Normas e Orientações para MONOGRAFIA DE CONCLUSÃO DE CURSO (MCC): Curso de MBA em Moda

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Normas e Orientações para MONOGRAFIA DE CONCLUSÃO DE CURSO (MCC): Curso de MBA em Moda"

Transcrição

1 Normas e Orientações para MONOGRAFIA DE CONCLUSÃO DE CURSO (MCC): Curso de MBA em Moda NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DA MONOGRAFIA DE CONCLUSÃO DE CURSO (MCC) 1 MBA EM MODA I - DEFINIÇÃO A MONOGRAFIA DE CONCLUSÃO DE CURSO (MCC) é a proposta de desenvolvimento de atividades que deverão acontecer extra classe promovendo a integração entre os conhecimentos transmitidos nas diversas disciplinas bem como a relação entre a teoria e a prática, além de introduzir o aluno à linguagem e à prática científica. Os benefícios vão além de mera prática ou aprendizagem da teoria, promovendo o reconhecimento de técnicas, habilidades e desenvoltura que remetem o aluno ao exercício do discernimento intelectual, em uma visão mais coerente de um mercado

2 2 amplo, diferenciado, competitivo e com rápidas mudanças de cenários. Propõe também uma reflexão com a ciência e com os campos profissionais, trabalhando a ética em seus respectivos meios, além de promover a ação, o comprometimento e a conduta pessoal necessária no trabalho em equipe. II OBJETIVO GERAL Iniciar a MCC, ou seja, a elaboração do projeto a ser submetido para a conclusão da pós graduação Lato Sensu MBA em Moda. III OBJETIVOS ESPECÍFICOS Auxiliar o aluno no desenvolvimento de pesquisas e incentivar a Iniciação Científica. Estimular a experiência profissional e a integração entre teoria e prática na área de gestão em Moda. Despertar no aluno a importância das disciplinas de especialização profissional e fundamentação, na construção de uma visão multidisciplinar. Integrar diversas disciplinas entre si e estabelecer relações com a área de Moda. Estimular a autonomia no aluno para que possa empreender, criar e inovar no mercado onde vai atuar. Promover o trabalho em equipe. Identificar alunos, habilidades e competências de forma a indicar possíveis trabalhos e alunos para Iniciação Científica. IV REGRAS GERAIS No Curso de MBA em Moda: A MCC será elaborada no terceiro semestre, findas as disciplinas previstas no curso. Deverá ser desenvolvido em grupos de 02 até 04 participantes. Os trabalhos serão acompanhados por professor-orientador membro do corpo docente do curso. Será estabelecido um cronograma de atividades pertinentes ao desenvolvimento da MCC. 1 Adaptado dos regulamentos produzidos para os demais cursos de MBA da Universidade Anhembi Morumbi, aos quais foram acrescidas normas técnicas revisadas pelo prof. Marcelo Martins.

3 3 Os trabalhos deverão obedecer ao rigor científico, tanto na sua forma como no seu conteúdo, de maneira a atender à qualidade mínima estabelecida pela Diretoria de Educação Continuada. CARACTERÍSTICAS; Para o desenvolvimento da MONOGRAFIA DE CONCLUSÃO DE CURSO (MCC) do MBA em Moda o aluno poderá optar por uma das seguintes alternativas: a) ESTUDO TEMÁTICO Estudo de tema ou questão específica mediante o apoio de bibliografia recomendada, demonstrando sua relação com uma realidade organizacional, incluindo-se aqui a metodologia de estudo de caso. O tema para a MCC poderá ser escolhido de acordo com o interesse do aluno, desde que contemple área de estudos relacionada ao MBA em Moda. Consistirá de um aprofundamento teórico no assunto, contrapondo diversos autores e abordagens, tecendo discussão e análise pertinentes ao tema/modelo pesquisado. Atividades a serem desenvolvidas no ESTUDO TEMÁTICO: Formação de grupos (até 04 alunos). Determinação da área temática. Determinação de problema, e objetivos geral e específicos - do trabalho. Metodologia proposta para o trabalho. Revisão bibliográfica (identificação da bibliografia básica para o desenvolvimento teórico do trabalho). Desenvolvimento da introdução do pré-projeto. Redação do(s) capítulo(s) referente(s) à revisão bibliográfica/caracterização do tema, tecendo discussão e contrapondo os autores. Indicação das empresas e/ou produtos a serem pesquisados. Delimitação do problema da pesquisa. Estabelecimento de cronograma de trabalho Apresentação oral do trabalho desenvolvido (qualificação do pré-projeto) b) PLANO DE NEGÓCIOS

4 4 O grupo deverá desenvolver um plano de negócios fundamentado que demonstre a transformação de uma idéia em empreendimento. O plano deverá conter: contextualização do empreendimento e produto, análise do mercado, custo, idéia inicial de plano de investimento e retorno, posicionamento da marca. Atividades a serem desenvolvidas no PLANO DE NEGÓCIOS: Formação de grupos (até 4 alunos). Determinação de problema e objetivos geral e específicos - do trabalho. Metodologia proposta para o trabalho. Desenvolvimento da introdução do pré-projeto. Caracterização do negócio Cronograma do trabalho O grupo deverá demonstrar a idéia do negócio, incluindo o plano de marketing e detalhando o produto/serviço e noção geral sobre a viabilidade do investimento. c) PLANO DE MARKETING O grupo deverá definir o mercado da empresa em estudo e detalhar quem são os clientes, onde estão e quantos são (público-alvo, dados demográficos e tendências); por que motivo se interessariam pelos produtos e/ou serviços ofertados; como seria a comunicação com os clientes (especificando atividades promocionais e publicitárias), qual a margem de vendas e o preço, qual o canal de distribuição e a logística empregada, como deve ser o visual merchandising da marca (especificando a ambientação do ponto de venda). Deve ainda apresentar a análise da concorrência, bem como ameaças e oportunidades ao negócio. Atividades a serem desenvolvidas no PLANO DE MARKETING: Formação de grupos (até 4 alunos). Determinação de problema e objetivos geral e específicos - do trabalho. Metodologia proposta para o trabalho. Desenvolvimento da introdução do pré-projeto. Caracterização do negócio Cronograma do trabalho

