REGULAMENTO. Regulamento. Versão Atualizada Sugestões das Diretorias DAF, DITEC e PRESI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO. Regulamento. Versão Atualizada Sugestões das Diretorias DAF, DITEC e PRESI"

Transcrição

1 SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA SEBRAE - UCSEBRAE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO REGULAMENTO Versão Atualizada Sugestões das Diretorias DAF, DITEC e PRESI Representantes: Carlos Silva Elizabeth Soares de Holanda Maria de Lourdes e Silva Silmar Pereira Rodrigues Miriam Zitz

2

3 SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA SEBRAE - UCSEBRAE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO REGULAMENTO 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 O Programa de Educação Continuada da Universidade Corporativa SEBRAE será regido pelo presente Regulamento e tem como objetivo ampliar as oportunidades de acesso aos empregados do SEBRAE Nacional aos programas de pós-graduação stricto sensu (mestrado), modalidade presencial ou semipresencial, devidamente recomendados pela Agência CAPES (Ministério da Educação), mediante a concessão de bolsa-educação destinada para programas de mestrados classificados com conceitos 3, 4, 5, 6 ou 7, ofertados no Brasil ou no exterior, em áreas consideradas de interesse da Instituição. 1.2 Para a concessão da bolsa-educação será realizado Processo Seletivo, de que participará uma comissão avaliadora formada por membros designados pela Diretoria Executiva do SEBRAE. 2. DOS OBJETIVOS 2.1 O Programa de Educação Continuada da Universidade Corporativa SEBRAE - pós-graduação stricto sensu (mestrado) será executado tendo como base os seguintes objetivos: I. Formar quadros com nível avançado de proficiência conceitual em Gestão de MPE e Empreendedorismo; II. Promover o desenvolvimento de pesquisa aplicada em temáticas prioritárias para o SEBRAE Nacional; III. Suprir necessidades de capacitação científica e tecnologia dos empregados do SEBRAE Nacional; IV. Formar quadros para atuarem como formuladores e formadores de soluções no âmbito das ações educacionais promovidas pelo SEBRAE Nacional. 3. DA ELIGIBILIDADE 3.1 São elegíveis às vagas do Programa de Educação Continuada da Universidade Corporativa SEBRAE - pós-graduação stricto sensu (mestrado) candidatos que atendam aos critérios de: a. ser empregado do quadro permanente do SEBRAE Nacional; b. encontrar-se, em no mínimo 3 anos, em efetivo exercício, na função de Analista Técnico no SEBRAE Nacional; 3

4 c. ser Analista Técnico com experiência profissional comprovada em atividades relacionadas com as MPE, dentro ou fora do SEBRAE; 4 d. não estar gozando das prerrogativas de bolsista em outros Programas de Pós-Graduação financiados pelo SEBRAE e/ou por outras Instituições de Ensino Superior IES. 4. DAS ÁREAS DE INTERESSE DE PESQUISA 4.1 As áreas de interesse de pesquisa contempladas pelo Programa de Educação Continuada - pós-graduação stricto sensu (mestrado) serão definidas, anualmente, pela Diretoria Executiva do SEBRAE/NA a partir de proposição da Universidade Corporativa do SEBRAE - UCSebrae, e divulgadas por meio de Edital, conforme quadro em apenso (Anexo 1). 5. DA COMISSÃO E DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 5.1 Será criada uma Comissão Avaliadora de Seleção dos projetos de pesquisa, para concessão de bolsa-educação, composta por 04 (quatro) membros internos e 01 (um) membro externo: a. 1 (um) Representante da Presidência do SEBRAE; b. 1 (um) Representante da Diretoria Técnica; c. 1 (um) Representante da Diretoria de Administração e Finanças; d. 1 (um) Representante da Universidade Corporativa do SEBRAE; e. 1 (um) Representante da Área Acadêmica (membro externo). 5.2 Serão critérios de avaliação dos projetos de pesquisa e do candidato: a. Relevância b. Aderência às Áreas de Interesse, Metas Estratégicas e Funcionais do SEBRAE c. Aplicabilidade d. Rigor metodológico do Projeto de Pesquisa e. Caráter disciplinar do Projeto de Pesquisa f. Interesse Estratégico para o SEBRAE g. Instituição de Ensino Superior h. Programa de Mestrado e Linha de Pesquisa i. Cronograma de Cumprimento de Prazos 5.3 Para efeitos deste Regulamento são adotadas as seguintes definições: Relevância: requisito que se refere a projetos de pesquisa cujos resultados podem constituir-se em novos produtos, metodologias, tecnologia ou modelos de gestão para as MPE ou para o SEBRAE. 4 Aderência às Áreas de Interesse, Metas Estratégicas e Funcionais do SEBRAE: requisito que trata da correlação dos projetos de pesquisa com as áreas de interesse do SEBRAE Nacional, como também, de sua sintonia com as metas Estratégicas.

5 Aplicabilidade às atividades do SEBRAE bem como a carreira do Candidato: requisito relativo à potencialidade do projeto de pesquisa de agregar valor à trajetória profissional do empregadobolsista dentro do Plano de Carreira do SEBRAE Nacional. Rigor metodológico do Projeto de Pesquisa: requisito atinente à estrutura e conteúdo do projeto de pesquisa que deverá apresentar: Título, Tema, Resumo, Problema de Pesquisa, Objetivos, Hipótese, Metodologia, Orçamento, Cronograma e Bibliografia ou estrutura de projeto exigida pela IES em cujo programa de mestrado o candidato obteve aprovação (Anexo 3). Caráter disciplinar do Projeto de Pesquisa: requisito relativo à capacidade do candidato de demonstrar uma visão mais sistêmica em seu projeto, integrando disciplinas e saberes, para explicar e compreender alguma problemática relacionada aos empreendedores e às MPE; Interesse Estratégico para o SEBRAE: requisito de análise do projeto de pesquisa para avaliar se o objeto de estudo está concomitantemente aliado com a orientação estratégica do SEBRAE Nacional e com temas relativos à realidade brasileira das MPE. Instituição de Ensino Superior: requisito de análise do projeto de pesquisa alusivo à avaliação da IES pelo SINAES (Sistema de Avaliação da Educação Superior), a cargo da Secretaria de Ensino Superior (SESU/MEC), e ao conceito atribuído pela Capes (MEC) ao programa de mestrado da instituição escolhida. Programa de Mestrado e Linha de Pesquisa: requisito de análise do projeto de pesquisa relativo à sintonia da grande área de inserção do programa de mestrado e de suas linhas de pesquisa com as áreas de interesse do SEBRAE Nacional. Cronograma de Cumprimento de Prazos: requisito de análise do projeto de pesquisa que trata de sua plausibilidade de execução dentro do prazo de, até 24 (vinte e quatro) meses. 5.4 Cada um dos critérios de avaliação dos projetos de pesquisa será pontuado, com notas de 0 a 3 pontos, podendo atingir de 0 (zero) a 27 (vinte e sete) pontos. 5.5 Cada avaliador fará uma avaliação individual em formulário específico (Anexo 5) deste regulamento. 5.6 A classificação do projeto de pesquisa será definida a partir da soma das pontuações individuais divididas pelo número de avaliadores (média aritmética simples). 5.7 A avaliação dos projetos de pesquisa dar-se-á utilizando-se dos conceitos Excelente, Muito Bom, Regular e Fraco. Serão considerados Aceitos somente os projetos que alcançarem pontuação equivalente aos conceitos de Excelente, Muito Bom e Regular e, no caso, dos projetos considerados Fracos, atribuir-se-á parecer final de Não Aceitos. 5.8 Serão adotados os conceitos de Excelente, para os projetos de pesquisa que atingirem 27 pontos, Muito Bom, para aqueles que alcançarem entre 18 e 26 pontos e Regular, àqueles que ficarem entre 09 e 17 pontos, sendo neste caso os projetos aceitos com proposição de 5

