As redes de comunicações da Eletronorte e as possíveis parceiras

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As redes de comunicações da Eletronorte e as possíveis parceiras"

Transcrição

1 As redes de comunicações da Eletronorte e as possíveis parceiras Manaus, Janeiro de 2015

2 Necessidade de meio de comunicação pelas linhas de transmissão de energia elétrica Sistemas de Potência exigem o controle de informações críticas: sinais de proteção; identificação da origem de falhas. Particularmente desejável em uma rede integrada Sistema Interligado Nacional (SIN): tamanho e características únicos em âmbito mundial. Teleproteção é a solução para prover ao sistema: proteção de alta velocidade e seletividade; confiabilidade.

3 Tecnologias utilizadas para a finalidade de teleproteção Fio Piloto: cabos especiais de sinalização de proteção com blindagem e isolação contra tensões induzidas, empregados para distâncias de até 25 km; Powerline Carrier (PLC) ou Ondas Portadoras em Linhas de Alta Tensão (OPLAT): utiliza a própria linha de transmissão de energia elétrica como meio de propagação do sinal, empregados para distâncias de até 400 km; Linhas de comunicação alugadas (leased lines): utiliza a infraestrutura de rede de empresas de telecomunicações; Sistema de micro-ondas: rádio direcional para até 50 km (linha de visada) direto, com possibilidade de aumentar essa distância, dependendo das condições geográficas, tipo e posição de antenas; empregado para longas distâncias através de estações repetidoras.

4 Cabo para-raios com núcleo de fibras ópticas (OPGW) Sistema aéreo Optical Ground Wire (OPGW), também conhecido como: cabo de guarda com fibra óptica; ou cabo para-raios com núcleo de fibras ópticas; Padrão mais difundido atualmente para proteção e comunicação em linhas de transmissão de energia elétrica; Cabos OPGW desempenham simultaneamente duas funções: condutor-terra; meio transmissor de informações incluindo voz, dados e imagens. Características dos cabos OPGW: durabilidade e resistência; confiabilidade; altíssima capacidade de transmissão de dados.

5 Cabo para-raios com núcleo de fibras ópticas (OPGW) Composição do sistema: fios de armação feitos de aço aluminizado; protegem a linha contra as descargas atmosféricas; camada intermediária de vedação radial preenchida com gel não permite a passagem de umidade para o núcleo; absorve hidrogênio, não permitindo que seja absorvido pelas fibras; núcleo feito de tubo de alumínio abriga em seu interior o tubo loose e o conjunto de fibras ópticas.

6 Rede DWDM DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing) ou Multiplexação Densa por Divisão de Comprimento de Onda é uma tecnologia que pode combinar dezenas de canais em uma única fibra; Distinção entre ondas eletromagnéticas é feita pela frequência (f em Hz) ou pelo comprimento de onda (λ em metros) cada canal corresponde a um comprimento de onda diferente; Janelas de transmissão utilizadas atualmente (por fibras monomodo): 2ª janela (aprox nm); 3ª janela (Conventional band ou C-band) de 1530 a 1565 nm; 4ª janela (Long band ou L-band) de 1565 a 1620 nm.

7 DWDM Sistema de Transmissão

8 DWDM Multiplexer/Demultiplexer DWDM Mux DWDM Demux Comprimentos de onda já multiplexados Comprimentos de onda já convertidos vindo dos transponders Comprimentos de onda separados irão para os transponders

9 Rede DWDM Eletronorte Sistema MT/RO/AC e Sistema PA/MA Belém Porto Velho Sinop Itaituba Santarém Tucuruí Coxipó Barra do Peixe Imperatriz

10 Rede DWDM Eletronorte Sistema MT/RO/AC e Sistema PA/MA Legenda dos diagramas Amplificador Booster 21 dbm Amplificador Booster 24 dbm Mux/Demux 8 Canais Pré Amplificador 14 dbm Amplificador de Linha 21 dbm Mux/Demux 40 Canais Amplificador de Linha 24 dbm OADM 4 Canais Amplificador Raman 28 dbm Amplificador Raman 30 dbm Mecânica de 4U s Mecânica de 5U s

11 Rede DWDM Eletronorte Sistema MT/RO/AC e Sistema PA/MA Legenda dos diagramas Transponders existentes na rede DWDM atual Muxponder OTU-2 4x2,5G 10G Transponder 2,5G Terminal OTN Transponder OTU-2 10G Terminal Transponder OTU-2 10G Regenerador Combinador ODU OTU-2 8x1,25 10G Transponder OTU-3 40G Terminal Transponder OTU-3 40G Regenerador

