AULA DEMONSTRATIVA. Concurso: Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Cargo: Todos os Cargos. Matéria: Legislação Aplicada à EBSERH

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AULA DEMONSTRATIVA. Concurso: Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Cargo: Todos os Cargos. Matéria: Legislação Aplicada à EBSERH"

Transcrição

1 AULA DEMONSTRATIVA 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS : NATUREZA JURÍDICA DA EBSERH E SUAS CARACTERÍSTICAS CONTRATAÇÃO DA EBSERH DAS COMPETÊNCIAS DA EBSERH (ART. 4º DA LEI) RECURSOS FINANCEIROS DA EBSERH ART. 8º DA LEI FONTES DE RECURSOS DA EBSERH: DO LUCRO LÍQUIDO DA EBSERH: DO EXERCÍCIO SOCIAL, DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E DOS LUCROS DO REGIME DE PESSOAL PESSOAL PERMANENTE DA EBSERH: PESSOAL CEDIDO À EBSERH (ART. 7º DA LEI): DO PESSOAL TEMPORÁRIO: QUESTÕES DE CONCURSOS Concurso: Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Cargo: Todos os Cargos Matéria: Legislação Aplicada à EBSERH Professor: Vitor Souza Este curso é protegido por direitos autorais (copyright), nos termos da Lei n.º 9.610/1998, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências.

2 Olá amigos, meu nome VITOR SOUZA, servidor público federal e professor de Direito Administrativo e Legislações Específicas em diversos cursinhos no Estado de Rondônia e, há algum tempo, aqui no Estado da Paraíba. Nesta aula, veremos mais especificamente as normas gerais apresentadas pela Lei /2011, que autorizou a criação da EBSERH. Serão apontados detalhes que têm sido abordados (despencando) em diversos concursos, tais como natureza jurídica da empresa (sua vinculação à administração direta, seu prazo de duração, capital social, dentre outros); aspectos contratuais relevantes (Ex.: vínculo, licitação etc.). 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH tem oferecido, por meio de concursos públicos, principalmente para os profissionais da área da saúde, ótimas oportunidades de empregos no serviço público federal, com um plano de cargos, carreira e salários muito atraente, sem falar de outros planos de benefícios, plano de saúde etc. São milhares de vagas que serão preenchidas para atividades na sede da empresa e, principalmente, junto a dezenas de unidades hospitalares (hospitais universitários) administradas pela EBSERH. Nos diversos concursos, as bancas têm exigido dos candidatos conhecimentos específicos relativos à legislação aplicada à EBSERH, objeto de nosso estudo por meio deste trabalho. Veremos que se trata de tema extremamente tranquilo, que não lhe trará maiores dificuldades nas provas, desde que haja disciplina nos estudos e atenção às dicas que aqui serão apresentadas. 2. : O estudo da legislação aplicada à EBSERH exige a compreensão de três institutos normativos: a) a Lei /2011; b) o Estatuto Social (Decreto 7.661) e c) o Regimento Interno da Empresa. a) Lei /2011: Lei que autorizou a instituição da EBSERH. b) Decreto 7.661/ Aprovação do Estatuto Social da EBSERH, indicando a criação da Empresa. Prof. Vitor Souza 2

3 c) Portaria 34/ Regimento Interno da EBSERH que dispõe entre outros aspectos, das instâncias de governança, da estrutura organizacional, das competências dos órgãos de administração e fiscalização e do contrato de adesão. O surgimento dessa legislação, e da própria EBSERH, está contextualizada dentro do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF), implantado em 2010, por meio do Decreto nº A ideia era criar as condições materiais e institucionais necessárias para que os hospitais, integrados ao Sistema Único de Saúde (SUS), passassem a desempenhar plenamente suas funções, no desenvolvimento pleno do ensino, da pesquisa e extensão, bem como no aperfeiçoamento da assistência à saúde da população. É dentro desse contexto que começou a se desenvolver o embrião da EBSERH Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, que no ano seguinte nasce com o objetivo promover a reestruturação e revitalização dos hospitais universitários espalhados pelas cinco regiões do País. 3. NATUREZA JURÍDICA DA EBSERH E SUAS CARACTERÍSTICAS A EBSERH é uma empresa pública, entidade administrativa integrante da Administração Pública Indireta. A Lei /2011 se presta a cumprir a determinação constitucional exigida para a criação de empresas públicas, constante do inciso XIX do Art. 37 da CF/88, que consiste na necessidade de lei autorizadora. Lei /2011. Art. 1º Fica o Poder Executivo autorizado a criar empresa pública unipessoal, na forma definida no inciso II do art. 5º do Decreto-Lei nº 200, de 25 de fevereiro de 1967, e no art. 5º do Decreto-Lei nº 900, de 29 de setembro de 1969, denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH, com personalidade jurídica de direito privado e patrimônio próprio, vinculada ao Ministério da Educação, com prazo de duração indeterminado. Da leitura o 1º artigo e seguintes da Lei /2011, além da já mencionada autorização, apreende-se diversas características da EBSERH, que são inerentes às empresas públicas: Prof. Vitor Souza 3

4 a) Empresa Pública: entidade dotada de personalidade jurídica de direito privado, com patrimônio próprio e capital social exclusivamente público, integrante da Administração Pública Indireta, criada para prestação serviços públicos. b) Personalidade jurídica de direito privado: indicativa de que, no exercício de suas atividades, quase sempre irá se submeter A um regime próprio de empresas privadas. Estatuto Social. Art. 5º A EBSERH sujeitar-se-á ao regime jurídico próprio das empresas privadas, inclusive quanto aos direitos e obrigações civis, comerciais, trabalhistas e tributários. ATENÇÃO: POR SER ENTIDADE INTEGRANTE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, SERÁ ALCANÇADA POR ALGUMAS NORMAS DE DIREITO PÚBLICO. EXEMPLO, OBRIGAÇÃO DE CONCURSO PÚBLICO PARA COMPOSIÇÃO DO QUADRO PERMANENTE DE EMPREGADOS, BEM COMO A SUBMISSÃO ÀS NORMAS GERAIS DE LICITAÇÃO PÚBLICA. c) Patrimônio próprio: a EBSERH possui autonomia patrimonial, isto é, possui próprio. d) Capital Social: - Uma das principais características das empresas públicas, diz respeito ao seu capital social, que deve ser 100% público, ou seja, exclusivamente público, não se admitindo, pois, a participação de capital privado em sua constituição. - O capital social é um fundo em dinheiro ou qualquer espécie de bens e direitos suscetíveis de avaliação em dinheiro, que tem a função garantir os fins previstos para a empresa e garantir os seus credores. - Hoje, capital social da EBSERH é de R$ ,00 (cinco milhões de reais), integralmente sob propriedade da União. A legislação traz previsão de que esse capital social poderá ser aumentado, devendo ser integralizado nos mesmos moldes da integralização do valor inicial. Vejamos: Lei Prof. Vitor Souza 4