6 mudanças. Os projetos de pesquisa posicionados abaixo de 09 pontos serão considerados Não Aceitos Se a Comissão julgar pertinente, os candidatos concorrentes serão convidados a defender o Projeto de Pesquisa em entrevista ou por meio de apresentação, por tempo a ser definido. 6. DA LIBERAÇÃO 6.1 A liberação do empregado do SEBRAE Nacional para cursar pós-graduação stricto sensu - mestrado poderá ser: a. total no país ; b. total no exterior; c. total para curso com parte no Brasil e parte no exterior, quando se tratar de mestrado híbrido. 6.2 O empregado do SEBRAE Nacional será liberado totalmente de suas atribuições profissionais, a fim de se dedicar exclusivamente às atividades acadêmicas, salvo casos excepcionais, deliberados pela Diretoria. 6.3 O empregado de carreira com função de confiança (Gerente, Gerente-Adjunto, Chefe de Gabinete e Assessor) deverá solicitar seu afastamento da função, se aprovado no Programa, sem direito garantido a ocupar a função quando do seu retorno do Programa ao SEBRAE. 7. DA DURAÇÃO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO (MESTRADO) 7.1 O prazo inicial para conclusão do curso de pós-graduação compreende: a) Até 24 (vinte e quatro) meses para mestrado; 7.2 Findo o prazo do curso, o pós-graduando deverá retornar às atividades profissionais, inclusive, para fins de gozo de férias, conforme legislação pertinente. 7.3 Em caso de curso no exterior, o pós-graduando retornando ao Brasil para coletar dados, elaborar trabalhos acadêmicos ou dissertação, esse período será considerado como ininterrupto em relação ao prazo máximo concedido para a realização do curso. 7.4 Havendo necessidade técnica ou acadêmica comprovada, o pós-graduando poderá solicitar a prorrogação à Universidade Corporativa SEBRAE, por até 6 (seis) meses, do prazo para a conclusão da pós-graduação, por meio de formulário (Anexo 7). 8. DAS VAGAS 8.1 As vagas serão distribuídas por áreas temáticas de interesse do SEBRAE Nacional, divulgadas por meio de Edital em tabela que informará as áreas e grau de importância, para a concessão de bolsa-educação, conforme orientação estratégica da Diretoria Executiva, e servirão de referência para a elaboração dos Projetos de Pesquisa dos candidatos a bolsa-educação. 9. DA CANDIDATURA E SELEÇÃO A seleção de candidatos à bolsa-educação para pós-graduação stricto sensu do SEBRAE Nacional será feita com base em 05 (cinco) etapas obrigatórias e eliminatórias:

7 9.2 Primeira Etapa: candidatura e aprovação do empregado do SEBRAE Nacional em um programa de mestrado oferecido por instituição acadêmica, no Brasil ou exterior, que se enquadra dentro das temáticas previamente divulgadas pelo SEBRAE em Edital As despesas relativas à primeira etapa serão custeadas pelo candidato. 9.3 Segunda Etapa: O colaborador deverá preencher o formulário Requerimento de Solicitação de Bolsa Educação - Anexo 2, imprimir, anexar os documentos a seguir e encaminhar para a UCSebrae: a) carta de aceite confirmando a aprovação do aluno no Programa de Mestrado e; b) 01 (uma) via do projeto de pesquisa. 9.4 Terceira Etapa A Comissão Avaliadora selecionará os candidatos com as maiores notas, a partir de critérios de avaliação divulgados em edital e análise do projeto de pesquisa; 9.5 Quarta Etapa: Aprovação final dos candidatos selecionados pela Diretoria Executiva do SEBRAE; 9.6 Quinta Etapa Quinta Etapa: Os candidatos aprovados apresentam os documentos a seguir para participarem do Programa e receberem a bolsa-educação: a. Carta de Aceite da Instituição de Ensino Superior (IES)/Orientador do projeto de pesquisa, para a qual foi selecionado, confirmando o candidato na condição de aluno devidamente aprovado em processo seletivo de ingresso em programa de pós-graduação stricto sensu (mestrado); b. Termo de Compromisso e Responsabilidade (Anexo 4) com assinatura do pós-graduando reconhecida em cartório, concordando com as regras para participação no Programa de pósgraduação stricto sensu (mestrado); c. Comprovante de proficiência no idioma oficial a ser utilizado no curso, quando a pósgraduação for no exterior, emitido por instituição de reconhecida competência; d. Curriculum Lattes do pós-graduando devidamente atualizado. Parágrafo Único: Não será admitida, em hipótese alguma, carta de aceite de caráter condicional ou de aluno especial, para fins de ingresso em programas de pós-graduação stricto sensu. 10. DAS OBRIGAÇÕES DO BOLSISTA E DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA SEBRAE - UCSEBRAE 10.1 Cabe à Universidade Corporativa SEBRAE - UCSebrae: I. Acompanhar a evolução de todos os projetos de pesquisa dos bolsistas, durante o período de operacionalização dos estudos de pós-graduação, por meio de Relatórios Acadêmicos Semestrais 7

8 (anexo 6), cuja apresentação será condição sine qua non para que haja a continuidade da liberação do bolsista de suas atividades laborais, como também, pagamento da bolsa-educação São obrigações do empregado-bolsista: I. Encaminhar Relatório Acadêmico, acompanhado do histórico escolar referente ao último semestre cursado, bem como o cronograma de atividades para o semestre subseqüente, contendo o de acordo de seu orientador acadêmico, até a efetiva conclusão da pósgraduação; II. O Relatório Acadêmico deverá ser encaminhado até o 15 dia de março e até o 15 de setembro do ano corrente, conforme o caso; III. Dedicar-se exclusivamente ao curso, ficando proibido seu envolvimento em quaisquer outras atividades profissionais não relacionadas com o objeto do curso, salvo no interesse exclusivo do SEBRAE, por este manifestado expressamente; IV. Obter média mínima estabelecida pelo Programa de Pós-Graduação stricto sensu (7, conceito B ou MS, ou equivalente); V. Produzir 01 (um) artigo de tema de interesse do SEBRAE a ser incluído no acervo da Biblioteca online da Universidade Corporativa SEBRAE, e/ou incorporado a soluções educacionais oferecidas pela instituição, após a conclusão do curso de pós-graduação stricto sensu (mestrado) e uma nota técnica com indicação de políticas públicas, projetos e novas soluções decorrentes dos resultados e conclusões do trabalho de mestrado desenvolvido; VI. Cumprir integralmente o programa do curso e informar à Universidade Corporativa sobre eventuais dificuldades para cumprimento dos prazos e outros problemas de natureza acadêmica; VII. Prestar quaisquer informações, relacionadas ao curso, solicitadas pela Universidade Corporativa; VIII. Comunicar a Universidade Corporativa SEBRAE, antes e durante o afastamento, o recebimento de qualquer outro auxílio financeiro a título de bolsa de estudo, informando a fonte e o valor; I. Submeter à Universidade Corporativa SEBRAE cópia de trabalhos selecionados para apresentação em congressos, seminários, encontros e eventos similares ou publicados em revistas e jornais nacionais e estrangeiros;. Apresentar à Universidade Corporativa SEBRAE: a. O projeto de dissertação de mestrado acompanhado de manifestação do orientador acadêmico; b. Fazer apresentação presencial da dissertação sempre que solicitada pelo SEBRAE A Universidade Corporativa SEBRAE reserva-se o direito de suspender ou cancelar o apoio a qualquer momento, em função da desistência do curso sem a devida concordância desta Universidade ou decorrente de qualquer situação considerada desabonadora, sendo exigida a devolução parcial ou total do investimento realizado. 8 Parágrafo Único: O bolsista deverá destacar a bolsa-educação recebida nos trabalhos que publicar no Brasil, no local destinado pelo periódico, mencionando: Bolsista do SEBRAE Nacional. No caso de publicação em periódico ou livro internacional, a indexação do SEBRAE

