Tiago Martins Barbosa Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tiago Martins Barbosa tiagomarbar@gmail.com. Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 1"

Transcrição

1 Banco de Dados Tiago Martins Barbosa Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 1

2 Um pouco de história Inicialmente os dados eram guardados em fitas e o acesso era sequencial. Com o surgimento dos discos rígidos foi possível o acesso dinâmico e a recuperação de dados se tornou mais célere. Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 2

3 Tipos de Banco de Dados Operacional (OLTP) É dinâmico e recebe modificações constantemente, exibindo a informação de maneira instantânea. Analítico (OLAP) Utilizados para acompanhar e analisar dados históricos, além de auxiliar na tomada de decisões (os famosos Datawarehouse). Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 3

4 Sistema Gerenciador de Banco de Dados Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 4

5 Conceitos Banco de Dados (BD) É uma coleção de dados inter-relacionados representando informações. Um banco de dados é usualmente mantido e acessado por meio de um SGDB. Sistema Gerenciador de Banco de Dados SGBD não é nada mais do que um conjunto de programas que permitem armazenar, modificar e extrair informação de um banco de dados. Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 5

6 Restrições de integridade (SGBD) As restrições de integridade resguardam o BD contra danos acidentais, assegurando que mudanças não resultem na perda da consistência dos dados. Integridade de Domínio: Integridade de Vazio: Integridade de Chave: Integridade Referencial: Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 6

7 Transação É definida como uma ação atômica e deve seguir os 4 aspectos de integridade: ÁCIDu Atomicidade Consistência Isolamento Durabilidade Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 7

8 Níveis de abstração Mundo real Idéias, organismos, fatos Modelo conceitual Diagrama de entidade-relacionamento (DER) DER representa graficamente o MER Modelo lógico Visão do usuário do SGBD Modelo físico Modelo relacional Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 8

9 Entidade Relacionamento Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 9

10 Símbolos do DER (conceitual) Entidade Relacionamento Atributo Atributo identificador Entidade associativa Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 10

11 Modelo conceitual (DER) nrpaginas Livro escreve titulo ISBN Modelo lógico Livro (ISBN, titulo, nrpaginas) Autor_Livro (ISBN, cpf) Autor (cpf, nome, dtnascimento) cpf dtnascimento Autor nome Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 11

12 Modelo físico (modelo relacional) Livro ISBN int titulo varchar (50) nrpaginas int ISBN Autor_Livro cpf ISBN int (pk) int (pk) cpf Autor cpf int nome varchar (50) dtnascimento datetime Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 12

13 Grau de relacionamento Grau de relacionamento é o numero de tabelas que participam de um relacionamento. Relacionamento entre 2 tabelas relacionamento binário. Relacionamento entre 3 tabelas relacionamento ternário. Ex.: Um funcionário é alocado em vários projetos, mas tem apenas uma função por projeto. Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 13

14 Cardinalidade Os tipos de relações utilizadas são: Relação 1..1 (lê-se relação um para um) Relação 1..n (lê-se um para muitos) Relação n..n (lê-se muitos para muitos) Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 14

15 Notações de cardinalidade Temos também a cardinalidade máxima e mínima Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 15

16 Abordagem relacional Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 16

17 Termos mercado/acadêmicoacadêmico Tabela / Relação Coluna / Atributo Livro ISBN titulo nrpaginas O Auto da Compadecida Memórias Póstumas de Brás Cubas Constituição Federal de Linha / Tupla Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 17

18 Composição da tabela As tabelas são compostas de: Colunas; Linhas; Chaves: Primárias; RAUL SEIXAS Alternativas; Estrangeiras Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 18

19 Chave primária Autor_Livro ISBN cpf Livro ISBN titulo nrpaginas O Auto da Compadecida Memórias Póstumas de Brás Cubas Constituição Federal de Autor cpf nome dtnascimento Povo 22/04/ Ariano Suassuna 16/06/ Machado de Assis 21/06/1839 Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 19

20 Chave alternativa Autor idautor cpf nome dtnascimento Povo 22/04/ Ariano Suassuna 16/06/ Machado de Assis 21/06/1839 Livro idlivro ISBN titulo nrpaginas O Auto da Compadecida Memórias Póstumas de Brás Cubas Constituição Federal de Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 20

21 Chave estrangeira Livro ISBN titulo nrpaginas O Auto da Compadecida Memórias Póstumas de Brás Cubas Constituição Federal de Os momentos nos quais devem ser feitas validações nas chaves estrangeiras: 1. Inclusão de Linha com Chave Estrangeira 2. Alteração da Chave Estrangeira 3. Exclusão da Linha que é Referenciada Autor_Livro ISBN idautor Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 21

22 Tipos de dependências Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 22

23 Tipos de dependência Dependência Funcional Uma coluna é identificada por outra coluna. Dependência Parcial Uma coluna depende apenas de uma parte de uma chave primária composta. Dependência Transitiva Uma coluna depende de uma coluna NÃO chave e que esta depende da chave-primária. Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 23

24 Dependência Funcional Autor cpf nome dtnascimento Povo 22/04/ Ariano Suassuna 16/06/ Machado de Assis 21/06/1839 Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 24