12 Rede DWDM Eletronorte Sistema MT/RO e Sistema PA/MA Barra do Peixe-MT Porto Velho-RO (Rede Atual) Barra do Peixe Rondonópolis Coxipó Barra dos Bugres Jauru Comodoro - JTE 217 km 189 km 137 km 241 km 170 km Sentido Sinop 200 km Porto Velho Ariquemes Jarú Ji-Paraná Pimenta Bueno Vilhena 190 km 85 km 80 km 140 km 172 km

13 Rede DWDM Eletronorte Sistema MT/RO e Sistema PA/MA Imperatriz-MA Belém-PA (Rede 1 Atual) Jacundá Tucuruí Tailândia Vila do Conde Belém 90 km 138 km 175 km 160 km 52 km Marabá 190 km Imperatriz

14 Rede DWDM Eletronorte Sistema MT/RO e Sistema PA/MA Imperatriz-MA Belém-PA (Rede 2 Atual) Jacundá Tucuruí Tailândia Vila do Conde Belém 90 km 138 km 175 km 160 km 52 km Marabá 190 km Imperatriz

15 Rede DWDM Eletronorte Sistema TO/MA Brasília-DF Imperatriz-MA (Rede Atual) Gurupi Miracema Colinas Porto Franco Imperatriz 255 km 180 km 255 km 110 km

16 Rede DWDM Eletronorte Sistema MA Imperatriz-MA São Luís-MA (Rede Atual) Grajaú Presidente Dutra Peritoró Miranda São Luís 201 km 214 km 114 km 92 km 134 km

17 Rede SDH A tecnologia SDH (Synchronous Digital Hierarchy) ou Hierarquia Digital Síncrona é utilizada para multiplexação TDM (Time Division Multiplexing) com altas taxas de transmissão; Pode utilizar-se de um canal da rede DWDM como backbone ou mesmo ter a fibra óptica como meio físico primário de transmissão; Equipamentos: multiplexadores terminais, multiplexadores add/drop, matriz de conexão cruzada; Tributários: placas do equipamento, com uma ou mais interfaces de conexão, com diferentes taxas de transmissão, que podem ser ópticas ou mesmo elétricas. 2 Mbps (E1), 34 Mbps (E3), 155 Mbps (STM-1), 622 Mbps (STM- 4), 2,5 Gbps (STM-16). Agregado: determinado pelo número máximo de placas no equipamento, geralmente 10 Gbps (STM-64).

18 Rede Ethernet Não mais utiliza o conceito de comutação de circuitos determinísticos; Baseada no paradigma de comutação de pacotes (unidade de transmissão de dados) entre nós da rede por meios (caminhos) compartilhados por outros nós; Introdução do conceito de rede estatística: a comutação de pacotes é mais complexa, apresentando maior variação na qualidade de serviço; utiliza melhor os recursos da rede, uma vez que são utilizadas técnicas de multiplexação temporal estatística.

19 Rede Ethernet O protocolo de comunicação Ethernet situa-se no subnível MAC (Medium Access Control) ou subnível de Controle de Acesso ao Meio, do nível 2 (camada de enlace) do Modelo OSI; As redes baseadas em TCP/IP utilizam o protocolo Ethernet; Objetivos do nível de enlace: receber/transmitir uma sequência de bits do/para o nível físico; transformá-los em uma linha que esteja livre de erros de transmissão; enviar informação a ser utilizada pelo nível superior de rede. Equipamentos: switches.

20

21 Negócio de Telecomunicações

22 A Rede Óptica

23 Objetivos da Rede de Telecomunicações da Eletronorte Atendimento ao setor elétrico; Modernização da Administração e dos Serviços Corporativos ; Prestação de Serviços de Telecomunicações e Desenvolvimento Regional Parcerias com governos/empresas estaduais visando ampliar a capilaridade da rede de Telecomunicações da Eletronorte

24 Clientes dos serviços de telecomunicações CLIENTES INTERNOS Foco na Transmissão: SCADA (Supervisory Control and Data Acquisition) FACTS (Flexible AC Transmission Systems PMU (Phasor Measurement Units) SEP (Sistemas Especiais de Proteção Serviços Corporativos: Internet Teleconferência Telefonia IP Eletronorte Setor Elétrico

25 Clientes dos serviços de telecomunicações CLIENTES EXTERNOS Inclusão Digital Provedores de Internet Programa Navega Pará

26 A Estratégia de Atuação Atuação Eletronorte Serviço de Valor Agregado Serviço Carrier s Carrier Swap de Fibras Infra-Estrutura Dark Fiber - RDF ROW

27 RECEITA A Criação do Produto Serviço de Voz, Dados e Vídeo Fibra iluminada Alta Capacidade Fibra Apagada Infraestrutura COMPLEXIDADE E RISCO

