ANEXO IV - OPERAÇÕES DE CRÉDITO, GARANTIAS BANCÁRIAS E DECLARAÇÕES DE CAPACIDADE FINANCEIRA. (Entrada em vigor: 01/11/2009)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO IV - OPERAÇÕES DE CRÉDITO, GARANTIAS BANCÁRIAS E DECLARAÇÕES DE CAPACIDADE FINANCEIRA. (Entrada em vigor: 01/11/2009)"

Transcrição

1 DE CAPACIDADE FINANCEIRA CONT. R.A. CONT. R. A. COMISSÕES COM ESTUDO E MONTAGEM 1. OPERAÇÕES DE CRÉDITO A PARTICULARES 1.1. CRÉDITO À HABITAÇÃO (compra, construção ou obras) / INVESTIMENTO EM IMOBILIÁRIO (compra, construção ou obras) / CREDIOBRAS / MULTI-OPÇÕES (operação complementar de CH) e MULTI-OPÇÕES ISOLADO - Comissão de estudo 221,15 4% 230,00 230,00 - Comissão de estudo do Live in Portugal 721,15 4% 750,00 750,00 - Comissão de montagem Casa Fácil 528,85 4% 550,00 550, INTERCALAR PARA TROCA 187,50 4% 195,00 195, INTERCALAR PARA SINAL 187,50 4% 195,00 195,00 - Live in Portugal 336,54 4% 350,00 350, INTERCALAR PARA COMPRA DE TERRENO (construção de habitação própria) 187,50 4% 195,00 195, CRÉDITO PESSOAL AO CONSUMO 86,54 4% 90,00 90,00 2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO A EMPRESAS, EM- PRESÁRIOS, INVESTIDORES INSTITUCIONAIS E INSTITUIÇÕES PRDAS S/ FINS LUCRATIVOS 2.1. COMISSÃO DE ESTUDO 0,3% 4% Com. + I.S. Com. + I.S. (sobre o valor do pedido) Mín. 75,00 4% Mín: 78,00 Mín: 78, ADIANTAMENTOS SPC/SPM-Continente E SPC/SPA/SPE-Açores 0,25 a 0,5% 4% Com. + I.S. Com. + I.S. Mín. 100,00 4% Mín. 104,00 Mín. 104, CESSÃO DE CRÉDITOS SPC/SPM-Continente E SPC/SPA/SPE-Açores 0,25 a 0,5% 4% Com. + I.S. Com. + I.S. Mín. 100,00 4% Mín. 104,00 Mín. 104,00 COMISSÕES COM AVALIAÇÃO DE GARANTIAS RE- CEBIDAS 3. OPERAÇÕES DE CRÉDITO A PARTICULARES 3.1. CRÉDITO À HABITAÇÃO (compra, construção ou obras) / INVESTIMENTO EM IMOBILIÁRIO (compra, construção ou obras) / CREDIOBRAS / MULTI-OPÇÕES (operação complementar de CH) e MULTI-OPÇÕES ISOLADO - Comissão de avaliação de imóveis 180,00 180,00 180,00 1

2 OPERAÇÕES DE CRÉDITO, GARANTIAS BANCÁRIAS E DECLARAÇÕES DE CAPACIDADE FINANCEIRA (Cont.) 3.2. CRÉDITO PESSOAL AO CONSUMO - Comis. de avaliação de bens imóveis 180,00 180,00 180,00 - Comis. de avaliação de bens móveis 175,00 20% 14% 210,00 199, VISTORIAS DE IMÓVEIS 100,00 100,00 100,00 4. OPERAÇÕES DE CRÉDITO A EMPRESAS, EM- PRESÁRIOS, INVESTIDORES INSTITUCIONAIS E INSTITUIÇÕES PRDAS SEM FINS LUCRA- TIVOS (sobre o valor do pedido) - Comissão de avaliação de bens imóveis 0,7%o 0,7%o 0,7%o Mín. 175,00 Mín. 175,00 Mín. 175,00 - Comissão de avaliação de bens móveis 0,7%o 20% 14% Com. + Com. + Mín. 175,00 20% 14% Mín. 210,00 Mín. 199, Vistorias para levantamento de importâncias retidas - Bens imóveis 15% da comissão de avaliação inicial referida em 4 15% da comissão de avaliação inicial referida em 4 15% da comissão de avaliação inicial referida em 4 Mín. 105,00 Mín. 105,00 Mín. 105,00 - Bens móveis 15% da comissão de avaliação inicial referida em 4 20% 14% Com. + Com. + Mín. 105,00 20% 14% Mín. 126,00 Mín. 119, Alteração ao projecto 15% da comissão de avaliação inicial referida em 4 20% 14% Com. + Com. + Mín. 210,00 20% 14% Mín. 252,00 Mín. 239,40 COMISSÕES COM CONTRATAÇÃO 5. CELEBRAÇÃO DE CONTRATOS POR DOCU- MENTO PARTICULAR (Dec.-Lei nº 255/93, de 15 de Julho) 5.1. MODELOS A e B - Com Poupança-Habitação 200,00 4% 208,00 208,00 - Restantes situações 290,00 4% 301,60 301, MODELO C 200,00 4% 208,00 208,00 6. CELEBRAÇÃO DE OUTROS CONTRATOS POR DOCUMENTO PARTICULAR (mútuo, garantias bancárias, abertura de crédito, incluindo contascorrentes, com ou sem garantias, desde que formalizadas por documento particular) 0,5% 4% Com. + I. S. Com. + I. S. Mín. 43,27 4% Mín. 45,00 Mín. 45,00 2

3 7. COMISSÕES POR OUTROS SERVIÇOS PRESTA- DOS 7.1. Serviço Documentos Habitação Só tratamento de documentos 160,00 20% 14% 192,00 182, Tratamento de documentos, com representação na contratação 300,00 20% 14% 360,00 342, Tratamento de documentos, com representação na OIC, no caso de transferência 125,00 20% 14% 150,00 142, Desp. c/ dispensa registos provisórios (18) 28,85 4% 30,00 30, Preparação de escrituras/ Minuta para escritura (3) 49,59 20% 14% 59,51 56, Conversão de registos Operações de Crédito a Particulares - De aquisição 45,45 20% 14% 54,54 51,83 - De hipoteca 45,45 20% 14% 54,54 51, Operações de Crédito a Empresas, Empresários, Investidores Institucionais e Instituições Privadas sem fins lucrativos (19) - De aquisição 88,00 20% 14% 105,60 100,32 - De hipoteca 88,00 20% 14% 105,60 100, Comissão por alterações contratuais (21) Crédito a empresas 115,38 4% 120,00 120, Crédito pessoal ao consumo 75,00 4% 78,00 78, Crédito à Habitação, Crediobras e Multi- Opções (operação complementar de CH), Investimento em Imobiliário e Multi-Opções Isolado - Alteração de maturidade e/ou alteração de taxa fixa para outro tipo de taxa, durante o período de taxa fixa (47) Não permitida Alteração da taxa prémio para outro tipo de taxa e/ou alteração à forma de reembolso do empréstimo, durante o período de taxa prémio Não permitida - - 3

4 Crédito à Habitação, Crediobras e Multi- Opções (operação complementar de CH) (43) - Outras alterações Permitidas, mas isentas Investimento em Imobiliário e Multi- Opções Isolado - Outras alterações 100,00 4% 104,00 104,00 COMISSÕES C/ ACOMPANHAMENTO E GESTÃO (1) 8. COMISSÃO DE PROCESSAMENTO 8.1. Crédito à Habitação, Crediobras e Multi-Opções (operação complementar de CH) (10) / Investimento em Imobiliário e Multi-Opções Isolado / Crédito ao Consumo - Prestações mensais. Clientes residentes no Continente e nas Regiões Autónomas 1,35 4% 1,40 1,40. Clientes residentes no Estrangeiro 2,31 4% 2,40 2,40 - Prestações não mensais 3,75 4% 3,90 3, Crédito à construção - curto, médio e longo prazo - Operações contratadas até 12/05/2009, até à sua liquidação (por cada prestação) 8,00 4% 8,32 8, Crédito a empresas e equiparados - curto, médio e longo prazo - Operações contratadas até 12/05/2009, até à sua liquidação (por cada prestação) 3,50 4% 3,64 3,64 9. COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO E GESTÃO 9.1. Crédito à construção - curto, médio e longo prazo - Operações contratadas a partir de 12/05/2009, sobre o saldo em dívida no início de cada anuidade - repartido e processado por cada prestação 0,2% 4% Com. + I.S. Com. + I.S. Mín. 40,00/ano Mín. 41,60/ano Mín. 41,60/ano 9.2. Crédito a empresas e equiparados - curto, médio e longo prazo - Operações contratadas a partir de 12/05/2009, s/ o saldo em dívida no início de cada anuidade - repartido e processado por cada prestação 0,2% 4% Com. + I.S. Com. + I.S. Mín. 40,00/ano Mín. 41,60/ano Mín. 41,60/ano 4

