UDESC- Universidade do Estado de Santa Catarina CCT- Centro de Ciências Tecnológicas. Projeto RENEW Renewable Energy Group

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UDESC- Universidade do Estado de Santa Catarina CCT- Centro de Ciências Tecnológicas. Projeto RENEW Renewable Energy Group"

Transcrição

1 UDESC- Universidade do Estado de Santa Catarina CCT- Centro de Ciências Tecnológicas Projeto RENEW Renewable Energy Group Coordenador: Marcio Rodrigo Loos Criação: Ana Paula Meneguzzi Sara Schatzmann Ilustrações: Kamilla Akemy Sakai

2 Índice Quadrinhos 3 Capitão RENEW Atividades 12 Energias Renováveis Respostas das Atividades Página 13 1-Sustentabilidade 2-Termoelétrica 3-Renovável 4-Solar 5-Eólica 6-Energia 7-Hidrelétrica 8-Biomassa Página 14 Capitão RENEW Esta cartilha integra o projeto de extensão RENEW, da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Seu objetivo é levar ao alcance das crianças uma base de conhecimento sobre energias renováveis, conscientização para o não desperdício de água e reciclagem do lixo. Composta por histórias, atividades e jogos, espera-se despertar o interesse dos pequenos nos temas apresentados. Jogo 16 Caminho Certo Quadrinhos 19 Pequeno Pingo Atividades 24 A água Informativo 27 Lixo nosso de cada dia Atividades 29 Diário da Energia Página 15 1-Biomassa 2-Termoelétricas 3-Carvão 4-Energia Solar 5-Vento 6-Água 7-Renováveis Página 25 1-Desperdício 2-Condensação 3-Reutilizar 4-Água 5-Potável 6-Seca 7-Chuva 8-Reaproveitar Página 24 Página 26 A água é necessidade primária e não devemos desperdiçar.

3 Agora que você aprendeu sobre as energias renováveis, use sua criatividade e faça um desenho do que achou mais interessante. 30 3

4 Diário da Energia Marque com um X as atividades que tem feito em seu dia. Atividades Dias 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º Deixei a torneira fechada enquanto escovava os dentes Apaguei a luz quando sai do quarto Abri a geladeira somente quando necessário Em casa separei o lixo reciclável do não reciclável Coloquei o lixo na lixeira certa na escola Desliguei a TV quando terminei de ver meu desenho Não joguei lixo no chão De dia deixei a luz apagada quando era possível usar a luz do sol Agora que você já sabe sobre as energias renováveis e como elas funcionam, que tal ensinar a seus amigos. Faça estas perguntas a eles, e respondendo elas, ensine-os. - Vocês sabem o que é energia renovável? - Vocês sabem o que é energia não renovável? - Vocês sabem quais são as energias não renováveis e como funcionam? - Vocês sabem quais são as energias renováveis e como funcionam? 4 29

5 Quanto tempo demora para se decompor na natureza? Papel Caixa de papelão Chiclete Madeira pintada Bóia de isopor Copinho de plástico Garrafa plástica Latinha de cerveja Linha de pesca Vidro Pneu De 3 a 6 meses No mínimo 6 meses 5 anos 13 anos Por volta de 80 anos Quase 100 anos Mais de 100 anos Mais de 100 anos Além de 600 anos Cerca de 1 milhão de anos Ninguém sabe ao certo Curiosidades - São Paulo é a cidade brasileira que mais produz lixo. - Cada brasileiro produz em média 1,23 quilos de lixo por dia. - Os norte-americanos produzem 2,3 quilos de lixo por dia. - O alumínio pode ser reciclado com nível de aproveitamento de quase 100%. - A reciclagem de uma única latinha de alumínio economiza energia suficiente para manter um aparelho de TV ligado durante 3 horas. - Se 1 milhão de pessoas usarem o verso do papel para escrever e desenhar, a cada mês será preservada uma área de floresta equivalente a 18 campos de futebol. Dica lave as embalagens antes de separá-las para a reciclagem. 28 5

6 Lixo nosso de cada dia Todos os dias uma grande quantidade de lixo tem que ser recolhida e vai para os aterros sanitários. Mas você sabia que podemos dar um outro destino a ele? Produzimos lixo em nosso dia-a-dia: Orgânico: restos de alimento Inorgânico ou seco: embalagens Os restos de alimento, colocados na horta de nossa casa ou escola funcionam como um ótimo adubo. As embalagens podem ainda ser separadas em vidro, papel, plástico e metal. Em usinas de reciclagem são transformadas em produtos novinhos. Isso evita, por exemplo, que novas árvores sejam derrubadas para produzir mais papel. RECICLAR, significa transformar materiais usados em novos produtos para o consumo. Vamos colorir! Pinte as lixeiras com as cores indicadas. Azul Vermelha Verde Amarela Marrom 6 27

7 Complete a frase relacionando cada letra ao desenho 26 7

8 Encontre as palavras corretas! Preste atenção nas dicas! Horizontal 2. Processo que faz parte do ciclo da água 6. Falta de água 7. Precipitação, também conhecida como: 8. Utilizar mais do que uma vez Vertical 1. Utilizar água mais do que o necessário 3. Não desperdiçar 4. Fundamental para vida 5. Água própria para ingerir 7. Precipitação, também conhecida como: 8 25

9 Preencha os quadros de acordo com os processos do ciclo da água. E que tal dar cores a esta paisagem? v Condensação Precipitação Transpiração Evaporação 24 9

10 10 23

11 22 11

12 Agora é sua vez de mostrar o que aprendeu sobre energias renováveis e não renováveis! A energia eólica é obtida através Da queda d água Da força do vento Do sol A energia solar é considerada: Uma fonte de energia limitada Uma fonte de energia renovável Uma fonte de energia esgotável Qual a forma de energia que não polui o meio ambiente? Solar Combustão Elétrica A usina hidrelétrica produz energia através da força do(a): Fogo Ar Água 12 21

