CONSTRUÇÕES COM TERRA: ALTERNATIVA VOLTADA À SUSTENTABILIDADE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSTRUÇÕES COM TERRA: ALTERNATIVA VOLTADA À SUSTENTABILIDADE"

Transcrição

1 CONSTRUÇÕES COM TERRA: ALTERNATIVA VOLTADA À SUSTENTABILIDADE Luiara Vidal dos Santos Borges 1 Ciliana Regina Colombo 2 RESUMO: O presente artigo sugere que o uso da terra crua, como material de construção, seja resgatado com o objetivo de tornar o processo construtivo mais sustentável, estimulando o uso das diversas técnicas de construção com terra (taipa de pilão, taipa leve, adobe, super adobe, cob, p.i.s.e, pau-a-pique, tijolo de solo cimento). Há neste trabalho também uma descrição acerca dos pontos positivos e negativos, adequando às categorias da sustentabilidade (econômica, cultural, territorial, social e ecológica), analisando também fatores históricos que levaram a diminuição da produção e os motivos pelos quais vem sendo resgatadas. Palavra chave: Construções com terra, Sustentabilidade, Construções ecológicas, Desenvolvimento sustentável. 1 INTRODUÇÃO A terra crua em suas diversas modalidades, vem sendo usada ao longo dos anos nos mais diversos tipos de construções, desde grandes construções, como a muralha da China - construída durante a China Imperial, com aproximadamente três mil quilômetros de extensão, fig.1. Até habitações simples, como a favela de Taos Pueblo no Novo México, a mais velha favela da antiguidade, que foi marcada pela UNESCO como patrimônio mundial, fig.2. 1 Graduanda em Engenharia Civil, pela Universidade Católica do Salvador. 2 Orientadora/ Doutora em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina UFSC, Doutora pesquisadora pela Universidade Católica do Salvador.

2 Fig.1 Muralha da China Fig.2 Favela em Taos Pueblo - Fonte: Novo México upload/e/muralha%20china1.jpg (20/04/09). Fonte:http://www.viagensimagens. com/nmex11b.jpg (20/04/09). Porém, nas últimas décadas sua utilização foi reduzida, devido o surgimento de matérias que tornam o processo construtivo mais rápido - apesar de devastadores. Pode-se notar um crescente interesse por construções ambientalmente sustentáveis, e também pela necessidade em minimizar o déficit habitacional, em todo o mundo, deste modo às técnicas de construção com terra vêm sendo resgatadas. Metade da população mundial, cerca de três bilhões de pessoas vivem em construções com terra, construídas com diversas técnicas. Existem alguns paises que apesar do desuso da terra como material de construção, ainda constroem suas habitação com esse material (SOARES, 2007). Na Europa, países como Portugal e França, constroem habitações sociais usando terra. Em Portugal elas situam-se em Algarve e Alentejo (RODRIGUES, 2003), e na França em L'isle d'abeau, próximo a Lyon. Na América - antes da colonização européia - tribos pré-colombianas já construíam suas habitações, templos, dentre outras construções utilizando a terra. Países como Colômbia, Cuba e Peru têm a maioria das suas habitações também feitas deste modo. No Brasil, em cidades históricas como Tiradentes-MG, Pirenopólis-GO, ilustrada na Fig.3, e Ouro-Preto-MG, existem diversas construções com terra que foram construídas há muitas décadas e permanecem bem conservadas ao longo de todos esses anos. A terra crua é o material de construção mais antigo do mundo, sendo assim, sua importância se torna histórica. 2

3 Fig.3 Arquitetura colonial em terra (Igreja) Pirenopólis-GO. Fonte: (15/05/09) A relevância desse trabalho se dá pela necessidade de buscar alternativas voltadas à sustentabilidade das construções, pois há um consumo insustentável de materiais não renováveis, construções que geram grandes impactos ao meio ambiente e tudo que lhe compõe. E o homem, sendo parte deste meio é o principal responsável pela preservação e reconstrução, através dentre outras coisas, de estudos que tornem as construções sustentáveis. O objetivo do trabalho é sugerir o uso das técnicas de construção com terra, como alternativa para sustentabilidade da construção civil. 2 - CONSTRUÇÕES VOLTADAS À SUSTENTABILIDADE Existem diversas definições para desenvolvimento sustentável, a mais aceita diz que é: o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das gerações futuras, ou seja, é o desenvolvimento que não esgota os recursos para as próximas gerações. Para ser alcançado ele depende de planejamento e do reconhecimento de que os recursos são finitos (WWF BRASIL, 2008). Em construções voltadas à sustentabilidade, uma das metas é a não geração de resíduos, e posteriormente é pensado em como reduzir, reutilizar e no destino final. Essas construções baseam-se na prevenção e redução de resíduos, desenvolvendo tecnologias limpas, usando materiais recicláveis e/ou reutilizáveis e pensando também no uso de resíduos como materiais secundários (BARDELLA, 2007). A grande utilização de materiais industrializados, que consomem materiais nãorenováveis, acaba com a oferta de recursos, tornando o processo insustentável. A 3

4 sustentabilidade dentro da construção civil, principalmente em construções de interesse social, precisa adequar-se às cincos categorias da sustentabilidade (SACHS apud COELHO, 2007): Economia O uso dos recursos público e privado devem ser feitos de maneira eficiente; a relação entre países desenvolvidos com os paises em desenvolvimento, deve ser de troca de conhecimentos sobre ciência e tecnologia; visa também à pesquisa de tecnologias limpas, que tenha o desenvolvimento urbano como o seu principal foco. Ecologia O uso dos recursos naturais com objetivos sociais válidos, e que não seja degradante; visa limitar o uso dos recursos não-renováveis; redução de resíduos e autolimitação do consumo. Territorial Buscar o equilíbrio entre a zona urbana e a zona rural; promover a cultura do reflorestamento por pequenos agricultores; proteção da biodiversidade. Cultural Buscar o desenvolvimento, porém, pensando no meio ambiente, através de soluções próprias, respeitando a cultura de cada povo de cada região. Social Buscar o desenvolvimento através dos valores culturais e não dos valores financeiros, redução das desigualdades sociais; mudanças no padrão de consumo; inclusão social, através da valorização da identidade cultural. Pode-se perceber que as técnicas de construção com terra têm todas as características que atendem as condições de sustentabilidade. Apresenta custo de montagem e manutenção que permite o seu consumo pela população local; utiliza matéria prima local sem exigir transporte - estes por sua vez que consomem energia ou recursos não renováveis - o material utilizado é reciclado, ou seja, não geram resíduos, e por fim privilegia a mão de obra local (COELHO, 2007). 4

