Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1

2

3

4

5

6

7

8 ÍNDICE GERAL Pág. I INTRODUÇÃO... 5 II - DELIBERAÇÕES DA CÂMARA E ACÇÃO DO EXECUTIVO III RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA A) Actividade Económica e Financeira Comparação entre Orçamento Inicial, Final e o Orçamento Executado Modificações aos documentos previsionais Equilíbrio Orçamental. Poupança Corrente Análise da Execução Orçamental Análise Global da Receita Receita Corrente Receita de Capital Análise Global da Despesa Despesa Corrente Despesa de Capital Análise Departamental Despesa por Unidade Orgânica Administração Autárquica (AA) Departamento de Suporte Técnico e Administrativo (DSTA) Departamento de Educação, Cultura e Acção Social (DECAS) Departamento de Planeamento e Gestão Urbanística (DPGU) Departamento de Ambiente e Serviços Urbanos (DASU) Departamento de Planeamento, Modernização e Inovação (DPMI) Divisão de Fiscalização (DF) Divisão de Informação e Relações Públicas (DIRP) Investimento Municipal Autofinanciamento Financiamento Exterior Subsídios e comparticipações Empréstimos Síntese da Situação Financeira e Económica Dívida Municipal Dívida a Terceiros Empréstimos Bancários Locação Financeira Município de Lagos - Índice 1

9 Pág Dívida de Terceiros Limites ao Endividamento Quadro Comunitário de Apoio III e Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) Análise da execução do Plano Plurianual de Investimentos Transferências para as Juntas de Freguesia Indicadores Gerais de Actividade B) Análise Financeira e Patrimonial Balanço Demonstração de Resultados Resultados Resultados Operacionais Resultados Financeiros Resultado Líquido do Exercício Indicadores Económico-Financeiros. 111 C) Proposta para aplicação do Resultado Líquido do Exercício IV DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS... Balanço... Demonstração de Resultados... Notas Explicativas ao Balanço e Demonstração de Resultados... Mapas de Execução Orçamental... V Anexos... Anexo I Mapa de Empréstimos de Médio e Longo Prazo Anexo II Balanço Social Município de Lagos - Índice 2

10 ÍNDICE DE QUADROS Pág. QUADRO 1 - Comparação entre Orçamento Inicial, Final e o Executado QUADRO 2 - Poupança Corrente QUADRO 3 - Receitas Correntes QUADRO 4 - Receitas Correntes 2008/ QUADRO 5 - Receitas de Capital QUADRO 6 - Receitas de Capital 2008/ QUADRO 7 - Despesa Corrente QUADRO 8 - Despesa Corrente 2008/ QUADRO 9 - Despesa de Capital QUADRO 10 - Despesa de Capital 2008/ QUADRO 11 - Despesas previstas e realizadas AA. 67 QUADRO 12 - Despesas previstas e realizadas DSTA 70 QUADRO 13 - Despesas previstas e realizadas DECAS. 71 QUADRO 14 - Despesas previstas e realizadas DPGU QUADRO 15 - Despesas previstas e realizadas DASU 75 QUADRO 16 - Despesas previstas e realizadas DPMI. 77 QUADRO 17 - Despesas previstas e realizadas DF. 78 QUADRO 18 - Despesas previstas e realizadas DIRP. 80 QUADRO 19 - Investimento Directo QUADRO 20 - Investimento 2005/ QUADRO 21 - Investimento Directo 2008/ QUADRO 22 - Síntese da Situação Económica e Financeira QUADRO 23 - Dívida a Terceiros QUADRO 24 - Dívida de Empréstimos Bancários QUADRO 25 - Dívida de Locação Financeira QUADRO 26 - Dívida de Terceiros QUADRO 27 - Candidaturas Formalizadas e Homologadas QCAIII. 92 QUADRO 28 - Candidaturas Formalizadas e Homologadas QREN.. 93 QUADRO 29 - Plano Plurianual de Investimentos Síntese da Evolução do Investimento QUADRO 30 - Plano Plurianual de Investimentos Síntese da Execução do Investimento QUADRO 31 - Evolução do Investimento Sectores de Actividade QUADRO 32 - Balanço Sintético. 106 QUADRO 33 - Demonstração de Resultados 108 Município de Lagos - Índice 3

11 ÍNDICE DE GRÁFICOS Pág. GRÁFICO 1 - Poupança Corrente Orçamento Inicial GRÁFICO 2 - Poupança Corrente Execução Orçamental GRÁFICO 3 - Estrutura da Receita Corrente GRÁFICO 4 - Evolução das Receitas Correntes GRÁFICO 5 - Estrutura da Receita de Capital GRÁFICO 6 - Evolução da Receita de Capital GRÁFICO 7 - Estrutura da Despesa Corrente GRÁFICO 8 - Evolução da Despesa Corrente GRÁFICO 9 - Grau de cobertura da despesa corrente pela receita corrente. 65 GRÁFICO 10 - Estrutura da Despesa de Capital GRÁFICO 11 - Evolução da Despesa de Capital GRÁFICO 12 - Estrutura do Investimento GRÁFICO 13 - Investimento Município de Lagos - Índice 4

12

13 RELATÓRIO DE GESTÃO DO ANO ECONÓMICO DE 2009 O Executivo Municipal apresenta, nos termos legais da alínea e) do n.º 2 do artigo 64º da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, com a redacção da Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro, e o Decreto-Lei n.º 54-A/99, de 22 de Fevereiro POCAL na sua actual redacção, o Relatório de Gestão e respectivos Documentos de Prestação de Contas referentes ao exercício económico de 2009, cabendo à Assembleia Municipal a sua apreciação e votação em conformidade com o disposto na alínea c) do n.º 2 do artigo 53.º da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, com a redacção da Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro. Os Documentos de Prestação de Contas são apresentados conforme estabelece a Resolução n.º4/2001 2ª Secção Tribunal de Contas, de 12 de Julho de 2001, que aprovou as Instruções para organização e documentação das contas das Autarquias Locais e Entidades Equiparadas abrangidas pelo Plano Oficial de Contabilidade das Autarquias Locais, publicadas no Diário da República, II Série, n.º 191, de 18/08/2001. I INTRODUÇÃO O cumprimento das Linhas Estratégicas de Desenvolvimento previstas nas Grandes Opções do Plano Prosseguiu-se as grandes linhas estratégicas de desenvolvimento: - A implementação das orientações estratégicas do PEL Plano Estratégico de Lagos; - A afirmação de Lagos como destino turístico de excelência; - O aumento das áreas verdes; - A ampliação do Parque da Cidade, zona verde em torno volta das muralhas; - A implementação da nova Esquadra da PSP; - O desenvolvimento do Concelho de forma harmoniosa, sustentável e inclusiva para todos; - O apoio às Freguesias, Instituições e Colectividades; - O apoio aos mais jovens e a animação desportiva de todas as idades; - A implementação das orientações do Plano Estratégico de Desenvolvimento Desportivo; - A promoção da acção social por todas as formas ao seu alcance, de forma justa; - O apoio à prevenção das toxicodependências e o apoio ao tratamento dos toxicodependentes e auxílio às respectivas famílias; - O desenvolvimento do ensino pré-escolar público e gratuito, ampliando-se o parque escolar e pré-escolar; Município de Lagos Introdução 5

14 - O desenvolvimento das iniciativas e actividades dirigidas às crianças e jovens; - A resolução das necessidades da rede educativa, implementado a Carta Educativa do Concelho; - A resolução das necessidades de habitação social, estimulando soluções para a existência de oferta habitacional a custos controlados; - O equilíbrio do crescimento urbanístico; - As acções de requalificação urbana. - A implementação de novas soluções de Mobilidade Urbana e a melhoria das existentes; - O abastecimento de água em qualidade; - Elevação dos padrões de limpeza e saneamento, expandindo-se a separação de resíduos sólidos urbanos; - A preservação, divulgação e engrandecimento do património histórico-cultural; - A valorização dos recursos humanos e materiais da Autarquia, reforçando a formação profissional dos trabalhadores e a melhoria das condições de higiene segurança e saúde no trabalho; - A implementação da gestão por objectivos e o novo sistema de avaliação de desempenho da administração pública; - A pugnar-se pela requalificação do Porto de Lagos; - A pugnar-se pela requalificação da EN 125, com a construção de rotundas separadoras de tráfego no Chinicato e em Espiche a construção da circular de Odiáxere. Durante o ano económico de 2009, os investimentos mais significativos foram os referentes às despesas com os seguintes Grandes Projectos: - Plano Global de Habitação 2005/2009 Aquisição de fogos em Espiche; - Programa de Reordenamento da Rede Escolas Nova Escola EB 2,3 Technopolis; - Requalificação da Frente Ribeirinha Acção A1 Projecto POLIS; - Intervenção na Escola do Bairro Operário; - Construção da Nova Esquadra da PSP; - Requalificação de arruamentos, espaços públicos e zonas verdes; - Pavimentação de ruas da cidade e estacionamentos; - Igreja Nossa Senhora do Carmo (Igreja das Freiras); - Gestão do Plano de Pormenor Bensafrim; - Conservação e Manutenção de Espaços Verdes inclui sistema de rega; - Remodelação e ampliação do sistema de abastecimento de água em baixa à cidade Estações elevatórias, condutas e outros; - Oficina Ciência Viva; - Qualificação da Zona envolvente às muralhas trabalhos relacionados com mobilidade e segurança; - Edifício Multifunções do Chinicato Aquisição de prédio e obras de adaptação; Município de Lagos Introdução 6

15 - Apoio à construção do Lar de Idosos de Barão de São João. O Município de Lagos está geminado com os Municípios de: - Palos de La Frontera, Província de Huelva, Comunidade de Andaluzia, Espanha, desde 27 de Outubro de 1992; - Torres Vedras, Portugal, desde 25 de Julho de O Município de Lagos tem Acordos de Colaboração e de Cooperação com os Municípios de: - Comuna Urbana de Boujdour (Bojador), Sara Ocidental, Marrocos, desde 1 de Março de 2005; - Ribeira Grande de Santiago (Cidade Velha), Ilha de Santiago, Cabo Verde, desde 15 de Agosto de 2006; - Calheta de São Miguel, Ilha de Santiago, Cabo Verde, desde 15 de Agosto de 2006; - Cidade de Ilha de Moçambique, Província de Nampula, Moçambique, desde 27 de Outubro de 2006; - Distrito de Sikka, Ilha das Flores, Indonésia, desde 22 de Maio de 2007; - Distrito de Ugu, Estado de Kwazulo-Natal, África do Sul, desde 4 de Setembro de 2007; - Ilha de Gorée, Cidade de Dakar, Senegal, desde 17 de Abril de 2008; - Óbidos, Portugal, desde 15 de Julho de 2008; - Guimarães, Portugal, desde 15 de Julho de 2008; - Lagos do Mundo: - Lagos, Região de Aquitânia, França, desde 30 de Maio de 1998; - Lagos, Município de Velez-Málaga, Província de Málaga, Comunidade de Andaluzia, Espanha, desde 14 de Agosto de 2007; - Lagos, Região de Evros, Grécia, desde 14 de Agosto de 2007; - Lagos, Estado de Jalisco, México, desde 21 de Agosto de Tem Acordos de Colaboração com: - Mayors for Peace, movimento mundial com sede em Hiroshima, Japão, desde 30 de Julho de 2007; - Memorial da Epopeia do Descobrimento, Município de Porto Seguro, Estado da Bahia, Brasil, assinado em 2 de Maio de Município de Lagos Introdução 7

16 O Município de Lagos participa nas seguintes associações, instituições e empresas: DESIGNAÇÃO MORADA / SEDE Associações de Municípios AEMA Associação Europeia de Municipalidades com Marina AMAL Comunidade Intermunicipal do Algarve ANAS Associação Municípios Algarve - Huelva Associação de Municípios da Ria de Alvor (Lagos / Portimão) ANMP Associação Nacional de Municípios Portugueses Associação Portuguesa de Municípios com Centro Histórico Terras do Infante Associação de Municípios Centro Cultural de Lagos Rua Lançarote de Freitas, LAGOS Rua General Humberto Delgado, nº FARO Rua Jornal do Algarve, 24 C Vila Real de Santo António Edifício da Estação da CP Mexilhoeira Grande PORTIMÃO Av.ª Marnoco e Sousa, COIMBRA Av.ª Regimento de Artilharia, 9 Edifício Central de Camionagem LAMEGO Praça Gil Eanes LAGOS Associações Diversas Associação Algarve Congresso Incentivos Algarve Convention Bureau Associação do Centro de Ciência Viva de Lagos Rua Miguel Bombarda Edifício Varandas de Faro Bloco A Escritório Esquerdo FARO Rua Dr. Faria e Silva, n.º LAGOS Associação Colher para Semear Quinta do Olival Aguda FIGUEIRÓ DOS VINHOS Associação Musical do Algarve Estrada Nacional 125 Casa das Figuras Horta das Figuras Apartado FARO Associação Oncológica do Algarve Largo das Mouras Velhas, n.º FARO Associação Portuguesa de Rua Morais Soares, 43 C 1.º Dt.º Bibliotecários, Arquivistas e LISBOA Documentalistas APESB Associação Portuguesa de Engenharia Sanitária e Ambiental Av.ª Brasil, LISBOA APDA Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas Associação Portuguesa de Empresas Municipais Associação Portuguesa de Museologia Av.ª de Berlim, LISBOA Av.ª Eng.º Adelino Amaro da Costa, Nº CASCAIS Praça António Baião Lote C1 Loja 1 A LISBOA Município de Lagos Introdução 8

17 DESIGNAÇÃO Associação Portuguesa de Planeadores do Território ATA Associação de Turismo do Algarve MORADA / SEDE Edifício 1 Gab. 52 Universidade de Aveiro AVEIRO Av.ª 5 de Outubro, nº FARO ERTA Entidade Regional de Turismo do Algarve ABC Os Espichenses Agência de Desenvolvimento do Barlavento - Associação Bombeiros Voluntários de Lagos Associação Humanitária Av.ª 5 de Outubro, nº FARO Travessa do Rossio, nº 2 Espiche LAGOS Rua Impasse à Rua Poeta António Aleixo, Bloco B R/C PORTIMÃO Rua dos Bombeiros Voluntários de Lagos LAGOS Casa do Algarve Associação Regionalista CIVITAS Dep. Ciênc. e Eng.ª. do Ambiente da FCT/UNL Av.ª de Ceuta Norte N.º 14 Loja LISBOA Dep. Ciência e Eng.ª do Ambiente da FCT/UNL Quinta da Torre Campus Da Fac. Ciências e Tecnologia MONTE DA CAPARICA Centro Nacional de Cultura Rua António Maria Cardoso, 68 Edifício CNC LISBOA Associação Promotora da Rede Alameda das Linhas de Torres Dinâmica XXI Nº LISBOA FICAM Fórum Ibérico de Cidades Amuralladas C/ Santa Clara, 10 1º PLASENCIA, CÁCERES ESPANHA Walled Towns Friendship Circle Mayors for Peace Town Hall Chester CH1 2HS ENGLAND Hiroshima Japão Empresas e Entidades Empresariais Participadas directamente Águas do Algarve, S.A. Rua do Repouso, n.º FARO ALGAR Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A. GLOBALGARVE Cooperação e Desenvolvimento, S.A. Rua Cândido Guerreiro, n.º 43 3º. Frente FARO Rua Dr. José de Matos, FARO Município de Lagos Introdução 9

18 DESIGNAÇÃO MORADA / SEDE FUTURLAGOS Entidade Empresarial Local para o Desenvolvimento, E.E.M. LAGOS-EM-FORMA Gestão Desportiva, E.E.M. Rua Belchior Moreira Barbudo Lote 2 Loja LAGOS Complexo Desportivo Municipal Rossio de São João LAGOS O Município de Lagos detém participações indirectas, via FUTURLAGOS, nas seguintes sociedades comerciais: - NEOFUTUR Promoção e Conservação de Imóveis, S. A. - EL - Estacionamentos de Lagos, S. A Na sequência da publicação da Lei n.º 45/2008, de 27 de Agosto, que instituiu o novo regime jurídico do associativismo municipal, foram publicados em 19 de Dezembro de 2008 os Estatutos na nova Comunidade Intermunicipal do Algarve. A participação do município nesta comunidade intermunicipal, continua a ter como objectivo o de contribuir para a resolução dos problemas específicos dos municípios na região algarvia e para gerir problemas comuns. A comunidade intermunicipal, em parceria com os municípios associados está a desenvolver os seguintes projectos: Ecovias do Algarve, Produção de Cartografia Numérica Vectorial à escala 1:10000, Projecto SMITA Serviço Móvel de Informação Territorial Atlântico e Compras Electrónicas. A participação do município nas associações de municípios com fins específicos: Terras do Infante Associação de Municípios e Associação de Municípios da Ria de Alvor (Lagos / Portimão) justifica-se pela proximidade e pela resolução de problemas e desenvolvimento de projectos comuns, na partilha de recursos comuns. No âmbito específico da Terras do Infante Associação de Municípios dá-se a continuação dos projectos Agris, com todos os meios afectos à prevenção dos incêndios e à intervenção florestal no sentido de se gerir de forma eficaz a questão das faixas de combustível Continua a pugnar-se pela protecção da Ria de Alvor, assim como os esforços para a constituição, naquele território, de uma zona de paisagem protegida, assim como a continuação dos estudos conducentes à construção do futuro aeródromo do barlavento algarvio, que constituirá uma vantagem competitiva importante para esta sub-região. Os estudos e projectos continuam em desenvolvimento. Município de Lagos Introdução 10

19 Por deliberação tomada na sessão ordinária de Novembro de 2008 (3.ª reunião em ) da Assembleia Municipal, foi aprovada a adesão do Município de Lagos à Agência de Desenvolvimento do Barlavento Associação. Um dos objectivos desta adesão foi o fomento de um contrato de parceria para a definição e concretização de uma estratégia de desenvolvimento sustentável das zonas de pesca do Barlavento Algarvio, constituindo, para o efeito o Grupo de Acção Costeira do Barlavento Algarvio, no âmbito uma candidatura comum ao programa PROMAR Programa Operacional Pesca 2007/2013. Também está em desenvolvimento um estudo estratégico para o desenvolvimento de candidaturas aos diversos sistemas de incentivos, designado por Fund Europe. É de se continuar a referir a participação societária nos sistemas multimunicipais de Águas e Saneamento, por um lado e de tratamento de resíduos sólidos, por outro, através das respectivas empresas Águas do Algarve e Algar, procurando-se que os municípios, que são os principais clientes, desenvolvam as necessárias sinergias para a prossecução dos objectivos comuns. No âmbito do Turismo, manteve-se dinâmica a participação do Município de Lagos nas estrutura da ERTA, da ATA (Associação de Turismo do Algarve) e da AEMA, por forma a que se potenciar a promoção turística. Em 2009 as entidades empresariais municipais LAGOS-EM-FORMA Gestão Desportiva, E.E.M. e FUTURLAGOS Entidade Empresarial para o Desenvolvimento, E.E.M. continuaram a desenvolver as suas actividades, sob a tutela administrativa e mediante os financiamentos previstos na Lei, nos respectivos instrumentos de gestão, contratos-programa e contratos de gestão celebrados com o Município, conforme consta dos respectivos relatórios de gestão e contas. A Câmara Municipal de Lagos prosseguiu as suas actividades, balizadas pelo cumprimento do programa de governação municipal, consubstanciado nas Grandes Opções do Plano e Orçamento do exercício. Continuou como objectivo prioritário para o Executivo, o trabalho desenvolvido no âmbito dos novos instrumentos de gestão territorial, com vista à definição de uma estratégia determinante para o desenvolvimento sustentável do município e a criação das condições para a geração de riqueza e a melhoria da qualidade de vida dos nossos concidadãos. Município de Lagos Introdução 11

20 Plano de Urbanização da Meia-Praia (PUMP) Foi publicado no Diário da República, 1.ª Série - N.º 165, em 28 de Agosto de 2007, a Resolução do Conselho de Ministros n.º 125/2007, que resolve ratificar o Plano de Urbanização da Meia-Praia, no município de Lagos, cujo regulamento, planta de zonamento e planta de condicionantes foram publicados em anexo à citada resolução, dela fazendo parte integrante. Plano de Pormenor de Espiche Foi publicado no Diário da República, 2.ª Série N.º de Fevereiro de 2008, o Anúncio n.º 964/2008, que publica o Plano de Pormenor de Espiche, instruído com regulamento, planta de implantação e planta de condicionantes, do mesmo partes integrantes. Plano de Pormenor das Portelas Foi publicado no Diário da República, 2.ª Série N.º de Fevereiro de 2008, o Anúncio n.º 994/2008, que publica o Plano de Pormenor das Portelas, instruído com regulamento, planta de implantação e planta de condicionantes, do mesmo partes integrantes. Plano de Pormenor de Barão de São João Foi publicado no Diário da República, 2.ª Série N.º de Fevereiro de 2008, o Anúncio n.º 993/2008, que publica o Plano de Pormenor de Barão de São João, instruído com regulamento, planta de implantação e planta de condicionantes, do mesmo partes integrantes. Plano de Pormenor do Sargaçal Foi publicado no Diário da República, 2.ª Série N.º de Novembro de 2008, o Anúncio n.º 26854/2008, que publica o Plano de Pormenor do Sargaçal, instruído com regulamento, planta de implantação e planta de condicionantes, do mesmo partes integrantes. Plano de Pormenor da Zona Envolvente à Estação Ferroviária de Lagos Foi publicado no Diário da República, Série II, n.º 89 de 8 de Maio de 2009, o Aviso n.º 9307/2007, que publica o Plano de Pormenor da Zona Envolvente à Estação Ferroviária de Lagos, no município de Lagos, instruído com o regulamento, planta de implantação e planta de condicionantes. Município de Lagos Introdução 12

21 Plano de Pormenor da Zona Envolvente à Estação Ferroviária de Lagos (Rectificação) Foi publicado no Diário da República, Série II, n.º 134 de 14 de Julho de 2009, a Declaração de Rectificação n.º 1694/2009 sobre o Plano de Pormenor da Zona Envolvente à Estação Ferroviária de Lagos. Município de Lagos Introdução 13

22

23 II AS DELIBERAÇÕES DA CÂMARA MUNICIPAL E A ACÇÃO DO EXECUTIVO DESTAQUES Os novos Paços do Concelho Séc. XXI de Lagos foram inaugurados dia 6 de Julho de 2009 O novo edifício da Câmara Municipal de Lagos, denominado por Paços do Concelho Séc. XXI foi inaugurado e entrou em funcionamento no dia 6 de Julho, numa cerimónia que contou com a presença de S. Ex.ª o Secretário de Estado Adjunto e da Administração Local, Dr. Eduardo Cabrita, em representação de S. Ex.ª o Primeiro-Ministro. O novo equipamento está situado no novo loteamento integrado no espaço da antiga fábrica da cortiça. Confina com a Rua Dom Vasco da Gama, a Rua dos Celeiros, a Rua José Ferreira Canelas e o novo arruamento que tem como designação toponímica o nome de Praça do Município. Desde aquela data, todos os serviços técnicos e administrativos da Câmara Municipal - à excepção do Departamento de Ambiente e Serviços Urbanos, que está instalado no Chinicato e dos equipamentos culturais e educativos foram transferidos para o novo Edifício, libertando, deste modo, as instalações até agora ocupadas em várias partes da cidade e centralizando num único local o atendimento e tratamento dos assuntos colocados pelos munícipes. O novo Edifício tem 4 pisos de gabinetes, ocupados pelos serviços municipais, e dois pisos subterrâneos destinados a Parque de Estacionamento, com capacidade para 300 viaturas. No decorrer da cerimónia foi lançado o selo comemorativo dos CTT dedicado aos Paços do Concelho Séc. XXI, evento filatélico que despertou grande interesse por parte da comunidade filatelista e do público em geral, uma vez que constituiu a oportunidade única de receber um novo selo com o carimbo do 1.º dia de circulação. A última Reunião de Câmara nos Paços do Concelho, situados na Praça Gil Eanes, decorreu no dia 1 de Julho de O seu ponto alto foi a aprovação, por unanimidade e aclamação, da Moção de Congratulação 200 Anos da História. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 14

