destinada a apurar as responsabilidades constantes do processo n XXXXX, bem como para apurar fatos, ações e omissões que porventura venham a surgir no curso de seus trabalhos, conexos às supostas irregularidades sob apuração. Art. 3º - Fica estabelecido o prazo de 60 (sessenta) dias para a conclusão dos trabalhos. Art. 4º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação [NOME DO MINISTRO] Ministro de Estado da Previdência Social PUBLICADA NO D.O.U. N 15, de 06/04/

CGU- PAD Sistema de Gestão de Processos Disciplinares. Controladoria Geral da União CGU Corregedoria-Geral da União - CRG

CGU- PAD Sistema de Gestão de Processos Disciplinares. Controladoria Geral da União CGU Corregedoria-Geral da União - CRG CGU- PAD Sistema de Gestão de Processos Disciplinares Controladoria Geral da União CGU Corregedoria-Geral da União - CRG Objetivos Desenvolvimento Institucional do Sistema de Correição do Poder Executivo

Leia mais

Procedimentos referentes ao Gerenciamento do Sistema CGU-PAD a serem adotados no âmbito da Corregedoria-Geral da União

Procedimentos referentes ao Gerenciamento do Sistema CGU-PAD a serem adotados no âmbito da Corregedoria-Geral da União ANEXO I DA PORTARIA Nº 293, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2008 (Alterado pela Portaria 147 de 31/01/2011). Procedimentos referentes ao Gerenciamento do Sistema CGU-PAD a serem adotados no âmbito da Corregedoria-Geral

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O SISTEMA DE GESTÃO DE PROCESSOS DISCIPLINARES

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O SISTEMA DE GESTÃO DE PROCESSOS DISCIPLINARES PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O SISTEMA DE GESTÃO DE PROCESSOS DISCIPLINARES Ambientes de uso / Acesso ao sistema 1. Estou com problemas em minha senha. O que faço? 2. Como consigo acesso ao sistema? 3. Quem

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR Superintendência da Zona Franca de Manaus Corregedoria CORREGEDORIA ORIENTAÇÕES

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR Superintendência da Zona Franca de Manaus Corregedoria CORREGEDORIA ORIENTAÇÕES CORREGEDORIA ORIENTAÇÕES OUTUBRO/2012 Superintendente da Zona Franca de Manaus Thomaz Afonso Queiroz Nogueira Corregedor Newton Cardoso Nagato Corregedora Substituta Maria do Carmo Oliveira Garcia ÍNDICE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 A PRESIDENTE EM EXERCÍCIO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO que as entidades da Administração Pública Federal indireta

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CF-POR-2012/00116 de 11 de maio de 2012

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CF-POR-2012/00116 de 11 de maio de 2012 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL PORTARIA Nº CF-POR-2012/00116 de 11 de maio de 2012 Dispõe sobre a composição, o funcionamento e as atribuições dos Comitês Gestores do Código

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I. Da Finalidade

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I. Da Finalidade REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I Da Finalidade Art. 1ª Fica instituído o Regimento Interno da da Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF, em conformidade com o Decreto nº. 6.029 de 1º de fevereiro

Leia mais

GENILDO LINS DE ALBUQUERQUE NETO

GENILDO LINS DE ALBUQUERQUE NETO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 126, DE 25 DE JUNHO DE 2014 O MINISTRO DE ESTADO DAS COMUNICAÇÕES Interino, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II do parágrafo

Leia mais

PORTARIA Nº 910, DE 7 DE ABRIL DE 2015.