5 5 Desenvolvimento de análise ambiental, objetivos quantitativos e qualitativos, estratégia de marketing (mercado a ser atingido, posicionamento, marketing mix), plano de ação (atividades a serem desenvolvidas, responsáveis, prazo de execução e custo) e controle de estratégias (desenvolvimento de indicadores para controle de resultados a partir da implementação das estratégias previstas). VI - ORIENTAÇÃO À REALIZAÇÃO DA MCC Os horários para orientação serão estabelecidos de comum acordo com entre os alunos que compõem cada grupo e o orientador. Naturalmente, nada impede que o aluno procure auxílio com seus professores para a realização da MCC. Sobre as orientações Eventualmente qualquer docente do curso pode orientar o trabalho desde que seja solicitado e indicado pelo Coordenador. As horas de orientação devem ser agendadas e serão realizadas através de troca de s e encontros na sala de Chat ou encontros presenciais combinados entre as partes, que deverão ocorrer quinzenalmente, desde que o aluno apresente ao professor orientador o desenvolvimento escrito da etapa da pesquisa solicitada por este com antecedência mínima de uma semana. Essa exigência tem por objetivo oportunizar que o professor orientador possa ler e comentar o trabalho realizado adequadamente durante o encontro. O tempo mínimo de atendimento a cada sessão de orientação é de 30 minutos. a. No terceiro semestre do curso, as orientações serão agendadas em até 15 dias após a data de início das aulas. O aluno terá orientações exclusivamente durante o período que compreende o terceiro semestre do curso. Qualquer orientação adicional fora desse prazo deverá ser combinada entre aluno e orientador, sendo responsabilidade individual de ambos, não cabendo à Coordenação de Curso ou mesmo à Universidade Anhembi Morumbi intermediar procedimento dessa natureza fora do calendário escolar. b. Durante as sessões de orientação organizadas como parte do calendário do terceiro semestre o docente registrará em fichas de orientação as principais recomendações ao aluno ou ao grupo. Anotará também o tempo de duração da sessão. As fichas de orientação serão arquivadas em uma pasta que permanecerá na sala da Coordenação Acadêmica e servirão para manter os docentes informados sobre o andamento da MCC.

6 6 c. Cabe aos alunos a responsabilidade pelo agendamento das orientações. A Coordenação disponibilizará horários fixos previamente agendados para atendimento através da sala de chat. A orientação técnica e metodológica dos trabalhos é de responsabilidade conjunta do Coordenador e dos professores do Curso que tomarem para si a responsabilidade de atuarem como orientadores. d. Caberá ao professor orientador a função de Presidente da Banca Examinadora, devendo ele: abrir os trabalhos e apresentar os componentes da Banca Examinadora; coordenar os debates após apresentação do trabalho pelo aluno; reunir-se com os membros da Banca Examinadora, logo após a apresentação, para proceder à avaliação final; comunicar imediatamente a avaliação final aos alunos, registrando em Ata. Sobre os prazos de entrega, formato e avaliação da MCC O prazo para entrega da MCC encerra-se sempre nos meses de agosto ou fevereiro subseqüentes ao término do prazo de um ano e meio de curso, conforme o aluno tenha realizado o terceiro semestre de março a junho ou de agosto a novembro. Isso permitirá ao aluno obter seu Certificado de Conclusão de Curso em até dois anos da data de sua matrícula na Instituição. As datas da entrega são basicamente as seguintes: de 10 a 20 de agosto, para defesa em setembro/outubro; de 10 a 20 de fevereiro, para defesa em março/abril. Caso o aluno tenha necessidade de cursar dependência em qualquer disciplina do curso, a versão final de sua MCC deverá ser entregue, em quatro vias, após o término do período da última disciplina de todos os alunos do grupo. Ao final da elaboração da MCC, no prazo estipulado pela Coordenação, o grupo deve entregar uma versão escrita, em quatro cópias 2, bem como proceder a uma defesa pública para a Conclusão do Curso e a conseqüente certificação dos cursos de Pósgraduação da UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI. Todas as cópias devem ser encadernadas em capa dura. A versão final será avaliada por uma banca composta por no mínimo dois docentes (da própria Universidade ou convidados de outras Universidades) além da Coordenação do 2 As cópias serão distribuídas do seguinte modo: para os professores que participaram das argüições, para a Coordenação do Curso e para a Biblioteca da Universidade.

7 7 Curso. A decisão sobre a composição da banca cabe à Coordenação Acadêmica dos cursos de Pós-graduação, ouvidas as sugestões dos alunos. Os critérios de avaliação da versão final constam da "Ficha de Avaliação de MCC" no final deste item. As notas obtidas na versão final escrita irão variar de 0,0 a 8,0. Eventualmente, após a defesa, os professores podem acordar que partes da monografia devam ser refeitas, e os alunos terão um prazo sem outra defesa para apresentar o novo volume com quatro cópias que serão entregues à Coordenação do Curso e, após sua avaliação junto aos demais professores da banca, que receberão suas respectivas vias do trabalho refeito, depositado na Biblioteca da Universidade. a. As apresentações públicas são obrigatórias aos alunos que desejarem obter o Certificado de Conclusão do Curso. Ocorrerão cerca de aproximadamente três semanas após a entrega da versão final da MCC. Elas têm duração estimada de uma hora, distribuída do seguinte modo: 20 minutos para a apresentação da MCC, 15 minutos para cada uma das argüições e 10 minutos para as considerações finais/respostas dos candidatos. Espera-se que todos os membros da equipe participem da exposição. As notas das apresentações públicas irão variar de 0,0 a 2,0 para compor a nota final da MCC vide Ficha de Avaliação da MCC. Cada membro da Banca Examinadora avaliará o trabalho parte escrita e apresentação oral emitindo seu parecer e atribuindo nota. A média do aluno será a ponderação das notas. A nota final mínima para aprovação na MCC é 7,0 (sete). Em qualquer etapa do trabalho caso o mesmo seja caracterizado como plágio, total ou parcial, fica(m) o(s) aluno(s) reprovado(s), implicando também em outras sanções, previstas por lei. b. Os alunos ou grupos que não entregarem os trabalhos nos prazos estipulados deverão solicitar uma prorrogação de prazo à Secretaria da Pós-graduação. Sendo aceita pela Coordenação Acadêmica, a entrega da MCC e as apresentações públicas ocorrerão juntamente com a turma seguinte a se formar, ou em datas específicas definidas pela Coordenação. c. Quando uma MCC obtiver nota final da versão escrita e apresentação pública inferior a 7,0 (sete), deverá ser refeito. Nesses casos o aluno ou grupo deverá apresentar uma versão revisada da MCC em 90 dias a contar da data da apresentação pública. Quatro vias desta versão revisada deverão ser entregues. A nota da versão reprovada será

