EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS"

Transcrição

1 CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES PROPRIETÁRIO: EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS SERVIÇOS:TCAC 2014 REFORMA E ADAPTAÇÃO COM AMPLIAÇÃO DAS AGENCIAS DE CORREIO AC TONANTINS, CONFORME OS NORMATIVOS DE ACESSIBILIDADE OBRA: AC TONANTINS ENDEREÇO: LOCAL: TONANTINS/AM 1

2 ÍNDICE 1.00 OBJETIVO DEFINIÇÕES CONDIÇÕES GERAIS NORMAS E PRÁTICAS COMPLEMENTARES CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO DA ECT CLÁUSULA DE ALTERAÇÃO CONTRATUAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS AC TONANTINS RECEBIMENTOS DOS SERVIÇOS Orçamento Sintético Global (Estimado) Cronograma Físico Financeiro Composição de Custo Unitário Projetos

3 1.00 OBJETIVO EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS O presente caderno de encargos e seus respectivos módulos e anexos definem as condições mínimas necessárias e os critérios técnicos, administrativos e legais para a contratação de empresa para execução das obras de Reforma e Adaptação com Ampliação da Agência de Correios AC TONANTINS, com aplicação de material e mão de obra. Em 31 de julho de 2007 a ECT assinou com o Ministério Público do Trabalho o Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta N.º. 038/2007 (em anexo), com o objetivo de implantar em todas as unidades de atendimento as soluções de ergonomia. Para que tal compromisso possa ser atingido será necessário empreender esforços para a adaptação das agências em questão, a aquisição dos elementos que integram as soluções ergonômicas para a área de atendimento, assim como pequenas reformas. A acessibilidade em edificações trata de um conjunto de soluções integradas que facilitem o acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. As pessoas devem chegar ao seu destino sem dificuldades e barreiras, com espaços e ambientes apropriados para aproximação e uso independentemente de seu porte, postura ou habilidades funcionais DEFINIÇÕES São empregados neste Caderno de Encargos, os seguintes termos entendidos segundo respectivas definições básicas a seguir: CONTRATANTE: Compreende a pessoa jurídica de Direito Público, representada pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, contratante dos serviços e obras a que se refere este Caderno de Encargos; CONTRATADA: Compreende a pessoa Jurídica da empresa contratada pela ECT e encarregada da execução desses serviços e suas instalações, conforme os termos do Contrato; FISCALIZAÇÃO: Compreendem os setores técnicos competentes da ECT, encarregados da fiscalização desses serviços; 3.00 CONDIÇÕES GERAIS Deverão ser obedecidas as seguintes condições gerais: Subcontratação: A Contratada não poderá, sob nenhum pretexto ou hipótese, subcontratar os serviços e objeto deste contrato. Legislação, Normas e Regulamentos. A Contratada será responsável pela observância das leis, decretos, regulamentos, portarias e normas federais, estaduais e municipais direta e indiretamente aplicáveis ao objeto do contrato, inclusive por seus fornecedores. Durante a execução dos serviços, a Contratada deverá: Responsabilizar-se pelo fiel cumprimento de todas as disposições e acordos relativos à legislação social e trabalhista em vigor, particularmente no que se refere ao pessoal alocado nos serviços e objeto do Instrumento Contratual; 3

4 Atender às normas e portarias sobre segurança e saúde no trabalho e providenciar os seguros exigidos em lei e no Caderno de Encargos, na condição de única responsável por acidentes e danos que eventualmente causar a pessoas físicas e jurídicas direta ou indiretamente envolvidas nos serviços e objeto deste Instrumento Contratual; Efetuar o pagamento de todos os impostos, taxas e demais obrigações fiscais incidentes ou que vierem a incidir sobre o objeto do Instrumento Contratual, até o Recebimento Definitivo dos serviços Serviços A Contratada deverá executar os serviços em conformidade com o memorial, especificações e demais elementos bem como as informações e instruções contidas no Caderno de Encargos. Todos os elementos deverão ser minuciosamente estudados pela Contratada, antes e durante a execução dos serviços, devendo informar por escrito à Fiscalização sobre qualquer eventual incoerência, falha ou omissão que for constatada. Nenhum trabalho adicional ou modificação fornecida pela ECT será efetivado pela Contratada sem a prévia e expressa autorização da Fiscalização, respeitadas todas as disposições e condições estabelecidas no Instrumento Contratual. A Contratada submeterá previamente à aprovação da Fiscalização toda e qualquer alternativa de aplicação de materiais, serviços ou equipamentos a ser considerada na execução dos serviços e objeto do contrato, devendo comprovar rigorosamente a sua equivalência, de conformidade com os requisitos e condições estabelecidas no Caderno de Encargos. Todo material retirado do local dos serviços será colocado à disposição da ECT para que a mesma indique o que terá reutilização. O material reutilizável será encaminhado para local indicado pela Fiscalização. O prazo de execução dos serviços será de 90 (noventa) dias corridos, após o recebimento do Termo de Ordem de Serviço TeOS; 3.02 Prazo de inicio da execução dos serviços: O prazo será de 30 (trinta) dias corridos após a assinatura do TeOS, para mobilização de pessoal/material, contando a partir do recebimento de documento com teor de ordem de serviço. O não atendimento deste prazo será computado como atraso de obra constituindo em mora a contratada. A ECT, através da Fiscalização, terá plena autoridade para pedir a substituição de toda a mão de obra, inclusive, dentro de 48 horas, se assim julgar necessário para o bom andamento dos serviços. A ECT, através da Fiscalização, terá plena autoridade para determinar a paralisação dos trabalhos, se assim julgar conveniente, por motivo de ordem técnica, segurança ou disciplina, bem como determinar a substituição de funcionários que julgar inconvenientes para o bom andamento dos serviços. Determinada a paralisação, os trabalhos somente serão reiniciados após a expedição de nova ordem de reinicio. A CONTRATADA deve manter em canteiro um Diário de Obras onde serão apontadas todas as ocorrências significativas, bem como determinações específicas da FISCALIZAÇÂO, durante seu transcurso A Contratada terá como condição essencial para o início dos serviços, a apresentação à Fiscalização da ECT: 4

5 Segurança e Saúde no Trabalho Antes do início dos trabalhos, a Contratada deverá apresentar à Fiscalização as medidas de segurança a serem adotadas durante a execução dos serviços, em atendimento aos princípios e disposições da NR 18 Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção. A Contratada fornecerá aos seus funcionários todos os equipamentos de proteção individual exigidos pela NR 6 Equipamentos de Proteção Individual (EPI), tais como: capacetes e óculos especiais de segurança, protetores faciais, luvas e mangas de proteção, botas de borracha e cintos de segurança, de conformidade com a natureza dos serviços em execução. A Contratada manterá organizada, limpas e em bom estado de higiene as instalações na obras, especialmente as vias de circulação, passagens e escadarias, coletando e removendo regularmente as sobras de materiais, entulhos e detritos em geral. A Contratada deverá estocar e armazenar os materiais de forma a não prejudicar o trânsito de pessoas e a circulação de materiais, obstruir portas e saídas de emergência e impedir o acesso de equipamentos de combate a incêndio. A Contratada manterá nas obras equipamentos de proteção contra incêndio e brigadas de combate a incêndio, na forma das disposições em vigor. Caberá à Contratada comunicar à Fiscalização e, nos casos de acidentes fatais, à autoridade competente, da maneira mais detalhada possível, por escrito, todo tipo de acidente que ocorrer durante a execução dos serviços, inclusive princípios de incêndio. Caberá à Contratada manter a ordem e disciplina em todas as dependências dos serviços. A ECT realizará inspeções periódicas nas obras, a fim de verificar o cumprimento das medidas de segurança adotadas nos trabalhos, o estado de conservação dos equipamentos de proteção individual e dos dispositivos de proteção de máquinas e ferramentas que ofereçam riscos aos trabalhadores, bem como a observância das demais condições estabelecidas pelas normas de segurança e saúde no trabalho Da Habilitação. Com base no conjunto de todas as peças que compõem este processo, os concorrentes deverão elaborar seu próprio orçamento, obedecendo somente o modelo e a seqüência da Planilha Padrões fornecidos pela ECT, que servirá apenas como parâmetro para elaboração da proposta orçamentária. Entretanto, a proposta orçamentária de cada empresa deverá resultar da análise e conhecimento de todos os preços que compõem este processo. A proponente deverá efetuar seu próprio levantamento das quantidades necessárias à execução do serviço. O eventual acréscimo de serviços não indicados na planilha deverá constar no final do seu respectivo item compondo o preço final do orçamento, pois futuramente a ECT não aceitará quaisquer reivindicações sobre o assunto Execuções dos Serviços Durante a execução dos serviços, a Contratada deverá: Providenciar para que os materiais, mão de obra e demais suprimentos estejam em tempo hábil nos locais de execução, de modo a satisfazer as necessidades previstas no cronograma e plano de execução dos serviços e objeto do Instrumento Contratual; 5

6 Alocar os recursos necessários à administração e execução dos serviços, inclusive os destinados ao pagamento de todos os impostos, taxas e demais obrigações fiscais incidentes ou que vierem a incidir sobre o objeto do Instrumento Contratual; Submeter previamente à aprovação da Fiscalização qualquer modificação nos métodos construtivos originalmente previstos no plano de execução dos serviços; Executar os ajustes nos serviços concluídos ou em execução determinados pela Fiscalização; Comunicar imediatamente por escrito à Fiscalização qualquer ocorrência de fato anormal ou extraordinária que ocorra no local dos trabalhos; Submeter à aprovação da Fiscalização os protótipos ou amostras dos materiais e/ou equipamentos a serem aplicados nos serviços e objeto do Instrumento Contratual; Evitar interferências com as propriedades, atividades e tráfego de veículos na vizinhança do local dos serviços, programando adequadamente as atividades executivas; Retirar até 15 (quinze) dias após o recebimento definitivo dos serviços, todo pessoal, máquinas, equipamentos, materiais, e instalações provisórias do local dos trabalhos, deixando todas as áreas dos serviços limpas e livres de entulhos e detritos de qualquer natureza. O pagamento dos serviços ocorrerá segundo medições de quantitativos executados, em intervalos de 30 (trinta) dias entre as mesmas, a contar do primeiro dia de serviço, determinado pela abertura do livro/ diário de obras. As parcelas previstas para desembolso serão pagas de acordo com o cronograma físico financeiro constante na proposta a cada 30 dias. Cada fatura (Nota Fiscal) deve ser entregue na SEPO/ GEREN, Av. André Araújo no. 82 Aleixo, acompanhada dos seguintes documentos: 1- Recibo no valor da medição; 2- Guia de recolhimento da Previdência Social GRPS; 3- Relação atualizada do pessoal alocado para a execução dos serviços, com cópias dos respectivos contratos de trabalho ou anotação em CTPS; 4- CRF F.G.T.S.; 5- CND INSS (Fechamento da Matrícula CEI-INSS); 6- Certidão quanto a Dívida Ativa da União; 7- Certidão de quitação de tributos e contribuições federais; 8- G.F.I.P.- INSS; 9- Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas. 10- Habite-se (para obras novas) 11- As Built (para obras e reformas com ampliação) As notas fiscais não acompanhadas dos documentos referenciados ou mal preenchidas serão devolvidas. O recebimento será realizado por depósito em conta bancária da contratada após atesto da fiscalização no verso da nota fiscal seguido dos prazos segundo tabela anexa. Atesto da Fiscalização Pagamento 01 a do mesmo mês 06 a do mesmo mês 11 a do mesmo mês 18 a do mês subseqüente 26 a do mês subseqüente 6

