PORTUGAL: COMÉRCIO INTERNACIONAL DO SECTOR DE ILUMINAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTUGAL: COMÉRCIO INTERNACIONAL DO SECTOR DE ILUMINAÇÃO"

Transcrição

1 Balança Comercial do Sector de Iluminação (NC 9405) (Milhares de Euros) Saídas ,7-4,7 Entradas ,7-10,1 Saldo ,4-15,5 Quota do Sector no Comércio Internacional de Portugal (% Total) Saídas 0,15 0,18 0,21 0,23 0,19 Entradas 0,24 0,25 0,24 0,28 0,23 Clientes do Sector de Iluminação (NC 9405) (Milhares de Euros) TOTAL ,7-4,7 Espanha ,7-6,1 Angola ,0-19,7 França ,2-7,4 Bélgica ,8 2,7 Holanda ,3-4,8 Reino Unido ,3 8,2 Cabo Verde ,8 26,4 Alemanha ,6-6,1 Moçambique ,5 22,3 Itália ,4 29,3 Estados Unidos da América ,5 49,2 Rússia ,1-43,0 Brasil ,1 94,0 Emirados Árabes Unidos ,2-9,8 Gana ,7 Outros ,8 33,2 Clientes do Sector de Iluminação (NC 9405) (% Total) TOTAL 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 Espanha 30,80 29,55 23,44 25,17 24,81 Angola 14,78 18,52 19,97 26,08 21,98 França 22,06 21,19 17,72 20,27 19,71 Bélgica 4,70 4,30 4,84 5,30 5,72 Holanda 4,52 4,85 4,76 4,32 4,32 Reino Unido 5,97 5,62 7,06 3,80 4,31 Cabo Verde 2,03 1,31 1,93 1,70 2,25 Alemanha 1,43 1,67 1,36 1,64 1,61 Moçambique 1,39 0,80 0,86 0,93 1,20 Itália 0,95 0,80 3,33 0,67 0,90 Estados Unidos da América 0,59 0,81 0,63 0,46 0,72 Rússia 1,73 1,62 1,39 1,13 0,68 Brasil 0,30 0,25 0,62 0,30 0,61 Emirados Árabes Unidos 0,36 0,48 1,12 0,62 0,58 Gana 0,00 0,15 0,01 0,43 0,57 Outros 8,40 8,08 10,98 7,17 10,02

2 Clientes do Sector de Iluminação (NC 9405) (% das Export. Totais de Portugal p/ o Mercado) Espanha 0,17 0,18 0,17 0,21 0,17 Angola 0,67 0,75 0,71 0,84 0,79 França 0,27 0,30 0,31 0,37 0,31 Bélgica 0,23 0,30 0,40 0,49 0,37 Holanda 0,19 0,25 0,30 0,27 0,21 Reino Unido 0,13 0,17 0,27 0,15 0,15 Cabo Verde 0,59 0,39 0,60 0,55 0,59 Alemanha 0,02 0,02 0,02 0,03 0,02 Moçambique 1,04 0,61 0,75 0,56 0,55 Itália 0,04 0,03 0,18 0,04 0,05 Estados Unidos da América 0,02 0,03 0,04 0,03 0,04 Rússia 0,88 0,77 0,58 0,86 0,39 Brasil 0,06 0,07 0,16 0,07 0,10 Emirados Árabes Unidos 0,37 0,59 1,26 0,72 0,53 Gana 0,00 1,55 0,07 4,28 4,61 Fornecedores do Sector de Iluminação (NC 9405) (Milhares de Euros) TOTAL ,7-10,1 Espanha ,8-10,2 China ,3 25,2 Itália ,3-28,7 Alemanha ,2 7,4 Bélgica ,5 3,5 Holanda ,0-38,1 França ,5-43,8 Áustria ,0 30,0 Reino Unido ,3-33,0 Hungria ,8 Eslováquia ,2 236,9 Filipinas ,0 43,1 Suécia ,5 276,9 India ,0 23,9 Dinamarca ,4-16,4 Outros ,3-26,8 Saídas por Tipos de Produtos (Milhares de Euros) TOTAL ,7-4,7 NC Lustres ,3 20,8 NC Projectores ,1-15,0 NC Candeeiros cabeceira, e ,0-10,6 NC Anúncios, placas lumino ,3-16,7 NC Outras partes de aparelh ,5-4,6 NC Partes aparelhos, vidro ,5 10,2 NC Aparelhos não eléctrico ,7-40,4 NC Guirlandas ,2-0,3 NC Partes aparelhos, plásti ,7-64,6 Não especificado em NC ,0

3 Saídas por Tipos de Produtos (% Total) TOTAL 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 NC Lustres 28,83 31,25 30,25 24,23 30,74 NC Projectores 21,77 21,07 21,95 26,57 23,71 NC Anúncios, placas luminosas 14,76 15,56 18,30 16,38 14,33 NC Candeeiros de cabeceira, escritório 18,66 17,10 16,21 19,76 18,54 NC Outras partes de aparelhos iluminação 12,28 12,47 10,12 9,16 9,17 NC Partes de aparelhos iluminação, de vidro 2,32 1,47 1,60 2,08 2,41 NC Aparelhos não eléctricos, de iluminação 0,90 0,85 1,20 0,89 0,56 NC Guirlandas 0,07 0,08 0,20 0,32 0,33 NC Partes de aparelhos iluminação, de plástico 0,41 0,16 0,16 0,60 0,22 Não especificado em NC 0,00 0,00 0,01 0,00 Entradas por Tipos de Produtos (Milhares de Euros) TOTAL ,7-10,1 NC Projectores ,3-11,2 NC Lustres ,6-8,9 NC Candeeiros cabeceira, e ,3-3,9 NC Outras partes de aparelh ,5-12,8 NC Aparelhos não eléctrico ,0 19,4 NC Guirlandas ,4 8,7 NC Anúncios, placas lumino ,7-2,2 NC Partes aparelhos, vidro ,8-60,2 NC Partes aparelhos, plásti ,0-10,1 Não especificado em NC Clientes de Lustres (NC ) (Milhares de Euros) TOTAL ,3 20,8 Espanha ,9 25,0 Angola ,4 7,3 Bélgica ,2-0,6 França ,2 115,5 Holanda ,2 2,2 Reino Unido ,8 19,9 Alemanha ,1 0,2 Cabo Verde ,2 54,9 Gana ,7 Moçambique ,3 138,0 Estados Unidos da América ,4 126,7 Rússia ,7-31,4 Gabão ,5 Emirados Árabes Unidos ,0 416,7 Letónia ,1 Outros ,6-1,8