25 Dependência Parcial Dependência Parcial Livro Dependência Parcial ISBN cpf autorprincipal nome titulo Ariano S. O Auto da Machado Mem. Póst Povo CF Políticos CF 88 Dependência Funcional Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 25

26 Dependência Transitiva Autor Dependência Funcional Dependência Transitiva cpf nome ISBN titulo Ariano Suassuna O Auto da Machado de Assis Mem. Póst Povo CF 88 Dependência Transitiva Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 26

27 Normalização Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 27

28 Conceito A normalização de dados é uma técnica de decomposição utilizada no projeto de banco de dados com objetivo de prover um armazenamento consistente. Evitando redundância de dados e anomalias de atualização. Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 28

29 1ª Forma Normal Os campos de uma tabela não devem ser multivalorados. Autor cpf nome telefone dtnascimento Povo /04/ Ariano Suassuna Machado de Assis /06/ /06/1839 NÃO está na 1ª forma normal Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 29

30 1ª Forma Normal Autor cpf nome dtnascimento Povo 22/04/ Ariano Suassuna 16/06/ Machado de Assis 21/06/1839 ESTÁ na 1ª forma normal Telefone idtelefone cpf nrtelefone Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 30

31 2ª Forma Normal Deve estar na 1ª FN e nenhuma coluna deve depender parcialmente da chave-primária (Não deve existir Dependência Parcial ). Dependência Parcial ESTÁ na 1ª FN, NÃO está na 2ª FN Dependência Parcial Livro ISBN idautor autorprincipal nome titulo Ariano S. O Auto da Machado Mem. Póst Povo CF Políticos CF 88 Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 31

32 2ª Forma Normal ESTÁ na 2ª forma normal Autor_Livro ISBN idautor autorpri ncipal Livro ISBN titulo nrpaginas O Auto da Compadecida Memórias Póstumas de Brás Cubas Constituição Federal de Autor idautor cpf nome dtnascimento Povo 22/04/ Ariano Suassuna 16/06/ Machado de Assis 21/06/1839 Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 32

33 3ª Forma Normal Deve estar na 2ª FN e nenhuma coluna deve depender de uma coluna que não é uma chave-primária(não deve existir Dependência Transitiva ). ESTÁ na 2ª FN, NÃO está na 3ª FN Autor Dependência Funcional Dependência Transitiva idautor nome ISBN titulo 12 Ariano Suassuna O Auto da 17 Machado de Assis Mem. Póst. 3 Povo CF 88 Dependência Transitiva Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 33

34 3ª Forma Normal ESTÁ na 3ª forma normal Livro ISBN titulo nrpaginas O Auto da Compadecida Memórias Póstumas de Brás Cubas Constituição Federal de Autor idautor cpf nome dtnascimento Povo 22/04/ Ariano Suassuna 16/06/ Machado de Assis 21/06/1839 Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 34

35 SQL Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 35

36 Tipos de Instruções SQL 2.1 DML - Linguagem de Manipulação de Dados INSERT - é usada para inserir um registro a uma tabela existente. UPDATE - para mudar os valores de dados em uma ou mais linhas da tabela existente. DELETE - permite remover linhas existentes de uma tabela. SELECT retorna um conjunto de registros de uma ou mais tabelas 2.2 DDL - Linguagem de Definição de Dados CREATE - cria um objeto (uma Tabela, por exemplo) dentro da base de dados) ALTER altera um objeto do banco de dados. DROP - apaga um objeto do banco de dados. 2.3 DCL - Linguagem de Controle de Dados GRANT - autoriza ao usuário executar operações. REVOKE - remove a permissão de um usuário de executar operações. 2.4 DTL - Linguagem de Transação de Dados COMMIT - envia todos os dados para mudanças permanentemente. ROLLBACK - faz com que as mudanças nos dados existentes desde o último commit ou rollback sejam descartadas. Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 36

37 DDL No SQL contemos 6 tipos de restrições(constraint): PRIMARY KEY FOREING KEY NOT NULL UNIQUE CHECK DEFAULT Estas podem ser criadas tanto no create table ou no alter table A sintaxe é constraint nome_restricao tipo_restrição objeto_restringido Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 37

38 DDL create table create table UNIDADE ( COD_UNIDADE NUMBER(10) not null, DES_UNIDADE VARCHAR2(100) not null, NIVEL_HIERARQ NUMER(2) not null, TP_ATIVO CHAR(1) default 'S' not null constraint CKC_TP_ATIVO_UNIDADE check (TP_ATIVO in ('S','N')), constraint PK_UNIDADE primary key (COD_UNIDADE) ) create table CARGO ( COD_CARGO NUMBER(10) not null, DES_CARGO VARCHAR2(150) unique not null, COD_UNIDADE NUMBER(10) not null, VL_FAIXA_SALARIAL NUMBER(10,2), constraint PK_CARGO primary key (COD_CARGO), constraint FK_ CARGO _UNIDADE foreign key (COD_UNIDADE) references UNIDADE (COD_UNIDADE) ) create index INDEX_SALARIO on CARGO (VL_FAIXA_SALARIAL) Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 38

