CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM METROLOGIA E QUALIDADE REGULAMENTO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM METROLOGIA E QUALIDADE REGULAMENTO"

Transcrição

1 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR. INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO. CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM METROLOGIA E QUALIDADE REGULAMENTO 2ª Versão

2 Fundamentos: O Mestrado Profissional corresponde a uma formação em pós-graduação, voltada para um público preferencialmente oriundo de fora da academia, destinada à pesquisa aplicada, produção de novas tecnologias e aprimoramentos tecnológicos. Primordialmente, trata-se de um treinamento voltado à solução de problemas e à gestão tecnológica. Como tal, o Mestrado profissional apresenta variados formatos operacionais, devendo possuir uma estrutura básica que garanta qualidade, rigor metodológico e produto final de aplicação preferencial no setor não especificamente acadêmico. (Critérios de Implantação do Mestrado Profissional. CAPES, DF, Julho/2005) Conforme a Portaria nº 080 de 16/12/98, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), são pressupostos do Mestrado Profissional, o conhecimento e a capacitação para uma prática profissional transformadora, por meio da incorporação do método científico e aplicação dos conhecimentos adquiridos, com o objetivo de formar profissionais capazes de enfrentar os desafios que decorrem dos avanços e sofisticações da ciência e, no caso, da lógica imposta pelo desenvolvimento da metrologia, da normalização e da qualidade industrial. Ademais, o momento econômico mundial preconiza a livre concorrência e a inserção competitiva em mercados abertos, acarretando uma crescente preocupação com os processos de medição e a normalização de produtos, que por sua vez requerem, cada vez mais, trabalhadores bem formados e competentes profissionalmente, bem como investimentos em inovação tecnológica e na ciência das medições. Na organização do curso de Mestrado Profissional em Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial, serão observados os seguintes princípios: a) qualidade das atividades de ensino, pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico; b) busca de atualização contínua nas áreas de conhecimento; c) flexibilidade curricular que atenda à diversidade de tendências e áreas do conhecimento.

3 CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM METROLOGIA E QUALIDADE REGULAMENTO DO CURSO DAS CARACTERÍSTICAS Art. 1 º O curso de Mestrado Profissional tem por objetivo desenvolver recursos humanos de alto nível de conhecimento, dotados de competências tecnológicas e habilidades para executar pesquisas operacionais e desenvolver processos, produtos e metodologias em áreas específicas. Art. 2 º Os recursos humanos preparados poderão atuar: Na produção de novos conhecimentos e metodologias aplicáveis ao setor; Em diferentes laboratórios, centros de pesquisa, redes de serviços; Na articulação entre instituições acadêmicas e setor produtivo e de serviços; Em pesquisa aplicada e desenvolvimento tecnológico. Art. 3 º O curso será gerido de acordo com o Regimento Interno dos Cursos de Pós-Graduação do Inmetro e este Regulamento. DA ORGANIZAÇÃO DO CURSO Art. 4 º O Curso de Mestrado Profissional em Metrologia e Qualidade terá a duração de 18 a 36 meses, com a carga horária de horas correspondentes a 62 créditos, sendo 705 horas teóricas e 450 horas de práticas. Art. 5 º Serão oferecidas 20 vagas para candidatos, sendo 10 para servidores do Inmetro, 05 para a RBMLQ-I e as restantes para pessoal externo, podendo ser modificada esta proporção. Art. 6 º O curso atenderá aos seguintes critérios: I. Regime presencial; II. A parte teórico/prática terá duração de 12 até 24 meses, divididos em 04 trimestres; III. O Trabalho Final terá de 12 até 24 meses para sua conclusão e defesa; IV. A defesa do Trabalho Final de curso pode ocorrer a partir do 6º trimestre, com aprovação nos créditos anteriores.

4 Art. 7 º O acesso ao curso será através de processo seletivo atendendo aos seguintes critérios: I. Proposta preliminar de trabalho; II. Provas Língua portuguesa: Redação sobre o tema do curso; Língua Inglesa: Compreensão/Tradução. III. Análise de currículo; IV. Entrevista centrada na motivação e nos interesses institucionais; Art. 8 º O aluno selecionado deverá requerer matrícula, a cada trimestre, nas disciplinas correspondentes. DO REGIME DIDÁTICO Art. 9 º O curso se divide em duas etapas: I. A 1 a etapa compõe-se de um conjunto de disciplinas num total de 62 créditos realizadas em 06 trimestres; II. A 2 a etapa será destinada à elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso; III. O aluno será desligado do curso, pela coordenação, caso não atenda às exigências de aproveitamento e limites de prazo para obtenção do título, com aprovação do Conselho Acadêmico. DA AVALIAÇÃO Art. 10 º O aproveitamento no curso será expresso através de nota, em escala de 0 a 10. I. Será condição necessária para aprovação a obtenção da nota 06 (seis), no mínimo e a freqüência de 75% em cada disciplina; II. A reprovação na mesma disciplina por duas vezes levará ao desligamento do curso; Parágrafo Único: A nota final de reavaliação de aluno reprovado será a média aritmética da primeira nota final e da nota da prova de Avaliação II. III. O não comparecimento em alguma atividade de avaliação obrigará o aluno a solicitar 2 a chamada, no prazo de 48 horas, apresentando justificativa; IV. As atividades de avaliação são de exclusiva alçada dos docentes; V. Considera-se conclusão do curso, a aprovação em todas as disciplinas e no Trabalho de Conclusão de Curso, o qual demonstrará a capacidade do aluno em relação às atividades de Metrologia e de Qualidade.