24 Instalação da nova Comissão Municipal de Protecção Civil No dia 11 de Dezembro de 2009 foi instalada a nova Comissão Municipal de Protecção Civil de Lagos, quem como o primeiro assunto a tratar o acompanhamento da elaboração do novo Plano Municipal de Emergência. São competências das comissões municipais de protecção civil: accionar a elaboração do plano municipal de emergência, remetê-lo para aprovação pela Comissão Nacional de Protecção Civil e acompanhar a sua execução; acompanhar as políticas directamente ligadas ao sistema de protecção civil que sejam desenvolvidas por agentes públicos; determinar o accionamento dos planos, quando tal se justifique; garantir que as entidades e instituições que integram a comissão accionam, ao nível municipal, no âmbito da sua estrutura orgânica e das suas atribuições, os meios necessários ao desenvolvimento das acções de protecção civil e difundir comunicados e avisos às populações e às entidades e instituições, incluindo os órgãos de comunicação social. Foi também nomeado o Comandante Operacional Municipal, em cumprimentos do estipulado na legislação vigente sobre protecção civil. A Comissão Municipal de Protecção Civil de Lagos 2009 / 2013 é composta pelas seguintes individualidades: - Presidente da Câmara Municipal de Lagos, que preside à mesma; - Comandante Operacional Municipal, quando existir; - Comandante da Esquadra da Polícia de Segurança Pública de Lagos; - Comandante do Posto Territorial de Lagos da Guarda Nacional Republicana; - Comandante Local da Polícia Marítima de Lagos / Capitão do Porto de Lagos; - Comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários de Lagos; - Representante da Unidade Hospitalar de Lagos; - Representante do Agrupamento dos Centros de Saúde do Barlavento; - Representante da Delegação de Lagos da Cruz Vermelha Portuguesa; - Representante da Santa Casa da Misericórdia de Lagos; - Representante da Autoridade Florestal Nacional / Direcção Regional das Florestas; - Representante do Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal de Lagos; - Representante da Direcção Regional de Educação do Algarve / Gabinete de Segurança e Protecção Civil. A Política da Qualidade Por despacho do Senhor Presidente da Câmara Municipal de 9 de Novembro de 2009, foi aprovada a seguinte política de Qualidade: Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 15

25 - A Pensar em Si, a Politica da Qualidade assenta nas seguintes linhas de acção: A prestação de serviços de qualidade com rigor, transparência e excelência, agilizando a capacidade de resposta dos serviços através da desburocratização, modernização administrativa, do reforço da capacidade técnica dos colaboradores e da criação de uma cultura aberta à inovação; Promoção de um diálogo produtivo e proveitoso para os munícipes fomentando a audição dos cidadãos quanto à qualidade dos serviços prestados e aprofundando a participação das organizações sociais e agentes económicos locais; Valorização humana e profissional dos colaboradores da autarquia, como elemento chave para melhorara a eficácia da sua contribuição para a resolução dos problemas da população; Sensibilização da organização para a Qualidade, estabelecendo e mantendo canais de comunicação internos que promovam e a sensibilização de todos os colaboradores em matéria de Qualidade. Actividades administrativas Preparação de todas as actividades, procedimentos e logística inerentes aos actos eleitorais: - Eleição da Assembleia da República / 09 (27/09/2009) e - Eleição dos Órgãos das Autarquias Locais/ 09 (11/10/2009). No início do novo mandato autárquico e sob orientação do Executivo Municipal, procedeu-se à preparação dos documentos de delegação e subdelegação de competências e demais instrumentos necessários ao exercício das respectivas funções e ao desenvolvimento da actividade municipal; Actualização do Regimento da Câmara Municipal de Lagos; Procedeu-se à revisão e actualização dos Processos que integram o Sistema de Gestão da Qualidade e à definição dos respectivos objectivos, indicadores de medida e métodos de acompanhamento e controlo; Procedeu-se à actualização dos impressos/requerimentos, disponíveis no Balcão Virtual. Geminação entre Lagos e Torres Vedras foi assinada a 4 de Julho de 2009 No dia 4 de Julho de 2009 foi assinada a Geminação entre os Municípios de Lagos e de Torres Vedras, numa cerimónia que decorreu nos Paços do Concelho de Torres Vedras. Os dois municípios têm a existência de uma comum memória histórica e patrimonial, ligada à figura de Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 16

26 São Gonçalo, padroeiro de ambos os Municípios, para além do interesse comum em aprofundarem laços de amizade, de cooperação e de solidariedade. De acordo com o documento recentemente assinado, o grande objectivo desta Geminação é o desenvolvimento de vínculos permanentes entre ambos os Municípios, conducentes ao aprofundamento do conhecimento das identidades culturais locais, em termos de tradições, costumes, memória histórica e património; ao intercâmbio de actividades e/ou eventos culturais, patrimoniais e artísticos e à participação conjunta em projectos de interesse comum. No dia 25 de Julho de 2009 foi a vez de Lagos acolher uma comitiva do Município de Torres Vedras que visitou, para além de locais históricos de Lagos, a Feira Concurso Arte Doce. Nesta visita, teve lugar, no Salão Nobre dos Paços do Concelho Séc. XXI, nova assinatura do protocolo de geminação entre Lagos e Torres Vedras. O Município de Lagos aderiu ao Simplex Autárquico O Município de Lagos integra o grupo dos 60 municípios portugueses que colocarão em prática os princípios da modernização e simplificação administrativa preconizados pelo SIMPLEX Autárquico. O Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos participou no dia 7 de Setembro de 2009 na Cerimónia de Balanço do Simplex Autárquico 2008/2009 e apresentação do Programa para 2009/2010, que decorreu no Pavilhão de Portugal, com a presença do Senhor Ministro da Presidência, Dr. Pedro Silva Pereira, e da Senhora Secretária de Estado da Modernização Administrativa, Dr.ª Maria Manuel Leitão Marques. O motivo desta participação prendeu-se com a adesão do Município de Lagos ao Simplex, o programa de simplificação, desburocratização e desmaterialização administrativo iniciado na Administração Central e alargado à Administração Local em Julho de 2008, com nove municípios fundadores e 67 medidas de simplificação administrativa. O SIMPLEX Autárquico 2009/2010 integra já 60 municípios e 285 medidas de simplificação e de melhoria da qualidade do atendimento, das quais 254 são medidas municipais (assumidas individualmente pelos municípios); 22 são intermunicipais (dependem da articulação entre vários municípios) e nove intersectoriais (dependem da colaboração entre a administração central e os municípios). Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 17

27 Bensafrim viu votada pelo Parlamento a elevação a Vila no dia 12 de Junho de 2009 Após a publicação da respectiva lei, Bensafrim passou a ser a nova Vila do Concelho de Lagos. A votação para Elevação de Bensafrim a Vila decorreu pelas 12H00 do dia 12 de Junho de 2009, na Assembleia da República. De Lagos saiu uma comitiva com munícipes desta Freguesia, acompanhados pelos autarcas de Bensafrim e do Município de Lagos. Este processo foi iniciado em Outubro de 2007, com a aprovação de todas as entidades competentes, sendo de realçar a Assembleia Municipal que aprovou por Unanimidade e Aclamação. O Projecto de Lei foi iniciado pela Senhora Deputada Aldemira Pinho e subscrita por todos os Senhores Deputados da Nação do circulo eleitoral de Faro. Medidas de Combate aos Efeitos da Crise Económica Aprovadas na reunião da Câmara Municipal de Lagos de 8 de Fevereiro de 2009 Ouvidos os respectivos serviços municipais, foram proposta e aprovadas um conjunto de medidas sociais de combate aos efeitos da crise económica, para vigorarem inicialmente no segundo semestre de 2009 e em 2010, podendo ser prorrogadas e alteradas se for caso disso: 1.ª Extensão de benefícios aos desempregados das isenções e reduções nos transportes públicos urbanos de Lagos A Onda aplicáveis aos reformados e aposentados; 2.ª Atribuição de bolsas de estudo no ensino superior público, para alunos já bolseiros, que transitem de ano, que o requeiram e sejam elegíveis nos termos regulamentares, e enquanto o forem; 3.ª Incentivos à infância e à natalidade Vale Nascimento A Câmara Municipal incentivará as Instituições Privadas de Solidariedade Social ou similares ou outras entidades privadas que queiram instalar creches familiares, devidamente licenciadas, como forma de criar alternativas / respostas aos agregados familiares, estabelecendo parcerias com as mesmas, no âmbito do estabelecimento de incentivos financeiros à natalidade, em termos a definir caso a caso. É criado, para vigorar no segundo semestre de 2009 e durante 2010, um apoio às famílias (designados Vale Nascimento ), residentes no Município de Lagos e que aqui registem os seus filhos, vales de compras no valor de 500 Euros, distribuído em dez vales de 50, que serão descontados em produtos materno / infantis de qualquer natureza, em estabelecimentos do comércio local do concelho de Lagos. 4.ª Cabaz alimentar Será alargado de 160 para 250 o número de agregados familiares, a apoiar ao nível do cabaz alimentar no valor de 50 Euros mensais alargando-se, assim o âmbito dos acordos de Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 18

28 cooperação já firmados com as instituições privadas de solidariedade social parceiros desta acção. 5.ª Congelamento das rendas municipais, até final de 2010, dos valores máximos das rendas de habitação social municipal actualmente fixados. 6.ª Apoio às rendas de casa, disponibilizando-se, no segundo semestre de 2009 e em 2010, um apoio ao arrendamento habitacional das famílias, estabelecido na forma legal, fora do âmbito de habitação social e a custos controlados, num máximo de 200 Euros / mês, de acordo com os critérios seguintes: a)- Para rendimentos mensais globais iguais ou inferiores ao salário mínimo nacional, 30% do valor da renda; b)- Para rendimentos mensais globais superiores ao salário mínimo nacional e inferiores a dois salários mínimos nacionais, 15% do valor da renda. 7.ª Redução da conta de electricidade Na sequência do Plano de Promoção de Eficiência Energética 2008 (PPEC) a ADENE e a EDP, encontram-se a dinamizar uma iniciativa que visa a distribuição gratuita de lâmpadas economizadoras em Bairros Sociais (4 lâmpadas por agregado familiar), tendo sido as 304 habitações municipais de Lagos contempladas neste âmbito. No seguimento desta, a Câmara Municipal procederá à substituição gradual das lâmpadas incandescentes clássicas por lâmpadas fluorescentes nos espaços comuns das Urbanizações Municipais e nos edifícios municipais à medida que aquelas ficarem estragadas, tendo como objectivo uma maior poupança em termos financeiros e ecológicos. 8.ª Atendimento de Psicologia Social É criado na Divisão de Saúde e Acção Social (D.S.A.S.) do Departamento de Educação, Cultura e Acção Social (D.E.C.A.S.), um serviço de atendimento gratuito ao nível da Psicologia, o qual poderá funcionar em espaço partilhado com outra entidade vocacionada para esse efeito, em cooperação com os serviços da Associação de Saúde Mental do Algarve (A.S.M.A.L.). O Município celebrará acordo de cooperação com a Associação de Saúde Mental do Algarve (A.S.M.A.L.) para a cedência de espaço para os fins da sua actividade, tais como consultas, salas de tratamento, salas ocupacionais, ateliês terapêutico-ocupacionais, formação, entre outros, em que seja possível desenvolver actividades de reabilitação e de promoção de autonomia dos munícipes afectados por doenças daquela natureza. 9.ª O Atendimento social descentralizado poderá passar a fazer-se nas Juntas de Freguesia, rurais e urbanas, bem como em associações e outras instituições locais, mediante acordo de cooperação a celebrar com tais entidades. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 19

29 10.ª Banco de recursos Lagos Solidário Será criado no âmbito da Rede Social um Banco de Recursos / Lagos Solidário, para a recolha, armazenamento e distribuição de roupas, calçado, material didáctico e lúdico e outros bens essenciais para apoiar agregados familiares em situação de grande vulnerabilidade social e ajudas técnicas tais como camas articuladas, colchões anti-escaras, andarilhos, tripés, canadianas e outros. 11.ª Cartão do Munícipe É criado o Cartão do Munícipe, que constitui o documento de identificação dos munícipes beneficiários dos serviços de acção social do Município, perante os serviços municipais e perante os parceiros sociais e entidades envolvidas nas operações relacionadas com a execução dos apoios sociais estabelecidos. Poderão ter acesso ao Cartão do Munícipe os munícipes ou famílias em situação de vulnerabilidade económica e social, tendo como metas o apoio em situação economicamente mais desfavorecida, através de uma intervenção multifacetada ao nível das condições do bem estar económico, social e habitacional e que reúnam as condições seguintes cumulativas: a) Rendimento per capita inferior, em cada ano, ao da pensão mínima do regime contributivo da Segurança Social; b) Residentes no concelho há, pelo menos, um ano. Aos portadores do cartão do munícipe poderão ser concedidos os seguintes benefícios: a) O direito à isenção ou descontos em tarifas ou taxas devidas na aquisição de bens e serviços fornecidos pela autarquia; b) Apoios na área da saúde; c) Apoios para a realização de pequenas obras em casa, monetários ou outros; d) Apoios na aquisição de vacinas preventivas, tais como a de meningite (crianças), ou de gripe (idosos), ou outras; e) Apoios excepcionais na aquisição de medicamentos considerados como fundamentais e validados pelo médico competente, mormente em caso de doença crónica. f) Redução ou isenção em bens e serviços da autarquia, incluindo nos transportes públicos municipais A Onda ; g) Descontos em estabelecimentos comerciais, de acordo com necessidades muito especificas, nomeadamente ao nível de ajudas técnicas; 12.ª Refeitório social Será criado, a título experimental, um Refeitório Social como resposta às várias solicitações que existem na comunidade, nomeadamente sem-abrigo, pessoas com baixos rendimentos e outros carenciados crónicos ou pontuais sinalizados pelos serviços de acção social e da Rede Social. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 20

30 Mantêm-se e serão reforçados todos os apoios sociais previstos no Regulamento Municipal de Apoio a Extractos Sociais Desfavorecidos ou Dependentes na Área do Município de Lagos, em vigor. Vales de Nascimento A Câmara Municipal decidiu alargar o período de aplicação da medida Todos os recém-nascidos naturais e residentes no Município de Lagos, cujos nascimentos ocorram no período de 1 de Janeiro de 2009 a 31 de Dezembro de 2010, terão direito a um conjunto de dez vales, no valor total de 500 a descontar em produtos materno infantis em lojas do comércio local aderentes. De entre as diversas medidas de combate à crise já aprovadas pela autarquia, salienta-se os Vales de Nascimento, um incentivo à natalidade que prima pelo seu carácter inovador e abrangente. O Município de Lagos, atento à actual conjuntura socioeconómica de crise que o país atravessa, criou um conjunto de medidas de combate aos efeitos da crise económica, de modo a apoiar as famílias em situação de vulnerabilidade, impulsionando parcerias com instituições públicas e privadas e promovendo a rede empresarial do município e a responsabilidade social das empresas. Novo horário de funcionamento da Biblioteca Municipal e dos Pólos de Leitura Desde Janeiro de 2009, e terminado o período experimental do horário de funcionamento, os Pólos de Leitura de Lagos passaram a ter novo horário de funcionamento. Assim, o horário de funcionamento da Biblioteca manter-se-á, de Terça-feira a Sábado, das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00. Os Pólos de Leitura de Barão de São João, Bensafrim e Luz estarão em funcionamento de Segunda a Sexta-feira (10H00 às 13H00 e 14H00 às 18H00), com abertura no 1.º e 3.º Sábados de cada mês (com o mesmo horário) e encerramento na Segunda-feira seguinte. ACÇÃO DO EXECUTIVO Seminário Serviços Educativos em Espaços Culturais Dias 27, 28 e 29 de Dezembro no Centro Cultural de Lagos O que são Serviços Educativos? Para que servem? Que actividades e que metodologias desenvolvem? A quem se dirigem? Como estão organizados? Como são formados os seus profissionais? Estas e outras questões foram analisadas no Seminário Serviços Educativos em Espaços Culturais, uma iniciativa da AGECAL (Associação de Gestores Culturais do Algarve), que decorreu no Centro Cultural de Lagos. Esta iniciativa, que contou com o apoio da Câmara Municipal de Lagos, destinou-se aos profissionais da cultura e da educação, da área pública e Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 21

31 privada, professores e investigadores, gestores culturais e programadores, técnicos de projectos educativos e estudantes que pretendam formar e profissionalizar em serviços educativos. Lagos candidatou-se às 7 Maravilhas Naturais de Portugal A Câmara Municipal de Lagos candidatou-se às 7 Maravilhas Naturais de Portugal, com a sua Baía de Lagos e a Costa D Oiro. A eleição das 7 Maravilhas Naturais de Portugal pretendeu sensibilizar os portugueses para a necessidade de preservar o património natural do país. Esta iniciativa foi criada para abarcar o projecto Novas 7 Maravilhas do Mundo, tendo organizado a Declaração Oficial em Este evento, que decorreu no Estádio da Luz, foi um dos maiores de sempre em Portugal, tendo tido uma repercussão que ecoou pelos 4 cantos do planeta. A COSTA D OIRO Da cidade até à Ponta da Piedade, várias praias interligadas por túneis escavados nas rochas de grés e calcário apresentam pequenas línguas de areia suave, oferecendo águas temperadas e cristalinas. Aqui, não se sentem os ventos dominantes e pode-se saltitar de rocha em rocha apreciando as criaturas do mundo marinho que a baixa-mar deixa a descoberto. Da Praia Formosa até à Ponta da Piedade, onde o mar e a terra se encontram, cumpre-se o périplo pelas acolhedoras praias de areias douradas e águas límpidas e serenas, encaixadas no rendilhado rochoso da Costa D Oiro. A BAÍA DE LAGOS A Baía de Lagos, com mais de 4Km de extensão é uma das maiores da Europa. Com as suas areias claras e finas emolduradas pelas dunas, e sem quaisquer rochas, é uma praia paradisíaca. Ali se podem apanhar condelipas (conquilhas, no resto do país) na maré baixa enquanto as crianças brincam nas bacias temporárias modeladas pelo mar junto à linha de água. Dali se podem admirar os veleiros navegando para lá e para cá, animando a baía com as suas velas brancas recortadas nos azuis do céu e do mar, usufruir do sol e de deliciosos banhos ou, para descontrair e libertar um pouco de adrenalina, praticar variados desportos náuticos. O Banco de Recursos Lagos Solidário abriu no dia 22 de Dezembro de 2009 Sob o lema Seja solidário e ajude-nos a ajudar os outros Atenta às necessidades da população mais carenciada e à crise económica que se faz sentir na vida quotidiana das populações em geral, a Câmara Municipal de Lagos, através da Rede Social, e em parceria com outras instituições, criou o Banco de Recursos Lagos Solidário, situado nas Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 22

32 instalações da antiga Loja da Água, e cuja abertura oficial decorreu no dia 22 de Dezembro de 2009, pelas 15H00, na presença do executivo municipal, de representantes das associações que estão directamente envolvidas no projecto, outras entidades membros da Rede Social de Lagos e vários convidados. Durante a cerimónia de abertura deste espaço, foi assinado um Acordo de Cooperação visando criar as condições para a dinamização do Banco de Recursos no território do Concelho de Lagos e os termos de concretização e as condições da prestação dos apoios a atribuir pelos vários parceiros sociais. No final da cerimónia de abertura do banco de recursos, todos os convidados se dirigiram às futuras instalações do Refeitório Social O FAROL, cuja entrada em funcionamento está prevista para breve. O espaço irá funcionar perto das antigas instalações da Câmara Municipal de Lagos, do Edifício Trindade, próximo do Banco de Recursos agora inaugurado. A sua entrada em funcionamento será oportunamente divulgada. XXIV Meia Maratona Lagos No dia 13 de Dezembro decorreu em Lagos, organizada pela Junta de Freguesia de Barão de São João, a XXIV Meia Maratona e uma MiniMaratona / Caminhada, esta última destinada aos atletas menos experientes ou simplesmente para quem goste de caminhar. A Meia Maratona teve o seu início na Escola Secundária Júlio Dantas, com a participação de mais de 200 atletas. Manhã Triste estreou no Espaço Jovem - Curta-metragem filmada em Lagos O Espaço Jovem de Lagos recebeu no dia 19 de Dezembro, a estreia da curta-metragem Manhã Triste, numa iniciativa conjunta da Câmara Municipal de Lagos e Paradoxon Produções. Depois da estreia nacional em Lisboa, no passado mês de Outubro, na Livraria Ler Devagar, e em Faro, no mês de Novembro, no Pátio de Letras, chegou o momento da sua estreia em Lagos, local decorreu toda a rodagem do filme. Manhã Triste é uma adaptação de um conto do escritor português Urbano Tavares Rodrigues, conto este, inserido no livro Estação Dourada galardoado com o prémio Camilo Castelo Branco pela Câmara Municipal de Penafiel. Autarquia de Lagos distinguida a nível nacional A Campanha Bandeira Azul deu prémio A Câmara Municipal de Lagos foi, no dia 3 de Dezembro de 2009, distinguida com o 3.º Prémio no Concurso Nacional de Actividades de Educação Ambiental do Programa Bandeira Azul. A iniciativa decorreu em Coimbra, tendo sido o Senhor Vereador António Marreiros Gonçalves, responsável pela área do Ambiente, que foi receber esta distinção. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 23

33 Para além de ter sido nacionalmente distinguida pelas boas práticas ambientais, a autarquia recebeu, ainda, um Certificado Internacional respeitante aos seus 20 anos de Bandeira Azul nas praias do Concelho. Recorde-se que a Bandeira Azul começou por ser hasteada na Meia Praia e Praia da Luz. Este ano, Lagos hasteou este importante galardão ambiental nas praias da Luz, Meia Praia, D.Ana, Camilo e Praia da Batata. Os Mercados Municipais de Lagos promoveram a Semana da Castanha de 9 a 13 de Novembro Entre os dias 9 a 13 de Novembro, o Mercado Municipal da Avenida e o Mercado Municipal de Santo Amaro promoveram a Semana da Castanha. Assim, houve um preço de promoção para a venda deste produto e a todos os compradores do mesmo será entregue um folheto informativo sobre os benefícios da castanha e algumas sugestões de receitas culinárias. Para o dia 11 de Novembro, Dia de São Martinho, teve lugar a realização de um magusto, na zona exterior do Mercado de Santo Amaro e no interior do Mercado da Avenida. Lagos viveu a Magia do Natal À semelhança de anos anteriores, a cidade de Lagos festejou a quadra natalícia. As cores e iluminação de rua foram as principais responsáveis pela criação desse ambiente de magia, mas não são as únicas. A Câmara Municipal de Lagos apresentou, também, um programa de Animação de Natal que inclui animação de rua, o Roteiro dos Presépios, diversos concertos alusivos à época natalícia e espectáculos de Natal para miúdos e graúdos. IV Jornadas da Deficiência em Lagos A iniciativa decorreu entre 2 e 5 de Dezembro Entre os dias 2 e 5 de Dezembro, decorreram as IV Jornadas da Deficiência, cujos principais objectivos foram informar e sensibilizar a comunidade para a temática da deficiência. As Jornadas contemplaram diversas iniciativas nas áreas da Educação, Desporto e Informação, nomeadamente o Seminário Comunicar, Sentir e Agir na Deficiência ; visionamento de filmes; exposição de trabalhos artísticos e diversas actividades pedagógicas. A organização desta iniciativa esteve a cargo da Câmara Municipal de Lagos (no âmbito da Rede Social), do NECI Núcleo de Educação da Criança Inadaptada, do CASLAS Centro de Assistência Social Lucinda Anino dos Santos e Casa de Santo Amaro. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 24

34 As Jornadas Henriquinas fecharam o programa da Evocação do 549.º Aniversário da Morte do Infante Dom Henrique O Dia da Evocação do 549.º Aniversário da Morte do Infante, levado a efeito pela Câmara Municipal de Lagos no dia 13 de Dezembro de 2009, encerrou com as Jornadas Henriquinas, que decorreram no Salão Nobre dos Paços do Concelho Séc. XXI. Esta iniciativa deu a conhecer a componente histórico-arqueológica que marcou as intervenções de Requalificação Urbana da Frente Ribeirinha (Projecto Polis) e de Construção do Parque de Estacionamento do Anel Verde/Parque da Cidade, as quais permitiram acrescentar um significativo volume de documentação objectiva à História de Lagos e de Portugal. O Programa de Evocação dos 549 anos da Morte do Infante Dom Henrique continuou, com a Inauguração da Fonte Cibernética e do Painel de Azulejos de Cutileiro. Lagos já dispõe de oleões Desde 16 de Novembro de 2009, Lagos conta com cinco oleões. Numa primeira fase da implementação do projecto, a autarquia coloca ao dispor dos munícipes cinco oleões, equipamentos que se destinam à deposição dos óleos usados domésticos. Os oleões foram colocados na Av. dos Descobrimentos Portugueses (frente ao Mercado Municipal), na Rua Filarmónica 1º Maio (junto ao Mercado de Santo Amaro), na Estrada do Biker (cruzamento com a Rua Infante de Sagres), Rua Fernando Pessoa (junto à Praça do Poder Local) e Rua Vasco da Gama (junto à Urb. Marina Sol). Cerimónia de Entrega de Prémios de Educação e Homenagem aos Professores, Auxiliares de Acção Educativa e Assistentes Administrativos A Câmara Municipal de Lagos decidiu, dar continuidade a uma prática iniciada pelo ilustre lacobrigense Dr. José Reis Júnior, que instituiu em Lagos a atribuição dos Prémios de Educação, no âmbito da qual são distinguidos os melhores alunos das escolas locais no ano lectivo anterior. Sublinhe-se que, também por esta ocasião, a autarquia prestou uma Homenagem aos docentes e não docentes (profissionais aposentados entre e ) como forma de reconhecer e agradecer a dedicação demonstrada à comunidade escolar, do concelho de Lagos, ao longo da sua carreira. Esta cerimónia, que decorreu no dia 28 de Setembro de 2009, no Centro Cultural de Lagos, contou com a presença do executivo municipal, presidentes de Juntas de Freguesia de Lagos; os Directores dos Agrupamentos Verticais de Escolas e das Escolas Secundárias de Lagos: Prof.ª Maria da Graça Ventura Cabrita (Agrupamento Vertical de Escolas de Lagos), Prof.ª Ana Paula Pereira (Agrupamento Vertical de Escolas das Naus), Prof.ª Paula Couto (Escola Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 25