9 deve ser identificada no campo de filiação institucional do autor (affiliation), nos seguintes termos: Brazilian for Micro and Small Business Support Service SGAS 605 Conjunto A Asa Sul Brasília/DF - Brazil. 11. DO PRÊMIO DE MELHOR DISSERTAÇÃO 11.1 A Diretoria Executiva do SEBRAE Nacional poderá instituir o Prêmio de Melhor Trabalho Acadêmico do Ano, dentre as dissertações defendidas, conforme critérios a serem instituídos para esta finalidade. 12. DA COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO PRÊMIO DE MELHOR DISSERTAÇÃO 12.1 A comunicação e divulgação dos concorrentes premiados ocorrerão publicamente em eventos promovidos pelo SEBRAE Nacional. 13. DAS DEFINIÇÕES DE TERMOS CONSIDERADOS IMPORTANTES Para efeitos deste Regulamento são adotadas as seguintes definições: IES: Instituição de Ensino Superior CNPq: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Capes: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Bolsa-Educação: Manutenção do Salário do empregado e concessão de um valor destinado a cobrir despesas com atividades acadêmicas e apoio à formação, definido por meio de Edital e recebido pelo pósgraduando do SEBRAE Nacional, quando este não receber bolsas ou benefícios de outras instituições. Para cursos em Brasília haverá somente a manutenção do salário e a liberação total do empregado durante o período da realização do curso de mestrado. Carta de aceite: Documento formal da Instituição de Ensino Superior (IES) na qual o participante de ações de pós-graduação foi aceito e selecionado, como aluno regular, que informe a aprovação do empregado para início de curso. Curriculum Lattes: Modelo de currículo profissional utilizado pelo CNPq, o qual inclui as atividades profissionais, de pesquisa, acadêmicas, orientação, painéis e capacitações que o participante tenha realizado. É o componente da Plataforma Lattes, desenvolvida para o CNPq, e é utilizado por MCT, FINEP, CAPES/MEC e comunidade científica brasileira como sistema de informação curricular. Dissertação: Trabalho científico apresentado normalmente em curso de pós-graduação stricto sensu, que, ao final, confere ao autor o título de mestre, fator que evidencia conhecimento acerca do trabalho abordado e também a capacidade de investigação do candidato. A 9

10 dissertação deverá ser elaborada contemplando temas nas áreas de interesse do SEBRAE Nacional e apresentar caráter pragmático, com resultados passíveis de aplicação no universo das MPE no âmbito de atuação do SEBRAE. 10 Educação corporativa: Processo de construção e reconstrução permanente e contínua do conhecimento, que atende às competências ligadas à área de atuação do empregado, buscando soluções corporativas de desenvolvimento dos talentos humanos, vinculadas aos objetivos estratégicos do SEBRAE Nacional. Abrange, no âmbito deste Regulamento, as ações de formação de pós-graduação strictu sensu, que podem ser realizadas tanto no país quanto no exterior, de forma presencial ou semipresencial. Liberação integral: Liberação total dos empregados permanentes do SEBRAE Nacional dos compromissos profissionais a que estão sujeitos para cursar programas de pós-graduação stricto sensu - mestrado no Brasil e exterior. Mestrado: Curso de formação voltado para o estudo aprofundado em uma ou mais áreas do conhecimento, que tenha vinculação com a área técnico-profissional específica, visando à aquisição da competência científica e do aprofundamento profissional do indivíduo, cuja conclusão está condicionada à aprovação de dissertação a ser defendida pelo participante perante banca examinadora, culminando com a obtenção do grau de mestre. Possui duas modalidades: acadêmica e profissional. Orientador: Professor de IES, responsável pela orientação do empregado bolsista do SEBRAE Nacional. Pós-Graduando: Empregado do SEBRAE Nacional autorizado a permanecer afastado do seu trabalho, em tempo integral, por um período determinado, a fim de realizar curso pós-graduação stricto sensu (mestrado) em uma Instituição de Ensino Superior. Relatório Acadêmico: Relato das atividades realizadas durante o curso de pós-graduação, a ser enviado pelos participantes periodicamente à Universidade Corporativa do SEBRAE, de acordo com modelo fixado neste Regulamento (Anexo 6). 10

11 14. DOS VALORES PARA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (MESTRADO) NO PAÍS: 14.1 O SEBRAE custeará para o pós-graduando, após aprovado pela Instituição Acadêmica e pelo Processo Seletivo do SEBRAE, os itens e valores a seguir: PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA VALOR (R$) SEBRAE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (MESTRADO) NO BRASIL, EM BRASÍLIA a) Bolsa-educação mensal (durante a realização do curso) a ser definido em edital b) Reembolso de despesas para aquisição de livros e publicações técnicas para a ser definido em edital mestrado PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA VALOR (R$) SEBRAE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (MESTRADO) NO BRASIL, EM OUTROS ESTADOS a) Bolsa-educação mensal (durante a realização do curso) a ser definido em edital b) Passagens (ida e volta) em casos de cursos fora de Brasília-DF fornecida pelo SEBRAE c) Reembolso de despesas para aquisição de livros e publicações técnicas para mestrado a ser definido em edital 15. DOS VALORES PARA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (MESTRADO) NO ETERIOR: 15.1 O SEBRAE custeará para o pós-graduando, após aprovado pela Instituição Acadêmica e pelo Processo Seletivo do SEBRAE, os itens e valores a seguir: PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA SEBRAE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (MESTRADO) TOTALMENTE NO ETERIOR VALOR (R$) a) Bolsa-educação mensal (durante a realização do curso) a ser definido em edital b) Passagens (ida e volta) fornecida pelo SEBRAE c) Seguro fornecido pelo SEBRAE d) reembolso para aquisição de livros e publicações técnicas até os limites de: USA/CANADA U$ VALOR EM DÓLAR AMERICANO Prática de mercado OUTROS PAÍSES U$ OCEANIA/ASIA U$ VALOR EM EURO Prática de mercado EUROPA $ 11

12 12 1,500 ano 1,500 ano 1,700 ano 1,500 ano PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA SEBRAE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (MESTRADO) NO BRASIL E NO ETERIOR VALOR (R$) a) Bolsa-educação mensal (durante a realização do curso) Parte Brasil exceto Brasília valor praticado no Brasil Parte exterior valor praticado para o exterior a ser definido em edital b) Passagens (ida e volta) fornecida pelo SEBRAE c) Reembolso de despesas para aquisição de livros e publicações técnicas para mestrado a ser definido em Parte Brasil valor praticado no Brasil edital Parte exterior valor praticado para o exterior fornecido pelo d) Seguro (parte exterior) SEBRAE e) reembolso para aquisição de livros e publicações técnicas até os limites de (parte exterior): USA/CANADA U$ VALOR EM DÓLAR AMERICANO Prática de mercado OUTROS PAÍSES U$ OCEANIA/ASIA U$ VALOR EM EURO Prática de mercado EUROPA $ 1,500 ano 1,500 ano 1,700 ano 1,500 ano 16. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS 16.1 A participação do Programa de Educação Continuada da Universidade Corporativa SEBRAE implica a aceitação deste regulamento Os autores das dissertações premiadas comprometem-se a aceitar as adaptações necessárias, propostas pela Comissão Avaliadora, para viabilizar a sua publicação Periodicamente haverá publicação de edital com o detalhamento das informações complementares ao regulamento Todas as comunicações com os candidatos serão feitas pela Universidade Corporativa SEBRAE Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria do SEBRAE.

13 16.6 Este regulamento entra em vigor na data de sua publicação. ANEO 1 TOTAL DE 05 VAGAS PROPOSIÇÕES PARA O PROGRAMA DE MESTRADO TEMÁTICA SELECIONADA NÍVEL DE PRIORIDADE TEMAS ÁREAS SUB-ÁREAS Design Estratégico - Entender as habilidades de planejamento estratégico e > Develop personal entrepreneurship> Develop the necessary attitude to manage complexitya atitude necessária para gerenciar a complexidade de produtos e serviços; - Develop the competencies to generate corporate visiondesenvolver as competências para gerir > Acquire the skills to understand complexity> Acquire management skills for strategic design projects projetos de design estratégico desenvolvendo visão corporativa; INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE Economia digital, empreendedorismo digital, as redes sociais, as mídias sociais: - Acquire the tools necessary to communicate strategic design projectsadquirir as ferramentas necessárias para comunicar projetos de design estratégico; - Empreendedorismo na virtualidade. Desafios dos modelos de negócios para empreendimentos digitais na era da computação em nuvens. - Negócios digitais e inovação aberta em MPEs: modelos e fatores. -Empreendedorismo, inovação e propriedade intelectual nas pequenas empresas. Inovação e Tecnologia para Pequenos Negócios Gestão da Inovação: A transição necessária para pequenos negócios inovadores. Entender como se dá o processo de Gestão da Inovação para os pequenos negócios Idéia, pesquisa, Criação, apropriação e multiplicação de conhecimentos; - Entender conceito de valor para a propriedade intelectual dos pequenos negócios; Competitividade - Competitividade e sustentabilidade. Compatibilidade ou antítese? 13

