COFEN DEFINE AS ATRIBUIÇÕES DO ENFERMEIRO RT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COFEN DEFINE AS ATRIBUIÇÕES DO ENFERMEIRO RT"

Transcrição

1 INFORMATIVO Nº IMPRESSO E ON-LINE TIRAGEM: AGOSTO COFEN DEFINE AS ATRIBUIÇÕES DO ENFERMEIRO RT O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) publicou a resolução nº 458, no dia 29 de julho, normatizando as condições para a anotação de responsabilidade técnica pelo serviço de enfermagem dos estabelecimentos de serviços de saúde, inclusive, definindo as atribuições do enfermeiro responsável técnico (RT), em substituição às normas anteriores, que foram revogadas expressamente. A resolução apresenta novos conceitos de serviço de enfermagem, de anotação de responsabilidade técnica (ART) pelo serviço de enfermagem, de certidão de responsabilidade técnica (CRT) e de enfermeiro RT. Também determina que toda instituição que mantém serviços de enfermagem tem a obrigação de apresentar a CRT, a qual deve ser afixada em local visível ao público. A medida prevê ainda que poderão ser concedidas, no máximo, duas concessões de ART por enfermeiro, desde que não haja coincidência de horário entre as atividades desempenhadas como responsável técnica nas empresas em que estiver vinculado, não podendo a jornada, em cada uma delas, ser inferior a seis horas diárias. Leia mais» CONFIRA Lei considera perigosa a atividade de motoboy Pág. 02 Aposentadoria por invalidez Pág. 02 Movimentação e transporte de pacientes Pág. 03

2 Matéria capa DE OLHO NA NOTÍCIA CFBM ESTABELECE CRITÉRIOS ÉTICOS PARA DIVULGAÇÃO DA BIOMEDICINA Por meio da resolução nº 240, de 29 de maio de 2014 (publicada no Diário Oficial da União de 14 de julho de 2014), o Conselho Federal de Biomedicina (CFBM) estabeleceu critérios baseados no código de ética do biomédico para a utilização da biomedicina nos encontros e congressos regionais e nacionais, redes sociais de internet, conceituando os anúncios, a divulgação de assuntos, o sensacionalismo, a autopromoção e tentativas de formar opinião contrária à verdade. Artigo Por Sonia Regina de Melo Silva* O empregado incapacitado de recuperar a saúde, quando afastado por auxílio-doença ou acidente do trabalho, pode ter seu benefício convolado em aposentadoria por invalidez, desde que comprove ter contribuído no mínimo 12 meses para à Previdência Social, exceção relacionada aos casos de acidente do trabalho (cujo direito deve ser mantido mesmo quando o segurado tenha contribuído por período inferior). Segundo o artigo 42 da lei nº 8.213/1991, a concessão da aposentadoria por invalidez depende sempre da avaliação pelos peritos do INSS, podendo o empregado ser acompanhado também por um médico de sua confiança. A doença ou lesão preexistente não confere direito à apo- EXPEDIENTE EDITORA: Ana Paula Barbulho (MTB 22170) REDAÇÃO E REVISÃO: Ana Paula Barbulho, Fabiane de Sá, Aline Moura, Rebeca Salgado e Elcio Cabral EDITORAÇÃO ELETRÔNICA: Carlos Eduardo e Felipe Fonseca - departamento de Marketing Outras atribuições para o enfermeiro também estão definidas na resolução, como a realização do dimensionamento de pessoal de Enfermagem, conforme disposto na resolução Cofen nº 293/2004, parâmetro o qual deverá ser informado, por meio de ofício, ao representante legal da empresa e ao Conselho Regional de Enfermagem de sua região, a ocorrência de qualquer infração à legislação da enfermagem, bem como atender a todas as solicitações ou convocações que lhe for demandada pela autarquia. O enfermeiro RT que descumprir as atribuições constantes na determinação poderá ser notificado a A resolução estabeleceu também que biomédicos e empresas registradas nos Conselhos Regionais de Biomedicina terão o prazo de 180 dias, a contar da data de sua publicação, para se adequar às novas regras. LEI CONSIDERA PERIGOSA A ATIVIDADE DE MOTOBOY A presidente da República sancionou a lei nº , no último dia 18 de julho, acrescentando o parágrafo 4º ao artigo 193 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que considera perigosa a atividade de quem trabalha com motocicleta, garantindo um adicional de 30% sobre APOSENTADORIA POR INVALIDEZ sentadoria por invalidez, salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão, em razão do trabalho. No direito positivo atual, a aposentadoria por invalidez não é definitiva. Por se tratar de hipótese de suspensão contratual, não extingue o vínculo empregatício até que se converta em aposentadoria definitiva (art. 475, da CLT, c/c art. 47, da lei 8.213/1991, e súmula 160 do Tribunal Superior do Trabalho - TST). É fato que o empregado não presta serviços na suspensão contratual, ocorrendo sobrestamento temporário das obrigações acessórias a que o empregador fica sujeito. Todavia, a Justiça do Trabalho COLABORARAM NESTA EDIÇÃO: Eriete Ramos Dias Teixeira, superintendente Jurídica; Durval Silverio de Andrade, Lucinéia Nucci, Carlos Tomanini e Sonia Regina de Melo, advogados; Silvia Maria Garcia de Lucca, bibliotecária; e Bruno Vianna, Cadastro. FOTO MATÉRIA CAPA: Thinkstock regularizar suas atividades, estando sujeito a responder a processo ético-disciplinar. O departamento Jurídico do SINDHOSP está estudando a medida judicial mais adequada para levar o debate da legalidade da referida norma ao Poder Judiciário. o salário para esses profissionais, cujo pagamento depende de regulamentação. A Secretaria de Inspeção do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego (SIT/ MTE) abriu para consulta pública o Anexo V da norma regulamentadora (NR) nº16, que trata de atividades e operações perigosas. A determinação consta da portaria nº 439, publicada no Diário Oficial da União de 15 de julho, seção I, página 68. Por ora, as empresas estão dispensadas do pagamento até que a lei seja regulamentada pelo Ministério do Trabalho e Emprego. vem se manifestando a favor da manutenção do plano de saúde, quer por ter alcançado por força do contrato de trabalho, ou por entender ser o momento que trabalhador mais necessita de sua cobertura. Esse posicionamento está pacificado pela súmula nº 440 do TST também para os casos de aposentadoria por invalidez. Sem a posse dos documentos do INSS convertendo a aposentadoria por invalidez em aposentadoria definitiva, ou que comprove a recuperação do empregado, fica vedada a rescisão do contrato de trabalho. *Sonia Regina de Melo Silva é advogada do departamento Jurídico do SINDHOSP CORRESPONDÊNCIAS PARA: Assessoria de Imprensa R. 24 de Maio, 208-9º andar CEP: São Paulo - SP Tel. (11) Fax: (11) com.br 2