5 DO TRABALHO FINAL Art. 11 O Trabalho de Conclusão de Curso será obrigatório para obtenção do título de Mestre em Metrologia e Qualidade. Art. 12 O Trabalho de Conclusão de Curso poderá ser realizado sob forma de dissertação, projeto, desenvolvimento de produto, protótipo ou outra forma que comprove o domínio de conteúdo do estudo. Art. 13 O projeto do Trabalho de Conclusão de Curso deverá ser apresentado até o final do 3º (terceiro) trimestre ao orientador, para aprovação. Art. 14 A defesa pública do Trabalho de Conclusão de Curso será realizada perante banca examinadora, indicada pelo Colegiado de Pós-Graduação, aprovada pelo Conselho Acadêmico e observadas as seguintes condições: I. Requerer à coordenação do Curso, trinta (30) dias antes da data prevista, juntando três (03) exemplares do trabalho e um CD para a aprovação do orientador; II. A cada defesa de Trabalho de Conclusão de Curso corresponderá uma ata em que constará o resultado do julgamento da banca que será expresso usado os seguintes conceitos: aprovação, aprovação com correções, aprovação com restrições e reprovações; III. Se houver alguma restrição ao trabalho, a banca deverá formalizar, por escrito, as modificações a serem feitas e o aluno terá prazo de três meses para apresentá-las para aprovação por seu orientador; IV. A defesa do Trabalho de Conclusão de Curso poderá ser realizada a partir do sexto (6º) trimestre; V. A defesa do Trabalho de Conclusão de Curso poderá ser realizada até três (03) meses após o término do curso, com aprovação do orientador e aceito pelo Conselho Acadêmico; VI. No último mês de vigência do curso, o aluno, que desejar, deverá solicitar prorrogação do tempo para realizar a defesa do Trabalho de Conclusão de Curso. Art. 15 A banca examinadora para a defesa pública do Trabalho de Conclusão de Curso será constituída de três (03) professores doutores, sendo presidida pelo orientador.

6 Parágrafo Primeiro: Um dos membros da banca pode não pertencer ao quadro de pessoal do Inmetro. Nesse caso deverá apresentar Currículo Lattes, preferencialmente; documentação de identificação; nome aprovado pelo Conselho Acadêmico do Curso. Parágrafo Segundo: É necessária a indicação de dois (02) professores doutores suplentes, sendo um (01) externo e outro interno à instituição. DO APROVEITAMENTO DE ESTUDOS Art. 16 Poderão ser aproveitados créditos obtidos em curso do mesmo nível, ministrados em instituição externa atendendo à carga horária compatível, conteúdo programático equivalente, histórico com aprovação e anuência do orientador. 1 Será admitida transferência para o curso, por critérios definidos por caso, pelo Colegiado de Pós- Graduação, aprovada pelo Conselho Acadêmico. 2 No caso de aproveitamento de créditos realizados em outra instituição, caso esta não use o sistema de notas e sim conceitos será usada a seguinte tabela de conversão para o sistema de notas: A B C D DO CORPO DOCENTE Art. 17 O corpo docente será constituído de professores nas categorias: permanentes, visitantes e colaboradores, de acordo com a Portaria nº068/2004, CAPES, que inclui proporcionalidade entre diferentes titulações. DO ORIENTADOR Art. 18 O corpo de orientadores será constituído por doutores, pertencentes ao quadro do Inmetro ou bolsistas do programa de fixação do mesmo ou ainda por contratados externos para este fim. Em casos excepcionais, definidos pela coordenação do curso, poderá ser admitido orientador e coorientador portador apenas do título de Mestre. I. Cada orientador atenderá a três (03) alunos, no máximo;

7 II. Cada aluno terá um (01) orientador aceito pelo Colegiado de Pós-Graduação, ouvido o coordenador do curso; III. Poderá haver mudança de orientador, a qual será aprovada pelo Colegiado de Pós- Graduação, com exposição de motivos apresentada pelo aluno e pelo orientador; IV. O aluno poderá ter um co-orientador, indicado ou aceito pelo orientador. DO CORPO DISCENTE Art. 19 O corpo discente será constituído de profissionais graduados em qualquer área, por instituições de nível superior em funcionamento de acordo com o MEC e graduados em cursos do exterior com diplomas validados pelo MEC. DA DIPLOMAÇÃO Art. 20 Para fazer jus ao Diploma de Mestre, o aluno deverá obter todos os créditos previstos para o curso, incluindo a aprovação do Trabalho de Conclusão de Curso. Parágrafo Único: O título outorgado será Mestre em Metrologia e Qualidade e será acompanhado de indicação específica, conforme o caso. DOS CASOS OMISSOS Art. 21 Os casos omissos serão deliberados pelo Conselho Acadêmico, ouvido o Colegiado de Pós-Graduação.