14 14 - Desafios competitivos das MPEs brasileiras. O imperativo da inovação - Desafios competitivos das MPEs brasileiras. O imperativo da internacionalização TEMÁTICA SELECIONADA NÍVEL DE PRIORIDADE TEMAS ÁREAS SUB-ÁREAS Novos segmentos de negócios decorrentes do paradigma da sustentabilidade. - Desastres climáticos, efeitos e soluções para a melhoria da gestão das micro e pequenas empresas brasileiras. - Geração de empregos verdes nas micro e pequenas empresas. - A Política Nacional de Resíduos Sólidos e o impacto de sua implantação nas MPE. - Grau de adoção de práticas sustentáveis entre as MPE brasileiras. - Estratégias e abordagens para engajamento de MPE em práticas de negócios mais sustentáveis. SUSTENTABILIDADE Desenvolvimento Sustentável - O lugar dos pequenos negócios na agenda da sustentabilidade: A influência da ECO92 e seus desdobramentos -Cooperativas de reciclagem e sua contribuição para o desenvolvimento sustentável de comunidades. - inclusão produtiva, contribuição das MPE, redes de conhecimento, economia verde, modelos de eco negócios Ecoempreendedorismo: Como as MPEs podem aproveitar as oportunidades da economia verde? - Biodiversidade e sustentabilidade: pequenos negócios em áreas protegidas (unidades de conservação da natureza- UCNs) - Integrando a sustentabilidade na equação de competitividade. Sustentabilidade como condição para a competitividade no longo prazo Cadeia de Valor dos produtos recicláveis Reciclagem Industrial Desenvolvimento Tecnológico de Produtos Verdes e Recicláveis 14

15 TEMÁTICA SELECIONADA Regulamento NÍVEL DE PRIORIDADE TEMAS ÁREAS SUB-ÁREAS Intra-empreendedorismo. Empreendendo dentro das corporações. Fazendo mais e melhor com menos. - Entender os fundamentos do processo empreendedor, a estrutura de um plano de negócios real e a simulação de lançamento de negócios; EMPREENDEDORISMO E GESTÃO Empreendedorismo - Entender sobre Governança empresarial e responsabilidade social no processo criativo e de empreender; Entender sobre o ambiente atual de negócios (econômico, social e de educação) para a criação de projetos empreendedores /inovadores tanto no âmbito de entidades fomentadoras do empreendedorismo e da inovação quanto para pequenas empresas; -Fatores diferenciadores do empreendedorismo feminino. -Uma avaliação da contribuição do movimento das incubadoras para a cultura empreendedora brasileira. -Avaliação metodológica da Pesquisa GEM Global Entrepreneurship Monitor e comparativo com outros estudos internacionais sobre empreendedorismo. -Motivações e expectativas do jovem empreendedor brasileiro. -De David McClelland às abordagens e teorias mais recentes sobre empreendedorismo: contribuição para a formulação de novas soluções Sebrae. EMPREENDEDORISMO E GESTÃO Empreendedor Individual: Cooperativismo e Associativismo -Desafio Sebrae: avaliação do seu papel no surgimento de uma nova geração de jovens empreendedores no país. -Primeira empresa versus primeiro emprego: como o jovem encara a abertura de um negócio? - Redução da Informalidade e a institucionalização do Empreendedor Individual no Brasil; -Empreendedor Individual Urbano e Rural: diferenças e similaridades; -Fatores e antecedentes para a formalização de Empreendedores Individuais; Obs: Outros problemas de pesquisa nessa temática podem ser sugeridos, em virtude do pouco conhecimento que dispomos desse público para a formulação de políticas, programas e soluções adequadas. -Atuação em rede, cultura da cooperação e estratégias competitivas em empreendimentos coletivos. -Efetividade dos mecanismos de apoio ao associativismo no país e impactos sobre o desenvolvimento desses empreendimentos

16 16 TEMÁTICA SELECIONADA NÍVEL DE PRIORIDADE TEMAS ÁREAS TEMAS EMPREENDEDORISMO E GESTÃO Mercado e Finanças Gestão Acesso a Mercado para Pequenos Negócios Logistica - Gestão nas pequenas empresas. Uma outra escala de gestão? O tamanho altera os fundamentos da gestão empresarial? Ou a mesma gestão para as grandes se aplica para as pequenas empresas? Uma pequena empresa é uma grande empresa de pequeno porte? - Entender como integrar a gestão por projetos multidisciplinares e multifuncionais, orientados para o ambiente interno e externo das organizações; - Entender a definição e implementação de políticas de gestão de carteiras de projetos; - Entender como gerir com eficácia os conflitos e condução de negociações de acordos entre parceiros e público-alvo dos projetos; - Identificar os fatores críticos de sucesso e de melhorias em projetos; - Entender as questões complexas relacionadas a Monitoramento e evolução de projetos por resultados; -Cadeias globais de valor e a inserção de MPE como estratégia de acesso a novos mercados. Encadeamento empresarial: inserção de MPE, modelos de analise, instrumentos de estimulo, mensuração -Práticas de comércio eletrônico entre as MPE brasileiras. -Oportunidades para as MPE decorrentes da emergência da nova classe média brasileira. -Globalização do mercado brasileiro e seus impactos sobre as micro e pequenas empresas do setor indústria. -O papel do Exporta Fácil para a entrada das micro e pequenas empresas no comércio exterior. -Mudanças e impactos da competição de produtos chineses no mercado doméstico sobre a pequena indústria brasileira. Gestão da Cadeia de Suprimentos Supply Chain Management Gestão de devoluções e retornos, Logística Reversa Reverse and Return Logisitics Management Tecnologias de Gestão da Cadeia de Suprimentos Supply Chain Management Technologies Processo Estratégico de Compras - Strategic Sourcing Gestão de Risco de Suprimentos 16 Microcrédito e Micro finanças Processos de Suprimentos -Papel do microcrédito no crescimento de microempresas. - Impacto do microcrédito como mecanismo de empoderamento e inclusão social e econômica de mulheres empreendedoras. TEMÁTICA SELECIONADA NÍVEL DE PRIORIDADE TEMAS ÁREAS SUB-ÁREAS

17 Domínio de ações de comunicação que as empresas podem utilizar por meio da Internet e da telefonia celular e outros meios digitais para divulgar e comercializar seus produtos, conquistar novos clientes e melhorar sua rede de relacionamento. x Mercado e Finanças Marketing Digital Domínio de ações de Marketing Estratégicas e Operacionais para a promoção de produtos ou serviços por meio da utilização de canais de distribuição eletrônicos para chegar aos clientes com maior rapidez e eficiência. Domínio de Gestão de Relacionamento com o Cliente, que possam contribuir para criar e manter um bom relacionamento com os clientes armazenando e interrelacionando de forma inteligente, informações sobre suas atividades e interações com a empresa, a partir de ferramentas como: CRM; E-Product Marketing; E-Research; E-Pricing ; E-Promotion;E-Audit; E-Commerce;E-Advertising E-Branding; Trade E-Marketing; E-Communication. x x - Competitividade no setor de serviços desafios da centralidade na formação de mão-de-obra, na qualificação dos recursos humanos para uma estratégia competitiva no setor de serviços; - Inovação em serviços- em especial a importância das tecnologias da informação e comunicação e da co-inovação ou da inovação compartilhada (clientes e fornecedores). Economia de Serviços Economia de Serviços: - Redes de serviços desafios gerenciais e tecnológicos; - A formalização da economia de serviços a transição de uma economia de serviços informal, onde qualquer um pode abrir um negócio baseado em sua experiência de produzir serviços, para uma economia formal, normatizada, regulada, onde não será mais possível ser informal; - A transversalidade do setor de serviços- importância estratégica para os demais setores; - Encadeamentos empresariais na economia de serviços como o setor de serviços pode adotar estratégias vencedoras que já se aplicam na economia industrial. Como se estimula a geração, a logística e o marketing dos serviços de alto valor agregado ( onde pesquisar fontes e formas de acesso ao conhecimento desses serviços) - Como se constrói estratégias de comunicação de serviços diferenciados em mega eventos, redes sociais, mídias, outros veículos, - Como as pequenas empresas podem alavancar partners para desenvolvimento de serviços inovadores em gestão e tecnologia; 17

