REGULAMENTO DE TRABABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MODALIDADE ARTIGO CIENTÍFICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DE TRABABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MODALIDADE ARTIGO CIENTÍFICO"

Transcrição

1 REGULAMENTO DE TRABABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MODALIDADE ARTIGO CIENTÍFICO Elaboração: Bibliotecária Fabiana R. F. da Silva Diretor Acadêmico Rafael João Afonso de Araújo Revisão: Direito Profº. Ms. Carlos Eduardo Volante Carapicuíba 2013

2 Corpo diretivo WALTER ALVES PEREIRA Diretor Geral EDILVANA VANESSA PEREIRA Diretora do Instituto de Ensino Superior SONIA MARIA GROTTO VIEIRA Diretora Administrativa LUCIDALVA TEIXEIRA PEREIRA Diretora Financeira RAFAEL JOÃO AFONSO DE ARAUJO Diretor Acadêmico JOÃO TOMAZ Secretário Geral TAINÁ CAUE PEREIRA Diretora de Programas Sociais COORDENAÇÃO DE CURSO Direito Profº. Ms. Carlos Eduardo Volante Análise e Desenvolvimento de Sistemas Profª. Esp. Camila Monteiro Caetano Tomaz Contabilidade - Profº. Esp. José Reginaldo Teixeira Pedagogia Profº. Ms. Paulo César Freire Enfermagem Profª. Esp. Ana Lucia Batista Aranha Administração Profº. Esp.: Ricardo Portiolli Gomes Logística e Recursos Humanos Profº. Esp. Roberto Carlos Alves de Oliveira Letras Profª. Ms. Rogéria Alves Freire Farmácia Profº. Esp. João Pereira Neto

3 F143 Faculdade da Aldeia de Carapicuíba Regulamento de trabalho de conclusão de curso modalidade artigo científico / elaboração Fabiana Rodrigues Ferreira da Silva ; Rafael João Afonso de Araújo ; revisão Carlos Eduardo Volante. Carapicuíba: FALC, f. : Il. ; 30 cm 1.Manual 2.Metodologia 3. Artigo científico. I. Título. CDD CDD

4 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 7 CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 7 CAPÍTULO 2 DO ARTIGO CIENTÍFICO... 7 CAPÍTULO 3 DA ORIENTAÇÃO E DA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO... 8 CAPÍTULO 4 DAS ATRIBUIÇÕES E DEVERES DOS PROFESSORES ORIENTADORES... 9 CAPÍTULO 5 DAS ATRIBUIÇÕES E DEVERES DOS ALUNOS-ORIENTANDOS... 9 CAPÍTULO 6 DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E COMPOSIÇÃO DA NOTA DO ARTIGO CIENTÍFICO CAPÍTULO 7 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO CIENTÍFICO ESTRUTURA DO ARTIGO TÍTULO E SUBTÍTULO AUTOR(ES) RESUMO ELEMENTOS TEXTUAIS INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO CONCLUSÃO ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS TÍTULO E SUBTÍTULO EM LÍNGUA ESTRANGEIRA RESUMO E PALAVRAS-CHAVE EM LÍNGUA ESTRANGEIRA (OBRIGATÓRIO) NOTAS REFERÊNCIAS (OBRIGATÓRIO) LIVROS E OU/ FOLHETOS CAPÍTULOS DE LIVROS PARTES DE ENCICLOPÉDIAS E DICIONÁRIOS (VERBETES) EVENTOS (CONGRESSOS, SIMPÓSIOS, JORNADAS, PROCEEDINGS, ETC.) TRABALHOS APRESENTADOS EM EVENTOS DISSERTAÇÕES, TESES E TRABALHOS ACADÊMICOS PERIÓDICOS NO TODO FASCÍCULOS OU NÚMEROS ESPECIAIS OU SUPLEMENTOS ARTIGO DE PERIÓDICOS... 19

5 ARTIGO DE JORNAL LEGISLAÇÕES (CONSTITUIÇÃO, LEIS E DECRETOS, RESOLUÇÕES, EMENDAS, ETC) CONSTITUIÇÃO LEIS E DECRETOS RESOLUÇÕES JURISPRUDÊNCIA MAPAS, CARTAS, TOPOGRÁFICAS DOCUMENTOS ELETRÔNICOS RECOMENDAÇÕES IMPORTANTES MONOGRAFIA NO TODO CAPÍTULO DE MONOGRAFIA ARTIGOS DE PERIÓDICOS EVENTOS LISTA DE DISCUSSÃO HOMEPAGE IMAGEM EM MOVIMENTO (INCLUEM FILMES, VIDEOCASSETES, DVD ETC) GLOSSÁRIO (OPCIONAL) APÊNDICE ANEXO (OPCIONAL) NUMERAÇÃO PROGRESSIVA CITAÇÕES CITAÇÃO DIRETA CITAÇÕES DIRETAS DE ATÉ TRÊS LINHAS CITAÇÕES DIRETAS COM MAIS DE TRÊS LINHAS CITAÇÃO INDIRETA OU LIVRE CITAÇÃO DE CITAÇÃO CITAÇÃO DE ACORDO COM A QUANTIDADE DE AUTORES INFORMAÇÃO VERBAL TRABALHOS NÃO CONCLUÍDOS COINCIDÊNCIAS DE SOBRENOMES DE AUTORES SIGLAS EQUAÇÕES E FÓRMULAS ILUSTRAÇÕES LEGENDA TABELAS, QUADROS E FÓRMULAS... 32