5 Art. 2º. A EBSERH terá seu capital social integralmente sob a propriedade da União. Parágrafo único. A integralização do capital social será realizada com recursos oriundos de dotações consignadas no orçamento da União, bem como pela incorporação de qualquer espécie de bens e direitos suscetíveis de avaliação em dinheiro. Estatuto Social. Art. 6º O capital social da EBSERH é de R$ ,00 (cinco milhões de reais), integralmente sob a propriedade da União. Parágrafo único. O capital social da EBSERH poderá ser aumentado e integralizado com recursos oriundos de dotações consignadas no orçamento da União, bem como pela incorporação de qualquer espécie de bens e direitos suscetíveis de avaliação em dinheiro. e) Vinculação: As entidades compreendidas na Administração Indireta vinculam-se ao Ministério cuja competência estiver enquadrada sua principal atividade. No caso específico da EBSERH, o vínculo se dá com MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. ATENÇÃO: NÃO É SUBORDINAÇÃO. TRATA-SE DE VÍNCULO PARA FINS DE CONTROLE FINALÍSTICO, TAMBÉM CHAMADO DE SUPERVISÃO MINISTERIAL. - Vale lembrar que, mesmo não estando vinculada ao Ministério da Saúde, a EBSERH deverá observar as orientações da Política Nacional de Saúde, de responsabilidade do Ministério da Saúde. f) Finalidade / Objetivos / Objeto social: Prestação de Serviços: no caso específico da EBSERH, a lei indica que a finalidade de sua criação é a prestação de serviços públicos. Lei /2011 Art. 3º A EBSERH terá por finalidade a prestação de serviços gratuitos de assistência médico-hospitalar, ambulatorial e de apoio diagnóstico e terapêutico à comunidade, assim como a prestação às instituições públicas federais de ensino ou instituições congêneres de serviços de apoio Prof. Vitor Souza 5

6 ao ensino, à pesquisa e à extensão, ao ensinoaprendizagem e à formação de pessoas no campo da saúde pública, observada, nos termos do art. 207 da Constituição Federal, a autonomia universitária. - Merecem destaque, principalmente porque vêm sendo objeto de questões nos diversos concursos, a referência expressa de respeito ao princípio constitucional da AUTONOMIA UNIVERSITÁRIA e a previsão de que a prestação de serviços de assistência à saúde pela EBSERH estarão inseridas integral e exclusivamente no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. CONSTITUIÇÃO FEDERAL/1988. Art As universidades gozam de autonomia didáticocientífica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. Lei /2011 Art. 3º. 1o As atividades de prestação de serviços de assistência à saúde de que trata o caput estarão inseridas integral e exclusivamente no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Outro ponto que merece destaque é previsão legal de que a empresa tem o direito de ressarcimento das despesas com o atendimento de consumidores e respectivos dependentes de planos privados de assistência à saúde, observados os valores de referência estabelecidos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar. g) Unipessoal: criada apenas pela União. Somente a União participa da integralização do capital social da EBSERH. h) Sede e Foro: A EBSERH terá sede e foro em Brasília, Distrito Federal. i) Subsidiárias: são empresas cujo capital social (cotas ou ações) pertencem integralmente a outra. A lei /2011, autoriza a Prof. Vitor Souza 6

7 EBSERH a criar subsidiárias, para o desenvolvimento de atividades inerentes ao seu objeto social. - Poderá, ainda, manter escritórios, representações, dependências e filiais em outras unidades da Federação. j) Prazo de Duração: a EBSERH foi criada para durar tempo indeterminado. 4. CONTRATAÇÃO DA EBSERH Veremos agora as regras gerais que devem se observadas para a contração da EBSERH e suas conseqüências. a) Termo de Adesão e Contrato (Art. 44 do Regimento Interno): O vínculo jurídico que se formará entre as instituições federais de ensino ou instituições congêneres e a EBSERH será o Termo de Adesão e Contrato (contrato de adesão). b) Licitação Pública (Art. 5º da Lei): As instituições federais de ensino superior, integrantes da Administração Pública, são alcançadas pelo comando constitucional (Art. 37, Inciso XXI), que determina que os contratos da administração, de modo geral, inclusive os de serviços, serão precedidos de processo de licitação pública, ressalvados os casos especificados na legislação (contratação direta sem processo licitatório). O Estatuto das Licitações (Lei 8.666/03) trabalha com duas hipóteses de contratação direta: a inexigibilidade de licitação e as dispensas de licitação. A dispensa de licitação pode ser subdividida em duas espécies, a licitação dispensável, onde o administrador tem discricionariedade para decidir se licita ou contrata diretamente, nos termos do Art. 24 da Lei 8.666/93; e a LICITAÇÃO DISPENSADA, na qual é imposto ao administrador não licitar. ATENÇÃO: No caso específico da EBSERH, a Lei /2011 determina que a contratação da empresa para realizar atividades relacionadas em seu objeto social será processada diretamente, sem processo de licitação, pois está DISPENSADA. Prof. Vitor Souza 7

8 Lei /2011 Art. 5º É dispensada a licitação para a contratação da EBSERH pela administração pública para realizar atividades relacionadas ao seu objeto social. FIQUE ATENTO: a instituição de ensino está dispensada de licitar para contratar a EBSERH, mas a EBSERH se submete ao Estatuto da Licitação, sendo-lhe imposto observar a regra geral de licitação prévia (ressalvados os casos especificados em lei) para seus contratos com terceiros. c) Aspectos Contratuais Relevantes: Lei /2011 Art. 6º A EBSERH, respeitado o princípio da autonomia universitária, poderá prestar os serviços relacionados às suas competências mediante contrato com as instituições federais de ensino ou instituições congêneres. 1º O contrato de que trata o caput estabelecerá, entre outras: I - as obrigações dos signatários; II - as metas de desempenho, indicadores e prazos de execução a serem observados pelas partes; III - a respectiva sistemática de acompanhamento e avaliação, contendo critérios e parâmetros a serem aplicados; e IV - a previsão de que a avaliação de resultados obtidos, no cumprimento de metas de desempenho e observância de prazos pelas unidades da EBSERH, será usada para o aprimoramento de pessoal e melhorias estratégicas na atuação perante a população e as instituições federais de ensino ou instituições congêneres, visando ao melhor aproveitamento dos recursos destinados à EBSERH. 2º Ao contrato firmado será dada ampla divulgação por intermédio dos sítios da EBSERH e da entidade contratante na internet. Prof. Vitor Souza 8

9 FIQUE LIGADO: o contrato será firmado entre a EBSERH e as instituições federais de ensino ou instituições congêneres. d) Cessão de Bens e Direitos: fato administrativo lógico e necessário, pois estamos a tratar da assunção da gerência de serviços e instalações já existentes. Faz-se necessário que o imóvel onde está instalado o Hospital Universitário, bem como os bens permanentes nele contidos (bens públicos integrantes do acervo patrimonial da instituição federal de ensino superior ou instituição congênere), sejam cedidos à EBSERH mediante processo e instrumento de cessão de uso. A EBSERH (cessionária dos bens e direitos) passa a ser responsável pela manutenção e conservação dos bens permanentes cedidos, que serão devolvidos à instituição cedente ao término do contrato. e) Cumprimento de Metas: a assinatura do contrato, além das obrigações nele consignadas, impõe, de imediato, à EBSERH a observância de medidas para o cumprimento da meta de reativação de leitos e serviço inativos por falta de pessoal, dentro do prazo de 01 (um) ano. f) Da extinção do Contrato: a legislação da EBSERH nada disse sobre o temo, devendo-se, seguir, pois, as normas de contratos previstas na Lei 8.666/93. Os contratos já assinados com EBSERH trazem essa determinação. Pouco provável de ser objeto de prova, dada a falta de previsão expressa na legislação da EBSERH. g) Da Vigência do Contrato: a legislação da EBSERH também foi omissa em se definir prazo de duração do contrato assinado entre a EBSERH e a instituição de ensino. - Nos contratos assinados até agora, encontramos referência à vigência por prazo indeterminado, justificando-se tal excepcionalidade (já que em regra os contratos têm prazo determinado), pela natureza do serviço prestado e do objeto da CONTRATADA. - Assim como o tema que envolve a extinção, a vigência também é tema pouco provável de ser objeto de prova, dada a falta de previsão expressa na legislação EBSERH. Prof. Vitor Souza 9