8 8 descartada e os mesmos membros da banca examinadora, se possível, farão a avaliação da versão revisada da MCC sem a necessidade de uma nova apresentação pública. d. As médias iguais ou superiores a 7,0 (sete) são consideradas satisfatórias para efeito de aprovação. As notas das MCC estarão disponíveis aos alunos na Secretaria Acadêmica em, no máximo, duas semanas após as apresentações públicas, para efeito de certificados. As quatro vias entregues pelo aluno ou grupo não serão devolvidas, pois serão encaminhadas aos professores e à biblioteca da UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI. Os comentários e observações dos docentes serão feitos nas "fichas de avaliação" arquivadas na sala da Coordenação Acadêmica e disponíveis para consultas por parte dos autores da MCC pelo período de seis meses após a conclusão do curso. e. Os alunos ou grupos que obtiverem notas iguais ou superiores a 7,0 (sete) nas versões finais poderão incorporar eventuais sugestões da banca examinadora a fim de aprimorar a versão final da MCC. Nesse caso, quatro vias da versão revisada deverão ser entregues, a qualquer momento, à Coordenação Acadêmica que substituirá a versão anterior disponível na biblioteca e com os professores. A entrega desta versão revisada não implica em alteração da nota obtida anteriormente. f. A entrega de quatro vias da versão final e a concordância de que a MCC seja encaminhado à biblioteca da UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI são condições obrigatórias à obtenção do Certificado de Conclusão de Curso. Caso o aluno ou grupo queira "proteger" os direitos autorais de sua MCC sugere-se o registro da Monografia em cartório. A UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI não permite que as MCC sejam fotocopiadas ou retiradas de suas bibliotecas, a não ser com a autorização expressa dos autores. Nesse caso, o verso da capa da Monografia deverá conter a frase "REPRODUÇÃO AUTORIZADA" e a assinatura do(s) autor(es). Ficha de avaliação do Trabalho de Conclusão do Curso MCC UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI

9 9 MBA EM MODA LATO SENSU Coordenação: Nome do(s) aluno(s): Curso e Turma: Título da Monografia: Notas Avaliação da MCC escrita (0 a 8) (0 a 1 ponto por item) a. Apresentação impressa da MCC (Observância das normas mecanográficas e de referências bibliográficas, mapas, fotos, anexos, etc.) b. Coerência entre os componentes da MCC (objetivos, justificativa, metodologia, revisão bibliográfica, resultados da pesquisa primária, conclusões) c. Metodologia (explicação clara sobre como foi desenvolvida a Monografia e as etapas percorridas) d. Qualidade da redação (clareza, objetividade, correção ortográfica, etc.) e. Qualidade da revisão bibliográfica (adequada ao tema, atual, bem explorada etc.) f. Qualidade da pesquisa primária (adequação dos dados coletados, tabulação e análise dos dados etc.) g. Contribuição para o mercado (a proposta da MCC apresenta elevado potencial de ser disseminada e utilizada por profissionais do mercado) h. Contribuição para o campo de conhecimento do curso (se publicada, a MCC servirá de referência para estudantes, profissionais e pesquisadores da área) i. Outros (especificar no verso da folha) j. Nota (soma das notas anteriores) Notas Apresentação pública da MCC (0 a 2) (0 a 2 pelo conjunto de itens) k. Apresentação pública da MCC (apresentação pessoal, clareza da exposição, domínio sobre o tema, qualidade dos materiais utilizados, qualidade das respostas às perguntas dos examinadores, envolvimento do pesquisador, adequação do recorte e respeito ao tempo estipulado para a apresentação etc.) l. nota

10 10 m. nota final (somatória de j e l) Comentários (vide-verso) Data: Professor(a): Assinatura: VII - FORMAÇÃO DE GRUPOS Os grupos de MCC do MBA em Moda terão de 02 a 04 alunos. Não será permitido o intercâmbio de alunos entre os grupos após a definição dos grupos a ser formalizada no terceiro semestre. Cada grupo deverá escolher um dos seus membros para ser o representante junto ao Professor, universidade e empresa objeto do trabalho (se for o caso). VII - PROFESSOR ORIENTADOR Compete ao orientador garantir a qualidade dos trabalhos, tomando ações tendo em vista: Planejar e organizar os apoios à realização dos trabalhos científicos. Acompanhar e avaliar periodicamente o processo de desenvolvimento dos trabalhos. Promover a avaliação dos resultados da MCC no final da cada etapa. Fazer cumprir o cronograma, as normas e regulamentos. Resolver questões referentes à elaboração dos trabalhos. Fazer cumprir o calendário escolar estabelecido pela Reitoria. Agendar a apresentação oral dos trabalhos e as respectivas Bancas Examinadoras IX AVALIAÇÃO Os trabalhos serão avaliados mediante apresentação pública - que deverá ser feita por todos os componentes do grupo - para uma Banca Examinadora constituída, no mínimo, por:

11 11 Orientador Professor Convidado dos alunos (professor que já lecionou à turma) Um professor e/ou profissional convidado pela coordenação do curso, que preferencialmente deverá ser expert na área abrangida pelo trabalho. VI FORMATAÇÃO DO TRABALHO O projeto de pesquisa deverá conter, necessariamente, os seguintes itens: Item Conteúdo Pergunta que deverá ser respondida Tema Recorte do assunto, restringindo o campo da pesquisa a um tema bastante específico. Objetivo A partir de um corpus ou objeto de O que será pesquisado? geral análise, deve-se elencar o alcance teórico e prático pretendido com a pesquisa. Objetivo Pontuam-se os aspectos imprescindíveis Quais os produtos da específico a serem discutidos com a pesquisa, pesquisa? levando em conta a relação teoria-prática (objeto estudado e perspectiva teórica) Justificativa Argumenta-se no sentido de explicitar a Por que realizar esta importância/relevância da pesquisa a ser pesquisa? realizada, marcando sua relação com o quadro teórico e com as coordenadas espácio-temporais em que ela se insere. Metodologia Apontam-se e discutem-se os passos da Como será realizada a pesquisa a ser realizada para que se pesquisa?