3 ACORDOS E CONVENÇÕES Convenções Coletivas de Trabalho firmadas com os Sindicatos: Fisioterapeutas, Terapeutas Ocupacionais, Auxiliares em Fisioterapia e Auxiliares de Terapia Ocupacional no Estado de São Paulo Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de São José do Rio Preto e Região Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Ourinhos e Região 1º/7 Secretárias do Município de Campinas e Região Nutricionistas do Estado de São Paulo Negociações Coletivas em discussão com os Sindicatos: 1º/8 1º/8 1º/9 NR 32 Empregados em Estabelecimentos Privados e de Saúde e em Empresas que prestam Serviços de Saúde e Atividades Afins de São Bernardo do Campo, Santo André, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá e Ribeirão Pires Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de São José dos Campos e Região Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Catanduva Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Rio Claro e Região Único dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Osasco e Região Único dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Guarulhos, Itaquaquecetuba e Mairiporã Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Campinas e Região Secretárias do Município de Campinas e Região Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Araçatuba Trabalhadores em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Santos, São Vicente, Guarujá, Praia Grande, Litoral Norte e Sul Tecnólogos, Técnicos e Auxiliares em Radiologia de Campinas e Região Técnicos e Auxiliares em Radiologia no Estado de São Paulo Enfermeiros do Estado de São Paulo A NR 32 busca orientar a tomada de providências que minimizem o esforço físico dos trabalhadores dos serviços de saúde. Para cadeiras de rodas e macas deve ser mantido o perfeito funcionamento dos sistemas de rodízio, assim como as manivelas das camas devem ser lubrificadas. Os equipamentos e meios mecânicos utilizados para transporte devem ser submetidos periodicamente à manutenção, de forma a conservar os sistemas de rodízio em perfeito estado de funcionamento (32.9.4). Os dispositivos de ajuste dos leitos devem ser submetidos à manutenção preventiva, assegurando a lubrificação permanente, para garantir sua operação sem sobrecarga para os trabalhadores (32.9.5). O trabalhador deve receber capacitação quanto à mecânica corporal correta para movimentar pacientes e materiais, além MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE DE PACIENTES de saber efetuar a contenção de pacientes com distúrbio de comportamento ( ). Os trabalhadores dos serviços de saúde devem ser: a) capacitados para adotar mecânica corporal correta, na movimentação de pacientes ou de materiais, de forma a preservar a sua saúde e integridade física; e b) orientados nas medidas a serem tomadas diante de pacientes com distúrbios de comportamento. Embora não haja a obrigação de serem implantados dispositivos mecânicos ou eletromecânicos de transporte de pacientes, há a recomendação na NR 32 para que se privilegie tal modalidade. Cabível ainda a atenção para o esforço adicional que o trabalhador efetua dentro do posto de trabalho para acessar armários ou outros móveis. Uma pequena escada ou pedestal que ofereça segurança ao ser utilizado pode evitar acidentes e imprevistos que prejudiquem a saúde do trabalhador e a segurança da empresa. Em todos os postos de trabalho devem ser previstos dispositivos seguros e com estabilidade, que permitam aos trabalhadores acessar locais altos sem esforço adicional ( ). Nos procedimentos de movimentação e transporte de pacientes deve ser privilegiado o uso de dispositivos que minimizem o esforço realizado pelos trabalhadores ( ). O transporte de materiais que possa comprometer a segurança e a saúde do trabalhador deve ser efetuado com auxílio de meios mecânicos ou eletromecânicos ( ). 3

4 JURISPRUDÊNCIA COMENTADA LEGISLAÇÃO 4 TRABALHISTA Documento falso gera dispensa por justa causa A Oitava Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) reconheceu o direito de uma mineradora, que dispensou um de seus trabalhadores por justa causa ao apurar, por meio de auditoria interna, que o diploma de mecânica de manutenção de máquinas do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) era falso, um dos requisitos definidos pela empresa para o ingresso na função. O interessante nessa decisão é que o trabalhador encontrava-se em gozo de auxílio-doença, estando afastado de suas atividades. O relator do recurso da empresa, o ministro Márcio Eurico Vitral Amaro, destacou que o artigo 476 da CLT autoriza o procedimento adotado pela empresa, reconhecendo, portanto, como legítima a punição de justa causa aplicada ao trabalhador. Recurso de Revista nº Tribunal nega estabilidade gestante durante o período do aviso prévio A Sétima Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (TRT-MG), ao apreciar o recurso ordinário nº , com base no voto do relator, o desembargador Luis Felipe Lopes Boson, absolveu uma empresa da condenação ao pagamento de indenização substitutiva do período de estabilidade gestante no período do aviso prévio que havia LEGISLAÇÃO FEDERAL MINISTÉRIO DA SAÚDE Portaria MS-GM nº 1.285, de 12/6/14, publicada no DOU nº 112, de 13/6/14, Seção 1, página 37 Altera a portaria GM/MS nº 1.557/13, que define a estratégia de ampliação do acesso aos procedimentos cirúrgicos eletivos no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Portaria MS-GM nº 1.376, de 3/7/14, publicada no DOU nº 126, de 4/7/14, Seção 1, página 100 Prorroga o prazo estabelecido na portaria GM/MS nº 1.020/13, para dispor sobre os prazos para adequação dos estabelecimentos habilitados como referência em gestação de alto risco. sido reconhecido em primeira instância. Na reclamação, a autora havia alegado que foi notificada de sua rescisão em 5 de julho de 2010, com aviso prévio indenizado até 4 de agosto de Um exame de ultrassom, realizado em 9 de fevereiro de 2011, indicava gestação de 30 semanas e dois dias, o que poderia alcançar o período do aviso prévio da reclamante. Contudo, o relator interpretou a matéria de forma diversa, entendendo que a gravidez confirmada no período de projeção do aviso prévio não garante o direito à estabilidade provisória da gestante. "Durante a projeção do aviso, o contrato de trabalho tem seus efeitos limitados às vantagens econômicas obtidas no período de pré- -aviso, não alcançando, dessa forma, a estabilidade provisória da gestante, confirmada a concepção no período projetado", fundamentou o relator no voto. O magistrado ressaltou já ter adotado o mesmo entendimento em outro julgamento, assim como a Turma de julgadores. Diante desse contexto, deu provimento ao recurso para afastar da condenação o pagamento da indenização substitutiva e a determinação de retificação da carteira de trabalho da reclamante. A Turma de julgadores acompanhou o entendimento, por maioria de votos. CÍVEL Médicos do INSS têm legitimidade para atestar incapacidade laboral Ao promover uma Ação Civil Pública Portaria MS-GM nº 1.389, de 3/7/14, publicada no DOU nº 126, de 4/7/14, Seção 1, página 102 Altera a portaria GM/ MS nº 425/13, que estabelece regulamento técnico, normas e critérios para a assistência de alta complexidade ao indivíduo com obesidade. Portaria MS-GM nº 535, de 8/4/14, republicada no DOU nº 137, de 21/7/14, Seção 1, página 45 Estabelece normas para a execução no âmbito do Ministério da Saúde, do Programa de Fortalecimento das Entidades Privadas Filantrópicas e das Entidades sem Fins Lucrativos que Atuam na Área da Saúde e que Participam de Forma Complementar do SUS (PROSUS). Portaria MS-GM nº 1.535, de 23/7/14, publicada no DOU nº 140, de 24/7/14, Seção 1, página 406 -Altera os incisos I e II do art. 27 e acresce inciso XII ao art. 15 da portaria nº 389/GM/MS, de 13/3/2014, que define os critérios para a organização da linha de cuidado da pessoa com doença (processo nº ) contra o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), questionando os pedidos de benefícios negados a seus associados por médicos peritos que não dispunham de especialidade em nefrologia, uma associação teve o pedido negado pela Justiça Federal, comprovando a Advocacia Geral da União (AGU) que tais médicos podem emitir pareceres sobre incapacidade laboral para fins previdenciários em qualquer área da medicina. Justificou ainda a AGU que os peritos médicos têm competência exclusiva para emissão de parecer conclusivo quanto à incapacidade laboral, uma vez que a lei nº /2004, que regula as carreiras do INSS, não exige qualquer conclusão de residência médica ou especialização em determinada área médica para a posse e o exercício do aludido cargo. Para o cargo é preciso apenas a aprovação em concurso público e a habilitação do candidato em Medicina. Por isso, não haveria razão para realizar as perícias com especialistas de cada patologia examinada. A 1ª Vara da Subseção Judiciária de Uberlândia (MG) acolheu a tese defendida pela AGU e julgou improcedente o pedido da associação. A decisão reconheceu que "em relação às perícias judiciais, a jurisprudência consolidou-se no sentido de que não é necessário que o exame seja realizado por médico especialista na área médica da patologia que acomete a parte. Esse mesmo entendimento deve ser aplicado em relação às perícias realizadas no âmbito do INSS". renal crônica (DRC) e institui incentivo financeiro destinado ao cuidado ambulatorial pré-dialítico. Portaria MS-GM nº 389, de 13/3/14, publicada no DOU nº 141, de 25/7/14, Seção 1, página 39 - Republicação - Define os critérios para a organização da linha de cuidado da pessoa com doença renal crônica (DRC) e institui incentivo financeiro de custeio destinado ao cuidado ambulatorial pré-dialítico. Portaria MS-GM nº 1.550, de 29/7/14, publicada no DOU nº 144, de 30/7/14, Seção 1, página 37 Redefine as regras e os critérios para o credenciamento de instituições e para apresentação, recebimento, análise, aprovação, execução, acompanhamento, prestação de contas e avaliação de resultados de projetos no âmbito do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon) e do Progra-