10 5. DAS COMPETÊNCIAS DA EBSERH (Art. 4º da Lei) A definição do rol de competências da EBSERH está intimamente ligada à observância de seu objeto social. Portanto, conhecer as finalidades da empresa, descritas no Art. 3º da Lei, nos ajuda muito no processo de memorização das suas competências: Lei /2011 Art. 4º Compete à EBSERH: I - administrar unidades hospitalares, bem como prestar serviços de assistência médico-hospitalar, ambulatorial e de apoio diagnóstico e terapêutico à comunidade, no âmbito do SUS; II - prestar às instituições federais de ensino superior e a outras instituições congêneres serviços de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão, ao ensino-aprendizagem e à formação de pessoas no campo da saúde pública, mediante as condições que forem fixadas em seu estatuto social; III - apoiar a execução de planos de ensino e pesquisa de instituições federais de ensino superior e de outras instituições congêneres, cuja vinculação com o campo da saúde pública ou com outros aspectos da sua atividade torne necessária essa cooperação, em especial na implementação das residências médica, multiprofissional e em área profissional da saúde, nas especialidades e regiões estratégicas para o SUS; FIQUE LIGADO: A MISSÃO DA EBSERH É PRESTAR SERVIÇOS GRATUITOS À COMUNIDADE E ÀS INSTITUIÇÕES DE ENSINO, APOIANDO AS MESMAS, E NÃO SUBSTITUI-LAS. IV - prestar serviços de apoio à geração do conhecimento em pesquisas básicas, clínicas e aplicadas nos hospitais universitários federais e a outras instituições congêneres; V - prestar serviços de apoio ao processo de gestão dos hospitais universitários e federais e a outras instituições congêneres, com implementação de sistema de gestão único com geração de indicadores quantitativos e qualitativos para o estabelecimento de metas; e Prof. Vitor Souza 10

11 VI - exercer outras atividades inerentes às suas finalidades, nos termos do seu estatuto social. 6. RECURSOS FINANCEIROS DA EBSERH Art. 8º da Lei Assim como todas as entidades da Administração Pública, além de autonomia administrativa e patrimonial, a EBSERH possui autonomia financeira (ainda que relativa). 6.1 FONTES DE RECURSOS DA EBSERH: O Art. 8º da Lei nos indica quais são as fontes de recursos financeiros da empresa: Lei /2011 Art. 8º Constituem recursos da EBSERH: I - recursos oriundos de dotações consignadas no orçamento da União; Por ocasião da elaboração de suas leis orçamentárias, a União dever destacar parte de seu orçamento que será consignado em favor da empresa, para o cumprimento de suas finalidades. II - as receitas decorrentes: a) da prestação de serviços compreendidos em seu objeto; Como assim, se já fora visto anteriormente, que a prestação de serviços à comunidade será gratuita e estará inserida integral e exclusivamente inserida no âmbito do SUS? R: Fato é que para o cidadão, o serviço será gratuito. No entanto, a gratuidade não significa dizer que o serviço não tenha custos e ônus para alguém. Por isso tal previsão legal, pois em decorrência da prestação de serviços objeto do contrato firmado, a instituição de ensino ou instituição congênere, deverá repassar à EBSERH todos os recursos Prof. Vitor Souza 11

12 necessários ao seu financiamento e/ou pagamento, por alocação direta no orçamento da contratada (recursos do Ministério da Educação) ou por emissão de nota de empenho e ordem bancária de pagamento (recursos provenientes do Ministério da Saúde ou de outras fontes de recursos públicos). b) da alienação de bens e direitos; Decorre do fato de que a EBSERH tem seu patrimônio próprio. A alienação somente poderá ser efetivada se respeitadas as regras regimentais e legais de alienação de bens. c) das aplicações financeiras que realizar; d) dos direitos patrimoniais, tais como aluguéis, foros, dividendos e bonificações; e e) dos acordos e convênios que realizar com entidades nacionais e internacionais; III - doações, legados, subvenções e outros recursos que lhe forem destinados por pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado; e IV - rendas provenientes de outras fontes. 6.2 DO LUCRO LÍQUIDO DA EBSERH: Apesar de ter sido criada para prestação de serviços, nada impede que ao final de cada exercício financeiro a EBSERH contabilize lucros decorrentes de suas atividades. No entanto, diferentemente das entidades cuja existência é determinada pela exploração de atividades econômicas e que o lucro é compartilhado entre os sócios, o lucro líquido da EBSERH será reinvestido em suas atividades fins. Lei /2011 Art. 8º. Parágrafo único. O lucro líquido da EBSERH será reinvestido para atendimento do objeto social da empresa, excetuadas as parcelas decorrentes da reserva legal e da reserva para contingência. Prof. Vitor Souza 12

13 CURIOSIDADE: O QUE É RESERVA LEGAL E RESERVA PARA CONTINGÊNCIA? R: A EBSERH é regida, também, pela Lei 6.404/ Lei das Sociedades Anônimas (opção feita pelo Executivo quanto à modalidade empresarial da EBSERH). - A referida Lei esclarece o que são esses institutos chamados de reserva legal e reserva para contingência: a) RESERVA LEGAL (Art. 193.): A reserva legal tem por fim assegurar a integridade do capital social e somente poderá ser utilizada para compensar prejuízos ou aumentar o capital. - Do lucro líquido do exercício, 5% (cinco por cento) serão aplicados, antes de qualquer outra destinação, na constituição da reserva legal, que não excederá de 20% (vinte por cento) do capital social. b) RESERVA DE CONTIGÊNCIA (Art. 195): destinação de parte do lucro líquido à formação de reserva com a finalidade de compensar, em exercício futuro, a diminuição do lucro decorrente de perda julgada provável, cujo valor possa ser estimado DO EXERCÍCIO SOCIAL, DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E DOS LUCROS Detalhando um pouco mais esses aspectos financeiros, o estatuto social determina que: ESATUTO SOCIAL Art. 26. O exercício social da EBSERH coincidirá com o ano civil. Art. 27. A EBSERH levantará demonstrações financeiras e procederá à apuração do resultado em 31 de dezembro de cada exercício. Art. 28. Do resultado do exercício, feita a dedução para atender a prejuízos acumulados e a provisão para imposto sobre a renda, o Conselho de Administração proporá ao Ministro de Estado da Fazenda a sua destinação, observando a parcela de cinco por cento para a constituição da reserva legal, até o limite de vinte por cento do capital social. Parágrafo único. Os prejuízos acumulados devem, preferencialmente, ser deduzidos do capital social. Prof. Vitor Souza 13