7 Os preços são fixos e irreajustáveis durante os 12 (doze) primeiros meses de vigência deste Contrato, salvo se houver determinação do Poder Executivo em contrário e de acordo com as regras a serem definidas à época. Será concedido reajuste após os 12 (doze) meses da assinatura do Contrato sobre os valores das etapas/parcelas remanescentes, salvo se houver prorrogação por culpa da CONTRATADA. O reajuste será calculado pela variação do índice pactuado entre a data de apresentação da proposta e do aniversário anual do Contrato. Para efeito da definição do índice a ser aplicado nos reajustes adotar-se-á a variação de custos definida pelo Índice Nacional da Construção Civil da Fundação Getúlio Vargas - INCC/FGV (no caso de edificações, coluna 35) que será aplicada no período do reajuste, observada a seguinte fórmula:, onde: P > preço reajustado da parcela v > preço atual da parcela I1 > número-índice do mês anterior ao da data de aniversário do contrato I0 > número-índice do mês anterior ao da data de apresentação da proposta ou do último reajuste conforme o caso. CRITÉRIOS DE SIMILARIDADE Todos os materiais especificados com marcas e tipo foram por serem os que melhor atendem aos requisitos específicos do sistema e de qualidade. De acordo com a Lei Nº 8.666/93, Seção III, Art. 7º, 5º, todos os materiais especificados, poderão ser substituídos por outros equivalentes mediante preposição pela empresa contratada e prévia aprovação pela fiscalização da Contratante. A fiscalização deverá efetuar as devidas consultas à área a qual poderá exigir a comprovação de similaridade por equivalência ou semelhança a ser verificada por instituição especializada. O custo dos serviços de comprovação de similaridade ocorrerá por conta da contratada Responsabilidade A presença da Fiscalização durante a execução dos serviços, quaisquer que sejam os atos praticados no desempenho de suas atribuições, não implicará solidariedade ou coresponsabilidade com a Contratada, que responderá única e integralmente pela execução dos serviços, inclusive pelos serviços executados por suas subcontratadas, na forma da legislação em vigor. Se a Contratada recusar, demorar, negligenciar ou deixar de eliminar as falhas, vícios, defeitos ou imperfeições apontadas, poderá a ECT efetuar os reparos e substituições necessárias, seja por meios próprios ou de terceiros, transformando-se os custos decorrentes, independentemente do seu montante, em dívida líquida e certa da Contratada. A Contratada responderá diretamente por todas e quaisquer perdas e danos causados em bens ou pessoas, inclusive em propriedades vizinhas, decorrentes de omissões e atos praticados por seus funcionários e prepostos, fornecedores e subcontratadas, bem como originados de infrações ou inobservância de leis, decretos, regulamentos, portarias e posturas oficiais em vigor, devendo indenizar a ECT por quaisquer pagamentos que seja obrigada a fazer a esse título, incluindo multas, correções monetárias e acréscimos de mora NORMAS E PRÁTICAS COMPLEMENTARES 7

8 A execução dos serviços deverá atender também às seguintes Normas e Práticas Complementares: Práticas de Construção e Manutenção de Edifícios Públicos Federais; Códigos, Leis, Decretos, Portarias e Normas Federais, Estaduais e Municipais, inclusive normas de concessionárias de serviços públicos; Instruções e Resoluções dos Órgãos do Sistema CREA CONFEA CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO DA ECT 5.01 A assinatura do instrumento contratual implica aceitação plena: a - das condições gerais de contratação da ECT; b - de todas as condições descritas no instrumento contratual; c - das condições estabelecidas na LEI 8.666/93 Licitação e Contratos Administrativos Todo material entregue deverá, obrigatoriamente, possuir indicações que o identifiquem com a Nota Fiscal e com o instrumento contratual Os preços do instrumento contratual serão fixos e irreajustáveis, salvo disposição em contrário Providenciar, sem ônus para a ECT, a substituição do material rejeitado no prazo máximo de 10 dias corridos, a contar da data da comunicação da irregularidade CLÁUSULA DE ALTERAÇÃO CONTRATUAL Aceitar, nas mesmas condições contratuais, acréscimos ou supressões que se fizerem necessárias, até o limite de 50% (cinquenta por cento) do valor inicial atualizado deste Instrumento, facultada a supressão além desse limite, mediante acordo entre as partes Pela inexecução total ou parcial deste Contrato, a CONTRATANTE poderá aplicar à CONTRATADA as seguintes sanções, sem prejuízo das responsabilidades civil e criminal, garantida a ampla defesa e o contraditório: Advertência: será aplicada quando ocorrer o descumprimento das obrigações assumidas, que não causem prejuízo à CONTRATANTE, podendo ser cumulada com outra penalidade Multa: aplicada nos seguintes casos: Multa de mora: a) atraso injustificado no início da execução dos serviços contratados em relação aos prazos fixados neste Instrumento: 0,10% (zero vírgula dez por cento) sobre o valor global do Contrato, por dia de atraso no início da execução da obra. b) atraso injustificado na execução das etapas dos serviços contratados em relação aos prazos fixados no cronograma: 0,25% (zero vírgula vinte e cinco por cento) sobre a diferença entre o valor atualizado acumulado previsto e o valor atualizado acumulado realizado, caso esta diferença resulte em valor positivo, multiplicado pelo número de dias verificado entre a medição anterior e aquela em questão ou entre a primeira medição e a data de início dos serviços, de acordo com a fórmula a seguir: 8

9 VM = 0,25% x (VAAP - VAAR) x N, onde: VAAP = Valor Atualizado Acumulado Previsto na data da medição; VAAR = Valor Atualizado Acumulado Realizado na data da medição; VM = Valor da Multa; N = Número de dias entre a medição realizada e a anterior, ou em se tratando da 1 a medição, entre a 1 a medição e a data de início dos serviços. c) exceder injustificadamente o prazo de entrega da documentação exigida neste Instrumento para o recebimento definitivo: 0,10% (zero vírgula dez por cento) sobre o valor global atualizado do contrato, por dia excedido, sem prejuízo da responsabilidade civil e criminal incidentes e da obrigação de ressarcir as perdas e danos a que der causa; d) ocorrência de atraso em qualquer outro prazo previsto neste Instrumento não abrangidos pelas alíneas anteriores: 0,05% (zero vírgula zero cinco por cento) do valor global atualizado deste Instrumento, por dia de atraso. e) atraso na apresentação/atualização/reposição/complementação da garantia de execução contratual, nos moldes da CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA do Contrato: 1% (um por cento) do valor total da garantia prestada, por dia de atraso, até o limite de 10 (dez) dias úteis Demais multas: a) ocorrência de quaisquer outros tipos de descumprimentos contratuais não abrangidos no subitem anterior: 0,05% (zero vírgula zero cinco por cento) do valor global atualizado deste Instrumento para cada evento; b) exceder injustificadamente o prazo de execução fixado neste Instrumento: 0,15% (zero vírgula quinze por cento) sobre o valor global atualizado do Contrato, por evento; c) na rescisão do Contrato, com base nas hipóteses previstas nas alíneas a a m do subitem do Contrato, será aplicada multa de 20% (vinte por cento) do valor global atualizado deste Instrumento. d) não-apresentação/atualização/reposição/complementação da garantia de execução contratual, após o limite de prazo constante na alínea e do tem 6.05., na forma estabelecida neste Instrumento: 50% (cinqüenta por cento) do valor total da garantia prestada As multas de mora são independentes entre si, podendo ser aplicadas isoladamente ou cumulativamente e estão limitadas a 20% (vinte por cento) do valor global atualizado deste Instrumento Se discordar de penalidades aplicadas, a contratada poderá apresentar pedido de recurso, no prazo de 05 (cinco) dias úteis da data de recebimento da notificação a autoridade superior Ocorrendo atraso no pagamento, os valores devidos serão atualizados financeiramente entre as datas previstas e efetiva do pagamento, de acordo com a variação proporcional do IGPM/FGV O ônus do prazo de compensação e de todas as despesas decorrentes da transferência de crédito serão de inteira responsabilidade da contratada. Salientamos que não serão consideradas propostas via FAX, maiores informações pelo fone: (92) GEREN Av. André Araújo, 86, Aleixo, Manaus/AM Sem mais para o momento, subscrevemo-nos ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS AC TONANTINS 9

10 1. ADMINISTRAÇÃO DA OBRA 1.1 ALIMENTAÇÃO A CONTRATADA deverá fornecer aos seus funcionários alimentação adequada e de acordo com as condições mínimas especificadas na Convenção Coletiva do SINTRACOMEC em vigor e/ou demais sindicatos ao qual esteja sindicalizado. 1.2 ENGENHEIRO OU ARQUITETO AUXILIAR/JUNIOR DE OBRA A CONTRATADA deverá manter um engenheiro ou Arquiteto auxiliar/junior, responsável pela obra, que irá supervisionar os empregados, acompanhará o plano de serviço e prestará informações à FISCALIZAÇÃO quando solicitado, bem como irá realizar no mínimo 2 (duas) visitas mensais as obras para informar a FISCALIZAÇÃO sobre o desempenho e qualidade da obra HOSPEDAGEM E/OU ALUGUEL A CONTRATADA deverá fornecer aos seus empregados Hospedagem ou Aluguel de imóvel em local apropriado e de acordo com as condições mínimas necessárias para o conforto, bem estar e descanso definidos pelas lei, decretos e leis trabalhista e/ou demais normativos aplicadas à este item, ficando a critério da CONTRATADA a escolha desta modalidade. 1.4 EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A CONTRATADA fornecerá aos seus funcionários todos os equipamentos de proteção individual exigidos pela NR 6 Equipamentos de Proteção Individual (EPI), tais como: capacetes e óculos especiais de segurança, protetores faciais, fardamentos, luvas e mangas de proteção, botas de borracha e cintos de segurança, de conformidade com a natureza dos serviços de engenharia em execução. 1.5 ENCARREGADO DE OBRAS A Contratada deverá manter permanentemente no local da execução dos serviços, sob a supervisão de um Engenheiro devidamente registrado no C.R.E.A. AM, um Encarregado de Obras, responsável pela elaboração e execução do PLANO de serviços, que atenderá e prestará esclarecimentos sobre o desenvolvimento do Cronograma dos serviços, à Fiscalização da ECT. 2. DESPESAS PRELIMINARES 2.1 A 2.4 ART DE OBRA OU SERVICOS A CONTRATADA deverá registrar o contrato da obra solicitada no Conselho Regional de Engenharia (CREA) através da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) especificando contratante, numero do contrato, descrição dos serviços contratados, endereço da obra e o valor dos serviços. 2.5 PASSAGENS AÉREA/FLUVIAL/RODOVIÁRIA A Contratada deverá prever as verbas necessárias para o pagamento de fretes e transportes em geral para mobilizar e desmobilizar seu efetivo para a execução dos serviços de engenharia na localidade/região MOBILIZAÇÃO E FRETAMENTO DE TRANSPORTE DE MATERIAL A Contratada deverá prever as verbas necessárias para o pagamento de fretes e transportes em geral para mobilizar e desmobilizar materiais e equipamentos necessários para a execução dos serviços de engenharia. 10