RESOLUÇÃO UNESP Nº 35, DE 05 DE JUNHO DE 2013 Publicada no D.O.E. de 06/06/ Seção I, p. 148

RESOLUÇÃO UNESP Nº 35, DE 05 DE JUNHO DE 2013 Publicada no D.O.E. de 06/06/ Seção I, p. 148 RESOLUÇÃO UNESP Nº 35, DE 05 DE JUNHO DE 2013 Publicada no D.O.E. de 06/06/2013 - Seção I, p. 148 Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Engenharia Mecânica, Cursos de Mestrado Acadêmico

Leia mais

Regimento do Curso de Mestrado Profissional em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Da Natureza, Finalidades e Objetivos

Regimento do Curso de Mestrado Profissional em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Da Natureza, Finalidades e Objetivos Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais Campus Rio Pomba Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL E AMBIENTAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL E AMBIENTAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL E AMBIENTAL Resolução UNESP nº 02, de 11 de janeiro de 2016 Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil e Ambiental,

Leia mais

Resolução UNESP nº 29, de 28/03/2014

Resolução UNESP nº 29, de 28/03/2014 Resolução UNESP nº 29, de 28/03/2014 Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Biotecnologia Animal, Cursos de Mestrado Acadêmico e Doutorado, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia

Leia mais

MINUTA DO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANIMAIS SELVAGENS

MINUTA DO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANIMAIS SELVAGENS MINUTA DO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANIMAIS SELVAGENS Resolução UNESP nº de / /2015 Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Animais Selvagens, Cursos de Mestrado Acadêmico

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Colegiado Acadêmico de Ciências da Natureza Senhor do Bonfim Bahia Rua Tomás Guimarães S/N Fone: (74) 3221-4809 - www.univasf.edu.br REGIMENTO INTERNO

Leia mais

Universidade de São Paulo. Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação

Universidade de São Paulo. Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Regulamento do Programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA FLORESTAL DA FCA/UNESP

REGULAMENTO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA FLORESTAL DA FCA/UNESP REGULAMENTO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA FLORESTAL DA FCA/UNESP Seção de Pós-Graduação 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS CÂMPUS DE BOTUCATU REGULAMENTO DO PROGRAMA

Leia mais

Regimento do Programa de Pós-Graduação em Psicologia em nível de Mestrado da Universidade Tuiuti do Paraná. Título I Objetivos

Regimento do Programa de Pós-Graduação em Psicologia em nível de Mestrado da Universidade Tuiuti do Paraná. Título I Objetivos Regimento do Programa de Pós-Graduação em Psicologia em nível de Mestrado da Universidade Tuiuti do Paraná Título I Objetivos Art 1º. O Programa de Pós-Graduação em Psicologia, em nível de Mestrado, visa

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DA QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS CAPÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGIMENTO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DA QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS CAPÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGIMENTO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DA QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1 o O Mestrado Profissional em Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde objetiva: I

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - FCT/UNESP CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGE)

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - FCT/UNESP CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGE) FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - FCT/UNESP CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGE) Resolução UNESP nº de / /2012 Aprova o Regulamento do Programa de

Leia mais

Normas do Doutorado. * Prova da Cultura Inglesa - mínimo de 60% de acerto. * TOEFL 70 pontos * IELTS 5,5 pontos * ITP-TOEFL 500 pontos

Normas do Doutorado. * Prova da Cultura Inglesa - mínimo de 60% de acerto. * TOEFL 70 pontos * IELTS 5,5 pontos * ITP-TOEFL 500 pontos Normas do Doutorado 1. Matrícula: A matrícula no PPG-BIOLOGIA QUÍMICA é dividida em duas etapas. A primeira, denominada pré-matrícula, consiste na entrega da documentação e do projeto de pesquisa. Após

Leia mais

Resolução UNESP nº 65 de 23/04/2012

Resolução UNESP nº 65 de 23/04/2012 Resolução UNESP nº 65 de 23/04/2012 Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Ciências Odontológicas- Áreas de Odontopediatria, Ortodontia e Dentística Restauradora, Cursos de Mestrado Acadêmico

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA TÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA TÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA TÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES Art. 1º O Curso de pós-graduação em Computação Aplicada, doravante referido como Curso, mantém programas

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA Resolução UNESP nº 64 de 18/08/2016. TÍTULO I Do Programa Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Biotecnologia, Cursos de MESTRADO