5 3 - TÉCNICAS DE CONTRUÇÃO COM TERRA São várias as técnicas de construções com terra, tais como: taipa de pilão, adobe, super adobe, taipa leve, pau-a-pique - que nos países latino americanos de língua espanhola é conhecido como quincha - tijolo de solo-cimento, Cob, P.I.S.E, entre outras. 3.1 Taipa de pilão É a técnica mais antiga de construção com terra, herdada dos árabes, constitui-se de paredes feitas com barro amassado, com o auxilio de um pilão, muitas vezes misturados com cal, para combater a acidez da mistura, que é comprimida entre tabuas de madeira de grande espessura, geralmente a espessura das paredes chega a 10% da altura. O tempo de secagem das paredes de taipa varia de três a seis meses, dependendo da altura e da espessura das paredes, tipo de solo e condições do clima. A Fig.4.1 mostra uma casa construída com taipa de pilão e a Fig.4.2 apresenta detalhes de forma, amarração e fundação. Essa técnica predominou no estado de São Paulo, no período colonial, devido à dificuldade em se obter pedra para construção. No período colonial as tabuas eram cortadas manualmente, o que agregava valor às taipas, sendo assim, chegaram a fazer parte de inventários. (PISANI, 2007). A taipa de pilão foi por muitos anos usada na França e também no Brasil para construção de igrejas e também na construção de edifícios públicos, devido à espessura de sua parede ser grande. Segundo Schmidt apud Pisani (2007), a taipa caiu em desuso a partir de 1940, devido ao surgimento dos tijolos maciços, mais rígidos e com produção mais rápida, a mão de obra também era mais fácil de treinar. Fig. 4.1 Casa de Taipa de pilão em Fig. 4.2 Detalhes da Taipa de pilão Campinas-SP. Fonte: ABCTerra, 2009 Fonte: ABCTerra,

6 Um dos maiores problemas apresentados na construção da taipa é a erosão que ela sofre quando em contato com água, tanto vindo do subsolo como em decorrência de chuvas ou de vazamentos nas instalações hidráulicas. Quando protegida adequadamente a taipa tem vida útil de mais de 300 anos. Outro problema é a obtenção das tábuas de madeira, porque, dependendo do local, podem ser de difícil obtenção, gerando custo e inviabilizando o uso da taipa em determinadas regiões. No entanto existem vantagens no uso da taipa, tendo a terra crua como principal componente, pois, ela possui características de excelente regulador de umidade, ou seja, o conforto térmico é bastante significativo, o material é totalmente reciclável, ao final de sua vida útil, a terra se reintegra ao meio ambiente, não gerando nenhum resíduo. 3.2 Adobe O adobe é um tijolo de terra crua cuja produção consiste em misturar terra e água, porém, por necessidade de estabilizar as propriedades, que geram rachaduras nos tijolos, durante o processo de cura, é muito comum adicional palha (fibras). Os tijolos são moldados em formas retangulares, o processo de cura se dá ao ar livre por um período que gira em torno de trinta dias, dependendo das condições climáticas. Ele foi utilizado em diversas regiões do mundo, principalmente regiões de clima seco. Devido ao surgimento do tijolo cerâmico, o adobe foi perdendo espaço e seu uso ficou restrito a população com poucos recursos, por isso o adobe e outras técnicas de construção com terra são associadas à pobreza. No Brasil, o adobe ainda é muito utilizado nas regiões Norte e Nordeste e em estados como Minas Gerais e Goiás. Infelizmente, muitas casas não são construídas com os cuidados necessários e acabam degradando-se rapidamente, gerando dúvidas sobre a durabilidade do material. Fig. 5.1 Casa de adobe na Espanha. Fig.5.2 Tijolos de terra crua (Adobe) Fonte: Fonte: (13/05/09). tijolo.jpg (13/05/09). 6

7 Existem diversas vantagens no uso do adobe, o barro é um material reutilizável, quando não cozido pode ser triturado e umedecido para voltar ao estado original, sendo assim não gera resíduos em uma obra e não contamina o meio ambiente. O barro é um material econômico que pode ser encontrado na maioria das vezes próximo aos locais de obras e pode vir a substituir outros materiais de construção, é também excelente regulador de umidade e gera excelente conforto térmico e acústico na edificação. Porém, as construções com terra devem ser protegidas da umidade, por ser um material extremamente permeável, quando em contato com água a construção se desintegra aos poucos. Outro problema marcante é que ao secar o barro se contrai podendo aparecer fissuras, para amenizar ou eliminar esse processo é necessário o uso de materiais (fibras naturais, cimento portland, cal) que estabilizem o barro e, durante o processo de cura, molhar os tijolos durante três dias, para que não sequem muito rapidamente. 3.3 Pau-a-pique O pau-a-pique é também conhecido como taipa de sopapo, taipa de mão, taipa de sebe e barro armado, nessa técnica a terra tem função de preencher os vazios deixados pelo entrelaçamento de madeiras, ou seja, seu papel é quase de coadjuvante. A técnica consiste em construir um entramado de madeira, usa-se muito o bambu, e o barro é lançado e batido com as mãos. O pau-a-pique serve como elemento de vedação, geralmente usado como paredes internas das edificações, mas também pode ser parede externa. O tempo de secagem, de uma parede de 15 a 20 cm, dura aproximadamente 30 dias, após esse período as taipas recebem um revestimento para que as paredes sejam protegidas das intempéries. Atualmente, em algumas regiões brasileiras, como cidades do estado de Minas Gerais, ainda realizam construções em pau-a-pique, além das construções, há também a restauração de construções centenárias (FARIA, 2002). Mais recentemente, vem sendo utilizada, no Chile uma variação dessa técnica, chamada de quincha metálica ou tecnobarro, onde no lugar da madeira é colocada malha de ferro e preenchida com barro de maneira apropriada. 7

8 Fig.6 Estrutura de madeira para execução de pau-a-pique. Fonte: PASINI, 2007 As vantagens do pau-a-pique são as mesmas já mencionadas nas técnicas anteriores (adobe e taipa de pilão). Entretanto a execução do pau-a-pique quando mal feita, ou seja, sem acabamento, como mostra a Fig.7, pode gerar uma série de problemas, desde a degradação da construção até a proliferação de roedores e insetos, dentre eles o mais conhecido, Triatoma infestans, vulgarmente conhecido com barbeiro, mosquito transmissor da doença de Chagas. Fig.7 Casa de pau-a-pique (mal acabada) em Serra Talhada PE Fonte:www.informacaosobre.com/Barro_armado (17/05/09). 8