PORTARIA Nº 910, DE 7 DE ABRIL DE 2015. PORTARIA Nº 910, DE 7 DE ABRIL DE 2015. Define os procedimentos para apuração da responsabilidade administrativa e para celebração do acordo de leniência de que trata a Lei nº 12.846, de 1º de agosto de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 Estabelece os critérios de concessão de acesso ao Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse SICONV. O SECRETÁRIO DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA Artigo 1º A Comissão de Ética, pretende de maneira independente, imparcial, sigilosa e soberana, assegurar a apuração das representações, apresentadas pelos associados

Leia mais

Manual do SeCI. Sistema Eletrônico de Prevenção de Conflitos de Interesses. Guia do Solicitante

Manual do SeCI. Sistema Eletrônico de Prevenção de Conflitos de Interesses. Guia do Solicitante Manual do SeCI Sistema Eletrônico de Prevenção de Conflitos de Interesses Guia do Solicitante CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO CGU SAS, Quadra 01, Bloco A, Edifício Darcy Ribeiro 70070-905 Brasília-DF cgu@cgu.gov.br

Leia mais

ANEXO REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CAPÍTULO I DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

ANEXO REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CAPÍTULO I DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ANEXO REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CAPÍTULO I DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL Art. 1º Comissão de Ética do Ministério da Educação MEC, constituída pela Portaria nº de 623

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 152/2014/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 152/2014/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 152/2014/TCE-RO Regulamenta as atividades de correição e inspeção no âmbito do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2010

RESOLUÇÃO Nº 001/2010 RESOLUÇÃO Nº 001/2010 ALTERA O REGIMENTO INTERNO DA OUVIDORIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS. O COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA, no uso das atribuições conferidas pelo artigo 18, inciso XVII,

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 497/GDGSET.GP, DE 24 DE SETEMBRO DE 2014

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 497/GDGSET.GP, DE 24 DE SETEMBRO DE 2014 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 497/GDGSET.GP, DE 24 DE SETEMBRO DE 2014 Institui no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho o Termo Circunstanciado Administrativo (TCA). O PRESIDENTE

Leia mais

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 16, DE 8 DE JUNHO DE 2010

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 16, DE 8 DE JUNHO DE 2010 FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 16, DE 8 DE JUNHO DE 2010 Altera a Resolução CD/FNDE nº 64, de 13 de dezembro de 2007, que estabelece os critérios e os

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 260/2008 TCE 2ª CÂMARA

RESOLUÇÃO Nº. 260/2008 TCE 2ª CÂMARA RESOLUÇÃO Nº. 260/2008 TCE 2ª CÂMARA 1. Processo Nº: 00709/2007 2. Classe de Assunto: IV Aposentadoria 3. Interessado: Tercina Dias de Carvalho Secretaria da Educação e Cultura 4. Entidade: Instituto de

Leia mais

Diretoria Geral Ouvidoria RELATÓRIO DE ATIVIDADES DA OUVIDORIA MÊS DE OUTUBRO DE 2015

Diretoria Geral Ouvidoria RELATÓRIO DE ATIVIDADES DA OUVIDORIA MÊS DE OUTUBRO DE 2015 Diretoria Geral Ouvidoria RELATÓRIO DE ATIVIDADES DA OUVIDORIA MÊS DE OUTUBRO DE 1 A Ouvidoria do DNPM, órgão de assistência direta e imediata ao Diretor-Geral, foi criada por meio do Decreto nº 7.9, de

Leia mais

DECRETO Nº 6.029, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2007

DECRETO Nº 6.029, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2007 SENADO FEDERAL SUBSECRETARIA DE INFORMAÇÕES DECRETO Nº 6.029, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2007 Institui Sistema de Gestão da Ética do Poder Executivo Federal, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação.

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 03950.001198/20-10 Assunto: Restrição de acesso: Providências adicionais Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recorrente: M.

Leia mais

FACULDADES DA FUNDAÇÃO DE ENSINO DE MOCOCA - FaFEM

FACULDADES DA FUNDAÇÃO DE ENSINO DE MOCOCA - FaFEM Portaria n. 012/2010. Estabelece as Normas e Regulamento da Ouvidoria das FAFEM. A Diretora das Faculdades da Fundação de Ensino de Mococa, no uso de suas atribuições regimentais, RESOLVE: regulamentar

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação.