18 TEMÁTICA SELECIONADA NÍVEL DE PRIORIDADE TEMAS ÁREAS SUB-ÁREAS Economia de Serviços Economia Criativa - o estado da arte da economia criativa no Brasil - da economia da cultura à economia criativa (culturalização da economia) - inventário da infra-estrutura, modelos de negócios e canais de distribuição da economia criativa no Brasil (música, design, software, arquitetura, literatura, artes cênicas, festivais, áudio-visual, propaganda, etc), - mercado da economia criativa no Brasil (incentivos fiscais, filantropia, produção cultural, plataformas de comercialização, encadeamentos empresariais/âncoras que coordenam as cadeias, etc); - mercado para economia criativa. inventário dos festivais e shows brasileiros na perspectiva de encadeamentos de negócios serviços de suporte; - cara brasileira identidade e negócios atualização do trabalho realizado em 2000, renovando as hipóteses de aplicação concreta nos negócios pelas MPEs; - desafios de gestão dos negócios da economia criativa - o aparente conflito entre ser criativo e ser empreendedor, ser criativo e ser gestor de sua criatividade; - economia criativa como economia da experiência - quando as narrativas, as estórias e as vivências são as experiências de fruição de produtos e serviços demandados pelo clientes. 18 Desenvolvimento Territorial e Políticas Públicas Gestão de Arranjos Produtivos Locais Desenvolvimento Territorial Políticas Públicas -A Influência de redes institucionais locais para a competitividade de MPEs em APLs. -Metodologias para construção de indicadores de desenvolvimento territorial. -Capital social, poder local e a participação das MPE no desenvolvimento territorial. Políticas públicas, serviços de apoio empresarial e a gestão dos empreendimentos da economia solidária. 18

19 ANEO 2 Regulamento REQUERIMENTO DE SOLICITAÇÃO DE BOLSA EDUCAÇÃO AO SEBRAE NACIONAL Pelo presente, eu, (nome), (nacionalidade) _, (estado civil) _, residente e domiciliado no (endereço completo), contratado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE, ocupante do espaço ocupacional _, matrícula _, referência salarial, tendo sido aprovado em processo seletivo de ingresso no Programa de Pós-Graduação stricto sensu em nível de, com duração de ( _ ) meses, com início em / /, na (universidade) _, em (cidade), (estado) _, (país), solicito bolsa-educação, de acordo com Regulamento que rege o Programa de Educação Continuada - pós-graduação stricto sensu (mestrado) - UCSebrae, para a elaboração de dissertação cujo objeto de estudos versa sobre: (expor resumo de seu projeto de pesquisa indicando a (s) área (s) de interesse do SEBRAE e futura aplicação dos conhecimentos desenvolvidos) Por fim, o projeto de pesquisa se justifica pelo fato de: (justificar a compatibilidade do conteúdo programático com as atividades que vem desempenhando e com as metas estratégicas e funcionais desempenhadas no SEBRAE) Pede Deferimento,, de de. Empregado: 19

20 ANEO 3 20 ESTRUTURA DE PROJETO DE DISSERTAÇÃO SUGERIDA 1. Título 2. Tema 3. Resumo 4. Problema de Pesquisa 5. Objetivos 6. Hipótese 7. Metodologia 8. Orçamento 9. Cronograma 10. Bibliografia 1. Identificação do projeto A. Título do Projeto (Indicar o título do projeto; o título deve ser conciso) B. Orientador do Projeto (Indicar o nome, telefone, fax e ) C. Duração do Projeto D. Instituição de Ensino Superior / Programa de Mestrado / Linha de Pesquisa E. Investimentos Previstos G. Palavras-chave (Fornecer pelo menos 3 palavras-chave que descrevam a pesquisa relacionada ao projeto) H. Categoria da pesquisa (Acadêmica ou Profissional) I. Tema de pesquisa (Indicar o tema principal abordado na pesquisa, verificando as definições do Manual) 2. Objetivos, justificativas e revisão bibliográfica A. Objetivos do Projeto (Descrever os objetivos mensuráveis do projeto e os resultados esperados) B. Justificativas do Projeto C. Revisão Bibliográfica (Fornecer sumário da revisão bibliográfica) 3. Benefícios do Projeto A. Consumidores/beneficiários diretos do projeto (Identificar claramente os consumidores/beneficiários potenciais dos resultados da pesquisa) B. Transferência/difusão tecnológica (Descrever como os resultados do projeto serão transferidos aos consumidores/beneficiários diretos / Resultados esperados do projeto) 4. Metodologia da pesquisa 20 A. Diretrizes metodológicas (Descrever a metodologia a ser seguida para a pesquisa salientando seu aspecto inovador)

a. ser empregado do quadro permanente do SEBRAE Nacional; Edital

a. ser empregado do quadro permanente do SEBRAE Nacional; Edital SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA SEBRAE - UCSEBRAE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO 1º Edital/2011 EDITAL

Leia mais

REGULAMENTO. UCSebrae Alzira de Fátima Vieira Hebe B. Nóbrega. Versão Atualizada Sugestões das Diretorias DAF, DITEC e PRESI

REGULAMENTO. UCSebrae Alzira de Fátima Vieira Hebe B. Nóbrega. Versão Atualizada Sugestões das Diretorias DAF, DITEC e PRESI SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA SEBRAE - UCSEBRAE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO REGULAMENTO UCSebrae

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA SEBRAE - UCSEBRAE

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA SEBRAE - UCSEBRAE SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA SEBRAE - UCSEBRAE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO 1º Edital/2011 EDITAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL Nº 06, DE 18 DE AGOSTO DE 2014. PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

Leia mais

PEC-PG CNPq e CAPES. 8. Recomendações

PEC-PG CNPq e CAPES. 8. Recomendações PEC-PG CNPq e CAPES 8. Recomendações a) O Estudante-Convênio deverá matricular-se no primeiro semestre letivo do ano imediatamente subseqüente ao que se candidatou ao PEC-PG. Poderá, no entanto, ser concedida

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO

PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO EDITAL Nº. 01/2008 O Presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico FUNCAP, Prof. Tarcísio

Leia mais

EDITAL Nº 01/2009-DPPG

EDITAL Nº 01/2009-DPPG EDITAL Nº 01/2009-DPPG A Diretoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, no uso de suas atribuições, torna público que estão abertas as

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS SELEÇÃO INTERNA

Leia mais

EDITAL N 034/2014/GAB, de 18 de agosto de 2014

EDITAL N 034/2014/GAB, de 18 de agosto de 2014 EDITAL N 034/2014/GAB, de 18 de agosto de 2014 PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL (PIQP) DOS SERVIDORES DO IF CATARINENSE - CAMPUS RIO DO SUL

Leia mais

Programa Institucional de Bolsas e Auxílios para Ações de Extensão. PIBAEX

Programa Institucional de Bolsas e Auxílios para Ações de Extensão. PIBAEX Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul Programa Institucional de Bolsas e Auxílios para Ações de Extensão. PIBAEX MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E EXTENSÃO PRAÇA DAS PROFISSÕES

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E EXTENSÃO PRAÇA DAS PROFISSÕES Edital Praça das Nº 1-2015 Seleção de Bolsistas e Voluntários -2016 Aos estudantes dos Cursos de Graduação da UFCG: A Unidade Suplementar Praça das, desta Universidade, nos termos das disposições normativas

Leia mais

EDITAL PARA BOLSAS PNPD/CAPES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA INDUSTRIAL

EDITAL PARA BOLSAS PNPD/CAPES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA INDUSTRIAL EDITAL PARA BOLSAS PNPD/CAPES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA INDUSTRIAL 1. FINALIDADE: 1.1. Abrir as inscrições e estabelecer as condições de seleção para ingresso de bolsistas PNPD/CAPES no

Leia mais

FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT

FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT 1 FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT Dispõe sobre a estruturação e operacionalização do Programa de Iniciação Científica