39 DDL alter table alter table CARGO add constraint FK_ CARGO _UNIDADE foreign key (COD_UNIDADE) references UNIDADE (COD_UNIDADE) alter table CARGO add constraint CKC_TP_ATIVO_UNIDADE check (TP_ATIVO in ('S','N')) alter table CARGO add constraint UNQ_DES_CARGO unique (DES_CARGO) alter table CARGO drop constraint FK_ CARGO _UNIDADE alter table CARGO add columnvl_faixa_salarial NUMBER(10,2) alter table CARGO drop columnvl_faixa_salarial alter table CARGO alter column TP_ATIVO set default 1 alter table CARGO alter column DES_UNIDADE VARCHAR2(200) NULL alter table CARGO modify DES_UNIDADE VARCHAR2(200) NULL Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 39

40 DML INSERT INTO table_name (column1, column2, column3,...) VALUES (value1, value2, value3,...) UPDATE table_name SET column1=value, column2=value2, WHERE some_column=some_value As linhas NÃO são inseridas de maneira ordenadas. DELETE FROM table_name WHERE some_column=some_value SELECT column_name(s) FROM table_name WHERE some_column=some_value A cláusula SELECT é denominada de PROJEÇÃO e a cláusula WHERE denominada de SELEÇÃO Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 40

41 DML Select Select COD_UNIDADE, DES_UNIDADE, NIVEL_HIERARQ, TP_ATIVO From UNIDADE where TP_ATIVO in ( S, N ) Select COD_UNIDADE, DES_UNIDADE, NIVEL_HIERARQ, TP_ATIVO From UNIDADE where NIVEL_HIERARQ > SOME (2, 5, 1) Select COD_UNIDADE, DES_UNIDADE, NIVEL_HIERARQ, TP_ATIVO From UNIDADE where DES_UNIDADE like %Gabinete% Select COD_CARGO, DES_CARGO, COD_UNIDADE, VL_FAIXA_SALARIAL From UNIDADE wherevl_faixa_salarial between 8000 and Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 41

42 DML Select e Joins Marcas marca VW GM Ford nome Volkswagem General Motors Ford Carros modelo ano cor marca Fox 2010amarelo VW Ecosport 2007vermelho Ford Uno 2003branco Fiat Stilo 2009preto Fiat KA 2005prata Ford Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 42

43 DML Select e Joins select m.nome, c.modelo from marcas as m cross join carros as c nome Volkswagem Volkswagem Volkswagem Volkswagem Volkswagem General Motors General Motors General Motors General Motors General Motors modelo Fox Ecosport Uno Stilo KA Fox Ecosport Uno Stilo KA nome Ford Ford Ford Ford Ford modelo Fox Ecosport Uno Stilo KA Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 43

44 DML Select e Joins select m.nome, c.modelo from marcas as m inner join carros as c nome Volkswagem Ford Ford modelo Fox Ecosport KA Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 44

45 DML Select e Joins select m.nome, c.modelo from marcas as m left join carros as c nome Volkswagem Ford Ford General Motors modelo Fox Ecosport KA NULL Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 45

46 DML Select e Joins select m.nome, c.modelo from marcas as m right join carros as c nome Volkswagem Ford NULL NULL Ford modelo Fox Ecosport Uno Stilo KA Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 46

47 DML Select e Joins select m.nome, c.modelo from marcas as m full outter join carros as c nome modelo Volkswagem Fox Ford Ecosport NULL Uno NULL Stilo Ford KA General Motors NULL Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 47

48 DML Group by SELECT column_name, aggregate_function(column_name) FROM table_name WHERE column_name operator value GROUP BY column_name select m.nome, count(c.modelo) from marcas as m inner join carros as c GROUP BY m.nome Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 48

49 DTL COMMIT e ROLLBACK BEGIN TRANSACTION iniciando uma transação.. INSERT INTO Autor (cpf, nome) VALUES ( , Fernanda Barroso ) IF 0 se for sucesso é igual a 0 ELSE BEGIN ROLLBACK TRANSACTION END BEGIN END COMMIT TRANSACTION Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 49

50 DCL GRANT e REVOKE GRANT privilege_name ON object_name TO {user_name PUBLIC role_name} GRANT select ON AutorTO tiago GRANT delete ON LivroTO tiago REVOKE privilege_name ON object_name FROM {user_name PUBLIC role_name} REVOKE update ON Autor FROM tiago REVOKE insert ON AutorLivro FROM tiago Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 50

51 View CREATE OR REPLACE VIEW view_name AS SELECT column_name(s) FROM table_name WHERE condition Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 51

52 Trigger CREATE [OR REPLACE ] TRIGGER trigger_name {BEFORE AFTER INSTEAD OF } {INSERT [OR] UPDATE [OR] DELETE} {OF column_name} ON table_name [FOR EACH ROW] BEGIN --- sql statements END; Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 52

53 BI e OLAP Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 53

54 Business Intelligence Refere-se ao processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte a gestão de negócios; Esta análise pode ser feita de diversas maneiras, desde de relatórios até cubos multidimensionais Os dados utilizados geralmente estão armazenados em grandes BD; Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 54

55 OLTP x OLAP Diferenças entre os ambientes Características Operacional Estratégico Objetivo Operação diárias do negócio Análise do negócio Visão dos dados Relacional Dimensional Operação com dados Incl., Alt, Excl e Cons. Carga e Consulta Atualização Contínua (tempo real) Temporal (lote) N o de usuários Milhares Dezenas Granularidade dados Detalhados Detalhados e Resumos Redundância dados Ocorrência minimizada Ocorrência maximizada Volume dos dados Megabytes-Gigabytes Gigabytes-Terabytes Histórico dos dados Até a última atualização 5 a 10 anos Acesso a registro Dezenas Milhares Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 55