28 Produto - Ponto a Ponto Características Mercado Alvo Ponto a ponto Transparência a protocolos Suporte a redes legadas (Ex: TDM) Tecnologia digital para acesso e DWDM para transporte Garantia de 100% de banda Operadoras de Telecomunicações Pilares do Produto Aplicações Montagem de Backbone Privativo Construção e atualização remota de base de dados Transporte de sinais (vídeo, dados e voz)

29 Produto - Ethernet 500 Plus Características Mercado Alvo Provedores de Internet Pilares do Produto Velocidades:de 501 Mbps até o máximo de Mbps Permite reconfiguração de banda a qualquer momento Garantia de 100% de banda Aplicações Interligação de pontos da rede do cliente Transporte de sinais (vídeo, dados e voz)

30 O Negócio de Telecomunicações no Plano Estratégico

31 O Negócio de Telecomunicações no Plano Estratégico

32 Plano Estratégico O Negócio de Telecomunicações no Plano Estratégico

33 O Negócio de Telecomunicações no Plano Estratégico

34 O Negócio de Telecomunicações no Plano Estratégico Iniciativas Estratégicas Corporativas Objetivo 9: Disponibilizar tecnologias e infraestrutura Seq. Iniciativa Estratégica Líder Aprimorar e integrar a gestão de TI e Telecomunicação com foco na estratégia. Aprimorar e integrar a gestão de processos de apoio (Suprimento, Vigilância, Frota, Conservação, Limpeza, Viagens, Telefonia, Documentos,...). Direcionar os investimentos em pesquisas para a inovação, por meio de projetos que agreguem valor aos negócios (aumentar receitas e/ou reduzir custos). DG, DE, DO DG DO

35 O Negócio de Telecomunicações no Plano Estratégico Iniciativas Estratégicas Corporativas Objetivo 9: Disponibilizar tecnologias e infraestrutura Seq. Iniciativa Estratégica Líder 9.1 Aprimorar e integrar a gestão de TI e Telecomunicação com foco na estratégia. DG, DE, DO Aprimorar e integrar a gestão da operação e Manutenção da Telecomunicação. ETL OET Aprimorar o processo de prestação de Serviços de Telecomunicação. ETL

36 Impactos da Edição da MP 579 e Lei Publicação da MP 579 de 11 de setembro de 2012 Separação de ativos Investimentos não reconhecidos pela ANEEL Estrutura de custos e receitas independentes

37 Conclusões MP 579 de 11/09/2012 Lei de 11/01/ A publicação da MP 579, que posteriormente foi convertida em lei, veio criar oportunidades para potencializar o Negócio de Telecomunicações O impacto financeiro provocado pela perda de receita que as empresas foram submetidas, pode ser minimizado com outras fontes de receitas como por exemplo de a prestação de serviços de telecomunicações É fundamental uma atuação conjunta das empresas do Grupo Eletrobras para aumentar a sinergia e ampliar a rede de serviços de telecomunicações

38

39 Obrigado! Bernardo L.V. Carvalho (61)

WDM e suas Tecnologias

WDM e suas Tecnologias Universidade Federal do Rio de Janeiro Escola Politécnica Departamento de Eletrônica e Computação EEL 878 Redes de Computadores I Turma EL1-2004/1 Professor: Otto Carlos Muniz Bandeira Duarte Aluna: Mariangela

Leia mais

2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução

2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução 2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução Atualmente, as estruturas das redes de comunicação são classificadas conforme a escala: rede de acesso, rede metropolitana

Leia mais

Divisão de Telecomunicações. Composição da Divisão 7 Engenheiros 14 Técnicos 9 Assistentes Técnicos 2 Assistentes Administrativos 4 Estagiários

Divisão de Telecomunicações. Composição da Divisão 7 Engenheiros 14 Técnicos 9 Assistentes Técnicos 2 Assistentes Administrativos 4 Estagiários 6,67(0$'(7(/(&2081,&$d (6'$&((( $7',9,6 2'(7(/(&2081,&$d (6 Divisão de Telecomunicações Composição da Divisão 7 Engenheiros 14 Técnicos 9 Assistentes Técnicos 2 Assistentes Administrativos 4 Estagiários

Leia mais

Infraestrutura para Redes de 100 Gb/s. André Amaral Marketing andre.amaral@padtec.com Tel.: + 55 19 2104-0408

Infraestrutura para Redes de 100 Gb/s. André Amaral Marketing andre.amaral@padtec.com Tel.: + 55 19 2104-0408 Infraestrutura para Redes de 100 Gb/s 1 André Amaral Marketing andre.amaral@padtec.com Tel.: + 55 19 2104-0408 Demanda por Banda de Transmissão: 100 Gb/s é Suficiente? Demanda por Banda de Transmissão:

Leia mais

Tecnologias da Rede Multiserviços da Copel Telecom. Joelson Tadeu Vendramin

Tecnologias da Rede Multiserviços da Copel Telecom. Joelson Tadeu Vendramin Tecnologias da Rede Multiserviços da Copel Telecom Joelson Tadeu Vendramin Agenda Evolução da rede óptica da Copel Backbone: (Synchronous Digital Hierarchy) e DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing)