11 2.7. PLACA DE OBRA EM CHAPA DE AÇO GALVANIZADO A CONTRATADA deve instalar Placa de Obra de acordo com as especificações mínimas a ser fornecida pela FISCALIZAÇÃO da ECT GALPÃO ABERTO PARA OFICINA E DEPÓSITO DE CANTEIRO DE OBRAS A CONTRATADA deverá prover espaço para armazenamento de material, equipamentos de obra e execução de serviços envolvidos nas atividades da obra. 3 DEMOLIÇÕES E RETIRADAS 3.1 a 3.23 e 16.5 As demolições são regidas, sob o aspecto de segurança e medicina do trabalho, pela Norma Regulamentadora NR-18, aprovada pela Portaria 3.214, de , do Ministério do Trabalho, publicada no D.O.U. de (Suplemento). Sob o aspecto técnico, as demolições são reguladas pela norma NB-598/77 - Contratação, execução e supervisão de demolições (NBR-5682). Deverá ser efetuada, no decorrer do prazo de execução da reforma, diária remoção dos entulhos e detritos que se venham a acumular no prédio, ao final de cada jornada de trabalho. Os materiais resultantes das demolições serão de propriedade do CONSTRUTOR, exceto aqueles que a critério da FISCALIZAÇÃO, são de propriedade da ECT ou do proprietário do imóvel - a quem competirá as providências de sua remoção do local para não prejudicar o andamento dos serviços. Antes de iniciar os serviços, desligar as linhas de fornecimento de água, energia elétrica, inflamáveis líquidos e gasosos liquefeitos, substâncias tóxicas e canalizações de esgotos. A Contratada deverá executar nos pontos indicados em projeto ou apontados pela Fiscalização, a remoção de tubulação hidrossanitária, com o emprego de ferramentas e materiais apropriados. O material deverá ser transportado para local conveniente e posteriormente retirado da obra como entulho. A Contratada deverá atentar para a assepsia da Obra, deixando o local livre de quaisquer detritos. A Contratada deverá executar nos pontos indicados em projeto ou apontados pela Fiscalização, a remoção de tubulação hidráulica, com o emprego de ferramentas e materiais apropriados. O material deverá ser transportado para local conveniente e posteriormente retirado da obra como entulho. A Contratada deverá atentar para a assepsia da Obra, deixando o local livre de quaisquer detritos. 4 INSTALAÇÕES DO CANTEIRO É de responsabilidade da CONTRATADA, a montagem dos andaimes necessários, assim como a sua estabilidade, atendendo as prescrições da NR TAPUME DE CHAPA DE MADEIRA COMPENSADA (6MM) - PINTURA A CAL- APROVEITAMENTO 2 X 11

12 Os tapumes externos serão colocados de acordo com as Normas da Prefeitura Local, quando da execução de obras junto à via pública. Toda área que estiver em reforma será totalmente isolada das demais áreas vizinhas, com tapume (até o teto/forro), de maneira a evitar transtornos aos vizinhos. Os tapumes serão construídos com chapas de madeira compensada, de 2,20 X 1,10 m, com 6 mm de espessura. Os montantes e travessas serão constituídos por peças de madeira com seção 6 X 6 cm. Os montantes serão espaçados entre si 110 cm, de eixo a eixo. Os tapumes deverão ser fixados de maneira que se tenha total segurança quanto a desabamentos oriundos da ação do vento ou de esforços acidentais. Todo o tapume receberá pintura protetora, de látex PVA, na cor branca. Nos tapumes serão colados cartazes informativos fornecidos pela FISCALIZAÇÃO/ENGENHARIA 4.2 ANDAIMES PARA REVESTIMENTO DE FORROS EM MADEIRA DE 3ª Andaime em tábua de pinho 3ª qualidade de 1 x12 em pontaletes de pinho 3 x3 com Inter travamento dos pontaletes com altura máxima de até 2,00 m. As plataformas de trabalho terão, no mínimo 1,2 m de largura. Nunca se poderá deixar que pregos ou parafusos fiquem salientes em andaimes de madeira. Não será permitido, sobre as plataformas de andaime, o acúmulo de restos, fragmentos, ferramentas ou outros materiais que possam oferecer algum perigo ou incômodo aos operários. 4.3 ANDAIMES PARA ALVENARIA EM MADEIRA DE 2A Andaime em tábua de pinho 2ª qualidade de 1 x12 em pontaletes de pinho 3 x3 com Inter travamento dos pontaletes com altura máxima de até 2,00 m. As plataformas de trabalho terão, no mínimo 1,2 m de largura. Nunca se poderá deixar que pregos ou parafusos fiquem salientes em andaimes de madeira. Não será permitido, sobre as plataformas de andaime, o acúmulo de restos, fragmentos, ferramentas ou outros materiais que possam oferecer algum perigo ou incômodo aos operários. 5 MOVIMENTAÇÃO DE TERRA 5.1 ESCAVACAO MANUAL DE CAVAS(FUNDACOES RASAS,=2,00 M) Na escavação efetuada nas proximidades de prédios ou vias públicas, serão empregados métodos de trabalho que evitem ocorrências de qualquer perturbação oriundas dos fenômenos de deslocamento, tais como: escoamento ou ruptura do terreno das fundações descompressão do terreno da fundação 12

13 descompressão do terreno pela água. Para efeito de escavação, os materiais são classificados em três categorias, como segue: material de 1ª categoria: em teor, na unidade de escavação em que se apresenta, compreende a terra em geral, piçarra ou argila, rochas em adiantado estado de decomposição e seixos, rolados ou não, com diâmetro máximo de 15 cm. material de2ª categoria: compreende a rocha com resistência à penetração mecânica inferior à do granito material de 3ª categoria, compreende a rocha com resistência à penetração mecânica igual ou superior à do granito. 5.2 ATERRO APILOADO(MANUAL) EM CAMADAS DE 20 CM COM MATERIAL DE EMPRÉSTIMO. As superfícies a serem aterradas deverão ser previamente limpas, cuidando-se para que nelas não haja nenhuma espécie de vegetação (cortada ou não) nem qualquer tipo de entulho, quando do inicio dos serviços. Os trabalhos de aterro e reaterro das cavas de fundação terão de ser executados com material escolhido, de preferência areia ou terra (nunca turfa nem argila orgânica), sem detritos vegetais, pedras ou entulho, em camadas sucessivas de 20 cm (material solto), devidamente molhadas e apiloadas, manual ou mecanicamente, a fim de serem evitadas ulteriores fendas, trincas e desníveis em virtude de recalque nas camadas aterradas. Na eventualidade de ser encontrado na área algum poço ou fossa sanitária em desuso, precisa ser providenciado o seu preenchimento com terra limpa. No caso de fossa séptica, deverão ser removidos todos os despejos orgânicos eventualmente existentes, antes do lançamento da terra. Todo movimento de terra que ultrapasse 50 m³ terá de ser executado por processo mecânico. Após a execução dos elementos de fundação ou o assentamento de canalização, é necessário processar o preenchimento das valas em sucessivas camadas de terra com altura máxima de 20 cm (material solto), devidamente umedecidas e apiloadas. 6 INFRA ESTRUTURA / SUPERESTRUTURA 6.1 à 6.9 FUNDAÇÃO Será compostas por sapatas ou blocos com cintas ou baldrame de acordo com as dimensões, quantidades e dimensionamento constante no projeto de fundações executado por profissional competente e com registro da ART do Projeto no conselho regional de engenharia. Materiais: 13

14 Concreto Usinado de acordo com FCK e Slump Projetado e conforme normas ABNT/NBR; As barras e fios destinados à armadura para concreto estrutural obedecerão ao disposto na NBR 7480 e de acordo com as bitolas exigidas no projeto de fundação; O arame p/ armaduras de concreto estrutural será de fio recozido nº 18 AWG; Compensado Resinado de 12cm para execução das formas de acordo com as seções e cotas do projeto de fundação. ESTRUTURA É compostas por pilares, vigas e lajes de acordo com as dimensões, quantidades e dimensionamento constante no projeto de Estrutura executado por profissional competente e com registro da ART do Projeto no conselho regional de engenharia Materiais: Concreto Usinado de acordo com FCK e Slump Projetado; As barras e fios destinados à armadura para concreto estrutural obedecerão ao disposto na NBR 7480 e de acordo com as bitolas exigidas no projeto de fundação; O arame p/ armaduras de concreto estrutural será de fio recozido nº 18 AWG; Compensado Resinado de 12cm para execução das formas de acordo com as seções e cotas do projeto de estrutura. 7 PAREDES E DIVISÓRIAS 7.1 ALVENARIA EM TIJOLO CERAMICO FURADO 10X20X20CM, 1/2 VEZ, ASSENTADO EM ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA), JUNTAS 12MM As alvenarias de tijolos cerâmicos furados serão executadas em obediência às dimensões e alinhamentos indicados no projeto. Serão aprumadas e niveladas, com juntas uniformes, cuja espessura não deverá ultrapassar 15 mm. As juntas deverão ser rebaixadas à ponta de colher. Os tijolos serão umedecidos antes do assentamento e aplicação das camadas de argamassa. O assentamento dos tijolos será executado com argamassa de cimento, cal e areia no traço volumétrico 1:2:8. Os tijolos deverão apresentar arestas vivas, faces planas, sem fendas e dimensões perfeitamente regulares, tudo de acordo com a NBR ALVENARIA EM TIJOLO CERAMICO FURADO 10X20X20CM, 1 VEZ, ASSENTADO EM ARGAMASSA TRACO 1:5 (CIMENTO E AREIA), E=1CM As alvenarias de tijolos cerâmicos furados serão executadas em obediência às dimensões e alinhamentos indicados no projeto. Serão aprumadas e niveladas, com juntas uniformes, cuja espessura não deverá ultrapassar 15 mm. As juntas deverão ser rebaixadas à ponta de colher. Os tijolos serão umedecidos antes do assentamento e 14