5 LEGISLAÇÃO ma Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (Pronas/PCD). AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Resolução MS-Anvisa-RDC nº 39, de 8/7/14, publicada no DOU nº 130, de 10/7/14, Seção 1, página 60 - Dispõe sobre a alteração da RDC nº 64/2012, pela inclusão e retificação de Denominações Comuns Brasileiras (DCB) na lista completa das DCB da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE Portaria MS-SAS nº 515, de 27/6/14, publicada no DOU nº 122, de 30/6/14, Seção 1, página 92 Inclui o serviço especializado Atenção em Urologia no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES). Portaria MS-SAS nº 516, de 27/6/14, publicada no DOU nº 122, de 30/6/14, Seção 1, página 92 Inclui na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Ortiz/ Próteses e Materiais Especiais do SUS, compatibilidades referentes a procedimentos ligados à linha de cuidados da pessoa com doença renal crônica. Portaria MS-SAS nº 530, de 2/7/14, publicada no DOU nº 125, de 3/7/14, Seção 1, página 79 Inclui, na Tabela de Tipo de Estabelecimentos de Saúde do SCNES, os tipos Central de Notificação, Captação, Distribuição de Órgãos Estadual (CNCDO) e Organização de Procura de Órgãos e Tecidos (OPO). Portaria MS-SAS nº 569, de 11/7/14, publicada no DOU nº 132, de 14/7/14, Seção 1, página 66 - Renova a autorização e habilitação de estabelecimentos de saúde para realização de exames de histocompatibilidade. Portaria MS-SAS nº 570, de 11/7/14, publicada no DOU nº 132, de 14/7/14, Seção 1, página 67 - Concede renovação de autorização para realizar a retirada e transplantes de órgãos. Portaria MS-SAS nº 618, de 18/7/14, publicada no DOU nº 138, de 22/7/14, Seção 1, página 82 Altera a tabela de serviços especializados do SCNES para o serviço 165 Atenção Integral à Saúde de Pessoas em Situação de Violência Sexual. Portaria MS-SAS nº 640, de 24/7/14, publicada no DOU nº 141, de 25/7/14, Seção 1, página 47 Aprova o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da espondilite ancilosante. SECRETARIA DE CIÊNCIA, TEC- NOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉ- GICOS Portaria MS-SCTIE nº 23, de 27/6/14, publicada no DOU nº 123, de 1º/7/14, Seção 1, página 11 Torna pública a decisão de não incorporar o fingolimode para a primeira e segunda linhas de tratamento da esclerose múltipla no âmbito do SUS. Portaria MS-SCTIE nº 24, de 27/6/14, publicada no DOU nº 123, de 1º/7/14, Seção 1, página 11 - Torna pública a decisão de incorporar o fingolimode no Sistema Único de Saúde (SUS) nos casos de: pacientes com esclerose múltipla remitente-recorrente; com surtos incapacitantes após falha ao uso de betainterferona e de glatirâmer; com impossibilidade de uso de natalizumabe e sem contra indicação ao uso de fingolimode conforme Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas. Portaria MS-SCTIE nº 25, de 4/7/14, publicada no DOU nº 127, de 7/7/14, Seção 1, página 29 Torna pública a decisão de não incorporar o souvenaid para melhora de memória em pacientes com doença de Alzheimer na fase leve no âmbito do SUS. Portaria MS-SCTIE nº 26, de 4/7/14, publicada no DOU nº 127, de 7/7/14, Seção 1, página 30 Torna pública a decisão de não incorporar o infliximabe para retocolite ulcerativa grave no âmbito do SUS. Portaria MS-SCTIE nº 27, de 4/7/14, publicada no DOU nº 127, de 7/7/14, Seção 1, página 30 Torna pública a decisão de incorporar o mesilato de imatinibe para quimioterapia adjuvante do tumor do estroma gastrointestinal no SUS. CONSELHOS PROFISSIONAIS CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA Resolução CFM nº 2.074, de 30/5/14, publicada no DOU nº 142, de 28/7/14, Seção 1, página 91 - Disciplina responsabilidades dos médicos e laboratórios de patologia em relação aos procedimentos diagnósticos de anatomia patológica e estabelece normas técnicas para a conservação e transporte de material biológico em relação a esses procedimentos. Disciplina, também, as condutas médicas tomadas a partir de laudos citopatológicos positivos, bem como a auditoria médica desses exames. CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM Resolução Cofen nº 458, de 29/7/14, publicada no DOU nº 145, de 31/7/14, Seção 1, página 137 Normatiza as condições para anotação de responsabilidade técnica (ART) pelo serviço de enfermagem e define as atribuições do enfermeiro responsável técnico (RT). CONSELHO FEDERAL DE BIOMEDICINA Resolução CFBM nº 239, de 29/5/14, publicada no DOU nº 128, de 8/7/14, Seção 1, página 99 Dispõe sobre a atribuição do profissional biomédico habilitado em histotecnologia clínica. Resolução CFBM nº 241, de 29/5/14, publicada no DOU nº 129, de 9/7/14, Seção 1, página 45 Dispõe sobre atos do profissional biomédico com habilitação em biomedicina estética e regulamenta a prescrição por este profissional para fins estéticos. CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA Resolução CFF nº 599, de 24/7/14, publicada no DOU nº 143, de 29/7/14, Seção 1, página 95 - Dispõe sobre a área de atuação do farmacêutico conforme a respectiva formação acadêmica. Resolução CFF nº 600, de 25/7/14, publicada no DOU nº 143, de 29/7/14, Seção 1, página 96 - Regulamenta o procedimento de fiscalização dos Conselhos Regionais de Farmácia, e dá outras providências. LEGISLAÇÃO ESTADUAL Lei nº , de 16/07/14, publicada no DOE nº 131, de 17/7/2014, Seção 1, página 3 - Dispõe sobre a obrigatoriedade da realização de exame de cardiotocografia no Estado de São Paulo. Resolução SS nº 84, de 2/7/14, publicada no DOE nº 122, de 3/7/14, Seção I, página 30 Institui o Programa Vale a Pena Ver de Novo, que prevê como sequência de tratamento o fornecimento de órtese visual tipo óculos aos pacientes idosos que tenham realizado cirurgia de catarata pelo SUS, a partir de julho/2014, residentes no Estado de São Paulo, mediante prescrição médica da OPM. 5