4 Clientes de Candeeiros de Cabeceira, de Escritório (NC ) (Milhares de Euros) Var % a TOTAL ,0-10,6 França ,6-26,6 Angola ,3-9,9 Espanha ,5-18,9 Reino Unido ,2 24,6 Itália ,2 35,4 Alemanha ,8-30,8 Dinamarca ,0 43,0 República Checa ,1 Rússia ,4-44,0 Cabo Verde ,5 25,1 Holanda ,0 20,1 Áustria ,1-21,6 Bélgica ,2 24,2 Suiça ,8 0,7 Malta ,8 99,1 Outros ,8 9,7 Clientes de Guirlandas (NC ) (Milhares de Euros) Var % a TOTAL ,2-0,3 Espanha Brasil ,1 Angola ,4 26,4 Cabo Verde ,4-26,0 São Tomé e Principe ,9 186,7 Senegal 1 Congo Brazavile ,0 França ,8 Moçambique ,0 México ,0 Estados Unidos da América ,0 Canadá 8-100,0 Colômbia 4-100,0 Guiné-Bissau 1 Chile 0 Outros ,6-100,0 Clientes de Projectores (NC ) (Milhares de Euros) TOTAL ,1-15,0 Angola ,1-34,7 França ,5 46,0 Espanha ,7-35,9 Cabo Verde ,6 17,3 Holanda ,8 10,0 Bélgica ,1-0,5 Argélia ,6 158,5 Moçambique ,5 57,5 Congo Brazavile Georgia ,7 Estados Unidos da América ,0 Israel ,1-39,3 Peru Rússia ,5 Polónia ,4-15,6 Outros ,0-7,7

5 Clientes de Aparelhos Não Eléctricos de Iluminação (NC ) (Milhares de Euros) Var % a TOTAL ,7-40,4 Angola ,7-65,6 Argélia Brasil Cabo Verde ,7-31,0 Canadá China 12 Itália Tunísia ,0 Espanha ,2 1,9 Turquia ,4 162,4 Estados Unidos da América ,9-76,9 Marrocos ,8 Luxemburgo ,7 Gâmbia 3 Moçambique ,8-63,9 Outros ,7-7,9 Clientes de Anúncios, Cartazes, Placas Luminosas (NC ) (Milhares de Euros) Var % a TOTAL ,3-16,7 Espanha ,0-14,7 Angola ,5 14,1 França ,2-53,2 Reino Unido ,3-14,5 Líbia 153 Moçambique ,8-8,0 Hungria ,4 Cabo Verde ,9 18,0 Gâmbia ,1 Holanda ,3 Estados Unidos da América ,7 728,6 Suazilândia ,5 Luxemburgo ,5-2,3 Noruega 1 31 São Tomé e Principe ,6-18,3 Outros ,6-4,9 Clientes de Partes de Aparelhos de Iluminação, de Vidro (NC ) (Milhares de Euros) Var % a TOTAL ,5 10,2 Espanha ,7-18,6 Senegal 235 França ,1 67,1 Reino Unido ,2 Angola ,4-7,7 Brasil ,7-19,6 Holanda Itália ,7-57,9 Grécia ,6 Moçambique Marrocos ,0 Chipre 0 5 Polónia Alemanha ,1 Egipto ,0 Outros ,4-46,6

6 Clientes de Partes de Aparelhos de Iluminação, de Plástico (NC ) (Milhares de Euros) Var % a TOTAL ,7-64,6 Alemanha ,7 Angola ,2-87,8 Espanha ,7-14,5 Benim ,3 Brasil 4 6 Noruega 5 Cabo Verde ,4 Itália ,4 29,0 Timor Leste 2 India ,3 Marrocos 2 França ,8 São Tomé e Principe ,5 Guiné-Bissau 1 Gabão 1 1-5,4 Outros ,8-99,7 Clientes de Outras Partes de Aparelhos de Iluminação (NC ) (Milhares de Euros) Var % a TOTAL ,5-4,6 França ,9-3,1 Reino Unido ,9 12,9 Espanha ,7-1,1 Holanda ,1-42,6 Bélgica ,6 30,3 Emirados Árabes Unidos ,8 Alemanha ,2-4,6 Angola ,3-66,9 Suiça ,3 3,9 Polónia ,1 Áustria ,2 Brasil ,2 397,7 Irlanda ,7 200,2 Noruega ,2 44,5 Malta ,2 Outros ,6-16,0 Fonte: INE - Instituto Nacional de Estatística Notas: (a) Média aritmética das taxas de crescimento anuais no período (b) Taxa de variação homóloga - Coeficiente de variação >= 1000% ou valor zero no período anterior - Os valores de 2010 correspondem ao segundo apuramento, de Março de Informação pública, corrigida de valores confidenciais - No âmbito do comércio de bens, os termos Saídas e Entradas correspondem aos agregados (Expedições+Exportações) e (Chegadas+Importações), cujas designações se referem às trocas comerciais IntraUE e ExtraUE, respectivamente.