56 Modelagem de Dados Modelo ER Usado para identificar relacionamentos entre tipos de entidades; Visa remover a redundância de dados; Processamento de Transações On-Line (OLTP); Modelo Dimensional Apresenta dados em uma estrutura intuitiva permitindo alta performance de acesso; Organiza dados em tabelas de fatos e dimensões; Processamento Analítico On-Line (OLAP); Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 56

57 Datawarehouse Orientada ao assunto: permite tomar decisões sobre o assunto (tema dos dados); Perfeitamente integrada: consolida dados de diferentes fontes heterogêneas (ETL); Não volátil: informações já presentes no banco são raramente modificadas; Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 57

58 Datawarehousing Definição Processo de construção do DW = base de dados multidimensional Benefícios Vantagem competitiva e aumento de produtividade na tomada de decisões Data Warehousing BD Op. BD Op. BD Op. BD Op. ETL Extract Transform Load ODS Operational Data Store DW Estrela ou F. Neve Metadados produzidos em todas as etapas OLAP Data Mining Relatórios Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 58

59 ETL e Granularidade Ferramentas de ETL Responsáveis pela conversão dos dados do ambiente operacional para o de suporte à decisão Realizam Extração, Transformação e Carga dos dados Granularidade Alta == Pouco detalhe Economia de espaço em disco; Redução na capacidade de atender consultas. Granularidade Baixa == Muito detalhe Grande quantidade de espaço em disco; Aumento na capacidade de responder qualquer questão. Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 59

60 Modelos Dimensionais Tabela de Fato A tabela de fato é única; Armazena o assunto que é objeto de decisão negocial; Tabela de Dimensão Campos usados para restringir e agrupar dados em consultas; Categoriza dados para suporte a decisão; Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 60

61 Modelos Dimensionais Esquema Estrela (Star Schema) Dim_Funcionario Chave_Funcionario Codigo_Funcionario. Tabela Dimensão Dim_Tempo Chave_Tempo Data. Tabela Fato Fato_Vendas Chave_Tempo Chave_Empregado Chave_Produto Chave_Cliente Chave_Entregador Dim_Produto Chave_Produto Codigo_Produto. Dim_Entregador Chave_Entregador Codigo_Entregador. Quantidade. Dim_Cliente Chave_Cliente Codigo_Cliente. Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 61

62 Modelos Dimensionais Esquema Flocos de Neve (Snowflake Schema) Fato_Vendas Chave_Tempo Chave_Funcionario Chave_Produto Chave_Cliente Chave_Entregador Quantidade Dimensões são normalizadas Ganho de espaço Custo de junções. Tabela-Dimensão Principal Dim_Produto Chave_Produto Nome Tamanho CodigoMarca MarcaProduto CodigoMarca CodigoCategoria Tabelas-Dimensão Secundárias Categoria CodigoCategoria Nome Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 62

63 Exemplo de Consultas Qual o total de vendas do produto AAAA? 1999 AAAA BBBB CCCC DDDD F01 F02 F03 Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 63

64 Exemplo de Consultas AAAA BBBB CCCC Qual o total de vendas do ano 1999? DDDD F01 F02 F03 Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 64

65 Exemplo de Consultas Qual o total de vendas do produto BBBB no ano de 1999 e na loja F2? AAAA BBBB CCCC DDDD F01 F02 F03 Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 65

66 Principais Operações OLAP Drill Down e Roll Up (ou Drill Up) Drill Down Loja Vendas F F F Drill Up Loja Tipo Vendas F01 Luxo 50 Popular 40 Padrão 90 Franquia 20 F02 Luxo 60 Popular 70 Padão 120 Franquia 10 F03 Luxo 100 Popular 80 Padrão 140 Franquia Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 66

67 Principais Operações OLAP Rotação Técnica que gira o cubo, permitindo ter diferentes visões dos dados x 2 x x 2 x 4 4 x 3 x 2 2 Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 67

68 Principais Operações OLAP Slice and Dice Técnica que fatia o cubo, permitindo restringir a análise aos dados Semelhante a cláusula WHERE de SQL x 2 x x 2 x x 2 x 3 Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 68

69 Arquitetura OLAP Categorias de Ferramentas OLAP Relacional OLAP (ROLAP) Multidimensional OLAP (MOLAP) Híbrido OLAP (HOLAP) Datamining É executar um exploração nos dados na busca de padrões. buscando padrões temporais, associações e etc. Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 69

70 Referências Navathe, Sistemas de Banco de Dados, ano 2005, 4ª edição Material do Marcio Victorino (http://www.dominandoti.com.br) Material de Mário Dantas, Universidade Federal de SC; Material de Valéria Times, Universidade Federal de PE; Tiago Barbosa - COBIT;ITIL; SCWCD;SCJP 70

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 Exercícios Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 1. A linguagem SQL apresenta uma série de comandos que permitem a definição dos dados, chamada de DDL (Data Definition Language). Assinale a alternativa