6 10 FORMATAÇÃO DO ARTIGO MARGEM ESPAÇAMENTO E PARÁGRAFO BIBLIOGRAFIA CONSULTADA... 34

7 7 APRESENTAÇÃO CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O Artigo Científico compreende a elaboração do pré-projeto e da versão definitiva do trabalho de conclusão de curso, podendo se desenvolver em qualquer área do conhecimento desde que relacionado com os programas das disciplinas ministradas durante o curso, elaborado em grupo orientado. Art. 2º O pré-projeto do Artigo Científico será elaborado de acordo com as normas, fases e cronograma estabelecidos na disciplina de Metodologia da Pesquisa Científica e ou Trabalho de Conclusão de Curso, compondo nota de aprovação nesta disciplina. Art. 3º A Coordenação de cada Curso da FALC, respeitados os seus respectivos projetos pedagógicos, será responsável pela organização, orientação e execução das normas contidas neste Regulamento, responsabilidade que será compartilhada com cada professor orientador no âmbito da relação professor/aluno. A partir daqui os números dos artigos estão incorretos. CAPÍTULO 2 DO ARTIGO CIENTÍFICO Art. 4º A produção do Artigo Científico visa desenvolver no aluno a capacidade de um estudo teórico-reflexivo a partir de atividades de pesquisa, sua análise e procedimentos metodológicos, organizados de forma técnica adequada às normas de produção de um trabalho científico. Art. 5º O Artigo Científico deverá ser: I Elaborado no máximo por 2(dois) alunos, segundo o modelo disponibilizado pelas Normas Metodológicas para elaboração do Trabalho Final de Artigo Científico da FALC e pelos Professores Orientadores, considerando-se as finalidades estabelecidas neste Regulamento; II Desenvolvido exclusivamente pelo aluno, para que possa expressar sua capacidade de análise e de utilização de conceitos científicos; III Produzido com linguagem clara, concisa e objetiva; IV Constituído por capa, folha de rosto e sumário (elementos pré-textuais), introdução, desenvolvimento e conclusão (elementos textuais) e bibliografia de, no mínimo, 6 (seis) obras (elemento pós-textual); V Apresentado em no mínimo 15 (quinze) e no máximo 25 (quinze) páginas a uma Banca Examinadora.

8 8 Art. 6º O Artigo Científico será submetido, segundo cronograma divulgado pela Coordenação de Curso, a uma Banca Examinadora composta por três professores: o professor orientador e outros dois argüidores. CAPÍTULO 3 DA ORIENTAÇÃO E DA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Art. 7º O grupo de alunos será orientado nas atividades de elaboração de Artigo Científico no(s) semestre(s) letivo(s) previstos para a execução desta atividade conforme o projeto pedagógico de cada curso. Parágrafo único Nesta etapa de estudo, o aluno é considerado aluno-orientando, e, o professor, professor orientador. Art. 8º São da responsabilidade do aluno-orientando: I Formar no máximo pares 2(dois) alunos, preencher e assinar a folha de Registro de Tema e entregá-la ao Professor Orientador dentro do prazo estabelecido pela Coordenação de Curso; II Participar das orientações e apresentar ao Professor Orientador o resultado de cada etapa do desenvolvimento do Artigo Científico; III Elaborar o Artigo Científico seguindo as normas deste Regulamento e as Orientações do Professor Orientador. Parágrafo único A realização do Artigo Científico é condicionada à existência de um Professor Orientador, do corpo docente da FALC. Art. 9º A elaboração do Artigo Científico é de inteira responsabilidade de seus pares, respondendo por qualquer irregularidade, inclusive quanto à cópia ou semelhança de texto. Art. 10º Antes do início das orientações, cada professor receberá a relação dos seus orientandos. Art. 11º A fim de garantir a qualidade das orientações, os atendimentos serão realizados nas datas e horários designados para a realização dos encontros com o Professor Orientador. Art. 12º A escolha do tema do Artigo Científico deverá ser feita pelo grupo de alunos, no primeiro encontro de orientação. Art. 13º Ao final de cada orientação, o professor registrará, na ficha de orientação do aluno, as informações, comentários e recomendações mais relevantes. O referido registro será ratificado com visto específico do Professor Orientador, dos orientandos e da Coordenação de Curso. Art. 14º O controle de frequência será realizado pelo Professor Orientador, em campo específico da pauta de orientação.

9 9 Parágrafo único A frequência mínima exigida será de 75% (cinqüenta por cento) das orientações previstas. CAPÍTULO 4 DAS ATRIBUIÇÕES E DEVERES DOS PROFESSORES ORIENTADORES Art. 15º Cabe ao Professor Orientador: I orientar as atividades de pesquisa e/ou experimentação; II organizar os parâmetros e tempos de orientação dos Artigos Científicos; III avaliar o desempenho do orientando na sua globalidade; IV definir com o orientando a constituição da Banca Examinadora, data e horário de defesa levando as sugestões à Coordenação de Curso; V presidir a Banca Examinadora na avaliação do Artigo Científico; VI encaminhar à Coordenação de Curso um resumo das atividades realizadas e os resultados da avaliação de desempenho do(s) aluno(s) nas tarefas de desenvolvimento e na apresentação do Artigo Científico; VII registrar as atividades desenvolvidas e a freqüência discente a cada sessão de atendimento e orientação, encaminhando-os à Coordenação por meio de relatórios. Art. 16º Cada Professor Orientador poderá ter no máximo 4 (quatro) grupos de orientandos de Artigo Científico. CAPÍTULO 5 DAS ATRIBUIÇÕES E DEVERES DOS ALUNOS-ORIENTANDOS Art. 17º A responsabilidade pela elaboração e desenvolvimento do Artigo Científico é integralmente do(a) aluno(a) matriculado(a) no curso. Art. 18º São deveres do(a) aluno(a) orientando(a): I atuar como produtor de conhecimento, buscando desenvolver um processo de investigação e/ou criação; II comparecer às atividades programadas pelo(s) Professor(es) Orientador(es) e pela Coordenação do Curso; III entregar o Artigo Científico à Coordenação de Curso na data e horário estabelecidos; IV comparecer regularmente à orientação, conforme agendado com o Professor Orientador.