9 3.4 Super adobe A técnica do super adobe, desenvolvida pelo iraniano radicado nos Estados Unidos, Nader Khalili, na década de 80, consiste em colocar terra em sacos ou tubos 3 de polietileno, posteriormente são feitas as fiadas que depois são apiloadas, conforme ilustram as fig.8.1 e fig.8.2 e coberta por outra fiada e assim sucessivamente, até que se formem as paredes (LENHARDT, 2005). O super adobe vem sendo utilizado por Khalili, na Califórnia, onde já foi comprovada a sua resistência a terremotos, muito comuns nessa região dos Estados Unidos, e foi introduzido no Brasil através do Ecocentro IPEC, que tem varias construções (LENHARDT, 2005). Fig.8.1 Super adobe Fig.8.2 Apiloamento do super adobe Fonte:http://www.ecocentro.org(11/05/09) Fonte:http://www.ecocentro.org (11/05/09). Há vantagens em se construir com super adobe, pois é uma técnica que não requer grandes conhecimentos técnicos, qualquer pessoa pode fazer a sua própria casa, a construção é muita rápida, para se ter uma idéia, uma construção de 60m², pode ser erguida em até 20 dias, feito por um pequeno grupo de cinco pessoas treinadas. O super adobe é denominado também, construção ecológica, pois todo o material utilizado na construção pode ser reaproveitado ou reciclado e pode ser obtido no local da obra, sem gerar custo de transporte e por conseqüência consumo de combustíveis não-renováveis. Há também desvantagens, existe limitação vertical, ou seja, a técnica só pode ser usada apenas para construir um pavimento, sem que haja necessidade de outros elementos que tornem a construção mais segura como, pilares e vigas, também existe o problema de contração do solo e fragilidade à umidade. 3 Tubos são sacos de polietileno, porém, com grandes dimensões, formando uma espécie de tubo. 9

10 3.5 Taipa Leve A técnica da taipa leve baseia-se em despejar terra em água até que se tenha um líquido grosso, depois incorpora esse líquido à palha, que é a maioria da composição da taipa, a proporção é de 90% de palha para 10% de terra. A mistura é colocada em formas retangulares, onde se formam pequenos blocos ou até mesmo, se desejado, pode-se fazer uma parede monolítica. O material por ter na sua composição a palha em maior quantidade, se torna bastante leve, tem massa específica girando em torno de 250 kg/m³ (FARIA, 2002). Sendo assim, a taipa leve não pode ser utilizada como elemento estrutural, sendo usada apenas para dividir ambientes. É uma técnica muito utilizada em países com grande risco de terremotos. Existem diversas vantagens no uso da taipa, uma delas é o conforto térmico e acústico, já mencionados em outras técnicas. Outra vantagem marcante é o custo em se ter taipas como divisão de ambientes, entrando no lugar de algumas paredes. Como as outras técnicas, a taipa leve também sofre desgaste quando em contato com água, então é necessário à proteção com reboco ou lambris de madeira. Fig.9 Taipa pronta. Fonte: (16/05/09) 3.6 Tijolo de Solo-cimento O tijolo de solo-cimento é basicamente feito de terra e cimento, em uma proporção de nove partes de terra para uma parte de cimento. A técnica consiste em misturar a terra com cimento e água, sendo adicionada aos poucos, por que a massa não pode ser muito 10

11 seca, nem muito molhada, a produção dos tijolos é feita através de prensa mecânica ou pneumática, podendo também ser manual, assemelhando-se à técnica do adobe. Dependendo do tipo de prensa ou do tipo de forma, pode-se produzir um ou mais tijolos por vez, a fig.10 ilustra o processo de produção dos tijolos. O tijolo de solo-cimento já é bastante estudado e tem sua eficiência comprovada, tanto que já existem normas descritas pela associação brasileira de normas técnicas ABNT, para produção e ensaios de resistência dos tijolos (NBR ; NBR ). As vantagens de se construir com o tijolo é a rapidez no processo construtivo, alta resistência à compressão, alta produtividade, o baixo consumo de água, área de produção reduzida, limpeza do canteiro, alem disso, há uma boa aceitação por parte da população. Entretanto há desvantagens, os tijolos levam em média, uma semana para terem seu processo de cura terminado e, como em outras construções com terra, existe o perigo de desgaste por contato com a água. Fig.10 Ilustração da produção dos tijolos. Fonte: Manual BTC. 3.7 Cob A técnica é descrita da seguinte maneira: coloca-se uma lona no chão e em cima mistura-se a terra, água e longas linhas da palha, a quantidade de terra e palha fica a critério de cada um, não há pré-definições, feito a massa é só fazer bolos de terra e empilhá-los, camada por camada, cada parte é aplicada após secagem da anterior. O cob pode ser utilizado para fazer cadeiras, forno, sofá, saindo diretamente das paredes. 11

12 Acredita-se que o cob surgiu na Inglaterra, na época foi utilizada para fazer edifícios coletivos de até três pavimentos (SOARES, 2007). Até o século XV, as casas de cob eram o padrão de construção da Inglaterra, pela escassez de madeira, pedras, e pela abundancia de solo argiloso, perfeito para edificações com cob. Pode-se dizer que ele é uma escultura cerâmica, mas como em outras técnicas, devido à industrialização, surgiram os tijolos cerâmicos que tornaram as obras mais rápidas. Fig.11 Casa de cob Fonte: As vantagens do cob são as seguintes: empregam-se poucos materiais, pouca água, possui larga vida útil, é possível esculpir nas paredes, e fazer os moveis integrados com elas. O cob oferece algumas desvantagens, tais como, a técnica é bastante cansativa, e por ter que ser feita em etapas, é bastante lenta e exige que seja executada por mais de uma pessoa. 3.8 P.I.S.E (Pneumatically Impacted Stabilized Earth) Terra estabilizada compactada pneumaticamente. No final de 1700, em Paris, o construtor François Cointeraux criou uma escola dedicada ao estudo de construções com terra, chamada de pisé de terre. Quase duzentos anos depois, David Easton criou uma técnica nova de edificação com terra e deu o nome de P.I.S.E, em homenagem à antiga escola francesa (FREED, 2008). A técnica se resume em jatear uma mistura de terra e água, estabilizada com cimento portland, cerca de 3% da composição total. Easton utiliza formas com abertura nos 12

13 lados, o que possibilita a economia de 1/3 do tempo de montagem das formas, são eliminadas também braçadeiras e cintas (UFSC, 2009). Fig.12.1 Jateamento da terra nas formas Fig Formas Fonte: ABCTerra, 2009 Fonte: ABCTerra, 2009 As principais vantagens ao empregar o P.I.S.E são: a possibilidade de reutilizar as formas, pois a mistura seca rapidamente, permitindo que você retire as formas e as reposicione, as edificações se adaptam à maioria dos climas, incluindo zonas úmidas com inverno rigoroso (FREED, 2008). As desvantagens são: a dificuldade em conseguir os equipamentos para jatear a mistura e a necessidade de profissionais treinados para execução da técnica. 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS O uso da terra na construção civil apresenta diversas vantagens tais como: excelente conforto térmico e acústico, quase não gera resíduo, quase não consome recursos não renováveis (energia elétrica, água), o material é totalmente reciclável, a terra é um material econômico e pode ser obtida no local da obra, não sendo necessário transporte. A maioria das técnicas são de fácil trato, não sendo preciso grande conhecimento para executá-las. Apesar de todos os pontos fortes, existem também pontos fracos que são os seguintes: o material sofre desgaste quando em contato com água, no entanto, pode-se eliminar esse problema usando beirais que façam com que a água passe o mais distante possível das paredes e fundações usando pedras ou baldrames evitando que a água suba por capilaridade e atinja as paredes. No processo de cura há contração da terra, gerando fissuras e rachaduras que deixam a edificação vulnerável às intempéries e a animais (roedores e 13