Leia mais

MARILZA VIEIRA CUNHA RUDGE Vice-Reitora no exercício da Reitoria

MARILZA VIEIRA CUNHA RUDGE Vice-Reitora no exercício da Reitoria RESOLUÇÃO UNESP Nº 35, DE 11 DE ABRIL DE 2014 Publicada no D.O.E. de 12.04.14, Seção I, pág. 70 Aprova o Regulamento do Programa de Pósgraduação em Arquitetura e Urbanismo, Curso de Mestrado Acadêmico,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO CIRURGIA VETERINÁRIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO CIRURGIA VETERINÁRIA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO CIRURGIA VETERINÁRIA Resolução UNESP nº 09 de 08/03/2013 Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Cirurgia Veterinária, Cursos: Mestrado Acadêmico e

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA FCA/UNESP

REGULAMENTO PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA FCA/UNESP REGULAMENTO PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA FCA/UNESP Estabelecido pela Resolução UNESP n. 21, de 15-4-2013 (Publicado no DOE de 16/04/2013, Seção I, Pág. 39 e 40) Alterada pela Resolução UNESP

Leia mais

Resolução nº 002/2015

Resolução nº 002/2015 Resolução nº 002/2015 Dispõe sobre o processo de composição das bancas de qualificação e defesa final da dissertação de Mestrado e dá outras providências. Considerando a necessidade de aprimorar o Programa

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INTERUNIDADES DE PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA UNESP

REGULAMENTO DO PROGRAMA INTERUNIDADES DE PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA UNESP REGULAMENTO DO PROGRAMA INTERUNIDADES DE PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA UNESP Aprova o Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC), Curso:Mestrado, interunidades,

Leia mais

PROJETO DE MESTRADO INTERDISCIPLINAR, INSTITUCIONAL NA CONDIÇÃO MINTER

PROJETO DE MESTRADO INTERDISCIPLINAR, INSTITUCIONAL NA CONDIÇÃO MINTER PROJETO DE MESTRADO INTERDISCIPLINAR, INSTITUCIONAL NA CONDIÇÃO MINTER REGULAMENTO O Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu de Mestrado Interdisciplinar e Interinstitucional na condição (MINTER), regulamentado

Leia mais

Resolução UNESP no. 84 de 29/06/2012, publicado DO 30/06/2012. TÍTULO I Do Programa

Resolução UNESP no. 84 de 29/06/2012, publicado DO 30/06/2012. TÍTULO I Do Programa REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA ÁREAS DE PERIODONTIA, ENDODONTIA E IMPLANTODONTIA DA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE ARARAQUARA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional PROFMAT. Regimento Interno do PROFMAT UFJF

Universidade Federal de Juiz de Fora Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional PROFMAT. Regimento Interno do PROFMAT UFJF Universidade Federal de Juiz de Fora Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional PROFMAT Regimento Interno do PROFMAT UFJF Da Natureza e dos Objetivos Art. 1º O Mestrado Profissional em Matemática

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA. Resolução UNESP-17, de

REGULAMENTO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA. Resolução UNESP-17, de REGULAMENTO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA Resolução UNESP-17, de 10-2-2012 (Publicado no DOE de 24/03/2012, Seção I, Página 39) Botucatu SP 2012 Resolução UNESP-17, de 10-2-2012 Aprova

Leia mais

Faculdade de Serviço Social Programa de Pós-Graduação em Serviço Social Regulamento

Faculdade de Serviço Social Programa de Pós-Graduação em Serviço Social Regulamento Faculdade de Serviço Social Programa de Pós-Graduação em Serviço Social Regulamento Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Serviço Social (PPGSS), vinculado

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA REGIMENTO DO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA TÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES Art. 1 o O Curso de pós graduação em Computação Aplicada, doravante referido como Curso, mantém programas

Leia mais

TITULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS

TITULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E DO DESENVOLVIMENTO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA MESTRADO E DOUTORADO TITULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS Art.

Leia mais

Faculdade de Medicina Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde Regulamento

Faculdade de Medicina Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde Regulamento Faculdade de Medicina Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde Regulamento Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde

Leia mais

RESOLUÇÃO UNESP Nº 148, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2012 Publicada no D.O.E. de , Seção I, pág. 54. JULIO CEZAR DURIGAN Reitor

RESOLUÇÃO UNESP Nº 148, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2012 Publicada no D.O.E. de , Seção I, pág. 54. JULIO CEZAR DURIGAN Reitor RESOLUÇÃO UNESP Nº 148, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2012 Publicada no D.O.E. de 15.11.12, Seção I, pág. 54 Aprova o Regulamento do Programa de Pósgraduação em Televisão Digital: Informação e Conhecimento, Curso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO REGULAMENTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO REGULAMENTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO P ROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO REGULAMENTO Aprovado pelo Colegiado do curso em 08/03/2012 Homologado pelo Conselho de Pós-Graduação

Leia mais

Pós-Graduação. Lato Sensu. HOSPITAL DO CÂNCER DE BARRETOS - FUNDAÇÃO PIO XII PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO (Lato Sensu) REGIMENTO. TÍTULO I Dos Objetivos