5 10. DECLARAÇÕES DE DÍVIDA - Para efeitos judiciais, imposto sucessório ou reembolso de 50,00 20% 14% 60,00 57,00 - No âmbito de transferências p/ outras instituições de crédito - Crédito à Habitação, Crediobras e Multi- Opções (operação complementar de CH) Gratuito Gratuito Gratuito - Para outros efeitos 42,97 20% 14% 51,56 48, Declarações de encargos de dívida 10,75 20% 14% 12,90 12, EXTRACTOS DE CONTA - Empréstimos em vigor 30,00 20% 14% 36,00 34,20 - Empréstimos liquidados 90,00 20% 14% 108,00 102, COMISSÃO DE REEMBOLSO ANTECIPADO (10) Crédito à Habitação, Crediobras e Multi- Opções (operação complementar de CH), incluindo crédito para sinal e outras operações intercalares (23) Taxas variáveis - Amortização parcial (25) 0,5% 4% Com. + I.S. Com. + I.S. - Liquidação antecipada (28) (41) 0,5% 4% Com. + I.S. Com. + I.S. Taxas fixas - Amortização parcial (25) 2% 4% Com. + I.S. Com. + I.S. - Liquidação antecipada (28) (41) 2% 4% Com. + I.S. Com. + I.S Investimento em Imobiliário e Multi-Opções Isolado (23) (24) - Taxas variáveis - Amortização parcial (25) 3% do capital reembolsado 4% Com. + I.S. Com. + I.S. - Liquidação antecipada (28) (41) 3% do capital em dívida em 31 Dez. do ano anterior, ou do capital inicial se a liquidação ocorrer no ano da contratação 4% Com. + I.S. Com. + I.S. - Taxas fixas - Amortização parcial (25) 3% do capital reembolsado 4% Com. + I.S. Com. + I.S. 5

6 - Liquidação antecipada (28) (41) 3% do capital em dívida em 31 Dez. do ano anterior, ou do capital inicial se a liquidação ocorrer no ano da contratação 4% Com. + I.S. Com. + I.S Crédito pessoal ao consumo (parcial ou total) - Operações contratadas até 30/06/2009 (23) (27) (28) (29) e operações não abrangidas pela disciplina do Dec.-Lei nº 133/2009 (48) - Operações contratadas a partir de 01/07/2009 (28) (44) 2%, Mínimo de 50, Crédito a empresas (parcial ou total) (27) 2%, Mínimo de 50,00 4% Com. + I.S., Mín. 52,00 Com. + I.S., Mín. 52,00 0,5% ou 0,25% do capital reembolsado, se o período decorrido entre o reembolso antecipado e a data estipulada para o termo do contrato for superior a um ano ou inferior ou igual a um ano, respectivamente 4% Com. + I.S. Com. + I.S. 4% Com. + I.S., Mín. 52,00 Com. + I.S., Mín. 52, DESLOCAÇÃO DE EMPREGADO PARA LIQUI- DAÇÃO DE EMPRÉSTIMO E OUTRAS DES- LOCAÇÕES DE EMPREGADOS A FINANÇAS E NOTÁRIOS (10) 100,00 20% 14% 120,00 114, EMISSÃO DE DOCUMENTO PARA CANCELAMEN- TO DE HIPOTECAS (10) Sobre imóveis ou embarcações (1ªs ou 2ªs vias) - Liquidação no termo ou antecipada e expurgações 100,00 4% 104,00 104,00 - Liquidação antecipada para transferências para outras instituições de crédito 100,00 4% 104,00 104, Cancelamento de hipotecas sobre veículos automóveis (1ªs ou 2ªs vias) - Liquidação no termo ou antecipada 55,77 4% 58,00 58, RENÚNCIA A ÓNUS DE INALIENABILIDADE OU OUTROS ÓNUS 100,00 4% 104,00 104,00 6

7 16. EXTINÇÃO DE PROCURAÇÕES IRREVOGÁ- VEIS - Revogação sem documento Isenta Isenta Isenta - Com emissão de declaração particular 82,64 20% 14% 99,17 94,21 - Revogação em Notário Público 82,64 20% 14% 99,17 94,21 - Renúncia em Notário Privativo 93,15 4% 96,88 96, COMISSÃO POR FALTA DE PROVISIONAMEN- TO DA CONTA D.O. - Empresas (31) 29,00 4% 30,16 30,16 - Particulares (32) 12,02 4% 12,50 12, COMISSÃO DE GESTÃO DE FACTURAS DOS SISTEMAS DE PAGAMENTOS SPC e SPM (18) Até ,00 euros 5,25 20% 14% Com. + Com. + De ,01 a ,00 euros 3,93 20% 14% Com. + Com. + De ,01 a ,00 euros 2,62 20% 14% Com. + Com. + Superior a ,00 euros 1,57 20% 14% Com. + Com DECLARAÇÃO PARA TROCA DE SEGURADO- RA EM CRÉDITO À HABITAÇÃO 25,00 20% 14% 30,00 28, CONSTITUIÇÃO DE RESERVA DE PROPRIE- DADE AUTOMÓVEL 116,53 20% 14% 139,84 132, RECONHECIMENTO DE ASSINATURA NO MO- DELO DA CONSERVATÓRIA PARA CANCELA- MENTO DE RESERVA DE PROPRIEDADE AUTOMÓVEL (33) 20,67 20% 14% 24,80 23,56 COMISSÕES COM CONTAS-CORRENTES (34) 22. DE ACOMPANHAMENTO E GESTÃO / DE IMOBILIZAÇÃO (35) 1% ao ano 4% Com. + I. S. Com. + I. S. Mín. 76,92 4% Mín. 80,00 Mín. 80, DE PRORROGAÇÃO 0,25% 4% Com. + I. S. Com. + I. S. Mín. 105,77 4% Mín. 110,00 Mín. 110,00 Máx. 528,85 4% Máx. 550,00 Máx. 550,00 7

8 COMISSÕES COM GARANTIAS E AVALES BANCÁRIOS NA ORDEM INTERNA (Cobrança por trimestre ou fracção) 24. POR GARANTIA BANCÁRIA E AVAL BAN- CÁRIO, NA ORDEM INTERNA (POR CADA TERMO) - Garantias financeiras ou de boa execução Comissão a partir de 0,5% e em função do rating do cliente 3% Com. + I.S. Com. + I.S. Em qualquer caso, com o mínimo de 29,28 3% 30,16 30, RECONHECIMENTO NOTARIAL DE TER- MO DE GARANTIA BANCÁRIA EMITIDO AO ABRIGO DE PLAFOND 40,00 20% 14% 48,00 45,60 COMISSÕES COM DECLARAÇÕES DE CAPA- CIDADE FINANCEIRA 26. LÍNGUA PORTUGUESA 150,00 20% 14% 180,00 171, LÍNGUA ESTRANGEIRA 206,61 20% 14% 247,93 235,54 COMISSÕES C/ DESCONTO DE EFEITOS E FINANCIAMENTOS TITULADOS P/ LIVRANÇA (38) 28. DOMICILIADOS (COBRANÇA AUTOMÁTI- CA) Sem Protesto - Comissão 6,5 4% Com. + I.S. Com. + I.S. Mínimo 5,00 4% 5,20 5,20 Máximo 79,66 4% 82,85 82, NÃO DOMICILIADOS Sem Protesto - Comissão 14 4% Com. + I.S. Com. + I.S. Mínimo 8,64 4% 8,99 8,99 Máximo 122,56 4% 127,46 127, REFORMA DE EFEITOS/PEDIDOS DE DE- VOLUÇÃO PELO CEDENTE E RECÂMBIO (DEVOLUÇÃO P/ FALTA DE PAGAMENTO) Efeitos domiciliados 4 4% Com. + I.S. Com. + I.S. Mínimo 10,00 4% 10,40 10,40 Máximo 30,00 4% 31,20 31, Efeitos não domiciliados Mínimo Máximo 5,5 10,00 30,00 4% 4% 4% Com. + I.S. 10,40 31,20 Com. + I.S. 10,40 31, REGULARIZAÇÃO DE CRÉDITO VENCIDO - Comissão 4,72 4% Com. + I.S. Com. + I.S. Mínimo 6,83 4% 7,10 7,10 Máximo 47,25 4% 49,14 49,14 8