13 Encontre as palavras corretas! Preste atenção nas dicas! Horizontal 1. Manter o meio ambiente em equilíbrio 3. Energia Limpa 4. Energia proveniente do sol 5. Energia proveniente do vento 7. Local onde gera energia através da água 8. Energia obtida por matéria orgânica Vertical 2. Local que produz energia não renovável 6. Fundamental no dia a dia 20 13

14 Será que você consegue encontrar as palavras? Gerador Eólica Solar Usina Turbina Água Carvão Vento Biomassa Termoelétrica Energia Elétrica U Ó S N X F Ô T Â G Ó F A A À Ê A Ã Q G Ê E G E F G Ç C R Â S Â P N À R U N X B A H À P S Ê M Í Ô M G E Ô Z N B J U A F À X S O Q R I Ô I A S Y M I X Â E E Ô G À V S P Ê U O F K Ó Õ L T I V U U Ê U M I Õ A Z Ó É N A Ú J K Q O Ê B À Ó Õ D T M E À O Ô K T K U S O L A R B L P A Õ D N P Ò H U U U I Â É P E E Ê E P O V Ó À Q C C T Ã G Ô R V J Á Z Ç Ò É A Q R H R D C Â I G E R A D O R I Ò H Õ A M É Ò V J Ò R C X C É Ò Ò R O Õ U A Ó Õ R Ê W A E Ê Ê V Ç Z H M X Ô H X I D V Ú D Ã G L T U R B I N A É Ò U R O A C I R T É L E R D I H Ç D R À Í J Ê Ç M E Ú À H V J T Ç R O F Ó X Ó Ç T Ç U Ò I C L À A Ê G L Á V S Á G U A Ô Y N D X I V A V Ú O G Ò Z O Á N Í C R Z Í A L N L Ó A Ó M M A P G Õ P D H Ê Q Y H E 14 19

15 Ligue os pontos! Água Energia Sustentável Carvão Biomassa Renováveis Energia Solar Termoelétricas Vento Essas palavras se encaixam em qual frase? 1) A não gera poluição para o meio ambiente. 2) As usinas geram energia não sustentável. 3) As usinas termoelétricas usam o para gerar energia. 4) Os raios de sol batem nas placas solares gerando a. 5) O grande cata-vento gira com a força do que é transformado em energia eólica. 6) Nas usinas hidrelétricas a força da faz girar as turbinas, gerando energia elétrica. 7) As energias, solar, hidrelétrica, eólica e biomassa são

16

Fontes renováveis e não-renováveis de energia. Amanda Vieira dos Santos Giovanni Souza

Fontes renováveis e não-renováveis de energia. Amanda Vieira dos Santos Giovanni Souza Fontes renováveis e não-renováveis de energia Amanda Vieira dos Santos 8941710 Giovanni Souza - 9021003 Fontes renováveis e não-renováveis de energia Usos para a energia: Com o avanço tecnológico passamos

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES 2017 Meio ambiente e ciência: a energia na minha cidade MATERIAL DO ALUNO : 1º AO 3º ANO CADERNO DE ATIVIDADES Para aprender e colorir Você está pronto para começar? Nós estamos cheios de energia! Primeiramente,

Leia mais

cartilha_pmmc_recicla_mogi_infantil_7_8.indd 1

cartilha_pmmc_recicla_mogi_infantil_7_8.indd 1 1 cartilha_pmmc_recicla_mogi_infantil_7_8.indd 1 07/08/13 15:36 2 cartilha_pmmc_recicla_mogi_infantil_7_8.indd 2 07/08/13 15:37 como as crianças Podem ajudar a recuperar a saúde do PLaneta? AI... AI...

Leia mais

Líder: Ana Carolina Freire RA: Organizador: Vanessa Rocha RA:

Líder: Ana Carolina Freire RA: Organizador: Vanessa Rocha RA: Líder: Ana Carolina Freire RA: 010522010 Organizador: Vanessa Rocha RA:007762013 Programador:Carlos Eduardo RA:027409 Construtor: Felipe Avilez RA:121908 Produtor:Carlos Eduardo RA:027409 O nosso objetivo

Leia mais

O caminho dos resíduos

O caminho dos resíduos ALGAR Olá! Eu sou o Eco-Herói e vou mostrar-te O caminho dos resíduos Esta página é tua, pinta-me! 1.º Ciclo O caminho dos resíduos O lixo que produzimos e que colocamos no contentor normal segue num camião

Leia mais

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e!

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e! C a r o l i n a M a n h ã......................................................................... p r e s e n t e! L u g a r.......................................................................... p

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E E S T U D O D O S P R O B L E M A S D A E C O N O M I A B R A S I L

Leia mais

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL?

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUOS SÓLIDOS COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUO CLASSE I: São aqueles que apresentam periculosidade ou uma das seguintes características, inflamabilidade, corrosividade, reatividade,

Leia mais

Como participar? 1. Crie um brinquedo com embalagens cartonadas vazias e outros materiais recicláveis.