15 aplicação das camadas de argamassa. O assentamento dos tijolos será executado com argamassa de cimento e areia no traço volumétrico 1:5. Os tijolos deverão apresentar arestas vivas, faces planas, sem fendas e dimensões perfeitamente regulares, tudo de acordo com a NBR DIVISORIA 35MM PAINEL CEGO MIOLO COLMEIA REVESTIDA C/CHAPA LAMINADA EM CORES FIBRA MADEIRA PRENSADA C/MONTANTES ALUMINIO ANODIZADO NATURAL EM"L" "T" OU "X" INCL PORTAS EXCL SUAS FERRAGENS. A Contratada deverá fornecer e instalar paredes Divisórias leves internas tipo "DIVILUX" com painéis de 35 x x mm, com estrutura celular tipo honey-comb, com requadro de chapa isolante de fibra de madeira, com acabamento em resina melamínica de baixa pressão na cor areia Jundiaí estruturadas em perfis de aço liga 1010 ou 1020 galvanizados. 7.5 FECHADURA DE EMBUTIR COMPLETA, PARA PORTAS INTERNAS, PADRAO DE ACABAMENTO SUPERIOR As fechaduras das portas INTERNAS devem possuir acabamento cromado e maçaneta do tipo alavanca. Modelo Standard ML60 E-82 cód , maçaneta tipo alavanca maciça, CR-Papaiz, La Fonte, Fama ou similar aprovado pela FISCALIZAÇÃO DOBRADICA LATAO CROMADO 3X3" C/ANEL - P A Contratada deverá fornecer e instalar nas portas de divisória 03 (três) dobradiças de latão cromado: Referência: Dobradiça cromada ref. 346A Ferragens Pagé; Dobradiça cromada ref. D80L 4x3 Yale La Fonte. 8 ESQUADRIA DE MADEIRA 8.1 PORTA DE MADEIRA COMPENSADA LISA PARA PINTURA, 0,90X2,10M, INCLUSO ADUELA 2A, ALIZAR 2A E DOBRADICA A Contratada deverá fornecer e instalar nos locais identificados no projeto arquitetônico, Porta interna simples tipo prancheta, com acabamento em pintura esmalte sintético fosco ou semibrilho, acompanhando o padrão Bege, folha com vão livre de 0,90m x 2,10 m x 35 mm de espessura, com aduelas em madeira de lei com largura igual às paredes, alizares nas duas faces. As esquadrias e peças de madeira deverão ser secas, isenta de nós, cavidades, carunchos, fendas e de todo e qualquer defeito que possa comprometer a sua durabilidade, resistência mecânica e estética. As folhas de portas, marcos e alizares, devem acompanhar as cores utilizadas nas paredes, com o objetivo de não se destacarem do conjunto, recebendo toda a porta o mesmo padrão de acabamento. 15

16 8.3 FECHADURA DE EMBUTIR COMPLETA, PARA PORTAS DE BANHEIRO, PADRAO DE ACABAMENTO SUPERIOR As fechaduras das portas INTERNAS devem possuir acabamento cromado e maçaneta do tipo alavanca. Modelo Standard ML60 E-82 cód , maçaneta tipo alavanca maciça, CR-Papaiz, La Fonte, Fama ou similar aprovado pela FISCALIZAÇÃO. 8.4 RECOLOCACAO DE FOLHAS DE PORTA DE PASSAGEM OU JANELA, CONSIDERANDO REAPROVEITAMENTO DO MATERIAL A CONTRATADA quando indicado em projeto executivo a retirada para remanejamento de portas ou janelas, deverá efetuar retirada cuidadosa para posterior instalação das esquadrias evitando ao máximo depreciar os materiais remanejados além das anomalias já existentes anteriores a retirada. 8.5 CHAPA DE AÇO INOX 304-1,0MM ESCOVADA 800MM X 800MM - FORNECIMENTO As portas dos sanitários acessíveis terão, em sua parte inferior, em ambas as faces, proteção contra choques mecânicos, em chapa de aço inoxidável escovado e = 1,00 mm, nas dimensões de 40 cm de altura pela largura da porta 9 ESQUADRIA METÁLICA E SERRALHERIA 9.4 BARRA DE APOIO DE AÇO INOX /4 40CM A instalação de barras horizontais, fixadas às portas dos banheiros acessíveis, é recomendada quando não houver o espaço necessário para a transposição configurada na NBR PORTAS DE FERRO, DE ABRIR, BARRA CHATA COM REQUADRO E GUARNIÇÃO. A CONTRATADA deverá fornecer e instalar portão de ferro conforme detalhe abaixo: Detalhe do Portão de Ferro a ser confeccionado: 16

17 0,90 2,20 10 VIDROS 10.2 VIDRO LISO COMUM TRANSPARENTE, ESPESSURA 4MM Os vidros lisos serão incolores, planos, transparentes, superfície perfeitamente polida, apresentando resistência, espessura mínima de 4 a 6 mm, conforme vãos e especificações indicados. Os vidros deverão ser fixados às esquadrias por meio de baguetes ou massa de vidraceiro 11 IMPERMEABILIZAÇÃO Para os serviços de impermeabilizações tem-se como objetivo realizar uma obra estanque, isto é, assegurar a perfeita proteção da obra contra a penetração d água mediante o emprego de materiais impermeáveis e de outras disposições. Os serviços de impermeabilizações terão primorosa execução por firmas especializadas que ofereçam garantia dos trabalhos, os quais deverão obedecer às normas da ABNT por termo de garantia de pelo menos 05 (cinco) anos. As impermeabilizações serão executadas por pessoal habilitado cabendo à CONTRATADA apresentar atestado de capacidade técnica do aplicador, fornecido pelo fabricante dos produtos especificados. 17

18 Fazer a limpeza geral e cuidadosa preparação de todas as superfícies a impermeabilizar. Verificação minuciosa da conclusão e ajustagem definitiva de todos os serviços e obras que possam interferir na impermeabilização, tais como condutores de águas pluviais, canalizações, drenos, antenas, arremates de cobertura, etc. Os produtos e materiais a serem utilizados nas impermeabilizações serão definidos nas especificações complementares CONTRAPISO EM ARGAMASSA TRACO 1:4 (CIMENTO E AREIA), ESPESSURA 6CM, PREPARO MANUAL O contrapiso é uma camada de argamassa lançada sobre uma base (laje estrutural ou lastro de concreto) para regularização. Passo 1: Limpar a base e retirar todos os restos de argamassa, entulho ou qualquer outro material aderido, o primeiro passo é fazer a transferência de nível com o auxílio de um nível de mangueira (ou nível laser) a partir do nível de referência. Passo 2: Marque a altura do contrapiso com o auxílio de uma trena Passo 3: Sobre a superfície limpa, jogue uma mistura de água e aditivo na área onde as taliscas serão executadas Passo 4: Polvilhe cimento sobre a mistura Passo 5: Com a ajuda de um vassourão, escove a massa. Essa mistura serve de ponte de aderência entre a laje e o contrapiso. Passo 6: Coloque a argamassa sobre a superfície Passo 7: Depois de nivelar a argamassa, coloque a talisca (um pedaço de cerâmica ou madeira) Passo 8: Com o auxílio da trena e prevendo o caimento no sentido dos ralos, conforme o projeto, confira a altura do nível do contrapiso.faça as outras taliscas do local Passo 9: Com um fio esticado, confira a altura das taliscas. Passo 10: Aplique sobre toda a base a mistura de aditivo e água. Passo 11: Em seguida, polvilhe cimento sobre toda a base Passo 12: Jogue a argamassa do contrapiso Passo 13: Com o auxílio do vassourão, escove toda a área. Passo 14: Com a ajuda de uma enxada, preencha os intervalos entre as taliscas, espalhando a argamassa em movimentos contínuos, para que não seque rápido demais. Passo 15: A argamassa deve ser compactada com um soquete de madeira. Esse processo deve ser feito até que a argamassa de contrapiso chegue no nível marcado com o fio. Passo 16: Após campactar a argamassa, sarrafeie com movimento de vai-e-vem, apoiando a régua de alumínio nas taliscas. 18

19 Passo 17: Deve-se sarrafear a sobra até que a superfície alcance o nível das faixas em todos os lados da área do contrapiso. Passo 18: Sobre falhas e pequenos buracos, coloque um pouco de argamassa e nivele a superfície até ficar totalmente lisa. Passo 19: Desempene a massa, alisando-a e dando o acabamento final no trabalho com o auxílio de uma desempenadeira de madeira (ou de alumínio, se necessário). Passo 20: Depois de aproximadamente seis horas de cura, o contrapiso está pronto para receber o revestimento final. 12 REVESTIMENTOS DE FORROS OBSERVAÇÕES INICIAIS: 1) Será exigido para qualquer tipo de forro, nivelamento e alinhamento perfeitos, sem ressaltos, reentrâncias, diferenças nas juntas; as placas ou réguas deverão apresentar-se sem defeitos. 2) Os níveis serão definidos em função das instalações e ou outros serviços a serem executadas acima dos forros, sendo que se deverá atingir o máximo pé direito possível e em caso de inexistência de instalações, deverão compatibilizar com os níveis existentes. 3) A estrutura de sustentação dos forros em geral deverá ser suportada pelas estruturas existentes, ou seja: em concreto ou metálicas, desde que dimensionadas para tal finalidade FORRO PVC EM PLACAS COM LARGURA DE 10CM, ESPESSURA 8MM, COMP DE 6,0M, LISO, (INCLUSIVE COLOCACAO, EXCLUSIVE ESTRUTURA DE SUPORTE) O forro em réguas de PVC será do tipo perfil extrudado auto-extinguível, com réguas de 10 cm de largura útil por 8 mm de espessura, perfil de 100 mm na cor branca, liso ou frisado, ou conforme padrão existente, marcas TIGRE, FORTPLAST, ou equivalente, dotado de todos os acessórios, como arremates, cantoneiras, etc., e que poderá ser fixado em estrutura de metalon (gradeamento) suspenso na estrutura de concreto armado e com quadros de no máximo 0,80x0,80 metros em metalon galvanizado ou zincado chapa 18 ou de acordo com recomendações do fabricante, sendo que esta estrutura em metalon galvanizado ou zincado, antes da colocação do forro deverá ser pintada seguindo as recomendações do item pinturas quanto à preparação e aplicação do acabamento final, e utilizando-se para fundo Fundo Universal Coral Dulux ou Super Galvite da Sherwin Williams, e para acabamento final um esmalte do tipo industrial ou automotivo da marca Combilux, Coral ou Suvinil na cor branco neve. 13 REVESTIMENTOS DE PAREDES INTERNAS 13.1 CHAPISCO TRACO 1:3 (CIMENTO E AREIA), ESPESSURA 0,5CM, PREPARO MANUAL A Contratada deverá fornecer e aplicar chapisco com argamassa de cimento e areia no traço 1:3, em todas as áreas a serem revestidas, para melhor aderência da argamassa de reboco. A argamassa tem de ser projetada energicamente, de baixo para cima, contra a alvenaria a ser revestida através de colher de pedreiro. O revestimento em chapisco se fará tanto nas superfícies verticais e horizontais de concreto como também nas superfícies horizontais e verticais de alvenaria, para posterior revestimento com embôço ou massa única. 19