7 Posição e Quota de Portugal nas Exportações Mundiais do Sector de Iluminação (NC 9405) Posição Quota (%) 0,28 0,30 0,35 0,36 0,34 Fonte: ITC - International Trade Centre Em 2009, China e Alemanha foram os principais exportadores mundiais, com quotas de 34,2% e 11,1%, respectivamente. Posição e Quota de Portugal nas Import. do Principal Cliente do Sector de Iluminação (NC 9405) Cliente Espanha Espanha Espanha Espanha Angola Posição Quota (%) 1,67 1,80 2,27 2,64 53,36 Fonte: World Trade Atlas Em 2009, Portugal e China foram os principais fornecedores de Angola, com quotas de 53,4% e 24,8%, respectivamente. Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E.P.E. (AICEP) Tel: Contact Center:

PORTUGAL: COMÉRCIO INTERNACIONAL DE LEITE E DERIVADOS

PORTUGAL: COMÉRCIO INTERNACIONAL DE LEITE E DERIVADOS Balança Comercial Portuguesa de Leite e Derivados (Milhares de Euros) Exportação 172.852 226.378 271.971 225.496 268.753 13,3 19,2 Importação 367.724 436.717 518.991 480.416 461.748 6,6-3,9 Saldo -194.872-210.340-247.019-254.920-192.995

Leia mais

PORTUGAL: COMÉRCIO INTERNACIONAL DE CONSERVAS DE FRUTOS E DE PRODUTOS HORTÍCOLAS

PORTUGAL: COMÉRCIO INTERNACIONAL DE CONSERVAS DE FRUTOS E DE PRODUTOS HORTÍCOLAS Balança Comercial de Conservas de Frutos e de Produtos Hortícolas (NC 20) (Milhares de Euros) Saídas 171.860 219.416 253.244 316.567 294.753 15,3-6,9 Entradas 186.911 215.700 237.052 246.592 256.774 8,4

Leia mais

PORTUGAL: COMÉRCIO INTERNACIONAL DO SECTOR DE MOBILIÁRIO

PORTUGAL: COMÉRCIO INTERNACIONAL DO SECTOR DE MOBILIÁRIO Balança Comercial Portuguesa do Sector (Milhares de Euros) Exportação 813.207 914.677 909.921 836.887 917.672 3,4 9,7 Importação 569.862 644.676 676.482 625.479 579.139 0,8-7,4 Saldo 243.345 270.001 233.439

Leia mais

País_Acondicionamento_Fev_2012 (valores em quilogramas)

País_Acondicionamento_Fev_2012 (valores em quilogramas) País/Acondicionamento Carrega Descarrega Total Geral Alemanha 28.679.316 13.003.023 41.682.339 Carga geral fraccionada 6.145.879 6.145.879 Granel sólido 12.024.535 3.440.000 15.464.535 Roll on/off (c/propulsor)

Leia mais

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores. 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores. 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores 1. Iniciativas apoiadas pelo Camões, IP a) número (total): 1071 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas Áreas Geográficas Nº Iniciativas

Leia mais

Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas

Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas População portuguesa e de origem portuguesa residente no estrangeiro (estimativa do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Direcção Geral dos Assuntos

Leia mais

Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA

Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA PAÍS/ACONDICIONAMENTO CARREGA DESCARREGA TOTAL ALEMANHA 40.621 46.091 86.712 Contentores 15.433 142 15.575 Granel líquido 0 5.135 5.135 Granel sólido 0 28.765 28.765 Roll on/off (c/propulsor) 25.187 12.050

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Viana do Castelo, de 2014 Internacionalização - Desafios Enquadramento Evolução Recente Comércio Internacional de Bens e Serviços 2009-2013

Leia mais

Ação Cultural Externa Relatório 1º Semestre 2014 Indicadores Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas

Ação Cultural Externa Relatório 1º Semestre 2014 Indicadores Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas Ação Cultural Externa Relatório 1º Semestre 2014 Indicadores 1 1. Iniciativas apoiadas pelo Camões, IP a) número (total): 558 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas Áreas Geográficas Nº

Leia mais

REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS

REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS ÁFRICA DO SUL n.º 53/08 22 Setembro n.º 222/2008 publicado em 20-11-2008 EM VIGOR DESDE 22-10-2008 ALEMANHA ANDORRA Lei 12/82 03 Junho n.º 20/2017 14 fevereiro publicado em 14-10-1982 EM VIGOR DESDE 08-10-1982

Leia mais

REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS

REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS ÁFRICA DO SUL n.º 53/08 22 Setembro n.º 222/2008 publicado em 20-11-2008 EM VIGOR DESDE 22-10-2008 ALEMANHA Lei 12/82 03 Junho publicado em 14-10-1982 EM VIGOR DESDE 08-10-1982 15% 11º 10% a) 12º 10% ANDORRA

Leia mais

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação Membros da MIGA Agência Multilateral de Garantia de Investimentos Membro Data de afiliação África do Sul 10 de março de 1994 Albânia 15 de outubro de 1991 Alemanha 12 de abril de 1988 Angola 19 de setembro

Leia mais

Paying Taxes CPLP 2013 Apresentação de resultados

Paying Taxes CPLP 2013 Apresentação de resultados www.pwc.pt Paying Taxes CPLP 213 Apresentação de resultados Jaime Carvalho Esteves 23 de janeiro 213 Agenda 1. Metodologia Paying Taxes 2. Resultados CPLP 3. Comparações 4. Relações económicas entre Portugal