Como participar? 1. Crie um brinquedo com embalagens cartonadas vazias e outros materiais recicláveis. O concurso cultural Tirolzinho Transforma Reino Encantado está percorrendo o estado de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, levando brincadeiras e educação ambiental para os alunos das escolas municipais

Leia mais

P R O F E S S O R V I N I C I U S S I L V A CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S

P R O F E S S O R V I N I C I U S S I L V A CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S LINGUAGEM V I S U A L E S T E M O M E N T O P R I M O R D I A L, O N D E A I D E N T I F I C A Ç Ã O D O P R O D U T O E R A F E I T A P E L A F O R M A D E S E U

Leia mais

Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo) 1

Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo)   1 Coleta Seletiva Consciência limpa Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo) E-mail: cecgodoy@gmail.com 1 Proposta da palestra Apresentar para a Comunidade Móbile informações importantes sobre Responsabilidade

Leia mais

A C T A N. º I V /

A C T A N. º I V / 1 A C T A N. º I V / 2 0 0 9 - - - - - - A o s d e z a s s e t e d i a s d o m ê s d e F e v e r e i r o d o a n o d e d o i s m i l e n o v e, n e s t a V i l a d e M o n c h i q u e, n o e d i f í c

Leia mais

Profª. Klícia Regateiro. O lixo

Profª. Klícia Regateiro. O lixo Profª. Klícia Regateiro O lixo Tipos de lixo O Definem-se resíduos sólidos como o conjunto dos produtos não aproveitados das atividades humanas: O domésticas, comerciais, industriais, de serviços de saúde

Leia mais

ENERGIA. origem do grego érgon, que significa trabalho. Assim, en + érgon queria dizer, na Grécia Antiga, em trabalho, em atividade, em ação.

ENERGIA. origem do grego érgon, que significa trabalho. Assim, en + érgon queria dizer, na Grécia Antiga, em trabalho, em atividade, em ação. ENERGIA origem do grego érgon, que significa trabalho. Assim, en + érgon queria dizer, na Grécia Antiga, em trabalho, em atividade, em ação. A mais antiga forma de energia é a produzida pelos músculos

Leia mais

Assunto: Eletricidade Público Alvo: EJA Elaboradores: Edimilson, Jasiel e Jaelson. Professor: Luiz Cláudio.

Assunto: Eletricidade Público Alvo: EJA Elaboradores: Edimilson, Jasiel e Jaelson. Professor: Luiz Cláudio. Assunto: Eletricidade Público Alvo: EJA Elaboradores: Edimilson, Jasiel e Jaelson. Professor: Luiz Cláudio. Eletricidade ou Energia Mesmo antes do surgimento da vida em nosso planeta, a eletricidade já

Leia mais

Tipos de Usinas Elétricas

Tipos de Usinas Elétricas Tipos de Usinas Elétricas USINAS GERADORAS DE ELETRICIDADE Uma usina elétrica pode ser definida como um conjunto de obras e equipamentos cuja finalidade é a geração de energia elétrica, através de aproveitamento

Leia mais

CONSUMO CONSCIENTE Em prol da vida e do meio ambiente.

CONSUMO CONSCIENTE Em prol da vida e do meio ambiente. CONSUMO: Gera impactos positivos e negativos CONSUMO CONSCIENTE Em prol da vida e do meio ambiente. Desperdício Degradação ambiental Núcleo de Educação Ambiental Conforto Bem estar Qualidade de vida Produção

Leia mais

Separação de Resíduos

Separação de Resíduos Separação de Resíduos Tipos de Resíduos Orgânicos Rejeitos Papéis Recicláveis Plásticos Metais Isopor Plástico Existem 7 tipos de resinas plásticas: - PET: polietileno tereftalato: Frascos de refrigerantes

Leia mais

A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2

A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2 1 Í N D I C E A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2 A P R E S E N T A Ç Ã O : A L G U M AS N O T A S E P A L A V R A S 2

Leia mais

ENERGIA RENOVÁVEIS ÍVISSON REIS

ENERGIA RENOVÁVEIS ÍVISSON REIS UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADES DE CIÊNCIAS EXATAS DERPATAMENTO DE QUÍMICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PET ENERGIA RENOVÁVEIS ÍVISSON REIS PRINCIPAIS FONTES DE ENERGIA

Leia mais

EBI DA BOA ÁGUA EB1 N.º 2 DA QUINTA DO CONDE EB1/JI DO PINHAL DO GENERAL JI DO PINHAL DO GENERAL

EBI DA BOA ÁGUA EB1 N.º 2 DA QUINTA DO CONDE EB1/JI DO PINHAL DO GENERAL JI DO PINHAL DO GENERAL L I S T A D E C A N D I D A T U R A S A O C O N C U R S O D E A S S I S T E N T E O P E R A C I O N A L P U B L I C A D O N O D I Á R I O D A R E P Ú B L I C A N º 1 5 8 D E 1 4 / 8 / 2 0 1 5 A V I S O

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação Ciências 9 o ano Unidade 4 5 Unidade 4 Nome: Data: 1. Analise as sentenças a seguir. Marque V nas alternativas verdadeiras e F nas falsas. ( ) a principal fonte de energia para

Leia mais

P a l a v r a s - c h a v e s : l i n g u í s t i c a, l i n g u a g e m, s o c i a b i l i d a d e.

P a l a v r a s - c h a v e s : l i n g u í s t i c a, l i n g u a g e m, s o c i a b i l i d a d e. A V A R I E D A D E L I N G U Í S T I C A D E N T R O D A S O C I E D A D E C A M P O - G R A N D E N S E N O Â M B I T O D O M E R C A D Ã O M U N I C I P A L E F E I R A C E N T R A L D E C A M P O G

Leia mais

REVISÃO DE CIÊNCIAS 1 TRIMESTRE 6 ANOS. Professores: José Roberto e Raphaela.