Leia mais

Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática

Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática Audiência Pública 30/03/2010 Plenário 13 Requerimento 217/2009 - Deputada Luiza Erundina Tema: Discutir os efeitos, as implicações e a viabilidade

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Pregão nº: 3/2010 - Eletrônico (SRP)

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Pregão nº: 3/2010 - Eletrônico (SRP) TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Pregão nº: 3/2010 - Eletrônico (SRP) Item: 1 - EQUIPAMENTO MULTIPLEX OPTICO Qtde Solic: 37 Valor ERICSSON TELECOMUNICACOES S A. 3.288,35 ZTE DO BRASIL COMERCIO, SERVICOS

Leia mais

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona SDH A SDH, Hierarquia Digital Síncrona, é um novo sistema de transmissão digital de alta velocidade, cujo objetivo básico é construir um padrão internacional unificado, diferentemente do contexto PDH,

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Cabeamento Óptico (Norma ANSI/TIA-568-C.3) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Meio de Transmissão Meio de transmissão é o caminho físico (enlace) que liga

Leia mais

Fundamentos. Prof. Dr. S. Motoyama

Fundamentos. Prof. Dr. S. Motoyama Fundamentos Prof. Dr. S. Motoyama 1 Tipos de Comunicação - Difusão: Rádio e TV - Pessoa-a-Pessoa: Telefonia - Máquina-a-Máquina: Computadores Difusão: Rádio e TV Receptor Receptor Receptor Transmissor

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1.

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. (CODATA 2013) Em relação à classificação da forma de utilização

Leia mais

Este tutorial apresenta as características e as aplicações das Redes WDM.

Este tutorial apresenta as características e as aplicações das Redes WDM. Redes WDM Este tutorial apresenta as características e as aplicações das Redes WDM. Carlos Eduardo Almeida Freitas Engenheiro de Teleco (FEI/01), tendo atuado especificamente na área de Redes Ópticas,

Leia mais

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede Rede de Computadores Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações nos

Leia mais

PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON

PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON É uma solução para a rede de acesso, busca eliminar o gargalo das atuais conexões entre as redes dos usuários e as redes MAN e WAN. A solução PON não inclui equipamentos ativos

Leia mais

RCTS Lambda. Manual de utilização

RCTS Lambda. Manual de utilização RCTS Lambda Manual de utilização Dezembro de 2009 RCTS Lambda Manual de utilização EXT/2009/Área de Redes Dezembro de 2009 ÍNDICE 1 SUMÁRIO EXECUTIVO... 1 2 INTRODUÇÃO... 2 2.1 Enquadramento... 2 2.2 Audiência...

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Redes Industriais Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Capítulo 2 Meio Físicos A automação no meio produtivo Objetivos: Facilitar os processos produtivos

Leia mais

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana Rede de Computadores Parte 01 Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Redes Wireless / Wi-Fi / IEEE 802.11 Em uma rede wireless, os adaptadores de rede em cada computador convertem os dados digitais para sinais de rádio,

Leia mais

O capítulo 1 faz um overview sobre o mercado de telecomunicações, suas limitações e desenvolvimentos tecnológicos.

O capítulo 1 faz um overview sobre o mercado de telecomunicações, suas limitações e desenvolvimentos tecnológicos. 1. INTRODUÇÃO A indústria das comunicações tem passado, nos últimos anos, mundialmente, por profundas transformações. A liberação, desregulamentação, expansão global tornaram-se características de todos

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

Plataforma LightPad i6400g

Plataforma LightPad i6400g Plataforma LightPad i6400g Transporte óptico convergente de alta capacidade Product Brochure Plataforma LightPad i6400g Através da Plataforma LightPad i6400g, a Padtec disponibiliza ao mercado uma solução

Leia mais

RFP DWDM entre São Paulo Rio de Janeiro

RFP DWDM entre São Paulo Rio de Janeiro RFP DWDM entre São Paulo Rio de Janeiro Sumário 1 Objetivo... 3 2 Escopo... 3 3 Descrição Hardware e Requisitos solicitados... 4 3.1 Instalação:... 5 3.2 Funcionalidade da Transmissão:... 5 4 Serviços...