6 LEGISLAÇÃO LEGISLAÇÃO MUNICIPAL Portaria SMS nº 1.340, de 2014, publicada no DOM nº 126, de 12/7/14 página 29 Determina a alteração da portaria 386/2014-SMS.G, de 12/2/2014, que dispõe sobre a Campanha de Implantação da CURSOS E EVENTOS Araçatuba (14) Vacina HPV, no município de São Paulo. Mogi das Cruzes (11) Portaria SMS nº 1315, de 2014, publicada no Diário DOM nº 126, de 12/7/14, página 29 Cria grupo de trabalho (GT) para definir no âmbito do município de São Paulo os estabelecimentos assistenciais de saúde de referência que funcionam ininterruptamente, para o atendimento de pessoas que se expuseram a material biológico em face da ocorrência de acidente de trabalho, de exposição sexual e de violência sexual. São José dos Campos (12) /10 - Workshop: Esclarecimento sobre Segurança e Saúde Ocupacional Bauru (14) /11 - Faça seu Cliente Curtir seu Atendimento Campinas (19) /9 - Relacionamento e Comunicação para uma Empresa Mais Produtiva e Humanizada 20/10 - Gestão da Nutrição 5/11 - Gestão do Agendamento Eletivo 21/11 - Gestão do Agendamento Eletivo Jundiaí (11) /9 - Curso: Segurança na Administração de Medicamentos Estratégias para Evitar o Erro 6/11 - Curso: Gestão dos Recursos de Glosas ÍNDICES INFLACIONÁRIOS FONTE DO MÊS DO ANO 12 MESES 6 MESES 22/10 - Curso: Atualização na Área de Faturamento - Enfoque nas Tabelas TUSS 14/11 - Curso: Segurança do Paciente e Política Nacional de Segurança NR-36 Presidente Prudente (18) /9 - Curso: Excelência no Atendimento com Base nos Indicadores de Desempenho 15/10 - Curso: Segurança do Paciente em Serviços de Saúde - Limpeza e Desinfecção de Superfícies em Serviços de Saúde Ribeirão Preto (16) /9 - Curso: Atualização na Área de Faturamento Enfoque nas Tabelas TUSS Santo André (11) /9 - Gestão do Agendamento Eletivo 9/10 - Relacionamento e Comunicação para uma Empresa Mais Produtiva e Humanizada 14/11 - Finanças para Instituições de Saúde Santos (13) /9 - Competências Comportamentais 11/10 - Dez Passos Para um Faturamento Eficaz 29/11 - Faça seu Cliente Curtir seu Atendimento 25/9 - Atualização na Área de Faturamento Enfoque nas Tabelas TUSS 12/11 - Atendimento com Visão Humanizada São José do Rio Preto (17) /9 - Finanças para Instituições de Saúde 24/11 - Atualização na Área de Faturamento Enfoque nas Tabelas TUSS São Paulo - (11) /9 - Atendimento com Visão Humanizada Sorocaba (15) /9 - Dez Passos para um Faturamento Eficaz 28/10 - Atendimento com Visão Humanizada Suzano (11) /9 - Curso: Gestão Orçamentária medindo Eficácia do Planejamento 22/10 - Workshop: Relacionamento e Comunicação para uma Empresa mais Humanizada e Produtiva 13/11 - Curso: Negociação de Contratos com Operadoras de Planos de Saúde SINDHOSP 0,51% -0,01% 3,76% 3,75% 6,50% 6,22% 4,08% 3,75% INPC/IBGE 0,60% 0,26% 3,65% 3,84% 6,08% 6,05% 4,25% 3,84% IPC/FIPE 0,25% 0,04% 3,02% 3,06% 5,36% 5,07% 3,90% 3,06% FIPE/SAÚDE 0,79% 0,27% 3,51% 3,79% 7,05% 7,13% 3,56% 3,79% FIPE/SERVIÇOS MÉDICOS 0,73% 0,11% 2,97% 3,08% 6,39% 5,52% 3,15% 3,08% CONTRATO ASS. MÉDICA 0,68% 0,43% 3,10% 3,55% 9,31% 9,38% 3,74% 3,55% REMÉDIOS E P. LABORAT. 0,95% 0,09% 4,28% 4,38% 4,43% 4,81% 3,56% 4,38% IPCA/IBGE 0,46% 0,40% 3,49% 3,91% 6,37% 6,52% 4,37% 3,91% 6

CFM proíbe médico de atuar como perito

CFM proíbe médico de atuar como perito INFORMATIVO Nº 143 - IMPRESSO E ON-LINE TIRAGEM: 15.000 - JUNHO - 2013 CFM proíbe médico de atuar como perito O Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou, no Diário Oficial da União (DOU) de 17/5/2013,

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA RESOLUÇÃO CFFa nº 467, de 24 de abril de 2015. Dispõe sobre as atribuições e competências relativas ao profissional fonoaudiólogo Especialista em Fonoaudiologia do Trabalho, e dá outras providências. O

Leia mais

PRORROGAÇÃO DE JORNADA EM ATIVIDADE INSALUBRE TEM NOVOS REQUISITOS

PRORROGAÇÃO DE JORNADA EM ATIVIDADE INSALUBRE TEM NOVOS REQUISITOS INFORMATIVO Nº 167 - JUNHO DE 2015 IMPRESSO E ON-LINE - TIRAGEM 15.100 PRORROGAÇÃO DE JORNADA EM ATIVIDADE INSALUBRE TEM NOVOS REQUISITOS O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) publicou, no Diário Oficial

Leia mais

A Lei 605/49, no artigo12, parágrafos 1º e 2º, dispõe sobre as formas de. Constituem motivos justificados:

A Lei 605/49, no artigo12, parágrafos 1º e 2º, dispõe sobre as formas de. Constituem motivos justificados: Abono de faltas e a acreditação na avaliação médica. A Lei 605/49, no artigo12, parágrafos 1º e 2º, dispõe sobre as formas de abono de faltas mediante atestado médico: Constituem motivos justificados:

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013.