REVISÃO DE CIÊNCIAS 1 TRIMESTRE 6 ANOS. Professores: José Roberto e Raphaela. REVISÃO DE CIÊNCIAS 1 TRIMESTRE 6 ANOS Professores: José Roberto e Raphaela. SUSTENTABILIDADE Nosso planeta está com muitos problemas ambientais. Essa situação provoca um reflexão sobre o princípios e

Leia mais

O PROBLEMA DO LIXO. Autores: Marco Aurélio Gattamorta Cintia Rocini Simone Soares Gregório Verônica Rodrigues Teixeira Viviane Schulz

O PROBLEMA DO LIXO. Autores: Marco Aurélio Gattamorta Cintia Rocini Simone Soares Gregório Verônica Rodrigues Teixeira Viviane Schulz Autores: Marco Aurélio Gattamorta Cintia Rocini Simone Soares Gregório Verônica Rodrigues Teixeira Viviane Schulz O PROBLEMA DO LIXO Contexto: A aula será ministrada para a 5 a série (3 o ciclo do Ensino

Leia mais

Bases Conceituais da Energia Q1/2017. Professor: Sergio Brochsztain. (sites.google.com/site/sergiodisciplinasufabc)

Bases Conceituais da Energia Q1/2017. Professor: Sergio Brochsztain. (sites.google.com/site/sergiodisciplinasufabc) Bases Conceituais da Energia Q1/2017 Professor: Sergio Brochsztain (sites.google.com/site/sergiodisciplinasufabc) capacidade que um corpo, uma substância ou um sistema físico têm de realizar trabalho Energia

Leia mais

Á Ç ó á ç

Á Ç ó á ç Á Ç ó á ç É í é çã ô ã â ã á ç õ é á õ é ê ã ê çã õ ê ú õ ê ó ó ó ó ã é à çã ê é ê í é ã ó ã á ç í á é ã ó é á ó ó á ó á ã ó ã ã çã ó ê ó ê á ô ô ã ã çã ô çã ô í ê ó á ó ê çõ ê é á ê á á ç ó í çã ó ã é

Leia mais

Tipos de Usinas Elétricas

Tipos de Usinas Elétricas Tipos de Usinas Elétricas Professor: Xuxu USINAS GERADORAS DE ELETRICIDADE Uma usina elétrica pode ser definida como um conjunto de obras e equipamentos cuja finalidade é a geração de energia elétrica,

Leia mais

Fonte Características Vantagens Desvantagens

Fonte Características Vantagens Desvantagens Fonte Características Vantagens Desvantagens Hidrelétrica Uso da força dos rios para produção de energia elétrica Fonte não poluente e renovável Alto custo de implantação e grande impacto ambiental e econômico

Leia mais

mandamentos mandamentos do produtor de lixo

mandamentos mandamentos do produtor de lixo 10 mandamentos mandamentos do produtor de lixo 1 Reduzo o lixo que produzo Quando vou às compras, levo sacos reutilizáveis. Prefiro produtos concentrados, com pouca embalagem. Entrego os bens que já não

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Tema Transversal: Casa comum, nossa responsabilidade. Disciplina: Ciências / ESTUDOS AUTÔNOMOS Série: 4ª - Ensino Fundamental Aluno(a): N o : Turma: Professora: Data: 17 / 10 / 2016

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 15.1 Conteúdo: Principais Fontes de Energia

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 15.1 Conteúdo: Principais Fontes de Energia 15.1 Conteúdo: Principais Fontes de Energia 15.1 Habilidade: Verificar as principais fontes de energia utilizadas atualmente, analisando sua importância para o desenvolvimento da sociedade Revisão: Espaço

Leia mais

O QUE É SUSTENTABILIDADE? ÍNDICE O QUE É SUSTENTABILIDADE?

O QUE É SUSTENTABILIDADE? ÍNDICE O QUE É SUSTENTABILIDADE? EDUCAÇÃO AMBIENTAL ÍNDICE O QUE É SUSTENTABILIDADE? O QUE É SUSTENTABILIDADE? O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA FAZER UM PLANETA MELHOR? EDUCAÇÃO AMBIENTAL LIXO URBANO GERÊNCIAMENTO DO LIXO POR QUE RECICLAR?

Leia mais

Engenharia da Sustentabilidade

Engenharia da Sustentabilidade Engenharia da Sustentabilidade Engenharia da Sustentabilidade A ENERGIA constitui: fonte e o controle de todos os valores e ações dos seres humanos e da natureza. Engenharia da Sustentabilidade: DEFINIÇÃO

Leia mais

O processo eleitoral brasileiro. A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o

O processo eleitoral brasileiro. A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o O processo eleitoral brasileiro A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o A p a i m 0 9 @ u o l. c o m. b r A j u l g a r p e l o s s i n a i s e x t e r i o r e s, o

Leia mais

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Promoção SEST / SENAT Conteúdo Técnico ESCOLA DO TRANSPORTE JULHO/2007 O que é Lixo? Lixo

Leia mais

A T A N º 4 /2014. S e s s ã o o r d i n á r i a 30 d e j u n h o d e M a r g a r i d a M a s s e n a 1 d e 50

A T A N º 4 /2014. S e s s ã o o r d i n á r i a 30 d e j u n h o d e M a r g a r i d a M a s s e n a 1 d e 50 A T A N º 4 /2014 A o s t r i n t a d i a s d o m ê s d e j u n h o d o a n o d e d o i s m i l e c a t o r z e, p e l a s v i n t e h o r a s e t r i n t a m i n u t o s r e u n i u e m s e s s ã o o

Leia mais

Fontes energéticas. 8º ano Professor Gustavo Macieira

Fontes energéticas. 8º ano Professor Gustavo Macieira Fontes energéticas 8º ano Professor Gustavo Macieira Formas de energia Forno solar Com a ajuda de um carpinteiro, confeccione um baú de madeira, forrando-o com papel alumínio e colando um espelho do lado

Leia mais

MEIO AMBIENTE E BOAS PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

MEIO AMBIENTE E BOAS PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CAMPUS DE CAMPO GRANDE CURSINHO PRÓ-ENEM UFMS MEIO AMBIENTE E BOAS PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL Edson Pereira de Souza [1] edson.souza1984@gmail.com

Leia mais

31/08/2016. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações.