9 32. COMISSÃO DE PROCESSAMENTO 1,81 4% 1,88 1,88 COMISSÕES DIVERSAS 33. SERVIÇO CAIXAVALIAÇÕES (A CO- BRAR PELA AGÊNCIA) Fracções ou moradias 260,00 20% 14% 312,00 296, Outros imóveis (em euros) < ,00 1%o, mín.: 300,00 20% 14% 360,00 342, ,00 e < ,00 0,95%o, mín.: 500,00 20% 14% 600,00 570, ,00 e < ,00 0,90%o, mín.: 700,00 20% 14% 840,00 798, ,00 e < ,00 0,85%o, mín.: 900,00 20% 14% 1 080, , ,00 e < ,00 0,80%o, mín.: 1 300,00 20% 14% 1 560, , ,00 e < ,00 0,75%o, mín.: 1 600,00 20% 14% 1 920, , ,00 e < ,00 0,70%o, mín.: 1 900,00 20% 14% 2 280, , ,00 e < ,00 0,68%o, mín.: 2 100,00 20% 14% 2 520, , ,00 e < ,00 0,65%o, mín.: 2 400,00 20% 14% 2 880, , ,00 e < ,00 0,63%o, mín.: 2 600,00 20% 14% 3 120, , ,00 e < ,00 0,60%o, mín.: 2 700,00 20% 14% 3 240, , ,00 e < ,00 0,50%o, mín.: 3 000,00 20% 14% 3 600, , ,00 e < ,00 0,43%o, mín.: 3 800,00 20% 14% 4 560, , ,00 0,40%o, mín.: 4 300,00 20% 14% 5 160, , COMISSÕES FINEX (40) (40) (40) (*) O é de 20% no Continente e de 14% nas Regiões Autónomas. Notas: (3) Comissão a cobrar sempre que se elabora uma minuta para escritura a enviar aos Notários Públicos e Privados, quando a escritura é celebrada por Notário Privativo da CGD e, ainda, no âmbito do serviço Casa Pronta. Quando o contrato se realiza por Documento Particular (em desuso), a comissão é a referida no número 5.1, pelo que não se aplica esta. (4) As operações de compra e obras, apresentadas simultaneamente, estão sujeitas à cobrança de uma comissão de estudo, por operação, e de despesas de avaliação por cada imóvel avaliado. Se se tratar de contratação simultânea de um Crédito à Habitação + Multi-Opções, não será cobrada comissão de avaliação, no Multi-Opções complementar ao CH. (5) Operações isoladas, sem que exista uma operação principal de Crédito à Habitação, não têm enquadramento em Multi-Opções, mas, de acordo com as características dos pedidos, em Multi-Opções Isolado, Crédito Pessoal ou Investimento em Imobiliário a particulares. (6) Aplicável a empréstimos ao abrigo do Caixazul Habitação (inclui comissão de estudo, comissão de avaliação, serviço Documentos Habitação ). (7) Nos casos em que seja necessário proceder a mais do que uma avaliação, por operação, devem cobrar-se as comissões correspondentes a cada avaliação efectuada, mesmo que alguma das avaliações seja feita administrativamente. Sempre que seja apresentado um pedido de financiamento com a mesma garantia de um empréstimo já existente, sem que tenha decorrido mais do que um ano sobre a data da avaliação original, e esta suporte o novo montante solicitado, não há lugar à cobrança desta comissão. (9) Caso exista uma garantia hipotecária associada, cobra-se o valor previsto para o crédito à habitação. 9

10 (10) No reembolso antecipado do Crédito à Habitação, Crediobras e Multi-Opções (operação complementar de CH), não são cobrados os valores relativos a despesas de deslocação, emissão do documento de cancelamento de hipoteca e despesas de expediente/processamento. Estes valores apenas serão cobrados aquando da liquidação de operações de Investimento em Imobiliário e Multi-Opções Isolado. (11) Aplicável aos produtos de crédito de médio/longo prazo. (12) Aplicável, numa primeira fase, pelo valor mínimo (75 euros) aos seguintes produtos, independentemente das comissões que sobre eles incidam: contas-correntes, garantias e avales bancários, financiamentos titulados por livrança e operações de curto prazo. Estão isentos, por agora, da comissão de estudo, o desconto de letras e as reformas de letras e livranças. (13) Comissão não aplicável a operações de Crédito à Habitação enquadradas no PER-FAMÍLIAS (Programa Especial de Realojamento), de acordo com o Protocolo assinado entre CGD, INH e DGT. (14) Estão isentas da cobrança desta comissão as operações de crédito à habitação de proponentes que efectuem a 1ª aquisição de fracções/moradias construídas com financiamento da CGD, no âmbito do crédito à construção. (15) Inclui expurgações. (16) Quando haja lugar a avaliação de bens imóveis, de bens móveis e de mercadorias. (17) Quando se trate de garantia constituída por penhor de aplicações, a comissão é reduzida em 25%. Os contratos formalizados por escritura pública ou instrumento público estão sujeitos a despesas com preparação de escrituras. (18) A cobrar com a aprovação do pedido. (19) Nas operações de crédito à economia, enquanto não estiverem definidos os procedimentos e rubricas contabilísticas que permitam a cobrança do novo valor da comissão, acrescido de e emolumentos, deverá ser cobrado o valor de 88 euros +. (21) Abrange alterações de garantias, de titularidade, por conversão de taxa, por prorrogação de intercalares e outras, incluindo alterações informáticas de produto. (23) Alterações decorrentes da entrada em vigor do Decreto-Lei nº 51/2007, de 7 de Março, da Carta-Circular nº 10/09/DSBDR, de 14 de Janeiro, do Banco de Portugal e do Decreto-Lei nº 192/2009, de 17 de Agosto. Nos casos de reembolso antecipado, parcial ou total de operação de crédito à habitação, crédito para sinal e outras operações intercalares (compra de terreno e troca de habitação), Crediobras e Multi-Opções (operação complementar de CH), por motivo de morte, desemprego ou deslocação profissional, não será cobrada esta comissão. No âmbito do Investimento em Imobiliário e de Multi-Opções Isolado, há lugar à cobrança desta comissão. No caso do crédito pessoal ao consumo, esta disposição só se aplica quando a finalidade for aquisição, construção ou realização de obras em habitação própria, bem como para aquisição de terreno para construção de habitação própria. (24) Investimento em Imobiliário e Multi-Opções Isolado: Os empréstimos em vigor mantêm os valores contratados. No entanto, deverá aproveitar-se a oportunidade de negociação das condições dos empréstimos, ou alterações contratuais solicitadas pelos clientes, para serem introduzidos os valores mencionados em Excepcionalmente, em situações de interesse comercial, devidamente justificadas, a cobrança pode ser dispensada nos termos da presente OS. (25) Aplicável quando conste do clausulado do contrato. (27) As contas-correntes estão isentas. No crédito pessoal ao consumo se o reembolso ocorrer em data inferior a 1/4 do prazo total do contrato, haverá lugar a juros e encargos correspondentes a 1/4 do prazo inicialmente previsto nos termos do nº 4 do artº 9º do Decreto-Lei nº 359/91, de 21 de Setembro. No crédito pessoal cujo montante seja igual ou superior a 149,64 mas não superior a ,87 euros e não garantidos por hipoteca de imóvel, mas com exclusão de empréstimos que hajam sido contratados e destinados à aquisição, construção, beneficiação, recuperação ou ampliação de habitação ou à aquisição de terrenos será calculado o valor do pagamento antecipado do montante em dívida com base numa taxa de actualização, que corresponder a uma percentagem mínima de 90% da taxa de juro em vigor no momento da antecipação, devendo avisar a CAIXA com a antecedência mínima de 15 dias, nos termos do nº 1 do artigo 9º do Decreto-Lei nº 359/91, de 21 de Setembro. Não constam, para este efeito, as verbas entregues a título de distrate parcial (expurgação). 10

