IV ENCONTRO SALMOS 97, 85, 40, 123 DEUS SALVA NO MEIO DA DOENÇA E DA FRAGILIDADE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IV ENCONTRO SALMOS 97, 85, 40, 123 DEUS SALVA NO MEIO DA DOENÇA E DA FRAGILIDADE"

Transcrição

1 1 IV ENCONTRO SALMOS 97, 85, 40, 123 DEUS SALVA NO MEIO DA DOENÇA E DA FRAGILIDADE 1. Introdução As próximas reuniões decorrerão a 31 de Janeiro, 28 de Fevereiro e 28 de Março. Nesta nova etapa vamos concluir o ciclo do Natal e entrar em novos ciclos temáticos. Depois desta última etapa, porventura mais turbulenta e incerta, é ocasião de renovar o compromisso da oração. Não interessa se já rezei muito ou pouco, se fui fiel ou não: interessa tentar de novo e afirmar com a minha liberdade a vontade de seguir o caminho da oração. Para isso, definir o espaço e o tempo, bem como revisitar o método. Os novos temas põem em debate várias experiências da vida humana nas suas contradições e tensões, com o poder e a vontade de Deus. Até à Páscoa, os salmos que nos conduzirão serão muito intensos, com linguagem muito forte e existencial. Num percurso através dos salmos, são possíveis muitos itinerários. Os salmos têm uma riqueza e diversidade que lhes permite traçar vários caminhos de oração. O que temos vindo a fazer é apenas um deles que nos pede a humildade de nos deixarmos conduzir. A recitação e meditação dos salmos não pretende que adquiramos muitas ideias ou memorizemos frases importantes. A oração a partir dos salmos faz germinar internamente uma sabedoria espiritual, moldada com os sentimentos e afirmações de fé dos textos. É nesta sabedoria que o Espírito Santo trabalha. Na oração dos salmos desenvolve-se também o sentido comunitário da oração. Muitas vezes estamos a rezar a rezar sentimentos e acontecimentos que não são os do nosso presente. Mas são os de muitos irmãos nossos que, sem fé ou com fé, os vivem e sentem. Rezá-los põe-nos em comunhão com eles e como seus portas voz. 2. Salmo 97 O salmo 97 é um hino de louvor e de aclamação a Deus, como rei e juiz do universo. Todo o salmo decorre num estilo jubiloso e laudativo, cheio de intensidade musical. Ele é um convite permanente a entrar no louvor de Deus. Assim nos indicam as repetições dos verbos cantar e exultar, ajudados

2 2 pelos verbos aclamar e aplaudir. A repetição do nome de Deus Senhor faz-nos perceber o movimento do louvor que conflui para Deus. A primeira parte do salmo canta a acção de Deus no meio da história humana e a sua vinda cheia de poder e força ( a sua mão e o seu santo braço ). Deus fez maravilhas e ofereceu a salvação e a justiça. Todos estes dons de Deus são, em primeiro lugar, bondade e fidelidade para com o seu Povo eleito, a casa de Israel ; mas eles são dados a conhecer a todos os confins da terra e, por isso, estendem-se e destinam-se a todos os povos. Por isso, a segunda parte do salmo é o acolhimento de Deus expresso pelo cântico novo, pelo cântico perfeito que é o cântico onde todos intervêm. O salmista enumera os cantores deste cântico: terra inteira, mar, rios, montanhas. É um imenso coro que destaca a importância do louvor e a universalidade da acção de Deus. Este salmo é muito indicado para rezarmos nesta semana da epifania: a manifestação de Jesus a todos os povos simbolizada na adoração dos magos, é a realização e expressão da vinda do rei justo anunciada no salmo. Por isso mesmo, o salmo põe-nos a aclamar esta vinda que nós reconhecemos em Jesus. Concluímos o tempo no Natal em louvor e alegria por podermos contemplar Jesus como o Rei que Deus nos enviou. Sabemos que Ele vem ao nosso mundo e à nossa vida para a governar com justiça. Ele vem cheio de força, para nos ajudar a combater todas as adversidades e nos salvar. Mas esta força, em Jesus, é bondade e fidelidade : Jesus não vem destruir nem esmagar, mas sim para trazer a justiça e a salvação. A promessa do salmo começa a realizar-se na vinda do Filho de Deus. Mas, a vinda do Rei é para todos os povos: a todos se destina a salvação e, por isso, todos serão envolvidos neste cântico novo. Em tempo de Natal laicizado, quando muitos dos nossos contemporâneos já não conhecem Jesus e já não esperam nenhuma salvação, este salmo enche-nos de alegria porque Deus quer estender a sua salvação a todos os homens. O cântico novo será o cântico em que se reconhece Jesus como salvador, mas será também o cântico que finalmente incluirá todos os homens. Actualmente ele já é expressão disso: nos quatro cantos do mundo o nome de Jesus é reconhecido e aclamado e a Igreja cresce com homens de todas as raças. Por tudo isto, precisamos de cantar, exultar, bater palmas. Nunca se pode esgotar este cântico novo porque a vinda de Jesus é definitiva e completa. Este cântico é sempre novo porque a vida do Senhor não é um acontecimento do passado, guardado na história, mas é sempre do presente porque Ele é fiel. Deus, em Jesus Cristo, na vida da Igreja, continua a vir para governar. E, governando a Igreja, Ele estende o seu domínio de amor a todos os povos porque a Igreja é o seu sacramento de salvação.