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 40/2012, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 40/2012, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO RESOLUÇÃO Nº 40/2012, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2012 Dispõe sobre a regulamentação do programa institucional

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS NA UNICESUMAR

REGULAMENTO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS NA UNICESUMAR 1 REGULAMENTO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS NA UNICESUMAR Com a finalidade de acompanhar a participação de seus estudantes de graduação APROVADOS no Programa Ciência sem Fronteiras (PCsF), o Centro

Leia mais

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão EDITAL DE APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS ACADÊMICOS, CIENTÍFICOS E TECNOLÓGICOS, ESTÁGIOS DE CURTA DURAÇÃO E CURSOS DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EDITAL No. 010/GPG/2015 A Universidade CEUMA, por meio

Leia mais

NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA/QUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC

NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA/QUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA/QUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC O curso de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia/Química da Universidade Federal do ABC (UFABC) está

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO EDITAL PROPED 01/2012 Pré-seleção de alunos para o Programa Ciência Sem Fronteiras CNPq A Universidade Federal

Leia mais

Programa Nota CAPES COTA

Programa Nota CAPES COTA PROGRAMA DE BOLSAS FAPESB - COTAS INSTITUCIONAIS MESTRADO PROFISSIONAL, MESTRADO E DOUTORADO 1. INTRODUÇÃO A FAPESB tem como um de seus principais objetivos apoiar a formação científica através da concessão

Leia mais

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I RESOLUÇÃO N. 001/2007 ANEXO NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I 1. Conceituação As normas relativas à concessão de Bolsas de Formação, de Pesquisa

Leia mais

INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE A Direção Geral da Faculdade Independente do Nordeste, com vistas à chamada para seleção de alunos para o Programa Ciência

Leia mais

Regulamento Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica Sênior do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá

Regulamento Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica Sênior do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá Regulamento Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica Sênior do I. CONSIDERAÇÕES GERAIS ART. 1º - Este regulamento tem por objetivo orientar a apresentação, tramitação, aprovação, execução,

Leia mais

Universidade Federal de Alagoas UFAL Instituto de Computação IC Programa de Pós-Graduação em Informática PPGI

Universidade Federal de Alagoas UFAL Instituto de Computação IC Programa de Pós-Graduação em Informática PPGI EDITAL 01/2015-PPGI/UFAL EDITAL DE SELEÇÃO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES 2015 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA PPGI O Programa de Pós-Graduação em Informática da Universidade Federal

Leia mais

Edital p/ seleção de bolsistas para preenchimento de vagas remanescentes do PROSUP-CAPES, no Curso de Mestrado de Direito

Edital p/ seleção de bolsistas para preenchimento de vagas remanescentes do PROSUP-CAPES, no Curso de Mestrado de Direito Edital p/ seleção de bolsistas para preenchimento de vagas remanescentes do PROSUP-CAPES, no Curso de Mestrado de Direito Seleção de Bolsas de Estudos e Taxas Escolares concedidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento

Leia mais

EDITAL Nº. 01/2014 PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE BOLSAS DE EXTENSÃO

EDITAL Nº. 01/2014 PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE BOLSAS DE EXTENSÃO EDITAL Nº. 01/2014 PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE BOLSAS DE EXTENSÃO A Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Regional do Cariri URCA, no uso de suas atribuições legais, torna público a todos os Campi e

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF)

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) Introdução O Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EDITAL 04 / 2010

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EDITAL 04 / 2010 CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EDITAL 04 / 2010 A Companhia de Desenvolvimento de Vitória CDV torna público o presente Edital e comunica que receberá solicitações de financiamento de bolsas

Leia mais

Universidade Federal de Rondônia. Núcleo de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História e Estudos Culturais

Universidade Federal de Rondônia. Núcleo de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História e Estudos Culturais Universidade Federal de Rondônia Núcleo de Ciências Humanas Programa de Pós-Graduação em História e Estudos Culturais EDITAL Nº 05/NCH/2014 CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO O Colegiado do Mestrado em História

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO Art. 1º As atividades de Pesquisa da Universidade de Santo Amaro UNISA buscam fomentar o conhecimento por meio da inovação técnica, científica, humana, social e artística,

Leia mais

Mestrado Profissional em Administração Centro Universitário Álvares Penteado

Mestrado Profissional em Administração Centro Universitário Álvares Penteado PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO (ênfase em Finanças) - PERÍODO LETIVO 2º SEMESTRE DE 2015 - E D I T A L O Centro Universitário FECAP, mantido

Leia mais

Colegiado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Veterinárias

Colegiado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Veterinárias MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS Colegiado do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

EDITAL PPG-ICAL N 24/2015 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES

EDITAL PPG-ICAL N 24/2015 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INTEGRAÇÃO CONTEMPORÂNEA DA AMÉRICA LATINA EDITAL PPG-ICAL

Leia mais

EDITAL DE BOLSAS DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

EDITAL DE BOLSAS DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL DE BOLSAS DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Rubens Guilhemat, Secretário Geral do Centro Universitário Sant Anna, no uso de suas atribuições torna público o presente EDITAL que regerá o Processo

Leia mais

Comitê Gestor Institucional de Formação Inicial e Continuada de Profissionais do Magistério da Educação Básica

Comitê Gestor Institucional de Formação Inicial e Continuada de Profissionais do Magistério da Educação Básica Comitê Gestor Institucional de Formação Inicial e Continuada de Profissionais do Magistério da Educação Básica CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO DE COORDENADOR PEDAGÓGICO PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO

Leia mais

EDITAL nº 09/15 PROGRAMA DE BOLSAS DE SUSTENTABILIDADE/RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO DO CEARÁ 2015.

EDITAL nº 09/15 PROGRAMA DE BOLSAS DE SUSTENTABILIDADE/RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO DO CEARÁ 2015. EDITAL nº 09/15 PROGRAMA DE BOLSAS DE SUSTENTABILIDADE/RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO DO CEARÁ 2015. A REITORA do Centro Universitário Estácio do Ceará, no uso de suas atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

2º. Seção 2 - Das Inscrições Artigo 2º. Artigo 3º. Artigo 4º. Seção 3 Da Constituição da Comissão de Bolsas/Capes Artigo 5º. Artigo 6º.

2º. Seção 2 - Das Inscrições Artigo 2º. Artigo 3º. Artigo 4º. Seção 3 Da Constituição da Comissão de Bolsas/Capes Artigo 5º. Artigo 6º. EDITAL Nº. 47/2014 Processo Seletivo Discente Concessão de Benefícios do Prosup, Bolsas e Taxas Curso de Mestrado do No período de 6 a 20 de maio de 2014, estarão abertas as inscrições para o processo

Leia mais

Resolução N 0 06/2010 Edital de Ingresso 1º Semestre de 2011

Resolução N 0 06/2010 Edital de Ingresso 1º Semestre de 2011 Universidade Federal de Campina grande CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO Resolução N 0 06/2010 Edital de Ingresso 1º Semestre de 2011 O Colegiado

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/UNIFEI

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/UNIFEI PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/UNIFEI PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CRITÉRIOS E NORMAS A Coordenadora Institucional do Programa Institucional de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL PROCESSO DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS À BOLSA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD/CAPES) O Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Federal de Sergipe (PROSS/UFS) torna público o processo de seleção

Leia mais

EDITAL Nº03/2013 EDITAL DE SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2013/CAPES)

EDITAL Nº03/2013 EDITAL DE SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2013/CAPES) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE/DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM-NÍVEL MESTRADO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 08/2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 08/2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 08/2009 O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico FUNCAP, na pessoa de seu Presidente, no uso de suas atribuições conferidas

Leia mais

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina Programa Estágio de Curta Duração CAPES/Fundação Carolina Edital DRI/CAPES nº. 007/2010 A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria de Relações

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015. EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015. SELEÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS E VOLUNTARIADO EM INICIAÇÃO CIENTÍFICA NAS AÇÕES AFIRMATIVAS (ENSINO

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Art. 1º - O programa de Iniciação Científica da

Leia mais

Universidade Federal de Rondônia. Núcleo de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História e Estudos Culturais