35 Secundária c/ 3.º Ciclo Gil Eanes de Lagos) e Prof. Florivaldo dos Santos Abundâncio (Escola Secundária Júlio Dantas). Com o intuito de distinguir os melhores alunos, estimular os restantes colegas e atendendo a que o 12.º ano constitui uma importante fase de transição para o prosseguimento de estudos ou para a inserção na vida activa, no último ano, os Prémios de Educação da Câmara Municipal de Lagos foram alargados aos 2.ºs e 3.ºs melhores alunos do 12.º ano de cada Escola Secundária do concelho. ALUNOS PREMIADOS Aos alunos ou seus representantes foi entregue um certificado e um cheque simbólico no valor correspondente ao prémio, que é de 250 euros para os melhores alunos do 6.º ano, de 400 euros para o 9.º ano, de 250 euros para os 3.ºs melhores alunos do 12.º ano, de 400 euros para os 2.ºs melhores alunos do 12.º ano e de 500 euros para os melhores alunos do 12.º ano. Lourenço Duarte Carolino Ribeiro Crispim, melhor aluno do 6.º ano da Escola EB 2/3 N.º 1 de Lagos Maria Isabel Brito dos Santos Silva Prieto, melhor aluna do 6.º ano EB 2/3 das Naus Ana Carolina Loureiro Martins, melhor aluna do 9.º ano da Escola EB 2/3 N.º 1 de Lagos Shirley Therese Van Der Horst, melhor aluna do 9.º Ano da EB 2/3 das Naus Vasco Manuel Dias Amélio Fernandes Ferreira, melhor aluno do 9.º Ano da Escola Secundária com 3.º Ciclo Gil Eanes Gonçalo Jorge Dias Amélio Fernandes Ferreira, 3.º melhor aluno do 12.º Ano da Esc. Sec. c/ 3.º Ciclo Gil Eanes Maria Madalena Burney Pereira de Almeida Borges, 3.ª melhor aluna do 12.º ano da Escola Secundária Júlio Dantas Catarina Alexandra Mateus Castaldo, 2.ª melhor aluna do 12.º Ano da Escola Secundária Gil Eanes Raphael António Árias, 2.º melhor aluno do 12.º ano da Escola Secundária Júlio Dantas Bruna Alexandra Torres Martins, melhor aluna do 12.º Ano da Escola Secundária Gil Eanes Vanessa Simaura Batista Martins, melhor aluna do 12.º ano da Escola Secundária Júlio Dantas HOMENAGEM AOS PROFESSORES, AUXILIARES DE ACÇÃO DE EDUCATIVA E ASSISTENTES ADMINISTRATIVOS APOSENTADOS Representantes da classe docente: Agrupamento Vertical de Escolas de Lagos: Escola EB 2/3 N.º 1 de Lagos: Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 26

36 - Prof.ª Maria Antónia Vargas Paleta Duarte - Prof.ª Berta Rosalina Teixeira Farinha - Prof. José Lourenço Fonseca - Prof.ª Madeleine F. F. Silva - Prof.ª Maria do Carmo Dias Duarte Agrupamento Vertical de Escolas das Naus: Escola EB 2/3 das Naus: - Prof.ª Maria Manuela Vicente Nobre Cardoso Dias - Sr. D. Maria Manuela Almeida Abreu Escola Secundária com 3.º Ciclo Gil Eanes: - Prof.ª Maria Conceição Gonçalves Gorjão Maia - Prof. José Domingos Correia Santos - Prof.ª Maria Helena Pereira Fernandes Escola Secundária Júlio Dantas: - Prof. Armando Rodrigues Esteves - Prof.ª Maria Teresa de Oliveira Braga - Prof.ª Álvaro Manuel de Moura Lourenço - Prof. Joaquim Manuel Martins Lopes - Prof.ª Maria de Fátima Marques Correia Santos Recém-aposentados da carreira não docente: Do Agrupamento Vertical de Escolas de Lagos: Escola EB 2/3 N.º 1 de Lagos: - D. Delfina de Jesus Loureiro Rio Administrativa - D. Maria João Oliveira Cozinheira - D. Dina Teresa Correia Rosado Cozinheira - Manuel Inácio Pacheco Coordenador do Pessoal não-docente Do Agrupamento Vertical de Escolas das Naus Escola EB 2/3 das Naus: - D. Gracinda Rosa Pereira Administrativa Escola Secundária Júlio Dantas: - D. Maria Francisca Alves da Silva Cabrita Assistente Técnica Escola Secundária com 3.º Ciclo Gil Eanes: - D. Maria Encarnação Rio - Assistente Técnica Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 27

37 - D. Maria José Dias Tinoco Almeida - Chefe de Serviços de Administração Escolar Comemorações do Dia Mundial da Música em Lagos O programa que a autarquia organizou e que decorreu entre os dias 1 e 3 de Outubro de 2009, reuniu alguns dos principais dinamizadores desta arte em Lagos, a que se juntou o espectáculo VioliNOAcordeão, com João Pedro Cunha e Gonçalo Pescada. Semana Europeia da Mobilidade em Lagos 16 a 22 de Setembro de 2009 Celebrar o Dia Europeu sem Carros a 22 de Setembro já faz parte do calendário da cidade de Lagos, como forma de motivar os cidadãos a optarem pelos transportes públicos, ou por outro meio de transporte alternativo ao automóvel particular, criando assim uma oportunidade aos lacobrigenses de descobrir outras formas de transporte e de viver este dia sem sentir restrições à sua mobilidade. «Melhoremos o Ambiente da nossa Cidade» foi o desafio proposto pela Agência do Ambiente, entidade responsável a nível nacional pela coordenação da iniciativa. A Câmara Municipal de Lagos convidou todos a participarem neste evento, deixando o seu carro em casa ou estacionando-o gratuitamente nos parques que se encontram espalhados em redor do centro histórico, ou ainda utilizando os transportes urbanos de Lagos - A ONDA, que no dia 22 foram gratuitos. No Domingo, 13 de Setembro, o Senhor Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Dr. Laurentino Dias, visitou o concelho de Lagos, onde participou na abertura do Circuito Regional de Marchas-Passeio, que se iniciou em Bensafrim, pelas 9h30, e na apresentação, pelo IDP, do Projecto Nacional de Promoção da Marcha e Corrida (que antecederá a partida da Marcha). O Município de Lagos abriu o ano lectivo com inauguração de novos equipamentos educativos e a presença da Senhora Ministra da Educação No ano de 2009, o Município de Lagos assinalou o regresso às aulas com um programa diversificado, do qual se destacaram a Cerimónia de Entrega de Diplomas RVCC Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências para o 3.º Ciclo do Ensino Básico e Ensino Secundário, no dia 12 de Setembro de 2009, na Escola Secundária Júlio Dantas, com a presença da Senhora Ministra da Educação, Prof. Doutora Maria de Lurdes Rodrigues e a Cerimónia de Inauguração das obras de Remodelação e Ampliação da Escola do Bairro Operário, no dia 15 de Setembro, pelas 10H00, com a presença do Senhor Director Regional de Educação do Algarve. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 28

38 O programa ainda incluiu a inauguração da nova Ludoteca de Odiáxere, actividades pedagógicas no âmbito da Semana Europeia da Mobilidade, o Roteiro da Educação (visita do Executivo Municipal às Escolas do Concelho), actividades no âmbito das Jornadas Europeias do Património e a Festa da Juventude. Teve igualmente lugar a Cerimónia de Entrega dos Prémios de Educação Dr. José Reis Júnior e de Homenagem aos professores e pessoal não-docente aposentados no ano lectivo anterior. A Associação de Municípios Terras do Infante lançou o Guia de Oferta Formativa 2009/2010 A Associação de Municípios Terras do Infante lançou o Guia de Oferta Formativa 2009/2010, que contempla as acções de formação previstas nos concelhos de Aljezur, Lagos e Vila do Bispo. O Guia de Oferta Formativa Terras do Infante resultou de uma parceria do grupo de trabalho Emprego e Formação, no âmbito da Rede Social de Lagos. Para o efeito foram convidadas a participar as Redes Sociais de Aljezur e Vila do Bispo, com as respectivas entidades na área da educação e formação. O Projecto Saúde em Movimento foi retomado em Setembro de 2009 O Saúde em Movimento é um projecto de intervenção, da responsabilidade da Câmara Municipal de Lagos, dirigido à população com idade superior a 40 anos. Em 2006/2007 este projecto contou com 281 participantes, número que subiu para 516 em 2007/2008 e em 2008/2009 manteve a média acima dos 500. FUSÕES Música no Pátio do Centro Cultural de Lagos No âmbito da programação cultural de Verão, o Centro Cultural de Lagos promoveu, desde Julho a Setembro, noites com Música no Pátio, apostando numa oferta diversificada da música electrónica, fado, tango, jazz, world music, à música tradicional portuguesa capaz de agradar diferentes estéticas e gostos musicais. O último espectáculo teve lugar no dia 9 de Setembro. Festival de Flamenco Entre os dias 8 e 12 de Setembro de 2009, Lagos acolheu o VIII Festival de Flamenco. Pelo oitavo ano consecutivo, a cidade voltou a vibrar com o ritmo da dança flamenca, nos espectáculos que decorreram no Auditório do Centro Cultural de Lagos. A programação deste ano, para além do tradicional workshop, contemplou dois espectáculos de grande qualidade, o Duende Flamenco e o espectáculo de encerramento Alma Flamenca. Foi inaugurado o Parque Infantil da Torre Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 29

39 Foi inaugurado no passado dia 21 de Agosto, no sítio da Torre, freguesia de Odiáxere. A inauguração decorreu em ambiente de festa, com a presença do executivo municipal, membros da Junta de Freguesia de Odiáxere e da população daquela freguesia, que foi convidada a participar. S. Ex.ª a Ministra da Educação visitou as obras da nova Escola Tecnopólis S. Ex.ª a Ministra da Educação, Prof. Doutora Maria de Lurdes Rodrigues, esteve, no dia 21 de Agosto de 2009 em Lagos, para visitar as obras da nova Escola Tecnopólis, a ser construída na zona da Fonte Coberta, onde será implementada toda a zona Tecnopólis de Lagos. Recorde-se que, no âmbito do Plano de Relançamento da Economia Europeia, consagrado através do Decreto-Lei n.º 34/2009 de 6 de Fevereiro, o Município de Lagos foi contemplado com uma acção integrada no eixo prioritário da Modernização do Parque Escolar, a que corresponde a construção de uma nova Escola EB 2,3. 3ªs Jornadas do Monte Molião em Lagos No dia 21 de Agosto de 2009 tiveram lugar as Jornadas de Portas Abertas «Monte Molião», uma iniciativa da Câmara Municipal de Lagos, aberta à população em geral. O programa incluiu visitas ao local, onde os interessados tiveram oportunidade de visitar os vestígios postos a descoberto no Monte Molião. Foi mostrado ao público o espaço de escavação e, decorreu uma sessão de conferências, no Auditório dos Paços do Concelho Séc. XXI. Com esta iniciativa, a autarquia procurou consolidar o relacionamento entre a população de Lagos e a estação arqueológica de Monte Molião, ex-libris da cidade. Acção de Limpeza Subaquática no Município de Lagos No dia 22 de Agosto de 2009 decorreu uma limpeza subaquática entre a Praia da Batata e a Praia do Camilo. Esta iniciativa, fez parte da Campanha de Sensibilização / Educação Ambiental Lagos na Onda de Verão 2009, desenvolvida pela Câmara Municipal de Lagos, durante os meses de Julho e Agosto, e teve como objectivo sensibilizar e chamar a atenção de todos para a necessidade de preservação do mundo subaquático. Recorde-se que praias, rios, lagos e ribeiras continuam a ser poluídos, causando um stress ambiental desnecessário e ameaçando todos os recursos animais e vegetais, colocando a sua existência em perigo. Não dê Férias à Dádiva de Sangue no Algarve Campanha passa por Lagos Nos dias 23 e 24 de Agosto, os lacobrigenses e todos aqueles que se encontram a passar as suas férias em Lagos foram convidados a participar numa campanha de colheita de sangue, Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 30

40 promovida pelo Instituto Português do Sangue (IPS) em parceria com a ARS Algarve e a Associação de Dadores de Sangue do Barlavento do Algarve (ADSBA). Mega camião Nickelodeon estacionou em Lagos Um dia com muitas surpresas e divertimento para todas as crianças A iniciativa internacional Nickelodeon Slime Tour esteve em Lagos e tornou o Verão dos mais novos ainda mais divertido. Em Lagos, o camião esteve no dia 20 de Agosto, no Parque de Estacionamento da Escola das Naus (Marina de Lagos). Bodypainting, Penteados radicais, slime surf, insuflável do SpongeBob, DJ, Karaoke, Hula Hula e muitos prémios, foram algumas das actividades que o Nickelodeon Slime Tour proporcionou aos mais novos. Os 250 Anos da Batalha de Lagos Palestra A Luta pela Hegemonia do Mediterrâneo No âmbito dos 250 Anos da Batalha de Lagos, uma das operações navais da Guerra dos Sete Anos, entre 1756 e 1763, que pôs em confronto a França e a Inglaterra, decorreu no dia 19 de Agosto, com três palestras subordinadas ao tema A Luta pela Hegemonia do Mediterrâneo. Esta iniciativa teve lugar no Salão Nobre dos Antigos Paços do Concelho (Praça Gil Eanes) e contou com a presença de três conferencistas convidados: Francisco Alves, Jean-Yves Blot e Maria Luísa Blot. A MALA foi inaugurada a 15 de Agosto Mostra de Artistas de Lagos patente até Outubro No dia 15 de Agosto de 2009 foi inaugurada A MALA Mostra de Artistas de Lagos, numa cerimónia que decorreu, a partir das 22H00, no antigo edifício dos Paços do Concelho ( Praça Gil Eanes), com percurso pelos outros espaços expositivos terminando com uma festa de música e imagem na Fortaleza Ponta da Bandeira. Os espaços de exposição foram: antigos Paços do Concelho, Posto de Informação Municipal (1.º andar), edifício da Rua Castelo dos Governadores, n.º 18, Fortaleza da Ponta da Bandeira e Museu Municipal Dr. José Formosinho. Na sua terceira edição participaram 63 artistas no âmbito das artes visuais e cerca de 120 artistas nas áreas da música, teatro e dança que realizaram cerca de 20 espectáculos. Lagos JAZZ 2009 Concertos > Workshop > Jazz na Rua > Jam Sessions Pelo oitavo ano consecutivo, os sons do Jazz invadiram Lagos, trazendo nomes respeitados na cena jazzística internacional. Durante cinco dias, de 11 a 15 de Agosto de 2009, o jazz fez-se ouvir no Centro Cultural, nas ruas e nas jam sessions. Para os interessados em aprofundar os seus conhecimentos musicais, também decorreu um workshop. O Lagos Jazz é uma organização da Câmara Municipal de Lagos, com produção a cargo da Actus e co-produção da Associação Músicas no Sul e Orquestra de Jazz de Lagos. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 31

41 Grandes Concertos nas Noites no Auditório Em Agosto passaram pelo palco do Auditório Municipal de Lagos (Parque das Freiras) nomes em conhecidos do panorama da música brasileira e portuguesa. Para o público em geral, a autarquia promoveu o Concerto de Martinho da Vila, no dia 9 de Agosto e, no dia 16 teve lugar um concerto vocacionado para o público mais jovem, com as conhecidos bandas 4 Taste e as Just Girls. Projecto Tampinhas Lagos recolheu mais de 12 toneladas de tampinhas No âmbito do Projecto Tampinhas foram angariadas, no concelho de Lagos, mais de 12 toneladas de tampas de plástico, entre 2006, ano em que a autarquia aderiu ao projecto, e 2008, com o intuito de que a sua venda para reciclagem fosse transformado em material ortopédico. Recorde-se que o Projecto Tampinhas foi uma iniciativa da Associação Tampa Amiga, cujo objectivo foi desenvolver campanhas de recolha de tampas de plástico, que, após enviadas para empresas de reciclagem, permitissem obter fundos para a aquisição de equipamentos ortopédicos, através de instituições de solidariedade social. Do contributo de todos os lacobrigenses e respectivas instituições do concelho, o concelho de Lagos beneficiou de ajudas técnicas que foram distribuídas por duas instituições de Lagos. Foi angariado para o Núcleo de Educação da Criança Inadaptada (NECI) 1 cadeira de rodas manual, e para a Santa Casa da Misericórdia de Lagos (SCML) 1 andarilho, 1 cadeira de rodas manual, 1 banco para poliban, 1 cama articulada, 1 colchão e 1 conjunto de canadianas. Lagos acolheu o 12.º Encontro Europeu de Jovens Lusodescendentes Entre os dias 2 e 9 de Agosto de 2009, Lagos acolheu a realização do 12.º Encontro Europeu de Jovens Lusodescendentes, uma organização da Coordenação das Colectividades Portuguesas de França (CCPF). Tratou-se de reunir em Portugal cerca de 40 participantes, com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos, vindos da União Europeia, interessados por questões culturais relacionadas com as suas raízes e implicados ou não na vida associativa. Estes encontros tiveram como principais objectivos a troca de experiências e sensibilizar à dinamização da ligação com Portugal, nas suas diversas formas da vida social e cultural, cruzando exemplos ou vivências de situações referentes aos pontos de partida de cada um dos participantes. XXI Torneio Internacional de Andebol em Lagos Entre 30 de Julho e o dia 1 de Agosto, decorreu, em Lagos, a 21.ª edição do Torneio Internacional de Andebol. Esta iniciativa desportiva, que decorre no Pavilhão Desportivo Municipal, no Pavilhão da Escola Secundária Gil Eanes e no Pavilhão da Escola Secundária Júlio Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 32

42 Dantas, foi organizada pelo Andebol Clube Costa D'Oiro e contou com o apoio da Câmara Municipal de Lagos. Os Fenícios viveram em Lagos há 2800 anos Estudos geoarqueológicos recentemente levados a cabo na Rua da Barroca comprovam a ocupação desta zona no séc. VIII /VII a.c. No dia 24 de Julho de 2009 foram divulgados dados que alteram, por completo, o conhecimento do passado histórico de Lagos. A descoberta de que a História de Lagos é muito mais vasta do que se pensava até agora, pode mudar o futuro em termos históricos. Achados arqueológicos, na sua maioria cerâmicas, apresentados em Conferência de Imprensa, vieram comprovar que a ocupação em Lagos, por fenícios, será tão antiga como a fundação do 1.º templo em Cartago, remontando ao séc. VIII / VII a.c.. Estas descobertas, realizadas no âmbito de sondagens geoarqueológicas levadas a cabo na Rua da Barroca, foram transmitidas no passado dia 24 de Julho, em primeira mão, pelo Prof. Doutor Oswaldo Arteaga Matute, Professor Catedrático do Departamento de Pré-história e Arqueologia da Universidade de Sevilha e Director Científico dos trabalhos desenvolvidos e uma referência internacional nesta área. Esta sondagem geoarqueológica consistiu em 28 perfurações, numa extensão de 282 metros, com uma profundidade máxima de 9 metros e envolveu apenas quatro técnicos. À descoberta do património de Lagos - palestras de Verão A Câmara Municipal de Lagos promoveu nos meses de Julho, Agosto e Setembro, a iniciativa À Descoberta do Património de Lagos, com a realização das palestras de Verão pela história de Lagos com, onde, em cada sessão, falará um especialista nos temas históricos escolhidos. as palestras são de entrada livre e realizam-se no Armazém do Espingardeiro. Programa: dia 23 Julho, palestra subordinada ao tema fortificações da praça de Lagos pelo Dr. Rui Parreira, dia 6 Agosto, palestra subordinada ao tema Lagos Medieval por José António Martins, dia 20 Agosto, palestra subordinada ao tema Lagos e Marrocos no Séc. XV por Valdemar Coutinho e dia 3 Setembro, 21h00palestra subordinada ao tema Lagos nos finais do Antigo Regime por Glória de Santana Paula. III Edição do Concurso de Fotografia Digital À Descoberta do Litoral de Lagos Decorreu a terceira edição do Concurso de Fotografia Digital À Descoberta do Litoral de Lagos, uma iniciativa da Câmara Municipal de Lagos. Parta à descoberta do nosso litoral registando imagens para o Tema A, ou explore o Tema B Energias Alternativas em qualquer ponto de Portugal! Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 33

43 Este concurso tem como principais objectivos sensibilizar a população, residente e visitante, mobilizando os seus sentidos para a capacidade de observação do meio natural e incentivar o desenvolvimento da consciência para a valorização do património natural e a preservação do ambiente. XXIII Feira Concurso Arte Doce - Lagos Tecnopólis a Cidade no Séc. XXI Teve lugar no Parque Dr. Júdice Cabral / Auditório Municipal de Lagos, nos dias 24, 25 e 26 de Julho de 2009, a 23.ª Edição da Feira Concurso Arte Doce. O certame tem vindo a promover, ano após ano, a preservação e revitalização de uma das tradições mais genuínas e apreciadas na região a doçaria, confeccionada sobretudo à base de amêndoa e figo. Este ano, subiram ao palco do Auditório Municipal ANGÉLICO, TRIBUTO AOS ABBA e os DEOLINDA. Aos tentadores e saborosos atributos deste certame a Câmara Municipal adiciona, em cada edição, um novo ingrediente - a temática que dá o mote aos trabalhos apresentados a concurso na modalidade Tema Obrigatório. Este ano é Lagos Tecnopólis a Cidade no Séc. XXI. Paralelamente à presença de 20 doceiras, estiveram também expostos e para venda trabalhos de artesanato em madeira, palma, esparto e trapos, bem como produtos agro-alimentares da região, com destaque para os frutos secos e o mel. O certame foi visitado por cerca de mil pessoas. A doceira D. Lucília Baptista foi a grande vencedora do Concurso Arte Doce, arrebatando 4 prémios e ainda os dois (Tema Livre e Tema Obrigatório) escolhidos pelo público da Feira. Lançamento da 1.ª Pedra da Esquadra da PSP Obra pioneira no país S. Ex.ª o Secretário de Estado da Administração Interna, Dr. Rui de Sá Gomes, presidiu, no dia 18 de Julho de 2009 em Lagos, à Cerimónia de Lançamento da 1.ª Pedra da nova Esquadra da Polícia de Segurança Pública de Lagos. A iniciativa, que contou com diversos convidados, nomeadamente o Senhor Director Nacional Adjunto da PSP, Superintendente-Chefe Francisco Santos, a Senhora Governadora Civil do Distrito de Faro, Dr.ª Isilda Gomes, o Senhor Presidente da Assembleia Municipal de Lagos, para além de todo o executivo municipal da autarquia, decorreu, no Pavilhão Municipal de Lagos, de onde se seguiu posteriormente para o local de deposição da 1.ª Pedra. Este acto resultou de um Protocolo assinado em Lagos, a 13 de Junho de 2006, entre o Gabinete de Estudos e de Planeamento de Instalações do Ministério da Administração Interna, o Município de Lagos e a Polícia de Segurança Pública, na presença do então Ministro da Administração Interna, Dr. António Costa. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 34

44 Lagos acolheu os Jogos FISEC A Abertura Oficial dos Jogos Internacionais do Desporto Escolar foi no dia 18 de Julho No dia 18 de Julho de 2009 decorreu, no Auditório Municipal de Lagos, a Cerimónia de Abertura da 61.ª edição dos Jogos FISEC Jogos Internacionais do Desporto Escolar. O tema dos Jogos foi Desporto Escolar é Diversidade e foi decidido com base na diversidade de culturas, de interesses e de línguas que irão estar presentes neste evento que terá lugar em três concelhos do Algarve. No Concelho de Lagos as competições tiveram lugar entre 18 e 22 de Julho, e foram disputadas nas modalidades de Atletismo (na Pista Municipal de Lagos) e Natação (nas Piscinas Municipais). Para além da competição, foram várias as actividades que ocorreram durante os cinco dias, em que estiveram presentes 1200 participantes, entre os 14 e os 17 anos, oriundos de 12 países (Áustria Bélgica Brasil Espanha França Holanda Hungria Índia Inglaterra Itália Malta Portugal). A organização do evento esteve a cargo da Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular e da Direcção Regional de Educação do Algarve e contou, entre outros, com o apoio da Câmara Municipal de Lagos e da LAGOS-EM-FORMA, E.E.M. A Primeira Pedra do Lar de Barão de São João foi lançada no dia 24 de Junho de 2009 A cerimónia contou com a presença da Senhora Governadora Civil do Distrito de Faro, Dr.ª Isilda Gomes, do Senhor Director do Centro Distrital de Segurança Social, Dr. Jorge Botelho, do Executivo Municipal, dos membros da Mesa Administrativa da Santa Casa da Misericórdia de Lagos e demais convidados, teve lugar pelas 19H00, na Rua 25 de Abril, junto ao fontanário, começando com uma breve cerimónia protocolar a decorrer no pátio da Escola EB1 de Barão (situada na mesma rua). O Lar de Barão de São João é um novo equipamento de âmbito social, com 39 camas, isto é, com capacidade para acolher 39 utentes, a construir de raiz na povoação de Barão de São João, em terreno cedido pelo Município de Lagos. A obra, da responsabilidade da Santa Casa da Misericórdia de Lagos, representa um investimento de cerca de 1,5 milhões de euros ( ,29 + IVA), valor esse sujeito a comparticipação através do Programa Operacional do Potencial Humano, no âmbito do Plano de Obras Públicas lançado pelo Governo como uma das medidas de combate à crise. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 35