10 10 V ao término das orientações e da produção do Artigo Científico, o(a) aluno(a) orientando(a) deve encaminhar seu trabalho à Coordenação de Curso, na data fixada, em três (3) cópias para avaliação da Banca Examinadora.. CAPÍTULO 6 DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E COMPOSIÇÃO DA NOTA DO ARTIGO CIENTÍFICO Art. 19º O Professor Orientador avaliará os quesitos especificados em documento próprio divulgado pela Coordenação de Curso. Art. 20º Os critérios de avaliação para as Bancas Examinadoras dos Artigos Científicos são: I competência técnica e investigativa em coerência com os objetivos; II observância às normas de apresentação de um trabalho científico; III utilização adequada do referencial bibliográfico; IV correção gramatical e habilidade redacional; V exposição oral: clareza e domínio dos objetivos e do tema; VI objetividade na argumentação. Art. 21º A defesa do Artigo Científico deverá ser realizada em, no máximo, 20 minutos. Após a apresentação, o(s) aluno(s) serão arguidos pela Banca Examinadora em um tempo máximo de 30 minutos. Art. 22º Após a defesa, o(s) aluno(s) deverá(ao) se retirar do local para que a Banca Examinadora prossiga seu trabalho e atribua uma nota de zero (0,0) a dez (10,0) ao Artigo Científico e a sua defesa, de acordo com os critérios de avaliação divulgados pela Coordenação de Curso. Parágrafo único O(s) aluno(s) retorna(m) à sala, convidado pela Banca Examinadora, sendo-lhe(s) comunicado o resultado da avaliação de seu trabalho. Art. 23º Para obter a aprovação, o grupo de alunos deve obter a média final igual ou superior a seis (6,0) pontos, em uma escala de zero a dez pontos. Art. 24º O trabalho que obtiver nota igual ou inferior a 5,5 (cinco inteiros e cinco décimos) será considerado reprovado, entretanto, se protocolado no prazo indicado pela Banca Examinadora e desde que o(s) aluno(s) esteja(m) matriculado(s) regularmente no curso, poderá ser reformulado, a partir das indicações do Orientador e da Banca Examinadora. Parágrafo único Necessariamente o trabalho reformulado deverá ser entregue em duas versões (a anterior com as correções e indicações do orientador e a atual reformulada). Não serão recebidos os trabalhos que não atendam a estas condições.

11 11 Art. 25º Caso o trabalho não seja reapresentado com as devidas correções ou receba novamente nota inferior à média, o(s) aluno(s) será(ão) considerado(s) reprovado(s). Parágrafo único O(s) aluno(s) reprovado(s) deverá(ão) efetivar nova matrícula e reiniciar todo o processo de orientação e produção do Artigo Científico. CAPÍTULO 7 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 26º Os casos omissos serão avaliados pela Coordenação do Curso. Art. 27º Disposições complementares, que venham a conferir maior detalhamento às previsões estabelecidas no presente Regulamento, serão incorporadas ao mesmo. Art. 28º Este Regulamento entra em vigor na data de sua aprovação pelo Conselho Superior Acadêmico.

12 12 8 ARTIGO CIENTÍFICO Os artigos científicos podem ser: Originais: que apresentam novas idéias e opiniões acerca de questões atuais; Revisão: reúne as principais idéias e fatos de determinado assunto publicado e estabelece relações entre eles; Relatos, experiências ou pesquisas: apresentam os dados coletados, seu desenvolvimento e a avaliação dos resultados; Resenhas: apresentam um resumo crítico de uma obra, destacando as principais idéias do autor. Devido ao editores possuírem normas próprias de apresentação de artigos, antes de enviar o artigo deve-se consultar as normas para publicação, impressas normalmente no final do periódico. As editoras nacionais utilizam normas da ABNT, porém áreas específicas como a Biomédica adotam as normas de Vancouver. Para acesso do mesmo segue link: a) Normas de Vancouver (http://www.icmje.org/) As normas de Vancouver são normas para apresentação de artigos propostos para publicação em revistas médicas. Elaboradas pelo Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas, apresenta questões éticas, de conduta, direitos do autor, citações e referências e normas de preparação de manuscritos. As normas são instruções para os autores sobre o modo como preparar manuscritos a serem enviados para o editor, facilitando a leitura e avaliação dos artigos recebidos, e não instruções para os editores sobre o estilo de publicação. As referências seguem o padrão ANSI da National Library of Medicine dos Estados Unidos. Abaixo algumas características encontradas em grande parte dos artigos publicados: A maioria dos editores possui normas próprias de apresentação de artigos. Muitas vezes adotam regras de acordo com as tendências da área de atuação ou de acordo com o país de publicação. Antes de enviar o artigo, o autor deve consultar as normas para publicação, impressas normalmente no final do periódico. Grande parte dos editores nacionais adota as normas da ABNT para citações e referências. Outros já utilizam normas específicas da área: No caso da Área biomédica, por exemplo, utiliza-se a Vancouver

13 13 (Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas); Área de Psicologia - APA (American Psychological Association); Área de exatas - ISO (International Standard Organization). Existem algumas normas para publicação dos artigos nos quais são exigidos pela maioria das editoras nas quais são: Artigos inéditos: o artigo precisa ser inédito, não publicado em qualquer meio seja, impresso, eletrônico ou internet, nos quais também são submetidos ao mesmo tempo para avaliação a outros periódicos; Responsabilidade do autor: Todo o conteúdo do artigo é expressamente de responsabilidade dos autores podendo exigir uma carta declarando sua responsabilidade, ou seja, atestando que o artigo é único; Idiomas: exige-se que o artigo seja descrito em mais de um idioma; Citações e referências: Na sua grande maioria as editoras utilizam as normas da ABNT com exceção de áreas côo a biomédica; Direitos autorais: Em grande parte das editoras detêm o direito autoral pelo artigo publicado no qual por muitas vezes está no regulamento da editora.