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 01390.000123/2015-51 Assunto: Restrição de acesso: Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recorrente: F. L. F. Recurso contra

Leia mais

Portaria nº 335, de 30 de maio de 2006 D.O.U de 31/05/2006

Portaria nº 335, de 30 de maio de 2006 D.O.U de 31/05/2006 Portaria nº 335, de 30 de maio de 2006 D.O.U de 31/05/2006 Regulamenta o Sistema de Correição do Poder Executivo Federal, de que trata o Decreto nº 5.480, de 30 de junho de 2005. O MINISTRO DE ESTADO DO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COMISSÃO DE ÉTICA DO CEFET/RJ REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I. Competências

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COMISSÃO DE ÉTICA DO CEFET/RJ REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I. Competências MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA COMISSÃO DE ÉTICA DO CEFET/RJ REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I Competências Art. 1º - Compete à Comissão de Ética, no âmbito

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 Brasília - DF / 2014 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO

Leia mais

Número: 00224.000897/2010-27 Unidade Examinada: Município de Belo Horizonte/MG e Associação para Organização e Administração de Eventos, Educação e

Número: 00224.000897/2010-27 Unidade Examinada: Município de Belo Horizonte/MG e Associação para Organização e Administração de Eventos, Educação e Número: 00224.000897/2010-27 Unidade Examinada: Município de Belo Horizonte/MG e Associação para Organização e Administração de Eventos, Educação e Capacitação CAPACITAR. Relatório de Demandas Externas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o afastamento do país e concessão de passagens para servidores da UNIRIO. O Conselho de

Leia mais

RESOLUÇÃO nº08/2005. Art. 4º. A Ouvidoria será exercida por um Ouvidor, escolhido, de comum acordo, pela

RESOLUÇÃO nº08/2005. Art. 4º. A Ouvidoria será exercida por um Ouvidor, escolhido, de comum acordo, pela RESOLUÇÃO nº08/2005 Cria, no âmbito da FAMENE, a Ouvidoria, baixa normas para seu funcionamento, e dá outras providências. O Conselho Técnico Administrativo CTA da Faculdade de Medicina Nova Esperança

Leia mais

LEI Nº 12.846/2013 Aspectos da Regulamentação Federal. Valdir Moysés Simão Ministro Chefe da Controladoria-Geral da União

LEI Nº 12.846/2013 Aspectos da Regulamentação Federal. Valdir Moysés Simão Ministro Chefe da Controladoria-Geral da União LEI Nº 12.846/2013 Aspectos da Regulamentação Federal Valdir Moysés Simão Ministro Chefe da Controladoria-Geral da União São Paulo, 07 de maio de 2015 LEI Nº 12.846/2013 Esta Lei dispõe sobre a responsabilização

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2010 Aprova o Regimento Interno do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia

Leia mais

"Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social"

Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social "Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social" 1 Gestão por processos 2 Previdência Social: em números e histórico Estrutura: Administração Direta, 2 Autarquias e 1 Empresa

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP INSTRUÇÃO Nº 2560 Dispõe sobre procedimentos para a interrupção de registro profissional. O PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 34,

Leia mais

9 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO

9 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO 9 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO Ao sistema de controle interno, consoante o previsto nos arts. 70 e 74 da Constituição Federal, incumbe a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial,

Leia mais

MMK EDITORIAL. Ética Corporativa e Compliance CGU LANÇA DIRETRIZES SOBRE PROGRAMAS DE INTEGRIDADE PARA EMPRESAS PRIVADAS

MMK EDITORIAL. Ética Corporativa e Compliance CGU LANÇA DIRETRIZES SOBRE PROGRAMAS DE INTEGRIDADE PARA EMPRESAS PRIVADAS EDITORIAL CGU LANÇA DIRETRIZES SOBRE PROGRAMAS DE INTEGRIDADE PARA EMPRESAS PRIVADAS EQUIPE: Thiago Jabor Pinheiro tjabor@mmk.com.br Maria Cecilia Andrade mcandrade@mmk.com.br Em 22.9.2015, a Controladoria-Geral