45 Peddy Paper organizado para os seniores do concelho No dia 10 de Junho de 2009 decorreu, em Lagos, um Peddy Paper vocacionado especialmente para os seniores do concelho. Esta iniciativa, promovida pelo Serviço de Apoio Sénior da Câmara Municipal de Lagos, teve início às 10H30, na Praça Gil Eanes. Promover o bem estar psicossocial da população sénior, apelando a uma vida mais activa e estimulando o desenvolvimento de competências e autonomia foram os principais objectivos deste Peddy Paper. O Salão das Colecções do Búzio foi inaugurado no dia 9 de Junho de 2009 No âmbito da Cerimónia do Hastear da Bandeira Azul nas Praias de Lagos, que decorreu no próximo dia 9 de Junho, um novo espaço de exposições foi inaugurado, na Vila da Luz o Salão das Colecções do Búzio. Este novo Salão vem na sequência de um pedido que José Silva Búzio havia apresentado à Câmara Municipal de Lagos em Outubro do ano passado, para que aqui pudesse instalar uma sala de exposições com milhares de objectos de coleccionismo de que é proprietário Veteranos do CFEL receberam a Equipa de Melgaço para um Jogo Convívio A Câmara Municipal atribuiu louvor ao Clube de Futebol Esperança de Lagos A Câmara Municipal de Lagos aprovou, na reunião de 20 de Maio de 2009, sob proposta do Presidente da autarquia, um voto de louvor ao Esperança de Lagos, em sinal de reconhecimento pelos resultados honrosos alcançados pelo Clube na época desportiva de 2008/2009.O texto do louvor recorda que, depois de muitos anos ausente das competições maiores, o clube de futebol mais representativo de Lagos, alcançou, na mesma época desportiva, dois feitos notáveis, o de ter vencido a Taça do Algarve e de ter sido Campeão da 1.ª Divisão de Futebol Distrital de Seniores 2008/2009, facto em si inédito. Lagos comemorou o Dia Mundial da Criança e do Ambiente 18 de Maio de 2009 Após a 2.ª Grande Guerra Mundial, as crianças de todo o Mundo enfrentavam grandes dificuldades, a alimentação era deficiente, os cuidados médicos eram escassos. Os pais não tinham dinheiro, viviam com muitas dificuldades, retiravam os filhos da Escola e punham-nos a trabalhar de sol a sol. Mais de metade das crianças europeias não sabia ler nem escrever. Em 1950, a Federação Democrática Internacional das Mulheres, propôs às Nações Unidas que se comemorasse um dia dedicado a todas as crianças do Mundo. Os Estados Membros das Nações Unidas, - ONU - reconhecendo que as crianças, independentemente da raça, cor, sexo, religião e origem nacional ou social, necessitam de cuidados e atenções especiais, precisam de ser compreendidas, preparadas e educadas de Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 36

46 modo a terem possibilidades de usufruir de um futuro condigno e risonho, propuseram o Dia 1 de Junho, como Dia Mundial da Criança. Lagos distinguido com o Galardão ecoxxi Lagos foi um dos 43 municípios portugueses distinguidos com o Galardão ecoxxi, numa cerimónia que decorreu em Évora, na presença do Senhor Secretário de Estado do Ordenamento do Território e das Cidades, João Ferrão. O ecoxxi é um projecto destinado aos municípios que visa distinguir as boas práticas no sentido da sustentabilidade desenvolvidas a nível local, com especial ênfase nos aspectos relativos à qualidade ambiental e às práticas de educação para a sustentabilidade. Lagos é, uma vez mais, um Município ecoxxi, podendo ostentar uma Bandeira, uma Medalha e um Diploma, resultado de ter alcançado os objectivos definidos para 2008 na área do Ambiente. O 25 de Abril assinalado em Lagos As comemorações do 35.º Aniversário do 25 de Abril, em Lagos, ficaram marcadas por cerimónias solenes, actividades culturais, entrega de Habitação a Custos Controlados, a assinatura de um acordo para a área da formação profissional e a inauguração da primeira unidade hoteleira resultante do Plano de Urbanização da Meia Praia. As comemorações do 35.º Aniversário do 25 de Abril, cujo programa se iniciou a 17 de Abril com a Gala do Desporto, tiveram o seu ponto alto no passado Sábado, dia 25. A Sessão Solene conjunta da Assembleia Municipal, da Câmara Municipal e da Assembleia da Juventude, contou com a intervenção do Senhor Coronel José Glória Alves, representante da Associação 25 de Abril, assim como dos representantes das forças políticas. O mesmo espaço acolheu, na parte da tarde, a Cerimónia de Atribuição de Fogos do Empreendimento Habitacional a Custos Controlados de Espiche. O dia ficaria ainda marcado pela Inauguração do Hotel Vila Galé Lagos, na Meia Praia, a que presidiu S. Ex.ª o Primeiro-Ministro José Sócrates e outros membros do Governo, bem como pela Cerimónia de Assinatura do Acordo de colaboração que a antecedeu, com a presença de S. Ex.ª o Ministro da Economia e Inovação, onde a Câmara Municipal de Lagos, a Delegação Regional do IEFP, a Universidade do Algarve, a Escola de Hotelaria e Turismo e as escolas de Lagos com formação profissional, se comprometeram a estabelecer uma parceria no sentido de adaptarem as respostas formativas às necessidades do mercado de trabalho e, assim, garantir uma maior qualificação da mão-de-obra e respectiva empregabilidade. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 37

47 Os primeiros estudos dos trabalhos arqueológicos foram apresentados em Lagos Os vestígios do Edifício da Gafaria (leprosaria) e outras estruturas, um cemitério de leprosos, um enterramento de escravos, uma lixeira dos séculos XV a XVII, e peças de cerâmica são parte dos importantes achados identificados no local. A Câmara Municipal de Lagos realizou no dia 22 de Abril de 2009 uma reunião com as entidades envolvidas nas escavações arqueológicas que têm estado a ser desenvolvidas no âmbito da construção do Parque de Estacionamento subterrâneo situado no Anel Verde/Parque da Cidade, junto às Muralhas, com o objectivo de dar a conhecer as primeiras análises científicas daquele trabalho, bem como o êxito obtido na conciliação dos vários interesses em presença. A apresentação esteve a cargo do arqueólogo Rui Almeida, um dos directores desta intervenção, e membro de uma vasta equipa multidisciplinar a trabalhar no terreno, constituída por arqueólogos, antropólogos e geomorfólogos. Dos vários vestígios encontrados, o do Edifício da Gafaria (leprosaria) é o mais evidente e veio confirmar as referências existentes em documentos da época, segundo as quais teria funcionado no período de 1490 até meados do século seguinte, havendo registo deste Edifício à data da construção do pano de muralha adjacente. O local apresentou vários níveis de ocupação, correspondentes a períodos históricos diferentes, tendo sido identificados, num nível inferior ao Edifício da Gafaria, vestígios (um forno) de uma ocupação ainda mais remota. Quanto à geomorfologia as escavações permitiram determinar a localização exacta da Ribeira dos Touros e os desvios que a mesma foi sofrendo ao longo dos tempos devido à intervenção humana e à ocupação dos solos. Outra das descobertas consideradas importantíssimas para os investigadores foi a da existência de dois cemitérios na zona. Primeiramente foi encontrado um conjunto de mais de vinte esqueletos cujas deformações correspondem a sinais muito evidentes da lepra, o que torna Lagos um local de referência para o estudo da lepra e para a história da Medicina. Num outro local, coincidente com uma antiga lixeira da cidade e misturados com os dejectos aí despejados há muitos séculos atrás, foram encontrados outros esqueletos, cujas características, marcas culturais (modificações dentárias) e forma como se encontravam depositados, permitiram concluir tratar-se de escravos africanos, abrindo todo um novo campo de conhecimento sobre o estatuto social do escravo à época, sobre a sua vivência e, em termos gerais, sobre os Descobrimentos Portugueses. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 38

48 Entrega de Prémios com presença de Rui Grácio Concurso Leitor/Escritor Rui Grácio foi o autor escolhido para esta edição do concurso leitor/escritor, cuja entrega de prémios decorreu no dia 22 de Abril de 2009 antiga Escola Gil Eanes. O incentivo à leitura de autores portugueses para a infância e juventude foi um dos grandes objectivos do Concurso Leitor/Escritor, uma iniciativa da Câmara Municipal de Lagos. Recorde-se que em edições anteriores deste Concurso foram já escolhidos autores como Manuela Bacelar, Maria Alberta Meneres, António Torrado e António Mota. Lagos assinalou o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios No dia 18 de Abril, assinala-se o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios. Em complemento à declaração, pelas Nações Unidas, de 2009 como Ano Internacional da Astronomia, o ICOMOS (Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios) elegeu como tema estruturante do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios de 2009 o tópico "Património e Ciência", com o objectivo de proporcionar uma oportunidade de reflexão e de reconhecimento do papel da ciência (e tecnologia) no património cultural, e, ainda, de incentivar a discussão sobre os potenciais benefícios e ameaças da ciência no futuro no tocante à salvaguarda e à conservação do património. Em 2009 várias individualidades ficaram perpetuadas na Toponímia da Cidade de Lagos Mais quatro nomes foram perpetuados na toponímia de Lagos desde o dia 18 de Abril, numa cerimónia que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, repleto de familiares e convidados dos homenageados. Foram atribuídas novas denominações toponímicas na Freguesia de São Sebastião a António de Sousa Franco (Economista e Ministro das Finanças) e Aristides de Sousa Mendes (Diplomata), bem como na Freguesia de Santa Maria a João da Conceição Silva (Agente Técnico de Construção Civil, Fundador do Teatro Experimental de Lagos e Provedor da Santa Casa da Misericórdia) e Jaime Leotte do Rego (Oficial da Marinha e Deputado). Da parte do Senhor Almirante Jaime Leotte do Rego, compareceram Jaime Luís Leotte do Rego (neto) e Francisco Corte Real Negrão (familiar), o Senhor Contra-Almirante Rui Abreu (em representação do Chefe de Estado Maior da Armada e Presidente da Comissão Cultural da Marinha) e o Capitão do Porto de Lagos, Senhor Capitão-de-Fragata Marques Pereira, em representação da Zona Marítima do Sul. Da parte do Senhor João da Conceição Silva estiveram presentes a Senhora D. Filipina de Almeida Martins Silva (viúva), Jorge e José Filipe da Conceição Silva (filhos), netos e demais familiares e amigos. O Senhor Major Sousa Mendes, Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 39

49 neto de Aristides Sousa Mendes esteve também presente, assim como um representante da Fundação Aristides de Sousa Mendes. A Autarquia de Lagos foi homenageada pela Federação Portuguesa de Atletismo No dia 17 de Abril de 2009, em que decorreu a Gala do Desporto, em Lagos, Fernando Mota, em representação da Federação Portuguesa de Atletismo, publicamente homenageou a Câmara Municipal de Lagos, na pessoa do seu Presidente, Dr. Júlio Barroso, com o Galardão FPA. Tratase da distinção mais importante atribuído pela Direcção da Federação Portuguesa de Atletismo para consagrar as entidades ou pessoas individuais que tenham contribuído de forma relevante para o processo do Atletismo Nacional. Neste contexto, esta homenagem da FPA é decorrente, segundo a mesma, da natureza e consistência dos apoios concedidos pela Câmara Municipal de Lagos aos clubes de atletismo do Concelho, à Associação de Atletismo do Algarve e à própria Federação, seja pela construção de infra-estruturas, seja pela implementação de programas de animação dirigidos a todos, seja pelo acolhimento e apoio atribuído a competições de âmbito regional, nacional e internacional. Recorde-se, a propósito, que a Câmara Municipal de Lagos já havia recebido, em 2007, um Prémio do Desporto Escolar, atribuído pelo Ministério da Educação no âmbito das acções desenvolvidas pela autarquia no campo desportivo. Desportistas e campeões de Lagos homenageados na Gala do Desporto Grupos locais animaram a festa que decorreu com centenas de pessoas A população lacobrigense esteve presente na festa de consagração dos atletas, técnicos, clubes e outros agentes desportivos que, pelo seu empenho e dedicação, alcançaram feitos a nível regional, nacional e internacional, tanto a título individual como colectivo, nas épocas 2004/2005 e 2005/2006. A V Gala do Desporto decorreu no dia 17 de Abril de 2009, no Pavilhão Municipal de Lagos, e contou com a presença de centenas de pessoas que ali se deslocaram para conhecer ou acompanhar os felizes galardoados. No decorrer da Gala foram galardoados mais de 400 atletas do concelho, praticantes de diversas modalidades. Os Troféus Internacional, Nacional e Regional foram entregues a 49 atletas, 110 e 252, respectivamente. No final da entrega teve lugar mais um momento alto do evento. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 40

50 VIII Feira do Folar Dias 10 e 11 de Abril em Barão de S. João No fim-de-semana da Páscoa, nos dias 10 e 11 de Abril de 2009, decorreu a VIII Feira do Folar, na freguesia de Barão de São João, em Lagos. O certame realizou-se no Centro Cultural. Para além de poder ficar a conhecer o património cultural de Barão, os visitantes tiveram a oportunidade de conhecer algum artesanato, apreciar os saborosos e característicos folares e a doçaria tradicional. A animação musical vai também marcar presença nos dois dias, com os grupos Alcantando, Os Barlaventinos, Entreocanto e Banda Arade. A organização da Feira do Folar esteve a cargo da Junta de Freguesia de Barão de São João, tendo contado com o apoio da Câmara Municipal de Lagos. Colóquio Saúde em Movimento Tema: Luta Contra a imobilidade No dia 3 de Abril de 2009 teve lugar, na Sala Polivalente do Espaço Jovem, o Colóquio Saúde em Movimento, desta vez dedicado ao tema Luta Contra a imobilidade. Este ano o Colóquio da Saúde em Movimento, pretendeu ser uma mais valia para um concelho que aposta estrategicamente na MOBILIDADE para todos. Entrega dos Prémios Concurso Literário Sophia de Mello Breyner Andressen No 19 de Abril de 2009, teve lugar, na Biblioteca Municipal de Lagos Dr. Júlio Dantas, a Entrega de Prémios do Concurso Literário Sophia de Mello Breyner Andresen. Na sua 5.ª edição, este concurso é uma organização conjunta das autarquias de Lagos e Loulé, implementada através das respectivas Bibliotecas Municipais. Teve como objectivos principais motivar os alunos, que frequentam o 3.ª ciclo e o ensino secundário nas escolas algarvias, para a leitura das obras daquela escritora que escolheu o Algarve e Lagos para também viver. Os alunos de Lagos assinalaram o Dia Mundial da Árvore À semelhança de anos anteriores, o Município de Lagos assinalou o Dia Mundial da Árvore, que se comemorou no dia 21 de Março, através de acções de sensibilização dirigidas à população infantil do concelho. No dia 20 foram preparadas algumas acções, dirigidas aos alunos das escolas do 1.º ciclo do ensino básico do concelho, que consistiram na plantação simbólica de árvores. Estas iniciativas decorreram na Escola Gil Eanes, no Parque da Cidade, envolvem 25 turmas e um total de 544 alunos. As duas turmas da EB1 de Barão de São João participaram, no mesmo dia, em actividades promovidas pela Direcção Regional de Florestas do Algarve, no perímetro florestal de Barão de São João. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 41

51 Março, o Mês do Teatro e da Poesia em Lagos Um mês cuja programação foi dominada pelo Teatro e pela Poesia, numa verdadeira festa destas artes do espectáculo, onde se procura acentuar a vertente pedagógica e a formação de públicos. Todos os espectáculos teatrais tiveram lugar no Centro Cultural de Lagos e foram organizados pela Câmara Municipal de Lagos. Para assinalar o Dia Mundial do Teatro, que se assinala no dia 27 de Março, a ACTA A Companhia de Teatro do Algarve, estreou em Lagos, a sua mais recente produção Efeito Imediato, de Ethel Smith. O espectáculo teve lugar no Centro Cultural de Lagos, nos dias 27 e 28 de Março de Encontros ALCULTUR em Lagos A sessão de abertura da 5.ª edição dos Encontros ALCULTUR, que decorreu em Lagos no dia 7 de Março de 2009, teve lugar no Centro Cultural de Lagos com um auditório repleto de participantes. Na sessão de abertura estiveram presentes o Presidente da Câmara Municipal, Dr. Júlio Barroso, o Director da CultIdeias, entidade responsável pela organização dos Encontros, o Director Geral das Artes (Ministério da Cultura), Dr. Jorge Barreto Xavier, Dr. Rui Horta, Comissário do ALCULTUR 2009, para além dos demais convidados e participantes. Esta iniciativa foi subordinado ao tema Programação, Mediação Cultural e Públicos e teve como principais objectivos: Contribuir para a formação, valorização e qualificação dos profissionais e organizações da cultura; Contribuir para a definição e implementação das políticas públicas nas áreas da cultura e da educação; Contribuir para cooperação e o diálogo intercultural; Contribuir para a criação de redes de cooperação cultural; Contribuir para a descentralização cultural e favorecer a cooperação internacional e o contacto com criadores, investigadores, profissionais, projectos e organizações culturais de outros países. Estiveram inscritos cerca de 450 participantes. Mundialito de Futebol Feminino Algarve 2009 Cinco jogos disputados em Lagos Entre os dias 4 e 11 de Março de 2009 realizam-se em Lagos, cinco jogos incluídos no Algarve Women s Football Cup 2009 / Mundialito de Futebol Feminino, que decorreu neste período no Algarve, numa organização da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), da Associação de Futebol do Algarve (AFA) e com o apoio e colaboração da FIFA. Alemanha, Suécia, China, Finlândia, EUA, Noruega, Dinamarca, Islândia, Polónia, País de Gales, Áustria e Portugal foram as Selecções presentes no Algarve Cup 2009 que foi disputado em mais de 10 recintos. Nesta edição, estiveram presentes as Selecções Campeã do Mundo em 2007, Alemanha, também detentora do título de Campeã Europeia e ainda os EUA, Selecção vencedora dos últimos Jogos Olímpicos. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 42

52 O Estádio Municipal de Lagos receber cinco jogos da 16.ª edição do Mundialito, dos Grupos A e Grupo B. Este evento desportivo, cuja entrada foi livre, contou com o apoio da Câmara Municipal de Lagos. Lagos assinalou o Dia Internacional da Mulher O Dia Internacional da Mulher, 8 de Março, está intimamente ligado aos movimentos feministas que procuravam mais dignidade para as mulheres e sociedades mais justas e igualitárias. Para assinalar esta efeméride, a Câmara Municipal de Lagos ofereceu neste dia, às mulheres, a entrada gratuita nos equipamentos histórico-culturais da cidade (Forte Ponta da Bandeira, Museu Municipal e Armazém do Espingardeiro). Ainda no âmbito destas Comemorações, teve lugar no dia 14 de Março, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, uma Conferência sobre a Prevenção do Cancro do Colo de Útero e Prevenção do Cancro da Mama. O Clube Ténis de Lagos passou a ter nova iluminação A nova iluminação do Clube Ténis de Lagos foi inaugurada no dia 3 de Março de 2009, ao fim do dia, numa cerimónia informal que contou com as presenças do Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos, Dr. Júlio Barroso, do Presidente da Direcção do Clube de Ténis, Eng.º José Fonseca, vereadores da autarquia e demais convidados. A colocação da nova iluminação, que integra 4 novos postes de projectores, resultou de uma exigência da Federação Internacional de Ténis, para que o Clube tivesse condições para receber torneios internacionais de qualificação, que, normalmente integram cerca de 128 jogadores. Nos dias 7 a 15 de Março, decorreeu, em Lagos, o VII Future Tivoli Lagos, um Torneio Internacional masculino que contou para o ranking ATP. Estiveram presentes nestas provas de qualificação cerca de 150 jogadores. A Câmara Municipal de Lagos apoiou a instalação desta nova iluminação com 15 mil euros. Obras de pavimentação de arruamentos na Urbanização Marina Sol Nos dias 2 e 3 de Março decorreram, na Urbanização Marina Sol, algumas obras que incluiram a pavimentação de arruamentos, faixas de rodagem e zonas de estacionamento. Do Outro Lado subiu ao palco do Centro Cultural de Lagos A Associação Teatro Experimental de Lagos leva a cena, dia 20 de Fevereiro, a sua quarta produção teatral no âmbito do Projecto Naia (aulas de teatro para jovens), com estreia no Centro Cultural de Lagos, com entrada livre. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 43

53 A peça "Do Outro Lado", de Nelda Magalhães, a partir de criação colectiva dos alunos do Projecto, trata de um grupo de jovens confrontados com a realidade inóspita dos dias de hoje no meio escolar, social e familiar, revelando esconder segredos de forma a conseguirem sobreviver. O projecto NAIA é apoiado pela Câmara Municipal de Lagos e Bombeiros Voluntários de Lagos e conta com a colaboração da Escola Secundária Gil Eanes, Escola EB 2,3 das Naus e Escola EB 2,3 nº1 de Lagos. A Volta ao Algarve em Bicicleta passou por Lagos No dia 19 de Fevereiro de 2009, chegou a Lagos a 2.ª etapa da 35.ª edição da Volta ao Algarve em Bicicleta, um evento patrocinado pelo Município de Lagos. Os ciclistas foram recebidos na Avenida Paul Harris, junto à Escola Secundária Gil Eanes, cerca das 15H00. Esta histórica prova algarvia, cuja organização esteve a cargo da Associação de Ciclismo do Algarve, contou, nesta edição, com a participação de 12 equipas, oriundas de 12 países. Seniores comemoraram o Dia dos Namorados No dia 14 de Fevereiro de 2009, comemora-se o conhecido dia de São Valentim. Não querendo deixar esta importante data passar em branco, a Câmara Municipal de Lagos, está a organizar, através do seu Serviço de Apoio Sénior, diversas actividades para os seniores do concelho. Da parte da manhã, foi a Plantação da I Árvore do Amor no concelho de Lagos, que teve lugar no Parque da Cidade, Freguesia de Santa Maria e que contou com a presença do casal mais antigo de Lagos. Lagos apoiou a Expedição Humanitária à Guiné-Bissau Projecto Saúde Alerta A partida simbólica da Expedição Humanitária à Guiné-Bissau, aconteceu no dia 10 de Fevereiro, em Lagos. No local, o jornalista João Almeida, Presidente da Direcção da HUMANITARIUS, Associação Humanitária de Apoio Social Internacional que promove esta iniciativa, fez uma apresentação do projecto, que incluiu uma retrospectiva das acções anteriores e a apresentação dos objectivos da Expedição deste ano. Em 2009, a expedição teve como principal objectivo o Projecto SAÚDE ALERTA, referente à requalificação de uma unidade primária de cuidados de saúde, em Buba (sul da Guiné Bissau), cujos utentes são maioritariamente mulheres e crianças. Ainda no que diz respeito a um outro projecto, iniciado na expedição do ano passado, ESCOLA PARA TODOS, será, também terminada a obra de um pavilhão numa escola, que permite albergar mais 150 crianças. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 44