31/08/2016. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. 6º Anos Prof. Leonardo F. Stahnke Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. Para se alimentar, o ser humano abate

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ DALGLISH GOMES REUTILIZAÇÃO DE GARRAFAS PET

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ DALGLISH GOMES REUTILIZAÇÃO DE GARRAFAS PET INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ DALGLISH GOMES REUTILIZAÇÃO DE GARRAFAS PET RESUMO Atualmente o uso do PET ainda é muito aplicado em garrafas de refrigerantes e também em reciclagens

Leia mais

T A B E L A D E P R E Ç O S A B R I L

T A B E L A D E P R E Ç O S A B R I L T A B E L A D E S A B R I L 1 7 P U L S E 1 4 9, 9 9 1 2 1, 9 4 8 U M P A R D E P U L S E - L E D ( 1 X P U L S E M A S T E R + 1 X P U L S E S A T E L L I T E ) C O M 6 0 0 L Ú M E N, 2 7 0 0 K ( B R

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL SIGMA

CENTRO EDUCACIONAL SIGMA 4ºAno 1.4 CIÊNCIAS 3º período 28 de setembro de 2015 Cuide da organização da sua avaliação. Escreva de forma legível. Fique atento à ortografia e elabore respostas claras. Tudo isso será considerado na

Leia mais

Classificação das Fontes de Energia

Classificação das Fontes de Energia BRASIL: FONTES DE ENERGIA Classificação das Fontes de Energia análise dos recursos disponíveis e dos recursos em uso As fontes de energia podem classificar-se em: Primárias - quando ocorrem livremente

Leia mais

FONTES DE ENERGIA PROF. ISRAEL FROIS FRENTES A E B

FONTES DE ENERGIA PROF. ISRAEL FROIS FRENTES A E B FONTES DE ENERGIA PROF. ISRAEL FROIS FRENTES A E B ENERGIA DESIGUAL COMBUSTÍVES FÓSSEIS PETRÓLEO E GÁS Vantagens do Petróleo Alta densidade de energia; Deriva diversos produtos industriais; Domínio

Leia mais

PLANO DE AULA DOSCENTE

PLANO DE AULA DOSCENTE PLANO DE AULA DOSCENTE CIÊNCIAS NATURAIS 2º Ano Professora: Mariangela Morais Miguel Período: Aproximadamente dias 4. Superfície da Terra (interior/exterior noções de dentro e fora): 4.1. Terra superfície

Leia mais

A S S E M B L E I A D E F R E G U E S I A D A U N I Ã O D E F R E G U E S I A S D O C A C É M E S Ã O M A R C O S R

A S S E M B L E I A D E F R E G U E S I A D A U N I Ã O D E F R E G U E S I A S D O C A C É M E S Ã O M A R C O S R A T A N º 2 /2013 A o s t r i n t a d i a s d o m ê s d e d e z e m b r o d o a n o d e d o i s m i l e t r e z e, p e l a s v i n t e e u m a h o r a s e q u i n z e m i n u t o s r e u n i u e m s e

Leia mais

Valorização dos Resíduos Plásticos

Valorização dos Resíduos Plásticos Valorização dos Resíduos Plásticos CENÁRIO CENÁRIO Consumimos 50% a mais do que o planeta é capaz de produzir, absorver e regenerar 16% da população mundial consome 78% dos recursos 2/3 da população não

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS SÃO GABRIEL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS SÃO GABRIEL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS SÃO GABRIEL PROJETO Reciclar E.M.E.F. PRESIDENTE JOÃO GOULART Coordenadores Analía del Valle Garnero e Ronaldo Erichsen Supervisora: Stefânia Guedes de Godoi Bolsista

Leia mais

Como Ajudar o Mundo?

Como Ajudar o Mundo? Como Ajudar o Mundo? Todos dizem como salvar o mundo, mas será mesmo que fazem o que falam? André tem 8 anos. Certo dia estava em uma aula de ciências e sua professora disse que o mundo está sofrendo com

Leia mais

Conteúdos e Competências. FUNDAMENTAL 2 o ANO

Conteúdos e Competências. FUNDAMENTAL 2 o ANO Conteúdos e Competências FUNDAMENTAL 2 o ANO SUMÁRIO ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA ENSINO RELIGIOSO COLEÇÃO IMAGINAÇÃO E ARTE... 3 7... 11... 17... 20... * Sujeito a alteração até

Leia mais

ATIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar e 1º Ciclo

ATIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar e 1º Ciclo GUIA DE ATIVIDADES de educação ambiental ATIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar e 1º Ciclo Centro de Educação Ambiental de Albufeira Localização: Quinta da Palmeira - R. dos Bombeiros Voluntários

Leia mais

Energia Solar MIEEC03_1

Energia Solar MIEEC03_1 Energia Solar MIEEC03_1 Carlos Pinto - up201404204 Joana Catarino - up201406455 Manuel Correia - up201403773 Pedro Leite - up201405865 Sara Costa - up201402938 Supervisor: Nuno Fidalgo Monitor: Elsa Moura

Leia mais

FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL. Prof.º: Carlos D Boa - geofísica

FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL. Prof.º: Carlos D Boa - geofísica FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL Prof.º: Carlos D Boa - geofísica Introdução Biocombustíveis (Biodiesel, Etanol e Hidrogênio) Biogás Biomassa Energia Eólica Energia das Marés Energia Hidrelétrica Energia Solar

Leia mais

INFORMATIVO AMBIENTAL

INFORMATIVO AMBIENTAL Nº24 Use menos possível equipamento e veículos que possam poluir o meio ambiente, pois provocam a poluição do ar. Procure sempre fazer caminhada, pois faz bem à saúde e ao bem estar. Assim você estará

Leia mais

S e s s ã o e x t r a o r d i n á r i a 1 3 d e m a r ç o d e A T A N º 1 /

S e s s ã o e x t r a o r d i n á r i a 1 3 d e m a r ç o d e A T A N º 1 / A T A N º 1 / 2 0 1 4 A o s t r e z e d i a s d o m ê s d e m a r ç o d o a n o d e d o i s m i l e c a t o r z e, p e l a s v i n t e e u m a h o r a s e d e z m i n u t o s r e u n i u e m s e s s ã