14 mosquitos), também não é recomendável construir edificação com mais de um pavimento, a secagem da terra costuma ser bastante lenta, porém varia muito de técnica para técnica. Enfim, as construções com terra são bastante viáveis, tanto do ponto de vista técnico/econômico, como do ponto de vista ecológico, se forem construídas visando à preservação dos recursos, que são finitos, atenderão os pré-requisitos da sustentabilidade, porém, a sustentabilidade será garantida quando houver envolvimento da comunidade, em todo o processo, desde a concepção até a execução final. 5 - REFERÊNCIAS ABCTerra, Taipa de pilão, 2009, disponível em: <http://www.abcterra.com.br/construcoes/ index.htm>, Acesso em: 15/04/2009. BARDELA, Paulo S., PEREIRA, V. M. ; CAMARINI, G, Sustentabilidade na Construção Civil, VII Encontro Latino americano de Pós-Graduação da UNIVAP 2007 VII EPG, 2007, São José dos Campos. Anais do VII Encontro Latino americano de Pós- Graduação da UNIVAP 2007 VII EPG, BUSSOLOTI, Fernando, Como funcionam as construções com terra e adobe", 2008, disponível em: <http://ambiente.hsw.uol.com.br/adobe5.htm> Acesso em:28/05/2009. COELHO, Ana C. V., As técnicas vernaculares de construção aliadas à inovação tecnológica: um possível caminho para a sustentabilidade?, Lisboa, (Terra em seminário 2007), ISNB , 1ª edição, FREED, Eric C., Cob home constructions, 2009, disponível em: <http://www.ecomii.com/building/cob> Acesso em: 05/05/09. FREED, Eric C., Pneumatically Impacted Stabilized Earth, 2009, disponível em: <http://www.ecomii.com/building/cob> Acesso em: 05/05/09. FARIA, Obede B., A utilização de macrófitas aquáticas na produção de adobe: um estudo de causa no reservatório de salto grande (Americana-SP), São Paulo, (Tese de doutorado), Escola de Engenharia de São Carlos USP, LENHARDT, Frederico P., Construção ecológica O Super Adobe, 2005, disponível em: < Acesso em: 18/05/09. LOURENÇO, Patrícia, 2004, Arquitetura de Terra: uma visão de futuro, disponível em: <http://www.ikaza.com.pt/presentationlayer/estudo_01.aspx? id=9&canal_ordem=0403> Acesso em: 10/02/2009. PISANI, Maria A. J., Taipas: A arquitetura de terra, Lisboa, (Terra em seminário 2007), ISNB , 1ª edição,

15 RODRIGUES, Paulina F., Construções em terra crua. Tecnologias, potencialidades e patologias (Earth Constructions. Technologies, potentialities and pathologies), Lisboa, Faculdade de Ciência e Tecnologia Universidade Nova Lisboa, SOARES, André, Soluções sustentáveis Construção Natural, Goiás, Ecocentro IPEC, 1ª edição, UFSC, Mãos a obra, 2004, disponível em<http://www.arq.ufsc.br/arq5661/trabalhos_2004-1/arq_terra/ > Acesso em: 06/03/09. UFSC, Sobre... materiais, 2009, disponível em: <http://www.arq.ufsc.br/arq5661/trabalhos_2007-1/recursos/construtivas/materiais.html> Acesso em: 20/04/09. WWF BRASIL, O que é desenvolvimento sustentável?, 2008, disponível em: <http://www.wwf.org.br/informacoes/questoes_ambientais/desenvolvimento_sustentavel/> Acesso em: 10/04/09. 15

RESPOSTA TÉCNICA. Informações sobre a construção de superadobe e pintura do reboco se for em terra crua.

RESPOSTA TÉCNICA. Informações sobre a construção de superadobe e pintura do reboco se for em terra crua. RESPOSTA TÉCNICA Título Sistema construtivo em superadobe Resumo Informações sobre o sistema construtivo Superadobe Palavras-chave Contrução; reboco; superadobe; tinta Assunto Preparação de massa de concreto

Leia mais

Parede de Garrafa Pet

Parede de Garrafa Pet CONCEITO As paredes feitas com garrafas pet são uma possibilidade de gerar casas pré fabricadas através da reciclagem e é uma solução barata e sustentável. As garrafas pet são utilizadas no lugar dos tijolos

Leia mais

BIOCONSTRUÇÃO: APLICABILIDADE NO MEIO RURAL COMO FORMA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E POSSIBILIDADES DE USO NO AMBIENTE URBANO

BIOCONSTRUÇÃO: APLICABILIDADE NO MEIO RURAL COMO FORMA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E POSSIBILIDADES DE USO NO AMBIENTE URBANO BIOCONSTRUÇÃO: APLICABILIDADE NO MEIO RURAL COMO FORMA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E POSSIBILIDADES DE USO NO AMBIENTE URBANO Maria da Glória de Sousa Brandão 1 Othon José de Castro Silva 2 Elaine Garrido

Leia mais

Blocos e Alicerces CONCEITO

Blocos e Alicerces CONCEITO CONCEITO Os blocos são elementos estruturais de grande rigidez que são ligados pelas vigas baldrame. Sua profundidade varia de 0,5 a 1 metro. São utilizados quando há atuação de pequenas cargas, como em

Leia mais

1. FUNDAMENTOS HISTÓRICOS

1. FUNDAMENTOS HISTÓRICOS 1. FUNDAMENTOS HISTÓRICOS Advento da agricultura: + 10.000 AC Terra, pedra e madeira: materiais que abrigaram a humanidade Desuso Produção industrial de materiais Novos padrões estéticos Grandes concentrações

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO ISOCRET ESTRUTURA /REVESTIMENTO

SISTEMA CONSTRUTIVO ISOCRET ESTRUTURA /REVESTIMENTO Sistema Construtivo Fabricado de acordo com a ISO 9002 Conforto as normas ASTM( EUA) e ABNT (Brasil). Comprovada em testes de desempenho realizados pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo

Leia mais

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível,

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível, TIJOLOS ECOLÓGICOS Casa construída com tijolos ecológicos Fonte: paoeecologia.wordpress.com TIJOLOS ECOLÓGICOS CARACTERÍSTICAS São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que

Leia mais

CAPÍTULO IV - ALVENARIA

CAPÍTULO IV - ALVENARIA CAPÍTULO IV - ALVENARIA Alvenaria é a arte ou ofício de pedreiro ou alvanel, ou ainda, obra composta de pedras naturais ou artificiais, ligadas ou não por argamassa. Segundo ZULIAN et al. (2002) também