Pós-Graduação. Lato Sensu. HOSPITAL DO CÂNCER DE BARRETOS - FUNDAÇÃO PIO XII PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO (Lato Sensu) REGIMENTO. TÍTULO I Dos Objetivos HOSPITAL DO CÂNCER DE BARRETOS - FUNDAÇÃO PIO XII PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO () REGIMENTO TÍTULO I Dos Objetivos Art. 1 o O Programa de Pós Graduação em Oncologia (PLSO), vinculado ao Programa de Pós Graduação

Leia mais

Universidade Estadual Paulista REITORIA Resolução Unesp-31, de

Universidade Estadual Paulista REITORIA Resolução Unesp-31, de Universidade Estadual Paulista REITORIA Resolução Unesp-31, de 15-7-2011 2011,, alterada pela Resolução Unesp-52 de 02-06 06-2014 Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Alimentos e Nutrição,

Leia mais

REGULAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM GESTÃO DO CONHECIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES PPGGCO MESTRADO ACADÊMICO

REGULAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM GESTÃO DO CONHECIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES PPGGCO MESTRADO ACADÊMICO MESTRADO ACADÊMICO Sumário CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS... 3 CAPÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA... 4 CAPÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-CIENTÍFICA... 5 Seção I Da Estrutura Curricular... 5 Seção II

Leia mais

Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação

Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Regulamento do Programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP terá como membros titulares 4 (quatro) orientadores plenos

Leia mais

Faculdade de Biociências Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular. Regulamento

Faculdade de Biociências Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular. Regulamento Faculdade de Biociências Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Regulamento Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular

Leia mais

Artigo 2º - Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação.

Artigo 2º - Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação. RESOLUÇÃO UNESP Nº 45, DE 23 DE MARÇO DE 2012. Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Educação, Cursos de Mestrado Acadêmico e Doutorado, do Instituto de Biociências do Câmpus de Rio Claro.

Leia mais

Resolução Unesp-18, de 10/2/2012 (publicada no Diário Oficial - Poder Executivo dia 11/02/ Caderno I fl. 43)

Resolução Unesp-18, de 10/2/2012 (publicada no Diário Oficial - Poder Executivo dia 11/02/ Caderno I fl. 43) Resolução Unesp-18, de 10/2/2012 (publicada no Diário Oficial - Poder Executivo dia 11/02/2012 - Caderno I fl. 43) alterada pela Resolução Unesp 90, de 21/12/2015 (publicada no Diário Oficial - Poder Executivo

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE MESTRADO ACADÊMICO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA

REGIMENTO DO CURSO DE MESTRADO ACADÊMICO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA MESTRADO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA REGIMENTO DO CURSO DE MESTRADO ACADÊMICO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA Natal / abril de 2013 I DAS FINALIDADES

Leia mais

COMISSÃO DE ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM UROLOGIA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM UROLOGIA

COMISSÃO DE ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM UROLOGIA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM UROLOGIA COMISSÃO DE ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM UROLOGIA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM UROLOGIA Visão: Sermos um grupo de excelência na formação de docentes e de pesquisadores, e na

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS PPGCTA RESOLUÇÃO Nº 01/2016 PPGCTA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS PPGCTA RESOLUÇÃO Nº 01/2016 PPGCTA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS PPGCTA RESOLUÇÃO Nº 01/2016 PPGCTA Estabelece o regime didático para o Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Sociedade Brasileira de Matemática. Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO II DA NATUREZA E OBJETIVOS

Sociedade Brasileira de Matemática. Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO II DA NATUREZA E OBJETIVOS Sociedade Brasileira de Matemática Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS Art. 1 ⁰ O Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional

Leia mais

Sociedade Brasileira de Matemática. Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS

Sociedade Brasileira de Matemática. Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS Sociedade Brasileira de Matemática Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS Art. 1⁰ O Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º003/2008 DO COLEGIADO ACADÊMICO (Aprovada pela Câmara de Graduação em 02/10/2007 e pelo Colegiado Acadêmico em 12/11/2007)

RESOLUÇÃO N.º003/2008 DO COLEGIADO ACADÊMICO (Aprovada pela Câmara de Graduação em 02/10/2007 e pelo Colegiado Acadêmico em 12/11/2007) RESOLUÇÃO N.º003/2008 DO COLEGIADO ACADÊMICO (Aprovada pela Câmara de Graduação em 02/10/2007 e pelo Colegiado Acadêmico em 12/11/2007) CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS O Colegiado Acadêmico da Universidade

Leia mais

Regulamento. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral

Regulamento. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Regulamento Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica (Geronbio), vinculado ao Instituto

Leia mais

Regulamento Específico do Curso de Especialização em Planejamento Tributário

Regulamento Específico do Curso de Especialização em Planejamento Tributário MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÂNIA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS Regulamento Específico do Curso de Especialização em Planejamento

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA NORMAS ESPECÍFICAS

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA NORMAS ESPECÍFICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA NORMAS ESPECÍFICAS I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA CCP A Comissão Coordenadora de Programa (CCP) do Programa de Pós-Graduação em Matemática do

Leia mais

Av. Guedner, nº 1610, Fone: (44) ramal CEP Maringá Paraná Home Page:

Av. Guedner, nº 1610, Fone: (44) ramal CEP Maringá Paraná  Home Page: REGULAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM PROMOÇÃO DA SAÚDE PPGPS MESTRADO ACADÊMICO SUMÁRIO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS... 1 CAPÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA... 1 CAPÍTULO III - DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BOTÂNICA)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BOTÂNICA) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP terá como membros titulares seis orientadores plenos credenciados no programa, representantes de cada linha de

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis UnB, aprovado na 885ª Reunião da Câmara de Pesquisa e Pós-Graduação, em 25

Leia mais

DELIBERAÇÃO Nº117/85 REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UERJ TÍTULO I DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E SUAS FINALIDADES

DELIBERAÇÃO Nº117/85 REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UERJ TÍTULO I DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E SUAS FINALIDADES DELIBERAÇÃO Nº117/85 Revê o Regulamento Geral dos Cursos de Pós-Graduação da UERJ. Atendendo ao que prescreveu o art. 30 da Deliberação nº 70/81, de 19 de maio de 1981, faço saber que o Conselho Superior

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 035/2016 Campos dos Goytacazes, 11 de março de 2016

RESOLUÇÃO Nº 035/2016 Campos dos Goytacazes, 11 de março de 2016 RESOLUÇÃO Nº 035/2016 Campos dos Goytacazes, 11 de março de 2016 O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Fluminense, no uso das atribuições que lhe foram

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2014. A CÂMARA DE ENSINO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias e

RESOLUÇÃO Nº 02/2014. A CÂMARA DE ENSINO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias e RESOLUÇÃO Nº 02/2014 Estabelece normas e prazos para elaboração, reformulação e avaliação dos Projetos Pedagógicos dos Cursos de Graduação da Univasf. A DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO

Leia mais

Sociedade Brasileira de Matemática Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT

Sociedade Brasileira de Matemática Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT Sociedade Brasileira de Matemática Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional- PROFMAT CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS Art. 1 o O Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional

Leia mais

PROPOSTA DE MODELO DE REGULAMENTO PADRONIZADO

PROPOSTA DE MODELO DE REGULAMENTO PADRONIZADO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA PROPOSTA DE MODELO DE REGULAMENTO PADRONIZADO Resolução UNESP nº 32 de 24/05/2013 Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Medicina

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE ODONTOLOGIA PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE ODONTOLOGIA PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE ODONTOLOGIA PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Odontologia,

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CAPITULO I Das considerações preliminares Art. 1 - Este regulamento disciplina os processos de planejamento, elaboração, execução e avaliação dos cursos

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LITERÁRIOS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS,

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LITERÁRIOS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS, PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LITERÁRIOS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS, ÁREA DE CONCENTRAÇÃO ESTUDOS LITERÁRIOS TÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS Art. 1º Este regulamento se

Leia mais

CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO

CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO 2013 CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESIGN

UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESIGN UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESIGN Campus I Joinville 2017 1 SUMÁRIO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS... 03 CAPÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA...

Leia mais

Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional

Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional Regimento do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional Capítulo I Natureza e Objetivos Art. 1 o O Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT) tem como objetivo proporcionar

Leia mais

Normas do Programa Medicina Tropical I. COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP)

Normas do Programa Medicina Tropical I. COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) Normas do Programa Medicina Tropical I. COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) I.1 Por se tratar de Programa único a Comissão Coordenadora do Programa é a própria CPG. II - CRITÉRIOS DE

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM BANCO DE DADOS TURMA 2017 CONFORME ANEXO IV DA RESOLUÇÃO CONSEPE N o.

EDITAL DE SELEÇÃO PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM BANCO DE DADOS TURMA 2017 CONFORME ANEXO IV DA RESOLUÇÃO CONSEPE N o. EDITAL DE SELEÇÃO PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM BANCO DE DADOS TURMA 2017 CONFORME ANEXO IV DA RESOLUÇÃO CONSEPE N o. 55/2014 1. Da organização geral: a) Unidade Proponente: Instituto de

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL GOIANO CAMPUS URUTAÍ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO DE PLANTAS. RESOLUÇÃO PPGPP N 002, de 15 de setembro de 2016

INSTITUTO FEDERAL GOIANO CAMPUS URUTAÍ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO DE PLANTAS. RESOLUÇÃO PPGPP N 002, de 15 de setembro de 2016 RESOLUÇÃO PPGPP N 002, de 15 de setembro de 2016 Regulamenta as normas de elaboração de dissertação, qualificação e defesa no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Proteção de Plantas do Instituto Federal

Leia mais

ANEXO 7.1 REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE CIÊNCIAS-LATO SENSU

ANEXO 7.1 REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE CIÊNCIAS-LATO SENSU MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS ANEXO 7.1 REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE CIÊNCIAS-LATO SENSU CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

Leia mais

- REGULAMENTO MAP - Mestrado Profissional em Administração Pública

- REGULAMENTO MAP - Mestrado Profissional em Administração Pública ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS - REGULAMENTO MAP - Mestrado Profissional em Administração Pública Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas

Leia mais

NORMAS PARA A REALIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

NORMAS PARA A REALIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE FÍSICA NORMAS PARA A REALIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO As normas aqui estabelecidas deverão balizar todo o processo

Leia mais

RESOLUÇÃO. Currículo revogado pela Resolução CONSEPE 115/2006 de 14 de dezembro de Bragança Paulista, 23 de junho de 2005.