14 ATENÇÃO: O Conselho de Administração da EBSERH, quanto à destinação dos lucros da EBSERH, por intermédio do Ministro de Estado da Educação, deverá submeter ao Ministro de Estado da Fazenda a proposta de destinação de lucros ou resultados. 7. DO REGIME DE PESSOAL 7.1 PESSOAL PERMANENTE DA EBSERH: a) emprego público: o pessoal permanente da EBSERH ocupa emprego público, por isso são chamados de empregados ou celetistas. Assim como ocorre em todas as empresas públicas, em virtude de sua personalidade jurídica de direito privado, o regime de pessoal permanente da EBSERH será o da Consolidação das Leis do Trabalho CLT e legislação complementar. São agentes públicos (num sentido mais amplo), porém não podem ser confundidos com os servidores públicos estatutários (sentido mais restrito), que são aqueles que ocupam cargos públicos. Lei /2011 Art. 10. O regime de pessoal permanente da EBSERH será o da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e legislação complementar, condicionada a contratação à prévia aprovação em concurso público de provas ou de provas e títulos, observadas as normas específicas editadas pelo Conselho de Administração. Parágrafo único. Os editais de concursos públicos para o preenchimento de emprego no âmbito da EBSERH poderão estabelecer, como título, o cômputo do tempo de exercício em atividades correlatas às atribuições do respectivo emprego. Prof. Vitor Souza 14

15 b) concurso público: O acesso a esses empregos públicos segue a regra, constitucionalmente imposta, do concurso público de provas ou de provas e títulos. CONSTITUIÇÃO FEDERAL/1988 Art. 37. II - a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração; c) Regime de Previdência: por serem celetistas, os empregados contribuem para o Regime Geral de Previdência Social, a cargo do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Nesse regime, a adesão e contribuição dos empregados são obrigatórias. IMPORTANTE: a Lei autoriza a EBSERH a patrocinar entidade fechada de previdência privada, nos termos da legislação vigente (Art. 15 da Lei). 7.2 PESSOAL CEDIDO À EBSERH (Art. 7º da Lei): O Art. 7º da Lei traz expressa autorização para que se realize em favor da EBSERH a cedência de servidores titulares de cargo efetivo (estatutários) em exercício na instituição federal de ensino ou instituição congênere, que exerçam atividades de assistência à saúde e administrativas, relacionadas ao objeto da EBSERH. Essa cedência fica a critério da contratante. Dessa forma, os servidores que já estão em exercício nos hospitais universitários poderão permanecer em seus postos, exercendo as mesmas atividades, e continuam sujeitos ao regime previsto na Lei nº 8.112/1990. Lei /2011. Prof. Vitor Souza 15

16 Art. 7º No âmbito dos contratos previstos no art. 6o, os servidores titulares de cargo efetivo em exercício na instituição federal de ensino ou instituição congênere que exerçam atividades relacionadas ao objeto da EBSERH poderão ser a ela cedidos para a realização de atividades de assistência à saúde e administrativas. 1o Ficam assegurados aos servidores referidos no caput os direitos e as vantagens a que façam jus no órgão ou entidade de origem. CUIDADO: A LEI /2011 FOI ALTERADA EM SETEMBRO DE FOI REVOGADO O 2º DO ART. 7º, QUE DIZIA QUE A CESSÃO OCORRIA COM ÔNUS PARA O CESSIONÁRIO (EBSERH). 7.3 DO PESSOAL TEMPORÁRIO: Vimos agora a pouco que a contratação de pessoal por parte da EBSERH deve seguir a regra do concurso público. No entanto, a Lei /2011 nos apresenta duas hipóteses de contração de pessoal temporário. Tais excepcionalidades estão previstas nos Arts. 11 e 12 da Lei. Vejamos: a) Para fins de Implantação da EBSERH (Art. 11 da Lei): Lei /2011 Art. 11. Fica a EBSERH, para fins de sua implantação, autorizada a contratar, mediante processo seletivo simplificado, pessoal técnico e administrativo por tempo determinado. 1º Os contratos temporários de emprego de que trata o caput somente poderão ser celebrados durante os 2 (dois) anos subsequentes à constituição da EBSERH e, quando destinados ao cumprimento de contrato celebrado nos termos do art. 6o, nos primeiros 180 (cento e oitenta) dias de vigência dele. 2º Os contratos temporários de emprego de que trata o caput poderão ser prorrogados uma única vez, desde que a soma dos 2 (dois) períodos não ultrapasse 5 (cinco) anos. Prof. Vitor Souza 16

17 A empresa poderá contratar pessoal por tempo determinado, pessoal técnico administrativo, por meio de processo seletivo simplificado (sem concurso público), tendo como justificativa a sua implantação. FIQUE ATENTO: 03 (TRÊS) LIMITAÇÕES INTERESSANTES FORAM IMPOSTAS PARA AS CONTRATAÇÕES DO ART ª) Esses contratos somente poderão ser celebrados durante os 2 (dois) anos subsequentes à constituição da EBSERH. 2ª) Quando destinados ao cumprimento de contrato celebrado entre a EBSERH e a instituição de ensino para gerência do hospital universitário, além da primeira limitação já vista (durante os dois anos subsequentes à constituição da empresa), somente poderão ser celebrados nos primeiros 180 (cento e oitenta) dias de vigência de tal contrato. 3ª) Podem ser prorrogados uma única vez, desde que a soma dos 2 (dois) períodos não ultrapasse 5 (cinco) anos. b) Para Atender à Necessidade Temporária / Transitória (Art. 12 da Lei): Lei /2011 Art. 12. A EBSERH poderá celebrar contratos temporários de emprego com base nas alíneas a e b do 2º do art. 443 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, mediante processo seletivo simplificado, observado o prazo máximo de duração estabelecido no seu art Tais contratações são permitidas para se atender a necessidades temporárias e transitórias, justificando-se, assim, a não criação do emprego e a realização de concurso para uma investidura por prazo indeterminado. A transitoriedade e a temporariedade das atividades são condições de validade do contrato assinado nos termo do Art. 12. A Lei /2011 nos remete às alíneas a) e b) do 2º do Art. 443 da CLT: Consolidação das Leis do Trabalho - CLT Prof. Vitor Souza 17

18 Art. 443 EBSERH 2º - O contrato por prazo determinado só será válido em se tratando: a) de serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação do prazo; b) de atividades empresariais de caráter transitório; Art O contrato de trabalho por prazo determinado não poderá ser estipulado por mais de 2 (dois) anos, observada a regra do art. 451 FIQUE ATENTO: LIMITAÇÕES IMPOSTAS PARA AS CONTRATAÇÕES DO ART. 12 1ª) Observância das características da TEMPORARIEDADE e TRANSITORIEDADE das atividades objeto da contratação; 2ª) o contrato não pode estipulado por mais de 2 (dois) anos. Na parte final do Regimento Interno, foi reservada seção especial dedicada ao pessoal da EBSERH. Entre as disposições ali estabelecidas, o Art. 49 faz expressa referência ao pessoal contratado temporariamente, indicando que os mesmos não fazem parte do QUADRO DE PESSOAL PRÓPRIO da EBSERH e, consequentemente, não poderão integrar o Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Empresa. Regimento Interno Art. 49. Os empregados temporários contratados na forma dos arts.11, 1º e 2º e 12 da Lei nº , de 15 de dezembro de 2011 não farão parte do quadro de pessoal próprio da EBSERH e de seus escritórios, representações, dependências, filiais e subsidiárias e, não poderão integrar o Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Empresa. Outro destaque dessa parte final do RI é a expressa proibição do chamado NEPOTISMO. Sendo assim, Regimento Interno Prof. Vitor Souza 18