Leia mais

Materiais de Construção Ecológicos e Reciclados. G26 Andreia Costa Daniel Maia Mónica Pacheco

Materiais de Construção Ecológicos e Reciclados. G26 Andreia Costa Daniel Maia Mónica Pacheco Materiais de Construção Ecológicos e Reciclados G26 Andreia Costa Daniel Maia Mónica Pacheco 01 Enquadramento Histórico, Origem e Cronologia O Homem moderno Ocidental tem vindo a contribuir para o aumento

Leia mais

Coberturas duráveis, com galvanização

Coberturas duráveis, com galvanização Coberturas duráveis, com galvanização A Fifa definiu que a Copa do Mundo de Futebol no Brasil, em 2014, deverá perseguir o que chamou de Green goals, ou seja, metas verdes, numa alusão à desejada sustentabilidade

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO CONCEITO A tipologia estrutural composta por bloco, argamassa, graute e eventualmente armações é responsável por um dos sistemas construtivos

Leia mais

Figura 4 Estado do solo em função do seu teor de umidade

Figura 4 Estado do solo em função do seu teor de umidade TEOR DE UMIDADE sólido sem retração sólido com retração plástico líquido Figura 4 Estado do solo em função do seu teor de umidade A plasticidade do solo, ou limites de consistência, é determinada através

Leia mais

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural.

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural. Alvenaria Estrutural Introdução CONCEITO ESTRUTURAL BÁSICO Tensões de compressão Alternativas para execução de vãos Peças em madeira ou pedra Arcos Arco simples Arco contraventado ASPECTOS HISTÓRICOS Sistema

Leia mais

concreto É unir economia e sustentabilidade.

concreto É unir economia e sustentabilidade. concreto É unir economia e sustentabilidade. A INTERBLOCK Blocos e pisos de concreto: Garantia e confiabilidade na hora de construir. Indústria de artefatos de cimento, que já chega ao mercado trazendo

Leia mais

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO

Leia mais

FARDOS DE PALHA FICHA CATALOGRÁFICA-21 DATA: DEZEMBRO/2013.

FARDOS DE PALHA FICHA CATALOGRÁFICA-21 DATA: DEZEMBRO/2013. Tecnologias, sistemas construtivos e tipologias para habitações de interesse social em reassentamentos. FARDOS DE PALHA FICHA CATALOGRÁFICA-21 DATA: DEZEMBRO/2013. Tecnologias, sistemas construtivos e

Leia mais

Técnicas da Construção Civil. Aula 02

Técnicas da Construção Civil. Aula 02 Técnicas da Construção Civil Aula 02 Necessidades do cliente e tipos de Estruturas Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Necessidades do Cliente Função ou tipo de edificação? Como e quanto o cliente quer

Leia mais

ALVENARIA DE BLOCOS DE SOLO-CIMENTO FICHA CATALOGRÁFICA-27 DATA: JANEIRO/2014.

ALVENARIA DE BLOCOS DE SOLO-CIMENTO FICHA CATALOGRÁFICA-27 DATA: JANEIRO/2014. Tecnologias, sistemas construtivos e tipologias para habitações de interesse social em reassentamentos. ALVENARIA DE BLOCOS DE SOLO-CIMENTO FICHA CATALOGRÁFICA-27 DATA: JANEIRO/2014. Tecnologias, sistemas

Leia mais

RECEITAS DE BOLOS ARQUITETÔNICOS SUSTENTÁVEIS Arquiteto Francisco Lima Arquiteto Edoardo Aranha

RECEITAS DE BOLOS ARQUITETÔNICOS SUSTENTÁVEIS Arquiteto Francisco Lima Arquiteto Edoardo Aranha RECEITAS DE BOLOS ARQUITETÔNICOS SUSTENTÁVEIS Arquiteto Francisco Lima Arquiteto Edoardo Aranha Lembrando que receitas sempre evoluem com nosso toque pessoal baseado em experimentações e pesquisas, então:

Leia mais

Projeto Aceleração de Negócios FACCAMP 2012

Projeto Aceleração de Negócios FACCAMP 2012 Projeto Aceleração de Negócios FACCAMP 2012 Objetivos e Metas Alavancar a empresa de uma forma sustentável, não apenas ambiental mas financeiramente. Introdução Histórico Tijolo Muralha da China construída

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP FUNDAÇÃO 1. TIPO DE SOLO A primeira parte da casa a ser construída são suas fundações, que

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE HABITAÇÕES COM PAINÉIS DE EPS E ARGAMASSA ARMADA

CONSTRUÇÃO DE HABITAÇÕES COM PAINÉIS DE EPS E ARGAMASSA ARMADA I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. RESUMO CONSTRUÇÃO DE HABITAÇÕES COM PAINÉIS

Leia mais

ARQUITETURA DE TERRA TAIPA DE PILÃO PAU A PIQUE ADOBE

ARQUITETURA DE TERRA TAIPA DE PILÃO PAU A PIQUE ADOBE ARQUITETURA DE TERRA TAIPA DE PILÃO PAU A PIQUE ADOBE A Taipa de Pilão: Fonte : ABCTerra - Associação Brasileira de Construções em Terra. A técnica de construção com terra crua mais antiga. Jogamos a mistura

Leia mais

Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a. sustentabilidade da construção civil

Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a. sustentabilidade da construção civil Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a sustentabilidade da construção civil A CONSCIÊNCIA AMBIENTAL É TEMA DESTE SÉCULO, E PORQUE NÃO DIZER DESTE MILÊNIO REDUZA REUTILIZE

Leia mais

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009. Construção de cisternas

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009. Construção de cisternas Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009 Tema 3: Construção de cisternas Rodolfo Luiz Bezerra Nóbrega Universidade Federal de Campina Grande Financiadores:

Leia mais

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos Prof. Marco Pádua Se a superestrutura do edifício for definida por um conjunto de elementos estruturais formados por lajes, vigas e pilares caracterizando

Leia mais

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle.