RESOLUÇÃO. Currículo revogado pela Resolução CONSEPE 115/2006 de 14 de dezembro de Bragança Paulista, 23 de junho de 2005. RESOLUÇÃO CONSEPE 29/2005 REFERENDA A PORTARIA GR 12/2005 QUANTO À APROVAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS DA SAÚDE, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO, JUNTAMENTE COM O CURRÍCULO E

Leia mais

MANUAL DO PÓS-GRADUANDO DO PROGRAMA DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

MANUAL DO PÓS-GRADUANDO DO PROGRAMA DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO MANUAL DO PÓS-GRADUANDO DO PROGRAMA DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO ORIENTADOR A definição de orientador durante o processo seletivo é feita em função da afinidade de tema de pesquisa entre orientador e orientando,

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DA FINALIDADE

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DA FINALIDADE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE COORDENAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA COLEGIADO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA Resolução 196/09 REGULAMENTO DO TRABALHO DE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM TECNOLOGIA DE IMUNOBIOLÓGICOS DO INSTITUTO DE TECNOLOGIA EM IMUNOBIOLÓGICOS BIO-MANGUINHOS I

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM TECNOLOGIA DE IMUNOBIOLÓGICOS DO INSTITUTO DE TECNOLOGIA EM IMUNOBIOLÓGICOS BIO-MANGUINHOS I REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM TECNOLOGIA DE IMUNOBIOLÓGICOS DO INSTITUTO DE TECNOLOGIA EM IMUNOBIOLÓGICOS BIO-MANGUINHOS I DAS FINALIDADES Art. 1º - O Instituto de Tecnologia em

Leia mais

UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO EM

UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO EM UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO Campus I Joinville 2012 SUMÁRIO CAPÍTULO I... 3 DOS OBJETIVOS... 3 CAPÍTULO II... 3 DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA...

Leia mais

CAPÍTULO I DO CURSO TÉCNICO

CAPÍTULO I DO CURSO TÉCNICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PESQUISAS HIDRÁULICAS CURSO TÉCNICO DE HIDROLOGIA REGIMENTO 1 DO CURSO TÉCNICO DE HIDROLOGIA Aprovado pelo Conselho da Unidade do Instituto de Pesquisas

Leia mais

Regulamento do Curso de Mestrado em Educação 1

Regulamento do Curso de Mestrado em Educação 1 Regulamento do Curso de Mestrado em Educação 1 A. Condições de matrícula e inscrição Os candidatos à frequência do curso de mestrado que tenham sido seleccionados deverão formalizar a matrícula e a inscrição,

Leia mais

- REGULAMENTO MAP - Mestrado Profissional em Administração Pública

- REGULAMENTO MAP - Mestrado Profissional em Administração Pública ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS - REGULAMENTO MAP - Mestrado Profissional em Administração Pública TURMA REGULAR 2017 Escola Brasileira de Administração

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Da Concepção e Objetivos Art. 1º. O presente regulamento tem como finalidade normatizar a atividade relacionada

Leia mais

RESOLUÇÃO ColPPGCS No 02/ 2016

RESOLUÇÃO ColPPGCS No 02/ 2016 RESOLUÇÃO ColPPGCS No 02/ 2016 O Coordenador do Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, nível Mestrado, no uso de suas atribuições, com amparo nos Parágrafos III e VIII Art. 10º do

Leia mais

I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP)

I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO DO INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Alunos Matriculados até dezembro de 2013 I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA

Leia mais

Departamento Regional de São Paulo. Vicente de Azevedo. Regulamento do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Motores de Combustão Interna

Departamento Regional de São Paulo. Vicente de Azevedo. Regulamento do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Motores de Combustão Interna [Digite uma citação do documento ou o resumo de um ponto interessante. Você pode posicionar a caixa de texto em qualquer lugar do documento. Use a guia Ferramentas de Desenho para alterar a formatação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÂNIA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÂNIA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÂNIA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS Regulamento Específico do Curso de Especialização em Auditoria

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC

REGULAMENTO GERAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC REGULAMENTO GERAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º. A Faculdade Guarapuava FG, tendo em vista o disposto no Artigo 101 do Regimento, e em atendimento às exigências

Leia mais

Regulamento do Programa de Pós-Graduação Lato sensu em Ensino em Biociências e Saúde

Regulamento do Programa de Pós-Graduação Lato sensu em Ensino em Biociências e Saúde Regulamento do Programa de Pós-Graduação Lato sensu em Ensino em Biociências e Saúde Aprovado pela Câmara Técnica de Ensino do IOC em 05 de setembro de 2016 1. Dos Objetivos 1.1. O Programa de Pós-Graduação