54 A Equipa de andebol da Gil Eanes defrontou Croácia no Pavilhão Municipal No dia 15 de Fevereiro de 2009, Domingo, a equipa de andebol do Clube Desportivo da Escola Secundária Gil Eanes defrontar a equipa ZRK TROGIR, da Croácia. Este foi o 2.º jogo dos Oitavos de Final da CHALLENGE CUP 2008/2009 e decorreu a partir das 17H00, no Pavilhão do Complexo Desportivo Municipal de Lagos, com entrada gratuita. A partida, apoiada pela Câmara Municipal de Lagos será, também, transmitida em directo pela RTP2. Lagos na Rota Al-Mutamid IX Festival de Música No dia 14 de Fevereiro de 2009, a Rota Al-Mutamid passou por Lagos, trazendo ao público o espectáculo PERSéPOLIS. O evento, cuja organização esteve a cargo da Câmara Municipal de Lagos, teve lugar pelas 21H30, no Centro Cultural de Lagos. O grupo Persépolis fez também uma incursão pela música e pela dança oriental que nos transporta ao longínquo oriente com os seus ritmos. Vamos Apanhar o Teatro em Lagos VATe estaciona no concelho com o espectáculo De Ulisses...Nunca Digas Tolices Nos dias 9 e 10 de Fevereiro de 2009, a ACTA A Companhia de Teatro do Algarve trouxe a Lagos o seu autocarro para apresentar o espectáculo De Ulisses...Nunca Digas Tolices aos mais pequenotes. O veículo estacionou em Barão de São João, Meia-Praia, Chinicato e Bensafrim, onde decorreram as actividades (apresentação do espectáculo, seguida do ateliê Vamos brincar ao Teatro de Sombra ). Recorde-se que o objectivo desta iniciativa é trabalhar com comunidades do interior algarvio, de baixa densidade populacional, geograficamente afastadas dos centros culturais e, consequentemente, das actividades artísticas e culturais. Lagos festejou o CARNAVAL As cores, alegria, criatividade e muitas máscaras voltaram às ruas de Lagos, entre os dias 7 e 24 de Fevereiro. O Carnaval foi assinalado por diversas colectividades do concelho, com muitos desfiles, bailes, brincadeiras para os mais pequenotes e, claro, o tradicional Enterro do Entrudo, no Chinicato. O Desfile das crianças das escolas do concelho no dia 20 de Fevereiro, entre as 10H00 e as 12H00, entre o Mercado de Levante e a Rotunda D. João II. Nos dias 20 e 21 de Fevereiro, os mais pequenos tiveram oportunidade de levar a efeito as Experiências Barulhentas e Nojentas, uma actividade que decorreu no Centro Ciência Viva de Lagos e que tem como objectivo despertar nos jovens a curiosidade e o gosto pela ciência de um modo divertido. Não esquecer dos já tradicionais Desfiles do Chinicato, dia 22, e de Odiáxere, no dia 24. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 45

55 Concurso de fotografia digital À Descoberta do Litoral de Lagos 2008 Os Vencedores foram conhecidos Os vencedores do Concurso de Fotografia Digital promovido pelo segundo ano consecutivo pela Câmara Municipal, durante o último Verão 2008, no âmbito da Campanha Bandeira Azul, foram conhecidos no dia 1 de Fevereiro de 2009, no decorrer da cerimónia de entrega dos prémios e a inauguração da exposição dos trabalhos, que teve lugar na Sala Polivalente do Edifício Paços do Concelho. Presidente da Câmara Municipal de Lagos cidadão honorário de Cidade Velha Dr. Júlio Barroso, Presidente da Câmara Municipal de Lagos, recebeu, no dia 23 de Janeiro de 2009, o título de Cidadão Honorário da Cidade Velha, actual Município da Ribeira Grande de Santiago (Cabo Verde). Esta distinção aconteceu no âmbito das Festas do Santo Nome de Jesus, que decorreram de 17 a 25 de Janeiro naquele Município, constituindo um dos mais importantes acontecimentos culturais da Ilha de Santiago. O Certificado de Cidadão Honorário foi entregue durante uma Sessão Solene realizada no Convento de São Francisco, que contou com as presenças de S. Ex.ª o Presidente da República de Cabo Verde, Comandante Pedro Pires, de S. Ex.ª o Ministro da Cultura de Cabo Verde, Dr. Manuel Veiga, do Senhor Presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago, Dr. Manuel Monteiro de Pina e de outras individualidades homenageadas. Para além de Júlio Barroso, mereceram esta distinção algumas outras individualidades de relevo do mundo da política e da cultura, entre as quais o próprio Presidente da República de Cabo Verde e o Ministro da Cultura daquele país, o Arquitecto Álvaro Siza Vieira, Augustin Senghor (Presidente do Município da Ilha de Gorée - Senegal) e José Ernesto de Oliveira (Presidente da Câmara Municipal de Évora). O tema Cidade Velha, Património Mundial foi o elemento comum às várias festividades que animaram a Ilha e o elo de ligação com os vários municípios presentes, que já manifestaram o seu apoio àquela candidatura. Está em estudo um projecto de construção de um Museu da Escravatura, para o qual decorrem negociações entre a Ribeira Grande de Santiago e Lagos, podendo incluir a Ilha de Gorée, com vista a associar este projecto ao do Mercado de Escravos, que está previsto desenvolver-se nesta cidade algarvia, conforme definido no Plano da Rede Museológica de Lagos. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 46

56 O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior esteve em Lagos Mariano Gago inaugurou Centro Ciência Viva S. Ex.ª o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Prof. Doutor Mariano Gago, esteve em Lagos no dia 29 de Janeiro de 2009, a fim de presidir à Cerimónia de Inauguração do Centro Ciência Viva de Lagos, com o lema Do Astrolábio ao GPS, na antiga Casa Fogaça, o 18.º a abrir em Portugal. Esta cerimónia, decorreu no âmbito das Comemorações de Elevação de Lagos a Cidade. A inauguração contou ainda com as presenças do Magnífico Reitor da Universidade do Algarve, Prof. Doutor João Guerreiro; da Senhora Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa e Directora do Ciência Viva, Dr.ª Rosália Vargas; do Senhor Director do Pavilhão do Conhecimento, Dr. António Costa Gomes e da Senhora Directora Executiva do Ciência Viva, Dr.ª Ana Noronha, para além do executivo municipal e demais convidados. Cinco nomes perpetuados na Toponímia de Lagos No âmbito das Comemorações de Elevação de Lagos a Cidade, teve lugar, no dia 31 de Janeiro, a primeira cerimónia de descerramento de placas toponímicas de A cerimónia teve início pelas 15H00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, ao que se seguiu o descerramento das placas no local. Amélia Taquelim Gonçalves (Doceira), Júlio Quintino (Eng.º Geofísico), Júlio Serro (Mestre de Construção Civil), Manuel Guerreiro (1.º Reitor da Universidade do Algarve) e Natália Correia (Escritora) foram as individualidades que tiveram os seus nomes perpetuados na toponímia do concelho de Lagos (junto ao Complexo Desportivo, na Urbanização Varandas de São João e Urbanização Sr.ª da Glória). Lagos acolheu o III Fórum da Associação Nacional de Teatro Amador (ANTA) Nos dias 30 de Janeiro a 1 de Fevereiro de 2009, o Centro Cultural de Lagos acolheu a realização do III Fórum Permanente da Associação Nacional ANTA. O evento, organizado pela ANTA e pelo Teatro Experimental de Lagos (TEL), decorreu no Auditório e nas Salas de Animação 1 e 2, e conta com o apoio da Câmara Municipal de Lagos. O Fórum contou com acções de formação nas áreas de Formação de Actores, Luminotecnia, Produção e Adereços, que terão lugar no Centro Cultural de Lagos, no Espaço Jovem de Lagos e no Espaço-oficina do Teatro Experimental de Lagos. Município de Lagos Deliberações de Câmara e Acção do Executivo 47

57

58 III RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA O presente relatório, tem por objectivo analisar a actividade desenvolvida pelo Município durante o ano económico de 2009 e permite-nos: a) Justificar os níveis de execução conseguidos, referenciando-os aos aspectos mais relevantes da actividade financeira municipal, no que respeita à sua natureza económica e financeira, nos domínios das receitas, das despesas e de tesouraria; b) Espelhar a situação económica relativa ao exercício, analisando a evolução da gestão nos diferentes sectores de actividade da autarquia, designadamente no que respeita ao investimento, receitas, despesas, dívidas de médio e longo prazos e financiamentos externos, comparando com o ano económico de 2008; c) Apresentar uma síntese da situação financeira da autarquia medida através de um conjunto apropriado de indicadores de gestão financeira; d) Analisar a situação financeira da autarquia do ponto de vista patrimonial e das origens e aplicações de fundos, considerando o Balanço Final de 2009 e a Demonstração de Resultados; e) Apresentar uma proposta fundamentada da aplicação do Resultado Líquido do Exercício de A) ACTIVIDADE ECONÓMICA E FINANCEIRA A actividade municipal desenvolvida durante o exercício de 2009, embora tenha assegurado o princípio do equilíbrio orçamental, uma vez que as receitas correntes foram superiores às despesas correntes, evidenciou algumas debilidades que se traduziram no comportamento negativo de alguns indicadores, também influenciados pelos efeitos da crise económica internacional. Os objectivos definidos para o ano económico de 2009 apontavam para: - Conseguir um valor de autofinanciamento equivalente ao registado, em termos médios, nos últimos anos; - Prosseguir com a recuperação da situação económica dos serviços municipais; - Assegurar os equilíbrios financeiros estruturais; - Manter a actual capacidade de Investimento através do seu adequado enquadramento financeiro; - Estabelecer um plano de contenção das despesas de funcionamento. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 48

59 A análise da actividade desenvolvida no ano económico de 2009 permitiu-nos concluir que: - O equilíbrio orçamental foi cumprido, registando um montante de Receitas Correntes superior às Despesas Correntes realizadas; - Registou-se um acréscimo do autofinanciamento, cerca de 17%, face ao ano anterior, justificado por uma diminuição mais acentuada nas Despesas de Funcionamento em relação ao decréscimo verificado na Receita Estrutural; - A execução do Plano Plurianual de Investimentos apresentou uma execução de cerca de 44% considerando o montante facturado, valor idêntico ao registado no ano anterior; - Verificou-se um aumento do Financiamento Exterior justificado pelas comparticipações nacionais nalguns projectos e pela contratação de um empréstimo; - Registou-se um aumento na Dívida a Fornecedores. Em termos de grandes agregados, o Município gerou no exercício de 2009, receitas no montante de ,84 e despesas pagas no montante global de ,73. Com a afectação do Saldo de Gerência transitado de 2008 no montante de , o valor da receita global ascendeu a ,84. O resultado do exercício apresentou-se negativo, no montante de ,89, significando que as receitas totais foram inferiores às despesas totais. Em termos acumulados com o saldo do exercício anterior permitiu um saldo transitado para o ano económico de 2009 no montante de ,09. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 49

60 1. COMPARAÇÃO ENTRE O ORÇAMENTO INICIAL, FINAL E O ORÇAMENTO EXECUTADO O quadro global da receita e despesa evidencia o Orçamento Inicial e Final, a sua variação, execução e respectivos desvios Quadro 1. Quadro 1 - Relatório de Execução Financeira Orçamento 2009 Desvio Taxa de DESIGNAÇÃO Inicial Final Execução Execução (1) (2) (3) (4)=(2)-(1) (5)=(3)-(2) (6)=(3)/(2) RECEITAS Correntes , ,83 78% Capital , ,84 26% Outras Receitas , ,51 163% TOTAL , ,16 56% DESPESAS Correntes , ,74 68% Capital , ,53 41% TOTAL , ,27 55% O Orçamento de 2009 apresentou um valor de para a dotação inicial prevista e para a dotação final prevista, da qual correspondia a receitas correntes e a receitas de capital. O saldo transitado da gerência de 2008 ( ) mais as reposições não abatidas nos pagamentos (1.306 ) cifraram-se em Comparando a execução da receita e despesa com os valores previstos no Orçamento Final, obtém-se uma taxa de execução da receita de 56% e da despesa de 55%, salientando-se o esforço para a manutenção do equilíbrio financeiro. 2. MODIFICAÇÕES AOS DOCUMENTOS PREVISIONAIS Quer o Orçamento, quer o Plano Plurianual de Investimentos, aquando da sua elaboração procuram aproximar-se, o mais possível, do real desempenho do Município. No entanto, porque se trata de previsões elaboradas com base na actividade municipal, à luz dos princípios orçamentais e das regras previsionais definidas no POCAL, e o âmbito da intervenção municipal é bastante alargado, ao longo da execução do orçamento, surgem despesas não previstas ou insuficientemente dotadas, originando reajustamentos das diversas rubricas das despesas, por forma a viabilizar a execução financeira da actividade autárquica, traduzidas em modificações orçamentais, que podem ter 2 tipos de procedimentos: - Revisão Orçamental - Alteração Orçamental Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 50

61 Em 2009 foram efectuadas dezoito alterações ao Orçamento e ao Plano Plurianual de Investimentos que se traduziram em transferências de verbas de rubricas dotadas em excesso ou que não tiveram execução orçamental, para rubricas insuficientemente dotadas. Verificou-se ainda um aumento global da despesa originado pela aplicação de receitas consignadas, nomeadamente no que diz respeito ao Acordo de Colaboração entre a Câmara Municipal e a DREALG, para construção da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Escola Technopólis e ao reembolso da DGIE, relativo ao pagamento da empreitada da construção do novo Edifico da PSP, conforme protocolo assinado entre a Câmara de Lagos e a DGIE. Verificou-se ainda um acréscimo no orçamento originado pelo Empréstimo contratado com a Caixa de Crédito Agrícola. Em Junho de 2009 foi realizada uma Revisão Orçamental onde foi feita a afectação do Saldo de Gerência de 2008, no montante de Foram ainda reforçadas algumas rubricas da receita. Destacam-se o montante de proveniente do FEDER, referente à comparticipação na Escola de Santa Maria, cuja candidatura transitou do POAlgarve 21, para o PROAlgarve, originando desta maneira uma comparticipação superior, a receita proveniente do Instituto de Emprego, no montante de , relativo à aprovação da candidatura para implementação do Gabinete de Inserção Profissional, a receita proveniente do contrato de arrendamento de captações municipais, celebrado com as Águas do Algarve, no montante de , receita proveniente da EDP no montante de , relativo à exploração de parques eólicos e na receita proveniente do reembolso de empréstimos no montante de 563. O Orçamento foi aprovado pelo valor de Durante o ano económico de 2009, o montante de reforços totalizaram No final do ano a dotação correspondia a , dos quais foram cabimentados ,96, comprometidos ,86 e facturados ,04. Destes foram pagos ,73 o que significa que a autarquia encerrou o ano económico com dívida de curto prazo no montante de , EQUILÍBRIO ORÇAMENTAL. POUPANÇA CORRENTE O POCAL, na alínea e) do ponto , prevê que as autarquias cumpram o princípio do equilíbrio orçamental: o orçamento prevê os recursos necessários para cobrir todas as despesas, e as receitas correntes devem ser pelo menos iguais às despesas correntes. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 51

62 Da aplicação desta regra resultou uma poupança corrente de ,91. Face ao ano de 2008, verificou-se um acréscimo de 9%, mais ,54 Quadro 2. Quadro 2 - Relatório de Execução F inanceira Orçamen to DESIGNAÇ ÃO Variação (1) (2) (2-1)/(1) Receita Corrente , ,17-14% Despesa Corrente , ,26-17% Pou pança Co rrente , ,91 9% Em termos previsionais, apresentou-se no início do ano económico de 2009, uma receita corrente de para uma despesa corrente de , resultando um saldo corrente de Gráfico 1. No final do ano económico de 2009, a poupança corrente cifrava-se nos ,91 Gráfico 2. Gráfico 1 Gráfico 2 Poupança Corrente - Orçamento Inicial Poupança Corrente - Execução Orçamental , ,17 Receita Corrente Despesa Corrente Receita Corrente Despesa Corrente Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 52

63 4. ANÁLISE DA EXECUÇÃO ORÇAMENTAL A execução do orçamento da receita e da despesa permite verificar quais os montantes efectivamente recebidos e pagos, bem como os respectivos desvios face ao previsto. Para além disso dão-se a conhecer as rubricas com maior peso no total do orçamento e as rubricas alvo de maior investimento por parte do executivo e respectivas fontes de financiamento. O orçamento é composto por receitas e despesas correntes e por receitas e despesas de capital ou investimentos. Quanto maior a execução das receitas correntes, que inclui as receitas próprias do município legalmente definidas, menor será a sua dependência face ao financiamento externo. As disponibilidades financeiras do município de Lagos, na gerência de 2009, da conta de execução orçamental, foram as seguintes: Saldo da Gerência Anterior (2008) ,98 Receita cobrada na Gerência ,84 Soma ,82 Despesa efectuada na Gerência ,73 Saldo para a Gerência seguinte (2010) ,09 Para avaliar a execução do orçamento, é feita uma análise às rubricas mais significativas quer da receita, quer da despesa. 4.1 Análise Global da Receita As Receitas Totais cobradas ascenderam a ,84 no ano económico de 2009, sendo cerca de 75% de Receitas Correntes e 25% de Receitas de Capital, respectivamente, ,17 e ,67 (inclui saldo da gerência anterior e as reposições não abatidas nos pagamentos), o que representa um decréscimo de cerca de 10% em relação ao período homólogo do ano anterior. Importa ainda referir que os ,84 arrecadados em 2009 representam, cerca de 65% da receita inicialmente prevista e 56% da dotação final prevista. 4.2 Receita Corrente A receita corrente, com uma execução de 78%, serviu de base à gestão corrente da autarquia, permitindo o financiamento das despesas correntes, para além de libertar uma parcela para o investimento. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 53

64 Neste ponto é feita uma análise do desempenho da receita corrente ao nível do orçamento final e sua liquidação Quadro 3. Quadro 3 - Relatório de Execução Financeira RECEITAS CORRENTES Orçamento Receita Desvio Taxa de Final % Liquidada % Execução Impostos Directos % ,08 48% ,92 65% Impostos Indirectos % ,08 3% ,92 52% Taxas, Multas e Penalidades % ,05 3% ,05 130% Rendimentos de Propriedade % ,39 1% ,39 103% Transferências Correntes % ,17 14% ,83 84% Venda de Bens e Serviços Correntes % ,22 31% ,22 117% Outras Receitas Correntes % ,18 0% ,82 10% Total de Receitas Correntes: % ,17 100% ,83 78% A estrutura e execução da Receita Corrente encontram-se representadas no quadro anterior, de onde se pode concluir que o município está directamente dependente da receita proveniente da cobrança dos Impostos Directos e da Venda de Bens e Serviços, os quais representam cerca de 48% e 31%, respectivamente, das Receitas Correntes e cerca de 36% e 23%, respectivamente, da Receita Total. Impostos Directos Os Impostos Directos constituem a componente mais significativa, com um total de ,08, apresentando uma execução de 65% em relação ao previsto. As principais rubricas responsáveis por esta execução foram: - Imposto Municipal sobre Imóveis / Contribuição Autárquica ,16. - Imposto Municipal sobre Transacções / SISA ,67 ; De referir que, em relação a estas receitas, há que deduzir os montantes de ,94 e ,57, respectivamente, a IMI+Contribuição Autárquica e IMT+SISA, referente a reembolsos, encargos de liquidação e cobrança e más cobranças. Assim a receita liquida destes Impostos perfaz o montante de ,22 e ,10. Estas duas rubricas corresponderam a cerca de 96% do total dos Impostos Directos. Venda de Bens e Serviços Correntes A Venda de Bens e Serviços Correntes apresentam um valor de ,22, o que representa 31% do total da Receita Corrente. Esta rubrica teve no final de Dezembro do ano económico de 2009 uma execução de 117% em relação ao previsto. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 54

65 As rubricas com maior peso nesta componente foram: - Água ; - Saneamento (Tarifa de Ligação) ,58 ; - Resíduos Sólidos Urbanos ,35 ; - Tarifa de Saneamento ,65 ; - Habitação Social ,49 ; Relativamente a estas rubricas da receita realçamos que a estes valores deve-se também deduzir ,01 na Água, ,10 no Saneamento (Tarifa de Ligação), 5.262,40 nos Resíduos Sólidos Urbanos e 5.057,05 na Tarifa de Saneamento. Estes valores dizem respeito na sua maioria a restituições originadas, principalmente por estimativas elevadas. Estas rubricas corresponderam a cerca de 89% do total da Venda de Bens e Serviços Correntes. Esta componente representou cerca de 23% do total da receita. Transferências Correntes Outra das grandes componentes da receita corrente foi a rubrica Transferências Correntes, com um montante de ,17. Estas representaram 14% do total da Receita Corrente e tiveram uma execução de 84%, relativamente ao previsto. Esta rubrica é composta maioritariamente por: - Transferências Correntes da Administração Central: - Fundo Equilíbrio Financeiro ; - Fundo Social Municipal ; - Participação fixa no IRS ; - Outras ,30. - Transferências Correntes de Sociedades Públicas: - Rendas da EDP ,49. Estas rubricas representaram cerca de 97% do total das Transferências Correntes e 10% da Receita Total. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 55

66 Gráfico 3 Estrutura da Receita Corrente Venda de Bens e Serviços Correntes 31% Outras Receitas Correntes 0% Transferências Correntes 14% Rendimentos de Propriedade 1% Impostos Indirectos Taxas, M ultas e 3% Penalidades 3% Impostos Directos 48% Relativamente ao ano anterior, verificou-se um decréscimo significativo nas Receitas Correntes de cerca de ,38, cerca de menos 14%. As diminuições mais significativas verificaram-se sobretudo nos Impostos Directos, nomeadamente no Imposto Municipal sobre Transmissões Onerosas de Imóveis e nos Impostos Indirectos - Quadro 4. Quadro 4 - Relatório de Execução Financeira Taxa RECEITAS CORRENTES Orçamento de Variação Impostos Directos , ,08-28% Impostos Indirectos , ,08-61% Taxas, Multas e Penalidades , ,05 51% Rendimentos de Propriedade , ,39 9% Transferências Correntes , ,17-2% Venda de Bens e Serviços Correntes , ,22 25% Outras Receitas Correntes , ,18-56% Total de Receitas Correntes: , ,17-14% Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 56

67 Gráfico 4 Evolução das Receitas Correntes As receitas correntes representaram cerca de 77% do total da receita arrecadada. 4.3 Receita de Capital A receita de capital totalizou o montante de ,16 com uma execução de 26% em relação ao previsto para 2009 Quadro 5. Quadro 5 - Relatório de Execução Financeira RECEITAS DE CAPIT AL Orçamento Receita Desvio T axa de Final % Liquidada % Execução Venda de Bens de Investimento % ,61 6% ,39 2% T rans ferênc ias de Capital % ,55 55% ,45 62% Activos Financeiros 563 0% 0 0% % Passivos F inanceiros % % % Outras Receitas de Capital % 0 0% % Total de Receitas de Capital: % ,16 100% ,84 26% A Receita de Capital foi constituída, integralmente, por Venda de Bens de Investimento, Transferências de Capital e Passivos Financeiros. Venda de Bens de Investimento A Venda de Bens de Investimento registou um montante de ,61, correspondendo a 6% das receitas de capital. Esta rubrica teve uma execução de 2%, ou seja, bastante reduzida. Transferências de Capital As Transferências de Capital registaram um valor de ,55, correspondendo a 55% das receitas de capital. Esta rubrica teve uma execução de 62%. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 57

68 As receitas provenientes das transferências de capital foram essencialmente as provenientes de: - Transferências Orçamento do Estado: - Fundo de Equilíbrio Financeiro ; - Cooperação Técnica e Financeira ,43 ; - Outras ,98 ; - Participação comunitária projectos co-financiados: - FEDER ,64 ; - Transferências de Instituições Sem Fins Lucrativas: - Associação Centro de Ciência Viva de Lagos ,50. A receita relativa a Transferências de Capital representa cerca de 12% do total da receita arrecadada. A estrutura da receita de capital por agregado pode ser observada a partir do gráfico seguinte, pondo em destaque as transferências como principal origem de recursos. Gráfico 5 Estrutura da Receita de Capital Passivos Financeiros 40% Venda de Bens de Investimento 6% Transferências de Capital 54% Relativamente ao ano anterior constatou-se um acréscimo da Receita de Capital de cerca de 277%. Este acréscimo reflecte um aumento generalizado em todas as rubricas, mas, principalmente, em Passivos Financeiros justificado pelo facto de se ter contraído um empréstimo durante o ano de Quadro 6. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 58

69 Quadro 6 - Relatório de Execução Financeira RECEITAS DE CAPIT AL Orçamento T axa de Variação Venda de Bens de Investimento , ,61 110% T ransferências de Capital , ,55 129% Activos Financeiros 0 0 #DIV/0! Passivos F inanceiros #DIV/0! Outras Receitas de Capital 0 0 #DIV/0! T otal de Receitas de Capital: , ,16 277% Gráfico 6 Evolução da Receita de Capital As receitas de capital representaram cerca de 21% do total da receita arrecadada. 4.4 Análise Global da Despesa O exercício de 2009 apresentou uma dotação total da despesa de , dos quais foram respeitantes a despesas correntes e a despesas de capital. A dotação total inicial da despesa foi de e que, com as várias modificações orçamentais, apresentou um reforço de cerca de 16%, no total de , ao longo do ano. A taxa de execução das despesas correntes é superior à das despesas de capital, dado que incorpora um conjunto de rubricas, de alguma forma previsível, como o demonstram os dados históricos conhecidos e trabalhados, tornando menos incerto o estabelecimento de estimativas. Por seu lado, as despesas de capital, que respeitam a investimentos, oscilam conforme a conjuntura exterior, dada a importância dos financiamentos para a sua programação e concretização, nomeadamente a disponibilidade de apoios da Administração Central e de financiamentos comunitários. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 59