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Modelagem e Projeto de Banco de Dados Especialização em Tecnologia da Informação - Ênfases Março- 2009 1 Modelo Físico Introdução

Leia mais

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br BANCO DE DADOS info 3º ano Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br Na última aula estudamos Unidade 4 - Projeto Lógico Normalização; Dicionário de Dados. Arquitetura

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado Introdução à Engenharia da Computação Banco de Dados Professor Machado 1 Sistemas isolados Produção Vendas Compras Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Desvantagens:

Leia mais

Banco de Dados. Sistemas de DW. (Data Warehouse) Valéria Cesário Times. vct@cin.ufpe.br. CIn/UFPE - DW Valéria Times 1/188

Banco de Dados. Sistemas de DW. (Data Warehouse) Valéria Cesário Times. vct@cin.ufpe.br. CIn/UFPE - DW Valéria Times 1/188 Banco de Dados Sistemas de DW (Data Warehouse) Valéria Cesário Times vct@cin.ufpe.br 1/188 Introdução Tópicos Hierarquia da Informação Sistemas de Suporte à Decisão Evolução de Sistemas de DW Comparativo

Leia mais

SQL. Hélder Antero Amaral Nunes

SQL. Hélder Antero Amaral Nunes SQL Hélder Antero Amaral Nunes 2 Introdução Desenvolvida pelo departamento de pesquisa da IBM na década de 1970 (System R); Linguagem padrão de BD Relacionais; Apresenta várias padrões evolutivos: SQL86,

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER

EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER Gerenciando Tabelas: DDL - DATA DEFINITION LANGUAG Criando uma tabela: CREATE TABLE CLIENTES ID VARCHAR4 NOT NULL, NOME VARCHAR30 NOT NULL, PAGAMENTO DECIMAL4,2 NOT NULL;

Leia mais

Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados

Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cláudio Luís V. Oliveira Janeiro de 2010 Definição "Um sistema cujo objetivo principal é gerenciar o acesso, a correta manutenção e a integridade dos

Leia mais

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Engenharia de Computação Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto OLPT x OLAP Roteiro OLTP Datawarehouse OLAP Operações OLAP Exemplo com Mondrian e Jpivot

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Gerenciamento de um Sistema de

Gerenciamento de um Sistema de SBD Gerenciamento de um Sistema de Banco de Dados Prof. Michel Nobre Muza ua michel.muza@ifsc.edu.br Prof. Marcos Antonio Viana Nascimento Por que é importante: Motivação Participar na organização e no

Leia mais

Ana Carolina Salgado Fábio Ávila PROJETO DE DATA WAREHOUSE

Ana Carolina Salgado Fábio Ávila PROJETO DE DATA WAREHOUSE Ana Carolina Salgado Fábio Ávila PROJETO DE DATA WAREHOUSE Local Atlanta Denver Uvas Produto Detroit Cerejas Melões Vendas Sales Maçãs Peras Pêras T1 T2 T3 Tempo T4 2 Local Membro Atlanta Denver Uvas Produto

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br Data Warehousing Leonardo da Silva Leandro Agenda Conceito Elementos básicos de um DW Arquitetura do DW Top-Down Bottom-Up Distribuído Modelo de Dados Estrela Snowflake Aplicação Conceito Em português:

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

Modelo de Dados Relacional Restrições de um Banco de Dados Relacional

Modelo de Dados Relacional Restrições de um Banco de Dados Relacional Modelo de Dados Relacional e as Restrições de um Banco de Dados Relacional Modelo de Dados Relacional Conceitos do Modelo Relacional Representa o banco de dados como uma coleção de relações. Comparação

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

Programação SQL. Introdução

Programação SQL. Introdução Introdução Principais estruturas duma Base de Dados: Uma BD relacional é constituída por diversas estruturas (ou objectos ) de informação. Podemos destacar: Database: designa a própria BD; Table/Tabela:

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Banco de Dados I Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Plano de Aula SQL Definição Histórico SQL e sublinguagens Definição de dados (DDL) CREATE Restrições básicas em SQL ALTER DROP 08:20 Definição de

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

Banco de Dados - Senado

Banco de Dados - Senado Banco de Dados - Senado Exercícios OLAP - CESPE Material preparado: Prof. Marcio Vitorino OLAP Material preparado: Prof. Marcio Vitorino Soluções MOLAP promovem maior independência de fornecedores de SGBDs

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado DW OLAP BI Ilka Kawashita Material preparado :Prof. Marcio Vitorino Sumário OLAP Data Warehouse (DW/ETL) Modelagem Multidimensional Data Mining BI - Business

Leia mais

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 1 1- Bancos de dados compreendem desde agendas telefônicas até sistemas computadorizados. (Sim) 2- Só podemos instalar o SQL Server Express se tivermos

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

Formação em Banco de Dados. Subtítulo

Formação em Banco de Dados. Subtítulo Formação em Banco de Dados Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para carreiras

Leia mais

Integridade dos Dados

Integridade dos Dados 1 Integridade dos Dados Integridade dos Dados Melissa Lemos melissa@inf.puc-rio.br A integridade dos dados é feita através de restrições, que são condições obrigatórias impostas pelo modelo. Restrições