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE TECNOLOGIA EM MECATRÔNICA INDUSTRIAL

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE TECNOLOGIA EM MECATRÔNICA INDUSTRIAL Página 1 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE TECNOLOGIA EM MECATRÔNICA INDUSTRIAL BRAGANÇA PAULISTA SP 2016 Página 2 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE TECNOLOGIA EM MECATRÔNICA

Leia mais

REGULAMENTO. Curso de especialização de Design Instrucional para EaD Virtual: Tecnologias, Técnicas e Metodologias

REGULAMENTO. Curso de especialização de Design Instrucional para EaD Virtual: Tecnologias, Técnicas e Metodologias REGULAMENTO Curso de especialização de Design Instrucional para EaD Virtual: Tecnologias, Técnicas e Metodologias DOS OBJETIVOS Art 1 o O curso de especialização Latu Sensu em design instrucional para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ Maio/2011 1

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Gestão e. Avaliação da Educação Pública. Gestão e Avaliação da Educação Pública

Programa de Pós-Graduação em Gestão e. Avaliação da Educação Pública. Gestão e Avaliação da Educação Pública Programa de Pós-Graduação em Gestão e Avaliação da Educação Pública Gestão e Avaliação da Educação Pública Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Gestão e Avaliação da Educação Pública da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO Resolução Nº 01/LedoC/2015 13/04/2015 Regulamenta o Trabalho de Conclusão

Leia mais

Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional Normas Acadêmicas

Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional Normas Acadêmicas Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional Normas Acadêmicas 1 - Acesso e Matrícula A admissão de discentes no PROFMAT se dá por meio do Exame Nacional de Acesso, versando sobre programa de conteúdo

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Dispõe sobre o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso de Engenharia de Produção da Faculdade Capivari. CAPÍTULO

Leia mais

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA UNESC

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA UNESC UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE CURSO DE NUTRIÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA UNESC CRICIÚMA, 2006. 1 INTRODUÇÃO A disciplina de Monografia de Conclusão

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 005 PPGDC DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 005 PPGDC DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 005 PPGDC DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Estabelece Normas para a defesa de Dissertação de Mestrado no âmbito do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Programa de Pós-Graduação em Gestão e Avaliação da Educação Pública Programa de Pós-Graduação em Gestão e Avaliação da Educação Pública Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Gestão e Avaliação da Educação Pública Capítulo I Dos Fins e Objetivos Art. 1º - O Programa

Leia mais

RESOLUÇÃO UNESP Nº 01, DE 14 DE JANEIRO DE 2010.

RESOLUÇÃO UNESP Nº 01, DE 14 DE JANEIRO DE 2010. RESOLUÇÃO UNESP Nº 01, DE 14 DE JANEIRO DE 2010. Aprova o Regulamento do Programa de Pósgraduação em Engenharia Civil e Ambiental, Curso de Mestrado Acadêmico, da Faculdade de Engenharia do Câmpus de Bauru

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU TÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS Art. 1º. Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Faculdade CNEC Farroupilha

Leia mais

Orientações ao Aluno PPGEP. Apresentação 24/set/2012

Orientações ao Aluno PPGEP. Apresentação 24/set/2012 Orientações ao Aluno PPGEP Apresentação 24/set/2012 Introdução Esta apresentação é um resumo do conteúdo do Manual do Aluno Deve ser complementada pelo Regimento Interno (referenciado aqui como Regimento)

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA SAÚDE MENTAL I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP)

NORMAS DO PROGRAMA SAÚDE MENTAL I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) 1 NORMAS DO PROGRAMA SAÚDE MENTAL I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) A CCP é formada pelo coordenador, suplente do coordenador, um docente credenciado no programa e respectivos suplentes,

Leia mais

PROGRAMA ASSOCIADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA UFPB/UFRN

PROGRAMA ASSOCIADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA UFPB/UFRN RESOLUÇÃO Nº 04 - PPGFON, 16 de fevereiro de 2017 Dispõe sobre as atribuições do coordenador, vice-coordenador e secretário do Programa Associado de Pós-Graduação em Fonoaudiologia RESOLVE: O COLEGIADO

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ENGENHARIA ELÉTRICA

REGULAMENTO GERAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ENGENHARIA ELÉTRICA REGULAMENTO GERAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ENGENHARIA ELÉTRICA TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º. A Faculdade Guarapuava FG, tendo em vista o disposto no Artigo 101 do Regimento, e em atendimento

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL ITAJUBÁ Criada pela Lei nº , de 24 de abril de 2002

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL ITAJUBÁ Criada pela Lei nº , de 24 de abril de 2002 REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA CECE DOS OBJETIVOS Art. 1º - O Curso de Especialização em Comercialização em Energia Elétrica - CECE, a ser realizado in company, é

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOQUÍMICA DA FMRP I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP)

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOQUÍMICA DA FMRP I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) 1 NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOQUÍMICA DA FMRP I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) A CCP é formada pelo coordenador, o suplente, 2 docentes credenciados no programa e

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) A Comissão Coordenadora do Programa (CCP) será

Leia mais