70 A execução do orçamento da despesa registou um nível mais baixo, cerca de 55% da dotação, do que o observado em 2008, que foi de 65%. Em termos absolutos, verificou-se um decréscimo de ,10 em relação a O montante total de despesas executadas foi de ,73, sendo ,26 relativo a despesas correntes e ,47 relativo a despesas de capital. Importa salientar que o total cabimentado em 2009 registou o montante de ,96, que, para um total geral orçado de representa uma taxa de execução de cerca de 73%. 4.5 Despesa Corrente Neste ponto é feita uma breve referência aos valores orçamentados da despesa corrente e sua comparação com os valores executados, o que permitirá examinar o seu nível de realização e apurar eventuais desvios Quadro 7. Quadro 7 - Relatório de Execução Financeira DESPESAS CORRENTES Orçamento Despesa Desvio T axa de Final % Paga % Execução Pessoal % ,08 43% ,92 85% Aquisição de Bens e Serviços Aquisição de Bens % ,37 9% ,63 48% Aquisição de Serviços % ,64 29% ,36 59% Encargos Correntes da Dívida % ,58 2% ,42 86% Transferências Correntes % ,77 12% ,23 61% Outras Despesas % ,82 6% ,18 73% Total das Despesas Correntes % ,26 100% ,74 68% As despesas correntes mantêm a sua estrutura essencialmente assente nas despesas com pessoal e nas aquisições de bens e serviços. À semelhança de anos anteriores, o comportamento deste tipo de despesas mostra-se pouco receptivo às oscilações dos investimentos, já que se tratam de despesas fixas de funcionamento. As despesas correntes no montante de ,26, com uma execução de cerca de 68%, correspondem a cerca 65% do total da despesa. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 60

71 Gráfico 7 Estrutura da Despesa Corrente Transferências Correntes 12% Encargos Correntes da Dívida 2% Outras Despesas 6% Pessoal 42% Aquisição de Serviços 29% Aquisição de Bens 9% Despesas com Pessoal As despesas com pessoal ( ,08 ), com uma execução de cerca de 85%, representaram cerca de 43% das despesas correntes e 28% do total da despesa efectuada, durante o ano económico de Este tipo de despesa apresenta o maior peso nas despesas correntes. Aquisição de Bens e Serviços A aquisição de bens e serviços reflecte as despesas inerentes ao funcionamento e manutenção de toda a estrutura municipal, permitindo conjuntamente com as despesas de pessoal, assegurar uma prestação dos serviços a que o município se propõe, com a devida qualidade. Estas despesas no total de ,01 representaram cerca de 37% da despesa corrente, 24% da despesa total e apresentaram uma execução de 56%. Destaca-se desta componente da despesa, a aquisição de serviços com uma execução de ,64, cerca de 59% do valor orçado, representando cerca de 29% da despesa corrente e 19% do total da despesa. Os gastos mais significativos com a aquisição de serviços foram os seguintes: - Outros Serviços (inclui as despesas relativas à concessão à Algar do tratamento final de resíduos sólidos urbanos, o pagamento de refeições escolares, o aluguer de espaços à Lagos-em-Forma utilizados pelos grupos desportivos do concelho, espectáculos, licenças informáticas, emolumentos do Tribunal de Contas, ,18 Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 61

72 pagamento aos agentes eleitorais e ainda outras despesas que não se englobam noutra rubrica). - Outros Trabalhos Especializados (a despesa mais significativa referese ao pagamento do tratamento de águas residuais à empresa Águas do Algarve e inclui ainda as despesas com análises de águas e o pagamento aos auditores externos). - Limpeza e Higiene (inclui as despesas referentes à aquisição de serviços de limpeza e higiene assegurados por empresas da especialidade na zona urbana da cidade, em zonas balneares e recinto da feira e ainda a limpeza nalgumas instalações dos serviços). - Encargos das Instalações (refere-se ao pagamento de electricidade das instalações à EDP; inclui também o pagamento de iluminação pública). - Locação de Edifícios (inclui o pagamento de rendas relativas ao edifício municipal, rendas de outros edifícios ocupados por serviços municipais e ainda o pagamento ao Fundo de Investimento Imobiliário relativo ao arrendamento de 56 fogos para realojamento). - Encargos de Cobrança de Receitas (refere-se ao pagamento de encargos de cobrança de receitas efectuadas por outras entidades, nomeadamente, a percentagem paga à Direcção Geral de Impostos pela cobrança de impostos que constituem receita municipal). - Comunicações (inclui despesas com telefones móveis e fixos, despesas de correios, taxas com ligação à Internet para diversas utilizações). - Estudos, Pareceres, Projectos e Consultoria (referente a despesas com estudos específicos em curso e com os Planos de Pormenor e Urbanização e consultoria no âmbito do Sistema da Qualidade e design relativo ao edifício municipal). - Publicidade (inclui a divulgação de actividades desportivas, culturais e recreativas e publicação de anúncios de concursos). - Locação de Outros Bens (inclui o pagamento de iluminação de Natal do ano anterior, aluguer de equipamento de som, aluguer de grua e aluguer de tendas para diversos eventos) , , , , , , , , ,76 Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 62

73 - Vigilância e Segurança (inclui o pagamento de serviços de vigilância edifícios municipais, trabalhos de coordenação e saúde em estaleiros temporários ou móveis, policiamento de espectáculos e contratos relativos a alarmes instalados nos edifícios municipais) ,49 - Seguros (inclui o pagamento de seguros de viaturas e edifícios) ,42 TOTAL Estas despesas representaram cerca de 96% da Aquisição de Serviços e cerca de 27% da despesa corrente. O pagamento de água à empresa Águas do Algarve, no montante de ,45 representou cerca de 3% do total da despesa corrente paga, sendo a despesa mais significativa na rubrica Aquisição de Bens. De referir que a despesa relativa à compra de água apresentou um valor mais elevado, mas as dificuldades de tesouraria não permitiram ao município proceder ao seu pagamento atempadamente, tendo sido celebrado com a empresa fornecedora um acordo de regularização da dívida no montante de ,93. Transferências Correntes As transferências correntes, no montante de ,77 (este valor inclui a rubrica subsídios), reflectem os montantes transferidos para as Juntas de Freguesia, no âmbito dos protocolos de delegação de competências, bem como transferências para associações, colectividades e associações de Municípios. Esta rubrica corresponde a 12% da despesa corrente e teve uma execução de 61%. Os Subsídios, no montante de ,70, incluem as verbas dirigidas para a empresa municipal Lagos-em-Forma de acordo com os contratos-programa aprovados, para desenvolvimento das suas actividades e correspondem a 2% do total da despesa corrente. Outras Despesas Correntes As outras despesas correntes correspondem a despesas de carácter residual e apresentaram um montante de ,82, cerca de 6% da despesa corrente e com uma execução de 73%. Encargos Financeiros O pagamento de Encargos Financeiros, no montante de ,58, reporta-se a juros e comissões bancárias relacionados com empréstimos de médio e longo prazo, bem como juros Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 63

74 referentes a contratos de aquisição pelo sistema leasing. Esta rubrica representa cerca de 2% da despesa corrente e teve uma execução de 86%. O modelo do POCAL apresenta de forma discriminada os encargos por natureza e finalidade dos empréstimos de médio e longo prazo à data de 31 de Dezembro de Estes encargos totalizaram ,14 e os encargos com locação financeira totalizaram ,54. São ainda pagas por esta rubrica comissões bancárias que totalizaram ,90. Relativamente à evolução da despesa corrente em relação ao ano anterior verifica-se que houve um decréscimo de 17%, conforme mostra o quadro seguinte Quadro 8. Quadro 8 - Relatório de Execução Financeira DESPESAS CORRENTES T axa Orçamento de Variação Pessoal , ,08 6% Aquisição de Ben s e Serviço s Aquisição de Bens , ,37-46% Aquisição de Serviços , ,64-25% Encarg os Correntes da Dívida , ,58-21% T ransferên cias Correntes , ,77-28% Outras Despesas , ,82-6% T otal de Despesas C orrentes: , ,26-17% Gráfico 8 Evolução da Despesa Corrente A despesa corrente, no montante de ,26 foi claramente inferior à receita corrente, no total de ,17, gerando por esse efeito uma poupança no valor de ,91. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 64

75 Gráfico Grau de cobertura da despesa corrente pela receita corrente Receita Corrente Despesa Corrente 4.6 Despesa de Capital O quadro seguinte permite observar a desagregação da despesa de capital, indicando para as respectivas dotações orçamentais o volume de despesa paga, respectiva estrutura e taxa de execução Quadro 9. Quadro 9 - Relatório de Execução Financeira DESPESAS DE C APITAL Orçamento Despesa Desvio T axa de Final % Paga % Execução Aquisição de Bens de Investimento % ,48 87% ,52 42% T rans ferênc ias de Capital % ,98 7% ,02 22% Activos Financeiros 0 0% 0 0% 0 #DIV/0! Passivos F inanceiros % ,54 5% -848,46 100% Outras Despesas % ,47 1% ,53 40% Total das Despesas de Capital % ,47 100% ,53 41% A estrutura da despesa de capital é composta na sua maioria pela Aquisição de Bens de Investimento, cujo montante representa cerca de 87% da despesa de capital e 30% da totalidade da despesa. O gráfico que a seguir se apresenta mostra o peso relativo de cada componente no total da despesa de capital. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 65

76 Gráfico 10 Estrutura da Despesa de Capital Transferências de Capital 7% Activos Financeiros 0% Passivos Financeiros 5% Outras Despesas 1% Aquisição de Bens de Investimento 87% Relativamente ao ano anterior, verificou-se um aumento de ,82 na despesa de capital, cerca de 7%, justificado, sobretudo, pela variação verificada na Aquisição de Bens de Investimento, conforme quadro seguinte Quadro 10. Quadro 10 - Relatório de Execução Financeira DESPESAS DE C APITAL Orçamento T axa de Variação Aquisição de Bens de Investimento , ,48 10% T ransferências de Capital , ,98-19% Activos Financeiros , % Passivos F inanceiros , ,54 25% Outras Despesas , ,47 76% T otal de Despesas d e Capital: , ,47 7% Gráfico 11 Evolução da Despesa de Capital Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 66

77 5. ANÁLISE DEPARTAMENTAL DESPESA POR UNIDADE ORGÂNICA A análise a seguir apresentada permite avaliar o desempenho de cada unidade orgânica, evidenciando o comportamento da despesa face à previsão anual e comparativamente ao período homólogo do ano anterior. Pretende-se ainda fazer uma avaliação da execução do Plano Plurianual de Investimentos por cada Departamento, face aos valores previstos para o ano económico em análise e face a igual período do ano anterior. 5.1 Administração Autárquica (AA) Na AA despendeu-se o total de ,93, correspondendo a despesa corrente a ,21 e a despesa de capital a ,72. A despesa paga representou uma execução de 48% face à dotação final. Nesta unidade orgânica, as despesas apresentaram um decréscimo de 6% em relação ao período homólogo do ano anterior, com menos ,46 Quadro 11. Quadro 11 - Relatório de Execução Financeira M apa Comparativo Despesas Previstas e realizadas Classificação R ealiz ado Previsto Dezembro Orçamental DESIGNAÇÃO Câmara Municipal Despesa C orrente (1) (2) (3) (4)=(3-1) (5)=(4)/(1) (6)=(3)/(2) (7)=(2-3) Pessoal , , ,98-4% 82% , Aquisição de Bens e Serviços Co rrentes Aquisição de Bens , , ,83-68% 47% , Aquisição de Serviços , , ,64 3% 71% , Juros e outros Encargos Empréstimos de médio e longo prazo , , ,77-23% 91% , Juros de locação financeira 1.492, , ,91 87% 61% 1.816, Outros Encargos Financeiros D espesas diversas , , ,68 33% 44% , Transferências Correntes , , ,66-33% 62% , Subsídios Empresas Públicas Municipais e Intermunicipais , , ,17-58% 27% , Outras Despesas Correntes , , ,46 50% 97% 5.825,06 Total Despesa Corrente , , ,72-26% 58% ,79 Despesa de capital Aquisição de Bens de Capital Terrenos #DIV/0! 87% Habitações , ,31 #DIV/0! 57% , Edifícios , , ,25 35% 35% , Construções Diversas #DIV/0! #DIV/0! Material de transporte ,30 598,30 #DIV/0! 24% 1.901, Equipamento Informático , , ,50-76% 22% , Software Informático #DIV/0! 0% Equipamento Administrativo 3.995, , , % 79% , Equipamento Básico , , ,50 75% 86% 8.330, Artigos e objectos de valor 582, , , % 89% 6.435, Outros Investimentos #DIV/0! 0% Locação Financeira 6.026, , ,09 221% 88% 2.595, Bens do domínio Público , , ,45-99% 9% , Transferências de Capital Sociedades e quase sociedades não financeiras , , ,97-30% 16% , Administração Central #DIV/0! 0% Administração Local , ,30-79% 19% , Instituições sem fins lucrativos , , ,44-54% 5% , Famílias #DIV/0! #DIV/0! Outras Despesas de Capital Diversas #DIV/0! #DIV/0! 0 Total Despesa C apital , , ,24 15% 40% , Operações Financeiras Activos Financeiros Soc.e quase soc.n.financeiras - privadas % #DIV/0! Soc.e quase soc.n.financeiras - públicas , ,03-34% #DIV/0! Passivo s F inan ceiros Empréstimos a Médio e longo prazo , , ,05 25% 100% 848,46 Total Despesa C apital , , ,02 4% 100% 848,46 Total Despesa Capital 0102 e , , ,26 14% 43% ,28 Total Despesa Corrente e Cap ital , , ,46-6% 48% ,07 Desvio Execução Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 67

78 A despesa corrente apresentou uma execução de 58%, tendo se verificado uma diminuição de 26% em relação ao ano anterior, o que corresponde a menos As rubricas que mais justificaram a execução da despesa nesta unidade orgânica foram: Aquisição de Serviços A Aquisição de Serviços, no montante de ,48, registou uma execução de 71%. Uma das rubricas que mais contribuiu para esta execução foi Locação de Edifícios, no montante de ,30, relativo, principalmente, ao pagamento da renda do novo edifício municipal. A rubrica Outros Trabalhos Especializados também contribuiu para o nível de execução verificado, com o valor de , onde se destaca o pagamento da mudança dos serviços municipais para o novo edifício, serviços de auditoria interna e a prestação de serviços do técnico afecto ao Gabinete Técnico Florestal. Também se destaca a rubrica Vigilância e Segurança, no montante de ,48, relativa aos serviços de segurança do novo edifício municipal. Juros e Outros Encargos Esta rubrica, no montante de ,07, com uma execução de 87%, refere-se, quase na totalidade, aos encargos com os empréstimos de médio e longo prazo. Transferências Correntes A rubrica Transferências Correntes, no montante de ,85, registou uma execução de 62%, justificado, principalmente, pelas Transferências para as Freguesias ( ,03 ), de acordo com os protocolos celebrados, e para Instituições Sem Fins Lucrativos ( ), especialmente, a atribuição de subsídio à Associação dos Bombeiros Voluntários de Lagos conforme acordo de colaboração aprovado em reunião camarária. Subsídios O montante de ,70 nesta rubrica, refere-se ao subsídio atribuído à empresa municipal Lagos-em-Forma, de acordo com o contrato-programa aprovado. Outras Despesas Correntes A rubrica Outras Despesas Correntes, no montante de ,94, inclui o pagamento de quotas à Associação Terras do Infante ( ,67 ) e à Associação de Municípios da Ria de Alvor ( ) e, ainda o montante de ,09 relativo a uma restituição ao Projecto AEMA INTERREG IIIC, proveniente de FEDER. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 68

79 Durante este período foi despendido cerca de 58% da totalidade da despesa corrente prevista para esta unidade orgânica, distribuída da seguinte forma: - Despesas com Pessoal 82%; - Aquisição de Bens e Serviços 70%; - Juros e Outros Encargos 87%; - Transferências Correntes 62%; - Subsídios 27%; - Outras Despesas Correntes 97%. A despesa de capital apresentou uma execução de 43% e, em relação ao período homólogo do ano anterior, verificou-se um aumento de 14%. A taxa de execução do Plano Plurianual de Investimentos ao nível da AA foi de 40%, no montante de ,18. Os projectos/acções de investimento que mobilizaram maiores recursos financeiros foram: - Plano Global de Habitação Aquisição de fogos a custos controlados em Espiche ,31 ; - Transferências de Capital para Empresas Municipais ,76 ; - Construção da Nova Esquadra da PSP ,41 ; - Aquisição de terreno para a construção da Nova Esquadra da PSP ; - Aquisição de Equipamento Administrativo ,92 ; - Aquisição de edifício na Travessa da Coroa Estes projectos representaram cerca de 95% do total executado no Plano Plurianual de Investimento nesta unidade orgânica. 5.2 Departamento de Suporte Técnico e Administrativo (DSTA) No DSTA despendeu-se um total de ,18, correspondendo a despesa corrente a ,67, com uma execução de 82%, e a despesa de capital a ,51, com uma execução de 77%. A despesa paga representou uma execução de 82% face à dotação final. Nesta unidade orgânica, as despesas apresentaram um decréscimo de 7% em relação ao período homólogo do ano anterior, com menos ,18 Quadro 12. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 69

80 Quadro 12 - Relatório de Execução Financeira M apa Comparativo Despesas Previstas e realizadas Classificação R ealiz ado Previsto Dezembro Orçamental DESIGNAÇÃO Suporte Técnico e Administrativo Despesa C orrente (1) (2) (3) (4)=(3-1) (5)=(4)/(1) (6)=(3)/(2) (7)=(2-3) Pessoal , , ,07 3% 90% , Aquisição de Bens e Serviços Correntes Aquisição de Bens , ,72-903,92-1% 54% , Aquisição de Serviços , , ,51-17% 85% , Juros e outros encargos Juros de locação financeira 1.993, ,70-286,34-14% 49% 1.793, Outros Encargos Financeiros 301, ,09-218,69-72% 14% 516, Transferências Correntes #DIV/0! 0% Outras Despesas Correntes , , ,50-17% 74% ,73 Total Despesa Corrente , , ,89-8% 82% ,33 Despesa de capital Aquisição de Bens de Capital Material de T ransporte 1.575, ,42-100% 0% Equipamento Informático , , ,07-13% 69% 8.010, Software Informático , ,37 #DIV/0! 24% 5.312, Equipamento Administrativo 9.179, , ,14 428% 81% , Equipamento Básico 5.184, , ,59 634% 86% 6.141, Artigos e objectos de valor #DIV/0! 0% Locação financeira , , ,10 32% 97% 380, Outras Despesas de Capital #DIV/0! #DIV/0! 0 Total Despesa Capital , , ,71 155% 77% ,49 Total Despesa Corrente e Cap ital , , ,18-7% 82% ,82 Desvio Execução A despesa corrente apresentou uma execução de 82%, tendo se verificado uma diminuição de 8% em relação ao ano anterior, o que corresponde a menos ,89. As rubricas que mais justificaram a execução da despesa nesta unidade orgânica foram: Aquisição de Serviços A rubrica Aquisição de Serviços, com uma execução de ,83, sendo a rubrica Comunicações, no montante de ,90, justificado, sobretudo, pelo pagamento da avença e do contrato de adesão com os CTT, e a rubrica Encargos de Cobrança de Receitas, com uma execução de ,79, que varia em função do volume de receitas, as que mais contribuíram para a execução verificada. Outras Despesas Correntes A rubrica Outras Despesas Correntes, no montante de ,27, inclui o pagamento de Impostos e Taxas ( ,09 ) e o pagamento de IVA ( ,31 ). Inclui ainda Outras Restituições no total de ,76, justificado, principalmente, pela restituição de parte da taxa municipal de urbanização paga pela Vila Galé Empreendimentos Turísticos. Durante este período foi despendido 82% da totalidade da despesa corrente prevista para esta unidade orgânica, distribuída da seguinte forma: - Despesas com Pessoal 90%; - Aquisição de Bens e Serviços 80%; - Juros e Outros Encargos 44%; - Outras Despesas 74%. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 70

81 A despesa de capital apresentou uma execução de 77% e, em relação ao período homólogo do ano anterior, verificou-se um aumento de 155%. A taxa de execução do Plano Plurianual de Investimentos ao nível deste departamento foi de 77%, o que corresponde a ,51. Os projectos/acções que mobilizaram maiores recursos financeiros foram: - Equipamento Administrativo ,86 ; - Equipamento Básico ,04 ; - Equipamento Informático ,99 ; - Locação Financeira ,52. Estes projectos representaram cerca de 90% do total executado no Plano Plurianual de Investimentos nesta unidade orgânica. 5.3 Departamento de Educação, Cultura e Acção Social (DECAS) Neste departamento foram gastos ,59, a que corresponde um montante de ,12 de despesa corrente, com uma execução de 81%, e uma despesa de capital de ,47, com uma execução de 56%. Em relação ao período homólogo do ano anterior, as despesas apresentaram um decréscimo de 9%, com menos ,63 Quadro 13. Quadro 13 - Relatório de Execução Financeira M apa Comparativo Despesas Previstas e realizadas Classificação R ealiz ado Previsto Dezembro Orçamental DESIGNAÇÃO Educação, C ultura e Acção Social Despesa C orrente (1) (2) (3) (4)=(3-1) (5)=(4)/(1) (6)=(3)/(2) (7)=(2-3) Pessoal , , ,70 10% 82% , Aquisição de Bens e Serviços Correntes Aquisição de Bens , , ,27-24% 63% , Aquisição de Serviços , , ,13-36% 74% , Juros e Ou tr os Encargos Juros de locação financeira 370, , ,99 335% 62% 987, Transferências Correntes , , ,23-6% 95% , Outras Despesas Correntes , , ,27-22% 46% ,78 Despesa de capital Aquisição de Bens de Capital Total Despesa Corrente , , ,21-12% 81% , Edifícios , ,07 #DIV/0! 26% , Material de T ransporte , ,11 #DIV/0! 61% , Equipamento Informático , , ,56-37% 21% , Software Informático 479, , ,34 603% 16% , Equipamento Administrativo , , ,62-8% 26% , Equipamento Básico , , ,41 80% 42% , Artigos e objectos de valor , ,83-61% 85% 3.100, Locação Financeira 1.134, , ,66 661% 96% 374, Transferências de Capital Sociedades e quase sociedades não financeiras #DIV/0! #DIV/0! Instituições sem fins lucrativos , , % 74% ,32 Total Despesa Capital , , ,58 59% 56% ,53 Total Despesa Corrente e Cap ital , , ,63-9% 78% ,41 Desvio Execução A despesa corrente apresentou uma diminuição de 12% em relação ao ano anterior, o que corresponde a menos ,21. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 71

82 As rubricas que mais justificaram a execução da despesa nesta unidade orgânica foram: Aquisição de Serviços A Aquisição de Serviços, no valor de ,44, registou uma execução de 74%. Esta execução foi justificada, sobretudo, pela rubrica Outros Serviços, no montante de ,78, referente ao pagamento de espectáculos, refeições escolares e ao pagamento à Empresa Municipal gestora dos recintos desportivos pela utilização dos mesmos por parte dos clubes e escolas do concelho. Transferências Correntes Esta rubrica, no valor de ,33, registou uma execução de 95%, justificado, principalmente pela transferência de ,10 para Instituições Sem Fins Lucrativos relativas a subsídios atribuídos a instituições desportivas, culturais, recreativas e sociais, aprovados em reunião camarária. Durante este período foi despendido cerca de 81% da totalidade da despesa corrente prevista para esta unidade orgânica, nomeadamente: - Despesas com Pessoal 82%; - Aquisição de Bens e Serviços 71%; - Juros e Outros Encargos 62% - Transferências Correntes 95%; - Outras Despesas Correntes 46%. A despesa de capital apresentou uma execução de 56% e, em relação ao período homólogo do ano anterior, verificou-se um aumento de 59%. A taxa de execução do Plano Plurianual de Investimentos foi de 56%, ao nível da Educação, Cultura e Acção Social, o que corresponde a um total de ,47. Os projectos/acções que mobilizaram maiores recursos financeiros foram: - Atribuição de Subsídios a Clubes Desportivos ; - Atribuição de Subsídios a Associações Culturais ,68 ; - Núcleo Museológico de Barão de S. João ,07. Estes projectos representam cerca de 75% do total executado no Plano Plurianual de Investimentos nesta unidade orgânica. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 72