Leia mais

RELATÓRIO DAS AÇÕES DA COORDENADORIA DE AUDITORIA INTERNA DA CGM EM 2013 1

RELATÓRIO DAS AÇÕES DA COORDENADORIA DE AUDITORIA INTERNA DA CGM EM 2013 1 RELATÓRIO DAS AÇÕES DA COORDENADORIA DE AUDITORIA INTERNA DA CGM EM 2013 1 1 Relatório disponibilizado pela Controladoria Geral do Município de São Paulo. 65 INTRODUÇÃO Apesar de funcionar desde o dia

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO Art. 1º A Diretoria Executiva, subordinada ao Presidente da Fundação, é responsável pelas atividades

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA-RDC N 49, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA-RDC N 49, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA-RDC N 49, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 025/2014 DE 09 DE JULHO DE 2014 Dispõe sobre as atribuições e designações dos procedimentos

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação. I. Portarias da Diretoria de Administração e Gestão... 05

SUMÁRIO. Apresentação. I. Portarias da Diretoria de Administração e Gestão... 05 SUMÁRIO Apresentação I. Portarias da Diretoria de Administração e Gestão... 05 SEPARATA DO BOLETIM DE SERVIÇO Nº 17 ANO XXIV Setembro - 2011 APRESENTAÇÃO Esta Separata do Boletim de Serviço destina-se

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen 1 SUMÁRIO Conteúdo 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O CURSO... 3 3. PERFIL DO TECNÓLOGO EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL... 3 4. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 3 5. CONDIÇÕES GERAIS DO ESTÁGIO... 5 6. MATRÍCULA...

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 342/SEJUD.GP, DE 27 DE JULHO DE 2010

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 342/SEJUD.GP, DE 27 DE JULHO DE 2010 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 342/SEJUD.GP, DE 27 DE JULHO DE 2010 Regulamenta o processo judicial eletrônico no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR

Leia mais

MANUAL DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA ATUAÇÃO DOS TUTORES DA REDE EAD-MT

MANUAL DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA ATUAÇÃO DOS TUTORES DA REDE EAD-MT SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DE MATO GROSSO SECRETARIA ADJUNTA DE POLÍTICAS, PROGRAMAS E PROJETOS GESTÃO ESTADUAL EAD COORDENAÇÃO DE ENSINO MANUAL DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA ATUAÇÃO DOS

Leia mais

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14 Leia-se:...Art. 1º DELEGAR COMPETÊNCIA e as responsabilidades decorrentes ao Superintendente Regional do DNIT nos estados de Goiás e Distrito Federal para Lavrar o Termo Aditivo de Prorrogação de prazo,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA GERAL DA RECEITA ESTADUAL

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA GERAL DA RECEITA ESTADUAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 011/2008/GAB/CRE Porto Velho, 28 de outubro de 2008. PUBLICADA NO DOE Nº1149, DE 22.12.08 CONSOLIDADA ALTERADA PELA INSTRUÇÃO NORMATIVA: Nº 009, de 30.03.09 DOE Nº 1217, de 03.04.09

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2009/2012

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2009/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 018 /2011/CSCI Versão: 01 Aprovação em: 17 de novembro de 2011 Ato de Aprovação: 018/2011 Unidades Responsáveis: Assessoria de Imprensa e Comunicação Social DISPÕE SOBRE PROCEDIMENTOS

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 03/2003-GAB

ORDEM DE SERVIÇO Nº 03/2003-GAB ORDEM DE SERVIÇO Nº 03/2003-GAB Fixa normas e procedimentos administrativos relativos ao controle patrimonial do ativo imobilizado da FFFCMPA. O Diretor da Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO, TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO BOLETIM

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO Art. 1º As atividades de Pesquisa da Universidade de Santo Amaro UNISA buscam fomentar o conhecimento por meio da inovação técnica, científica, humana, social e artística,

Leia mais

PORTARIA Nº 963 DE 7 DE JUNHO DE 2013

PORTARIA Nº 963 DE 7 DE JUNHO DE 2013 PORTARIA Nº 963 DE 7 DE JUNHO DE 2013 Define o procedimento para o fornecimento de cópia de documentos e vista de autos no âmbito da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O Diretor-Presidente da Agência

Leia mais

Apresentação. Módulos integrantes

Apresentação. Módulos integrantes Apresentação O Sistema de Informações Gerenciais de Acompanhamento de Projetos (SIGAP) tem por objetivo organizar informações referentes ao acompanhamento da execução de projetos de cooperação técnica

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Gabinete do Ministro. PORTARIA nº 3.746, de 17 de dezembro de 2004.