11 (28) É dispensada a cobrança de comissão aos clientes que já tenham proposto novo crédito (Habitação, Crediobras ou Multi- Opções / Investimento em Imobiliário e Multi-Opções Isolado) ou novo crédito pessoal ao consumo, desde que os mesmos se encontrem autorizados. (29) No caso de operações de crédito pessoal, que hajam sido contratadas com finalidades de aquisição, construção e realização de obras em habitação própria permanente, secundária ou para arrendamento, bem como para aquisição de terrenos para construção de habitação própria, a comissão a aplicar é a prevista em (31) Comissão a aplicar na cobrança das prestações das operações de crédito, de efeitos, de garantias e avales bancários, dos empréstimos às empresas e às entidades com actividade empresarial ou equiparadas. (32) Comissão a aplicar nas operações de crédito pessoal ao consumo, crédito à habitação, construção e investimento imobiliário e de garantias e avales bancários a particulares, desde que prevista no clausulado do respectivo contrato (aquando de alterações contratuais de antigos contratos deve ser introduzida cláusula que permita a cobrança da comissão). Nas operações que ainda não migraram para o SGOA, esta comissão deverá ser cobrada, de forma manual, na antiga aplicação (7051). (33) O custo da extinção é por conta do cliente. (34) Adicionalmente, serão cobradas comissões de estudo, de formalização e de vistorias, de processamento e outras despesas previstas. A comissão de acompanhamento e gestão é calculada sobre o montante do financiamento e cobrada trimestral e postecipadamente, a contar da data da perfeição do contrato. A comissão de prorrogação é calculada sobre o montante do crédito prorrogado e cobrada no início de cada prorrogação. A comissão de imobilização é calculada dia a dia sobre os montantes do crédito não utilizado, a cobrar juntamente com os juros, trimestral e postecipadamente, a contar da data da perfeição do contrato. (35) O valor mínimo indicado é de 80 euros por ano ou de 20 euros por trimestre. (38) No caso dos financiamentos titulados por livrança, quando aplicável. (40) Comissão aberta para cobrança das comissões em financiamentos de apoio à exportação/importação. (41) Quando a CGD acciona o seguro de vida e, consequentemente, liquida a operação de Crédito Imobiliário, não há lugar à cobrança de comissão de liquidação antecipada. (42) A renegociação de condições de operações contratadas está isenta de comissão de estudo. (43) As alterações contratuais, no âmbito do Crédito à Habitação, deixaram de ser cobradas de acordo com o Decreto-Lei nº 171/08, de 26 de Agosto, e o entendimento do Banco de Portugal sobre esta matéria. Também as operações de Crediobras e Multi-Opções (operação complementar de CH) passaram a ficar isentas desta comissão, nos termos do Decreto-Lei nº 192/2009, de 17 de Agosto. (44) Nos termos do Decreto-Lei nº 133/2009, de 2 de Junho, em vigor a partir de 1 de Julho de 2009, os novos contratos de crédito pessoal ao consumo têm novas regras. No caso de reembolso antecipado, o cliente deve avisar a CAIXA com a antecedência mínima de 30 dias, através de comunicação em papel ou noutro suporte duradouro. A CGD não pode cobrar qualquer comissão de reembolso por efeito do reembolso antecipado do crédito, nos seguintes casos: - Se o reembolso tiver sido efectuado em execução do contrato de seguro destinado a garantir o reembolso do crédito; - No caso de facilidade de descoberto; - Se o reembolso ocorrer num período em que a taxa nominal aplicável não seja fixa. Em nenhum caso, a comissão pode exceder o montante dos juros que o cliente teria de pagar durante o período decorrido entre o reembolso antecipado e a data estipulada para o termo do período de taxa fixa do contrato. (47) Deverá, no entanto, salvaguardar-se o cumprimento do que está previsto no clausulado do contrato. (48) São operações não abrangidas pela disciplina do Decreto-Lei nº 133/2009, designadamente, as operações garantidas por hipoteca de imóveis ou exclusivamente por penhor constituído pelo mutuário, as de valor superior a euros ou inferior a 200 euros e as destinadas à aquisição ou manutenção do direito de propriedade sobre terrenos ou edifícios. Comissão a cobrar manualmente. 11

BANCO SANTANDER TOTTA, SA 2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) Entrada em vigor: 10-Mai-2016 (ÍNDICE) 2.1. Crédito à habitação e contratos conexos

BANCO SANTANDER TOTTA, SA 2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) Entrada em vigor: 10-Mai-2016 (ÍNDICE) 2.1. Crédito à habitação e contratos conexos 2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) 2.1. Crédito à habitação e contratos conexos (ÍNDICE) Crédito Habitação: contratos de crédito para aquisição, construção e realização de obras para habitação própria

Leia mais

Preçário BANCO SANTANDER TOTTA, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 01-jul-2014 02-Ago-2012

Preçário BANCO SANTANDER TOTTA, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 01-jul-2014 02-Ago-2012 Preçário BANCO SANTANDER TOTTA, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de Entrada em vigor: 01-jul-2014 02-Ago-2012 O Preçário completo do Banco Santander Totta contém o Folheto de e

Leia mais

Comissões Euros (Mín/Máx) Em %

Comissões Euros (Mín/Máx) Em % 2.1. Crédito à habitação e contratos conexos Crédito Habitação /Conexo Produtos de Taxa indexada / Produtos de Taxa Fixa / Crédito Não residentes / Crédito Deficientes / Crédito Terreno iniciais 1. Iniciais

Leia mais

Comissões Euros (Mín/Máx) Em %

Comissões Euros (Mín/Máx) Em % 10.1. Linhas de crédito e contas correntes Contas Correntes, IVA on TIME, Linha Millennium Garantia, Contas Dinâmicas/Superdinâmicas e Descobertos Contratados (as contas correntes incluem as Contas Correntes

Leia mais

2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES)

2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) 2.1. Crédito à habitação e contratos conexos Crédito Habitação Para aquisição, construção e obras para habitação própria, secundária ou arrendamento, crédito sinal, transferências; multisoluções com a

Leia mais

Preçário. Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS

Preçário. Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Preçário CAIXA CENTRAL - CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, CRL E CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO DO SISTEMA INTEGRADO DO CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo e Caixas

Leia mais

Preçário. BANIF - Banco Internacional do Funchal BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário. BANIF - Banco Internacional do Funchal BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANIF - Banco Internacional do Funchal BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 01-Fevereiro-2016 O Preçário completo do

Leia mais

Crédito Habitação BPI - Ficha de Informação Geral

Crédito Habitação BPI - Ficha de Informação Geral Crédito Habitação BPI - Ficha de Informação Geral Mutuante Banco BPI, S.A. Sede: Rua Tenente Valadim, 284 4100-476 PORTO Sociedade Aberta, Capital Social 1.293.063.324,98, matriculada na CRCP sob o número

Leia mais

Comissões IVA. Acresce Imposto. Valor Com Imposto IS Cont. Mad. Aç. Cont. Mad. Aç. Comissões Iniciais -- -- 23% 22% 18% 24,60 24,40 23,60