Leia mais

TABELA PRÁTICA DAS CONVENÇÕES PARA EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO CELEBRADAS POR PORTUGAL REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS

TABELA PRÁTICA DAS CONVENÇÕES PARA EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO CELEBRADAS POR PORTUGAL REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS ÁFRICA DO SUL n.º 53/08 22 Setembro n.º 222/2008 publicado em 20-11-2008 EM VIGOR DESDE 22-10-2008 ALEMANHA Lei 12/82 03 Junho publicado em 14-10-1982 EM VIGOR DESDE 08-10-1982 15% 11º 10% a) 12º 10% ARGÉLIA

Leia mais

Migrações. Distribuição Geográfica da População Estrangeira Ano de 2012

Migrações. Distribuição Geográfica da População Estrangeira Ano de 2012 Distribuição Geográfica da População Estrangeira Ano de 2012 A distribuição territorial da população estrangeira evidencia uma concentração predominante na zona litoral do país, com destaque para os distritos

Leia mais

Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso

Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso Tratados de Dupla Tributação Documento disponível em: www.ibc-madeira.com Convenções Celebradas por Portugal para Evitar a Dupla Tributação Europa

Leia mais

Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA

Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA INSTISociedade financeira com sede em território nacional, de acordo com o previsto no Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras

Leia mais

Tabela prática das convenções para evitar a dupla tributação celebradas por Portugal. Troca dos instrumentos de ratificação / entrada em vigor

Tabela prática das convenções para evitar a dupla tributação celebradas por Portugal. Troca dos instrumentos de ratificação / entrada em vigor Países (ordem alfabética) Diploma legal Troca dos instrumentos de ratificação / entrada em vigor Redução de taxas Dividendos Juros Royalties Art. º Taxa Art. º Taxa Art. º Taxa ÁFRICA DO SUL n.º 53/08

Leia mais

Membros da IFC. Corporação Financeira Internacional. Data de afiliação

Membros da IFC. Corporação Financeira Internacional. Data de afiliação Membros da IFC Corporação Financeira Internacional Membro Data de afiliação Afeganistão 23 de setembro de 1957 África do Sul 3 de abril de 1957 Albânia 15 de outubro de 1991 Alemanha 20 de julho de 1956

Leia mais

Preçário. REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 28-mar-2017

Preçário. REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 28-mar-2017 Preçário Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de O Preçário completo da, Instituição de Pagamento, S.A., contém o Folheto de e Despesas (que incorpora os valores

Leia mais

Preçário. REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 02-mar-2016

Preçário. REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 02-mar-2016 Preçário REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de O Preçário completo da REALTRANSFER, Instituição de Pagamento, S.A., contém o Folheto de Comissões

Leia mais

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: POR QUE FAZER? EFEITOS DA DEMOGRAFIA EXIGEM AJUSTE DE REGRAS

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: POR QUE FAZER? EFEITOS DA DEMOGRAFIA EXIGEM AJUSTE DE REGRAS REFORMA DA PREVIDÊNCIA: POR QUE FAZER? EFEITOS DA DEMOGRAFIA EXIGEM AJUSTE DE REGRAS 29 de março 217 198 9+ 8 8 7 7 6 6 4 4 3 3 2 2 2.. 1.. 1.... 1.. 1.. 2.. + 6 anos Fonte: IBGE (Projeção da População,

Leia mais

População estrangeira residente em Portugal, por nacionalidade e sexo, segundo o grupo etário

População estrangeira residente em Portugal, por nacionalidade e sexo, segundo o grupo etário POPULAÇÃO ESTRANGEIRA RESIDENTE E PORTUGAL 263322 12641 13174 16773 18713 27278 33693 32825 28375 21820 15712 10714 8835 7614 15155 143319 6644 7129 8951 9991 13983 18061 18393 16279 12722 8994 5933 4835

Leia mais

PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %)

PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %) PIB PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %) dez/92 jun/93 dez/93 jun/94 dez/94 jun/95 dez/95 jun/96 dez/96 jun/97 dez/97 jun/98 dez/98 jun/99 dez/99 jun/00 dez/00 jun/01 dez/01 jun/02 dez/02 jun/03

Leia mais

Preçário FIDELIS MARKET CONSULTANTS LTD - SUCURSAL EM PORTUGAL. Instituição de Pagamentos. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS

Preçário FIDELIS MARKET CONSULTANTS LTD - SUCURSAL EM PORTUGAL. Instituição de Pagamentos. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Preçário FIDELIS MARKET CONSULTANTS LTD - SUCURSAL EM PORTUGAL Instituição de Pagamentos Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de O Preçário completo da FIDELIS MARKET CONSULTANTS LIMITED - SUCURSAL

Leia mais

Preçário. REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 13-dez-2016

Preçário. REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 13-dez-2016 Preçário REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de O Preçário completo da REALTRANSFER, Instituição de Pagamento, S.A., contém o Folheto de Comissões

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A REPÚBLICA CHECA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A REPÚBLICA CHECA Expedições 131.553 150.360 197.480 207.546 242.886 16,9 17,0 Chegadas 283.375 314.940 313.947 276.716 356.263 6,9 28,7 Saldo -151.823-164.579-116.467-69.170-113.377 -- -- Coef. Cob. 46,4% 47,7% 62,9% 75,0%

Leia mais

A D U P L A T R I B U T A Ç Ã O I N T E R N A C I O N A L E M P O R T U G A L - A C T U A L I Z A Ç Ã O ( J A N E I R O D E )

A D U P L A T R I B U T A Ç Ã O I N T E R N A C I O N A L E M P O R T U G A L - A C T U A L I Z A Ç Ã O ( J A N E I R O D E ) i N º 7 / 1 5 A D U P L A T R I B U T A Ç Ã O I N T E R N A C I O N A L E M P O R T U G A L - A C T U A L I Z A Ç Ã O ( J A N E I R O D E 2 0 1 5 ) Em 12 de Janeiro de 2015 foi publicado o Decreto do Presidente

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A TURQUIA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A TURQUIA 2006 2007 2008 06/10 Exportações 232.428 224.671 219.928 202.363 267.608 4,7 32,2 Importações 476.689 444.725 366.501 283.751 321.445-8,4 13,3 Saldo -244.261-220.055-146.573-81.388-53.837 -- -- Coef. Cob.