20 A espessura máxima do chapisco é de 5 mm. Todas as superfícies deverão estar limpas e isentas de partes soltas e deverão ser molhadas abundantemente antes da aplicação do chapisco EMBOCO PAULISTA (MASSA UNICA) TRACO 1:6 (CIMENTO E AREIA), ESPESSURA 2,5CM, PREPARO MANUAL A Contratada deverá fornecer e aplicar nas paredes internas e externas, emboço com argamassa mista de cimento, arenoso e areia média ou grossa, no traço 1:6, com espessura de 2,5 cm, para que as paredes fiquem exatamente com 15 cm no sentido transversal, quando forem de alvenaria de meia vez, em 25 cm quando forem em alvenaria de uma vez. A argamassa precisa ser preparada mecanicamente. A mistura deverá ser contínua a partir do momento em que todos os componentes, inclusive a água, tiverem sido lançados na betoneira ou masseira. Quando a quantidade de argamassa a ser utilizada for insuficiente para justificar o preparo mecânico, poderá ser feito o amassamento manual. Nesse caso, terão de ser misturados, a seco, o agregado com os aglomerantes, revolvendo os materiais com a enxada até que a mescla adquira coloração uniforme. A mistura será então disposta em forma de vulcão, adicionando no centro, gradualmente, a água necessária. O amassamento será executado com todo o cuidado, para evitar perda de água ou segregação de materiais, até ser obtida argamassa homogênea, de aspecto uniforme e consistência plástica apropriada. A argamassa deverá ser aplicada dentro de duas horas e meia a contar do primeiro contato do cimento com a água AZULEJO 1A 15X15CM FIXADO ARGAMASSA COLANTE, REJUNTAMENTO COM CIMENTO BRANCO A Contratada deverá fornecer e revestir os locais identificados no projeto arquitetônico, com azulejos brancos 15 x 15, do piso até o teto. Na aplicação do revestimento, deverá obrigatoriamente ser usado espaçador plástico para que as peças não fiquem coladas umas nas outras, garantindo assim, uma perfeita penetração e aderência do rejuntamento. A peça cerâmica deverá ser Classe A, PEI IV, dimensões de 15cm x 15cm, na cor areia ou palha, marca Eliane, Portobello, Itagrês Ref: WC BASIC MAT, ou similar aprovado pela FISCALIZAÇÃO. 14 PISOS 14.1 SOLEIRA DE GRANITO, LARGURA 5CM, ESPESSURA 3CM, ASSENTADA COM ARGAMASSA COLANTE Soleira em pedra natural tipo Granito Cinza Mauá com largura de 5cm, e=3cm assenta com argamassa colante industrializada tipo ACI para ambientes internos 14.2 PISO EM CERAMICA ESMALTADA 1A PEI-V, PADRAO MEDIO, ASSENTADA COM ARGAMASSA DE CIMENTO E AREIA PREPARO MANUAL, REJUNTE C/ CIMENTO BRANCO 20

21 Deverão ser seguidos modelos e marcas dos produtos padronizados pela ECT e/ou existentes na Unidade. Caso tais produtos tenham saído de linha ou haja dificuldade para seu fornecimento a CONTRATADA deverá formalizar a necessidade de alteração da especificação perante a ECT que, após análise da solicitação, irá providenciar nova especificação. O azulejista desempenará as superfícies, obtendo uma superfície perfeitamente desempenada. A superfície dos tijolos deverá ser molhada, com jatos de mangueira ou aspersão com brocha ou por água contida em pequenos recipientes. A caixa do produto deverá conter informações relativas ao tamanho, tonalidade e lote das peças. Antes da aplicação do produto, deverá ser feito teste de umidade para garantir que não haverá alteração do acabamento das peças em virtude do excesso de umidade. A superfície deverá estar limpa, regularizada e aprumada. Conforme a base proceder-se-á à aplicação do chapisco e, posteriormente, do emboço, conforme disposto em itens específicos. Depois de curado o emboço, cerca de dez dias, deverá ser iniciada a colocação dos azulejos ou dos ladrilhos cerâmicos. As cerâmicas deverão ter dimensão aproximada de 30x30cm ou 40x40cm, espessura média de 8,00mm, coeficiente de absorção de água de 3 a 6%, resistência a abrasão superficial PEI-5 para cerâmicas esmaltadas, além de qualidade tipo Extra. Referências básicas para pisos novos: Cerâmica Hércules 30x30 ou 40x40 cor Bege (AL) Linha Hércules ref. Cerâmica Hércules AL Cerâmica Portinari / Cecrisa; Cerâmica Transit - 45x45 cor Bege (AL) Linha Transit ref. Cerâmica Transit AL Cerâmica Portinari / Cecrisa; Cerâmica Laser 30x30 ou 45x45cm cor Laser Bone Linha Laser ref. Cerâmica Laser Bone (97805 ou 95386) Cerâmica Portobello EXECUÇÃO DE CALÇADA EM CONCRETO NÃO ESTRUTURAL, COM USO DE SEIXO ROLADO, PREPARO MECÂNICO, E ESPESSURA DE 7CM Executar calçada em concreto não estrutural, e-7cm utilizando de peças de madeira para execução em placas, junta tipo seca, obedecendo ao alinhamento e caminhamento indicado em projeto executivo ou conforme orientação da FISCALIZAÇÃO RODAPE EM CERAMICA ESMALTADA LINHA POPULAR PEI-4, ASSENTADA COM ARGAMASSA FABRICADA NO LOCAL, COM REJUNTAMENTO EM CIMENTO BRANCO Os rodapés cerâmicos obedecerão ao mesmo dimensionamento e cor do material existente na unidade ou conforme indicado pela FISCALIZAÇÃO. Deverá ser mantida a paginação existente. Caso tais produtos tenham saído de linha ou haja dificuldade para seu fornecimento a CONTRATADA deverá formalizar a necessidade de alteração da especificação perante a FISCALIZAÇÃO que, após análise da solicitação, irá providenciar nova especificação 21

22 Referências: Cerâmico Hércules 30x30 ou 40x40 cor Bege (AL) Linha Hércules ref. Cerâmica Hércules AL Cerâmica Portinari / Cecrisa; Cerâmica Transit - 45x45 cor Bege (AL) Linha Transit ref. Cerâmica Transit AL Cerâmica Portinari / Cecrisa; Cerâmica Laser 30x30 ou 45x45cm cor Laser Bone Linha Laser ref. Cerâmica Laser Bone (97805 ou 95386) Cerâmica Portobello PISO TÁTIL DIRECIONAL OU ALERTA DE BORRACHA ASSENTADO C/ COLA E-4,0MM Pisos em borracha sintética vulcanizada de 250 x 250 mm com espessura total (placa + relevo) de 7 mm para instalação integrada e nivelada com o piso existente, cor preta, referência 0240 fabricante Daud ou Andaluz ou equivalente. A superfície deve estar lisa, isenta de pó e totalmente seca. Aplicar uma camada fina e uniforme no verso das placas e, em seguida, uma de adesivo também sobre o piso cerâmico, utilizando uma espátula com dentes finos e cuidando para evitar excesso ou a formação de bolsões de adesivo. Quando o adesivo atingir o ponto de aderência, que leva cerca de 20 minutos, colocar as placas e assentá-las, pressionando-as para que haja perfeita aderência. A liberação ao trânsito de pessoas deve ser feita 3 dias após o término da aplicação PISO EM PLACA CIMENTÍCIA DE ALTA RESITÊNCIA, PODOTÁTIL, 25X25 CM E=3MM, ASSENTADO EM ARGAMASSA DE CIMENTO E AREIA PENEIRADA TRAÇO 1:3 - M2 O piso tátil em concreto a ser instalado é composto por placas de concreto 250x250 mm,, antiderrapante, com peso máximo por m² = 76 kg, com coeficiente de atrito dinâmico a seco = 0,89/molhado = 0,73, com absorção máximo de água = 6%, com resistência a flexão (tração) = 5Mpa, com desgaste por abrasão em mm por ml = 3,00 ml, apresentando resistência a flexão (tração) = 5M pa, resistência à compressão por punção = 35M pa, fabricante Andaluz, Tecnogran ou equivalente, cor amarela ou equivalente. A aplicação deverá ser feita sobre lastro de concreto, ou base compactada, protegido com camada de pó de brita conforme condições locais existentes, com argamassa de cimento e areia 1:3. Deverão ser previstas juntas de 1 a 2 mm entre as placas. Antes da aplicação, o piso existente deverá ser removido, nas dimensões (largura e comprimento) da trilha, executando um rebaixo de 6 cm. 15 INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS 15.1 À Este item abrange tubos, conexões, fixações e acessórios. O manuseio dos tubos deverá ser feito de forma cuidadosa. A estocagem deverá ser feito em local plano e bem nivelado, evitando-se deformações. Deve-se evitar a estocagem de tubos em balanço. 22

23 Para corte dos tubos utilizar serra de ferro de dentes pequenos ou equipamento especifico para corte em PVC. Cortar rigorosamente os tubos perpendicularmente ao eixo longitudinal, de forma a não ficar rebarbas. Após cortar bisotar as pontas cortadas com uma lima. As pontas deverão ser chanfradas em toda a volta, num ângulo de 15, e também devem ser limpas as rebarbas formadas no corte. Lixar levemente, apenas tirando o brilho das paredes, utilizando lixa d água fina n 320. Não lixar em excesso, o que provoca folgas indesejáveis. Limpar as impurezas e gorduras da ponta e bolsa com solução limpadora. Com a utilização de pincel chato, aplicar a solda em uma camada fina e uniforme na bolsa cobrindo o terço inicial da mesma e outra camada idêntica na ponta do tubo. Encaixar a ponta na bolsa até atingir o fundo sem torcer. Remover o excesso de solda, utilizando papel absorvente e deixar secar. Limpar os excessos verificados na realização das juntas e qualquer quantidade de solda que tenha caído acidentalmente sobre os tubos. Evitar excessos de solda no interior das bolsas. Todas as canalizações serão assentadas antes do revestimento das alvenarias de tijolo. Durante a realização dos serviços até a montagem dos aparelhos, todas as extremidades livres das canalizações, serão invariavelmente vedadas, com plugs apropriados, não sendo admitido o uso de buchas de madeira ou papel para tal fim. Todas as tubulações serão testadas, num período de 72 horas seguidas, antes do fechamento dos rasgos das alvenarias ou de seu envolvimento por capas de argamassa, submetidas à pressão hidrostática igual ao dobro da pressão de trabalho normal prevista, sem que acusem qualquer vazamento. Procedimentos: deverão ser obedecidas rigorosamente as recomendações dos fabricantes de tubos. A distância máxima entre 2 pontos de fixação é de 6 m. Entre 2 pontos fixos deve ser sempre prevista uma junta elástica. As abraçadeiras devem ter largura para distribuir o esforço, e folga suficiente para permitir livre movimentação da tubulação, exceto nos pontos fixos previstos. Os tubos não podem ser engastados na estrutura de concreto, devendo ser previstas folga para permitir a livre movimentação, através de utilização de tubo camisa. As conexões soldáveis de PVC deverão obedecer a Norma NBR 5648/99 e serem do mesmo fabricante dos tubos utilizados. As conexões de PVC estão descritas nos itens posteriores. As conexões soldáveis de PVC com rosca metálica de PVC deverão ser obedecer a Norma NBR 5648/99 e serem do mesmo fabricante dos tubos a serem interligados, e serão utilizadas em todas as extremidades onde serão instalados aparelhos metálicos e registros. Tubos roscáveis de PVC: Deverão ser tomados os mesmos cuidados de estocagem, manuseio, transporte, corte, fixações, juntas, etc, citados para tubos soldáveis. A rosca deverá ser efetuada com tarraxa para tubo PVC, com o tubo fixado cuidadosamente em morsa, e deverá ser utilizada fita veda-rosca, com aplicação no sentido anti-horário. 23