12 12 se alcance os objetivos previstos. Além disso, apresenta-se e discute-se a perspectiva teórica embasadora da pesquisa e das análises a serem realizadas. Cronograma Agenda do grupo, que deve levar Quanto tempo e qual a em conta os períodos de aula. organização do tempo necessária para a realização da pesquisa? Referências bibliográficas Seguindo as normas mecanográficas indicar os textos utilizados/citados para a pesquisa (incluem-se todas as fontes: epígrafes, figuras, etc.). A elaboração do projeto Uma vez concluído o projeto da MCC, passa-se à execução da Monografia conforme as atividades definidas na metodologia e discutidas em etapas no cronograma. Nessa fase é natural que sejam acumuladas muitas informações, orais e escritas, e não se saiba exatamente o que fazer com elas. Por isso, a recomendação é que, desde o início, se construa o "esqueleto" da MCC, ou seja, uma orientação, que será obtida pela produção do próprio Projeto de Pesquisa. Nele, serão incluídos todos os itens que farão parte da versão final da Monografia. É importante a elaboração de um Sumário, que, como o projeto em si, é provisório, uma vez que certamente sofrerá alterações até o final da Monografia. O importante é que ele sirva como uma referência para a organização das informações e do material coletados para a produção da Monografia. A versão final Em geral, um trabalho acadêmico apresenta três grandes conjuntos de informações, ou simplesmente partes, que são a introdutória, o do desenvolvimento e a conclusiva. Parte introdutória

13 13 Capa, folha de rosto e folha de aprovação. Ver as instruções no item 3. Dedicatória. A dedicatória é opcional. Deve ser colocada no canto inferior direito da página. Agradecimentos. Os agradecimentos também são opcionais. Devem ser sintéticos, restringindo-se às pessoas e instituições que efetivamente colaboraram para a realização da Monografia. Epígrafe (de abertura da MCC). Citação de abertura para a MCC. Ela pode figurar também no início dos capítulos, sendo que sua fonte será mencionada nas referências bibliográficas. Sumário. É nele que se apresentam os capítulos, os sub-itens de cada capitulo e as numerações das páginas. Muitas vezes o sumário é chamado, erroneamente, de índice. Ele deve conter listas de figuras, tabelas, abreviaturas e símbolos, anexos e apêndices. Lista de figuras (caso haja). Parte integrante do sumário, a lista deve ser numerada conforme as imagens aparecem no corpo da MCC. Além das indicações do título e da fonte da imagem, deve-se indicar a página da MCC em que elas se encontra. O mesmo vale para os itens Apêndice e Anexos. Resumo da MCC. Deve ser descrito de modo sucinto do que o assunto/tema da Monografia. É importante o aluno ater-se apenas às informações essenciais. Deve conter até 5 palavras chaves. Abstract (com cinco key-words) Introdução. Este é o momento de apresentar ao leitor o tema, a questão central que motivou a realização da MCC, os objetivos gerais e específicos, a justificativa e a metodologia utilizada. O pós-graduando deve perceber que estaremos repetindo os elementos constituintes do projeto de pesquisa, exceto o cronograma. Outra diferença é que no item Metodologia, apresentado no projeto, mencionava-se como se pretendia realizar a Monografia. Na versão final da MCC, o pesquisador deve relatar como a Monografia foi realizada, ou seja, a metodologia efetivamente utilizada. Deve-se evitar a redação de uma lista de tópicos com frases pouco explicativas. É preferível redigir alguns parágrafos descrevendo detalhadamente as etapas da pesquisa e como as partes da MCC serão apresentadas, comentando a abrangência, finalização e delimitação de cada um dos capítulos. Nesta redação o pesquisador poderá incluir as dificuldades encontradas as eventuais mudanças de rumo em relação à metodologia inicialmente traçada no projeto de pesquisa.

14 14 Desenvolvimento Obviamente não há de ser colocado na MCC um item intitulado Desenvolvimento. Este termo serve apenas para designar um conjunto de informações que também poderia ser apelidado de recheio ou corpo da Monografia. É nesta parte que serão desenvolvidos os objetivos da MCC com base nas pesquisas de campo e na revisão da literatura disponível sobre o tema escolhido. A cada parte desse recheio, o aluno dará um título, que cerceará seu conteúdo e sugerirá uma idéia do que trata a referida parte (capítulo, subcapítulo, etc.). Tanto o material obtido nas leituras e nas pesquisas de campo como as idéias e as reflexões sobre o tema deverão ser organizados em uma seqüência lógica de capítulos. Gráficos, tabelas, quadros e figuras ajudam a sistematizar e a elucidar o conteúdo dos textos. Não há regras preestabelecidas para a determinação dos capítulos que deverão compor a MCC, muito menos para os títulos de cada capítulo. Considera-se que as leituras, as orientações com os docentes e o aprofundamento do conhecimento sobre o tema ajudarão a definir não apenas o conteúdo dos capítulos como o próprio título que eles receberão no trabalho final. Os livros, revistas, jornais, artigos da Internet relacionados ao tema são chamados de fontes secundárias. É sempre bom lembrar que as informações provenientes das fontes secundárias não devem ser organizadas como uma colcha de retalhos, ou seja, um simples aglomerado ou cópia de parágrafos sobre o tema tratado. Os dados coletados em pesquisas de campo são chamados de dados primários. Esses dados podem referir-se a, por exemplo, uma pesquisa de demanda ou de oferta de um determinado serviço ou produto; um diagnóstico da região no qual são levantados e analisados fatores de contexto social, econômico, cultural, ambiental etc. A coleta de dados exige sempre um bom planejamento, que é justamente o que deve estar contido na metodologia do projeto. É importante elaborar os questionários e roteiros de entrevistas com antecedência e discuti-los com os coordenadores de e professores da UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI antes de sua aplicação propriamente dita. Os questionários podem apresentar questões abertas ou fechadas, podem ser de múltipla escolha, de alternativas fixas ou de escala. Na maioria dos casos, devido à impossibilidade de se trabalhar com todo o grupo-alvo, é necessário que se faça uma pesquisa por amostragem. Parte conclusiva

15 15 Não é necessário colocar um item ou uma subdivisão intitulada Parte final ou conclusiva. Estes termos servem apenas para sugerir que, após a redação dos capítulos, o trabalho apresenta as principais conclusões. Em vista disso, o item Conclusão pode receber até mesmo um outro título, mas seu conteúdo será sempre direcionado para as conclusões obtidas com a pesquisa realizada. Isso vale também para o item Introdução, que pode receber um título mais personalizado, revelando, inclusive, dedicação e sensibilidade por parte do pesquisador. Na parte conclusiva, contemplam-se os seguintes itens: a. Conclusão. É na conclusão que se procura explicitar os resultados obtidos com a pesquisa realizada. Em geral retomam-se os objetivos do projeto, verificando-se em que medida eles foram ou não atingidos. Há de ser considerado também o amadurecimento do pós-graduando em relação à continuidade da pesquisa em outros níveis da pósgraduação. b. Referências bibliográficas. Trata-se de uma relação em ordem alfabética (pelo último sobrenome do autor) das obras que foram utilizadas durante a elaboração do trabalho final. Para referenciar corretamente tais publicações, deve-se seguir as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas à disposição na biblioteca da UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI (Referências Bibliográficas NBR). Um resumo das principais normas pode ser encontrado na seqüência deste regimento. c. Apêndice. Material criado pelo grupo (questionários utilizados, tabelas complementares, etc.). Tanto os apêndices como os anexos devem ser paginados e numerados. d. Anexos. Trata-se do material coletado pelo grupo (legislação, material publicitário, etc.). Se, por exemplo, as figuras forem incluídas no corpo do texto, deve-se evitar a redundância de repeti-las nesse item. Em resumo, a versão final apresenta os seguintes componentes: Capa, folha de rosto e folha de aprovação Dedicatória (opcional) Agradecimentos (opcional) Epígrafe Sumário