14 14 9 ESTRUTURA DO ARTIGO A estrutura do artigo é composta por elementos pré-textuais, textuais e póstextuais conforme instruções de 9.1 a Estrutura do artigo 1 - PRÉ-TEXTUAL Título e subtítulo (obrigatório) Autor(es) (obrigatório) Resumo e palavras-chave na língua do texto (obrigatório) 2 - TEXTUAL Introdução (obrigatório) Desenvolvimento (obrigatório) Conclusão (obrigatório) 3 - PÓS-TEXTUAL Título e subtítulo em língua estrangeira (obrigatório) Resumo e palavras-chave em língua estrangeira (obrigatório) Notas (opcional) Referências (obrigatório) Glossário (opcional) Apêndice (opcional) Anexo (opcional) Fonte: Elaborada pela autora 9.1 TÍTULO E SUBTÍTULO Apresentado na primeira página do artigo, sendo separados por dois pontos e na língua do texto. 9.2 AUTOR(ES) O(s) nome(s) do(s) autor(es) devem ser acompanhados de currículo de forma sucinta. Na nota de rodapé deve constar seu cargo, nome da instituição na qual trabalha endereço de correspondência e RESUMO Deve conter no seu conteúdo 250 palavras nas quais englobam o objetivo, método, resultados e conclusão do artigo de forma concisa na mesma língua do texto.

15 15 As palavras-chave do resumo devem aparecer abaixo do resumo, separados por ponto na mesma língua do texto. Obs: Solicite ao bibliotecário da instituição termos do vocabulário controlado para melhor adequação ao artigo. 9.4 ELEMENTOS TEXTUAIS Os elementos textuais que compõem o artigo são introdução, desenvolvimento e conclusão descritos nos tópicos a INTRODUÇÃO Para composição da introdução é necessário constar o assunto do artigo, os objetivos e demais elementos que determinem o tema DESENVOLVIMENTO Descreve de forma ordenada a revisão da literatura, a metodologia aplicada e apresentação da pesquisa. Para tanto se divide em seções e subseções, podendo variar de acordo com tema e método abordado. Obs: Para descrição das seções e subseções foi adotado a NBR 6024 conforme modelo abaixo, porém esta diferenciação deverá ser de acordo com as recomendações do editor. 1 SEÇÃO PRIMÁRIA (CAIXA ALTA, NEGRITO, TAMANHO 12) 1.1 Seção secundária (Caixa baixa, negrito, tamanho 12) Seção terciária (Caixa baixa, itálico, negrito, tamanho 12) Seção quaternária (Caixa baixa, sublinhado, negrito, tamanho 12) Seção quinária (Caixa baixo, sem negrito, tamanho 12) CONCLUSÃO Apresenta as conclusões relativas aos objetivos e hipóteses, onde se verifica as observações do autor. 9.5 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS A disposição dos elementos pós-textuais deve seguir de acordo com os elementos a TÍTULO E SUBTÍTULO EM LÍNGUA ESTRANGEIRA Caso haja título e subtítulo sua apresentação deve ser em língua estrangeira, sendo diferente sua tipografia e separados por dois pontos (:) que antecedem o resumo.

16 RESUMO E PALAVRAS-CHAVE EM LÍNGUA ESTRANGEIRA (OBRIGATÓRIO) Tradução do texto em português para língua de divulgação internacional. Obs: Para as palavras-chave segue a mesma instrução do resumo e separadas entre si por um ponto. Ex: Inglês: Espanhol: Abstract: Resumen: NOTAS São inseridas em algarismos arábicos, de forma crescente a cada artigo. etc. As notas podem ser de titulação, publicação, explicativa, tradução, complementar, As notas devem ser colocadas na parte inferior da página, separadas do texto por uma linha contínua de 3 cm e digitadas em espaço simples e com caracteres tamanho 10. No texto: Segundo Silva 1 a grande evolução da comunicação aconteceu através da internet, rompendo as formas tradicionais do meio. No rodapé: 1 Silva, Maria da. A comunicação do mundo. São Paulo: DDC, REFERÊNCIAS (OBRIGATÓRIO) Apresentada em ordem alfabética independente do suporte (impresso, eletrônico, etc) seguindo instruções da NBR A apresentação de referência está baseada no Manual de trabalhos acadêmicos da FALC organizado por Costa, Gasparetti e Silva (2013), conforme segue.

17 LIVROS E OU/ FOLHETOS SOBRENOME, Nome (autor)./título: subtítulo./edição./local de publicação: Editora, Data./Número de volumes ou páginas. TELLES, P.C.S. Tubulações industriais: materiais, projeto e desenho. 7. ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, v CAPÍTULOS DE LIVROS a) Autor do capítulo diferente do responsável pelo livro. SOBRENOME, Nome (autor do capítulo). /Título do capítulo./in: SOBRENOME, Nome (autor do livro)./título: subtítulo do livro./edição./local de publicação: Editora, Data./Volume, capítulo, página inicial-final. PERRONE-MOISÉS, L. Don Juan na literatura de hoje. In: RIBEIRO, R.J. A sedução e suas máscaras: ensaios sobre Don Juan. São Paulo: Companhia das Letras, p b) Único autor para o livro todo - Substitui-se o nome do autor por um travessão de seis toques após o In:. AGROMONTE, Roberto. El hombre y la sociedad. In:. Sociologia. 5. ed. Havana: Havana Cultural, p PARTES DE ENCICLOPÉDIAS E DICIONÁRIOS (VERBETES) GRANDE enciclopédia Delta Larousse. Rio de Janeiro: Delta, v. 7, p FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, p EVENTOS (CONGRESSOS, SIMPÓSIOS, JORNADAS, PROCEEDINGS, ETC.) NOME DO CONGRESSO, número, ano, local de realização./título da publicação.../local de publicação: Editora, data./total de páginas.