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013. ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE

Leia mais

PARTE EXPOSITIVA. SGAS 915 Lote 72 CEP: 70390-150 Brasília-DF FONE: (61) 3445 5900 FAX: (61) 3346 0231 http://www.portalmedico.org.

PARTE EXPOSITIVA. SGAS 915 Lote 72 CEP: 70390-150 Brasília-DF FONE: (61) 3445 5900 FAX: (61) 3346 0231 http://www.portalmedico.org. PROCESSO-CONSULTA CFM nº 9.936/10 PARECER CFM nº 15/12 INTERESSADO: INSS Instituto Nacional do Seguro Social ASSUNTO: Registro e comunicação de afastamento e/ou substituição de diretor técnico e clínico

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 6.872, DE 2013 (Do Sr. Ricardo Izar)

PROJETO DE LEI N.º 6.872, DE 2013 (Do Sr. Ricardo Izar) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 6.872, DE 2013 (Do Sr. Ricardo Izar) Altera o 2º, do art. 15, da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, para dispensação de fraldas geriátricas por intermédio

Leia mais

PARECER CREMEC Nº 26/2010 10/09/2010

PARECER CREMEC Nº 26/2010 10/09/2010 PARECER CREMEC Nº 26/2010 10/09/2010 PROCESSO-CONSULTA Protocolo CREMEC nº 2041/10 INTERESSADO: Dr. Kleiber Marciano Lima Bomfim CRM 7084 ASSUNTO: Competência para a emissão do relatório de alta definitiva

Leia mais

LEI DO TRABALHO TEMPORÁRIO É ALTERADA

LEI DO TRABALHO TEMPORÁRIO É ALTERADA INFORMATIVO Nº 156 - IMPRESSO E ON-LINE TIRAGEM: 14.500 - JULHO - 2014 LEI DO TRABALHO TEMPORÁRIO É ALTERADA A partir de 1º de julho, os contratos de trabalhos temporários poderão valer por até nove meses.

Leia mais

JUSTIÇA DO TRABALHO TERÁ ACESSO ÀS CONTAS DO FGTS

JUSTIÇA DO TRABALHO TERÁ ACESSO ÀS CONTAS DO FGTS INFORMATIVO Nº 152 - IMPRESSO E ON-LINE TIRAGEM: 14.500 - MARÇO - 2014 JUSTIÇA DO TRABALHO TERÁ ACESSO ÀS CONTAS DO FGTS A Caixa Econômica Federal e o Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) fecharam

Leia mais

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 Aprova o Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes. [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

Leia mais

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013 p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 Dispõe sobre a aplicação da Lei nº 12.732, de 22 de novembro de 2012, que versa a respeito do primeiro tratamento do

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e, DECRETO N.º 2297 R, DE 15 DE JULHO DE 2009. (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 16/07/2009) Dispõe sobre procedimentos para concessão de licenças médicas para os servidores públicos

Leia mais

DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008)

DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008) DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008) 1. O que é o estágio? Resposta: Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação

Leia mais

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Ética e Legislação em Publicidade e Propaganda Profª. Cláudia Holder Nova Lei de Estágio (Lei nº 11.788/08) Lei

Leia mais

DELIBERAÇÃO Nº 146/12

DELIBERAÇÃO Nº 146/12 DELIBERAÇÃO Nº 146/12 Dispõe sobre a Responsabilidade Técnica e o Exercício Profissional de Farmacêutico apto a atuar em Análises Clínicas e Postos de Coleta e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17 Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17 ORIENTAÇÕES PARA CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTO PARA TRANSPLANTES Formular o processo de

Leia mais

STF DECLARA INCONSTITUCIONAL CONTRIBUIÇÃO SOBRE SERVIÇOS DE COOPERATIVAS DE TRABALHO

STF DECLARA INCONSTITUCIONAL CONTRIBUIÇÃO SOBRE SERVIÇOS DE COOPERATIVAS DE TRABALHO INFORMATIVO Nº 154 - IMPRESSO E ON-LINE TIRAGEM: 14.500 - MAIO - 2014 STF DECLARA INCONSTITUCIONAL CONTRIBUIÇÃO SOBRE SERVIÇOS DE COOPERATIVAS DE TRABALHO O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF),

Leia mais

COMITÊ GESTOR APROVA MANUAL DO esocial

COMITÊ GESTOR APROVA MANUAL DO esocial INFORMATIVO Nº 164 - MARÇO DE 2015 IMPRESSO E ON-LINE - TIRAGEM 15.100 COMITÊ GESTOR APROVA MANUAL DO esocial Foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), do dia 24 de fevereiro passado, a resolução

Leia mais

pagamento. A regra passou a valer a partir de março deste ano.

pagamento. A regra passou a valer a partir de março deste ano. INFORMATIVO Nº 168 - JULHO DE 2015 IMPRESSO E ON-LINE - TIRAGEM 15.100 Com a edição da Medida Provisória nº 664, em 30 de dezembro de 2014, as regras mudaram para o pagamento de salários em caso de afastamento

Leia mais

GOVERNO FEDERAL INSTITUI O

GOVERNO FEDERAL INSTITUI O INFORMATIVO Nº 138 - IMPRESSO E ON-LINE TIRAGEM: 15.000 - JANEIRO - 2013 GOVERNO FEDERAL INSTITUI O PROGRAMA DE CULTURA DO TRABALHADOR A presidente Dilma Rousseff sancionou, no último dia 27 de dezembro

Leia mais

Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina - Resolução: 1626 de 23/10/2001

Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina - Resolução: 1626 de 23/10/2001 Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina - Resolução: 1626 de 23/10/2001 Ementa: Dispõe sobre as instruções para Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina. Fonte: CFM O Conselho Federal de Medicina,

Leia mais

ADICIONAL DE PERICULOSIDADE

ADICIONAL DE PERICULOSIDADE 1 - DEFINIÇÃO Adicional salarial a que fazem jus os servidores que trabalham em contato permanente sob condições de risco acentuado em determinadas atividades ou operações classificadas como perigosas

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Controle de Ponto do Trabalhador terceirizado

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Controle de Ponto do Trabalhador terceirizado Controle de Ponto do Trabalhador terceirizado 13/11/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE RONDÔNIA REQUERIMENTO PARA CRT (Certidão de Responsabilidade Técnica)