Leia mais

A D U P L A T R I B U T A Ç Ã O I N T E R N A C I O N A L E M P O R T U G A L - A C T U A L I Z A Ç Ã O ( N O V E M B R O )

A D U P L A T R I B U T A Ç Ã O I N T E R N A C I O N A L E M P O R T U G A L - A C T U A L I Z A Ç Ã O ( N O V E M B R O ) i N º 4 3 / 4 0 A D U P L A T R I B U T A Ç Ã O I N T E R N A C I O N A L E M P O R T U G A L - A C T U A L I Z A Ç Ã O ( N O V E M B R O 2 0 1 4 ) Em Novembro de 2014 foram publicados os Decretos do Presidente

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A HOLANDA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A HOLANDA Var % a Expedições 1.331.620 1.324.196 1.277.000 1.147.102 1.400.821 2,0 22,1 Chegadas 2.683.100 2.838.406 3.025.235 2.812.231 2.928.279 2,4 4,1 Saldo -1.351.480-1.514.210-1.748.235-1.665.129-1.527.459

Leia mais

EXPORTHOME INHOUSE. AEP / Gabinete de Estudos

EXPORTHOME INHOUSE. AEP / Gabinete de Estudos EXPORTHOME INHOUSE AEP / Gabinete de Estudos Janeiro de 2008 1 1. Variáveis e Indicadores das Empresas 1 de alguns sectores presentes na Exporthome/Inhouse CAE 361 Fabricação de mobiliário e colchões A

Leia mais

A D U P L A T R I B U T A Ç Ã O I N T E R N A C I O N A L E M P O R T U G A L - A C T U A L I Z A Ç Ã O ( J A N E I R O D E )

A D U P L A T R I B U T A Ç Ã O I N T E R N A C I O N A L E M P O R T U G A L - A C T U A L I Z A Ç Ã O ( J A N E I R O D E ) i N º 9 / 1 5 A D U P L A T R I B U T A Ç Ã O I N T E R N A C I O N A L E M P O R T U G A L - A C T U A L I Z A Ç Ã O ( J A N E I R O D E 2 0 1 5 ) Em 23 de Janeiro de 2015 o Ministério dos Negócios Estrangeiros

Leia mais

TABELA - Destinos das exportações brasileiras de Laranja em NCM 8 dígitos: Sucos de laranjas, congelados, não fermentados

TABELA - Destinos das exportações brasileiras de Laranja em NCM 8 dígitos: Sucos de laranjas, congelados, não fermentados País Via de Volume Valor Preço Médio Transporte Bélgica Marítima 141.569.475 235.767.952 1.665,39 Estados Unidos Marítima 93.624.168 162.298.316 1.733,51 Países Baixos (Holanda) Marítima 78.144.511 139.108.254

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM ANGOLA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM ANGOLA PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM ANGOLA 2010 Var % a 06/10 Exportações 803.029 1.210.189 1.684.325 2.261.264 2.242.450 1.911.241 14,5 Importações 25.130 52.749 369.378 407.996 151.089 563.452 205,2

Leia mais

A INDÚSTRIA TÊXTIL E VESTUÁRIO PORTUGUESA

A INDÚSTRIA TÊXTIL E VESTUÁRIO PORTUGUESA A INDÚSTRIA TÊXTIL E VESTUÁRIO PORTUGUESA Adalberto Estampados Junho 2014 ATP Associação Têxtil e Vestuário de Portugal A ITV Portuguesa 2013 Volume de Negócios: 6.128 M * Produção: 5.934 M * Emprego:

Leia mais

Comércio Internacional Português

Comércio Internacional Português Evolução das Exportações Portuguesas de Bens eiro a o de 2012 Comércio Internacional Português Exportações Portuguesas de Bens eiro a o de 2012 Informação Portugal, 10 de ho de 2012 Evolução das Exportações

Leia mais

Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA

Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA INSTISociedade financeira com sede em território nacional, de acordo com o previsto no Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras

Leia mais

DIRETORIA DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS, INFORMAÇÕES E DESENVOLVIMENTO URBANO E RURAL DEPARTAMENTO DE SISTEMA DE INFORMAÇÕES

DIRETORIA DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS, INFORMAÇÕES E DESENVOLVIMENTO URBANO E RURAL DEPARTAMENTO DE SISTEMA DE INFORMAÇÕES PRINCIPAIS PAÍSES DE DESTINO DA EXPORTAÇÃO DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA - 2005 2005 Estados Unidos 421.693.481 25,29 México 124.421.946 7,46 Argentina 73.091.226 4,38 Federação da Rússia 59.379.834 3,56

Leia mais

Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA

Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA INSTI Sociedade financeira com sede em território nacional, de acordo com o previsto no Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras

Leia mais

Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA

Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA Preçário NOVACAMBIOS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, SA INSTI Sociedade financeira com sede em território nacional, de acordo com o previsto no Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras

Leia mais

Preçário MAXPAY - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, LDA INSTITUIÇÕES PAGAMENTOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS

Preçário MAXPAY - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTO, LDA INSTITUIÇÕES PAGAMENTOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Preçário INSTITUIÇÕES PAGAMENTOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de O Preçário completo da MAXPAY-Instituição de Pagamento, Lda, contém o Folheto de Comissões e Despesas (que incorpora

Leia mais

Preçário MUNDITRANSFERS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTOS E CAMBIOS, LDA. INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTOS

Preçário MUNDITRANSFERS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTOS E CAMBIOS, LDA. INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTOS Preçário MUNDITRANSFERS - INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTOS E CAMBIOS, LDA. INSTITUIÇÃO DE PAGAMENTOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo

Leia mais

Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa 2013

Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa 2013 Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa 2013 O #Lusofonia (Cardinal Lusofonia) é uma publicação que se enquadra na promoção do conhecimento público sobre as economias dos Países de

Leia mais

PREÇOS SERVIÇO TELEFÓNICO 2016

PREÇOS SERVIÇO TELEFÓNICO 2016 I. COMUNICAÇÕES REALIZADAS EM TELEFONE PÚBLICO... 2 I.1. Comunicações Fixo-Fixo (de telefone público) 2 I.2. Comunicações Fixo PT-Prestador de serviço de voz através da internet [PT-VoIP] (de telefone

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O GABÃO

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O GABÃO BALANÇA COMERCIAL Var % a 05/09 Var % b 09/10 Exportações 1.661 2.118 1.702 4.445 2.113 29,1 2.035 6.652 226,8 Importações 15.503 9.430 11.457 7.302 4.850-21,9 4.654 4.867 4,6 Saldo -13.842-7.312-9.755-2.857-2.737

Leia mais

VISTOS CONSULARES. Afeganistão Sim Sim. África do Sul Não Não. Albânia Sim Sim. Alemanha Não Não. Andorra Não Sim. Angola Sim Sim

VISTOS CONSULARES. Afeganistão Sim Sim. África do Sul Não Não. Albânia Sim Sim. Alemanha Não Não. Andorra Não Sim. Angola Sim Sim VISTOS CONSULARES - Você vai para o exterior? Uma das primeiras providências a ser tomada é procurar saber se o país de seu destino exige visto no passaporte junto à embaixada ou ao consulado para permitir

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JUNHO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE RECURSOS HUMANOS DA OMS NA REGIÃO AFRICANA. Documento Informativo. ÍNDICE Parágrafos INTRODUÇÃO...1 CATEGORIAS DE CONTRATOS...

RELATÓRIO SOBRE RECURSOS HUMANOS DA OMS NA REGIÃO AFRICANA. Documento Informativo. ÍNDICE Parágrafos INTRODUÇÃO...1 CATEGORIAS DE CONTRATOS... WORLD HEALTH ORGANIZATION REGIONAL OFFICE FOR AFRICA ORGANISATION MONDIALE DE LA ANTÉ BUREAU RÉGIONAL DE L AFRIQUE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE ESCRITÓRIO REGIONAL AFRICANO COMITÉ REGIONAL AFRICANO Quinquagésima-quinta

Leia mais

TABELA DE FRETES MÉDIO PRATICADOS PARA ANGOLA REFERENTE AO MÊS DE JANEIRO Moeda: USD

TABELA DE FRETES MÉDIO PRATICADOS PARA ANGOLA REFERENTE AO MÊS DE JANEIRO Moeda: USD REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES BOLSA NACIONAL DE FRETE Sede: Palácio de Vidro, 5º andar; CX Postal 2223; Telefone +(244) 222-311339/40/41; Fax 222-310555- Luanda, Angola. TABELA DE FRETES

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O BRASIL

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O BRASIL Exportações 254.642 258.186 319.807 294.500 440.817 16,8 49,7 Importações 1.232.969 1.381.192 1.363.316 887.528 1.046.727-1,6 17,9 Saldo -978.327-1.123.006-1.043.509-593.028-605.910 -- -- Coeficiente de

Leia mais

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias Bijuterias Principais Países 2010 2011 2012 2013 2014 US$ mil 2014/ 2013 Estados Unidos 5.667 3.828 2.668 3.491 5.006 43 Colômbia 407 800 748 1.112 993-11 França 1.085 931 910 998 969-3 Argentina 2.112

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A FRANÇA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A FRANÇA Expedições 4.464.744 4.822.900 4.579.743 3.940.828 4.332.395-0,3 9,9 Chegadas 4.790.959 5.207.365 5.198.573 4.288.227 4.101.087-3,3-4,4 Saldo -326.214-384.465-618.830-347.399 231.308 -- -- Coef. Cob. 93,2%

Leia mais

LISTA DE PAÍSES - POLIONU 2018 AGNU

LISTA DE PAÍSES - POLIONU 2018 AGNU LISTA DE PAÍSES - POLIONU 2018 AGNU África do Sul 1 Alemanha 1 Angola 1 Arábia Saudita 1 Argélia 1 Argentina 1 Bangladesh 1 Brasil 1 Camboja 1 Canadá 1 Cazaquistão 1 China 1 Congo 1 Coreia do Norte 1 Coreia

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES ABRIL / 2016 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS ABRIL 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL

DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL SOCIEDA ADVOGADOS, RL ROGÉRIO FERNANS FERREIRA & ASSOCIADOS DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL CONFIANÇA EFICIÊNCIA COMPETÊNCIA Foram recentemente aprovados e ratificados, respectivamente, pela

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO Nº 87/XI

PROJECTO DE RESOLUÇÃO Nº 87/XI PROJECTO DE RESOLUÇÃO Nº 87/XI Fixa a composição, distribuição e elenco dos Grupos Parlamentares de Amizade na XI Legislatura e procede à primeira alteração à Resolução da Assembleia da República n.º 6/2003,