Comissões IVA. Acresce Imposto. Valor Com Imposto IS Cont. Mad. Aç. Cont. Mad. Aç. Comissões Iniciais -- -- 23% 22% 18% 24,60 24,40 23,60 2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (CLIENTES PARTICULARES) - FOLHETO DE COMSÕES E DESPESAS Entrada em vigor: 17-agosto-2015 2.1. Crédito à Habitação e Contratos Conexos - Crédito Habitação para Residentes [2.1.20150922.18]

Leia mais

Preçário. BANCO SANTANDER TOTTA, SA (Aplicável a Clientes Originários da Rede BANIF) BANCOS

Preçário. BANCO SANTANDER TOTTA, SA (Aplicável a Clientes Originários da Rede BANIF) BANCOS Preçário BANCO SANTANDER TOTTA, SA (Aplicável a Clientes Originários da Rede BANIF) BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO O Preçário completo do Banco Santander

Leia mais

FOLHETO DE TAXAS DE JURO

FOLHETO DE TAXAS DE JURO FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros clientes 17 CONTAS DE DEPÓSITO 19 CONTAS DE DEPÓSITO 17.1. Depósitos à Ordem 19.1. Depósitos à Ordem 17.2. Depósitos a Prazo 19.2. Depósitos a Prazo

Leia mais

Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito

Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA Instituição Financeira de Crédito Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de O Preçário completo da GE Consumer Finance,

Leia mais

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo Preçário CAIXA CENTRAL - CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRICOLA MÚTUO, CRL E CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO DO SISTEMA INTEGRADO DO CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas

Leia mais

Preçário BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Entrada em vigor: 11-janeiro-2016

Preçário BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Entrada em vigor: 11-janeiro-2016 Preçário BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Entrada em vigor: 11-janeiro-2016 O Preçário completo do NOVO BANCO DOS AÇORES, contém o Folheto de e Despesas

Leia mais

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo Preçário CAIXA CENTRAL - CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRICOLA MÚTUO, CRL E CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO DO SISTEMA INTEGRADO DO CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas

Leia mais

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo Preçário CAIXA CENTRAL - CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRICOLA MÚTUO, CRL E CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO DO SISTEMA INTEGRADO DO CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas

Leia mais

SOLUÇÕES MOÇAMBIQUE-EMPRESAS JULHO 2013

SOLUÇÕES MOÇAMBIQUE-EMPRESAS JULHO 2013 JULHO 2013 EM MOÇAMBIQUE, COMO EM PORTUGAL O BPI e o BCI disponibilizam as Soluções Moçambique-Empresas, um conjunto de produtos e serviços desenhados para empresas que pretendam investir ou exportar para

Leia mais

BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. 20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) (ÍNDICE) Entrada em vigor: 06-jan-2016

BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. 20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) (ÍNDICE) Entrada em vigor: 06-jan-2016 20.1. Linhas de crédito e contas correntes Taxa Anual Nominal (TAN) Empréstimos a taxa variável (as contas correntes incluem as Contas Correntes com Gestão de Cheques e as Contas Correntes Hipotecárias).

Leia mais

Compra de notas estrangeiras 1. Por Movimentação de conta 3,50 Nota 1 Selo 4% 2. Por caixa. Selo 4% 2. Por caixa

Compra de notas estrangeiras 1. Por Movimentação de conta 3,50 Nota 1 Selo 4% 2. Por caixa. Selo 4% 2. Por caixa 15.1. Compra e venda de notas estrangeiras Compra de notas estrangeiras 1. Por Movimentação de conta 3,50 Nota 1 Selo 4% 2. Por caixa 9,00 Nota 1 Venda de notas estrangeiras 1. Por Movimentação de conta

Leia mais

Instrumentos financeiros de curto prazo

Instrumentos financeiros de curto prazo Instrumentos financeiros de curto prazo Miguel Matias Instituto Superior Miguel Torga LICENCIATURA EM GESTÃO / 2ºANO 1ºSEM 2015/16 PROGRAMA 1. Introdução ao cálculo financeiro 2. Instrumentos financeiros

Leia mais

LEGISLAÇÃO CSC PARA CONSULTA NO EXAME

LEGISLAÇÃO CSC PARA CONSULTA NO EXAME ELEMENTOS DO CÒDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS PARA CONSULTA Artigo 28.º Verificação das entradas em espécie 1 - As entradas em bens diferentes de dinheiro devem ser objecto de um relatório elaborado por

Leia mais

Linha de Crédito Comércio Investe - Documento de Divulgação - V.1

Linha de Crédito Comércio Investe - Documento de Divulgação - V.1 A presente linha de crédito surge como uma resposta às dificuldades das empresas no acesso ao financiamento, permitindo desta forma melhorar o suporte financeiro dos projetos aprovados no âmbito da Medida

Leia mais

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO - Documento de divulgação -

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO - Documento de divulgação - Anexo III Termos e condições da Linha de Crédito PME CRESCIMENTO I - CONDIÇÕES GERAIS DA LINHA DE CRÉDITO 1. Beneficiários: Preferencialmente Pequenas e Médias Empresas (PME), tal como definido na Recomendação

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA Referência: 400001_EUR_20160701_001 CONTA EXTRACTO Designação Condições de acesso Modalidade Meios de movimentação Moeda Montante Taxa de remuneração Conta Extracto Clientes pessoas singulares, pessoas

Leia mais

Contabilidade Geral. Gestão do Desporto 2011/2012

Contabilidade Geral. Gestão do Desporto 2011/2012 Contabilidade Geral Gestão do Desporto 2011/2012 OPERAÇÕES CORRENTES 1. Meios Financeiros Líquidos Esta Classe destina-se a registar os meios financeiros líquidos que incluem quer o dinheiro e depósitos

Leia mais

2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 2.1. Crédito à habitação e contratos conexos Crédito Habitação Para Aquisição, Construção, Obras e Aquisição de Terreno para Habitação Própria, Secundária ou Arrendamento, Crédito Sinal, Transferências;

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à Ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à Ordem Designação Condições de Acesso Conta Especial Emigrante Clientes Particulares, com idade superior a 18 anos, que sejam emigrantes portugueses, de acordo com legislação em vigor. A conta só pode ser co-titulada

Leia mais

FOLHETOS DE COMISSÕES E DESPESAS OUTROS CLIENTES

FOLHETOS DE COMISSÕES E DESPESAS OUTROS CLIENTES FOLHETOS DE COMISSÕES E DESPESAS OUTROS CLIENTES 52 ÍNDICE FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS OUTROS CLIENTES 9 CONTAS DE DEPÓSITO... 54 9.1 DEPÓSITO À ORDEM... 55 10 OPERAÇÕES DE CRÉDITO... 56 10.1 LINHAS

Leia mais

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo da Cofidis, contém

Leia mais

BANCO SANTANDER TOTTA, SA 20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES)

BANCO SANTANDER TOTTA, SA 20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) 20.1. Linhas de crédito e contas correntes [Empréstimos a taxa variável] Linha PME Crescimento 2015 Euribor a 6 meses + Spread 2,700% a 4,300% Entre 2,611% e 4,254% Prazo Máximo: 4 anos (inclui possibilidade

Leia mais

Preçário BANCO INVEST, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 01-Jun-16

Preçário BANCO INVEST, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 01-Jun-16 Preçário BANCO INVEST, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 01Jun16 O Preçário completo do Banco Invest, contém o Folheto de Comissões

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos simples, não à ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos simples, não à ordem Designação Condições de Acesso Modalidade Prazo Mobilização Antecipada Poupança Habitação Geral Clientes Particulares com mais de 30 anos. Depósito constituído em regime especial. 12 meses Após o decurso

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação 1.2. Endereço 1.3. Contactos BEST Banco Electrónico de Serviço Total, S.A. Praça Marquês de Pombal, 3 3º, 1250-161

Leia mais

CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS, SA. Av. João XXI, 63 1000-300 Lisboa. 2. Identificação do representante da instituição de crédito (se aplicável)

CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS, SA. Av. João XXI, 63 1000-300 Lisboa. 2. Identificação do representante da instituição de crédito (se aplicável) FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição

Leia mais

C N C. Indice 11 - CÓDIGO DE CONTAS CLASSE 1 - DISPONIBILIDADES 11 - CÓDIGO DE CONTAS... 1

C N C. Indice 11 - CÓDIGO DE CONTAS CLASSE 1 - DISPONIBILIDADES 11 - CÓDIGO DE CONTAS... 1 Indice 11 - CÓDIGO DE CONTAS... 1 CLASSE 1 - DISPONIBILIDADES... 1 CLASSE 2 - TERCEIROS*... 2 CLASSE 3 - EXISTÊNCIAS*... 4 CLASSE 4 - IMOBILIZAÇÕES*... 5 CLASSE 5 - CAPITAL, RESERVAS E RESULTADOS TRANSITADOS...