19 Art. 50. No âmbito da EBSERH, são vedadas as nomeações, contratações ou designações de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta ou colateral, por consanguinidade ou afinidade, até 3º (terceiro) grau, dos membros dos conselhos, da diretoria executiva e ocupantes de cargos de livre provimento, salvo de servidor do quadro de pessoal da EBSERH na forma do art. 10 da Lei , de 15 de dezembro de CUIDADO COM O PRIMO: O PRIMO É PARENTE (COLATERAL), MAS É DE 4º (QUARTO) GRAU. POR ISSO, NÃO FIGURA O PRIMO COMO CAUSA DE NEPOTISMO. CONSIDERAÇÕES FINAIS. Bem amigos, assim encerramos nosso primeiro encontro. Espero que tenham gostado e tenhamos conseguido alcançar, nesta primeira aula, os nossos objetivos. Como já havia indicado, se houver disciplina e dedicação, essa matéria vai lhe garantir pontos certos no concurso da EBSERH. Esse foi apenas o primeiro encontro. Temos muito mais a apreender sobre a EBSERH seu lugar certo no serviço público federal. RESUMO DA MATÉRIA: Nesta primeira aula nós fomos apresentados à EBSERH. Vimos a sua origem, o que ela é, ou seja, sua natureza jurídica, bem como as suas principais características, tais como a integralização de seu capital social, as suas competências, sobre o regime de seu pessoal, sobre a sua contratação, as suas fontes de recursos etc. Prof. Vitor Souza 19

20 8. QUESTÕES DE CONCURSOS. 1. (IBFC EBSERH - Técnico em Informática) Considerando a Lei nº , de 15 de dezembro de 2011, que autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH, assinale a alternativa incorreta: a) Os servidores titulares de cargo efetivo em exercício na instituição federal de ensino ou instituição congênere que exerçam atividades relacionadas ao objeto da EBSERH não poderão ser a ela cedidos para a realização de atividades de assistência à saúde e atividades administrativas b) É assegurado à EBSERH o ressarcimento das despesas com o atendimento de consumidores e respectivos dependentes de planos privados de assistência à saúde, observados os valores de referência estabelecidos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar. c) A EBSERH é autorizada a criar subsidiárias para o desenvolvimento de atividades inerentes ao seu objeto social. d) A EBSERH terá seu capital social integralmente sob a propriedade da União. 2. (IBFC EBSERH - Técnico em Informática) Considerando a Lei nº , de 15 de dezembro de 2011, analise os itens abaixo acerca das competências da EBSERH e a seguir assinale a alternativa correta: I. Administrar unidades hospitalares, bem como prestar serviços de assistência médicohospitalar, ambulatorial e de apoio diagnóstico e terapêutico à comunidade, no âmbito do SUS. II. Prestar às instituições federais de ensino superior e a outras instituições congêneres serviços de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão, ao ensino-aprendizagem e à formação de pessoas no campo da saúde pública, mediante as condições que forem fixadas em seu estatuto social. III. Apoiar a execução de planos de ensino e pesquisa de instituições federais de ensino superior e de outras instituições congêneres, cuja vinculação com o campo da saúde pública ou com outros aspectos da sua atividade torne necessária essa cooperação, em especial na implementação das residências médicas, multiprofissional e em área profissional da saúde, nas especialidades e regiões estratégicas para o SUS. a) Apenas a III é correta b) Apenas I e III são corretas c) Apenas II é correta Prof. Vitor Souza 20

21 d) I, II e III são corretas. 3. (IBFC EBSERH - Técnico em Informática) Considerando o Decreto nº 7.661, de 28 de dezembro de 2011, que aprovou o Estatuto Social da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH, assinale a alternativa incorreta: a) O prazo de duração da EBSERH é indeterminado b) A EBSERH fica sujeita à supervisão do Ministro de Estado da Saúde c) As atividades de prestação de serviços de assistência à saúde da EBSERH estarão inseridas integral e exclusivamente no âmbito do Sistema Único de Saúde SUS d) Acordos e convênios que a EBSERH realizar com entidades nacionais e internacionais constituem também recursos da empresa. 4. (IBFC EBSERH) Considerando a Lei nº , de 15 de dezembro de 2011, que autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH, assinale a alternativa incorreta: a) A EBSERH não é autorizada a patrocinar entidade fechada de previdência privada. b) A integralização do capital social será realizada com recursos oriundos de dotações consignadas no orçamento da EBSERH União, bem como pela incorporação de qualquer espécie de bens e direitos suscetíveis de avaliação em dinheiro. c) No desenvolvimento de suas atividades de assistência à saúde, a EBSERH observará as orientações da Política Nacional de Saúde, de responsabilidade do Ministério da Saúde. d) A EBSERH terá sede e foro em Brasília, Distrito Federal, e poderá manter escritórios, representações, dependências e filiais em outras unidades da Federação. 5. (IADES/EBSERH- UFRN/2014/SUPERIOR) A respeito das atividades de prestação de serviços à saúde a serem promovidas pela EBSERH, é correto afirmar que a) estão inseridas integral e exclusivamente no âmbito do Sistema Único de Saúde. b) não envolvem serviços de apoio terapêutico à comunidade. c) devem ser observadas, prioritariamente, as orientações das políticas locais de saúde. d) devem estar parcialmente inseridas no contexto de serviços de saúde privados pagos. e) são desenvolvidas sem observância da autonomia universitária. 6. (IADES/EBSERH- UFRN/2014/SUPERIOR) A Prof. Vitor Souza 21

22 execução das atividades da EBSERH dar-se-á por meio da celebração de contrato específico para esse fim, pactuado de comum acordo entre o (a) a) Ministério da Educação e o Conselho Nacional de Instituições de Ensino Superior em Saúde. b) Ministério da Saúde e o governo estadual correspondente. c) Ministério da Saúde e os conselhos estaduais e municipais de saúde. d) EBSERH e cada uma das instituições de ensino ou instituições congêneres. e) Ministério da Saúde, a instituição de ensino e a EBSERH. EBSERH 7. (IADES/EBSERH-2014/NÍVEL MÉDIO) Além dos recursos oriundos de dotações consignadas do orçamento da União, é correto afirmar que constituem recursos da EBSERH as receitas decorrentes a) da comercialização de produtos farmacêuticos. b) do fornecimento de mão de obra especializada na área de saúde para governos municipal e estadual. c) do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) d) do Fundo de Gestão em Saúde e Educação, da Presidência da República. e) dos acordos e convênios que realizar com entidades nacionais e internacionais. GABARITO: 1. A 2. D 3. C 4. A 5. A 6. D 7. E Prof. Vitor Souza 22

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.749-C DE 2011

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.749-C DE 2011 REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.749-C DE 2011 Autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH; acrescenta dispositivos ao Decreto-Lei

Leia mais

O Prefeito Municipal de Cuiabá-MT: Faço saber que a Câmara Municipal de Cuiabá-MT aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

O Prefeito Municipal de Cuiabá-MT: Faço saber que a Câmara Municipal de Cuiabá-MT aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: ^ PREFEITURA DE PROJETO DE LEI N DE DE DE 2013. AUTORIZA O PODER EXECUTIVO A CRIAR A EMPRESA PÚBLICA DENOMINADA EMPRESA CUIABANA DE SAÚDE. O Prefeito Municipal de Cuiabá-MT: Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

Legislação Aplicada à EBSERH

Legislação Aplicada à EBSERH Legislação Aplicada à EBSERH AULA 1 Profa. Cardoso e Prof. Wellington Silva P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 2 LEGISLAÇÃO APLICADA À EBSERH APRESENTAÇÃO DO

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES (EBSERH)

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES (EBSERH) PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES (EBSERH) DEFINIÇÃO Pergunta: O que é a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares? Resposta: A Empresa Brasileira de Serviços

Leia mais

LEI Nº 11.646, DE 10 DE JULHO DE 2001.