18 18 SIMPÓSIO BRASILEIRO DE REDES DE COMPUTADORES, 13., 1995, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: UFMG, p. REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE QUÍMICA, 20., 1997, Poços de Caldas. Química: academia, indústria, sociedade: livro de resumos. São Paulo: Sociedade Brasileira de Química, TRABALHOS APRESENTADOS EM EVENTOS SOBRENOME, Nome (autor do trabalho)./título: subtítulo do trabalho./in: NOME DO CONGRESSO, número, ano, local de realização./título da publicação.../local de publicação: Editora, Data./página inicial-final. CANÇADO, Agenor Lopes. Toxocomanias de substituição. In: CONGRESSO FARMACÊUTICO E BIOQUÍMICO PAN-AMERICANO, 3., 1989, São Paulo. Anais... São Paulo: Federação das Associações de Farmacêuticos do Brasil, p DISSERTAÇÕES, TESES E TRABALHOS ACADÊMICOS SOBRENOME, Nome (autor)./título: subtítulo./data de publicação./número de folhas1 ou volumes./categoria (Grau e área de concentração) - Nome da Escola, Universidade, Cidade da defesa e data da defesa, mencionada na folha de aprovação (se houver). BRACCIALI, C.F. Versão intervalar de métodos numéricos para solução do problema de autovalores de matrizes f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Computação e Matemática Computacional) - Instituto de Ciências Matemáticas de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos. BUENO, M. S. S. O salto na escuridão: pressupostos e desdobramentos das políticas atuais para o ensino médio f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília. MORGADO, M. L. C. Reimplante dentário f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Odontologia) Faculdade de Odontologia, Universidade Camilo Castelo Branco, São Paulo, 1990.

19 PERIÓDICOS NO TODO TÍTULO DA PUBLICAÇÃO./Local de publicação: Editor, ano do primeiro volume. CADERNOS DE PSICOLOGIA. Belo Horizonte: UFMG, BOLETIM GEOGRÁFICO. Rio de Janeiro: IBGE, SÃO PAULO MEDICAL JOURNAL. São Paulo: APM, Bimensal. ISSN FASCÍCULOS OU NÚMEROS ESPECIAIS OU SUPLEMENTOS TÍTULO DO PERIÓDICO./Título do fascículo especial ou suplemento./local de publicação: Editora, volume, número, ano. DINHEIRO: revista semanal de negócios. São Paulo: Ed. Três, n.148, 28 jun CONJUNTURA ECONÔMICA. As 500 maiores empresas do Brasil. Rio de Janeiro: FGV, v. 38, n. 9, set p. Edição especial. PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS. Mão-de-obra e previdência. Rio de Janeiro: IBGE, v.7, Suplemento ARTIGO DE PERIÓDICOS SOBRENOME, Nome (autor)./título do artigo./título do periódico, Local de publicação, número do volume, número do fascículo, página inicial-final, mês abreviado e ano. REY, L. Problemas de saúde pública: hidatidose humana. Rev. Roche, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, p , nov ARTIGO DE JORNAL SOBRENOME, Nome (autor)./título do artigo./título do jornal, Local, dia, mês abreviado, ano./número ou título do caderno, seção ou suplemento, página inicial-final. FRIAS FILHO, O. Peça de Calderón sintetiza teatro barroco. Folha de São Paulo, São Paulo, 23 out Ilustrada, p.3.

20 20 Obs.: quando não houver seção, caderno ou parte a paginação do artigo precede a data. LEAL, L. N. MP fiscaliza com autonomia total. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 3, 25 abr LEGISLAÇÕES (CONSTITUIÇÃO, LEIS E DECRETOS, RESOLUÇÕES, EMENDAS, ETC) CONSTITUIÇÃO NOME DO PAÍS./Constituição (ano de promulgação)./título: subtítulo./cidade de publicação: Editora, data./descrição física./(série ou Coleção)./Notas. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de Organização do texto por Juarez de Oliveira. 4. ed. São Paulo: Saraiva, p. (Série Legislação Brasileira). BRASIL. Código civil (2002). Código civil. 57.ed. São Paulo: Atlas, BRASIL. Código de processo penal (1941). Código de processo penal. In: ANGHER, Anne Joyce. Vade mecum universitário de direito Rideel. 8.ed. São Paulo: RIDEEL, p LEIS E DECRETOS NOME DO PAÍS, ESTADO OU MUNICÍPIO./(Estado) ou (Cidade) se homônimos./lei ou Decreto n., dia mês (por extenso) e ano./descrição da lei ou decreto./título da publicação: subtítulo, Cidade de publicação, v., p., ano./ (Série ou Coleção)./Notas BRASIL. Decreto nº , de 4 de janeiro de Dispõe sobre documentos e procedimentos para despacho de aeronave em serviço internacional. Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência, São Paulo, v. 48, p. 3-4, jan. /mar

21 RESOLUÇÕES BRASIL. Congresso. Senado. Resolução nº 17, de Coleção de leis da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, v. 183, p , maio/jun JURISPRUDÊNCIA BRASIL. Supremo Tribunal de Justiça. Habeas-corpus nº , da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Brasília, DF, 6 de dezembro de Lex: jurisprudência do STJ e Tribunal Regional Federal, São Paulo, v. 10, n. 103, p , mar MAPAS, CARTAS, TOPOGRÁFICAS AUTOR./Título do documento cartográfico./local de publicação: Editora, data./designação específica, cor (p&b - preto e branco; color - colorido), Dimensões (altura X largura em cm)./escala./(série ou Coleção)./Notas. BRASIL. Ministério da Agricultura. Mapa de solos. Salvador: CEPLA, Mapa color, 78 x 59cm. Escala 1: MAPA do Brasil físico. São Paulo: Geomapas, Mapa p&b, 88 x 120cm. Escala DOCUMENTOS ELETRÔNICOS Considera-se documento eletrônico, todo documento, acessível por máquina, cujos suportes são: OnLine, Winchester, Disco ZIP, Fita DAT, Cartão magnético, CD Compact Disk, DVD, CD-Rom, Disquete, Fita magnética. As referências devem obedecer aos padrões indicados para todo tipo de documento, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico RECOMENDAÇÕES IMPORTANTES São essenciais as informações sobre o endereço eletrônico, apresentado entre os sinais <>, precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento, precedida da expressão Acesso em:

22 22 notas de rodapé. Não se recomenda referenciar material eletrônico de curta duração nas redes. Caso as informações sejam incompletas (sem autor / título) observar através de MONOGRAFIA NO TODO SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Entendendo o meio ambiente. São Paulo, v.1. Disponível em: <http://www.bdt.org.br/sma/entendendo/atual.htm/>. Acesso em: 8 mar NETTER, F. Atherosclerosis and coronary heart deseases: coronary anatomy, atherosclerosis and myocardial infarction. Washington, DC: Novartis, CD- ROM CAPÍTULO DE MONOGRAFIA SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Tratados e organizações ambientais em matéria de meio ambiente. In:. Entendendo o meio ambiente. São Paulo, v. 1. Disponível em: <http://www.bdt.org.br/sma/entendendo/atual.htm/>. Acesso em: 8 mar ARTIGOS DE PERIÓDICOS SOUZA, A. E. De penhora e avaliação. Campina Grande, v. 4, n. 33, jun Disponível em: <www.datavenia.inf.br/frame-artig.html>. Acesso em: 31 jul SILVA, I.G. Pena de morte para o nascituro. O Estado de São Paulo, São Paulo, 19 set Disponível em: <http://www.providafamilia.org/pena_morte_nascituro.htm>. Acesso em: 19 set EVENTOS CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPE, 4., 1996, Recife. Anais eletrônicos... Recife: UFPE, Disponível em: <http://www.propesq.ufpe.br/anais/anais.htm>. Acesso em: 21 jan SILVA, R.N.; OLIVEIRA, R. Os limites pedagógicos do paradigma da qualidade

23 23 total em educação. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPE, 4., 1996, Recife. Anais eletrônicos... Recife: UFPE, Disponível em: <http://www.propesq.ufpe.br/anais/anais/educ/ce04.htm>. Acesso em: 21 jan BIRDS from Amapá: banco de dados. Disponível em: <http://www.bdt/avifauna/aves>. Acesso em: 25 nov LISTA DE DISCUSSÃO COMUT-on-line. Lista de discussão mantida pelo IBICT para a discussão do Programa COMT. Disponível em: Acesso em: 4 jun ACCIOLY, F. Publicação eletrônica [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em: 26 jan HOMEPAGE TENDÊNCIA do mercado de café. São Paulo: FNP online, Apresenta informações sobre pecuária de leite no Brasil. Disponível em: <http://users.cmq.com.br/~secult>. Acesso em: 14 jun IMAGEM EM MOVIMENTO (INCLUEM FILMES, VIDEOCASSETES, DVD ETC) Os elementos essenciais são: título, diretor, produtor, local, produtora, data e especificação do suporte em unidades. Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Os perigos do uso de tóxicos. Produção de Jorge Ramos de Andrade. Coordenação de Maria Izabel Azevedo. São Paulo: CERAVI, videocassete (30 min.) VHS, son., color GLOSSÁRIO (OPCIONAL) Apresentado também em ordem alfabética.

10ª SEMANA DE ESTUDOS ACADÊMICOS DA FAMA-FEMAR Out./2014 NORMAS GERAIS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO ESCRITO

10ª SEMANA DE ESTUDOS ACADÊMICOS DA FAMA-FEMAR Out./2014 NORMAS GERAIS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO ESCRITO 10ª SEMANA DE ESTUDOS ACADÊMICOS DA FAMA-FEMAR Out./2014 NORMAS GERAIS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO ESCRITO Estas normas foram escritas para servir como instrumento de orientação e auxílio aos alunos no

Leia mais

Guia rápido ABNT NBR 10520:2002 Informação e documentação Citações em documentos

Guia rápido ABNT NBR 10520:2002 Informação e documentação Citações em documentos Guia rápido ABNT NBR 10520:2002 Informação e documentação Citações em documentos O que é uma citação? É a menção de uma informação extraída de outra fonte. TIPOS DE CITAÇÕES Citação direta Citação indireta

Leia mais

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1 5/12/2008 Monografias - Apresentação Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011. Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa

PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011. Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011 Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa REFERÊNCIA NORMATIVA Documentos indispensáveis à aplicação deste documento ABNT NBR 6023

Leia mais

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Biblioteca Normas para elaboração do TCC O que é um Trabalho de Conclusão de Curso? O TCC, é um trabalho acadêmico feito sob a coordenação

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

CITAÇÃO FACULDADE CEARENSE NORMAS PARA USO DA CITAÇÃO NOS TRABALHOS DA FACULDADE CEARENSE

CITAÇÃO FACULDADE CEARENSE NORMAS PARA USO DA CITAÇÃO NOS TRABALHOS DA FACULDADE CEARENSE CITAÇÃO FACULDADE CEARENSE NORMAS PARA USO DA CITAÇÃO NOS TRABALHOS DA FACULDADE CEARENSE FORTALEZA 2011 1 FACULDADE CEARENSE CITAÇÃO SUMÁRIO Apresentação 3 Introdução 4 Regras Gerais de Apresentação 5

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA

FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA CURITIBA 2012 SUMÁRIO 1. ESTRUTURA DA MONOGRAFIA...03 1.1. Elementos pré-textuais...03

Leia mais

FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO

FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO FEMPAR FUNDAÇÃO ESCOLA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE ARTIGO LONDRINA 2009 SUMÁRIO 1 ESTRUTURA DO ARTIGO CIENTÍFICO...01 1.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS...01

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Programa de Pós-Graduação em Biotecnociência Título Santo André dd/mm/aaaa Normas para Dissertações Mestrado em Biotecnociência - UFABC.