Universidade Federal de Rondônia. Núcleo de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História e Estudos Culturais Universidade Federal de Rondônia Núcleo de Ciências Humanas Programa de Pós-Graduação em História e Estudos Culturais EDITAL Nº 03/2012 CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO O Colegiado do Mestrado em História

Leia mais

PROFLETRAS R E G I M E N T O

PROFLETRAS R E G I M E N T O PROFLETRAS R E G I M E N T O CAPÍTULO I - CAPITULO II - CAPÍTULO III - CAPÍTULO IV - CAPÍTULO V - CAPÍTULO VI - CAPÍTULO VII - CAPÍTULO VIII - Das Finalidades Das Instituições Associadas Da Organização

Leia mais

Curso Vagas Função. Executor (Perfis 1 e 2) 16 Orientador de TCC (Perfil 5) 20 Tutor Virtual. Administração Pública

Curso Vagas Função. Executor (Perfis 1 e 2) 16 Orientador de TCC (Perfil 5) 20 Tutor Virtual. Administração Pública EDITAL Nº 01/2014. Seleção Pública para Professores Executores, Orientadores de TCC e Tutores Virtuais do Curso de Bacharelado em Administração Pública e Professores Executores do Curso de Licenciatura

Leia mais

ORIENTAÇÃO AOS ALUNOS DE TURMAS ANTERIORES 2008.1

ORIENTAÇÃO AOS ALUNOS DE TURMAS ANTERIORES 2008.1 ORIENTAÇÃO AOS ALUNOS DE TURMAS ANTERIORES 2008.1 1.- Objetivos do Curso de Mestrado: a. Formação de professores para o magistério superior; b. Formação de pesquisadores; c. Capacitação para o exercício

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO CAPITULO I DAS FINALIDADES Art. 1º - Os cursos de pós-graduação da UNIABEU são regidos pela Lei Federal 9394/96 Lei de Diretrizes

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÍMULO A FORMAÇÃO DE PESQUISADORES

PROGRAMA DE ESTÍMULO A FORMAÇÃO DE PESQUISADORES PROGRAMA DE ESTÍMULO A FORMAÇÃO DE PESQUISADORES O objetivo deste Regulamento é apresentar o Programa de Estímulo a Formação de Pesquisadores e definir os critérios para concessão de bolsas de estudo aos

Leia mais

EDITAL 02/2015 PPG IELA

EDITAL 02/2015 PPG IELA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL 02/2015 PPG IELA SELEÇÃO PARA BOLSAS DO PROGRAMA DE BOLSAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO

Leia mais

Governo do Distrito Federal Secretaria de Estado de Saúde Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde Escola Superior de Ciências da Saúde

Governo do Distrito Federal Secretaria de Estado de Saúde Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde Escola Superior de Ciências da Saúde A Escola Superior em Ciências da Saúde ESCS, mantida pela Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde FEPECS e vinculada à Secretaria de Saúde do Distrito Federal torna público a chamada de inscrição

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE - UFS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA POSGRAP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS HÍDRICOS - PRORH

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE - UFS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA POSGRAP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS HÍDRICOS - PRORH EDITAL PRORH/POSGRAP/UFS N 03/2014 PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO ABERTURA DE SELEÇÃO PARA CANDIDATO A BOLSA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES PARA ATUAR NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

EDITAL PROPEG Nº 005/2013 EXAME DE SELEÇÃO PARA A 5ª TURMA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM OBSTÉTRICA - CEEO - VAGAS REMANESCENTES

EDITAL PROPEG Nº 005/2013 EXAME DE SELEÇÃO PARA A 5ª TURMA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM OBSTÉTRICA - CEEO - VAGAS REMANESCENTES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO DESPORTO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO ACRE EDITAL PROPEG Nº 005/2013 EXAME DE SELEÇÃO PARA A

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PIC

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PIC EDITAL N. º 01/2014 Convocação de Projetos de Pesquisa para Programa de Iniciação Científica Unitri A Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão (PPPGE) torna público o presente Edital de âmbito

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS E AUXÍLIOS PARA ATIVIDADES DE EXTENSÃO (PIBAEX) DO INSTITUTO FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL (IFMS)

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS E AUXÍLIOS PARA ATIVIDADES DE EXTENSÃO (PIBAEX) DO INSTITUTO FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL (IFMS) PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS E AUXÍLIOS PARA ATIVIDADES DE EXTENSÃO (PIBAEX) DO INSTITUTO FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL (IFMS) CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 O Programa Institucional de Bolsas e Auxílios

Leia mais

Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção EDITAL 1S/2016 BOLSA DE ESTUDOS

Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção EDITAL 1S/2016 BOLSA DE ESTUDOS EDITAL 1S/2016 BOLSA DE ESTUDOS EDITA NORMAS PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS A BOLSA DE ESTUDOS PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO NOS CURSOS DE DOUTORADO E MESTRADO O

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL REGULAMENTO GERAL PARA AFASTAMENTO DE SERVIDOR DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO PARA

Leia mais

EDITAL Nº 006 SELEÇÃO PÚBLICA Inmetro - 2014 CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM METROLOGIA E QUALIDADE

EDITAL Nº 006 SELEÇÃO PÚBLICA Inmetro - 2014 CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM METROLOGIA E QUALIDADE Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR. INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO EDITAL Nº 006 SELEÇÃO PÚBLICA Inmetro - 2014 CURSO

Leia mais

Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde - EPISUS

Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde - EPISUS Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde - EPISUS RN-005/2009 A Vice-Presidente do CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO - CNPq,

Leia mais

PROGRAMA FACENS SEM FRONTEIRAS - FsF MOBILIDADE ACADÊMICA Edital Lleida 002 Maio de 2015

PROGRAMA FACENS SEM FRONTEIRAS - FsF MOBILIDADE ACADÊMICA Edital Lleida 002 Maio de 2015 PROGRAMA FACENS SEM FRONTEIRAS - FsF MOBILIDADE ACADÊMICA Edital Lleida 002 Maio de 2015 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 O Programa FACENS sem Fronteiras objetiva propiciar a complementação da formação dos nossos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 041 CONSUPER/2013

RESOLUÇÃO Nº 041 CONSUPER/2013 RESOLUÇÃO Nº 041 CONSUPER/2013 Dispõe sobre os procedimentos a serem adotados no Programa Institucional de Incentivo a Qualificação/Stricto Sensu, em nível de Mestrado e Doutorado dos Servidores do Instituto

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU R E G I M E N T O G E R A L PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Regimento Geral PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Este texto foi elaborado com as contribuições de um colegiado de representantes da Unidades Técnico-científicas,

Leia mais

EDITAL PPGMDS/UFPB 02/2013 - PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE COTA DE BOLSA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO (PNPD/CAPES - 2013)

EDITAL PPGMDS/UFPB 02/2013 - PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE COTA DE BOLSA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO (PNPD/CAPES - 2013) EDITAL PPGMDS/UFPB 02/2013 - PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE COTA DE BOLSA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO (PNPD/CAPES - 2013) A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Modelos de Decisão

Leia mais

EDITAL No. 01 de 2015 PROGRAMA SANTANDER DE BOLSAS DE EDUCAÇÃO

EDITAL No. 01 de 2015 PROGRAMA SANTANDER DE BOLSAS DE EDUCAÇÃO EDITAL No. 01 de 2015 PROGRAMA SANTANDER DE BOLSAS DE EDUCAÇÃO O Centro Universitário Municipal de Franca - Uni-FACEF, por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Desenvolvimento Comunitário, divulga

Leia mais

EDITAL Nº 01/2015, DE 15 DE ABRIL DE

EDITAL Nº 01/2015, DE 15 DE ABRIL DE Edital nº 01, de 15 de abril de 2015, da Universidade Federal de Pelotas UFPEL, referente ao processo seletivo simplificado, para a função temporária de TUTOR PRESENCIAL para atuar no Curso de Especialização

Leia mais

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Núcleo de Relações Internacionais

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Núcleo de Relações Internacionais Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Núcleo de Relações Internacionais EDITAL Nº 13/GPG/2015 PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE BOLSAS DE EDUCAÇÃO SANTANDER UNIVERSIDADES

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando que o projeto dos cursos

Leia mais

Instrução Normativa xx de... 2014.