83 5.4 Departamento de Planeamento e Gestão Urbanística (DPGU) No DPGU, no ano económico em análise, foram gastos ,83 na totalidade das despesas, correspondendo ,35 a despesa corrente, com uma execução de 61%, e ,48 a despesa de capital, com uma execução de 40%. Em relação ao período homólogo do ano anterior, as despesas apresentaram um acréscimo de 6%, com mais ,61 Quadro 14. Quadro 14 - Relatório de Execução Financeira Mapa Comparativo Despesas Previstas e realizadas Classificação Realizado Previsto Dezembro Desvio Execução Orçamental DESIGNAÇÃO (1) (2) (3) (4)=(3-1) (5)=(4)/(1) (6)=(3)/(2) (7)=(2-3) 04 Planeamento e Gestão Urbanística Despesa Corrente Pessoal , , ,35 5% 81% , Aquisição de Bens e Serviços Correntes Aquisição de Bens , , ,64-34% 38% , Aquisição de Serviços , , ,32-12% 45% , Juros e Outros Encargos Juros de locação financeira 370, ,28 458,36 124% 46% 970, Transferências Correntes #DIV/0! 0% Outras Despesas Correntes 7.666, , ,92 355% 45% ,21 Total Despesa Corrente , , ,33-2% 61% ,65 Despesa de capital Aquisição de Bens de Investimento Terrenos e recursos naturais , ,82-100% #DIV/0! Habitações , , ,10-87% 73% , Edifícios , , ,44 138% 49% , Outras Construções , , ,60 3% 14% , Material de Transporte #DIV/0! 0% Equipamento Informático , , ,54-99% 2% 6.940, Software Informático , ,60-58% 76% Equipamento Administrativo 4.544, , ,09-75% 22% 3.883, Equipamento Básico , , ,77 117% 46% , Artigos e objectos de valor #DIV/0! 0% Outros #DIV/0! 0% Locação Financeira 1.134, , ,44 382% 96% 237, Bens do domínio Publico , , ,61-27% 35% , Transferências de Capital Instituições sem fins lucrativos #DIV/0! #DIV/0! Famílias , ,48 #DIV/0! 50% 2.514, Outras Despesas Capital , , ,97 76% 40% ,53 Total Despesa Capital , , ,94 9% 40% ,52 Total Despesa Corrente e Capital , , ,61 6% 43% ,17 A despesa corrente apresentou uma diminuição de 2% em relação ao ano anterior, o que corresponde a menos ,33. A rubrica que mais justificou a execução da despesa nesta unidade orgânica foi: Aquisição de Serviços A Aquisição de Serviços, num total de ,33, registou uma execução de 45%. Esta execução foi justificada pela rubrica Locação de Edifícios, referente ao pagamento de rendas ao Fundo de Investimento Imobiliário relativas ao arrendamento de 56 fogos para realojamento, e pela rubrica Estudos, Pareceres, Projectos e Consultadoria relativa ao pagamento de trabalhos de assessoria do Plano de Urbanização da Meia Praia, elaboração de relatórios de avaliação ambiental relativos ao Plano de Urbanização de Odiáxere e ao PDM e ao projecto de segurança contra incêndio do edifício dos Paços do Concelho. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 73

84 Durante este período gastou-se 61% da totalidade da despesa corrente prevista para esta unidade orgânica, nomeadamente: - Despesas com Pessoal 81%; - Aquisição de Bens e Serviços 45%; - Juros e Outros Encargos 46%; - Outras Despesas Correntes 45%. A despesa de capital apresentou uma execução de 40% e, em relação ao período homólogo do ano anterior, verificou-se um aumento de 9%. A taxa de execução do Plano Plurianual de Investimentos ao nível do Planeamento e Gestão Urbanística foi cerca de 40%, o que corresponde a um gasto de ,01. Os projectos/acções que mobilizaram maiores recursos financeiros foram: - Programa de Reordenamento da Rede Escolas Nova Escola EB 2,3 Technopolis ,37 ; - Requalificação da Frente Ribeirinha Acção A1 Projecto POLIS ,13 ; - Intervenção na Escola do Bairro Operário inclui projecto ,64 ; - Requalificação de Arruamentos Diversos ,24 ; - Requalificação de espaços públicos e zonas verdes ,05 ; - Pavimentação de ruas da cidade e estacionamentos ,09 ; - Igreja N. Sra. do Carmo 1.ª fase ,73 ; - Gestão do Plano de Pormenor Bensafrim ,13 ; - Pavimentação e correcção da EM entre Bensafrim e Barão de S. João ,56 - Arranjos envolventes ao Largo dos Passarinhos Odiáxere ,40 ; - Conclusão de infra-estrutura do Alvará 16/88 Espiche ,85 ; - Conservação e Manutenção de Espaços Verdes inclui sistema de rega ,65 ; - Remodelação e ampliação do sistema de abastecimento de água em baixa à cidade Estações elevatórias, condutas e outros ,41 ; - Oficina Ciência Viva ,94 ; - Reparação e beneficiação de Habitação Social ,28 ; - Qualificação da Zona envolvente às muralhas Acção C6 Projecto POLIS trabalhos relacionados com mobilidade e segurança ,51 ; - Instalações Desportivas - Manutenção, conservação e beneficiação ,80 ; - Iluminação pública nas vias urbanas e rurais ,13 ; - Arranjo exterior da zona adjacente ao Polidesportivo de Espiche ,38 ; - Reabilitação de parques infantis - inclui equipamento ,33 ; - Edifício Multifunções do Chinicato Aquisição de prédio e obras de adaptação ,50. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 74

85 Estes projectos representam cerca de 94% do total executado no Plano Plurianual de Investimentos nesta unidade orgânica. 5.5 Departamento de Ambiente e Serviços Urbanos (DASU) No DASU foram gastos ,41 na totalidade das despesas correspondendo ,58 a despesa corrente, com uma execução de 64%, e ,83 a despesa de capital, com uma execução de 33%. Em relação ao período homólogo do ano anterior, as despesas apresentaram um decréscimo de 27%, com menos ,99 Quadro 15. Quadro 15 - Relatório de Execução Financeira Mapa Comparativo Despesas Previstas e realizadas Classificação Realizado Previsto Dezembro Desvio Execução Orçamental DESIGNAÇÃO (1) (2) (3) (4)=(3-1) (5)=(4)/(1) (6)=(3)/(2) (7)=(2-3) 05 Ambiente e Serviços Urbanos Despesa Corrente Pessoal , , ,92 4% 91% , Aquisição de Bens e Serviços Correntes Aquisição de Bens , , ,97-52% 46% , Aquisição de Serviços , , ,53-33% 56% , Juros e Outros Encargos Juros de locação financeira , , ,49-27% 71% , Transferências Correntes #DIV/0! 5% Outras Despesas Correntes , , ,13 46% 62% ,88 Total Despesa Corrente , , ,94-26% 64% ,42 Despesa de capital Aquisição de Bens de Investimento Edifícios , , ,33-16% 44% , Outras Construções , , ,93 40% 37% , Material de Transporte , , ,07-49% 28% , Equipamento Informático , , ,84-63% 69% 2.167, Software Informático 3.814, ,55-69% 24% Equipamento Administrativo , , ,42 141% 57% , Equipamento Básico , , ,39-68% 19% , Ferramentas e Utensílios 1.834, , ,20 81% 30% 7.679, Artigos e objectos de valor #DIV/0! 0% Outros , , ,99-86% 13% , Locação Financeira , , ,09 20% 78% , Bens do domínio Publico , , ,52-31% 32% , Transferências de Capital Administração Local #DIV/0! #DIV/0! 0 Total Despesa Capital , , ,05-34% 33% ,17 Total Despesa Corrente e Capital , , ,99-27% 59% ,59 A despesa corrente apresentou uma diminuição de 26% em relação ao ano anterior, o que corresponde a menos ,94. As rubricas que mais justificaram a execução da despesa nesta unidade orgânica foram: Aquisição de Bens A Aquisição de Bens, no montante de ,27, registou uma execução de 46%. A compra de água à empresa Águas do Algarve, concessionária do sistema em alta, no montante de ,45 foi o que mais contribuiu para a execução verificada. Aquisição de Serviços A Aquisição de Serviços, no montante de ,11 registou uma execução de 56%. As rubricas que mais contribuíram para esta execução foram Outros Trabalhos Especializados com Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 75

86 o valor de ,94, onde a principal despesa é o pagamento do tratamento de águas residuais à empresa Águas do Algarve, Limpeza e Higiene, no montante de ,98, que inclui a aquisição de serviços de limpeza assegurados por empresas da especialidade na zona urbana da cidade, em zonas balneares e no recinto do mercado municipal, e Encargos das Instalações, no montante de ,36 relativo ao pagamento de electricidade das instalações e iluminação pública. Durante este período gastou-se 64% da totalidade da despesa corrente prevista para o ano económico de 2009, nomeadamente: - Despesas com Pessoal 91%; - Aquisição de Bens e Serviços 52%; - Juros e Outros Encargos 71%; - Transferências Correntes 5%; - Outras Despesas Correntes 62%. A despesa de capital apresentou uma execução de 33% e, em relação ao período homólogo do ano anterior, verificou-se uma diminuição de 34%. A taxa de execução do Plano Plurianual de Investimentos foi cerca de 33%, ao nível do Ambiente e Serviços Urbanos, o que corresponde a ,83. Os projectos/acções que mobilizaram maiores recursos financeiros foram: - Sinais, Placas Trânsito e Outros Toponímia (2008) ,44 ; - Sinais, Placas Trânsito e Outros Toponímia (2009) ,74 ; - Iluminação Pública vias urbanas e rurais - Adm. Directa ,88 ; - Resíduos Sólidos Equipamento Básico ,96 ; - Locação Financeira Material de Transporte (2007) ,73 ; - Iluminação Pública nas vias urbanas e rurais ,95 ; - Maquinaria e Equipamento Diverso Grandes Reparações ,58 ; - Edifícios Municipais Conservação e Reparação ,52 ; - Remodelação, ampliação e manutenção de redes Abastecimento de Água ,14 ; - Locação Financeira Material de Transporte Resíduos Sólidos ,79. Estes projectos representam cerca de 52% do total executado no Plano Plurianual de Investimento nesta unidade orgânica. 5.6 Departamento de Planeamento, Modernização e Inovação (DPMI) No DPMI gastou-se ,37, correspondendo a despesa corrente a ,26, com uma execução de 60%, e a despesa de capital a ,11, com a execução de 7%. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 76

87 Em relação ao período homólogo do ano anterior, as despesas apresentaram um acréscimo de 3%, com mais ,77 Quadro 16. Quadro 16 - Relatório de Execução Financeira M apa Comparativo Despesas Previstas e realizadas Classificação R ealiz ado Previsto Dezembro Orçamental DESIGNAÇÃO Planeamento, Modernização e Inovação Despesa C orrente (1) (2) (3) (4)=(3-1) (5)=(4)/(1) (6)=(3)/(2) (7)=(2-3) Pessoal , , ,57 10% 75% , Aquisição de Bens e Serviços Co rrentes Aquisição de Bens , ,38 16% 23% Aquisição de Serviços , , ,52 14% 30% , Juros e Ou tros Encar gos Juros de locação financeira 824, , % 45% 1.085, Transferências Correntes , ,89 #DIV/0! 85% 1.292, Outras Despesas Correntes 43, ,56 0,54 1% 2% 1.956,44 Despesa de capital Aquisição de Bens de Investimento Total Despesa Corrente , , ,90 11% 60% , Material de Transporte #DIV/0! 0% Equipamento Informático , , ,17-60% 4% , Software informático , , ,97-91% 6% , Equipamento Administrativo , , ,81-38% 8% , Equipamento Básico % 0% Artigos e objectos de valor #DIV/0! 0% Locação financeira 2.665, , ,82 134% 99% 67,07 Total Despesa Capital , , ,13-62% 7% ,89 Total Despesa Corrente e Cap ital , , ,77 3% 46% ,63 Desvio Execução A despesa corrente apresentou um aumento de 11% em relação ao ano anterior, o que corresponde a mais ,90. A rubrica que mais justificou a execução da despesa nesta unidade orgânica foi: Aquisição de Serviços Esta rubrica com uma execução de 30%, no montante de ,22, foi justificada, em parte, pela rubrica Estudos, Pareceres, Projectos e Consultadoria, com um valor de , referente ao pagamento de parte do projecto de Gestão da Qualidade e Consultadoria em Gestão de Processos. As rubricas Formação e Outros Trabalhos Especializados também contribuíram para esta execução, registando a Formação um total de ,49, relativo ao pagamento de trabalhos de monitorização de acções de formação, e Outros Trabalhos Especializados totalizou ,17, justificado pelo pagamento de serviços de instalação e configuração de equipamentos informáticos. Durante o período em análise despendeu-se 60% da totalidade da despesa corrente prevista para esta unidade orgânica, nomeadamente: - Despesas com Pessoal 75%; - Aquisição de Bens e Serviços 29%; - Juros e Outros Encargos 45%; - Transferências Correntes 85%; - Outras Despesas Correntes 2%. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 77

88 A despesa de capital apresentou uma execução de 7% e, em relação ao período homólogo do ano anterior, verificou-se uma diminuição de 62%. A taxa de execução do Plano Plurianual de Investimento foi 7%, ao nível do Planeamento, Modernização e Inovação, equivalente a ,11. Os projectos/acções que mobilizaram mais recursos financeiros foram: - Equipamento Administrativo ,07 ; - Equipamento Informático ,33 ; - Software Informático 4.646,40 ; Estes projectos representam 83% do total executado no Plano Plurianual de Investimento nesta unidade orgânica. 5.7 Divisão de Fiscalização (DF) Na Divisão de Fiscalização foram gastos ,65, representando a despesa corrente o montante de ,24, com a execução de 57%, e a despesa de capital ,41, com a execução de 45%. Em relação ao período homólogo do ano anterior, as despesas apresentaram um acréscimo de 29%, com mais ,45 Quadro 17. Quadro 17 - Relatório de Execução Financeira M apa Comparativo Despesas Previstas e realizadas Classificação R ealiz ado Previsto Dezembro Desvio Execução Orçamental DESIGNAÇÃO (1) (2) (3) (4)=(3-1) (5)=(4)/(1) (6)=(3)/(2) (7)=(2-3) 07 Divisão de Fiscalização Despesa C orrente Pessoal , , ,47 14% 70% , Aquisição de Bens e Serviços Co rrentes Aquisição de Bens , , ,32-32% 30% , Aquisição de Serviços , , ,66 314% 34% , Juros e Ou tros Encar gos Juros de locação financeira 618, ,49-182,79-30% 87% 64, Transferências Correntes #DIV/0! 0% Outras Despesas Correntes 1.331, ,96 4 0% 38% 2.164,04 Total Despesa Corrente , , ,02 29% 57% ,76 Despesa de capital Aquisição de Bens de Investimento Material de Transporte , ,48 #DIV/0! 47% 2.934, Equipamento Informático 3.303, ,16-100% 0% Software informático % 0% Equipamento Administrativo 2.466, , ,43 376% 57% 8.764, Equipamento Básico % 0% Artigos e objectos de valor #DIV/0! 0% Locação financeira 2.697, ,23 140,68 5% 98% 61,77 Total Despesa Capital , , ,43 37% 45% ,59 Total Despesa Corrente e Cap ital , , ,45 29% 57% ,35 A despesa corrente apresentou um aumento de 29% em relação ao ano anterior, o que corresponde a mais ,02. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 78

89 A rubrica que mais justificou a execução da despesa nesta unidade orgânica foi: Aquisição de Serviços Esta rubrica com uma execução de 34%, no montante de ,08, foi justificada, em parte, pela rubrica Outros Trabalhos Especializados com um valor de ,09, relativo ao pagamento de trabalhos de fiscalização e coordenação de segurança em obras municipais. Durante o período em análise despendeu-se 57% da totalidade da despesa corrente prevista para esta unidade orgânica, nomeadamente: - Despesas com Pessoal 70%; - Aquisição de Bens e Serviços 34%; - Juros e Outros Encargos 87%; - Outras Despesas Correntes 38%. A despesa de capital apresentou uma execução de 45% e, em relação ao período homólogo do ano anterior, verificou-se um aumento de 37%. A taxa de execução do Plano Plurianual de Investimento foi 45%, equivalente a ,41. Os projectos/acções que mobilizaram os recursos financeiros foram: - Equipamento Administrativo ,70 ; - Locação Financeira Material de Transporte 2.838,23 ; - Material de Transporte inclui grandes reparações 2.565, Divisão de Informação e Relações Públicas (DIRP) Na DIRP gastou-se ,66, representando a despesa corrente o montante de ,72, com uma execução de 58%, e a despesa de capital o valor de ,94, correspondendo a uma execução de 28%. Em relação ao período homólogo do ano anterior, as despesas apresentaram um acréscimo de 16%, com mais ,98 Quadro 18. Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 79

90 Quadro 18 - Relatório de Execução Financeira M apa Comparativo Despesas Previstas e realizadas Classificação R ealiz ado Previsto Dezembro Desvio Execução Orçamental DESIGNAÇÃO (1) (2) (3) (4)=(3-1) (5)=(4)/(1) (6)=(3)/(2) (7)=(2-3) 08 Divisão de Informação e Relações Públicas Despesa C orrente Pessoal , , ,06 6% 93% , Aquisição de Bens e Serviços Co rrentes Aquisição de Bens , , ,97-23% 31% , Aquisição de Serviços , , ,74 41% 46% , Juros e Ou tros Encar gos Juros de locação financeira ,31 345,31 #DIV/0! 35% 654, Transferências Correntes % 50% Outras Despesas Correntes 7, ,96 3,76 52% 0% 2.489,04 Total Despesa Corrente , , ,90 17% 58% ,28 Despesa de capital Aquisição de Bens de Investimento Material de transporte , ,40 #DIV/0! 31% 3.437, Equipamento Informático 4.523, ,10-100% 0% Software informático 5.617, ,52-100% 0% Equipamento Administrativo , ,22 #DIV/0! 54% 9.166, Equipamento Básico 8.167, , ,98-97% 2% , Artigos e objectos de valor #DIV/0! 0% Locação financeira , ,06 #DIV/0! 98% 63,94 Total Despesa Capital , , ,92-14% 28% ,06 Total Despesa Corrente e Cap ital , , ,98 16% 56% ,34 A despesa corrente apresentou um aumento de 17% em relação ao ano anterior, o que corresponde a mais ,90. A rubrica que mais justificou a execução da despesa nesta unidade orgânica foi: Aquisição de Serviços A execução verificada nesta rubrica, no montante de ,07, foi justificada, em grande parte, pela rubrica Publicidade, com um valor de ,99, referente à divulgação de actividades desportivas, culturais e recreativas, execução da agenda cultural 5 Sentidos e pagamento da primeira prestação da parceria comercial com o Autódromo Internacional do Algarve. Durante o período em análise despendeu-se 58% da totalidade da despesa corrente prevista para esta unidade orgânica, nomeadamente: - Despesas com Pessoal 93%; - Aquisição de Bens e Serviços 44%; - Juros e Outros Encargos 35%; - Transferências Correntes 50%; A despesa de capital apresentou uma execução de 28% e, em relação ao período homólogo do ano anterior, verificou-se uma diminuição de 14%. A taxa de execução do Plano Plurianual de Investimento foi 28%, equivalente a ,94. Os projectos/acções que mobilizaram os recursos financeiros foram: - Equipamento Administrativo ,22 ; - Locação Financeira Material de Transporte 3.036,06 ; Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 80

91 - Material de Transporte inclui grandes reparações 1.562, INVESTIMENTO MUNICIPAL O Investimento Directo Municipal inicialmente previsto para o ano económico em análise correspondia a No final do ano, e após várias alterações e a distribuição do saldo transitado da conta de gerência de 2008, este valor passou para No entanto, esta estimativa não se concretizou e os pagamentos efectuados totalizaram ,48, apresentando uma execução de cerca de 42%, ficando aquém em cerca de ,52. Este facto justificou-se sobretudo pela rubrica Edifícios e Outras Construções, com menos ,09 que o previsto Quadro 19. Quadro 19 - Relatório de Execução Financeira Orçamento Despesa Taxa de INVESTIM ENTO DIRECTO Final % Paga % Desvio Execução T errenos e Rec ursos Naturais % % % Edifícios e Outras Construções % ,91 89% ,09 43% Equipamento de Transporte % ,94 3% ,06 71% Maquinaria e Equipamento Diverso % ,67 6% ,33 30% Outros % ,96 0% ,04 7% TOTAL INVESTIMENTO % ,48 100% ,52 42% Tendo por base o quadro anterior, verifica-se que a componente de investimento que mais contribuiu para a execução deste agregado foi a rubrica Edifícios e Outras Construções, a qual representou 89% do total do investimento efectuado. A taxa de execução apresentada ronda os 43%. O gráfico a seguir apresentado mostra a distribuição das várias componentes do investimento. Gráfico 12 Estrutura do Investimento Maquinaria e Equipamento Diverso 6% Outros 0% Terrenos e Recursos Naturais 2% Equipamento de Transporte 3% Edifícios e Outras Construções 89% Município de Lagos Relatório de Execução Financeira 81

OPÇÕES DO PLANO 2015:2018 datas 2015 2016 2017 2018. conclusão. Respons. início 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196.

OPÇÕES DO PLANO 2015:2018 datas 2015 2016 2017 2018. conclusão. Respons. início 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196. 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196.916,00 1 ENSINO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO 116.500,00 93.625,00 100.574,00 103.487,00 1 Apoios e subsídios CM 13 18 5 05-06-02-03-99 1.000,00 1.030,00 2.122,00

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011 REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011 A Câmara deliberou, por unanimidade, justificar a falta do Senhor Presidente e do Vereador Senhor Eng.º Sérgio Manuel

Leia mais

Fls. 1. Fich: EDITAL L N.º 11 - Reunião ordinária de 12 de Junho de 2008.doc

Fls. 1. Fich: EDITAL L N.º 11 - Reunião ordinária de 12 de Junho de 2008.doc Fls. 1 EDITAL ANTÓNIO MAGALHÃES, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE GUIMARÃES, FAZ SABER, em cumprimento do disposto no art. 91º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada e republicada pela Lei 5-A/2002,

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 02 FEVEREIRO DE 2011 ORDEM DO DIA

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 02 FEVEREIRO DE 2011 ORDEM DO DIA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 02 FEVEREIRO DE 2011 ORDEM DO DIA ASSUNTO APRECIADO AO ABRIGO DO ART. 83.º DA LEI N.º 169/99, DE 18 DE SETEMBRO, REPUBLICADA PELA LEI

Leia mais

INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»?

INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»? INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»? No actual cenário económico-financeiro do Mundo e do País, é obrigação de todas as entidades públicas, à sua escala, promoverem medidas de apoio às empresas e às famílias

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 1. Análise do Plano Plurianual de Investimentos (PPI) Neste orçamento, o Município ajustou, as dotações para despesas de investimento, ao momento de austeridade que o país

Leia mais

FREGUESIA DE VILARINHO SANTO TIRSO MANDATO 2014/2017. Grandes opções do plano de atividades e investimentos ANO 2014

FREGUESIA DE VILARINHO SANTO TIRSO MANDATO 2014/2017. Grandes opções do plano de atividades e investimentos ANO 2014 1 FREGUESIA DE VILARINHO SANTO TIRSO MANDATO 2014/2017 Grandes opções do plano de atividades e investimentos ANO 2014 2 ÍNDICE - INTRODUÇÃO 3 - AÇÃO SOCIAL E EMPREGO 3,4 - EDUCAÇÃO SAÚDE 4 CULTURA, DESPORTO

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014 REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014 A Câmara deliberou, por unanimidade, justificar a falta da Vice-Presidente, Senhora Dr.ª Felícia Maria Cavaleiro

Leia mais

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido.

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2015 ÍNDICE Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. Ações Educação e Formação 2 Ação Social 3 Gestão Participada e Finanças 4 Saúde 5 Desporto 5 Juventude 6 Cultura 6 Turismo

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 06 DE AGOSTO DE 2008 ORDEM DO DIA

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 06 DE AGOSTO DE 2008 ORDEM DO DIA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 06 DE AGOSTO DE 2008 ORDEM DO DIA A Câmara deliberou, por unanimidade, justificar a falta dos Vereadores Senhores Dr. José Polido, Alberto

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO A Lei 159/99, de 14 de Setembro, estabelece no seu artigo 19, nº2., alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os Conselhos Locais de Educação.

Leia mais

MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 2014 Nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro

MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 2014 Nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 204 Nos termos da Lei n.º 2-A/2008, de 27 de Fevereiro SECÇÃO DE APOIO E DE COORDENAÇÃO GERAL (Capitulo III do Regulamento da Organização dos Serviços)

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Diário da República, 1.ª série N.º 30 10 de fevereiro de 2012 661 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 6/2012 de 10 de fevereiro Primeira alteração à Lei n.º 8/2009, de 18 de Fevereiro, que cria o regime jurídico

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOCHETE REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL

CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOCHETE REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOCHETE REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Denominação, Sede e Âmbito 1. O Conselho Local de Acção Social do Concelho de

Leia mais

MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA CÂMARA MUNICIPAL REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIDIGUEIRA

MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA CÂMARA MUNICIPAL REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIDIGUEIRA REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIDIGUEIRA A Lei nº.159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19º, n.º. 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 O Decreto-Lei n.º 7/2003, de 15 de Janeiro, tem por objecto os Conselhos Municipais de Educação, regulando as suas competências e composição,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL

CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL João Teresa Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal do Crato, em cumprimento do disposto no artigo 91.º da Lei n.º 169/99 de 18 de setembro, torna público que na 27.ª reunião

Leia mais

Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão. Preâmbulo

Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão. Preâmbulo REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO FUNDÃO Publicação II SÉRIE N.º 98 20 de Maio de 2010 Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão Preâmbulo A Lei de Bases do Sistema Educativo

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIEIRA DO MINHO REGIMENTO INTERNO A lei nº 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo19º, nº 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos

Leia mais

Fls. 1. Departamento de Administração Geral tel.: 351 + 253 + 51 51 23 / 33 fax: 351 + 253 + 51 51 34 e-mail: camaraguimaraes@mail.telepac.