LEI Nº 11.646, DE 10 DE JULHO DE 2001. LEI Nº 11.646, DE 10 DE JULHO DE 2001. Autoriza o Poder Executivo a criar a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - UERGS e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Faço

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

Legislação da EBSERH Aula I

Legislação da EBSERH Aula I Legislação da EBSERH Aula I Curso Reta Final HU-UFPB 1. (HU-UFMT/EBSERH/AOCP/2014) Assinale a alternativa INCORRETA. a) A EBSERH terá sede e foro em Brasília, Distrito Federal, e poderá manter escritórios,

Leia mais

Jeanne Liliane Marlene Michel Diretora de Gestão de Pessoas

Jeanne Liliane Marlene Michel Diretora de Gestão de Pessoas XXXII Encontro Nacional de Dirigentes de Pessoal e de Recursos Humanos das Instituições Federais de Ensino Fortaleza - 2012 Jeanne Liliane Marlene Michel Diretora de Gestão de Pessoas 1 CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE LEI N. 2.031, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2008 Institui o Serviço Social de Saúde do Acre, paraestatal de direito privado, na forma que especifica. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que

Leia mais

Anteprojeto de Lei: Autonomia das Universidades e Institutos Federais.

Anteprojeto de Lei: Autonomia das Universidades e Institutos Federais. X Encontro Nacional- PROIFES-Federação Anteprojeto de Lei: Autonomia das Universidades e Institutos Federais. Apresentação PROIFES-Federação A Constituição Brasileira de 1988 determinou, em seu artigo

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES

EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES Legislação EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES Ministério da Educação Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Disponível no endereço eletrônico: http://ebserh.mec.gov.br/ 3 4 Apresentação...

Leia mais

Plano de Benefícios EBSERH

Plano de Benefícios EBSERH Plano de Benefícios EBSERH BRASÍLIA, JANEIRO DE 2014 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES EBSERH Setor Comercial Sul - SCS, Quadra 09, Lote C Ed. Parque Cidade Corporate,

Leia mais

Autarquia. Administração Indireta. Figura sujeita a polemicas doutrinárias e de jurisprudência. Ausente na estrutura do Executivo Federal

Autarquia. Administração Indireta. Figura sujeita a polemicas doutrinárias e de jurisprudência. Ausente na estrutura do Executivo Federal Administração Direta Fundação Publica Direito Público Consórcio Público Direito Público Fundação Publica Direito Privado Empresa Pública Consórcio Público Direito Privado Sociedade Economia Mista Subsidiária

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 69ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de novembro de 2015, no uso das atribuições que

Leia mais

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre critérios a serem adotados na execução orçamentária e financeira do Poder Executivo do Município de Goiânia para o exercício

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: Altera a Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003, que dispõe sobre a organização da Presidência da República e dos Ministérios; autoriza a prorrogação de contratos temporários firmados com fundamento no art.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.881, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013. Mensagem de veto Dispõe sobre a definição, qualificação, prerrogativas e finalidades das

Leia mais

Consórcio Público. Administração Indireta

Consórcio Público. Administração Indireta Ordem Social Ordem Econômica Administração Direta Autarquia Fundação Publica Fundação Publica Empresa Pública Sociedade Economia Mista Subsidiária Consórcio Público Administração Indireta 1 Consórcio público

Leia mais

Parágrafo único. Aplica-se aos titulares dos órgãos referidos no caput deste artigo o disposto no art. 2º, 2º, desta Lei Complementar.

Parágrafo único. Aplica-se aos titulares dos órgãos referidos no caput deste artigo o disposto no art. 2º, 2º, desta Lei Complementar. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 518, DE 26 DE JUNHO DE 2014. Dispõe sobre a organização e o funcionamento da Assessoria Jurídica Estadual, estrutura a Carreira e o Grupo Ocupacional dos titulares

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Regulamenta as normas para o relacionamento entre a Universidade Federal do Amapá e as Fundações de Apoio prevista na Lei n 8.958, de 20 de dezembro

Leia mais

Brasília, 27 de maio de 2013.

Brasília, 27 de maio de 2013. NOTA TÉCNICA N o 20 /2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Social TÍTULO: Fundo para Infância e Adolescência (FIA) REFERÊNCIAS: Lei Federal n o 4.320, de 17 de março de 1964 Constituição

Leia mais

RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009. Quadro Comparativo

RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009. Quadro Comparativo RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009 Quadro Comparativo O PRESIDENTE DO CONSELHO DE GESTÃO DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, no uso das atribuições que lhe conferem os artigos 5º, 18 e 74 da Lei

Leia mais

Prefeitura Municipal de Bauru Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal de Bauru Estado de São Paulo Prefeitura Municipal de Bauru Estado de São Paulo Lei nº 2166, de 25 de setembro de 1979 Autoriza a criação da EMPRESA MUNICIPAL DE TRANSPORTES URBANOS DE BAURU EMTURB. OSVALDO SBEGHEN, Prefeito Municipal

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.661, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2011. Aprova o Estatuto Social da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares -EBSERH, e dá

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. Dispõe sobre concessão de incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte.

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI)

RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI) RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI) Dispõe sobre as normas que regulamentam as relações

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA INSTITUTO GEIPREV DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do GEIPREV na 123ª reunião realizada em 27/11/2009. 1 SUMÁRIO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ)

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADES Art 1º. A Fundação Instituto Tecnológico de Joinville, doravante denominada FITEJ, entidade

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETO Nº.1478-R de 14 de Abril de 2005 Regulamenta a Lei Complementar nº290, de 23 de junho de 2004, publicada no Diário Oficial do Estado em 25 de junho de 2004, que dispõe sobre a criação da Fundação

Leia mais

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FNDCT, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Administração Direta. Empresas Estatais

Administração Direta. Empresas Estatais Ordem Social Ordem Econômica Administração Indireta Administração Direta Autarquia Fundação Publica Direito Público Consórcio Público Direito Público Fundação Publica Direito Privado Consórcio Público

Leia mais

LEI Nº 5026 DE 19 DE MAIO 2009. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 5026 DE 19 DE MAIO 2009. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 5026 DE 19 DE MAIO 2009 Dispõe sobre a qualificação de entidades como Organizações Sociais e dá outras providências. Autor: Poder Executivo O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 238-B, DE 2005 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 9, DE 2005 Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens ProJovem; cria o Conselho Nacional da Juventude CNJ e a Secretaria

Leia mais

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional Programa 2115 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Saúde 0110 - Contribuição à Previdência Privada Tipo: Operações Especiais Número de Ações 51 Pagamento da participação da patrocinadora