Leia mais

Dupla Tributação Internacional em Portugal

Dupla Tributação Internacional em Portugal Dupla Tributação Internacional em Portugal No passado mês de Abril, foram aprovados e ratificados, respectivamente, pela República Portuguesa e pelo Exmo. Senhor Presidente, um Acordo com o Estado do Qatar,

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO 2018 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS JULHO 2018 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

Informação Fiscal Dupla Tributação Internacional em Portugal

Informação Fiscal Dupla Tributação Internacional em Portugal Informação Fiscal Dupla Tributação Internacional em Portugal O Conselho de Ministros aprovou, no passado dia 26 de Janeiro de 2012 e no dia 2 de Fevereiro de 2012, dois Acordos com o Estado do Qatar e

Leia mais

BRASILEIRAS DE ARTEFATOS DE

BRASILEIRAS DE ARTEFATOS DE DADOS DAS IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ARTEFATOS DE COURO MALAS Mercadoria: 42021100 - MALAS,MALETAS E PASTAS,DE COURO NATURAL/RECONST/ENVERN. 2005 2006 2007 País Kg US$ US$/Kg Part. Kg US$ US$/Kg Part.

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO / 2016 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS JULHO 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ÍNDIA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ÍNDIA Exportações 28.872 31.885 46.475 41.278 61.401 23,4 48,7 Importações 237.875 349.308 474.866 267.910 411.182 23,2 53,5 Saldo -209.004-317.423-428.391-226.631-349.781 -- -- Coef. Cob. 12,1% 9,1% 9,8% 15,4%

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO 2017 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS MARÇO 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A CHINA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A CHINA Exportações 213.839 181.136 184.018 221.818 235.405 3,2 6,1 Importações 773.203 1.063.431 1.342.004 1.114.669 1.576.299 22,1 41,4 Saldo -559.364-882.296-1.157.987-892.850-1.340.894 -- -- Coeficiente de

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O MÉXICO

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O MÉXICO PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O MÉXICO COMÉRCIO DE BENS BALANÇA COMERCIAL 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Exportações 86.252 139.320 120.078 222.472 203.638 405.623 Importações 256.206 261.236 225.481

Leia mais

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO 22/10/12 22/11/12 22/12/12 22/01/13 22/02/13 22/03/13 22/04/13 22/05/13 22/06/13 22/07/13 22/08/13 22/09/13 22/10/13 22/11/13 22/12/13 22/01/14 22/02/14 22/03/14 22/04/14

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES OUTUBRO / 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO 11/09/12 11/10/12 11/11/12 11/12/12 11/01/13 11/02/13 11/03/13 11/04/13 11/05/13 11/06/13 11/07/13 11/08/13 11/09/13 11/10/13 11/11/13 11/12/13 11/01/14 11/02/14 11/03/14

Leia mais

Carta IEDI nº 809 Indústria Mundial: O Brasil na contramão dos emergentes

Carta IEDI nº 809 Indústria Mundial: O Brasil na contramão dos emergentes Carta IEDI nº 809 Indústria Mundial: O Brasil na contramão dos emergentes ANEXO ESTATÍSTICO Crescimento anual do VTI e VTI per capita, 2005-2015, (em %, em U$ constante 2010). VTI total VTI per capita

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 13.75% 12.75% 11.25% 10.25% 8.75% 9.50% 10.25% 10.75% 11.25% 12.50% 11.00% 10.50% 9.75% 9.00% 8.50% 8.00% 7.25% 8.50% 9.00% 10.00% 10.50% 11.00%

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MAIO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 11,75% 13,00% 13,75% 12,75% 11,25% 10,25% 8,75% 9,50% 10,25% 10,75% 11,25% 12,50% 11,00% 10,50% 9,75% 9,00% 8,50% 8,00% 7,25% 8,00% 8,50% 9,00%

Leia mais

Boletim informativo RECURSOS HUMANOS ESTRANGEIROS NO MINISTÉRIO DA SAÚDE ATUALIZAÇÃO DE DADOS ( )

Boletim informativo RECURSOS HUMANOS ESTRANGEIROS NO MINISTÉRIO DA SAÚDE ATUALIZAÇÃO DE DADOS ( ) Boletim informativo RECURSOS HUMANOS ESTRANGEIROS NO MINISTÉRIO DA SAÚDE ATUALIZAÇÃO DE DADOS (2011-2016) ÍNDICE Índice Sumário executivo... 7 1. Evolução e caracterização dos recursos humanos estrangeiros

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística. stica. Procedimento dos Défices Excessivos (PDE)

Instituto Nacional de Estatística. stica. Procedimento dos Défices Excessivos (PDE) Instituto Nacional de Estatística stica Procedimento dos Défices Excessivos () Acordo Institucional Notificação de Setembro/Outubro de 2009 Comparação com outros EM Acordo Institucional Acordo Institucional

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A NORUEGA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A NORUEGA BALANÇA 2010 2011 COMERCIAL Janeiro Janeiro 10/11 Exportações 110.358 102.076 109.757 84.033 82.639-6,3 7.679 7.339-4,4 Importações 690.390 691.848 695.311 587.216 529.486-6,2 46.491 23.918-48,6 Saldo

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES SETEMBRO / 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 11.75% 13.00% 13.75% 12.75% 11.25% 10.25% 8.75% 9.50% 10.25% 10.75% 11.25% 12.50% 11.00% 10.50% 9.75% 9.00% 8.50% 8.00% 7.25% 8.00% 8.50% 9.00%

Leia mais

TABELA PRÁTICA DAS CONVENÇÕES PARA EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO CELEBRADAS POR PORTUGAL TROCA DOS