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle. CONCEITO Light (LSF estrutura em aço leve) é um sistema construtivo racional e industrial. Seus principais componentes são perfis de aço galvanizado dobrados a frio, utilizados para formar painéis estruturais

Leia mais

MANUAL DO FABRICANTE:

MANUAL DO FABRICANTE: MANUAL DO FABRICANTE: ALVENARIA ESTRUTURAL Características e especificações, instruções de transporte, estocagem e utilização. GESTOR: Engenheiro civil EVERTON ROBSON DOS SANTOS LISTA DE TABELAS Tabela

Leia mais

TINTA ECOLÓGICA Aprenda a fazer

TINTA ECOLÓGICA Aprenda a fazer TINTA ECOLÓGICA Aprenda a fazer. Para preparar 18 litros de tinta, você vai precisar de: 8 kg de terra; 4 kg de cola branca; 8 litros de água. Coloque 6 litros de água em uma lata e adicione a terra. Com

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 1a. parte: TÉCNICA Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br skipe: la99824969 de que alvenaria

Leia mais

REAPROVEITAMENTO E RECICLAGEM DE ENTULHOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO EM PASSO FUNDO, RS

REAPROVEITAMENTO E RECICLAGEM DE ENTULHOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO EM PASSO FUNDO, RS REAPROVEITAMENTO E RECICLAGEM DE ENTULHOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO EM PASSO FUNDO, RS Evanisa F. R. Q. Melo (1); Rubens M. Astolfi (2); Leunir Freitas (3); Ricardo Henryque Reginato Quevedo

Leia mais

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA OBRA: ESTAÇÃO ELEVATÓRIA PARA ESGOTO - ELEVADO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. CIVIL MICHAEL MALLMANN MUNICÍPIO: ITAPIRANGA - SC 1 INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Deve ser

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL SISTEMA DE VEDAÇÃO Um subsistema

Leia mais

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes!

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! Bloco de concreto As paredes são montadas a partir de componentes de alvenaria - os blocos. Portanto, é imprescindível que eles obedeçam

Leia mais

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA 1 CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA I. SISTEMAS ESTRUTURAIS Podemos citar diferentes sistemas estruturais a serem adotados durante a concepção do projeto de uma edificação. A escolha

Leia mais

TIMBER ENGINEERING EUROPE

TIMBER ENGINEERING EUROPE TIMBER ENGINEERING EUROPE Tecnologia de construção no seu melhor Desenhado, fabricado e montado segundo as necessidades do cliente www.timberengineeringeurope.com Bem-vindos a Timber Engineering Europe

Leia mais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais Blocos de CONCRETO DESCRIÇÃO: Elementos básicos para a composição de alvenaria (estruturais ou de vedação) BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO SIMPLES COMPOSIÇÃO Cimento Portland, Agregados (areia, pedra, etc.)

Leia mais

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura.

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Definições Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Armadura: associação das diversas peças de aço, formando um conjunto para um

Leia mais

Como Construir Paredes de Taipa

Como Construir Paredes de Taipa Como Construir Paredes de Taipa INTRODUÇÃO Trazida no período colonial pelos portugueses, a "taipa de pilão" consistia em utilizar uma mistura- de argila, areia e água para formar as paredes através do

Leia mais

PARTE II. Genealogia, Experimentos e Resultados.

PARTE II. Genealogia, Experimentos e Resultados. 137 PARTE II Genealogia, Experimentos e Resultados. 138 6. Genealogia das informações disponibilizadas - no campo e no LILD 6.1 Referências técnicas do campo refletidas no trabalho 6.1.1 Obra Paiol de

Leia mais

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO:

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: EMPREENDIMENTOS CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: Localizado em Novo Hamburgo RS; 18000 m² de área construída; 72 Unidades 3 e 2 dormitórios; 26 Pavimentos; Tratamento e reutilização

Leia mais

HABITAÇÃO ECOLÓGICA: ESTRATÉGIA DE ENSINO- APRENDIZAGEM NO CEFET/RJ.

HABITAÇÃO ECOLÓGICA: ESTRATÉGIA DE ENSINO- APRENDIZAGEM NO CEFET/RJ. ARTIGO CONVIDADO Revista Ideário / Rio de Janeiro / Ano 3 / Edição Nº 5 / Abril 2015 ARTIGO HABITAÇÃO ECOLÓGICA: ESTRATÉGIA DE ENSINO- APRENDIZAGEM NO CEFET/RJ. Salvador Carlos Pires Ribeiro Ana Paula

Leia mais

Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos materiais pétreos. Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos produtos cerâmicos

Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos materiais pétreos. Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos produtos cerâmicos Classificação dos materiais pétreos Fabricação de blocos cerâmicos Pedras naturais: encontradas in natura, usadas normalmente após beneficiamento. Ex.: agregados, placas de rocha para revestimento. Pedras

Leia mais

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I Aula 9 Fundações Parte 1 Cristóvão C. C. Cordeiro O que são? São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais

Usando Formas de Metal: Tecnologia para a Construção de Cisternas Redondas para Captação d água da Chuva

Usando Formas de Metal: Tecnologia para a Construção de Cisternas Redondas para Captação d água da Chuva Usando Formas de Metal: Tecnologia para a Construção de Cisternas Redondas para Captação d água da Chuva Elizabeth Szilassy Agência dos Correios 55.140-000 Tacaimbó PE Brasil E-mail: tacaimbo@netstage.com.br

Leia mais

Estudo da evolução e aplicação da terra em habitações unifamiliares

Estudo da evolução e aplicação da terra em habitações unifamiliares UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRPPG Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação IV SIEPE Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão XX EVINCI Outubro de 2012 Estudo da evolução e aplicação da terra

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO Curso Técnico de Edificações Profª Engª Civil Alexandra Müller Barbosa EMENTA Estudos de procedimentos executivos: Estruturas portantes, Elementos vedantes, Coberturas, Impermeabilização,

Leia mais

Elementos Estruturais de Concreto Armado

Elementos Estruturais de Concreto Armado UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Elementos Estruturais de Concreto Armado Prof. Guilherme Brigolini Elementos Estruturais de Concreto Armado Produção de

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS

CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS PONTA DELGADA, 15 NOVEMBRO CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS 3 Maria do Rosário Veiga rveiga@lnec.pt novembro 2013 PONTA DELGADA, 15 NOVEMBRO ESTRATÉGIAS DE CONSERVAÇÃO Critérios de decisão, técnicas

Leia mais

MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS

MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS COMPOSIÇÃO: Sais inorgânicos e estabilizantes. PROPRIEDADES: Impermeabilizante de concreto e argamassas. MOGIBASE é de fácil aplicação e não altera os

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE ALVENARIA ESTRUTURAL: BLOCOS DE CONCRETO DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE O uso de alvenaria como sistema estrutural já vem sendo usado a centenas de anos, desde as grandes

Leia mais

Eco Houses / Casas ecológicas. Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental

Eco Houses / Casas ecológicas. Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental Eco Houses / Casas ecológicas Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental IDHEA - INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DA HABITAÇÃO ECOLÓGICA Conceito:

Leia mais

O SISTEMA SF DE FÔRMAS

O SISTEMA SF DE FÔRMAS O SISTEMA SF DE FÔRMAS O SISTEMA SF Fôrmas: A SF Fôrmas utiliza o sistema construtivo de paredes de concreto desde a década de 1970, quando trouxe para o Brasil as primeiras fôrmas de alumínio. O SISTEMA

Leia mais

2101 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO INTERNO Argamassa para Revestimento Interno de alvenaria