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Rosangela Alves de Oliveira * Nome do (s) autor (s) RESUMO Este trabalho estabelece as orientações para apresentação de um artigo científico. Todas as informações

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

MANUAL DE NORMALIZAÇÃO PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DA FALC

MANUAL DE NORMALIZAÇÃO PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DA FALC 1 MANUAL DE NORMALIZAÇÃO PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DA FALC (Baseada em normas vigentes da ABNT NBR 6023, 6027, 6028, 10520, 14724.) Elaboração: Docentes do curso de Letras Organização: Prof. Me. Alessandro

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS F A C UL DA DE DE P R E S I DE N T E V E N C E S L A U REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS APRESENTAÇÃO GRÁFICA - CONFIGURAÇÃO DAS MARGENS Ir ao menu Arquivo, escolher a opção Configurar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PIM

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PIM APRESENTAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PIM Caros professores e alunos é com satisfação que apresentamos este manual, acreditando que ele contribuirá para o seu conhecimento a respeito do Projeto Integrado

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS APRESENTAÇÃO O trabalho deve ser digitado e impresso em papel formato A4. O texto deve ser digitado, no anverso das folhas, em espaço 1,5, letra do tipo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Dissertação é a apresentação escrita do trabalho de pesquisa desenvolvido no âmbito do Programa de

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC)

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) compreende a elaboração de trabalho de caráter individual teórico, projetual ou aplicativo, com observância de exigências

Leia mais

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Maria Bernardete Martins Alves Marili I. Lopes Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Módulo 3 Apresentação

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 APRESENTAÇÃO Tanto o artigo quanto a monografia são trabalhos monográficos, ou seja, trabalhos que apresentam resultados de pesquisa sobre um

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica 2012 2 Núcleo de Apoio à Pesquisa na Graduação- NAP/UNIMAR Projeto de Pesquisa; Apresentação gráfica TRABALHO ACADÊMICO Apresentação gráfica Segundo normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas

Leia mais

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO NA RECeT POLÍTICA EDITORIAL

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO NA RECeT POLÍTICA EDITORIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS PRESIDENTE EPITÁCIO CNPJ 10.882.594/0001-65 Al. José Ramos Júnior, 27-50, Jardim Tropical Presidente Epitácio

Leia mais

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005)

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Errata Folha de Rosto Capa ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Epígrafe Resumo L. estrangeira Resumo Agradecimentos Dedicatória Folha de Aprovação Anexos Apêndices Glossário Referências

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003)

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) Maio de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Programa de capacitação. 2 NORMAS

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica:

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Conforme NBR 6022:2003 Seção de atendimento ao usuário - SISBI Outubro 2013 Normas técnicas Norma técnica é um documento estabelecido

Leia mais

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL AQUIDAUANA MS 2009 1. PAPEL E PROCESSO DE MULTIPLICAÇÃO O papel

Leia mais

Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras

Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE LETRAS DIREÇÃO ADJUNTA DE GRADUAÇÃO SEÇÃO DE ENSINO Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras 2 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2 UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA COORDENAÇÃO ADJUNTA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espaçamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Nome do Estagiário 2 espaços 1,5 Fonte 14 Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA LOCAL ANO Fonte

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO OESTE DONA LINDU GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ DIVINÓPOLIS MG 2009 O Trabalho de

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (FTA) VITÓRIA DA CONQUISTA BA 2009

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espacejamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 2 espaços 1,5 Fonte 14 Nome do Estagiário Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA BAMBUÍ ANO Fonte

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações 1ª edição Ilhéus BA 2012 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT

Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT FACULDADE CRISTÃ DE CURITIBA Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT Elaborado pela bibliotecária Teresinha Teterycz - CRB 9 / 1171

Leia mais

UNIVERSIDADE POSITIVO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL (PGAMB)

UNIVERSIDADE POSITIVO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL (PGAMB) UNIVERSIDADE POSITIVO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL (PGAMB) REGRAS GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA DE PROJETO DE TESE DE DOUTORADO Formato Papel branco ou reciclado; impressão em frente

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

Biblioteca Central Dr. Christiano Altenfelder Silva

Biblioteca Central Dr. Christiano Altenfelder Silva FUNDAÇÃO DE ENSINO EURÍPIDES SOARES DA ROCHA MANTENEDORA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO EURÍPIDES DE MARÍLIA UNIVEM Biblioteca Dr. Christiano Altenfelder Silva AV. HYGINO MUZZI FILHO, 529 MARÍLIA SP CEP 17525-901

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP 2011 ESTRUTURA 1 ELEMENTOS DE PRÉ-TEXTO 1.1 Capa 1.2 Lombada descendente 1.3 Folha de rosto 1.4 Folha de aprovação 1.5 Dedicatória 1.6 Agradecimentos 1.7 Epígrafe

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA - FADIVA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PESQUISA E MONOGRAFIA PROFª Ms Mª AUXILIADORA PINTO COELHO FROTA MATÉRIA: METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO

Leia mais

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO FACULDADE DOM BOSCO Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO CORNÉLIO PROCÓPIO 2012 Como elaborar um TC 1 Introdução Objetiva-se

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde

Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE DOCUMENTO DE QUALIFICAÇÃO E DISSERTAÇÃO PARA O PROGRAMA

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA!

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA! CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO REVISTA DiCA! Biblioteca - FAAG Tel. (14) 3262-9400 Ramal: 417 Email: biblioteca@faag.com.br http://www.faag.com.br/faculdade/biblioteca.php

Leia mais

Normas para Redação da Dissertação/Tese

Normas para Redação da Dissertação/Tese Normas para Redação da Dissertação/Tese Estrutura A estrutura de uma dissertação, tese ou monografia compreende três partes fundamentais, de acordo com a ABNT (NBR 14724): elementos prétextuais, elementos

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

MANUAL Mostra de Responsabilidade Social

MANUAL Mostra de Responsabilidade Social MANUAL Mostra de Responsabilidade Social 1. REGRAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO/TEXTO Após pesquisas sobre Responsabilidade Social, escrever um artigo entre 3 a 5 páginas, seguindo os itens abaixo: 1 elementos

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA 1 DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho, ou seja, o que não consta no texto destas

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Apresentação gráfica

PROJETO DE PESQUISA. Apresentação gráfica 2012 PROJETO DE PESQUISA Apresentação gráfica Revisto e atualizado segundo alterações ABNT: NBR 15287:2011 Projeto de Pesquisa; NBR 14724:2011 Trabalhos Acadêmicos. Profa. Dra. Wakiria Martinez Heinrich

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA 2014 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte

Leia mais

TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT NBR 14724:2011. Especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos

TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT NBR 14724:2011. Especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT NBR 14724:2011 Especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos REFERÊNCIA NORMATIVA Documentos indispensáveis à aplicação deste documento ABNT NBR 6023

Leia mais

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS O texto a seguir tratará das seguintes normalizações: A. NBR 14724:2001 Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos - Apresentação Informações pré-textuais

Leia mais

Normas para a apresentação de artigos Resenha Eleitoral

Normas para a apresentação de artigos Resenha Eleitoral Normas para a apresentação de artigos Resenha Eleitoral 1 Regras gerais A teor do art. 8 o da Resolução TRESC n. 7.770/2010, os artigos poderão versar sobre matéria eleitoral, constitucional ou administrativa,

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É essencial o uso de normas técnicas para uma boa apresentação e compreensão da leitura de um trabalho acadêmico-científico.