16 16 Lista de figuras / Apêndice / Anexos Resumo Abstract Introdução Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo N Conclusão Referências bibliográficas Apêndice Anexos Instruções sobre a apresentação escrita Antes de entregar o Projeto de Pesquisa, a versão preliminar ou a versão final da MCC, deve-se verificar se o texto segue as normas apresentadas neste capítulo. Além disso, faz-se necessária uma revisão criteriosa também em relação ao conteúdo elaborado/discutido. Como fazer a capa, a página de rosto e a página de aprovação Capa. A capa deve conter as informações necessárias à identificação da MCC. São estas:. No alto da página: nome da universidade, da unidade e da faculdade caixa alta, negrito, fonte 14 e centralizado.. No meio da página: o título da monografia caixa alta, negrito, fonte 12. Ao escolher o título, deve-se buscar clareza e objetividade, pois quanto mais autoexplicativo melhor. Isso não implica, por sua vez, um apagamento da criatividade do pós-graduando.. Logo abaixo do título: o nome do autor (apenas as letras iniciais são escritas em caixa alta ) negrito, fonte 12, alinhado à direita.. Na parte inferior da página: a cidade na qual a Monografia foi publicado, seguida de uma vírgula e o ano da publicação (exemplo: São Paulo, 2006) negrito, fonte 12 e centralizado.

17 17 Página de rosto. A página de rosto é muito semelhante à capa. A diferença é que se indica o título almejado com a produção/apresentação da MCC. Página de aprovação. Escreve-se "BANCA EXAMINADORA", no alto da página, e são colocadas três linhas para o posterior preenchimento do nome dos integrantes da banca. Normas mecanográficas A apresentação escrita de um trabalho acadêmico deve seguir alguns padrões, também chamados de normas mecanográficas. São estes: O texto deve ser digitado em papel A-4 branco, com letra tamanho 12, Arial ou Times New Roman. Utiliza-se tinta preta para impressão. O verso da folha não deve ser utilizado. O texto deve ter espaço 1,5 entre linhas. Entre os parágrafos, pula-se uma linha, sendo seu início marcado pelo espaçamento em branco. Entre ao texto e uma tabela, quadro, gráfico ou figura, utiliza-se espaço duplo (ou 2 x 1,5). As legendas serão escritas com a mesma fonte, mas com um ponto menor, isto é, tamanho 11. Todas as tabelas, quadros, gráficos e figuras inseridas no texto e nos anexos devem ser numeradas e devem ter um título. A numeração deve ser seqüencial do início ao fim da Monografia para cada tipo de inserção (tabelas, quadros, gráficos e figuras). As fotografias, os organogramas, os desenhos etc. são chamados de "figuras". As margens devem ter as seguintes distâncias das bordas da folha: superior 2,5cm; inferior 2,5 cm; esquerda 3 cm; direita 3 cm. As páginas devem ser numeradas: na parte inferior e ao centro da página ou parte superior com alinhamento à direita.. A contagem das páginas deve ter início na página de rosto da Monografia, mas o número aparecerá apenas após o Sumário ou lista de figuras. O início de cada capítulo deve ser em uma nova página, ainda que haja espaço na página final do capítulo anterior. Os títulos dos capítulos devem ser escritos em negrito, a partir da margem esquerda do texto.

18 18 Os subtítulos devem ser escritos também em negrito, com um espaço de 1,5 abaixo do título, caso não haja um parágrafo introdutório a ele. Os subtítulos são escritos a partir da margem esquerda do texto. Entre o subtítulo e o início do texto utilize espaço duplo (2 x 1,5). Os títulos e subtítulos devem ser numerados com algarismos arábicos separados por um ponto (1.1, 1.2, ). Se necessário, utilize mais subdivisões (1.1.1, 1.1.2, ) Apenas os títulos e subtítulos dos capítulos devem ser numerados. O resumo, o abstract, a introdução, a conclusão e as referências bibliografias, os apêndices e anexos não são numeradas como itens : eles devem ser escritos em negrito, a partir da margem esquerda, e no alto de suas respectivas páginas. Todos os títulos e subtítulos devem estar relacionados no sumário com o mesmo tipo gráfico que foi usado no corpo da Monografia. As páginas dos Apêndices e dos Anexos também devem ser numeradas. As citações (frases ou parágrafos retirados de outros textos): no corpo do texto, caso não ultrapassem QUATRO linhas, podem vir simplesmente entre aspas e o aluno deve apresentar uma referência à fonte; caso as citações ultrapassem QUATRO linhas, elas podem ser escritas em itálico, com espaçamento simples, letra tamanho 12 e com deslocamento de 5 cm da margem esquerda da página, ou 2 cm de distância em relação à margem esquerda do texto. Ou, se o aluno preferir, podem vir entre aspas. Nesse caso, elas devem abrir um novo parágrafo Deve-se estipular uma padronização para as citações. As notas de rodapé devem ser escritas com letra tamanho 11 (espaço simples e parágrafos justificados). É obrigatório encadernar as MCC em capa dura, fato que melhora a apresentação da Monografia e ajuda na sua conservação. Normatização das referências bibliográficas Seguem algumas dicas sobre as principais dúvidas que surgem ao relacionar as publicações utilizadas para a elaboração da MCC. Em geral, esta é uma tarefa que exige muita atenção, e o primeiro conselho é: não deixar tudo para o último momento! Além das inúmeras horas de sono que isso pode custar, o aluno corre o risco de não encontrar mais as referências que utilizou. É preciso organizar a bibliografia desde o início da pesquisa. Cada vez que o aluno consultar uma publicação será integrada a seu texto, deve-se anotar a referência de acordo com as normas recomendadas.