Leia mais

Jimboê. Ciências. Avaliação. Projeto. 4 o ano. 4 o bimestre

Jimboê. Ciências. Avaliação. Projeto. 4 o ano. 4 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao quarto bimestre escolar ou às unidades 7 e 8 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê 4 o ano Avaliação 4 o bimestre 1 Avaliação NOME: ESCOLA: PROFESSOR: TURMA:

Leia mais

COLÉGIO SANTA CRISTINA - DAMAS AULÃO. ENERGIA Do fogo a energia elétrica. Prof. Márcio Marinho

COLÉGIO SANTA CRISTINA - DAMAS AULÃO. ENERGIA Do fogo a energia elétrica. Prof. Márcio Marinho COLÉGIO SANTA CRISTINA - DAMAS AULÃO ENERGIA Do fogo a energia elétrica O fogo O fogo é a rápida oxidação de um material combustível liberando calor, luz e produtos de reação, tais como o dióxido de carbono

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA CÂMARA DE VEREADORES DE BIGUAÇU

ESTADO DE SANTA CATARINA CÂMARA DE VEREADORES DE BIGUAÇU Projeto de lei n 04 /2011 INSTITUI A COLETA SELETIVA INTERNA DE PAPEL E PLÁSTICO RECICLÁVEL NOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DIRETA E INDIRETA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BIGUAÇU, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

PLANO DE AULA DOCENTE CIÊNCIAS NATURAIS 4º ANO. Terrestre: Produção do Ecossistema

PLANO DE AULA DOCENTE CIÊNCIAS NATURAIS 4º ANO. Terrestre: Produção do Ecossistema PLANO DE AULA DOCENTE CIÊNCIAS NATURAIS 4º ANO Professora: Mariangela Morais Miguel Celeste: Produção do Universo 1.3. Sol Terra: Movimentos da Terra: - Rotação: dias e noites diferenças na duração dos

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013

ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013 ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013 LIXO 2º ENCONTRO OBJETIVO: Relatar a composição química do lixo e os prováveis danos causados, além de discutir principais

Leia mais

UM MODELO DE GESTÃO DE RESÍDUOS MUNICIPAIS PROF. DR. SABETAI CALDERONI INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS

UM MODELO DE GESTÃO DE RESÍDUOS MUNICIPAIS PROF. DR. SABETAI CALDERONI INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS UM MODELO DE GESTÃO DE RESÍDUOS MUNICIPAIS PROF. DR. SABETAI CALDERONI INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS SABETAI CALDERONI Presidente do Instituto Brasil Ambiente Consultor da Organização das Nações

Leia mais

Exercícios de Fontes de Energia

Exercícios de Fontes de Energia Exercícios de Fontes de Energia 1. Todas as atividades humanas, desde o surgimento da humanidade na Terra, implicam no chamado consumo de energia. Isto porque para produzir bens necessários à vida, produzir

Leia mais

USINA TERMOELÉTRICA DO NORTE FLUMINENSE,MACAE, RIO DE JANEIRO

USINA TERMOELÉTRICA DO NORTE FLUMINENSE,MACAE, RIO DE JANEIRO USINA TERMOELÉTRICA USINA TERMOELÉTRICA DO NORTE FLUMINENSE,MACAE, RIO DE JANEIRO O QUE É USINA TERMOELÉTRICA? Uma instalação industrial que serve para gerar energia através da queima de combustíveis fosseis.

Leia mais

Hidrelétrica. Itaipu: MW (potência de geração) * 16,99% da energia consumida no Brasil * Em 2011: MWh.

Hidrelétrica. Itaipu: MW (potência de geração) * 16,99% da energia consumida no Brasil * Em 2011: MWh. Hidrelétrica Funcionamento: * Pressão causa um aumento da velocidade da água rgh=rv 2 /2 portanto: E a h * Quanto mais alta a represa, maior a velocidade da água e, portanto, maior a energia produzida.

Leia mais

GUACIARA, FEVEREIRO DE PROFESSORA DRA. MIRIAM MACHADO CUNICO GEDAM

GUACIARA, FEVEREIRO DE PROFESSORA DRA. MIRIAM MACHADO CUNICO GEDAM GUACIARA, FEVEREIRO DE 2010. PROFESSORA DRA. MIRIAM MACHADO CUNICO GEDAM PROJETO AÇÃO ECOLÓGICA NO ACAMPAMENTO ADVENTISTA DE GUACIARA NO CARNAVAL DE 2010. RESUMO Este projeto sugere a aplicação de um Ensino

Leia mais

Prof. Luís Fernando Pagotti

Prof. Luís Fernando Pagotti Laboratório de Qualidade e Racionalização da Energia Elétrica Prof. Luís Fernando Pagotti energia não pode ser criada nem destruída, só pode ser transformada! Como Converter Energia? Combustores;

Leia mais

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 61 CONCEITOS SOBRE RECURSOS ENERGÉTICOS

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 61 CONCEITOS SOBRE RECURSOS ENERGÉTICOS GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 61 CONCEITOS SOBRE RECURSOS ENERGÉTICOS Como pode cair no enem? (ENEM) Empresa vai fornecer 230 turbinas para o segundo complexo de energia à base de ventos, no sudeste da Bahia.

Leia mais

Sumário. Módulo Inicial. Das Fontes de Energia ao Utilizador 25/02/2015

Sumário. Módulo Inicial. Das Fontes de Energia ao Utilizador 25/02/2015 Sumário Situação energética mundial e degradação da energia Fontes de energia. Impacte ambiental. Transferências e transformações de energia. Degradação de energia. Rendimento. Energia está em tudo que

Leia mais

O que os cidadãos de Rio Branco pensam e estão dispostos a fazer sobre consumo responsável e reciclagem na cidade.