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Universidade Federal da Paraíba UFPB Centro de Energias Alternativas e Renováveis - CEAR Departamento de Eng. Elétrica DEE BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Isaac Maia Pessoa Introdução O que é um BD? Operações

Leia mais

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas:

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas: Álgebra Relacional Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída operação (REL 1 ) REL 2 operação (REL 1,REL 2 ) REL 3 Operações básicas: seleção projeção

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

Disciplina de Banco de Dados Parte V

Disciplina de Banco de Dados Parte V Disciplina de Banco de Dados Parte V Prof. Elisa Maria Pivetta CAFW - UFSM Modelo de Dado Relacional O Modelo Relacional O Modelo ER é independente do SGDB portanto, deve ser o primeiro modelo gerado após

Leia mais

Introdução ao SQL. Aécio Costa

Introdução ao SQL. Aécio Costa Aécio Costa A linguagem SQL é um padrão de linguagem de consulta comercial e possui as seguintes partes: Linguagem de definição de dados (DDL) Linguagem interativa de manipulação de dados (DML) Definição

Leia mais

Linguagem SQL (Parte II)

Linguagem SQL (Parte II) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte II Introdução

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

Sistemas de Banco de Dados

Sistemas de Banco de Dados Sistemas de Banco de Dados Everson Santos Araujo everson@por.com.br Conceitos Dado - Um fato que pode ser armazenado Banco de dados (BD) - Coleção de dados interrelacionados Sistema Gerenciador de Banco

Leia mais

Unidade III - BD Relacional

Unidade III - BD Relacional Structured Query Language (SQL) Conceitos Iniciais Álgebra Relacional - muito formal Cálculo Relacional de Tupla SEQUEL (Structured English QUEry Language) IBM - Sistema R SQL-86 SQL-92 SQL-3 102 Structured

Leia mais

Disciplina: Unidade V: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade V: Prof.: E-mail: Período: Encontro 17 Disciplina: Sistemas de Banco de Dados Unidade V: Introdução à Linguagem SQL Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 5º. SIG - ADM 13. Introdução à Linguagem SQL Introdução

Leia mais

Ana Carolina Salgado Fernando Fonseca Fábio Ávila PROJETO DE DATA WAREHOUSE

Ana Carolina Salgado Fernando Fonseca Fábio Ávila PROJETO DE DATA WAREHOUSE Ana Carolina Salgado Fernando Fonseca Fábio Ávila PROJETO DE DATA WAREHOUSE Local Atlanta Denver Uvas Produto Detroit Cerejas Melões Vendas Sales Maçãs Peras Pêras T1 T2 T3 Tempo T4 2 Local Membro Atlanta

Leia mais

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo Comandos DDL Estudo de Caso Controle Acadêmico Simplificado Uma escola contém vários cursos, onde cada aluno possui uma matricula num determinado curso. Estes cursos, por sua vez, possuem módulos, aos

Leia mais

SQL DDL Criando Tabelas e Restrições Instituto Militar de Engenharia IME Material extraido parcialmente de notas de aula de Maria Luiza Campos e Arnaldo Vieira Comandos de Definição de Dados Aplicação

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL (86); SQL-2 (92); SQL-3 (99) e SQL:2003 não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere...

Leia mais

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL Criar uma base de dados (criar um banco de dados) No mysql: create database locadora; No postgresql: createdb locadora Criar

Leia mais

Aula 02 Modelagem de Dados. Banco de Dados. Aula 02 Modelagem de Dados. Superior /2011 Redes Computadores - Disciplina: Banco de Dados -

Aula 02 Modelagem de Dados. Banco de Dados. Aula 02 Modelagem de Dados. Superior /2011 Redes Computadores - Disciplina: Banco de Dados - Banco de Dados Aula 02 Modelagem de Dados Roteiro Definição Evolução Projeto de BD Abstração Esquema e Instância Definição É uma representação, normalmente gráfica, de estruturas de dados reais. Auxilia

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 03 AT03 Diversos II Page 1 of 25 Indice EXEMPLOS COM GROUP BY E COM A CLÁUSULA HAVING - TOTALIZANDO DADOS... 3 GROUP BY... 3 Cláusula HAVING com GROUP BY... 5 ENTENDENDO

Leia mais

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015 SQL - Banco de Dados 1 Disciplina: Banco de Dados Professor: José Antônio 2 Tópicos de discussão Criando um banco de dados Incluindo, atualizando e excluindo linhas nas tabelas Pesquisa básica em tabelas

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL- (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

1. Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste caderno, você será eliminado do Concurso.

1. Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste caderno, você será eliminado do Concurso. 1. Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste caderno, você será eliminado do Concurso. 2. Este Caderno contém, respectivamente, duas questões discursivas,

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL-1 (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

0 1 5 5 _ B A S E D E D A D O S P A R A I N T E R N E T ( S E R V E R S I D E )

0 1 5 5 _ B A S E D E D A D O S P A R A I N T E R N E T ( S E R V E R S I D E ) 0 1 5 5 _ B A S E D E D A D O S P A R A I N T E R N E T ( S E R V E R S I D E ) EFA NÍVEL SECUNDÁRIO TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO MULTIMÉDIA (TICM) 04-05-2011 0155_Base de dados para Internet

Leia mais

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL BANCO DE DADOS 2 SQL (CREATE TABLE, CONSTRAINTS, DELETE, UPDATE e INSERT) Prof. Edson Thizon SQL SQL ( structured query language ) é uma linguagem comercial de definição e manipulação de banco de dados

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS Esclarecimento Licenciamento de Uso Este documento é propriedade intelectual 2012 da NRSYSTEM COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA-ME, consiste de uma compilação de diversos materiais entre livros,

Leia mais

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão SISTEMAS DE BANCO DE DADOS Prof. Adriano Pereira Maranhão 1 REVISÃO BANCO DE DADOS I O que é banco de dados? Ou seja afinal o que é um SGBD? REVISÃO BD I REVISÃO DE BD I Um Sistema de Gerenciamento de

Leia mais

MER e Conceitos gerais

MER e Conceitos gerais MER e Conceitos gerais IBGE 1)O Modelo de Entidades Relacionamentos, segundo Paulo Cougo, descreve o mundo como:... cheio de coisas que possuem características próprias e que se relacionam entre si. Essas

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Fundamentos de Banco de Dados Aula 01 Introdução aos Sistemas de Bancos de Dados Introdução aos Sistemas de BD Objetivo Apresentar

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1 1. Quando se constrói um banco de dados, define-se o modelo de entidade e relacionamento (MER), que é a representação abstrata das estruturas de dados do banco e seus relacionamentos. Cada entidade pode

Leia mais

BANCO DE DADOS Parte 4

BANCO DE DADOS Parte 4 BANCO DE DADOS Parte 4 A Linguagem SQL Introdução Desenvolvida pelo depto de pesquisa da IBM na década de 1970 (System R) Linguagem padrão de BD Relacionais; Apresenta várias padrões evolutivos: SQL86,

Leia mais

SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela

SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela Certamente você já ouviu falar muito sobre triggers. Mas o quê são triggers? Quando e como utilizá-las?

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) (Structured Query Language) I DDL (Definição de Esquemas Relacionais)... 2 I.2 Domínios... 2 I.3 Criação de Tabelas... 2 I.4 Triggers... 4 II DML Linguagem para manipulação de dados... 5 II.2 Comando SELECT...

Leia mais

Linguagem SQL. Comandos Básicos

Linguagem SQL. Comandos Básicos Linguagem SQL Comandos Básicos Caetano Traina Júnior Grupo de Bases de Dados e Imagens Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Universidade de São Paulo - São Carlos caetano@icmc.sc.usp.br Comando

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Aula Prática

Structured Query Language (SQL) Aula Prática Structured Query Language (SQL) Aula Prática Linguagens de SGBD Durante o desenvolvimento do sistema R, pesquisadores da IBM desenvolveram a linguagem SEQUEL, primeira linguagem de acesso para Sistemas

Leia mais

Data Warehouses. Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos

Data Warehouses. Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos Data Warehouses Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos Conceitos Básicos Data Warehouse(DW) Banco de Dados voltado para

Leia mais

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Introdução a SQL 2 Leitura Obrigatória ELMASRI,

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO.

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Curso Oracle 10g Prof. MSc. Luciano Blomberg lblomberg@uol.com.br 2011/1

Leia mais

S Q L 31/03/2010. SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada

S Q L 31/03/2010. SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada Gerenciamento de Dados e Informação Fernando Fonseca Ana Carolina Robson Fidalgo SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada Apesar do QUERY no nome, não é apenas de consulta,

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias 2 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Modelo de dados: Conjunto de conceitos

Leia mais

Modelo de Dados. Modelos Conceituais

Modelo de Dados. Modelos Conceituais Modelo de Dados Modelo para organização dos dados de um BD define um conjunto de conceitos para a representação de dados exemplos: entidade, tabela, atributo,... existem modelos para diferentes níveis

Leia mais

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL Banco de Dados Exercícios SQL 1 TRF (ESAF 2006) 32. Analise as seguintes afirmações relacionadas a Bancos de Dados e à linguagem SQL: I. A cláusula GROUP BY do comando SELECT é utilizada para dividir colunas

Leia mais

S Q L 15/01/2013. Enfoques de SQL. Enfoques de SQL SQL. Usos de SQL. SQL - Origem/Histórico. Gerenciamento de Dados e Informação

S Q L 15/01/2013. Enfoques de SQL. Enfoques de SQL SQL. Usos de SQL. SQL - Origem/Histórico. Gerenciamento de Dados e Informação Enfoques de SQL Gerenciamento de Dados e Informação Fernando Fonseca Ana Carolina Valeria Times Bernadette Loscio Linguagem interativa de consulta (ad-hoc): usuários podem definir consultas independente

Leia mais

18/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan

18/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Introdução a SQL 2 2 Introdução à SQL 2.1 Conceitos

Leia mais

FEAP - Faculdade de Estudos Avançados do Pará PROFª LENA VEIGA PROJETOS DE BANCO DE DADOS UNIDADE V- SQL

FEAP - Faculdade de Estudos Avançados do Pará PROFª LENA VEIGA PROJETOS DE BANCO DE DADOS UNIDADE V- SQL Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação. O Departamento de Pesquisas da IBM desenvolveu a SQL como forma de interface para

Leia mais

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL)

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva SQL (MySql) ROTEIRO I PARTE - INTRODUÇÃO AO SQL COMANDOS E SUAS PARTES DA LINGUAGEM SQL II PARTE ADMINSTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS UTILIZANDO MYSQL PRINCIPAIS INSTRUÇÕES

Leia mais

Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo

Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo Equipe: Felipe Cavalcante Fernando Kakimoto Marcos Corrêa Sumário 1. Mini-Mundo... 3 1.1 Entidades...