19 19 É importante esclarecer que as normas apresentadas a seguir não são as únicas. Existem distintas formas de fazer uma referência bibliográfica, mas, uma vez escolhido um sistema, o aluno deve ser fiel a ele até o final do texto. Sempre que se usar uma idéia, um conceito, uma tese ou um trecho de uma obra de algum autor, o aluno deve fazer referência à fonte consultada, seja ela um livro, um periódico, um artigo de jornal, uma entrevista, uma comunicação oral em um seminário, um texto consultado pela Internet, etc. As referências devem constar: (i) no corpo do texto, no final do parágrafo ou da frase que traz a idéia de algum autor ou instituição; (ii) nas própria referências bibliográficas, isto é, na listagem de obras que deve aparecer na parte final da MCC. Como citar o autor no corpo do texto Quando for extraída uma frase ou um parágrafo do texto de outro autor, deve-se fazer alguma marcação no texto para diferençar o que o produtor da MCC diz e o que o autor citado diz. As citações com menos der quatro linhas podem ser colocadas simplesmente entre aspas (alguns preferem usar aspas e itálico, mas isso vai da concepção estética de cada aluno. De qualquer forma, deve ser pontuado o sobrenome do autor, o ano de publicação, seguidos de dois-pontos e o número da página do texto de base. Exemplo É possível apresentar um conjunto de fatores que foram levados em conta para a difusão e propagação da Alta-Costura, iniciada por Charles F. Worth, em 1857, em Paris. Antes de tais fatores serem apresentados e discutidos, é pertinente reconhecer que a concretização desse tipo de roupa estava atrelada às potencialidades criativas do costureiro e aos gostos dos clientes, mas, por outro lado, seus referenciais de moda habitavam terrenos localizados predominantemente fora do sujeito (Mesquita, 2004: 29) [ou (MESQUITA, 2004: 29)] ou, ainda: É possível apresentar um conjunto de fatores que foram levados em conta para a difusão e propagação da Alta-Costura, iniciada por Charles F. Worth, em 1857, em Paris. Antes de tais fatores serem apresentados e discutidos, é pertinente reconhecer que a concretização desse tipo de roupa estava atrelada às potencialidades criativas do

20 20 costureiro e aos gostos dos clientes, mas, por outro lado, seus referenciais de moda habitavam terrenos localizados predominantemente fora do sujeito (Mesquita, 2004: 29) [ou (MESQUITA, 2004: 29)] Caso o aluno esteja utilizando uma idéia ou um dado de determinado autor (e não a frase exata), ele deve mencionar ao final do parágrafo, da frase ou mesmo da palavra/termo citado o sobrenome do autor posposto a um cf. conforme ou confira. Exemplo As mídias terciárias aparecem como incitadoras da sedução e do narcisismo (cf. GARCIA, 2002: 33), reproduzindo determinados comportamentos vinculados aos modelos ou fôrmas industriais. É, pois, nesse sentido, que se consolida cada vez mais, no mundo contemporâneo, a importância dos órgãos da visão, uma vez que o ver passa a ser sinônimo de compreender (cf. CASTILHO, 2002: 63), numa relação absolutamente imediata, direta. Caso o aluno esteja citando esses dois autores em um mesmo parágrafo, pode-se, ainda, escrever, ao final desse parágrafo o nome dos autores, que devem aparecer em ordem cronológica e não alfabética. Nesse caso, pode-se dispensar o cf.. Se forem dois textos publicados no mesmo ano, siga a ordem alfabética. Os autores são separados por ponto e vírgula. Exemplo As mídias terciárias aparecem como incitadoras da sedução e do narcisismo, reproduzindo determinados comportamentos vinculados aos modelos ou fôrmas industriais. É, pois, nesse sentido, que se consolida cada vez mais, no mundo contemporâneo, a importância dos órgãos da visão, uma vez que o ver passa a ser sinônimo de compreender, numa relação absolutamente imediata, direta (CSTILHO, 2002: 63; GARCIA, 2002: 33) Referência de livros com um autor Para fazer referência a um livro com um autor, na bibliografia deve ser colocado o sobrenome do autor em letras maiúsculas. Logo a seguir o nome e o segundo nome do

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA Desenvolvimento de Monografia SÃO PAULO 2005, NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DA MONOGRAFIA DO MBA I - DEFINIÇÃO A monografia é a proposta de desenvolvimento de atividades

Leia mais

NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) E MONOGRAFIA (MCC) - CAPACITAÇÃO DOCENTE EM MÚSICA BRASILEIRA

NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) E MONOGRAFIA (MCC) - CAPACITAÇÃO DOCENTE EM MÚSICA BRASILEIRA NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) E MONOGRAFIA (MCC) - CAPACITAÇÃO DOCENTE EM MÚSICA BRASILEIRA Curso de Pós Graduação-Especialização em Capacitação Docente em Música

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental - PROCAM

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental - PROCAM UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental - PROCAM COMO ELABORAR SEU PROJETO DE PESQUISA 1 São Paulo, julho de 2000 1 Elaborado a partir do texto do Prof. Dr. José Eli da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais

Normas para Apresentação de Monografias

Normas para Apresentação de Monografias UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Normas para Apresentação de Monografias Campina Grande, dezembro 2010

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/ DE 30 DE MAIO DE 2011/ PRODEMA-UFS DE Estas normas de redação foram definidas como diretrizes básicas pelo Colegiado do Núcleo de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP CURSO: Ciências Contábeis

UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP CURSO: Ciências Contábeis UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP CURSO: Ciências Contábeis MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR Prezado aluno: A princípio, receba meus sinceros parabéns por ter chegado ao final do curso de Ciências

Leia mais

Normas para Trabalhos de Conclusão de Curso no Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Federal de Pelotas

Normas para Trabalhos de Conclusão de Curso no Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Federal de Pelotas Normas para Trabalhos de Conclusão de Curso no Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Federal de Pelotas 1 Objetivos Com a finalidade de obter o grau de tecnólogo em Gestão Ambiental,

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC)

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) compreende a elaboração de trabalho de caráter individual teórico, projetual ou aplicativo, com observância de exigências

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Programa de Pós-Graduação em Biotecnociência Título Santo André dd/mm/aaaa Normas para Dissertações Mestrado em Biotecnociência - UFABC.