Leia mais

10. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) - FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS 10.1. Linhas de Crédito e Contas Correntes

10. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) - FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS 10.1. Linhas de Crédito e Contas Correntes 10. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) - FOLHETO DE COMSÕES E DESPESAS 10.1. Linhas de Crédito e Contas Correntes Crédito de Curto Prazo em Conta Corrente Iniciais Euros (min/máx) Valor Anual Acresce

Leia mais

GUIA COMPRA DE CASA. Comprar casa, nova ou usada, é sempre uma tarefa complexa.

GUIA COMPRA DE CASA. Comprar casa, nova ou usada, é sempre uma tarefa complexa. GUIA COMPRA DE CASA Comprar casa, nova ou usada, é sempre uma tarefa complexa. O BPI sintetizou algumas informações que o ajudarão a tomar a melhor decisão. 1 - Quais os custos a considerar na escolha

Leia mais

Alterações de Preçário NOVO BANCO DOS AÇORES 2016

Alterações de Preçário NOVO BANCO DOS AÇORES 2016 janeiro de 2016 Alterações de Preçário NOVO BANCO DOS AÇORES 2016 O NOVO BANCO DOS AÇORES irá proceder a algumas revisões de preçário, para os contratos em curso. Folheto de Comissões e Despesas 1. CONTAS

Leia mais

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES) ( ÍNDICE)

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES) ( ÍNDICE) 3.1. Cartões de crédito Designação do Redes onde o é 5. Comissão pela recuperação de valores em dívida 6. Não pagamento até à data limite Cartão Classic 28,85 28,85 19,23 19,23 Isenção da 1.ª anuidade

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação 1.2. Endereço 1.3. Contactos BEST Banco Electrónico de Serviço Total, S.A. Praça Marquês de Pombal, 3 3º, 1250-161

Leia mais

Estabelece o novo regime jurídico de regularização das dívidas à segurança social

Estabelece o novo regime jurídico de regularização das dívidas à segurança social Legislação Decreto-Lei n.º 411/91, de 17 de Outubro Publicado no D.R. n.º 239, série I-A, de 17 de Outubro de 1991 SUMÁRIO : Estabelece o novo regime jurídico de regularização das dívidas à segurança social

Leia mais

Avisos do Banco de Portugal. Aviso do Banco de Portugal nº 2/2010

Avisos do Banco de Portugal. Aviso do Banco de Portugal nº 2/2010 Avisos do Banco de Portugal Aviso do Banco de Portugal nº 2/2010 A Instrução nº 27/2003 consagrou no ordenamento jurídico nacional os procedimentos mais relevantes da Recomendação da Comissão nº 2001/193/CE,

Leia mais

Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM PORTUGAL

Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM PORTUGAL Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS DE CRÉDITO COM SEDE EM ESTADO-MEMBRO DA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO

Leia mais

Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM PORTUGAL

Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM PORTUGAL Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS DE CRÉDITO COM SEDE EM ESTADO-MEMBRO DA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO

Leia mais

Alterações de Preçário NOVO BANCO 2016

Alterações de Preçário NOVO BANCO 2016 janeiro de 2016 Alterações de Preçário NOVO BANCO 2016 O NOVO BANCO irá proceder a algumas revisões de preçário, para os contratos em curso. Folheto de Comissões e Despesas 1. CONTAS DE DEPÓSITO 1.1. DEPÓSITOS

Leia mais

Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM PORTUGAL

Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM PORTUGAL Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS DE CRÉDITO COM SEDE EM ESTADO-MEMBRO DA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO

Leia mais

Simulação de Crédito Pessoal

Simulação de Crédito Pessoal Simulação de Crédito Pessoal Data de Impressão: 15-10-2013 12:35 Número de Simulação: 13892037 Resumo Prestação Comissão de Processamento (mensal) (Acresce Imposto do Selo à Taxa em vigor) Seguro de Vida

Leia mais

Decreto-Lei n.º 59/2006, de 20 de Março

Decreto-Lei n.º 59/2006, de 20 de Março Não dispensa a consulta do diploma publicado em Diário da República. Decreto-Lei n.º 59/2006, de 20 de Março O Decreto-Lei n.º 125/90, de 16 de Abril, veio regular pela primeira vez, na nossa ordem jurídica,

Leia mais

Equivalente 10.000,00 Despesas de Manuteção D.O/ Trimestrais 1.394,00 n.a

Equivalente 10.000,00 Despesas de Manuteção D.O/ Trimestrais 1.394,00 n.a APLICAÇÕES À ORDEM 1. Abertura de Contas 1.1. Montante Mínimo Conta Corporativa Equivalente 10.000,00 Conta Corporativa PLUS Equivalente 10.000,00 Despesas de Manuteção D.O/ Trimestrais 1.394,00 n.a APLICAÇÕES

Leia mais

Condições Gerais de Acesso Forma de Cedência

Condições Gerais de Acesso Forma de Cedência Regulamento Municipal de Atribuição de Lotes para Instalação de Atividades Económicas, publicado pelo Aviso n.º 8063/2008, de 14 de março, com as alterações introduzidas pelo Regulamento n.º 492/2011,

Leia mais

Preçário BNP PARIBAS LEASE GROUP, SA SUCURSAL. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BNP PARIBAS LEASE GROUP, SA SUCURSAL. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BNP PARIBAS LEASE GROUP, SA SUCURSAL Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 18-dez-2015 O Preçário completo Bnp Paribas Lease

Leia mais

GUIA COMPRA DE CASA. Comprar casa, nova ou usada, é sempre uma tarefa complexa.

GUIA COMPRA DE CASA. Comprar casa, nova ou usada, é sempre uma tarefa complexa. GUIA COMPRA DE CASA Comprar casa, nova ou usada, é sempre uma tarefa complexa. O BPI sintetizou algumas informações que o ajudarão a tomar a melhor decisão. 1 - Quais os custos a considerar na escolha

Leia mais

Preçário. Volkswagen Bank GmbH - Sucursal Portugal SUCURSAL. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário. Volkswagen Bank GmbH - Sucursal Portugal SUCURSAL. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário Volkswagen Bank GmbH - Sucursal Portugal SUCURSAL Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 09-Jan-2014 O Preçário completo do VW

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

BANIF - BANCO DE INVESTIMENTO, S.A. VALORES MOBILIÁRIOS. Entrada em vigor: 29-Jul-2011. Clientes Particulares e Empresas

BANIF - BANCO DE INVESTIMENTO, S.A. VALORES MOBILIÁRIOS. Entrada em vigor: 29-Jul-2011. Clientes Particulares e Empresas BANIF BANCO DE INVESTIMENTO, S.A. Entrada em vigor: 29Jul2011 VALORES MOBILIÁRIOS Clientes Particulares e Empresas 21 FUNDOS DE INVESTIMENTO 21.1. Fundos Banif 21.2. Fundos de Terceiros Internacionais

Leia mais

Preçário BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Entrada em vigor: 01-fevereiro-2016

Preçário BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Entrada em vigor: 01-fevereiro-2016 Preçário BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Entrada em vigor: 01-fevereiro-2016 O Preçário completo do NOVO BANCO DOS AÇORES, contém o Folheto de Comissões

Leia mais

Simulação de Crédito Pessoal

Simulação de Crédito Pessoal Simulação de Crédito Pessoal 17-04-2015 Agradecemos o seu contacto. Considerando os elementos apresentados e a atual situação de mercado, propomos-lhe as seguintes condições de crédito: Dados do crédito