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE RONDÔNIA REQUERIMENTO PARA CRT (Certidão de Responsabilidade Técnica) CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE RONDÔNIA REQUERIMENTO PARA CRT (Certidão de Responsabilidade Técnica) Eu, Enfermeiro (a), inscrito (a) sob n.º COREN-RO, em / / Endereço Residencial: Nº, Bairro:, Cidade:,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 Altera a Lei 11.907 de 02 de fevereiro de 2009, para estabelecer a jornada de trinta horas para os integrantes da carreira de Perito Médico Previdenciário e da Carreira de Supervisor

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM N.º 1716/2004. (Publicada no D.O.U. de 19 Fev 2004, Seção I, pg. 205) (Modificada pela Resolução CFM nº 1773/2005)

RESOLUÇÃO CFM N.º 1716/2004. (Publicada no D.O.U. de 19 Fev 2004, Seção I, pg. 205) (Modificada pela Resolução CFM nº 1773/2005) RESOLUÇÃO CFM N.º 1716/2004 (Publicada no D.O.U. de 19 Fev 2004, Seção I, pg. 205) (Modificada pela Resolução CFM nº 1773/2005) O Conselho Federal de Medicina, no uso das atribuições que lhe confere a

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES DECRETO Nº 6.106/2013 REGULAMENTA AS LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE, DE QUE TRATAM OS ARTS. 80, I; 82 A 100, DA LEI MUNICIPAL Nº 1.132, DE 02 DE JULHO DE 1990 (ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA

PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA Rio de Janeiro, 07 de janeiro de 2015. CIRCULAR 01/2015 JURÍDICO PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA Publicadas no Diário Oficial da União de 30/12/2014,

Leia mais

Faz os seguintes questionamentos:

Faz os seguintes questionamentos: PARECER CFM nº 9/16 INTERESSADO: 1ª Vara da Fazenda da Comarca de Joinville/SC ASSUNTO: Dúvidas quanto à necessidade de especialidade médica para realização de exame pericial e determinação de capacidade

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 PARECER CONSULTA CRM-MT Nº 13/2012 DATA DA ENTRADA: 12 de junho de 2012 INTERESSADO: Dr. MHM CRM-MT XXXX CONSELHEIRA CONSULTORA: Dra. Hildenete Monteiro Fortes ASSUNTO:

Leia mais

Rede de Reabilitação Lucy Montoro

Rede de Reabilitação Lucy Montoro Rede de Reabilitação Lucy Montoro Rede de Reabilitação Lucy Montoro Implantar, Padronizar e Sistematizar uma rede hierarquizada e descentralizada, dentro dos parâmetros do SUS, de atendimento em reabilitação

Leia mais

Caro colega. Gustavo Moreno Frias Diretor de Saúde

Caro colega. Gustavo Moreno Frias Diretor de Saúde Caro colega Nesta Cartilha estão as principais perguntas sobre LER, CAT e Direitos, que os bancários fazem seja por telefone ou contato direto no local de trabalho. É um verdadeiro guia rápido e contou

Leia mais

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS Elaborado em: 05/01/2011 Autor: Borges 1.Introdução É comum entre empregadores e colaboradores que exerçam cargos de confiança a preocupação em gerir

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM nº 2.126/2015

RESOLUÇÃO CFM nº 2.126/2015 RESOLUÇÃO CFM nº 2.126/2015 (Publicado no D.O.U., 01 de outubro de 2015, Seção I, p. 131) Altera as alíneas c e f do art. 3º, o art. 13 e o anexo II da Resolução CFM nº 1.974/11, que estabelece os critérios

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO Art. 1º - Corpo Clínico é o conjunto de médicos que se propõe a assumir solidariamente a responsabilidade de prestar atendimento aos usuários que

Leia mais

Decreto nº 66.408, de 3 de abril de 1970

Decreto nº 66.408, de 3 de abril de 1970 Regulamentação do exercício da profissão de atuário Decreto nº 66.408, de 3 de abril de 1970 Dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão de Atuário, de acordo com o Decreto-Lei nº 806, de 4

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA imprimir Norma: RESOLUÇÃO Órgão: Conselho Federal de Medicina Número: 1980 Data Emissão: 07-12-2011 Ementa: Fixa regras para cadastro, registro, responsabilidade técnica e cancelamento para as pessoas

Leia mais

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17 CC. 010062310 INFORMAÇÕES PARA CREDENCIAMENTO DE EQUIPES PARA TRANSPLANTE DE TECIDO OSTEO-CONDRO-FÁCIO-LIGAMENTOSO

Leia mais

Governo mantém adicional de 10% sobre FGTS

Governo mantém adicional de 10% sobre FGTS INFORMATIVO Nº 145- IMPRESSO E ON-LINE TIRAGEM: 14.500 - AGOSTO - 2013 Governo mantém adicional de 10% sobre FGTS Projeto de lei aprovado recentemente pela Câmara dos Deputados, que extinguia a multa adicional

Leia mais

PORTARIA Nº 2.304, DE 4 DE OUTUBRO DE 2012. Institui o Programa de Mamografia Móvel no âmbito do Sistema Único de Saúde

PORTARIA Nº 2.304, DE 4 DE OUTUBRO DE 2012. Institui o Programa de Mamografia Móvel no âmbito do Sistema Único de Saúde PORTARIA Nº 2.304, DE 4 DE OUTUBRO DE 2012 (SUS). Institui o Programa de Mamografia Móvel no âmbito do Sistema Único de Saúde O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos

Leia mais

NOTA TÉCNICA 03 2013

NOTA TÉCNICA 03 2013 NOTA TÉCNICA 03 2013 Dispõe sobre a aplicação da Lei nº 12.732, de 22 de novembro de 2012, que versa a respeito do primeiro tratamento do paciente com neoplasia maligna comprovada, no âmbito do Sistema

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista www.sato.adm.br 1987 legislação consultoria assessoria informativos treinamento auditoria pesquisa qualidade Relatório Trabalhista Nº 076 20/09/01 GFIP - NOVO MANUAL DE ORIENTAÇÃO A Resolução nº 63, de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 Ementa: Regulamenta o registro, a guarda e o manuseio de informações resultantes da prática da assistência farmacêutica nos serviços de saúde. O Conselho Federal

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Farmácia do Estado de Santa Catarina - CRF/SC

Serviço Público Federal Conselho Regional de Farmácia do Estado de Santa Catarina - CRF/SC Serviço Público Federal Conselho Regional de Farmácia do Estado de Santa Catarina - CRF/SC Trav. Olindina Alves Pereira, 35 - Caixa Postal 472-88020-095 Fone/Fax (48) 222-4702 - Florianópolis - SC. url:

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM Nº 1.772/2005 (Publicada no D.O.U. de 12.08.2005, Seção I, p. 141-142) Revogada pela Resolução CFM nº 1984/2012 Institui o Certificado de Atualização Profissional

Leia mais

ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I

ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I DISPONIBILIZAÇÃO: sexta-feira, 12 de abril de 2013 PUBLICAÇÃO: segunda-feira, 15 de abril de 2013 Senhores(as) Usuários(as), A Seção I do Diário da Justiça Eletrônico