O que os cidadãos de Rio Branco pensam e estão dispostos a fazer sobre consumo responsável e reciclagem na cidade. Consumo Sustentável Programa Água Brasil e Instituto Ibope apresentam: O que os cidadãos de pensam e estão dispostos a fazer sobre consumo responsável e reciclagem na cidade. Introdução O Programa Água

Leia mais

PINTANDO UMA CIDADE MELHOR

PINTANDO UMA CIDADE MELHOR Lillian Silva Assunpção PINTANDO UMA CIDADE MELHOR Série Ciência Cidadã - Volume 2 Natalia Pirani Ghilardi-Lopes ORGANIZADORA Núcleo de Tecnologias Educacionais - UFABC Santo André - 2016 Pintando uma

Leia mais

MINERAIS HIDROGEOLÓGICOS ENERGÉTICOS. de acordo com a finalidade

MINERAIS HIDROGEOLÓGICOS ENERGÉTICOS. de acordo com a finalidade Materiais (sólidos, líquidos ou gasosos), ou suas propriedades (calor interno da Terra ou radioatividade), provenientes da Terra e que o Homem pode utilizar em seu benefício. de acordo com a finalidade

Leia mais

Gás de Aterro. Gás de Aterro: Composição Típica

Gás de Aterro. Gás de Aterro: Composição Típica Gás de Aterro Conceitos Básicos sobre Gás de Aterro Produzido pela decomposição dos resíduos sólidos Quantidade & composição dependem das características dos resíduos Aumentar os resíduos orgânicos aumenta

Leia mais

FONTES DE ENERGIA ALTERNATIVA

FONTES DE ENERGIA ALTERNATIVA Ensino Fundamental Nível II Comp. Curricular: ATUALIDADES Data: 1º Período Aluno(a): Nº Professor: Turma: F-9 FONTES DE ENERGIA ALTERNATIVA e MATRIZES ENERGÉTICAS INTRODUÇÃO FONTES DE ENERGIA ALTERNATIVA

Leia mais

5º ano. Atividade de Estudo - Ciências. Nome:

5º ano. Atividade de Estudo - Ciências. Nome: Atividade de Estudo - Ciências 5º ano Nome: 1- Você sabia que quando misturamos água e álcool essa mistura produz calor? Faça você mesmo: - Molhe a sua mão com bastante álcool líquido. - Em seguida, coloque

Leia mais

Coleta Seletiva é o processo de separação e recolhimento dos resíduos conforme sua constituição: orgânico, reciclável e rejeito.

Coleta Seletiva é o processo de separação e recolhimento dos resíduos conforme sua constituição: orgânico, reciclável e rejeito. 1. Definição Coleta Seletiva é o processo de separação e recolhimento dos resíduos conforme sua constituição: orgânico, reciclável e rejeito. Para se adaptar à Coleta Seletiva, é essencial que o material

Leia mais

Sacolas Bioplásticas e a Coleta Seletiva da cidade de São Paulo

Sacolas Bioplásticas e a Coleta Seletiva da cidade de São Paulo Sacolas Bioplásticas e a Coleta Seletiva da cidade de São Paulo A Lei nº 15.374 de 2011 proíbe a disponibilização de sacolas plásticas descartáveis nos estabelecimentos comerciais do município de São Paulo.

Leia mais

ENERGIA. Em busca da sustentabilidade

ENERGIA. Em busca da sustentabilidade ENERGIA Em busca da sustentabilidade Características de uma boa fonte de combustível i) Fornecer grande quantidade de energia por unidade de massa ou volume (Rendimento); ii) Facilmente disponível; iii)

Leia mais

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA Usando Bem Ninguém Fica Sem. PROGRAMA DE COLETA SELETIVA 1. O QUE É COLETA SELETIVA 2. DESTINO FINAL DO LIXO DE SÃO PAULO 3. COMPOSIÇÃO DO LIXO SELETIVO

Leia mais

O desafio das compras sustentáveis. Fábio Cyrillo Diretor Comercial 15 de Maio de 2008

O desafio das compras sustentáveis. Fábio Cyrillo Diretor Comercial 15 de Maio de 2008 O desafio das compras sustentáveis Fábio Cyrillo Diretor Comercial 15 de Maio de 2008 Wal-Mart no Mundo Canadá Reino Unido México Estados Unidos Porto Rico Índia China Japão El Salvador Guatemala Costa

Leia mais

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z ÇÃ ódigo escrição nid. ódigo escrição nid. Ç 1001.01 Ç 13 16 (1/4 5/16) Ç 1001.02 Ç 19 25 (1/2 3/4) Ç 1001.03 Ç 1/2 / Ç 1001.04 Ç Ã 1/2 / Ç Á 1002.01 Á Ç 1002.02 Á Ç 1002.03 Á Ç 1003.01 / Ê Ç 1003.02 /

Leia mais

O Nosso Meio Ambiente

O Nosso Meio Ambiente O Nosso Meio Ambiente Educação Ambiental para a Coleta Seletiva de Lixo P R B - VERDE Maio de 2011 Esta Cartilha poderá ser reproduzida e distribuída somente com a finalidade Educativa A Cartilha Para

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos

Política Nacional de Resíduos Sólidos Política Nacional de Resíduos Sólidos O GPA NASCEU EM 1948. É A MAIOR EMPRESA VAREJISTA DO BRASIL E PERTENCE AO GRUPO CASINO, UM DOS LÍDERES MUNDIAIS NO VAREJO DE ALIMENTOS. Com 2.113 pontos de venda,

Leia mais

CENÁRIO BRASILEIRO. Latas de alumínio e plásticos vão para a indústria de reciclagem.

CENÁRIO BRASILEIRO. Latas de alumínio e plásticos vão para a indústria de reciclagem. CENÁRIO BRASILEIRO O Brasil gera aproximadamente 250 mil toneladas de lixo por dia. Assim, imagine duas filas de caminhões de 5 toneladas de capacidade, ocupando uma distância equivalente a 10 pontes Rio-Niterói.