3 3 3. Salmo 85 O salmo 85 é uma oração de súplica no meio da adversidade. É uma oração individual, carregada de serenidade e de confiança em Deus. Aliás, destaca-se essa intensa serenidade de alguém que está no meio do sofrimento. O salmista apresenta-se como pobre e desvalido mas também como fiel e servo, o que nos indica um homem profundamente crente em Deus a passar por uma situação difícil na sua vida. A denominação de servo, filho da vossa escrava é indicadora de familiaridade com Deus: era usada para indicar alguém adoptado como filho pelo chefe de família. O desenvolvimento do salmo corroborará esta apresentação do salmista. Este salmo é muito querido ao Judaísmo e é rezado na Festa do Yom Kipur (Festa da Expiação). A primeira parte do salmo é a súplica intensa a Deus por alguém que está a viver uma provação. Pede mesmo a Deus que Se incline sobre ele, escute a sua oração, atenda a sua súplica e devolva a alegria à sua alma. Esta parte do salmo insiste com Deus mas na confiança de quem reconhece que Ele é bom e indulgente e cheio de misericórdia para quem O invoca. A segunda parte é o coração deste salmo: o salmista aclama a centralidade do Senhor no meio do mundo e proclama-o como único. Por isso, o salmista evolui para uma súplica mais profunda e desconcertante: ele pretende apenas seguir o caminho do Senhor e concentrar o coração no temor de Deus. Este homem que vive a provação não se fica por aí, nem sequer põe nas dificuldades da vida o mais importante da sua oração, mas sim a necessidade de ser fiel ao Senhor e de andar na sua presença. Por isso, esta parte do salmo termina com um momento de louvor e acção de graças a Deus. A terceira parte do salmo volta à súplica pela adversidade: pede piedade, força, benevolência, socorro e consolo. Nesta terceira parte do salmo, o destaque vai para a violência dos inimigos que se voltaram contra o salmista. Depois de termos rezado o louvor e a aclamação pela vinda de Deus como rei e juiz em Jesus Cristo, vamos agora rezar as contrariedades da vida, provocadas pelas muitas adversidades que encontramos a cada passo. Todavia, o segredo deste salmo não está nas contrariedades mas sim na imensa confiança em Deus. É isso mesmo que o salmo nos pretende ensinar: no meio do turbilhão das dificuldades concretas da vida, o nosso rumo certo é voltar os olhos para Deus. Mas o salmo vai ainda mais longe porque pedir a Deus ajuda e força não é o mais importante. Acima de tudo é preciso viver em Deus, ou seja, concentrar o coração em Jesus e aprender os seus caminhos. Todas as adversidades, sejam elas quais forem, não se podem sobrepor a este caminho mais precioso de todos que é viver a partir de Deus e para Deus. Aliás, é isso que nos pode fazer caminhar de forma mais segura e fecunda no meio dos sofrimentos.

4 4 Tantas vezes se pretende apenas a resolução imediata e prática dos sofrimentos e se esquece a importância fundamental do caminho da alma ao encontro de Deus Mas este salmo é também ocasião para trazermos à nossa oração as adversidades concretas que estamos a viver na nossa vida actual. É muito importante torná-las conscientes e presentes na oração, apresentá-las a Deus em súplica confiante. As dificuldades podem ser interiores ou exteriores, da nossa responsabilidade ou provocadas por outros, mais fortes ou mais simples. Mas são as nossas e são aquelas que nos dificultam o caminho. Apresentá-las a Deus é deixar que Deus também seja interveniente nelas e nos indique o caminho. Mas esta oração de súplica implica dois elementos fundamentais que o salmo nos sugere: a humildade e a confiança. A humildade de quem não é autosuficiente e precisa de Deus para a resolução da sua vida. A humildade própria de quem sabe que a plena salvação e libertação apenas pode vir de Deus. A humildade de quem se reconhece frágil e precisa da força de Deus. Mas também a confiança de quem conhece a misericórdia e a fidelidade de Deus. Esta é a confiança num Deus que não é insensível, nem ausente, nem sequer indiferente às dificuldades e pesos do homem. É a confiança num Deus que faz questão de estar junto do homem e interveniente na sua história. Por isso, este é um salmo para rezarmos com verdade e confiança as nossas adversidades do momento. Seria muito bom nesta semana, enumerá-las. 4. Salmo 40 O salmo 40 introduz-nos no tema da provação provocada pela doença. Ele é a súplica de um homem doente que experimenta o peso da doença e a dureza da traição dos amigos. Este salmo é de alguém que vive o lado sombrio da sua doença e sente a amargura própria das consequências deste sofrimento. A primeira parte do salmo é uma bem-aventurança onde o salmista se revê: é feliz o homem que cuida do pobre porque será confortado e ajudado quando estiver em sofrimento. De certa forma, este é o perfil do verdadeiro amigo, onde não se encaixam os falsos amigos de que o salmista se queixa. Na segunda parte, o salmista volta-se para Deus, pedindo perdão pelos seus pecados: para o Povo de Israel, a doença é consequência e manifestação do pecado. Por isso, a dureza da doença provoca o salmista a pedir perdão, desejando de Deus a cura interior e exterior. Mas este homem doente queixase a Deus dos seus falsos amigos porque eles não estão a ser homens de paz no leito do seu sofrimento. Na língua hebraica, amigo tem como tradução literal homem de paz. No salmo, o autor revela que estes seus amigos só lhe trazem guerra, julgamento e dureza.

5 5 A terceira parte do salmo conclui pedindo a Deus que o conserve são e salvo e o estabeleça na sua presença para sempre. O sinal disso é a vitória sobre aqueles inimigos que não lhe dão a paz. A vitória de Deus é um sinal da bondade de Deus, mas também da sua amizade para com o salmista. Por isso, o salmo encerra com esta súplica a Deus carregada de confiança. Depois de rezarmos as várias contrariedades no salmo 85, este salmo 40 convida-nos a olhar para a experiência da doença. Nas pequenas ou grandes doenças, nos estados mais dolorosos ou nos mais permanentes de dor, esta é uma experiência que nos traz o lado negro e precário da vida e do mundo. Traz peso, inquietação, interrogação profunda, medo, desconforto, insegurança e tristeza. Em alguns casos, quando a doença em nós ou nos outros, atingiu graus de extrema gravidade e produziu um sofrimento muito profundo, emergiram interrogações intensas: o que fiz de mal para merecer este castigo? Que justiça existe nestes sofrimentos? Que destino e que sentido encontro nesta doença? Mas o salmo leva-nos ainda mais longe no sofrimento: pior do que a doença, pior do que o sofrimento físico, é a solidão. O salmo fala dessa solidão gélida que é o afastamento dos amigos ou a sua falta de cuidado. Quantos homens e mulheres enfermos, vivem o abandono, indiferença e desprezo dos seus amigos ou familiares, apenas porque agora são um peso e um empecilho? Mas é igualmente tenebrosa a presença de amigos que na doença trazem ilusões ou futilidades, agressões ou mentiras. Mas o salmo fala ainda dos nossos fantasmas diante do sofrimento: aqueles amigos que fazem maus prognósticos (no dizer do salmo) são uma parábola dos fantasmas que atacam o nosso coração. Estes fantasmas são a falta de esperança, a vida considerada apenas no seu sentido material, a vida vivida sem relação com os outros e apenas centrada em si próprio, as preocupações pelo nome e pela aparência. Por isso o salmo convida-nos a encontrar a paz no único que é nosso amigo para sempre: o Deus de Jesus Cristo. N Ele está o consolo que realmente necessitamos, porque Ele nos dá a salvação e a vida eterna. É Ele que perdura e caminha connosco, qualquer que seja a dificuldade. Ele não vende sonhos nem soluções fáceis, mas faz caminho de amor e comunhão. Ele faz connosco um caminho ao encontro dos outros, porque aí estará a verdadeira paz. A cura de Deus para o doente está precisamente nos passos que este der para se abrir mais aos outros e amá-los com doçura; mas estará também no que os seus amigos tiverem de presença, esperança, ternura e fidelidade. Este salmo é também um convite a vivermos em comunhão com quem está profundamente doente. A comunhão expressa-se em primeiro lugar na presença junto do doente e no amor por ele. Mas ela expressa-se igualmente na oração que fazemos pelo doente e em nome do doente. Este salmo ajudanos a penetrar nos sentimentos do doente e a sermos a sua boca orante.

6 6 5. Salmo 123 Este salmo está no grupo dos salmos de peregrinação, quando se subia para Jerusalém. Era rezado pelos peregrinos já na etapa final da peregrinação. É um salmo de acção de graças pela libertação que Deus operou ao longo da história de Israel, muito provavelmente referindo-se à libertação do exílio. O salmo destaca como a acção de Deus evitou a total aniquilação do Povo de Israel. Para isso socorre-se de uma linguagem forte, cheia de imagens, que dão densidade à intervenção salvadora de Deus. Todo o salmo mostra como este Povo estava diante de grandes perigos e adversidades que são destacados por imagens fortes: águas impetuosas, presa dos seus dentes, torrente, homens que se levantaram contra nós, armadilha. Mas todo ele é uma resposta a estes problemas: Deus evitou o mal e foi capaz de o superar. E a experiência foi de tal forma forte, que é preciso repetir para guardar na memória: Se o Senhor não estivesse connosco. Por isso, o salmista destaca que Deus não abandona o seu Povo: Ele é capaz de quebrar as armadilhas que nos prendem ao sofrimento e dar-nos a liberdade. A conclusão do salmo é, nesse sentido, o cântico que ecoa nos peregrinos a caminho de Jerusalém, agradecidos pelo dom da salvação: A nossa protecção está no nome do Senhor. Este salmo tem a sua expressão máxima na própria oração de Jesus: Ele foi quem atravessou todos os males e adversidades em união com o Pai. Ele pode dizer, depois de ressuscitado, que o Pai é bendito porque não o abandonou como presa da morte. É Jesus que nos traz permanentemente o testemunho e a garantia da protecção do Senhor. Por isso, podemos rezar com Ele esta gratidão. Depois de rezarmos os salmos 85 e 40 e meditarmos as adversidades, concluímos esta etapa com um salmo de gratidão. Os anteriores eram de súplica e este responde-lhes propondo-nos a gratidão a Deus. Aliás, a gratidão a Deus é sintoma de estarmos centrados n Ele e não em nós, de estarmos mais disponíveis para o que Ele nos dá do que propriamente para o que exigimos da vida e dos outros. Por isso, este salmo ajuda-nos a agradecer a intervenção de Deus: já experimentámos situações dolorosas na vida, mas a nossa vida não se extinguiu porque Deus esteve connosco. E o que teria sido da nossa vida, se a presença de Deus não fosse tão forte e actuante? Temos mesmo de dizer com o salmo: Se o Senhor não estivesse connosco Experimentámos até situações limite que nos fizeram ir ao limite da nossa razoabilidade e do nosso olhar de fé. Todavia, Deus não nos deixou presos na armadilha. Sabemos que Deus está do lado dos frágeis, permanece firme junto das vítimas e combate pelos oprimidos. Esse é o lugar de Deus!

7 7 Este salmo insiste na gratidão reconhecida à acção de Deus na nossa história humana. Tantas vezes, a gratidão é muito menos intensa e duradoura do que a súplica. Este salmo, apesar de pequeno, quer pôr em nós de forma permanente a gratidão como sentimento fundamental. Quanto mais olhamos para a nossa história pessoal, mais reconhecemos a intervenção de Deus. A gratidão é o reconhecimento dessa mesma intervenção salvadora e amorosa de Deus. Esta gratidão faz emergir a afirmação conclusiva do salmo: A nossa protecção está no nome do Senhor. A gratidão ajuda-nos a enfrentar o futuro com a certeza da protecção de Deus. Por isso mesmo é que o caminho por entre as adversidades é o caminho de buscar o nome do Senhor: só aí encontramos a protecção contra tudo e contra todos, e aí seremos inteiramente livres. Este é um salmo que quer excitar em nós a alegria pela presença e acção de Deus. Rezá-lo ao longo da semana é entrar nesta cadência de alegria e gratidão, que não queremos nunca esquecer, seja em relação ao passado, seja na vivência do presente, seja ainda para enfrentar o futuro.

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO SOBRE NÓS FAZEI BRILHAR O ESPLENDOR DE VOSSA FACE! 3 º DOMINGO DA PÁSCOA- ANO B 22 DE ABRIL DE 2012 ANIM: (Saudações espontâneas)

Leia mais

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS I. Nas celebrações do Tempo Advento Deus omnipotente e misericordioso, que vos dá a graça de comemorar na fé a primeira vinda do seu Filho Unigénito e de esperar

Leia mais

NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER. Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos

NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER. Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos Servos de Maria e ficou conhecido como o protetor contra o câncer.

Leia mais

Missa - 10/5/2015. Entrada

Missa - 10/5/2015. Entrada Missa - 10/5/2015 ntrada m F#m 1. Todos unidos formamos um só corpo, um povo que na Páscoa nasceu. G Membros de Cristo, no sangue redimidos, Igreja peregrina de eus. m F#m Vive conosco a força do spírito,

Leia mais

Celebração. Penitencial. Paróquia de S. ta Maria dos Anjos. Preparação para o Crisma. Esposende

Celebração. Penitencial. Paróquia de S. ta Maria dos Anjos. Preparação para o Crisma. Esposende Celebração Penitencial Hoje reconciliei-me com Deus, obtive a graça do Seu Amor em me perdoar. Vou louvar o Pai Bom pelo Seu amor por mim. Paróquia de S. ta Maria dos Anjos Preparação para o Crisma Esposende

Leia mais

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações?

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações? O Canto Litúrgico Como escolher os cantos para nossas celebrações? O que é Liturgia? Liturgia é antes de tudo "serviço do povo", essa experiência é fruto de uma vivencia fraterna, ou seja, é o culto, é

Leia mais

Quanto à Maria, guardava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração

Quanto à Maria, guardava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração SANTA MARIA MÃE DE DEUS 01 de janeiro de 2015 Quanto à Maria, guardava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração Leituras: Números 6, 22-27; Salmo 67 (66), 2-3.5-6.8 (R/cf. 2a); Carta de São

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

DOMINGO VII DA PÁSCOA. Vésperas I

DOMINGO VII DA PÁSCOA. Vésperas I DOMINGO VII DA PÁSCOA (Onde a solenidade da Ascensão não é transferida para este Domingo). Semana III do Saltério Hi n o. Vésperas I Sa l m o d i a Salmos e cântico do Domingo III. Ant. 1 Elevado ao mais

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

Português. Sagrada Família de Jesus, Maria e José B. Leitura I Ben-Sirá 3,3-7.14-17a (gr. 2-6.12-14)

Português. Sagrada Família de Jesus, Maria e José B. Leitura I Ben-Sirá 3,3-7.14-17a (gr. 2-6.12-14) Português Sagrada Família de Jesus, Maria e José B Deus apareceu na terra e começou a viver no meio de nós. (cf. Bar 3,38) Leitura I Ben-Sirá 3,3-7.14-17a (gr. 2-6.12-14) Deus quis honrar os pais nos filhos

Leia mais

II ENCONTRO SALMOS 148, 64, 8, 138 Deus Criador do mundo e do homem

II ENCONTRO SALMOS 148, 64, 8, 138 Deus Criador do mundo e do homem 1 II ENCONTRO SALMOS 148, 64, 8, 138 Deus Criador do mundo e do homem 1. Introdução Depois da pequena etapa de 2 semanas, vamos ser lançados para uma etapa maior. Mas o percurso de oração faz-se pela busca

Leia mais

DESAFIOS PARA NOSSA MISSÃO HOJE ENVIADOS ÀS FRONTEIRAS

DESAFIOS PARA NOSSA MISSÃO HOJE ENVIADOS ÀS FRONTEIRAS DESAFIOS PARA NOSSA MISSÃO HOJE ENVIADOS ÀS FRONTEIRAS Introdução Iniciamos nossa oração comunitária acolhendo as palavras que o Santo Padre dirigiu aos membros da Congregação Geral 35: Hoje desejo animar-vos

Leia mais

VII ENCONTRO SALMOS 21 (I), 117, 21 (II) e 125 A PÁSCOA DE JESUS E A PÁSCOA DA HUMANIDADE

VII ENCONTRO SALMOS 21 (I), 117, 21 (II) e 125 A PÁSCOA DE JESUS E A PÁSCOA DA HUMANIDADE 1 VII ENCONTRO SALMOS 21 (I), 117, 21 (II) e 125 A PÁSCOA DE JESUS E A PÁSCOA DA HUMANIDADE 1. Introdução Depois de uma fase tão intensa de oração como a anterior, chegamos ao ponto alto da peregrinação

Leia mais

A Santa Sé PAPA FRANCISCO ANGELUS. Praça de São Pedro Domingo, 15 de Fevereiro de 2015

A Santa Sé PAPA FRANCISCO ANGELUS. Praça de São Pedro Domingo, 15 de Fevereiro de 2015 A Santa Sé PAPA FRANCISCO ANGELUS Praça de São Pedro Domingo, 15 de Fevereiro de 2015 [Multimídia] Amados irmãos e irmãs, bom dia! Nos últimos domingos o evangelista Marcos tem-nos contado a acção de Jesus

Leia mais

SAGRADA FAMÍLIA 28 de dezembro de 2014

SAGRADA FAMÍLIA 28 de dezembro de 2014 SAGRADA FAMÍLIA 28 de dezembro de 2014 Maria e José levaram Jesus a Jerusalém a fim de apresentá-lo ao Senhor Leituras: Genesis 15, 1-6; 21,1-3; Salmo 104 (105), 1b-2, 3.4-5.6.8-9 (R/ 7a.8a); Carta aos

Leia mais

www.aciportugal.org ESTOU NESTE MUNDO COMO NUM GRANDE TEMPLO Santa Rafaela Maria

www.aciportugal.org ESTOU NESTE MUNDO COMO NUM GRANDE TEMPLO Santa Rafaela Maria www.aciportugal.org ESTOU NESTE MUNDO COMO NUM GRANDE TEMPLO Santa Rafaela Maria 2 www.aciportugal.org 11 ORAÇÃO FINAL Senhor Jesus Cristo, hoje sentimos a Tua paixão por cada um de nós e pelo mundo. O

Leia mais

MARIA, MÃE DA MISERICÓRDIA! INTRODUÇÃO

MARIA, MÃE DA MISERICÓRDIA! INTRODUÇÃO MARIA, MÃE DA MISERICÓRDIA! INTRODUÇÃO A pessoa de Maria foi desde os primeiros séculos do cristianismo uma grade fonte de inspiração para o povo cristão. De fato nas catacumbas de Roma, onde os cristãos

Leia mais

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO Disponível em: www.seminariomaiordebrasilia.com.br Acesso em 13/03/2014 A palavra Quaresma surge no século IV e tem um significado profundo e simbólico para os cristãos

Leia mais

CULTO DE ABERTURA DO SEMESTRE FACULDADES EST- 24/02/2013 2 º DOMINGO DE QUARESMA LITURGIA DE ENTRADA

CULTO DE ABERTURA DO SEMESTRE FACULDADES EST- 24/02/2013 2 º DOMINGO DE QUARESMA LITURGIA DE ENTRADA CULTO DE ABERTURA DO SEMESTRE FACULDADES EST- 24/02/2013 2 º DOMINGO DE QUARESMA LITURGIA DE ENTRADA Assim nós invocamos a presença de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém. Hino: HPD II 330 Abraço de

Leia mais

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR CANTO 1 - LOUVOR DA CRIAÇÃO D Bm G Em A7 D Bm G Em A7 Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! D F#m G Em A7 1. Javé o nosso Deus é poderoso, seu nome é grande em todas as nações D F#m G Em A7 Na boca das crianças

Leia mais

VI ENCONTRO SALMOS 129, 35, 50, 31 A EXPERIÊNCIA DRAMÁTICA DO PECADO E A SURPRESA REDENTORA DO PERDÃO DE DEUS

VI ENCONTRO SALMOS 129, 35, 50, 31 A EXPERIÊNCIA DRAMÁTICA DO PECADO E A SURPRESA REDENTORA DO PERDÃO DE DEUS 1 VI ENCONTRO SALMOS 129, 35, 50, 31 A EXPERIÊNCIA DRAMÁTICA DO PECADO E A SURPRESA REDENTORA DO PERDÃO DE DEUS 1. Introdução Depois de na etapa anterior termos rezado os inimigos e nos termos confiado

Leia mais

Músicos, Ministros de Cura e Libertação

Músicos, Ministros de Cura e Libertação Músicos, Ministros de Cura e Libertação João Paulo Rodrigues Ferreira Introdução Caros irmãos e irmãs; escrevo para vocês não somente para passar instruções, mas também partilhar um pouco da minha experiência

Leia mais

SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE JESUS CRISTO 25 DE DEZEMBRO DE 2015. Paróquia de S. João Baptista de Vila do Conde Eucaristia dinamizada pelos catequistas

SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE JESUS CRISTO 25 DE DEZEMBRO DE 2015. Paróquia de S. João Baptista de Vila do Conde Eucaristia dinamizada pelos catequistas SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE JESUS CRISTO 25 DE DEZEMBRO DE 2015 Admonição de entrada [Matilde Carvalho] Entrada: toca o Sino Toca o sino pequenino Sino de Belém Já nasceu o Deus menino Para o nosso bem

Leia mais

fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.

fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus. ACESSO A DEUS Texto Base: Rm 5.2 =... pôr intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus. Introdução: Ter acesso

Leia mais

ESTUDOS PARA AS CÉLULAS AS SETE VERDADES ESSÊNCIAIS DO EVANGELHO

ESTUDOS PARA AS CÉLULAS AS SETE VERDADES ESSÊNCIAIS DO EVANGELHO 1 ESTUDOS PARA AS CÉLULAS AS SETE VERDADES ESSÊNCIAIS DO EVANGELHO LIÇÃO Nº 01 DIA 16/06/2014 INTRODUÇÃO: Vamos começar uma nova série de estudos em nossas células. Esta será uma série muito interessante

Leia mais

DOMINGO XXIII DO TEMPO COMUM ANO B LEITURAS

DOMINGO XXIII DO TEMPO COMUM ANO B LEITURAS Ministério dos leitores PREPARAR PARA PROCLAMAR Os fiéis, de acordo com o Livro dos Atos dos Apóstolos, quando se reúnem dominicalmente, no dia do Senhor têm como finalidade primeira escutar a Palavra

Leia mais

1ª ESTAÇÃO: JESUS É CONDENADO À MORTE

1ª ESTAÇÃO: JESUS É CONDENADO À MORTE Romeiros da Matriz de Vila Franc a do Campo VIA SACRA EUCARÍSTICA Quaresma 2014 D: Graças e louvores se dêem a todo o momento! (3x) Todos: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento! D: Em nome do Pai, do

Leia mais

MISSA DE ABERTURA DA CATEQUESE

MISSA DE ABERTURA DA CATEQUESE MISSA DE ABERTURA DA CATEQUESE XXV domingo do tempo comum 23/09/2012 Igreja de Cedofeita ENTRADA Eu vi meu Deus e Senhor, aleluia, aleluia. Cantai ao amor, cantai, aleluia, aleluia. ADMONIÇÃO DE ENTRADA

Leia mais

OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO ORAÇÃO A SÃO JERÔNIMO. Pai nosso que estais nos céus. Santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso reino

OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO ORAÇÃO A SÃO JERÔNIMO. Pai nosso que estais nos céus. Santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso reino OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO Pai nosso que estais nos céus Santificado seja o vosso nome Venha a nós o vosso reino Seja feita a vossa vontade Assim na Terra como no Céu O pão nosso de cada dia nos dai hoje

Leia mais

Glória! Glória! Glória! Glória ao Senhor! Glória pelos séculos sem fim!

Glória! Glória! Glória! Glória ao Senhor! Glória pelos séculos sem fim! Page 1 of 6 GUIÃO DA CELEBRAÇÃO DA 1ª COMUNHÃO 2006 Ambientação Irmãos: Neste Domingo, vamos celebrar e viver a Eucaristia com mais Fé e Amor e também de uma maneira mais festiva, já que é o dia da Primeira

Leia mais

Preparando-se para a luta espiritual (O capacete da salvação e a espada do Espírito) Efésios 6.17,18 Pr. Vlademir Silveira Série Armadura de Deus

Preparando-se para a luta espiritual (O capacete da salvação e a espada do Espírito) Efésios 6.17,18 Pr. Vlademir Silveira Série Armadura de Deus Preparando-se para a luta espiritual (O capacete da salvação e a espada do Espírito) Efésios 6.17,18 Pr. Vlademir Silveira Série Armadura de Deus Mensagem # 5 IBMC 03/11/12 INTRODUÇÃO Vídeo: Como ter a

Leia mais

Músicas para Páscoa. AO REDOR DA MESA F Gm C C7 F Refr.: Ao redor da mesa, repartindo o pão/ A maior riqueza dos que são irmãos.

Músicas para Páscoa. AO REDOR DA MESA F Gm C C7 F Refr.: Ao redor da mesa, repartindo o pão/ A maior riqueza dos que são irmãos. Músicas para Páscoa AO PARTIRMOS O PÃO E C#m #m B7 E7 A C#M Refr.: Ao partirmos o pão reconhecemos/ Jesus Cristo por nós ressuscitado./ Sua paz B7 E A B7 E recebemos e levamos,/ Ao nosso irmão que está

Leia mais

BASES DA CONVERSÃO CRISTÃ E DO DISCIPULADO

BASES DA CONVERSÃO CRISTÃ E DO DISCIPULADO BASES DA CONVERSÃO CRISTÃ E DO DISCIPULADO O que é uma pessoa cristã? É a pessoa que acredita que o Deus vivo é revelado em e por meio de Jesus Cristo, que aceita Jesus Cristo como Senhor e Salvador, que

Leia mais

No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!

No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! SÉRIE: QUEM É JESUS? Jesus é o Cordeiro de Deus Data: / 09 / 2010 - Semana 4. No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! 1 / 7 1)

Leia mais

NOVENA DE NATAL 2015. O Natal e a nossa realidade. A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel.

NOVENA DE NATAL 2015. O Natal e a nossa realidade. A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel. NOVENA DE NATAL 2015 O Natal e a nossa realidade A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel. (Is 7,14) APRESENTAÇÃO O Natal se aproxima. Enquanto renovamos a esperança de

Leia mais

CELEBRAÇÃO DA FESTA DA PALAVRA

CELEBRAÇÃO DA FESTA DA PALAVRA PARÓQUIA DE SANTA MARIA DE BORBA CELEBRAÇÃO DA FESTA DA PALAVRA Feliz o homem que ama a Palavra do Senhor e Nela medita dia e noite (Sl 1, 1-2) 4º ANO da CATEQUESE 17 de Janeiro de 09 ENTRADA PROCESSIONAL

Leia mais

LIÇÃO TÍTULO TEXTO PRINCÍPIO VERSÍCULOS-CHAVE ALVOS

LIÇÃO TÍTULO TEXTO PRINCÍPIO VERSÍCULOS-CHAVE ALVOS TEMA CENTRAL Todos os direitos reservados por: MINISTÉRIO IGREJA EM CÉLULAS R. Ver. Antônio Carnasciali, 1661 CEP 81670-420 Curitiba-Paraná Fone/fax: (041) 3276-8655 trabalhoemconjunto@celulas.com.br edile@celulas.com.br

Leia mais

Pe. Nilton César Boni, cmf

Pe. Nilton César Boni, cmf EDITORA AVE-MARIA Apresentação Após a homilia na Sagrada Liturgia, rezamos solenemente o Credo como profissão de nossa fé. Em primeira pessoa, o fiel diz publicamente Creio referindo-se às verdades do

Leia mais

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT)

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) 11-02-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze Em que sentido toda a vida de Cristo é Mistério? Toda a vida

Leia mais

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa. 4 de Março de 2014

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa. 4 de Março de 2014 Adoração ao Santíssimo Sacramento Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa 4 de Março de 2014 Leitor: Quando nós, cristãos, confessamos a Trindade de Deus, queremos afirmar que Deus não é um ser solitário,

Leia mais

XV DOMINGO DO TEMPO COMUM

XV DOMINGO DO TEMPO COMUM XV DOMINGO DO TEMPO COMUM Jesus chamou os doze Apóstolos e começou a enviá-los dois a dois 1. Admonição de entrada 2. Entrada: Em nome do Pai Refrão: Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito

Leia mais

ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO

ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO ESTUDO 1 NOVA VIDA O presente curso ajudará você a descobrir fatos da Palavra de Deus, fatos os quais você precisa para viver a vida em toda a sua plenitude. Por este estudo

Leia mais

Lausperene. Senhor Jesus, Eu creio que estais presente no pão da Eucaristia. Senhor, eu creio em Vós.

Lausperene. Senhor Jesus, Eu creio que estais presente no pão da Eucaristia. Senhor, eu creio em Vós. Lausperene Cântico: Dá-nos um coração Refrão: Dá-nos um coração, grande para amar, Dá-nos um coração, forte para lutar. 1. Homens novos, criadores da história, construtores da nova humanidade; homens novos

Leia mais

Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015

Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015 Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015 Introdução: Educar na fé, para a paz, a justiça e a caridade Este ano a Igreja no Brasil está envolvida em dois projetos interligados: a lembrança

Leia mais

TEMPO DO NATAL I. ATÉ À SOLENIDADE DA EPIFANIA HINOS. Vésperas

TEMPO DO NATAL I. ATÉ À SOLENIDADE DA EPIFANIA HINOS. Vésperas I. ATÉ À SOLENIDADE DA EPIFANIA No Ofício dominical e ferial, desde as Vésperas I do Natal do Senhor até às Vésperas I da Epifania do Senhor, a não ser que haja hinos próprios: HINOS Vésperas Oh admirável

Leia mais

VIGÍLIA DE LOUVOR JOVEM

VIGÍLIA DE LOUVOR JOVEM VIGÍLIA DE LOUVOR JOVEM Se espera de uma v i g í l i a jo v e m um bom planejamento, divulgação, objetivo e um tema definido acertando em cheio o objetivo proposto no planejamento da vigília. Em uma vigília

Leia mais

Vinho Novo Viver de Verdade

Vinho Novo Viver de Verdade Vinho Novo Viver de Verdade 1 - FILHOS DE DEUS - BR-LR5-11-00023 LUIZ CARLOS CARDOSO QUERO SUBIR AO MONTE DO SENHOR QUERO PERMANECER NO SANTO LUGAR QUERO LEVAR A ARCA DA ADORAÇÃO QUERO HABITAR NA CASA

Leia mais

Cântico: Dá-nos um coração

Cântico: Dá-nos um coração Cântico: Dá-nos um coração Refrão: Dá-nos um coração, grande para amar, Dá-nos um coração, forte para lutar. 1. Homens novos, criadores da história, construtores da nova humanidade; homens novos que vivem

Leia mais

COMISSÃO BÍBLICA PASTORAL 1º DOMINGO DO ADVENTO ANO B

COMISSÃO BÍBLICA PASTORAL 1º DOMINGO DO ADVENTO ANO B COMISSÃO BÍBLICA PASTORAL 1º DOMINGO DO ADVENTO ANO B Tema: Ficai atentos, pois não sabeis quando chegará o momento. Acolhida: Sejam todos bem-vindos. Vamos refletir e rezar em comunidade, acolhendo a

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS COLABORADORES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO -ACHUAP-

ASSOCIAÇÃO DOS COLABORADORES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO -ACHUAP- 1 ASSOCIAÇÃO DOS COLABORADORES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO -ACHUAP- DIA 15.06.2010 MOMENTO ORANTE ECUMÊNICO PELA PASSAGEM DO 59º ANIVERSÁRIO DA ACHUAP (para propiciar momento de silêncio e

Leia mais

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo.

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. 1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. Ao contribuir com o dízimo, saímos de nós mesmos e reconhecemos que pertencemos tanto à comunidade divina quanto à humana. Um deles, vendo-se

Leia mais

Entrada da Palavra: Comentário da Palavra: Permaneçamos em pé para acolher o Livro Santo de Nossa Fé, a Palavra de Deus, cantando.

Entrada da Palavra: Comentário da Palavra: Permaneçamos em pé para acolher o Livro Santo de Nossa Fé, a Palavra de Deus, cantando. Celebração de Encerramento PREPARAR 1. Bíblia e velas para a Procissão de Entrada da Palavra 2. Sementes de girassóis para cada catequista depositar num prato com terra diante do altar durante a homilia

Leia mais

Orações. Primeira Parte

Orações. Primeira Parte EDITORA AVE-MARIA Primeira Parte Orações Não vos inquieteis com nada! Em todas as circunstâncias apresentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração, as súplicas e a ação de graças. (Filipenses

Leia mais

Solenidade da Assunção de Nª Senhora. Ano B

Solenidade da Assunção de Nª Senhora. Ano B Solenidade da Assunção de Nª Senhora Admonição Inicial Cântico Inicial (Tu és o Sol) Refrão: Tu és o sol de um novo amanhecer! Tu és farol, a vida a renascer Maria! Maria! És poema de amor! És minha Mãe

Leia mais

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS Infância/Adolescencia MISSÃO MISSÃO. Palavra muito usada entre nós É encargo, incumbência Missão é todo apostolado da Igreja. Tudo o que a Igreja faz e qualquer campo.

Leia mais

Curso de Discipulado

Curso de Discipulado cidadevoadora.com INTRODUÇÃO 2 Este curso é formado por duas partes sendo as quatro primeiras baseadas no evangelho de João e as quatro últimas em toda a bíblia, com assuntos específicos e muito relevantes

Leia mais

Pr. Ademilson Ribeiro Presidente do Ministério Graça Plena

Pr. Ademilson Ribeiro Presidente do Ministério Graça Plena Pr. Ademilson Ribeiro Presidente do Ministério Graça Plena Texto: (2º cor 9.6) "Celebrai com júbilo ao Senhor" Introdução Ao completar dez anos (10) de existência, o Ministério Graça Plena chega em 2014,

Leia mais

Oração na Vida Diária

Oração na Vida Diária Oração na Vida Diária Caro jovem,, Que alegria saber que como você muitos jovens estão encontrando um caminho para a oração pessoal e diária. Continue animado com a busca de um relacionamento mais pessoal

Leia mais

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal Personal Commitment Guide Guia de Compromisso Pessoal Nome da Igreja ou Evento Nome do Conselheiro Telefone 1. Salvação >Você já atingiu um estágio na vida em que você tem a certeza da vida eterna e que

Leia mais

III MODELOS DE ORAÇÃO UNIVERSAL

III MODELOS DE ORAÇÃO UNIVERSAL III MODELOS DE ORAÇÃO UNIVERSAL 229. I Irmãos e irmãs: Celebrando o especial dom da graça e da caridade, com que Deus Se dignou consagrar o amor dos nossos irmãos N. e N., confiemo-los ao Senhor, dizendo

Leia mais

CANTOS - Novena de Natal

CANTOS - Novena de Natal 1 1 - Refrão Meditativo (Ritmo: Toada) D A7 D % G Em A7 % Onde reina o amor, frater---no amor. D A7 D % G A7 D Onde reina o amor, Deus aí está! 2 - Deus Trino (Ritmo: Balada) G % % C Em nome do Pai / Em

Leia mais

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida.

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida. LITURGIA DA PALAVRA A Palavra de Deus proclamada e celebrada - na Missa - nas Celebrações dos Sacramentos (Batismo, Crisma, Matrimônio...) A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa

Leia mais

Papa: "Onde nasce Deus, nasce a esperança e floresce a misericórdia" 2015-12-25 Rádio Vaticana

Papa: Onde nasce Deus, nasce a esperança e floresce a misericórdia 2015-12-25 Rádio Vaticana Papa: "Onde nasce Deus, nasce a esperança e floresce a misericórdia" 2015-12-25 Rádio Vaticana Onde nasce Deus, nasce a esperança, nasce a paz e floresce a misericórdia. Na tradicional Mensagem Urbi et

Leia mais

O PLANO CONTRA LÁZARO

O PLANO CONTRA LÁZARO João 12 Nesta Lição Estudará... Jesus em Betânia O Plano Contra Lázaro Jesus Entra em Jerusalém Alguns Gregos Vão Ver Jesus Anuncia a Sua Morte Os Judeus Não Crêem As Palavras de Jesus Como Juiz JESUS

Leia mais

COMPARTILHAR A MINHA HISTÓRIA O OITAVO PASSO NO CAMINHO DA RESTAURAÇÃO

COMPARTILHAR A MINHA HISTÓRIA O OITAVO PASSO NO CAMINHO DA RESTAURAÇÃO INTRODUÇÃO: COMPARTILHAR A MINHA HISTÓRIA O OITAVO PASSO NO CAMINHO DA RESTAURAÇÃO AO LONGO DE ALGUMAS SEMANAS TEMOS APRENDIDO A RESPEITO DO CAMINHO DA RESTAURAÇÃO VIMOS, OS SETE PRIMEIROS PASSOS, AOS

Leia mais

Oração na Vida Diária

Oração na Vida Diária Oração na Vida Diária ocê é convidado a iniciar uma experiência de oração. Às vezes pensamos que o dia-a-dia com seus ruídos, suas preocupações e sua correria não é lugar apropriado para levantar nosso

Leia mais

Hora Santa pela santificação do Clero

Hora Santa pela santificação do Clero Hora Santa pela santificação do Clero Solenidade do Sagrado Coração de Jesus - 12 de Junho de 2015 1. ABERTURA Animador: Caríssimos irmãos e irmãos, neste dia em que a Igreja celebra a Solenidade do Sagrado

Leia mais

Oração ao finalizar o Ano 2015

Oração ao finalizar o Ano 2015 Oração ao finalizar o Ano 2015 QUE SEU AMOR SE EXTENDA POR TODA A TERRA Reunimos em oração no último dia do Ano para dar graças a Deus por tantos dons recebidos pessoalmente, na família, na comunidade,

Leia mais

Plano Pedagógico do Catecismo 6

Plano Pedagógico do Catecismo 6 Plano Pedagógico do Catecismo 6 Cat Objetivos Experiência Humana Palavra Expressão de Fé Compromisso PLANIFICAÇÃO de ATIVIDADES BLOCO I JESUS, O FILHO DE DEUS QUE VEIO AO NOSSO ENCONTRO 1 Ligar a temática

Leia mais

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 NO CAMINHO DO DISCIPULADO MISSIONÁRIO, A EXPERIÊNCIA DO ENCONCONTRO: TU ÉS O MESSIAS, O FILHO DO DEUS VIVO INTRODUÇÃO Queridos/as Catequistas! Com nossos cumprimentos

Leia mais

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS 1 TEXTO BÍBLICO - Lucas 6,12-19 (Fazer uma Oração ao Espírito Santo, ler o texto bíblico, fazer um momento de meditação, refletindo sobre os três verbos do texto

Leia mais

CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ

CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ SEIA 23 DE JUNHO 2013 ENTRADA NÓS SOMOS AS PEDRAS VIVAS DO TEMPLO DO SENHOR, NÓS SOMOS AS PEDRAS VIVAS DO TEMPLO DO SENHOR, POVO SACERDOTAL, IGREJA SANTA

Leia mais

Dá-me de beber! João 4,7

Dá-me de beber! João 4,7 SEMANA DE ORAÇÃO PELA UNIDADE DOS CRISTÃOS 18 a 25 Janeiro de 2015 Dá-me de beber! João 4,7 CONSELHO PORTUGUÊS DE IGREJAS CRISTÃS COMISSÃO EPISCOPAL MISSÃO E NOVA EVANGELIZAÇÃO CELEBRAÇÃO DE CULTO ECUMÉNICO

Leia mais

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005 FESTA DO Pai-Nosso Igreja de S. José de S. Lázaro 1º ano 1 7 de Maio de 2005 I PARTE O acolhimento será feito na Igreja. Cada criança ficará com os seus pais nos bancos destinados ao seu catequista. Durante

Leia mais

Domingo dentro da Oitava de Natal SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ. Vésperas I

Domingo dentro da Oitava de Natal SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ. Vésperas I Domingo dentro da Oitava de Natal Semana I do Saltério SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ Festa Quando o Natal do Senhor é num Domingo, a festa da Sagrada Família celebra-se no dia 30 de Dezembro e

Leia mais

Eucaristia V Domingo do Tempo Comum Dinamiza 5º ano

Eucaristia V Domingo do Tempo Comum Dinamiza 5º ano Eucaristia V Domingo do Tempo Comum Dinamiza 5º ano Entrada: Em nome do Pai Refrão: Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito Santo, estamos aqui (BIS) 1- Para louvar e agradecer, bendizer

Leia mais

Você quer ser um Discípulo de Jesus?

Você quer ser um Discípulo de Jesus? Você quer ser um Discípulo de Jesus? A História do povo de Israel é a mesma história da humanidade hoje Ezequel 37:1-4 Eu senti a presença poderosa do Senhor, e o seu Espírito me levou e me pôs no meio

Leia mais

Pregação proferida pelo pastor João em 03/02/2011. Próxima pregação - Efésios 4:1-16 - A unidade do corpo de Cristo.

Pregação proferida pelo pastor João em 03/02/2011. Próxima pregação - Efésios 4:1-16 - A unidade do corpo de Cristo. 1 Pregação proferida pelo pastor João em 03/02/2011. Próxima pregação - Efésios 4:1-16 - A unidade do corpo de Cristo. Amados Irmãos no nosso Senhor Jesus Cristo: É devido à atuação intima do Espírito

Leia mais

sinal de tristeza. Sinal de morte!

sinal de tristeza. Sinal de morte! CULTO FAMÍLIA: Reflexão sobre a morte e o luto Acreditamos que todos nós já sofremos a perda de alguém, seja familiar, amigo, vizinho ou apenas conhecido. Nos sentimos impotentes, indefesos, medrosos diante

Leia mais

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo Tens uma tarefa importante para realizar: 1- Dirige-te a alguém da tua confiança. 2- Faz a pergunta: O que admiras mais em Jesus? 3- Regista a resposta nas linhas.

Leia mais

Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento).

Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento). O Caminho de Emaús Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento). Leitura: Lc 24, 13-35 Todos nós percorremos frequentemente o

Leia mais

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você!

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você! MANUAL Esperança Casa de I G R E J A Esperança Uma benção pra você! I G R E J A Esperança Uma benção pra você! 1O que é pecado Sem entender o que é pecado, será impossível compreender a salvação através

Leia mais

Igreja Batista Itacuruçá ESTAÇÃ ÇÃO DO EVANGELISMO

Igreja Batista Itacuruçá ESTAÇÃ ÇÃO DO EVANGELISMO Igreja Batista Itacuruçá ESTAÇÃ ÇÃO DO EVANGELISMO ORIENTAÇÕES GERAIS Bem-vindos à nova estação dos GFs: a estação do evangelismo! Nesta estação queremos enfatizar pontos sobre nosso testemunho de vida

Leia mais

CANTOS PARA O NATAL CANTO DE ENTRADA:

CANTOS PARA O NATAL CANTO DE ENTRADA: CANTO DE ENTRADA: CANTOS PARA O NATAL 01. PEQUENINO SE FEZ (SL 95): J.Thomaz Filho e Fr.Fabretti Pequenino se fez nosso irmão, Deus-conosco! Brilhou nova luz! Quem chorou venha ver que o Menino tem razão

Leia mais

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto. Mateus 4, 1-11 Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.». Este caminho de 40 dias de jejum, de oração, de solidariedade, vai colocar-te

Leia mais

Jesus revela-nos que Deus é. Pai. Conselho Inter-paroquial de Catequese Esporões, 24 de Janeiro de 2008

Jesus revela-nos que Deus é. Pai. Conselho Inter-paroquial de Catequese Esporões, 24 de Janeiro de 2008 Jesus revela-nos que Deus é Pai Conselho Inter-paroquial de Catequese Esporões, 24 de Janeiro de 2008 Quem inventou Deus? Desde sempre que os homens acreditaram na existência de forças muito poderosas

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

DIRECTÓRIO GERAL DA CATEQUESE - SDCIA/ISCRA -2 Oração inicial Cântico - O Espírito do Senhor está sobre mim; Ele me enviou para anunciar aos pobres o Evangelho do Reino! Textos - Mc.16,15; Mt.28,19-20;

Leia mais

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS 1 LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS Lc 19 1 Jesus entrou em Jericó e estava atravessando a cidade. 2 Morava ali um homem rico, chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores

Leia mais

1ª Carta de João. A Palavra da Vida. Deus é luz. Nós somos pecadores. Cristo, nosso defensor junto a Deus

1ª Carta de João. A Palavra da Vida. Deus é luz. Nós somos pecadores. Cristo, nosso defensor junto a Deus 1ª Carta de João A Palavra da Vida 1 1 O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e o que as nossas mãos apalparam da Palavra da Vida 2 vida esta que

Leia mais

3º trimestre da caminhada sinodal PROPOSTA PARA JOVENS

3º trimestre da caminhada sinodal PROPOSTA PARA JOVENS 3º trimestre da caminhada sinodal PROPOSTA PARA JOVENS Esta é uma proposta de trabalho para grupos de jovens. Pretende-se que, a partir da Palavra e da reflexão acerca do seu próprio encontro com Jesus,

Leia mais

Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015]

Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015] 1 Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015] Página 9 Na ilustração, Jesus está sob a árvore. Página 10 Rezar/orar. Página 11 Amizade, humildade, fé, solidariedade,

Leia mais

Celebração Comunitária do SACRAMENTO DO BAPTISMO

Celebração Comunitária do SACRAMENTO DO BAPTISMO Celebração Comunitária do SACRAMENTO DO BAPTISMO O Baptismo, porta da vida e do reino, é o primeiro sacramento da nova lei, que Cristo propôs a todos para terem a vida eterna, e, em seguida, confiou à

Leia mais

O PODER DA ORAÇAO E DA SANTIFICAÇAO

O PODER DA ORAÇAO E DA SANTIFICAÇAO O PODER DA ORAÇAO E DA SANTIFICAÇAO PROGRAMA A HORA MILAGROSA Assim nos ensinou o Santo Irmão Aldo sobre o poder da oração e da santificação: Todo o filho de Deus deve ser dado à oração e à meditação.

Leia mais

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 Mantendo-vos, portanto, firmes, tendo cingido os vossos rins com a verdade, vestindo a couraça da justiça e calçando os pés

Leia mais

Explicação da Missa MISSA

Explicação da Missa MISSA Explicação da Missa Reunidos todos os catequizandos na Igreja, num primeiro momento mostram-se os objetos da missa, ensinam-se os gestos e explicam-se os ritos. Em seguida celebra-se a missa sem interrupção.

Leia mais

Maria: Mãe obediente à Palavra de Jesus!

Maria: Mãe obediente à Palavra de Jesus! 4º Dia Maria: Mãe obediente à Palavra de Jesus! Bodas de Caná A obediência de Maria é obediência a seu Filho e, por meio dele, ao Pai. A fé é dinâmica em nossa vida e nos desacomoda. Ser cristão é escutar

Leia mais

Consolidação para o Discipulado - 1

Consolidação para o Discipulado - 1 Consolidação para o Discipulado - 1 Fortalecendo o novo convertido na Palavra de Deus Rev. Edson Cortasio Sardinha Consolidador/a: Vida consolidada: 1ª Lição: O Amor de Deus O amor de Deus está presente

Leia mais