Leia mais

DELIBERAÇÃO N.º 594/2003

DELIBERAÇÃO N.º 594/2003 DELIBERAÇÃO N.º 594/2003 Dispõe sobre o Exercício Profissional de Farmacêuticos-Bioquímicos em Laboratórios de Análises Clínicas. O PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DO PARANÁ - CRF/PR,

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 5.423, DE 2009 Acrescenta dispositivo à Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, estabelecendo

Leia mais

b. Acidente em viagem a serviço da empresa; d. Doenças profissionais (provocadas pelo tipo de trabalho);

b. Acidente em viagem a serviço da empresa; d. Doenças profissionais (provocadas pelo tipo de trabalho); ASPECTOS LEGAIS SOBRE A SEGURANÇA D O TRABALHO E SUA IMPLICAÇÃO PARA A EMPRESA NA SUA GESTÃO JURÍDICA. SEGURANÇA DO TRABALHO São os conjuntos de medidas que são adotadas visando minimizar os acidentes

Leia mais

MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO

MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão editou a portaria n 292 no dia 4 de julho de 2012 que autoriza

Leia mais

02/2011/JURÍDICO/CNM. INTERESSADOS:

02/2011/JURÍDICO/CNM. INTERESSADOS: PARECER Nº 02/2011/JURÍDICO/CNM. INTERESSADOS: DIVERSOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS. ASSUNTOS: BASE DE CÁLCULO DO ADICIONAL DE INSALUBRIDADE DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS. DA CONSULTA: Trata-se de consulta

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 60, DE 20 DE AGOSTO DE 2012 (DOU de 21/08/2012 Seção I Pág. 54)

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 60, DE 20 DE AGOSTO DE 2012 (DOU de 21/08/2012 Seção I Pág. 54) INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 60, DE 20 DE AGOSTO DE 2012 (DOU de 21/08/2012 Seção I Pág. 54) Dispõe sobre os procedimentos operacionais a serem adotados pelas Unidades de

Leia mais

ATO Nº 20/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 20/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 20/2011 Disciplina a concessão de licenças-médicas aos servidores em exercício neste Regional e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas

Leia mais

R E L A T Ó R I O A EXMA. SRA. DESEMBARGADORA FEDERAL NILCÉA MARIA BARBOSA MAGGI (RELATORA CONVOCADA): É o relatório.

R E L A T Ó R I O A EXMA. SRA. DESEMBARGADORA FEDERAL NILCÉA MARIA BARBOSA MAGGI (RELATORA CONVOCADA): É o relatório. APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO 6263 - PE (20088300010216-6) PROC ORIGINÁRIO : 9ª VARA FEDERAL DE PERNAMBUCO R E L A T Ó R I O A EXMA SRA DESEMBARGADORA FEDERAL NILCÉA MARIA (RELATORA CONVOCADA): Trata-se

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL Seção II Da Saúde Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ONCOLOGIA - CURITIBA Unidade

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC)

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC) 1 A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR 2 CONCEITOS 3 SAÚDE SUPLEMENTAR: atividade que envolve a operação de planos privados de assistência à saúde sob regulação do Poder

Leia mais

SOCIEDADE UNIPROFISSIONAL ESTÁ DISPENSADA

SOCIEDADE UNIPROFISSIONAL ESTÁ DISPENSADA INFORMATIVO Nº 132 - IMPRESSO E ON-LINE TIRAGEM: 15.000 - JULHO - 2012 SOCIEDADE UNIPROFISSIONAL ESTÁ DISPENSADA DE EMITIR NOTA FISCAL ELETRÔNICA O SINDHOSP efetuou consulta junto à Prefeitura Municipal

Leia mais

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 01/2015 SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Foi publicado no Diário Oficial da

Leia mais

Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina

Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina Deveres dos médicos com relação à saúde do trabalhador Versa sobre normas específicas para médicos que atendam o trabalhador Fonte: Diário Oficial da

Leia mais

Auxílio-doença só é concedido após 15 dias consecutivos de afastamento

Auxílio-doença só é concedido após 15 dias consecutivos de afastamento INFORMATIVO Nº 144 - IMPRESSO E ON-LINE TIRAGEM: 15.000 - JULHO - 2013 Auxílio-doença só é concedido após 15 dias consecutivos de afastamento Há uma persistente dúvida por parte dos médicos do Trabalho

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E LEGISLAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL ADRIANO CRISTIAN CARNEIRO

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E LEGISLAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL ADRIANO CRISTIAN CARNEIRO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E LEGISLAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL ADRIANO CRISTIAN CARNEIRO Fortalecimento do SUS Constituição Federal de 1988, artigos 196 a 200; Lei Federal nº. 8.080, de 19/09/1990 Lei

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC Nº 29, DE 30 DE JUNHO DE 2011

RESOLUÇÃO - RDC Nº 29, DE 30 DE JUNHO DE 2011 RESOLUÇÃO - RDC Nº 29, DE 30 DE JUNHO DE 2011 Legislações - ANVISA Sex, 01 de Julho de 2011 00:00 RESOLUÇÃO - RDC Nº 29, DE 30 DE JUNHO DE 2011 Dispõe sobre os requisitos de segurança sanitária para o

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

Resolução nº 577 de 25 de julho de 2013

Resolução nº 577 de 25 de julho de 2013 Resolução nº 577 de 25 de julho de 2013 Ementa: Dispõe sobre a direção técnica ou responsabilidade técnica de empresas ou estabelecimentos que dispensam, comercializam, fornecem e distribuem produtos farmacêuticos,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007 Dispõe sobre procedimentos e rotinas referentes ao Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário NTEP, e dá outras providências. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL:

Leia mais

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 4º Semestre - 2011 Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula. 15º Ponto Aviso Prévio.

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 4º Semestre - 2011 Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula. 15º Ponto Aviso Prévio. Aviso Prévio 1. Conceito 2. Cabimento 3. Prazo 4. Início da contagem do prazo 5. Ausência do aviso prévio 6. Anotação na CTPS da data do encerramento do contrato de trabalho 7. Renúncia do período de aviso

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 529, DE 1º DE ABRIL DE 2013

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 529, DE 1º DE ABRIL DE 2013 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 529, DE 1º DE ABRIL DE 2013 Institui o Programa Nacional de Segurança do

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM nº 1.488/1998 (Publicada no D.O.U.,de 06 março 1998, Seção I, pg.150 ) Modificada pela Resolução CFM n. 1.810/2006 Modificada pela Resolução CFM nº 1.940/2010

Leia mais

Relato de Casos: Comissão Técnica Riscos Pessoais

Relato de Casos: Comissão Técnica Riscos Pessoais Relato de Casos: Comissão Técnica Riscos Pessoais Convidado para Diretor Sem Fronteiras Dr. Lodi Maurino Sodré Comissão indicou para os Grupos de Trabalhos e demais Comissões. A questão está na aplicação

Leia mais

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia CONFEA CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA CREA CONSELHO REGIONAL

Leia mais

ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO

ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO FUNÇÃO / REMUNERAÇÃO Médico Infectologista REQUISITO Medicina e Título de Especialista concedido pela Respectiva Sociedade de Classe ou Residência

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 871/2010, de 08-02-10.