Leia mais

Sistemas de Comunicação Óptica

Sistemas de Comunicação Óptica Sistemas de Comunicação Óptica Mestrado em Engenharia Electrotécnica e e de Computadores Docente : Prof. João Pires Objectivos Estudar as tecnologias que servem de base à transmisssão óptica, e analisar

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos -

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - Equipamento terminal: Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - o telefone na rede convencional Equipamento de transmissão: meio de transmissão: cabos de pares simétricos, cabo coaxial,

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Multiplexação e Frame Relay

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Multiplexação e Frame Relay e Frame Relay o Consiste na operação de transmitir varias comunicações diferentes ao mesmo tempo através de um único canal físico. Tem como objectivo garantir suporte para múltiplos canais. o A multiplexação

Leia mais

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede Interconexão de redes locais Existência de diferentes padrões de rede necessidade de conectá-los Interconexão pode ocorrer em diferentes âmbitos LAN-LAN LAN: gerente de um determinado setor de uma empresa

Leia mais

Aula 1 Fundamentos. Prof. Dr. S. Motoyama

Aula 1 Fundamentos. Prof. Dr. S. Motoyama Aula 1 Fundamentos Prof. Dr. S. Motoyama 1 O que é uma Rede de Computadores? Vários tipos de redes: Redes Telefônicas Redes de Satélites Redes Celulares Redes de TV a cabo Internet e intranets Rede Privada

Leia mais

Julliana de Oliveira Pinto jopinto@cbpf.br Cristiano Pinheiro Machado cmachado@cbpf.br

Julliana de Oliveira Pinto jopinto@cbpf.br Cristiano Pinheiro Machado cmachado@cbpf.br Julliana de Oliveira Pinto jopinto@cbpf.br Cristiano Pinheiro Machado cmachado@cbpf.br Marcelo Portes de Albuquerque marcelo@cbpf.br Márcio Portes de Albuquerque mpa@cbpf.br Nilton Alves Jr. naj@cbpf.br

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES TELECOMUNICAÇÕES E REDES 1 OBJETIVOS 1. Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? 2. Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização deve utilizar? 3. Como sua

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com COMUTAÇÃO CIRCUITOS PACOTES É necessário estabelecer um caminho dedicado entre a origem e o

Leia mais

Suporte Técnico de Vendas

Suporte Técnico de Vendas Suporte Técnico de Vendas Telefonia básica Hoje vivemos a sociedade da informação. A rede de telecomunicações desempenha papel fundamental na vida moderna. História das Telecomunicações Em 1876, o escocês

Leia mais

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Fundamentos em Sistemas de Computação Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Camada Física Primeira cada do modelo OSI (Camada 1) Função? Processar fluxo de dados da camada 2 (frames) em sinais

Leia mais

DWDM A Subcamada Física da Rede Kyatera

DWDM A Subcamada Física da Rede Kyatera DWDM A Subcamada Física da Rede Kyatera José Roberto B. Gimenez Roteiro da Apresentação Tecnologia DWDM A rede Kyatera SC09 Bandwidth Challenge Conclusão Formas de Multiplexação em FO TDM Time Division

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br TI Aplicada Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br Conceitos Básicos Equipamentos, Modelos OSI e TCP/IP O que são redes? Conjunto de

Leia mais

4 Redes Metropolitanas

4 Redes Metropolitanas 4 Redes Metropolitanas O dimensionamento de uma rede de acesso preparada para as demandas atuais e futuras que utilize determinada tecnologia capaz de oferecer elevada largura de banda aos usuários finais,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Parte II: Camada Física Dezembro, 2012 Professor: Reinaldo Gomes reinaldo@computacao.ufcg.edu.br Meios de Transmissão 1 Meios de Transmissão Terminologia A transmissão de dados d

Leia mais

PNBL - Projeto Rede Norte. Caio Bonilha

PNBL - Projeto Rede Norte. Caio Bonilha PNBL - Projeto Rede Norte Caio Bonilha Brasília, 21/03/2012 Objetivos do Programa Nacional de Banda Larga Objetivos Gerais Fundamentos do PNBL Massificar o acesso à Internet em Banda Larga no Brasil para

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E Prof. Luís Rodolfo Unidade I REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO C Redes de computadores e telecomunicação Objetivo: apresentar os conceitos iniciais e fundamentais com relação às redes de computadores

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com RESUMO 1 COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS Reservados fim-a-fim; Recursos são dedicados; Estabelecimento

Leia mais

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente? CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 05 UCs de Eletrônica e/ou de Telecomunicações 26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br Tópicos Modelos Protocolos OSI e TCP/IP Tipos de redes Redes locais Redes grande abrangência Redes metropolitanas Componentes Repetidores

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Arquitetura Token Ring Arquitetura FDDI IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 Usada em redes que possuem computadores de grande porte da IBM Opera nas camadas 1 e 2 do

Leia mais

Padtec S/A. Início de operação em Agosto de 2001. Maior fabricante de sistemas de transmissão óptica no Brasil. Faturamento 2014: R$ 406M.