TABELA PRÁTICA DAS CONVENÇÕES PARA EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO CELEBRADAS POR PORTUGAL TROCA DOS ALEMANHA Lei 12/82 03 Junho publicado em 14-10-1982 EM VIGOR DESDE 08-10-1982 15% 11º 10% a) 12º 10% ARGÉLIA da República n.º 22/06 23 Março n.º 579/2006 publicado em 05-05-2006 EM VIGOR DESDE 01-05-2006

Leia mais

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 Tabela 3.26 - ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 ALUNOS REGULARES / UNIDADE ALEMANHA - - - - - 1 - - - - 1 - - - - - - - - - 2 ANGOLA - - - - - - - 1-1 -

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00%

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00% abr-08 ago-08 dez-08 abr-09 ago-09 dez-09 abr-10 ago-10 dez-10 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 ago-12 dez-12 abr-13 ago-13 dez-13 abr-14 ago-14 dez-14 abr-15 ago-15 dez-15 abr-16 ago-16 dez-16 META DA TAXA

Leia mais

Declaração nº A/63/635. Direitos humanos, orientação sexual e identidade de gênero

Declaração nº A/63/635. Direitos humanos, orientação sexual e identidade de gênero Declaração nº A/63/635 Direitos humanos, orientação sexual e identidade de gênero Lida na Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas, em Nova York, em 18 de dezembro de 2008, no marco dos 60 anos

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,5%

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,5% abr-08 ago-08 dez-08 abr-09 ago-09 dez-09 abr-10 ago-10 dez-10 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 ago-12 dez-12 abr-13 ago-13 dez-13 abr-14 ago-14 dez-14 abr-15 ago-15 dez-15 META DA TAXA SELIC Cenário básico

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINO

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais OUT/14

Ranking Mundial de Juros Reais OUT/14 Ranking Mundial de Juros Reais OUT/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

8º WORLD ALL STYLES CHAMPIONSHIPS & FICD 22, 23, 24 e 25 de março º WAC 2018 Caldas da Rainha

8º WORLD ALL STYLES CHAMPIONSHIPS & FICD 22, 23, 24 e 25 de março º WAC 2018 Caldas da Rainha 8º WORLD ALL STYLES CHAMPIONSHIPS & FICD 22, 23, 24 e 25 de março 2018 www.wac.world-allstyleschampionship.com www.wac.world-allstyleschampionship.com APRESENTAÇÃO Feira Internacional de Cultura e Desporto

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00%

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00% abr-08 ago-08 dez-08 abr-09 ago-09 dez-09 abr-10 ago-10 dez-10 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 ago-12 dez-12 abr-13 ago-13 dez-13 abr-14 ago-14 dez-14 abr-15 ago-15 dez-15 abr-16 ago-16 dez-16 META DA TAXA

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O IRÃO

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O IRÃO BALANÇA COMERCIAL Var % a 05/09 Var % b 09/10 Exportações 17.916 15.238 14.024 29.841 35.962 27,6 32.324 33.289 3,0 Importações 108.268 291.228 294.040 286.107 154.924 30,4 153.696 108.500-29,4 Saldo -90.352-275.989-280.016-256.266-118.962

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO 2017 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25%

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25% mar-08 jul-08 nov-08 mar-09 jul-09 nov-09 mar-10 jul-10 nov-10 mar-11 jul-11 nov-11 mar-12 jul-12 nov-12 mar-13 jul-13 nov-13 mar-14 jul-14 nov-14 mar-15 jul-15 nov-15 META DA TAXA SELIC Cenário básico

Leia mais

SUPER RANKING MUNDIAL DE CLUBES DE FUTEBOL ( SRM) FÓRMULAS 2012

SUPER RANKING MUNDIAL DE CLUBES DE FUTEBOL ( SRM) FÓRMULAS 2012 SUPER RANKING MUNDIAL DE CLUBES DE FUTEBOL ( SRM) FÓRMULAS 2012 Dezembro 2011 1- Pontos obtidos por um clube na sequência de um jogo i (P i ) Em que: J i - pontos obtidos no jogo i, de acordo com o coeficiente

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Mai/13

Ranking Mundial de Juros Reais Mai/13 Ranking Mundial de Juros Reais Mai/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO

ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO I. ESTATÍSTICAS DE IMIGRAÇÃO DE PAÍSES DA OCDE % estrangeiros por total de população residente em países da OCDE País 1992 1995 1998 2001 2002 Áustria 7,9 8,5 8,6 8,8 8,8 Bélgica

Leia mais

5. TRANSFERÊNCIAS (PARTICULARES) (ÍNDICE)

5. TRANSFERÊNCIAS (PARTICULARES) (ÍNDICE) 5.1. Ordens de transferência unitárias s/ (1), Net 1. Transferências Internas / Nacionais 1.1 - Para conta domiciliada na própria Instituição de Crédito (Internas) - com pelo menos um interveniente em

Leia mais

Innovation Digest. Dezembro Análise de Posicionamento relativo de Portugal

Innovation Digest. Dezembro Análise de Posicionamento relativo de Portugal Innovation Digest Dezembro 2010 Análise de Posicionamento relativo de Indicadores de Posicionamento relativo de Posicionamento Global Suiça E.U.A Dinamarca Suécia Alemanha Reino Unido Luxemburgo Coreia

Leia mais

5. TRANSFERÊNCIAS (PARTICULARES) (ÍNDICE)

5. TRANSFERÊNCIAS (PARTICULARES) (ÍNDICE) 5.1. Ordens de transferência unitárias 1. Transferências a Crédito Internas /Nacionais 1.1 - Transferências a Crédito Intrabancárias - com pelo menos um interveniente em comum Ordem Permanente Intrabancária

Leia mais