2101 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO INTERNO Argamassa para Revestimento Interno de alvenaria FICHA TÉCNICA DE PRODUTO 1. Descrição: A argamassa 2101 MATRIX Revestimento Interno, é uma argamassa indicada para o revestimento de paredes em áreas internas, possui tempo de manuseio de até 2 horas,

Leia mais

AS SUPERFÍCIES E O COMPORTAMENTO DAS PAREDES DE TERRA CRUA

AS SUPERFÍCIES E O COMPORTAMENTO DAS PAREDES DE TERRA CRUA AS SUPERFÍCIES E O COMPORTAMENTO DAS PAREDES DE TERRA CRUA Paulina Faria Rodrigues Faculdade de Ciências e Tecnologia - Universidade Nova de Lisboa 2829-516 Caparica, PORTUGAL Tel.: +351 21 2948580; Fax:

Leia mais

TECNOLOGIAS E PRODUTOS SUSTENTÁVEIS

TECNOLOGIAS E PRODUTOS SUSTENTÁVEIS TECNOLOGIAS E PRODUTOS SUSTENTÁVEIS ENGº. MARCOS CASADO Gerente Técnico LEED Tópicos a serem abordados: Objetivos Conceitos: ECOPRODUTOS - Produtos recomendados - Produtos corretos - Produtos aceitáveis

Leia mais

BLOCOS DE VEDAÇÃO COM ENTULHO

BLOCOS DE VEDAÇÃO COM ENTULHO BLOCOS DE VEDAÇÃO COM ENTULHO 2 nd International Workshop on Advances in Cleaner Production Orientadora: Profª.Dra. Ana Elena Salvi Abreu, Ricardo M. a ; Lopes, Ricardo W. b ; Azrak, Roberto c a. Universidade

Leia mais

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul 1. O presente memorial tem por

Leia mais

Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A.

Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A. Concreto PVC A Utilização do Sistema Royal para construção de casas populares. Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A. O Sistema Construtivo O sistema construtivo Royal (Concreto-PVC) nasceu

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) WILLIAN ABREU

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) WILLIAN ABREU FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) ESTRUTURAS EM CONCRETO ARMADO VANTAGENS E DESVANTAGENS DO CONCRETO ARMADO: Apenas

Leia mais

USO DO SOLO-CIMENTO COM TIJOLO MATTONE EM CONSTRUÇÕES DE ESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DE SAÚDE.

USO DO SOLO-CIMENTO COM TIJOLO MATTONE EM CONSTRUÇÕES DE ESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DE SAÚDE. USO DO SOLO-CIMENTO COM TIJOLO MATTONE EM CONSTRUÇÕES DE ESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DE SAÚDE. Alvino Galdino Xavier (1) Arquiteto e Urbanista graduado pelo Centro Universitário de João Pessoa UNIPE.

Leia mais

Alvenaria de Blocos de Concreto

Alvenaria de Blocos de Concreto Alvenaria de Blocos de Recomendações Gerais Est. Mun. Eduardo Duarte, 1100 - Esq. RST 287. Santa Maria - RS Fone: (55) 3221 2000 e-mail : prontomix@prontomix.com.br Conceitos Gerais O que é Alvenaria Estrutural?

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Banheiros Públicos Rincão do Segredo Local: Rua Carlos Massman - Rincão do Segredo Alm. Tam. do Sul-RS Proprietário: Município de Almirante Tamandaré do Sul / RS 1. O presente

Leia mais

GUIÃO DO PROFESSOR. Os três porquinhos. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor

GUIÃO DO PROFESSOR. Os três porquinhos. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor GUIÃO DO PROFESSOR Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor Era uma vez Enquadramento Curricular 3ºCiclo Ciências Naturais 1. Dinâmica externa da Terra 2. Sustentabilidade dos

Leia mais

BLOCOS, ARGAMASSAS E IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO. Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1

BLOCOS, ARGAMASSAS E IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO. Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1 Escola Politécnica da USP PCC 2515 Alvenaria Estrutural BLOCOS, ARGAMASSAS E GRAUTES Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS! DETERMINA CARACTERÍSTICAS IMPORTANTES DA PRODUÇÃO! peso e dimensões

Leia mais

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros.

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. EMPREENDIMENTOS PANTHEON - ROMA Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO

Leia mais

- Pisos e revestimentos Industriais (pinturas especiais, autonivelantes, uretânicas, vernizes...);

- Pisos e revestimentos Industriais (pinturas especiais, autonivelantes, uretânicas, vernizes...); A TECNIKA iniciou suas atividades em meados de 2003, impulsionada pela demanda do mercado, sempre preocupada em buscar e oferecer soluções técnicas inovadoras, tendo como focos principais as áreas de impermeabilização

Leia mais

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 221 ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE

Leia mais

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor 1. CONCEITO: Produto resultante da associação íntima entre um aglomerante mais um agregado miúdo, mais um agregado graúdo e água (+ ferragens). 2. CARACTERÍSTICAS Quanto aos esforços: compressão, tração

Leia mais

poder de compra x custo da construção poder de compra:

poder de compra x custo da construção poder de compra: w ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO poder de compra x custo da construção poder de compra: - Conceito Geral - Engenheiro Civil - Ph.D. (85)3244-3939 (85)9982-4969 luisalberto1@terra.com.br custo

Leia mais

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Arnoldo Wendler Sistema Construtivo 1 Sistema Construtivo 2 Sistema Construtivo Sistema Construtivo 3 Sistema Construtivo Comunidade da Construção DIRETRIZES

Leia mais

SILVA, Fernando Souza da

SILVA, Fernando Souza da CASTRO, Adriana Petito de Almeida Silva Ano 02 SILVA, Fernando Souza da n. 03 INCENTIVO AO USO DE PRODUTOS DE BAIXO IMPACTO AMBIENTAL ATRAVÉS DA DISCIPLINA DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL p.50-57 Instituto

Leia mais

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Será que é resistente? Aceita qualquer revestimento? E se molhar? Esse mar de dúvidas invade

Leia mais

Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a construção sustentável

Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a construção sustentável Seminário: Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a construção sustentável Hugo da Costa Rodrigues Filho Hugo da Costa Rodrigues Filho Associação Brasileira de Cimento Portland,

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

RESUMOS DE PROJETOS... 187 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 190

RESUMOS DE PROJETOS... 187 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 190 186 RESUMOS DE PROJETOS... 187 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 190 RESUMOS DE PROJETOS 187 ANÁLISE DAS PROPRIEDADES E VIABILIDADE ECONÔMICA DA CERÂMICA VERMELHA UTILIZADA COMO AGREGADO RECICLADO MIÚDO PARA

Leia mais

2202 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO FACHADA Argamassa para uso em revestimento de áreas externas

2202 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO FACHADA Argamassa para uso em revestimento de áreas externas É composta por uma mistura homogênea de cimento Portland, cal hidratada e agregados minerais com granulometria controlada e aditivos químicos. O produto é oferecido na cor cinza. 3. Indicação: A argamassa

Leia mais

TÍTULO: CONFECÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS COMO ALTERNATIVA PARA REUTILIZAÇÃO DOS RESÍDUOS PRODUZIDOS POR CENTRAIS DOSADORAS DE CONCRETO.