Leia mais

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador ROBERTO REQUIÃO I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador ROBERTO REQUIÃO I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2011 Da COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE, sobre o Projeto de Lei da Câmara nº 79, de 2011 (Projeto de Lei nº 1.749, de 2011, na Casa de origem), do Poder Executivo, que autoriza o

Leia mais

LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986

LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986 LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986 Cria o Fundo de Prevenção, Recuperação e de Combate às Drogas de Abuso, dispõe sobre os Bens Apreendidos e Adquiridos com Produtos de Tráfico Ilícito de Drogas ou

Leia mais

DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013

DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013 DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013 Aprova o Estatuto da Fundação Cidade das Artes. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o que dispõe o Decreto

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 326, DE 4 DE OUTUBRO DE 2000 (AUTORIA DO PROJETO: PODER EXECUTIVO)

LEI COMPLEMENTAR Nº 326, DE 4 DE OUTUBRO DE 2000 (AUTORIA DO PROJETO: PODER EXECUTIVO) LEI COMPLEMENTAR Nº 326, DE 4 DE OUTUBRO DE 2000 (AUTORIA DO PROJETO: PODER EXECUTIVO) Publicação: DODF nº 192 de 5/10/2000 PÁG.01 e 02. Regulamentada pelo Decreto nº 21.933, de 31/01/2001 DODF nº 23,

Leia mais

INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO

INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO 1 INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO CAPITULO I - DA DENOMINAÇÃO, DOS FINS, DA SEDE E DO PRAZO Art. 2º Para a consecução dos seus

Leia mais

L E I LEI Nº. 691/2007 DE 27 DE JUNHO DE 2.007

L E I LEI Nº. 691/2007 DE 27 DE JUNHO DE 2.007 LEI Nº. 691/2007 DE 27 DE JUNHO DE 2.007 SUMULA: DISPOE SOBRE PROCESSO SELETIVO PUBLICO E A CRIAÇÃO DE EMPREGO OU CARGO PUBLICO NO ÂMBITO DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA MUNICIPAL O Senhor LUIZ CARLOS ZATTA,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.653, DE 7 ABRIL DE 2008. Mensagem de veto Dispõe sobre o Plano Plurianual para o período 2008/2011. seguinte Lei: O PRESIDENTE

Leia mais

Estatuto da Caixa Econômica Federal Decreto n 0. 6.473, de 05/06/2008

Estatuto da Caixa Econômica Federal Decreto n 0. 6.473, de 05/06/2008 Estatuto da Caixa Econômica Federal Decreto n 0. 6.473, de 05/06/2008 IF sob a forma de empresa pública, criada nos termos do Decreto-Lei n o 759, de 12 de agosto de 1969, vinculada ao Ministério da Fazenda.

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 156 DE 14 DE JANEIRO DE 2010.

LEI COMPLEMENTAR Nº 156 DE 14 DE JANEIRO DE 2010. LEI COMPLEMENTAR Nº 156 DE 14 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre a transformação da Universidade Virtual do Estado de Roraima UNIVIRR, para a categoria de Fundação Pública e dá outras providências. O GOVERNADOR

Leia mais

LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE

LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006 Dispõe sobre incentivos e benefícios para fomentar as atividades de caráter desportivo e dá outras providências. * V. Dec. 6.180/2007 (Regulamenta a Lei 11.438/2006).

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 108, DE 29 DE MAIO DE 2001

LEI COMPLEMENTAR Nº 108, DE 29 DE MAIO DE 2001 LEI COMPLEMENTAR Nº 108, DE 29 DE MAIO DE 2001 Dispõe sobre a relação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, suas autarquias, fundações, sociedades de economia mista e outras entidades

Leia mais

DECISÃO Nº 049/2014 D E C I D E

DECISÃO Nº 049/2014 D E C I D E CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 049/2014 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 10/01/2014, tendo em vista o constante no processo nº 23078.019657/13-31, de acordo com o Parecer nº 497/2013 da

Leia mais

Resolução nº 02-07 CONSUNI

Resolução nº 02-07 CONSUNI Resolução nº 02-07 CONSUNI O Conselho Universitário da Universidade de Caxias do Sul UCS, no uso das suas atribuições estatutárias e regimentais, e considerando a Portaria n. º 170, de 15 de maio de 1998,

Leia mais

RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012

RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 33ª Reunião Ordinária, realizada no dia vinte e sete de setembro de 2012, no uso das atribuições

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N o 6.099, DE 12 DE SETEMBRO DE 1974. Dispõe sobre o tratamento tributário das operações de arrendamento mercantil e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

CLÁUSULA SEGUNDA DO PROGRAMA DE TRABALHO

CLÁUSULA SEGUNDA DO PROGRAMA DE TRABALHO QUARTO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 14/ANA/2004 CELEBRADO ENTRE A AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS E A ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL, COM A ANUÊNCIA DO COMITÊ PARA

Leia mais

PROJETO DE LEI N. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI N. O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI N Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego PRONATEC, altera as Leis n. 7.998, de 11 de janeiro de 1990, n. 8.121, de 24 de julho de 1991 e n. 10.260, de 12 de julho

Leia mais

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013 Cria a Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S/A RIOSAÚDE e aprova seu Estatuto. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais;

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2451 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estágio de estudantes junto ao poder público Municipal, suas autarquias e fundações e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.863, DE 24 DE SETEMBRO DE 2013. Mensagem de veto Conversão da Medida Provisória nº 614, de 2013 Altera a Lei n o 12.772,

Leia mais

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.000, DE 25 DE AGOSTO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 4.000, DE 25 DE AGOSTO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 4.000, DE 25 DE AGOSTO DE 2011 Altera e consolida as normas que dispõem sobre a realização de operações de microcrédito destinadas à população de baixa renda e a microempreendedores. Altera

Leia mais

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 Regulamenta a aplicação das emendas parlamentares que adicionarem recursos à Rede SUS no exercício de 2014 para aplicação em obras de ampliação e construção de entidades

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA FACULDADE DE MATEMÁTICA, CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES, UFPA.

Leia mais

Lei do ICMS São Paulo Lei 12.268 de 2006

Lei do ICMS São Paulo Lei 12.268 de 2006 Governo do Estado Institui o Programa de Ação Cultural - PAC, e dá providências correlatas. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte

Leia mais

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES PROJETO DE LEI Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - PRONATEC; altera as Leis n os 7.998, de 11 de janeiro de 1990, que regula o Programa

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp Page 1 of 7 Instrução Normativa SRF nº 213, de 7 de outubro de 2002 DOU de 8.10.2002 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior pelas pessoas jurídicas domiciliadas

Leia mais

LEI Nº 4.081, DE 04 DE JANEIRO DE 2008 DODF DE 07.01.2008

LEI Nº 4.081, DE 04 DE JANEIRO DE 2008 DODF DE 07.01.2008 LEI Nº 4.081, DE 04 DE JANEIRO DE 2008 DODF DE 07.01.2008 Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais no âmbito do Distrito Federal e dá outras providências. O GOVERNADOR DO DISTRITO

Leia mais

CAPÍTULO I Definições

CAPÍTULO I Definições (D.O.U nº.173, de 10 de setembro de 2009, seção 1, páginas 51 e 52.) MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº 29, DE 31 DE AGOSTO DE 2009 Dispõe