Leia mais

REAL PPR Condições Gerais

REAL PPR Condições Gerais Entre a, adiante designada por Segurador, e o Tomador do Seguro identificado nas Condições Particulares, estabelece-se o presente contrato de seguro que se regula pelas Condições Particulares e desta apólice,

Leia mais

Constituem receitas das freguesias o produto da cobrança de taxas, nomeadamente provenientes da prestação de serviços pelas freguesias;

Constituem receitas das freguesias o produto da cobrança de taxas, nomeadamente provenientes da prestação de serviços pelas freguesias; Considerando que: Se torna necessário aprovar um novo Regulamento das Taxas a aplicar pela Junta de Freguesia pela prestação de serviços administrativos, em ordem à sua harmonização com a recente produção

Leia mais

Preçário DEUTSCHE BANK AG, SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário DEUTSCHE BANK AG, SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário DEUTSCHE BANK AG, SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do Deutsche Bank AG, Sucursal em Portugal,

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à Ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à Ordem Designação Condições de Acesso Modalidade Meios de Movimentação Conta Completa Clientes Particulares, maiores de 18 anos, que sejam trabalhadores por conta de outrem e que aceitem domiciliar ou transferir,

Leia mais

Pagamento do prémio: O prémio é único, sendo devido antecipadamente pelo tomador do seguro.

Pagamento do prémio: O prémio é único, sendo devido antecipadamente pelo tomador do seguro. INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL SEGURO DE VIDA - PPR POSTAL PPR PLUS (nos termos do Dec.-Lei n.º 72/2008 de 16 de Abril) SEGURADOR MAPFRE SEGUROS DE VIDA S.A. Sede Social: Rua Castilho, 52, 1250-071 Lisboa N.I.P.C.

Leia mais

Linha de Crédito PME INVESTE V

Linha de Crédito PME INVESTE V Linha de Crédito PME INVESTE V MICRO E PEQUENAS EMPRESAS OUTRAS EMPRESAS Linhas de Crédito Bonificado com Garantia MútuaM Enquadramento No quadro dos apoios que têm vindo a ser concedidos às PME s portuguesas

Leia mais

SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS Novo regime

SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS Novo regime SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS Novo regime Lisboa, 2014 www.bportugal.pt http://clientebancario.bportugal.pt SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS 3.ª reedição, janeiro de 2016 Banco de Portugal Av. Almirante Reis, 71

Leia mais

Enquadramento Fiscal dos Advogados em. sede de IRS, IVA e segurança social

Enquadramento Fiscal dos Advogados em. sede de IRS, IVA e segurança social Enquadramento Fiscal dos Advogados em sede de IRS, IVA e segurança social Fiscalidade IVA / IRS / Segurança social Março 2015 1 IAE -Instituto dos Advogados de Empresa da Ordem dos Advogados 1 Formas de

Leia mais

Aviso do Banco de Portugal n. o 10/2014

Aviso do Banco de Portugal n. o 10/2014 Aviso do Banco de Portugal n. o 10/2014 Índice Texto do Aviso Texto do Aviso Assunto: Assunto Mod. 99999910/T 01/14 Com a publicação do Decreto-Lei n.º 133/2009, de 2 de junho, que transpôs para a ordem

Leia mais

Preçário INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 11-09-2014

Preçário INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 11-09-2014 Preçário INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de Entrada em vigor: 11-09-2014 Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 03-08-2015 O Preçário

Leia mais

Freguesia de Requião

Freguesia de Requião Freguesia de Requião Regulamento e Tabela de Taxas e Licenças Ano de 2014 Em conformidade com o disposto nas alíneas d) e f), nº 1 do artigo 9º, conjugada com a alínea h) do nº 1 do artigo 16º, da Lei

Leia mais

Preçário. Banco Cofidis, S.A.

Preçário. Banco Cofidis, S.A. Preçário Banco Cofidis, S.A. BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor do Folheto e Despesas: 0-out-01 Data de Entrada em vigor do Folheto

Leia mais

REGULAMENTO PARA PROGRAMA DE MELHORIA À HABITAÇÃO PARA AGREGADOS CARENCIADOS NO CONCELHO DO CARTAXO INDÍCE

REGULAMENTO PARA PROGRAMA DE MELHORIA À HABITAÇÃO PARA AGREGADOS CARENCIADOS NO CONCELHO DO CARTAXO INDÍCE REGULAMENTO PARA PROGRAMA DE MELHORIA À HABITAÇÃO PARA AGREGADOS CARENCIADOS INDÍCE Preâmbulo 1 Artigo 1º Âmbito Artigo º Objecto Artigo º Tipos de apoios Artigo 4º Valor e modalidade de apoios económico

Leia mais

Preçário BMW BANK GMBH, SUCURSAL PORTUGUESA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BMW BANK GMBH, SUCURSAL PORTUGUESA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BMW BANK GMBH, SUCURSAL PORTUGUESA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo da BMW Bank GMBH, Sucursal Portuguesa, contém

Leia mais

Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA. TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 17 de Junho 2016

Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA. TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 17 de Junho 2016 Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA TABELA DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário pode ser consultado nos balcões e locais de atendimento ao público do Banco Millennium

Leia mais

ASSUNTO: Plano de Contas para o Sistema Bancário (Adaptado) (Sociedades Administradoras de Compras em Grupo)

ASSUNTO: Plano de Contas para o Sistema Bancário (Adaptado) (Sociedades Administradoras de Compras em Grupo) Anexo à Instrução nº 15/97 ASSUNTO: Plano de Contas para o Sistema Bancário (Adaptado) (Sociedades Administradoras de Compras em Grupo) 1. São efectuados no PCBS os seguintes ajustamentos: 1.1. São criadas

Leia mais

INSTRUTIVO Nº 05/91. No uso da faculdade que me é conferida pelo Artigo 60º da Lei Orgânica do Banco Nacional de Angola, determino: Artigo 1º

INSTRUTIVO Nº 05/91. No uso da faculdade que me é conferida pelo Artigo 60º da Lei Orgânica do Banco Nacional de Angola, determino: Artigo 1º INSTRUTIVO Nº 05/91 Assunto: POLITICA MONETARIA - Operações de Crédito/Redesconto.Regulamento CONSIDERANDO,que nos termos do artigo 16º alínea f da Lei Orgânica do Banco Nacional de Angola, aprovada pela

Leia mais

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 03 de Dezembro 2015

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 03 de Dezembro 2015 Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 03 de Dezembro 2015 O Preçário pode ser consultado nos balcões e locais de atendimento

Leia mais

Preçário CAIXA DE CREDITO AGRICOLA MUTUO DA COSTA VERDE, CRL CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO

Preçário CAIXA DE CREDITO AGRICOLA MUTUO DA COSTA VERDE, CRL CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO Preçário CAIXA DE CREDITO AGRICOLA MUTUO DA COSTA VERDE, CRL CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo

Leia mais

Enquadramento Fiscal

Enquadramento Fiscal Organizações Sem Fins Lucrativos Enquadramento Fiscal Ponte da Barca, 14 de Maio de 2013 Organizações Sem Fins Lucrativos Os principais tipos de entidades sem fins lucrativos em Portugal são as associações,

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR Entre O Primeiro Outorgante, A Administração Regional de Saúde de. IP, adiante

Leia mais

Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) Viana do Alentejo, 27 de Janeiro de 2012

Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) Viana do Alentejo, 27 de Janeiro de 2012 Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) Viana do Alentejo, 27 de Janeiro de 2012 PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO Destinatários

Leia mais

1 / 2 Condições de Utilização do Crédito Pessoal

1 / 2 Condições de Utilização do Crédito Pessoal 1 / 2 Condições de Utilização do Crédito Pessoal 1. O Crédito Pessoal é do tipo crédito clássico e só pode ser solicitado pela pessoa singular 1ª Titular de um Cartão emitido pela UNICRE que esteja em

Leia mais

CONDIÇÕES PARA OS MEMBROS E COLABORADORES TRABALHADORES POR CONTA DE OUTREM. Conta Ordenado Triplus. Conta Nova Vida

CONDIÇÕES PARA OS MEMBROS E COLABORADORES TRABALHADORES POR CONTA DE OUTREM. Conta Ordenado Triplus. Conta Nova Vida PROTOCOLO ORDENS PROFISSIONAIS CONDIÇÕES PARA OS MEMBROS E COLABORADORES TRABALHADORES POR CONTA DE OUTREM Para aderir a este Protocolo e beneficiar das respectivas condições, abra a sua Conta Ordenado

Leia mais

b) Certidão, emitida pela Direcção-Geral do Tesouro, relativa ao saldo de créditos libertos no final da gerência (modelo n.º 13); c) Certidão de

b) Certidão, emitida pela Direcção-Geral do Tesouro, relativa ao saldo de créditos libertos no final da gerência (modelo n.º 13); c) Certidão de Instruções n.º 2/97-2.ª S Instruções para a organização e documentação das contas dos serviços e organismos da Administração Pública (regime geral - autonomia administrativa), integrados no novo Regime

Leia mais

Preçário BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de Entrada em vigor: 22-dez-2015

Preçário BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de Entrada em vigor: 22-dez-2015 Preçário BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de Entrada em vigor: 22-dez-2015 Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 03-fev-2016

Leia mais

Decreto-Lei nº 103/2009, de 12 de Maio

Decreto-Lei nº 103/2009, de 12 de Maio Diploma consolidado Decreto-Lei nº 103/2009, de 12 de Maio Perante a actual conjuntura económica e o respectivo reflexo no mercado do emprego, revela-se ser de toda a conveniência a flexibilização das

Leia mais

DECRETO N.º 265/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.

DECRETO N.º 265/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1. DECRETO N.º 265/XII Aprova o regime de concessão de crédito bonificado à habitação a pessoa com deficiência e revoga os Decretos-Leis n.ºs 541/80, de 10 de novembro, e 98/86, de 17 de maio A Assembleia

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 841

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 841 Directriz de Revisão/Auditoria 841 1 Dezembro de 2001 Verificação das Entradas em Espécie para Realização de Capital das Sociedades ÍNDICE Parágrafos INTRODUÇÃO 1-6 OBJECTIVO 7-8 PROCEDIMENTOS DE VERIFICAÇÃO

Leia mais

Novo Código Contributivo da Segurança Social

Novo Código Contributivo da Segurança Social Novo Código Contributivo da Segurança Social O Código Contributivo para a Segurança Social, aprovado através da Lei n.º 110/2009, de 16 de Setembro tem a sua entrada em vigor agendada para 1 de Janeiro

Leia mais

Última actualização em 01/05/2007

Última actualização em 01/05/2007 Portaria n.º 1416-A/2006 de 19 de Dezembro. - Regula o regime da promoção electrónica de actos de registo comercial e cria a certidão permanente, Ministério da Justiça, S.I 2º Suplemento, DR n.º 242, p.

Leia mais

Portaria. Gabinete da Ministra da Justiça Praça do Comércio, 1149-019 Lisboa, PORTUGAL TEL + 351 21 322 23 00 EMAIL gmj@mj.gov.pt www.portugal.gov.

Portaria. Gabinete da Ministra da Justiça Praça do Comércio, 1149-019 Lisboa, PORTUGAL TEL + 351 21 322 23 00 EMAIL gmj@mj.gov.pt www.portugal.gov. Portaria O Memorando de Entendimento sobre as Condicionalidades de Política Económica, celebrado entre a República Portuguesa e o Banco Central Europeu, a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional,

Leia mais

I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) PRODUTO(S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL

I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) PRODUTO(S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL Nº DA CÉDULA CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) (S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL RENAVAN CHASSI PLACA NOTA FISCAL (CASO VEÍCULO

Leia mais

DIPLOMA/ACTO : Decreto-Lei n.º 125/90. EMISSOR : Ministério das Finanças. DATA : Segunda-feira, 16 de Abril de 1990 NÚMERO : 88/90 SÉRIE I

DIPLOMA/ACTO : Decreto-Lei n.º 125/90. EMISSOR : Ministério das Finanças. DATA : Segunda-feira, 16 de Abril de 1990 NÚMERO : 88/90 SÉRIE I DIPLOMA/ACTO : Decreto-Lei n.º 125/90 EMISSOR : Ministério das Finanças DATA : Segunda-feira, 16 de Abril de 1990 NÚMERO : 88/90 SÉRIE I PÁGINAS DO DR : 1808 a 1810 Decreto-Lei n.º 125/90, de 16 de Abril

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem Designação Condições de Acesso Modalidade Meios de Movimentação Moeda Conta Super Jovem Clientes Particulares, com idade entre os 18 e os 30 anos (inclusive). Depósito à Ordem. Esta conta pode ser movimentada

Leia mais

Preçário FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 23-10-2013 FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 01-07-2014

Preçário FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 23-10-2013 FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 01-07-2014 Preçário FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de Entrada em vigor: 23-10-2013 FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 01-07-2014 O Preçário completo da Orey Financial, Instituição Financeira

Leia mais

IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 2 APLICAÇÕES

IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 2 APLICAÇÕES Anexo à Instrução nº 6/96 IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 2 APLICAÇÕES Nesta classe estão incluídas as aplicações decorrentes das actividades consagradas no RJCAM, nomeadamente a actividade creditícia

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA AS NOVAS ZONAS E LOTEAMENTOS INDUSTRIAIS. Nota justificativa

PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA AS NOVAS ZONAS E LOTEAMENTOS INDUSTRIAIS. Nota justificativa PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA AS NOVAS ZONAS E LOTEAMENTOS INDUSTRIAIS Nota justificativa A criação de novas Zonas e loteamentos Industriais tem como principal finalidade

Leia mais

CUSTÓDIA (POR SEMESTRE OU NA DATA DA LIQUIDAÇÃO DA CONTA TÍTULO) (*) EURO IMPOSTO Em todas as Bolsas 12,00 IVA

CUSTÓDIA (POR SEMESTRE OU NA DATA DA LIQUIDAÇÃO DA CONTA TÍTULO) (*) EURO IMPOSTO Em todas as Bolsas 12,00 IVA 1. CONTAS DE TÍTULOS CUSTÓDIA (POR SEMESTRE OU NA DATA DA LIQUIDAÇÃO DA CONTA TÍTULO) (*) Em todas as Bolsas 12,00 (*) - Aplicável a todas as Contas Títulos com saldo médio diário superior a zero unidades

Leia mais

IVA transmissão de estabelecimento

IVA transmissão de estabelecimento IVA transmissão de estabelecimento É possível, ao abrigo do artigo 3.º, n.º 4 do CIVA transmitir um estabelecimento (isto é, todo o seu activo) de uma sociedade para um empresário em nome individual no

Leia mais

Instrução DGT nº.1/2013 EMISSÃO DE BILHETES DE TESOURO

Instrução DGT nº.1/2013 EMISSÃO DE BILHETES DE TESOURO Instrução DGT nº.1/2013 EMISSÃO DE BILHETES DE TESOURO Ao abrigo do número 1, do artigo 10º, do Decreto-Lei nº 59/2009 de 14 de Dezembro, que estabelece o regime Jurídico dos Bilhetes do Tesouro (BT),

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA DE CONTRATOS DE CRÉDITO HABITAÇÃO PARTE I CONDIÇÕES FINANCEIRAS DO CRÉDITO HABITAÇÃO

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA DE CONTRATOS DE CRÉDITO HABITAÇÃO PARTE I CONDIÇÕES FINANCEIRAS DO CRÉDITO HABITAÇÃO FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA DE CONTRATOS DE CRÉDITO HABITAÇÃO PARTE I CONDIÇÕES FINANCEIRAS DO CRÉDITO HABITAÇÃO A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO E OBSERVAÇÕES 1. Identificação da Instituição Denominação

Leia mais

Ficha de Informação Geral

Ficha de Informação Geral Objectivo da Ficha de Informação Geral Oferecer aos Clientes informação de carácter geral sobre o crédito à habitação, o mais transparente, sistemático e rigorosamente possível, antes da formalização de

Leia mais