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO OESTE DONA LINDU GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ DIVINÓPOLIS MG 2009 O Trabalho de

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual

Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIOS PARA QUALIFICAÇÃO (MESTRADO E DOUTORADO), TESES E TRABALHOS

Leia mais

CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO

CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO O Colegiado do Curso de Engenharia Ambiental, em reunião de 26 de agosto de 2011, RESOLVE: Aprovar

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

Manual TCC Administração

Manual TCC Administração 1 Manual TCC Administração 2013 2 Faculdade Marista Diretor Geral Ir. Ailton dos Santos Arruda Diretora Administrativo-Financeiro Sra. Rafaella Nóbrega Coordenador do Curso de Administração e Gestão de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADES DE ENGENHARIAS E DESIGN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADES DE ENGENHARIAS E DESIGN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADES DE ENGENHARIAS E DESIGN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) INTRODUÇÃO O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e é um componente curricular obrigatório

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO MONOGRAFIA/PROJETOS/TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO/TRABALHO DE CURSO CURSOS DE GRADUAÇÃO UNIDADE PIO X

REGULAMENTO INTERNO MONOGRAFIA/PROJETOS/TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO/TRABALHO DE CURSO CURSOS DE GRADUAÇÃO UNIDADE PIO X REGULAMENTO INTERNO DE MONOGRAFIA/PROJETOS/TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO/TRABALHO DE CURSO CURSOS DE GRADUAÇÃO UNIDADE PIO X Rio de Janeiro 2013 ! Normas Regulamentadoras para Elaboração de Monografia/

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL Estrutura formal do relatório Estrutura Elemento Capa Folha de Rosto Pré-textuais Folha de Identificação Sumário 1. Introdução Textuais 2. Atividades

Leia mais

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL AQUIDAUANA MS 2009 1. PAPEL E PROCESSO DE MULTIPLICAÇÃO O papel

Leia mais

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA 1 DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho, ou seja, o que não consta no texto destas

Leia mais

FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO JAÚ/ SP - 2014 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FAJAU REGULAMENTO APRESENTAÇÃO Art. 1º O presente regulamento tem como finalidade de normatizar

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA PIM II Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: O aluno deverá escolher uma empresa de qualquer porte ou segmento e, com base no cenário

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Art. 1º - Este regulamento disciplina o processo de elaboração, apresentação e avaliação do Trabalho Final de Graduação (TFG) do curso de

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2 UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA COORDENAÇÃO ADJUNTA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE COSTA RICA-FECRA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO LAURADAIANE REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO: LETRAS

FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE COSTA RICA-FECRA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO LAURADAIANE REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO: LETRAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE COSTA RICA-FECRA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO LAURADAIANE REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO: LETRAS INTRODUÇÃO FORMAS E REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ Prof. Marat Guedes Barreiros GUARUJÁ 2º semestre de 2013 PROJETO MULDISCIPLINAR Curso superior de BACHAREL em

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 1 ESTRUTURA A estrutura e a disposição dos elementos de um trabalho acadêmico são as

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP 2011 ESTRUTURA 1 ELEMENTOS DE PRÉ-TEXTO 1.1 Capa 1.2 Lombada descendente 1.3 Folha de rosto 1.4 Folha de aprovação 1.5 Dedicatória 1.6 Agradecimentos 1.7 Epígrafe

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Propor a aplicação dos conhecimentos adquiridos nas disciplinas do semestre na estratégia

Leia mais

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e Análise de Práticas de Gestão Organizacional em uma Empresa. OBJETIVOS: Favorecer aos alunos ingressantes

Leia mais

Seminário de Pesquisa Prof. José Carlos Vinhais

Seminário de Pesquisa Prof. José Carlos Vinhais 1 MANUAL DE ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1 PRINCIPIOS O Seminário de Pesquisa exigido pelo curso de Administração é um projeto de atividades centrado em áreas teórico práticas, e deverá

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado MANUAL DE DEFESA Exame de Qualificação: banca examinadora

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA 2014 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 1 Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Gepós Unidade de Gestão de Pós Graduação Como requisito obrigatório para a obtenção do certificado de pós-graduação, o TCC deve ser desenvolvido

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE 1 INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTRUÇÕES GERAIS: papel branco A4, fonte Arial tamanho 12, com espaçamento de 1,5 cm entre as linhas,

Leia mais

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br 2014 Pesquisa Pesquisa Atividade básica da ciência

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

Instituto de Economia. Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais. Regulamento para Monografia

Instituto de Economia. Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais. Regulamento para Monografia CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento visa normatizar as atividades relacionadas a Trabalho de Conclusão do Curso (TCC) de Graduação - Bacharelado em Relações Internacionais

Leia mais

FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I

FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I Este manual atende todos os cursos de gestão 1º semestre, turmas ingressantes em fevereiro

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO Av. Dom Manuel de Medeiros s/nº Dois Irmão, Recife PE Telefone: 3320-6203 ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA I ESTRUTURA DO RELATÓRIO 1.1

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Dissertação é a apresentação escrita do trabalho de pesquisa desenvolvido no âmbito do Programa de

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP

Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO TCC CURSO DE DIREITO DA FESP FACULDADES Ultima versão 21/08/2012 CAPÍTULO

Leia mais

Art. 1. O presente Regulamento tem por objetivo normatizar o conjunto de atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão Curso (TCC);

Art. 1. O presente Regulamento tem por objetivo normatizar o conjunto de atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão Curso (TCC); Regulamenta o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), fixados no Projeto Pedagógico dos cursos de graduação da Faculdade Sequencial, e dá outras providências: O COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO, no uso

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espaçamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Nome do Estagiário 2 espaços 1,5 Fonte 14 Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA LOCAL ANO Fonte

Leia mais

FIBRA Faculdade do Instituto Brasil Instituto Brasil de Ciência & Tecnologia Ltda

FIBRA Faculdade do Instituto Brasil Instituto Brasil de Ciência & Tecnologia Ltda REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. O presente regulamento normatiza as atividades relacionadas à elaboração, apresentação e aprovação do

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 Jaciara-MT COMPOSIÇÃO DA MONOGRAFIA MONOGRAFIA Recebe nº página CAPA FOLHA DE ROSTO FOLHA DE APROVAÇÃO DEDICATÓRIA (OPCIONAL) AGRADECIMENTO (OPCIONAL) EPIGRAFE

Leia mais

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1 5/12/2008 Monografias - Apresentação Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas

Leia mais

TI TRABALHO INTERDISCIPLINAR

TI TRABALHO INTERDISCIPLINAR TI TRABALHO INTERDISCIPLINAR MANUAL DE ELABORAÇÃO DO TI CURITIBA 2009-1 2 SUMÁRIO Pag. 1 O QUE É O TI (TRABALHO INTERDISCIPLINAR)... 3 2 OBJETIVOS DO TI... 3 3 CARACTERÍSTICAS DO TI... 3 4 EQUIPES... 4