Instrução Normativa xx de... 2014. REGULAMENTO PARA AFASTAMENTO DE SERVIDORES DOCENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL PARA CAPACITAÇÃO EM PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU E PÓS-DOUTORADO

Leia mais

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT CIC) DIRETRIZES

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT CIC) DIRETRIZES PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT CIC) DIRETRIZES SOBRE O PROGRAMA Em 2012 a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico

Leia mais

EDITAL 016/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2015

EDITAL 016/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO CÂMPUS CAPIVARI EDITAL 016/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2015 O Diretor do câmpus Capivari do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT

EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO IFAM Maio

Leia mais

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI Programa CAPES- Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES, Fundação Pública, criada pela Lei nº. 8.405, de 09 de janeiro de

Leia mais

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal A Fundação Escola Nacional de Administração Pública (Enap) torna público o regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal.

Leia mais

Art. 2º Revogar a Portaria nº 112, de 01 de agosto de 2008. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. JORGE ALMEIDA GUIMARÃES

Art. 2º Revogar a Portaria nº 112, de 01 de agosto de 2008. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. JORGE ALMEIDA GUIMARÃES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR PORTARIA Nº 140, DE 1º DE JULHO DE 2010 O PRESIDENTE DA COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR -

Leia mais

PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO CAMPUS ARARANGUÁ DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010

PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO CAMPUS ARARANGUÁ DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010 PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010 CHAMADA DE PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EXECUÇÃO: 19 DE ABRIL DE 2010 A 10 DE MAIO DE 2010

Leia mais

ITPA C P O R TO. Coppex. Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão

ITPA C P O R TO. Coppex. Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão Coppex ITPA C P O R TO Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO PROBEX NORMAS E POLÍTICAS DE FOMENTO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O presente

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PORTO - COOPERAÇÃO COM PAÍSES LUSÓFONOS E LATINO-AMERICANOS

UNIVERSIDADE DO PORTO - COOPERAÇÃO COM PAÍSES LUSÓFONOS E LATINO-AMERICANOS UNIVERSIDADE DO PORTO - COOPERAÇÃO COM PAÍSES LUSÓFONOS E LATINO-AMERICANOS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, REFERENTE A PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA NA UNIVERSIDADE DO PORTO (U. PORTO)

Leia mais

Centro Institucional de Pesquisa

Centro Institucional de Pesquisa Centro Institucional de Pesquisa Edital do Programa de Iniciação Científica (PIC UNISANTA) 01/2014 Dispõe sobre as normas contidas no Edital processo de chamada de propostas de projetos de iniciação científica

Leia mais

EDITAL Nº. 32/13 - DG TESTE SELETIVO PARA A CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR COLABORADOR I

EDITAL Nº. 32/13 - DG TESTE SELETIVO PARA A CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR COLABORADOR I EDITAL Nº. 32/13 - DG TESTE SELETIVO PARA A CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR COLABORADOR I O Diretor Geral das Faculdades Integradas do Brasil torna público que estão abertas as inscrições para o teste seletivo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS O Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Políticas Públicas, com cursos em níveis de mestrado acadêmico

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 07/2014 Aprova a criação do Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu, denominado

Leia mais

EDITAL 040/2015 Mestrado Acadêmico em Computação Aplicada

EDITAL 040/2015 Mestrado Acadêmico em Computação Aplicada EDITAL 040/2015 Mestrado Acadêmico em Computação Aplicada O Vice-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Prof. Dr. Valdir Cechinel Filho, no uso

Leia mais

BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE

BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE AVISO ETENE/FUNDECI - 07/2007 APOIO A ELABORAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES SOBRE DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE

Leia mais

CHAMADA 001/2014. III Renovar os quadros nos Programas de Pós-Graduação nas instituições de ensino superior e de pesquisa.

CHAMADA 001/2014. III Renovar os quadros nos Programas de Pós-Graduação nas instituições de ensino superior e de pesquisa. CHAMADA 001/2014 O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Turismo e Hospitalidade Mestrado (PPGTURH), da Universidade de Caxias do Sul - UCS, no uso das atribuições regimentais que lhe são conferidas,

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA 2014

CHAMADA PÚBLICA 2014 EDITAL N º 34/PROPPI/2014 CÂMPUS URUPEMA CHAMADA PÚBLICA 2014 PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS TÉCNICOS COM FINALIDADE DIDÁTICO-PEDAGÓGICA EM CURSOS REGULARES NO CÂMPUS URUPEMA EXECUÇÃO:

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO (ênfase em Finanças)

PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO (ênfase em Finanças) PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO (ênfase em Finanças) - PERÍODO LETIVO 1º SEMESTRE DE 2016 - E D I T A L O, mantido pela Fundação Escola

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Secretaria de Gestão com Pessoas SEGESPE

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Secretaria de Gestão com Pessoas SEGESPE PROGRAMA DE INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO PARA BOLSA AUXILIO GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO (Lato Sensu e Stricto Sensu), EM CONFORMIDADE COM A LEI 11.091 DE 12 DE JANEIRO DE 2005 E DECRETO 5.707 DE 23 DE FEVEREIRO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - UNIVASF PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRPPGI

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - UNIVASF PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRPPGI FUNDAÇÃO ANTÔNIO PRUDENTE-FAP (AC CAMARGO CANCER CENTER) EDITAL DE INSCRIÇÃO 001/2014-FAP UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - UNIVASF PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRPPGI

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO INSTITUCIONAL À PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU ( PROCAPS)

PROGRAMA DE APOIO INSTITUCIONAL À PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU ( PROCAPS) UNIVERSIDADE TIRADENTES Pró-Reitoria Acadêmica Pró-Reitoria Adjunta de Pós-Graduação e Pesquisa PROGRAMA DE APOIO INSTITUCIONAL À PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU ( PROCAPS) Março de 2006 REGULAMENTO DO PROGRAMA

Leia mais

EXTRATO DO EDITAL N 39/2012 UEPA. PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CAPES/CNPq/UEPA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE.

EXTRATO DO EDITAL N 39/2012 UEPA. PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CAPES/CNPq/UEPA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE. EXTRATO DO EDITAL N 39/2012 UEPA CAPES/CNPq/UEPA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE. A Universidade do Estado do Pará (UEPA), por meio de sua Coordenadoria do Programa Ciência sem Fronteiras UEPA (PCsF-UEPA) e com o

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE Edital PPGPS Nº 01/2015 para Seleção de Candidatos ao PNPD 2015 PROCESSO

Leia mais

Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica PARFOR; ANEXO I MANUAL DE ATRIBUIÇÕES DOS BOLSISTAS DOS CURSOS ESPECIAIS PRESENCIAIS

Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica PARFOR; ANEXO I MANUAL DE ATRIBUIÇÕES DOS BOLSISTAS DOS CURSOS ESPECIAIS PRESENCIAIS Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Educação Básica Presencial - DEB Setor Bancário Norte - Quadra 02 - Bloco L - Lote 6-4º andar CEP: 70.020-040 - Brasília/DF - Telefone:

Leia mais

Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2013/CAPES)

Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2013/CAPES) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE ARTES VISUAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE E CULTURA VISUAL Edital 01/2015

Leia mais

EDITAL PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O MESTRADO ACADÊMICO TURMA 2014

EDITAL PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O MESTRADO ACADÊMICO TURMA 2014 Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo EDITAL PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O MESTRADO ACADÊMICO TURMA 2014 O Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da da Universidade Federal da

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA PROCESSO DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS À BOLSA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD/CAPES)

Leia mais

UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL EDITAL N.º 5/2011

UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL EDITAL N.º 5/2011 EDITAL N.º 5/2011 Edital de abertura de inscrições para seleção de docentes na área de Ciências Sociais Aplicadas, para atuação no Programa de Pós- Graduação Stricto Sensu em Turismo e em ensino, pesquisa

Leia mais

UNIVERSIDADE POSITIVO (UP)

UNIVERSIDADE POSITIVO (UP) UNIVERSIDADE POSITIVO (UP) COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO CPS MESTRADO EM GESTÃO AMBIENTAL 2015 EDITAL N o 267 de 15/08/2014 A UNIVERSIDADE POSITIVO (UP), por sua COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO, doravante

Leia mais