Padtec S/A. Início de operação em Agosto de 2001. Maior fabricante de sistemas de transmissão óptica no Brasil. Faturamento 2014: R$ 406M. Padtec S/A Início de operação em Agosto de 2001. Maior fabricante de sistemas de transmissão óptica no Brasil. Faturamento 2014: R$ 406M. Fornecedor global: equipamentos e soluções vendidas em mais de

Leia mais

Capítulo VIII. Antecipando o futuro para atender à demanda de smart grid. Smart grids Redes Inteligentes

Capítulo VIII. Antecipando o futuro para atender à demanda de smart grid. Smart grids Redes Inteligentes 40 Apoio Smart grids Redes Inteligentes Capítulo VIII Antecipando o futuro para atender à demanda de smart grid Por Flavio Roberto Antonio* As distribuidoras possuem uma necessidade de modernização não

Leia mais

Pós-Graduação em Segurança da Informação Exercícios de Redes de Alta Velocidade Professor : Marco Antônio C. Câmara - 15/03/2014. Aluno(a) : Gabarito

Pós-Graduação em Segurança da Informação Exercícios de Redes de Alta Velocidade Professor : Marco Antônio C. Câmara - 15/03/2014. Aluno(a) : Gabarito Aluno(a) : Gabarito 1 a. Questão : Com base no estudo dos aspectos de segurança de redes que afetam a performance, para cada uma das afirmações abaixo, assinale (C)erto ou (E)rrado. No caso da opção estar

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-200

Descritivo Técnico AirMux-200 Multiplexador Wireless Broadband -Visualização da unidade indoor IDU e unidade outdoor ODU com antena integrada- Principais Características Rádio e multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1

Leia mais

Redes de Computadores IEEE 802.3

Redes de Computadores IEEE 802.3 Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 8 IEEE 802.3 Ethernet Half-Duplex e Full-Duplex Full-duplex é um modo de operação opcional, permitindo a comunicação nos dois sentidos simultaneamente

Leia mais

Figura 1 - Comparação entre as camadas do Modelo OSI e doieee. A figura seguinte mostra o formato do frame 802.3:

Figura 1 - Comparação entre as camadas do Modelo OSI e doieee. A figura seguinte mostra o formato do frame 802.3: Introdução Os padrões para rede local foram desenvolvidos pelo comitê IEEE 802 e foram adotados por todas as organizações que trabalham com especificações para redes locais. Os padrões para os níveis físico

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Infraestrutura de Redes de Computadores Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Conceitos Euber Chaia

Leia mais

Multiplexação. Multiplexação. Multiplexação - FDM. Multiplexação - FDM. Multiplexação - FDM. Sistema FDM

Multiplexação. Multiplexação. Multiplexação - FDM. Multiplexação - FDM. Multiplexação - FDM. Sistema FDM Multiplexação É a técnica que permite a transmissão de mais de um sinal em um mesmo meio físico. A capacidade de transmissão do meio físico é dividida em fatias (canais), com a finalidade de transportar

Leia mais

NOMES DOS AUTORES JEAN PIERRE AIRES DA SILVA RELATÓRIO FINAL DE PROJETO CABO UTP

NOMES DOS AUTORES JEAN PIERRE AIRES DA SILVA RELATÓRIO FINAL DE PROJETO CABO UTP Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática NOMES DOS AUTORES JEAN PIERRE AIRES

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES Capítulo 8 TELECOMUNICAÇÕES E REDES 8.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização

Leia mais

Redes de Computadores Aula 2. Aleardo Manacero Jr.

Redes de Computadores Aula 2. Aleardo Manacero Jr. Redes de Computadores Aula 2 Aleardo Manacero Jr. O protocolo RM OSI 1 Camada Física e Componentes Funcionalidades relacionadas à transmissão de bits Codificação Modulação Sincronismo de bits Especificação

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Meios de Transmissão Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Abril de 2012 1 / 34 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte

Leia mais

REDES ETHERNET. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Redes de Comunicação 10º Ano

REDES ETHERNET. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Redes de Comunicação 10º Ano REDES ETHERNET Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Redes de Comunicação 10º Ano Nome: Marcelo Filipe Rocha Assunção 2013/2014 ÍNDICE Introdução... 2 Arquitetura

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Conceito de Redes Redes de computadores são estruturas físicas (equipamentos) e lógicas (programas, protocolos) que permitem que dois ou mais computadores

Leia mais

Possíveis soluções para o gargalo da última milha são: instalação de fibra óptica diretamente para todos os clientes; uso de tecnologia de rádio

Possíveis soluções para o gargalo da última milha são: instalação de fibra óptica diretamente para todos os clientes; uso de tecnologia de rádio 1 Introdução O estudo da propagação óptica no espaço livre recebeu considerável impulso após a Segunda Guerra Mundial com a descoberta do laser. Os cientistas iniciaram diversas pesquisas nessa área com