LEI MUNICIPAL Nº 871/2010, de 08-02-10. LEI MUNICIPAL Nº 871/2010, de 08-02-10. DISPÕE SOBRE A CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA EMERGENCIAL DE PROFISSIONAIS PARA ÁREA MÉDICA ESPECIALIZADA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. IRANI LEONARDO CHERINI PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

LEI Nº 12.997/14 ADICIONAL DE PERICULOSIDADE EMPREGADOS QUE UTILIZAM MOTOCICLETA PARA TRABALHAR PASSAM A TER DIREITO AO ADICIONAL.

LEI Nº 12.997/14 ADICIONAL DE PERICULOSIDADE EMPREGADOS QUE UTILIZAM MOTOCICLETA PARA TRABALHAR PASSAM A TER DIREITO AO ADICIONAL. LEI Nº 12.997/14 ADICIONAL DE PERICULOSIDADE EMPREGADOS QUE UTILIZAM MOTOCICLETA PARA TRABALHAR PASSAM A TER DIREITO AO ADICIONAL. Orlando José de Almeida Sócio do Homero Costa Advogados Natália Cristina

Leia mais

Novidades Trabalhistas

Novidades Trabalhistas Novidades Trabalhistas Ampliação do contrato temporário passa a valer em 1º de Julho. Lei publicada altera artigo da CLT determinando pagamento de adicional de periculosidade para motociclistas. Empresa

Leia mais

Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante

Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante POR QUE CRIAR CIHDOTTs? 6294 hospitais no país Necessidade de descentralização Equipes localizadas dentro do hospital notificante

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação.

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 7400.011101/201-6 Assunto: Restrição de acesso: Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recorrente: Recurso contra decisão denegatória

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 002/2012

EDITAL DE RETIFICAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 002/2012 EDITAL DE RETIFICAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 002/2012 A FUNDAÇÃO HOSPITAL MUNICIPAL GETÚLIO VARGAS, divulga a retificação do Edital de Abertura do Processo Seletivo Simplificado n 002/2012 destinado

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno PARECER de CONTROLE Nº 026/12 ENTIDADE SOLICITANTE: Secretaria Municipal

Leia mais

Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia CREMEB III Fórum de Publicidade Médica 24 de agosto de 2012 Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia CREMEB Comissão de Divulgação de Assuntos Médicos

Leia mais

Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências

Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências Decreto Nº 94.406 / 1987 (Regulamentação da Lei nº 7.498 / 1986) Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências O Presidente da

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS Contrato que entre si fazem, na melhor forma de direito, de um lado( nome da operadora), com sede na rua..., n o...,bairro..., em(nome da cidade), (Estado), inscrita

Leia mais

CONSULTA Nº 13.488/2012

CONSULTA Nº 13.488/2012 1 CONSULTA Nº 13.488/2012 Assunto: Sobre a execução da NR-32 da ANVISA. Relator: Conselheiro Renato Françoso Filho. Ementa: Ao implantar as medidas previstas nesta NR 32, o SESMT deve avaliar as condições

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 14.976 EMPREGADO APOSENTADO PELO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA QUE PERMANECE OU VOLTA A EXERCER ATIVIDADE VINCULADA A ESTE REGIME PREVIDENCIÁRIO E QUE É ACOMETIDO DE MOLÉSTIA QUE O IMPOSSIBILITA

Leia mais

SEGUNDA RODADA DE NEGOCIAÇÃO DE COMPROMISSOS ESPECÍFICOS EM MATÉRIA DE SERVIÇOS

SEGUNDA RODADA DE NEGOCIAÇÃO DE COMPROMISSOS ESPECÍFICOS EM MATÉRIA DE SERVIÇOS MERCOSUL/CMC/DEC Nº 56/00 SEGUNDA RODADA DE NEGOCIAÇÃO DE ROMISSOS ESPECÍFICOS EM MATÉRIA DE SERVIÇOS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as Decisões Nº 13/97, 9/98, 12/98

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA PROFISSÃO DE BIOMÉDICO

CÓDIGO DE ÉTICA DA PROFISSÃO DE BIOMÉDICO CÓDIGO DE ÉTICA DA PROFISSÃO DE BIOMÉDICO Código de Ética aprovado pela Resolução do C.F.B.M. - /V 0002/84 DE i 6/08/84 - D. O. U. 27/08/84, e de conformidade com o Regimento Interno Art. 54, 55, 60 -

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA RESOLUÇÃO Nº 01/2011 Regulamenta a capacitação de Pessoal Técnico-

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0082/2007

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0082/2007 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0082/2007 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO nº., DE 2009. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI DO SENADO nº., DE 2009. O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI DO SENADO nº., DE 2009 Modifica o art. 482 da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, o art. 132 da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro

Leia mais

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS 1 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS 2 Índice 1- Exames Médicos Ocupacionais. 2- Controle de Atestados Médicos. 3 - Afastamentos: INSS/Licença Maternidade. 4 - Avaliação Médica.

Leia mais

O livro é a porta que se abre para a realização do homem. Jair Lot Vieira

O livro é a porta que se abre para a realização do homem. Jair Lot Vieira O livro é a porta que se abre para a realização do homem. Jair Lot Vieira SUPERVISÃO EDITORIAL JAIR LOT VIEIRA (Atualizada até a Lei nº 12.461, de 26 de julho de 2011) LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR E ALTERADORA

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008 Dispõe sobre procedimentos e rotinas referentes ao Nexo Técnico Previdenciário, e dá outras providências. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei nº 8.212, de

Leia mais

Audiência Pública no Senado Federal

Audiência Pública no Senado Federal Audiência Pública no Senado Federal Comissão de Educação, Cultura e Esporte Brasília DF, 7 de maio de 2008 1 Audiência Pública Instruir o PLS n o 026 de 2007, que Altera a Lei n o 7.498, de 25 de junho

Leia mais

Atuais regras do FAP valem por mais um ano

Atuais regras do FAP valem por mais um ano Page 1 of 5 Texto publicado segunda, dia 26 de setembro de 2011 NOTÍCIAS Atuais regras do FAP valem por mais um ano POR MARÍLIA SCRIBONI As atuais regras do Fator Previdenciário de Proteção vão valer por

Leia mais

RESPONSABILIDADE POR SALÁRIOS DE EMPREGADO CONSIDERADO INAPTO PELA EMPRESA APÓS ALTA PREVIDENCIÁRIA É DO EMPREGADOR

RESPONSABILIDADE POR SALÁRIOS DE EMPREGADO CONSIDERADO INAPTO PELA EMPRESA APÓS ALTA PREVIDENCIÁRIA É DO EMPREGADOR RESPONSABILIDADE POR SALÁRIOS DE EMPREGADO CONSIDERADO INAPTO PELA EMPRESA APÓS ALTA PREVIDENCIÁRIA É DO EMPREGADOR TRT/SP - Alta médica do INSS. Recusa do trabalhador pela empresa. Impossibilidade Data

Leia mais