24 Nunca utilizar cânhamo embebido em zarcão, ou tinta a base de solvente, nos filetes das roscas dos adaptadores e demais conexões de PVC destinadas ao acoplamento com peças metálicas rosqueadas, pois estes produtos atacam o PVC. Para instalar registros ou conexões metálicas na linha de PVC, utilizar a seqüência: primeiro colocar o adaptador ou a luva de rosca metálica nas peças metálicas, utilizando fita veda-rosca, e em seguida soldar as pontas dos tubos nas bolsas das conexões de PVC. Nunca fazer a operação inversa, pois o esforço de torção pode danificar a soldagem, em processo de secagem. Para as conexões roscáveis de PVC, considerar as observações dos itens relacionados a PVC. As Instalações sanitárias de esgotos e águas pluviais deverão obedecer às normas da ABNT relativas ao assunto, em especial o disposto nas seguintes: NB-19/83: Instalações Prediais de Esgotos Sanitários (NBR 8160); NB-37/86: Execução de Rede Coletora de Esgoto Sanitário (NBR 9814); NB-567/86: Projeto de Redes Coletoras de Esgoto Sanitário (NBR 9649); NBR Instalações Prediais de Águas Pluviais. CAIXA SIFONADA PVC Deverão ser seguidas as instruções e recomendações do fabricante para manuseio, instalação e conservação do produto. REGISTRO DE GAVETA COM CANOPLA CROMADO Os registros e válvulas deverão ter referência na marca DECA. Deverão ser seguidas as instruções e recomendações do fabricante para manuseio, instalação e conservação do produto. REGISTRO DE GAVETA BRUTO Os registros e válvulas deverão ter referência na marca DECA. Deverão ser seguidas as instruções e recomendações do fabricante para manuseio, instalação e conservação do produto. ANEL DE VEDAÇÃO PARA BACIAS SANITÁRIAS Deverão ser seguidas as instruções e recomendações do fabricante para manuseio, instalação e conservação do produto CAIXA DE INSPEÇÃO EM ALVENARIA DE TIJOLO MACIÇO 60X60X60CM, REVESTIDA INTERNAMENTO COM BARRA LISA (CIMENTO E AREIA, TRAÇO 1:4) E=2,0CM, COM TAMPA PRÉ-MOLDADA DE CONCRETO E FUNDO DE CONCRETO 15MPA TIPO C - ESCAVAÇÃO E CONFECÇÃO; 16 EQUIPAMENTOS SANITÁRIOS 16.1 BACIAS SANITÁRIAS COM BARRAS DE APOIO EM DUAS PAREDES, COM ASSENTO SANITÁRIO PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS. Barras de Apoio: Barra de apoio para portadores de necessidades especiais, reta em aço inox 304 (80 cm x 1.1/4"), capacidades de carga de até 150 kg serão fixadas na alvenaria com bucha nylon s-8 e parafuso rosca soberba de aço zincado, cabeça fenda simples 4,8x75mm. 24

25 Assento Sanitário: assento em poliéster, linha Professional Conforto Deca AP.510 na cor branco gelo (GE17) ou similar equivalente. Bacia Sanitária: Bacia Sanitária elevada sem abertura frontal linha Professional Conforto Deca Vogue Plus (referência P510) na cor branco gelo (GE17) c/ caixa de descarga acoplada Deca ou similar equivalente Desenho Técnico Imagem Ilustrativa 16.6 Lavatório de louça com coluna suspensa, barra de apoio em aço inox /4" e reforço em aço inox 304 3/4" Barras de Apoio: Barra de apoio em aço inox /4"e reforços em aço inox 304 3/4" 60cmx60cm, capacidade de carga de até 150 kg, serão fixadas na alvenaria com bucha nylon s-8 e parafuso rosca soberba de aço zincado, cabeça fenda simples 4,8x75mm Lavatório: Lavatório de louça p/ coluna suspensa, indicado para portadores de necessidades especiais, modelo: L510, DECA, GE17 ou similar Lavatório c/ barra de apoio Coluna suspensa: Coluna suspensa para lavatório modelo: C510, DECA,GE17 ou similar Misturador/Torneira: Misturador para lavatório monocomando, modelo Pressmatic Benefit, DOCOLMATIC ou similar COD: Misturador p/ lavatório 25

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO INSTITUTO UNI-FAMEMA / OSCIP Marília/SP ÍNDICE 1. PRELIMINARES. 2. DEMOLIÇÕES E RETIRADAS.

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS E CADERNO DE ENCARGOS

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS E CADERNO DE ENCARGOS EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS E CADERNO DE ENCARGOS Recuperação da Fachada do CTCE, localizado na Av. Durval de Góes Monteiro, 7037, Tabuleiro dos Martins, Maceió/

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON OBRA: ENDEREÇO: REFORMA E ADEQUAÇÃO DE SALAS NO PRÉDIO DA UNIDADE DE NEGÓCIOS NORTE UNN, VISANDO A INSTALAÇÃO DO POSTO DE ENSAIO

Leia mais

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul 1. O presente memorial tem por

Leia mais

PLANILHA DE SERVIÇOS GERAIS DE OBRA

PLANILHA DE SERVIÇOS GERAIS DE OBRA 1 PRELIMINARES 1.1 Instalações do canteiro de obra vb 1,00 5.000,00 5.000,00 90,09 1.2 Placa de obra 2,00m x 3,00m, conforme orietações da administração vb 1,00 550,00 550,00 9,91 SUB TOTAL PRELIMINARES

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA.

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. Dados da Obra: Endereço da obra: Rua Amazonas, nº512, Centro. Parte

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE CONSTRUÇÃO DE ESCRITÓRIO EM ARIQUEMES/RO.

PROJETO BÁSICO DE CONSTRUÇÃO DE ESCRITÓRIO EM ARIQUEMES/RO. UNID. QUANT. UNITÁRIO TOTAL CÓD. DEOSP 1. SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 1.2 Aquisição e assentamento de placas de obras pronta de 3,00 x 2,00 m, conforme modelo. Barracão de obra em chapa de madeira compensada

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR 1 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 MEMORIAL DESCRITIVO 3 I. DADOS FÍSICOS LEGAIS 3 II. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 III.

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA

CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA REFORMA DO PRÉDIO DA CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Introdução O presente memorial descritivo tem por finalidade definir os trabalhos de Reforma Câmara

Leia mais

FUNDAÇÃO PROFESSOR MARTINIANO FERNANDES- IMIP HOSPITALAR - HOSPITAL DOM MALAN

FUNDAÇÃO PROFESSOR MARTINIANO FERNANDES- IMIP HOSPITALAR - HOSPITAL DOM MALAN 25% 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES R$ 12.734,82 1.1 COTAÇÃO MOBILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS E PESSOAL. M² 200,00 2,57 3,21 642,50 1.2 74220/001 TAPUME DE CHAPA DE MADEIRA COMPENSADA, E= 6MM, COM PINTURA

Leia mais

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS 1 1.1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas 01520.8.1.1 m² 7,50 1.2 Ligação provisória de água para a obra

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015

MEMORIAL DESCRITIVO. Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015 MEMORIAL DESCRITIVO Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015 1. DESCRIÇÃO DA OBRA As presentes especificações, bem como

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Nova Instalação da SEMMAC LOCAL: Rua Dr. Lamartine Pinto de Avelar, 2338. Setor Ipanema. Catalão GO TIPO DE SERVIÇO: Reforma e Ampliação. 1.0 INTRODUÇÃO A finalidade do presente

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada:

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada: PROJETO Nº 051/2013 Solicitação: Memorial Descritivo Tipo da Obra: Reforma, ampliação e adequação acesso Posto de Saúde Santa Rita Área existente: 146,95 m² Área ampliar: 7,00 m² Área calçadas e passeio:

Leia mais

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Banheiros Públicos Rincão do Segredo Local: Rua Carlos Massman - Rincão do Segredo Alm. Tam. do Sul-RS Proprietário: Município de Almirante Tamandaré do Sul / RS 1. O presente

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

OBRA: CONSTRUÇÃO DE UM RESERVATÓRIO ELEVADO, UM RESERVATÓRIO SUBTERRÂNEO E UMA CASA DE MÁQUINAS LOCAL DA OBRA: UNIDADE DE ENSINO DE JOÃO CÂMARA

OBRA: CONSTRUÇÃO DE UM RESERVATÓRIO ELEVADO, UM RESERVATÓRIO SUBTERRÂNEO E UMA CASA DE MÁQUINAS LOCAL DA OBRA: UNIDADE DE ENSINO DE JOÃO CÂMARA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DO PROJETO DE EXPANSÃO Av. Sen. Salgado Filho, 1559, Natal/RN. FONE (084) 4005-2612 OBRA: CONSTRUÇÃO DE UM

Leia mais

MUNICÍPIO DE ILHA COMPRIDA

MUNICÍPIO DE ILHA COMPRIDA MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: REFORMA, ADEQUAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA CRECHE CRIANÇA FELIZ LOCAL: BALNEÁRIO ICARAÍ DE IGUAPE 1. Descrição As adequações e ampliações da Creche Criança feliz visam melhorar o atendimento

Leia mais

PROJETO PARA FECHAMENTO DE QUADRA DE ESPORTES E.E.B MARIA DO ROSÁRIO

PROJETO PARA FECHAMENTO DE QUADRA DE ESPORTES E.E.B MARIA DO ROSÁRIO PROJETO PARA FECHAMENTO DE QUADRA DE ESPORTES E.E.B MARIA DO ROSÁRIO MONTE CARLO SC JULHO DE 2015 Fazem parte deste projeto: - Projeto Arquitetônico e Detalhes. - Memorial Descritivo. - Orçamento, Cronograma.

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires MEMORIAL DESCRITIVO Obra: OBRAS CIVIS, REFORMA E INSTALAÇÕES - PMAT PAVIMENTO TÉRREO E SUPERIOR DA PREFEITURA MUNICIPAL Local: Rua Osvaldo Aranha-nº 634 Venâncio Aires EXECUÇÃO E SERVIÇOS A execução dos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DE MERITI MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DE MERITI MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DE MERITI MEMORIAL DESCRITIVO Objeto: Reforma e Adequação sem acréscimo de área construída do Posto de Saúde de Eden. End.: Rua Roberto Silveira s/n Éden - São João de

Leia mais

Prefeitura Municipal de Piratini

Prefeitura Municipal de Piratini MEMORIAL DESCRITIVO O presente Memorial Descritivo visa estabelecer as condições de materiais e execução referentes à construção de um Vestiário Esportivo, localizado na Av. 6 de julho s/n, em Piratini/RS,

Leia mais

Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental.

Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental. PROJETO BÁSICO Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental. 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1 Título do Projeto Recuperação das Casas destinadas

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA DATA agosto/2013 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.2 74209/001 Aquisição e assentamento de placas de obra em aço galvanizado. Abrigo Provisorio de madeira executado na obra para m² 6,00 157,35 944,10 1.3 01520.8.1.1

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA ORÇAMENTÁRIA 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 7.992,27 1.1 74209/001 PLACA DE OBRA EM CHAPA DE ACO GALVANIZADO m2 3,91 289,92 1.133,59 1.2 73899/002 DEMOLICAO DE ALVENARIA DE TIJOLOS FURADOS S/REAPROVEITAMENTO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES REFORMA DO EDIFÍCIO BRASCAR

Leia mais

Estado de Santa Catarina Prefeitura de São Cristóvão do Sul Secretaria Municipal de Obras Departamento Engenharia

Estado de Santa Catarina Prefeitura de São Cristóvão do Sul Secretaria Municipal de Obras Departamento Engenharia ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1 ARQUITETURA 1.1 VEDAÇÕES 1.1.1 Alvenaria de Blocos Cerâmicos Tipo: 10x20x20 Aplicação: todas as Paredes internas e externas 1.2 ESQUADRIAS 1.2.1 Porta de madeira Compensada As

Leia mais

1 ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

1 ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO 1 ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO 4.1 APRESENTAÇÃO O presente MEMORIAL DESCRITIVO tem por finalidade determinar os detalhes de acabamento, tipo e a qualidade dos materiais a serem utilizados

Leia mais

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS ENDEREÇO: Rua nº 01 - Loteamento Maria Laura ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² 1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 1.1 Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase Este Memorial Descritivo tem por finalidade especificar os materiais e serviços a serem executados na REFORMA DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO O

MEMORIAL DESCRITIVO O MEMORIAL DESCRITIVO O presente memorial tem por objetivo estabelecer requisitos técnicos, definir materiais e padronizar os projetos e execuções da obra localizada na Rua Jorge Marcelino Coelho, s/n, Bairro

Leia mais

ITEM DISCRIMINAÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. 1.00 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.01 PLACA DE OBRA EM CHAPA DE ACO GALVANIZADO M2 6,00

ITEM DISCRIMINAÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. 1.00 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.01 PLACA DE OBRA EM CHAPA DE ACO GALVANIZADO M2 6,00 MEMORIAL DE CÁLCULO OBRA: AMPLIAÇÃO DA UNIDADE DE ATENDIMENTO NO DISTRITO DE RIO BRANCO LOCAL: ZONA RURAL, DISTRITO DE RIO BRANCO ÁREA: 77,05M² ITEM DISCRIMINAÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. QUANT. 1.00 SERVIÇOS

Leia mais

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS 1 MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS A presente especificação destina-se a estabelecer as diretrizes básicas e definir características técnicas a serem observadas para execução das instalações da

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO Ampliação E.M.E.I. Manoel dos Santos Ribeiro Bairro José Alcebíades de Oliveira GENERALIDADES Execução por Empreitada Global O presente memorial

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma muro lateral, calçadas e cercas E. M. E. F. Marcelino José Bento Champagnat GENERALIDADES Execução por empreitada global O presente

Leia mais

PLANILHA DE QUANTITATIVOS E PREÇOS - DATA: 03/06/2013

PLANILHA DE QUANTITATIVOS E PREÇOS - DATA: 03/06/2013 IDENTIFICAÇÃO DA FIRMA PLANILHA DE QUANTITATIVOS E PREÇOS - DATA: 03/06/2013 OBRA REFORMA DO DEPRA Localização: AV. São Paulo-Bairro dos Estados-Paraíba-Brasil PREÇOS PROPOSTOS PREÇOS: SINAPI / C/BDI=

Leia mais

GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS

GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS MEMORIAL DESCRITIVO Obra: GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS Área: 488,50 m² Local: Comunidade de Rio Bonito Alto Bairro: Rio Bonito Alto Cidade: Pontão - RS Proprietário: Comunidade

Leia mais

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA DA EMBRAPA ALGODÃO. Item Discriminação 15 30 45 60 75 90

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA DA EMBRAPA ALGODÃO. Item Discriminação 15 30 45 60 75 90 EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA DA EMBRAPA ALGODÃO Item Discriminação 15 30 45 60 75 90 1 SERVIÇOS GERAIS 1.1 ADMINISTRAÇÃO PROJETOS COMPLEMENTARES e "as

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma de Prédio Delegacia CRA Proprietário: Conselho Regional de administração Endereço: Av. Presidente Getulio Vargas, N 2.923 Área: 110,00 m² 1.

Leia mais

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Sumário 1.Considerações gerais...1 2.Serviços

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO DG GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO DG GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON OBRA: REFORMA NO MURO DE CONTENÇÃO, MURO DE ALVENARIA E ÁREA PARA DEPÓSITO NO ALMOXARIFADO DA CERON ENDEREÇO: ÀS MARGENS DA

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

OBRA:CONSTRUÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS PADRÃO UNIDADE ESCOLAR:

OBRA:CONSTRUÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS PADRÃO UNIDADE ESCOLAR: OBRA:CONSTRUÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS PADRÃO UNIDADE ESCOLAR: 01. OBJETO: 01.01. Estas especificações diz respeito à construção de um Laboratório de Ciências, modelo padrão. 01.02. Ela tem por finalidade

Leia mais

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO Especificação Destinada Construção do Núcleo de Empresas Junior INTRODUÇÃO A execução dos serviços referente Construção do Núcleo de Empresas Junior, obedecerá

Leia mais

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PADRÃO PARA QUADRA POLIESPORTIVA COBERTA COM

Leia mais

Residencial Recanto do Horizonte

Residencial Recanto do Horizonte MEMORIAL DESCRITIVO Residencial Recanto do Horizonte FUNDAÇÃO E ESTRUTURA As Fundações serão executadas de acordo com o projeto estrutural, elaborado de acordo com as normas técnicas pertinentes e baseadas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOUTOR PEDRINHO Estado de Santa Catarina

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOUTOR PEDRINHO Estado de Santa Catarina MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Obra: AMPLIAÇÃO UNIDADE DE SAÚDE CENTRAL Local: Rua Santa Catarina, Centro Área de Ampliação: 161,82 m² Município: Doutor Pedrinho SC Data: Novembro / 2015

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

ANEXO I DIVISÓRIAS E LAMINADO ANO DE 2007 FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE DIVISÓRIAS E LAMINADO

ANEXO I DIVISÓRIAS E LAMINADO ANO DE 2007 FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE DIVISÓRIAS E LAMINADO ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE DIVISÓRIAS E LAMINADO Ano/2007 1 CAPÍTULO 0 DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Este Caderno de Especificações estabelece normas gerais e específicas,

Leia mais

PROJETO BÁSICO. Especificação Destinada a Construção de Almoxarifado

PROJETO BÁSICO. Especificação Destinada a Construção de Almoxarifado PROJETO BÁSICO Especificação Destinada a Construção de Almoxarifado INTRODUÇÃO A execução dos serviços referente Construção de Prédio para Almoxarifado, obedecerá as Especificações, e seus Anexos, aos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO

MEMORIAL DESCRITIVO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC MEMORIAL DESCRITIVO 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO O presente Memorial Descritivo tem por finalidade estabelecer as condições que orientarão os serviços de construção,

Leia mais

Recuperação de área destinada ao complexo administrativo da Coordenação de Logística, no Campus de Juazeiro.

Recuperação de área destinada ao complexo administrativo da Coordenação de Logística, no Campus de Juazeiro. PROJETO BÁSICO Recuperação de área destinada ao complexo administrativo da Coordenação de Logística, no Campus de Juazeiro. 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1 Título do Projeto Reforma e ampliação do galpão

Leia mais

OBRA: PROJETO BÁSICO COORDENADORIA ESTADUAL DE INFRAESTRUTURA/PAC

OBRA: PROJETO BÁSICO COORDENADORIA ESTADUAL DE INFRAESTRUTURA/PAC DESCRIÇÃO DO SERVIÇO UNID. OBRA: PROJETO BÁSICO COORDENADORIA ESTADUAL DE INFRAESTRUTURA/PAC SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 CANTEIRO DE OBRA E REQUISITOS GERAIS S73992/001 C 1.1.1 Locação da obra m² 192,65

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MEMÓRIA DE CÁLCULO Objeto: CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Proprietário: Endereço: Área da Edificação: 165,30 M² Pavimento: térreo Área do Terreno: 450,00 M² INTRODUÇÃO Este documento técnico

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZ ALTA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Secretaria Municipal de Planejamento

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZ ALTA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Secretaria Municipal de Planejamento M E M O R I A L D E S C R I T I V O OBJETIVO: O presente memorial tem por objetivo descrever as técnicas de execução e os materiais a serem empregados na construção do Parque Lajeado da Cruz, nesta cidade,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MANUEL URBANO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MANUEL URBANO Obra: Construção de Melhorias Sanitárias Domiciliares. Data: Agosto/2006 Município: Manuel Urbano - Recomendações Normativas a. O(s) projeto(s), o contrato, o Memorial Descritivo e a Planilha Orçamentária

Leia mais

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE LUIZA DE LIMA TEIXEIRA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA SP. PROJETO ESTRUTURAL 1 I - MEMORIAL DESCRITIVO DE CIVIL ESTRUTURAL 1 - Serviços Iniciais: ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009

MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009 MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009 PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON. OBRA: ENDEREÇO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REALIZAR REFORMA E ADEQUAÇÃO NA

Leia mais

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO 4.1 APRESENTAÇÃO O presente memorial descritivo tem por finalidade determinar os detalhes de acabamento, tipo e a qualidade dos materiais a serem utilizados

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA EM TODAS AS UNIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO LINHARES - ES

MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA EM TODAS AS UNIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO LINHARES - ES MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA EM TODAS AS UNIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO LINHARES - ES 1 1. INTRODUÇÃO O memorial se refere aos Serviços de Manutenção

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CONCLUSÃO DA QUADRA DA ESCOLA ALTO BONITO. Rua Florêncio Busatto - Caçador SC.