Fls. 1. Departamento de Administração Geral tel.: 351 + 253 + 51 51 23 / 33 fax: 351 + 253 + 51 51 34 e-mail: camaraguimaraes@mail.telepac. Fls. 1 EDITAL ANTÓNIO MAGALHÃES, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE GUIMARÃES, FAZ SABER, em cumprimento do disposto no art.º 91º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada e republicada pela Lei 5-A/2002,

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

Normas para as Matrículas das Crianças da Educação Pré-escolar e dos Alunos dos Ensinos Básico e Secundário

Normas para as Matrículas das Crianças da Educação Pré-escolar e dos Alunos dos Ensinos Básico e Secundário Índice Legislação Geral 1 Legislação Acção Social e Seguro Escolar 2 Alargamento da Rede de Edcação pré-escolar 2 Educação Especial 3 Inclusão e Sucesso Educativo 4 Notícias 5 Encerramento do Ano Lectivo

Leia mais

Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR

Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR Aprovado pela Câmara em 6/02/2003, alterado em Reunião de Câmara de 18/09/2003 Aprovado pela Assembleia Municipal em

Leia mais

1. CARACTERIZAÇÃO DA ENTIDADE. 1.1 Identificação

1. CARACTERIZAÇÃO DA ENTIDADE. 1.1 Identificação 1. CARACTERIZAÇÃO DA ENTIDADE 1.1 Identificação Espinho é uma cidade situada no distrito de Aveiro, região Norte e subregião do Grande Porto. Segundo os censos de 2001, o concelho tem uma população residente

Leia mais

Ação Social e Inclusão

Ação Social e Inclusão Ação Social e Inclusão Ação Social O campo de actuação da Ação Social compreende, em primeira instância, a promoção do bem estar e qualidade de vida da população e a promoção duma sociedade coesa e inclusiva,

Leia mais

Estrutura Orgânica dos Serviços do Município de Paredes de Coura

Estrutura Orgânica dos Serviços do Município de Paredes de Coura Estrutura Orgânica dos Serviços do Município de Paredes de Coura Nos termos do disposto na alínea a) do artigo 7.º e no n.º 3 do artigo 10.º do Decretolei n.º 305/2009, de 23 de Outubro e dentro dos limites

Leia mais

- CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE LAGOS - PREÂMBULO

- CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE LAGOS - PREÂMBULO PREÂMBULO A Lei de Bases do Sistema Educativo (Lei nº 46/86 de 14 de Outubro) consagrou a interacção com a comunidade educativa local como um pilar fundamental da política educativa. Por essa razão o nº

Leia mais

Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005. Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005

Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005. Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005 Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005 Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005 Senhor Presidente da ALRAA Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente do Governo

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES GOVERNO REGIONAL PROPOSTA DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES GOVERNO REGIONAL PROPOSTA DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR PROPOSTA DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR As modalidades de acção social escolar de que beneficiam os alunos da Região Autónoma dos Açores

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga A lei de bases do sistema educativo assume que o sistema educativo se organiza de forma a descentralizar, desconcentrar e diversificar as estruturas

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA NOTA JUSTIFICATIVA Em conformidade com os poderes regulamentares que lhes são atribuídos pelos artigos 112º n.º 8 e 241º da Lei Constitucional, devem os Municípios aprovar os respectivos regulamentos municipais,

Leia mais

para melhorar a escola pública

para melhorar a escola pública Educação 2006 50 Medidas de Política para melhorar a escola pública 9 medidas para qualificar e integrar o 1.º ciclo do ensino básico O documento apresenta o conjunto das medidas e acções lançadas, em

Leia mais

DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS

DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS (Nos termos do nº3 do artº 92º do Decreto-Lei nº 169/99, de 18/09) --------- Reunião de 2 de Novembro de 2004 ------- ----6ª ALTERAÇÃO AO ORÇAMENTO

Leia mais

Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade 16 17 18 19 20 21 22

Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade 16 17 18 19 20 21 22 Câmara Municipal: Cidade SANTARÉM Santarém Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade 16 17 18 19 20 21 22 Área da cidade 29 Km 2 População total 28 760 hab. Dimensão da ZSTA 650

Leia mais

ACTA DA REU IÃO ORDI ÁRIA DA CÂMARA MU ICIPAL DE TRA COSO REALIZADA EM 8 DE OVEMBRO DE 2011.

ACTA DA REU IÃO ORDI ÁRIA DA CÂMARA MU ICIPAL DE TRA COSO REALIZADA EM 8 DE OVEMBRO DE 2011. ACTA DA REU IÃO ORDI ÁRIA DA CÂMARA MU ICIPAL DE TRA COSO REALIZADA EM 8 DE OVEMBRO DE 2011. *A1* Aos 8 dias do mês de Novembro do ano 2011, nesta Cidade de Trancoso e sala das sessões dos Paços do Município,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE. (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001)

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE. (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001) REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001) REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE (Aprovado na 23ª Reunião

Leia mais

ORÇAMENTO E GRANDES OPÇÕES DO PLANO PARA 2015

ORÇAMENTO E GRANDES OPÇÕES DO PLANO PARA 2015 ANÁLISE DO ORÇAMENTO E GRANDE OPÇÕES DO PLANO Para o ano económico de 2015, o Município perspetiva um orçamento global 26.954.700, o que representa um aumento de 8,6% relativamente ao ano transacto. Este

Leia mais

PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO

PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO CONSIDERANDO QUE: PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO A simplificação administrativa e a administração electrónica são hoje reconhecidas como instrumentos fundamentais para a melhoria da competitividade e da

Leia mais

Regulamento do Conselho Municipal de Juventude. de S. João da Madeira. Artigo 1º. Definição. Artigo 2º. Objecto. Artigo 3º.

Regulamento do Conselho Municipal de Juventude. de S. João da Madeira. Artigo 1º. Definição. Artigo 2º. Objecto. Artigo 3º. Regulamento do Conselho Municipal de Juventude de S. João da Madeira Artigo 1º Definição O Conselho Municipal de Juventude é o órgão consultivo do município sobre matérias relacionadas com a política de

Leia mais

Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira

Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira REGULAMENTO INTERNO INTRODUÇÃO A rede social é uma plataforma de articulação de diferentes parceiros públicos e privados que tem por objectivos combater

Leia mais

------------------------------ACTA NÚMERO UM ------------------------------

------------------------------ACTA NÚMERO UM ------------------------------ ------------------------------ACTA NÚMERO UM ------------------------------ ------- Aos vinte e seis dias do mês de Junho de dois mil e três, pelas quinze horas, reuniram-se no Centro Cultural de Pombal,

Leia mais

para um novo ano lectivo

para um novo ano lectivo Ano Lectivo 2008/09 20 medidas de política para um novo ano lectivo Este documento apresenta algumas medidas para 2008/09: Apoios para as famílias e para os alunos Modernização das escolas Plano Tecnológico

Leia mais

Conselho Municipal de Educação de Santa Marta de Penaguião Projecto de Regimento

Conselho Municipal de Educação de Santa Marta de Penaguião Projecto de Regimento Conselho Municipal de Educação de Santa Marta de Penaguião Projecto de Regimento A Lei de Bases do Sistema Educativo assume que o sistema educativo se deve organizar de forma a descentralizar, desconcentrar

Leia mais

Aos dezanove dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços

Aos dezanove dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços ACTA N.º 08/10 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 19 DE ABRIL DE 2010 Aos dezanove dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos

Leia mais

Lei n.º 159/99, de 14 de Setembro. Estabelece o quadro de transferência de atribuições e competências para as autarquias locais CAPÍTULO I

Lei n.º 159/99, de 14 de Setembro. Estabelece o quadro de transferência de atribuições e competências para as autarquias locais CAPÍTULO I Lei n.º 159/99, de 14 de Setembro Estabelece o quadro de transferência de atribuições e competências para as autarquias locais A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º

Leia mais

MUNICÍPIO DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO LUÍS FILIPE SOROMENHO GOMES

MUNICÍPIO DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO LUÍS FILIPE SOROMENHO GOMES MUNICÍPIO DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO LUÍS FILIPE SOROMENHO GOMES, Presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António torna público que, por deliberação tomada em reunião ordinária da Câmara

Leia mais

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo 22 de Fevereiro 2010 Índice Índice PARTE I SÍNTESE DO 2º FÓRUM PARTICIPATIVO (10 minutos) PARTE II SÍNTESE DA ESTRATÉGIA DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA NOTA JUSTIFICATIVA A Lei 159/99, de 14 de Setembro, estabelece no seu artigo 19.º, n.º 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os Conselhos locais de Educação. A Lei 169/99, de 18

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO y Câmara Municipal de Redondo CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO O DL 7/2003, de 15 de Janeiro, que prevê a constituição do Conselho Municipal de Educação, regulou as suas competências

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete A construção de um futuro impõe que se considere fundamental investir na capacitação e formação das pessoas,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ARCOS DE VALDEVEZ MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 06 DE JULHO DE 2009

CÂMARA MUNICIPAL DE ARCOS DE VALDEVEZ MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 06 DE JULHO DE 2009 CÂMARA MUNICIPAL DE ARCOS DE VALDEVEZ MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 06 DE JULHO DE 2009 PRESIDÊNCIA: DR. FRANCISCO RODRIGUES DE ARAÚJO VEREADORES PRESENTES: DR. JOÃO MANUEL DO AMARAL ESTEVES

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr. JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006 Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.ª Guadalupe Tel. e Fax: 266 781 165 Tel.: 266 747 916 email: jfguadalupe@mail.evora.net

Leia mais

Acta da reunião ordinária da Câmara Municipal do Concelho de Vila Velha de Ródão levada a efeito em treze de Outubro de dois mil e dez.

Acta da reunião ordinária da Câmara Municipal do Concelho de Vila Velha de Ródão levada a efeito em treze de Outubro de dois mil e dez. 127 Acta da reunião ordinária da Câmara Municipal do Concelho de Vila Velha de Ródão levada a efeito em treze de Outubro de dois mil e dez. Acta º22 A os treze dias do mês de Outubro de dois mil e dez,

Leia mais

ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE, REALIZADA NO DIA 16 DE JANEIRO DE DOIS MIL E QUINZE

ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE, REALIZADA NO DIA 16 DE JANEIRO DE DOIS MIL E QUINZE 16-01-2015 1 Acta número um ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE, REALIZADA NO DIA 16 DE JANEIRO DE DOIS MIL E QUINZE Aos dezasseis dias do mês de Janeiro do ano dois mil e quinze,

Leia mais

Regulamento do Conselho Municipal de Juventude de Vendas Novas. Preâmbulo

Regulamento do Conselho Municipal de Juventude de Vendas Novas. Preâmbulo Regulamento do Conselho Municipal de Juventude de Vendas Novas Preâmbulo Enquanto autarquia local, a Câmara Municipal deve promover a participação dos seus munícipes nas decisões relativas ao destino do

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 Versão Preliminar Este relatório tem por objectivo da conta do que de mais relevante foi realizado no cumprimento

Leia mais

1.ª REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 22 DE OUTUBRO DE 2013

1.ª REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 22 DE OUTUBRO DE 2013 1.ª REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 22 DE OUTUBRO DE 2013 A Câmara reconhecendo a urgência de deliberação deliberou, por unanimidade, apreciar o seguinte assunto não incluído na

Leia mais

O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende

O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende SEMINÁRIO: QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO ÃO Porto, 3 e 4 de Novembro de 2005 O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende Carla Dias carla.dias@cm-esposende.pt

Leia mais

ANEXO I (À Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais 2012) DESCONTOS A APLICAR AOS VALORES DA TABELA DE PREÇOS E OUTRAS RECEITAS MUNICIPAIS

ANEXO I (À Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais 2012) DESCONTOS A APLICAR AOS VALORES DA TABELA DE PREÇOS E OUTRAS RECEITAS MUNICIPAIS ANEXO I (À Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais 2012) DESCONTOS A APLICAR AOS VALORES DA TABELA DE PREÇOS E OUTRAS RECEITAS MUNICIPAIS Aos preços da Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais

Leia mais

LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL)

LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL) LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL) Com as alterações introduzidas pelas seguintes leis: Lei n.º 80/98, de 24 de Novembro; Lei n.º 128/99, de 20 de Agosto; Lei n.º 12/2003,

Leia mais

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO PREÂMBULO O projecto Estarreja COMpartilha surge da necessidade que se tem verificado, na sociedade actual, da falta de actividades e práticas de cidadania. Traduz-se numa relação solidária para com o

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE VISEU

CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE VISEU CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE VISEU PROPOSTA DE REGULAMENTO 1 Preâmbulo Uma sociedade que quer preparar o futuro tem que criar condições para se proporcionar aos jovens o acesso a uma formação educativa,

Leia mais

Regulamento Interno PREÂMBULO

Regulamento Interno PREÂMBULO Regulamento Interno PREÂMBULO O Município de Beja enquanto promotor local de políticas de protecção social, desempenha um papel preponderante na elaboração de estratégias de desenvolvimento social e na

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL

CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL João Teresa Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal do Crato, em cumprimento do disposto no artigo 91.º da Lei n.º 169/99 de 18 de setembro, torna público que na 16.ª reunião

Leia mais

MAPA DE PESSOAL. Gabinete de Apoio ao Presidente. Gabinete de Fiscalização Sanitária

MAPA DE PESSOAL. Gabinete de Apoio ao Presidente. Gabinete de Fiscalização Sanitária Preenchidos A preencher Preenchidos Gabinete de Apoio ao Presidente Coordenar e executar todas as atividades inerentes à assessoria, secretariados, protocolos da Presidência e assegurar a interligação

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTARÉM. Preâmbulo

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTARÉM. Preâmbulo REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTARÉM Preâmbulo A Lei n.º 159/99, de 14 de Setembro estabelece, no seu artigo 19.º, n.º 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2009

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2009 GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2009 1. Análise do Plano Plurianual de Investimentos (PPI) O plano plurianual de investimentos para 2009 tem subjacente um planeamento financeiro que perspectiva a execução dos

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE ODEMIRA

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE ODEMIRA CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE ODEMIRA REGULAMENTO INTERNO PREÂMBULO A REDE SOCIAL criada pela resolução do Conselho de Ministros nº197/97 de 18 de Novembro e implementada ao abrigo do Programa

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE Proposta de Regulamento do Serviço Municipal de Protecção Civil do Concelho da Ribeira Grande Preâmbulo Atendendo que: A Protecção Civil é, nos termos da Lei de Bases

Leia mais

EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério da Educação. ASSSSUNTTO Estatuto do ensino particular e cooperativo DATTA 1980-11-21

EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério da Educação. ASSSSUNTTO Estatuto do ensino particular e cooperativo DATTA 1980-11-21 DIÁRIOS DA REPUBLLI ICA DEESSI IGNAÇÇÃO: : EEDUCCAÇÇÃO e Ciência ASSSSUNTTO Estatuto do ensino particular e cooperativo IDEENTTI I IFFI ICCAÇÇÃO Decreto lei nº 553/80 DATTA 1980-11-21 EEMI ITTI IDO PPOR:

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO Reunião de Câmara: Reunião da Assembleia: Entrada em vigor: CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Lei Habilitante O presente

Leia mais

Execução Anual das Grandes Opções do Plano

Execução Anual das Grandes Opções do Plano das Grandes Opções do Plano 01 EDUCAÇÃO 01 01 EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E ENSINO BÁSICO 01 01 /1 Infraestruturas de Ano Anos seguintes Anos Anteriores Ano 01 01 /1 1 Centro Escolar de Caria 0102 07010305 E

Leia mais

Benefícios Fiscais. Incentivos em regime contratual

Benefícios Fiscais. Incentivos em regime contratual Benefícios Fiscais O Estatuto dos Benefícios Fiscais consagra um conjunto de medidas de isenção e redução da carga fiscal para diversos tipos de projectos e investimentos. Os incentivos e benefícios fiscais

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Há escolhas no bairro-e5g Programa Escolhas Promotor: Mediar - Associação Nacional de Mediação Sócio-Cultural 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto

Leia mais

1º - PONTO CRIAÇÃO DE EMPRESA INTERMUNICIPAL DE CAPITAIS PÚBLICOS PARA O ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO

1º - PONTO CRIAÇÃO DE EMPRESA INTERMUNICIPAL DE CAPITAIS PÚBLICOS PARA O ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO 13ª - 19/06/2006 ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE MONTEMOR-O-NOVO REALIZA- DA NO DIA DEZANOVE E DOIS DE JUNHO DE DOIS MIL E SEIS Aos dezanove dias do mês de Junho do ano dois mil e

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 07 DE JANEIRO DE 2015 ORDEM DO DIA

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 07 DE JANEIRO DE 2015 ORDEM DO DIA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 07 DE JANEIRO DE 2015 ORDEM DO DIA ASSUNTOS APRECIADOS AO ABRIGO DO N.º 2 DO ART. 50.º DA LEI N.º 75/2013, DE 12 DE SETEMBRO: 1. Empréstimo

Leia mais

ANEXO I. FICHAS DE CARACTERIZAÇÃO DAS MEDIDAS 3.1. e 3.2. - EIXO 3 DO PRORURAL versão 7

ANEXO I. FICHAS DE CARACTERIZAÇÃO DAS MEDIDAS 3.1. e 3.2. - EIXO 3 DO PRORURAL versão 7 3.1.1. Diversificação de Actividades Não-Agrícolas na Exploração Descrição Apoio a iniciativas empresariais promotoras do saber fazer tradicional Apoio a actividades lúdicas de carácter inovador nas explorações

Leia mais

ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS

ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS Novembro de 2010 CÂMARA MUNICIPAL DE ESPOSENDE ESPOSENDE AMBIENTE, EEM OBJECTIVOS DE COMBATE ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Até ao ano de 2020, Aumentar em 20% a eficiência energética

Leia mais

-------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de

-------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de -------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, em reunião ordinária para apreciação e deliberação

Leia mais

Decreto-Lei n.º 144/2008 de 28 de Julho

Decreto-Lei n.º 144/2008 de 28 de Julho Decreto-Lei n.º 144/2008 de 28 de Julho O Programa do XVII Governo prevê o lançamento de uma nova geração de políticas locais e de políticas sociais de proximidade, assentes em passos decisivos e estruturados

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA JUVENTUDE. Município de Soure

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA JUVENTUDE. Município de Soure REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA JUVENTUDE Município de Soure 2014 1 Nota justificativa É hoje inquestionável a transversalidade das políticas públicas dirigidas à juventude. São inegáveis as vantagens

Leia mais

Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia

Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia Conselho de Ministros Decreto Lei n.º 15/99 De 8 de Outubro Considerando que a política científica tecnológica do Governo propende para uma intervenção

Leia mais

Regulamento para atribuição do Cartão Municipal do Idoso na área do Município de Lagoa Açores

Regulamento para atribuição do Cartão Municipal do Idoso na área do Município de Lagoa Açores Regulamento para atribuição do Cartão Municipal do Idoso na área do Município de Lagoa Açores Preâmbulo Aos Municípios incumbem, em geral, prosseguir os interesses próprios, comuns e específicos das populações

Leia mais

Freguesia de Tabuadelo e São Faustino. Concelho de Guimarães

Freguesia de Tabuadelo e São Faustino. Concelho de Guimarães Freguesia de Tabuadelo e São Faustino Concelho de Guimarães Relatório de Gerência de Contas e Relatório de Actividades Ano de 2013 Índice: Introdução:... 3 Analise Económica e Financeira... 5 Execução

Leia mais

Apresentação Requisitos O Processo Localização Recursos Humanos Legislação Investimento Inicial Prestações mensais

Apresentação Requisitos O Processo Localização Recursos Humanos Legislação Investimento Inicial Prestações mensais Apresentação Requisitos O Processo Localização Recursos Humanos Legislação Investimento Inicial Prestações mensais Para criar este negócio vai precisar de em primeiro lugar criar a sua própria empresa

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÂO SOCIAL DE TORRE DE MONCORVO INTRODUÇÃO

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÂO SOCIAL DE TORRE DE MONCORVO INTRODUÇÃO REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÂO SOCIAL DE TORRE DE MONCORVO INTRODUÇÃO Sendo hoje consensual que os fenómenos da pobreza e exclusão social são consequência de vários factores e que, tocam

Leia mais

VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA

VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA Setembro 2014 VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA O lançamento de um programa pedagógico e de desenvolvimento educativo de crianças e jovens, partilhado por todos os agentes do sistema escolar e educativo local,

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MONTIJO (CMEM) PERÍODO 2013-2017

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MONTIJO (CMEM) PERÍODO 2013-2017 REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MONTIJO (CMEM) PERÍODO 2013-2017 Aprovado em reunião do CMEM realizada em 9 de abril de 2014 Artigo 1º Noção e Objetivos O Conselho Municipal de Educação,

Leia mais

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo Cecília Branco Programa Urbal Red 9 Projecto Orçamento Participativo Reunião de Diadema Fevereiro 2007 A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento Participativo Município

Leia mais

Conselho Municipal de Educação

Conselho Municipal de Educação 1 Regimento do (CME) do Município de Vila Nova de Paiva A Lei 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19, n.º2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos locais

Leia mais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO VODAFONE PORTUGAL. CAPÍTULO I Disposições Gerais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO VODAFONE PORTUGAL. CAPÍTULO I Disposições Gerais ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO VODAFONE PORTUGAL CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO PRIMEIRO (Natureza) A Fundação Vodafone Portugal, adiante designada abreviadamente por Fundação, é uma instituição de direito

Leia mais

Medidas intersectoriais 2010/11

Medidas intersectoriais 2010/11 Medidas intersectoriais 2010/11 IS01 BALCÃO DO EMPREENDEDOR DISPONIBILIZAÇÃO DE SERVIÇOS Objectivos: Inventariar, introduzir e manter permanentemente actualizados no Balcão do Empreendedor vários serviços,

Leia mais

Decreto-Lei n.º 168/2007, de 3 de Maio, Aprova a orgânica do Instituto Português da Juventude, I. P (JusNet 1078/2007)

Decreto-Lei n.º 168/2007, de 3 de Maio, Aprova a orgânica do Instituto Português da Juventude, I. P (JusNet 1078/2007) LEGISLAÇÃO Decreto-Lei n.º 168/2007, de 3 de Maio, Aprova a orgânica do Instituto Português da Juventude, I. P (JusNet 1078/2007) ( DR N.º 85, Série I 3 Maio 2007 3 Maio 2007 ) Emissor: Presidência do

Leia mais

SANTA CRUZ FREGUESIA EM MOVIMENTO

SANTA CRUZ FREGUESIA EM MOVIMENTO Boletim Informativo Concelho da Praia da Vitória SANTA CRUZ FREGUESIA EM MOVIMENTO Edição do Município da Praia da Vitória em colaboração com a Junta de Freguesia de Santa Cruz agosto 2013 ROBERTO MONTEIRO

Leia mais

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor:

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: - Conselho Municipal de Educação de Vila Real - Proposta de Regulamento ---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: A Lei de Bases do Sistema Educativo

Leia mais

RESUMO DA CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA DE 01 DE OUTUBRO DE 2012 A 03 DE DEZEMBRO 2012

RESUMO DA CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA DE 01 DE OUTUBRO DE 2012 A 03 DE DEZEMBRO 2012 RESUMO DA CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA DE 01 DE OUTUBRO DE 2012 A 03 DE DEZEMBRO 2012 ENTIDADE Monte Real Região de Região de Chainça Barosa DESPACHO DO SR. ASSUNTO PRESIDENTE Envia parecer da Assembleia de

Leia mais

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às Câmara Municipal da Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural Divisão de Intervenção Social Plano Municipal contra a Violência Rede Integrada de Intervenção para a Violência na Outubro de

Leia mais

ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE TORRE DE MONCORVO REALIZADA NO DIA QUATRO DE OUTUBRO DO ANO DE DOIS MIL E TREZE

ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE TORRE DE MONCORVO REALIZADA NO DIA QUATRO DE OUTUBRO DO ANO DE DOIS MIL E TREZE ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE TORRE DE MONCORVO REALIZADA NO DIA QUATRO DE OUTUBRO DO ANO DE DOIS MIL E TREZE ------ Aos quatro dias do mês de Outubro do ano de dois mil e treze, nesta

Leia mais

CÂMARAMUNICIPALDEAVEIRO PROPOSTA N',...3..12013

CÂMARAMUNICIPALDEAVEIRO PROPOSTA N',...3..12013 CÂMARAMUNICIPALDEAVEIRO PROPOSTA N',...3..12013 TíTULO: Contrato programa entre o Município de Aveiro e a EMA - Estádio Municipal de Aveiro, E.E.M. Considerando: CONSIDERANDO QUE: 1- No passado dia 7/2/2013

Leia mais