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE QUÍMICA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC 1 APRESENTAÇÃO As recomendações a seguir resumem os princípios para a elaboração

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1)

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV RESUMO Este

Leia mais

REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS. Prof. Dr. Luiz Carlos dos Santos

REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS. Prof. Dr. Luiz Carlos dos Santos REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Todo trabalho acadêmico deve ser elaborado segundo parâmetros determinados pela Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. Assim,

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA APRESENTAÇÃO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS O trabalho deve ser digitado e impresso em papel

Leia mais

REVISTA DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS / FAeCC / UFMT. NORMAS DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO PARA A RCiC

REVISTA DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS / FAeCC / UFMT. NORMAS DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO PARA A RCiC NORMAS DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO PARA A 1 ARTIGO É o trabalho acadêmico que apresenta resultado de uma pesquisa, submetido ao exame de um corpo Editorial, que analisa as informações, os métodos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado MANUAL DE DEFESA Exame de Qualificação: banca examinadora

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS 2013 1 ORIENTAÇÕES DE BASE As orientações apresentadas neste manual são baseadas na norma NBR 6022, da ABNT, a qual refere-se a apresentação de artigos científicos.

Leia mais

Envio de trabalhos. 1.3. Serão aceitos somente os trabalhos enviados para o correio eletrônico da revista (revistaaproximacao@gmail.com).

Envio de trabalhos. 1.3. Serão aceitos somente os trabalhos enviados para o correio eletrônico da revista (revistaaproximacao@gmail.com). Envio de trabalhos 1.1. Serão aceitos trabalhos na área de Filosofia, de alunos vinculados a cursos de graduação (não necessariamente em Filosofia). Aceitaremos também contribuições de pós-graduandos e

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Andersown Becher Paes de Barros * Ideraldo Bonafé ** RESUMO Este trabalho apresenta

Leia mais

BIBLIOTECA COMUNITÁRIA. Guia para elaboração de Referências: de acordo com NBR 6023/2002

BIBLIOTECA COMUNITÁRIA. Guia para elaboração de Referências: de acordo com NBR 6023/2002 BIBLIOTECA COMUNITÁRIA Guia para elaboração de Referências: de acordo com NBR 6023/2002 São Carlos 2012 Guia para elaboração de Referências As orientações abaixo são de acordo com a NBR 6023/2002 da Associação

Leia mais

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Mestrado Profissional em Metrologia e Qualidade Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial 2010 APRESENTAÇÃO

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS 0 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS MANUAL PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS PIRENÓPOLIS 2012 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE 1 INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTRUÇÕES GERAIS: papel branco A4, fonte Arial tamanho 12, com espaçamento de 1,5 cm entre as linhas,

Leia mais

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROF. DR. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. Me. CELSO LUCAS COTRIM APRESENTAÇÃO

Leia mais

NORMAS PARA SUBMISSÃO DE RESUMO E ARTIGO COMPLETO

NORMAS PARA SUBMISSÃO DE RESUMO E ARTIGO COMPLETO NORMAS PARA SUBMISSÃO DE RESUMO E ARTIGO COMPLETO RESUMOS - Os resumos deverão ter no máximo 500 palavras. - A estrutura do resumo deverá conter, obrigatoriamente: problematização da pesquisa; objetivos;

Leia mais

Este manual visa orientar a padronização dos relatórios de estágio. Brasileira de Normas Técnicas - (ABNT), ensaiando-os e

Este manual visa orientar a padronização dos relatórios de estágio. Brasileira de Normas Técnicas - (ABNT), ensaiando-os e COMO FAZER O RELATÓRIO DE ESTÁGIO APRESENTAÇÃO Este manual visa orientar a padronização dos relatórios de estágio feitos pelos alunos do Colégio Agrícola Estadual Adroaldo Augusto Colombo, de acordo com

Leia mais

PROPAGARE REVISTA CIENTÍFICA DA FACULDADE CAMPO REAL REVISTA PROPAGARE

PROPAGARE REVISTA CIENTÍFICA DA FACULDADE CAMPO REAL REVISTA PROPAGARE REVISTA PROPAGARE A Revista PROPAGARE, publicação da Faculdade Campo Real, criada em 2010, é dirigida à comunidade científica. A PROPAGARE reúne, debate coopera e propaga conhecimento para o progresso

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 Jaciara-MT COMPOSIÇÃO DA MONOGRAFIA MONOGRAFIA Recebe nº página CAPA FOLHA DE ROSTO FOLHA DE APROVAÇÃO DEDICATÓRIA (OPCIONAL) AGRADECIMENTO (OPCIONAL) EPIGRAFE

Leia mais

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= *

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= * Lombada* UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BIBLIOTECA GLÁDIS W. DO AMARAL ORIENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Elementos póstextuais INDICES * PARTE INTERNA ANEXOS * APENDICES * GLOSSARIO

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos Keina Cristina S. S. Silva, Bibª. Me. Marilene S. de Araújo, Bibª. Esp. Sale Mário Gaudêncio, Bibº. Esp. Vanessa Christiane A. S. Borba, Bibª. Esp. Vanessa Oliveira Pessoa, Bibª. Esp. Apresentação de Trabalhos

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Educação Artística Unifadra / Dracena SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Educação Artística

Leia mais