MEMORIAL DESCRITIVO CONCLUSÃO DA QUADRA DA ESCOLA ALTO BONITO. Rua Florêncio Busatto - Caçador SC. MEMORIAL DESCRITIVO O presente Memorial Descritivo tem por objetivo descrever os serviços, materiais e técnicas construtivas a serem utilizadas na execução da obra abaixo qualificada. DADOS FÍSICOS LEGAIS

Leia mais

EMOP - Outubro/2013. m x m = m² 3.281,25 0,60 1.968,75 1.968,75 m²

EMOP - Outubro/2013. m x m = m² 3.281,25 0,60 1.968,75 1.968,75 m² 01 01 1.1 01.018.0001-0 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TRÊS RIOS Centro - /RJ Marcação de obra sem instrumento topográfico, considerada a projeção horizontal da área envolvente 3.281,25 0,60 1.968,75 1.968,75

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO Item Código comprasnet Qtde Mínima Qtde Máxima Unidade Descrição do Item Valor Unitário Valor mínimo Valor Máximo 01 295318 450,00 860,00 m² Paredes em gesso acartonado

Leia mais

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO RAMPA NAÚTICA DE ARAGARÇAS-GO O presente memorial descritivo tem por objetivo fixar normas específicas para CONSTRUÇÃO DE UMA RAMPA NAÚTICA - RIO ARAGUAIA, em área de 3.851,89

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA REMODELAÇÃO DA PRAÇA XV DE NOVEMBRO

ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA REMODELAÇÃO DA PRAÇA XV DE NOVEMBRO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE SUPERVISÃO DE PARQUES PRAÇAS E JARDINS DIVISÃO DE PROJETOS E CONSTRUÇÃO ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA REMODELAÇÃO DA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO NORMAS GERAIS:

MEMORIAL DESCRITIVO NORMAS GERAIS: MEMORIAL DESCRITIVO INFORMAÇÕES GERAIS: OBRA: REFORMA E ADAPTAÇÃO DE P.S.F. CIDADE/UF: GOIATUBA / GO DATA: ABRIL DE 2013. UNIDADE: RECREIO DOS BANDEIRANTES (307) NORMAS GERAIS: 1. Os materiais e serviços

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA - 1 - PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA MUNICÍPIO DE BOMBINHAS - SC PROJETO: AMFRI Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí Carlos Alberto Bley

Leia mais

CONTRAPISO Documentos de referência Condições para o início dos trabalhos Preparo da base Marcação do nível do contrapiso

CONTRAPISO Documentos de referência Condições para o início dos trabalhos Preparo da base Marcação do nível do contrapiso CONTRAPISO 1 camada (s) de argamassa (s) que pode ser aplicada sobre a laje ou lastro de concreto, sobre camada de impermeabilização* ou sobre camada de isolamento térmico/acústico* (* na maioria das vezes

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE OBRA PROJETO ARQUITETÔNICO MOTO TAXI RODOVIÁRIA

MEMORIAL DESCRITIVO DE OBRA PROJETO ARQUITETÔNICO MOTO TAXI RODOVIÁRIA MEMORIAL DESCRITIVO DE OBRA PROJETO ARQUITETÔNICO MOTO TAXI RODOVIÁRIA 1. OBJETIVO O presente memorial descritivo tem por objetivo estabelecer requisitos técnicos, definir materiais a utilizar e normatizar

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL

MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL I SERVIÇOS DE ENGENHARIA Constitui objeto do presente memorial descritivo uma edificação para abrigar segura e adequadamente equipamentos de rede estabilizada, Grupo Moto-gerador

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROPONENTE: Prefeitura Municipal de Chapada OBRA: Cobertura de Quadra de Esportes e Equipamentos ÁREA: 640,00m² LOCAL: Tesouras Chapada RS O Memorial Descritivo

Leia mais

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó Dê asas à sua imaginação nas diversas aplicações do Pó Xadrez. Aplicações Xadrez Pigmento em Pó O PÓ XADREZ é um pigmento concentrado que proporciona efeitos decorativos em diversas aplicações. Mais econômico,

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014 1 DO OBJETO 1.1 Prestação de serviços de instalação de piso elevado acessível, com fornecimento de componentes, acessórios e materiais, visando

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE Prefeitura do Campus

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE Prefeitura do Campus UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE Prefeitura do Campus Data: 10/03/2013 TAXAS: BDI= 23,08% LS= 86,74% e 48,18% ORÇAMENTO: REFORMA E ADEQUAÇÃO DO PRÉDIO DESTINADO AO PROJETO RONDON LOCAL: CAMPUS UNIVERSITÁRIO

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO 40ª CIRETRAN PRÉDIO-SEDE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO 40ª CIRETRAN PRÉDIO-SEDE MEMORIAL DESCRITIVO 40ª CIRETRAN PRÉDIO-SEDE Local: Município: Área Estim.: 271,18 m² Av. Cascavel, Quadra 39, Lote 14, Bairro Primavera II Primavera do Leste MT SETEMBRO / 2008 SUMÁRIO 1 INFORMAÇÕES GERAIS:

Leia mais

Município. Prefeitura Municipal de Santa Barbara - BA. Sexta-Feira - 13 de Abril de 2012 - Ano VII - N º 40

Município. Prefeitura Municipal de Santa Barbara - BA. Sexta-Feira - 13 de Abril de 2012 - Ano VII - N º 40 do Município Prefeitura Municipal de Santa Barbara - BA Sexta-Feira - - Ano VII - N º 40 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA BÁRBARA TOMADA DE PREÇOS Nº 01/2012 OBJETO: a execução de obras de reforma dos seguintes

Leia mais

Blumenau, maio de 2010.

Blumenau, maio de 2010. INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE ORÇAMENTOS E CRONOGRAMAS Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. INTRODUÇÃO... 3 4. COMPOSIÇÃO DO ORÇAMENTO... 4 4.1. SERVIÇOS PRELIMINARES/TÉCNICOS...

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS. Relatório Técnico. REFORMA DA SECRETARIA DE TURISMO DE BOMBINHAS ÁREA TOTAL: 291,20 m²

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS. Relatório Técnico. REFORMA DA SECRETARIA DE TURISMO DE BOMBINHAS ÁREA TOTAL: 291,20 m² Relatório Técnico REFORMA DA SECRETARIA DE TURISMO DE BOMBINHAS ÁREA TOTAL: 291,20 m² Av. Leopoldo Zarling Bairro Bombas Município de Bombinhas - SC PROJETO: AMFRI Associação dos Municípios da Região da

Leia mais

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10 - -03 1/5 - -03 2/5 - -03 3/5 - -03 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Lastro de concreto magro, traço 1:4:8, cimento, areia e brita. Fundo e vigas de concreto armado, moldados in loco: - Fôrmas de tábuas de

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS DE EDIFICAÇÕES

CADERNO DE ENCARGOS DE EDIFICAÇÕES COHAB-MG Versão 01 HISTÓRICO DAS REVISÕES HISTÓRICO DAS REVISÕES VERSÃO DATA DESCRIÇÃO 01 01/06/07 Emissão inicial SUMÁRIO SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 7 1 SERVIÇOS INICIAIS... 12 1.1 Locações... 12 2 FUNDAÇÕES...

Leia mais

Câmara Municipal de Itajubá

Câmara Municipal de Itajubá . - ÁREA EXTERNA 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES R$ 35.063,79 PLACA DA OBRA DE ACORDO COM A LEI MUNICIPAL Nº. 2551 DE 06/07/2005, IIO-PLA-005 1.1 MODELO REFERÊNCIA PMI/SEMUP, INCLUSIVE O FORNECIMENTO, UNID 1,00

Leia mais

Grupo 30.24 A - Material de construção

Grupo 30.24 A - Material de construção O catálogo do grupo 30.24 A contém as especificações de material de construção. Os itens que estão destacados com a mesma coloração significam que possuem a mesma descrição, no entanto, possuem diferentes

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS - SANITÁRIA - Arquivo 828-M-SAN.DOC Página 1 1. SERVIÇOS COMPLEMENTARES Serão executados

Leia mais

Manual do impermeabilizador

Manual do impermeabilizador 1 Manual do impermeabilizador Preparação e aplicação em superfícies cimenticia Índice INTRODUÇÃO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO ESTATÍSTICAS NORMAS TÉCNICAS ELABORAÇÃO DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO NBR

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CASA GEMINDA UNIVERSITÁRIO

MEMORIAL DESCRITIVO CASA GEMINDA UNIVERSITÁRIO Pag. 1 MEMORIAL DESCRITIVO CASA GEMINDA UNIVERSITÁRIO Pag. 2 1 OBJETIVO O presente memorial tem por objetivo estabelecer requisitos técnicos, definir materiais e normatizar a execução do Empreendimento

Leia mais

PORTARIA Nº 2.206, DE 14 DE SETEMBRO DE 2011 (*)

PORTARIA Nº 2.206, DE 14 DE SETEMBRO DE 2011 (*) PORTARIA Nº 2.206, DE 14 DE SETEMBRO DE 2011 (*) Institui, no âmbito da Política Nacional de Atenção Básica, o Programa de Requalificação de Unidades Básicas de Saúde e o respectivo Componente Reforma.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZ ALTA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Secretaria Municipal de Saúde

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZ ALTA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Secretaria Municipal de Saúde PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZ ALTA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Secretaria Municipal de Saúde M E M O R I A L D E S C R I T I V O OBJETIVO: O presente memorial tem por objetivo descrever as técnicas de execução

Leia mais

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP.

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP. MEMORIAL DESCRITIVO RECONSTRUÇÃO DO ALBERGUE JUNTO AO PRESIDIO ESTADUAL DE VACARIA RS. VACARIA RS. GENERALIDADES: Este Memorial Descritivo tem a função de propiciar a perfeita compreensão do projeto e

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB Agência SHS Novas Instalações Código do Projeto: 1641-11 Pág. 2 Índice 1. Memorial Descritivo da Obra...3

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015. Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC

MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015. Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015 Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC 1. INFORMAÇÕES PRELIMINARES 1.1. RESPONSÁVEL TÉCNICO PELO PROJETO Carlos Henrique Nagel Engenheiro

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA (Versão resumida)

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA (Versão resumida) MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA (Versão resumida) TAMANHO E DEPENDÊNCIAS DO IMÓVEL Definido com o Corretor de Imóveis da negociação em conjunto com nosso Escritório de Arquitetura parceiro: FRAN Arquitetura

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA Item Descrição dos serviços MÃO DE 1. SERVIÇOS PRELIMINARES 1. 1 SONDAGEM 1. 1. 1 SONDAGEM DE RECONHECIMENTO DO SUBSOLO COM TUBO DE REVESTIMENTO DIÂMETRO 21/2 M 42,00 - - - 43,50 43,50 1.827,00 TOTAL ITEM

Leia mais

TIPO ESP. LOCAL APLIC. 6mm Coberta da Cloaca

TIPO ESP. LOCAL APLIC. 6mm Coberta da Cloaca FABRICANTE Eternit TIPO ESP. LOCAL APLIC. Ondulada 6mm Coberta da Cloaca COR - As telhas serão de fibrocimento 6mm, Eternit ou equivalente técnico de procedência conhecida e idônea, textura homogênea,

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO OBRA: C.E.P. EM ARTES BASILEU FRANÇA E ESCOLA DE ARTES VEIGA VALLE LOCAL: GOIÂNIA - GO ASSUNTO: REFORMA NA COBERTURA, FORRO, ESQUADRIAS, INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, PINTURA E PISO. DATA: 15/04/2005. MEMORIAL

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO SECRETARIA DE OBRAS E TRANSPORTES DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS ALBERGUE ROCHDALE

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO SECRETARIA DE OBRAS E TRANSPORTES DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS ALBERGUE ROCHDALE ALBERGUE ROCHDALE RUA BELO HORIZONTE, 85 - ROCHDALE 1 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS O presente Memorial tem por objetivo estabelecer as condições técnicas essenciais, no que tange a materiais, serviços e instalações

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: Obra: Obra de implantação de uma quadra poliesportiva, com piso em concreto armado, equipamentos e marcações para a realização das

Leia mais

Execução e Manutenção de Pavimento Intertravado. MSc. Eng. Cláudio Oliveira Silva

Execução e Manutenção de Pavimento Intertravado. MSc. Eng. Cláudio Oliveira Silva Execução e Manutenção de MSc. Eng. Cláudio Oliveira Silva Norma de Execução e Manutenção NBR 15953 com peças de concreto - Execução NBR 15953 Escopo Se aplica à pavimentação intertravada com peças de concreto

Leia mais