Leia mais

MUNICÍPIO DE PANAMBI RS

MUNICÍPIO DE PANAMBI RS DECRETO MUNICIPAL Nº 064/2014, DE 02 DE JULHO DE 2014. REGULAMENTA A LEI MUNICIPAL 3.681/2013, INSTITUIDORA DO FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA PESSOA IDOSA E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. Miguel Schmitt Prym,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.638, DE 28 DEZEMBRO DE 2007. Mensagem de veto Altera e revoga dispositivos da Lei n o 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e

Leia mais

LEI Nº 3.848, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960

LEI Nº 3.848, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 LEI Nº 3.848, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 Cria a Universidade do Estado do Rio de Janeiro, e dá outras providências. O Presidente da República, Faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a

Leia mais

LEI ORGÂNICA DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS FEDERAIS

LEI ORGÂNICA DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS FEDERAIS LEI ORGÂNICA DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS FEDERAIS Proposta de um anteprojeto de lei Rio de Janeiro, agosto de 2002 1 Sumário Capítulo I Capítulo II Capítulo III Seção I Seção II Seção III Capítulo IV Seção

Leia mais

LEI N. 3.834-C - DE 14 DE DEZEMBRO DE 1960 Cria a Universidade Federal de Goiás, e dá outras providências

LEI N. 3.834-C - DE 14 DE DEZEMBRO DE 1960 Cria a Universidade Federal de Goiás, e dá outras providências LEI N. 3.834-C - DE 14 DE DEZEMBRO DE 1960 Cria a Universidade Federal de Goiás, e dá outras providências Art. 1º É criada a Universidade Federal de Goiás, com sede em Goiás, capital do Estado de Goiás,

Leia mais

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001/2009 DIREH, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001/2009 DIREH, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001/2009 DIREH, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 Dispõe sobre os procedimentos a serem adotados para o ressarcimento, mediante auxílio

Leia mais

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Ética e Legislação em Publicidade e Propaganda Profª. Cláudia Holder Nova Lei de Estágio (Lei nº 11.788/08) Lei

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.350, DE 5 DE OUTUBRO DE 2006. Regulamenta o 5 o do art. 198 da Constituição, dispõe sobre o aproveitamento de pessoal amparado

Leia mais

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000.

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. Institui o Plano de Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Municipais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS decreto e eu sanciono

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL DOC I CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO Art. 1º: SOCIALCRED S/A SOCIEDADE DE CRÉDITO AO MICROEMPREENDEDOR E À EMPRESA DE PEQUENO PORTE rege-se pelo presente estatuto social

Leia mais

LEI Nº- 12.349, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2010. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº- 12.349, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2010. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº- 12.349, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2010 O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Altera as Leis nos 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.958, de 20 de dezembro de 1994, e 10.973, de 2 de dezembro de 2004;

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.421, DE 05 DE ABRIL DE 2010. (publicada no DOE nº 062, de 05 de abril de 2010 2ª edição) Institui a Carreira

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. Texto compilado Dispõe sobre incentivos e benefícios para fomentar as atividades de caráter

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013 Regulamenta o processo de implementação e avaliação da flexibilização para ajuste de jornada de trabalho

Leia mais

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional;

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional; (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL DECRETO Nº 10.609,

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Presidência da República Casa Subchefia para Assuntos Jurídicos Civil DECRETO Nº 6.170, DE 25 DE JULHO DE 2007. Dispõe sobre as normas relativas às transferências de recursos da União mediante convênios

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013 Dispõe sobre a destinação dos recursos recuperados por meio de ações judiciais para o Fundo Nacional de Saúde e o Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO DOU de 05/10/2015 (nº 190, Seção 1, pág. 669) Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011.

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. Dispõe sobre as normas que regulamentam as relações entre a Universidade Federal de Santa Catarina e as suas fundações de apoio. O PRESIDENTE DO

Leia mais

DO MINISTÉRIO PÚBLICO art.170 a art175

DO MINISTÉRIO PÚBLICO art.170 a art175 CONSTITUIÇÃO FEDERAL 88 DO MINISTÉRIO PÚBLICO art.127 a art.130- A Art. 127. O Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem

Leia mais

LEI Nº. 1826 DE 4 DE MAIO DE 2011

LEI Nº. 1826 DE 4 DE MAIO DE 2011 LEI Nº. 1826 DE 4 DE MAIO DE 2011 "AUTORIZA ASSINATURA DE CONVÊNIO E CONCEDE CONTRIBUIÇÃO CORRENTE ESPECIAL À ASSOCIAÇÃO DESENVOLVIMENTO DAS BANDEIRINHAS & DETERMINA OUTRAS PROVIDÊNCIAS" A Câmara Municipal

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS Artigo 1º O Centro de Referência em Informação Ambiental com sede e foro na cidade de Campinas na Avenida Romeu Tortima 388, Cidade Universitária, é uma sociedade

Leia mais

CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS. FARID TENORIO Fev / 2008

CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS. FARID TENORIO Fev / 2008 CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS FARID TENORIO Fev / 2008 Aspectos Legais ETAPA 1 - Protocolo de Intenções O protocolo de intenções é o documento inicial do consórcio público e seu conteúdo mínimo deve obedecer

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DE 1988

CONSTITUIÇÃO DE 1988 CONSTITUIÇÃO DE 1988 Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade,

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA Procedência: 11ª Reunião da Câmara Técnica de Unidades de Conservação e 36ª Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos Data: 27 e 28 de agosto

Leia mais

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010.

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. Pág. 1 de 5 LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL FMHIS E INSTITUI O CONSELHO GESTOR DO FMHIS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL ACRE, EM EXERCÍCIO,

Leia mais

PONTO 1: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA PONTO 4: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA. 1. ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Administração Direta e Indireta

PONTO 1: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA PONTO 4: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA. 1. ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Administração Direta e Indireta 1 DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO PONTO 1: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA PONTO 4: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA 1. ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Administração Direta e Indireta O Estado, enquanto

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.019, DE 21 DE JANEIRO DE 1992 "Institui o Fundo de Industrialização do Acre FIAC, e dá outras providências." O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE FAÇO SABER que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual, DECRETO N.º 2299 R, DE 15 DE JULHO DE 2009. (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 16/07/2009) Regulamenta o estágio estudantil no âmbito do Poder Executivo Estadual e dá outras providências.

Leia mais

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Publicada D.O.E. Em 23.12.2003 LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Reestrutura o Plano de Carreira do Ministério Público do Estado da Bahia, instituído pela Lei nº 5.979, de 23 de setembro de 1990,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO PORTARIA Nº 4.247, DE 04 DE AGOSTO DE 2015. Dispõe sobre o Programa de Assistência Médica, Ambulatorial e Hospitalar no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

PROJETO DE LEI. o CONGRESSO NACIONAL decreta: no Rio de Janeiro, podendo instalar escritórios em outras unidades da federação.

PROJETO DE LEI. o CONGRESSO NACIONAL decreta: no Rio de Janeiro, podendo instalar escritórios em outras unidades da federação. PROJETO DE LEI Autoriza 0 Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural S.A. - PETRO-SAL, e dá outras providências. o CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput).

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput). MODELO DE ESTATUTO DE FUNDAÇÃO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. A Fundação... é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos 1, com autonomia administrativa

Leia mais

AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL

AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL REGULAMENTO DE COMPRAS A AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL ADES, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede na Av. Dom Luís, 685, sala 101 Bairro Meireles CEP 60.160-230

Leia mais