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Considerando o circuito mostrado na figura acima, julgue os itens seguintes. 51 O valor da tensão v o é igual a 10 V. 52 O valor da corrente I 2 é igual a 1 ma. 53 O equivalente

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos O conceito de rede segundo Tanenbaum é: um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações

Leia mais

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão Os meios físicos de transmissão são compostos pelos cabos coaxiais, par trançado, fibra óptica, transmissão a rádio, transmissão via satélite e são divididos em duas

Leia mais

Transmissão e Multiplexação. Rodolfo I. Meneguette

Transmissão e Multiplexação. Rodolfo I. Meneguette Transmissão e Multiplexação Rodolfo I. Meneguette Redes de Acesso e Meios Físicos P: Como conectar os sistemas finais aos roteadores de borda? Redes de acesso residencial redes de acesso institucional

Leia mais

Redes 10 Gigabit Ethernet

Redes 10 Gigabit Ethernet Redes 10 Gigabit Ethernet Ederson Luis Posselt 1, Joel Henri Walter 2 1 Instituto de Informática Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) Bairro Universitário na Av. Independência 2293 Santa Cruz do Sul

Leia mais

RCO2. Redes Locais (LANs): Características e requisitos

RCO2. Redes Locais (LANs): Características e requisitos RCO2 Redes Locais (LANs): Características e requisitos 1 Aplicações de LANs LANs para computadores pessoais Baixo custo Taxas de transmissão limitadas Redes de conexão Interconexão de sistemas maiores

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Metro-Ethernet (Carrier Ethernet) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Ethernet na LAN www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique

Leia mais

Esquematicamente, a rede de assinantes é composta pelos seguintes elementos: Planta Externa. Caixa de Distribuição. Cabo Primário.

Esquematicamente, a rede de assinantes é composta pelos seguintes elementos: Planta Externa. Caixa de Distribuição. Cabo Primário. 2 REDE DE ASSINANTES É a parcela do sistema telefônico que interliga a central local com o aparelho telefônico. Além da voz, é usada também para comunicação de dados. Atualmente a rede de assinantes é

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 1 Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br - O que é a Internet? - Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais - Executando aplicações

Leia mais

Módulo 7 Tecnologia da Ethernet

Módulo 7 Tecnologia da Ethernet CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 7 Tecnologia da Ethernet Ethernet a 10 e 100 Mbps Tipos de Ethernet Todas as verões da Ethernet têm: Endereçamento MAC. Formato das tramas idêntico. Utilizam o

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

PROPOSTA DE PRÁTICAS LABORATORIAIS COM OS EQUIPAMENTOS DWDM DO LABORATÓRIO ÓPTICO OPTIX.

PROPOSTA DE PRÁTICAS LABORATORIAIS COM OS EQUIPAMENTOS DWDM DO LABORATÓRIO ÓPTICO OPTIX. TRABALHO DE GRADUAÇÃO PROPOSTA DE PRÁTICAS LABORATORIAIS COM OS EQUIPAMENTOS DWDM DO LABORATÓRIO ÓPTICO OPTIX. ISRAEL LARA AMARAL RAPHAEL DOS REIS AUGUSTO Brasília, Fevereiro de 2010 UNIVERSIDADE DE BRASILIA

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES II. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br

REDES DE COMPUTADORES II. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br REDES DE COMPUTADORES II Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br REDE PÚBLICA x REDE PRIVADA Rede Pública Circuitos compartilhados Rede Privada Circuitos dedicados Interligação entre Dispositivos

Leia mais

Redes de Computadores LFG TI Bruno Guilhen. www.brunoguilhen.com.br 1

Redes de Computadores LFG TI Bruno Guilhen. www.brunoguilhen.com.br 1 MODELO OSI/ISO 01(CESPE STF 2008 Q93) Na arquitetura do modelo OSI da ISO, protocolos de transporte podem ser não-orientados a conexão e localizam-se na terceira camada. As responsabilidades desses protocolos

Leia mais

Voltar. Placas de rede

Voltar. Placas de rede Voltar Placas de rede A placa de rede é o dispositivo de hardware responsável por envio e recebimento de pacotes de dados e pela comunicação do computador com a rede. Existem placas de rede on-board(que

Leia mais

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON Rede Óptica Passiva GigabitG Leonardo F. Oliveira Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON O que égpon? Utilização da fibra óptica para interligar pontos distantes

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

PROJETO DE DIPLOMAÇÃO

PROJETO DE DIPLOMAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA AQUILES MACEDO DIAS PROJETO DE DIPLOMAÇÃO ANÁLISE DE PROJETOS DE REDES METROPOLITANAS WDM Porto Alegre

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Profº Alexsandro M. Carneiro alexsandro@ucdb.br Bacharelado em Sistemas de Informação AULA 06 Bacharelado em Sistemas de Informação UCBD SG - 2005 Tópicos Abordados Camada Física:

Leia mais

TECNOLOGIA DE ACESSO A REDES Prof. André Ciriaco andreciriaco@hotmail.com Aula 02 Objetivo da Aula Apresentação da Atividade PO última aula 1.5. Redes WAN Conceitos 1.5.1 Redes Wan -História 1.5.2 Elementos

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

Tecnologia da Informação Apostila 02

Tecnologia da Informação Apostila 02 Parte 6 - Telecomunicações e Redes 1. Visão Geral dos Sistemas de Comunicações Comunicação => é a transmissão de um sinal, por um caminho, de um remetente para um destinatário. A mensagem (dados e informação)

Leia mais

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores Apresentação do professor, da disciplina, dos métodos de avaliação, das datas de trabalhos e provas; introdução a redes de computadores; protocolo TCP /

Leia mais

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento Romeu Reginato Julho de 2007 Rede. Estrutura de comunicação digital que permite a troca de informações entre diferentes componentes/equipamentos

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 0 Fatos e tendências Sumário Fatos e tendências; Arquitetura

Leia mais

Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira

Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira 1. Introdução 1.1 - Meios de Transmissão e Topologias 1.2 - Classificação das Redes 1.3 - Métricas de Desempenho 1.4 - Fatores que Impactam no Desempenho

Leia mais

Pós-Graduação: INF/CETUC

Pós-Graduação: INF/CETUC Pós-Graduação: INF/CETUC Disciplina: Redes de Acesso em Banda Larga Princípios Básicos Prof. Sérgio Colcher Prof. Luiz A. R. Da Silva Mello Copyright 1999-2004 by TeleMídia Lab. 1 Cenário 2 Modelo Provedores

Leia mais

Sistemas Internet Introdução às redes óticas Redes de Longa Distância e Alta Velocidade. Prof. Dr. Ruy de Oliveira IFMT

Sistemas Internet Introdução às redes óticas Redes de Longa Distância e Alta Velocidade. Prof. Dr. Ruy de Oliveira IFMT Sistemas Internet Introdução às redes óticas Redes de Longa Distância e Alta Velocidade Prof. Dr. Ruy de Oliveira IFMT Aplicações residenciais cada vez mais exigentes Necessidade de VELOCIDADE A velociade

Leia mais

Padrão Ethernet... 69 Ethernet a 100 Mbps... 70 Gigabit Ethernet... 70 Padrão Token-Ring... 72 Padrão FDDI... 73 Padrão ATM... 74

Padrão Ethernet... 69 Ethernet a 100 Mbps... 70 Gigabit Ethernet... 70 Padrão Token-Ring... 72 Padrão FDDI... 73 Padrão ATM... 74 3 T E C N O L O G I A S D E R E D E S L O C A I S T E C N O L O G I A Padrão Ethernet... 69 Ethernet a 100 Mbps... 70 Gigabit Ethernet... 70 Padrão Token-Ring... 72 Padrão FDDI... 73 Padrão ATM... 74 PADRÃO

Leia mais

Sistema de comunicação óptica. Keylly Eyglys Orientador: Adrião Duarte

Sistema de comunicação óptica. Keylly Eyglys Orientador: Adrião Duarte Sistema de comunicação óptica Keylly Eyglys Orientador: Adrião Duarte História A utilização de transmissão de informação através de sinais luminosos datam de épocas muito remotas. Acredita-se que os gregos

Leia mais

Meios Físicos de Transmissão

Meios Físicos de Transmissão Meios Físicos de Transmissão O meios de transmissão diferem com relação à banda passante, potencial para conexão ponto a ponto ou multiponto, limitação geográfica devido à atenuação característica do meio,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Cabeamento Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br Os cabos são usados como meio de comunicação há mais de 150 anos. A primeira implantação em larga escala de comunicações via

Leia mais

GERENCIAMENTO REMOTO DOS EQUIPAMENTOS DO SISTEMA DIGITAL DE TELEPROTEÇÃO CARRIER

GERENCIAMENTO REMOTO DOS EQUIPAMENTOS DO SISTEMA DIGITAL DE TELEPROTEÇÃO CARRIER GERENCIAMENTO REMOTO DOS EQUIPAMENTOS DO SISTEMA DIGITAL DE TELEPROTEÇÃO CARRIER Rocilda José Nogueira Santana Engenheiro de Analise da Manutenção Divisão de Gestão da Manutenção São Paulo CTEEP-Brasil

Leia mais

WDM E REDES TOTALMENTE ÓPTICAS

WDM E REDES TOTALMENTE ÓPTICAS 1 - Introdução. As tecnologias para fibras ópticas estão cada vez mais desenvolvidas e certamente as redes terão backbones ópticos. Devido à capacidade do WDM de transportar diversas tecnologias e possibilitar

Leia mais