Leia mais

Linguagem SQL Parte I

Linguagem SQL Parte I FIB - Centro Universitário da Bahia Banco de Dados Linguagem SQL Parte I Francisco Rodrigues Santos chicowebmail@yahoo.com.br Slides gentilmente cedidos por André Vinicius R. P. Nascimento Conteúdo A Linguagem

Leia mais

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language)

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language) Básico da Linguagem SQL Definição de Esquemas em SQL SQL(Structured Query Language) Desenvolvida como a linguagem de consulta do protótipo de SGBD Sistema R (IBM, 1976). Adotada como linguagem padrão de

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: Introdução à linguagem de dados; DDL; DML; CRUD; Introdução à linguagem SQL. 2 Por que precisamos da linguagem SQL? A algebra

Leia mais

SQL Structured Query Language. SQL Linguagem de Definição de Dados. SQL Structured Query Language. SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language. SQL Linguagem de Definição de Dados. SQL Structured Query Language. SQL Structured Query Language Pós-graduação em Ciência da Computação CCM-202 Sistemas de Banco de Dados SQL Linguagem de Definição de Dados Profa. Maria Camila Nardini Barioni camila.barioni@ufabc.edu.br Bloco B - sala 937 2 quadrimestre

Leia mais

Data Warehousing. Histórico. Uma Hierarquia de Necessidades de Informação. Transacional vs. Data Warehousing. OLAP Décadas de 60 e 70

Data Warehousing. Histórico. Uma Hierarquia de Necessidades de Informação. Transacional vs. Data Warehousing. OLAP Décadas de 60 e 70 Warehousing Ana Carolina Salgado Fábio Ávila Carlos Eduardo Pires Sofisticação do Usuário Uma Hierarquia de Necessidades de Informação MD OLAP Consulta ad hoc Relatório Operacional Que outras coisas podiam

Leia mais

Introdução a SQL. Prof. Anderson Cavalcanti UFRN-CT-DCA

Introdução a SQL. Prof. Anderson Cavalcanti UFRN-CT-DCA Introdução a SQL Prof. Anderson Cavalcanti UFRN-CT-DCA Características da Structured Query Language -SQL Características da SQL SQL é uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional.

Leia mais

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Banco de Dados II Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre ROTEIRO PARA O 3º TRIMESTRE 1. O MySQL DDL SQL 1. Como funciona o MySQL 2. Como criar um banco de dados no MySQL 3. Como criar tabelas: comandos

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) Structured Query Language (SQL) SQL-Breve Histórico : # CREATE, ALTER e DROP; # BEGIN TRANSACTION, ROLLBACK e COMMIT; # GRANT, REVOKE e DENY; 1 Structured Query Language (SQL) Desenvolvida pelo departamento

Leia mais

Gestão de Tecnologia da Informação

Gestão de Tecnologia da Informação Gestão de Tecnologia da Informação Banco de Dados Prof. Gilberto B. Oliveira Tópicos Projeto de Banco de Dados (Button-Up) Modelagem conceitual Modelagem lógica Exemplo: Implementação do modelo Escola

Leia mais

SQL BÁSICO. Introdução. Prof. Suelane Garcia. Linguagem SQL (Structured Query Language)

SQL BÁSICO. Introdução. Prof. Suelane Garcia. Linguagem SQL (Structured Query Language) SQL BÁSICO Prof. Suelane Garcia Introdução 2 Linguagem SQL (Structured Query Language) Linguagem de Consulta Estruturada padrão para acesso a Banco de Dados. Usada em inúmeros Sistemas de Gerenciamento

Leia mais

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010 BANCO DE DADOS: SQL UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Departamento de Ciências da Computação. 27 de janeiro de 2010 índice 1 Introdução 2 3 Introdução SQL - Structured Query Language

Leia mais

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de BD Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de informação para nosso êxito no curso. A intenção de elaborar

Leia mais

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL Linguagem SQL Sub-linguagem DDL A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language para suas

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados II

Laboratório de Banco de Dados II Laboratório de Banco de Dados II Esquema de um banco de dados relacional Em aulas anteriores, vocês implantaram um projeto físico de banco de dados com todos os seus elementos, inclusive tratando do projeto

Leia mais

Capítulo 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS

Capítulo 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS Capítulo 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS 1.1 - BANCO DE DADOS - INTRODUÇÃO...2 1.1.1- Dados...2 1.1.2- Hardware...3 1.1.3- Software...3 1.1.4- Usuários...4 1.2 - SISTEMAS DE ARQUIVOS CONVENCIONAIS...5 1.3

Leia mais

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL Helena Galhardas Bibliografia Raghu Ramakrishnan, Database Management Systems, Cap. 3 e 5 1 1 Sumário Restrições de Integridade (RIs) em SQL Chave

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais