DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DISSERTAÇÃO DE MESTRADO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA CIVIL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL NORMAS DE FORMATAÇÃO E REDAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Outubro de 2003

2 1. Estrutura geral do documento A redação e a formatação de textos científicos acadêmicos é normalizada pela NBR (2002): Informação e documentação - trabalhos acadêmicos - apresentação. Segundo esta norma, a estrutura de um trabalho acadêmico compreende, na ordem, os elementos mostrados a seguir. Estrutura Pré-textuais Elemento Capa Folha de rosto Folha de aprovação Dedicatória Agradecimentos Resumo em língua portuguesa Resumo em língua estrangeira Lista de símbolos, abreviaturas e siglas Sumário Textuais Introdução Desenvolvimento Conclusão Pós-textuais Referências Apêndices Anexos Os elementos desta tabela aparecem na ordem em que devem estar no texto da dissertação. Embora a norma considere outros elementos, esses são os mais importantes para um trabalho de Mestrado. 1

3 2. Formatação do texto Página Papel tamanho A4 (210mm x 297mm), orientação retrato, com margens superior e esquerda de 30 mm e margens inferior e direita de 25 mm. Não há limitação do número de páginas. Fonte O texto deverá ter fonte Times New Roman, preto, tamanho 12, espaçamento 1,5 entre as linhas. As seções principais do trabalho deverão ser em letras maiúsculas e em negrito. As subseções deverão ser em negrito e ter apenas a primeira letra maiúscula. Parágrafos Deixar uma linha em branco entre seções e subseções e entre parágrafos. Os parágrafos não devem ter recuo. Podem ser inseridas notas de rodapé, segundo os padrões usuais. Numeração A numeração das páginas deve ser em algarismos arábicos, sendo única e consecutiva, em ordem crescente até o final do texto. A numeração das figuras, tabelas e equações deve ser em algarismos arábicos, sendo vinculada por capítulo. Figuras e Tabelas As figuras e tabelas serão centralizadas nas margens e dispostas ao longo do texto. Os estilos de bordas e preenchimentos de tabelas e figuras são livres. Os títulos das figuras devem estar centralizados nas figuras, imediatamente abaixo. Os títulos das tabelas devem ser alinhados à esquerda nas tabelas, imediatamente acima. As figuras e tabelas poderão ser coloridas. 2

4 Figura Distribuição das tensões na viga. Tabela Módulos de elasticidade (MPa) das lâminas. Lâmina Viga 1 Viga 2 Viga 3 Viga 4 Viga As chamadas de figuras e tabelas não devem estar abreviadas ao longo do texto e terão a primeira letra maiúscula, conforme se exemplifica: Conforme ilustra a Figura ou de acordo com a Tabela Equações Devem estar alinhadas à esquerda, com numeração alinhada à direita. A formatação no editor de equações é livre. Ao ser citada no texto, a equação deve aparecer com a primeira letra maiúscula, não devendo ser abreviada. Veja exemplo da Equação 1.1. k P = (1.1) ( ) k0 k + 0 k1 1 e n Termos estrangeiros, siglas e abreviaturas Devem ser destacados no texto: grifados, entre aspas ou em itálico. 3

5 3. O estilo da redação Para que o leitor possa acompanhar a argumentação do trabalho de dissertação, é necessário que o texto seja bem construído. Genericamente, a redação de textos científicos deve ter as seguintes características: coerência na argumentação, clareza na exposição das idéias, objetividade, concisão; as frases devem ser curtas e objetivas, e se possível, na voz passiva; evitar por um lado uma linguagem hermética e por outro lado a pomposidade pretensiosa, o verbalismo vazio, as fórmulas feitas e a linguagem sentimental; escreva em linguagem impessoal, na terceira pessoa; seja consistente, isto é, uma convenção ou critério usado em uma página deve ser mantido em todo o texto; não é necessário descrever o óbvio e as minúcias insignificantes. Evitando extremos de simplificação, considere que, em um trabalho científico especializado, deve-se presumir a competência técnica do leitor. Por outro lado, não deixe sem explicação os pontos essenciais. Algumas sugestões de estilo e linguagem para redação: 1. Observe os tempos de verbo: não existem regras absolutas neste aspecto, devendo haver coerência. Porém, alguns tempos verbais são mais adaptados para determinadas situações. Recomenda-se expor os resultados das observações e experimentos no passado e usar o presente para as generalidades ou para as referências a condições estáveis. Assim: ao relatar fatos científicos conhecidos ou descrever trabalhos publicados, use o presente do indicativo: A adubação nitrogenada é essencial [...] ; O trabalho de Oliveira (1970) mostra [...] ; 4

6 quando se explica o que foi feito ou obtido, utilize o passado: O paciente foi observado [...] ; Os dados foram obtidos [...] ; na Introdução e na Revisão Bibliográfica utilize o presente: O objetivo deste trabalho é mostrar [...] ; Os trabalhos recentes na área mostram que [...] ; use o passado em Materiais e Métodos e em Resultados : Foram usados ratos machos [...] ; O crescimento foi medido [...] ; Observou-se maior crescimento [...] ; 2. Use corretamente os parágrafos. Os parágrafos têm por finalidade expressar as etapas do raciocínio. Quando há mudança considerável de assunto, comece outro parágrafo. Deve-se evitar os extremos, de excesso ou de ausência de parágrafos. Os parágrafos devem encerrar um corpo de idéias coerentes, tendo fluência entre si. 3. Observe a pontuação. Use sempre que necessário o ponto final, a vírgula, o ponto-e-vírgula etc. 5

7 4. Descrição do conteúdo Título Descreve de forma lógica, rigorosa, breve e gramaticalmente correta, a essência do trabalho. Quando lido deve dar uma idéia precisa do assunto estudado. Resumo e Abstract As normas para redação e apresentação de resumos são dadas pela NBR 6028 (ABNT, 1990). O Resumo não é uma introdução ao artigo, mas sim uma descrição sumária da sua totalidade, na qual se procura realçar os aspectos desenvolvidos. Assim, nele devem constar o problema pesquisado, o material e o método empregado, os principais resultados obtidos e as conclusões. O Resumo deve permitir ao leitor uma compreensão geral da pesquisa, com julgamento da relevância do trabalho, incentivando ou não à sua leitura na íntegra. O texto deverá ser discursivo e não apenas uma lista dos tópicos que a dissertação cobre. Deve-se entrar na essência do Resumo logo na primeira frase, sem rodeios introdutórios. Não se devem citar referências bibliográficas, fórmulas e abreviaturas, a não ser em casos em que isto é realmente necessário. O Resumo deverá conter até 300 palavras, sendo limitado a uma página, devendo ser escrito numa seqüência de frases, excluindo a colocação de parágrafos. Para permitir o intercâmbio com entidades estrangeiras, ampliando sua divulgação, exige-se que o Resumo seja também escrito em língua inglesa (Abstract). O Abstract deve conter as mesmas informações que o Resumo, sem que haja necessidade de tradução literal. 6

8 Palavras-chave Devem ser escolhidas 5 palavras-chave, tão gerais e comuns quanto possível. Um bom critério é selecionar as que usaríamos para procurar na Internet um assunto semelhante ao nosso. Introdução A Introdução fornece ao leitor as razões e a natureza de uma pesquisa. A estrutura básica de uma Introdução deve conter, nesta ordem, os seguintes elementos: o contexto e a descrição do problema estudado; os objetivos e a justificativa da pesquisa; quando necessário, pode-se incluir a descrição da forma como a dissertação está estruturada. A redação da Introdução deve ser feita no final, pois normalmente se precisa de um texto antes de saber o que pode ser introduzido. Obs.: Alguns autores consideram que a Revisão Bibliográfica faça parte da Introdução. Em nosso caso a revisão poderá ser feita em um capítulo à parte e/ou distribuída ao longo dos capítulos. Revisão bibliográfica Na revisão bibliográfica deverá ser identificada a situação ou o contexto no qual o problema se encontra. É uma introdução do leitor ao tema, de forma a permitir-lhe uma visualização situacional do problema. Após a visão macro do tema, deve-se passar para o problema específico a ser pesquisado. Concentre-se somente no seu problema e identifique-o claramente. Delimite que aspectos ou elementos do problema você irá tratar. Mostre quais são as variáveis envolvidas e a relação entre elas. Apresente o estado da arte, os indicadores e as hipóteses fundamentais a serem 7

9 adotadas. A revisão deve ter uma seqüência lógica, devendo ser sucinta, seletiva e crítica. Evite que a revisão bibliográfica seja uma simples seqüência de citações de trabalhos realizados. Como foi dito no item Introdução, a Revisão Bibliográfica poderá ser feita em um capítulo à parte * e/ou distribuída ao longo dos capítulos. * com o título, por exemplo, de Revisão bibliográfica; Estado da arte; etc. Desenvolvimento Constitui a descrição de todos os pontos relevantes do trabalho realizado, ao longo de capítulos, seções e subseções, que variam em função da natureza do problema estudado. Esta parte da dissertação deve conter a metodologia (descrição dos materiais, métodos e procedimentos utilizados), a apresentação e a discussão dos resultados. Deve-se descrever os procedimentos em um nível de detalhamento que permita a reprodução das experiências com os materiais, equipamentos e as técnicas de análise utilizados. A apresentação, interpretação e discussão dos resultados é a parte mais importante do texto. É necessário assinalar as discrepâncias entre os resultados obtidos e as hipóteses iniciais, comprovando ou refutando estas. Mostre como os resultados podem ser generalizados, formando e sustentando a teoria proposta, e quando serão necessárias novas análises, além do limite da dissertação. A apresentação dos resultados deve ser clara, lógica, objetiva e acompanhada de comentários. Os resultados e a discussão podem aparecer em capítulos específicos ou serem distribuídos ao longo dos capítulos. Vale lembrar que o uso de figuras e tabelas permite uma leitura mais direta e esclarecedora dos dados e resultados, facilitando a compreensão do que está sendo apresentado. 8

10 Conclusão A conclusão deve recapitular sucintamente as diversas partes do corpo do texto, da discussão, unindo as idéias, buscando uma síntese final de sua contribuição. Em linguagem simples e direta, devem ser destacados os resultados mais representativos alcançados. Lembre-se que na Introdução o problema foi apresentado; portanto, mostre aqui como ficou a resposta ao que foi proposto. Uma Conclusão deve mostrar: o que é que a pesquisa conseguiu e qual a sua relevância; as vantagens e limitações das propostas apresentadas; referência a eventuais aplicações dos resultados obtidos; recomendações para trabalhos futuros. Referências bibliográficas As citações de fontes bibliográficas no texto devem seguir as instruções da NBR (ABNT, 2002), enquanto que a lista de referências bibliográficas deve seguir a orientação da NBR 6023 (ABNT, 2002). Deve ser usado o sistema de chamada autor-data. Os detalhes são dados nos Anexos 1 e 2. Estes anexos foram elaborados com base nas referidas normas, se diferenciando apenas pela seqüência dos assuntos, além do acréscimo de alguns comentários. Apêndices e Anexos O(s) apêndice(s) serve(m) para eventuais descrições ou detalhamentos de fórmulas, deduções, algoritmos, tabelas, etc. que seriam cansativos e desvirtuariam a objetividade de uma análise quando colocados no corpo do texto. O Apêndice constitui-se de matéria elaborada pelo próprio autor, a fim de complementar sua argumentação, enquanto que o Anexo contém documentos que não são elaborados pelo autor. 9

11 5. Normas para textos científicos As principais normas da ABNT que regulamentam a estrutura geral, o conteúdo, a apresentação e a redação de trabalhos científicos são: 1. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Informação e documentação - referências - elaboração: NBR Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Informação e documentação - apresentação de citações em documentos: NBR Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Informação e documentação - trabalhos acadêmicos - apresentação: NBR Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Apresentação de artigos em publicações periódicas: NBR Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Apresentação de periódicos: NBR Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Apresentação de relatórios técnico-científicos: NBR Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Numeração progressiva das seções de um documento: NBR Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Apresentação de originais: NBR Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Resumos: NBR Rio de Janeiro: ABNT,

12 Os detalhes da formatação (tamanho de fonte, espaçamentos, maiúsculas e minúsculas, etc.) dos elementos do texto (pré-textuais, textuais e pós-textuais) são dados no documento MODELO DA DISSERTAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL. Este modelo deve ser aproveitado em sua forma de documento do Word para a elaboração da dissertação. 11

13 Anexo 1 Citação de Referências Bibliográficas (NBR 10520) 1. Regras gerais Nas citações, as chamadas pelo sobrenome do autor, pela instituição responsável ou título incluído na sentença devem estar em letras maiúsculas e minúsculas e, quando estiverem entre parênteses, devem ser em letras maiúsculas; Exemplos: A ironia seria assim uma forma implícita de heterogeneidade mostrada, conforme a classificação proposta por Authier-Reiriz (1982). O calor gerado no processo de cura tem origem nas reações entre os componentes da mistura, principalmente pela presença da água e do cimento (CUNHA, 2003, p. 245). Indicação de: supressões: [...]; interpolações ou comentários: [ ]; ênfase ou destaques: grifo, negrito ou itálico; Informação verbal (palestras, debates etc.): indicar entre parênteses a expressão informação verbal, mencionando-se os dados disponíveis em nota de rodapé; Trabalhos em fase de elaboração: citar este fato através da expressão em fase de elaboração, mencionandose os dados disponíveis em nota de rodapé; As citações devem ser indicadas no texto pelo sistema de chamada numérico ou autor-data. No sistema numérico a indicação da fonte é feita por numeração única e consecutiva, colocada entre parênteses ou como sobrescrito. 12

14 2. Citação direta Quando se referem à transcrição literal de uma parte do texto de um autor, conservando-se a grafia, pontuação, idioma etc. Citação Direta Curta (até 3 linhas): deve ser feita na continuação do texto, entre aspas duplas. Especificar no texto a data, seguido da(s) página(s), volume(s), tomo(s) ou seção(ões) da fonte consultada. Exemplo: Maria Ortiz, moradora da Ladeira do Pelourinho, em Salvador, que de sua janela, [...]. Este fato levou os europeus a acreditarem que "o baiano ao meio dia vira mulher" (MOTT, 1988, p. 13). Citação Direta Longa (mais de 3 linhas): a citação deve estar recuada de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a utilizada no texto e sem aspas. Exemplo: Além disso, a qualidade do ensino fornecido era duvidosa, uma vez que as mulheres que o ministravam não estavam preparadas para exercer tal função. [...] se revelavam incapazes de ministrar o ensino de primeiras letras, lastimável era o nível do ensino nas escolas femininas, cujas mestras estiveram sempre mais ou menos marginalizadas do saber. (SAFFIOTI, 1997, p. 193). 3. Citação indireta Quando são redigidas pelo(s) autor(es) do trabalho a partir das idéias e contribuições de outro autor, portanto, consistem na reprodução do conteúdo e/ou idéia do documento original (paráfrase). A indicação da(s) página(s) consultada(s) é opcional. Exemplo: Somente em 15 de outubro de 1827, depois de longa luta, foi concedido às mulheres [...]. Note-se que o ensino da geometria era limitado às escolas de meninos, caracterizando uma diferenciação curricular (COSENZA, 1993, p. 6). 4. Citação de citação É a citação direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao original. Emprega-se a expressão apud (citado por). Exemplo: (CUNHA apud SOUSA, 1998, p. 32) CUNHA=autor original, não consultado SOUSA=autor consultado 13

15 5. Localização das citações a) Em nota de rodapé: Neste caso coloca-se um número ou um asterisco sobrescrito que deverá ser repetido no rodapé da página, onde será colocada a citação (com nota explicativa, quando for o caso). b) No texto: citação vem logo após ao texto. Neste caso as citações devem ser indicadas por um sistema numérico ou autor-data. Veja os diversos casos a seguir. Um autor: indica-se o sobrenome do autor Exemplo: A chamada pandectística havia sido a forma particular pela qual o direito romano fora integrado no século XIX na Alemanha em particular. (LOPES, 2000, p. 225); Dois autores: indica-se os sobrenomes dos autores, separados por e Exemplo: Merriam e Caffarella (1991) observam que a localização de recursos tem um papel crucial no processo de aprendizagem auto dirigida. Três ou mais autores: indicação do sobrenome do primeiro autor, seguido da expressão latina et al.. Exemplo: Urani et al. (1994, p. 8) já afirmavam que... Congressos, conferências, seminários etc.: menciona-se o nome completo do evento, desde que considerado como um todo. Exemplo: Os trabalhos apresentados no Congresso Brasileiro de Engenharia Mecânica (1997)... Documentos sem autoria: devem ser citados pela primeira palavra do título em letras maiúsculas seguida de reticências, data de publicação e número de páginas, se o título iniciar por artigo, ou monossílabo, este deve ser incluído na indicação da fonte. Exemplo: Em Nova Londrina (PR), as crianças são levadas às lavouras a partir dos 5 anos. (NOS CANAVIAIS..., 1995, p. 12). Entidades: quando consideradas como autor, podem ser citadas pela respectiva sigla, desde que, na primeira vez em que forem mencionadas, sejam citadas por extenso. Exemplo: A American Society for Metals (ASM) (1989, v. 17, p. 45) apresentou... Documentos jurídicos: menciona-se a indicação de responsabilidade até o primeiro sinal de pontuação. Exemplo: O decreto nº 4399 de 01/10/2002 institui a hora de verão. (BRASIL, 2002). Citação de diversos trabalhos de um mesmo autor, publicados em um mesmo ano: deve ser diferenciada pelo acréscimo de letras minúsculas, em ordem alfabética, após a data e sem espaçamento, conforme a lista de referências. Exemplo: De acordo com Reeside (1927a) 14

16 As citações de diversos trabalhos do mesmo autor, em anos diferentes e mencionados simultaneamente: têm as suas datas separadas por vírgula. Exemplo: (GUIDON, 1999, 2000, 2002) (PONDS; SILVA; LUZ, 1998, 2001, 2002) Quando houver coincidência de autores com o mesmo sobrenome e mesma data: acrescentar as iniciais dos nomes. Exemplo: ALMEIDA, C. (1985) ALMEIDA, M. (1985) Havendo coincidência de sobrenome, iniciais e data: faz-se a diferenciação colocando o nome por extenso. Exemplo: CELERE, Nadir (1999) CELERE, Neuza (1999) Vários trabalhos de diferentes autores, mencionados simultaneamente: devem ser ordenados alfabeticamente, separados por ponto e vírgula. Exemplo: Diversos autores salientam a importância do acontecimento desencadeador no início de um processo de aprendizagem (CROSS, 1991; KNOX, 1986; MEZIROW, 1984). OBS.: A primeira vez que uma obra é citada, deve-se fazer a citação seguindo-se os modelos mostrados; nas subseqüentes, se não houver obra de outro autor entre uma e outra, elas podem aparecer antecedidas das expressões latinas: * Ibidem (ou Ibid.): quando a citação for do mesmo autor e mesma obra; * Idem (ou Id.): quando a citação for do mesmo autor e obra diferente. Exemplo: (Idem, 1998, p. 42) ou (Id., 1998, p. 42) Referências: Diretrizes para elaboração de dissertações e teses na EESC-USP, 2002, site e NBR

17 Anexo 2 Lista de Referências Bibliográficas (NBR 6023) 1. Instruções gerais *o recurso tipográfico (negrito, itálico ou grifo) utilizado para destacar certos elementos (título principalmente) deve ser uniforme em todas as referências de um mesmo documento; *sobrenome de autor, entidades coletivas (como autoria), nome de eventos devem aparecer sempre em LETRAS MAIÚSCULAS. Autores Indica-se o último sobrenome em maiúsculas, seguido do prenome e outros sobrenomes, abreviados ou não. Exemplos: João Pereira Silva: SILVA, João Pereira ou SILVA, J. P. João Pereira da Silva: SILVA, João Pereira da ou SILVA, J. P. da Os nomes dos autores devem ser separados por ponto-e-vírgula, seguido de espaço. Margem As referências são alinhadas somente à margem esquerda do texto. Título e subtítulo * título e subtítulo demasiadamente longos, podem-se suprimir as últimas palavras, desde que não seja alterado o sentido, a supressão deve ser indicada por reticências; * quando o título aparecer em mais de uma língua, registra-se o primeiro, opcionalmente ou quando estiver em destaque registra-se o segundo, separando-os com o sinal de igualdade (=); * quando houver subtítulo, este não deve aparecer em destaque (itálico); * quando não existir título, deve-se atribuir uma denominação ou a indicação Sem título entre colchetes. 16

18 Local * cidades com mesmo nome, acrescenta-se o nome do estado ou país (ex: Viçosa, AL; Viçosa, MG); * quando houver mais de um local para uma só editora, indica-se o primeiro ou o mais destacado; * quando a cidade não aparecer, mas puder ser identificada, indica-se seu nome entre colchetes; * quando não for possível identificar o local, utiliza-se a expressão sine loco, abreviada e entre colchetes [S.l.]. Editora * o nome da editora deve ser indicado como figura no documento, abreviando-se os prenomes e suprimindo palavras que designam a natureza jurídica ou comercial, desde que sejam dispensáveis para identificação; * quando houver duas editoras, indicam-se ambas, com seus respectivos locais; * quando houver três ou mais editoras, indica-se a primeira ou a que estiver em destaque; * quando a editora não for identificada deve-se indicar a expressão sine nomine, abreviada e entre colchetes [s.n.]; * quando local e editora não puderem ser identificados, indica-se as expressões sine loco e sine nomine, abreviadas e entre colchetes [S.l.: s.n.]; * quando a editora é a mesma instituição ou pessoa responsável pela autoria e já tiver sido mencionada, não é indicada. Data * deve ser indicada em números arábicos; * por se tratar de um elemento essencial para a referência, sempre deve ser indicada uma data, seja de publicação, da impressão, do copirraite ou outra; * se nenhuma data puder ser identificada, registra-se uma data aproximada entre colchetes, como indicado a seguir. [2000 ou 2001] um ano ou outro [199?] data provável [1993] data certa, não indicada no item [entre 1906 e 1912] use intervalos menores de 20 anos [ca.1960] data aproximada [197-] década certa [197-?] década provável [18--] século certo [18--?] século provável * caso existam duas datas, ambas podem ser indicadas, desde que mencionada a relação entre elas; * vários volumes de um documento, produzidos em um período, indicam-se as datas mais antiga e mais recente da publicação, separadas por hífen; * para as coleções de periódicos, indica-se apenas a data inicial da coleção seguida de hífen e um espaço; * quando se tratar de coleção encerrada, indica-se a data inicial e final da coleção; 17

19 * os meses devem ser indicados de forma abreviada e no idioma original da publicação; * se no lugar do mês a publicação indicar as estações do ano, deve-se transcrever como figuram no documento (primavera, verão); * se a publicação indicar as divisões do ano (semestre, trimestre etc.) deve-se transcrever abreviados (sem., trim.). Descrição física * deve-se registrar o número total de páginas ou folhas seguido da abreviatura p. ou f. ; * quando o documento for publicado em mais de um volume, deve-se indicar a quantidade de volumes, seguida da abreviatura v. ; * se o número de volumes bibliográficos diferir do número de volumes físicos, deve-se indicar o número de volumes bibliográficos seguido do número de volumes físicos 5 v. em 3 ; * para referenciar partes de publicações, deve-se mencionar os números das páginas inicial e final precedida da abreviatura p. (p ) ou indicar o número do volume precedido da abreviatura v. ; * quando a numeração de páginas for irregular ou não existir, deve-se indicar esta característica no final da referência (Paginação irregular ou Não paginado). Outras notas * quando utilizadas para informações complementares necessárias à identificação da obra, acrescentar no final da referência. Exemplo: No prelo; Apostila; Projeto; Nota de aula; Carta; Folder Ordenação das referências * as referências dos trabalhos devem ser apresentadas em ordem alfabética ou numérica; * eventualmente, o nome dos autores de várias obras referenciadas sucessivamente, na mesma página, podem ser substituídos, nas referências subseqüentes, por um traço sublinear, equivalente a 6 (seis) espaços e ponto; Exemplo: FREYRE, G. Casa grande & senzala: formação da família brasileira sob regime de economia patriarcal. Rio de Janeiro: J. Olympio, v.. Sobrados e mucambos: decadência do patriarcado rural no Brasil. São Paulo: Ed. Nacional, * além do nome do autor, o título de várias edições de um trabalho referenciado sucessivamente, na mesma página, também pode ser substituído por um traço sublinear nas referências subseqüentes. Exemplo: FREYRE, G. Sobrados e mucambos: decadência do patriarcado rural no Brasil. São Paulo: Ed. Nacional, p ed. São Paulo: Ed. Nacional, p. 18

20 * se for utilizado o sistema numérico no texto, a lista de referências deve seguir a mesma ordem numérica crescente. Exemplo: 1 CRETELLA JÚNIOR, J. Do impeachment no direito brasileiro. [São Paulo]: R. dos Tribunais, p BOLETIM ESTATÍSTICO [da] Rede Ferroviária Federal. Rio de Janeiro, p Elaboração da lista de referências 2.1 Listagem dos documentos mais comuns no âmbito das engenharias LIVROS E FOLHETOS - manual, guia, catálogo, enciclopédia, dicionário (considerados no todo) Elementos essenciais: Autor (es), título, subtítulo (se houver), edição, local, editora, data de publicação. Um autor GUERRINI, D. P. Instalações elétricas prediais. São Paulo: Érica, GUERRINI, D. P. Instalações elétricas prediais. São Paulo: Érica, p. GUERRINI, D. P. Instalações elétricas prediais. São Paulo: Érica, cap. 3, p Dois autores BRAILE, P. M.; CAVALCANTI, J. E. W. A. Manual de águas residuárias. São Paulo: CETESB, Três autores THORNTON, K. W.; KIMMEL, B. L.; PAYNE, F. E. Reservoir limnology: ecological perspectives. New York: John Wiley, Mais de três autores IUDICIBUS, S. et al. Contabilidade introdutória. 3. ed. São Paulo: Atlas, As expressões latinas (et al.) ou (et alli) quer dizer e outros. Obs.: em casos específicos (projetos de pesquisa científica, indicação de produção científica, relatórios de órgãos de financiamento etc.) nos quais a menção dos nomes for indispensável para certificar a autoria, é facultado indicar todos os nomes. 19

21 GIBBONS, M.; LIMOGES, C.; NOWOTNY, H.; SCHWARTZMAN, S.; SCOTT, P.; TROW, M. The new production of knowledge: the dynamics of science and research in contemporary societies. London, Autores corporativos (empresas, associações, entidades coletivas, governamentais, públicas, particulares etc.) AMERICAN SOCIETY FOR METALS. Metals handbook. 9th ed. Metals Park., v. FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. Centro das Indústrias do Estado de São Paulo. Departamento de Tecnologia. Guia de informação: design. São Paulo, SOCIETY OF AUTOMOTIVE ENGINEERS. Design elements in automotive climate control systems. Warrendale. (SAE special publication, 1085), UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Escola de Engenharia de São Carlos. Serviço de Biblioteca. Diretrizes para elaboração de dissertações e teses na EESC-USP. 2. ed. São Carlos, Indicação de responsabilidade intelectual (organizador, coordenador, editor etc.) ANDRADE, C. R. M. (Org.). Construção das cidades segundo seus princípios artísticos por Camillo Sitte. São Paulo: Ática, CODD, G. H.; DIJKHUIZEN, L.; TABITA, F. R. (Ed.). Autotrophic microbiology and one-carbon metabolism. Dordrecht: Kluwer Academic, Sem autor (caracterizado pelo título) HANDBOOK of energy systems engineering: production and utilization. New York: John Wiley, Indicação de tradutor, ilustrador, outros tipos de responsabilidades ALBERGARIA, L. Cinco anos sem chover: história de Lino Albergaria. Ilustrações de Paulo Lyra. 12. ed. São Paulo: FTD, STOKER, H. S.; SEAGER, S. L. Química ambiental: contaminación del aire y del agua. Tradução de Ramos Navarro. Barcelona: Blume, Indicação de edição MACINTYRE, A. J. Bombas e instalações de bombeamento. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, SCHAUM, D. Schaum s outline of theory and problems. 5th ed. New York: Schaum Publishing, Obs: indica-se emendas e acréscimos à edição de forma abreviada. Exemplo: 3. ed. rev. e aum. Indicação de série JORGE, L. A. Desenho da janela. São Paulo: Annablume. (Selo universidade, 37),

22 LIVROS E FOLHETOS - manual, guia, catálogo, enciclopédia, dicionário (considerados em parte) Elementos essenciais: Autor (es), título, subtítulo (se houver), seguidos da expressão In:, e da referência completa da monografia no todo, data de publicação, número de páginas ou volume. Autoria específica ROMANO, G. Imagens da juventude na era moderna. In: LEVI, G.; SCHMIDT, J. (Org.). História dos jovens 2. São Paulo: Companhia das Lestras, p Sem autoria específica RAMALHO, J. A. Variáveis de programação linear. In:. Clipper 5.0: básico. São Paulo: Makron Books, Cap. 4, p LIVROS E FOLHETOS - manual, guia, catálogo, enciclopédia, dicionário etc. em meio eletrônico Pode-se considerar como documento eletrônico toda informação armazenada em um dispositivo eletrônico (disco rígido, disquete, CD-ROM, fita magnética) ou transmitida através de um método eletrônico. Exemplos de documentos eletrônicos são os softwares, os bancos de dados, os arquivos de som, texto ou imagem disponíveis em CDs, discos ou fitas magnéticas, assim como as informações acessadas on-line, via Internet, o que inclui as mensagens eletrônicas pessoais ( s), fóruns de discussão, arquivos de hipertexto (http, em sites da www), ou arquivos da Internet de formatos especiais, como FTP, Gopher, Telnet, entre outros, situados em seus respectivos sites. Elementos essenciais: Autor (es), título/subtítulo (da parte e/ou da obra como um todo), edição, local, editora, data, descrição física do meio ou suporte. ALMANAQUE Abril ed. São Paulo: Abril Multimídia, CD-ROM. BURKA, L. P. A hipertext history of multi-user dimensions. S.l.: MUD History, Disponível em: <http://www.ccs.neu.edu/home/ipb/mud.history.html>. Acesso em: 5 dez. 1994, 16:30:30 (hora é opcional). PUBLICAÇÃO PERIÓDICA Periódico considerado no todo (coleção) Elementos essenciais: Título da publicação, local de publicação, editora, data de início da coleção e data de encerramento quando houver. PRODUÇÃO. Belo Horizonte: Associação Brasileira de Engenharia de Produção,

ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS 1 SUMÁRIO 1 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS...3 1.1 Referências...3 1.1.2 Regras gerais...3 1.2 Como elaborar referências...4 1.2.1 Autores...4 1.2.2 Título...6 1.2.3 Edição...6 1.2.4 Local...6 1.2.5 Editora...7

Leia mais

Psicanálise & Barroco Revista de Psicanálise, Arte e Cultura

Psicanálise & Barroco Revista de Psicanálise, Arte e Cultura Psicanálise & Barroco Revista de Psicanálise, Arte e Cultura (ISSN:1679-9887) www.psicanaliseebarroco.pro.br INSTRUÇÕES AOS AUTORES Apresentação A revista Psicanálise & Barroco, do Núcleo de Estudos e

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005)

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Errata Folha de Rosto Capa ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Epígrafe Resumo L. estrangeira Resumo Agradecimentos Dedicatória Folha de Aprovação Anexos Apêndices Glossário Referências

Leia mais

REFERÊNCIAS. Referência é o conjunto de elementos retirados de um documento, que permitem a identificação de onde foi extraído.

REFERÊNCIAS. Referência é o conjunto de elementos retirados de um documento, que permitem a identificação de onde foi extraído. REFERÊNCIAS Referência é o conjunto de elementos retirados de um documento, que permitem a identificação de onde foi extraído. A Associação Brasileira de Normas Técnicas estabelece as diretrizes que devem

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS F A C UL DA DE DE P R E S I DE N T E V E N C E S L A U REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS APRESENTAÇÃO GRÁFICA - CONFIGURAÇÃO DAS MARGENS Ir ao menu Arquivo, escolher a opção Configurar

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

BIBLIOTECA COMUNITÁRIA. Guia para elaboração de Referências: de acordo com NBR 6023/2002

BIBLIOTECA COMUNITÁRIA. Guia para elaboração de Referências: de acordo com NBR 6023/2002 BIBLIOTECA COMUNITÁRIA Guia para elaboração de Referências: de acordo com NBR 6023/2002 São Carlos 2012 Guia para elaboração de Referências As orientações abaixo são de acordo com a NBR 6023/2002 da Associação

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

Envio de trabalhos. 1.3. Serão aceitos somente os trabalhos enviados para o correio eletrônico da revista (revistaaproximacao@gmail.com).

Envio de trabalhos. 1.3. Serão aceitos somente os trabalhos enviados para o correio eletrônico da revista (revistaaproximacao@gmail.com). Envio de trabalhos 1.1. Serão aceitos trabalhos na área de Filosofia, de alunos vinculados a cursos de graduação (não necessariamente em Filosofia). Aceitaremos também contribuições de pós-graduandos e

Leia mais

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1 5/12/2008 Monografias - Apresentação Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas

Leia mais

NORMAS PARA PRODUÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO IFB

NORMAS PARA PRODUÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO IFB NORMAS PARA PRODUÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO IFB Nome do Autor Instituição Local de Trabalho E-mail do autor Resumo O resumo deve conter as principais informações

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011. Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa

PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011. Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011 Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa REFERÊNCIA NORMATIVA Documentos indispensáveis à aplicação deste documento ABNT NBR 6023

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Programa de Pós-Graduação em Biotecnociência Título Santo André dd/mm/aaaa Normas para Dissertações Mestrado em Biotecnociência - UFABC.

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Biblioteca Normas para elaboração do TCC O que é um Trabalho de Conclusão de Curso? O TCC, é um trabalho acadêmico feito sob a coordenação

Leia mais

Normas da ABNT para referências bibliográficas

Normas da ABNT para referências bibliográficas 1) Grifos Normas da ABNT para referências bibliográficas " " (aspas): apenas para metáforas, transcrições e CITAÇÕES; negrito: somente para títulos de capítulos, tópicos, tabelas e gráficos; sublinhado:

Leia mais

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO FACULDADE DOM BOSCO Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO CORNÉLIO PROCÓPIO 2012 Como elaborar um TC 1 Introdução Objetiva-se

Leia mais

TRABALHO DE GRADUAÇÃO

TRABALHO DE GRADUAÇÃO TRABALHO DE GRADUAÇÃO NORMAS PARA REFERÊNCIAS ABNT NBR 6023/2002 NORMAS PARA CITAÇÕES ABNT NBR 10520/2002 2 REFERÊNCIAS ABNT NBR 6023/AGO/2002 PARA LIVROS O último sobrenome do autor com todas as letras

Leia mais

FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA

FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA CURITIBA 2012 SUMÁRIO 1. ESTRUTURA DA MONOGRAFIA...03 1.1. Elementos pré-textuais...03

Leia mais

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Mestrado Profissional em Metrologia e Qualidade Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial 2010 APRESENTAÇÃO

Leia mais

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO NA RECeT POLÍTICA EDITORIAL

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO NA RECeT POLÍTICA EDITORIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS PRESIDENTE EPITÁCIO CNPJ 10.882.594/0001-65 Al. José Ramos Júnior, 27-50, Jardim Tropical Presidente Epitácio

Leia mais

Título do artigo em português Times negrito 14, alinhado à esquerda

Título do artigo em português Times negrito 14, alinhado à esquerda Página formato A4, margens: esquerda e superior 3 cm; direita e inferior 2 cm. Título do artigo em português Times negrito 14, alinhado à esquerda Autor 1, Autor 2 e Autor 3 Nome completo em Times negrito

Leia mais

FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO

FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO LONDRINA 2009 SUMÁRIO 1 ESTRUTURA DO ARTIGO CIENTÍFICO...01 1.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS...01

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

REGULAMENTO DA III MOSTRA CIENTÍFICA DA FACULDADE ESTÁCIO VILA VELHA ANEXO I

REGULAMENTO DA III MOSTRA CIENTÍFICA DA FACULDADE ESTÁCIO VILA VELHA ANEXO I Diretrizes para Autores das áreas de GESTÃO E FINANÇAS / LICENCIATURAS/ ENGENHARIAS: Os trabalhos deverão seguir a seguinte extensão: - artigos: entre 10 (dez) e 25 (vinte e cinco) páginas, incluindo as

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 39 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 1. MONOGRAFIA Monografias são exposições de um problema ou assunto específico, investigado cientificamente, assim, não exige originalidade,

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espaçamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Nome do Estagiário 2 espaços 1,5 Fonte 14 Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA LOCAL ANO Fonte

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA - FADIVA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PESQUISA E MONOGRAFIA PROFª Ms Mª AUXILIADORA PINTO COELHO FROTA MATÉRIA: METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA / TECNOLÓGICA

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA / TECNOLÓGICA CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO CONTINUADA E PESQUISA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA / TECNOLÓGICA Os professores e alunos participantes do Programa de Iniciação

Leia mais

Este manual visa orientar a padronização dos relatórios de estágio. Brasileira de Normas Técnicas - (ABNT), ensaiando-os e

Este manual visa orientar a padronização dos relatórios de estágio. Brasileira de Normas Técnicas - (ABNT), ensaiando-os e COMO FAZER O RELATÓRIO DE ESTÁGIO APRESENTAÇÃO Este manual visa orientar a padronização dos relatórios de estágio feitos pelos alunos do Colégio Agrícola Estadual Adroaldo Augusto Colombo, de acordo com

Leia mais

Normas para a apresentação de artigos Resenha Eleitoral

Normas para a apresentação de artigos Resenha Eleitoral Normas para a apresentação de artigos Resenha Eleitoral 1 Regras gerais A teor do art. 8 o da Resolução TRESC n. 7.770/2010, os artigos poderão versar sobre matéria eleitoral, constitucional ou administrativa,

Leia mais

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br 2014 Pesquisa Pesquisa Atividade básica da ciência

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica 2012 2 Núcleo de Apoio à Pesquisa na Graduação- NAP/UNIMAR Projeto de Pesquisa; Apresentação gráfica TRABALHO ACADÊMICO Apresentação gráfica Segundo normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas

Leia mais

Normas para Apresentação de Monografias

Normas para Apresentação de Monografias UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Normas para Apresentação de Monografias Campina Grande, dezembro 2010

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

O título e subtítulo (quando houver) devem ser separados por dois pontos (:).

O título e subtítulo (quando houver) devem ser separados por dois pontos (:). VIII Jornada Ibmec de Iniciação Científica - 2013 Normas para submissão dos artigos Os autores devem ser cuidadosos com a apresentação técnica, com a sintaxe e a ortografia de seu texto, sob pena de recusa

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1)

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV RESUMO Este

Leia mais

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS Baseado nas obras de Júnia Lessa França e Ana Cristina de Vasconcellos; Rosy Mara Oliveira. Atualizado

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espacejamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 2 espaços 1,5 Fonte 14 Nome do Estagiário Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA BAMBUÍ ANO Fonte

Leia mais

AVA - AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM

AVA - AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Caro Aluno, Você produzirá, de acordo com as Normas da Educação a Distância, um Artigo Científico como Trabalho de Conclusão de Curso - TCC, para cumprimento dos requisitos necessários à aprovação nos

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 APRESENTAÇÃO Tanto o artigo quanto a monografia são trabalhos monográficos, ou seja, trabalhos que apresentam resultados de pesquisa sobre um

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA - UniCEUB INSTITUTO CEUB DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO - ICPD

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA - UniCEUB INSTITUTO CEUB DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO - ICPD CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA - UniCEUB INSTITUTO CEUB DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO - ICPD NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU BRASÍLIA UniCEUB 2005 Cruz, Tânia

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Educação Artística Unifadra / Dracena SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Educação Artística

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO São Carlos 2009 2 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Dissertação é a apresentação escrita do trabalho de pesquisa desenvolvido no âmbito do Programa de

Leia mais

Título do trabalho: subtítulo do trabalho

Título do trabalho: subtítulo do trabalho Título do trabalho: subtítulo do trabalho Resumo Este documento apresenta um modelo de formatação a ser utilizado em artigos e tem como objetivo esclarecer aos autores o formato a ser utilizado. Este documento

Leia mais

MANUAL Mostra de Responsabilidade Social

MANUAL Mostra de Responsabilidade Social MANUAL Mostra de Responsabilidade Social 1. REGRAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO/TEXTO Após pesquisas sobre Responsabilidade Social, escrever um artigo entre 3 a 5 páginas, seguindo os itens abaixo: 1 elementos

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Andersown Becher Paes de Barros * Ideraldo Bonafé ** RESUMO Este trabalho apresenta

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003)

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) Maio de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Programa de capacitação. 2 NORMAS

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

MANUAL Normas científicas para trabalhos Estas recomendações baseiam-se nas normas da ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas. Têm como objetivo auxiliar alunos e professores do Colégio Franciscano

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PONTA GROSSA 2011 LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

REGRAS PARA A PULICAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS NA REVISTA JURÍDICA DA AJUFESC

REGRAS PARA A PULICAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS NA REVISTA JURÍDICA DA AJUFESC REGRAS PARA A PULICAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS NA REVISTA JURÍDICA DA AJUFESC 1. O artigo deve apresentar enfoque INÉDITO e abordar tema relativo à Jurisdição Federal. O tema deve ser preferencialmente

Leia mais

Título do trabalho (Fonte Arial, Tamanho 16, Espaçamento Simples, Alinhamento Centralizado)

Título do trabalho (Fonte Arial, Tamanho 16, Espaçamento Simples, Alinhamento Centralizado) I COLÓQUIO NACIONAL DE PROFISSIONAIS EM EDUCAÇÃO II ENCONTRO DE PROFESSORES DO ENSINO BÁSICO VALE DO MAMANGUAPE Título do trabalho (Fonte Arial, Tamanho 16, Espaçamento Simples, Alinhamento Centralizado)

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Apresentação gráfica

PROJETO DE PESQUISA. Apresentação gráfica 2012 PROJETO DE PESQUISA Apresentação gráfica Revisto e atualizado segundo alterações ABNT: NBR 15287:2011 Projeto de Pesquisa; NBR 14724:2011 Trabalhos Acadêmicos. Profa. Dra. Wakiria Martinez Heinrich

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PIM

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PIM APRESENTAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PIM Caros professores e alunos é com satisfação que apresentamos este manual, acreditando que ele contribuirá para o seu conhecimento a respeito do Projeto Integrado

Leia mais

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO Finalidade de um Artigo Científico Comunicar os resultados de pesquisas, idéias e debates de uma maneira clara, concisa e fidedigna. Servir de medida da produtividade

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações 1ª edição Ilhéus BA 2012 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE QUÍMICA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC 1 APRESENTAÇÃO As recomendações a seguir resumem os princípios para a elaboração

Leia mais

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/ DE 30 DE MAIO DE 2011/ PRODEMA-UFS DE Estas normas de redação foram definidas como diretrizes básicas pelo Colegiado do Núcleo de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS 2013 1 ORIENTAÇÕES DE BASE As orientações apresentadas neste manual são baseadas na norma NBR 6022, da ABNT, a qual refere-se a apresentação de artigos científicos.

Leia mais

CITAÇÕES. Profa. Enimar J. Wendhausen

CITAÇÕES. Profa. Enimar J. Wendhausen CITAÇÕES Profa. Enimar J. Wendhausen Citação Trata-se da menção de uma informação extraída de outra fonte. Citação de citação Consiste na citação direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS Elaborado por Prof. Dr. Rodrigo Sampaio Fernandes Um projeto de pesquisa consiste em um documento no qual

Leia mais

Escola SENAI Jose Polizotto. Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto. Manual para elaboração de trabalhos. acadêmicos

Escola SENAI Jose Polizotto. Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto. Manual para elaboração de trabalhos. acadêmicos Escola SENAI Jose Polizotto Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos Marília 2008 Biblioteca - Escola SENAI José Polizotto Manual para elaboração de trabalhos

Leia mais

1. Diretrizes Gerais. Processador: MSWord 7.0 ou posterior. Tamanho do papel: A4 (21 x 29,7 cm) Número máximo de laudas: 4. Espaço entre linhas: 1,5

1. Diretrizes Gerais. Processador: MSWord 7.0 ou posterior. Tamanho do papel: A4 (21 x 29,7 cm) Número máximo de laudas: 4. Espaço entre linhas: 1,5 Diretrizes para Apresentação de Trabalhos Seminário de Adequação Socioeconômica e Ambiental em Propriedades Rurais SASAPR/2014 25 e 26 de setembro de 2014 Centro de Convenções da UNESP/FCAV Jaboticabal-SP

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Manual de Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Engenharia de Produção NATAL RN 2010 Apresentação O curso de Engenharia de Produção institui

Leia mais

REVISTA REAMEC Revista da Rede Amazônica de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática

REVISTA REAMEC Revista da Rede Amazônica de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UNIVERSIDADE ESTADUAL DO AMAZONAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS E MATEMÁTICA REDE AMAZÔNICA DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS

Leia mais

NORMAS PARA SUBMISSÃO DE RESUMO E ARTIGO COMPLETO

NORMAS PARA SUBMISSÃO DE RESUMO E ARTIGO COMPLETO NORMAS PARA SUBMISSÃO DE RESUMO E ARTIGO COMPLETO RESUMOS - Os resumos deverão ter no máximo 500 palavras. - A estrutura do resumo deverá conter, obrigatoriamente: problematização da pesquisa; objetivos;

Leia mais

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Maria Bernardete Martins Alves Marili I. Lopes Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Módulo 3 Apresentação

Leia mais

CITAÇÕES. (Baseada no último pronunciamento da ABNT sobre o assunto - NBR 10520/2002)

CITAÇÕES. (Baseada no último pronunciamento da ABNT sobre o assunto - NBR 10520/2002) CITAÇÕES (Baseada no último pronunciamento da ABNT sobre o assunto - NBR 10520/2002) CITAÇÃO: É a menção, em um texto, de informação extraída de outra fonte (material e/ou documento) com o objetivo de

Leia mais

MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA PESQUISA CIENTÍFICA

MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA PESQUISA CIENTÍFICA MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA PESQUISA CIENTÍFICA Toda pesquisa deve passar por uma fase preparatória de planejamento devendo-se estabelecer certas diretrizes de ação e fixar-se uma estratégia global.

Leia mais

ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA IMPRESSA ABNT NBR 6022:2003

ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA IMPRESSA ABNT NBR 6022:2003 ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA IMPRESSA ABNT NBR 6022:2003 REFERÊNCIA NORMATIVA Documentos indispensáveis à aplicação deste documento ABNT NBR 6023 Referência Elaboração ABNT NBR 6024 Numeração

Leia mais

REVISTA DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS / FAeCC / UFMT. NORMAS DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO PARA A RCiC

REVISTA DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS / FAeCC / UFMT. NORMAS DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO PARA A RCiC NORMAS DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO PARA A 1 ARTIGO É o trabalho acadêmico que apresenta resultado de uma pesquisa, submetido ao exame de um corpo Editorial, que analisa as informações, os métodos

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

A referência a autores deverá ser feita no corpo do texto, somente mencionando o sobrenome, acrescido do ano da obra.

A referência a autores deverá ser feita no corpo do texto, somente mencionando o sobrenome, acrescido do ano da obra. Exemplos de citações e referências. Citações: São transcrições literais de trechos da obra de um autor consultado; de textos baseados em sínteses pessoais que reproduzem as ideias do autor da obra consultada;

Leia mais

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica:

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Conforme NBR 6022:2003 Seção de atendimento ao usuário - SISBI Outubro 2013 Normas técnicas Norma técnica é um documento estabelecido

Leia mais

MODELO DE INSTRUÇÕES PARA A PREPARAÇÃO E SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA CONGRESSOS BRASILEIROS

MODELO DE INSTRUÇÕES PARA A PREPARAÇÃO E SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA CONGRESSOS BRASILEIROS MODELO DE INSTRUÇÕES PARA A PREPARAÇÃO E SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA CONGRESSOS BRASILEIROS TÍTULO DO TRABALHO Primeiro Autor e-mail Instituição de Ensino Endereço CEP Cidade Estado Segundo Autor e-mail

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE MANUAL DE RELATÓRIO CIENTÍFICO (MRC) (GRADUAÇÃO)

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE MANUAL DE RELATÓRIO CIENTÍFICO (MRC) (GRADUAÇÃO) INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE MANUAL DE RELATÓRIO CIENTÍFICO (MRC) (GRADUAÇÃO) O RELATÓRIO CIENTÍFICO 1. CONCEITO DE RELATÓRIO Exposição escrita na qual se descrevem fatos verificados

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Rosangela Alves de Oliveira * Nome do (s) autor (s) RESUMO Este trabalho estabelece as orientações para apresentação de um artigo científico. Todas as informações

Leia mais

FAJ FACULDADE DE JUSSARA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (Artigo Científico) Instruções aos autores e orientadores

FAJ FACULDADE DE JUSSARA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (Artigo Científico) Instruções aos autores e orientadores FAJ FACULDADE DE JUSSARA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (Artigo Científico) Instruções aos autores e orientadores ESTRUTURA DO ARTIGO 1. Recomenda-se a utilização do processador

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA!

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA! CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO REVISTA DiCA! Biblioteca - FAAG Tel. (14) 3262-9400 Ramal: 417 Email: biblioteca@faag.com.br http://www.faag.com.br/faculdade/biblioteca.php

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e Análise de Práticas de Gestão Organizacional em uma Empresa. OBJETIVOS: Favorecer aos alunos ingressantes

Leia mais