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espacejamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 2 espaços 1,5 Fonte 14 Nome do Estagiário Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA BAMBUÍ ANO Fonte

Leia mais

NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Faculdade de Ciências Contábeis e Administrativas de Avaré AVARÉ NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Considerações preliminares O Regulamento do Trabalho

Leia mais

FACULDADE PAULUS DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO. Curso de filosofia Bacharelado e Licenciatura. Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso 2015/1

FACULDADE PAULUS DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO. Curso de filosofia Bacharelado e Licenciatura. Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso 2015/1 FACULDADE PAULUS DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO Curso de filosofia Bacharelado e Licenciatura Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso 2015/1 1 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO DO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE TCC CURSO: PROF(A):

ORIENTAÇÃO DE TCC CURSO: PROF(A): ORIENTAÇÃO DE TCC CURSO: PROF(A): MATRÍCUL A ALUNO (A) REUNI ÃO ORIENTAÇ ÕES TCC Entregue Corrigida Nota Assinatura do Orientador: Data: / / Assinatura do Orientador: Data: / / Assinatura do Orientador:

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE PIO XII REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ( 6º PERÍODO/2013-7º PERÍODO/2014-8º PERÍODO/2014 ) Cariacica 2013/2014 FACULDADE DE ESTUDOS

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR I, II e III (Manual para a realização do Projeto Interdisciplinar do Curso de Tecnologia em Logística)

PROJETO INTERDISCIPLINAR I, II e III (Manual para a realização do Projeto Interdisciplinar do Curso de Tecnologia em Logística) FACULDADE NOSSA SENHORA APARECIDA FANAP CURSO DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA PROJETO INTERDISCIPLINAR I, II e III (Manual para a realização do Projeto Interdisciplinar do Curso de Tecnologia em Logística)

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FISIOTERAPIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FISIOTERAPIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FISIOTERAPIA Capítulo I Definições e Finalidade Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE POMPEIA FATEC CURSO TECNOLOGIA EM MECANIZAÇÃO EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE POMPEIA FATEC CURSO TECNOLOGIA EM MECANIZAÇÃO EM AGRICULTURA DE PRECISÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA DE POMPEIA FATEC CURSO TECNOLOGIA EM MECANIZAÇÃO EM AGRICULTURA DE PRECISÃO NORMAS PARA REDAÇÃO DE ARTIGOS Pompeia 2012 A composição dos textos deverá obedecer as orientações abaixo.

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ Faculdade de Jussara FAJ Curso de Direito Coordenação de Trabalho de Conclusão de Curso MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ Jussara 2013 APRESENTAÇÃO Este manual

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Segundo a NBR 15287:2011

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Porto Alegre RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO

Leia mais

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Manual de Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Engenharia de Produção NATAL RN 2010 Apresentação O curso de Engenharia de Produção institui

Leia mais

REGULAMENTO 04 FICHA CADASTRO 01 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 02 RELATÓRIO MENSAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 01 RELATÓRIO DE FREQÜÊNCIA 01

REGULAMENTO 04 FICHA CADASTRO 01 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 02 RELATÓRIO MENSAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 01 RELATÓRIO DE FREQÜÊNCIA 01 KIT ALUNO REGULAMENTO 04 FICHA CADASTRO 01 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 02 RELATÓRIO MENSAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 01 RELATÓRIO DE FREQÜÊNCIA 01 AVALIAÇÃO DO ESTAGIÁRIO 01 ROTEIRO PARA O RELATÓRIO

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Design de Moda FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE APRESENTAÇÃO O presente Regulamento de Projeto de Graduação, em forma de TCC - Trabalho de

Leia mais

FACULDADE SANTA TEREZINHA CEST COORDENAÇÃO DE ENFERMAGEM NORMAS COMPLEMENTARES DE TRABALHO DE CURSO (MONOGRAFIA)

FACULDADE SANTA TEREZINHA CEST COORDENAÇÃO DE ENFERMAGEM NORMAS COMPLEMENTARES DE TRABALHO DE CURSO (MONOGRAFIA) NORMAS COMPLEMENTARES DE TRABALHO DE CURSO (MONOGRAFIA) Art. 1º. O presente documento tem por finalidade normatizar, no âmbito dos Cursos de Graduação da Faculdade Santa Terezinha CEST, o Trabalho de Curso

Leia mais

2.1. A Coordenação do curso de Relações Internacionais é o órgão encarregado de administrar as atividades referentes à elaboração das monografias.

2.1. A Coordenação do curso de Relações Internacionais é o órgão encarregado de administrar as atividades referentes à elaboração das monografias. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS COORDENAÇÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica 2012 2 Núcleo de Apoio à Pesquisa na Graduação- NAP/UNIMAR Projeto de Pesquisa; Apresentação gráfica TRABALHO ACADÊMICO Apresentação gráfica Segundo normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO fevereiro 2012 2 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO 2 NORMAS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I E II... 3 3 ESTRUTURA DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO...

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PONTA GROSSA 2011 LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE.

APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE. APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE. A UNISA UNIVERSIDADE CIDADE DE SANTO AMARO, a fim de propiciar aos acadêmicos de Direito os meios

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde

Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE DOCUMENTO DE QUALIFICAÇÃO E DISSERTAÇÃO PARA O PROGRAMA

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA APRESENTAÇÃO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS O trabalho deve ser digitado e impresso em papel

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS DOS TRABALHOS Formato: A4 Cor preta Espaçamento entre linhas: 1,5cm Fonte texto: Times New Roman, 12 ou Arial, 11 Margem superior

Leia mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PIM V. Projeto Integrado Multidisciplinar

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PIM V. Projeto Integrado Multidisciplinar ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PIM V Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Propor a aplicação dos conhecimentos adquiridos nas disciplinas do semestre

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2013 PPGLET. O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Letras, Cultura e Regionalidade, da Universidade RESOLVE:

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2013 PPGLET. O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Letras, Cultura e Regionalidade, da Universidade RESOLVE: INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2013 PPGLET Estabelece os procedimentos para o Exame de Qualificação para os discentes vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Letras, Cultura e Regionalidade Mestrado O Colegiado

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS APRESENTAÇÃO O trabalho deve ser digitado e impresso em papel formato A4. O texto deve ser digitado, no anverso das folhas, em espaço 1,5, letra do tipo

Leia mais