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Gabinete do Ministro. PORTARIA nº 3.746, de 17 de dezembro de 2004. PORTARIA nº 3.746, de 17 de dezembro de 2004. Institui o programa de transparência do Ministério da Justiça e estabelece medidas internas para aperfeiçoar os instrumentos preventivos de controle da atividade

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE GESTÃO DE PROCESSOS DISCIPLINARES (CGU-PAD)

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE GESTÃO DE PROCESSOS DISCIPLINARES (CGU-PAD) MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE GESTÃO DE PROCESSOS DISCIPLINARES (CGU-PAD) ÍNDICE 1. O SISTEMA... 4 2. ACESSO INICIAL... 4 3. ESTRUTURA DO SISTEMA... 5 4. CADASTRO INICIAL... 6 4.1 Inserção de Novo Processo...

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA

Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA 2008 Universidade Federal de Uberlândia Ouvidoria Avenida João Naves de Ávila, nº. 2121 Sala 14, Bloco 1A - Bairro Santa Mônica Uberlândia-MG CEP: 38400-902

Leia mais

SINDICÂNCIA PATRIMONIAL

SINDICÂNCIA PATRIMONIAL SINDICÂNCIA PATRIMONIAL A sindicância patrimonial, assim como os demais procedimentos investigativos, conforma um procedimento inquisitorial, sigiloso, não contraditório e não punitivo, que visa colher

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. www.anvisa.gov.br. Consulta Pública n 37, de 26 de agosto de 2013. D.O.U de 27/08/2013

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. www.anvisa.gov.br. Consulta Pública n 37, de 26 de agosto de 2013. D.O.U de 27/08/2013 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 37, de 26 de agosto de 2013. D.O.U de 27/08/2013 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PRESIDÊNCIA PORTARIA FNDE Nº 344 DE 10 DE OUTUBRO DE 2008.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PRESIDÊNCIA PORTARIA FNDE Nº 344 DE 10 DE OUTUBRO DE 2008. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PRESIDÊNCIA PORTARIA FNDE Nº 344 DE 10 DE OUTUBRO DE 2008. Estabelece procedimentos e orientações sobre a criação, composição, funcionamento

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 132/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 132/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 132/2013/TCE-RO Institui e disciplina o Termo de Ajustamento de Conduta como solução alternativa a incidentes disciplinares no âmbito do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia, e altera

Leia mais

GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR

GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR Orientação Técnica n 006/2014 Assunto: Procedimento Relativo à Gestão da Frota do Município do Recife Legislação: Instrução

Leia mais

e- SIC Manual do Cidadão

e- SIC Manual do Cidadão e- SIC Manual do Cidadão Sumário Introdução 3 O e-sic 4 Primeiro acesso 5 Cadastrando-se no e-sic 6 Acessando o e-sic 7 Funções do e-sic 8 Envio de avisos por e-mail pelo e-sic 9 Como fazer um pedido de

Leia mais

SINDICÂNCIA. Definição

SINDICÂNCIA. Definição SINDICÂNCIA Definição A sindicância, nos termos dos artigos 204 a 207 da Lei n 6.677/94, é um procedimento administrativo sumário de natureza inquisitorial (não possui contraditório) que tem como objetivo

Leia mais

BRASÍLIA, NOVEMBRO DE 2012

BRASÍLIA, NOVEMBRO DE 2012 TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa para prestação de serviços de produção e revisão de leiaute (webdesign) e navegação, bem como desenvolvimento de HTML e CSS. A empresa irá aprimorar as telas