Leia mais

Vivem na floresta / na cidade /no campo

Vivem na floresta / na cidade /no campo Nome: Data / / Título do livro que vamos ler: Autora do livro: O livro está escrito em poesia prosa Como serão as Fadas? (riscar o que não interessa) Bonitas / Feias Altas / Baixas Olhos: azuis / verdes

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS MUNICIPAIS

RESÍDUOS SÓLIDOS MUNICIPAIS RESÍDUOS SÓLIDOS MUNICIPAIS Educação Ambiental: Resíduos Sólidos Municipais Ano I, número 1 Editor: Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT Redação Mônica de Abreu Azevedo André Santos

Leia mais

Torne seu negócio sustentável e reduza custos. e-book

Torne seu negócio sustentável e reduza custos. e-book Torne seu negócio sustentável e reduza custos. e-book Índice 03. Introdução 05. Soluções energéticas 09. Destinação de resíduos 11. Atenção à água Introdução Empregar novos hábitos no gerenciamento do

Leia mais

COMO DESCARTAR SEUS RESÍDUOS DE MANEIRA CONSCIENTE

COMO DESCARTAR SEUS RESÍDUOS DE MANEIRA CONSCIENTE COMO DESCARTAR SEUS RESÍDUOS DE MANEIRA CONSCIENTE O PROBLEMA - O descarte de resíduos é uma das práticas mais impactantes do ponto de vista socioambiental. Além de sobrecarregar os aterros, ele ocasiona

Leia mais

Fontes de Energias Renováveis e Não Renováveis. Aluna : Ana Cardoso

Fontes de Energias Renováveis e Não Renováveis. Aluna : Ana Cardoso Fontes de Energias Renováveis e Não Renováveis Aluna : Ana Cardoso Fontes de Energias Renováveis As fontes de energia renováveis são aquelas que vem de recursos naturais e que se renovam continuamente

Leia mais

CIÊNCIAS 9 ANO PROF.ª GISELLE PALMEIRA PROF.ª MÁRCIA MACIEL ENSINO FUNDAMENTAL

CIÊNCIAS 9 ANO PROF.ª GISELLE PALMEIRA PROF.ª MÁRCIA MACIEL ENSINO FUNDAMENTAL CIÊNCIAS 9 ANO PROF.ª MÁRCIA MACIEL ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª GISELLE PALMEIRA CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Tecnologia 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 10.1 Conteúdo Fontes Alternativas de Energia

Leia mais

Afinal, quem são os culpados pela destruição do planeta? Vinte anos após uma das maiores conferências ambientais do mundo, a ECO-92, os resultados

Afinal, quem são os culpados pela destruição do planeta? Vinte anos após uma das maiores conferências ambientais do mundo, a ECO-92, os resultados Afinal, quem são os culpados pela destruição do planeta? Vinte anos após uma das maiores conferências ambientais do mundo, a ECO-92, os resultados não poderiam ser piores para o meio ambiente. A cada dia,

Leia mais

Energias Renováveis. Diz-se que uma fonte de energia é renovável quando não é possível estabelecer um fim temporal para a sua utilização.

Energias Renováveis. Diz-se que uma fonte de energia é renovável quando não é possível estabelecer um fim temporal para a sua utilização. Tópicos Introdução Biocombustíveis (Biodiesel, Etanol e Hidrogênio) Biogás Biomassa Energia Eólica Energia das Marés Energia Hidrelétrica Energia Solar Energia Geotérmica Energias Renováveis Diz-se que

Leia mais

Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições.

Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições. Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições. (Fonte: Panorama de Resíduos Sólidos no Brasil, 2011/Abrelpe-

Leia mais

ELECTRICIDADE. Estrutura do átomo

ELECTRICIDADE. Estrutura do átomo ELECTRICIDADE A electricidade é um fenómeno físico. Não a conseguimos ver como vemos o Sol. Não a conseguimos pegar como fazemos com um bocado de carvão. Podemos saber quando está presente, mas é difícil

Leia mais

Centrais BNL Clean Energy

Centrais BNL Clean Energy Centrais BNL Clean Energy A Revolução de Energia: As centrais BNL Clean Energy (CEP) são centrais termoquímicas de zero resíduos e zero emissões para biomassa, resíduos e combustíveis, que fornecem energia

Leia mais

Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos

Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos 21 a 25 de novembro 2016 Este ano, a Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos tem como tema a Redução de Resíduos de Embalagens. Como já vem sendo habitual, o

Leia mais

I g r e j a P a r o q u i a l d o C a c é m, n o C a c é m, s o b a P r e s i d ê n c i a d e C r i s t i n a S o f i a

I g r e j a P a r o q u i a l d o C a c é m, n o C a c é m, s o b a P r e s i d ê n c i a d e C r i s t i n a S o f i a A T A Nº 6 /2014 A o s v i n t e e o i t o dias d o m ê s d e n o v e m b r o do ano de dois mil e catorze, pelas v i n t e h o r a s e c i n q u e n t a m i n u t o s r e u n i u e m s e s s ã o e x t

Leia mais

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59 PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 4 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 LIXO NO LIXO Dá para

Leia mais

ENTENDA O QUE MUDOU COM A IMPLANTAÇÃO DO PONTO ECO. Adequação Física e estrutural

ENTENDA O QUE MUDOU COM A IMPLANTAÇÃO DO PONTO ECO. Adequação Física e estrutural ENTENDA O QUE MUDOU COM A IMPLANTAÇÃO DO PONTO ECO Adequação Física e estrutural A etapa mais demorada e com maior investimento de recursos é a adequação física e da estrutura da empresa. No Recreio da

Leia mais

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 Dr. Anderson Lopes Peçanha Professor da Universidade Federal do Espírito Santo Departamento

Leia mais