TÍTULO: CONFECÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS COMO ALTERNATIVA PARA REUTILIZAÇÃO DOS RESÍDUOS PRODUZIDOS POR CENTRAIS DOSADORAS DE CONCRETO. TÍTULO: CONFECÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS COMO ALTERNATIVA PARA REUTILIZAÇÃO DOS RESÍDUOS PRODUZIDOS POR CENTRAIS DOSADORAS DE CONCRETO. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

Manual do impermeabilizador

Manual do impermeabilizador 1 Manual do impermeabilizador Preparação e aplicação em superfícies cimenticia Índice INTRODUÇÃO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO ESTATÍSTICAS NORMAS TÉCNICAS ELABORAÇÃO DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO NBR

Leia mais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais LA-J ARTEFATOS DE CIMENTO LUCAS LTDA Av. Cônsul Assaf Trad 6977 Em frente ao Shopping Bosque dos Ipês / Campo Grande MS 0800 647 1121 www.lajlucas.com.br

Leia mais

assentamento e revestimento ficha técnica do produto

assentamento e revestimento ficha técnica do produto 01 Descrição: votomassa e revestimento é uma argamassa de uso geral que pode ser utilizada para o de elementos de alvenaria de vedação como blocos de concreto, blocos cerâmicos, e tijolos comuns. Também

Leia mais

O SISTEMA SF DE FÔRMAS

O SISTEMA SF DE FÔRMAS O SISTEMA SF DE FÔRMAS A SF Fôrmas utiliza o sistema construtivo para estruturas de concreto desde a década de 70, quando trouxe para o Brasil as primeiras fôrmas de alumínio. O Sistema SF de Fôrmas para

Leia mais

Construção. Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos. Características / Vantagens.

Construção. Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos. Características / Vantagens. Ficha do Produto Edição 22/04/2011 Sikacim Impermeabilizante Construção Sikacim Impermeabilizante Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos Características

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES PROJETO ARQUITETÔNICO ADEQUAÇÕES NA USINA DE TRIAGEM DE LIXO LINHA ESTRELA MEMORIAL DESCRITIVO 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBJETIVO: USINA DE TRIAGEM DE LIXO A presente especificação tem por objetivo estabelecer

Leia mais

PROCESSO DE PROJETO SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

PROCESSO DE PROJETO SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROCESSO DE PROJETO SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Monique PAIVA M.Sc., Arquiteta, Universidade Federal Fluminense - Correio eletrônico: Paiva.nit@gmail.com Carlos SOARES D.Sc., Arquiteto,

Leia mais

Plásticos: Novas aplicações no mercado de construção civil. Maceió, mai/2014

Plásticos: Novas aplicações no mercado de construção civil. Maceió, mai/2014 Plásticos: Novas aplicações no mercado de construção civil Maceió, mai/2014 INDÚSTRIA PETROQUÍMICA INTEGRAÇÃO COMPETITIVA EXTRAÇÃO Matérias-Primas 1 ª GERAÇÃO Petroquímicos Básicos 2 ª GERAÇÃO Resinas

Leia mais

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS 4 - ALVENARIA APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Escolher a alvenaria adequada; Orientar a elevação das paredes (primeira fiada,

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL ARTIGOS APROVADOS AUTORES TÍTULO RESUMO ANÁLISE MECÂNICA DE BLOCOS DE SOLO- CIMENTO PRODUZIDOS COM RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO CIVIL

CONSTRUÇÃO CIVIL ARTIGOS APROVADOS AUTORES TÍTULO RESUMO ANÁLISE MECÂNICA DE BLOCOS DE SOLO- CIMENTO PRODUZIDOS COM RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO CIVIL MARIA DA CONCEIÇÃO DOS SANTOS ALMEIDA SOFIA ARAÚJO LIMA CONSTRUÇÃO CIVIL ARTIGOS APROVADOS AUTORES TÍTULO RESUMO ANÁLISE MECÂNICA DE BLOCOS DE SOLO- CIMENTO PRODUZIDOS COM RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO CIVIL Um

Leia mais

Materiais de Construção Civil. Aula 07. Gesso para Construção Civil

Materiais de Construção Civil. Aula 07. Gesso para Construção Civil Materiais de Construção Civil Aula 07 Gesso para Construção Civil Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Gesso para Construção Civil O gesso é um mineral aglomerante produzido a partir da calcinação da gipsita,

Leia mais

Soluções sustentáveis para a vida.

Soluções sustentáveis para a vida. Soluções sustentáveis para a vida. A Ecoservice Uma empresa brasileira que está constantemente em busca de recursos e tecnologias sustentáveis para oferecer aos seus clientes, pessoas que têm como conceito

Leia mais

SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO SUDESTE PRÉ-FABRICADOS PRONTOS PARA TODA E QUALQUER EMPREITADA

SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO SUDESTE PRÉ-FABRICADOS PRONTOS PARA TODA E QUALQUER EMPREITADA 1 CONSTRUINDO GRANDES NEGÓCIOS PRÉ-FABRICADOS 2 SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO SUDESTE PRÉ-FABRICADOS PRONTOS PARA TODA E QUALQUER EMPREITADA SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO ÍNDICE 3 A

Leia mais

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável Juliano Moresco Silva Especialista em Tecnologia do Concreto juliano.silva@azulconcretos.com.br

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015

MEMORIAL DESCRITIVO. Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015 MEMORIAL DESCRITIVO Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015 1. DESCRIÇÃO DA OBRA As presentes especificações, bem como

Leia mais

A Praxis da Sustentabilidade

A Praxis da Sustentabilidade A Praxis da Sustentabilidade O Ecocentro IPEC Instituto de Permacultura e Ecovilas do Cerrado O Ecocentro IPEC desenvolve e adapta soluções para o desenvolvimento da sustentabilidade em comunidades rurais

Leia mais

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO RAMPA NAÚTICA DE ARAGARÇAS-GO O presente memorial descritivo tem por objetivo fixar normas específicas para CONSTRUÇÃO DE UMA RAMPA NAÚTICA - RIO ARAGUAIA, em área de 3.851,89

Leia mais

PRODUÇÃO DE BLOCOS DE CONCRETO E PAVERS UTILIZANDO AGREGADOS RECICLADOS RESUMO

PRODUÇÃO DE BLOCOS DE CONCRETO E PAVERS UTILIZANDO AGREGADOS RECICLADOS RESUMO PRODUÇÃO DE BLOCOS DE CONCRETO E PAVERS UTILIZANDO AGREGADOS RECICLADOS *Acadêmicos do Centro Universitário Filadélfia UniFil **Docente do Centro Universitário Filadélfia UniFil. faganello.adriana@unifil.br

Leia mais