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO. INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 11-2012/SEGPLAN

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO. INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 11-2012/SEGPLAN Publicada no DOE do dia 25/02/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 11-2012/SEGPLAN Regulamenta os procedimentos para abertura de processos, juntada, cópia e demais rotinas de tramitação de processos e documentos

Leia mais

ANEXO I Solicitação de acesso à rede corporativa (S.A.R.C) Poder Executivo do (RS) Cadastramento Bloqueio Desbloqueio Exclusão Justificativa Nome: Setor: Função: CPF: Identidade: Matricula: Ramal: Nome

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN N XXX, DE XX DE XXXXXXXXX DE 2010.

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN N XXX, DE XX DE XXXXXXXXX DE 2010. RESOLUÇÃO NORMATIVA RN N XXX, DE XX DE XXXXXXXXX DE 2010. Institui o procedimento de Notificação de Investigação Preliminar NIP e altera a redação do art. 11 da Resolução Normativa - RN nº 48, de 19 de

Leia mais

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO UFES 2015 SUMÁRIO

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO UFES 2015 SUMÁRIO MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO UFES 2015 SUMÁRIO 1. Apresentação O Programa de Avaliação de Desempenho constitui um processo pedagógico, coletivo

Leia mais

PÚBLICO-ALVO COORDENADORES DE:

PÚBLICO-ALVO COORDENADORES DE: MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA CADASTRAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS DE RESIDÊNCIAS (SIG-RESIDÊNCIAS) E PROCEDIMENTOS PARA PAGAMENTO DE BOLSAS. PÚBLICO-ALVO COORDENADORES DE: COMISSÃO DE RESIDÊNCIA

Leia mais

Assunto: Supervisão de bolsistas do Programa Universidade para Todos (Prouni) - 2013

Assunto: Supervisão de bolsistas do Programa Universidade para Todos (Prouni) - 2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR Diretoria de Políticas e Programas de Graduação da Educação Superior Esplanada dos Ministérios, Bloco L 3º andar Sala 343 Anexo II 70.047-900 - Brasília

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 08850.002672/2014-64 Assunto: Restrição de acesso: Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recurso contra decisão denegatória

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013.

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013. ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA

ESTADO DO MARANHÃO MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA 1 ATO REGULAMENTAR Nº 001/2011 Dispõe sobre o Regimento Interno da Ouvidoria do Ministério Público do Estado do Maranhão A PROCURADORA-GERAL DE JUSTIÇA DO, no uso das atribuições fixadas na Lei Complementar

Leia mais

OGU Ações e Projetos 2011/2012

OGU Ações e Projetos 2011/2012 OGU Ações e Projetos 2011/2012 FUNDAMENTOS NORMATIVOS Constituição Federal Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 11/2016-CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 11/2016-CM PROVIMENTO N. 11/2016-CM Institui o Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário GMF de que trata a Resolução n. 96, de 27-10-2009 e a Resolução n. 214, de 15-12-2015, ambas do Conselho

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União DESPACHO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União DESPACHO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União DESPACHO Referência: Processo nº 23480.21258/2013-12 Assunto: Recurso contra omissão da Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS ao cidadão

CARTA DE SERVIÇOS ao cidadão CARTA DE SERVIÇOS ao cidadão 1. A Carta de Serviços ao Cidadão A Carta de Serviços ao Cidadão da Previc foi elaborada com o objetivo de informar o cidadão dos serviços prestados pela autarquia, da forma

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO Consulta Pública

MANUAL DO USUÁRIO Consulta Pública MANUAL DO USUÁRIO Consulta Pública Ferramenta de Consulta Pública do Sistema Único de Saúde Versão 2008 Manual do Usuário Consulta Pública Ferramenta de Consulta Pública do Sistema Único de Saúde 1 MINISTÉRIO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 89, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 89, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 89, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2011 Estabelece procedimentos para apreensão e guarda de documentos, livros, materiais, equipamentos e assemelhados por Auditor- Fiscal do Trabalho e aprova

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO DISTRITO FEDERAL

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO CRM/DF nº 378/2015 (Publicada no DODF de 25 de março de 2015, Seção 03, p. 47) Dispõe sobre a instituição do Termo de Ajustamento de Conduta no âmbito da jurisdição do Conselho Regional de Medicina

Leia mais

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL UFSJ

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL UFSJ ORDEM DE SERVIÇO Nº 01/PF-UFSJ, de 20 de NOVEMBRO DE 2013. O PROCURADOR FEDERAL-CHEFE DA PROCURADORIA FEDERAL JUNTO À UFSJ, no uso das atribuições conferidas na Portaria AGU nº 1.399, de 5 de outubro de

Leia mais

DECRETO Nº 32965 DE 20 DE OUTUBRO DE 2010.

DECRETO Nº 32965 DE 20 DE OUTUBRO DE 2010. DECRETO Nº 32965 DE 20 DE OUTUBRO DE 2010. Institui o Regimento Interno do Clube do Servidor Municipal da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Clube do Servidor e dá outras providências. O PREFEITO DA

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: ANDERSON LUIZ. 3º Simulado de Ética na Administração Pública

CURSO ON-LINE PROFESSOR: ANDERSON LUIZ. 3º Simulado de Ética na Administração Pública Prezados(as) concurseiros(as), Espero que todos estejam bem! Divirtam-se! 3º Simulado de Ética na Administração Pública 1. (AFC/CGU/2006) Em relação aos servidores regidos pela Lei n. 8.112, de 11 de dezembro

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Conselho Superior

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Conselho Superior RESOLUÇÃO Nº 046 CONSUPER/2014 Regulamento para participação em atividades esporádicas para professores submetidos ao Regime de Dedicação Exclusiva. O Presidente do do IFC, Professor Francisco José Montório

Leia mais

ANTEPROJETO DE REGIMENTO GERAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS UFAL (Sob apreciação do MEC para fins de homologação) Título II Da estrutura

ANTEPROJETO DE REGIMENTO GERAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS UFAL (Sob apreciação do MEC para fins de homologação) Título II Da estrutura ANTEPROJETO DE REGIMENTO GERAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS UFAL (Sob apreciação do MEC para fins de homologação) Art. 8º... Título II Da estrutura Capítulo I Do Conselho Universitário Seção I Da

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS. Ofício Circular nº 32/2013-PROGEP/UFC Fortaleza, 15 de outubro de 2013.

PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS. Ofício Circular nº 32/2013-PROGEP/UFC Fortaleza, 15 de outubro de 2013. Ofício Circular nº 32/2013-PROGEP/UFC Fortaleza, 15 de outubro de 2013. Assunto: Programação de férias: inclusões, modificações e exclusões Face à proximidade do final do ano, quando há intensa incidência

Leia mais

RH EM AÇÃO INFORMATIVO Nº 01

RH EM AÇÃO INFORMATIVO Nº 01 RH EM AÇÃO INFORMATIVO Nº 01 A Superintendência de Administração de Recursos Humanos/SEDUC, em consonância com a política de gestão e valorização de pessoas, desenvolvida pela Secretaria de Estado da Educação,

Leia mais

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO N o 019/2012/CDP Florianópolis, 03 de maio de 2012. A PRESIDENTE DO DO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo Regimento Geral do IF-SC e pelo

Leia mais

CGU-PAD MANUAL DO USUÁRIO MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE GESTÃO DE PROCESSOS DISCIPLINARES (CGU-PAD)

CGU-PAD MANUAL DO USUÁRIO MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE GESTÃO DE PROCESSOS DISCIPLINARES (CGU-PAD) CGU-PAD MANUAL DO USUÁRIO MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE GESTÃO DE PROCESSOS DISCIPLINARES (CGU-PAD) ÍNDICE 1. O SISTEMA... 2. ACESSO INICIAL... 3. ESTRUTURA DO SISTEMA... 4 4 5 4. CADASTRO INICIAL... 4.1

Leia mais

Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família

Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família Desde o dia 01 de dezembro, o novo sistema de Gestão do Programa Bolsa Família (SIGPBF) do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) está disponível para os

Leia mais

NORMA DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE DA UNIFEI

NORMA DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE DA UNIFEI 1 NORMA DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE DA UNIFEI UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Normatiza o Estágio Probatório de Docentes no âmbito da Universidade Federal de Itajubá. O CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA REGULAMENTO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA REGULAMENTO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA REGULAMENTO A Comissão Própria de Avaliação da FACISA CPA/FACISA, constituída pela Diretoria-Geral de acordo com o estabelecido pela Lei n 10.861 de 14

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA E PROCESSAMENTO

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA E PROCESSAMENTO REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA E PROCESSAMENTO Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes (11) 3256-1321 abraidi@abraidi.com.br www.abraidi.com.br 1ª. Edição 2014 REGIMENTO

Leia mais

PRÁTICA 1) TÍTULO. Transparência Ativa e Passiva na Gestão da Corregedoria do Ministério dos Transportes 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA

PRÁTICA 1) TÍTULO. Transparência Ativa e Passiva na Gestão da Corregedoria do Ministério dos Transportes 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA PRÁTICA 1) TÍTULO Transparência Ativa e Passiva na Gestão da Corregedoria do Ministério dos Transportes 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA 2.1) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA DE TRANSPARÊNCIA ATIVA A prática de transparência

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 86, DE 21 DE MARÇO DE 2012. (Publicada no DOU, Seção 1, de 07/05/2012, pág. 77)

RESOLUÇÃO Nº 86, DE 21 DE MARÇO DE 2012. (Publicada no DOU, Seção 1, de 07/05/2012, pág. 77) RESOLUÇÃO Nº 86, DE 21 DE MARÇO DE 2012 (Publicada no DOU, Seção 1, de 07/05/2012, pág. 77) Dispõe sobre o Portal da Transparência do Ministério Público. O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 96, DE 16 JANEIRO DE 2012

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 96, DE 16 JANEIRO DE 2012 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 96, DE 16 JANEIRO DE 2012 Dispõe sobre procedimentos para a divulgação e fiscalização do cumprimento da legislação

Leia mais

EIXO 4 - SISTEMAS E PROCESSOS DE GESTÃO

EIXO 4 - SISTEMAS E PROCESSOS DE GESTÃO ANEXO 13: NECESSIDADES DE CONHECER DO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DE RE- CURSOS HUMANOS (DESIS) 1. Referentes ao Planejamento Estratégico EIXO 4 - SISTEMAS E PROCESSOS DE GESTÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO *Nº 005/2008. O PROCURADOR GERAL DE JUSTIÇA NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS faz saber que o

RESOLUÇÃO *Nº 005/2008. O PROCURADOR GERAL DE JUSTIÇA NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS faz saber que o RESOLUÇÃO *Nº 005/2008 Resolução publicada no DOE de 13/08/2008. *Errata, correção de numeração, no Doe de 14.10.08. Aprovada pela Lei Complementar nº 565 de 21 de julho de 2010, publicada no DOE de 22

Leia mais

LEI 12.846/2013 (Lei Anticorrupção LAC)

LEI 12.846/2013 (Lei Anticorrupção LAC) 14 DE MARÇO DE 2014 LEI 12.846/2013 (Lei Anticorrupção LAC) FABIO VALGAS Chefe Regional Controladoria Regional da União no Estado do Rio de Janeiro Lei 12.846/2013 Lei Anticorrupção - LAC A Lei n.º 12.846/13

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Sem restrição.

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Sem restrição. Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 46800.003150/2013-83 Assunto: Restrição de acesso: Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recorrente: Recurso contra decisão

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 005/2015

INSTRUÇÃO Nº 005/2015 INSTRUÇÃO Nº 005/2015 Orienta os servidores da Administração Publica Direta, Entidades e Autarquias do Poder Executivo Estadual, quanto aos prazos e procedimentos a serem observados no segundo Processo

Leia mais